VALORIZAR AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA VULGARIZAÇÃO AGRICOLA: O CASO DE POWER POINT, INTERNET, S E TELEMOVEIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VALORIZAR AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA VULGARIZAÇÃO AGRICOLA: O CASO DE POWER POINT, INTERNET, EMAILS E TELEMOVEIS"

Transcrição

1 SEMINARIO SOBRE AS NOVAS FORMAS DE VULGARIZAÇÃO (Iemberem, 24 a 26 de Novembro de 2009) VALORIZAR AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA VULGARIZAÇÃO AGRICOLA: O CASO DE POWER POINT, INTERNET, S E TELEMOVEIS TOMANE CAMARÁ DIRECTOR DE PROGRAMAS DE AD

2 CONTEXTO ACTUAL DAS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO As novas tecnologias da informação, reduziram virtualmente o planeta e inseriram-se em todos os domínios da vida. Constituem, realmente, um enorme poder que poderia ser posto ao serviço da humanidade; os serviços de vulgarização não devem hesitar a mobilizar este poder, para reforçar as suas próprias capacidades e para educar as populações rurais que têm acesso a estes meios de comunicação social.

3 Quando têm necessidade de estabelecer contactos interpessoais com os agricultores e os investigadores, as organizações de vulgarização dos países em desenvolvimento encontram dois principais problemas: o das distâncias físicas e o da falta de meios de transporte.

4 As novas tecnologias da informação permitem ultrapassar estas barreiras físicas através do desenvolvimento e instauração de mecanismos adequados de comunicação interactiva.

5 OS RECURSOS DAS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO QUE PODEM SER UTILIZADOS N A VULGARIZAÇÃO AGRICOLA

6 POWER POINT Power Point é um Programa de Microsoft Office, que é utilizado para fazer apresentações em seminários ou formações. Este programa informático facilita a transmissão de conhecimentos, tanto de ponto de vista de aprendizagem como de gestão de tempo, faz com que os conteúdos de apresentação sejam transmitidos de forma: Clara; Inequívoca; Organizada e Motivadora

7 Para além de apresentação de textos, pode passar ainda numa sessão de seminário ou formação, através deste programa informático, fotografias, tabelas, gráficos, musica, filmes e posters.

8 Ao planificar a apresentação através de Power Point, deve ter em conta os seguintes aspectos: Quanto à LEGIBILIDADE; Quanto à VISIBILIDADE; Quanto à ORGANIZAÇÃO e Quanto à COERÊNCIA.

9 Quanto à LEGIBILIDADE Utilizar marcas nos tópicos de modo a facilitar a leitura; Utilizar um bom contraste de cor que facilita a leitura.

10 O contraste de cor estimula mais a leitura na seguinte ordem: Negro sobre branco; Negro sobre amarelo; Vermelho sobre branco; Verde sobre branco; Branco sobre vermelho; Amarelo sobre negro; Branco sobre azul; Branco sobre verde; Vermelho sobre amarelo; Azul sobre negro; Branco sobre preto e Verde sobre vermelho.

11 Tipos de letra Devem ser usados caracteres na vertical Para marcar um momento diferente, usar itálico Também a LEGIBILIDADE depende ainda: das fontes usadas do espaçamento entre caracteres do tamanho da letra da opção por MAIÚSCULAS /minúsculas

12 Quanto à Visibilidade: 6 palavras por linha e 10 linhas no máximo Ou 4 palavras por linha e 14 linhas no máximo

13 Quanto à Organização: Texto: Este é o primeiro ponto; Este é o segundo ponto; Este é o terceiro ponto; Este é o quarto ponto; Este é o quinto ponto; Este é o sexto ponto;

14 Organizar todos os dados visuais segundo as formas mais simples possíveis; Favorecer a esquerda sobre a direita; Favorecer a parte superior sobre a parte inferior; Ter em atenção o centro óptico por oposição ao centro geométrico.

15 Quanto à Coerência: Apresentação (organização e apresentador); Tópicos da apresentação ou plano de apresentação; Desenvolvimento de apresentação; Conclusões

16 INTERNET E S

17 Através da Internet e de pode: ter acesso a site ou a blogues de diferentes centros de pesquisa e das organizações congéneres; ter acesso a jornais e revistas científicos; ter acesso documentos científicos: ter acesso a Bibliotecas virtuais; Comunicar ou reunir com qualquer pessoa, em qualquer parte de mundo, utilizando o skype ou Windows Live Messenger ou ainda outros programas disponíveis; Enviar e receber cartas e ficheiros através de s (GOOGLE, YAHOO, HOTMAIL, OUTLOOK, ETC);

18 Enviar e receber fotografias, filmes, reportagem e músicas; Criar s grupo (reforçando a rede temática ou territorial); Procurar qualquer informação de carácter técnica ou de outra natureza; Ter acesso a mapas de qualquer ponto de mundo através de google earth (que permite monitorizar a ocupação de espaço ao longo do tempo construindo um sistema de informação geográfica próprio); ter acesso aos programas Radiofónicos e Televisivos; ter acesso as informações de previsão meteorológica e de regime de marés; ter acesso as informações do mercado agrícola e financeira; receber formação à distância.

19 TELEMOVEIS

20 Através de telemóveis, agora com a possibilidade de baterias serem carregadas através de pequenos painéis solares, pode ter acesso as seguintes serviços nos locais onde existem a cobertura das redes das operadoras de telemóveis: Telefonar a qualquer momento e em qualquer parte (contacto permanente); Utilizar agenda electrónica para planificação do trabalho; Ter acesso as data, horas, despertador e máquina calculadora; Pode deixar recados de VOZ a qualquer pessoa que tem telemóvel; Pode enviar e receber mensagens curtas para um grupo de pessoas (convocar reuniões, dar conselhos e informações técnicos, etc.)

