Unidade II PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS. Prof. José Junior

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Unidade II PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS. Prof. José Junior"

Transcrição

1 Unidade II PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS EM SERVIÇO SOCIAL Prof. José Junior

2 As demandas e as respostas da categoria profissional aos projetos societários Projetos societários são aqueles de determinada classe social. Assim, recorrendo mais uma vez à teoria marxista, constatamos que na atualidade identificamos duas classes sociais, sendo essas a classe burguesa e a classe operária.

3 As demandas profissionais no âmbito das relações entre o estado e a sociedade Em relação a essa questão, Iamamoto diz que, para compreendê-la, precisamos compreender três premissas básicas: desvelar a prática profissional; considerar o primado da produção social; privilégio da história.

4 As demandas profissionais no âmbito das relações entre o estado e a sociedade Segundo Iamamoto, além de compreender as classes sociais, é fundamental também entender o papel do estado, que figura, no ponto de vista da autora, como um representante da classe burguesa, mas que é um ator fundamental na compreensão de nossa prática profissional, das demandas de nossa profissão.

5 Consideração do primado da produção social No que concerne à consideração do primado da produção social, Iamamoto coloca que precisamos entender a relevância que possui o trabalho nessa sociedade.

6 Consideração do primado da produção social Quando o trabalho se torna precário, informal ou, sobretudo, quando assistimos à grande perda dos postos de trabalho, precisamos saber que essas mudanças irão provocar alterações nas expressões da questão social.

7 Sistematizando os conhecimentos Para compreender as demandas que são colocadas, precisamos entender as relações sociais estabelecidas na sociedade capitalista, em que figura como relevante compreender as classes sociais e o estado, o que demanda essencialmente também entender a importância do trabalho e da história nesse processo.

8 Premissas Esses aspectos, tratados por Iamamoto como premissas, precisam ser apreendidos por nós como o próprio nome sugere, ou seja, como aspectos que são imprescindíveis para a compreensão de novas demandas, novas expressões da questão social com as quais precisaremos atuar.

9 Precisamos olhar também para a sociedade civil. Iamamoto diz que, para que possamos compreender as relações sociais, precisamos olhar também para a sociedade civil.

10 Interatividade O que podemos entender como projetos societários? a) Projetos de determinada classe social, com ênfase na do empresariado. b) Projetos de determinada classe social. c) Projetos da classe dominante, apenas. d) Projetos da classe proletária, apenas. e) Projetos que visam a ciência e evolução humana.

11 Alterações no âmbito da produção e do trabalho As alterações no âmbito da produção e do trabalho colaboram muitas vezes para a precarização da vida da classe que vive do trabalho, e essa precarização se expressa de diversas formas, podendo ser necessária a intervenção dos assistentes sociais.

12 Alterações no âmbito da produção e do trabalho Isso pressupõe que o profissional realize uma análise com base em informações de recorrência a aspectos econômicos e políticos, visto que os fenômenos relacionados à organização da produção e do trabalho também precisam ser considerados como resultados da organização política vigente no país.

13 Realidade Rural Por fim, Iamamoto diz que, para apreender de fato nossa demanda profissional, precisamos conhecer também melhor a realidade rural.

14 Aspectos da sociedade civil sobre as configurações assumidas pela produção e pelo trabalho A apreensão dessa realidade, ou seja, dos aspectos da sociedade civil sobre as configurações assumidas pela produção e pelo trabalho, das peculiaridades dos moradores da zona rural, não é, a nosso ver, uma tarefa fácil, mas algo que precisa ser introduzido no cotidiano de nossas ações profissionais e deve figurar como referência ao considerarmos as perspectivas de trabalho profissional.

15 Processo de modernização tupiniquim Iamamoto ainda destaca a necessidade de compreender o papel do estado brasileiro no sentido de proporcionar o desenvolvimento econômico do país. Na verdade, um estado que se propõe mínimo é apenas mínimo para o social, mas máximo para implementar ações para o desenvolvimento do grande capital.

16 Realidade brasileira e a demanda profissional Uma modernização capitalista que traz no seu bojo a história de um país colonizado sob a ótica da exploração, em que o sistema capitalista trouxe índices precários de desenvolvimento em relação aos demais países e que contou e conta hoje com o Estado como o principal agente executor de medidas para a efetivação das pretensões capitalistas.

17 Interatividade A palavra demanda significa: a) Coletividade ou grupo de pessoas que precisa ou procura algo. b) Interesse na obtenção de lucratividade. c) Mostrar-se se com alarde e vanglória. d) Intervenção judicial de alguém em um pleito, sob pena de Lei. e) Primeira linha de um exército.

18 Condições de trabalho e respostas profissionais A precarização das relações trabalhistas tem conferido relações laborais ruins, precárias para grande parte da população brasileira e tem, ainda, resultado em um crescente desemprego de parcela significativa da população.

19 Condições de trabalho e respostas profissionais Por outro lado, o Estado, principal responsável por atuar no sentido de minimizar essas expressões da questão social, vem, desde a década de 90, se retraindo, ou seja, vem restringindo suas intervenções nessas expressões.

20 Condições de trabalho e respostas profissionais Iamamoto traz alterações na atuação dos assistentes sociais: Quando as intervenções em política social, junto às expressões da questão social, são reduzidas, espera-se que o mercado de trabalho dos assistentes sociais também seja reduzido.

21 Condições de trabalho e respostas profissionais Frente à redução de gastos na área das políticas sociais, os assistentes sociais que estão atuando nesses espaços precisam ampliar a seletividade dos atendimentos, sendo nessas ocasiões os responsáveis pelas triagens para avaliar a condição daqueles que poderão ser beneficiados, ou não, pelos serviços que estão sob sua responsabilidade.

