STF ASSESSORIA & CONSULTORIA S/C LTDA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "STF ASSESSORIA & CONSULTORIA S/C LTDA"

Transcrição

1 São Paulo, 03 de julho de À SKR Empreendimento: JURUCÊ. A/C Carolina Barbosa C/C aos demais projetistas. Ref. 1º Relatório de análise dos sistemas passivos e ativos de prevenção e combate a incêndio para empreendimento localizado na Av. Jurucê, 194/196 - Indianópolis, São Paulo-SP, pertencente à proposta entre a SKR e a STF Assessoria & Consultoria. Após análise do estudo preliminar de arquitetura, relatamos a seguir as primícias no tocante aos sistemas de prevenção e combate a incêndio, sob uso residencial, composto por: - 01 única torre residencial com, 02 subsolos, pav. térreo, mezanino, 09 pav. tipo, duplex, ático e cobertura c/ 30m<h<80m! O referido empreendimento é composto por única torre sob a ocupação A-2 (residencial Multifamiliar). SUBSOLOS (1 E 2 ): ARQUITETURA: - PERCURSO ESTÁ CONFORME COE/PMSP E RESOLUÇÃO CEUSO, PERCURSO DE 50m!! - OS SUBSOLOS NÃO CONTEMPLAM DEPÓSITOS INDIVIDUAIS QUE DÊ A SOMATÓRIA MAIOR OU IGUAL A 50m², SOMENTE NO 2 SUBSOLO ONDE SERÁ A CAIXA DE ESCADA DA TORRE QUE TERÁ UM DEPÓSITO, PORÉM, ESTE NÃO NECESSITARA DE MEDIDAS ADICIONAIS COMO DETECÇÃO DE FUMAÇA E VENTILAÇÃO. - RETIRAR A PORTA PREVISTA DENTRO DA CAIXA DE ESCADA DE EMERGÊNCIA. - LEMBRANDO QUE A ESCADA QUE ATENDE O SUBSOLO PODERÁ SER UMA ESCADA EP (ESCADA ENCLAUSURADA, PROTEGIDA SEM VENTILAÇÃO), POIS SUA ALTURA É INFERIOR A 12m. 1

2 - NO 1 SUBSOLO FOI PREVISTA CASA DE MÁQUINAS DE PRESSURIZAÇÃO. - PREVER UMA ANTECÂMARA PARA A CASA DE MÁQUINAS DE PRESSURIZAÇÃO E ATENTAR- SE AS DISTÂNCIAS DA TOMADA DE AR CONFORME ITCB 13/11, QUE DEVERÁ SER PROVIDENCIADA NO NÍVEL DO PAVIMENTO TÉRREO OU PRÓXIMO A ESTE. 2

3 - VENTILAÇÃO NOS SUBSOLOS DEVERÁ ESTAR CONFORME PROJETO LEGAL, POIS OS ANALISTAS DOS BOMBEIROS ESTÃO VERIFICANDO AS ÁREAS NECESSÁRIAS DE VENTILAÇÃO DE CADA SUBSOLO! ESCLARECER E INFORMAR! HIDRÁULICA: - ALÉM DOS HIDRANTES LOCALIZADOS A 5m DO ACESSO ÀS ESCADAS, PREVER QUANTOS PONTOS FOR NECESSÁRIO PARA GARANTIR PLENA COBERTURA, CONFORME PRECONIZA O ITEM DA IT 22/ Os hidrantes ou mangotinhos devem ser distribuídos de tal forma que qualquer ponto da área a ser protegida seja alcançado por um esguicho, considerando-se o comprimento da(s) mangueira(s) de incêndio por meio de seu trajeto real e o alcance mínimo do jato de água igual a 10,0 m, devendo ter contato visual sem barreiras físicas a qualquer parte do ambiente, após adentrar pelo menos 1,0 m em qualquer compartimento. - Todos os hidrantes deverão ter bitolas de 38mm e esguichos reguláveis de 40mm, segundo parâmetros da nova ITCB 22/11. - A vazão mínima na válvula dos hidrantes mais desfavorável deverá ser de 150l/min e sua pressão mínima deverá ser de 30mca. ELÉTRICA / SISTEMAS DE ALARME: - A distância máxima entre os pontos de iluminação de emergência não deverá ultrapassar 15 m e entre o ponto de iluminação e a parede 7,5 m. Outro distanciamento entre pontos pode ser adotado, desde que atenda aos parâmetros da NBR 10898/99. - Quanto ao alarme de incêndio distância máxima a ser percorrida por uma pessoa, em qualquer ponto da área protegida até o acionador manual mais próximo, não deve ser superior a 30 metros. Preferencialmente, os acionadores manuais devem ser localizados junto aos hidrantes. 3

4 PAVIMENTO TÉRREO / IMPLANTAÇÃO / MEZANINO: ARQUITETURA: - CONSIDERANDO QUE O PAVIMENTO SERÁ O PISO DE DESCARGA E QUE SERÁ DESTINADO PARA O LAZER, OCUPADO COM SALÃO DE FESTAS E A PISCINA NA IMPLANTAÇÃO. - ESCLARECER O ACESSO DO HALL PARA O SALÃO DE FESTAS, ATENÇÃO POIS EM LOCAL DE USO COMUM AS PORTAS PARA A ROTA DE FUGA NÃO PODERÁ SER DO TIPO DE CORRER. - A ESCADA DE EMERGÊNCIA DEVERÁ SER PRESSURIZADA NESTE PAVIMENTO, CONFORME ITCB 13/11. - CONSIDERANDO QUE O ACESSO AO MEZANINO DAR-SE-A POR FORA DA TORRE ATRAVÉS DE UMA ESCADA COM LARGURA INFERIOR A 1,20m, ESTA DEVERÁ SER REVISTA E /OU GARANTIR ACESSO PELA ESCADA PRESSURIZADA QUE ATENDE A TORRE. NOTAMOS QUE ESTE PAVIMENTO SERÁ DESTINADO A LAZER ASSIM COMO O PAV. TÉRREO, - OS DEMAIS ASPECTOS CONSTRUTIVOS ESTÃO A CONTENTO!! HIDRÁULICA: - PREVER QUANTOS PONTOS FOR NECESSÁRIO PARA GARANTIR PLENA COBERTURA, CONFORME PRECONIZA O ITEM DA IT 22/11. PREVER UM HIDRANTE A MENOS DE 5m DA ENTRADA PRINCIPAL DA EDIFICAÇÃO. 4

