TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 1999.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 1999."

Transcrição

1 Contatos: Walmir Urbano Kesseli Joana Dark Fonseca Serafim Telefone: (041) Fax: (041) Homepage: TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE Curitiba, 17 de maio de 1999 A Tele Celular Sul Participações S.A. (BOVESPA: TCLS3 e TCLS6; NYSE: TSU), Empresa que controla a Telepar Celular S.A., Telesc Celular S.A. e CTMR Celular S.A., operadoras lideres na prestação de serviço móvel celular no Sul do Brasil, anunciou hoje os resultados referentes ao 1º trimestre de O Lucro Líquido registrado foi de R$ 16,1 milhões na Holding e no Consolidado (Legislação Societária). Resultado Consolidado No primeiro trimestre de 1999, a Receita Operacional Bruta atingiu R$ 182,7 milhões, representando um crescimento de 9% em relação ao 1º trimestre de 1998, que foi de R$ 167,7 milhões. O aumento foi resultante principalmente da expansão de 37% no número de assinantes da Companhia, ocorrido no período. No trimestre, o aumento da Receita não acompanhou o crescimento no número de assinantes em função da reestruturação nos preços dos serviços, iniciada em outubro de A habilitação reduziu 88%, a assinatura básica 30,5% e a utilização local 8%. Além disso, a Empresa isentou a habilitação e concedeu 100 minutos de utilização local gratuitos, temporariamente, como parte de sua estratégia de marketing. As vendas de Equipamentos, iniciadas no trimestre, representaram R$ 19,3 milhões ou seja; 11% da Receita Bruta. A tabela abaixo apresenta a composição da Receita Operacional Bruta do trimestre comparada a igual período do ano anterior: Em R$ Mil 1º Trim./99 1º Trim./98 Receitas Operacional Bruta Venda de Aparelhos Utilização Aluguel Assinatura Uso da Rede Habilitação Serviços Adicionais Outras (153) (393) Tributos e outras Deduções Receita Operacional Líquida

2 A capacidade de geração de caixa, medida através da do EBITDA (Lucro antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) foi de R$ 57,2 milhões, o que representa uma margem de 39,4% sobre a Receita Operacional Líquida. No primeiro trimestre de 1998, a margem foi de 51,2%. As mudanças introduzidas com a transição para o ambiente competitivo passam a refletir novos níveis EBITDA. Mudança do critério de depreciação A Empresa avaliou o atual estágio tecnológico de seus equipamentos e decidiu aplicar r novas taxas de depreciação. Consequentemente, os equipamentos de comutação e transmissão, principais itens do imobilizado, tiveram suas taxas ampliadas de 8% e 10% para 14%, respectivamente, resultando em um acréscimo de R$ 5,8 milhões nos custos. Os Custos de Vendas e Serviços Prestados foram de R$ 75, 6 milhões, que excluído o Custo com Vendas de Aparelhos, equivalente a R$ R$ 21,8 milhões, representa um aumento de 20%, em relação ao trimestre do ano anterior. Este acréscimo ocorreu principalmente pela alteração nas taxas de depreciação. As Despesas de Comercialização dos Serviços e as Gerais e Administrativas foram R$ 19,3 milhões e R$ 14,8 milhões, o que representa um aumento de 12% e 4% em relação a igual trimestre do ano anterior, devendo portanto, ser considerando que em 1999 a Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa esta sendo incluída como Despesa de Comercialização dos Serviços, enquanto que em 1998, a mesma foi alocada em Despesas Gerais e Administrativas. A Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa foi de R$ 10,0 milhões, representando 5% da Receita Operacional Bruta. A tabela abaixo apresenta a composição dos Custos dos Serviços Prestados e Venda de Mercadorias, as Despesas de Comercialização e Gerais Administrativas: R$ mil 1º Trim./99 1º Trim./98 Pessoal e Encargos Materiais Serviços de Terceiros Alugueis/Arrendamento/Seguros Depreciação/Amortização Outras Despesas Operacionais Custo de Venda de Mercadorias Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa Total Desvalorização Cambial O primeiro trimestre de 1999, sofreu o impacto da desvalorização do Real e da mudança na política cambial brasileira, que permitiu a livre flutuação da taxa de câmbio. Como resultado, as Despesas Financeiras foram de R$ 28,6 milhões. No final do trimestre, Empresa iniciou processo de contratação de operações de hedge para seus passivos. O endividamento total foi de R$ 87,4 milhões, o qual refere-se à dividas contraídas em períodos anteriores e denominadas em dólares. 2