21 Actualmente através de telemóveis pode ter acesso a Internet e quase todas as suas ferramentas, tais como: Enviar e receber s; Acesso a site ou blogue de diferentes centros de pesquisa e das organizações congéneres; Enviar e receber fotografias, filmes, reportagem e músicas; Ter acesso aos programas radiofónicos e televisivos (acompanhar programas e noticias em qualquer parte e momento onde existe REDE da operadora)

22 OS LIMITES DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NA VULGARIZAÇÃO AGRICOLA Na maioria dos países em desenvolvimento, o pessoal de vulgarização utilizam Internet e pode-se encontrar na Internet os programas como os jardins virtuais e as explorações agrícolas virtuais. A principal pergunta que se coloca, é saber como o poder das tecnologias modernas da informação pode ser explorado para servir ao mesmo tempo aos agentes de vulgarização e os agricultores, sem estar a comprometer o papel tradicional dos vulgarizadores, evitando fazer destas tecnologias de informação como substitutos dos agentes de vulgarização, que desempenham um papel importante a nível de animação e do conhecimento dos hábitos de comunicação das comunidades concernentes e das suas realidade especificas, factores indispensáveis para o Desenvolvimento Comunitário.

23 Nalgumas zonas rurais, as vantagens das novas tecnologias de informação poderiam ser limitadas devido ao facto de maior destas zonas não dispõe nem da electricidade, nem do telefone, nestas casos, aposta é nos telefones celulares. Obrigado pela atenção Tomane Camará

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO II PROFESSORA: PATRÍCIA

Leia mais

UNIMINAS União Educacional Minas Gerais Curso de Especialização em Tecnologias Digitais Aplicadas à Educação Módulo I Ética e Cibercultura

UNIMINAS União Educacional Minas Gerais Curso de Especialização em Tecnologias Digitais Aplicadas à Educação Módulo I Ética e Cibercultura UNIMINAS União Educacional Minas Gerais Curso de Especialização em Tecnologias Digitais Aplicadas à Educação Módulo I Ética e Cibercultura Alunas: Ketiuce Ferreira Silva Maria Helena Cicci Romero Objetivo:

Leia mais

Módulo Presencial Síncrona Assíncrona TOTAL

Módulo Presencial Síncrona Assíncrona TOTAL REFRESCAMENTO DE PROFESSORES EM TIC NÍVEL 1 (125 horas) Objectivos gerais Este curso visa a aquisição de competências técnicas básicas no âmbito das aplicações informáticas de processamento de texto, folha

Leia mais

Potencialidades Pedagógicas do Windows Live

Potencialidades Pedagógicas do Windows Live Potencialidades Pedagógicas do Windows Live Novembro, 2010 1 O que é o Windows Live 2 Como aceder ao Windows Live 2.1 Criar uma Windows Live ID 2.2 Aceder ao Windows Live 3 Serviços online do Windows Live

Leia mais

Rua Cidade Rabat, 29A/B 1250-159 LISBOA Portugal. Tel. +351 213 102 330/4 Fax +351 213 102 339

Rua Cidade Rabat, 29A/B 1250-159 LISBOA Portugal. Tel. +351 213 102 330/4 Fax +351 213 102 339 Rua Cidade Rabat, 29A/B 1250-159 LISBOA Portugal Tel. +351 213 102 330/4 Fax +351 213 102 339 Contacto Geral: inf@acinet.pt Dep. Comercial: comercial@acinet.pt Dep. Formação: formacao@acinet.pt Dep. Multimedia:

Leia mais

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE . Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete . Objectivos e Princípios Orientadores O Sistema de Informação e Comunicação (SIC) da Rede Social de Alcochete tem como objectivo geral

Leia mais

Biblioteca Virtual do NEAD/UFJF GOOGLE APPS EDUCATION: FERRAMENTA DE EDIÇÃO, COMUNICAÇÃO E PESQUISA

Biblioteca Virtual do NEAD/UFJF GOOGLE APPS EDUCATION: FERRAMENTA DE EDIÇÃO, COMUNICAÇÃO E PESQUISA GOOGLE APPS EDUCATION: FERRAMENTA DE EDIÇÃO, COMUNICAÇÃO E PESQUISA Módulo de Acolhimento UAB/UFJF 2008 PrezadoCursista, Baseado na perspectiva de que você terá que se familiarizar com alguns recursos

Leia mais

Office 365. Office365 Página 1

Office 365. Office365 Página 1 Office 365 O Microsoft Office 365 é a nova tecnologia baseada na Cloud lançada pela Microsoft, que combina novos programas que facilitam a comunicação e colaboração online, de forma natural. O Office 365

Leia mais

World Wide Web. Disciplina de Informática PEUS, 2006 - U.Porto. Disciplina de Informática, PEUS 2006 Universidade do Porto

World Wide Web. Disciplina de Informática PEUS, 2006 - U.Porto. Disciplina de Informática, PEUS 2006 Universidade do Porto World Wide Web Disciplina de Informática PEUS, 2006 - U.Porto Redes de Comunicação Nos anos 60 surgem as primeiras redes locais destinadas à partilha de recursos fisicamente próximos (discos, impressoras).