5 ELÉTRICA / SISTEMAS DE ALARME: - A distância máxima entre os pontos de iluminação de emergência não deverá ultrapassar 15 m e entre o ponto de iluminação e a parede 7,5 m. Outro distanciamento entre pontos pode ser adotado, desde que atenda aos parâmetros da NBR 10898/99. - Quanto ao alarme de incêndio distância máxima a ser percorrida por uma pessoa, em qualquer ponto da área protegida até o acionador manual mais próximo, não deve ser superior a 30 metros. Preferencialmente, os acionadores manuais devem ser localizados junto aos hidrantes. PAVIMENTO TIPO (09x), DUPLEX INFERIOR E SUPERIOR: - A TIPOLOGIA ARQUITETÔNICA APRESENTADA ESTÁ A CONTENTO COM AS NORMAS DE PREVENÇÃO DE COMBATE A INCÊNDIO. HIDRÁULICA: - PREVER UM PONTO DE HIDRANTE A MENOS DE 5m DA ENTRADA DA ESCADA DE EMERGÊNCIA, CONFORME PRECONIZA O ITEM DA IT 22/11. ELÉTRICA / SISTEMAS DE ALARME: - A distância máxima entre os pontos de iluminação de emergência não deverá ultrapassar 15 m e entre o ponto de iluminação e a parede 7,5 m. Outro distanciamento entre pontos pode ser adotado, desde que atenda aos parâmetros da NBR 10898/99. - Quanto ao alarme de incêndio distância máxima a ser percorrida por uma pessoa, em qualquer ponto da área protegida até o acionador manual mais próximo, não deve ser superior a 30 metros. Preferencialmente, os acionadores manuais devem ser localizados junto aos hidrantes. ÁTICO / BARRILETE / CS. MÁQUINAS / RESERVATÓRIO: - AS BASES DE ESTUDO PRELIMINAR DE ARQUITETURA NÃO CONTEMPLAM ESSES PAVIMENTOS, FAVOR DISPONIBILIZAR PARA QUE POSSAMOS AVALIAR. - ATENÇÃO A PRESSURIZAÇÃO DEVE ATENDER TODOS OS PAVIMENTOS, MESMO QUE ESTES NÃO SEJAM HABITÁVEIS. - ATENÇÃO AS BASES DE ARQUITETURA (ESTUDO PRELIMINAR) E PROJETO LEGAL ESTÃO DIVERGENTES, FAVOR COMPATIBILIZAR PARA NÃO HAVER PROBLEMAS FUTUROS NA APROVAÇÃO TANTO DE BOMBEIRO QUANTO DE PREFEITURA. 5

6 - SE HOUVER MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS AO QUE FOI ANALISADO PELA STF FAVOR NOS COMUNICAREM PARA UM NOVO RELATÓRIO. Classificações e medidas obrigatórias de Segurança Contra Incêndio, SOB USO RESIDENCIAL: Classificações e medidas obrigatórias de Segurança Contra Incêndio Edifício de Uso residencial: A2 com relação à ocupação e quanto à altura Tipo VI (alta) (35,40m TÉRREO ATÉ DUPLEX INFERIOR) (Corpo de Bombeiros) H<80m. Medidas obrigatórias em função da área e altura, de acordo com Decreto Estadual /11: *Informações destacadas na cor vermelha, se enquadram nas características deste empreendimento. 6

7 Requisitos exigidos pelas normas vigentes para cada sistema: Iluminação de Emergência: Sistema por blocos autônomos que deverá atender na integra a NBR e IT Atentar-se para previsão de alguns pontos de iluminação de emergência em determinados ambientes: antecâmara da sala de pressurização e no interior da sala de pressurização; iluminação de emergência (tipo balizamento) no acesso das escadas de emergência; ponto de I. E. no interior da casa de bombas (mesmo esta não sendo do sistema de combate a incêndio); ponto de I. E no interior da casa de máquinas dos elevadores e barrilete (bomba incêndio); ponto de I. E. no centro de medição e na guarita (portaria). - A distância máxima entre os pontos de iluminação de emergência não deverá ultrapassar 15 m e entre o ponto de iluminação e a parede 7,5 m. Outro distanciamento entre pontos pode ser adotado, desde que atenda aos parâmetros da NBR 10898/99. Alarme de Incêndio e Detectores de Fumaça: - O equipamento a ser instalado neste empreendimento deverá atender a NBR /10 e IT19. - Edifício sob ocupação residencial, como poderá ser aferido na tabela 6-A (com h> 30m), deverá ter pontos de alarme e detecção de fumaça* apenas no acesso junto à escada de emergência, pois a mesma será pressurizada. Os pontos de alarme deverão estar ao lado de cada hidrante, dando cobertura conforme NBR O sistema de alarme centralizado deverá ser instalado na portaria, (segurança), com vigilância permanente de 24 horas; este sistema deverá ser provido de fonte de energia alternativa, com autonomia mínima de 24 horas em regime de supervisão e 15 min em regime de alarme. - Prever detectores em áreas como casa de maq. de pressurização e sua respectiva antecâmara, casa de máquinas de elevadores, sala do grupo moto-gerador, barrilete (bomba de incêndio). - Orientamos que o detector de fumaça situado no interior da sala do grupo moto ventilador (pressurização) tenha a lógica invertida, ou seja, caso haja fumaça no interior da sala do ventilador, este não acionará o sistema (ventilador), apenas enviará um sinal para central de monitoramento. Sistema de Hidrantes: -**A reserva mínima de água para o sistema de hidrantes no edifício residencial para uma área total construída de 4.722,34m² será de: - 12m³; c/ vazão mínima de 150 Lpm e pressão mínima de 30Mca; 7