22 Condições de trabalho e respostas profissionais O profissional permanece longos períodos preso à burocracia institucional em decorrência das triagens que precisa realizar. Mas o fato de estabelecer uma prática de tal forma resulta no chamado vazio profissional, ou seja, aquela sensação de não ter conseguido atingir as finalidades profissionais a que se propôs.

23 Condições de trabalho e respostas profissionais Assim, observamos uma grande dificuldade em conferir respostas profissionais a nossa demanda, uma dificuldade em cumprir os princípios assumidos por nossa categoria profissional e uma dificuldade maior ainda em conviver com essa realidade.

24 Interatividade Leia: A precarização das relações tem conferido relações laborais ruins. Marque a alternativa que contenha a palavra que melhor preencha a lacuna: a) Capitalistas. b) Familiares. c) Dicotômicas. d) Trabalhistas. e) Gênero.

25 Superação da realidade profissional Iamamoto apresenta algumas alternativas para a superação dessa realidade profissional que tanto asfixia os profissionais. Uma delas seria superar a perspectiva fatalista de que tudo está perdido e nada mais pode ser feito, bem como evitar posturas idealizadas e que percebem a profissão de uma forma romântica, como se não vivenciássemos esses problemas e outros observados em nossa categoria profissional.

26 Superação da realidade profissional Partindo disso, a autora coloca ainda que a mudança na relação do Estado com a questão social não é um objetivo apenas do serviço social, apenas de nossa categoria profissional.

27 Superação da realidade profissional Assim, a construção de respostas às demandas que nos têm sido postas passa pela compreensão da realidade como um condicionante e não como um impeditivo de nossas ações. E pressupõe ainda o estabelecimento de outras parcerias com categorias, segmentos, usuários que partilham dos mesmos princípios que são defendidos pelos assistentes sociais.

28 Superação da realidade profissional O momento que vivemos é um momento pleno de desafios. Mais do que nunca é preciso ter coragem, é preciso ter esperanças para enfrentar o presente. É preciso resistir e sonhar. É necessário alimentar os sonhos e concretizá-los dia a dia nos horizontes de novos tempos mais humanos, mais justos, mais solidários (IAMAMOTO, 2004).

29 Interatividade Marque a alternativa que contenha informações verdadeiras sobre realidade: a) Algo que não é concreto. b) Algo palpável. c) Estática. d) Pode mudar. e) Opção b e c estão corretas.

30 ATÉ A PRÓXIMA!

ATUAÇÃO PROFISSIONAL CRIANÇAS ADOLESCENTES ADULTOS IDOSOS

ATUAÇÃO PROFISSIONAL CRIANÇAS ADOLESCENTES ADULTOS IDOSOS EDUCADOR SOCIAL ATUAÇÃO PROFISSIONAL CRIANÇAS ADOLESCENTES ADULTOS IDOSOS ÁREAS DE ATUAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL SAÚDE EDUCAÇÃO MAIORES DIFICULDADES FALTA DE PROFISSIONAIS CAPACITADOS NOVA PROFISSÃO REGULAMENTAÇÃO

Leia mais

Unidade I MOVIMENTOS SOCIAIS. Profa. Daniela Santiago

Unidade I MOVIMENTOS SOCIAIS. Profa. Daniela Santiago Unidade I MOVIMENTOS SOCIAIS CONTEMPORÂNEOS Profa. Daniela Santiago Nessa disciplina estaremos realizando uma aproximação a questão dos movimentos sociais contemporâneos. Para isso estaremos nessa unidade

Leia mais

Interfaces da Questão Social, Gênero e Oncologia

Interfaces da Questão Social, Gênero e Oncologia 3ª Jornada de Serviço Social do INCA Direitos Sociais e Integralidade em Saúde Interfaces da Questão Social, Gênero e Oncologia Letícia Batista Silva Assistente Social HCII/INCA Rio de Janeiro, 1 de julho

Leia mais

A partir de nossas análises e estudos, preencha adequadamente as lacunas da sentença abaixo, na respectiva ordem:

A partir de nossas análises e estudos, preencha adequadamente as lacunas da sentença abaixo, na respectiva ordem: Questão 1 A partir de nossas análises e estudos, preencha adequadamente as lacunas da sentença abaixo, na respectiva ordem: O desconhecimento das condições histórico-sociais concretas em que vivemos, produzidas

Leia mais

Milénio (em particular do Objectivo 8), enquanto consenso internacional para a política

Milénio (em particular do Objectivo 8), enquanto consenso internacional para a política Introdução Esta dissertação procura explorar a importância dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (em particular do Objectivo 8), enquanto consenso internacional para a política de cooperação para

Leia mais

Prof. José Junior. Unidade I SUPERVISÃO DO ESTÁGIO ACADÊMICO

Prof. José Junior. Unidade I SUPERVISÃO DO ESTÁGIO ACADÊMICO Prof. José Junior Unidade I SUPERVISÃO DO ESTÁGIO ACADÊMICO CO O exercício da profissão O exercício da profissão exige prévio registro no Conselho Regional de Serviço Social (CRESS) que tenha jurisdição

Leia mais

Prof. José Junior. Unidade III SUPERVISÃO DO ESTÁGIO ACADÊMICO

Prof. José Junior. Unidade III SUPERVISÃO DO ESTÁGIO ACADÊMICO Prof. José Junior Unidade III SUPERVISÃO DO ESTÁGIO ACADÊMICO CO Princípios fundamentais do Código de Ética do assistente social Os princípios fundamentais do Código de Ética demonstram os compromissos

Leia mais

O QUE TE MOVE??? Ser Futura para ser Diretora!!

