Gestão de Eventos. 5ª Câmara de Coordenação e Revisão - Combate à Corrupção Manual de Normas e Procedimentos - MNP 04

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestão de Eventos. 5ª Câmara de Coordenação e Revisão - Combate à Corrupção Manual de Normas e Procedimentos - MNP 04"

Transcrição

1 Gestão de Eventos 5ª Câmara de Coordenação e Revisão - Combate à Corrupção Manual de Normas e Procedimentos - MNP 04

2 Sumário GESTÃO DE EVENTOS 1 Apresentação.3 GESTÃO DE EVENTOS.4 Elementos do processo 5 Evento de início Define realização dos eventos da CCR Planeja eventos 5 3. Negocia com CVE datas para o evento Formata evento 5 5. Preenche formulário com necessidades do evento 6 6. Viabiliza local do evento 6 7. Formaliza evento.6 8. Comunica aos Membros 6 9. Elabora minuta programação do evento Convida palestrantes Cadastra SVs 7 1. Aprova arte do evento Encaminha lista completa com SV's Confere ordem de serviço Organiza pré-evento Publica notícia Consolida resultados.8 ALTERAÇÕES..10

3 Apresentação Este Manual de Normas e Procedimentos tem por objetivo ser um guia para os servidores que atuam no processo de trabalho Gestão de Eventos no âmbito da 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal (5ª CCR/MPF). Tem por propósito racionalizar e padronizar, formalmente, os procedimentos adotados pela 5ª CCR/MPF, objetivando uma atuação mais eficaz. O processo de trabalho de Gestão de Eventos está sob a gestão das Assessorias Administrativa e de Coordenação da 5ª CCR/MPF. O processo em questão envolve a preparação dos eventos regionais e nacionais a serem realizados pela Câmara para coordenar as atividades planejadas anualmente, além de acompanhar a execução do encontro. Este Manual de Normas e Procedimentos é o resultado do trabalho em conjunto da 5ª CCR/MPF com a Assessoria de Modernização e Gestão Estratégica do MPF (AMGE/MPF) com orientação do Escritório de Processos do MPF. Alterações e sugestões de melhorias devem ser encaminhadas ao Escritório de Processos do MPF.

4 G E S TÃ O D E E V E N TO S Fonte: Escritório de Processos do MPF-EPO/MPF. Fluxo do processo de trabalho Gestão de Eventos da 5ª Câmara de Coordenação e Revisão. Novembro/015. 4

5 G E S T Ã O D E E V E N T O S ELEMENTOS DO PROCESSO Evento de início 1. Define realização dos eventos da CCR Os eventos são definidos em sessão pelo colegiado da Câmara.. Planeja eventos Realiza reunião com o Coordenador da Câmara para selecionar os eventos que serão realizados durante o ano. Alguns eventos são realizados todos os anos, tais como Encontros Regional e Nacional e evento em comemoração ao Dia Internacional de Combate à Corrupção. 3. Negocia com CVE datas para o evento A Assessoria Administrativa agenda reunião com a Coordenadoria de Viagens e Eventos CVE para verificar a disponibilidade de datas e, assim, não haver choque com outros eventos da PGR (das demais Câmaras ou da Secretaria Geral, por exemplo). 4. Formata evento Para elaboração do cronograma é necessário fazer levantamento sobre os temas que serão pertinentes ao evento. Realizam-se diversas reuniões com o Coordenador e o Secretário Executivo para definição de formato, temas, palestrantes, entre outros. 5

6 5. Preenche formulário com necessidades do evento A CVE encaminha formulário para preenchimento das necessidades do evento, tais como computadores, microfones, projetores, copiadoras, coffee-break. Enfim, toda a estrutura necessária para a realização do evento. 6. Viabiliza local do evento A Assessoria Administrativa realiza pesquisa, em conjunto com a CVE, das opções de hospedagem no local em que será realizado o evento. Depois de verificada a disponibilidade dos hotéis escolhidos, a lista será apresentada ao Coordenador para a escolha final. 7. Formaliza evento Expede-se ofício ao Procurador-Geral da República, informando a data de realização do evento e solicitando apoio para sua realização. É expedido também memorando à Secretaria de Comunicação Social SECOM, com solicitação de identidade visual para o evento e material de divulgação (banners, programação, filipetas, cartaz e arte digital) 8. Comunica aos Membros Encaminha por comunicado aos membros sobre a realização do evento. É importante que o esclareça os temas que serão tratados, as datas e os horários, o local de realização, os critérios de seleção dos participantes e o prazo para o encaminhamento do formulário de viagens. 6

7 9. Elabora minuta programação do evento Realiza reunião com o Coordenador, o Secretário Executivo, as Assessorias de Coordenação e a Administrativa para definir os temas, horários e palestrantes. 10. Convida palestrantes É feito um contato prévio com a assessoria do palestrante a ser convidado para verificar a disponibilidade de agenda. Após essa confirmação, é elaborado ofício convite e enviado por meio eletrônico ou físico. 11. Cadastra SVs As opções de voo encaminhadas pelos participantes ao da 5ª CCR são cadastradas no Sistema de solicitação de viagens e aprovadas pelo Secretário Executivo ou pelo Coordenador da 5ª CCR para pagamento das diárias e emissão dos bilhetes pela CVE. 1. Aprova arte do evento A Assessoria de Comunicação entra em contato e agenda data com o Coordenador da Câmara para apresentação da arte do evento. Se o Coordenador aprovar o material, segue para impressão. Caso contrário, são solicitados ajustes à SECOM. O material do evento só deve ser produzido após aprovação da arte pelo Coordenador. 13. Encaminha lista completa com SV's Depois de autorizadas as solicitações de viagem, com confirmação dos participantes do evento, é encaminhada lista para o setor de eventos da CVE, para confirmação do número de hóspedes e horários de chegada e saída dos participantes. 7

