MANUAL DE POLÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE POLÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO"

Transcrição

1 SGI-MP Tipo de Documento: Processo e Procedimento Classificação: Sem Restrições., para uso exclusivo dos destinatários indicados ID do Documento Versão: Versão controlada automática e eletronicamente pelo Sharepoint (intranet) Razão para a última versão: Destinatários: Inclusão da Política de Gestão Ambiental Gestão de topo, Diretores, Coordenadores, Gestores de Processos e restantes utilizadores dos Sistemas de Gestão da organização Autoria: Paulo Domingos Validação: Jorge Queiroz Machado Aprovação: João Pinto e Sousa Observações: Cópia em papel não controlada Índice: 1 Enquadramento Políticas POLÍTICA DO SISTEMA DE POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA DE GESTÃO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE GESTÃO AMBIENTAL... 6

2 Página 2 de 6 1 ENQUADRAMENTO Com o objetivo de normalização interna de políticas, práticas e procedimentos sob as quais a ITEN desenvolverá as suas atividades, foi elaborado o presente documento o qual incorpora as políticas de alto nível, em vigor na organização, em termos de gestão da qualidade, gestão de serviços de tecnologias de informação e gestão da segurança da informação. Outras políticas, procedimentos e informação associada a estes sistemas de gestão da ITEN encontram-se disponibilizados no portal interno da ITEN, estando estes elementos acessíveis, de forma direta ou indireta, a todos os colaboradores, parceiros, fornecedores e clientes, de acordo com as necessidades do negócio e a política de classificação e manuseamento da informação. Para evidenciar a conformidade dos nossos métodos, normas e modelos, a ITEN é uma organização certificada de acordo com a norma ISO Somos auditados periodicamente por equipas internas e externas, garantindo a conformidade permanente e a evolução sustentada dos nossos sistemas de gestão. Para mais informações, por favor, contate-nos através do 2 POLÍTICAS 2.1 Política do Sistema de Gestão Integrado A presente política destina-se a todos os colaboradores, parceiros, fornecedores e clientes da ITEN e visa comunicar a forma como esta organização desenvolverá a sua atividade no alcance dos seus objetivos. A ITEN está consciente, desde muito cedo, que o conhecimento, a responsabilidade e a continuidade não são fruto da sorte ou do acaso mas sim resultados de uma partilha e divulgação efetivas, de uma atitude e postura transparente e íntegra, da utilização adequada das melhores práticas reconhecidas internacionalmente e, acima de tudo, de uma enorme dedicação e empenho de todos os nossos colaboradores para com o sucesso da ITEN. Nesse contexto e como plataformas de orientação, sustentabilidade, credibilidade e melhoria continua, a ITEN utiliza nas suas atividades de gestão e de negócio, vários

3 Página 3 de 6 modelos, aceleradores e normativos, sempre equacionados numa abordagem própria de inovação, sistematização, simplificação, concretização e partilha. A implementação de um modelo de gestão integrado denominado Sistema de Gestão Integrado (SGI), baseado na adoção seletiva, crescente e contínua das melhores práticas de mercado em matéria de Gestão do Risco e da Conformidade; Satisfação do Cliente; Gestão da Qualidade; Gestão de Serviços de Tecnologias de Informação; Gestão Ambiental; Continuidade do Negócio e Segurança da Informação, constitui uma evolução importante no âmbito descrito de transformação sustentada. Como objetivos primordiais, sempre alinhados com a estratégia corporativa anualmente revista, a ITEN procurará continuamente melhorar: O índice de satisfação dos seus Clientes; A Qualidade dos seus produtos e serviços; O valor dos seus Recursos Humanos; As relações estabelecidas com Parceiros e Fornecedores; Os seus índices de Sustentabilidade; Os níveis de proteção do seu Negócio. Como princípios basilares a ITEN compromete-se, para com todos aqueles com quem interage, a: Cumprir escrupulosamente a legislação nacional; Disponibilizar um serviço de qualidade a todos os seus clientes, parceiros e fornecedores; Disponibilizar os recursos e meios necessários à manutenção e crescimento de equipas especializadas para um desempenho profissional nas suas funções; Manter as suas certificações atuais, procurar obter novas certificações e mantê-las; Auditar e monitorizar permanentemente o seu sistema de gestão integrado, estimulando e garantido a sua melhoria contínua. A todos os colaboradores da ITEN compete cumprir, de acordo com o estabelecido no Código de Conduta da organização, e fazer cumprir o estabelecido nas políticas em vigor. As presentes políticas serão alvo de revisão anual pela gestão de topo da ITEN. As presentes políticas foram aprovadas pelo Presidente do Conselho de Administração da ITEN.

