MISSÃO VISÃO VALORES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MISSÃO VISÃO VALORES"

Transcrição

1

2

3 MISSÃO VISÃO VALORES

4 MISSÃO VISÃO Contribuir para a eficiência do setor público e para a simplificação da vida do cidadão por meio de soluções tecnológicas inovadoras" VALORES

5 MISSÃO VISÃO Ser referenciada pela excelência no provimento de soluções para o setor público" VALORES

6 Foco no cliente Entender as necessidades do cliente Ser parceiro do cliente nos seus desafios Atender no prazo, com qualidade e preço competitivo MISSÃO VISÃO VALORES Compromisso com resultados Assumir compromissos junto ao cliente e internamente Empenhar-se para cumprir os compromissos assumidos Estimular os colegas de trabalho a ter a mesma postura Inovação Pensar fora do senso comum Questionar e desafiar as limitações Buscar alternativas para alcançar os resultados desejados Ética Agir de forma íntegra, responsável e profissional Respeitar os princípios, valores e melhores práticas da cidadania Senso de urgência Fazer o que tem de ser feito no tempo certo Não esperar para agir

7

8 DATA CENTER

9 DATA CENTER

10 ACERVO TECNOLÓGICO PLATAFORMA OPEN Servidores 547 Físicos 2.634Virtuais Capacidade para crescimento Servidores Físicos Servidores Virtuais

11 REDE INTRAGOV BackBone AS GESP Configurado para 8 Gbps podendo chegar a 20 Gbps. BackBone Rede IP Multiserviços - Links entre 64 kbps e 40 Gbps - aproximadamente links.

12 USINA DE ENERGIA

13 Premiações

14 Premiações

15 CERTIFICAÇÕES

16 ISO 9001 Sistema de Gestão da Qualidade PRODUTO APTO PARA O USO Serviço com mais QUALIDADE Serviço com mais SEGURANÇA NO PRAZO que cliente precisa Com SUSTENTABILIDADE

17 ISO 9001 MOTIVADORES Insatisfação dos clientes concorrência! Maior organização, produtividade, credibilidade para a PRODESP Transparência Diferencial de Mercado Os clientes podem acionar a certificadora

18 Principais dificuldades 5W2H - Como certificar? Quanto custa? Qual estrutura necessária? Definição do escopo ISO 9001 Documentação de todos os processos do escopo Estabelecimento de novos processos, papéis e responsabilidades (ex: auditores, auditor líder, representante da direção) Capacitação (ex: formação de auditores internos)

19 ISO 9001 Impactos na cultura "Vão buscar falhas no meu processo" "Vou perder meu emprego" "Quem é essa tal de ISO para dizer como eu tenho que trabalhar?" "Medir para quê?" Clima interno Consciência da Política de Qualidade

20 ISO 9001 Principais benefícios Maior qualidade nos serviços Melhoria contínua: ações corretivas e preventivas Indicadores e dashboards para tomada de decisão As áreas se promovem mais com seus indicadores Auditorias internas, análise crítica Novos papéis, status, inovação, fazer parte da ISO Auditores internos Representante da direção Competição saudável pelos Pontos Positivos Reprodutibilidade dos processos (continuidade)

21 BASE ISO 9001 Documentação (versão, revisão, aprovação, publicação) Análise Crítica Auditoria Interna/Externa Política Cultura

22 ISO Sistema de Gestão da Segurança da Informação Disponibilidade, Integridade, Confidencialidade e Autenticidade (DICA) Serviço com mais QUALIDADE Serviço com mais SEGURANÇA NO PRAZO que cliente precisa Com SUSTENTABILIDADE

23 Motivadores ISO RISCOS informações custodiadas! CONTINUIDADE de negócios Incidentes de segurança Diferencial de Mercado

24 Principais dificuldades Definição do escopo Estabelecimento dos controles aplicáveis e medição de sua eficácia Mudança Cultural Documentação ISO Capacitação (ex: formação de auditores internos) Estabelecimento de novos processos, papéis e responsabilidades Disseminação Política de Segurança

25 ISO Benefícios ATIVOS RISCOS CONTROLES EFICÁCIA MELHORIA CONTÍNUA GESTÃO DE ATIVOS CSIRT GESTÃO DE RISCOS USINA DE ENERGIA DESCARTE SEGURO FORENSE DIGITAL

26 BASE ISO 9001 ISO Análise Crítica Auditoria Interna/Externa Política/Cultura Avaliação de Ameaças e Riscos ao Negócio

27 ISO Sistema de Gestão de Serviços de TI Acordo do Nível do Serviço Serviço com mais QUALIDADE Serviço com mais SEGURANÇA NO PRAZO que cliente precisa Com SUSTENTABILIDADE

28 ISO Motivadores Gerenciamento de serviços para atender aos requisitos de negócio Aproximar a TI ao negócio (clientes finais) Melhorias na qualidade dos serviços de TI SLA e SLO Diferencial de mercado

29 Principais dificuldades Estabelecimento dos controles aplicáveis Mudança Cultural Documentação Capacitação (ex: formação de auditores internos) Estabelecimento de novos processos, papéis e responsabilidades Disseminação Política de Serviços TI GMUD e CMDB ISO Necessário investimento: ITSM

30 BASE ISO ISO ISO 9001 Análise Crítica Auditoria Interna/Externa Política/Cultura Avaliação de Ameaças e Riscos aos Níveis de Serviço