8 14. Confere ordem de serviço A CVE encaminha a Ordem de Serviço (discriminação de todas as demandas do evento) para atesto da 5ª CCR. 15. Organiza pré-evento Um dia antes do início do evento a equipe da 5ª CCR visita o local para verificação da montagem da sala e da instalação dos equipamentos (áudio e vídeo) solicitados. A Assessoria Administrativa organiza todo o material de escritório que será necessário. 17. Publica notícia Durante a realização do evento há elaboração de relatório de atividades e deliberações. Após o evento, as informações são encaminhadas à SECOM para elaboração de matéria jornalística sobre o evento realizado. 18. Consolida resultados Com base na plenária realizada no evento é elaborado documento com a consolidação dos resultados. O documento é entregue ao Coordenador e publicado na página da 5ª Câmara da intranet. 8

9 ALTERAÇÕES Tabela 1 Alterações no Documento Data Versão Descrição Página 1 Fonte: Elaboração pelo Comitê da Qualidade do MPF Atualização do nome da revisora do Manual. Em vez da servidora Juliana Costa Arcúrio, a servidora quem revisou. Atualização do fluxo. 4 Alteração da descrição da atividade 1 Define realização dos eventos da CCR. Alteração da descrição da atividade 18 Consolida resultados. Retirada da atividade 19 (Cumpre providências), pois não faz parte do fluxo de eventos

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE PROCEDIMENTOS PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO/TESE E DIPLOMAÇÃO STRICTO SENSU 1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE Aluno: Após integralizar os requisitos necessários para obtenção do

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. Dispõe sobre regulamentação de normas e procedimentos para realização de eventos acadêmicos e administrativos, cerimonial e protocolo

Leia mais

Processo de Análise de Assuntos do Conselho do Câmpus Restinga

Processo de Análise de Assuntos do Conselho do Câmpus Restinga Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Conselho do Campus Restinga Processo de Análise de Assuntos

Leia mais

Data da revisão ATIVIDADE AUTORIDADE RESPONSABILIDADE Elaborar Termo de Abertura

Data da revisão ATIVIDADE AUTORIDADE RESPONSABILIDADE Elaborar Termo de Abertura Versão 01 - Página 1/7 PROCESSO: Processo de Elaboração e Aprovação de PROCEDIMENTO: Procedimento para Elaboração e Aprovação do Termo de ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Objetivo estratégico: 9. Excelência na

Leia mais

Acordo de Acionistas. da CPFL Energia S.A. de Assessoramento do. Conselho da de Draft Administração. Atual Denominação Social. II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. da CPFL Energia S.A. de Assessoramento do. Conselho da de Draft Administração. Atual Denominação Social. II Participações S.A. Acordo de Acionistas Regimento da Interno CPFL dos Energia Comitês S.A. de Assessoramento do Atual Denominação Social Conselho da de Draft Administração II Participações S.A. da CPFL Energia S.A. 1 Sumário

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho CERIMONIAL E EVENTOS PROTOCOLARES IT. 37 10 1 / 6 1. OBJETIVO Traçar diretrizes para a organização e execução das atividades de cerimonial e de eventos protocolares do Crea GO, voltados para os públicos

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA PROGRAMAÇÃO VISUAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA PROGRAMAÇÃO VISUAL PV MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA PROGRAMAÇÃO VISUAL Sumário 1. Apresentação 2 2. Competências da Programação Visual 2 3. Solicitação de serviços 2 3.1. Procedimentos para solicitação de serviços 2 3.2. Atendimento

Leia mais

MAPEAMENTO DAS PRINCIPAIS ATIVIDADES DA COORDENAÇÃO E SECRETARIA ACADÊMICA DE GRADUAÇÃO

MAPEAMENTO DAS PRINCIPAIS ATIVIDADES DA COORDENAÇÃO E SECRETARIA ACADÊMICA DE GRADUAÇÃO MAPEAMENTO DAS PRINCIPAIS ATIVIDADES DA COORDENAÇÃO E SECRETARIA ACADÊMICA DE GRADUAÇÃO - Ajuste de matrícula (acréscimo de disciplina com a Coordenação conforme calendário da UFG) Aluno solicita pelo

Leia mais

CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal

CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal Primeira 1/6 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal Marcelo de Sousa Monteiro Michelle Borges C. Cunha HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES EDIÇÃO

Leia mais

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Assessoria de Comunicação Social - ASCOM Petrolina - PE Julho de 2016 2ª Versão Apresentação A Assessoria de Comunicação Social (Ascom) da Univasf tem como

Leia mais

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº - REGIMENTO INTERNO Secretaria de Comunicação Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº 12.659/06 e Nº 15.052 I - Secretaria Executiva: - assessorar o Secretário Municipal no exercício de suas atribuições;

Leia mais

Aprovado por Márcia Rangel

Aprovado por Márcia Rangel Unidade Processo Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Desenvolvimento de Pessoas Realização de Eventos por Edital de Pregão Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional

Leia mais

Mudanças no Portal da Transparência do CNMP Atualização do Portal da Transparência do CNMP

Mudanças no Portal da Transparência do CNMP Atualização do Portal da Transparência do CNMP 05.08.01 Mudanças no Portal da Transparência do CNMP 05.08.02 Atualização do Portal da Transparência do CNMP Manual de Normas e Procedimentos Anexo da Instrução Normativa SG/MPF nº9 de 2016 Versão 1.0

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P.TJAM 67 Planejamento Estratégico Elaborado por: Carla Winalmoller

Leia mais

PORTARIA ICT/DTA nº 014, de 12 de abril de 2013.

