Cultura da Alface. EEEP PROFESSOR SEBASTIÃO VASCONCELOS SOBRINHO Compromisso com o Sucesso de Nossos Jovens

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cultura da Alface. EEEP PROFESSOR SEBASTIÃO VASCONCELOS SOBRINHO Compromisso com o Sucesso de Nossos Jovens"

Transcrição

1 EEEP PROFESSOR SEBASTIÃO VASCONCELOS SOBRINHO Compromisso com o Sucesso de Nossos Jovens Cultura da Alface Professor: Aparecido Porto Disciplina: Olericultura

2 Equipe: Antônio Francyel 05 Marcelo Araújo 31 Sávio Barros 34 Tiago Mendes 36 2

3 Introdução Família: Asteraceae Gênero: Lactuca Espécie: Lactuca sativa Taxonomia Origem: Bacia do Mediterrâneo 3

4 Anual, Herbácea; Características gerais: Sistema radicular fasciculado; Folhas formam rosetas com caule curto, podendo ou não formar cabeça; Colorações: verde clara, verde escura, margens arroxeadas ou totalmente roxa; Partes Usadas: folhas; leite extraído da planta florescente. 4

5 Época do plantio Em geral, o melhor período para a produção é quando as temperaturas estão menos elevadas; Dias curtos; Temperaturas amenas, entre 20 e 25 ºC 5

6 Solos e Adubação Solos bem leves e bem preparados; ph 6,0 a 6,8; Areno-argilosos, ricos em M.O. O cultiva a campo aberto no sistema orgânico, seguindo os preceitos básicos de uso de adubação orgânica, como compostos e adubos verdes, e manejo de doenças, insetos, artrópodes e plantas espontâneas de acordo com as normas preconizadas pelo MAPA ou de certificadoras. 6

7 Classificação de acordo com o tipo de folha Repolhuda Lisa (Manteiga); Repolhuda Crespa (Americana); Folhas Lisas; Folhas Crespas; Tipo Romana. 7

8 Classificação de acordo com o tipo de folha Fotos: Júlia Terra Dourado Jacinto, Miguel Lancho Jiménez e João Guilherme Pane. 8

9 Algumas cultivares Alface aspargo - imagem original: David Ebro Alface mirella imagem: Jornal Agrícola 9

10 Para o verão são recomendadas as seguintes variedades: babá, Brasil 48, Brasil 58, Brasil 202, Vivi, maravilha de verão, grandes lagos, grand rapids, vitória, Áurea e Luciana. Para o inverno, são indicadas as variedades Aurélia, repolhuda, Boston branca, sem rival, Brasil 311, Brasil 303 e Brasil

11 Propagação Plantio Transplantio: A alface deve ser semeada (em uma profundidade de 1 cm) em bandejas ou em sementeiras, e transplantado para o campo por volta de 20 a 30 dias ou de 4 a 6 folhas. *Selecionar as mudas de maior qualidade. 11

12 Espaçamentos Em geral, o espaçamento entre as plantas pode ser de 20 a 35 cm para a maioria dos cultivares Luminosidade A alface necessita de boa luminosidade, preferencialmente com luz solar direta 12

13 Levantamento dos canteiros Largura: 80 cm Altura: 12 a 20 centímetros *Acabamento feito com auxílio de enxada. Colheita A colheita pode ser feita entre 55 e 130 dias depois da semeadura 13

14 Principais pragas As principais pragas que atacam a alface são: pulgão, lagarta minadora e tesourinha. Principais Doenças As principais doenças que atacam a alface são: septoriose, cercosporiose, tombamento, podridão de Sclerotinia, podridão da saia, míldio, mancha bacteriana, vírus do mosaico 14

15 15

16 16

17 17

18 18

19 19

20 A alface no Brasil Atualmente, a alface se destaca por ser a folhosa mais consumida no Brasil e a 3ª hortaliça em maior volume de produção, segundo a ABCSEM. De acordo com a entidade, a alface movimenta anualmente, em média, um montante de R$ 8 bilhões apenas no varejo, com uma produção de mais de 1,5 milhão de toneladas ao ano. A alface dispõe de 51 mil hectares A produção brasileira de alface em 2012/13 foi de 1,27 milhão de t/ano. 20

21 Dicas Não pulverize com inseticidas perto da comercialização. Faça a rotação com repolho, cenoura, couve-flor, beterraba e feijão-vagem. E evitar cultivos sucessivos de alface na área a fim de reduzir a ocorrência de doença. Cultivares: lisa (verão e inverno), crespa (verão e inverno), crespa repolhuda (verão e inverno). A irrigação deve ser freqüente, por infiltração ou por aspersão, caso não tenha um manejo de irrigação fazer a irrigação pela manhã ou final da tarde. 21

22 Dicas Os canteiros devem ser preparados de acordo com o sistema de irrigação a ser utilizado. Cuidado na aplicação de água: água em excesso pode matar a planta, porém os canteiros devem ser mantidos sempre úmidos. Tratos culturais: cobertura morta, fazer desbaste deixando apenas 1 planta por cova. Controlar plantas daninhas, herbicidas registrados: fenoxapropetil, fluazifop-butil e glufosinato de amônio. 22

23 Dicas Plantar plantas aromáticas como arruda e/ou catinga de mulata em vários pontos da horta para afugentar insetos. A alface é rico em vitamina A, B, C contem também minerais, como o cálcio, ferro, sódio, cobre, zinco. Magnésio e potássio. O seu uso: em fresco nas saladas ou cozinhada em sopas e em outros pratos. Devem-se consumir as folhas mais verdes e escuras, pois estas contem mais nutrientes. A nível medicinal, a alface tem atividade sedativa, calmante. 23

24 Obrigados! 24

Nutrição, Adubação e Calagem

Nutrição, Adubação e Calagem Nutrição, Adubação e Calagem Importância da nutrição mineral Embora o eucalipto tenha rápido crescimento, este é muito variável. Os principais fatores que interferem no crescimento estão relacionados com