31 ISO Sistema de Gestão Ambiental SUSTENTABILIDADE Serviço com mais QUALIDADE Serviço com mais SEGURANÇA NO PRAZO que cliente precisa Com SUSTENTABILIDADE

32 ISO Motivadores Meio ambiente Requisitos legais

33 ISO Principais dificuldades Nenhuma experiência no tema! Análise de Impacto Ambiental Quais resíduos são gerados e como tratá-los Como "compensar" o meio ambiente

34 ISO Benefícios Especialização no tema Análise de Impacto Ambiental - AIA Conformidade com as leis Compensação dos gases de efeito estufa de diversos eventos realizados: área verde mantida por empresa especializada

35 BASE ISO ISO ISO 9001 ISO Análise Crítica Auditoria Interna/Externa Tratamento de Resíduos Avaliação de Impactos e Riscos ao Meio Ambiente

36 Impactos antes da integração Cada norma exige duas auditorias internas e duas externas = 16 auditorias/ano! 4 políticas que os funcionários devem conhecer 4 Manuais de Gestão 4 análises críticas com a alta direção 4 contratos para auditoria externa Burocracia, engessamento, impacto no cliente! + desafios de governo: dificuldade de contratação de pessoal especializado, processo de aquisição (edital, licitação), cultura, etc.

37 A solução Integração das quatro certificações PAS-99 Referência da ISO para integração dos sistemas de gestão Muitos controles são comuns nas 4 normas Integração dos manuais em apenas um Formação de auditores internos nas 4 normas Contratação de empresa para auditar as 4 normas de uma só vez Apenas duas auditorias externas e duas internas Flexibilização, tem que gerar valor para o cliente

38 Retorno sobre Investimento Criação de serviços especializados Gap Analysis Continuidade na nuvem Gestão de Riscos Consultoria para Sistemas de Gestão Análise Forense Digital Consultoria para CSIRTs

39 Próximos desafios... IoT TI Bimodal DevOps Integração com outros frameworks e melhores práticas: CMMI, COBIT, COSO, Lean Six Sigma, etc. Novas exigências legais Cidadão cada vez mais exigente

40

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS PERSPECTIVA: TRE/RN e Sociedade Objetivo 1: Primar pela satisfação do cliente de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) Descritivo: Conhecer e ouvir o cliente

Leia mais

SOBRE A EQUIPE. SOBRE A I9Gestão

SOBRE A EQUIPE. SOBRE A I9Gestão SOBRE A EQUIPE A equipe da I9Gestão é formada por consultores experientes, altamente qualificados e apaixonados pelo que fazem. SOBRE A I9Gestão A I9Gestão Consultoria & Treinamento é especializada na

Leia mais

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - QUALIDADE, MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Empresa: Cristal Raidalva Rocha OBJETIVO Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos

Leia mais

Engineering Solutions Consulting. Consulting

Engineering Solutions Consulting. Consulting Engineering Solutions Consulting Consulting Missão e compromisso A nossa missão é proporcionar uma abordagem inovadora, diferenciadora e que aporte valor, com uma equipa jovem, dedicada, empenhada e qualificada,

Leia mais

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis 01 EUS CTIS END USER SUPPORT case eus ctis 01 TELESSERVIÇOS/TELEMARKETING Prestação de telesserviços (telemarketing) no atendimento e suporte operacional e tecnológico aos produtos, serviços e sistemas

Leia mais

GRC e Continuidade de Negócios. Claudio Basso

GRC e Continuidade de Negócios. Claudio Basso GRC e Continuidade de Negócios Claudio Basso claudio.basso@sionpc.com.br Governança um atributo de administração dos negócios que procura criar um nível adequado de transparência através da definição clara

Leia mais

MANUAL DE POLÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

MANUAL DE POLÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SGI-MP Tipo de Documento: Processo e Procedimento Classificação: Sem Restrições., para uso exclusivo dos destinatários indicados ID do Documento Versão: Versão controlada automática e eletronicamente pelo

Leia mais

Profª Mônica Suely G. de Araujo

Profª Mônica Suely G. de Araujo Profª Mônica Suely G. de Araujo Desempenho Características Confiabilidade Reputação 2 1 Durabilidade Utilidade Resposta Estética 3 Projeto Conformidade Capabi lidade Atendi mento ao Cliente Cultura da

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DA QUALIDADE: Benefícios e Aplicações Práticas

OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DA QUALIDADE: Benefícios e Aplicações Práticas OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DA QUALIDADE: Benefícios e Aplicações Práticas Rev. 00 de Março/2013 1/208 1/ 42 Rodrigo Sousa Atuação: Instrutor de treinamentos Consultor e Auditor em Sistemas de Gestão da Qualidade

Leia mais

soluções inteligentes

soluções inteligentes soluções inteligentes Catálogo de soluções NEGÓCIOS INOVADORES Soluções inteligentes, negócios inovadores Empresa Data Center CSC - Centro de Serviços Compartilhados Gestão de Ativos, Licenças e Recursos

Leia mais

International Featured Standards. IFS Food. Os caminhos e o sucesso da Certificação IFS

International Featured Standards. IFS Food. Os caminhos e o sucesso da Certificação IFS International Featured Standards IFS Food Os caminhos e o sucesso da Certificação IFS A unidade de Chapecó foi construída em 1970: BRF criada a partir da fusão das empresas Sadia e Perdigão (19/05/2009)

Leia mais

Definição. Sistema de Gestão Ambiental (SGA):

Definição. Sistema de Gestão Ambiental (SGA): Definição Sistema de Gestão Ambiental (SGA): A parte de um sistema da gestão de uma organização utilizada para desenvolver e implementar sua política ambiental e gerenciar seus aspectos ambientais. Item

Leia mais

A Empresa. Soluções Integradas. Qualidade de Gestão

A Empresa. Soluções Integradas. Qualidade de Gestão A Empresa A ES Engenharia, empresa dedicada à engenharia de equipamentos surgiu, em 2009, da união de engenheiros e técnicos qualificados e experientes, oriundos de indústrias químicas e petroquímicas.