4 Página 4 de Política da Qualidade A ITEN é uma Empresa orientada para o Cliente. Pretendemos ser o parceiro privilegiado de todas as organizações que desejam instalar e suportar os seus sistemas de comunicações e de tratamento de informação, visando retirar destes uma verdadeira vantagem competitiva. Para atingir esse objetivo, aconselhamos aos nossos Clientes os melhores sistemas, proporcionando paralelamente todos os serviços que conferem aos mesmos um valor máximo de clara mais-valia em todas as suas atividades. Estamos convictos que só deste modo, poderemos corresponder a todas as expectativas explícitas e implícitas dos nossos Clientes. Neste âmbito, a Direção da ITEN compromete-se em manter e melhorar continuamente um Sistema de Gestão da Qualidade conforme os requisitos da Norma de referência NP EN ISO 9001: Política de Gestão de Serviços de Tecnologias de Informação A visão da área de sistemas de informação em função de um conjunto de serviços prestados aporta uma visão da tecnologia baseada nas necessidades dos Clientes tanto internos como externos - e nos compromissos de qualidade e nível de serviço. Neste sentido, decidiu a Administração da ITEN implementar, manter e melhorar continuamente um Sistema de Gestão de Serviços de Tecnologias de Informação conforme os requisitos da Norma de referência ISO :2011. Este sistema tem como elementos base o exposto de seguida: A relação completa dos serviços de TI, bem como das suas caraterísticas, deve ser mantida e atualizada num catálogo de serviços conhecido por todos aqueles com intervenção direta neste. Este catálogo estará também à disposição de outras entidades, internas ou externas, na medida da necessidade do seu conhecimento para com os objetivos do negócio; Será mantido atualizado um documento denominado SGS_04_MS Manual do SGS onde se definem todas as caraterísticas do Sistema de Gestão de Serviços, assim como os seus procedimentos gerais. O manual do SGS é um documento reservado mas acessível por todos os membros da organização inseridos no contexto da sua aplicabilidade;

5 Página 5 de 6 Será mantido atualizado um plano de gestão de serviços que define a planificação, implementação, monitorização e melhoria contínua da gestão de serviços; A ITEN compromete-se a velar por uma definição de serviços conforme os requisitos dos seus clientes, pela inclusão desses requisitos nos acordos de nível de serviço, por uma monitorização do seu cumprimento ao longo do tempo, assegurando que qualquer observação ou reclamação que os clientes possam ter acerca da prestação de serviços é processada de conforme procedimento adequado; A ITEN compromete-se a proporcionar os recursos humanos e outros necessários a uma correta prestação de serviços de TI, a qual estará alinhada com os níveis de compromisso definidos nos acordos de nível de serviço ratificados; Todo o SGS a um nível global, e cada um dos seus processos a um nível específico, segue um ciclo permanente de melhoria contínua conforme política definida para tal; A ITEN tem como objetivo manter o seu SGS conforme os requisitos da norma ISO 20000:2011, tendo em conta os serviços identificados no seu âmbito, certificando-o como forma de ratificação da sua correta definição, implementação e gestão. À medida que se incorporem novos serviços no SGS, estes terão como objetivo a sua incorporação no âmbito de certificação deste sistema de gestão; Em tempo, toda a atividade de TI para suporte ao negócio da ITEN será englobada num dos serviços de TI definidos. 2.4 Política de Segurança da Informação A Informação é um ativo crucial para a atividade da ITEN. A sua adequada proteção é uma necessidade basilar, da responsabilidade de todos que com ela interagem e utilizam. A abordagem da ITEN, no que diz respeito à gestão da segurança da informação, tem como principais objetivos garantir os níveis adequados de confidencialidade, integridade e disponibilidade requeridos para a proteção de informação, tendo em conta: As necessidades operacionais da ITEN; O reforço do ambiente de confiança, que promova a partilha de Informação, fundamental ao desenvolvimento das atividades da ITEN; A conformidade com a legislação e normativos em vigor, sempre que relacionados com a sua atividade. São parte integrante da presente política, várias subpolíticas específicas que serão alvo de comunicação e publicação para todos aqueles que delas necessitem para o desempenho das suas funções. Todos os colaboradores da ITEN, bem como terceiras partes que de alguma forma possam interagir com informação da ITEN ou sob sua responsabilidade, estão obrigados a cumprir e a fazer cumprir a presente política de segurança da informação e outras regulamentações estabelecidas nesta matéria. Estes têm o dever de atuar prontamente quando em face de um qualquer incidente de segurança, ou seja, quando em face de um qualquer evento que possa provocar, ou que tenha provocado, uma quebra de segurança da informação. Assim, qualquer incidente de segurança da informação detetado por qualquer colaborador da ITEN, deve ser reportado com a urgência possível ao responsável de segurança da informação da organização. A não observância das disposições de segurança da informação em vigor, será considerada como infração às normas e regulamentos internos e, como tal, será sujeita a medidas corretivas apropriadas de acordo com a legislação e normativos em vigor, ou que venham a ser estabelecidos para o efeito. A ITEN, compromete-se a proporcionar os recursos humanos, e outros, necessários a uma correta proteção da sua informação.

6 Página 6 de Política de Gestão Ambiental A ITEN Solutions está consciente do importante impacto que as suas atividades possuem na proteção e preservação do nosso ambiente e na boa gestão dos recursos naturais. Pretendemos, nesse contexto, promover e assegurar por parte dos nossos colaboradores e parceiros, práticas e comportamentos adequados e responsáveis, garantindo assim uma contribuição efetiva e eficaz no processo contínuo de melhoria da qualidade, segurança e sustentabilidade das nossas sociedades. Em reforço dessa missão, a Gestão de Topo da ITEN Solutions compromete-se em manter e melhorar continuamente o seu Sistema de Gestão Ambiental (SGA) conforme os requisitos da Norma de referência NP EN ISO 14001:2012. Em resumo, assumimos na nossa cultura organizacional os seguintes valores e princípios: Integrar o respeito pelo ambiente e a gestão dos aspetos ambientais, em todas as fases dos processos de negócio e ao longo de toda a cadeia de valor; Melhorar continuamente o desempenho ambiental, nomeadamente na prevenção da poluição e na minimização dos seus impactes; Cumprir com os requisitos legais e outros aplicáveis aos aspetos ambientais, bem como outros compromissos voluntariamente assumidos; Dinamizar a utilização das fontes de energia renováveis e das melhores tecnologias com vista à preservação dos recursos naturais e à prevenção e redução da poluição; Promover a eficiência energética e as práticas de utilização racional de energia, como uma das principais opções compatíveis com o uso sustentável dos recursos; Estimular o conhecimento e a divulgação de boas práticas no domínio do ambiente, no seio dos seus colaboradores.