Leia mais

INFLUÊNCIA DO SISTEMA DE CULTIVO SOBRE A PRODUÇÃO DE ALFACE

INFLUÊNCIA DO SISTEMA DE CULTIVO SOBRE A PRODUÇÃO DE ALFACE INFLUÊNCIA DO SISTEMA DE CULTIVO SOBRE A PRODUÇÃO DE ALFACE Matheus D. LAIRA 1 ; Marcos C. RIBEIRO 2 ; Sindynara FERREIRA 3 ; RESUMO A Hidroponia é uma técnica agrícola onde cultiva-se plantas sem a necessidade

Leia mais

6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS

6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS 6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS Prejuízos: -Competição por água; -Competição por luz; -Competição por nutrientes; -Hospedeiros de pragas e doenças; -Interferência na operação de colheita. Período de competição:

Leia mais

O livro. da minha horta

O livro. da minha horta O livro da minha horta A VLI é uma empresa de logística que atua nas áreas de ferrovias, portos e terminais. Com o seu sistema integrado, realiza o transporte das riquezas do Brasil como o de produtos

Leia mais

Planejamento e Instalação de Pomares

Planejamento e Instalação de Pomares Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Ciências Agrárias Curso de Engenharia Agronômica Disciplina: Fruticultura I Planejamento e Instalação de Pomares Docente responsável: Prof. Dr. Ítalo

Leia mais

Desempenho de cultivares de alface em cultivo de verão na região Campo das Vertentes de Minas Gerais

Desempenho de cultivares de alface em cultivo de verão na região Campo das Vertentes de Minas Gerais Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Desempenho de cultivares de alface em cultivo de verão na região Campo das Vertentes de Minas Gerais Suelen Francisca Ribeiro (1),

Leia mais

EFEITOS DE TELAS DE DIFERENTES CORES EM PLANTAS DE ALFACE (LACTUCA SATIVA)

EFEITOS DE TELAS DE DIFERENTES CORES EM PLANTAS DE ALFACE (LACTUCA SATIVA) EFEITOS DE TELAS DE DIFERENTES CORES EM PLANTAS DE ALFACE (LACTUCA SATIVA) Rafael Leandro Scherer 1 ; Thiago Afonso Peron 2 ; Isabel Cristina Müller 3 INTRODUÇÃO No Brasil, a alface é a sexta hortaliça

Leia mais

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra.

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. Requisitos para o cultivo de algodoeiro GlyTol LibertyLink, além de boas práticas de manejo integrado de plantas daninhas. Cap 1: Descrição do Produto

Leia mais

Ensaio de cultivares de alface em Campo Grande MS.

Ensaio de cultivares de alface em Campo Grande MS. Ensaio de cultivares de alface em Campo Grande MS. Juliana Gadum 1 ; Valdemir Antonio Laura 1, 2 ; Enrico Guzzela 3 ; Marlos Ferreira Dornas 4 1 Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região

Leia mais

PROJETO HORTA DE QUINTAL RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA PRIMEIRA TURMA

PROJETO HORTA DE QUINTAL RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA PRIMEIRA TURMA PROJETO HORTA DE QUINTAL RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA PRIMEIRA TURMA 2008 RELATÓRIO O Projeto Horta de Quintal foi implantado buscando a melhoria na qualidade da alimentação das famílias de baixa renda

Leia mais

ERVAS MEDICINAIS E TEMPEROS

ERVAS MEDICINAIS E TEMPEROS ERVAS MEDICINAIS E TEMPEROS 2º encontro do Projeto VC MUDA Parque Guarapiranga São Paulo SP Março/2016 Os temas do nosso segundo encontro são as ervas medicinais e os temperos. MANJERICÃO É muito gostoso

Leia mais

Produção de hortaliças para agricultura familiar

Produção de hortaliças para agricultura familiar Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Produção de hortaliças para agricultura familiar Flávia M. V. T. Clemente (Editora Técnica)

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

Desempenho de cultivares de repolho na região Campo das Vertentes em Minas Gerais

Desempenho de cultivares de repolho na região Campo das Vertentes em Minas Gerais Desempenho de cultivares de repolho na região Campo das Vertentes em Minas Gerais Natália de Almeida Resende (1), Izabel Cristina dos Santos (2), Marinalva Woods Pedrosa (3), Sanzio Mollica Vidigal (4),

Leia mais

V ENCONTRO NACIONAL SOBRE SUBSTRATO PARA PLANTAS Irrigação e Fertirrigação em ambientes protegidos Ilhéus,Bahia,12 a 15 de setembro de 2006

V ENCONTRO NACIONAL SOBRE SUBSTRATO PARA PLANTAS Irrigação e Fertirrigação em ambientes protegidos Ilhéus,Bahia,12 a 15 de setembro de 2006 V ENCONTRO NACIONAL SOBRE SUBSTRATO PARA PLANTAS Irrigação e Fertirrigação em ambientes protegidos Ilhéus,Bahia,12 a 15 de setembro de 2006 PRODUÇÃO DE MUDAS CITRICAS EM SUBSTRATO NO ESTADO DE SP: Um exemplo

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO *

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO * VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO * VIEIRA, T.A. 1 ; SANTANA, M.J. 2 ; BARRETO, A.C. 2 * Projeto financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG).

Leia mais

Desempenho de Cultivares de Alface Americana Para Mesorregião da Mata do Estado de Pernambuco.

