UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ. Wagner H.B Verdelho. Radiografia Digital na Odontologia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ. Wagner H.B Verdelho. Radiografia Digital na Odontologia"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Wagner H.B Verdelho Radiografia Digital na Odontologia CURITIBA 2011

2 Estudo de Artigos sobre Radiologia Digital CURITIBA 2011

3 Wagner Hino Barata Verdelho Estudo de artigos sobre Radiografia Digital Trabalho de Conclusão de Curso apresentada ao Curso de Radiologia Odontológica e Imaginologia da Universidade Tuiuti do Paraná, como requisito parcial para obtenção do título de especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia. Orientadora Professora Ms. Lígia. Aracema Borsato CURITIBA 2011

4 TERMO DE APROVAÇÃO Wagner H.B. Verdelho Estudo de revisão de literatura Esta monografia foi julgada e aprovada para a obtenção de título de Especialista em Radiologia e Imaginologia, no curso de especialização em Radiologia Odontológica e Imaginologia, da Faculdade de Ciências Biológicas e de Saúde, da Universidade Tuiuti do Paraná. Curitiba, 27 de Maio de 2011 Curso de Especialização Radiologia Odontológica e Imaginologia Universidade Tuiuti do Paraná Orientadora: Profª. Ms. Lígia Aracema Borsato Universidade Tuiuti do Paraná Coordenadora do Curso de Especialização em Radiologia Odontológica e Imaginologia Banca Examinadora: Profª. Ms. Ana Claudia Galvão de Aguiar Koubik Universidade Tuiuti do Paraná Coordenadora do Curso de Especialização em Radiologia Odontológica e Imaginologia Profª. Ms. Tatiana Maria Folador Mattioli Universidade Tuiuti do Paraná Professora do Curso de Especialização em Radiologia Odontológica e Imaginologia

5 RESUMO A Radiologia digital foi introduzida em 1987, em Geneve, onde o dentista e inventor Frances Francis Moyen demonstrou o primeiro sistema de radiografia digital intra-oral para a Odontologia. Neste trabalho foram apresentadas as características dos principais sistemas de captação de imagem e sua indicação em diagnóstico, baseado em trabalhos de diversos autores. A radiografia digital é um método seguro de fácil execução. As principais vantagens consistem na diminuição da dose de exposição, eliminação do processamento e na possibilidade de manipulação das imagens. A correção do contraste, brilho e a verificação de densidade óptica são alternativas viáveis com a aplicação de softwares específicos para o tratamento das imagens. O uso de subtração radiográfica digital possibilita o estudo e acompanhamento da evolução das lesões ósseas, a partir de imagens digitais obtidas de forma padronizada em diferentes períodos de tempo. Todas estas vantagens permitem melhorar a precisão do diagnóstico. Esses sistemas também apresentam desvantagem como o alto custo dos equipamentos, tomando-os restrito a utilização em centros de pesquisa, entretanto, com o avanço tecnológico espera-se que esse transtorno seja superado e os sistemas digitais se tornem acessíveis aos profissionais da área. Palavras chaves: Radiologia Digital; Imagem radiográfica; Raios-x.

6 ABSTRACT Digital radiology was introduced in 1987 in Geneva, where the dentist and inventor Francis Frances Moyen Demonstrate first digital radiography for intraoral dental. In this study we presented the characteristics of the main systems of image reception and its indication in diagnosis, based on several authors reviews. The digital radiography is a safe method of easy implementation capable to provide images with smaller time of exhibition. These advantages are decrease of dose exhibition, elimination of the revelation chemical process and the possibility of manipulation of images. The correction of the contrast, shine and the verification of the optical dentistry are alternative viable with the application of specific software for the image treatment. The use of radiography digital subtraction enables the study and monitoring of the evolution of bony lesions, starting from obtained digital images with standard views in different periods time. All these advantages allow to improve the accuracy of diagnosis. Those systems also present disadvantages as the high cost of the equipments, than it was restricted the use in research centers, however, with the technological progressive hoped that it s become accessible to dentistry. Key words: Digital radiography; Digital image; X-rays.