Leia mais

O Processo de Certificação do Sistema de Gestão da Inovação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) NP 4457:2007

O Processo de Certificação do Sistema de Gestão da Inovação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) NP 4457:2007 O Processo de Certificação do Sistema de Gestão da Inovação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) NP 4457:2007 Aveiro 21 de Abril de 2010 Rita Cunha-Porto rita.porto@apcer.pt Agenda Apresentação APCER O papel

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE São João da Boa Vista SP Tel./fax (0xx19) /

CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE São João da Boa Vista SP Tel./fax (0xx19) / MESTRADO ACADÊMICO EM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E QUALIDADE DE VIDA CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - FAE São João da Boa Vista SP Tel./fax (0xx19)-3623-3022 / 0800-173022 ISO

Leia mais

Governança em TI na UFF. Modelo de Gestão da STI. Henrique Uzêda

Governança em TI na UFF. Modelo de Gestão da STI. Henrique Uzêda Governança em TI na UFF Modelo de Gestão da STI Henrique Uzêda henrique@sti.uff.br 2011-2013 Universidade Federal Fluminense 122 cursos de graduação e 359 de pós-graduação ~ 45.000 alunos de graduação

Leia mais

WEBINAR. Tema: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Pós-graduação Gestão de Serviços em TI. Prof.

WEBINAR. Tema: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Pós-graduação Gestão de Serviços em TI. Prof. WEBINAR Pós-graduação Gestão de Serviços em TI Tema: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS Prof. Ademar Albertin Ademar Luccio Albertin Mais de 10 anos de experiência em Governança

Leia mais

III Fórum de Governança de TI. Governança de TI nos Correios

III Fórum de Governança de TI. Governança de TI nos Correios III Fórum de Governança de TI Governança de TI nos Correios Outubro / 2016 COBIT 5: Governança e Gestão de TI Governança Corporativa Governança de TI Gestão de TI Vice-Presidência Corporativa - Áreas Composição

Leia mais

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Gerente de Práticas de Gestão

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Gerente de Práticas de Gestão Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade Augusto Riccio Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Gerente de Práticas de Gestão Convênio Nacional Petrobras-Sebrae: Inserção de MPEs na cadeia

Leia mais

ISO/DIS Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho. Mapping Guide

ISO/DIS Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho. Mapping Guide ISO/DIS 45001 Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho Mapping Guide ISO/DIS 45001 Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho O novo

Leia mais

Tipos de Indicadores. Conceito. O que medir... 25/08/2016

Tipos de Indicadores. Conceito. O que medir... 25/08/2016 Tipos de Indicadores 1 Conceito Características mensuráveis de processos, produtos ou serviços, utilizadas pela organização para acompanhar, avaliar e melhorar o seu desempenho ; OS INDICADORES NECESSITAM

Leia mais

Indicadores de Desempenho

Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho 1 Conceito Características mensuráveis de processos, produtos ou serviços, utilizadas pela organização para acompanhar, avaliar e melhorar o seu desempenho. OS INDICADORES NECESSITAM

Leia mais

AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL NORMA ISO DIRETRIZES\PARA AUDITORIA

AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL NORMA ISO DIRETRIZES\PARA AUDITORIA AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL BALISAR SISTEMA E CORRIGIR FALHAS NORMA ISO 19011 DIRETRIZES\PARA AUDITORIA INSTRUMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL QUE PODE SER APLICADO A QUALQUER EMPREENDIMENTO 1 AUDITORIA

Leia mais

GRUPO DE INTERCÂMBIO EM AUDITORIA, CONTROLE E GESTÃO. Resultado da Pesquisa de Temas de Interesse. Agosto de 2014

GRUPO DE INTERCÂMBIO EM AUDITORIA, CONTROLE E GESTÃO. Resultado da Pesquisa de Temas de Interesse. Agosto de 2014 GRUPO DE INTERCÂMBIO EM AUDITORIA, CONTROLE E GESTÃO Resultado da Pesquisa de Temas de Interesse Agosto de 2014 I -INTRODUÇÃO I.1 - Importância do Segmento Representado no grupo: Auditores, analistas e

Leia mais

PROJETOS. Reduza seus Custos com TI sem perder a qualidade.

PROJETOS. Reduza seus Custos com TI sem perder a qualidade. PROJETOS Reduza seus Custos com TI sem perder a qualidade. Conheça a FNC IT A FNC é uma empresa especializada em oferecer soluções completas e dinâmicas em tecnologia da informação para o mercado corporativo,

Leia mais

Sustentabilidade, Governança a e

Sustentabilidade, Governança a e Sustentabilidade, Governança a e Inovação O guru Michael Porter avisa: o aquecimento global mudará radicalmente a forma de fazer negócios e a governança corporativa. Fonte: Exame dez/2008 Inovar para

Leia mais

O objetivo era maquiar suas contas a fim de que o país preenchesse os requisitos para ingressar na Zona do Euro, a moeda única europeia.