3 Lucro Líquido A Empresa apresentou um Lucro Líquido de R$ 16,1 milhões, representando um Lucro de R$ 0,05 por lote de ações. Investimentos Dando continuidade ao seu programa de expansão e modernização, a Empresa investiu R$ 8,1 milhões, ampliando o número de assinantes, a densidade e a quantidade de municípios atendidos. No trimestre 55% da rede foi digitalizada. Estes investimentos foram financiados principalmente com recursos próprios. Encerramos o primeiro trimestre de 1999 com aproximadamente 98% de Market Share. 1º Trim./99 Assinantes Taxa de Penetração 5% Municípios Atendidos 191 Receita Média por Assinante (ARPU) 1 R$ 95,00 Minuto por assinante 175 Empregados 385 Nota: (1) Com base na Receita Bruta e inclusa a venda de aparelhos. Acionistas Controladores Em 26 de março de 1999, a Bitel Participações S.A. adquiriu as ações da Tele Celular Sul que estavam em poder da UGB Participações S.A., tornando-se a acionista majoritária da empresa com 51,8% das ações com direito a voto. Perspectivas Mesmo diante do difícil cenário macroeconômico apresentado no primeiro trimestre de 1999, a Tele Celular Sul conquistou novos clientes e deu continuidade ao processo de digitalização da sua rede, consolidando assim, ainda mais sua posição de líder em um ambiente de crescente competição. Como parte do objetivo de desenvolver novos produtos a Empresa lançou no dia 22 de abril último, o serviço pré-pago, denominado Pronto, no qual se adquire, antecipadamente, créditos telefônicos que possibilitam realizar ligações. Estatísticas macroeconômicas mais recentes apontam alguns sinais positivos com o País recuperando a credibilidade internacional. Estamos confiantes no contínuo crescimento da Empresa. 3

4 TIM TELE CELULAR SUL BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO EM (EM MILHARES DE REAIS) ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE CIRCULANTE DISPONIBILIDADE PESSOAL, ENCARGOS E BENEFÍCIOS SOCIAIS CAIXA E BANCOS 545 FORNECEDORES DE MATERIAIS E SERVIÇOS APLICAÇÃO COM LIQUIDEZ IMEDIATA TRIBUTOS INDIRETOS DIREITOS REALIZÁVEIS TRIBUTOS DIRETOS CONTAS A RECEBER DE SERVIÇOS EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS PROVISÃO P/ CRÉDITOS LIQUID. DUVID. (24.277) DEBENTURISTAS - APLICAÇÕES FINANCEIRAS 282 TÍTULOS DE RENDA - TRIBUTOS A RECUPERAR OBRIGAÇÕES C/ EMPRESAS DO STB - ESTOQUES PARA REVENDA CONSIGNAÇÕES A FAVOR DE TERCEIROS OUTROS VALORES A RECUPERAR ADMINISTRAÇÃO ESTRANGEIRA - OUTROS DIREITOS PARTICIPAÇÕES NO RESULTADO DESPESAS DO PERÍODO SEGUINTE PROVISÃO P/ CONTINGÊNCIAS REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 662 OUTRAS OBRIGAÇÕES TRIBUTOS A RECUPERAR 599 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO OUTROS DIREITOS 63 ENCARGOS E BENEFÍCIOS SOCIAIS - PROVISÃO P/ COMPLEMENTAÇÃO DE APOSENTADORIA ATIVO PERMANENTE TRIBUTOS INDIRETOS - INVESTIMENTOS 20 TRIBUTOS DIRETOS - OUTROS INVESTIMENTOS 20 DEBENTURISTAS - IMOBILIZADO OBRIGAÇÕES C/ EMPRESAS DO STB - BENS E INSTALAÇÕES EM SERVIÇO CONSIGNAÇÕES A FAVOR DE TERCEIROS - BENS E INSTALAÇÕES EM ANDAMENTO PROVISÃO P/ CONTINGÊNCIAS 200 DEPRECIAÇÕES E AMORTIZAÇÕES ACUMULADAS ( ) OUTRAS OBRIGAÇÕES - DIFERIDO 383 RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS - NO CAPITAL SOCIAL TOTAL DO ATIVO NAS RESERVAS E LUCROS ACUMULADOS PATRIMÔNIO LÍQUIDO / RECURSOS CAPITALIZÁVEIS PATRIMÔNIO LÍQUIDO CAPITAL SOCIAL CORREÇÃO MONETÁRIA DO CAPITAL REALIZADO - RESERVAS DE CAPITAL - RESERVAS DE REAVALIAÇÃO - RESERVAS DE LUCROS LUCROS ACUMULADOS AÇÕES EM TESOURARIA - RECURSOS CAPITALIZÁVEIS 75 RECURSOS DO AUTOFINANCIAMENTO - RECURSOS DA UNIÃO - RECURSOS DO SISTEMA TELEBRÁS - OUTROS RECURSOS CAPITALIZÁVEIS - TOTAL DO PASSIVO

