Medição de Carbono Orgânico Total em Sistemas de Co-geração

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Medição de Carbono Orgânico Total em Sistemas de Co-geração"

Transcrição

1 Medição de Carbono Orgânico Total em Sistemas de Co-geração

2 De onde vem o TOC? Lixiviados e ácidos úmicos e outras fontes - Grandes moléculas - Misturas complexas - Desperdício pesticidas? Outras fontes Folhas lixiviados (s.) Um produtos ou solução formado por lixiviação, especialmente uma solução contendo contaminantes adquiridos da lixiviação do solo. Pesticidas e fertilizantes por lixiviar o solo. Ácido Úmico É um dos maiores componentes das substâncias úmicas que são constituintes marrom escuro do humus que contribui para a qualidade física e química do solo e são precursores dos combustíveis fósseis. Podem ser também produtos de folhas. Degradação de sistemas de água - Membranas de Osmose Reversa - Filtros - Resinas de troca iônica Formação dentro do sistema de água - Biofilme? particulados O Biofilme é uma agregação complexa de microorganismos devido à excreção de uma camada adesiva e protetora. Biofilme 1 Internal usage only

3 Condutividade e TOC A medição de condutividade em água ultra-pura é a medição de total de impurezas iônicas (condutivas) - Vários íons na água - Não específico A medição de TOC em água ultra-pura é a medição do total de impurezas orgânicas (usualmente não condutivas) - Centenas de orgânicos na água - Não específico O TOC é uma medição baseada na condutividade. ~ AC H + O-2 Na + H O H O H H H + Cl - 2 Internal usage only

4 A Química do TOC O TOC está relacionado à capacidade de quebra das ligações e de converter moléculas de orgânicos não detectáveis em uma forma química que seja detectável. - Conversão para metano - Conversão para CO 2 e detectado por infravermelho - Conversão para CO 2 e detecção por condutividade Isto é feito por quebra de ligações e oxidação A oxidação por UV quebra as ligações de carbono pela geração de radicais de hidroxila para produzir dióxido de carbono e água. É o dióxido de carbono dissolvido que é medido. Sucrose molecule chemical structure 1,4-benzoquinone chemical structure 3 Internal usage only

5 Teoria de Operação Medições online do TOC por Oxidação UV/Condutividade C x H y O z CO 2 + H 2 O H 2 CO 3 H + + HCO 3 - não-iônico UV OH iônico-condutivo (água carbonatada) Conductivity Sensor 1 UV Oxidation Conductivity Sensor 2 Luz ultravioleta a 185 nm quebra espécies orgânicas não iônicas que então são medidas por sensores de condutividade. 4 Internal usage only

6 A jornada do TOC Lâmpada UV Câmara de Oxidação Água do Processo Adaptador NSOR 1 SENSOR 2 Válvula de vazão 5 Internal usage only

7 Visão Geral da Aplicação No ciclo de geração de energia em co-geração numa planta de açúcar e etanol, a contaminação orgânica principal é devida ao açúcar. Contaminantes orgânicos são geralmente não condutivos, e portanto não podem ser detectados por medição de condutividade. Apesar da medição contínua de condutividade, as usinas ainda têm problemas com depósitos de açúcar em tubulações e trocadores de calor. Existe a possibilidade da quebra orgânica em ácidos orgânicos, diminuindo o ph do condensado, causando a corrosão da turbina. 6 Internal usage only

8 TOC em Geração de Energia C = condutividade específica CC = condutividade catiônica IC = condutividade indutiva DO = Oxigênio dissolvido ORP = redox ph = ph TOC = total organic carbon IC ph Wet Scrubber C CC Turbine(s) Stator Cooling C DO ph ph C or IC Cooling Tower Boiler Condenser Scrubber blowdown Coal Pile Runoff ph ph C C CC ph DO Boiler Blowdown, Cleaning Preheaters/ deaerators ph IC Wastewater Treatment CC DO Condensate polisher C C Cooling Tower Blowdown C ph ORP DO TOC RO/DI Makeup water treatment DI Regen. & RO Cleaning Waste 7 Internal usage only

9 Detalhes de Instalação O sensor é instalado na linha vinda do condensado Como o condensado atinge a temperatura de C, um trocador de calor é necessário para baixar a temperatura a 40 o C. Um filtro externo é instalado para prevenir o sensor de ser contaminado por partículas não dissolvidas em água. Trocador de Calor Filtro externo 8 Internal usage only

10 Manutenção A vida útil da lâmpada UV é de 4500 horas Instalação simples tempo de parada mínimo Recomendável calibração de TOC depois da troca da lâmpada 9 Internal usage only

11 Conclusões A contaminação orgânica e inorgânica não são diretamente proporcionais A medição de TOC online é um parâmetro chave para proteger o sistema de geração de energia. 10 Internal usage only

12 OBRIGADO Felipe Salomão Banci Engenheiro de Aplicação Mettler Toledo Divisão Processo (11) Internal usage only

Helena Campos (Engenharia Química)

Helena Campos (Engenharia Química) Tipos de água Laboratorial e suas aplicações Helena Campos (Engenharia Química) 28 de Setembro de 2010 Principais contaminantes da água Particulas Suspensas: Sílica (SiO 2 ) Resíduos das tubagens Matéria

Leia mais

Sensor Smart de TOC. ç nuas On-Line Monitoramente de Carbono Orgânico Total. THORNTON Leading Pure Water Analytics

Sensor Smart de TOC. ç nuas On-Line Monitoramente de Carbono Orgânico Total. THORNTON Leading Pure Water Analytics THORNTON Leading Pure Water Analytics Sensor Smart de TOC Sensor 5000TOC Medições rápidas e contínuas Sem necessidade de reagentes ou substâncias químicas Sem partes móveis Cumpre os requisitos USP ,