O QUE TE MOVE??? Ser Futura para ser Diretora!! O QUE TE MOVE??? Ser Futura para ser Diretora!! OBJETIVO Compreender que para definir objetivos é preciso planejamento e disciplina e como fazer para realiza-los Compreender que para definir objetivos

Leia mais

A CRISE DO CAPITAL E A PRECARIZAÇÃO ESTRUTURAL DO TRABALHO

A CRISE DO CAPITAL E A PRECARIZAÇÃO ESTRUTURAL DO TRABALHO A CRISE DO CAPITAL E A PRECARIZAÇÃO ESTRUTURAL DO TRABALHO Prof. Dr. Ricardo Lara Departamento de Serviço Social Universidade Federal de Santa Catarina UFSC. CRISE DO CAPITAL Sistema sociometabólico do

Leia mais

TÍTULO: 100% PERIFERIA - O SUJEITO PERIFÉRICO: UM OBJETO DE ESTUDO DA PSICOLOGIA SOCIAL?

TÍTULO: 100% PERIFERIA - O SUJEITO PERIFÉRICO: UM OBJETO DE ESTUDO DA PSICOLOGIA SOCIAL? TÍTULO: 100% PERIFERIA - O SUJEITO PERIFÉRICO: UM OBJETO DE ESTUDO DA PSICOLOGIA SOCIAL? CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI

Leia mais

AS EXPRESSÕES DA QUESTÃO SOCIAL NA CONTEMPORANEIDADE. Eixo Temático: Questão Social e Serviço Social

AS EXPRESSÕES DA QUESTÃO SOCIAL NA CONTEMPORANEIDADE. Eixo Temático: Questão Social e Serviço Social AS EXPRESSÕES DA QUESTÃO SOCIAL NA CONTEMPORANEIDADE Camila Marques dos Santos - CamilaMarques2114@Outlook.com Daniela Aparecida de Melo Francisco - dmelofrancisco@hotmail.com Jaqueline Campois Santos

Leia mais

PLANEJAMENTO. Para que Planejar? A finalidade do planejamento é a eficiência; A eficiência é a execução perfeita de uma tarefa que se realiza;

PLANEJAMENTO. Para que Planejar? A finalidade do planejamento é a eficiência; A eficiência é a execução perfeita de uma tarefa que se realiza; Prof. jose PLANEJAMENTO Para que Planejar? A finalidade do planejamento é a eficiência; A eficiência é a execução perfeita de uma tarefa que se realiza; O planejamento visa também a eficácia. 1 Planejar

Leia mais

Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos

Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos NOTA PEDAGÓGICA* MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA Para refletir... Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos INTRODUÇÃO De acordo com Campos e Domitti (2007), os conceitos

Leia mais

ESTRUTURA, FORMATO E OBJETIVOS DA ESCOLA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (EPEM)

ESTRUTURA, FORMATO E OBJETIVOS DA ESCOLA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (EPEM) 1 REDEENSINAR JANEIRO DE 2001 ESTRUTURA, FORMATO E OBJETIVOS DA ESCOLA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (EPEM) Guiomar Namo de Mello Diretora Executiva da Fundação Victor Civita Diretora de Conteúdos da

Leia mais

ANEXO IV QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, POR CARGO ATRIBUIÇÕES

ANEXO IV QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, POR CARGO ATRIBUIÇÕES ANEXO IV QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, POR CARGO CARGO Auxiliar de Serviços Gerais I Merendeira I Fiscal de Obras e Edificações I ATRIBUIÇÕES Manter limpos os móveis, arrumar e manter limpos os locais de trabalho;

Leia mais

Referência Bibliográfica: SOUSA, Charles Toniolo de. Disponível em

Referência Bibliográfica: SOUSA, Charles Toniolo de. Disponível em <http://www.uepg.br/emancipacao> Referência Bibliográfica: SOUSA, Charles Toniolo de. Disponível em 1. À funcionalidade ao projeto reformista da burguesia; 2. À peculiaridade operatória (aspecto instrumental

Leia mais

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA.

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. SANTOS, Sayarah Carol Mesquita UFAL sayarahcarol@hotmail.com INTRODUÇÃO Colocamo-nos a fim de compreender o trabalho na dialética marxista,

Leia mais

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL ISSN 2359-1277 AS CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS ASSISTENTES SOCIAIS QUE ATUAM NOS MUNICÍPIOS DE ABRANGÊNCIA DO ESCRITÓRIO REGIONAL DE PARANAVAÍ - SECRETARIA DA FAMÍLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO ESTADO DO

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO E DA INFORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE ESTUDANTES EM PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO E DA INFORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE ESTUDANTES EM PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO E DA INFORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE ESTUDANTES EM PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO PASSOS, Huana Freire Cirilo, Universidade Federal da Paraíba, Discente colaborador,

Leia mais

A Educação para a paz na formação de professores

A Educação para a paz na formação de professores 8. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO A Educação para a paz na formação de professores : Vandoski, Josiane Miranda. Apresentador : Vandoski, Josiane Miranda. Autor RESUMO:

Leia mais

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL

DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL DIRETRIZES URBANAS PARA O DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL SUMAC/PECOC CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Vice-Presidência de Governo 21/12/2009 Superintendência de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável Introdução

Leia mais

O que é Ideologia? Federação Anarquista Uruguaia (FAU) Tradução: Felipe Corrêa

O que é Ideologia? Federação Anarquista Uruguaia (FAU) Tradução: Felipe Corrêa O que é Ideologia? Federação Anarquista Uruguaia (FAU) Tradução: Felipe Corrêa 2009 Projeto de capa: Luiz Carioca Ilustração da capa: Eduardo Marinho Diagramação: Farrer (C) Copyleft - É livre, e inclusive

Leia mais

AMOR PROVADO Ninho Bagunçado (Décimo primeiro ao décimo nono ano)

AMOR PROVADO Ninho Bagunçado (Décimo primeiro ao décimo nono ano) AMOR PROVADO Ninho Bagunçado (Décimo primeiro ao décimo nono ano) a) Manter uma identidade pessoal e uma identidade para o casamento > Dependência exagerada - A identidade do cônjuge é um reflexo do seu

Leia mais

Acompanhamento Fonoaudiológico Para Crianças Com Dificuldades. de Aprendizagem

Acompanhamento Fonoaudiológico Para Crianças Com Dificuldades. de Aprendizagem Acompanhamento Fonoaudiológico Para Crianças Com Dificuldades de Aprendizagem CORDEIRO, Ingrydh FIGUEIREDO, Luciana Centro de Ciências da Saúde/ Departamento de Fonoaudiologia PROBEX Resumo Levando em

Leia mais

O CAPITALISMO ESTÁ EM CRISE?