Leia mais

Módulo 6 Usando a Internet. Internet. 3.1 Como tudo começou

Módulo 6 Usando a Internet. Internet. 3.1 Como tudo começou Módulo 6 Usando a Internet Internet 3.1 Como tudo começou A internet começou a se desenvolver no ano de 1969 onde era chamada de ARPANET, criada pelo departamento de defesa dos Estados Unidos com o propósito

Leia mais

MANUAL DE REDE SOCIAL NA PLATAFORMA NING

MANUAL DE REDE SOCIAL NA PLATAFORMA NING MANUAL DE REDE SOCIAL NA PLATAFORMA NING Frederico Sotero* Este breve manual destina-se aos participantes das redes sociais desenvolvidas pela MANTRUX na plataforma Ning. Trata-se essencialmente de um

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

mais memoráveis com um filme Click to edit Master title style Torne as suas aulas Click to edit Master text styles Click to edit Master text styles

mais memoráveis com um filme Click to edit Master title style Torne as suas aulas Click to edit Master text styles Click to edit Master text styles Torne as suas aulas mais memoráveis com um filme Não é segredo que as crianças crescem a ver filmes, a apreciar programas televisivos e a aprender através deles. Os locais, sons e acção de um filme, dão

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA OBSERVATÓRIO SÓCIO-AMBIENTAL

SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA OBSERVATÓRIO SÓCIO-AMBIENTAL SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA OBSERVATÓRIO SÓCIO-AMBIENTAL FICHA DE APRESENTAÇÃO SISTEMA INTERATIVO DE MONITORAÇÃO E PARTICIPAÇÃO PARA O APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DA PLATAFORMA DE C O O P E R A Ç Ã O A M B I

Leia mais

PLANO TECNOLÓGICO DE EDUCAÇÃO. Artigo 1.º

PLANO TECNOLÓGICO DE EDUCAÇÃO. Artigo 1.º Artigo 1.º PLANO TECNOLÓGICO DE EDUCAÇÃO DEFINIÇÃO O Plano Tecnológico da Educação constitui um instrumento essencial para concretizar o objetivo estratégico de modernização tecnológica do AEV no quadriénio

Leia mais

Tema da Semana Office 2010

Tema da Semana Office 2010 Tema da Semana Office 2010 Para quando o Office 2010? Segundo o Neowin, a Microsoft vai lançar a versão definitiva do Office 2010 em Junho do presente ano. Inicialmente o pacote Office vai suportar o sistema

Leia mais

Élvio Mendonça Curso: THST - Técnico de Segurança e Higiene no Trabalho CLC-5 Vítor Dourado 22-06-2010 1

Élvio Mendonça Curso: THST - Técnico de Segurança e Higiene no Trabalho CLC-5 Vítor Dourado 22-06-2010 1 1 Introdução... 3 Internet - MSN... 4 MSN... 5 Manuseamento do programa MSN... 6 Sessão aberta... 7 Contactos... 8 Conclusão... 9 2 Introdução Realizei este trabalho no âmbito da disciplina de Cultura

Leia mais

V CONGRESSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFF/VOLTA REDONDA. Chamada de Trabalhos para as Sessões Temáticas

V CONGRESSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFF/VOLTA REDONDA. Chamada de Trabalhos para as Sessões Temáticas UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PÓLO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA ESCOLA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DE VOLTA REDONDA V CONGRESSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFF/VOLTA REDONDA Chamada de Trabalhos para as

Leia mais

ESTUDO DE RECEPÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES (ISCTE/ERC) A CRIANÇA/ADOLESCENTE DO ESTUDO E A FAMÍLIA

ESTUDO DE RECEPÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES (ISCTE/ERC) A CRIANÇA/ADOLESCENTE DO ESTUDO E A FAMÍLIA ESTUDO DE RECEPÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES (ISCTE/ERC) Questionário Pai / Mãe / Encarregado/a de Educação Nota: Não deve escrever o nome e/ou morada em nenhuma das páginas deste questionário

Leia mais

Observatório rio da Qualidade Camões

Observatório rio da Qualidade Camões Observatório rio da Qualidade Camões Apresentação do Relatório 2010/2011 Conselho Pedagógico gico 22 de Novembro 2011 Alexandre Barão; Dulce Sá Silva; Teresa Palma Andrade Agenda Mecanismos de Comunicação

Leia mais

Android. Escolhe o dispositivo Android certo!

Android. Escolhe o dispositivo Android certo! Android O Android é a plataforma mais popular do mundo das telecomunicações. Podemos usar todos os aplicativos do Google, existem mais de 600.000 aplicativos e jogos disponíveis no Google Play para nos

Leia mais

ANTÕNIO CARLOS DOS SANTOS CARLOS ROBERTO SANTOS FERREIRA ISAÍAS DOS SANTOS CAVALCANTE MARIA DA CONCEIÇÃO SANTANA SOUZA SILVA MARIELZA NASCIMENTO PEDRA

ANTÕNIO CARLOS DOS SANTOS CARLOS ROBERTO SANTOS FERREIRA ISAÍAS DOS SANTOS CAVALCANTE MARIA DA CONCEIÇÃO SANTANA SOUZA SILVA MARIELZA NASCIMENTO PEDRA ANTÕNIO CARLOS DOS SANTOS CARLOS ROBERTO SANTOS FERREIRA ISAÍAS DOS SANTOS CAVALCANTE MARIA DA CONCEIÇÃO SANTANA SOUZA SILVA MARIELZA NASCIMENTO PEDRA NILZETE SANTANA MASCARENHAS SILVA NÚBIA CONCEIÇÃO

Leia mais

Será a Internet/Intranet uma plataforma viável em sala de aula? Luís Manuel Borges Gouveia. www.ufp.pt/staf/lmbg/ lmbg@ufp.pt