PORTARIA ICT/DTA nº 014, de 12 de abril de 2013. PORTARIA ICT/DTA nº 014, de 12 de abril de 2013. Dispõe sobre as Normas para Proposta de realização de Projeto de Eventos e, Normas para utilização do Anfiteatro Paulo Milton Barbosa Landim (Anf. I), do

Leia mais

FILDA 2017 INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

FILDA 2017 INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO FILDA 2017 INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1. DADOS DA FEIRA Data: de 26 a 30 de julho de 2017 Local: Baia de Luanda, junto ao Porto (Luanda Angola) Site: http://www.fil-angola.co.ao/pt/ Horário

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO A EVENTOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DA PROEX - UNESP EDITAL N 001/ 2014 PROEX

PROGRAMA DE APOIO A EVENTOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DA PROEX - UNESP EDITAL N 001/ 2014 PROEX PROGRAMA DE APOIO A EVENTOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DA PROEX - UNESP EDITAL N 001/ 2014 PROEX Seleção de propostas de projetos de eventos de extensão universitária no âmbito da PROEX UNESP. 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ACOMPANHAR A LEGISLAÇÃO, NORMAS E DECISÕES JUDICIAIS DE RECURSOS HUMANOS. HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: José Carlos S Pereira

ACOMPANHAR A LEGISLAÇÃO, NORMAS E DECISÕES JUDICIAIS DE RECURSOS HUMANOS. HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: José Carlos S Pereira Ministério da Saúde FIOCRUZ Fundação Oswaldo Cruz ACOMPANHAR A LEGISLAÇÃO, NORMAS E DECISÕES JUDICIAIS DE RECURSOS HUMANOS. HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 10/03/2012

Leia mais

Sistema de Avaliação e Desenvolvimento Institucional

Sistema de Avaliação e Desenvolvimento Institucional Unidade Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Administração Sistema de Avaliação e Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Processo Concessão de Diárias e Passagens - 1 de 5

Leia mais

Escritório de Processos do MPF

Escritório de Processos do MPF Escritório de Processos do MPF 1 01.02.05 Prorrogação de Posse Manual de Normas e Procedimentos Anexo da Instrução Normativa SG/MPF nº 06/2014 Escritório de Processos do MPF 2 Gestão de Pessoas 01.02.05

Leia mais

CEPUERJ CENTRO DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CEPUERJ CENTRO DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CEPUERJ CENTRO DE PRODUÇÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MISSÃO DA UNIDADE: Fomentar a atividade acadêmica, promover o intercâmbio da Universidade com órgãos públicos, empresas privadas e

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE PROCEDIMENTOS EM EDITAIS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO. 1 Edital Institucional de Extensão Pró-reitoria de Extensão

ORIENTAÇÕES SOBRE PROCEDIMENTOS EM EDITAIS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO. 1 Edital Institucional de Extensão Pró-reitoria de Extensão ORIENTAÇÕES SOBRE PROCEDIMENTOS EM EDITAIS 1 Edital Institucional de Extensão Pró-reitoria de Extensão a. Abertura de processo com o protocolo de documento oficial (memorando) encaminhado ao Gabinete contendo

Leia mais

O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RORAIMA, no uso de suas atribuições legais e

O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RORAIMA, no uso de suas atribuições legais e RESOLUÇÃO Nº 041-CONSELHO SUPERIOR, de 10 de junho de 2011. APROVA OS PROTOCOLOS DE EXECUÇÃO PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS E DE GRADUAÇÃO, OUTORGA DE GRAU EM GABINETE E EMISSÃO DE DIPLOMAS DE CURSOS

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE VIAGEM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE VIAGEM 03/02/205 PGR-0. INTRODUÇÃO A Política de Viagem tem por objetivo estabelecer normas e procedimentos relacionados a viagens a serviço da empresa. 2. ESCOPO Viagens a serviço da empresa. 3. CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

DIVISÃO DE EQUIPES PARA EVENTOS

DIVISÃO DE EQUIPES PARA EVENTOS DIVISÃO DE EQUIPES PARA EVENTOS Coordenação e organização Responsabilidades: elaborar o planejamento geral do evento; estabelecer, monitorar e garantir o trabalho sinérgico das equipes de apoio; coordenar

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009 UNIVERSIDADE DANTA CECÍLIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL É preciso avaliar para mudar RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO ANO LETIVO DE 2009 PERÍODO FEVEREIRO

Leia mais

RESOLVE: Artigo 3º - O GP será credenciado após envio de formulário específico à PRPPG efetuada pelo líder do GP.