8 - Todos os hidrantes deverão ter bitolas de 40mm e esguichos reguláveis de 40mm, segundo parâmetros da nova IT 22/11. Lembrando que a tubulação sendo em cobre (ou outro material), poderá contar com bitola mínima de 2 em todo prédio, e da caixa até a bomba com 2 1/2. Exceto se a tubulação for de ferro galvanizado, pois aí essas bitolas passarão para de 2 1/2 e 3. Rotas de Fuga - A rota de fuga deste edifício dar-se-á pela respectiva escada enclausurada e pressurizada, servindo o pavimento térreo até o ático e no a escada enclausurada protegida servindo os subsolos até o pav. térreo. Extintores - Esses equipamentos deverão estar de acordo com decreto estadual do Corpo de Bombeiros, NBR e IT 23, ou seja, deverão ser acondicionados diretamente em suporte de piso e/ou parede, devidamente sinalizados e identificados nos locais previstos no projeto a ser aprovado junto ao Corpo de Bombeiros. Sinalização - Efetuar projeto de sinalização para todos os sistemas de prevenção e combate a incêndio como, hidrantes, extintores, acionadores manuais de bomba, e na área dos subsolos, todos esses equipamentos deverão ter a sua sinalização de piso, coluna e parede. Nos pavimentos tipo deverá ser projetada sinalização de saída de emergência, bem como dos hidrantes e acionadores de bomba e alarme de incêndio, conforme IT 20; - Os ambientes como casa de máquinas, sala de geradores, sala dos ventiladores de pressurização e casa de bombas (barriletes) deverão ser identificadas. Considerações finais: Alertamos que em todos os shafts deverão ser previstos fechamentos e/ou proteção com material resistente ao fogo por duas horas. Caso não seja fechado com concreto, e seja utilizada manta, esta deverá ser do tipo manta cerâmica e provida de proteção mecânica. Como não foram apresentados cortes e fachadas DETALHADAS, alertamos que deverá ser garantida a compartimentação vertical nessas fachadas, com elemento resistente ao fogo, onde se este elemento for vertical deverá contar com altura > 1,20m, e se for uma aba horizontal deverá contar com largura mínima de 0,90m.(ver detalhe em anexo no final deste relatório). 8

9 Caso o duto que conduzirá o ar para dentro da escada pressurizada percorra em áreas internas da edificação, este deverá possuir esta mesma proteção de duas horas ao fogo. Solicitamos que o projetista do sistema hidráulico apresente a memória de cálculo do sistema de hidrantes, com os respectivos pontos de equalizações, onde a diferença não poderá ultrapassar 0,5 mca no ponto de equalização. Esses dados devem constar na respectiva planilha e em esquema vertical ou isométrico da tubulação de hidrantes. Ainda referente aos hidrantes, o projetista deverá se atentar e destacar os novos parâmetros de cálculo, como: Prever esguichos reguláveis de 40mm, vazão mínima no esguicho dos hidrantes mais desfavoráveis. Sem mais para o presente momento colocamo-nos a disposição para maiores esclarecimentos. STF Assessoria & Consultoria Ltda Arqª. Fernanda Espíndola 9

10 DETALHES DE COMPARTIMENTAÇÃO VERTICAL EM FACHADA! 10

NORMA TÉCNICA 41/2014

NORMA TÉCNICA 41/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 41/2014 Edificações Existentes Adaptação às Normas de Segurança Contra Incêndio e Pânico SUMÁRIO 1 Objetivo 2

Leia mais

ESTADO DA BAHIA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 43/2016. Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes

ESTADO DA BAHIA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 43/2016. Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 43/2016 ESTADO DA BAHIA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 43/2016 Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Aplicação

Leia mais

SEQUÊNCIA BÁSICA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO PARA O CORPO DE BOMBEIROS DE SÃO PAULO. Decreto 56818/11 e ITs

SEQUÊNCIA BÁSICA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO PARA O CORPO DE BOMBEIROS DE SÃO PAULO. Decreto 56818/11 e ITs SEQUÊNCIA BÁSICA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO PARA O CORPO DE BOMBEIROS DE SÃO PAULO Decreto 56818/11 e ITs CLASSIFIQUE A ALTURA Decreto, artigo 3º nº I ; I Altura da Edificação: a. para fins de exigências

Leia mais

Segurança Contra Incêndio

Segurança Contra Incêndio Segurança Contra Incêndio Negrisolo, Walter. (Negrí). Oficial da Reserva do Corpo de Bombeiros SP. Doutor FAUSP. Segurança Contra Incêndio Área da Ciência com desenvolvimento recente Principais eventos

Leia mais

(atualizada em 11/2006) NBR 5667-1:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro fundido dúctil - Parte 1 - Hidrantes de Coluna NBR 5667-2:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro dúctil - Parte 2 - Hidrantes

Leia mais

Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016. Errata No item da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por:

Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016. Errata No item da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por: Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016 Errata 01 1. No item 6.2.2 da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por: 6.2.2 O recurso de 1ª instância deverá ser encaminhado à AAT ou

Leia mais

Arqt. Marcos Vargas Valentin Mestre FAUUSP

Arqt. Marcos Vargas Valentin Mestre FAUUSP Arqt. Marcos Vargas Valentin Mestre FAUUSP Dá para começar a fazer um projeto? Quantas escadas serão necessárias? Mas, existem vários tipos de escadas: a) Escada comum (não enclausurada) b) Escada enclausurada

Leia mais

ESTUDO PRELIMINAR SISTEMAS ELÉTRICOS

ESTUDO PRELIMINAR SISTEMAS ELÉTRICOS ESTUDO PRELIMINAR SISTEMAS ELÉTRICOS OBRA : Edifício Residencial LOCAL : Avenida Jurucê, 194 / 196 CONSTRUÇÃO : SKR Engenharia Ltda. REVISÃO : ØØ 05/06/2014 EMISSÃO INCIAL Jurucê JUR3 (9)Pág 1/9 ÍNDICE