5 TIM TELE CELULAR SUL DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO CONSOLIDADA EM (EM MILHARES DE REAIS) RECEITA OPERACIONAL BRUTA DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA (37.202) ICMS / PASEP / COFINS E OUTROS (37.202) RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS (75.614) LUCRO BRUTO RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS (50.624) COMERCIALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS (19.302) DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS (14.775) PESQUISA E DESENVOLVIMENTO (95) PROVISÃO PARA CONTINGÊNCIAS (4) RECEITAS FINANCEIRAS DESPESAS FINANCEIRAS (28.617) OUTRAS DESPESAS OPERACIONAIS (1.853) OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS LUCRO OPERACIONAL RESULTADO ANTES DAS DEDUÇÕES/ ADIÇÕES DEDUCOES/ ADIÇÕES AO RESULTADO (6.572) PROVISÃO PARA IMPOSTO DE RENDA (4.848) PROVISÃO PARA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (1.505) PARTICIPAÇÃO DE EMPREGADOS (219) LUCRO ANTES PARTICIP. MINORITÁRIA PARTICIPAÇÃO MINORITÁRIA LUCRO DO PERÍODO

TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S. A.

TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S. A. TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S. A. Contatos TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. Ruggero Caterini Diretor de Finanças e de Relações com Investidores Joana Dark Fonseca Serafim Relações com Investidores

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004 Resultado Consolidado para o primeiro semestre de 2004 Publicação, 26 de julho de 2004 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Charles E. Allen TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A., SP, Brasil.

Leia mais

TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004

TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004 TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004 Publicação, 07 de maio de 2004 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Charles E. Allen TELEFONICA DATA

Leia mais

TELE NORDESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004

TELE NORDESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 Contatos: Tele Nordeste Celular Participações S.A. Walmir Urbano Kesseli 55.81.3302.2813 Leonardo Wanderley 55.81.3302.2594 leonardo.wanderley@timnordeste.com.br Polyana Maciel 55.81.3302.2593 polyana.maciel@timnordeste.com.br

Leia mais

Gas Brasiliano Distribuidora S.A.

Gas Brasiliano Distribuidora S.A. Balanço patrimonial em 31 de março (não auditado) Ativo 2016 2015 Passivo e patrimônio líquido 2016 2015 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 78.050 132.536 Fornecedores 23.096 19.064 Contas

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) 4T04 3T05 4T05

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) 4T04 3T05 4T05 Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 09 de fevereiro de 2006. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT; BOVESPA: EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 25.888 67.330 Fornecedores 4.797 8.340 Aplicações financeiras 3.341

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 ATIVO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades

Leia mais

ATIVO

ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL DOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO CONTROLADORA CONSOLIDADO ATIVO CIRCULANTE Numerário disponível 5.803 1.361 17.311 8.292 Aplicações no mercado aberto 1.216.028 665.948 1.216.530

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 ATIVO NE 31/12/2013 31/12/2012 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO NE 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades 4 85.142.911 86.881.544

Leia mais

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2001

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2001 TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. João Cox VP de Finanças e Diretor de Relações com Investidores Jcox@telepart.com.br 0XX61-429-5600 Leonardo Dias Gerente de Relações com Investidores Ldias@telepart.com.br