RESOLVE: Artigo 3º - O GP será credenciado após envio de formulário específico à PRPPG efetuada pelo líder do GP. RESOLUÇÃO Nº 436/2005 EMENTA: Aprova normas para Grupos de Pesquisa, Linhas de Pesquisa e Projetos de Pesquisa coordenados por Professores/Pesquisadores da UFRPE e dá outras providências. O Presidente

Leia mais

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que?

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que? ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO CCSH Questão Geral 1.1 Como você percebe a utilização dos resultados da autoavaliação como subsídio à revisão, proposição e implementação das ações

Leia mais

DECRETO Nº , DE 13 DE MARÇO DE

DECRETO Nº , DE 13 DE MARÇO DE DECRETO Nº 22.787, DE 13 DE MARÇO DE 2002 1 Dispõe sobre a regulamentação do Conselho de Recursos Hídricos do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições

Leia mais

NORMA GERAL PARA O CREDENCIAMENTO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE COLETA DE RESÍDUO GERAL

NORMA GERAL PARA O CREDENCIAMENTO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE COLETA DE RESÍDUO GERAL NORMA GERAL PARA O CREDENCIAMENTO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE COLETA DE RESÍDUO GERAL TÍTULO Capítulo Norma Geral 5 Área de Relações com o mercado e Comunidades 5 Meio Ambiente Seção Nome 01

Leia mais

Normas de Comunicação Interna e Publicações

Normas de Comunicação Interna e Publicações Normas de Comunicação Interna e Publicações (Anexo Único da Resolução 033/2016) COMUNICAÇÃO E MARKETING Regras e normas de comunicação interna e publicações O Setor de Comunicação e Marketing da Universidade

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº 06, DE 31 DE JANEIRO DE 2017

DELIBERAÇÃO Nº 06, DE 31 DE JANEIRO DE 2017 DELIBERAÇÃO Nº 06, DE 31 DE JANEIRO DE 2017 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 333ª Reunião Ordinária, realizada em 31 de janeiro de 2017, e considerando

Leia mais

RESUMO DA CHAMADA MCTI/FINEP/FNDCT AÇÃO TRANSVERSAL APOIO INSTITUCIONAL 03/2016 APOIO A INSTITUIÇÕES DE PESQUISA NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO

RESUMO DA CHAMADA MCTI/FINEP/FNDCT AÇÃO TRANSVERSAL APOIO INSTITUCIONAL 03/2016 APOIO A INSTITUIÇÕES DE PESQUISA NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO RESUMO DA CHAMADA MCTI/FINEP/FNDCT AÇÃO TRANSVERSAL APOIO INSTITUCIONAL 03/2016 APOIO A INSTITUIÇÕES DE PESQUISA NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO EM TERRITÓRIO NACIONAL Salvador Jun/2016 1. OBJETIVO

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA

REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA (Resolução Nº 008/2013 da Pró-Reitoria de Graduação) CAPÍTULO I - DO CONCEITO, DA CARGA HORÁRIA E DA MODALIDADE Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso - TCC será o resultado do desenvolvimento de projeto

Leia mais

Guia do Participante

Guia do Participante Guia do Participante Prezado Participante da 15ª Expoepi, É uma alegria contar com você em mais esta edição da Expoepi. Este guia tem a finalidade de orientar os participantes com informações de como proceder

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO SISTEMA CONFEA/CREA - CIE-MG ESTATUTO CAPÍTULO I. Natureza, Finalidade e Composição

COLÉGIO ESTADUAL DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO SISTEMA CONFEA/CREA - CIE-MG ESTATUTO CAPÍTULO I. Natureza, Finalidade e Composição COLÉGIO ESTADUAL DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO SISTEMA CONFEA/CREA - CIE-MG ESTATUTO CAPÍTULO I Natureza, Finalidade e Composição Art. 1º - O Colégio Estadual de Instituições de Ensino do CREA-MG (CIE-MG)

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460) E DO PROJETO INTERDISCIPLINAR (30-094)

NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460) E DO PROJETO INTERDISCIPLINAR (30-094) UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES DEPARTAMENTO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460)

Leia mais

Estabelecer as orientações básicas relativas à operação do processo de Avaliação de Desempenho Individual no Instituto Estadual do Ambiente (INEA).

Estabelecer as orientações básicas relativas à operação do processo de Avaliação de Desempenho Individual no Instituto Estadual do Ambiente (INEA). INDIVIDUAL (MANUAL DA GERÊNCIA DE GESTÃO DE PESSOAS) Proposto por: ASPRES Analisado por: PRESIDENTE Aprovado por: PRESIDENTE 1 OBJETIVO Estabelecer as orientações básicas relativas à operação do processo

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO Art. 1 o - Visando possibilitar a melhor adequação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), obrigatório e que corresponde

Leia mais

NORMA OPERACIONAL 01/2014. Regras e normas de comunicação interna e publicações

NORMA OPERACIONAL 01/2014. Regras e normas de comunicação interna e publicações NORMA OPERACIONAL 01/2014 Regras e normas de comunicação interna e publicações O Presidente e Diretor Geral da Fundação Comunitária Tricordiana de Ensino, no uso de suas atribuições e tendo em vista a

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA Capítulo 1: das disposições gerais O Congresso Brasileiro de Patologia (CBP), de acordo com o estatuto vigente da SBP, é evento científico da Sociedade Brasileira de Patologia (SBP), bienal, que congrega

Leia mais

Considerando a Resolução CSE/UFCG nº 26/2007, que homologa o Regulamento de Ensino de Graduação.