Desempenho de Cultivares de Alface Americana Para Mesorregião da Mata do Estado de Pernambuco. Desempenho de Cultivares de Alface Americana Para Mesorregião da Mata do Estado de Pernambuco. Humberto P. Lyra Filho 1 ; Maria Cristina L. da Silva 2 ; Elizabeth A. de A. Maranhão 1 ; Silvio Luiz Tavares

Leia mais

PRODUTIVIDADE DA CEBOLA EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA

PRODUTIVIDADE DA CEBOLA EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA PRODUTIVIDADE DA CEBOLA EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA Daniel Rodrigues Ribeiro (1), Sanzio Mollica Vidigal (2), Maria Aparecida Nogueira Sediyama (2), Paulo Roberto Gomes Pereira (3), Rachel Soares

Leia mais

EFEITO RESIDUAL DA ADUBAÇÃO DA CEBOLA SOBRE A PRODUÇÃO DE ALFACE E BETERRABA EM CULTIVO SUCESSIVO

EFEITO RESIDUAL DA ADUBAÇÃO DA CEBOLA SOBRE A PRODUÇÃO DE ALFACE E BETERRABA EM CULTIVO SUCESSIVO Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável Artigo Científico http://revista.gvaa.com.br ISSN 1981-823 EFEITO RESIDUAL DA ADUBAÇÃO DA CEBOLA SOBRE A PRODUÇÃO DE ALFACE E BETERRABA EM CULTIVO

Leia mais

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga 4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira Fazenda Quizenga Sistematização da área Conservam a cobertura vegetal do solo É essencial para correcções de áreas íngremes Conservar

Leia mais

Análise de crescimento em cenoura, cv. Brasília, cultivada na primavera, em Jaboticabal-SP.

Análise de crescimento em cenoura, cv. Brasília, cultivada na primavera, em Jaboticabal-SP. Análise de crescimento em cenoura, cv. Brasília, cultivada na primavera, em Jaboticabal-SP. Talita Fazzari França 1 ; Fabiana Camargo dos Reis 2 ; Arthur Bernardes Cecílio Filho 3 1 Aluna do curso de Agronomia,

Leia mais

EFEITO DA COBERTURA MORTA E ADUBAÇÃO COM ESTERCO BOVINO NA CULTURA DA ALFACE

EFEITO DA COBERTURA MORTA E ADUBAÇÃO COM ESTERCO BOVINO NA CULTURA DA ALFACE EFEITO DA COBERTURA MORTA E ADUBAÇÃO COM ESTERCO BOVINO NA CULTURA DA ALFACE SILVEIRA, L.H.da 1 ; CAMARGOS, A.E.V. 1 ; MAXIMIANO, A.R. 1 ; FURQUIM, S.G.S. 1 ; SILVEIRA, A.L.da 1 ; PIZOLATO NETO, A. 1 ;

Leia mais

Gestão dos solos em viticultura de encosta

Gestão dos solos em viticultura de encosta Workshop Gestão dos solos em viticultura de encosta Pinhão, 28 de outubro de 2013 Sérgio Vieira Inicio de atividade no ano de 2005 Localizada na Zona Industrial de Vila Real Atua na comercialização de

Leia mais

Material e Métodos O experimento foi conduzido em um Argissolo, alocado no campo experimental do curso de Engenharia Agronômica do Instituto Federal

Material e Métodos O experimento foi conduzido em um Argissolo, alocado no campo experimental do curso de Engenharia Agronômica do Instituto Federal ATRIBUTOS BIOMÉTRICOS E PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA BATATA, VARIEDADE ÁGATA, CULTIVADA NA REGIÃO DO ALTO VALE DO ITAJAÍ-SC SOB APLICAÇÃO DE DOSES DE BORO Guilherme VITÓRIA 1, Rodrigo SALVADOR 2, Francieli

Leia mais

PCS 503 Parte Prática de Nutrição Mineral de Plantas

PCS 503 Parte Prática de Nutrição Mineral de Plantas PCS 503 Parte Prática de Nutrição Mineral de Plantas PRÁTICA 1: CULTIVO DE PLANTAS EM AMBIENTE PROTEGIDO Notas de aula: TRABALHO PRÁTICO: EXERCÍCIOS (CENTRO XEROGRÁFICO) TRÊS PARTES I CULTIVO DE PLANTAS

Leia mais

Capítulo 13 Nutrição: Leitura de rótulos de alimentos

Capítulo 13 Nutrição: Leitura de rótulos de alimentos Capítulo 13 Nutrição: Leitura de rótulos de alimentos Ao final deste capítulo, você poderá Ø Explicar rótulos de alimentos Ø Decidir quais alimentos são melhores com base em três fatores Capítulo 13 Nutrição:

Leia mais

5.9 Controle de Pragas e Doenças

5.9 Controle de Pragas e Doenças 5.9 Controle de Pragas e Doenças 1 5.9.1 Medidas gerais de controle de pragas 2 a) Métodos Legislativos -Realizado pelo serviço de vigilância sanitária; - Consiste na fiscalização de portos, aeroportos,

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome do COMPONENTE CURRICULAR : Olericultura e Plantas Medicinais Curso: Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia Série/Período: 2015.2 Carga Horária:

Leia mais

ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL

ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL 49º CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA ÁGUA NA HORTICULTURA: NOVAS ATITUDES E USO SUSTENTÁVEL José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Águas de Lindóia - SP Agosto/2009 OS DEZ MAIORES PROBLEMAS

Leia mais

COMO CONSTRUIR SUA HORTA CASEIRA

COMO CONSTRUIR SUA HORTA CASEIRA COMO CONSTRUIR SUA HORTA CASEIRA ÍNDICE 1. Onde plantar uma horta? 2. Preparação do solo 3. Mudas e sementes 4. Quais espécies escolher? 5. Fruta direto do pé 6. Como e quando regar? 7. Manutenção e adubação

Leia mais

Acúmulo de macronutrientes em roseiras em função do manejo do solo

Acúmulo de macronutrientes em roseiras em função do manejo do solo Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2012, Belo Horizonte Acúmulo de macronutrientes em roseiras em função do manejo do solo Iara Cristina Santos Curvelo (1), Elka Fabiana Aparecida Almeida