Será a Internet/Intranet uma plataforma viável em sala de aula? Luís Manuel Borges Gouveia. www.ufp.pt/staf/lmbg/ lmbg@ufp.pt Será a Internet/Intranet uma plataforma viável em sala de aula? Luís Manuel Borges Gouveia www.ufp.pt/staf/lmbg/ lmbg@ufp.pt Questões Será a Internet/Intranet uma plataforma viável em sala de aula? Lições

Leia mais

CICLO 3 DE PILOTAGENS PROJETO itec. CICLO 3 DE PILOTAGENS PROJETO itec. Planificação Geral ESCOLA BÁSICA 2.º E 3.º CICLOS FEBO MONIZ - ALMEIRIM

CICLO 3 DE PILOTAGENS PROJETO itec. CICLO 3 DE PILOTAGENS PROJETO itec. Planificação Geral ESCOLA BÁSICA 2.º E 3.º CICLOS FEBO MONIZ - ALMEIRIM CICLO 3 DE PILOTAGENS PROJETO itec Planificação Geral itec ESCOLA BÁSICA 2.º E 3.º CICLOS FEBO MONIZ - ALMEIRIM 0 Índice HISTÓRIA DE APRENDIZAGEM... 2... 2 PLANIFICAÇÃO ATIVIDADE DE APRENDIZAGEM GEOALORNA

Leia mais

TV AEGE Info. Plano de Intervenção do Projeto

TV AEGE Info. Plano de Intervenção do Projeto AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNAÇÃO TV AEGE Info Plano de Intervenção do Projeto 2014-2015 Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNAÇÃO RUA

Leia mais

Internet que dá tudo por Cabo Verde. Dá tudo por Cabo Verde

Internet que dá tudo por Cabo Verde. Dá tudo por Cabo Verde mundo sapo a Internet que dá tudo por Cabo Verde Dá tudo por Cabo Verde A Internet que dá tudo por Cabo Verde Tudo por Cabo Verde Sociedade da informação, pioneirismo e inovação No teni tudu!!! Informação

Leia mais

Era da Informação exige troca de informações entre pessoas para aperfeiçoar conhecimentos dos mais variados

Era da Informação exige troca de informações entre pessoas para aperfeiçoar conhecimentos dos mais variados O Uso da Internet e seus Recursos Ana Paula Terra Bacelo anapaula@cglobal.pucrs.br Faculdade de Informática /PUCRS Sumário Introdução Internet: conceitos básicos Serviços da Internet Trabalhos Cooperativos

Leia mais

A sua empresa precisa de mudar a imagem?

A sua empresa precisa de mudar a imagem? Precisa de um site? A sua empresa precisa de mudar a imagem? Pretende divulgação? Estamos ao seu dispor para resolver estas questões!! Comunicação Publicidade Promoção de Produtos Pacotes Internet Precisa

Leia mais

WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO.

WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO. WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO. Workshop 1 Web 2.0 na educação (dinamizado por Fernando Delgado EB23 D. Afonso III) Os serviços da Web 2.0 têm um enorme potencial para a educação, pois possibilitam

Leia mais

5ª Edição do Projeto "Energia com vida"

5ª Edição do Projeto Energia com vida 5ª Edição do Projeto "Energia com vida" Maria Isabel Junceiro Agrupamento de Escolas de Marvão No presente ano letivo 2014-15, quatro turmas do Agrupamento de Escolas do Concelho de Marvão (8º e 9º anos),

Leia mais

TEMA: PDM Digital Uma metodologia para a conversão analógico-digital e integração em SIG

TEMA: PDM Digital Uma metodologia para a conversão analógico-digital e integração em SIG Autores: Fernando Cruz - E-mail: f2crux@clix.pt Rui Teixeira - E-mail: rtsf@clix.pt Instituição: Câmara Municipal de Salvaterra de Magos Palavras chave: Cartografia digital, PDM, integração em SIG. Sessão

Leia mais

FERRAMENTAS COLABORATIVAS ONLINE QUAL O NÍVEL DE UTILIZAÇÃO DE APLICAÇÕES COLABORATIVAS INTEGRADAS EM REDES SOCIAIS?

FERRAMENTAS COLABORATIVAS ONLINE QUAL O NÍVEL DE UTILIZAÇÃO DE APLICAÇÕES COLABORATIVAS INTEGRADAS EM REDES SOCIAIS? FERRAMENTAS COLABORATIVAS ONLINE QUAL O NÍVEL DE UTILIZAÇÃO DE APLICAÇÕES COLABORATIVAS INTEGRADAS EM REDES SOCIAIS? 27-10-2012 SUMÁRIO Objectivos Ferramentas Colaborativas (FCs) Comparação das várias

Leia mais

CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis

CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis Resumo do projecto Com a candidatura a este projecto, e envolvendo todos os departamentos, alunos e encarregados de educação, a nossa escola

Leia mais

Our Mobile Planet: Portugal

Our Mobile Planet: Portugal Our Mobile Planet: Portugal Compreender o Consumidor de Telemóveis Maio de 2013 Informações Confidenciais e de Propriedade da Google 1 Resumo Executivo Os smartphones tornaram-se uma parte indispensável

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E Unidade III TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO Prof. Me. Eduardo Fernando Mendes Google: um mundo de oportunidades Os conteúdos abordados neste modulo são: Google: Um mundo de oportunidades;

Leia mais

SÍNTESE DAS CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES

SÍNTESE DAS CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS, COOPERAÇÃO E COMUNIDADES SÍNTESE DAS CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES INTRODUÇÃO O Iº Encontro dos Órgãos de Comunicação e Informação de Caboverdianos na Diáspora, realizado

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Noções Básicas de Informática Componentes de hardware Monitor : permite visualizar informação na forma de imagem ou vídeo; todo o trabalho desenvolvido com o computador pode ser

Leia mais

MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista. Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP

MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista. Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP Contacto: erisson.pitta@mj.gov.br Telefono: 5561 2025 8991 Prezado(a)

Leia mais

TOTALMENTE LIGADO, TOTALMENTE LIVRE. GUIA PRÁTICO: SERVIÇOS CONNECTED DRIVE.

