Padrões que auxiliam no gerenciamento da qualidade e segurança da informação de uma organização, a figura do profissional qualificado neste contexto

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Padrões que auxiliam no gerenciamento da qualidade e segurança da informação de uma organização, a figura do profissional qualificado neste contexto"

Transcrição

1 Padrões que auxiliam no gerenciamento da qualidade e segurança da informação de uma organização, a figura do profissional qualificado neste contexto e como obter a qualificação para atender esta demanda.

2 Allison Ramon Araújo Pós-Graduando - Especialização em Segurança da Informação (Estácio de Sá); Bacharel em Sistema da Informação; Profissional Certificado - Information Security Foundation (ISFS) based on ISO/IEC 27002; Auditor Interno ISO/IEC 9001, 06 anos na área de Gestão da Qualidade.

3 INTRODUÇÃO AO RISCO NO CONTEXTO ORGANIZACIONAL; ENTENDENDO O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE COM BASE NA ABNT NBR ISO 9001:2015; ENTENDENDO O SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO COM BASE NA ABNT NBR ISO 27002:2013; O DIFERENCIAL QUE UM PROFISSIONAL CERTIFICADO PODE TRAZER PARA AS EMPRESAS NESTES NOVOS DESAFIOS; CONHECENDO ALGUMAS CERTIFICAÇÕES E COMO SE CERTIFICAR;

4 INTRODUÇÃO AO RISCO NO CONTEXTO ORGANIZACIONAL;

5 O que é Risco? Risco é o grau de incerteza em relação à possibilidade de ocorrência de um determinado evento, o que, em caso afirmativo, redundará em prejuízos. Assim, risco é a possibilidade de perda decorrente de um determinado evento. * SANTOS, Paulo Sérgio Monteiro dos. Gestão de riscos empresariais. Osasco, SP: Novo Século Editora, 2002

6 Gerenciamento de Risco O gerenciamento de riscos empresariais são os conhecimentos, os métodos e os processos organizados para reduzir os prejuízos e aumentar os benefícios na concretização dos objetivos estratégicos. * BARALDI, Paulo. Gerenciamento de riscos empresariais: a gestão de oportunidades, a avaliação de riscos e a criação de controles internos nas decisões empresariais. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

7 Tipos de Risco Estratégicos Modo que uma organização é gerenciada. Operacional Condições operacionais dos processos, controles, informações. Conformidade Cumprimento das normas reguladoras. Financeiros Exposição financeira de uma organização. * COCURULLO, Antônio. Gestão de riscos corporativos. São Paulo: Scortecci, 2002.

8 Identificação, análise e tratamento

9 Diagrama esquemático de tratamento de risco Identificação Análise (Qualitativa, Quantitativa) Avaliação Redução Eliminação Prevenção e Controle Retenção: Auto-Seguro Financiamento Transferência: Seguro TRATAMENTO

10 O que é Processo? Conjunto ordenado de atividades de trabalho, com entradas e saídas, início e fim. Objetivo: Proporcionar bons resultados para a organização, pode estar em diferentes níveis (tático, gerencial e operacional).

11 Entendendo... Feedback do Cliente ENTRADA ( Necessidades / Requisitos) PROCESSO (Atividades que adicionam valor) SAÍDA (Produtos) Informações de Desempenho

12 Entendendo... *

13 ENTENDENDO O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE COM BASE NA ABNT NBR ISO 9001:2015;

14 Entendendo... Denominação Normas ABNT Código da Norma 01: Requisitos ABNT NBR ISO 9001:2015; Associação Brasileira de Normas Técnicas Organização Internacional Padronização

15 Família 9000 Normas : Fundamentos e Diretrizes; 9001: Requisitos; 9002: Diretrizes para aplicar a Diretrizes , 02 e 03: Satisfação do cliente; 10006: Planos da Qualidade; : Requisitos para Medição; 10015: Treinamentos. Outras Diretrizes 19011: Auditoria de Sistema de Gestão; 18091: Aplicação da 9001 em Prefeituras. * r

16 O que é a ISO 9001? Norma que estabelece requisitos para o SGQ; Objetivo de prover a confiança de que seu fornecedor poderá fornecer, de forma consistente a repetitiva, bens e serviços de acordo com o que foi especificado. * t.pdf

17 Evolução Procedimentos 1994 Ação Preventiva 2000 Abordagem de Processos PDCA Fórum Internacional (IAF) : 03 Anos para transição Riscos e Oportunidades 2008 Abordagem de Processos PDCA *

18 Benefícios Gerenciamento dos riscos que impactam o negócio; Atrai investimentos, aumenta a reputação e satisfação dos clientes; Causa redução de desperdícios com a otimização de operações; Vantagem Competitiva.