Leia mais

THORNTON. Líder em Analítica de Água Pura. Indústria de Energia. Soluções de Analítica de Processo Otimizando a Química de Geração de Energia

THORNTON. Líder em Analítica de Água Pura. Indústria de Energia. Soluções de Analítica de Processo Otimizando a Química de Geração de Energia THORNTON Líder em Analítica de Água Pura Indústria de Energia Soluções de Analítica de Processo Otimizando a Química de Geração de Energia Competência da METTLER TOLEDO METTLER TOLEDO Compromisso com Inovação

Leia mais

ÁGUA REAGENTE NO LABORATÓRIO CLÍNICO

ÁGUA REAGENTE NO LABORATÓRIO CLÍNICO ÁGUA REAGENTE NO LABORATÓRIO RIO CLÍNICO Água reagente no laboratório rio clínico Água de grau reagente (água( pura); Processos de purificação: destilação e deionização (+ usado atualmente). Especificações

Leia mais

Novas Tecnologias no Tratamento Terciário de Água Industrial

Novas Tecnologias no Tratamento Terciário de Água Industrial Novas Tecnologias no Tratamento Terciário de Água Industrial F. H. Harada a, F. P. Capeloza b, L. M. Scarpelini c a. Eng. Químico e MSc pela EPUSP, Coordenador de Engenharia e Propostas da Siemens Water

Leia mais

ÁGUA REAGENTE Sistema: Máster System MS2000

ÁGUA REAGENTE Sistema: Máster System MS2000 POPE n.º: E 03 Página 1 de 8 1. Objetivo: Estabelecer a sistemática para produção de água reagente Tipo 2 para o abastecimento do equipamento COBAS INTEGRA 400 Plus, dos demais equipamentos que utilizam

Leia mais

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA Questão 1: As bebidas alcoólicas contêm etanol e podem ser obtidas pela destilação do álcool (ex. whiskey e vodka) ou pela fermentação de uma variedade de produtos como frutas e outros vegetais (ex. vinho

Leia mais

Apoiada nestes 3 pilares buscamos oferecer uma completa linha de produtos e serviços (de???), oferecendo aos nosso clientes o mais elevado nível de

Apoiada nestes 3 pilares buscamos oferecer uma completa linha de produtos e serviços (de???), oferecendo aos nosso clientes o mais elevado nível de Apoiada nestes 3 pilares buscamos oferecer uma completa linha de produtos e serviços (de???), oferecendo aos nosso clientes o mais elevado nível de satisfação, de forma sustentável. Solução analítica para

Leia mais

17 ÁGUA DE RESFRIAMENTO

17 ÁGUA DE RESFRIAMENTO 215 17 ÁGUA DE RESFRIAMENTO A remoção de calor indesejável na operação de um processo industrial algumas vezes é necessário. Entre os meios utilizados a água é tida como eficaz na absorção e no afastamento

Leia mais

TRATAMENTO DE EFLUENTES DE LATICÍNIOS MEDIANTE PROCESSO OXIDATIVO AVANÇADO: FOTOCATÁLISE HOMOGÊNEA PELO SISTEMA UV/H 2 O 2

TRATAMENTO DE EFLUENTES DE LATICÍNIOS MEDIANTE PROCESSO OXIDATIVO AVANÇADO: FOTOCATÁLISE HOMOGÊNEA PELO SISTEMA UV/H 2 O 2 TRATAMENTO DE EFLUENTES DE LATICÍNIOS MEDIANTE PROCESSO OXIDATIVO AVANÇADO: FOTOCATÁLISE HOMOGÊNEA PELO SISTEMA UV/H 2 O 2 Mara Juliana Conterato 1, Délio Guerra Filho 1, Messias Borges Silva 1 1 Escola

Leia mais

A ÁGUA COMO REAGENTE PURA PURA PURA Destilação - Deionização Osmose Reversa - Filtração através de Carvão Ativado Ultrafiltração -

A ÁGUA COMO REAGENTE PURA PURA PURA Destilação - Deionização Osmose Reversa - Filtração através de Carvão Ativado  Ultrafiltração - 1 A ÁGUA COMO REAGENTE A água é o suprimento do Laboratório Clínico de menor custo. Talvez, por este motivo, sua qualidade seja tão negligenciada, apesar de ser um reagente importante e o mais utilizado.

Leia mais

Osmose Reversa Conheça este processo de purificação de água

Osmose Reversa Conheça este processo de purificação de água Osmose Reversa Conheça este processo de purificação de água Antes de falarmos sobre Osmose Reversa, precisamos entender o que é Osmose. Osmose é o nome dado ao movimento da água entre meios com concentrações

Leia mais

HIDROPONIA Qualidade da água. Prof. Dr. Osmar Souza dos Santos UFSM

HIDROPONIA Qualidade da água. Prof. Dr. Osmar Souza dos Santos UFSM HIDROPONIA Qualidade da água Prof. Dr. Osmar Souza dos Santos UFSM CURIOSIDADES DA ÁGUA 75% da terra está coberta com água Terra plana: cobertura de 2,5 km de água 0,005% se move por dia no ciclo hidrológico

Leia mais

Organica é uma marca registrada da Divisão de Energia do Keter Group

Organica é uma marca registrada da Divisão de Energia do Keter Group Organica é uma marca registrada da Divisão de Energia do Keter Group Todo dia é Dia da Terra. 04 05 Sem energia não há vida... mas, o crescente uso da energia atual representa a maior ameaça à vida. Na

Leia mais

Capítulo I Água potável, mineral e de mesa

Capítulo I Água potável, mineral e de mesa Ciência Alimentar e Saúde Composição de Alimentos II Capítulo I Água potável, mineral e de mesa Água Potável deve ser transparente, sem cor, sem odor, livre de microorganismos patogénicos (baixo em microorganismos