Leia mais

ELETROBRÁS TERMONUCLEAR S.A. ELETRONUCLEAR CNPJ: / DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31/09/2005

ELETROBRÁS TERMONUCLEAR S.A. ELETRONUCLEAR CNPJ: / DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31/09/2005 ELETROBRÁS TERMONUCLEAR S.A. CNPJ: 42.540.2 11/000 1-6 7 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31/09/2005 BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE SETEMBRO A T I V O 2005 2004 CIRCULANTE Numerário disponível 805 12.378 Aplicações

Leia mais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Ativo Nota 2014 2013 Passivo Nota 2014 2013 (Ajustado) (Ajustado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 5 48.650 835 Fornecedores 10

Leia mais

2

2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Controladora Consolidado ATIVO Jun 2009 Set 2009 Jun 2009 Set 2009 Circulante Disponibilidades 23,0 37,4 56,1 92,1 Contas a receber de clientes 62,8 72,8 114,2 125,9 Estoques

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS - CEAL CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2000 E DE 1999 (Em Milhares de Reais) ATIVO

COMPANHIA ENERGÉTICA DE ALAGOAS - CEAL CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2000 E DE 1999 (Em Milhares de Reais) ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2000 E DE 1999 (Em Milhares de Reais) ATIVO Legislação Societária CIRCULANTE Numerário disponível 8.081 6.646 Consumidores e revendedores 83.995 67.906 Devedores

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 ATIVO NE 31/12/2015 31/12/2014 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO NE 31/12/2015 31/12/2014 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades 4 90.705.601 82.095.096

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

2T05 DESEMPENHO DA MRS LOGÍSTICA HYPERLINK 2 TRIMESTRE DE 2005

2T05 DESEMPENHO DA MRS LOGÍSTICA HYPERLINK 2 TRIMESTRE DE 2005 DESEMPENHO DA MRS LOGÍSTICA HYPERLINK 2 TRIMESTRE DE 2005 2T05 MRS BATE NOVOS RECORDES: 9,35 MILHÕES DE TONELADAS EM MAIO E ATINGE LUCRO LÍQUIDO DE MAIS DE R$199 MILHÕES NO 1 SEMESTRE A MRS Logística S.A.

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 ATIVO CIRCULANTE

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 ATIVO CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 A T I V O 31.12.2009 31.12.2008 ATIVO CIRCULANTE 77.677 45.278 DISPONIBILIDADES 46 45 APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ 1.641 314 APLICAÇÕES EM

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

TELE NORDESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2002

TELE NORDESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2002 Contatos: Tele Nordeste Celular Participações S.A. Walmir Urbano Kesseli 55.81.3216.2591 Fabíola Almeida fabiola.almeida@timnordeste.com.br Polyana Maciel 55.81.3216.2593 polyana.maciel@timnordeste.com.br

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S/A SÃO PAULO, 20 DE FEVEREIRO DE Resultados trimestrais 2005 Janeiro Dezembro

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S/A SÃO PAULO, 20 DE FEVEREIRO DE Resultados trimestrais 2005 Janeiro Dezembro TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S/A SÃO PAULO, 20 DE FEVEREIRO DE 2006 Resultados trimestrais 2005 Janeiro Dezembro TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S/A São Paulo, 20 de Fevereiro de 2006 Resultados trimestrais

Leia mais

DESTAQUES. Após tornar-se efetiva a operação, a EDF Internacional remanescerá com 10% das ações da Companhia.

DESTAQUES. Após tornar-se efetiva a operação, a EDF Internacional remanescerá com 10% das ações da Companhia. Rio de Janeiro, Brasil, 25 de Julho de 2006 - A LIGHT S.A. ( LIGT3 ), controladora das empresas do GRUPO LIGHT, anuncia seu resultado relativo ao 1 Semestre de 2006. A cotação do dólar em 30/06/2006 era

Leia mais

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE E DO ANO DE 2007

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE E DO ANO DE 2007 232 220 211 208 213 979 1.037 1.080 1.104 1.204 André Machado Mastrobuono Diretor Presidente, Financeiro e de Relações com Investidores Ricardo Antunes Agostini Diretor Executivo de Finanças Renata Pantoja

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ EMBRAER S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ EMBRAER S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Brasil Telecom S.A. Ex-Telecomunicações do Paraná S.A. - Telepar