Leia mais

Semente Caiçara Ltda. A força da qualidade

Semente Caiçara Ltda. A força da qualidade MANUAL DE PLANTIO Semente Caiçara Ltda. A força da qualidade Temos à pronta entrega a quantidade que você necessita. As sementes são inspecionadas, beneficiadas, mantendo-se assim, ao longo dos anos, o

Leia mais

Autor: Eng.-Agr. Eduardo Pagot Emater/RS Ascar - Vacaria

Autor: Eng.-Agr. Eduardo Pagot Emater/RS Ascar - Vacaria FRAMBOESA Autor: Eng.-Agr. Eduardo Pagot Emater/RS Ascar - Vacaria Características da espécie Família das rosáceas Espécie - Rubus ideaus Abustos estoloníferos - talos subterrâneos Frutos oblongos ou cônicos

Leia mais

INFLUÊNCIA DA COBERTURA MORTA NA PRODUÇÃO DA ALFACE VERÔNICA RESUMO

INFLUÊNCIA DA COBERTURA MORTA NA PRODUÇÃO DA ALFACE VERÔNICA RESUMO INFLUÊNCIA DA COBERTURA MORTA NA PRODUÇÃO DA ALFACE VERÔNICA Cyntia S. dos SANTOS 1 ; Cláudio A. dos PASSOS 2 ; Anivaldo B. M. FREITAS 3 ; Darlan P. de AZEVEDO 4 ; Felipe LONARDONI 5 ; Marcell T. M. da

Leia mais

Manejo de plantas daninhas na cultura de cana-de-açúcar

Manejo de plantas daninhas na cultura de cana-de-açúcar Manejo de plantas daninhas na cultura de cana-de-açúcar Alcides R. Gomes Jr. Matheus Andia Torrezan Samuel Ricardo Santos Histórico Introdução TÓPICOS Importância do controle de plantas daninhas Tipos

Leia mais

DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL

DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO VEGETAL CHEFE DO DEPARTAMENTO: PROF. PEDRO CHRISTOFOLLETTI DISCIPLINA LPV 0480 FLORICULTURA E PLANTAS ORNAMENTAIS : PROF. PAULO HERCÍLIO OLERICULTURA : PROF. PAULO CESAR PROF.

Leia mais

CULTIVO DE ALFACE HIDROPÔNICA

CULTIVO DE ALFACE HIDROPÔNICA CULTIVO DE ALFACE HIDROPÔNICA Catiana Morcelli 1, Elisangela Politowsky 1, Fernanda Jappe 1, Karla Kirchhof 1 Palavra chave: Alface; Hidropônica; Cultivos. INTRODUÇÃO Com o aumento da preocupação de consumidores

Leia mais

LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ. Claudia De Mori

LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ. Claudia De Mori LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ Claudia De Mori HISTÓRICO com a colaboração de profissionais de cooperativas e de empresas de assistência técnica,

Leia mais

Eva lua tion of lecttuce cultivars (Lactuca saliva L.) in two planting seasons in Maceió, Alagoas

Eva lua tion of lecttuce cultivars (Lactuca saliva L.) in two planting seasons in Maceió, Alagoas Eva lua tion of lecttuce cultivars (Lactuca saliva L.) in two planting seasons in Maceió, Alagoas Jacinta Lúcia Farias* Márcia Maria Correia Raimundo* Paulo Vanderlei Ferreira ** RESUMO o presente trabalho,

Leia mais

ALFACE, BRÓCOLIS, COUVE-FLOR E REPOLHO

ALFACE, BRÓCOLIS, COUVE-FLOR E REPOLHO ALFACE, BRÓCOLIS, COUVE-FLOR E REPOLHO Alface Brócolis Couve-flor Repolho www.seminis.com.br Melhores a cada geração Na Seminis, pensamos constantemente nas novas gerações. Não só nas novas gerações de

Leia mais

Gestão Ambiental, Uso e Manejo de Dejetos Animais no Estado de Carolina do Norte. Regiões Fisiográficas do Estado

Gestão Ambiental, Uso e Manejo de Dejetos Animais no Estado de Carolina do Norte. Regiões Fisiográficas do Estado Gestão Ambiental, Uso e Manejo de Dejetos Animais no Estado de Carolina do Norte Jot Smyth Departamento de Ciências do Solo Universidade Estadual de Carolina do Norte Regiões Fisiográficas do Estado Bacias

Leia mais

Dispêndios com Inseticidas, Fungicidas e Herbicidas na Cultura do Milho no Brasil,

Dispêndios com Inseticidas, Fungicidas e Herbicidas na Cultura do Milho no Brasil, Dispêndios com Inseticidas, Fungicidas e Herbicidas na Cultura do Milho no Brasil, 2000-20009 Alfredo Tsunechiro, Célia R. R. P. T. Ferreira e Maximiliano Miura Instituto de Economia Agrícola (IEA) Caixa

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Produtos Hortícolas Da fazenda ao consumidor M.Sc. Gustavo Quesada Roldán Universidad de Costa Rica Doutorando em Fitotecnia ESALQ/USP

Leia mais

PLANO DE AULA Nutrição das Plantas Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert;

PLANO DE AULA Nutrição das Plantas Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert; PLANO DE AULA Nutrição das Plantas Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert; 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nível de Ensino: Ensino Médio Ano/Série: 1º ano Disciplina: Biologia 2. TEMA

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Semiárido Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A cultura da cebola

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Semiárido Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A cultura da cebola Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Semiárido Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A cultura da cebola 2ª edição revista e ampliada Embrapa Brasília, DF 2012 Coleção Plantar,

Leia mais

Avaliação de Cultivares de Alface em Hidroponia, Sistema NFT, em Belém-PA.