19 Entendendo...

20 Entendendo... *Guia 9001, APCER, 2015.

21 Entendendo... Os sete Princípios da 9001:2015 *Guia 9001, APCER, 2015.

22 Entendendo... *Guia 9001, APCER, 2015.

23 Entendendo... *Guia 9001, APCER, 2015.

24 Entendendo... *Guia 9001, APCER, 2015.

25 Entendendo... *Guia 9001, APCER, 2015.

26 Entendendo... *Guia 9001, APCER, 2015.

27 Entendendo... *Guia 9001, APCER, 2015.

28 Entendendo... *Guia 9001, APCER, 2015.

29 Entendendo...

30 Certificados Válidos no Brasil em 2016 *

31 Estatística de certificações emitidas por ano Crise *

32 ENTENDENDO O SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO COM BASE NA ABNT NBR ISO 27002:2013;

33 O que é a ISO 27002? Código de prática para controle de segurança da informação, contem as melhores recomendações do mercado; Objetivo de garantir a continuidade do negócio através de controles que reduzam a possibilidade de perda de informações. *TI Exames, ISFS

34 Família Normas Normas Normas : Fundamentos e Diretrizes; 27001: Requisitos; 27002: Código de Prática para Controles de Segurança da Informação : Guia de Implementação do SGSI; 27004: Medição do SGSI; 27005: Gestão de Riscos de Segurança da Informação; 27006: Requisitos para auditoria e certificação. *

35 Histórico *TI Exames, ISFS

36 Benefícios Diferencial no mercado; Melhoria da Eficácia da Segurança da Informação; Governança Corporativa; Cobre a TI, bem como as instalações, pessoal e organização.

37 A norma e suas 18 seções 0 Introdução 1 Escopo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Estrutura desta norma 5 Política de Segurança da Informação 6 Organização da Segurança da Informação 7 Segurança de recursos humanos 8 Gestão de Ativos 9 Controles de Acessos * r

38 A norma e suas 18 seções 10 Criptografia 11 Segurança física do ambiente 12 Segurança nas operações 13 Segurança nas comunicações 14 Aquisição, desenvolvimento e manutenção de sistemas 15 Relacionamento na cadeia de suprimentos 16 Gestão de incidentes de segurança da informação 17 Segurança da informação na continuidade do negócio 18 Conformidade * r

39 Algumas empresas certificadas * br

40 The ISO Survey of Management System Standard Certifications 2015 *

41 Entendendo o Anexo SL...

42 O DIFERENCIAL QUE UM PROFISSIONAL CERTIFICADO PODE TRAZER PARA AS EMPRESAS NESTES NOVOS DESAFIOS;

43 Contribuição do profissional certificado Nova visão quanto a integração e gerenciamento de processos; Melhor análise objetiva e sistêmica das atividades as quais participa; Amadurecimento dos sistemas de gestão implantados; Visão estratégica e busca de novos desafios.

44 CONHECENDO ALGUMAS CERTIFICAÇÕES E COMO SE CERTIFICAR;

45 Treinamentos para ISO 9001 Auditor Líder e Interno; Interpretação da Norma e seus Requisitos; Gestão de Riscos; Como tratar Não Conformidades.

46 Treinamentos para ISO *TI Exames, ISFS

47 Certificações Diversas

48 Obrigado! Dúvidas? Meus contatos:

DESCRITORES (TÍTULOS E TERMOS)

DESCRITORES (TÍTULOS E TERMOS) SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE FAMÍLIA NBR ISO 9000 INDEXAÇÃO TEMÁTICA Abordagem de processo [VT: Princípios de Gestão da Qualidade] 0.2 / 2.4 0.2 / 4.3 0.2 Abordagem de sistemas de gestão da qualidade

Leia mais

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento:

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento: Com carga horária de 420 horas o curso de MBA em Gestão de Projetos é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos,

Leia mais

ISO 9000 e ISO 14.000

ISO 9000 e ISO 14.000 DISCIPLINA: QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFESSORA: ALEXSANDRA GOMES PERÍODO: 3º PERÍODO CARGA HORÁRIA: 60 HORAS ISO 9000 e ISO 14.000 ISO 9000 A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO A EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA

SISTEMA DE GESTÃO A EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA SISTEMA DE GESTÃO A EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA 1. EM QUE TERRENO ESTAMOS PISANDO? 2. QUEM DÁ AS CARTAS? 3. COMO É QUE A BANDA TOCA? COMO É QUE A BANDA TOCA? 4. LUZES, CÂMERA... LUZES, CÂMERA... 5. AÇÃO 6.

Leia mais

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores NBR ISO 27001

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores NBR ISO 27001 Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores 1 É a norma de certificação para SGSI ( Sistemas de Gestão da Segurança da Informação), editada em português em abril de 2006 e que substituiu a BS 7799-2.