TOTALMENTE LIGADO, TOTALMENTE LIVRE. GUIA PRÁTICO: SERVIÇOS CONNECTED DRIVE. BMW ConnectedDrive www.bmw.pt/ connecteddrive Pelo prazer de conduzir TOTALMENTE LIGADO, TOTALMENTE LIVRE. GUIA PRÁTICO: SERVIÇOS CONNECTED DRIVE. SERVIÇOS CONNECTED DRIVE. O que têm os Serviços ConnectedDrive

Leia mais

Nova plataforma de correio electrónico Microsoft Live@edu

Nova plataforma de correio electrónico Microsoft Live@edu 1 Nova plataforma de correio electrónico Microsoft Live@edu Tendo por objectivo a melhoria constante dos serviços disponibilizados a toda a comunidade académica ao nível das tecnologias de informação,

Leia mais

PLANO TIC. O Coordenador TIC Egídia Fernandes Ferraz Gameiro [1] 2 0 0 9-2 0 1 0

PLANO TIC. O Coordenador TIC Egídia Fernandes Ferraz Gameiro [1] 2 0 0 9-2 0 1 0 PLANO TIC 2 0 0 9-2 0 1 0 O Coordenador TIC Egídia Fernandes Ferraz Gameiro [1] EB1/PE Santa Cruz http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pescruz eb1pescruz@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR TIC Egídia

Leia mais

Ano Lectivo 2008/2009-1ºCiclo. Magalhães Formação

Ano Lectivo 2008/2009-1ºCiclo. Magalhães Formação Direcção Regional de Educação de Lisboa Centro de Área Educativa de Setúbal Agrupamento Vertical de Escolas Elias Garcia - Sobreda Ano Lectivo 2008/2009-1ºCiclo Magalhães Formação Objectivos da Formação

Leia mais

... 1º Período. Metas/Objetivos Descritores Conceitos/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação

... 1º Período. Metas/Objetivos Descritores Conceitos/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E INFORMÁTICA DISCIPLINA: TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANIFICAÇÃO DE 8º ANO... 1º Período Domínio COMUNICAÇÃO E COLABORAÇÃO CC8 Conhecimento e utilização adequada

Leia mais

Avaliação dos hábitos de estudos, culturais e nível de inclusão digital dos professores da UNIGRANRIO. Fevereiro/2012

Avaliação dos hábitos de estudos, culturais e nível de inclusão digital dos professores da UNIGRANRIO. Fevereiro/2012 Avaliação dos hábitos de estudos, culturais e nível de inclusão digital dos professores da UNIGRANRIO Fevereiro/2012 UM POUCO SOBRE O PROFESSOR Negro 1% Etnia segundo classificação do ENADE Pardo/Mulato

Leia mais

Realizador por: Prof. José Santos

Realizador por: Prof. José Santos Realizador por: Prof. José Santos Objectivo Este guia tem como objectivo fornecer aos Encarregados de Educação uma breve explicação sobre o funcionamento da Plataforma de Aprendizagem Moodle do Colégio

Leia mais

UIFCUL. Unidade de Informática Faculdade de Ciências. Universidade de Lisboa. Regulamento de Utilização dos Laboratórios de Informática da FCUL

UIFCUL. Unidade de Informática Faculdade de Ciências. Universidade de Lisboa. Regulamento de Utilização dos Laboratórios de Informática da FCUL UIFCUL Universidade de Lisboa Regulamento de Utilização dos Laboratórios de Informática da FCUL Versão 1.0 2 Janeiro de 2014 Versão Data Alterações / Notas Responsável 1.0 2014.01.07 Aprovação inicial

Leia mais

Acedemos pelo site http://www.psicotemaweb.com

Acedemos pelo site http://www.psicotemaweb.com Acedemos pelo site http://www.psicotemaweb.com Acedemos à Plataforma de formação, clicando no link respectivo. Page 1 of 26 Inserimos o nome de utilizador, a palavra passe (que nos foram fornecidos pela

Leia mais

PROJETO UCA: FORMAÇÃO BRASIL. Proposta de operacionalização. Formação dos professores na escola

PROJETO UCA: FORMAÇÃO BRASIL. Proposta de operacionalização. Formação dos professores na escola Ministério da Educação Secretaria de Educação a Distância Projeto Um Computador por Aluno PROJETO UCA: FORMAÇÃO BRASIL Proposta de operacionalização Formação dos professores na escola Outubro, 2009 FORMAÇÃO

Leia mais

ERC/ISCTE Estudo de Recepção dos Meios de Comunicação. Questionários nas Escolas

ERC/ISCTE Estudo de Recepção dos Meios de Comunicação. Questionários nas Escolas ERC/ISCTE Estudo de Recepção dos Meios de Comunicação Questionários nas Escolas Nº de inquiridos: 814 Percentagens de respostas válidas Idade 9 10 11 12 13 14 15,4 18,1 19,5 15,3 17,5 14,1 Sexo Rapaz Rapariga

Leia mais

PERÍODO: 23 a 26 de outubro de 2012 Campus I da UEPB ASSUNTO: CHAMADA DE TRABALHOS 1ª CIRCULAR

PERÍODO: 23 a 26 de outubro de 2012 Campus I da UEPB ASSUNTO: CHAMADA DE TRABALHOS 1ª CIRCULAR PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS VII SEMANA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA EXTENSÃO E SUSTENTABILIDADE REGIONAL NO SÉCULO XXI: TECENDO DIÁLOGOS E CONSTRUINDO NOVOS CENÁRIOS.