O CAPITALISMO ESTÁ EM CRISE? O CAPITALISMO ESTÁ EM CRISE? Nildo Viana Professor da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás; Doutor em Sociologia; Autor de diversos livros, entre os quais, O Capitalismo na Era

Leia mais

DEFINIÇÕES DE RURAL E URBANO

DEFINIÇÕES DE RURAL E URBANO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA DE ILHA SOLTEIRA DISCIPLINA: SOCIOLOGIA E ÉTICA Curso de Zootecnia DEFINIÇÕES DE RURAL E URBANO MAIO 2017 Definição sociológica de rural: é um espaço

Leia mais

PROVA SERVIÇO SOCIAL

PROVA SERVIÇO SOCIAL Nome: Data: 12/07/2016 1. Nas décadas de 60/70 iniciaram-se a ampliação da rede de serviços sociais como também a demanda do trabalho do Assistente Social. Nesse contexto, a intervenção do Serviço Social

Leia mais

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome - 06-23-2016 Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome por Por Dentro da África - quinta-feira, junho 23,

Leia mais

Programa de Gestión Urbana. Governador Valadares/MG/Brasil. Texto para Conferencia Eletrônica. Coordinación Regional para América Latina y El Caribe

Programa de Gestión Urbana. Governador Valadares/MG/Brasil. Texto para Conferencia Eletrônica. Coordinación Regional para América Latina y El Caribe Programa de Gestión Urbana Coordinación Regional para América Latina y El Caribe Otimização do uso de espaços vazios para Agricultura Urbana através de planos participativos, planificação e gestão para

Leia mais

Karla Muniz Belém Secretaria Estadual de Educação do Estado da Bahia (SEC/BA)

Karla Muniz Belém Secretaria Estadual de Educação do Estado da Bahia (SEC/BA) EDUCAÇÃO INCLUSIVA E A FAMÍLIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: ANÁLISE DOS ARTIGOS PUBLICADOS NA REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL NO PERÍODO DE 2000 A 2016. Karla Muniz Belém Secretaria Estadual de Educação

Leia mais

I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas que abrangem múltiplas facetas da realida

I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas que abrangem múltiplas facetas da realida A atuação do Assistente Social na e a interface com os demais níveis de complexidade Inês Pellizzaro I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas

Leia mais

Avaliação qualitativa em atenção básica à saúde

Avaliação qualitativa em atenção básica à saúde Avaliação qualitativa em atenção básica à saúde MÔNICA DE REZENDE 1 ANTENOR AMÂNCIO FILHO 2 MARIA DE FÁTIMA LOBATO TAVARES 2 A participação no VI Seminário do Projeto Integralidade do Laboratório de Pesquisas

Leia mais

A função social da empresa

A função social da empresa A função social da empresa Considerações iniciais A função social da empresa tem como fundamento fornecer a sociedade bens e serviços que possam satisfazer suas necessidades. A propriedade privada é um

Leia mais

SARTRE: FENOMENOLOGIA E EXISTENCIALISMO LIBERDADE E RESPONSABILDIADE

SARTRE: FENOMENOLOGIA E EXISTENCIALISMO LIBERDADE E RESPONSABILDIADE SARTRE: FENOMENOLOGIA E EXISTENCIALISMO LIBERDADE E RESPONSABILDIADE Viver é isto: ficar se equilibrando o tempo todo entre escolhas e consequências Jean Paul Sartre Jean-Paul Sartre - Paris, 1905 1980.

Leia mais

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 1 CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 2 BIOINFORMÁTICA É a junção da ciência computacional e da biologia molecular. Para tal associação utiliza conhecimentos: Da física; Biologia; Química;

Leia mais

Profa. Dra. Maria Inês Fini

Profa. Dra. Maria Inês Fini Profa. Dra. Maria Inês Fini 1 Um dos maiores desafios a serem enfrentados pelas escolas de educação básica na última década é o estabelecimento de uma política para a educação básica formal no Brasil para

Leia mais

Aula ao vivo 21/03/2014 Pensamento Sociológico

Aula ao vivo 21/03/2014 Pensamento Sociológico Aula ao vivo 21/03/2014 Pensamento Sociológico 1) Através dos tempos o homem pensou sobre si mesmo e sobre o universo. Contudo, foi apenas no século XVIII que uma confluência de eventos na Europa levou

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA ÁREA SOCIO JURÍDICO: NOTAS SOBRE OS DESAFIOS IMPOSTOS AO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL

O SERVIÇO SOCIAL NA ÁREA SOCIO JURÍDICO: NOTAS SOBRE OS DESAFIOS IMPOSTOS AO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL ISSN 2359-1277 O SERVIÇO SOCIAL NA ÁREA SOCIO JURÍDICO: NOTAS SOBRE OS DESAFIOS IMPOSTOS AO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL Tainara Aparecida de Albuquerque do Nascimento, tainara_ap1@hotmail.com; Karima

Leia mais

Profª. Ms. Ana Claudia Duarte Pinheiro

Profª. Ms. Ana Claudia Duarte Pinheiro 1 Profª. Ms. Ana Claudia Duarte Pinheiro Bom dia. Agradeço o convite feito pela Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD. É muito honroso tratar, junto à Universidade, de um tema tão polêmico; certamente não

Leia mais

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL SERVIÇO SOCIAL NO CREAS: ENTREVISTA COM A ASSISTENTE SOCIAL DO CREAS