Leia mais

Conceitos Principais Tipos de Tratamento Parâmetros de Controle e Monitoramentos Quantificação de Benefícios

Conceitos Principais Tipos de Tratamento Parâmetros de Controle e Monitoramentos Quantificação de Benefícios 1 TEMAS ABORDADOS Balanço de Massa Balanço Térmico Tratamento Químico Conceitos Principais Tipos de Tratamento Parâmetros de Controle e Monitoramentos Quantificação de Benefícios 2 OBJETIVOS DA CALDEIRA

Leia mais

PARECER TÉCNICO PROPOSTA DE REUSO DE ESGOTOS TRATADOS PELA USINA DE GERAÇÃO DE ENERGIA CARIOBA II

PARECER TÉCNICO PROPOSTA DE REUSO DE ESGOTOS TRATADOS PELA USINA DE GERAÇÃO DE ENERGIA CARIOBA II PARECER TÉCNICO PROPOSTA DE REUSO DE ESGOTOS TRATADOS PELA USINA DE GERAÇÃO DE ENERGIA CARIOBA II Autores: Ivanildo Hespanhol José Carlos Mierzwa São Paulo, 24 de maio de 2.001 Lienne Carla Pires 2 Índice

Leia mais

TRATAMENTO DE ÁGUA PARA CALDEIRAS DE ALTA PRESSÃO. Palavras chaves: geração de vapor, cogeração, tratamento químico, arraste volátil.

TRATAMENTO DE ÁGUA PARA CALDEIRAS DE ALTA PRESSÃO. Palavras chaves: geração de vapor, cogeração, tratamento químico, arraste volátil. TRATAMENTO DE ÁGUA PARA CALDEIRAS DE ALTA PRESSÃO Palavras chaves: geração de vapor, cogeração, tratamento químico, arraste volátil. Eng ARNO ROTHBARTH INTRODUÇÃO Nos dias atuais, onde o meio ambiente,

Leia mais

TRATAMENTO DA ÁGUA PARA GERADORES DE VAPOR

TRATAMENTO DA ÁGUA PARA GERADORES DE VAPOR Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira MÁQUINAS TÉRMICAS AT-101 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br 1 INTRODUÇÃO: A água nunca está em estado puro, livre de

Leia mais

TRATAMENTO DA ÁGUA. Professora: Raquel Malta Química 3ª série - Ensino Médio

TRATAMENTO DA ÁGUA. Professora: Raquel Malta Química 3ª série - Ensino Médio TRATAMENTO DA ÁGUA Professora: Raquel Malta Química 3ª série - Ensino Médio Água poluída: água inadequada para beber ou para fazer nossa higiene. Diversas substâncias naturalmente presentes na água são

Leia mais

Interacção da Radiação com a Matéria

Interacção da Radiação com a Matéria Interacção da Radiação com a Matéria Já sabemos que: As radiações eletromagnéticas têm comportamento ondulatório e corpuscular. Cada radiação apresenta as suas características individuais; Os corpúsculos

Leia mais

Química D Extensivo V. 3

Química D Extensivo V. 3 Química D Extensivo V. 3 Exercícios 01) Alternativa correta: A 5 4 3 2 1 CH 3 CH 2 CH CH CH 2 OH CH 3 CH 3 metil metil 02) Alternativa correta: D 8 7 6 5 4 3 2 1 CH 3 C = CH CH 2 CH 2 CH CH 2 CH 2 OH CH

Leia mais

SOLUÇÕES EM INSTRUMENTAÇÃO ANALÍTICA

SOLUÇÕES EM INSTRUMENTAÇÃO ANALÍTICA SOLUÇÕES EM INSTRUMENTAÇÃO ANALÍTICA Monitoramento de qualidade de água e sensores para gases A qualidade do ar que respiramos e da água que bebemos é uma preocupação básica de todos nós. A Analytical

Leia mais

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio?

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio? Questão 1: O Brasil é o campeão mundial da reciclagem de alumínio, colaborando com a preservação do meio ambiente. Por outro lado, a obtenção industrial do alumínio sempre foi um processo caro, consumindo

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS POP: L40 Página 1 de 7 1. Objetivos: Estabelecer a sistemática para a produção de água reagente IFW (Intrument Feed Water nova nomenclatura do CLSI para a antiga água Tipo 2) para o abastecimento direto

Leia mais

De onde vêm as lágrimas?

De onde vêm as lágrimas? De onde vêm as lágrimas? É toda substância que, em solução aquosa, sofre dissociação, liberado pelo menos um cátion diferente de H + e um ânion diferente de OH -. a) Presença de oxigênio b) Sal não oxigenado

Leia mais

QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014.

QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014. QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014. 1- Prazeres, benefícios, malefícios, lucros cercam o mundo dos refrigerantes. Recentemente, um grande fabricante nacional anunciou que havia reduzido em 13

Leia mais

COTEQ - 162 A CONDUTIVIDADE CATIÔNICA COMO PARÂMETRO PARA CONTROLE DA PUREZA DO VAPOR Antonio Sergio B Neves 1, Francisco A Passos 2

COTEQ - 162 A CONDUTIVIDADE CATIÔNICA COMO PARÂMETRO PARA CONTROLE DA PUREZA DO VAPOR Antonio Sergio B Neves 1, Francisco A Passos 2 COTEQ - 162 A CONDUTIVIDADE CATIÔNICA COMO PARÂMETRO PARA CONTROLE DA PUREZA DO VAPOR Antonio Sergio B Neves 1, Francisco A Passos 2 Copyright 2009, ABENDE, ABRACO e IBP Trabalho apresentado durante a