Leia mais

Normas de Segurança da Informação Processo de Certificação ISO 27001:2006. Ramon Gomes Brandão Janeiro de 2009

Normas de Segurança da Informação Processo de Certificação ISO 27001:2006. Ramon Gomes Brandão Janeiro de 2009 Normas de Segurança da Informação Processo de Certificação ISO 27001:2006 Ramon Gomes Brandão Janeiro de 2009 Agenda Elementos centrais da Seg. da Informação O Par ABNT:ISO 27001 e ABNT:ISO 17799 Visão

Leia mais

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1 Certificação NBR Requisitos A partir da versão 1994, a série ISO 9000 passou a ser conhecida como família ISO 9000 ; leva em conta duas situações, a contratual e não contratual; Para a situação não contratual

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

Rastreabilidade e Certificação de produtos Agro-industriais

Rastreabilidade e Certificação de produtos Agro-industriais Rastreabilidade e Certificação de produtos Agro-industriais Rodrigo R. Latado Certificação de Soja não-ogm NEGÓCIO Pesquisa, Desenvolvimento e Difusão da Avaliação da Conformidade ALCA Grupo de Negociação

Leia mais

ISO 9000, ISO 12207 e ISO 15504. Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br ) ( http://sites.google.com/site/professorgabrielbaptista )

ISO 9000, ISO 12207 e ISO 15504. Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br ) ( http://sites.google.com/site/professorgabrielbaptista ) Qualidade de Software Aula 5 (Versão 2012-01) 01) ISO 9000, ISO 12207 e ISO 15504 Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br ) ( http://sites.google.com/site/professorgabrielbaptista ) Revisando...

Leia mais

MENOS DE 10% DAS ESTRATÉGIAS EFETIVAMENTE SÃO EFICIENTEMENTES EXECUTADAS. NA MAIORIA DAS FALHAS O PROBLEMA NÃO É ESTRATÉGIA RUIM, É EXECUÇÃO RUIM

MENOS DE 10% DAS ESTRATÉGIAS EFETIVAMENTE SÃO EFICIENTEMENTES EXECUTADAS. NA MAIORIA DAS FALHAS O PROBLEMA NÃO É ESTRATÉGIA RUIM, É EXECUÇÃO RUIM Revista Fortune 2006 MENOS DE 10% DAS ESTRATÉGIAS EFETIVAMENTE SÃO EFICIENTEMENTES EXECUTADAS. NA MAIORIA DAS FALHAS O PROBLEMA NÃO É ESTRATÉGIA RUIM, É EXECUÇÃO RUIM LEGISLAÇÃO Comitê Basiléia: O risco

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS Disciplina: Matemática Financeira 10 h/a Ementa: O valor do dinheiro no tempo. Conceitos de juros, taxas de juros, principal,

Leia mais

MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação

MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação MATC99 Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação Gestão de Segurança da Informação (Normas ISO 27001 e 27002) Italo Valcy Italo Valcy Seg e Auditoria de SI, 2013.1 Licença de

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística : Técnico em Logística Descrição do Perfil Profissional: Planejar, programar e controlar o fluxo de materiais e informações correlatas desde a origem dos insumos até o cliente final, abrangendo as atividades

Leia mais

Auditorias Independentes COMPLIENCE AUDITORIAS DE 2A PARTE. em atividades aéreas

Auditorias Independentes COMPLIENCE AUDITORIAS DE 2A PARTE. em atividades aéreas AUDITORIAS DE 2A PARTE em atividades aéreas " O QUE É E COMO ATUAMOS NESTA ÁREA. O significado de complience é o de agir de acordo com uma regra, uma instrução interna, um comando ou um pedido, ou seja,

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FATEC SENAI BH A Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte, credenciada pelo MEC pela Portaria n 1788 de 27 de maio de 2005 e despacho SEMTEC nº 311/2005, apresenta

Leia mais

Comitê Científico do Enangrad

Comitê Científico do Enangrad Comitê Científico do Enangrad Administração Pública Empreendedorismo e Governança Corporativa Ensino, Pesquisa e Formação Docente em Administração Finanças Gestão da Sustentabilidade Gestão de Informações

Leia mais

www.apcergroup.com PERSPETIVA APCER

www.apcergroup.com PERSPETIVA APCER PERSPETIVA APCER Tópicos Perspetiva APCER; Avaliação Preliminar ISO DIS 9001:2014; Transição ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 - disposições IAF e APCER. PERSPETIVA APCER Perspetiva APCER Mudança para melhor!