Leia mais

3. A segurança contra incêndio e o projeto arquitetônico. 21/10/2013 Prof. Dr. Macksuel Soares de Azevedo - UFES 1

3. A segurança contra incêndio e o projeto arquitetônico. 21/10/2013 Prof. Dr. Macksuel Soares de Azevedo - UFES 1 3. A segurança contra incêndio e o projeto arquitetônico 21/10/2013 Prof. Dr. Macksuel Soares de Azevedo - UFES 1 3.1. Medidas de Proteção contra Incêndio Proteção Passiva: Conjunto de medidas de proteção

Leia mais

FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo. ACESSOS DE EDIFÍCIOS E CIRCULAÇÕES VERTICAIS - escadas. Prof. Manuel Vitor Curso - Edifícios

FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo. ACESSOS DE EDIFÍCIOS E CIRCULAÇÕES VERTICAIS - escadas. Prof. Manuel Vitor Curso - Edifícios FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo ACESSOS DE EDIFÍCIOS E CIRCULAÇÕES VERTICAIS - escadas Prof. Manuel Vitor Curso - Edifícios Normas pertinentes NBR 9077/1993-2001 (Saídas de Emergência em

Leia mais

ESTUDO PRELIMINAR SISTEMAS ELÉTRICOS

ESTUDO PRELIMINAR SISTEMAS ELÉTRICOS ESTUDO PRELIMINAR SISTEMAS ELÉTRICOS OBRA : ECO INDEPENDÊNCIA LOCAL : Rua Souza Coutinho CONSTRUÇÃO : Fortenge Construções Empreendimentos Ltda REVISÃO : ØØ 06/10/2005 EMISSÃO INCIAL Eco Independência

Leia mais

ANEXO A. Cidade: SERTÃO - RS Data: 11/03/2014. Encaminhamos a V. S.ª, para ANÁLISE, o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI).

ANEXO A. Cidade: SERTÃO - RS Data: 11/03/2014. Encaminhamos a V. S.ª, para ANÁLISE, o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). ANEXO A Ao Ilmo Sr. Comandante do Corpo de Bombeiros Militar Cidade: SERTÃO - RS Data: 11/03/2014 Encaminhamos a V. S.ª, para ANÁLISE, o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). Nome: INSTITUTO

Leia mais

INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO

INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL TÉCNICO 13 de março de 2008 FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO MEMORIAL TÉCNICO

Leia mais

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Aula 29 Sistema Predial de Prevenção e Combate ao Incêndio Profª Heloise G. Knapik 1 Projetos e especificações

Leia mais

Hidrante Consultoria e Projetos (62) Projetando Instalações Prediais de Combate a Incêndio CONCEITOS E APLICAÇÃO

Hidrante Consultoria e Projetos  (62) Projetando Instalações Prediais de Combate a Incêndio CONCEITOS E APLICAÇÃO Hidrante Consultoria e Projetos www.hidrante.com.br (62) 3251-0220 Projetando Instalações Prediais de Combate a Incêndio CONCEITOS E APLICAÇÃO Apresentação Flávio Eduardo Rios Engenheiro Civil desde 1979

Leia mais

Carla Moraes Técnica em Edificações CTU - Colégio Técnico Universitário

Carla Moraes Técnica em Edificações CTU - Colégio Técnico Universitário Carla Moraes Técnica em Edificações CTU - Colégio Técnico Universitário PREVENÇÃO SAÍDAS DE EMERGÊNCIA Visam o abandono seguro da população, em caso de incêndio ou pânico, e permitir o acesso de bombeiros

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: INCÊNDIO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. Apresentação... 03 2. Extintores... 04 3. Iluminação de Emergência...

Leia mais

TIPOLOGIAS TÍPICAS DAS INSTALAÇÕES DE GÁS

TIPOLOGIAS TÍPICAS DAS INSTALAÇÕES DE GÁS 3 TIPOLOGIAS TÍPICAS DAS INSTALAÇÕES DE GÁS Versão 2014 Data: Março / 2014 3.1 Escolha das tipologias típicas das instalações de gás... 3.3 3.2 Tipologias típicas em edifícios residenciais... 3.3 3.2.1

Leia mais

Projeto de prevenção e proteção contra incêndio e pânico: principais parâmetros Parte I

Projeto de prevenção e proteção contra incêndio e pânico: principais parâmetros Parte I Projeto de prevenção e proteção contra incêndio e pânico: principais parâmetros Parte I Prof: Paulo Gustavo von Krüger Mestre e Doutor em Estruturas Metálicas SUMÁRIO 1. Introdução 1.1. Dinâmica do fogo

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2011 Instrução Técnica nº 29/2011 - Comercialização, distribuição e utilização de gás natural 689 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria) Projeto Prevenção de Incêndio TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO CONCEITOS

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2015 Instrução Técnica nº 29/2011 - Comercialização, distribuição e utilização de gás natural 689 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Projeto, segurança, incêndio, bombeiro, Decreto Estadual nº56.819/2011.

PALAVRAS-CHAVE: Projeto, segurança, incêndio, bombeiro, Decreto Estadual nº56.819/2011. IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL Flávio dos Santos Zerbatto 1 ; Alexei Barban do Patrocínio 2 1 Aluno do curso de especialização em engenharia de segurança

Leia mais

NORMA TÉCNICA 04/2014

NORMA TÉCNICA 04/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 04/2014 Símbolos Gráficos SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Definições 4 Referências normativas e bibliográficas

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MARÇO A MAIO DE 2017

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MARÇO A MAIO DE 2017 PERÍODO MARÇO A MAIO DE 2017 Andamento das Obras Serviços concluídos até 31/05/2017 Fachadas Instalações hidráulicas, elétricas, interfones, alarme de incêndio, sistema de monitoramento e controle de acesso;

Leia mais

MEMORIAL DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA

MEMORIAL DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA MEMORIAL DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA O presente memorial visa descrever e caracterizar o sistema de iluminação de emergência a ser adotado para a presente edificação baseada na NBR-10.898. 2. Descrição

Leia mais

in-placas sinalização fotoluminescente

in-placas sinalização fotoluminescente Rua Silveira Martins, 160-4º andar - sala 08 Sé - São Paulo - SP - CEP 01019-000 e-mail: in.placas@gmail.com tel.: (11) 5082-3705 in-placas sinalização fotoluminescente Personalizadas e Linha 40 cód.