Leia mais

Esterilização a Vapor - O papel do Técnico 2. Unidade Local de Saúde da Guarda, EPE. Esterilização a Vapor - O papel do Técnico 2

Esterilização a Vapor - O papel do Técnico 2. Unidade Local de Saúde da Guarda, EPE. Esterilização a Vapor - O papel do Técnico 2 Guarda, 8 e 9 de Fevereiro de 2013. Unidade Local de Saúde da Guarda, EPE 1 Manutenção Definição de manutenção: Manutenção é toda acção de controle e monitorização do equipamento. Manutenção não aumenta

Leia mais

Arrefecimento Manutenção Torre Melhora com ozônio

Arrefecimento Manutenção Torre Melhora com ozônio Arrefecimento Manutenção Torre Melhora com ozônio Fonte: Bryan Smithee, PE, CPE Ozone como biocida torre de resfriamento não é apenas ambientalmente benignos, mas também traz um número significativo de

Leia mais

Confiança na Conformidade

Confiança na Conformidade THORNTON Líder em Analítica de Água Pura Confiança na Conformidade Conformidade de Águas Farmacêuticas com os Requisitos da Farmacopeia Global Índice Página 1. Normas de Pureza da Água 3 2. O que é a USP?

Leia mais

SIMULADO DE QUÍMICA. 1) Para eliminar a poeira e outras impurezas sólidas do ar, muitos aparelhos de purificação usam método da:

SIMULADO DE QUÍMICA. 1) Para eliminar a poeira e outras impurezas sólidas do ar, muitos aparelhos de purificação usam método da: SIMULADO DE QUÍMICA 1) Para eliminar a poeira e outras impurezas sólidas do ar, muitos aparelhos de purificação usam método da: a) ( ) filtração; b) ( ) flotação; c) ( ) separação de mistura; d) ( ) ventilação.

Leia mais

Um sistema de filtragem deve ter no mínimo três etapas:

Um sistema de filtragem deve ter no mínimo três etapas: 1. FILTRAÇÃO FILTRAGEM DE AQUÁRIOS: A) Por que Filtrar? Em um ecossistema semi-aberto como um aquário, onde são constantemente introduzidas porções de matéria orgânica (alimentos, plantas, peixes, micro-organismos,

Leia mais

PROCESSOS ELETROQUÍMICOS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES VISANDO O REÚSO DE ÁGUA

PROCESSOS ELETROQUÍMICOS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES VISANDO O REÚSO DE ÁGUA PROCESSOS ELETROQUÍMICOS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES VISANDO O REÚSO DE ÁGUA Andréa Moura Bernardes amb@ufrgs.br 2013 Múltiplos Usos da Água http://www.acinh.com.br/download/presente%20futuro%20rio%20dos%20sinos.pdf

Leia mais

Combustão Industrial

Combustão Industrial Combustão Industrial JOSÉ EDUARDO MAUTONE BARROS Professor Adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais Coordenador do Laboratório de Combustíveis e Combustão Doutor em Engenharia Mecânica - Térmica

Leia mais

SISTEMAS PARA PURIFICAÇÃO DE ÁGUA

SISTEMAS PARA PURIFICAÇÃO DE ÁGUA SISTEMAS PARA PURIFICAÇÃO DE ÁGUA SISTEMAS DE PURIFICAÇÃO DE ÁGUA Sempre atendendo suas necessidades. INTRODUÇÃO Muitos laboratórios necessitam de água pura e ultrapura diariamente. Sabemos como é importante

Leia mais

01/04/2015. Métodos Instrumentais Farmacêuticos FENÔMENOS DE SUPERFÍCIE. Cromatografia. Parte 2 CROMATOGRAFIA E ELETROFORESE CROMATOGRAFIA

01/04/2015. Métodos Instrumentais Farmacêuticos FENÔMENOS DE SUPERFÍCIE. Cromatografia. Parte 2 CROMATOGRAFIA E ELETROFORESE CROMATOGRAFIA Métodos Instrumentais Farmacêuticos FENÔMENOS DE SUPERFÍCIE Cromatografia CROMATOGRAFIA Plano de Aula -Princípios da separação de moléculas -Cromatografia: Classificação e mecanismos de separação -Cromatografia

Leia mais

HI 83200. www.hannacom.pt. Fotómetros Multiparâmetros até 45 Métodos de Medição. Certificado ISO 9001:2000

HI 83200. www.hannacom.pt. Fotómetros Multiparâmetros até 45 Métodos de Medição. Certificado ISO 9001:2000 HI 83200 S É R I E 2 0 0 8 Fotómetros Multiparâmetros até 45 Métodos de Medição Certificado ISO 9001:2000 www.hannacom.pt Botão Setup As preferências do instrumento, como a intensidade e contraste do ecrã

Leia mais

11º Congresso Mundial de Esterilização 7º Simpósio Internacional de Esterilização e Controle de Infecção Hospitalar

11º Congresso Mundial de Esterilização 7º Simpósio Internacional de Esterilização e Controle de Infecção Hospitalar 11º Congresso Mundial de Esterilização 7º Simpósio Internacional de Esterilização e Controle de Infecção Hospitalar Qualidade da Água: Como definir a escolha do tratamento de água? Consultoria - Acquasoft

Leia mais

ARTIGO CIENTÍFICO. E-mail: humberto@gehaka.com.br Data: 13/03/2007 ÁGUA PURIFICADA, O QUE É?

