Métodos Quantitativos Aplicados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Métodos Quantitativos Aplicados"

Transcrição

1 Métodos Quantitativos Aplicados Mestrados Economia e Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação, Economia e Políticas Públicas, Economia Internacional e Estudos Europeus Aula 1 Docente: Vítor Escária

2 Tópicos da apresentação Objectivos da disciplina Programa Avaliação Bibliografia

3 Objectivos da disciplina Apresentar problemas que se colocam quando se pretende fazer trabalho empírico... Técnicas de análise de dados Ajudar a resolver problemas

4 Programa da disciplina a. Introdução: Trabalho Empírico b. Fontes de informação típicas para análise. c. Softwares de tratamento estatístico d. Análise univariada e. Métodos multivariados

5 Avaliação realização de um trabalho; prova escrita individual. Nos casos em que a nota do trabalho for superior à da prova escrita, a classificação final é calculada: trabalho - 50% prova escrita individual - 50% Nos casos em que os alunos não realizem o trabalho ou em que a classificação do trabalho seja inferior à da prova escrita individual, a classificação final corresponderá à classificação da prova escrita individual

6 Bibliografia Maroco, João (2011) ANÁLISE ESTATÍSTICA Com SPSS Statistics. Lisboa. Pestana, M. H. e Gageiro, J. (2005) Análise de Dados para Ciências Sociais - A complementaridade do SPSS Edições Sílabo, 4ª edição, Lisboa. Johnson, R. A. and D. W. Wichern (2002), Applied multivariate statistical analysis, 5th ed., Prentice-Hall Wooldridge, Jeffrey, (2013) Introductory Econometrics: a modern approach. 5th edition. South-Western, Cengage,

7 Tópicos Trabalho empírico Obtenção/ preparação dos dados Tipos de dados e técnicas de tratamento

8 Trabalho Empírico Definição de objecto de interesse do modelo teórico, da literatura... Definição de hipóteses a testar a tese Obtenção e preparação de dados Recolha e sistematização de dados Instrumentos e métodos de medida Teste das hipóteses confirmação - Modelação e análise de dados análises univariadas, bivariadas, multivariadas Apresentação dos resultados

9 Obtenção/preparação dos dados Informação secundária - produzida por entidades do Sistema Estatístico/ outras entidades Informação primária - recolha directa Inquéritos Estudos de caso

10 Obtenção dos dados Fontes de informação estatística secundária mais comuns Entidades sistema Estatístico Nacionais: INE, Banco de Portugal, DGEEP, DGO, etc... Internacionais Eurostat, OCDE, Comissão Europeia, Nações Unidas, Banco Mundial, FMI, etc... Outras fontes Datastream, Bloomberg, Reuters, Dun & Bradstreet

11 Obtenção dos dados Dados de fontes estatísticas Alguns cuidados a ter: metainformação nomenclaturas objectivos do estudo e os dados a utilizar - exemplos Fontes diferentes para a mesma variável Valores originais vs valores normalizados Comparações internacionais Quebras de séries

12 Obtenção dos dados Recolha directa/inquéritos Alguns cuidados a ter: selecção da população a inquirir e da amostra metodologia de inquirição realização de um teste ao inquérito e de uma simulação de apuramentos tipos de questões: abertas vs fechadas codificação de respostas questões fechadas: escalas de medida custos monetários e em termos de tempo da realização

13 Modelação e análise de dados Tipos de dados quantitativos vs qualitativos quantitativos: têm na sua essência, expressão numérica qualitativos: não têm, na sua essência, natureza numérica discretos vs contínuos discretos: apenas assume certos valores - não se encontra definida em todo o intervalo contínuos podem teoricamente assumir todos os valores reais num intervalo

14 Modelação e análise de dados Tipos de dados Quanto ao perfil de observação das unidades e dimensão temporal Temporais Seccionais Painel Quanto ao tipo de unidade estatística observada Microdados Agregados

15 Modelação e análise de dados: Tipos de análises Análises de estática análise da situação num período e/ou comparação entre diferentes unidades estatísticas Análises de estática comparada comparação da situação em diferentes períodos e/ou em diferentes unidades estatísticas Análises de dinâmica dados agregados acompanhamento de trajectórias com microdados

16 Modelação e análise de dados Escalas de medição e análise Tipo de variável Propriedades Exemplos Qualitativos Quantitativos Escala nominal Classificação Sexo Sect. Actividade Localização Escala ordinal Escala de intervalos Escala de rácio ou razão Classificação Ordenação Classificação Ordenação Distância Classificação Ordenação Distância Proporcionalidade Niv. Qualificação Grau de importância Idade Remuneração Antiguidade

17 Modelação e análise de dados Classificação dos Métodos de Análise Uma variável: métodos univariados análise exploratória descrição do comportamento da variável Mais de uma variável: métodos multivariados

18 Modelação e análise de dados Classificação dos Métodos de Análise Multivariados A respostas às questões: Com base em alguma teoria as variáveis podem ser divididas em variáveis dependentes ou independentes? Quantas variáveis dependentes? Qual o tipo de dados associados às variáveis dependentes e independentes?