Leia mais

NBR ISO/IEC 2700. I. Políticas de segurança da informação. Organizando a Segurança da Informação; Gestão de Ativos; Segurança em Recursos Humanos;

NBR ISO/IEC 2700. I. Políticas de segurança da informação. Organizando a Segurança da Informação; Gestão de Ativos; Segurança em Recursos Humanos; NBR ISO/IEC 2700 ISO/IEC 27000: Esta norma apresenta a descrição, vocabulário e correspondência entre a família de normas que tratam de um Sistema de Gestão de Segurança da Informação (SGSI), proporcionando

Leia mais

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de:

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de: Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Econômica Critério I - Estratégia Indicador 1 - Planejamento Estratégico 1. Assinale os objetivos que estão formalmente contemplados no planejamento

Leia mais

Certificação e Auditoria Ambiental

Certificação e Auditoria Ambiental Certificação e Auditoria Ambiental Auditoria Ambiental - 3 Prof. Gustavo Rodrigo Schiavon Eng. Ambiental Preparação Nesta etapa, a auditoria é organizada objetivando minimizar o tempo despendido pelos

Leia mais

Pós-Graduação em Gestão Empresarial e Marketing (sábado)

Pós-Graduação em Gestão Empresarial e Marketing (sábado) Pós-Graduação em Gestão Empresarial e Marketing (sábado) Início em 26 de setembro de 2015 Aulas aos sábados, das 8h às 15h Valor do curso: R$ 16.482,00 À vista com desconto: R$ 15.657,00 Consultar planos

Leia mais

SOBRE A EQUIPE. SOBRE A I9Gestão

SOBRE A EQUIPE. SOBRE A I9Gestão SOBRE A EQUIPE A equipe da I9Gestão é formada por consultores experientes, altamente qualificados e apaixonados pelo que fazem. SOBRE A I9Gestão A I9Gestão Consultoria & Treinamento é especializada na

Leia mais

Treinamento: Metrologia em Química. Validação de Métodos Analíticos

Treinamento: Metrologia em Química. Validação de Métodos Analíticos Treinamento: Metrologia em Química Local: SINPROQUIM Rua Rodrigo Cláudio, 185 Aclimação - São Paulo SP MÓDULO 1 Validação de Métodos Analíticos Curso: Data: 20, 21 e 22 de outubro de 2008 Horário: das

Leia mais

José Geraldo Loureiro Rodrigues

José Geraldo Loureiro Rodrigues Governança Aplicada Autodiagnóstico de Maturidade em Governança de TI José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União Analisar-se se-á os três níveis: n Governança

Leia mais

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos

SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES. Material Complementar de Estudos SEGURANÇA FÍSICA & LÓGICA DE REDES Material Complementar de Estudos O que é a Organização ISO A ISO - Internacional Organization for Stardardization - é maior organização para Desenvolvimento e publicação

Leia mais

CURSO: MBA EM DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS

CURSO: MBA EM DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CURSO: MBA EM DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS ANO 15/1 : UNIDADE BUENO - SÁBADOS QUINZENAIS DISCIPLINA CARGA HORÁRIA COORDENADOR: Profa Carmen Rizzotto

Leia mais

Gestão da Qualidade. Aula 13. Prof. Pablo

Gestão da Qualidade. Aula 13. Prof. Pablo Gestão da Qualidade Aula 13 Prof. Pablo Proposito da Aula 1. Conhecer as normas da família ISO 9000. Família da norma ISO 9000 Família ISO 9000 As normas ISO da família 9000 formam um conjunto genérico

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA A Socioambiental (PRSA) substitui a Política Corporativa pela Sustentabilidade (2011), e incorpora a contribuição das partes interessadas

Leia mais

SENSIBILIZAÇÃO PARA WORKSHOP DAS NORMAS ABNT NBR ISO 10015:2001 E ABNT NBR ISO 10002:2005

SENSIBILIZAÇÃO PARA WORKSHOP DAS NORMAS ABNT NBR ISO 10015:2001 E ABNT NBR ISO 10002:2005 SENSIBILIZAÇÃO PARA WORKSHOP DAS NORMAS ABNT NBR ISO 10015:2001 E ABNT NBR ISO 10002:2005 1 ABNT NBR IS O 10002:2005 S atisfação do cliente Diretrizes para o tratamento de reclamações nas organizações.