O objetivo era maquiar suas contas a fim de que o país preenchesse os requisitos para ingressar na Zona do Euro, a moeda única europeia. RISCO OPERACIONAL RISCO OPERACIONAL Em 2009, a situação da Grécia se complicou. Autoridades revisaram os relatórios financeiros e revelaram uma falsificação generalizada dos dados sobre o deficit e a dívida

Leia mais

Projeto G7 Implantando o gerenciamento de serviços de TI no BACEN

Projeto G7 Implantando o gerenciamento de serviços de TI no BACEN Projeto G7 Implantando o gerenciamento de serviços de TI no BACEN Marcelo Garrido de Oliveira Chefe Adjunto do Deinf - BACEN AGENDA ALGUMAS PREMISSAS O DEINF O PROJETO G7 PRÓXIMOS PASSOS 2 ALGUMAS PREMISSAS

Leia mais

Visão Geral da Norma ISO/IEC 12207

Visão Geral da Norma ISO/IEC 12207 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Visão Geral da Norma ISO/IEC 12207 Engenharia de Software 2o. Semestre

Leia mais

REDE METROLÓGICA DE ALAGOAS

REDE METROLÓGICA DE ALAGOAS ASSEMBLÉIA DE CONSTITUIÇÃO 22 de Março de 2005 LANÇAMENTO DA RMAL 29 de Março de 2005 MISSÃO Promover a cultura e a credibilidade dos serviços metrológicos, de forma a estimular a competitividade dos setores

Leia mais

Implantação do sistema de gestão da qualidade na Farmácia Privativa Unimed Amparo

Implantação do sistema de gestão da qualidade na Farmácia Privativa Unimed Amparo Implantação do sistema de gestão da qualidade na Farmácia Privativa Unimed Amparo Edilene P. Camargo, Celso R.C. Martins farmacia@unimedamparo.com.br Histórico A Diretoria da Unimed Amparo, inspirada

Leia mais

Roadmap para Implementação e Certificação ISO Mário Rui Costa

Roadmap para Implementação e Certificação ISO Mário Rui Costa 1 1 Roadmap para Implementação e Certificação ISO 20000-1 Mário Rui Costa TÓPICOS O que é a ISO 20000-1? Porquê implementar? Custos Ponto de partida Papéis e Responsabilidades Implementação Preparação

Leia mais

Universidade de Aveiro 2010/02/05

Universidade de Aveiro 2010/02/05 Universidade de Aveiro 2010/02/05 Conteúdo - Apresentação da empresa - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação - Processo de implementação - Factores críticos de sucesso visão.c

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE NORMALIZAÇÃO NA GESTÃO DA P&D&I

EXPERIÊNCIAS DE NORMALIZAÇÃO NA GESTÃO DA P&D&I XIII REPICT EXPERIÊNCIAS DE NORMALIZAÇÃO NA GESTÃO DA P&D&I Júlio C. Felix Gerente INTEC/TECPAR Coordenador ABNT CEE 130 02 de setembro de 2010 REPUTAÇÃO CORPORATIVA Sustentabilidade (Sistemas de Gestão

Leia mais

Miraklon. Você conhece os CUSTOS INVISÍVEIS das atividades do seu NEGÓCIO? E seus CLIENTES? Imagine-se, agora, como um de seus clientes

Miraklon. Você conhece os CUSTOS INVISÍVEIS das atividades do seu NEGÓCIO? E seus CLIENTES? Imagine-se, agora, como um de seus clientes Miraklon Você conhece os CUSTOS INVISÍVEIS das atividades do seu NEGÓCIO? E seus CLIENTES? Imagine-se, agora, como um de seus clientes Quais são e onde estão, a cada instante, os custos invisíveis ou ocultos

Leia mais

Ferramentas da Qualidade

Ferramentas da Qualidade UNIVERSIDADE DE SOROCABA Curso Gestão da Qualidade Ferramentas da Qualidade Professora: Esp. Débora Ferreira de Oliveira Aula 24/05 Uma empresa não pode ser apenas reativa, ela precisa ter controle e ser

Leia mais

PROCEDIMENTO USO DO CERTIFICADO E DA LOGOMARCA CONCEITOS DE CERTIFICAÇÃO E MARCA DE ACREDITAÇÃO.