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL SERVIÇO SOCIAL NO CREAS: ENTREVISTA COM A ASSISTENTE SOCIAL DO CREAS ISSN 2359-1277 SERVIÇO SOCIAL NO CREAS: ENTREVISTA COM A ASSISTENTE SOCIAL DO CREAS Brenda de Oliveira Dias, brendadiasoliveira3@gmail.com Débora dos Santos Marques, dmarx670@yahoo.com.br Gabriela Machado

Leia mais

Teoria Geral do Estado TEORIA GERAL DO ESTADO

Teoria Geral do Estado TEORIA GERAL DO ESTADO TEORIA GERAL DO ESTADO ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE, SOCIEDADE CIVIL, SOCIEDADE E ESTADO Prof. Thiago Gomes 1. CONTEXTUALIZAÇÃO O que leva à vida universitária é somente o conhecimento? O que faz vivermos

Leia mais

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS Unidade IV FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL Prof. José Junior A evoluçao do Serviço Social Nas décadas de 1980 e 1990, o serviço social encontra seu ápice, pois a revisão

Leia mais

População em Brasil ,33% Região Norte ,98% Região Nordeste ,18%

População em Brasil ,33% Região Norte ,98% Região Nordeste ,18% 1 O Brasil é o quinto país mais populoso do mundo. De acordo com o Censo Demográfico de 2010, a população brasileira é de 190 732 694 pessoas. Veja os dados da população para cada região e responda: População

Leia mais

Didática e a prática pedagógica na orientação da racionalidade técnica

Didática e a prática pedagógica na orientação da racionalidade técnica EDUCAÇÃO FÍSICA E A PRÁTICA DE ENSINO: POSSIBILIDADE DE UMA RELAÇÃO QUE SUPERE A DICOTOMIA ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA SOARES JÚNIOR, Néri Emilio UEG GT-04: Didática Este trabalho tem como objetivo apresentar

Leia mais

PARTE #1 SÉRIE FEEDBACK NA PRÁTICA ESTUDOS DE CASO. 5/8/2014 A arte de reconhecer e superar suas fragilidades

PARTE #1 SÉRIE FEEDBACK NA PRÁTICA ESTUDOS DE CASO. 5/8/2014 A arte de reconhecer e superar suas fragilidades PARTE #1 SÉRIE FEEDBACK NA PRÁTICA ESTUDOS DE CASO 5/8/2014 A arte de reconhecer e superar suas fragilidades Série Feedback na Prática Estudo de caso Case #1 - A arte de reconhecer e superar suas fragilidades

Leia mais

RESUMO DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Semestre 2016/2º

RESUMO DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Semestre 2016/2º ESCOLA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Curso de Serviço Social RESUMO DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Semestre 2016/2º Manaus Amazonas 2016/2º IDENTIFICAÇÃO Diretor Geral Marcelo José Frutuoso

Leia mais

O PAPEL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DO SNE: DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA POR: GILVÂNIA NASCIMENTO

O PAPEL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DO SNE: DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA POR: GILVÂNIA NASCIMENTO O PAPEL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NO ÂMBITO DO SNE: DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA POR: GILVÂNIA NASCIMENTO "Que tristes os caminhos se não fora a presença distante das estrelas"? (Mario Quintana)

Leia mais

ANAIS DO II SEMINÁRIO SOBRE GÊNERO: Os 10 anos da lei Maria da Penha e os desafios das políticas públicas transversais

ANAIS DO II SEMINÁRIO SOBRE GÊNERO: Os 10 anos da lei Maria da Penha e os desafios das políticas públicas transversais MULHERES CHEFES DE FAMÍLIA Bruna Caroline Joinhas- brunajoinhas@hotmail.com Joelma Barbosa de Souza- jobarbosa_souza@hotmail.com Juliana Carolina Jorge juliana_carolina_jorge@outlook.com Tatiana Bueno

Leia mais

Nota de esclarecimento à sociedade

Nota de esclarecimento à sociedade Nota de esclarecimento à sociedade O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil - CFOAB e o Conselho Secional de São Paulo da Ordem dos Advogados donota de esclarecimento à sociedade O Conselho

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa em Itabira

Responsabilidade Social Corporativa em Itabira Responsabilidade Social Corporativa em Itabira D E N I S E T U B I N O, M S C J O H N F. D E V L I N, P H D N O N I T A Y A P, P H D U N I V E R S I T Y O F G U E L P H, C A N A D A R i o d e J a n e i

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS: o que há por mudar? Profª. Drª. Eucléa Gomes Vale

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS: o que há por mudar? Profª. Drª. Eucléa Gomes Vale DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS: o que há por mudar? Profª. Drª. Eucléa Gomes Vale DIRETRIZES CURRICULARES Alguns pressupostos: NACIONAIS - a Enfermagem atua no campo da saúde com mais 13 profissões

Leia mais

RESENHA: CAPITAL, PODER E DESIGUALDADE COMO FORÇAS ESTRUTURAIS CRÍTICAS DE LONGA DURAÇÃO NA AMÉRICA LATINA E CARIBE

RESENHA: CAPITAL, PODER E DESIGUALDADE COMO FORÇAS ESTRUTURAIS CRÍTICAS DE LONGA DURAÇÃO NA AMÉRICA LATINA E CARIBE RESENHA: CAPITAL, PODER E DESIGUALDADE COMO FORÇAS ESTRUTURAIS CRÍTICAS DE LONGA DURAÇÃO NA AMÉRICA LATINA E CARIBE HARRIS, R. L.; NEF, J. (eds). Capital, power, and inequality in Latin America and the

Leia mais

PLANOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - PAS

PLANOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - PAS Universidade do Sul de Santa Catarina UNISUL Especialização em Gestão Social de Políticas Públicas PLANOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - PAS Janice Merigo Docente UNISUL Assistente Social FECAM social@fecam.org.br