7 1.INTRODUÇÃO Em pouco mais de um século, desde o descobrimento dos raios X, muitas foram às evoluções pelas quais passaram os aparelhos produtores de raios X, que se tornaram mais efetivos e precisos, bem como os filmes radiográficos, cujo detalhe e sensibilidade permitiram uma melhor qualidade de imagem e a redução dos efeitos biológicos. (MOYEN et al., 1989) Com o passar do tempo, foi-se conhecendo algumas desvantagens da radiografia convencional, como a alta dose de radiação requerida; a variabilidade na qualidade da imagem obtida; o processamento radiográfico longo; a utilização de produtos químicos tóxicos ao meio ambiente a necessidade de um local próprio para o processamento radiográfico e a impossibilidade de modificação depois de adquirida. (VERSTEEG et al., 1997) A digitalização de radiografias é uma outra forma de se obter uma imagem digital na prática odontológica, como forma de transição da radiografia convencional para a radiografia digital. Há várias maneiras de converter-se a imagem convencional para a imagem digital. A imagem digital pode ser obtida utilizando-se uma câmara fotográfica, um scanner a laser ou um scanner de mesa. O custo do scanner de mesa não é muito alto, podendo ser usado para escaneamento de documentos no consultório odontológico. (SARMENTO, 1999) Um dos maiores méritos das radiografias digitalizadas é a opção de ajuste do brilho e contraste das imagens, para obtenção do máximo de informações necessárias para elaboração do diagnóstico, permitindo que os observadores apresentem melhor desempenho na interpretação das imagens

8 que foram realçadas do que em imagens convencionais. Também em casos de radiografias sub ou superexpostas pode-se, por meio da aplicação de ferramentas digitais melhorar as condições de interpretação. (MOL A, 2000) O primeiro sistema radiográfico digital lançado no mercado odontológico foi o Radiovisiography ( Trophy, Marne la Valée, França), sendo que atualmente existem dois conceitos no que diz respeito aos fótonsdetectores destes sistemas: o dispositivo de carga acoplado (CCD Charge Coupled Device) e a placa intensificadora de fósforo (PSP Photostimulable Phosphor Plate). (WENZEL, 2000) Entre as vantagens da radiografia digital estão: (1) a possibilidade de manipulação da imagem para que as informações nela contidas tornem-se mais facilmente detectáveis, (2) a facilidade para mensurações e cálculos a respeito de dimensões e variações de densidade, (3) a eliminação da necessidade de câmara escura e do processamento químico, a segunda maior causa de repetição de radiografias convencionais, (4) a redução de até 80% da dose de a radiação utilizada para obtenção da imagem e, (5) a agilização dos processos de arquivamento, comparações, obtenção de cópias e transmissão à distância. (HAITER NETO et al., 2000) A partir do momento em que as primeiras radiografias com o uso de filme radiográfico foram digitalizadas (por meios de scanner, câmaras fotográficas) e armazenadas em um computador, a realidade da imagem digital então tornou uma realidade. (SALES & COSTA & NETO, 2002) Os recursos da computação trouxeram consigo a tecnologia digital, ocupando consultórios odontológicos primeiramente com os prontuários que

9 foram substituídos por programas odontológicos computadorizados. (CALVIELLI & MODAFOORE, 2003) A imagem digital pode ser obtida por meio de duas formas: diretamente através de sensores eletrônicos ou ópticos sensíveis à radiação e indiretamente, através de radiografias convencionais que são convertidas para o formato digital através de câmeras de vídeos ou scanners. (ABREU, 2003) Nos últimos tempos, houve uma verdadeira revolução na Radiologia, resultado da incessante busca da melhora da imagem radiográfica convencional, tanto em qualidade como na redução de dose de exposição. Esta revolução é o resultado tanto da inovação tecnológica no processo de aquisição da imagem quanto no desenvolvimento de redes de computação para recuperação e transmissão de imagens. (LUDLOW JB & MOL A, 2007) O objetivo desse trabalho foi apresentar as características dos sistemas radiográficos digitais por meio de uma revisão de literatura, comparando os sistemas diretos e indiretos através da sua aplicação da radiologia digital na odontologia, enfatizando sua aplicabilidade na odontologia, vantagens e desvantagens em relação a imagem radiográfica convencional.

10 2.REVISÃO DA LITERATURA 2.1 *Analógico versus Digital O processo de formação da imagem nestes sistemas pode ser assim explicado: ao incidir raios X no sensor, este capta a imagem em uma disposição bidimensional de filas (horizontal) e colunas (vertical) de elementos denominados pixels. Os números podem ser operados, isto é, somados, subtraídos, multiplicados, divididos, comparados, impressos e enviados por telefone ou internet. (KHADEMI, 1996) Para obtenção da radiografia digital, é necessária a utilização de todos os equipamentos radiográficos e convencionais, desde a técnica até a fonte de energia utilizada para sua obtenção. Entretanto, o método de obtenção é feito substituindo o filme e o processamento convencionais por receptores ou sensores e um computador. Esta tecnologia permitiu um importante avanço na ciência radiológica, vindo reforçar o valor da imagem no processo diagnostico, tornando-a cada vez mais presente e precisa. (TAVANO, 1999) A imagem digital é definida pelos pixels. Um pixel é o equivalente digital do cristal de prata de um filme convencional e significa um simples ponto na imagem digitalizada. A grande diferença entre os cristais de prata e os pixels é que esses últimos são ordenadamente distribuídos sobre a tela do computador, e sua localização, cor ou tom de cinza é representado por números. A idéia de que uma imagem pode ser representada por uma grande tabela de números é o processo básico digital. (SARMENTO et al., 1999)