PROCEDIMENTO USO DO CERTIFICADO E DA LOGOMARCA CONCEITOS DE CERTIFICAÇÃO E MARCA DE ACREDITAÇÃO. Página 1 de 8 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Data da Revisão Nº da Revisão 20/08/2007 00 Emissão Inicial Aprovada Histórico das Alterações 22/07/2013 15 NBR ISO 14065:2012 Gases de Efeito Estufa Requisitos para

Leia mais

Questionário de Pesquisa. Prezado Participante,

Questionário de Pesquisa. Prezado Participante, Questionário de Pesquisa Prezado Participante, Meu nome é Renata Moreira, sou aluna de doutorado do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco e consultora da SWQuality. Gostaria da sua

Leia mais

4º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS. Paulo Sérgio Neves de Souza Banco Central do Brasil Departamento de Supervisão Bancária

4º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS. Paulo Sérgio Neves de Souza Banco Central do Brasil Departamento de Supervisão Bancária 4º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS Paulo Sérgio Neves de Souza Banco Central do Brasil Departamento de Supervisão Bancária Novos Desafios para Controles Internos Modelo de Supervisão do BCB

Leia mais

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016 1. OBJETIVOS Estabelecer os princípios e diretrizes que norteiam as ações de práticas socioambientais da Getnet nos negócios e na relação com todas as partes interessadas, incluindo as diretrizes para

Leia mais

Treinamento de Green Belts em Lean Seis Sigma

Treinamento de Green Belts em Lean Seis Sigma Treinamento de Green Belts em Lean Seis Sigma 1 2 O Grupo Voitto Unidos pela visão de se tornar referência nacional na geração de diferencial competitivo pela educação coorporativa, o Grupo Voitto oferece

Leia mais

Gestão da Qualidade 1

Gestão da Qualidade 1 Gestão da Qualidade 1 Gestão da Qualidade Total (TQM) 2 QUALIDADE TOTAL GARANTIA DA QUALIDADE CONTROLE DA QUALIDADE INSPEÇÃO PROCESSO PREVENÇÃO PESSOAS 3 Oito princípios de Gestão da Qualidade Foco no

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DA BIBLIOTECA PROFESSOR ALYSSON DAROWISH. Diana Palhano Ludmila Ventilari

CERTIFICAÇÃO DA BIBLIOTECA PROFESSOR ALYSSON DAROWISH. Diana Palhano Ludmila Ventilari CERTIFICAÇÃO DA BIBLIOTECA PROFESSOR ALYSSON DAROWISH MITRAUD Diana Palhano Ludmila Ventilari O que é Qualidade? Conceito de gestão: Conforme Deming: é a satisfação do cliente e melhoria contínua O que

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Análise Crítica da Pré e Pós Certificação A qualidade não é um conjunto de técnicas, é a maneira de pensar o seu próprio negócio e isso não da pra copiar. Fonte: hsm.com.br Hospital

Leia mais

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Securitas Portugal O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Agosto de 2016 1 O Sistema de Gestão da Responsabilidade Social A SECURITAS desenvolveu e implementou um Sistema de Gestão de aspetos de

Leia mais

Otimização de Canteiros de Obras utilizando da tecnologia da informação: SaaS e Mobilidade. Ana Cecilia Tobias Ribeiro de Souza Engenheira Civil

Otimização de Canteiros de Obras utilizando da tecnologia da informação: SaaS e Mobilidade. Ana Cecilia Tobias Ribeiro de Souza Engenheira Civil Otimização de Canteiros de Obras utilizando da tecnologia da informação: SaaS e Mobilidade Ana Cecilia Tobias Ribeiro de Souza Engenheira Civil AGENDA 1. Apresentação Speaker Ana Cecilia T R de Souza Engenheira

Leia mais

Evolução tecnológica e Visão de futuro Telefonica Vivo

Evolução tecnológica e Visão de futuro Telefonica Vivo Telefonica Vivo Evolução tecnológica e Visão de futuro Telefonica Vivo Há um novo consumidor, cada vez mais conectado e exigente CONSTANTEMENTE INFORMADO BUSCA PERSONALIZAÇÃO $ ORIENTADO A VALOR 100% CONECTADO

Leia mais

BP Energy unifica sua presença no Rio de Janeiro utilizando nova infraestrutura e gera economia e melhoria operacional

BP Energy unifica sua presença no Rio de Janeiro utilizando nova infraestrutura e gera economia e melhoria operacional BP Energy unifica sua presença no Rio de Janeiro utilizando nova infraestrutura e gera economia e melhoria operacional Junho/2016 Perfil A BP está presente no país desde 1957 e hoje atua nos segmentos

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES CADERNO DE ATIVIDADES PRIORIDADES DO PLANO DIRETOR 4 ANOS Considerando os... Desafios Desafios Desafios Desafios Desafios Defina em grupo as prioridades, segundo os critérios de... PRIORIDADES DO PLANO

Leia mais

Monitoração de Vulnerabilidades e Telemetria

Monitoração de Vulnerabilidades e Telemetria Monitoração de Vulnerabilidades e Telemetria O que é ser Rede? Um pouco da nossa história É criada a Redecard O Itaú Unibanco A Redecard A Rede especialista em credenciamento de estabelecimentos para aceitação

Leia mais

Seminário de Desenvolvimento de Gestores de Programas e Projetos. Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento - PNQS

Seminário de Desenvolvimento de Gestores de Programas e Projetos. Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento - PNQS Seminário de Desenvolvimento de Gestores de Programas e Projetos Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento - PNQS CNQA - Comitê Nacional de Qualidade da ABES Existe uma crise de água no mundo hoje. Mas

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Prof. Marcelo Mello Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Gerenciamento de serviços Nas aulas anteriores estudamos: 1) Importância dos serviços; 2) Diferença entre produtos x serviços; 3) Composto de Marketing

Leia mais

COMO ESCOLHER O TREINAMENTO CERTO PARA DESENVOLVER PESSOAS E EXPANDIR NEGÓCIOS?