Leia mais

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014 Prefácio Introdução 0.1 Generalidades 0.2 As normas ISO para gestão da qualidade 0.3 Abordagem de processo 0.4 Ciclo PDCA 0.5 Pensamento baseado em risco Estrutura da ISO DIS 9001/2015 0.6 Compatibilidade

Leia mais

Aula 2 Estágios de Uso Estratégico dos Sistemas de Informaçã

Aula 2 Estágios de Uso Estratégico dos Sistemas de Informaçã Aula 2 Estágios de Uso Estratégico dos Sistemas de Informaçã ção Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Agenda Histórico da

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

Gestão de Pessoas e Avaliação por competências

Gestão de Pessoas e Avaliação por competências Gestão de Pessoas e Avaliação por competências quer a empresa que não existe! Funcionário quer o profissional que não existe! Empresa A visão evolutiva da área de Gestão de Pessoas... 1930 Surgem departamentos

Leia mais

Enterprise Risk Management (ERM) Gestão de Riscos Corporativos Pesquisa sobre o estágio atual em empresas brasileiras

Enterprise Risk Management (ERM) Gestão de Riscos Corporativos Pesquisa sobre o estágio atual em empresas brasileiras KPMG Risk & Compliance Enterprise Risk Management (ERM) Gestão de Riscos Corporativos Pesquisa sobre o estágio atual em empresas brasileiras Conteúdo 1. Contexto geral 6. Estrutura e funcionamento do Conselho

Leia mais

Panorama da Inovação no Brasil. Hugo Ferreira Braga Tadeu 2014

Panorama da Inovação no Brasil. Hugo Ferreira Braga Tadeu 2014 Panorama da Inovação no Brasil Hugo Ferreira Braga Tadeu 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O presente relatório é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas de gestão

Leia mais

Mobilidade: implicações económicas. Prof. João Confraria ( UCP )

Mobilidade: implicações económicas. Prof. João Confraria ( UCP ) Mobilidade Uma presença pervasiva no quotidiano das sociedades modernas 21 de Outubro de 2004 Hotel Le Meridien Mobilidade: implicações económicas Prof. João Confraria ( UCP ) Patrocínio Organização Mobilidade:

Leia mais

Relação de Disciplinas

Relação de Disciplinas Relação de Disciplinas Disciplinas Obrigatórias Nome: Metodologia da Pesquisa Científica Carga Horária: 30 h/a Ementa: Ciência, pesquisa e conhecimento científicos. Ciências básicas, ciência aplicada e

Leia mais

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua;

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; QUEM SOMOS A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; Especializada em Vida e Previdência, possui portfólio completo para assegurar nossos clientes e seus familiares dos

Leia mais

Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior

Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior Ângela F. Brodbeck (Escola de Administração) Jussara I. Musse (Centro de Processamento

Leia mais

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão 1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão ISO 9001:2015 Histórico da série 2 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão Histórico da série REVISÕES DA SÉRIE ISO 9000 2000 2008 2015 1994 1987 3 2009 CBG Centro Brasileiro

Leia mais

ABNT NBR ISO. Atualização da ABNT NBR ISO 9001:2008 para a ABNT NBR ISO 9001:2015

ABNT NBR ISO. Atualização da ABNT NBR ISO 9001:2008 para a ABNT NBR ISO 9001:2015 ABNT NBR ISO 9001 Atualização da ABNT NBR ISO 9001:2008 para a ABNT NBR ISO 9001:2015 A ABNT NBR ISO 9001 é uma norma que define os requisitos para colocar um sistema de gestão da qualidade em vigor. Ela

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Segurança da Informação Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Histórico O BSi (British Standard Institute) criou a norma BS 7799,

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento SUMÁRIO 1. Propósito 2. Abrangência 3. Política 3.1 Princípios Fundamentais 3.2 Diretrizes Socioambientais

Leia mais

MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN

MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN Fonte: Cláudio Márcio / Eder Bart - Pirâmides do Egito - Foram erguidas 2700 a.c. - 2,3 milhões de blocos de rocha, cada um pesando em média 2,5 toneladas

Leia mais

Sumário. Parte I - Sistema de Gestão... 13. 1 Conceitos Essenciais... 15. 2 O que é a Segurança da Informação?... 17

Sumário. Parte I - Sistema de Gestão... 13. 1 Conceitos Essenciais... 15. 2 O que é a Segurança da Informação?... 17 Sumário Parte I - Sistema de Gestão... 13 1 Conceitos Essenciais... 15 1.1 Informação... 15 1.2 A Informação e sua Importância... 16 2 O que é a Segurança da Informação?... 17 2.1 Confidencialidade...