Leia mais

A DISTRIBUIÇÃO FUNCIONAL DA RENDA E A ECONOMIA SOLIDÁRIA 1

A DISTRIBUIÇÃO FUNCIONAL DA RENDA E A ECONOMIA SOLIDÁRIA 1 A DISTRIBUIÇÃO FUNCIONAL DA RENDA E A ECONOMIA SOLIDÁRIA 1 1 - Introdução Edson Trajano Vieira 2 No Brasil, a década de 90, foi marcada pelo aumento do desemprego e mudanças nas relações trabalhistas provocando

Leia mais

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural. Secretaria de Agricultura

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural. Secretaria de Agricultura Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural Secretaria de Agricultura 6º Congresso de Educação Agrícola Superior e 51ª Reunião Anual da ABEAS A Sustentabilidade das Profissões da Área Rural e a Inovação

Leia mais

APONTAMENTOS PARA O ENTENDIMENTO DA HEGEMONIA DO CONCEITO DE AGRICULTURA FAMILIAR NO CONTEXTO DO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO

APONTAMENTOS PARA O ENTENDIMENTO DA HEGEMONIA DO CONCEITO DE AGRICULTURA FAMILIAR NO CONTEXTO DO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO APONTAMENTOS PARA O ENTENDIMENTO DA HEGEMONIA DO CONCEITO DE AGRICULTURA FAMILIAR NO CONTEXTO DO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO Marcos Antônio de Oliveira 1 INTRODUÇÃO: No campo das ciências sociais no Brasil

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas Departamento Curricular: 1º ciclo Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Ano de escolaridade:2º ano Ano letivo: 2015/2016 Oferta Complementar: Educação para a Cidadania Perfil do aluno à saída

Leia mais

006/2016 DOMINGUEIRA DE 06/03/2016

006/2016 DOMINGUEIRA DE 06/03/2016 ANEXO O SUS é uma conquista da sociedade, não é pauta bomba Por Élida Graziane Pinto e Francisco Funcia* O Sistema Único de Saúde (SUS) representa uma das grandes conquistas da sociedade brasileira. A

Leia mais

ESTAMOS AQUI HOJE PARA COMEMORARMOS O NONAGÉSIMO PRIMEIRO DIA INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO DA ALIANÇA COOPERATIVA INTERNACIONAL.

ESTAMOS AQUI HOJE PARA COMEMORARMOS O NONAGÉSIMO PRIMEIRO DIA INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO DA ALIANÇA COOPERATIVA INTERNACIONAL. 1 91º Dia Internacional do Cooperativismo da ACI 19º Dia Internacional do Cooperativismo das Nações Unidas (ONU) 06 de julho de 2013 ESTAMOS AQUI HOJE PARA COMEMORARMOS O NONAGÉSIMO PRIMEIRO DIA INTERNACIONAL

Leia mais

ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA

ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA Estrutura Fundiária A estrutura fundiária corresponde ao modo como as propriedades rurais estão dispersas pelo território e seus respectivos tamanhos, que facilita a compreensão

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL EM EQUIPE MULTIDISCIPLINAR

SERVIÇO SOCIAL EM EQUIPE MULTIDISCIPLINAR Profa. Adriana Ribeiro Unidade I SERVIÇO SOCIAL EM EQUIPE MULTIDISCIPLINAR Gerência científica e prestação de serviços A gerência científica. Mudanças nos processos de trabalho. A exploração dos serviços

Leia mais

Fundamentos Históricos Teóricos e Metodológicos do Serviço Social IV. ANDREIA AGDA SILVA HONORATO Professora

Fundamentos Históricos Teóricos e Metodológicos do Serviço Social IV. ANDREIA AGDA SILVA HONORATO Professora Fundamentos Históricos Teóricos e Metodológicos do Serviço Social IV ANDREIA AGDA SILVA HONORATO Professora Seminário TRABALHO E SERVIÇO SOCIAL:O REDIMENSIONAMENTO DA PROFISSÃO ANTE AS TRANSFORMAÇÕES SOCIETÁRIAS

Leia mais

Carvalho e Nery Treinamento Profissional e Gerencial LTDA

Carvalho e Nery Treinamento Profissional e Gerencial LTDA Com base nele, é possível inferir que a opção que representa a melhor economia é a que compreende a existência de 3 empresas, sendo 2 optantes pelo simples e uma prestadora de serviço optante pelo lucro

Leia mais

SABERES DOCENTES NECESSÁRIOS À PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL TECNOLÓGICA

SABERES DOCENTES NECESSÁRIOS À PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL TECNOLÓGICA SABERES DOCENTES NECESSÁRIOS À PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL TECNOLÓGICA Carmen Célia Barradas Correia Bastos- UNIOESTE/Cascavel/PR Nelci Aparecida

Leia mais

1º Encontro de Análise de Performance Aduaneira. 24 de novembro de 2015

1º Encontro de Análise de Performance Aduaneira. 24 de novembro de 2015 1º Encontro de Análise de Performance Aduaneira 24 de novembro de 2015 Table of Contents Duplo Papel Institucional da OAB LABOR RELATIONS IN BRAZIL An Overview Estatuto da Advocacia (Lei n.º 8.906/94,

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS Título do Podcast Área Segmento Duração Fases do Capitalismo Ciências Humanas Ensino Fundamental; Ensino Médio 6min07seg Habilidades: H.17, H.19, H.20, H.23

Leia mais

MANIFESTO DA ABEPSS 15 DE MAIO DIA DA/O ASSISTENTE SOCIAL 2013

MANIFESTO DA ABEPSS 15 DE MAIO DIA DA/O ASSISTENTE SOCIAL 2013 MANIFESTO DA ABEPSS 15 DE MAIO DIA DA/O ASSISTENTE SOCIAL 2013 ABEPSS MANIFESTO MAY 15th SOCIAL WORKER S DAY 2013 O contexto mundial de reestruturação produtiva não é somente resultado da crise do capital