ARTIGO CIENTÍFICO. E-mail: humberto@gehaka.com.br Data: 13/03/2007 ÁGUA PURIFICADA, O QUE É? ARTIGO CIENTÍFICO Tema: Sistema de Purificação de Água Responsável: Humberto Muniz de Souza Ramos Depto: Purificador de Água E-mail: humberto@gehaka.com.br Data: 13/03/2007 ÁGUA PURIFICADA, O QUE É? Entende-se

Leia mais

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP)

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) PROBLEMAS AMBIENTAIS Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) Liga-se com a hemoglobina impedindo o O2 de ser conduzido INVERSÃO TÉRMICA *Inversão térmica é um fenômeno

Leia mais

Formas do fósforo: -Ortofosfatos: PO 4 3-, HPO 4 2-, H 2 PO 4 -, H 3 PO 4

Formas do fósforo: -Ortofosfatos: PO 4 3-, HPO 4 2-, H 2 PO 4 -, H 3 PO 4 CICLO DO FÓSFORO O fósforo é um não-metal multivalente pertencente à série química do nitrogênio (grupo 15 ou 5 A) que se encontra na natureza combinado, formando fosfatos inorgânicos, inclusive nos seres

Leia mais

MÉTODOS DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA EM CALDEIRAS

MÉTODOS DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA EM CALDEIRAS 1/5 MÉTODOS DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA EM CALDEIRAS Uma parcela considerálvel do custo de operação de caldeiras envolve o gasto com combustível. Independente do tipo utilizado (óleo combustível, gás natural,

Leia mais

Novas Tecnologias no Tratamento. Franco Hamilton Harada Larissa Matos Scarpelini

Novas Tecnologias no Tratamento. Franco Hamilton Harada Larissa Matos Scarpelini Novas Tecnologias no Tratamento Terciário i de Água Industrial Franco Hamilton Harada Fernando Palomares Capeloza Larissa Matos Scarpelini Tópicos a serem abordados d Tratamento terciário de águas: Troca

Leia mais

X-003 - PROCEDIMENTOS ANALÍTICOS E RESULTADOS NO MONITORAMENTO DO TRATAMENTO DE ESGOTOS

X-003 - PROCEDIMENTOS ANALÍTICOS E RESULTADOS NO MONITORAMENTO DO TRATAMENTO DE ESGOTOS X-003 - PROCEDIMENTOS ANALÍTICOS E RESULTADOS NO MONITORAMENTO DO TRATAMENTO DE ESGOTOS Aline Pires Veról(1) Graduanda em Engenharia Civil Escola Politécnica/UFRJ, Bolsista IC-CNPq/PROSAB Maria Cristina

Leia mais

Fabricantes de Sistema de Água

Fabricantes de Sistema de Água THORNTON Líder em Analítica de Água Pura onfiança, onveniência e onformidade em Sistemas de Tratamento de Água onfiança, onveniência e onformidade onformidade Simplificada Um ompromisso Global com Inovação

Leia mais

Energia Primária da Biomassa e Reconversão do CO₂ em Energia. Autor: Eng. Raymond Guyomarc h Palestrante: Eng. Hely de Andrade SEE BRASIL

Energia Primária da Biomassa e Reconversão do CO₂ em Energia. Autor: Eng. Raymond Guyomarc h Palestrante: Eng. Hely de Andrade SEE BRASIL Energia Primária da Biomassa e Reconversão do CO₂ em Energia Autor: Eng. Raymond Guyomarc h Palestrante: Eng. Hely de Andrade 1 Índice : 1. Matérias combustíveis utilizáveis 2. A secagem com CO₂ - SEE

Leia mais

REUSO DE ÁGUA NA COGERAÇÃO DE ENERGIA

REUSO DE ÁGUA NA COGERAÇÃO DE ENERGIA REUSO DE ÁGUA NA COGERAÇÃO DE ENERGIA Por : ARNO ROTHBARTH INTRODUÇÃO Há muito tempo a preocupação com o consumo de água é uma constante nos assuntos pertinentes ao meio ambiente. A água é um bem comum,

Leia mais

MINISTERIO DE AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO RURAL DIRECÇÃO GERAL DE ENGENHARIA E DESENVOLVIENTO RURAL LABORATÓRIO NACIONAL DOS SOLOS, ÁGUA E PLANTAS

MINISTERIO DE AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO RURAL DIRECÇÃO GERAL DE ENGENHARIA E DESENVOLVIENTO RURAL LABORATÓRIO NACIONAL DOS SOLOS, ÁGUA E PLANTAS REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU MINISTERIO DE AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO RURAL DIRECÇÃO GERAL DE ENGENHARIA E DESENVOLVIENTO RURAL LABORATÓRIO NACIONAL DOS SOLOS, ÁGUA E PLANTAS É sabido que agricultura sem

Leia mais

PLANTA DE ÁGUA USP. Tipos de Contaminação. Entendendo e Solucionando Problemas de Contaminação em Sistemas de Água Purificada. Origem da Contaminação

PLANTA DE ÁGUA USP. Tipos de Contaminação. Entendendo e Solucionando Problemas de Contaminação em Sistemas de Água Purificada. Origem da Contaminação Entendendo e Solucionando Problemas de Contaminação em Sistemas de Água Purificada Tipos de Contaminação Contaminação Inorgânica. Contaminação Orgânica. Origem da Contaminação Fontes Externas Fontes Internas

Leia mais

Exercícios 3º ano Química -

Exercícios 3º ano Química - Exercícios 3º ano Química - Ensino Médio - Granbery 01-ufjf-2003- Cada vez mais se torna habitual o consumo de bebidas especiais após a prática de esportes. Esses produtos, chamados bebidas isotônicas,

Leia mais

Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B

Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B Setembro, 2010. Orientações e Procedimentos para o Manuseio e Armazenagem de Óleo Diesel B Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei 11.097, de 13

Leia mais

Engº. Gandhi Giordano

Engº. Gandhi Giordano Processos físico-químicos e biológicos associados para tratamento de chorume Engº. Gandhi Giordano Professor Adjunto do Departamento de Engª Sanitária e Meio Ambiente da UERJ Diretor Técnico da TECMA Tecnologia