Avaliação de Cultivares de Alface em Hidroponia, Sistema NFT, em Belém-PA. Avaliação de Cultivares de Alface em Hidroponia, Sistema NFT, em Belém-PA. Loana Fernanda.da Silva Santana 1 ; Sérgio Antônio Lopes de Gusmão 2 ; Walter Vellasco Duarte.Silvestre 2 ; Paulo Roberto de Andrade

Leia mais

FERTILIZANTE COMPOSTO DE LIBERTAÇÃO CONTROLADA TEMPO DE LIBERTAÇÃO 8 MESES

FERTILIZANTE COMPOSTO DE LIBERTAÇÃO CONTROLADA TEMPO DE LIBERTAÇÃO 8 MESES SURA- 11-22-9+1,5 FERTILIZANTE COMOSTO DE LIBERTAÇÃO CONTROLADA TEMO DE LIBERTAÇÃO 8 MESES LANTACOTE SURA - 8 M é um fertilizante de libertação controlada composto por uma combinação de grânulos encapsulados

Leia mais

BIOCARVÃO E HÚMUS COMO ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA PRODUÇÃO DE RÚCULA EM CANTEIRO

BIOCARVÃO E HÚMUS COMO ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA PRODUÇÃO DE RÚCULA EM CANTEIRO BIOCARVÃO E HÚMUS COMO ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA PRODUÇÃO DE RÚCULA EM CANTEIRO Gabriel José Lima da Silveira 1, Francisco Lopes Evangelista 2, Lucas Gomes de Souza 3, Susana Churka Blum 4 1 Universidade da

Leia mais

IRRIGAÇÃO LOCALIZADA NA CULTURA DA CEBOLA

IRRIGAÇÃO LOCALIZADA NA CULTURA DA CEBOLA Informativo Agronômico n o 03 v2.0 NETAFIM BRASIL IRRIGAÇÃO LOCALIZADA NA CULTURA DA CEBOLA INFORMAÇÕES DE CULTIVO 1. CULTURA Cebola Nome Científico: Allium cepa L. Família: Alliaceae Origem: A cebola

Leia mais

Análise Econômica da Cultura da Alface em Sistema Orgânico no Município de Ilha Solteira-SP

Análise Econômica da Cultura da Alface em Sistema Orgânico no Município de Ilha Solteira-SP Análise Econômica da Cultura da Alface em Sistema Orgânico no Município de Ilha Solteira-SP Economic Analysis of Culture of lettuce in organic systems in the City of Ilha Solteira-SP SOUZA, Thais Monique

Leia mais

Geologia e conservação de solos. Luiz José Cruz Bezerra

Geologia e conservação de solos. Luiz José Cruz Bezerra Geologia e conservação de solos Luiz José Cruz Bezerra SOLO É a parte natural e integrada à paisagem que dá suporte às plantas que nele se desenvolvem. Parte mais superficial e fina da crosta terrestre.

Leia mais

O melão e a melancia são frutos apetecíveis nos meses de calor. Para além de saborosos, são ótimos para a nossa saúde:

O melão e a melancia são frutos apetecíveis nos meses de calor. Para além de saborosos, são ótimos para a nossa saúde: Ainda faltam uns meses para o verão, mas temos de começar a preparar a nossa horta para os frutos mais sumarentos e frescos. Para poder apreciar melancias e melões saborosos, numa tarde de verão, está

Leia mais

Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho

Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho Sintomas de deficiência de alguns nutrientes na cultura do milho Prof. Luiz Duarte Silva Júnior Os nutrientes são elementos importantes no desenvolvimento das plantas para que elas possam completar o ciclo

Leia mais

MANEJO DO SOLO E PRODUÇÃO DE BIOMASSA COM PLANTAS DE COBERTURA PARA ADIÇÃO DE NUTRIENTES EM POMAR

MANEJO DO SOLO E PRODUÇÃO DE BIOMASSA COM PLANTAS DE COBERTURA PARA ADIÇÃO DE NUTRIENTES EM POMAR MANEJO DO SOLO E PRODUÇÃO DE BIOMASSA COM PLANTAS DE COBERTURA PARA ADIÇÃO DE NUTRIENTES EM POMAR Marciano Balbinot 1, Neuri Feldmann 1, Anderson Rhoden 1, Fabiana Muhl 1 Palavras-chave: leguminosas, pessegueiro,

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE DOENÇAS DE MCNEW CLASSIFICAÇÃO DE DOENÇAS. temperatura luz. nutricionais umidade poluição. Abióticas. *Doenças

CLASSIFICAÇÃO DE DOENÇAS DE MCNEW CLASSIFICAÇÃO DE DOENÇAS. temperatura luz. nutricionais umidade poluição. Abióticas. *Doenças CLASSIFICAÇÃO DE DOENÇAS temperatura luz CLASSIFICAÇÃO DE DOENÇAS DE MCNEW *Doenças Abióticas nutricionais umidade poluição MARGARETE CAMARGO Segundo semestre de 2013 Bióticas fungos bactérias fitoplasmas

Leia mais

Clima(s) CLIMAS - SOLOS E AGRICULTURA TROPICAL. Mestrado em Direito à Alimentação e Desenvolvimento Rural UC: Agricultura Tropical.