Brasil Telecom S.A. Ex-Telecomunicações do Paraná S.A. - Telepar Brasil Telecom S.A. Ex-Telecomunicações do Paraná S.A. - Telepar Informações Relevantes ao Mercado 2 o Trimestre de 2000 Não Auditadas Brasília, 02 de agosto de 2000 CONTATOS BRASIL TELECOM PARTICIPAÇÕES

Leia mais

Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006

Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006 Confab Anuncia Resultados para o Segundo Trimestre de 2006 São Paulo, 03 de agosto de 2006. Confab Industrial S.A. (BOVESPA:CNFB4), uma empresa Tenaris, anunciou hoje os resultados correspondentes aos

Leia mais

PERMANENTE

PERMANENTE BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2009 E 2008 A T I V O 30.06.2009 30.06.2008 ATIVO CIRCULANTE 62.969 46.291 DISPONIBILIDADES 46 47 APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ 13.419 593 APLICAÇÕES EM

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ GUARARAPES CONFECÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

SOMOS Educação ER 1T17

SOMOS Educação ER 1T17 SOMOS Educação ER 1T17 1 São Paulo, 15 de maio de 2017 A SOMOS Educação S.A. (BM&FBOVESPA: SEDU3) divulga seus resultados do 1º trimestre de 2017 ( 1T17 ). Os comentários aqui incluídos referem-se aos

Leia mais

PRESS RELEASE 3º Trimestre de 2011

PRESS RELEASE 3º Trimestre de 2011 PRESS RELEASE 3º Trimestre de 2011 BOMBRIL DIVULGA RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTE DE 2011 A Bombril S/A (Bovespa: BOBR4), com 63 anos de atividade, atuando no segmento de indústria de higiene e limpeza,

Leia mais

Confab Anuncia Resultados para o Terceiro Trimestre de 2008

Confab Anuncia Resultados para o Terceiro Trimestre de 2008 Confab Anuncia Resultados para o Terceiro Trimestre de 2008 São Paulo, 30 de outubro de 2008. Confab Industrial S.A. (BOVESPA: CNFB4), uma empresa Tenaris, anunciou hoje os resultados correspondentes ao

Leia mais

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS

2º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS fg 2º TRIMESTRE DE 2016 Retomada do crescimento de vendas totais e mesmas lojas, aliada a ganho consistente de market share no mercado total a. A receita líquida totalizou R$4,3 bilhões no 2T16, com retomada

Leia mais

Data-Base - 30/06/ TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A /

Data-Base - 30/06/ TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A / SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 3/6/2 Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ EMBRAER EMPR BRAS. DE AERONAUTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ EMBRAER EMPR BRAS. DE AERONAUTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS ESTRUTURA PATRIMONIAL Patrimônio = Bens + Direitos ( ) Obrigações SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Ativo ( ) Passivo = Situação Líquida (Patrimônio Líquido) FLUXO DE RECURSOS ATIVO Aplicação dos Recursos

Leia mais

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo Balanço Patrimonial conteúdo - características aplicação de recursos - Ativo origem de recursos - Passivo estrutura geral estrutura do Ativo estrutura do Passivo Características Principal demonstrativo

Leia mais

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados:

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados: 1. Classifique os itens abaixo em: bens, direitos ou obrigações item bens direito obrigação Empréstimos a receber Dinheiro em caixa Dinheiro depositado no banco veículos biblioteca Salários a pagar estoques

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 1º Trimestre 2016 DFS/DEGC/DIRE/DIAN ABRIL/2016 RELATÓRIO DE INFORMAÇÕES GERENCIAS DATAPREV COMPARATIVO 1T2015 X 1T2016 Responsáveis pela elaboração da apresentação: Jorge Sebastião

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Alfredo Preto Neto Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos

Alfredo Preto Neto Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos Alfredo Preto Neto Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos Medindo Resultados Medir o desempenho da empresa é fundamental para o sucesso e a boa gestão. Não se trata apenas de uma boa prática gerencial,

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE. Análise de Resultados. CPFL Energia (Controladora)

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE. Análise de Resultados. CPFL Energia (Controladora) COMENTÁRIO DE DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE Análise de Resultados CPFL Energia (Controladora) Neste trimestre, o Lucro Líquido foi de R$ 229.334, sendo 20,3% (R$ 58.596) inferior ao mesmo trimestre

Leia mais

Conceito É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, a posição patrimonial e financeira

Conceito É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, a posição patrimonial e financeira Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial e Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Balanço Patrimonial Conceito É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente,

Leia mais

É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas Patrimoniais).