POLÍTICA. Sistema de Gestão de Segurança da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Referência do Documento PL03 SGSI _V5

POLÍTICA. Sistema de Gestão de Segurança da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Referência do Documento PL03 SGSI _V5 POLÍTICA POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Referência do Documento PL03 SGSI _V5 D Público 1 PL03 SGSI_V5 ÍNDICE 1. Referências Pág. 3 2. Documentos Associados Pág. 3 3. Registos Associados Pág. 3 4.

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL Desempenho e melhoria

PROCEDIMENTO GERAL Desempenho e melhoria Página 1 de 5 I ÂMBITO Aplicável em toda a estrutura funcional da ESEP. II OBJETIVOS Definir a metodologia para a programação e realização de auditorias internas. Definir a metodologia para a revisão periódica

Leia mais

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Securitas Portugal O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Agosto de 2016 1 O Sistema de Gestão da Responsabilidade Social A SECURITAS desenvolveu e implementou um Sistema de Gestão de aspetos de

Leia mais

Santa Casa da Misericórdia de Pombal

Santa Casa da Misericórdia de Pombal Manual de Políticas Santa Casa da Misericórdia de Pombal Índice 1. Política da Qualidade 2. Politica de Apoio Social 3. Politica de Recursos Humanos 4. Politica de Ética 5. Politica de Envolvimento Ativo

Leia mais

GAI17021 RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE GESTÃO DE RISCOS 2017 GABINETE DE AUDITORIA INTERNA, QUALIDADE E AMBIENTE

GAI17021 RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE GESTÃO DE RISCOS 2017 GABINETE DE AUDITORIA INTERNA, QUALIDADE E AMBIENTE RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE GESTÃO DE RISCOS 2017 INCLUI OS RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRAÇÕES CONEXAS Janeiro 2017 Esta página foi deixada intencionalmente em branco 2 de 9 ÍNDICE 1- INTRODUÇÃO... 4 2- OBJETO...

Leia mais

NP Sistema de gestão da responsabilidade social: Parte I: Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização

NP Sistema de gestão da responsabilidade social: Parte I: Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização NP 4469-1 Sistema de gestão da responsabilidade social: Parte I: Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização Sonia Pires APEE soniapires@apee.pt Relação com a ISO 26000 Segue o mesmo espírito:

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 2.0 12/06/2017 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Referências... 3 3 Princípios... 3 4 Diretrizes... 3 5 Responsabilidades... 7 6 Disposições

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 2.0 Aprovada por meio da RES nº 261/2017, de 19/09/2017 Deliberação nº 075/2017, de 05/10/2017 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Referências...

Leia mais

Código de Ética Empresarial da Metro do Porto

Código de Ética Empresarial da Metro do Porto Código de Ética Empresarial da Metro do Porto MP-848057/09 V1.0 Índice A. A EMPRESA Enquadramento Missão Visão Valores B. CÓDIGO Âmbito de Aplicação Acompanhamento C. PRINCÍPIOS ORIENTADORES DO RELACIONAMENTO

Leia mais

O QUE É NOVO NA ISO 9001:2015 & ISO 14001:2015

O QUE É NOVO NA ISO 9001:2015 & ISO 14001:2015 O QUE É NOVO NA ISO 9001:2015 & ISO 14001:2015 PORQUÊ UMA REVISÃO 2015 Num mundo em constante mudança de desafios económicos, tecnológicos e ambientais, as organizações necessitam de se transformar constantemente

Leia mais

Universidade de Aveiro 2010/02/05

Universidade de Aveiro 2010/02/05 Universidade de Aveiro 2010/02/05 Conteúdo - Apresentação da empresa - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação - Processo de implementação - Factores críticos de sucesso visão.c

Leia mais

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz Objetivos Abrangência Diretrizes...2

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz Objetivos Abrangência Diretrizes...2 Rede D Or São Luiz Sumário 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz...2 1.1. Objetivos...2 1.2. Abrangência...2 1.3. Diretrizes...2 Diretriz Econômica...2 Diretriz Social...3 Diretriz Ambiental...4

Leia mais

ISO 10002:2014. Gestão da qualidade Satisfação dos clientes Linhas de orientação para tratamento de reclamações nas organizações

ISO 10002:2014. Gestão da qualidade Satisfação dos clientes Linhas de orientação para tratamento de reclamações nas organizações ISO 10002:2014 Gestão da qualidade Satisfação dos clientes Linhas de orientação para tratamento de reclamações nas organizações 0. OBJETIVOS 1. Benefícios da ISO 10002 2. Introdução 3. Objetivo e campo

Leia mais

Os processos de segurança da informação devem assegurar a integridade, a disponibilidade e a confidencialidade dos ativos de informação da Apex.