Clima(s) CLIMAS - SOLOS E AGRICULTURA TROPICAL. Mestrado em Direito à Alimentação e Desenvolvimento Rural UC: Agricultura Tropical. CLIMAS - SOLOS E AGRICULTURA TROPICAL Mestrado em Direito à Alimentação e Desenvolvimento Rural UC: Agricultura Tropical Óscar Crispim Machado (omachado@esac.pt) ESAC, abril de 2012 Clima(s) Aula 5 Zonas

Leia mais

Componentes de produção de cultivares de alface em sistema de produção de base ecológica na região do semiárido potiguar

Componentes de produção de cultivares de alface em sistema de produção de base ecológica na região do semiárido potiguar 14613 - Componentes de produção de cultivares de alface em sistema de produção de base ecológica na região do semiárido potiguar Production components of lettuce cultivars in production system based on

Leia mais

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL,

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, 2008-2012 Maximiliano Miura (1), Alfredo Tsunechiro (2), Célia Regina Roncato Penteado Tavares Ferreira (1) Introdução

Leia mais

Uso do composto orgânica no cultivo da Alface americana. Use of organic compost in the cultivation of lettuce

Uso do composto orgânica no cultivo da Alface americana. Use of organic compost in the cultivation of lettuce Resumos do IX Congresso Brasileiro de Agroecologia Belém/PA 28.09 a 01.10.2015 Uso do composto orgânica no cultivo da Alface americana Use of organic compost in the cultivation of lettuce CAVALCANTE, Antônio

Leia mais

Viroses da bananeira

Viroses da bananeira Viroses da bananeira Paulo Ernesto Meissner Filho Pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura A cultura da bananeira pode ser infectada por diversas viroses, como o vírus do topo em leque da bananeira,

Leia mais

Manejo da lavoura para altas produtividades com base na agricultura de precisão. Telmo Amado

Manejo da lavoura para altas produtividades com base na agricultura de precisão. Telmo Amado Manejo da lavoura para altas produtividades com base na agricultura de precisão Telmo Amado Situação atual. Eficiência de Uso < 50% N e K, e < 30% de P Eficiência do uso da água Potencial genético subutilizado

Leia mais

HORTA SUSTENTÁVEL ORGÂNICA

HORTA SUSTENTÁVEL ORGÂNICA HORTA SUSTENTÁVEL ORGÂNICA HORTA SUSTENTÁVEL ORGÂNICA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO WOLFRAM METZLER CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM AGROINDÚSTRIA Projeto de Pesquisa elaborado para o Curso Educomunicação

Leia mais

Semana da Alimentação

Semana da Alimentação Agrupamento de Escolas André Soares Bibliotecas Escolares do Agrupamento Projeto de Promoção e Educação para a Saúde PES Semana da Alimentação Alimentação e Saúde Investe em ti Alimentação saudável, o

Leia mais

Implantação e Manutenção de Canteiros. Professora Juliana

Implantação e Manutenção de Canteiros. Professora Juliana Implantação e Manutenção de Canteiros Professora Juliana Implantação de Canteiros Como começar? Estudo preliminar: Levantamento de todos os dados técnicos do ambiente: Construções, acessos, iluminação,

Leia mais

DominiSolo. Empresa. A importância dos aminoácidos na agricultura. Matérias-primas DominiSolo para os fabricantes de fertilizantes

DominiSolo. Empresa. A importância dos aminoácidos na agricultura. Matérias-primas DominiSolo para os fabricantes de fertilizantes DominiSolo Empresa A DominiSolo é uma empresa dedicada à pesquisa, industrialização e comercialização de inovações no mercado de fertilizantes. Está localizada no norte do Estado do Paraná, no município

Leia mais

TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES

TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES 1 TÉCNICA CULTURAL PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES 1. Introdução Silvio Moure Cicero Instalação de campos de produção de sementes requer planejamento muito criterioso: diferentes espécies requerem técnicas especiais;

Leia mais

Cultivo da mandioca para aumentar o rendimento

Cultivo da mandioca para aumentar o rendimento Cultivo da mandioca para aumentar o rendimento Para mais informações contacte: O seu agente de extensão ou Departamento de Formação Documentação e Difusão do IIAM/CZC Contacto: +25123692 Chimoio, Moçambique.

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Tabuleiros Costeiros Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A CULTURA DA MANGABA

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Tabuleiros Costeiros Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A CULTURA DA MANGABA Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Tabuleiros Costeiros Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A CULTURA DA MANGABA Embrapa Brasília, DF 2015 Coleção Plantar, 73 Produção

Leia mais

DIFERENTES MÉTODOS DE CULTIVO HIDROPÔNICOS E SEUS MANEJOS

DIFERENTES MÉTODOS DE CULTIVO HIDROPÔNICOS E SEUS MANEJOS DIFERENTES MÉTODOS DE CULTIVO HIDROPÔNICOS E SEUS MANEJOS Paulo Cesar de Almeida Técnico em Agropecuária CREA MG 26.995/TD PATROCINIO-MG DEFINIÇÃO DE CULTIVO HIDROPONICO O sistema de cultivo em que as

Leia mais

FACULDADE DE AGRONOMIA. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE AGRONOMIA (Adequada conforme as exigências da Resolução CNE/CES n. 1, de 2 de fevereiro de 2006)

FACULDADE DE AGRONOMIA. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE AGRONOMIA (Adequada conforme as exigências da Resolução CNE/CES n. 1, de 2 de fevereiro de 2006) FACULDADE DE AGRONOMIA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE AGRONOMIA (Adequada conforme as exigências da Resolução CNE/CES n. 1, de 2 de fevereiro de 2006) PRIMEIRO PERÍODO NDC113 Biologia Celular 72 60 - AGR151

Leia mais

Sementes de. A Linha de Sementes de Soja Dow AgroSciences avança sem parar. Com um portifólio adaptado para as principais regiões do país e variedades

Sementes de. A Linha de Sementes de Soja Dow AgroSciences avança sem parar. Com um portifólio adaptado para as principais regiões do país e variedades Sementes de SOJA A Linha de Sementes de Soja Dow AgroSciences avança sem parar. Com um portifólio adaptado para as principais regiões do país e variedades de alto potencial produtivo, os produtores têm

Leia mais

SIMONETTO PORTO ALEGRE. Como fazer uma horta de temperos em casa: passo a passo

SIMONETTO PORTO ALEGRE. Como fazer uma horta de temperos em casa: passo a passo SIMONETTO PORTO ALEGRE Como fazer uma horta de temperos em casa: passo a passo Milimetricamente você! Os projetos apresentados foram elaborados milimetricamente visando atender às necessidades e destacar

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA (2005/06) Unidades Demonstrativas

CULTIVARES DE SOJA (2005/06) Unidades Demonstrativas CULTIVARES DE SOJA (2005/06) Unidades Demonstrativas Cultivares da Embrapa Soja: Embrapa 48 Grupo de Maturação: Precoce/Semiprecoce; *Semeadura: a partir de 25/10 até 10/12; Substituiu a cv. BR-16; *Alto

Leia mais

Critério de Classificação Curcuma Vaso.