É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas Patrimoniais). Olá, meus amigos! Tudo bem? É com uma grande satisfação que apresentamos para vocês um Plano de Contas Atualizado para Provas de Contabilidade Geral (Contas Patrimoniais). O plano foi elaborado pelo nosso

Leia mais

1º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. Ganhos consistentes de market share e melhora na tendência de vendas

1º TRIMESTRE DE 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. Ganhos consistentes de market share e melhora na tendência de vendas \ Ganhos consistentes de market share e melhora na tendência de vendas A receita líquida totalizou R$4,7 bilhões no 1T16, com melhora sequencial nas vendas mesmas lojas durante o trimestre e ganho de market

Leia mais

Resume-se a seguir o desempenho econômico-financeiro da Companhia no primeiro trimestre de 2015 e 2014: Descrição 1T15 1T14 Variação %

Resume-se a seguir o desempenho econômico-financeiro da Companhia no primeiro trimestre de 2015 e 2014: Descrição 1T15 1T14 Variação % Resultados do 1º trimestre de 2015 São Paulo, 15 de maio de 2015 A Administração da Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A ( EDEVP ou Companhia ) apresenta os resultados do primeiro trimestre

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ ODONTOPREV S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Autometal registra um lucro líquido de R$156,2 milhões, aumento de 45,5% em relação aos 9M10. Margem líquida cresceu 3,9p.p nos 9M11 para 13,0%.

Autometal registra um lucro líquido de R$156,2 milhões, aumento de 45,5% em relação aos 9M10. Margem líquida cresceu 3,9p.p nos 9M11 para 13,0%. Autometal registra um lucro líquido de R$156,2 milhões, aumento de 45,5% em relação aos 9M10. Margem líquida cresceu 3,9p.p nos 9M11 para 13,0%. São Paulo, 27 de outubro de 2011 A Autometal S.A. [Bovespa:

Leia mais

8.000 ATIVO CIRCULANTE

8.000 ATIVO CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Ativo X0 X1 Receita de Vendas 8.000 ATIVO CIRCULANTE 500 2.150 (-) CPV -5.000 Caixa 100 1.000 Lucro Bruto 3.000 Bancos 200 100 (-) Despesas financeiras -1.500

Leia mais

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente?

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente? 1-Estruture o Balanço Patrimonial da Cia Alfa com os dados a seguir (em $ milhões - empresa comercial): (não há problema se sobrarem linhas...) Caixa 100; Ações de Outras Companhias 1.000; Fornecedores

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ VULCABRAS AZALEIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ VULCABRAS AZALEIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

Energisa Borborema - Distribuidora de Energia S/A Resultados do 1º semestre de 2015

Energisa Borborema - Distribuidora de Energia S/A Resultados do 1º semestre de 2015 Resultados do 1º semestre de 2015 Cataguases, 14 de agosto de 2015 A Administração da ( Energisa Borborema ou Companhia ) apresenta os resultados do segundo trimestre (2T15) e dos primeiros seis meses

Leia mais

ROSSI RESIDENCIAL S.A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.002

ROSSI RESIDENCIAL S.A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.002 ROSSI RESIDENCIAL S.A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.002 Estratégia e Performance Operacional: Durante o ano de 2001, a escassez de linhas de financiamentos e o

Leia mais

CDD: 657 AC:

CDD: 657 AC: Fonseca, Alan Sales da. F676c Contabilidade : revisão balanço patrimonial e DRE / Alan Sales da Fonseca. Varginha, 2015. 17 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide

Leia mais

R$ milhões Consolidado Consolidado Combinado 1T12 4T11 % 1T11 % Receita Líquida Móvel 5.105, ,4 (2,9) 4.671,1 9,3

R$ milhões Consolidado Consolidado Combinado 1T12 4T11 % 1T11 % Receita Líquida Móvel 5.105, ,4 (2,9) 4.671,1 9,3 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Receita Líquida Móvel 5.105,6 5.260,4 (2,9) 4.671,1 9,3 Receita de serviço móvel 4.924,2 5.097,4 (3,4) 4.367,2 12,8 Franquia e utilização 2.599,8 2.660,5 (2,3) 2.322,6 11,9