Os processos de segurança da informação devem assegurar a integridade, a disponibilidade e a confidencialidade dos ativos de informação da Apex. 1 POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Disposições Gerais Os sistemas de informação, a infraestrutura tecnológica, os arquivos de dados e as informações internas ou externas, são considerados importantes

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 12/5/2017 INFORMAÇÃO PÚBLICA ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 CONCEITOS... 3 4 ESTRUTURA NORMATIVA... 3 5 DIRETRIZES... 4 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 AÇÕES

Leia mais

Roadmap para Implementação e Certificação ISO Mário Rui Costa

Roadmap para Implementação e Certificação ISO Mário Rui Costa 1 1 Roadmap para Implementação e Certificação ISO 20000-1 Mário Rui Costa TÓPICOS O que é a ISO 20000-1? Porquê implementar? Custos Ponto de partida Papéis e Responsabilidades Implementação Preparação

Leia mais

Carina Gonçalves, Carlos Dimas e Cátia Silva

Carina Gonçalves, Carlos Dimas e Cátia Silva Gestão da Qualidade 1 Índice Introdução... 3 Objectivo geral... 4 Objectivos específicos... 4 Qualidade... 5 Gestão da Qualidade Total (TQM)... 6 Os princípios básicos da qualidade total são:... 7 Qualidade

Leia mais

Observatório Português dos Cuidados Paliativos

Observatório Português dos Cuidados Paliativos Observatório Português dos Cuidados Paliativos Regulamento 01-12-2015 Artigo 1º Natureza O Observatório Português dos Cuidados Paliativos (OPCP) está integrado no Instituto de Ciências da Saúde (ICS),

Leia mais

Trabalho apresentado para obtenção do Título de Especialista (Desp. N.º 8590/2010 de 20 de Maio)

Trabalho apresentado para obtenção do Título de Especialista (Desp. N.º 8590/2010 de 20 de Maio) Trabalho apresentado para obtenção do Título de Especialista (Desp. N.º 8590/2010 de 20 de Maio) IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO DE QUALIDADE E AMBIENTE DE ACORDO COM OS REFERENCIAIS NORMATIVOS

Leia mais

Programa da Qualidade Política Geral

Programa da Qualidade Política Geral O Hospital Pulido Valente definiu como MISSÂO: Programa da Qualidade Política Geral 1. O Hospital é o estabelecimento de referência para a população envolvente, para as especialidades de que dispõe, desenvolvendo

Leia mais

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016 1. OBJETIVOS Estabelecer os princípios e diretrizes que norteiam as ações de práticas socioambientais da Getnet nos negócios e na relação com todas as partes interessadas, incluindo as diretrizes para

Leia mais

por uma administração pública de qualidade lisboa, 07.maio.2008

por uma administração pública de qualidade lisboa, 07.maio.2008 por uma administração pública de qualidade lisboa, 07.maio.2008 biblioteca municipal de santa maria da feira: certificação: a qualidade ao serviço dos utilizadores Etelvina Araújo, Rui Campos, Tânia Gonçalves

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL PRSA 2ª 1 / 7 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 3.1 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 2 3.1.1 DIRETOR RESPONSÁVEL - RESOLUÇÃO 4.327/14... 2 3.1.2 COORDENADOR ESPONSÁVEL PRSA

Leia mais

Descrição da Organização e Funcionamento dos Serviços de Segurança e Saúde no Trabalho

Descrição da Organização e Funcionamento dos Serviços de Segurança e Saúde no Trabalho Descrição da Organização e Funcionamento dos Serviços de Segurança e Saúde no Trabalho A. ENQUADRAMENTO POLÍTICO-ORGANIZACIONAL A Arsenal do Alfeite, S.A., consciente da importância da qualidade dos seus

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2 1. Introdução A Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores Públicos dos Municípios da Região Metropolitana da Grande Vitória COOPMETRO é uma entidade

Leia mais

Regimento Interno da Auditoria Interna Regimento Interno

Regimento Interno da Auditoria Interna Regimento Interno da Auditoria Interna da Auditoria Interna Versão 1.0 Data de criação 08/06/2015 Data de modificação N/A Tipo de documento Índice 1. Objetivo... 4 2. Atuação... 4 3. Missão da Auditoria Interna... 4 4.

Leia mais

POLÍTICA. TÍTULO: PLT-SGR Política do SGSI - SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO APROVADO

POLÍTICA. TÍTULO: PLT-SGR Política do SGSI - SISTEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO APROVADO 1/5 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO APROVADO 0000536 - André Delgado- SEGURANCA Danielle Souza; Oscar Zuccarelli; HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA REV. ALTERAÇÕES Atualização do item 2.2 - Solicitar

Leia mais

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DA PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 ÍNDICE GERAL 1. INTRODUÇÃO... 2 2. APLICAÇÃO... 2 3. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 3.1 DISPOSIÇÕES INICIAIS...

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A ESPECIALISTA EM TURISMO DE AR LIVRE

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A ESPECIALISTA EM TURISMO DE AR LIVRE PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A ESPECIALISTA EM TURISMO DE AR LIVRE Publicado no Boletim do Trabalho do Emprego (BTE) nº 4 de 29 de janeiro de 2013 com entrada em vigor a 29 de janeiro de 2013. Publicação

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

Sistema de Gestão Integrado SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO COMO PILAR ESTRATÉGICO

Sistema de Gestão Integrado SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO COMO PILAR ESTRATÉGICO Sistema de Gestão Integrado SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO COMO PILAR ESTRATÉGICO 1 2 3 4 O contexto incentea DESAFIOS DO NEGÓCIO Um Sistema Integrado ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA A Segurança de Informação SUSTENTAÇÃO

Leia mais

Certificação Florestal

Certificação Florestal Certificação Florestal Factor de Diferenciação Certificação Florestal 1 - A Certificação Florestal Objectivos Vantagens 2 - Dois Esquemas de Certificação Florestal PEFC FSC 3 - Estatísticas a nível Mundial

Leia mais

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC)

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Título Norma de Responsabilidade Socioambiental Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Abrangência Agências, Departamentos, Empresas Ligadas e Unidades no Exterior Sinopse Diretrizes

Leia mais

E se sua Operação... Estruturasse e operacionalize melhor os processos? Fosse mais ágil e assertiva? Aumentasse a satisfação dos clientes?