Considerando a Resolução CSE/UFCG nº 26/2007, que homologa o Regulamento de Ensino de Graduação. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SEMIÁRIDO UNIDADE ACADÊMICA DE TECNOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS RESOLUÇÃO

Leia mais

Instruir o processo de orientação, acompanhamento e efetivação da remoção do servidor, por motivo de saúde própria ou de pessoa da família.

Instruir o processo de orientação, acompanhamento e efetivação da remoção do servidor, por motivo de saúde própria ou de pessoa da família. Unidade Processo Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Desenvolvimento de Pessoas Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional Nº de folhas 1 de 7 Glossário de Siglas

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS COPPETEC. Regimento Interno. 01 de outubro de 2007

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS COPPETEC. Regimento Interno. 01 de outubro de 2007 FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS COPPETEC. 01 de outubro de 2007 Regimento elaborado e aprovado pelo Conselho de Administração da Fundação COPPETEC em 01/10/2007, conforme

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE - UFRN CENTRO DE TECNOLOGIA - CT COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL - CCEA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE - UFRN CENTRO DE TECNOLOGIA - CT COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL - CCEA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE - UFRN CENTRO DE TECNOLOGIA - CT COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL - CCEA Resolução N o 03/2013 CCEA/CT/UFRN, de 25 de Junho de 2013 Regulamento interno

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Praia Grande São Paulo Dezembro de 2008 CAPÍTULO I DA NATUREZA Artigo 1º O presente regulamento tem como objetivo normatizar as atividades relacionadas com o estágio

Leia mais

FLUXO DE PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÕES ESPECÍFICAS PARA PROGRAMAS/ PROJETOS COM FINANCIAMENTO EXTERNO

FLUXO DE PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÕES ESPECÍFICAS PARA PROGRAMAS/ PROJETOS COM FINANCIAMENTO EXTERNO FLUXO DE PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÕES ESPECÍFICAS PARA PROGRAMAS/ PROJETOS COM FINANCIAMENTO EXTERNO 1. OBJETO Contratação de Serviço Terceiro Pessoa Física para os seguintes projetos/programas: -Projetos,

Leia mais

TUTORIAL PARA SOLICITAR DIÁRIAS E PASSAGENS

TUTORIAL PARA SOLICITAR DIÁRIAS E PASSAGENS TUTORIAL PARA SOLICITAR DIÁRIAS E PASSAGENS 2016 1 1) Acesse o site da Universidade: http://ufsb.edu.br/ 2) Clique na aba servidor 3) Selecione o respectivo cargo 2 1) Clique no item Setor de Diárias e

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016

PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016 PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016 1. INTRODUÇÃO A Faculdade de Medicina Veterinária/UNESP Câmpus de Araçatuba, é uma instituição que possui como principais atividades: o Ensino e a Pesquisa.

Leia mais

DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD. TíTULO: PEDIDO DE CONCESSÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS NACIONAIS VERIFICADO EM: 07/12/2010 POR: JORGE LUIZ F.

DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD. TíTULO: PEDIDO DE CONCESSÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS NACIONAIS VERIFICADO EM: 07/12/2010 POR: JORGE LUIZ F. PÁGINA: 1/8 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD CÓDIGO POP.020005000/001 TíTULO: PEDIDO DE CONCESSÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS NACIONAIS ELABORADO EM: 07/12/2010 RESP.PELA UF: MARIA DA CONCEIÇÃO DE M. SANTOS

Leia mais

CHAMADA INTERNA nº10/2017 PROEC/UFPR/15ª Feira de Profissões da UFPR

CHAMADA INTERNA nº10/2017 PROEC/UFPR/15ª Feira de Profissões da UFPR CHAMADA INTERNA nº10/2017 PROEC/UFPR/15ª Feira de Profissões da UFPR 1 DOS OBJETIVOS O Pró-Reitor de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, no uso de suas atribuições legais, torna pública

Leia mais

RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES E SUGESTÕES DE MELHORIAS

RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES E SUGESTÕES DE MELHORIAS Pág: 1/6 Itens de Revisão: 00 Inicial 01 Revisão geral do procedimento 02 Revisão no nome do PR e acréscimos dos itens 3.5 Disputas e 3.6 Informações Gerais 03 Revisão geral do procedimento 04 Revisão

Leia mais

REDE PETRO - BACIA DE CAMPOS REGIMENTO INTERNO

REDE PETRO - BACIA DE CAMPOS REGIMENTO INTERNO REDE PETRO - BACIA DE CAMPOS REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Art. 1º - A Organização Administrativa corresponde à estrutura da REDE PETRO-BC que tem como finalidade garantir

Leia mais

REGIMENTO DO SEMINÁRIO EPTNM de 2016 do CEFET-MG

REGIMENTO DO SEMINÁRIO EPTNM de 2016 do CEFET-MG SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGIMENTO DO SEMINÁRIO EPTNM de 2016 do CEFET-MG Art. 1º - O objetivo do Seminário é propor diretrizes

Leia mais

Gestão de Eventos AULA 5. Temas: Planejamento, Organização e Divulgação de Eventos

Gestão de Eventos AULA 5. Temas: Planejamento, Organização e Divulgação de Eventos Gestão de Eventos AULA 5 Temas: Planejamento, Organização e Divulgação de Eventos Planejamento, Organização e Divulgação de Eventos Para se realizar um excelente evento, é essencial que se estabeleça uma