Leia mais

FORA DA ESCOLA NÃO PODE. Cada criança e adolescente tem o direito de aprender. Manual de Aplicação de Marcas

FORA DA ESCOLA NÃO PODE. Cada criança e adolescente tem o direito de aprender. Manual de Aplicação de Marcas NÃO PODE Cada criança e adolescente tem o direito de aprender Manual de Aplicação de Marcas Sumário p1 Apresentação p15 Banners p2 Assinatura Principal p19 Faixa p3 Variações da Marca p20 Outdoor p4 Cores

Leia mais

PROJETOS / DESAFIOS / CONCURSOS PARA AS ECO-ESCOLAS 2013/14. (Já a decorrer)

PROJETOS / DESAFIOS / CONCURSOS PARA AS ECO-ESCOLAS 2013/14. (Já a decorrer) PROJETOS / DESAFIOS / CONCURSOS PARA AS ECO-ESCOLAS 2013/14 (Já a decorrer) GERAÇÃO DEPOSITRÃO 2014 No Facebook em: https://www.facebook.com/geracaodepositrao Todas as escolas da rede Eco-Escolas Projeto

Leia mais

Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa A Universidade de Lisboa está a fazer um estudo que procura saber como é que as crianças e os jovens portugueses utilizam a internet e o que pensam

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CRIAÇÃO DE MATERIAL GRÁFICO DOS CONTEÚDOS TEXTUAIS DE CONSERVAÇÃO DA THE NATURE CONSERVANCY,

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CRIAÇÃO DE MATERIAL GRÁFICO DOS CONTEÚDOS TEXTUAIS DE CONSERVAÇÃO DA THE NATURE CONSERVANCY, Termo de Referência CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CRIAÇÃO DE MATERIAL GRÁFICO DOS CONTEÚDOS TEXTUAIS DE CONSERVAÇÃO DA THE NATURE CONSERVANCY, NO ESTADO DO PARÁ. INTRODUÇÃO E CONTEXTO A The Nature Conservancy

Leia mais

Chamada de trabalho para V Coletânea ArqUrb 06 a 10 de agosto de 2012

Chamada de trabalho para V Coletânea ArqUrb 06 a 10 de agosto de 2012 Chamada de trabalho para V Coletânea ArqUrb 06 a 10 de agosto de 2012 Instruções Gerais para apresentação de trabalhos Estas normas regulamentam os procedimentos destinados à seleção e apresentação dos

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

Netiqueta (ou Netiquette)

Netiqueta (ou Netiquette) Netiqueta (ou Netiquette) Conjunto de atitudes e normas recomendadas (não impostas) para que todos os utilizadores possam comunicar através da Internet de um forma cordial e agradável. Evite a utilização

Leia mais

PLANO TIC. O Coordenador TIC. E g í d i a F e r n a n d e s F e r r a z G a m e i r o 2 0 0 8-2 0 0 9

PLANO TIC. O Coordenador TIC. E g í d i a F e r n a n d e s F e r r a z G a m e i r o 2 0 0 8-2 0 0 9 PLANO TIC 2 0 0 8-2 0 0 9 O Coordenador TIC E g í d i a F e r n a n d e s F e r r a z G a m e i r o [1] ESCOLA EB1/PE Santa Cruz http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pescruz eb1pescruz@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Quando a finalidade do acesso está relacionado à escola, a atividade de pesquisa se torna a mais frequente em todos os públicos.

Quando a finalidade do acesso está relacionado à escola, a atividade de pesquisa se torna a mais frequente em todos os públicos. CONCLUSÕES 115 Conclusões Em geral, o acesso as tecnologias ocorrem principalmente em casa e na escola estão mais acessíveis aos Diretores. A televisão, videocassete e computador são os principais equipamentos

Leia mais

TRE/MG (15/03/2008) CESPE QUESTÃO 6

TRE/MG (15/03/2008) CESPE QUESTÃO 6 TRE/MG (15/03/2008) CESPE QUESTÃO 6 Considerando a janela do Word 2003 ilustrada acima, que contém um documento em processo de edição no qual o título está selecionado, assinale a opção correta. A O parágrafo

Leia mais

EMAIL FECAP. Plataforma Microsoft Live@Edu

EMAIL FECAP. Plataforma Microsoft Live@Edu EMAIL FECAP Plataforma Microsoft Live@Edu Apresentação A FECAP, visando oferecer uma ferramenta mais dinâmica aos seus alunos, passou a disponibilizar, desde Julho/2011, o serviço chamado E-Mail FECAP,

Leia mais

Manual do Utilizador. Janeiro de 2012.