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro ABNT NBR ISO/IEC 27002 Introdução Termos e definições Ativo: Qualquer coisa que possua valor para organização; Controle: Forma

Leia mais

André Campos Sistema de Segurança da Informação Controlando os Riscos 2 a Edição Visual Books Sumário Parte I - Sistema de Gestão 13 1 Conceitos Essenciais 15 1 1 Informação 15 1 2 A Informação e sua Importância

Leia mais

AS MOTIVAÇÕES DA CERTIFICAÇÃO FLORESTAL

AS MOTIVAÇÕES DA CERTIFICAÇÃO FLORESTAL FERNANDES & TERCEIRO,S.A. Um Compromisso com Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social Seminário APCER A Certificação e o Setor Gráfico AS MOTIVAÇÕES DA CERTIFICAÇÃO FLORESTAL Marta Cabral

Leia mais

NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS NORMATIVOS - NOR 101

NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS NORMATIVOS - NOR 101 ASSUNTO: Elaboração de Instrumentos Normativos MANUAL DE ORGANIZAÇÃO APROVAÇÃO: Deliberação DIREX nº 25, de 12/05/2016 COD. VIGÊNCIA: 100 12/05/2016 NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS 1/10 SUMÁRIO 1 FINALIDADE...

Leia mais

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NA QUINTA EDIÇÃO DA REVISTA CIENTÍFICA CET-FAESA

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NA QUINTA EDIÇÃO DA REVISTA CIENTÍFICA CET-FAESA NORMAS PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NA QUINTA EDIÇÃO DA REVISTA CIENTÍFICA CET-FAESA 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES A Revista Científica CET-FAESA é um periódico qualificado pela Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

CRE - Sistema de Controle de Requisitos Específicos. Requisitos Específicos Dos Processos. Data 27/5/2010 13:20:15 Página 1 de 20 Relatório frmrel002

CRE - Sistema de Controle de Requisitos Específicos. Requisitos Específicos Dos Processos. Data 27/5/2010 13:20:15 Página 1 de 20 Relatório frmrel002 s Específicos Dos Processos CRE - Sistema de Controle de s Específicos Página 1 de 20 ADM - ADMINISTRAÇÃO 4.2.4 CONTROLE DE REGISTROS DA 5 RESPONSABILIDADES DA DIRECAO 5.1 COMPROMETIMENTO DA DIRECAO PGI

Leia mais

Certificação de Sistemas (Seminário Lipor)

Certificação de Sistemas (Seminário Lipor) Certificação de Sistemas (Seminário Lipor) Outubro 2006 Direcção Comercial e Gestão de Clientes www.apcer.pt Gonçalo Pires Índice: Certificação de S.G.: Qualidade (NP EN ISO 9001:2000); Ambiente (NP EN

Leia mais

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC)

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT 1 Objetivos de uma empresa Objetivo principal Pessoas Meios Satisfação das necessidades das pessoas CONSUMIDORES EMPREGADOS ACIONISTAS

Leia mais

MODELAGENS. Modelagem Estratégica

MODELAGENS. Modelagem Estratégica Material adicional: MODELAGENS livro Modelagem de Negócio... Modelagem Estratégica A modelagem estratégica destina-se à compreensão do cenário empresarial desde o entendimento da razão de ser da organização

Leia mais

O PAPEL E AS RESPONSABILIDADES DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA

O PAPEL E AS RESPONSABILIDADES DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA O PAPEL E AS RESPONSABILIDADES DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA O Papel e as Responsabilidades dos Órgãos Estatutários na Governança Compliance Auditoria Interna Controles Internos CGPC nº 13/2004

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL)

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL) PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL) EVOLUÇÃO DA ORGANIZAÇÃO ONTEM (MERCADO FECHADO E PROTEGIDO): CUSTOS + LUCRO = PREÇO DE VENDA A PROTEÇÃO AMBIENTAL é vista como um fator de

Leia mais

ISO 27001:2013 Quais os impactos e O que muda para as organizações?

ISO 27001:2013 Quais os impactos e O que muda para as organizações? Iluminando mentes, capacitando profissionais e protegendo negócios. AGENDA A DARYUS O que é a CONSUMERIZAÇÃO de TI? ISO 27001:2013 Quais os impactos e O que muda para as organizações? benefícios das atualizações

Leia mais

PLANO DA QUALIDADE (MAPEAMENTO DOS ELEMENTOS DO PROCESSO)

PLANO DA QUALIDADE (MAPEAMENTO DOS ELEMENTOS DO PROCESSO) Página: 1 de 5 NOME DO PROCESSO: GESTÃO DOCUMENTAL SUBPROCESSO: Controle de Documentos do. 1. Objetivos do Processo. Principais benefícios e razão da existência do processo, vinculando-o à Política e Objetivos

Leia mais

04/07/2008 Dra. Claudia Meira

04/07/2008 Dra. Claudia Meira 42º Congresso Brasileiro de Patologia Clinica / Medicina Laboratorial 04/07/2008 Não-conformidades: Como tratá-las de forma eficaz? 04/07/2008 04/07/2008 Como classificá-las? A competitividade é a palavra