Leia mais

Nº Versão/Data: Validade: /10/2015 OUTUBRO/2016 MKT. 02 CRIAÇÃO MACROPROCESSO MARKETING E COMUNICAÇÃO PROCESSO CRIAÇÃO

Nº Versão/Data: Validade: /10/2015 OUTUBRO/2016 MKT. 02 CRIAÇÃO MACROPROCESSO MARKETING E COMUNICAÇÃO PROCESSO CRIAÇÃO 1 de 9 CRIAÇÃO MACROPROCESSO E COMUNICAÇÃO PROCESSO CRIAÇÃO CRIAÇÃO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 Preenchimento do Formulário... 2 4.2 ANÁLISE

Leia mais

FLUXOGRAMA SOLICITAÇÃO DE VISITA TÉCNICA/EVENTO

FLUXOGRAMA SOLICITAÇÃO DE VISITA TÉCNICA/EVENTO FLUXOGRAMA SOLICITAÇÃO DE VISITA TÉCNICA/EVENTO Providenciar os documentos do Check-list de Visita Técnica Viagem prevista no Plano de Ensino* *A não previsão da viagem não garantirá sua realização. PRÉ-VIAGEM

Leia mais

Plano Estratégico da OISC/CPLP Plano Anual de Trabalho 2014

Plano Estratégico da OISC/CPLP Plano Anual de Trabalho 2014 Plano Estratégico da OISC/CPLP 2011-2016 Plano Anual de Trabalho 2014 Objetivo Estratégico 1: Desenvolver competências essenciais ao bom funcionamento das Instituições Estratégias a,b e c: capacitação,

Leia mais

Planejamento do Evento Sistema de Gestão da Qualidade

Planejamento do Evento Sistema de Gestão da Qualidade Página 1 de 5 1. Viabilização de espaço para evento de terceiros a) Verificar com o Parceiro realizador do evento: Qual a data e horário de realização deste evento? Quais serão os propósitos do evento?

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DE AUXÍLIO FINANCEIRO (INSCRIÇÃO, DIÁRIAS E PASSAGENS) PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS E CAPACITAÇÃO.

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DE AUXÍLIO FINANCEIRO (INSCRIÇÃO, DIÁRIAS E PASSAGENS) PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS E CAPACITAÇÃO. DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DE AUXÍLIO FINANCEIRO (INSCRIÇÃO, DIÁRIAS E PASSAGENS) PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS E CAPACITAÇÃO. A Direção-Geral do Campus Canguaretama, no uso de suas atribuições

Leia mais

EDITAL Nº 13/2017 AUXÍLIO DE DIÁRIAS PARA PUBLICAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS

EDITAL Nº 13/2017 AUXÍLIO DE DIÁRIAS PARA PUBLICAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 13/2017 AUXÍLIO DE DIÁRIAS PARA PUBLICAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO CFN Nº 529 de 24 DE NOVEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO CFN Nº 529 de 24 DE NOVEMBRO DE 2013 Página 1 de 6 RESOLUÇÃO CFN Nº 529 de 24 DE NOVEMBRO DE 2013 Aprova o regulamento sobre a Política Nacional de Comunicação (PNC) no âmbito do Sistema CFN/CRN e dá outras providências. O Conselho Federal

Leia mais

MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA

MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA SUMÁRIO GLOSSÁRIO (SIGLAS, SIGNIFICADOS)... Erro! Indicador não definido. I. OBJETIVO DO PROCESSO... 5 II. ÁREAS ENVOLVIDAS... 5 III. DESCRIÇÃO DAS

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO

PROCEDIMENTO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO PROCEDIMENTO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO 1. Abertura de processo pelo COORDENADOR DO PROJETO, sendo juntados os seguintes documentos: 1.1. Ofício de encaminhamento do projeto, assinado por seu COORDENADOR,

Leia mais

PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO 01/2011 DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO OU DE TESE DE DOUTORADO

PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO 01/2011 DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO OU DE TESE DE DOUTORADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Pró-Reitoria de Pós-Graduação Coordenadoria Acadêmica Avenida dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO

Leia mais

TUTORIAL DO SISTEMA DE SOLICITAÇÃO DE HOSPEDAGEM

TUTORIAL DO SISTEMA DE SOLICITAÇÃO DE HOSPEDAGEM TUTORIAL DO SISTEMA DE SOLICITAÇÃO DE HOSPEDAGEM 1 Solicitação de Hospedagem Para acessar o sistema, o servidor deve acessar no portal o seguinte caminho: Ensino Pós-Graduação Gestão de Recursos Capes.