Manual do Utilizador. Janeiro de 2012. Janeiro de 2012. Índice 1. Introdução 2 Geral 2 Específico 2 Configurável 2 2. Acesso ao adapro 3 3. Descrição 4 Descrição Geral. 4 Funcionalidades específicas de um processador de textos. 5 Documento

Leia mais

Sugestões e críticas podem ser encaminhadas para o email: nape@ufv.br CONSIDERAÇÕES INICIAIS:

Sugestões e críticas podem ser encaminhadas para o email: nape@ufv.br CONSIDERAÇÕES INICIAIS: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA ORIENTAÇÕES GERAIS PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Neste ano o processo seletivo será realizado por meio de um sistema

Leia mais

A evolução no setor da hotelaria e turismo. Qual é o espaço para os websites dos hotéis

A evolução no setor da hotelaria e turismo. Qual é o espaço para os websites dos hotéis ÍNDICE Introdução A evolução no setor da hotelaria e turismo Qual é o espaço para os websites dos hotéis Como garantir que o consumidor irá visitar o website de um hotel As vantages que um bom website

Leia mais

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Desenvolvimento em Ambiente Web Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Internet A Internet é um conjunto de redes de computadores de domínio público interligadas pelo mundo inteiro, que tem

Leia mais

Ficha de Caracterização do Trabalho

Ficha de Caracterização do Trabalho Ficha de Caracterização do Trabalho Título Skype: um cliente P2P VoIP ou a revolução do mercado das telecomunicações? Resumo: Neste artigo dá-se a conhecer um programa lançado recentemente, baseado em

Leia mais

Horticultura Ornamental em Portugal - Perspetiva atual e tendências futuras

Horticultura Ornamental em Portugal - Perspetiva atual e tendências futuras Horticultura Ornamental em Portugal - Perspetiva atual e tendências futuras Lusoflora, 27 de fevereiro de 2015 Bolsa Nacional de Terras Potenciar a utilização do território rural A nossa Visão Potenciar

Leia mais

ESCOLA S/3 ARQ. OLIVEIRA FERREIRA DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS SUBDEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 5 2º ANO

ESCOLA S/3 ARQ. OLIVEIRA FERREIRA DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS SUBDEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 5 2º ANO ESCOLA S/3 ARQ. OLIVEIRA FERREIRA DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS SUBDEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 5 2º ANO TÉCNICO DE INFORMÁTICA/INSTALAÇÃO E GESTÃO DE REDES 2008/2009

Leia mais

Estratégia de Dinamização e de Divulgação

Estratégia de Dinamização e de Divulgação Estratégia de Dinamização e de Divulgação Plano de Ação de 2015 FEVEREIRO 2015 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. VISÃO DA BOLSA DE TERRAS... 4 3. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS - LINHAS GERAIS DA ESTRATÉGIA... 5

Leia mais

A SÈTIMA. O nosso principal objectivo

A SÈTIMA. O nosso principal objectivo 03 A SÈTIMA A SÉTIMA produz soluções de software maioritariamente com recurso à WEB, de modo a dar suporte ao crescimento tecnológico que é já a maior realidade do século XXI. Esta aposta deve-se ao facto

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Janeiro de 2004

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Janeiro de 2004 MANTENHA-SE INFORMADO Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para ser informado sempre que existirem actualizações a esta colecção ou outras notícias importantes sobre o Outlook Express 6. Reservados

Leia mais

Questionário de Aferição de Estilos e Ritmos de Aprendizagem em Contexto Virtual. Parte I. Parte II

Questionário de Aferição de Estilos e Ritmos de Aprendizagem em Contexto Virtual. Parte I. Parte II Questionário de Aferição de Estilos e Ritmos de Aprendizagem em Contexto Virtual Instruções para Responder ao Questionário Este questionário tem como objectivo identificar o estilo e ritmo de aprendizagem

Leia mais

Curso de Especialização em Bibliotecas Escolares e Centros de Recursos. Software Educativo. Alfredo Mendes Ana Figueiredo Salomé Melo

Curso de Especialização em Bibliotecas Escolares e Centros de Recursos. Software Educativo. Alfredo Mendes Ana Figueiredo Salomé Melo Curso de Especialização em Bibliotecas Escolares e Centros de Recursos Software Educativo Alfredo Mendes Ana Figueiredo Salomé Melo Introdução Hoje em dia, a oferta de produtos multimédia de carácter lúdico

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE Manual de Configuração da conta Live@Edu Aracaju/SE 2009 Sumário Apresentação... 3 1. Solicitando ativação no Live@Edu... 4 2. Efetuando o primeiro acesso...

Leia mais

Documentação, Divulgação e Vídeo. > Relatório <

Documentação, Divulgação e Vídeo. > Relatório < Projecto Aldeia das Amoreiras Sustentável Documentação, Divulgação e Vídeo > Relatório < - 1 - RELATÓRIO DA DOCUMENTAÇÃO, DIVULGAÇÃO E VÍDEO Organização: Centro de Convergência/ GAIA Alentejo Data e local:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Médio Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: CIENCIAS DA NATUREZA, MATEMATICA E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular:

Leia mais

Tecnologias que Educam

Tecnologias que Educam Tecnologias que Educam Ensinar e Aprender Tecnologias de Informação e Comunicação Fábio Câmara Araújo de Carvalho e Gregorio Bittar Ivanoff http://www.pearson./camara_br Versão 5 06/2009 1Tecnologias que

Leia mais

Adaptação da apresentação de apoio à formação BE (RBE/PTE) Junho 2010 http://www.slideboom.com/presentations/181624/fformbe_literacia_curriculo

Adaptação da apresentação de apoio à formação BE (RBE/PTE) Junho 2010 http://www.slideboom.com/presentations/181624/fformbe_literacia_curriculo Adaptação da apresentação de apoio à formação BE (RBE/PTE) Junho 2010 http://www.slideboom.com/presentations/181624/fformbe_literacia_curriculo À medida que cada vez mais recursos estão presentes na web,

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

Plano de Atividades 2012

Plano de Atividades 2012 Plano de Atividades 2012 A Direção da rede ex aequo propõe o seguinte plano de atividades para o ano de 2012, tendo em conta oito áreas de intervenção consideradas prioritárias. 1. Área de Apoio 2. Área

Leia mais

NEWSLETTER#2 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave

NEWSLETTER#2 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave NEWSLETTER#2 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave Projeto Social Angels O projeto Social Angels Comunidade Empreendedora é promovido pela Sol do Ave em parceria com o