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ: Folha 59 BALANÇO PATRIMONIAL (Valores expressos em milhares de reais) ATIVO 2009 2008 PASSIVO 2009 2008 CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa 13 2.938 Empréstimos e financiamentos Banco 3.874 6.202 Fornecedores

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE DESO CNPJ. 13.018.171/000190 BALANÇO PATRIMONIAL EM R$. 1,00 A T I V O 31.12.2007 31.12.2006 ATIVO CIRCULANTE 138.417.550 134.143.301 Caixa e Bancos 1.286.238 3.838.555

Leia mais

Modelo de Plano de Contas Detalhado

Modelo de Plano de Contas Detalhado Modelo de Plano de Contas Detalhado Código da Conta Descrição da Conta 1. A T I V O 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.01 DISPONÍVEL 1.1.01.01 Caixa 1.1.01.02 Bancos c/ Movimento 1.1 01.03 Aplicações Financeiras

Leia mais

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE Introdução Enquadramento conforme as Novas Normas Contábeis IFRS. SOCIEDADES ANÔNIMAS DE CAPITAL ABERTO SOCIEDADES DE GRANDE PORTE

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA

Leia mais

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário Capítulo 16 DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO 16.1 Planejamento Orçamentário 16.1 Planejamento orçamentário 16.2 Elaboração de quadros orçamentários 16.3 Projeções de resultados Administração Financeira:

Leia mais

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A 9ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A 9ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A 9ª Emissão de Debêntures 1ª e 2ª Séries Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR

Leia mais

Diário Oficial. Índice do diário Outros. Prefeitura Municipal de Ribeira do Amparo. Outros - BALANÇO ANUAL Páginas:

Diário Oficial. Índice do diário Outros. Prefeitura Municipal de Ribeira do Amparo. Outros - BALANÇO ANUAL Páginas: Páginas: 48 Índice do diário Outros Outros - BALANÇO ANUAL 2015 Página 1 Outros Outros BALANÇO ANUAL 2015 - BA (Poder Executivo) DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial

Leia mais

Energisa Borborema - Distribuidora de Energia S/A Resultados do 1º trimestre de 2016

Energisa Borborema - Distribuidora de Energia S/A Resultados do 1º trimestre de 2016 Resultados do 1º trimestre de 2016 Cataguases, 13 de maio de 2016 A Administração da ( Energisa Borborema ou Companhia ) apresenta os resultados do primeiro trimestre (1T16). As informações financeiras

Leia mais

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 17

Contabilidade Avançada Prof. João Domiraci Paccez Exercício Nº 17 Exercício Nº 17 1 Elaboração do Balanço Patrimonial de em moeda de ATIVO Valores Históricos Valores ajustados Quant. de Valores na moeda de Ativo circulante 350.000 105.132,3249 416.324 Caixa 80.000 80.000

Leia mais

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos ::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: adsense1 AS RESPOSTAS ESTÃO DE VERMELHO. O BALANÇO PATRIMONIAL - EXERCÍCIOS 1) Aponte a alternativa em que não

Leia mais

Energisa Comercializadora de Energia Ltda. Resultados do 1º semestre de 2015

Energisa Comercializadora de Energia Ltda. Resultados do 1º semestre de 2015 Resultados do 1º semestre de 2015 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2015 A Administração da ( Energisa Comercializadora ou Companhia ) apresenta os resultados do segundo trimestre (2T15) e dos primeiros

Leia mais

Aula 07 Análise TCU III

Aula 07 Análise TCU III Sumário 1 TCRO Auditor CESPE 2013 - Questão 096 - Análise de Demonstrações Contábeis... 2 2 TCRO Auditor CESPE 2013 - Questão 097 - Análise de Demonstrações Contábeis... 2 3 TCU Analista (CESPE/ 2008)

Leia mais

Sumário. Capítulo Considerações Iniciais Exercícios Resolvidos para a Fixação de Conteúdo...19

Sumário. Capítulo Considerações Iniciais Exercícios Resolvidos para a Fixação de Conteúdo...19 Sumário Capítulo 1 A Elaboração das Demonstrações Contábeis...1 1.1. Considerações Iniciais...1 1.2. Exercícios Resolvidos para a Fixação de Conteúdo...19 Capítulo 2 As Demonstrações Contábeis e a Legislação

Leia mais

1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE

1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE 1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). C I A. E X E M P L O BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE Caixa 2.500 18.400 15.900 Clientes 15.600 13.400