E se sua Operação... Estruturasse e operacionalize melhor os processos? Fosse mais ágil e assertiva? Aumentasse a satisfação dos clientes? E se sua Operação... Fosse mais ágil e assertiva? Aumentasse a satisfação dos clientes? Tivesse a qualidade certificada? Estruturasse e operacionalize melhor os processos? Aumentasse a performance? Conheça

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental 1. Introdução A Política de Responsabilidade Socioambiental PRSA ( Política ) estabelece princípios, diretrizes e procedimentos para as práticas socioambientais

Leia mais

GRID Gestão e Reporte de Indicadores de Desempenho

GRID Gestão e Reporte de Indicadores de Desempenho GRID Gestão e Reporte de Indicadores de Desempenho ÍNDICE ENQUADRAMENTO 3 CONTEXTO 3 IMPORTÂNCIA DO TEMA, NA PERSPETIVA DA ORGANIZAÇÃO E DOS SEUS STAKEHOLDERS 3 DESCRIÇÃO 4 ESTRUTURA DO PROJETO 5 RESULTADOS

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 1/7

CÓDIGO DE CONDUTA 1/7 CÓDIGO DE CONDUTA 1/7 ÍNDICE Página A Missão da Fundação AEP 3 Visão 3 Valores 3 Objetivos 3 Objeto, Âmbito e Aplicação 4 Transparência na Atuação e Publicitação das Contas 4 Impedimentos ou Incompatibilidades

Leia mais

MISSÃO VISÃO VALORES

MISSÃO VISÃO VALORES MISSÃO VISÃO VALORES MISSÃO VISÃO Contribuir para a eficiência do setor público e para a simplificação da vida do cidadão por meio de soluções tecnológicas inovadoras" VALORES MISSÃO VISÃO Ser referenciada

Leia mais

valor compartilhado, pelo qual pautamos nossas ações e desejamos ser parceiro no desen volvimento das pessoas e da sociedade.

valor compartilhado, pelo qual pautamos nossas ações e desejamos ser parceiro no desen volvimento das pessoas e da sociedade. 26. POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 26.1 Introdução Nossa visão é ser uma referência em performance sustentável e em satisfação dos associados. Para nós, performance sustentável

Leia mais

Certificação da Qualidade - Um Processo em Evolução

Certificação da Qualidade - Um Processo em Evolução VII Ciclo de Conferências em Economia Social "Manter a Identidade, Visar a Sustentabilidade" Certificação da Qualidade - Um Processo em Evolução Santa Casa da Misericórdia de Santarém 04-05-2017 "Manter

Leia mais

Sistema de Gestão da Prevenção em

Sistema de Gestão da Prevenção em Sistema de Gestão da Prevenção em SST Trabalho realizado por: André Andrade nº18990 Curso: Engenharia do Ambiente Data: 29/10/2008 Disciplina: PARP Índice Introdução... 3 Sistema de gestão da prevenção

Leia mais

Política Ambiental Funcional SISTEMA DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Política Ambiental Funcional SISTEMA DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Política Ambiental Funcional SISTEMA DE GESTÃO E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL *Todos os direitos são reservados a Funcional. PALAVRA DO PRESIDENTE A preservação dos recursos naturais vem sendo um tema amplamente

Leia mais

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 Política de Controles Internos Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 OBJETIVO Garantir a aplicação dos princípios e boas práticas da Governança Corporativa, e que

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Declaração Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e das

Leia mais

Código de Conduta do Comercializador de Último Recurso de Gás Natural

Código de Conduta do Comercializador de Último Recurso de Gás Natural Código de Conduta do Comercializador de Último Recurso de Gás Natural A EDP Gás Serviço Universal, na observância dos Valores do Grupo EDP, designadamente de Transparência, Rigor, Integridade, Ética, Confiança,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA CENTRO COMUNITÁRIO IRMANDADE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA BATALHA

CÓDIGO DE ÉTICA CENTRO COMUNITÁRIO IRMANDADE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA BATALHA CÓDIGO DE ÉTICA CENTRO COMUNITÁRIO IRMANDADE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA BATALHA 02-05-2012 1 Introdução... 3 2 Principais objetivos do Código... 3 3 Âmbito de aplicação... 4 4 Legislação e Ética...

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

A revisão da Norma ISO/IEC 17025:2005. Seminário IPQ - IPAC A acreditação e o desenvolvimento da qualidade em Portugal

A revisão da Norma ISO/IEC 17025:2005. Seminário IPQ - IPAC A acreditação e o desenvolvimento da qualidade em Portugal A revisão da Norma ISO/IEC 17025:2005 A revisão da Norma ISO/IEC 17025:2005 CONTEÚDO Apresentação da RELACRE O processo de revisão As principais alterações Nova estrutura da Norma ISO/ IEC 17025:2017 Perspetivas

Leia mais

QUALIDADE, HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR

QUALIDADE, HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR Quem Somos QUEM SOMOS A Bioqual é uma empresa especializada em Qualidade, Higiene e Segurança Alimentar. Presente em todo o país através de uma rede de escritórios, com consultores especializados e experiência

Leia mais

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Práticas de Responsabilidade Social no MSESS

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Práticas de Responsabilidade Social no MSESS ÉTICA E RESPNSABILIDADE SCIAL Práticas de Responsabilidade Social no MSESS Índice A Missão da Secretaria-Geral do MSESS A Responsabilidade Social na AP Porquê A Responsabilidade Social no MSESS e na SG

Leia mais

REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A 1 1. SUMÁRIO Em atendimento a Instrução CVM nº 558, o Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A. (doravante denominado simplesmente

Leia mais

Diretrizes Ambientais do Grupo Fiat

Diretrizes Ambientais do Grupo Fiat Diretrizes Ambientais do Grupo Fiat Preliminares Enquanto Grupo, estamos conscientes do impacto que as nossas atividades e os nossos produtos têm sobre a sociedade e sobre o meio ambiente, bem como nosso

Leia mais

A nossa Visão. Simplesmente, sermos pioneiros na introdução de inovação em ciência e tecnologia, na busca de um mundo melhor.