Leia mais

Parâmetros de qualidade da água. Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas

Parâmetros de qualidade da água. Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas Parâmetros de qualidade da água Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas Coloração - COR Variáveis Físicas associada à presença

Leia mais

Portfólio de Serviços

Portfólio de Serviços Portfólio de Serviços - Documentação - - Qualificação - Validação - Programa GWP - - - - - Suporte 24/7 - Locação Brasil 2012/2013 Mettler Toledo - Serviços Serviços para Processo, Laboratório, Industrial

Leia mais

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO METABOLISMO É o conjunto das reações químicas que ocorrem num organismo vivo com o fim de promover a satisfação de necessidades estruturais e energéticas. ...metabolismo Do ponto de vista físico-químico,

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

Parafínicos Quando existe predominância de hidrocarbonetos parafínicos. Naftênicos Quando existe predominância de hidrocarbonetos naftênicos.

Parafínicos Quando existe predominância de hidrocarbonetos parafínicos. Naftênicos Quando existe predominância de hidrocarbonetos naftênicos. PETRÓLEO E DERIVADOS ASELCO / TELEDYNE TIPOS DE PETRÓLEO Parafínicos Quando existe predominância de hidrocarbonetos parafínicos. Naftênicos Quando existe predominância de hidrocarbonetos naftênicos. Mistos

Leia mais

Cuidados no transporte, armazenamento e uso do Biodiesel B5

Cuidados no transporte, armazenamento e uso do Biodiesel B5 Cuidados no transporte, armazenamento e uso do Biodiesel B5 III ENCONTRO ANUAL DA EQUIPE TÉCNICA DO DESPOLUIR Eduardo Vieira Gerente de Projetos da CNT Rio de Janeiro, novembro de 2010. Motivação Relatos

Leia mais

MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS

MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005,

Leia mais

Distribuição esquemática de íons de um sal dissolvido em água

Distribuição esquemática de íons de um sal dissolvido em água UNESP 2011/2 1-Soluções são misturas homogêneas de duas ou mais substâncias. A água é um solvente muito eficaz para solubilizar compostos iônicos. Quando um composto iônico se dissolve em água, a solução

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1. MATERIAIS: DIVERSIDADE E CONSTITUIÇÃO 1.1 Materiais 1.1.1 Materiais

Leia mais

FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA

FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA Respiração A função da respiração é essencial à vida e pode ser definida, de um modo simplificado, como a troca de gases (O 2 e CO 2 ) entre as células do organismo e a atmosfera.

Leia mais

PROCESSOS OXIDATIVOS AVANÇADOS (POA) NO TRATAMENTO IN SITU DE CORPOS DE ÁGUA SUPERFICIAIS. Marco Antonio Fernandes Locatelli, Dr.

PROCESSOS OXIDATIVOS AVANÇADOS (POA) NO TRATAMENTO IN SITU DE CORPOS DE ÁGUA SUPERFICIAIS. Marco Antonio Fernandes Locatelli, Dr. PROCESSOS OXIDATIVOS AVANÇADOS (POA) NO TRATAMENTO IN SITU DE CORPOS DE ÁGUA SUPERFICIAIS Marco Antonio Fernandes Locatelli, Dr. REAÇÕES DE OXIDAÇÃO Envolvem transferência de elétrons Espécie oxidada x

Leia mais

MANUSEIO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS

MANUSEIO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS MANUSEIO E ARMAZENAMENTO DE ÓLEO DIESEL B ORIENTAÇÕES E PROCEDIMENTOS Com a criação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel, em 2004, e a aprovação da Lei 11.097, de 13 de janeiro de 2005,

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Conservação e Restauração

Leia mais

Waterbook da Thermo Scientific. excepcionais sistemas de água para laboratório de um jeito simples

Waterbook da Thermo Scientific. excepcionais sistemas de água para laboratório de um jeito simples Waterbook da Thermo Scientific excepcionais sistemas de água para laboratório de um jeito simples Índice excepcionais sistemas de água para laboratório de um jeito simples H 2 O. Um composto tão simples.

Leia mais

Profa Fernanda Galante Fundamentos de Química e Biologia Molecular/ Nutrição Material 3 1 LIGAÇÕES QUIMICAS

Profa Fernanda Galante Fundamentos de Química e Biologia Molecular/ Nutrição Material 3 1 LIGAÇÕES QUIMICAS Profa Fernanda Galante Fundamentos de Química e Biologia Molecular/ Nutrição Material 3 1 LIGAÇÕES QUIMICAS REGRA DO OCTETO Cada átomo tem um número de elétrons diferente e estes e - (elétrons) estão distribuídos

Leia mais

QUÍMICA Exercícios de revisão resolvidos

QUÍMICA Exercícios de revisão resolvidos 13. (ENEM 2014) O principal processo industrial utilizado na produção de fenol é a oxidação do cumeno (isopropilbenzeno). A equação mostra que esse processo envolve a formação do hidroperóxido de cumila,

Leia mais

FUNCIONAMENTO DE UM MONITOR CONTÍNUO DE OZÔNIO

FUNCIONAMENTO DE UM MONITOR CONTÍNUO DE OZÔNIO FUNCIONAMENTO DE UM MONITOR CONTÍNUO DE OZÔNIO 1. Introdução A melhor tecnologia para o monitoramento de baixas concentrações de ozônio (O 3 ) no ar ambiente é a da absorção de luz na faixa do Ultra Violeta

Leia mais

MONITORAMENTO DE VOCS PID OU FID?