COMO ESCOLHER O TREINAMENTO CERTO PARA DESENVOLVER PESSOAS E EXPANDIR NEGÓCIOS? COMO ESCOLHER O TREINAMENTO CERTO PARA DESENVOLVER PESSOAS E EXPANDIR NEGÓCIOS? Mais de 70 cursos em todas as áreas da empresa Gestão, Estratégia, Inovação, Qualidade, Sustentabilidade, Segurança e muito

Leia mais

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade A Elétrica Sena Campos, empresa prestadora de serviços no ramo de manutenção elétrica tem como principal valor preservar a integridade física, mental

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROCESSOS ADMINISTRATIVOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO O que é e para que serve? Para quem serve? Quem deve participar? Onde vem sendo utilizado? ETAPAS DO PLANEJAMENTO Avaliação da

Leia mais

Regimento Interno da Auditoria Interna Regimento Interno

Regimento Interno da Auditoria Interna Regimento Interno da Auditoria Interna da Auditoria Interna Versão 1.0 Data de criação 08/06/2015 Data de modificação N/A Tipo de documento Índice 1. Objetivo... 4 2. Atuação... 4 3. Missão da Auditoria Interna... 4 4.

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: DA NORMA À PRÁTICA. William Bini

GESTÃO DE RISCOS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: DA NORMA À PRÁTICA. William Bini GESTÃO DE RISCOS DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: DA NORMA À PRÁTICA William Bini william.bini@dataprev.gov.br Ele o jogo! Eleprecisa precisamudar agir rápido! Ele decide implantar um processo Gestão de

Leia mais

PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE A QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E A SUSTENTABILIDADE DOS NEGÓCIOS. Flávia Flamínio

PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE A QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E A SUSTENTABILIDADE DOS NEGÓCIOS. Flávia Flamínio PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE A QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E A SUSTENTABILIDADE DOS NEGÓCIOS Flávia Flamínio flavia@espm.br O MUNDO E AS EMPRESAS MUDARAM O AMBIENTE DE NEGÓCIOS DA EMPRESA Fornecedores

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO: ISO 14001:2004 X ISO 14001:2015

QUADRO COMPARATIVO: ISO 14001:2004 X ISO 14001:2015 QUADRO COMPARATIVO: ISO 14001:2004 X ISO 14001:2015 ISO 14001:2004 ISO 14001:2015 Introdução Introdução 1.Escopo 1.Escopo 2.Referências normativas 2.Refências normativas 3.Termos e definições 3.Termos

Leia mais

Sebrae, parceiro dos pequenos negócios

Sebrae, parceiro dos pequenos negócios Sebrae, parceiro dos pequenos negócios O Sebrae existe para apoiar os pequenos negócios no Paraná e no Brasil Cenário das micro e pequenas empresas no Brasil Representam 95% dos estabelecimentos formais

Leia mais

Manual De Estudo Hospital Felício Rocho Educação Continuada 2 /2014

Manual De Estudo Hospital Felício Rocho Educação Continuada 2 /2014 Manual De Estudo Hospital Felício Rocho Educação Continuada 2 /2014 Prezado (a) Participante, Neste Manual estão importantes informações sobre o Planejamento Estratégico do HFR e sobre Acreditação/Certificação

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Painel 1 Considerando o ciclo de vida na avaliação da sustentabilidade de edificações

Painel 1 Considerando o ciclo de vida na avaliação da sustentabilidade de edificações Painel 1 Considerando o ciclo de vida na avaliação da sustentabilidade de edificações Emissões de Carbono e a análise de ciclo de vida de produto Programa Brasileiro GHG PROTOCOL Centro de Estudos em Sustentabilidade

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO A EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA

SISTEMA DE GESTÃO A EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA SISTEMA DE GESTÃO A EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA 1. EM QUE TERRENO ESTAMOS PISANDO? 2. QUEM DÁ AS CARTAS? 3. COMO É QUE A BANDA TOCA? COMO É QUE A BANDA TOCA? 4. LUZES, CÂMERA... LUZES, CÂMERA... 5. AÇÃO 6.

Leia mais

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis

A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis 06/11/12 A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas Sustentáveis A importância desta certificação para as Compras Públicas Sustentáveis Seminário Internacional A Rotulagem Ambiental e as Compras Públicas

Leia mais

CRIATIVIDADE Relatório de Consultoria

CRIATIVIDADE Relatório de Consultoria ELBI ELÉTRICA LTDA Betim/MG Proposta_ELBI-Betim-7_2015_((Criatividade))_rev.B Este relatório contem um resumo das atividades desenvolvidas na ELBI Betim/MG desde o início das atividades de consultoria

Leia mais

Operacionalização de Ouvidoria Recursos e Ferramentas de Apoio. Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Julho/2013

Operacionalização de Ouvidoria Recursos e Ferramentas de Apoio. Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Julho/2013 Operacionalização de Ouvidoria Recursos e Ferramentas de Apoio Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Julho/2013 Canais de Entrada A Unimed Vitória possui como canais de

Leia mais

Banco de Interpretação ISO 9001:2008. Responsabilidade da Direção Seção 5

Banco de Interpretação ISO 9001:2008. Responsabilidade da Direção Seção 5 5.1 a) RFI 102 A subseção 5.1 a) da ISO 9001:2008 é aplicável somente aos requisitos relacionados aos produtos e serviços de uma organização? 5.1 a) RSI 031 A norma requer que a organização deve divulgar

Leia mais

A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade, Licenciamento Ambiental Federal

A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade, Licenciamento Ambiental Federal Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de Licenciamento Ambiental - DILIC A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade,

Leia mais

O que um CSIRT pode fazer por você

O que um CSIRT pode fazer por você O que um CSIRT pode fazer por você Yuri Alexandro CAIS Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança RNP Rede Nacional de Ensino e Pesquisa 30/09/2015 A RNP Missão: Promover o uso inovador de redes avançadas.