Leia mais

FILDA 2016 INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

FILDA 2016 INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO FILDA 2016 INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1. DADOS DA FEIRA Data: de 19 a 24 de julho de 2016. Local: Estrada de Catete, Km 12, Luanda ANGOLA Site: http://www.fil-angola.co.ao/pt/ Horário de funcionamento:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA DIRETORIA DE AÇÕES DE EXTENSÃO PROGRAMA DE APOIO À REALIZAÇÃO DE AÇÕES DE EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA DIRETORIA DE AÇÕES DE EXTENSÃO PROGRAMA DE APOIO À REALIZAÇÃO DE AÇÕES DE EXTENSÃO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA DIRETORIA DE AÇÕES DE EXTENSÃO PROGRAMA DE APOIO À REALIZAÇÃO DE AÇÕES DE EXTENSÃO EDITAL PROEX/DAEX N.º 03/2017 - FLUXO CONTÍNUO/ CURRICULARIZAÇÃO

Leia mais

Manual de Treinamento Módulo: Solicitação

Manual de Treinamento Módulo: Solicitação Manual de Treinamento Módulo: Solicitação Treinamentos Lemontech Sumário Acessando o Self Booking 3 Criando uma solicitação de viagem 4 Produtos 6 Produto aéreo online 7 Produto aéreo off-line 11 Produto

Leia mais

NESC/UFG NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA

NESC/UFG NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA REGIMENTO CAPÍTULO I DA PERSONALIDADE, AUTONOMIA E SEDE Art. 1º O Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva é uma entidade de trabalho interdisciplinar, sem fins lucrativos, com finalidades científicas na área

Leia mais

Deliberação n.º 690/2013, de 7 de fevereiro (DR, 2.ª série, n.º 44, de 4 de março de 2013)

Deliberação n.º 690/2013, de 7 de fevereiro (DR, 2.ª série, n.º 44, de 4 de março de 2013) (DR, 2.ª série, n.º 44, de 4 de março de 2013) Aprova o Regulamento de Funcionamento da Comissão Nacional de Farmácia e Terapêutica Pelo Despacho n.º 2061-C/2013, de 1 de fevereiro de 2013, do Secretário

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SACS ano 2013 SEMANA ACADÊMICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS EDITAL DE CONVOCAÇÃO 1. Orientações Gerais 1.1. A Coordenação Geral da SACS ano 2013 - Semana Acadêmica de Ciências Sociais torna público o presente edital

Leia mais

Projeto de Redesenho dos Processos

Projeto de Redesenho dos Processos PROCESSO INATIVAÇÃO E ADMISSÃO DE PESSOAL M A P A D O P R O C E S S O D E V E R I A S E R E S P E C I F I C A Ç Õ E S ; C R I T É R I O S E I N O V A Ç Õ E S. Pág.1 MAPA DO PROCESSO DEVERIA SER Pág.2 ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho CURSOS IT. 41 07 1 / 5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o cadastramento e recadastramento de Instituições de Ensino e Cursos, de nível Médio, Tecnológico, Superior e de Pós-graduação e realização

Leia mais

PROJETO MULTIPLICADORES

PROJETO MULTIPLICADORES PROJETO MULTIPLICADORES 1. CONCEITO E CAMPO DE APLICAÇÃO Tendo em vista a gama de conhecimento existente entre profissionais no ramo da confecção e a constante necessidade de desenvolvimento e compartilhamento

Leia mais

PUBLICADO DECRETO 8373 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014 QUE INSTITUI ESOCIAL

PUBLICADO DECRETO 8373 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014 QUE INSTITUI ESOCIAL Rio de Janeiro, 22 de dezembro de 2014. CIRCULAR 82/2014 JURÍDICO PUBLICADO DECRETO 8373 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014 QUE INSTITUI ESOCIAL Foi publico em 12 de dezembro de 2014, o Decreto 8373 de 11 de dezembro

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

TERMO DE ENCERRAMENTO DO PROJETO

TERMO DE ENCERRAMENTO DO PROJETO 1 Nome do Projeto 2 Código 3 Data do Documento Fiscalização do Exercício e da Atividade Profissional 02/12/2011 4 Coordenador(a) 5 Tipo de Projeto Bárbara Fernandes Costa Barboza ( ) Interno ( x ) Estratégico

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Norma para apoio a eventos no âmbito da Escola de Enfermagem da USP (Aprovada na 348ª Sessão Ordinária da Congregação, em 10/11/2010) 1 - Da Finalidade Artigo 1º - Os apoios destinam-se a eventos promovidos

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA PROGRAD/PROAD Nº01, DE 08 DE AGOSTO DE 2014

PORTARIA CONJUNTA PROGRAD/PROAD Nº01, DE 08 DE AGOSTO DE 2014 PORTARIA CONJUNTA PROGRAD/PROAD Nº01, DE 08 DE AGOSTO DE 2014 Os pró-reitores de Graduação e de Administração da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO: A necessidade

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE LETRAS ESTRANGEIRAS MODERNAS PROGRAMA DEPARTAMENTAL DE EXTENSÃO EM LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

Leia mais

Campus Porto Alegre PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011.

Campus Porto Alegre PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011. PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011. O Diretor-Geral do IFRS -, no uso das atribuições legais que lhe são conferidas pela Portaria nº 08/2009, R E S O L V E: Art. 1º Regulamentar a concessão de auxílio

Leia mais

PROCEDIMENTO DE TREINAMENTO, CONSCIENTIZAÇÃO E COMPETÊNCIA

PROCEDIMENTO DE TREINAMENTO, CONSCIENTIZAÇÃO E COMPETÊNCIA APROVAÇÃO: DATA: 28.06.07 PÁGINA : 1/7 CONTROLE DE REVISÕES: Revisão Data Itens modificados Observações 00 23.02.2006 - - 01 18.06.2007 Anexo 01 Alteração de Documentos a serem treinados para Documentos

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013. Salvador, Bahia Quarta-feira 4 de Setembro de 2013 Ano XCVII N o 21.227 RES. RESOLUÇÃO CONSU N.º 07/2013 O Conselho Universitário - CONSU da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, no uso de

Leia mais

DECISÃO Nº 265/2009 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno do Instituto de Informática, como segue:

DECISÃO Nº 265/2009 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno do Instituto de Informática, como segue: CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 265/2009 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 17/7/2009, tendo em vista o constante no processo nº 23078.004276/99-63, de acordo com o Parecer nº 213/2009 da

Leia mais

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ).