19 Modelação e análise de dados Classificação dos Métodos de Análise Multivariados Métodos multivariados Relações de dependência Relações de interdependência Varias relações de dependência Variáveis quantitativas Uma variável dependente Variáveis qualitativas Variáveis quantitativas Variáveis qualitativas Estimação de sistemas de equações Estimação de equações Modelos probabilisticos Análise Discriminante Análise Factorial Análise Clusters Análise de correspondências

20 APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS Elaboração de relatórios/ Teses Elaboração de apresentações

21 APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS RELATÓRIOS Conteúdo A quem é dirigido Conclusões válidas Demonstrar trabalho realizado Facilitar compreensão Apresentação Estilo Que forma utilizar para transmitir a informação: narrativa, quadros, gráficos Estrutura: capítulos, secções; índices; apêndices, bibliografia Introdução/conclusão.

22 APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS Apresentações Conteúdo A quem é dirigido Que mensagens transmitir Que informação incluir Conclusão Apresentação Slides simples A morte por slides

Seminário de Investigação

Seminário de Investigação Seminário de Investigação Tema C: Bases de Dados Quantitativas e utilização de Software Estatístico. Questões éticas da utilização da informação na elaboração do TFM Vítor Escária (+ Paulo Madruga e Carlos

Leia mais

MESTRADO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO EM TURISMO PROGRAMA COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR E PROCURA TURÍSTICA

MESTRADO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO EM TURISMO PROGRAMA COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR E PROCURA TURÍSTICA MESTRADO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO EM TURISMO PROGRAMA COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR E PROCURA TURÍSTICA 2005/2006 1 Mestrado: Gestão e Desenvolvimento em Turismo Carga Horária: 24 horas teórico-práticas

Leia mais

Módulo A Aspectos gerais de Metodologia de Investigação

Módulo A Aspectos gerais de Metodologia de Investigação Métodos e Técnicas de Investigação (MTI) UC Obrigatória, 1º semestre Prof. Doutor José António Pereirinha (pereirin@iseg.utl.pt) Profª Doutora Ilona Kovacs (ilona@iseg.utl.pt) Prof. Doutor Carlos Farinha

Leia mais

Plano Estudos. ECN7093 Investimentos Internacionais Economia 7.5 Semestral 193

Plano Estudos. ECN7093 Investimentos Internacionais Economia 7.5 Semestral 193 Plano Estudos Escola: Instituto de Investigação e Formação Avançada Grau: Programa de Doutoramento Curso: Gestão (cód. 98) Especialidade Finanças 1. o Ano - 1. o Semestre Especialidade Finanças GES7967

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular ESTATÍSTICA

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ANÁLISE E TRATAMENTO DE DADOS Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ANÁLISE E TRATAMENTO DE DADOS Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular ANÁLISE E TRATAMENTO DE DADOS Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Análise da Informação Económica e Empresarial

Análise da Informação Económica e Empresarial Análise da Informação Económica e Empresarial Aula 5: Tratamento de informação quantitativa Noções básicas: Unidade estatística, População, Variável; distribuição. Redução de dados: Tabela de frequências.

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ANÁLISE DE DADOS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ANÁLISE DE DADOS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular ANÁLISE DE DADOS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão de Empresa 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Capítulo 1 Conceitos de Marketing e Marketing Research

Capítulo 1 Conceitos de Marketing e Marketing Research Índice Prefácio 21 Introdução 25 PARTE I Capítulo 1 Conceitos de Marketing e Marketing Research 1. Evolução do Marketing 33 2. Evolução do conceito de Marketing 35 3. Modelo do sistema de Marketing 38

Leia mais

Métodos Quantitativos Aplicados

Métodos Quantitativos Aplicados Métodos Quantitativos Aplicados Aula 6 http://www.iseg.utl.pt/~vescaria/mqa/ Tópicos apresentação Análise de dados bivariada: os casos dos testes de proporções para duas amostras independentes e emparelhadas

Leia mais

INE 6006 MÉTODOS ESTATÍSTICOS

INE 6006 MÉTODOS ESTATÍSTICOS INE 6006 MÉTODOS ESTATÍSTICOS Professor Marcelo Menezes Reis http://www.inf.ufsc.br/~marcelo/ Disciplinas em 2016.1 (Métodos Estatísticos) marcelo.menezes.reis@ufsc.br menreis1968@gmail.com Sala INE 510-37217556

Leia mais

ANÁLISE CRÍTICA, ESCRITA E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO 4 e 11 Junho - 9h às 16h

ANÁLISE CRÍTICA, ESCRITA E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO 4 e 11 Junho - 9h às 16h CONSTRUÇÃO ONLINE DE QUESTIONÁRIOS 21 e 28 Maio - 9h às 16h ANÁLISE CRÍTICA, ESCRITA E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO 4 e 11 Junho - 9h às 16h A ESCRITA DA ESCRITA CIENTÍFICA 18 e 25 Junho -

Leia mais

QUESTIONÁRIO: ADAPTAÇÃO, CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO 9 Julho - 9h às 13h e 14h às 18h

QUESTIONÁRIO: ADAPTAÇÃO, CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO 9 Julho - 9h às 13h e 14h às 18h INICIAÇÃO AO SPSS 9, 16 e 23 Abril - 9h às 12h e 13h às 16h INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS QUALITATIVOS 30 Abril - 9h às 13h e 14h às 18h ANÁLISE DE DADOS MULTIVARIADA 7 e 14 Maio - 9h às 13h e 14h às 18h CONSTRUÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS QUANTITATIVOS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS QUANTITATIVOS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular MÉTODOS QUANTITATIVOS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular MÉTODOS

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia L 97/3

Jornal Oficial da União Europeia L 97/3 12.4.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 97/3 REGULAMENTO (UE) N. o 349/2011 DA COMISSÃO de 11 de Abril de 2011 de aplicação do Regulamento (CE) n. o 1338/2008 do Parlamento Europeu e do Conselho relativo

Leia mais

Métodos Quantitativos Aplicados

Métodos Quantitativos Aplicados Métodos Quantitativos Aplicados Aula 7 http://www.iseg.utl.pt/~vescaria/mqa/ Tópicos apresentação Relações de interdependência entre variáveis quantitativas: A Análise Factorial Análise Factorial: técnica

Leia mais

ISCTE-IUL Licenciatura em Economia Econometria 1 2º Ano, 2º Semestre 2010/2011

ISCTE-IUL Licenciatura em Economia Econometria 1 2º Ano, 2º Semestre 2010/2011 ISCTE-IUL Licenciatura em Economia Econometria 1 2º Ano, 2º Semestre 2010/2011 Docente: Luis Filipe Martins luis.martins@iscte.pt http://iscte.pt/~lfsm Gab.: B706; Tel.: 217903439; Ext.: 777061; Cacifo:

Leia mais

Departamento de Estatística

Departamento de Estatística Laboratório de Ciências - Aula 3 Departamento de Estatística 7 de Janeiro de 2014 Introdução Suponha que dispomos de um conjunto de dados, por exemplo, número de gols (ou número de impedimentos, chutes

Leia mais

Prof. Doutor Luis Miguel da Mata Artur Dias Pacheco (Regente)

Prof. Doutor Luis Miguel da Mata Artur Dias Pacheco (Regente) Ficha da Unidade Curricular 2013/2014 IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Designação: Economia Monetária e Financeira Última alteração: 2013-09-01 15:24:00 ECTS: 5 Língua de lecionação: Português Licenciatura

Leia mais

ÍNDICE Janelas Menus Barras de ferramentas Barra de estado Caixas de diálogo

ÍNDICE Janelas Menus Barras de ferramentas Barra de estado Caixas de diálogo XXXXXXXX ÍNDICE INTRODUÇÃO 15 1. VISÃO GERAL DO SPSS PARA WINDOWS 17 1.1. Janelas 17 1.2. Menus 20 1.3. Barras de ferramentas 21 1.4. Barra de estado 21 1.5. Caixas de diálogo 22 2. OPERAÇÕES BÁSICAS 23

Leia mais

English version at the end of this document

English version at the end of this document English version at the end of this document Ano Letivo 2016-17 Unidade Curricular ESTATÍSTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS Cursos GESTÃO DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA Unidade Orgânica Escola Superior de Gestão,

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO Área Científica Matemática Teóricas Curso Eng. Electrotécnica ECTS 5 Teóricopráticas Distribuição das horas de contacto Trabalho Práticas e de Seminário Estágio Laboratoriais campo Orientação tutória Outras

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular ESTATÍSTICA (20309)

Leia mais

18/08/2009 TÁ NA MÉDIA! FILIPE S. MARTINS

18/08/2009 TÁ NA MÉDIA! FILIPE S. MARTINS ESTATÍSTICA BÁSICA AULA 02 TÁ NA MÉDIA! FILIPE S. MARTINS ESTATÍSTICA - ROTEIRO MÉTODO PERIMENTAL FASES DO MÉTODO PLANEJAMENTO E COLETA DE DADOS CRÍTICA E APURAÇÃO DOS DADOS POSIÇÃO E ANÁLISE DOS DADOS

Leia mais

I Introdução. 2. Colecção de dados. Amostras 3. Variáveis estatísticas. Tratamento de Dados 2º Semestre

I Introdução. 2. Colecção de dados. Amostras 3. Variáveis estatísticas. Tratamento de Dados 2º Semestre I Introdução 2. Colecção de dados. Amostras 3. Variáveis estatísticas Objectivo Transformar Dados em Informação Definições Universo ou população Conjunto de elementos com uma característica comum susceptível

Leia mais

MORBILIDADE POR HIV/SIDA (casos notificados/diagnosticados) Operação Estatística: Código: 447. Versão: 1.0

MORBILIDADE POR HIV/SIDA (casos notificados/diagnosticados) Operação Estatística: Código: 447. Versão: 1.0 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS SOCIAIS Operação Estatística: MORBILIDADE POR HIV/SIDA (casos notificados/diagnosticados) Código: 447 Versão: 1.0 Maio de 2006 1 DOCUMENTO

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular 2011/2012

Ficha da Unidade Curricular 2011/2012 1 de 5 09-09-2011 16:17 Ficha da Unidade Curricular 2011/2012 IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Designação: Economia Monetária e Financeira Última alteração: 2011-09-02 09:47:00 ECTS: 5 Língua de leccionação:

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular LANÇAMENTO DE NOVOS PRODUTOS Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular LANÇAMENTO DE NOVOS PRODUTOS Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular LANÇAMENTO DE NOVOS PRODUTOS Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Marketing e Publicidade 3. Ciclo de Estudos 1º

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular FINANÇAS

Leia mais

Filho, não é um bicho: chama-se Estatística!

Filho, não é um bicho: chama-se Estatística! Paulo Jorge Silveira Ferreira Filho, não é um bicho: chama-se Estatística! Estatística aplicada uma abordagem prática FICHA TÉCNICA EDIÇÃO: Paulo Ferreira TÍTULO: Filho, não é um bicho: chama-se Estatística!

Leia mais

Acção Local de Estatística Aplicada

Acção Local de Estatística Aplicada Acção Local de Estatística Aplicada Parceria Propósito Disponibilizar instrumentos para apoio ao ensino e à aprendizagem da Estatística, em acesso livre! Como? (Edutainment) Entretenimento Estatística

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA ANEXO PROGRAMAS DOS CURSOS CURTA DURAÇÃO EM ANÁLISE DE DADOS COM SPSS

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA ANEXO PROGRAMAS DOS CURSOS CURTA DURAÇÃO EM ANÁLISE DE DADOS COM SPSS ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA ANEXO PROGRAMAS DOS CURSOS CURTA DURAÇÃO EM ANÁLISE DE DADOS COM SPSS ANÁLISE DE DADOS COM SPSS NÍVEL I - INTRODUTÓRIO OBJETIVOS Dotar os formandos de competências que permitam

Leia mais

PERFIL DOS AUTORES... XVII PREFÁCIO... XIX INTRODUÇÃO... XXI

PERFIL DOS AUTORES... XVII PREFÁCIO... XIX INTRODUÇÃO... XXI Sumário PERFIL DOS AUTORES... XVII PREFÁCIO... XIX INTRODUÇÃO... XXI CAPÍTULO 1 O processo de pesquisa e os enfoques quantitativo e qualitativo rumo a um modelo integral... 2 Que enfoques foram apresentados

Leia mais

ESTATÍSTICA. Objectivo: recolha, compilação, análise e interpretação de dados. ESTATÍSTICA DESCRITIVA INFERÊNCIA ESTATÍSTICA

ESTATÍSTICA. Objectivo: recolha, compilação, análise e interpretação de dados. ESTATÍSTICA DESCRITIVA INFERÊNCIA ESTATÍSTICA 1 ESTATÍSTICA Objectivo: recolha, compilação, análise e interpretação de dados. ESTATÍSTICA DESCRITIVA INFERÊNCIA ESTATÍSTICA Estatística descritiva : o objectivo é sintetizar e representar de uma forma

Leia mais

Estatística I Aula 2. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística I Aula 2. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística I Aula 2 Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Análise Exploratória de Dados Consiste em resumir e organizar os dados coletados Utiliza-se tabelas, gráficos ou medidas numéricas para resumir

Leia mais

Jorge Caiado CEMAPRE/ISEG, Universidade Técnica de Lisboa Web:

Jorge Caiado CEMAPRE/ISEG, Universidade Técnica de Lisboa   Web: CEMAPRE/ISEG, Universidade Técnica de Lisboa Email: jcaiado@iseg.utl.pt Web: http://pascal.iseg.utl.pt/~jcaiado/ 1 Uma série temporal (time series) consiste num conjunto de observações de uma variável,

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentuou tendência crescente

Valor médio de avaliação bancária acentuou tendência crescente Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 Set-15 Out-15 Nov-15 Dez-15 Inquérito à Avaliação Bancária na Dezembro de 2015 25 de janeiro de 2016 Valor médio de avaliação bancária acentuou

Leia mais

Introdução Capítulo 1: Um Olhar sobre as Funcionalidades e Interface do Microsoft Excel

Introdução Capítulo 1: Um Olhar sobre as Funcionalidades e Interface do Microsoft Excel Introdução... 25 1. Que Usos para o Microsoft Excel?...25 2. Funcionalidades Disponibilizadas pelo Microsoft Excel...25 3. Tabelas e Gráficos Dinâmicos: As Ferramentas de Análise de Dados Desconhecidas...26

Leia mais

ÍNDICE GERAL AGRADECIMENTOS RESUMO ABSTRACT SIMBOLOGIA 1. - INTRODUÇÃO 2. - DEFINIÇÃO DO PROBLEMA

ÍNDICE GERAL AGRADECIMENTOS RESUMO ABSTRACT SIMBOLOGIA 1. - INTRODUÇÃO 2. - DEFINIÇÃO DO PROBLEMA ÍNDICE GERAL AGRADECIMENTOS RESUMO ABSTRACT SIMBOLOGIA 1. - INTRODUÇÃO 2. - DEFINIÇÃO DO PROBLEMA 3. - SISTEMATIZAÇÃO DE CONCEITOS E REVISÃO DA LITERATURA 3.1 - INTERPOLAÇÃO ESPACIAL DE INFORMAÇÃO ASSOCIADA

Leia mais

Data: (revisto em: Abril de 2010)

Data: (revisto em: Abril de 2010) DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS ECONÓMICAS Serviço de Estatísticas Agrícolas e do Ambiente Operação Estatística: Inquérito à Venda de Árvores de Fruto e Oliveiras Código: 11 Versão: 1.1 Código SIGINE: 656

Leia mais

Estatística. 1. Resumo descritivo 1.1. Elementos básicos. Ficha Curricular de Estatística I Ano Lectivo 2008/2009

Estatística. 1. Resumo descritivo 1.1. Elementos básicos. Ficha Curricular de Estatística I Ano Lectivo 2008/2009 1 Estatística I 1. Resumo descritivo 1.1. Elementos básicos Unidade Curricular Estatística I Área Científica Ano / Semestre ECTS Horas de Contacto Professores responsáveis: 1.2. Síntese descritiva Estatística

Leia mais

CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS

CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS ANEXOS INTRODUÇÃO ANEXO 1 TABELA I Fator para estimar o desvio padrão ANEXO 2 TABELA II Valores padronizados para distribuição normal ANEXO 3 TABELA III Distribuição de

Leia mais

RECOLHA, TRATAMENTO E

RECOLHA, TRATAMENTO E RECOLHA, TRATAMENTO E APRESENTAÇÃO DE DADOS: elementos chave Carla Patrocínio Núcleo de Estatística e Prospectiva INTRODUÇÃO À TEMÁTICA apenas discutir alguns aspetos essenciais sobre recolha e apresentação

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Informática 3. Ciclo de Estudos 1º

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Contabilidade Analítica

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Contabilidade Analítica INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 23/10/2013 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 26/2/2014 Ficha de Unidade

Leia mais

Nov/2016. José Roberto Motta Garcia

Nov/2016. José Roberto Motta Garcia José Roberto Motta Garcia garcia.cptec@gmail.com Fases da análise de dados Tratamento de dados Resumo estatístico dos dados - comandos Resumo estatístico dos dados - resultados Agrupamento pela soma (via

Leia mais

Uma Leitura Quantitativa do Sistema Educativo

Uma Leitura Quantitativa do Sistema Educativo Uma Leitura Quantitativa do Sistema Educativo M.ª Emília São Pedro M.ª Fátima Santos M.ª Rosário Baptista Paula Correia NOTAS BIOGRÁFICAS MARIA EMÍLIA SÃO PEDRO. Licenciada em Economia pelo Instituto Superior

Leia mais

MATEMÁTICA ÁLGEBRA LINEAR. 5ª Edição MATRIZES E DETERMINANTES. Vol. 1 EXERCÍCIOS. Colecção Matemática EDIÇÕES SÍLABO MANUEL ALBERTO M.

MATEMÁTICA ÁLGEBRA LINEAR. 5ª Edição MATRIZES E DETERMINANTES. Vol. 1 EXERCÍCIOS. Colecção Matemática EDIÇÕES SÍLABO MANUEL ALBERTO M. MATEMÁTICA ÁLGEBRA LINEAR MATRIZES E DETERMINANTES Vol. EXERCÍCIOS MANUEL ALBERTO M. FERREIRA ª Edição Colecção Matemática EDIÇÕES SÍLABO COLEÇÃO MATEMÁTICA COLEÇÃO MATEMÁTICA INTEGRAIS MÚLTIPLOS E EQUAÇÕES

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS SOCIAIS PARTOS. Código: 331. Versão: 1.0

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS SOCIAIS PARTOS. Código: 331. Versão: 1.0 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS SOCIAIS PARTOS Código: 331 Versão: 1.0 Jan. 2006 1 INTRODUÇÃO O Instituto Nacional de Estatística (INE) obtém e divulga anualmente informação

Leia mais

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS DADOS ESTATÍSTICOS A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas I. DADOS NACIONAIS 1. POPULAÇÃO 1.1 População Residente por Sexo e Grupo Etário: Censos 1 1.2 População Residente - Estimativas 1 2.

Leia mais

AULAS 14 E 15 Modelo de regressão simples

AULAS 14 E 15 Modelo de regressão simples 1 AULAS 14 E 15 Modelo de regressão simples Ernesto F. L. Amaral 18 e 23 de outubro de 2012 Avaliação de Políticas Públicas (DCP 046) Fonte: Wooldridge, Jeffrey M. Introdução à econometria: uma abordagem

Leia mais

Paulo Jorge Silveira Ferreira. Princípios de Econometria

Paulo Jorge Silveira Ferreira. Princípios de Econometria Paulo Jorge Silveira Ferreira Princípios de Econometria FICHA TÉCNICA TÍTULO: Princípios de Econometria AUTOR: Paulo Ferreira ISBN: 978-84-9916-654-4 DEPÓSITO LEGAL: M-15833-2010 IDIOMA: Português EDITOR:

Leia mais

PROJECT O é melhor que a tua?

PROJECT O é melhor que a tua? Oficina de Formação à Distância Para o Ensino da Estatística PROJECT A minha O freguesia é melhor que a tua? Formanda Eugénia Pais 29 de Junho de 2007 Memória descritiva As orientações curriculares para

Leia mais

Métodos Estatísticos Básicos

Métodos Estatísticos Básicos Aula 1 - Conceitos introdutórios Departamento de Economia Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Março de 2014 Importância da estatística na economia A economia, em geral, é uma ciência não-experimental.

Leia mais

METODOLOGIA 1 ÂMBITO DO INQUÉRITO

METODOLOGIA 1 ÂMBITO DO INQUÉRITO METODOLOGIA 1 ÂMBITO DO INQUÉRITO O Inquérito à Ocupação do Tempo (IOT) abrange o território do Continente e das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, tendo-se estabelecido que os resultados deveriam

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. MATEMÁTICA 7º Ano

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. MATEMÁTICA 7º Ano PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR MATEMÁTICA 7º Ano OBJETIVOS ESPECÍFICOS TÓPICOS SUBTÓPICOS METAS DE APRENDIZAGEM 1º Período - Multiplicar e dividir números inteiros. - Calcular o valor de potências em que

Leia mais

Introdução e Generalidades. Júlio Osório

Introdução e Generalidades. Júlio Osório e Generalidades Júlio Osório 1 1. Definir Estatística. Objectivos 2. Descrever as utilizações da Estatística. 3. Caracterizar Estatística Descritiva e Estatística Inferencial. 4. Definir população, amostra,

Leia mais

Sumário. Parte I. Introdução à Pesquisa em Administração 1. 1 Pesquisa em Administração 2. 3 Pensando como um Pesquisador 50

Sumário. Parte I. Introdução à Pesquisa em Administração 1. 1 Pesquisa em Administração 2. 3 Pensando como um Pesquisador 50 Parte I Introdução à Pesquisa em Administração 1 1 Pesquisa em Administração 2 Por que estudar pesquisa em administração? 4 Informações e vantagem competitiva 8 Metas 8 Apoio à decisão 9 Inteligência de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I Departamento de Estatística Tarciana Liberal CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE ESTATÍSTICA O que a Estatística significa para você? Pesquisas

Leia mais

Identificação das necessidades dos utilizadores 2007

Identificação das necessidades dos utilizadores 2007 Nota prévia: Este documento corresponde a um trabalho de grupo apresentado na Unidade Curricular Desenvolvimento e Gestão de Colecções do Curso de Mestrado em Gestão da Informação e Biblioteca Escolares.

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição

Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição 25 de novembro de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Outubro de 2014 Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País diminuiu 1,5%

Leia mais

O inquérito por entrevista

O inquérito por entrevista O inquérito por entrevista Entrevista Técnica de investigação que permite recolher informações, dados, utilizando a comunicação verbal. A entrevista é uma conversa com um objectivo (Bingham & Moore, 1924)

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular BIOMECÂNICA I Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular BIOMECÂNICA I Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular BIOMECÂNICA I Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular BIOMECÂNICA

Leia mais

Métodos de Amostragem. Carla Varão Cláudia Batista Vânia Martinho

Métodos de Amostragem. Carla Varão Cláudia Batista Vânia Martinho Métodos de Amostragem Carla Varão Cláudia Batista Vânia Martinho Objecto de interesse Objectivos finais da pesquisa Esquema Geral da Investigação Empírica Objecto teórico Enquadramento teórico Fases do

Leia mais

Amostragem. Cuidados a ter na amostragem Tipos de amostragem Distribuições de amostragem

Amostragem. Cuidados a ter na amostragem Tipos de amostragem Distribuições de amostragem Amostragem Cuidados a ter na amostragem Tipos de amostragem Distribuições de amostragem 1 Muito Importante!! Em relação às amostras, deve assegurar-se a sua representatividade relativamente à população

Leia mais

Cadeira de Tecnologias de Informação. Apresentação

Cadeira de Tecnologias de Informação. Apresentação Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2009/2010 Apresentação Equipa docente Objectivos Programa Bibliografia Regras de avaliação TI 2009/2010-1 Equipa Docente Prof. Ana Lucas (Responsável) Prof.

Leia mais

Prof. Anderson Rodrigo da Silva.

Prof. Anderson Rodrigo da Silva. Prof. Anderson Rodrigo da Silva anderson.silva@ifgoiano.edu.br Sobre Estatística Conjunto de conceitos e métodos. Ciência que recolhe fatos e fenômenos, analisa-os e interpreta-os quanto ao número de frequência,

Leia mais

RESERVA ESPECIAL DE MAPUTO

RESERVA ESPECIAL DE MAPUTO RESERVA ESPECIAL DE MAPUTO 1 Estrutura do trabalho Capítulo 1- Introdução Capítulo 2- Revisão da literatura Capítulo 3- Metodologia Capítulo 4- Caraterização da área de estudo Capítulo 5- Análise e discussão

Leia mais

Descoberta de Conhecimento em Bases de Dados. Pesquisa de Clusters

Descoberta de Conhecimento em Bases de Dados. Pesquisa de Clusters Universidade Técnica de Lisboa INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO Informática e Sistemas de Informação Aplicados em Economia Descoberta de Conhecimento em Bases de Dados. Pesquisa de Clusters Descoberta

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação PLANO DE ENSINO (2015)

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação PLANO DE ENSINO (2015) Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação PLANO DE ENSINO (2015) I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA ESTATÍSTICA APLICADA CARGA HORÁRIA 46 CURSO

Leia mais

DISCIPLINA: EPIDEMIOLOGIA E BIOESTATÍSTICA LICENCIATURA: ENFERMAGEM; FISIOTERAPIA

DISCIPLINA: EPIDEMIOLOGIA E BIOESTATÍSTICA LICENCIATURA: ENFERMAGEM; FISIOTERAPIA Aula nº 1 Data: 3 de Outubro de 2002 1. INTRODUÇÃO: POPULAÇÕES, AMOSTRAS, VARIÁVEIS E OBSERVAÇÕES Conceito de Bioestatística e importância da disciplina no âmbito da investigação biológica. Limitações

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Psicologia Clínica 3. Ciclo

Leia mais

Construção da base de dados

Construção da base de dados Construção da base de dados Exemplos de Inquéritos O instrumento de notação Codificação e dicionário das variáveis Data view e variable view Introdução de dados Dicionário de Dados Para cada questão

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TÓPICOS AVANÇADOS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TÓPICOS AVANÇADOS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular TÓPICOS AVANÇADOS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão de Recursos

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO Economia Internacional I

UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO Economia Internacional I UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO Economia Internacional I Enquadramento: A disciplina de Economia Internacional I está planeada como obrigatória na Licenciatura em Economia e na

Leia mais

Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem. Prof. Alejandro Martins

Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem. Prof. Alejandro Martins Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem Prof. Alejandro Martins DELINEAMENTO DA PESQUISA Conceituação Refere-se ao planejamento da pesquisa em sua dimensão mais ampla O elemento mais importante para

Leia mais

APONTAMENTOS DE SPSS

APONTAMENTOS DE SPSS Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar APONTAMENTOS DE SPSS Rui Magalhães 2010-1 - - 2 - Menu DATA Opção SPLIT FILE Permite dividir, de uma forma virtual, o ficheiro em diferentes ficheiros com

Leia mais

Nº de aulas de 45 minutos previstas 66. 1º Período. 1- Isometrias Nº de aulas de 45 minutos previstas 18

Nº de aulas de 45 minutos previstas 66. 1º Período. 1- Isometrias Nº de aulas de 45 minutos previstas 18 Escola Secundária de Lousada Planificação anual disciplina de Matemática Ano: 8º Ano lectivo: 01-013 CALENDARIZAÇÃO Nº de aulas de 5 minutos previstas 1 1º Período º Período 3º Período 9 7 DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária Semanal Mensal Nome da Disciplina

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária Semanal Mensal Nome da Disciplina e Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária 02004 7 04 Semanal Mensal 04 60 Nome da Disciplina TÓPICOS EM MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS À ECONOMIA Curso CIÊNCIAS ECONÔMICAS Inferência estatística.

Leia mais

ESTATÍSTICA I. Programa, Bibliografia e Avaliação. 1º / 2º Semestre Regente: José Adelino Afonso

ESTATÍSTICA I. Programa, Bibliografia e Avaliação. 1º / 2º Semestre Regente: José Adelino Afonso LICENCIATURAS EM ECONOMIA E GESTÃO ESTATÍSTICA I Programa, Bibliografia e Avaliação Ano Académico: 2016 / 2017 1º / 2º Semestre Regente: José Adelino Afonso jaa@ucp.pt Descrição: ECTS: 6 Disciplina obrigatória

Leia mais

Doutoramento em Economia

Doutoramento em Economia Doutoramento em Economia 2010/2011 O Programa O Programa de Doutoramento em Economia tem como objectivo central proporcionar formação que permita o acesso a actividades profissionais de elevada exigência

Leia mais

Medidas e Escalas: Fundamentos e Escalas Comparativas Prentice Hall

Medidas e Escalas: Fundamentos e Escalas Comparativas Prentice Hall Medidas e Escalas: Fundamentos e Escalas Comparativas 1-1 Sumário 1) Visão Geral; 2) Medidas e Escalas; 3) Principais ; i. Escala Nominal ii. Escala Ordinal iii. Escala Intervalar iv. Escala de Razão 1-2

Leia mais

08/05/2014. Importância da Estatística e o Desafio do Ensino nas Ciências Sociais. Porque é importante estudar Estatística?

08/05/2014. Importância da Estatística e o Desafio do Ensino nas Ciências Sociais. Porque é importante estudar Estatística? Unidade 1 : Introdução à Estatística Estatística: Importância da Estatística e o Desafio do Ensino nas Ciências Sociais João Garibaldi Almeida Viana Ciência (ou método) cujo objetivo principal é auxiliar

Leia mais

A ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE DADOS ESPACIAIS: breve introdução José Irineu Rangel Rigotti

A ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE DADOS ESPACIAIS: breve introdução José Irineu Rangel Rigotti A ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE DADOS ESPACIAIS: breve introdução José Irineu Rangel Rigotti A análise de dados espaciais pode ser empreendida sempre que as informações estiverem espacialmente localizadas e

Leia mais

Resumo de Dados. Tipos de Variáveis

Resumo de Dados. Tipos de Variáveis Resumo de Dados Tipos de Variáveis Exemplo 2.1 Um pesquisador está interessado em fazer um levantamento sobre alguns aspectos socioeconômicos dos empregados da seção de orçamentos da Companhia MB. Usando

Leia mais

Sumário. Parte I O papel e o valor das informações da pesquisa de marketing 1

Sumário. Parte I O papel e o valor das informações da pesquisa de marketing 1 Parte I O papel e o valor das informações da pesquisa de marketing 1 1 Pesquisa de marketing para a tomada de decisão gerencial 2 A complexidade crescente da pesquisa de marketing 3 Painel Conduzindo pesquisas

Leia mais

MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS À AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS USANDO STATA. Prof. Leonardo Sangali Barone

MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS À AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS USANDO STATA. Prof. Leonardo Sangali Barone MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS À AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS USANDO STATA Prof. Leonardo Sangali Barone Objetivos do Curso O curso tem como objetivo oferecer ao participante instrumental básico para

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Estatística e Probabilidade Carga Horária: 40h Período: 1º. Ementa

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Estatística e Probabilidade Carga Horária: 40h Período: 1º. Ementa Disciplina: Estatística e Probabilidade Carga Horária: 40h Período: 1º PLANO DE ENSINO Ementa Classificação de variáveis, Levantamento de Dados: Coleta; Apuração; Apresentação e Análise de resultados.