Leia mais

Objetivo do curso: Público Alvo: Critérios de admissão para o curso:

Objetivo do curso: Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: A Faculdade AIEC, mantida pela Associação Internacional de Educação Continuada AIEC, iniciou, em 2002, o curso de Bacharelado em Administração, na metodologia semipresencial. Foi pioneira e até hoje é

Leia mais

3) Qual é o foco da Governança de TI?

3) Qual é o foco da Governança de TI? 1) O que é Governança em TI? Governança de TI é um conjunto de práticas, padrões e relacionamentos estruturados, assumidos por executivos, gestores, técnicos e usuários de TI de uma organização, com a

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Visão Geral dos O é fundamental para o gerenciamento de um ambiente de TI, uma vez que a eficácia é seriamente comprometida se uma organização não souber quais ativos de software ela possui, onde estão

Leia mais

Código de Conduta da SKF. para fornecedores e subcontratantes

Código de Conduta da SKF. para fornecedores e subcontratantes Código de Conduta da SKF para fornecedores e subcontratantes Código de Conduta da SKF para fornecedores e subcontratantes Os fornecedores e subcontratantes da SKF desempenham um papel importante em nossa

Leia mais

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS 13/5/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 PRINCÍPIOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 8 13/5/2016 Informação

Leia mais

Governança aplicada à Gestão de Pessoas

Governança aplicada à Gestão de Pessoas Governança de pessoal: aperfeiçoando o desempenho da administração pública Governança aplicada à Gestão de Pessoas Ministro substituto Marcos Bemquerer Brasília DF, 15 de maio de 2013 TCU Diálogo Público

Leia mais

Redução de incidentes através da identificação, análise e correção de vulnerabilidades

Redução de incidentes através da identificação, análise e correção de vulnerabilidades Redução de incidentes através da identificação, análise e correção de vulnerabilidades André Braga Thiago B. Santana CSIRT / Laboratório Forense Digital Divisão de Continuidade e Riscos Agenda Histórico

Leia mais

Plataforma da Informação. Fundamentos da Excelência

Plataforma da Informação. Fundamentos da Excelência Plataforma da Informação Fundamentos da Excelência Modelo de Excelência em Gestão Fundamentos da Excelência O Modelo de Excelência em Gestão estimula e apoia as organizações no desenvolvimento e na evolução

Leia mais

USO PÚBLICO. Apresentação institucional Suzano Papel e Celulose

USO PÚBLICO. Apresentação institucional Suzano Papel e Celulose Apresentação institucional Suzano Papel e Celulose Sumário Quem somos Transformação Desafios Por que HANA? Conclusões 2 Visão Geral A Suzano é uma empresa de base florestal, de capital aberto, controlado

Leia mais

FAMEBLU Engenharia Civil

FAMEBLU Engenharia Civil Disciplina LOGÍSTICA EMPRESARIAL FAMEBLU Engenharia Civil Aula 8: Indicadores Conceito Indicadores de Desempenho KPI Como implantar indicadores Professor: Eng. Daniel Funchal, Esp. Indicadores Indicadores

Leia mais

FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 19011:2012 PROF. NELSON CANABARRO

FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 19011:2012 PROF. NELSON CANABARRO FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 19011:2012 PROF. NELSON CANABARRO PRINCÍPIOS ISO 9001:2015 1. Foco no cliente 2. Liderança 3. Engajamento das pessoas 4. Abordagem de processo 5. Melhoria

Leia mais

Superintendência de Riscos e Controles 15/03/2017

Superintendência de Riscos e Controles 15/03/2017 1 Área responsável pelo assunto 1.1 Superintendência de Riscos e Controles. 2 Abrangência 2.1 Esta Política orienta o comportamento da BB Seguridade e suas sociedades controladas. Espera-se que as empresas

Leia mais

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas;

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas; 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas do Sistema Eletrobrás, através da integração da logística de suprimento de bens e serviços, visando o fortalecimento de seu poder de compra

Leia mais

Prof. Fulvio Cristofoli CONCEITOS.

Prof. Fulvio Cristofoli CONCEITOS. CONCEITOS Prof. Fulvio Cristofoli fulviocristofoli@uol.com.br www.fulviocristofoli.com.br O QUE VAMOS APRENDER... Estratégia Administração Estratégica Planejamento Estratégico Decisão Estratégica Eficiência

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Novembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Finalizar o conteúdo da Disciplina Governança de

Leia mais

Excelência na Gestão

Excelência na Gestão Mapa Estratégico 2012-2014 Visão Até 2014, ser referência no atendimento ao público, na fiscalização e na valorização das profissões tecnológicas, reconhecido pelos profissionais, empresas, instituições

Leia mais

Segurança - Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Segurança. Mundo Virtual X Mundo Real 18/08/11. Segurança em Redes de Computadores