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº /07

RESOLUÇÃO CFC Nº /07 RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.115/07 Aprova a NBC T 19.13 Escrituração Contábil Simplificada para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais

Leia mais

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34 Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade: Conceitos, Objeto, Objetivo, Finalidade e Campo de Aplicação...1 2. Usuários da Informação Contábil...2 3. Principais Tipos de Sociedades Existentes

Leia mais

Contabilidade Geral Prova 2 Gabarito 1 Questão 01 A questão solicita que o candidato indique a afirmativa incorreta, que é encontrada na alternativa c : No ativo, as contas serão dispostas em ordem crescente

Leia mais

MENDES JUNIOR ENGENHARIA S/A 8ª Emissão de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015

MENDES JUNIOR ENGENHARIA S/A 8ª Emissão de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 MENDES JUNIOR ENGENHARIA S/A 8ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE MENDES JUNIOR

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária

Administração Financeira e Orçamentária Administração Financeira e Orçamentária Professor Fábio Furtado www.acasadoconcurseiro.com.br Administração Financeira e Orçamentária BALANÇO PATRIMONIAL Segundo a Lei nº 4.320/64 O demonstrará: o Ativo

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1T16. Viver Anuncia os Resultados do Primeiro Trimestre de Destaques

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1T16. Viver Anuncia os Resultados do Primeiro Trimestre de Destaques DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1T16 Teleconferência de Resultados Segunda-feira, 16 de maio de 2016 Português - com tradução simultânea para o inglês 10h00 (horário de Brasília) 09h00 (horário de Nova York)

Leia mais

FÓMULAS DE LANÇAMENTOS

FÓMULAS DE LANÇAMENTOS LANÇAMENTO CONTÁBIL Denominação que se dá ao registro de um fato contábil. Para o lançamento utilizaremos o método das partidas dobradas. O princípio fundamental desse método é o de que não há devedor

Leia mais

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo.

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. a. Máquina adquirida por $18.000, com vida útil estimada de 15 anos e valor residual $3.000. b. Veículo adquirido por $30.000, com vida

Leia mais

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras NOTAS EXPLICATIVAS DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) 1 - CONTEXTO OPERACIONAL Bicicletas Monark S.A. ( Companhia ) tem por objetivo a industrialização

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14 ATIVO Exercício Atual PASSIVO Exercício Atual ATIVO CIRCULANTE 652.201,35 PASSIVO CIRCULANTE 236.288,68 Caixa e Equivalentes de Caixa 652.201,35 Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais

Leia mais

ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015

ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures Série Única Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE

Leia mais

Plano de Contas Referencial Imunes e Isentas até 2014

Plano de Contas Referencial Imunes e Isentas até 2014 Plano de Contas Referencial Imunes e Isentas até 2014 CÓDIGO DESCRIÇÃO DT_INI DT_FIM TIPO CONTA SUPERIOR NÍVEL NATUREZA 1 ATIVO 01012014 S 1 01 1.01 ATIVO CIRCULANTE 01012014 S 1 2 01 1.01.01 DISPONIBILIDADES

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 2T06

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 2T06 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 2T06 Americana SP, 27 de julho de 2006 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

CNPJ /

CNPJ / 1 CNPJ 07.522.669/0001-92 Demonstrações Contábeis Regulatórias dos Exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Conteúdo Balanço Patrimonial Regulatório 3 Demonstração do Resultado Regulatória 5

Leia mais

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social.

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social. Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Professor: Roberto César Balanço Patrimonial ATIVO Circulante Compreende contas que estão constantemente em giro - em movimento, sua conversão em dinheiro

Leia mais

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários. 65ª Série

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários. 65ª Série ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários 65ª Série Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA INSTITUIÇÃO

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR)

DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR) 1 de 8 31/01/2015 14:50 DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR) Até 31.12.2007, a Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR) era obrigatória para as companhias abertas e

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ CIELO S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ CIELO S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli USP/FEA/EAC Curso de Graduação em Administração Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli 1 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ JBS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2. Balanço Patrimonial Passivo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ JBS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2. Balanço Patrimonial Passivo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ ROSSI RESIDENCIAL SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ ROSSI RESIDENCIAL SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BRF - BRASIL FOODS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BRF - BRASIL FOODS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais