Plano Petros LANXESS Processo de concorrência Definição do Administrador do Plano. São Paulo, Janeiro de 2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano Petros LANXESS Processo de concorrência Definição do Administrador do Plano. São Paulo, Janeiro de 2015"

Transcrição

1 Plano Petros LANXESS Processo de concorrência Definição do Administrador do Plano São Paulo, Janeiro de 2015

2 Agenda 1. O processo de concorrência para administração do Plano Petros LANXESS 2. Informações sobre o administrador do Plano Petros LANXESS 3. Saiba mais e tire suas dúvidas

3 O processo de concorrência para administração do Plano Petros LANXESS

4 1. O processo de concorrência Números do Plano em novembro de 2014 Perfil da População Participantes ativos (111), autopatrocinados (8) e remidos aguardando benefício (7) 433 Participantes aposentados participantes Beneficiários de pensão por morte

5 1. O processo de concorrência Números do Plano em novembro de 2014 Resultados Atuariais do Plano Petros LANXESS 2010: foram constituídos fundos para cobrir uma redução de 1% na taxa de juros e uma redução de 30% na mortalidade o valor de R$ 49 milhões estava disponível para destinação 2011: os fundos foram utilizados para cobrir as alterações de hipóteses mencionadas acima isso resultou na não utilização da reserva especial 2012: houve novamente alterações nas hipóteses com o aumento de 0,50% na taxa de juros, o incremento de 15% na mortalidade e a aplicação de um crescimento real dos benefícios de 0,50% 2013: houve novo incremento de 15% na mortalidade, passando a vigorar a mesma tábua de mortalidade que vigorou em (resultado parcial do ano): há uma redução no superávit em função da rentabilidade dos investimentos abaixo da meta atuarial observada até novembro. O resultado final do exercício deverá ser divulgado em março

6 1. O processo de concorrência Números do Plano em novembro de 2014 Alocação dos Investimentos O Plano Petros/LANXESS está em equilíbrio e possui, aproximadamente, 89% do total das obrigações relativas aos participantes em gozo de benefício Nessa situação seria recomendável buscar uma alocação em ativos de baixo risco e que tenham uma expectativa de retorno em linha com a meta atuarial (IPCA + 5,50%) Apesar de o mercado oferecer alguns investimentos com essas características, há uma alocação que pode ser considerada elevada em ativos de riscos (renda variável e investimentos estruturados) Essa exposição tem resultado em uma rentabilidade inferior à necessidade do plano (taxa real de juros), e numa consequente redução do superávit

7 1. O processo de concorrência Relembrando os objetivos esperados Objetivos de buscar uma nova administração do Plano Petros LANXESS Aprimoramento do programa previdenciário Ajustes na estrutura de gestão Maior acompanhamento e envolvimento da LANXESS na administração do Plano Maior controle sobre a gestão dos investimentos do Plano Segregação de investimentos Gestão independente sobre os investimentos do Plano Alinhar a carteira de investimentos ao perfil dos compromissos futuros do Plano Proteger o patrimônio e garantir a saúde financeira Reduzir exposição a riscos atuariais Criação de novas estratégias contra riscos Reduzir a possibilidade de déficits no futuro Reduzir eventual necessidade de aportes extraordinários de patrocinadora e participantes

8 1. O processo de concorrência Relembrando os pré-requisitos fundamentais Prioridades no processo de concorrência Garantir manutenção dos compromissos do Plano Nada mudará em relação ao seu benefício em caso de transferência da administração do Plano Os incrementos futuros no cálculo de seu benefício permanecerão inalterados até que atinja a aposentadoria plena Benefícios serão pagos da mesma forma e corrigidos anualmente pelo mesmo índice de reajuste Contribuições permanecerão nos mesmos patamares atuais, desde que o equilíbrio financeiro do plano não se altere

9 1. O processo de concorrência Relembrando o que é a transferência de gerenciamento Processo do Plano Petros LANXESS Transferência de gerenciamento Conforme pré-requisito fundamental da LANXESS, as regras do Plano permanecem inalteradas: elegibilidades, benefícios e contribuições. Há o deslocamento do patrimônio e obrigações com os participantes entre entidades, com a continuidade do Plano sob a administração de outra entidade. Petros Plano A Nova EFPC (*) Plano W Retirada de patrocínio Processo de término do plano com o pagamento das reservas individuais aos participantes e, consequentemente, a quitação de seus direitos. Após o pagamento das reservas ocorre a extinção do plano e, consequentemente, de todas as suas obrigações. EFPC Plano A Atenção à diferença! R$ R$ R$ R$ R$ Plano Petros LANXESS Plano XX Plano B Plano Y Plano B R$ Plano C Plano Z Plano C R$ R$ R$ R$ A LANXESS solicitará à Previc a transferência da administração do Plano, não será solicitada a Retirada de Patrocínio (*) EFPC: Entidade Fechada de Previdência Complementar

10 1. O processo de concorrência Relembrando as etapas passadas Principais etapas até o momento Março 2014 Mai-Nov 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 A partir de Fevereiro 2015 Comunicação da abertura da concorrência para administração do Plano Petros e envio dos convites aos fundos selecionados, incluindo a Petros Recebimento das propostas e análise pela LANXESS Definição dos finalistas do processo Reuniões presenciais com os finalistas para avaliação das condições para atingir os objetivos esperados com a nova administração Decisão da LANXESS pelo administrador do Plano Comunicação às partes interessadas sobre a escolha do administrador Início da fase de execução das ações para implantação da nova administração

11 1. O processo de concorrência Etapa atual do processo Conclusão de mais uma etapa Definição do Administrador Números da Seleção 5 Fundos convidados Análise das propostas e seleção de finalistas para negociações Finalistas

12 2. Definição do administrador do Plano Avaliação: capacidade dos finalistas em atender aos objetivos esperados Objetivos atingidos com o processo de concorrência Aprimoramento do programa previdenciário Segregação de investimentos Reduzir exposição a riscos atuariais Segregação da gestão, de receitas e despesas, e participação na escolha dos provedores de serviços Constituição de um comitê de investimentos da LANXESS com autonomia nas decisões Cadeira nos órgãos estatutários a critério da empresa Plano de ação para segregação dos ativos por meio da negociação e liquidação de ativos A partir da efetivação da estratégia de segregação, será elevado o nível de liquidez do fundo Participação da LANXESS na elaboração das estratégias para gestão de riscos definição das hipóteses atuariais e política de investimentos Elaboração de estudo para imunização do fundo com a garantia da implantação dos resultados deste estudo

13 2. Definição do administrador do Plano Vencedor do processo Quem melhor atendeu às necessidades do Plano? Entidade Fechada de Previdência Complementar que administra planos de benefícios exclusivos por patrocinadora e não solidários entre si, por meio do compartilhamento das estruturas operacional, relacionamento, sistema, contábil, atuarial, governança e fundos de investimentos. Fundo Multipatrocinado de Previdência Privada CNPJ: / Rua Deputado Emílio Carlos, No 970 Vila Campesina Osasco/SP CEP: Data de aprovação para funcionamento: 13/08/1998

14 3. Próximos passos Detalhes do processo de transferência Linha do tempo* Definição do novo administrador: MultiPensions Bradesco Comunicação da escolha aos envolvidos: Participantes Petros Previc Sindicatos Concorrentes Início das avaliações do plano, incluindo: Aspectos jurídicos Contabilidade do fundo Avaliação dos investimentos Avaliação atuarial Negociação dos termos da transferência entre LANXESS, Petros e MultiPensions Bradesco Submissão do processo de transferência para análise e avaliação da Previc Aprovação do processo pela Previc e início de nova fase: ações para a transferência de gerenciamento Efetivação da transferência e início da administração da nova entidade: início da responsabilidade do MultiPensions Bradesco A cada etapa concluída, a LANXESS divulgará um comunicado para atualização do processo Não haverá necessidade de qualquer ação por parte dos participantes A responsabilidade sobre a administração do Plano permanecerá com a Petros até a aprovação do processo de transferência de administração pela Previc, e a efetiva transferência de administração para a nova entidade * Estimativas de prazos para conclusão das etapas do processo até a efetivação da transferência de gerenciamento

15 3. Próximos passos Segurança acima de tudo Continuidade do plano no novo administrador Com a transferência de gerenciamento do plano, a única mudança será na administração, feita pelo novo administrador Manutenção das garantias do plano Os incrementos futuros no cálculo do seu benefício permanecerão inalterados até que atinja a aposentadoria plena Contribuições Permanecerão nos mesmos patamares atuais, desde que o equilíbrio financeiro do plano não se altere Benefícios Serão pagos da mesma forma e corrigidos anualmente pelo mesmo índice de reajuste Manutenção do programa de empréstimos As condições do atual programa de empréstimos serão mantidas após a transferência

16 Informações sobre o administrador do Plano Petros LANXESS

17 2. Definição do administrador do Plano Estrutura: Destaques da Organização Bradesco LIDERANÇA Atuação nos ramos de Automóveis, Elementares, Seguro Saúde, Capitalização, Seguros de Vida e Previdência Complementar EXPERIÊNCIA 79 anos de atuação no mercado 6,8 mil funcionários 1,6 milhão de Automóveis 1,7 milhão de Residências 43 milhões de Segurados 92 mil Empresas 3,4 milhões de Clientes 22,7 milhões de Títulos R$ 146 Bilhões em Provisões Técnicas 2,4 milhões Participantes de Planos 25,4 milhões de Vidas Fonte: Press Release Divulgação dos Resultados 3º Trimestre/2014

18 2. Definição do administrador do Plano Estrutura organizacional do MultiPensions Bradesco Estrutura Organizacional CNPJ n o Conselho Deliberativo Gestão de Investimentos CNPJ n o / Assembleia Geral de Patrocinadoras Diretoria Executiva Gestão Administrativa Conselho Fiscal CNPJ n o / CNPJ n o / CNPJ n o /

19 2. Definição do administrador do Plano Administração dos Recursos Financeiros Administração dos Recursos Financeiros Banco Seguros RECURSOS ADMINISTRADOS Seguros EAPC EFPC ENTIDADE SEM FINS LUCRATIVOS RECURSOS INDEPENDENTES Plano A Plano B Plano Petros LANXESS

20 2. Definição do administrador do Plano Clube de Vantagens Bradesco Seguros (*) O portal Clube de Vantagens Bradesco Seguros é uma vitrine de ofertas e benefícios exclusivos para clientes do Grupo Bradesco Seguros. São descontos em lojas on-line e em estabelecimentos conveniados em todo o país, nos mais diversos segmentos: gastronomia, viagens, serviços de assistência, educação, vestuário, lazer e entretenimento. (*) Os benefícios serão oferecidos enquanto houver a vigência do programa Clube de Vantagens pela Bradesco Seguros

21 2. Definição do administrador do Plano Clientes MultiPensions Bradesco Empresas que têm seus Planos administrados pelo MultiPensions Bradesco NOKIA SOLUTIONS NETWORKS TAM LINHAS AÉREAS RENAULT JOHN DEERE BROOKFIELD INCORPORAÇÕES CIA. HERING GRUPO ESTADO ARCELORMITTAL WHIRPOOL CAMARGO CORRÊA KLABIN THYSSENKRUPP GRUPO FOLHA GRUPO MARTINS Fonte: Press Release Divulgação dos Resultados 3º Trimestre/2014

22 Saiba mais e tire suas dúvidas

23 4. Saiba mais e tire suas dúvidas Materiais de comunicação disponíveis Mais informações em Cartas informativas Folheto de Perguntas e Respostas Palestras nas localidades Comunicados via Site exclusivo para o acompanhamento do processo: Vídeo com todo o conteúdo da palestra

24 4. Saiba mais e tire suas dúvidas Contatos (1) Acesse o site que a LANXESS criou exclusivamente para este processo: (2) Clique em Contato (3) Envie sua dúvida preenchendo o formulário eletrônico

25

Plano Petros LANXESS Processo de concorrência Apresentação do cenário e etapas do processo. São Paulo, Março de 2014

Plano Petros LANXESS Processo de concorrência Apresentação do cenário e etapas do processo. São Paulo, Março de 2014 Plano Petros LANXESS Processo de concorrência Apresentação do cenário e etapas do processo São Paulo, Março de 2014 Agenda 1. Programa de Previdência Privada Complementar LANXESS Estrutura atual do Programa

Leia mais

PREVIDÊNCIA ENERGIZED BY. Definição do Administrador do Plano Petros LANXESS

PREVIDÊNCIA ENERGIZED BY. Definição do Administrador do Plano Petros LANXESS PREVIDÊNCIA ENERGIZED BY Definição do Administrador do Plano Petros LANXESS INTRODUÇÃO Este material, em formato de perguntas e respostas, faz parte da série de comunicações para informar sobre a escolha

Leia mais

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada 2011 Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada Prezados Participantes: O ano de 2011 foi mais um ano marcado por muitas incertezas nas economias mundiais acarretando uma instabilidade

Leia mais

Prezado(a) Participante,

Prezado(a) Participante, COMUNICADO INSTITUCIONAL CELOS Emissor: Diretoria Executiva e Conselho Deliberativo Comunicado Nº: 00/06 Assunto: Mudanças Carteira de Investimentos Público Alvo: Participantes Ativos e Assistidos Data

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [18.868.955/0001-20] FUNDACAO GEAPPREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0006-47] GEAPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2015 Atuário Responsável ADILSON MORAES DA

Leia mais

PDI. Vou aderir ao PDI.

PDI. Vou aderir ao PDI. Vou aderir ao PDI. E agora? Informe-se, esclareça as suas dúvidas e reflita! O seu futuro e o da sua família dependem da sua decisão. Previdência Proteção a pessoa, geralmente, no desemprego, na doença,

Leia mais

Elementos Mínimos. do Relatório de. Avaliação Atuarial

Elementos Mínimos. do Relatório de. Avaliação Atuarial Elementos Mínimos do Relatório de Avaliação Atuarial Comissão de Normas Técnicas 1 ÍNDICE 1. Sumário Executivo...3 2. Dados de Participantes (Avaliação atual e anterior)...3 3. Hipóteses (Avaliação atual

Leia mais

Monitoramento de Riscos Atuariais CGMA/PREVIC. São Paulo, 29 de novembro de

Monitoramento de Riscos Atuariais CGMA/PREVIC. São Paulo, 29 de novembro de Monitoramento de Riscos Atuariais CGMA/PREVIC São Paulo, 29 de novembro de 2011 1 Sistema de Previdência Complementar Planos de Previdência Avaliação Atuarial Mapeamento de Risco Atuarial no Mercado Novas

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL RESUMO

RELATÓRIO ANUAL RESUMO RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2015 ÍNDICE 03 INFORMAÇÕES SOBRE AS DESPESAS 03 RENTABILIDADE DOS PERFIS DE INVESTIMENTO 03 INVESTIMENTOS 04 PARTICIPANTES AVONPREV 04 RESUMO DO PARECER ATUARIAL 06 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Tele Centro Oeste Celular Exercício: 2013 e dezembro - R$ Mil

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Tele Centro Oeste Celular Exercício: 2013 e dezembro - R$ Mil Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Tele Centro Oeste Celular Exercício: 20 e 202 dezembro R$ Mil Descrição 20 202 Variação (%) Relatório Anual 20 Visão Prev. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

Glossário de Termos Técnicos da Previdência Complementar

Glossário de Termos Técnicos da Previdência Complementar Glossário de Termos Técnicos da Previdência Complementar GLOSSÁRIO Este glossário tem como objetivo apresentar as expressões e termos utilizados no contexto da Previdência Complementar, em especial dos

Leia mais

Linha do Tempo Previdenciária Secretaria do Ministério da Fazenda

Linha do Tempo Previdenciária Secretaria do Ministério da Fazenda Contextualizando Linha do Tempo Previdenciária 2016 Secretaria do Ministério da Fazenda Taxa de juros Rentabilidade dos Fundos de Pensão entre 1995 e 2012, em dezoito anos, apenas cinco apresentaram rentabilidades

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2015 MENSAGEM AOS PARTICIPANTES RELATÓRIO ANUAL 2015

RELATÓRIO ANUAL 2015 MENSAGEM AOS PARTICIPANTES RELATÓRIO ANUAL 2015 MENSAGEM AOS PARTICIPANTES O Fundo de Pensão Multipatrocinado da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional da Paraíba OABPrev- Nordeste apresenta o relatório das suas principais atividades durante o ano

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.689.795/0001-50] BRF PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1996.0047-19] PSPP ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável MONICA TEIXEIRA DE ANDRADE MIBA:

Leia mais

Relatório. Anual. Resumo 2015

Relatório. Anual. Resumo 2015 Relatório Anual Resumo 2015 2 Mensagem da Diretoria O ano de 2015 foi marcado por um cenário volátil e conturbado com inflação alta, PIB negativo, escândalos políticos, rebaixamento de grau de investimento

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA FUNDAÇÃO PROMON DE PREVIDÊNCIA SOCIAL. Regulamento do Plano de Gestão Administrativa Página 1

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA FUNDAÇÃO PROMON DE PREVIDÊNCIA SOCIAL. Regulamento do Plano de Gestão Administrativa Página 1 REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA FUNDAÇÃO PROMON DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Regulamento do Plano de Gestão Administrativa - 2010 Página 1 CAPÍTULO I - A FUNDAÇÃO E OBJETIVO DO PRESENTE Artigo 1

Leia mais

Sociedade Civil FGV de Previdência Privada Regulamento do Plano de Gestão Administrativa

Sociedade Civil FGV de Previdência Privada Regulamento do Plano de Gestão Administrativa Sociedade Civil FGV de Previdência Privada Regulamento do Plano de Gestão Administrativa Aprovado pelo Conselho Deliberativo na reunião realizada em 15/01/2010 Conteúdo 1. Do Objeto...1 2. Das Definições...2

Leia mais

Somos únicos. A previdência é um investimento

Somos únicos. A previdência é um investimento Somos únicos Ninguém é igual a ninguém. Por mais que existam algumas semelhanças entre um grupo de pessoas, sempre seremos diferentes uns dos outros, seja pelos anseios, sonhos, habilidades e objetivos

Leia mais

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC Relatório PREVI 2013 Parecer Atuarial 2013 162 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC 1 OBJETIVO 1.1 O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO >> DISCIPLINA 1 INSTRUMENTALIZAÇÃO PARA GESTÃO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Comunicação Interpessoal e Integração da turma o Desenvolver conhecimentos, técnicas e habilidades que facilitem os relacionamentos

Leia mais

Perspectivas para o Mercado Regulação

Perspectivas para o Mercado Regulação 20º Encontro Nacional de Líderes do Mercado Segurador Perspectivas para o Mercado Regulação 07 de fevereiro de 2015 Carlos de Paula Diretor-Superintendente Agenda O Sistema de Previdência Complementar

Leia mais

POLÍTICA DE DELEGAÇÃO DE AUTORIDADE

POLÍTICA DE DELEGAÇÃO DE AUTORIDADE POLÍTICA DE DELEGAÇÃO DE AUTORIDADE POLÍTICA DE DELEGAÇÃO DE AUTORIDADE A Fundação de Previdência do Instituto EMATER FAPA considera que a autoridade flui em sentido decrescente ao passo que a responsabilidade

Leia mais

a redução vai afetar o seu plano

a redução vai afetar o seu plano Como a redução da taxa de juros da meta atuarial vai afetar o seu plano Novos tempos O crescimento econômico vivido pelo Brasil nos últimos anos levou o país a reduzir as suas taxas de juros. Essa tendência

Leia mais

Parecer Atuarial Plano de Aposentadoria ABBPREV. ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 8 DE MARÇO DE 2012

Parecer Atuarial Plano de Aposentadoria ABBPREV. ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 8 DE MARÇO DE 2012 Parecer Atuarial Plano de Aposentadoria ABBPREV ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 8 DE MARÇO DE 2012 CONTEÚDO 1. Introdução... 1 2. Perfil dos Participantes... 2 Participantes Ativos... 2 Participantes

Leia mais

Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada

Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada 2013 Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada Prezados Participantes: O ano de 2013 foi um dos anos mais difíceis para as fundações de Previdencia Privada, refletido nas rentabilidades

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA MESA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE FIOCRUZ. Agosto de 2013

AUDIÊNCIA PÚBLICA MESA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE FIOCRUZ. Agosto de 2013 AUDIÊNCIA PÚBLICA MESA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE Agosto de 2013 O REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR INSTITUÍDO PELA ALTERNATIVAS, DESAFIOS E PROPOSTAS A FACULTATIVIDADE O art. 202 da Constituição Federal

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2014 VERSÃO RESUMIDA

RELATÓRIO ANUAL 2014 VERSÃO RESUMIDA RELATÓRIO ANUAL 2014 VERSÃO RESUMIDA A ACIPREV Fundo Multiinstituído de Previdência Complementar apresenta o relatório das principais atividades da Entidade durante o ano de 2014, resumidamente, como autoriza

Leia mais

PGA PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA (REGULAMENTO)

PGA PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA (REGULAMENTO) PGA PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA (REGULAMENTO) Texto aprovado pelo Conselho Deliberativo na 4ª Reunião Ordinária, de 15 de fevereiro de 2013 Resolução CD/Funpresp-Exe nº 07/2013 SUMÁRIO CAPÍTULO I Da

Leia mais

Política de Investimentos 2008/2012

Política de Investimentos 2008/2012 Política de Investimentos 28/212 Http:\\www.cbsprev.com.br Central de Atendimento: 8-268181 INFORMATIVO N.º 159 7-1-28 VOLTA REDONDA/RJ Plano de 35% da Média Salarial 1. EFPC : Caixa Beneficente dos Empregados

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS RISCOS E VANTAGENS. Paulo Modesto (UFBA)

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS RISCOS E VANTAGENS. Paulo Modesto (UFBA) PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES PÚBLICOS P EFETIVOS: RISCOS E VANTAGENS Paulo Modesto (UFBA) http://www.direitodoestado.com.br Texto base: MODESTO, Paulo (org). Reforma da Previdência: análise

Leia mais

DADOS DOS PLANOS DATAS PLANOS APROVAÇÃO INÍCIO ÚLTIMA ALTERAÇÃO VALOR DE RESGATE NÚMERO DE EMPREGADOS

DADOS DOS PLANOS DATAS PLANOS APROVAÇÃO INÍCIO ÚLTIMA ALTERAÇÃO VALOR DE RESGATE NÚMERO DE EMPREGADOS SIGLA: FUNCEF 1 CÓDIGO: 01523 RAZÃO SOCIAL: FUNCEF-FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS NÚMERO DE PLANOS: 2 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS

Leia mais

PARECER ATUARIAL PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS

PARECER ATUARIAL PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PARECER ATUARIAL PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS A data base da avaliação atuarial do Plano Misto de Benefícios, administrado pela Mendesprev Sociedade Previdenciária, objeto deste parecer é 31/12/2010. Objetivo

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 7 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

PARECER ATUARIAL PLANO DE APOSENTADORIA ABBPREV ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 14 DE FEVEREIRO DE 2014

PARECER ATUARIAL PLANO DE APOSENTADORIA ABBPREV ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 14 DE FEVEREIRO DE 2014 PLANO DE APOSENTADORIA ABBPREV ABBPREV - Sociedade de Previdência Privada 14 DE FEVEREIRO DE 2014 CONTEÚDO 1. Introdução... 1 2. Perfil dos Participantes... 2 3. Hipóteses e Métodos Atuariais Utilizados...

Leia mais

Página 1 de 9 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 32 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.820.015-18 - PLANO DE BENEFÍCIOS I - FNTTA 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8-

Leia mais

Saldamento: Uma opção Conheça os detalhes deste processo

Saldamento: Uma opção Conheça os detalhes deste processo Saldamento: Uma opção Conheça os detalhes deste processo www.funcef.com.br CARTILHA DO SALDAMENTO HISTÓRICO 2003 Novembro de 2003 2004 e 2005 10/10/2005 22/12/2005 Primeiro semestre de 2006 3/7/2006 Dezembro

Leia mais

12 de fevereiro de Parecer Atuarial CBS - Caixa Beneficente dos Empregados da CSN. Plano Misto de Benefício Suplementar

12 de fevereiro de Parecer Atuarial CBS - Caixa Beneficente dos Empregados da CSN. Plano Misto de Benefício Suplementar 12 de fevereiro de 2007 Parecer Atuarial CBS - Caixa Beneficente dos Empregados da CSN Plano Misto de Benefício Suplementar Conteúdo 1. Introdução...1 2. Posição do Exigível Atuarial e das Reservas e Fundos...2

Leia mais

DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012

DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012 Cria a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo - Funpresp-Exe, dispõe sobre sua vinculação no âmbito do Poder Executivo

Leia mais

Manual de Governança Corporativa

Manual de Governança Corporativa Documento: Área Emitente: Manual de Governança Corporativa Assessoria de Planejamento, Orçamento, Controle e Regulatório HISTÓRICO DAS REVISÕES Rev. nº. Data Descrição 01 19/12/2012 Segregação do Manual

Leia mais

Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015

Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015 Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015 Gestão Visão Prev Bradesco Custódia e Administração VP Finanças Telefonica-Vivo Conselho Deliberativo Comitê Investimentos Conselho Fiscal Diretoria Executiva

Leia mais

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Maio

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Maio Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Maio - 2014 Rua Senador Dantas, nº 74 11º andar Cep 20.031-205 Rio de Janeiro RJ Brasil Tel: +55 21 2510-7914 Fax: +55 21 2510-7930 e-mail: fenaprevi@fenaprevi.org.br

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO ESPECIAL Nº 2 DE APOSENTADORIA SUPLEMENTAR. Bandeprev - Bandepe Previdência Social

REGULAMENTO DO PLANO ESPECIAL Nº 2 DE APOSENTADORIA SUPLEMENTAR. Bandeprev - Bandepe Previdência Social REGULAMENTO DO PLANO ESPECIAL Nº 2 DE APOSENTADORIA SUPLEMENTAR Bandeprev - Bandepe Previdência Social Índice I. Da Finalidade...1 II. Das Definições... 2 III. Do INSTITUIDOR, Participantes e Beneficiários...

Leia mais

PREVIC - Superintendência Nacional de Previdência Complementar Comissão Parlamentar de Inquérito CPI dos Fundos de Pensão

PREVIC - Superintendência Nacional de Previdência Complementar Comissão Parlamentar de Inquérito CPI dos Fundos de Pensão PREVIC - Superintendência Nacional de Previdência Complementar Comissão Parlamentar de Inquérito CPI dos Fundos de Pensão Brasília (DF), 08 de setembro de 2015 Currículo Carlos de Paula Carlos de Paula

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA PSS SEGURIDADE SOCIAL

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA PSS SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA PSS SEGURIDADE SOCIAL ÍNDICE CAPÍTULO I Quanto ao Objetivo...3 CAPÍTULO II Glossário.........3 CAPÍTULO III Quanto as Fontes e Limites de Custeio Administrativo...5

Leia mais

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Agosto

Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Agosto Planos de Caráter Previdenciário Dados Estatísticos Agosto - 2014 Rua Senador Dantas, nº 74 11º andar Cep 20.031-205 Rio de Janeiro RJ Brasil Tel: +55 21 2510-7914 Fax: +55 21 2510-7930 e-mail: fenaprevi@fenaprevi.org.br

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telemig Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telemig Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telemig Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Disponível Recebível

Leia mais

Secretaria de Previdência Complementar - DRAA

Secretaria de Previdência Complementar - DRAA Página 1 de 10 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 4 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA

Leia mais

Instituto CCR. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício de 31 de dezembro de 2015

Instituto CCR. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício de 31 de dezembro de 2015 Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício de 31 de dezembro de 2015 Balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2015 (Em Reais) Ativo 2015 2014 Passivo 2015 2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Apresentação CDC Audiência Pública. Luís Carlos Cazetta 8 de junho de 2015

Apresentação CDC Audiência Pública. Luís Carlos Cazetta 8 de junho de 2015 Apresentação CDC Audiência Pública Luís Carlos Cazetta 8 de junho de 2015 Considerações iniciais Art. 202. O regime de previdência privada, de caráter complementar e organizado de forma autônoma em relação

Leia mais

Informe-se, esclareça as suas dúvidas e reflita!

Informe-se, esclareça as suas dúvidas e reflita! Previdência Saúde Vou aderir ao PDVA. E agora? Informe-se, esclareça as suas dúvidas e reflita! O seu futuro e o da sua família dependem da sua decisão. Previdência Proteção a pessoa, geralmente, no desemprego,

Leia mais

Resolução nº 11, de 13/5/2013

Resolução nº 11, de 13/5/2013 Resolução nº 11, de 13/5/2013 Alteração das Regras para Retirada de Patrocínio No Diário Oficial da União de 24/5/2013, foi publicada a Resolução nº 11, de 13 de maio de 2013, expedida pelo Conselho Nacional

Leia mais

A INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL NOS PLANOS DE BENEFÍCIOS: ASPECTOS CONTÁBEIS

A INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL NOS PLANOS DE BENEFÍCIOS: ASPECTOS CONTÁBEIS A INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL NOS PLANOS DE BENEFÍCIOS: ASPECTOS CONTÁBEIS AGENDA EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO SOBRE INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL NAS EFPC REGISTRO CONTÁBIL DA INDEPENDÊNCIA PATRIMONIAL FRAGILIDADE

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES PLANO DE BENEFÍCIOS FAF CNPB Nº

PERGUNTAS FREQUENTES PLANO DE BENEFÍCIOS FAF CNPB Nº 1 - Quem pode ingressar no Plano de Benefícios FAF? O Plano de Benefícios está fechado ao ingresso de novos Participantes desde 01.01.2003. 2 - Como são fixadas as contribuições mensais dos Participantes

Leia mais

DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS DO 3T05 E 9M05

DESTAQUES OPERACIONAIS E FINANCEIROS DO 3T05 E 9M05 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$74,5 milhões ou R$0,97 por ação no 3T05 e R$167,9 milhões ou R$2,18 por ação em 9M05 Crescimento de 12,1% dos Prêmios Auferidos na comparação trimestral e 19,3%

Leia mais

Pesquisa de Remuneração e Estruturas de Conselhos de Administração. Apresentação. 31 de Maio de 2005 W W W. W A T S O N W Y A T T. C O M.

Pesquisa de Remuneração e Estruturas de Conselhos de Administração. Apresentação. 31 de Maio de 2005 W W W. W A T S O N W Y A T T. C O M. Pesquisa de Remuneração e Estruturas de Conselhos de Administração Apresentação W W W. W A T S O N W Y A T T. C O M. BR 31 de Maio de 2005 Introdução Objetivo: Mapear as práticas e políticas de remuneração

Leia mais

O QUE É REPACTUAR? A META AGORA É 2/3 REABERTURA DA REPACTUAÇÃO

O QUE É REPACTUAR? A META AGORA É 2/3 REABERTURA DA REPACTUAÇÃO folder_repactuacao_a5.indd 1 22.01.07 16:30:30 REABERTURA DA REPACTUAÇÃO A proposta da Petrobras é resultado de um esforço conjunto da companhia, da FUP e representantes dos empregados na busca de uma

Leia mais

ASSUNTO ANTES DAS ALTERAÇÕES APÓS AS ALTERAÇÕES Definições Serviço Contínuo

ASSUNTO ANTES DAS ALTERAÇÕES APÓS AS ALTERAÇÕES Definições Serviço Contínuo Alterações no Regulamento do Plano de A Apresentamos abaixo as alterações realizadas no Plano de A, aprovadas pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC, por meio da Portaria nº

Leia mais

CARTILHA DA PORTABILIDADE. - Visão Prev -

CARTILHA DA PORTABILIDADE. - Visão Prev - CARTILHA DA PORTABILIDADE - - CARTILHA DA PORTABILIDADE Tome uma decisão consciente entenda, conheça e analise todos os fatores envolvidos em um processo de portabilidade. Após o encerramento de seu vínculo

Leia mais

SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO. Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007

SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO. Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007 SEMINÁRIO PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES DA UNIÃO Superior Tribunal de Justiça Junho de 2007 Premissas na estruturação do regime complementar Criar um regime previdenciário orientado principalmente

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015 CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRIMESTRE DE 2015 1 CENÁRIO ECONÔMICO O segundo trimestre do ano de 2015 demonstrou uma aceleração da deterioração dos fatores macroeconômicos no Brasil, com aumento

Leia mais

Previdência Complementar no Brasil e seu Potencial de Crescimento VOCÊ

Previdência Complementar no Brasil e seu Potencial de Crescimento VOCÊ Previdência Complementar no Brasil e seu Potencial de Crescimento VOCÊ José Edson da Cunha Júnior Secretaria de Políticas de Previdência Complementar Sumário I Cenário Atual da Previdência Complementar

Leia mais

A previdência social no Brasil: Uma visão econômica

A previdência social no Brasil: Uma visão econômica A previdência social no Brasil: 1923 2009 Uma visão econômica Darcy Francisco Carvalho dos Santos darcy@darcyfrancisco.com.br 6 de Outubro de 2009. Auditório MERCOSUL FIERGS. Porto Alegre - RS Lançamento:

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA DATAPREV PREVDATA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA DATAPREV PREVDATA REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA DATAPREV PREVDATA 1 ÍNDICE CAPÍTULO I Da Entidade e do Objetivo do presente Regulamento...3 CAPÍTULO II Glossário.....3

Leia mais

Cenário Atual e Perspectivas para o Mercado Segurador Brasileiro Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV) Novembro/2000

Cenário Atual e Perspectivas para o Mercado Segurador Brasileiro Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV) Novembro/2000 Cenário Atual e Perspectivas para o Mercado Segurador Brasileiro Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV) Novembro/2000 A partir dos dados atuais do mercado segurador brasileiro, algumas conclusões podem

Leia mais

c. Principais indicadores de desempenho que são levados em consideração na determinação de cada elemento da remuneração

c. Principais indicadores de desempenho que são levados em consideração na determinação de cada elemento da remuneração ITEM 13 - REMUNERAÇÃO DOS ADMINISTRADORES 13.1. Descrição da política ou prática de remuneração do conselho de administração, da diretoria estatutária e não estatutária, do conselho fiscal, dos comitês

Leia mais

Previdência (EAPC) - Tópicos. TEMA 3.Empresas Abertas de Previdência (EAPC) e a sua Contabilidade. O que é Previdência Privada Complementar?

Previdência (EAPC) - Tópicos. TEMA 3.Empresas Abertas de Previdência (EAPC) e a sua Contabilidade. O que é Previdência Privada Complementar? FEA-USP-EAC Curso de Graduação em Ciências Contábeis Disciplina: EAC0551 -Contabilidade e Análise de Balanços de Instituições Previdenciárias TEMA 3.Empresas Abertas de Previdência (EAPC) e a sua Contabilidade

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF:

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: Lâmina de Informações Essenciais do Informações referentes à Janeiro de 2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TÍTULO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - LONGO PRAZO (Título

Leia mais

Cartilha do Participante. Previdência Complementar CASFAM

Cartilha do Participante. Previdência Complementar CASFAM Cartilha do Participante Previdência Complementar CASFAM APRESENTAÇÃO Caro (a) Participante, Preparar-se para o futuro, podendo aproveitar o período de aposentadoria com saúde e conforto, implica controlar

Leia mais

REGULAMENTO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV

REGULAMENTO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV REGULAMENTO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV 1) Do Objeto Este documento estabelece as normas gerais aplicáveis ao Programa de Perfil de Investimentos (Multiportfólio) da CargillPrev. O programa constitui-se

Leia mais

PLANO PORTOPREV II MATERIAL EXPLICATIVO

PLANO PORTOPREV II MATERIAL EXPLICATIVO Perfis de Investimento Diversificados PLANO PORTOPREV II MATERIAL EXPLICATIVO quem está seguro, tem futuro. Perfis de Investimento Diversificados www.portoprev.org.br Introdução Este Material Explicativo

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS ATUARIAIS (CPA) CPA 004 Provisão de Excedente Técnico (PET) SUPERVISIONADAS SUSEP

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS ATUARIAIS (CPA) CPA 004 Provisão de Excedente Técnico (PET) SUPERVISIONADAS SUSEP Página1 COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS ATUARIAIS (CPA) CPA 004 Provisão de Excedente Técnico (PET) SUPERVISIONADAS SUSEP (versão 26/08/2015) Página2 SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO...3 II. OBJETIVO...3 III. ALCANCE E

Leia mais

Renda Variável e Renda Fixa. Depósito Exclusivo

Renda Variável e Renda Fixa. Depósito Exclusivo Dezembro 2015 O serviço refere-se ao processo de depósito de valores mobiliários (ativos) na Central Depositária da BM&FBOVESPA, sem que estejam admitidos à negociação em sua plataforma eletrônica. O oferece

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.790.026-65 - PLANO DE BENEFÍCIOS I 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR

Leia mais

SAFRA PREV FIX VIP FIC FI RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO

SAFRA PREV FIX VIP FIC FI RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO 1. PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DUVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO: A ADMINISTRADORA colocará mensalmente à disposição dos cotistas as informações relativas à composição e diversificação da CARTEIRA.

Leia mais

SAFRA FARADAY FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

SAFRA FARADAY FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO 1. PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DUVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO: A ADMINISTRADORA colocará mensalmente à disposição dos cotistas as informações relativas à composição e diversificação da CARTEIRA.

Leia mais

https://portalspc.previdencia.gov.br/daiea/emitirprotocolo.do?method=emitirprotocolo

https://portalspc.previdencia.gov.br/daiea/emitirprotocolo.do?method=emitirprotocolo .: Sicadi :. https://portalspc.previdencia.gov.br/daiea/emitirprotocolo.do?method=emitirprotocolo Página 1 de 1 17/07/2015 A Instituição Previdência Social Previdência Complementar Previdência do Servidor

Leia mais

Equilíbrio Atuarial dos Planos de Benefício Definido BD. Cícero Rafael Barros Dias

Equilíbrio Atuarial dos Planos de Benefício Definido BD. Cícero Rafael Barros Dias Equilíbrio Atuarial dos Planos de Benefício Definido BD Cícero Rafael Barros Dias Out/2014 1 AGENDA 1. Introdução 2. Base Normativa Geral 3. Principais Riscos Atuariais das EFPC s 4. Controles de Risco

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS 1- SIGLA: FACHESF 2- CÓDIGO: 00361 3- RAZÃO SOCIAL: Fundação CHESF de Assistência e Seguridade Social

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: ITAUBANCO 2- CÓDIGO: RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO ITAUBANCO 4- NÚMERO DE PLANOS: NÚMERO DE EMPREGADOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: ITAUBANCO 2- CÓDIGO: RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO ITAUBANCO 4- NÚMERO DE PLANOS: NÚMERO DE EMPREGADOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 7 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.790.009-56 - PLANO DE BENEFÍCIOS 002 DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO

Leia mais

A REGULAMENTAÇÃO DA RETIRADA DE PATROCÍNIO

A REGULAMENTAÇÃO DA RETIRADA DE PATROCÍNIO A REGULAMENTAÇÃO DA RETIRADA DE PATROCÍNIO Secretaria de Políticas de Previdência Complementar - MPS Carlos Marne Dias Alves 4 de setembro de 2012. 1 1 SUMÁRIO 1. Motivações 2. Pontos Sensíveis 3. Proposta

Leia mais

Lei /2016 Lei das Estatais

Lei /2016 Lei das Estatais Lei 13.303/2016 Lei das Estatais Impactos na Governança Corporativa SUORG 10 NOV 2016 Lei nº 13.303/2016 Estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias, no

Leia mais

ALTERAÇÕES PROPOSTAS REGULAMENTO DO PLANO B

ALTERAÇÕES PROPOSTAS REGULAMENTO DO PLANO B ALTERAÇÕES PROPOSTAS REGULAMENTO DO PLANO B Novembro de 2015 Agenda 1. Principal Alteração: Adoção de premissas aderentes (art. 29, 2º). 1.1. Exemplo Didático da Regra Vigente; 1.2. Entendimento da Previc

Leia mais

UBB PREV Previdência Complementar

UBB PREV Previdência Complementar UBB PREV Previdência Complementar 23 de março 2011 Quadro Comparativo das Alterações Propostas para o Regulamento do Plano de Previdência Unibanco (Futuro Inteligente Aprovadas na ata de Reunião Extraordinária

Leia mais

Prestação de Contas Exercício 2010

Prestação de Contas Exercício 2010 Prestação de Contas Exercício 2010 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NEGÓCIO Administrar planos previdenciários e assistenciais. MISSÃO Contribuir para a qualidade de vida dos participantes

Leia mais

Situação da PETROS. Conselheiro Fiscal RONALDO TEDESCO. Público: Audiência Pública na ALERJ Deputado Paulo Ramos - PSOL

Situação da PETROS. Conselheiro Fiscal RONALDO TEDESCO. Público: Audiência Pública na ALERJ Deputado Paulo Ramos - PSOL Situação da PETROS Conselheiro Fiscal RONALDO TEDESCO Público: Audiência Pública na ALERJ Deputado Paulo Ramos - PSOL Agenda: A Separação de Massas do Plano PETROS do Sistema Petrobrás O que é Separação

Leia mais

Superintendência Nacional de Previdência Complementar - Previc - DRAA

Superintendência Nacional de Previdência Complementar - Previc - DRAA Página 1 de 9 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO

Leia mais

Uma Reforma Previdenciária Abrangente

Uma Reforma Previdenciária Abrangente Uma Reforma Previdenciária Abrangente Eqüidade x Redistribuição Se a Previdência Social for entendida como Seguro Compulsório visando garantir renda ao indivíduo ou grupo familiar quando da perda da capacidade

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS 13/5/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 PRINCÍPIOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 8 13/5/2016 Informação

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA DATUSPREV

CARTILHA EXPLICATIVA DATUSPREV CARTILHA EXPLICATIVA DATUSPREV DATUSPREV Sociedade de Previdência Complementar CIASC Plano CIASCPREV CNPJ 10.605.283/0001-59 CNPB 2009.0009-19 Órgão Regulamentador PREVIC Ministério da Previdência Social

Leia mais

NÃO. Art.41, 1º,III(avaliação desempenho) Art.169, 4º(excesso despesa pessoal) NÃO Idem anterior NÃO. NÃO Idem anterior SIM SIM.

NÃO. Art.41, 1º,III(avaliação desempenho) Art.169, 4º(excesso despesa pessoal) NÃO Idem anterior NÃO. NÃO Idem anterior SIM SIM. João Dado Deputado Federal PDT/SP Até Junho/98 Reforma Administrativa EC-19/98 - Jun Reforma Previdenciária EC-20/98 - Dez Reforma Previdenciária EC-41/03 Reforma Previdenciária EC-47/05 NÃO Estabilidade

Leia mais

Etapa 1. Etapa 2. Etapa 3. Etapa 4

Etapa 1. Etapa 2. Etapa 3. Etapa 4 São Paulo, 02 de janeiro de 2015 PREZADO (A) PARTICIPANTE DO PLANO III, Conforme já divulgado na Edição nº 10 Dezembro/2014 do nosso Jornal e no site, o Plano III da BRF Previdência passará por mudanças

Leia mais

Regulamento PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

Regulamento PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Dezembro 2009 ÍNDICE CAPÍTULO I DA FINALIDADE 03 CAPÍTULO II DO GLOSSÁRIO 03 CAPÍTULO III DA FORMA DE GESTÃO DOS RECURSOS 05 CAPÍTULO IV DA CONSTITUIÇÃO

Leia mais

LEI Nº 9.717, DE 27 DE NOVEMBRO DE Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

LEI Nº 9.717, DE 27 DE NOVEMBRO DE Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte LEI Nº 9.717, DE 27 DE NOVEMBRO DE 1998. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Dispõe sobre regras gerais para a organização e o funcionamento dos regimes próprios de previdência social dos servidores públicos da

Leia mais

Regulamento do Plano e direitos dos participantes e assistidos

Regulamento do Plano e direitos dos participantes e assistidos T R A N S PA R Ê N C I A A Prestação de Contas tem como objetivo trazer pessoalmente, aos participantes e assistidos, informações relevantes a respeito de temas como: Regulamento do Plano e direitos dos

Leia mais

RESOLUÇÃO IBA Nº 03/2016. O INSTITUTO BRASILEIRO DE ATUÁRIA - IBA, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUÇÃO IBA Nº 03/2016. O INSTITUTO BRASILEIRO DE ATUÁRIA - IBA, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Página1 RESOLUÇÃO IBA Nº 03/2016 Publicada em 21 de março de 2016 Dispõe sobre a criação do Pronunciamento Atuarial CPA 004 PROVISÃO DE EXCEDENTE TÉCNICO - SUPERVISIONADAS SUSEP O INSTITUTO BRASILEIRO

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA PREVSAN - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA PREVSAN - PGA REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA PREVSAN - PGA INDICE CAPÍTULO I CAPÍTULO II CAPÍTULO III CAPÍTULO IV CAPÍTULO V CAPÍTULO VI CAPÍTULO VII CAPÍTULO VIII CAPÍTULO IX CAPÍTULO X CAPÍTULO XI

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA - ALBAPREV

INSTITUTO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA - ALBAPREV INSTITUTO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA - ALBAPREV DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E 2013 I BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO

Leia mais

1.2 Quem pode votar? É obrigatório? Podem votar os Participantes da FUNCEF, inclusive aposentados e pensionistas. O voto não é obrigatório.

1.2 Quem pode votar? É obrigatório? Podem votar os Participantes da FUNCEF, inclusive aposentados e pensionistas. O voto não é obrigatório. 1 O PLEBISCITO 1.1 Para que serve este Plebiscito? Consultar a opinião dos Participantes sobre as alternativas de solução para os planos de benefícios da FUNCEF, com saldamento do REG/REPLAN e implementação

Leia mais

Plano Futuro Inteligente é transferido para a Fundação Itaú Unibanco

Plano Futuro Inteligente é transferido para a Fundação Itaú Unibanco w w w. u b b p r e v. c o m. b r Informativo bimestral da UBB PREV Previdência Complementar julho/agosto2012 ano4 nº20 Plano Futuro Inteligente é transferido para a Fundação Itaú Unibanco Aprovada pela

Leia mais