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ). Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS Responsável: Juliana Maria Gomes de Almeida Alves Cópia Controlada

Leia mais

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE Código: PRO.QUALI 006/05 Folhas: 30 Revisão: 16 Data: 14.01.2016 Elaborado por: Mariana Ferraz Fernandes Verificado por: Berilo Gonçalves de Oliveira

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE VOLEIBOL CURSO NACIONAL DE TREINADORES DE VOLEIBOL DE QUADRA

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE VOLEIBOL CURSO NACIONAL DE TREINADORES DE VOLEIBOL DE QUADRA ANEXO 1 FORMULÁRIO PARA PEDIDO DE CURSOS DE TREINADORES DE VOLEIBOL DE QUADRA 1. Informações Gerais: FEDERAÇÃO / INSTITUIÇÃO: ENDEREÇO: CIDADE: ESTADO: CEP.: TELEFONES: FAX: CONTATO (Nome): 2. Dados Específicos:

Leia mais

PROVIDÊNCIAS - DEFESA

PROVIDÊNCIAS - DEFESA A COMPOSIÇÃO DE BANCA E O LEVANTAMENTO DAS DESPESAS DEVEM SER APROVADOS EM REUNIÃO DO COLEGIADO. 1- Passagem aérea ou rodoviária O aluno, com o aval do orientador, deve enviar os dados para que a Secretaria

Leia mais

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA N.6/2014 NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE)

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA N.6/2014 NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) Faculdade Adventista da Bahia Assessoria Pedagógica BR-101, km 197, Capoeiruçu Caixa Postal 18 Cachoeira BA CEP: 44.300-000 Brasil e-mail: selcr25@gmail.com ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA N.6/2014 NÚCLEO DOCENTE

Leia mais

Regulamento para Oferta de Curso Fechado - CENEX/BU

Regulamento para Oferta de Curso Fechado - CENEX/BU Regulamento para Oferta de Curso Fechado - CENEX/BU A DIRETORIA DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA, no uso de suas atribuições estatutárias estabelece os procedimentos operacionais referentes à oferta de curso

Leia mais

1ª Edição Abril de Elaboração Gabinete da Direção-Geral Patrícia Mara Gomes Soraya Hiromi Kanashiro

1ª Edição Abril de Elaboração Gabinete da Direção-Geral Patrícia Mara Gomes Soraya Hiromi Kanashiro 1ª Edição Abril de 2017 Elaboração Gabinete da Direção-Geral Patrícia Mara Gomes Soraya Hiromi Kanashiro Edição e Diagramação Diego Aparecido Maronese Colaboração Departamento de Materiais e Patrimônio

Leia mais

EDITAL N 001/2016 PROEX - APOIO A EVENTOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

EDITAL N 001/2016 PROEX - APOIO A EVENTOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL N 001/2016 PROEX - APOIO A EVENTOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Seleção de propostas de eventos de extensão universitária no âmbito da Proex Unesp. A Pró-Reitoria de Extensão Universitária PROEX torna

Leia mais

REQUISIÇÃO DE DIÁRIAS Nº /

REQUISIÇÃO DE DIÁRIAS Nº / Modelo 1 Requisição de diárias servidor REQUISIÇÃO DE DIÁRIAS Nº / 1 - DADOS DO SERVIDOR Nome: Cargo/ Função CPF: Matrícula: 2 DADOS DA VIAGEM Período: Valor da Diária: Quantidade de Diárias: Valor Total:

Leia mais

RECRUTAMENTO INTERNO

RECRUTAMENTO INTERNO RECRUTAMENTO INTERNO Cargo: Assistente de Processos Acadêmicos Setor/Local de Trabalho: GEAD / Cidade Universitária Início: Fevereiro/2015 Horário de Trabalho: Das 09:00 às 18:00 de segunda a sexta-feira

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS ABRIL 2010 1 INTRODUÇÃO O Serviço Técnico de Informática STI é responsável pela prestação de serviços relacionados com a informática para as áreas de Ensino, Pesquisa, Extensão

Leia mais

PORTARIA AG/DEFN N.º. 062/2013 Recife, 25 de julho de 2013.

PORTARIA AG/DEFN N.º. 062/2013 Recife, 25 de julho de 2013. PORTARIA AG/DEFN N.º. 062/2013 Recife, 25 de julho de 2013. EMENTA: Convoca a II Conferência Distrital do Meio Ambiente do Distrito Estadual de Fernando de Noronha e dá outras providências. O ADMINISTRADOR

Leia mais

Treinamento TRABALHO

Treinamento TRABALHO TÍTULO Portaria DO de Treinamento TRABALHO PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS GRUPO TÉCNICO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS Estabelece Diretrizes para

Leia mais

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 Aprova o Regulamento das Câmaras Técnicas do CRF-RJ e dá outras providências. O ESTADO DO RIO DE JANEIRO / CRF-RJ, no uso de suas atribuições legais e em conformidade com

Leia mais