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 3.044, DE 2008

PROJETO DE LEI Nº 3.044, DE 2008 COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 3.044, DE 2008 (Apenso o PL nº4.536, de 2008) Dispõe sobre a universalização das bibliotecas escolares e determina outras providências. Autor: Deputado

Leia mais

RESUMO DE EVENTOS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Semestre 2016/2º

RESUMO DE EVENTOS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Semestre 2016/2º ESCOLA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Curso de Serviço Social RESUMO DE EVENTOS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Semestre 2016/2º Manaus Amazonas 2016/2º IDENTIFICAÇÃO Diretor Geral Marcelo José Frutuoso Medeiros Reitor

Leia mais

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing Curso do Superior de Tecnologia em Objetivos do curso 1.5.1 Objetivo Geral O Curso Superior de Tecnologia em na modalidade EaD da universidade Unigranrio, tem por objetivos gerais capacitar o profissional

Leia mais

ANÁLISE DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE EM TORNEIOS DE XADREZ por Wendel Rodrigo de Assis

ANÁLISE DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE EM TORNEIOS DE XADREZ por Wendel Rodrigo de Assis ANÁLISE DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE EM TORNEIOS DE XADREZ por Wendel Rodrigo de Assis Pessoal, nas etapas do Circuito Solidário de Xadrez é comum, ao término de todas as rodadas, que alguns jogadores terminem

Leia mais

CURSO de SERVIÇO SOCIAL RIO DAS OSTRAS - Gabarito

CURSO de SERVIÇO SOCIAL RIO DAS OSTRAS - Gabarito PROAC / COSEAC CURSO de SERVIÇO SOCIAL RIO DAS OSTRAS Gabarito. UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ACADÊMICOS COSEAC-COORDENADORIA DE SELEÇÃO TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de

Leia mais

Assistência Técnica em Perícias Médicas EDUARDO ALFAMA REVERBEL MÉDICO DO TRABALHO

Assistência Técnica em Perícias Médicas EDUARDO ALFAMA REVERBEL MÉDICO DO TRABALHO Assistência Técnica em Perícias Médicas EDUARDO ALFAMA REVERBEL MÉDICO DO TRABALHO PERÍCIAS MÉDICAS ADMINISTRATIVAS É possível a nomeação de assistente técnico em perícias médicas administrativas previdenciárias.

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL. CÂMARA TEMÁTICA Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES

PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL. CÂMARA TEMÁTICA Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL CÂMARA TEMÁTICA Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES 21 de junho 2017 A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES é

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO DOS NEGÓCIOS 1º SEMESTRE DE 2014

DIREITO ADMINISTRATIVO DOS NEGÓCIOS 1º SEMESTRE DE 2014 DIREITO ADMINISTRATIVO DOS NEGÓCIOS 1º SEMESTRE DE 2014 Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da DIREITO GV (GVlaw) FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em

Leia mais

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC)

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Título Norma de Responsabilidade Socioambiental Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Abrangência Agências, Departamentos, Empresas Ligadas e Unidades no Exterior Sinopse Diretrizes

Leia mais

O MEIO AMBIENTE NA CONSTITUIÇÃO E A ATUAÇÃO DO ESTADO

O MEIO AMBIENTE NA CONSTITUIÇÃO E A ATUAÇÃO DO ESTADO O MEIO AMBIENTE NA CONSTITUIÇÃO E A ATUAÇÃO DO ESTADO (Revista da Lata Edição 2016 págs. 14 e 15) Desde a promulgação da Lei Suprema, tenho me debruçado sobre as questões do meio ambiente e constatei que

Leia mais

Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY. FF 15 junho 2016

Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY. FF 15 junho 2016 Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY FF 15 junho 2016 A Saúde e o Bem-Estar nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável QUAIS AS TEMÁTICAS PRIORITÁRIAS, NA PERSPETIVA DOS PARTICIPANTES NO EVENTO? O papel

Leia mais

ATA Assistente Técnico Administrativo Trabalho em Equipe Gestão Pública Keyvila Menezes

ATA Assistente Técnico Administrativo Trabalho em Equipe Gestão Pública Keyvila Menezes ATA Assistente Técnico Administrativo Trabalho em Equipe Gestão Pública Keyvila Menezes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Evolução do trabalho em equipe Grupos

Leia mais

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública.

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública. REGIÃO SUDESTE Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Capacitar permanente os gestores e profissionais envolvidos

Leia mais

Prof. Ricardo Torques

Prof. Ricardo Torques Revisão de Filosofia do Direito para o XXI Exame de Ordem Prof. Ricardo Torques www.fb.com/oabestrategia INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA FILOSOFIA CONCEITO GERAL DE FILOSOFIA: refletir e questionar o saber instituído,

Leia mais

QUESTÃO SOCIAL, POLÍTICA SOCIAL E SERVIÇO SOCIAL: BREVES CONSIDERAÇÕES. Eixo temático: Questão Social e Serviço Social

QUESTÃO SOCIAL, POLÍTICA SOCIAL E SERVIÇO SOCIAL: BREVES CONSIDERAÇÕES. Eixo temático: Questão Social e Serviço Social ISSN 2359-1277 QUESTÃO SOCIAL, POLÍTICA SOCIAL E SERVIÇO SOCIAL: BREVES CONSIDERAÇÕES Ariani Juliana Geronimo, arianijuly11@gmail.com Kézia de Almeida Franco, kesia_franco@hotmail.com Nayara Cristina Bueno

Leia mais

ISSN ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE AS PROPOSTAS EDUCACIONAIS DE JOHN DEWEY PARA UMA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA

ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE AS PROPOSTAS EDUCACIONAIS DE JOHN DEWEY PARA UMA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA PENSAMENTO PEDAGÓGICO NA ÉPOCA CONTEMPORÂNEA Escola Nova e sua Teoria: - Dewey: aprender fazendo da ed. tradicional à ed. nova; A Pedagogia Tecnicista de Tendência Liberal O pensamento pedagógico antiautoritário

Leia mais

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL ISSN 2359-1277 O SERVIÇO SOCIAL E O CAMPO SÓCIO JURÍDICO: UMA DISCUSSÃO SOBRE A ATUAÇÃO PROFISSIONAL NO CENSE Camila Silvestre, email: camilamonteirosilva@hotmail.com.br Drielly Claro, email: driellyclaro@hotmail.com

Leia mais

INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE POR MEIO DO AMPARO JURÍDICO

INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE POR MEIO DO AMPARO JURÍDICO INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE POR MEIO DO AMPARO JURÍDICO Vanessa Cristina Lourenço Casotti Ferreira da Palma Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação - PPGEdu da Faculdade de

Leia mais

Agente Técnico Coordenadoria de Educação Ambiental

Agente Técnico Coordenadoria de Educação Ambiental Agente Técnico Coordenadoria de Educação Ambiental Claudia Beltrame Porto Analista Técnica AGENTE TÉCNICO - Avaliar a viabilidade técnica e o custo dos empreendimentos a serem financiados; - Fiscalizar

Leia mais

REFORMA TRABALHISTA (É TAMBÉM UMA REFORMA SINDICAL)

REFORMA TRABALHISTA (É TAMBÉM UMA REFORMA SINDICAL) (É TAMBÉM UMA REFORMA SINDICAL) A QUE VEM A REFORMA? Várias razões estão sendo dadas: MANTER E CRIAR EMPREGOS COM REDUÇÃO NO CUSTO DO TRABALHO; REGULAR FORMAS MAIS FLEXÍVEIS DE CONTRATAR PARA ATENDER AS

Leia mais

Inteligência Artificial - IA. Agentes Inteligentes Cont.

Inteligência Artificial - IA. Agentes Inteligentes Cont. Agentes Inteligentes Cont. 1 Caracterização de agente - M. A. A. S. (P.E.A.S) Medida desempenho Ambiente Atuadores Sensores Agente filtro de e-mail Minimizar carga de leitura usuário mensagens do usuário

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio Comércio precário Decreto Executivo n. 43/00 de 2 de Junho O Decreto n.º 29, de 2 de Junho de 2000, estabelece o comércio precário como uma das modalidades do exercício da actividade

Leia mais

TEMA ESTRATÉGICO 3: Garantir apoio técnico necessário ao funcionamento pleno das atividades, tanto de graduação quanto de pesquisa.

TEMA ESTRATÉGICO 3: Garantir apoio técnico necessário ao funcionamento pleno das atividades, tanto de graduação quanto de pesquisa. CTC - CENTRO DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS MISSÃO DA UNIDADE: O Centro de Tecnologia e Ciências tem seu objetivo maior consubstanciado nos objetivos gerais de Ensino, Pesquisa e Extensão. No que tange ao objetivo

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA - SP Curso ENFERMAGEM Disciplina: ADMINSTRAÇÃO Ano letivo 2011 Série: 3ª Carga Horária:72h/aula Teoria: 72h/aula sem/semestral Professor(a) Claudia Lysia de

Leia mais

Diretriz Nacional de Comunicação. Sistema Unimed

Diretriz Nacional de Comunicação. Sistema Unimed Diretriz Nacional de Comunicação Sistema Unimed Diretriz de Comunicação Definição Política ou Diretriz de Comunicação é um processo articulado de definição de valores, objetivos, diretrizes, normas e estruturas,

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS DETERMINANTES SOCIAIS DA SAÚDE

PERCEPÇÃO DOS DETERMINANTES SOCIAIS DA SAÚDE PERCEPÇÃO DOS DETERMINANTES SOCIAIS DA SAÚDE Tatiane Moulin 1, Ana Paula Guedes Oliveira 1, Sabrina Marconsini Sabino 1, Simony Marques da Silva Gandine 1, Flávia Nicácio Viana 1, Ariane Cardoso Costa

Leia mais

A FORMAÇÃO CONTINUADA DO EDUCADOR DO PROEJA-FIC/PRONATEC

A FORMAÇÃO CONTINUADA DO EDUCADOR DO PROEJA-FIC/PRONATEC A FORMAÇÃO CONTINUADA DO EDUCADOR DO PROEJA-FIC/PRONATEC Mestranda: Maria Aldina Gomes da Silva Francisco Orientadora: Prof. Dr. Maria Emilia de Castro Rodrigues PPGE/FE/UFG - LP: Educação, trabalho e

Leia mais

BH sedia 42º Encontro Descentralizado dos CRESS da Região Sudeste

BH sedia 42º Encontro Descentralizado dos CRESS da Região Sudeste BH sedia 42º Encontro Descentralizado dos CRESS da Região Sudeste A cidade de Belo Horizonte (MG) foi escolhida para sediar o 42º Encontro Descentralizado dos CRESS da Região Sudeste, realizado entre os

Leia mais

10 Ensinar e aprender Sociologia no ensino médio

10 Ensinar e aprender Sociologia no ensino médio A introdução da Sociologia no ensino médio é de fundamental importância para a formação da juventude, que vive momento histórico de intensas transformações sociais, crescente incerteza quanto ao futuro

Leia mais

Câmara dos Deputados Comissão de Desenvolvimento Urbano

Câmara dos Deputados Comissão de Desenvolvimento Urbano REQUERIMENTO N O., DE 2015 (Dos Srs. João Paulo Papa e Julio Lopes) Requer o envio de Indicação ao Ministério da Saúde sugerindo que seja dada prioridade ao Programa Nacional de Saneamento Rural, da Fundação

Leia mais