Segurança - Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Segurança. Mundo Virtual X Mundo Real 18/08/11. Segurança em Redes de Computadores Segurança - Conceitos Básicos Segurança em Redes de Computadores Conceitos Básicos O que é? É a condição de estar protegido de perigo ou perda. tem que ser comparada e contrastada com outros conceitos

Leia mais

10 RAZÕES P A R A A T E R C E I R I Z A Ç Ã O D A Á R E A D E T. I.

10 RAZÕES P A R A A T E R C E I R I Z A Ç Ã O D A Á R E A D E T. I. 10 RAZÕES P A R A A T E R C E I R I Z A Ç Ã O D A Á R E A D E T. I. A Alerta Security desenvolveu uma metodologia para ajudar as empresas a manter o foco em sua atividade fim, tornando-se, assim, cada

Leia mais

DEPARTAMENT0 DE ECONOMIA DA SAÚDE, INVESTIMENTOS E DESENVOLVIMENTO DESID/SE/MS

DEPARTAMENT0 DE ECONOMIA DA SAÚDE, INVESTIMENTOS E DESENVOLVIMENTO DESID/SE/MS DEPARTAMENT0 DE ECONOMIA DA SAÚDE, INVESTIMENTOS E DESENVOLVIMENTO DESID/SE/MS COORDENAÇÃO DE QUALIFICAÇÃO DE INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA EM SAÚDE - CQIS/DESID MARCELO SETTE GUTIERREZ Coordenador Economia

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

da Informação do BB está publicada no sítio: bb.com.br/psi.

da Informação do BB está publicada no sítio: bb.com.br/psi. 1. Qual é a quantidade de controles internos relacionados à segurança da informação em TI? RESPOSTA: Não é possível precisar a quantidade devido à magnitude do conglomerado. A Estrutura normativa do BB

Leia mais

DECLARAÇÃO ESTRATÉGICA MAIS DE 18 ANOS DE EXPERIÊNCIA, ALIADOS À ÉTICA + determinação + profissionalismo

DECLARAÇÃO ESTRATÉGICA MAIS DE 18 ANOS DE EXPERIÊNCIA, ALIADOS À ÉTICA + determinação + profissionalismo HISTÓRIA Em março de 1999, iniciaram-se as atividades do escritório Jacó Coelho Advogados fundado pelo sócio Jacó Carlos Silva Coelho, que atua, desde então, com espírito empreendedor e acreditando num

Leia mais

Um mecanismo para a melhoria de qualidade dos gastos públicos. Dez/09

Um mecanismo para a melhoria de qualidade dos gastos públicos. Dez/09 Um mecanismo para a melhoria de qualidade dos gastos públicos Dez/09 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O que precisamos para atingir os objetivos do Milênio? 1.Recursos 2.Correta aplicação dos recursos

Leia mais

MCassab reduz tempo de backup em 71% com arcserve

MCassab reduz tempo de backup em 71% com arcserve CASOS DE SUCESSO Julho 2014 MCassab reduz tempo de backup em 71% com arcserve PERFIL DO CLIENTE Empresa: Grupo MCassab Indústria: Holding Empregados: 1.200 EMPRESA DESAFIO SOLUÇÃO BENEFICIOS A MCassab

Leia mais

Por Constantino W. Nassel

Por Constantino W. Nassel NORMA ISO 9000 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 REQUISITOS E LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA IMPLEMENTAÇÃO Por Constantino W. Nassel CONTEÚDOS O que é a ISO? O que é a ISO 9000? Histórico Normas

Leia mais

Projeto qualidade e agilidade dos TCs

Projeto qualidade e agilidade dos TCs Projeto qualidade e agilidade dos TCs 1 Antecedentes e histórico 2 SAI-PMF 3 MMD-TC 4 Principais características 5 Abordagens 6 Escopo e abrangência 7 Aplicação do MMD-TC (Resolução Atricon 01/15) 8 Cronograma

Leia mais

Qualidade e Sustentabilidade

Qualidade e Sustentabilidade Qualidade e Sustentabilidade Início de atividade em 1988 Localizada em Espinheiro, Penela Certificação do Sistema de Gestão da Qualidade em 2002 e Segurança Alimentar em 2006 Possui cerca de 120 colaboradores;

Leia mais

ILUMINANDO MENTES, PROTEGENDO NEGÓCIOS E CAPACITANDO PESSOAS.

ILUMINANDO MENTES, PROTEGENDO NEGÓCIOS E CAPACITANDO PESSOAS. ILUMINANDO MENTES, PROTEGENDO NEGÓCIOS E CAPACITANDO PESSOAS. Av. Paulista 967-9ºandar - Cerqueira César - São Paulo SP - CEP: 01311-918 55 11 3285-6539 contato@daryus.com.br Prof. Jeferson D Addario jeferson@daryus.com.br

Leia mais

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas ÍNDICE REMISSIVO GRI GRI G434 Opção de acordo Essencial CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS Indicador e Descrição Onde encontrar / Resposta ESTRATÉGIA E ANÁLISE G41 Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente PERFIL

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO. Estratégia de Governança Digital. do Governo Federal

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO. Estratégia de Governança Digital. do Governo Federal Estratégia de Governança Digital do Governo Federal Histórico da Governança Digital 2000 Comitê Executivo de Governo Eletrônico 2005 eping: padrões de interoperabilidade 2010 Estratégia Geral de TI (EGTIC)

Leia mais