A nossa Visão. Simplesmente, sermos pioneiros na introdução de inovação em ciência e tecnologia, na busca de um mundo melhor. A nossa Visão Simplesmente, sermos pioneiros na introdução de inovação em ciência e tecnologia, na busca de um mundo melhor. MANUAL DA QUALIDADE ÍNDICE Capítulo Descrição Página 1 Apresentação da ILC Instrumentos

Leia mais

Comissão dos Transportes e do Turismo PROJETO DE PARECER. da Comissão dos Transportes e do Turismo

Comissão dos Transportes e do Turismo PROJETO DE PARECER. da Comissão dos Transportes e do Turismo Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão dos Transportes e do Turismo 2016/0287(COD) 7.2.2017 PROJETO DE PARECER da Comissão dos Transportes e do Turismo dirigido à Comissão da Indústria, da Investigação

Leia mais

Regulamento da Gestão do Desempenho do Corpo Técnico do ISPA

Regulamento da Gestão do Desempenho do Corpo Técnico do ISPA Regulamento da Gestão do Desempenho do Corpo Técnico do ISPA PREÂMBULO O presente documento estabelece o processo da gestão do desempenho do pessoal não docente do ISPA com contrato de trabalho, doravante

Leia mais

A diretriz básica do xxxx é a de um trabalho eminentemente educativo que permeia direta ou indiretamente todas as atividades e serviços

A diretriz básica do xxxx é a de um trabalho eminentemente educativo que permeia direta ou indiretamente todas as atividades e serviços A diretriz básica do xxxx é a de um trabalho eminentemente educativo que permeia direta ou indiretamente todas as atividades e serviços desenvolvidos, fazendo com que os mesmos ultrapassem seus objetivos

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2012 2013 APRESENTAÇÃO O Planejamento Estratégico tem como objetivo descrever a situação desejada de uma organização e indicar os caminhos para

Leia mais

PROCESSO DEFINIR SERVIÇOS DE TI Versão 1.0 GERÊNCIA CORPORATIVA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PROCESSO DEFINIR SERVIÇOS DE TI Versão 1.0 GERÊNCIA CORPORATIVA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROCESSO DEFINIR SERVIÇOS DE TI Versão 1.0 GERÊNCIA CORPORATIVA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. MACROPROCESSO... 4 3. DIAGRAMA DE ESCOPO DO PROCESSO DEFINIR SERVIÇOS DE TI... 5

Leia mais

Sistemas de gestão energética ISO 50001

Sistemas de gestão energética ISO 50001 Sistemas de gestão energética ISO 50001 Marisa Almeida Ambiente e sustentabilidade 6 Maio 2015 1 CTCV Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro Centro para a promoção da inovação e do desenvolvimento das

Leia mais

SGS GLOBAL XXX AS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES SEGURANÇA EDIFÍCIOS E INDÚSTRIA OPERATIONAL INTEGRITY NA SGS ENERGIA ISO TESTEMUNHOS

SGS GLOBAL XXX AS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES SEGURANÇA EDIFÍCIOS E INDÚSTRIA OPERATIONAL INTEGRITY NA SGS ENERGIA ISO TESTEMUNHOS SGS GLOBAL XXX REVISTA DO GRUPO SGS PORTUGAL Nº31 NOVEMBRO 2012 AS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES SEGURANÇA EDIFÍCIOS E INDÚSTRIA OPERATIONAL INTEGRITY NA SGS ENERGIA ISO 50001 TESTEMUNHOS QUEM PREFERE A SGS

Leia mais

Política de Sustentabilidade do Grupo Neoenergia

Política de Sustentabilidade do Grupo Neoenergia Política de Sustentabilidade do Grupo Neoenergia 1 Índice: 1. Introdução 2. Objetivo 3. Abrangência e público-alvo 4. Referências 5. Valores 6. Princípios de Sustentabilidade 7. Responsabilidades 8. Atualização

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA. Somos movidos por inovação, sustentabilidade e por você

CÓDIGO DE CONDUTA. Somos movidos por inovação, sustentabilidade e por você CÓDIGO DE CONDUTA Somos movidos por inovação, sustentabilidade e por você SUMÁRIO Mensagem do Presidente Sumário Missão, Visão e Valores 1. Sobre o Código 2. Relações com Clientes 3. Responsabilidades

Leia mais

NR Política Geral de Compras

NR Política Geral de Compras P. 1 de 12 NR Aprovado em reunião de Comissão Executiva de.01.30 Coordenado por: Direção de Compras e Contratos P. 2 de 12 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3. EIXOS DE ORIENTAÇÃO DA POLÍTICA

Leia mais

Procedimento de Resolução de Situações em que se verifica a existência de trabalho infantil

Procedimento de Resolução de Situações em que se verifica a existência de trabalho infantil Procedimento de Resolução de Situações em que se verifica a existência de trabalho infantil Procedimento de resolução de situações em que se verifica a existência de trabalho infantil OBJECTIVO Estabelecer