Leia mais

RESOLUÇÃO TÉCNICA CBMRS N.º 05 - PARTE 07 PROCESSO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO: EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO DE INCÊNDIO EXISTENTES 2016

RESOLUÇÃO TÉCNICA CBMRS N.º 05 - PARTE 07 PROCESSO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO: EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO DE INCÊNDIO EXISTENTES 2016 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA, PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS RESOLUÇÃO TÉCNICA CBMRS N.º

Leia mais

GF Engenharia IT 21 - SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - Estado de São Paulo (em revisão)

GF Engenharia IT 21 - SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - Estado de São Paulo (em revisão) IT 21 IT 21 - SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - Estado de São Paulo (em revisão) SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação CORPO DE BOMBEIROS DO ESTADO DE SÃO PAULO 3 Referências normativas 4 Definições

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS AULA 01 Prof. Guilherme Nanni prof.guilherme@feitep.edu.br 7º Semestre Engenharia civil INST. HIDRÁULICAS AULA 01 7 semestre - Engenharia Civil EMENTA Elaborar projetos

Leia mais

DECRETO Nº , DE 28 DE ABRIL DE 1997.

DECRETO Nº , DE 28 DE ABRIL DE 1997. Eng. Gerson Medeiros Fabrício CREA 89.100 1/6 DECRETO Nº 37.380, DE 28 DE ABRIL DE 1997. Aprova as Normas Técnicas de Prevenção de Incêndios e determina outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO

Leia mais

legislação rotas de fuga instalações

legislação rotas de fuga instalações legislação rotas de fuga instalações USO DO SOLO CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 50 Os afastamentos estabelecidos pela legislação urbanística não poderão receber nenhum

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 43/2011 às normas de segurança contra incêndio edificações existentes

Leia mais

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO LTDA.

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO LTDA. RELATÓRIO ACOMPANHAMENTO MENSAL SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO LTDA. Objetivo. Este relatório tem por objetivo avaliar e mitigar os riscos equivalentes desta edificação. Foram realizadas diversas vistorias

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2017

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2017 PERÍODO JANEIRO E FEVEREIRO DE 2017 Andamento das Obras Realizado Serviços concluídos até 28/02/2017 Instalações hidráulicas nos subsolos, barrilete superior e em todas as unidades residenciais e áreas

Leia mais

DIVISÃO TÉCNICA DE ENGENHARIA DE INCÊNDIO DO INSTITUTO DE ENGENHARIA

DIVISÃO TÉCNICA DE ENGENHARIA DE INCÊNDIO DO INSTITUTO DE ENGENHARIA DIVISÃO TÉCNICA DE ENGENHARIA DE INCÊNDIO DO INSTITUTO DE ENGENHARIA Sistema de detecção wireless e seus dispendiosos equívocos contra os consumidores Coronel Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho

Leia mais

18.1 ROCIADOR DE INCÊNDIOS

18.1 ROCIADOR DE INCÊNDIOS UNIDADE: 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 18. SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 18.1 ROCIADOR DE INCÊNDIOS Um Rociador de incêndios (em inglês Sprinkler) é um dispositivo para a extinção de incêndios.

Leia mais

Instrução Técnica nº 43/2011 - Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes 779

Instrução Técnica nº 43/2011 - Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes 779 Instrução Técnica nº 43/2011 - Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes 779 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

Arte final da fachada frontal em execução.

Arte final da fachada frontal em execução. Arte final da fachada frontal em execução. Arte final da fachada posterior em execução. Detalhe do pórtico da fachada frontal em pedra (Mármore ou granito). São Paulo, 30 de agosto de 2017. 16. Informativo

Leia mais

As regras completas para a sinalização de emergência estão contidas na IT-20 Sinalização de Emergência.

As regras completas para a sinalização de emergência estão contidas na IT-20 Sinalização de Emergência. SINALIZAÇÃO As regras completas para a sinalização de emergência estão contidas na IT-20 Sinalização de Emergência. A sinalização de emergência tem como finalidade reduzir o risco de ocorrência de incêndio,

Leia mais

CÓDIGO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO

CÓDIGO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO CÓDIGO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO A CIDADE É DINÂMICA NOVO CÓDIGO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO DAS MEDIDAS PREVENTIVAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO DA CLASSIFICAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA Marco Antônio Vecci Local: EXPOMINAS BH Data: 08/08/2016 FASE A CONCEPÇÃO DO PRODUTO ESTUDO PRELIMINAR Consultoria e Ensaios Consultoria: Análise preliminar entre

Leia mais

LAUDO TÉCNICO PARCIAL Nº 2 SOBRE OS DANOS ESTRUTURAIS DO INCÊNDIO OCORRIDO EM 03/10/2016 NO ED. JORGE MACHADO MOREIRA - UFRJ

LAUDO TÉCNICO PARCIAL Nº 2 SOBRE OS DANOS ESTRUTURAIS DO INCÊNDIO OCORRIDO EM 03/10/2016 NO ED. JORGE MACHADO MOREIRA - UFRJ LAUDO TÉCNICO PARCIAL Nº 2 SOBRE OS DANOS ESTRUTURAIS DO INCÊNDIO OCORRIDO EM 03/10/2016 NO ED. JORGE MACHADO MOREIRA - Alexandre Landesmann, Prof. Associado, D.Sc. Dep. Estruturas (FAU) e Lab. Estruturas

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 25/2011 Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis

Leia mais

Planilha Orçamentária Início, apoio e administração da obra 7.547,90 1,02%

Planilha Orçamentária Início, apoio e administração da obra 7.547,90 1,02% 020000 Início, apoio e administração da obra 7.547,90 1,02% 020200 Container 020202 CPOS Container alojamento - mínimo 9,20 m² unxmês 2,00 253,33 2,24 511,14 0,069% 020204 CPOS Container sanitário - mínimo

Leia mais

Arte final da fachada frontal em execução.