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27001

ABNT NBR ISO/IEC 27001 ABNT NBR ISO/IEC 27001 Para Dataprev e Senado 1/63 As Normas NBR ISO/IEC 27001 - Requisitos para implantar um SGSI NBR ISO/IEC 27002 - Práticas para a gestão de SI NBR ISO/IEC 27005 - Gestão de riscos

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade O Comitê - ISO A Organização Internacional de Normalização (ISO) tem sede em Genebra na Suíça, com o propósito

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel SÃO MIGUEL DO OESTE, JUNHO DE 2015. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SULCREDI SÃO MIGUEL 1 ABRANGÊNCIA Esta política orienta o

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 26 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 26-21/07/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software Métricas para software

Leia mais

Metodologias de PETI. Prof. Marlon Marcon

Metodologias de PETI. Prof. Marlon Marcon Metodologias de PETI Prof. Marlon Marcon PETI O PETI é composto de: Planejamento Estratégico da organização, que combina os objetivos e recursos da organização com seus mercados em processo de transformação

Leia mais

Qualidade de Software Normatização

Qualidade de Software Normatização Qualidade de Software Normatização Norma ISO/IEC 12207 processo do ciclo de vida de software Norma criada em 1995 com o objetivo de fornecer uma estrutura comum para adquirente, fornecedor, desenvolvedor,

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

Propriedade Intelectual da Simples Soluções Slide 2

Propriedade Intelectual da Simples Soluções Slide 2 Objetivo da Auditoria: O objetivo é verificar se o nosso SISTEMA DE GESTÃO está realmente implementado ou não... Propriedade Intelectual da Simples Soluções Slide 2 1 Para que servem as Auditorias? Propriedade

Leia mais

Auditoria e o Fator de Sucesso. Luciano Medeiros

Auditoria e o Fator de Sucesso. Luciano Medeiros Auditoria e o Fator de Sucesso Luciano Medeiros O Mercado de Auditoria No Brasil há cerca de 360 auditores PJ registrados na CVM; Há, também, por volta de 70 auditores PF com registro na CVM; Por outro

Leia mais

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 1 CobIT Modelo abrangente aplicável para a auditoria e controle de processo de TI, desde o planejamento da tecnologia até a monitoração e auditoria de

Leia mais

PROGRAMA. Código: ADM 09927 Professor: Profª Doutoranda Inayara Gonzalez Período: 2012/1

PROGRAMA. Código: ADM 09927 Professor: Profª Doutoranda Inayara Gonzalez Período: 2012/1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Departamento de Administração Curso de Administração Av. Fernando Ferrari, 514 Campus Universitário Goiabeiras CEP. 29075-910

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança

Sistemas Integrados de Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança Sistemas Integrados de Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança Um SIG-QAS é um sistema global de uma organização, que inclui práticas, processos e recursos para desenvolvimento e implementação do seu

Leia mais

Gerenciamento dos Riscos do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento dos Riscos do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento dos Riscos do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Esta é uma área essencial para aumentar as taxas de sucesso dos projetos, pois todos eles possuem riscos e precisam ser gerenciados, ou seja, saber o

Leia mais

ISO 9001:2015 Na reta final para a nova versão

ISO 9001:2015 Na reta final para a nova versão ISO 9001:2015 Na reta final para a nova versão Nigel H Croft Presidente do Conselho APCER Brasil Chairman, ISO/TC 176/SC 2 Quality Systems Membro do Grupo de Coordenação Técnica de Sistemas de Gestão da

Leia mais

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis 01 EUS CTIS END USER SUPPORT case eus ctis 01 TELESSERVIÇOS/TELEMARKETING Prestação de telesserviços (telemarketing) no atendimento e suporte operacional e tecnológico aos produtos, serviços e sistemas

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Geral Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Indicador 1 - Compromisso Fundamental 1. A empresa, por meio de sua alta administração,

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS ESTRATÉGIAS DE TI

INTRODUÇÃO ÀS ESTRATÉGIAS DE TI 11/05/011 INTRODUÇÃO ÀS ESTRATÉGIAS DE TI Prof. Carlos Faria (adaptação) 011 O CONCEITO DE TI A Tecnologia da Informação abrange todos os aspectos envolvidos no gerenciamento das informações de uma organização.