MONITORAMENTO DE VOCS PID OU FID? MONITORAMENTO DE VOCS PID OU FID? PID OU FID? FID OU PID? Esta é a questão No Brasil não existe padrão de qualidade do ar para Hidrocarbonetos Totais (também conhecidos por HCT) ou Compostos Orgânicos

Leia mais

TIPOS DE MÉTODOS ELETROANALÍTICOS

TIPOS DE MÉTODOS ELETROANALÍTICOS CONDUTOMETRIA TIPOS DE MÉTODOS ELETROANALÍTICOS CONDUTOMETRIA Baseia-se em medições de condutância das soluções iônicas (seio da solução). A condução de eletricidade através das soluções iônicas é devida

Leia mais

Monitoramento de emissões:

Monitoramento de emissões: Monitoramento de emissões: Monitoramento de emissões: Emissão de gases SO2 NOx NH3 CO2 O2 Vazão Monitoramento de particulados Monitoramento de Emissões: Uma monitoração exata e de confiança das emissões,

Leia mais

Depuração das aguas residuais provenientes da plantas de tratamento das superficies. Gianfranco Verona

Depuração das aguas residuais provenientes da plantas de tratamento das superficies. Gianfranco Verona Depuração das aguas residuais provenientes da plantas de tratamento das superficies Gianfranco Verona DESCARTE ZERO NUMA CABINE DE PINTURA SKIMMERFLOT Para o tratamento e a reutilização de águas provenientes

Leia mais

FGA 300. Analisador de oxigênio para gás de chaminé da Panametrics. GE Sensing. Características. Aplicações

FGA 300. Analisador de oxigênio para gás de chaminé da Panametrics. GE Sensing. Características. Aplicações Aplicações Um analisador externo de óxido de zircônio para medir o excesso de oxigênio em aplicações sólidas e sujas de combustão tais como: Caldeiras: todos os combustíveis e tipos, incluindo de aplicação

Leia mais

ECONOMIA DE ENERGIA ELETRICA COM USO RACIONAL DE AR COMPRIMIDO

ECONOMIA DE ENERGIA ELETRICA COM USO RACIONAL DE AR COMPRIMIDO ECONOMIA DE ENERGIA ELETRICA COM USO RACIONAL DE AR COMPRIMIDO CONSUMO DE ENERGIA E AR COMPRIMIDO NA INDÚSTRIA Consumo de Energia 20% 50% 30% Fornec.de ar Refrigeração Outros Consumo de Ar Comprimido 10%

Leia mais

Microbiologia ambiental Engenharia do Ambiente. Escola Superior Agrária Instituto Politécnico de Coimbra abelho@esac.pt www.esac.

Microbiologia ambiental Engenharia do Ambiente. Escola Superior Agrária Instituto Politécnico de Coimbra abelho@esac.pt www.esac. Microbiologia ambiental Engenharia do Ambiente Escola Superior Agrária Instituto Politécnico de Coimbra abelho@esac.pt www.esac.pt/abelho Módulo 2. Microbiologia ambiental aplicada 3.2 OS MICRORGANISMOS

Leia mais

Biodegradação de plásticos com Eco-One. Este documento fornecerá uma visão geral sobre os seguintes tópicos:

Biodegradação de plásticos com Eco-One. Este documento fornecerá uma visão geral sobre os seguintes tópicos: Biodegradação de plásticos com Eco-One Este documento fornecerá uma visão geral sobre os seguintes tópicos: Biodegradação Biodegradação em Aterros Sanitários Os plásticos biodegradáveis Mecanismo de Biodegradação

Leia mais

Quando tratamos das propriedades de um material transformado, segundo muitos pesquisadores, estas dependem de uma reciclagem bem sucedida. Para que isto ocorra, os flocos de PET deverão satisfazer determinados

Leia mais

Coeficientes de distribuição de metais pesados em solos de São Paulo. Luís Reynaldo F. Alleoni ESALQ/USP Dep. de Ciência do Solo

Coeficientes de distribuição de metais pesados em solos de São Paulo. Luís Reynaldo F. Alleoni ESALQ/USP Dep. de Ciência do Solo Coeficientes de distribuição de metais pesados em solos de São Paulo Luís Reynaldo F. Alleoni ESALQ/USP Dep. de Ciência do Solo Definição de metais pesados Química - grande grupo de elementos com: densidade

Leia mais

2 o CONGRESSO BRASILEIRO DE P&D EM PETRÓLEO & GÁS

2 o CONGRESSO BRASILEIRO DE P&D EM PETRÓLEO & GÁS 2 o CONGRESSO BRASILEIRO DE P&D EM PETRÓLEO & GÁS DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA PARA DETERMINAÇÃO DE DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIO Rodrigues, F. F., Araújo, O.Q.F., Folly R. O. M., Coelho, M. A. Z. Universidade

Leia mais

Degradação Fotoquímica

Degradação Fotoquímica Degradação de Polímeros e Corrosão Prof. Hamilton Viana Prof. Renato Altobelli Antunes 1. Introdução Os efeitos da radiação em polímeros de engenharia, tornaram-se objeto de consideração de importância

Leia mais

Eymard de Meira Breda CRQ 02300/276 Setembro/2001

Eymard de Meira Breda CRQ 02300/276 Setembro/2001 ÁGUA GRAU REAGENTE PARA LABORATÓRIO E OUTROS FINS ESPECIAIS Eymard de Meira Breda CRQ 02300/276 Setembro/2001 1- INTRODUÇÃO A água de abastecimento urbano ("água de torneira") não tem pureza suficiente

Leia mais

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 RESPONDA AS QUESTÕES DE 1 a 30, MARCANDO UMA DAS ALTERNATIVAS DE ACORDO COM O QUE SE PEDE QUESTÃO 1 Peso 2 A dissolução do cloreto de amônio, NH 4 Cl(s), em água ocorre

Leia mais

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1997 - TARDE QUESTÃO 01 Um estudante listou os seguintes processos como exemplos de fenômenos que envolvem reações químicas: I adição de álcool à gasolina. II fermentação da massa

Leia mais

ANEXO 14- PILHAS DE COMBUSTÍVEL

ANEXO 14- PILHAS DE COMBUSTÍVEL ANEXO 14- PILHAS DE COMBUSTÍVEL 198 Conteúdo 1 Pilha de combustível... 199 1.1 O que é um elemento a combustível... 199 1.2 Princípio de funcionamento... 200 1.3 Tipos básicos de elementos a combustível...