Arte final da fachada frontal em execução. Arte final da fachada frontal em execução. Arte final da fachada posterior em execução. Detalhe do pórtico da fachada frontal em pedra (Mármore ou granito). São Paulo, 28 de abril de 2017. 14. Informativo

Leia mais

Apresentação à matéria de Prevenção e Sinistros

Apresentação à matéria de Prevenção e Sinistros Apresentação à matéria de Prevenção e Sinistros Bruno Geraldo Rodrigues da Silva INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 07/2011 Separação entre edificações (isolamento de risco) Sumario Objetivo Aplicação Definições e

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO

MEMORIAL DESCRITIVO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO MEMORIAL DESCRITIVO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE SERVIÇOS TÉCNICOS 1. DA EDIFICAÇÂO E ÁREAS DE RISCO:

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO NT-16

PLANO DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO NT-16 Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Definições 4 Referências normativas 5 Procedimentos ANEXOS A Planilha de levantamento de dados B Fluxograma do Plano de Intervenção de Incêndio 1 Objetivo Esta Norma Técnica

Leia mais

PRÉDIO DE ATENDIMENTO COMUNITÁRIO ELEVADORES

PRÉDIO DE ATENDIMENTO COMUNITÁRIO ELEVADORES UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E DO MUCURI CAMPUS JUSCELINO KUBITSCHEK DIAMANTINA - MG PRÉDIO DE ATENDIMENTO COMUNITÁRIO ELEVADORES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OUTUBRO / 2013 Página 1 de 6

Leia mais

SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS

SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS 1 ANEXO I ITUAÇÃO FÍICA PARA CONCEÃO DE EPAÇO COMERCIAI Instruções de preenchimento: Para preenchimento desta ficha sugere-se a participação das equipes Comercial, Manutenção, TI, Meio ambiente, Operações

Leia mais

INSPEÇÃO DO SISTEMA DE INCÊNDIO E PÂNICO - SCIP

INSPEÇÃO DO SISTEMA DE INCÊNDIO E PÂNICO - SCIP INSPEÇÃO DO SISTEMA DE COMBATE E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO - SCIP A IMPORTANCIA DASNORMAS TÉCNICAS COMISSIONAMENTO E MANUTENÇÃO DO SCIP NORMAS TÉCNICAS 1. NBR 10897:2007 - Sistemas de proteção

Leia mais

ANEXO C MEMORIAL DESCRITIVO DO PRÉDIO

ANEXO C MEMORIAL DESCRITIVO DO PRÉDIO ANEXO A Ao Ilmo Sr. Comandante do Corpo de Bombeiros Militar Cidade: SERTÃO - RS Data: 10/03/2014 Encaminhamos a V. S.ª, para ANÁLISE, o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). Nome: INSTITUTO

Leia mais

REF: PROPOSTA PARA EXECUÇÃO DE OBRAS DE SEGURANÇA.

REF: PROPOSTA PARA EXECUÇÃO DE OBRAS DE SEGURANÇA. P431/15 São Paulo, 17 de setembro de 2015. À Associação Atlética Acadêmica Pereira Barreto AC.: Arq. Wagner Fraga REF: PROPOSTA PARA EXECUÇÃO DE OBRAS DE SEGURANÇA. Prezado Senhor, Em atendimento à solicitação,

Leia mais

4 Acessibilidade a Edificações

4 Acessibilidade a Edificações 4 Acessibilidade a Edificações 4.1 Introdução A norma brasileira NBR 9050 (2004) fixa critérios exigíveis para o projeto e detalhamento de espaços físicos destinados a portadores de necessidades especiais.

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS AULA 04 Prof. Guilherme Nanni prof.guilherme@feitep.edu.br 7º Semestre Engenharia civil CONTEÚDO DA AULA PRESSÕES MÍNIMAS E MÁXIMAS PRESSÃO ESTÁTICA, DINÂMICA E DE SERVIÇO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS

ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS 2.1 Diretrizes gerais de projeto para atender aos requisitos de desempenho 2.1.1 Segurança no uso e operação 2.1.2 Segurança contra

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA PARTE 1 REGRAS GERAIS SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

UNISALESIANO Curso de Arquitetura e Urbanismo Projeto Arquitetônico Interdisciplinar II

UNISALESIANO Curso de Arquitetura e Urbanismo Projeto Arquitetônico Interdisciplinar II UNISALESIANO Curso de Arquitetura e Urbanismo Projeto Arquitetônico Interdisciplinar II Prof. Dr. André L. Gamino Araçatuba Setembro - 2013 1 Acessibilidade a Edificações 1.1 Introdução A norma brasileira

Leia mais

Fabricado pelo CNPJ: /60

Fabricado pelo CNPJ: /60 Fabricado pelo CNPJ: 04.426.465.0001/60 Índice Características do Produto Exemplos de instalação de sinalização Exemplos de utilização de sinalização Sinalização Orientação e Salvamento Sinalização Equipamento

Leia mais

METALCASTY METALCASTY. Catálogo de produtos METALCASTY.

METALCASTY METALCASTY. Catálogo de produtos METALCASTY. Catálogo de produtos A empresa iniciou suas atividades em 1970 nas áreas de Fundição de Metais, Usinagem, Modelação e Ferramentaria buscando atender aos segmentos que necessitam da terceirização desses

Leia mais

LUMINÁRIA DE EMERGÊNCIA. Atende à norma NBR 10898:2013. alumbra.com.br

LUMINÁRIA DE EMERGÊNCIA. Atende à norma NBR 10898:2013. alumbra.com.br LUMINÁRIA DE EMERGÊNCIA Atende à norma NBR 10898:2013 alumbra.com.br SEGURANÇA E PROTEÇÃO PARA DESLOCAMENTO NO ESCURO As luminárias de emergência LED Alumbra, tem um design compacto e são ideiais para

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia ANEXO VIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 1. Os projetos de instalações hidrossanitárias deverão atender às recomendações e especificações

Leia mais

Análise do sistema de sinalização e saídas de emergência de uma biblioteca SAEPRO 2015