Critério de Classificação Curcuma Vaso. Critério de Classificação Curcuma Vaso. Classificar é separar os produtos em lotes homogêneos quanto ao padrão e qualidade, caracterizados separadamente. O critério de classificação é o instrumento que

Leia mais

AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia

AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia AS RELAÇÕES ENTRE MACRONUTRIENTES E MICRONUTRIENTES E A FERTILIDADE DO SOLO Pedro Lopes Ferlini Salles Orientadora: Marisa Falco Fonseca Garcia Coorientador: Flávio Ferlini Salles RELEVÂNCIA O solo é importante

Leia mais

E-BOOK PDF ISBN Preço 9,50

E-BOOK PDF ISBN Preço 9,50 E-BOOK PDF ISBN 978-88-98268-56-6 Preço 9,50 Cultivar uma horta 007205 Bruno Del Medico Ilustrações de Elisabetta Del Medico. Como cultivar uma horta excepcional Pequenos truques e segredos antigos 3 Copyright

Leia mais

É por isso que o convidamos a conhecer nas próximas páginas nossos lançamentos e produtos que há anos fazem parte do nosso catálogo. Seja bem-vindo!

É por isso que o convidamos a conhecer nas próximas páginas nossos lançamentos e produtos que há anos fazem parte do nosso catálogo. Seja bem-vindo! Não é do dia para a noite que uma empresa se torna referência no seu setor, e com a Agrocinco não foi diferente. Após 15 anos de atuação no mercado brasileiro de sementes de hortaliças de alto rendimento,

Leia mais

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA 18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM PÓS- EMERGÊNCIA DA CULTURA O objetivo neste trabalho foi avaliar a aplicação de macronutrientes de diversas fontes e épocas de aplicação

Leia mais

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Trigo 2012

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Trigo 2012 09 Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Trigo 01 Introdução A falta de uma política de incentivo à triticultura nacional, a altura da importância que o produto tem para o Brasil e que

Leia mais

A Melancia FRUTAS. Benefícios

A Melancia FRUTAS. Benefícios A fruta e os hortícolas são ricos em vitaminas e minerais. Como nenhuma fruta tem, sozinha, todos nutrientes de que precisas, deves variar o tipo e cor de frutas que comes. FRUTAS A Melancia Variedades

Leia mais

A INSTALAÇÃO DE HORTAS

A INSTALAÇÃO DE HORTAS Planejando A INSTALAÇÃO DE HORTAS ter a-feira, 18 de outubro de 2011 10:20:07 ter a-feira, 18 de outubro de 2011 10:20:07 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amapá Ministério da Agricultura,

Leia mais

Rendimento econômico do consórcio de repolho com cebolinha em sistema orgânico

Rendimento econômico do consórcio de repolho com cebolinha em sistema orgânico Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2012, Belo Horizonte Rendimento econômico do consórcio de repolho com cebolinha em sistema orgânico Otieres Cirino de Carvalho (1), Izabel Cristina

Leia mais

MELANCIA GUADALUPE HÍBRIDO F1

MELANCIA GUADALUPE HÍBRIDO F1 MELANCIA GUADALUPE HÍBRIDO F1 TIPO: ICE BOX Farroupilha, 26 de Agosto de 2011. Cicr A Feltrin Sementes lança em sua linha a Melancia Guadalupe Híbrido F1, tipo Ice Box, sem sementes, que se destaca pela

Leia mais

Nutrição Mineral de Plantas-PPGHT. Manejo de nutrientes em cultivo protegido. Aula 2 Prof. Josinaldo L. Araujo

Nutrição Mineral de Plantas-PPGHT. Manejo de nutrientes em cultivo protegido. Aula 2 Prof. Josinaldo L. Araujo Nutrição Mineral de Plantas-PPGHT Manejo de nutrientes em cultivo protegido Aula 2 Prof. Josinaldo L. Araujo APLICAÇÃO DO CULTIVO PROTEGIDO A) Pesquisa - Pesquisa básica em solos e nutrição de plantas

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS JARDINAGEM

CATÁLOGO DE PRODUTOS JARDINAGEM CATÁLOGO DE PRODUTOS JARDINAGEM BIG PLAST INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS PLÁSTICOS EIRELI - EPP R. Alto da Conceição, 357 - Vila Nova York, São Paulo - SP, CEP 03479-050 VASO PL FORMA ELEGANTE, EM VÁRIAS

Leia mais

Compostos orgânicos como substrato na produção de mudas de alface das cultivares Repolhuda e Babá de verão manteiga

Compostos orgânicos como substrato na produção de mudas de alface das cultivares Repolhuda e Babá de verão manteiga Compostos orgânicos como substrato na produção de mudas de alface das cultivares Repolhuda e Babá de verão manteiga Alex Justino Zacarias 1, Rebyson Bissaco Guidinelle 1, Israel Martins Pereira 1, Julio

Leia mais

Produtividade de Coentro (Coriandrum sativum L.) em Função de Doses e Parcelamento de Nitrogênio.