Leia mais

INSTITUTO HAHNEMANNIANO DO BRASIL DEPARTAMENTO DE ENSINO. Curso de Pós-Graduação Lato sensu em Homeopatia Área de Concentração: Farmácia MONOGRAFIA

INSTITUTO HAHNEMANNIANO DO BRASIL DEPARTAMENTO DE ENSINO. Curso de Pós-Graduação Lato sensu em Homeopatia Área de Concentração: Farmácia MONOGRAFIA INSTITUTO HAHNEMANNIANO DO BRASIL DEPARTAMENTO DE ENSINO Curso de Pós-Graduação Lato sensu em Homeopatia Área de Concentração: Farmácia MONOGRAFIA Água purificada: teste físico-químico e a viabilidade

Leia mais

DATA: 17/11/2015. 2. (ENEM) Discutindo sobre a intensificação do efeito estufa, Francisco Mendonça afirmava:

DATA: 17/11/2015. 2. (ENEM) Discutindo sobre a intensificação do efeito estufa, Francisco Mendonça afirmava: EXERCÍCIOS REVISÃO QUÍMICA AMBIENTAL (EFEITO ESTUFA, DESTRUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO E CHUVA ÁCIDA) e EQUILÍBRIO QUÍMICO DATA: 17/11/2015 PROF. ANA 1. Na década de 70, alguns cientistas descobriram quais

Leia mais

Tecnologias de Produção de Hidrogênio

Tecnologias de Produção de Hidrogênio Programa de Pós-Graduação em Bioenergia Tecnologias de Produção de Hidrogênio Prof. Helton José Alves Palotina, 19/05/14 O HIDROGÊNIO - Elemento mais abundante do universo (95% em número de átomos e 75%

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA UFJF CNCURS VESTIBULAR 2011-2 GABARIT DA PRVA DISCURSIVA DE QUÍMICA Questão 1 Sabe-se que compostos constituídos por elementos do mesmo grupo na tabela periódica possuem algumas propriedades químicas semelhantes.

Leia mais

Informação Técnica 10.08.01 E 09.2003 Offset Serviços. Molhagem em impressão offset Fatos importantes para o uso nos aditivos de molhagem offset 1/5

Informação Técnica 10.08.01 E 09.2003 Offset Serviços. Molhagem em impressão offset Fatos importantes para o uso nos aditivos de molhagem offset 1/5 Informação Técnica 10.08.01 E 09.2003 Offset Serviços Molhagem em impressão offset Fatos importantes para o uso nos aditivos de molhagem offset 1/5 O processo de impressão offset Offset continua a ser

Leia mais

Tecnologia na captura e armazenamento de carbono em subsolo

Tecnologia na captura e armazenamento de carbono em subsolo Tecnologia na captura e armazenamento de carbono em subsolo Discentes: Juliane C. Prado Vinícius F. Bernardo Docente: Profº Dr. César A. Moreira Disciplina: Recursos Energéticos Índice 1) Introdução 2)

Leia mais

Conceitos Principais Tipos de Tratamento Parâmetros de Controle e M onitoramentos Quantificação de Benefícios

Conceitos Principais Tipos de Tratamento Parâmetros de Controle e M onitoramentos Quantificação de Benefícios TEMAS ABORDADOS Balanço de M assa Balanço Térmico Tratamento Químico Conceitos Principais Tipos de Tratamento Parâmetros de Controle e M onitoramentos Quantificação de Benefícios OBJETIVOS DA CALDEIRA

Leia mais

Aula 3: Química do Solo

Aula 3: Química do Solo DISCIPLINA: QUÍMICA ANALÍTICA AMBIENTAL Aula 3: Química do Solo Prof a. Lilian Silva 2012 Solo: O solo pode ser conceituado como um manto superficial formado por rocha desagregada e, eventualmente, cinzas

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSAS

ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSAS ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSAS O que é biomassa? - É toda matéria orgânica proveniente das plantas e animais. Como se forma a biomassa? - A biomassa é obtida através da fotossíntese realizada pelas plantas.

Leia mais

ANALISE DOS GAZES DE ESCAPAMENTO E SUAS APLICAÇÕES

ANALISE DOS GAZES DE ESCAPAMENTO E SUAS APLICAÇÕES ANALISE DOS GAZES DE ESCAPAMENTO E SUAS APLICAÇÕES Analise dos gazes de escapamento Surgiram junto com o automóvel mas a partir das legislações anti-polui poluição é que realmente se desenvolveram; Influenciam

Leia mais

Geradores de Vapor. 4º ano Aula 4

Geradores de Vapor. 4º ano Aula 4 Geradores de Vapor 4º ano Aula 4 Caldeiras Aquatubulares Partes Tópicos Economizador Tubulão Inferior Paredes de água Tubulão superior Superaquecedor Reaquecedor Pré-Aquecedor de Ar Sopradores de Fuligem

Leia mais

Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO

Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO I Ocorre de maneira natural; Atividade humana; Década de 1970 preocupação com a biodiversidade e poluição; Esforço global... Substituir civilização

Leia mais

Reações Químicas Reações Químicas DG O QUE É UMA REAÇÃO QUÍMICA? É processo de mudanças químicas, onde ocorre a conversão de uma substância, ou mais, em outras substâncias. A + B REAGENTES C +

Leia mais