Análise do sistema de sinalização e saídas de emergência de uma biblioteca SAEPRO 2015 Análise do sistema de sinalização e saídas de emergência de uma biblioteca SAEPRO 2015 MARIANA BARROS TEIXEIRA (Universidade Federal de Viçosa) maribteixeira@yahoo.com.br LUCIANO JOSÉ MINETTE (Universidade

Leia mais

Evaristo Queiroz dos Santos CREA D/PR

Evaristo Queiroz dos Santos CREA D/PR Londrina, 20 de março de 2015. Ao Serviço de Prevenção Contra Incêndio e Pânico Corpo de Bombeiros Militar de Tocantins PALMAS /TO Ilustríssimos Senhores, Em conformidade com o CSCIP-CBMTO, vimos por meio

Leia mais

Aula 9 Desenho de instalações hidrossanitárias: normas, simbologias e convenções

Aula 9 Desenho de instalações hidrossanitárias: normas, simbologias e convenções Aula 9 Desenho de instalações hidrossanitárias: normas, simbologias e convenções 1. INTRODUÇÃO - Relativo ao planejamento regional e urbano - Infra-estrutura: água, saneamento e energia - Representação

Leia mais

SISTEMAS / MEDIDAS DE SEGURANÇA

SISTEMAS / MEDIDAS DE SEGURANÇA LAUDO TÉCNICO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO Renovação de AVCB (conforme item 6.2.1.5 da IT 01) Impossibilidade técnica (conforme art. 29 do Dec. 44.746/08) 1. IDENTIFICAÇÃO DA EDIFICAÇÃO E/OU ÁREA

Leia mais

NPT 002 ADAPTAÇÃO ÀS NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EDIFICAÇÕES EXISTENTES E ANTIGAS

NPT 002 ADAPTAÇÃO ÀS NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EDIFICAÇÕES EXISTENTES E ANTIGAS Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 002 Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes e antigas CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 9 páginas

Leia mais

PARTE I - SINALIZAÇÃO DE ORIENTAÇÃO E SALVAMENTO

PARTE I - SINALIZAÇÃO DE ORIENTAÇÃO E SALVAMENTO PARTE I - SINALIZAÇÃO DE ORIENTAÇÃO E SALVAMENTO Produto Utilização Ref. Cm. Indica o sentido da saída nos locais planos e sem escadas, onde a orientação seja PV10231 seguir à direita a partir do ponto

Leia mais

NBR Parte 1 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 1: Princípios de projeto

NBR Parte 1 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 1: Princípios de projeto ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas OUT:2001 Projeto de revisão NBR 13434 Parte 1 Sinalização de segurança contra incêndio e pânico Parte 1: Princípios de projeto Sede: Rio de Janeiro Av. Treze

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: AGOSTO / 2013

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: AGOSTO / 2013 RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: AGOSTO / 2013 OBRA: RESERVA DA LAGOA Informações da Obra: Att. Aos clientes do Reserva da Lagoa A Iguatemi Construções Ltda. tem a satisfação em informar aos nossos clientes

Leia mais

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição PARTE I INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS 1 ÁGUA FRIA Entrada e fornecimento de água fria Compartimento que abriga o cavalete Medição de água

Leia mais

3. Qual a data de entrega do empreendimento? Previsão para Agosto de *Atentar-se aos prazos do contrato de Compra e Venda.

3. Qual a data de entrega do empreendimento? Previsão para Agosto de *Atentar-se aos prazos do contrato de Compra e Venda. EMPREENDIMENTO: BOULEVARD LAPA Perguntas e respostas para Cartilha do Corretor Revisão 00 24/10/2013 Item: O Empreendimento 1. Qual a data de início da obra? Previsão para Maio de 2014. 2. Quantos meses

Leia mais

PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR

PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR EMPRESA NBR 15.575 DESEMPENHO ACÚSTICO PROJETO ACÚSTICO EXECUÇÃO PARÂMETROS PARA QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES CONFORME NBR 15.575 EMPRESA NBR 15.575 DESEMPENHO ACÚSTICO PROJETO ACÚSTICO EXECUÇÃO

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS DE COMBATE A INCÊNDIO

SISTEMAS PREDIAIS DE COMBATE A INCÊNDIO SISTEMAS PREDIAIS DE COMBATE A INCÊNDIO PROFESSOR: ELIETE DE PINHO ARAUJO PLANO DE AULA Ementa: Aplicação dos conhecimentos teóricos adquiridos durante o curso, por meio da realização de projetos individuais

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.021 PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA JUDICIÁRIA

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA JUDICIÁRIA INSTRUÇÃO TÉCNICA 11/2014 Saídas de emergência SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5 Procedimentos AXOS A Tabela 1 - Dados para o dimensionamento das saídas

Leia mais

SEMINÁRIO DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO SINDUSCON MG / SENAI / FIEMG 29/04/16

SEMINÁRIO DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO SINDUSCON MG / SENAI / FIEMG 29/04/16 SEMINÁRIO DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO SINDUSCON MG / SENAI / FIEMG 29/04/16 TEMA: ESCOPO E ANÁLISE CRÍTICA DE PROJETOS DE INCÊNDIO Definir o escopo de contratação de projetos de

Leia mais

CAPÍTULO 05 SISTEMA PREVENTIVO ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA ALARME DE INCÊNDIOS

CAPÍTULO 05 SISTEMA PREVENTIVO ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA ALARME DE INCÊNDIOS CAPÍTULO 05 SISTEMA PREVENTIVO ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA ALARME DE INCÊNDIOS 05.01 Iluminação de emergência: Segundo a NBR-10898/2013 A intensidade da iluminação deve ser adequada para evitar acidentes

Leia mais

NORMA TÉCNICA N. O 013/2008

NORMA TÉCNICA N. O 013/2008 ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COORDENADORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS NORMA TÉCNICA N. O 013/2008 COMPARTIMENTAÇÃO HORIZONTAL E VERTICAL FORTALEZA

Leia mais

Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos

Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos Esses equipamentos são destinados a eliminar ou minimizar os danos causados por acidentes nos olhos