Produtividade de Coentro (Coriandrum sativum L.) em Função de Doses e Parcelamento de Nitrogênio. Produtividade de Coentro (Coriandrum sativum L.) em Função de Doses e Parcelamento de Nitrogênio. Francisco Nóbrega dos Santos 1 Adriana Rodrigues de Carvalho 1 ; José Ribamar Gusmão Araújo 1 ; Moisés

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos Há 14 anos, a Agrocinco atua no mercado brasileiro de sementes de hortaliças de alto rendimento. Contudo, desde 2011, a Agrocinco foi incorporada à holding Dux Company, à qual também

Leia mais

Município de Valongo Semana de 4 a 8 de janeiro de 2016 Almoço

Município de Valongo Semana de 4 a 8 de janeiro de 2016 Almoço Semana de 4 a 8 de janeiro de 2016 Sopa Creme de couve-flor 1,3,5,6,7,8,9,12 Prato Tesourinhos de peixe com arroz branco 1,2,3,4,5,6,7,9,12,14 Cenoura raspada Frutas da época (laranja ou maçã) Prato Massinha

Leia mais

Eng. Agr. Ederson A. Civardi. Bonito MS 2014

Eng. Agr. Ederson A. Civardi. Bonito MS 2014 Eng. Agr. Ederson A. Civardi Bonito MS 2014 Sumário 1 - Introdução 2 - Importância Soja 3 - Importância Mofo Branco 4 - Ciclo da doença 5 - Métodos de controle 6 - Alguns resultados de experimentos 7 -

Leia mais

Diagnose Foliar na Cultura do Maracujazeiro e do Abacaxizeiro

Diagnose Foliar na Cultura do Maracujazeiro e do Abacaxizeiro Diagnose Foliar na Cultura do Maracujazeiro e do Abacaxizeiro Prof. Almy Junior Cordeiro de Carvalho Profª Marta Simone Mendonça Freitas Prof. Pedro Henrique Monnerat Abril - 2012 APRESENTAÇÃO Sociedade

Leia mais

Enxofre Nutrição Mineral de Plantas ENXOFRE. Prof. Volnei Pauletti. Departamento de Solos e Engenharia Agrícola

Enxofre Nutrição Mineral de Plantas ENXOFRE. Prof. Volnei Pauletti. Departamento de Solos e Engenharia Agrícola ENXOFRE Prof. Volnei Pauletti Departamento de Solos e Engenharia Agrícola vpauletti@ufpr.br REPRESENTAÇÃO ESQUEMÁTICA DOS PRINCIPAIS COMPONENTES E PROCESSOS DO CICLO DO ENXOFRE. Enxofre S -fontes Matéria

Leia mais

A compostagem é um processo de decomposição de matéria. orgânica, na presença de oxigénio, feita através de micro

A compostagem é um processo de decomposição de matéria. orgânica, na presença de oxigénio, feita através de micro A compostagem é um processo de decomposição de matéria orgânica, na presença de oxigénio, feita através de micro organismos (fungos e bactérias). Esta decomposição é feita num compostor, (recipiente apropriado

Leia mais

Qualidade do trigo brasileiro: realidade versus necessidade. Eliana Maria Guarienti Pesquisadora da Embrapa Trigo

Qualidade do trigo brasileiro: realidade versus necessidade. Eliana Maria Guarienti Pesquisadora da Embrapa Trigo Qualidade do trigo brasileiro: realidade versus necessidade Eliana Maria Guarienti Pesquisadora da Embrapa Trigo 84 anos 15 anos Linha do tempo 1999 19 anos 1994 1992 1990 1977 1925 1 cruzamento artificial

Leia mais

Estratégias de controle de plantas daninhas na restauração florestal

Estratégias de controle de plantas daninhas na restauração florestal Estratégias de controle de plantas daninhas na restauração florestal Prof. Paulo Sérgio dos S. Leles Laboratório de Pesquisas e Estudos em Reflorestamentos LAPER / UFRRJ Instituto de Florestas Rio de Janeiro,

Leia mais

TELADO PARA PRODUÇÃO DE FOLHOSAS MODELO PESAGRO RIO

TELADO PARA PRODUÇÃO DE FOLHOSAS MODELO PESAGRO RIO 1 Informe Técnico 31 ISSN 0101-3769 TELADO PARA PRODUÇÃO DE FOLHOSAS MODELO PESAGRO RIO Marco Antonio de Almeida Leal Introdução A produção de hortaliças folhosas é uma importante fonte de renda para muitos

Leia mais

17 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR II PRÁTICAS AGRÍCOLAS

17 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR II PRÁTICAS AGRÍCOLAS 17 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR II PRÁTICAS AGRÍCOLAS QUESTÃO 21 Pode-se conceituar a calagem como: a) Aplicação de adubos que contém os elementos essenciais, ao solo, com o objetivo de

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO OLERICULTURA BÁSICA

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO OLERICULTURA BÁSICA SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO OLERICULTURA BÁSICA INSTALAÇÃO DA LAVOURA O SENAR/SP está permanentemente empenhado no aprimoramento profissional e

Leia mais

18/09/2010 PRODUÇÃO DE SEMENTES DE SOLANÁCEAS SISTEMÁTICA CENTRO DE ORIGEM TOMATE. Família Solanaceae. Tomate: Solanum lycopersicum

18/09/2010 PRODUÇÃO DE SEMENTES DE SOLANÁCEAS SISTEMÁTICA CENTRO DE ORIGEM TOMATE. Família Solanaceae. Tomate: Solanum lycopersicum IMPORTÂNCIA DAS SOLANÁCEAS PRODUÇÃO DE SEMENTES DE SOLANÁCEAS Vanessa Neumann Silva Fonte: ABCSem, 2007 SISTEMÁTICA CENTRO DE ORIGEM TOMATE Família Solanaceae Tomate: Solanum lycopersicum Pimentão: Capsicum

Leia mais

Leguminosas de inverno: alternativa para a região dos cerrados Warley Marcos Nascimento Embrapa Hortaliças

Leguminosas de inverno: alternativa para a região dos cerrados Warley Marcos Nascimento Embrapa Hortaliças Leguminosas de inverno: alternativa para a região dos cerrados Warley Marcos Nascimento Embrapa Hortaliças Email:warley.nascimento@embrapa.br Devido a grande importância das leguminosas para a alimentação

Leia mais