Leia mais

Tecnologias Móveis e Ferramentas Web 2.0 no Ensino Superior: algumas possibilidades

Tecnologias Móveis e Ferramentas Web 2.0 no Ensino Superior: algumas possibilidades Tecnologias Móveis e Ferramentas Web 2.0 no Ensino Superior: algumas possibilidades João Batista Bottentuit Junior Universidade Federal do Maranhão UFMA jbbj@terra.com.br 29 de Outubro de 2013 Contexto

Leia mais

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Programa de da ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (ELD) 1 / 16 Programa de da 1. Caracterização Socioeconómica do Território A caracterização do território deve centrar-se em dois aspectos

Leia mais

PROJETO AMBIENTE ENERGIA EuropeAid/132194/D/SER/Multi

PROJETO AMBIENTE ENERGIA EuropeAid/132194/D/SER/Multi PROJETO AMBIENTE ENERGIA EuropeAid/132194/D/SER/Multi OBJETIVO GERAL Objetivo do presente estudo/pesquisa é Criar uma base de dados e verificar as potencialidades energéticas alternativas do território

Leia mais

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 O Coordenador TIC João Teiga Peixe Índice Índice...2 1. Introdução... 3 2. Objectivos... 3 3. Sectores Afectos... 4 1. Salas de Aulas... 4 2. Administrativo... 4 3. Outras

Leia mais

Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo.

Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Material referente ao texto do Módulo 3: Ações Básicas de Mobilização. O conhecimento da realidade é a base fundamental ao desenvolvimento social, que visa

Leia mais

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO Caro(a) aluno(a), seja bem-vindo às Disciplinas Online da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Bom Despacho e Faculdade de Educação de Bom Despacho. Em pleno século 21, na era digital, não poderíamos

Leia mais

Secretaria-Geral do MAOT

Secretaria-Geral do MAOT Secretaria-Geral do MAOT Paula Vieira 8 Outubro 2010 SIAP 2010 1 IMPLEMENTAÇÃO DE UMA INTRANET SIAP 2010 2 AGENDA Objectivos do projecto Arranque do projecto Implementação do projecto Resultados: - Conteúdos

Leia mais

PHC dintranet. A gestão eficiente dos colaboradores da empresa

PHC dintranet. A gestão eficiente dos colaboradores da empresa PHC dintranet A gestão eficiente dos colaboradores da empresa A solução ideal para a empresa do futuro, que necessita de comunicar de modo eficaz com os seus colaboradores, por forma a aumentar a sua produtividade.

Leia mais

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular.

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular. Trabalha de Conclusão do Curso Educação a Distância : Um Novo Olhar Para a Educação - Formação de Professores/Tutores em EaD pelo Portal Somática Educar Ferramentas de informações e comunicações e as interações

Leia mais

Câmaras Municipais 2003 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação

Câmaras Municipais 2003 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Câmaras Municipais 2003 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Estudo realizado pelo CIES/Universidade do Minho Agosto de 2004 BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência:

Leia mais

COMO LIGAR E CONFIGURAR

COMO LIGAR E CONFIGURAR 1 2 GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA COMO LIGAR E CONFIGURAR carregar a bateria O utilizador deverá, em primeiro lugar, carregar a bateria do sistema. A primeira carga deverá ter um tempo ininterrupto de 6 horas.

Leia mais

Recursos Tecnológicos que Apóiam a Aprendizagem

Recursos Tecnológicos que Apóiam a Aprendizagem Recursos Tecnológicos que Apóiam a Aprendizagem Conectando diferentes níveis de contexto e ensinando mesmo quando o mercado se modifica Fábio Câmara Araújo de Carvalho e Gregorio Bittar Ivanoff http://www.copyleftpearson.com.br

Leia mais

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD.

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. 2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer a opinião

Leia mais

ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais. Tecnologias da Informação e da Comunicação

ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais. Tecnologias da Informação e da Comunicação ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais Tecnologias da Informação e da Comunicação ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais Apresentação Introdução Utilizar a Informática

Leia mais

Portal de conteúdos Linha Direta

Portal de conteúdos Linha Direta Portal de conteúdos Linha Direta Tecnologias Educacionais PROMOVEM SÃO Ferramentas Recursos USADAS EM SALA DE AULA PARA APRENDIZADO SÃO: Facilitadoras Incentivadoras SERVEM Necessárias Pesquisa Facilitar

Leia mais

ARCO-ÍRIS DE SABERES NA PRÁTICA EDUCATIVA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NO CURSO DE PEDAGOGIA DO IFESP

ARCO-ÍRIS DE SABERES NA PRÁTICA EDUCATIVA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NO CURSO DE PEDAGOGIA DO IFESP 1 ARCO-ÍRIS DE SABERES NA PRÁTICA EDUCATIVA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NO CURSO DE PEDAGOGIA DO IFESP Claudete da Silva Ferreira - IFESP Márcia Maria Alves de Assis - IFESP RESUMO Esta apresentação se

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS DAS CIÊNCIAS E AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NUM PROJETO INTERDISCIPLINAR DE INVESTIGAÇÃO-AÇÃO CTS

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS DAS CIÊNCIAS E AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NUM PROJETO INTERDISCIPLINAR DE INVESTIGAÇÃO-AÇÃO CTS ATIVIDADES EXPERIMENTAIS DAS CIÊNCIAS E AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NUM PROJETO INTERDISCIPLINAR DE INVESTIGAÇÃO-AÇÃO CTS Ana Paula Santos; António Fernandes; Berta Bemhaja; Cristina Fernandes;

Leia mais