Leia mais

Memorial Descritivo. Rua Onze de Junho, São Vicente - SP

Memorial Descritivo. Rua Onze de Junho, São Vicente - SP Memorial Descritivo Rua Onze de Junho, 316 - São Vicente - SP GENERALIDADES Edifício Residencial de 11 pavimentos, sendo: Subsolo, Térreo, Mezanino 1, Mezanino 2, Mezanino 3, 1 Tipo, Tipo x 9, Inferior

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37 Subestação elétrica SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

Condomínio Grand Space Alto da Lapa. R. Toneleiro, 214 MEMORIAL DESCRITIVO

Condomínio Grand Space Alto da Lapa. R. Toneleiro, 214 MEMORIAL DESCRITIVO Condomínio Grand Space Alto da Lapa R. Toneleiro, 214 MEMORIAL DESCRITIVO E85 R02-1 - CONDOMÍNIO GRAND SPACE ALTO DA LAPA Rua Toneleiro, 214 MEMORIAL DESCRITIVO O Condomínio Grand Space Alto da Lapa, projetado

Leia mais

CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO EDIFÍCIO LIFESPACE CURITIBA

CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO EDIFÍCIO LIFESPACE CURITIBA EDIFÍCIO LIFESPACE CURITIBA Por este instrumento particular, CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO LIFESPACE CURITIBA, com CNPJ em processamento, localizado à Avenida Visconde de Guarapuava, 3.806, cidade de Curitiba,

Leia mais

NPT 002 ADAPTAÇÃO ÀS NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EDIFICAÇÕES EXISTENTES E ANTIGAS. Versão: 03 Norma de Procedimento Técnico 8 páginas

NPT 002 ADAPTAÇÃO ÀS NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EDIFICAÇÕES EXISTENTES E ANTIGAS. Versão: 03 Norma de Procedimento Técnico 8 páginas Outubro 2014 Vigência: 08 outubro 2014 NPT 002 Adaptação às normas de segurança contra incêndio edificações existentes e antigas CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 03 Norma de Procedimento Técnico 8 páginas

Leia mais

(ISOLAMENTO DE RISCO)

(ISOLAMENTO DE RISCO) INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 07/2016 SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DA BAHIA INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 07/2016 SEPARAÇÃO ENTRE EDIFICAÇÕES (ISOLAMENTO DE RISCO) SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Aplicação

Leia mais

IT - 05 SEPARAÇÃO ENTRE EDIFICAÇÕES (ISOLAMENTO DE RISCO)

IT - 05 SEPARAÇÃO ENTRE EDIFICAÇÕES (ISOLAMENTO DE RISCO) IT - 05 SEPARAÇÃO ENTRE EDIFICAÇÕES (ISOLAMENTO DE RISCO) SUMÁRIO ANEXOS 1 Objetivo A Tabela 4 (índice para distâncias de Segurança) 2 Aplicação B Tabela 5 (Proteções de Aberturas) 3 Referências Normativas

Leia mais

LE FONTAINEBLEAU 191m². RIGEL 150m² VERTICE 182m². ATLANTIS 165 m²

LE FONTAINEBLEAU 191m². RIGEL 150m² VERTICE 182m². ATLANTIS 165 m² LOCALIZAÇÃO LE FONTAINEBLEAU 191m² RIGEL 150m² VERTICE 182m² ATLANTIS 165 m² FICHA TÉCNICA DO PRODUTO Endereço Rua João Ribeiro, 332 Campestre Santo André/SP Características do produto 4.885 m² de terreno

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC)

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS GÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 11/2011 Saídas de emergência SUMÁRIO AXOS 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS AULA 02 Prof. Guilherme Nanni prof.guilherme@feitep.edu.br 7º Semestre Engenharia civil CONTEÚDO AULA RESERVATÓRIOS SUPERIOR INFERIOR RESERVAÇÃO DE ÁGUA FRIA CONSUMO DE

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E EXPLOSÕES II ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PREVENÇÃO,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 34/2011 Hidrante urbano SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

Residencial Villa Splendore 1

Residencial Villa Splendore 1 Perspectiva meramente ilustrativa Residencial Villa Splendore 1 de Estar 2 Residencial Villa Splendore Perspectiva Meramente Ilustrativa Residencial Villa Splendore 3 Aptº Tipo Finais 1, 2, 5, 6, 7 e 10

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS EGÓCIOS DA SEGURA ÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros I STRUÇÃO TÉC ICA º.

SECRETARIA DE ESTADO DOS EGÓCIOS DA SEGURA ÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros I STRUÇÃO TÉC ICA º. SECRETARIA DE ESTADO DOS EGÓCIOS DA SEGURA ÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros I STRUÇÃO TÉC ICA º. 13/2011 Pressurização de escada de segurança SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

ABNT NBR Área de Armazenamento de Recipientes Transportáveis de GLP

ABNT NBR Área de Armazenamento de Recipientes Transportáveis de GLP ABNT NBR 15514 Área de Armazenamento de Recipientes Transportáveis de GLP OBJETIVOS Ao final dessa lição os participantes serão capazes de: Definir termos técnicos associados ao tema; Conhecer condições

Leia mais

Condomínio Grand Space Parque da Aclimação R. Heitor Peixoto, 318 MEMORIAL DESCRITIVO

Condomínio Grand Space Parque da Aclimação R. Heitor Peixoto, 318 MEMORIAL DESCRITIVO Condomínio Grand Space Parque da Aclimação R. Heitor Peixoto, 318 MEMORIAL DESCRITIVO E87 R03-1/8 - CONDOMÍNIO Grand Space Parque da Aclimação Rua Heitor Peixoto, 318 MEMORIAL DESCRITIVO A. EQUIPAMENTOS

Leia mais

UNISALESIANO Curso de Engenharia Civil Desenho Arquitetônico

UNISALESIANO Curso de Engenharia Civil Desenho Arquitetônico UNISALESIANO Curso de Engenharia Civil Desenho Arquitetônico Prof. Dr. André L. Gamino Araçatuba Agosto - 2016 1 Projeto de Arquitetura: Introdução 1.1 Introdução O início da concepção do projeto arquitetônico

Leia mais