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) - SIADAP 1 - Ministério da Saúde MISSÃO DO ORGANISMO - Regular e supervisionar os sectores dos medicamentos e produtos de saúde, segundo os mais elevados padrões de protecção da saúde pública e garantir o acesso dos profissionais de saúde

Leia mais

BANCO DE POUPANÇA E CRÉDITO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO BPC

BANCO DE POUPANÇA E CRÉDITO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO BPC BANCO DE POUPANÇA E CRÉDITO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO BPC 1. INTRODUÇÃO A Política de Segurança da Informação, pode ser usada para definir as interfaces entre os utilizadores, fornecedores

Leia mais

O Sistema HACCP no âmbito da NP EN ISO 9001:2000

O Sistema HACCP no âmbito da NP EN ISO 9001:2000 Instituto Politécnico de Coimbra Escola Superior Agrária de Coimbra Gestão da Qualidade O Sistema HACCP no âmbito da NP EN ISO 9001:2000 O Sistema HACCP Princípios: 1 Identificação dos perigos e análise

Leia mais

SEATEK PORTFÓLIO SEATEK ANALÍTICA

SEATEK PORTFÓLIO SEATEK ANALÍTICA EATEK PORTFÓLIO SEATEK ANALÍTICA Quem Somos? A SEATEK ANALÍTICA LTDA é uma empresa de prestação de serviços na área de instrumentação com profissionais qualificados para executar serviços de assistência

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA

Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA Política de Responsabilidade Socioambiental - PRSA Versão Consolidada: 2.0 Data da Aprovação: 29/12/2015 Aprovado por: Diretoria Data da última revisão 09/11/2016 ÍNDICE OBJETIVO E ABRANGÊNCIA... 3 VIGÊNCIA...

Leia mais

CÓDIGO de CONDUTA. Operador da Rede Nacional de Transporte de Energia Eléctrica. Edição: 1 Data:

CÓDIGO de CONDUTA. Operador da Rede Nacional de Transporte de Energia Eléctrica. Edição: 1 Data: CÓDIGO de CONDUTA do Operador da Rede Nacional de Transporte de Energia Eléctrica O Operador da Rede Nacional de Transporte de Energia Eléctrica é a entidade concessionária da Rede Nacional de Transporte

Leia mais

Código de Conduta do Operador da Rede de Distribuição de Gás Natural

Código de Conduta do Operador da Rede de Distribuição de Gás Natural Código de Conduta do Operador da Rede de Distribuição de Gás Natural A EDP Gás Distribuição (marca comercial da Portgás S.A., Concessionária de Serviço Público de Distribuição de Gás Natural), na observância

Leia mais

Cursos de Formação COTHN / SGS

Cursos de Formação COTHN / SGS ACÇÃO DE FORMAÇÃO Organização da emergência / Plano de emergência interno Permitir identificar situações de emergência e a elaborar um Plano de Emergência Interno. Curso Reconhecido pela ACT para Renovação

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ)

Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) O SGQ da Câmara Municipal segue o modelo da norma NP EN ISO 9001:2008 ilustrado pelo esquema transcrito a seguir. Melhoria contínua do Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

WORKSHOP. Certificação de produtos, empresas e serviços

WORKSHOP. Certificação de produtos, empresas e serviços WORKSHOP Certificação de produtos, empresas e serviços PROJETO CERTIFICAÇÃO Qual o caminho que quero/devo seguir? MARCA identidade PATENTE Proteção do design / modelo EMPRESA Produtos CERTIFICAÇÃO Implementação

Leia mais

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade A Elétrica Sena Campos, empresa prestadora de serviços no ramo de manutenção elétrica tem como principal valor preservar a integridade física, mental

Leia mais

Controle de Documentos e Registros Revisão: 00 Página 1 de 7

Controle de Documentos e Registros Revisão: 00 Página 1 de 7 Controle de Documentos e Registros Revisão: 00 Página 1 de 7 1. HISTÓRICO DE REVISÕES DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 2. OBJETIVO Descrever o procedimento interno para o

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

A Importância da Normalização na Economia Nacional. 27 junho 2017

A Importância da Normalização na Economia Nacional. 27 junho 2017 A Importância da Normalização na Economia Nacional 27 junho 2017 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Reduzir substancialmente a corrupção e o suborno em todas as suas formas; - Desenvolver instituições

Leia mais

2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 59

2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 59 2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 59 2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 60 - o

Leia mais

Somos uma equipa de 300 trabalhadores, organizados por 7 departamentos e 17 áreas.

Somos uma equipa de 300 trabalhadores, organizados por 7 departamentos e 17 áreas. Somos um Instituto Público, de serviços partilhados de Tecnologias de Informação e Comunicação, que reporta diretamente ao Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Somos uma equipa de

Leia mais

Plataforma bäse Apresentação outubro/2016

Plataforma bäse Apresentação outubro/2016 Plataforma bäse Apresentação outubro/2016 Missão Definir e propor as políticas e estratégias de tecnologias de informação e comunicação, garantindo o planeamento, conceção, execução e avaliação das iniciativas

Leia mais

Nº de postos de trabalho Presidente 1 Vice-Presidente 1 Vogal 1 Secretário do Conselho Diretivo 1. Área de formação académica e/ou profissional

Nº de postos de trabalho Presidente 1 Vice-Presidente 1 Vogal 1 Secretário do Conselho Diretivo 1. Área de formação académica e/ou profissional Atribuições / Competências/Atividades Cargo/Carreira/ Categoria Conselho Diretivo Área de formação académica e/ou profissional Nº de postos de trabalho Presidente 1 Vice-Presidente 1 Vogal 1 Secretário