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa de Matemática dos Cursos Profissionais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa de Matemática dos Cursos Profissionais TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS Ano Letivo 2015/2016 Ciclo de Formação: 2015-2018 Nº DO PROJETO: Clique aqui para introduzir o número do projeto. MATEMÁTICA 10ºANO PLANIFICAÇÃO

Leia mais

PRINCIPIOS DE CRIAÇÃO DE VALOR

PRINCIPIOS DE CRIAÇÃO DE VALOR PRINCIPIOS DE CRIAÇÃO DE VALOR - A FARMÁCIA DO FUTURO - Visão da ANF Ana Cristina Gaspar DADOS GLOBAIS EVOLUÇÃO DO MERCADO FARMACÊUTICO MERCADO MEDICAMENTOS (VALOR E VOLUME) Fonte: Sistema de Informação

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR: 1.º Matemática PROGRAMA-A ANO: 10º ANO LECTIVO : 2008 /2009 p.

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR: 1.º Matemática PROGRAMA-A ANO: 10º ANO LECTIVO : 2008 /2009 p. ANO: 10º ANO LECTIVO : 2008 /2009 p.1/9 CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Nº. AULAS ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO Módulo Inicial Geometria e Números Reais. - Função afim, Equações e inequações do 1º.

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) Unidade Curricular: Análise Macroeconómica

Ficha de Unidade Curricular (FUC) Unidade Curricular: Análise Macroeconómica INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do conselho Técnico-Científico 20/2/2013 Ficha de Unidade Curricular (FUC) Unidade Curricular:

Leia mais

09 a 12 de novembro de 2016

09 a 12 de novembro de 2016 COMO ELABORAR PESQUISA DE MERCADO 08 a 11 de outubro de 2014 09 a 12 de novembro de 2016 Missão do Sebrae Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orientar na implantação e no desenvolvimento

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE MÉTODOS ESTATÍSTICOS NO PLANEJAMENTO E ANÁLISE DE ESTUDOS EXPERIMENTAIS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE (FONTE:

A UTILIZAÇÃO DE MÉTODOS ESTATÍSTICOS NO PLANEJAMENTO E ANÁLISE DE ESTUDOS EXPERIMENTAIS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE (FONTE: A UTILIZAÇÃO DE MÉTODOS ESTATÍSTICOS NO PLANEJAMENTO E ANÁLISE DE ESTUDOS EXPERIMENTAIS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE (FONTE: ESELAW 09 MARCOS ANTÔNIO P. & GUILHERME H. TRAVASSOS) 1 Aluna: Luana Peixoto Annibal

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (90 horas)

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (90 horas) FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (90 horas) DESTINATÁRIOS: O curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores da SALSUS destina-se a 14 formandos por grupo, sendo que deverá cumprir as seguintes

Leia mais

Ementa Cursos de Verão do Núcleo de Epidemiologia e Bioestatística (NEB) 2005

Ementa Cursos de Verão do Núcleo de Epidemiologia e Bioestatística (NEB) 2005 Ementa Cursos de Verão do Núcleo de Epidemiologia e Bioestatística (NEB) 2005 Índice Bioética 2 Estatística descritiva 3 Análise de Sobrevivência I 4 Consistência em Banco de Dados utilizando o SPSS 5

Leia mais

AULA 5 MEDIDAS DESCRITIVAS DOCENTE: CIRA SOUZA PITOMBO

AULA 5 MEDIDAS DESCRITIVAS DOCENTE: CIRA SOUZA PITOMBO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA MEAU- MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL URBANA ENG C 18 Métodos de Pesquisa Quantitativos e Qualitativos AULA 5 MEDIDAS DESCRITIVAS DOCENTE: CIRA SOUZA PITOMBO

Leia mais

Análise de clusters usando classes latentes

Análise de clusters usando classes latentes Análise de clusters usando classes latentes João Branco Departamento de Matemática, IST XIV Congresso SPE, 27-30 Set. 2006 Covilhã Poucos dados/muitos dados p. 0/23 Sumário 1. Variáveis latentes 2. Modelos

Leia mais

I Inquérito Nacional sobre Asma INASma

I Inquérito Nacional sobre Asma INASma I Inquérito Nacional sobre Asma INASma Sumário do Inquérito Nacional de Controlo da Asma Direcção Geral de Saúde Dezembro 2010 I Inquérito Nacional sobre Asma Direcção geral de saúde / Comissão de Acompanhamento

Leia mais

Inovação na recolha e tratamento de dados estatísticos oficiais

Inovação na recolha e tratamento de dados estatísticos oficiais Inovação na recolha e tratamento de dados estatísticos oficiais A plataforma electrónica CIS 2008 Inovação na recolha e tratamento de dados estatísticos oficiais A plataforma electrónica CIS 2008 Daniel

Leia mais