Leia mais

Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento

Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento ISO Revisions New and Revised Mapeamento entre os requisitos da ISO 9001:2008 e da ISO FDIS 9001:2015 Guia de Mapeamento Introdução Este documento faz uma comparação entre a ISO 9001:2008 e o ISO 9001:2015

Leia mais

PROJETO NBR 19000 - Adoção de Critérios da Qualidade Baseados nas Normas da Família NBR ISO 9000 para Fornecimento de Produtos

PROJETO NBR 19000 - Adoção de Critérios da Qualidade Baseados nas Normas da Família NBR ISO 9000 para Fornecimento de Produtos XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil PROJETO NBR 19000 - Adoção de Critérios da Qualidade Baseados nas Normas da Família

Leia mais

TOTAL GERAL 1.000 ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO (OPTATIVA)

TOTAL GERAL 1.000 ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO (OPTATIVA) ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM RECURSOS HUMANOS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DC 4021 19/12/2013 Rev. 01 1. Dados Legais Autorizado pelo Parecer 469 de 24/11/2009. DECRETO No 2.929, de 21 de dezembro de

Leia mais

A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000

A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000 1. A Norma NBR ISO 9001:2000 A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000 A ISO International Organization for Standardization, entidade internacional responsável

Leia mais

CERTIFICAÇÃO. Sistema de Gestão

CERTIFICAÇÃO. Sistema de Gestão CERTIFICAÇÃO Sistema de Gestão A Sociedade Central de Cervejas e Bebidas (SCC) tem implementados e certificados os Sistemas de Gestão da Qualidade, Segurança Alimentar e Ambiente, em alinhamento com as

Leia mais

Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base

Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base O QUE É REDEAMÉRICA? É UMA REDE TEMÁTICA LIDERADA PELO SETOR EMPRESARIAL COM UMA ESTRATÉGIA HEMISFÉRICA PARA FAZER DO

Leia mais

soluções inteligentes

soluções inteligentes soluções inteligentes Catálogo de soluções NEGÓCIOS INOVADORES Soluções inteligentes, negócios inovadores Empresa Data Center CSC - Centro de Serviços Compartilhados Gestão de Ativos, Licenças e Recursos

Leia mais

A GESTÃO DOS RISCOS EMPRESARIAIS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: UMA INVESTIGAÇÃO TEÓRICA

A GESTÃO DOS RISCOS EMPRESARIAIS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: UMA INVESTIGAÇÃO TEÓRICA A GESTÃO DOS RISCOS EMPRESARIAIS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: UMA INVESTIGAÇÃO TEÓRICA Ana Paula Guimarães 1 ; Tiago Correia da Cunha; Odair de Osti RESUMO: As empresas no contexto atual procuram encontrar

Leia mais

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira 8º semestre CENÁRIO Sistemas desenvolvidos para atender necessidades específicas da unidade de negócio,

Leia mais

Da Estratégia aos Resultados, a diferença está na Solução.

Da Estratégia aos Resultados, a diferença está na Solução. Apresentação A QIS O Método O Sistema de Gestão Da Estratégia aos Resultados, a diferença está na Solução. 12 Benefícios 4 Razões Referências 1 Consultoria Tecnologia Consultoria Tecnologia Quem somos

Leia mais

ACSA COMERCIAL DE BENS & CONSULTORIA EMPRESARIAL

ACSA COMERCIAL DE BENS & CONSULTORIA EMPRESARIAL ACSA COMERCIAL DE BENS & CONSULTORIA EMPRESARIAL 1 2 INTRODUÇÃO A economia brasileira nos últimos anos tem desenvolvido um processo de crescimento das diversas classes econômicas. Aproveitando o momento

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS Treinamento ISO 20000 Foundation Presencial ou EAD O Gerenciamento de Serviços de TI tem como foco o fornecimento eficiente e eficaz de serviços que assegura a satisfação

Leia mais

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015

Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 2015 Matrizes de Correlaça o ISO 9001:2008 e ISO 9001:2015 Texto traduzido e adaptado por Fernando Fibe De Cicco, Coordenador de Novos Projetos do QSP. Outubro de 2015. Matrizes de correlação entre a ISO

Leia mais

Mecken Golden Corporation 1439 S Ocean Blvd, FL 33062 Phone: 954 5547138

Mecken Golden Corporation 1439 S Ocean Blvd, FL 33062 Phone: 954 5547138 Consultoria Empresarial, Financeira e Jurídica. Equipe de profissionais altamente qualificada e comprometida com o cliente. Porque abrir uma empresa nos Estados Unidos Porque escolher a Flórida Vistos

Leia mais

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 INTRODUÇÃO... 2 OBJETIVOS... 3 CONCEITOS...

Leia mais

2.6 Conceito de controle de processo...47 2.6.1 Manutenção de equipamentos e processo gerencial...48 2.7 GQT e atividades de manutenção de

2.6 Conceito de controle de processo...47 2.6.1 Manutenção de equipamentos e processo gerencial...48 2.7 GQT e atividades de manutenção de Sumário Prefácio à 2ª edição...11 Prefácio...13 1 Visão geral da manutenção de equipamentos...17 1.1 Introdução...19 1.2 Conceito de manutenção...19 1.3 Abrangência das atividades de manutenção...21 1.4

Leia mais