Leia mais

Mod rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Fornecedores de Serviços Alternativos Rodoviários

Mod rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Fornecedores de Serviços Alternativos Rodoviários Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Fornecedores de Serviços Alternativos Rodoviários Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação de um Sistema

Leia mais

CARTA DE QUALIDADE DA REDE DE CENTROS DE RECURSOS EM CONHECIMENTO (RCRC)

CARTA DE QUALIDADE DA REDE DE CENTROS DE RECURSOS EM CONHECIMENTO (RCRC) CARTA DE QUALIDADE DA REDE DE CENTROS DE RECURSOS EM CONHECIMENTO (RCRC) 1. Missão A RCRC tem por missão facilitar o acesso a informação estratégica, em vários suportes, aproximar e criar interfaces entre

Leia mais

Relatório de Conformidade 2013

Relatório de Conformidade 2013 Relatório de Conformidade 2013 março de 2014 Responsável de Conformidade Índice 1. Introdução... 3 2. Obrigações... 3 Independência e Autonomia de Gestão... 3 Não Discriminação... 4 Confidencialidade da

Leia mais

A Certificação da Cadeia de Responsabilidade

A Certificação da Cadeia de Responsabilidade A Certificação da Cadeia de Responsabilidade Agenda A Certificação da Cadeia de Responsabilidade: Objetivos e Vantagens Esquemas de Certificação: PEFC e FSC Estatísticas Mundiais e Nacionais Requisitos

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance 1 Objetivo O objetivo desta Política é estabelecer diretrizes e procedimentos que assegurem o cumprimento das normas de Compliance definidas pelo Grupo VEOLIA e, que essas normas

Leia mais

POLÍTICA DE CONFLITO DE INTERESSES. Jul.15

POLÍTICA DE CONFLITO DE INTERESSES. Jul.15 POLÍTICA DE CONFLITO DE INTERESSES Jul.15 1. OBJETIVO 3 2. RESPONSABILIDADES DAS ÁREAS DE RELACIONAMENTO 3 3. IDENTIFICAÇÃO DE CONFLITOS DE INTERESSES 4 4. GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSES (POTENCIAIS

Leia mais

Projeto de Regulamento de Procedimentos Regulatórios - síntese das principais propostas. Consulta pública n.º 3/2016

Projeto de Regulamento de Procedimentos Regulatórios - síntese das principais propostas. Consulta pública n.º 3/2016 Projeto de Regulamento de Procedimentos Regulatórios - síntese das principais propostas Consulta pública n.º 3/2016 Enquadramento legal e estatutário Lei Quadro das Entidades Reguladoras Por forma a prosseguirem

Leia mais

CÓDIGO de CONDUTA da EDP Serviço Universal, S.A.

CÓDIGO de CONDUTA da EDP Serviço Universal, S.A. CÓDIGO de CONDUTA CÓDIGO de CONDUTA da EDP Serviço Universal, S.A. 1º - Objeto O presente Código de Conduta estabelece os principais deveres de atuação dos Colaboradores, dos membros dos Órgãos Sociais

Leia mais

CERTIFICAÇÃO. Sistema de Gestão

CERTIFICAÇÃO. Sistema de Gestão CERTIFICAÇÃO Sistema de Gestão A Sociedade Central de Cervejas e Bebidas (SCC) tem implementados e certificados os Sistemas de Gestão da Qualidade, Segurança Alimentar e Ambiente, em alinhamento com as

Leia mais

RANSP. RÊNCIA Código de conduta da FPC

RANSP. RÊNCIA Código de conduta da FPC RANSP RÊNCIA Código de conduta da FPC Código de Conduta O Código de Conduta da Fundação Portuguesa das Comunicações (FPC) apresenta dois objetivos fundamentais: regular as obrigações de transparência,

Leia mais

Regulamento Bandeira da Ética

Regulamento Bandeira da Ética Regulamento Bandeira da Ética Artigo 1º Objeto A Bandeira da Ética é um processo de certificação dos valores éticos no desporto, promovido pelo Plano Nacional de Ética no Desporto. A sua razão de ser baseia-se

Leia mais

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS PERSPECTIVA: TRE/RN e Sociedade Objetivo 1: Primar pela satisfação do cliente de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) Descritivo: Conhecer e ouvir o cliente

Leia mais

Código de Ética Janeiro de 2013

Código de Ética Janeiro de 2013 Janeiro de 2013 Índice 1 PREÂMBULO... 3 2 ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 3 3 OBJECTIVOS... 3 4 PRINCÍPIOS... 4 5 NORMAS DE CONDUTA... 4 6 CONFLITOS DE INTERESSES... 6 7 DISPOSIÇÕES FINAIS... 7 2013 espap Entidade

Leia mais

Auditorias Independentes COMPLIENCE AUDITORIAS DE 2A PARTE. em atividades aéreas

Auditorias Independentes COMPLIENCE AUDITORIAS DE 2A PARTE. em atividades aéreas AUDITORIAS DE 2A PARTE em atividades aéreas " O QUE É E COMO ATUAMOS NESTA ÁREA. O significado de complience é o de agir de acordo com uma regra, uma instrução interna, um comando ou um pedido, ou seja,

Leia mais

Portaria da Presidência

Portaria da Presidência 01 RESOLVE: O Presidente da Fundação Oswaldo Cruz, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo creto de 29 de dezembro de 2008 1.0 PROPÓSITO Instituir a Política de Segurança da Informação e Comunicações

Leia mais