11 A quantidade possível de níveis de cinza que um pixel de uma imagem digitalizada pode exibir é denominada alcance dinâmico. (SARMENTO et al., 1999) A obtenção de uma imagem radiográfica representa a interação entre diversos elementos, entre eles um elemento tridimensional (o dente e estruturas anexas), o feixe de elétrons convertido em radiação X e o filme radiográfico. Com o avanço da tecnologia, começou também a corrida a otimização do processo radiográfico. Filmes cada vez mais rápidos, mais sensíveis a radiação e com maior capacidade de resolução espacial foram sendo desenvolvidos, máquinas de processamento automático capazes de disponibilizar o conjunto imagem radiográfica/filme cada vez mais rápido e aparelhos emissores de radiação sofisticados foram lançados no mercado. (PASLER et al., 1999) O homem só consegue perceber 16 a 24 tons de cinza, podendo raramente chegar a 30 ou 40. Assim, uma das aplicações do sistema digital, que exibe uma escala de 256 tons de cinza, é a mensuração do nível de cinza de áreas da imagem; isto significa determinar o valor numérico que corresponde à média dos tons de cinza dos pixels em uma determinada área. (SARMENTO et al., 1999) O pixel é a menor unidade de informação da imagem, representa o equivalente digital do cristal de prata das radiografias convencionais. A caracterização da matriz e a resolução espacial são dependentes do tamanho e número de pixels. A informação da imagem é decomposta em bits, binary digits. (HAITER NETO et al., 2000)

12 A quantidade de informação presente em cada pixel depende do número de bits para cada byte (binary term - unidade de memória do computador). Quando um sistema opera com 8 bits por byte, cada pixel poderá ser representado por uma entre duzentas e cinqüenta e seis possíveis combinações. A presença ou ausência de corrente são representados pelo número um, ou zero, respectivamente. Assim as letras, os sons e as imagens são codificados durante a digitalização da tomada radiográfica e o registro radiográfico é enviado para o computador através da conversão desses bits em sinais pela unidade digitalizadora. O computador armazena a imagem no monitor como figuras numéricas. Quando os fótons incidem sobre a unidade de informação da imagem, os elétrons são aprisionados, e cada pixel apresentará um valor digital correspondente a uma tonalidade de cinza, podendo atingir 256 valores de cinza, do preto total (0) ao branco (255) correspondente ao branco absoluto apresentando radiopacidade máxima. (SARMENTO et al., 2000) Utiliza a seguinte classificação para os sistemas radiográficos digitais: os que utilizam receptores de imagem na forma de placas óticas, capturando a imagem indiretamente, e os receptores de imagem ou sensores no estado solido, que capturam e digitalizam a imagem diretamente. (VAN DER STELT, 2000) Porém uma novidade recente a seguir foi uma classe de aparelhos de raios-x que, em vez de utilizar filmes radiográficos, possuem uma placa de circuitos sensíveis a raios-x que gera uma radiografia digital e a envia diretamente ou indiretamente para o computador. O processo é bem mais rápido do que a utilização de filmes, pois dispensa o processo de químico de

13 revelação e fixação e obtém uma imagem instantânea no computador, além da diminuição da radiação. (DOTTA, 2001) Os softwares de processamento de imagem permitem manipulação desta por meio de melhoramento, conversão negativo/positivo, zoom, ou modos de 3-dimensões, entre outros recursos. Essa tecnologia pode ser aplicada em varias áreas da odontologia, podendo facilitar a visualização dos detalhes que mais interessar ao cirurgião-dentista. (FRIEDLANDER, 2002) O filme radiográfico convencional tem sido utilizado, há muito tempo, como a melhor opção no registro de imagens intrabucais, mas apresenta vários inconvenientes que determinam uma busca por sua substituição. As desvantagens de sua utilização são as altas doses de radiação requerida; a variabilidade na qualidade da imagem obtida; o processamento radiográfico longo; a utilização de produtos para seu processamento químico; a necessidade de um local próprio para o processamento radiográfico; danos ao meio ambiente e a impossibilidade de modificar a imagem depois de adquirida. (ABREU, 2003) Apesar dos aparelhos de raios X se enquadrarem nas normas técnicas estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a proteção ao indivíduo frente aos raios ionizantes ainda é preocupante. A informática surge assim, como forma de viabilizar a obtenção de imagens para diagnóstico com uso de menor dose de radiação e menos agressão ao meio ambiente devido à eliminação da fase de processamento radiográfico. (CRUZ et al., 2005)

14 Imagens digitais são numéricas portanto, descritas em dois modos: em termos de distribuição espacial (pixels) e em termos de diferentes tonalidades de cinza em cada um dos pixels. (LUDLOW JB & MOL A, 2007) 2.2 *Detectores Digitais CCD (dispositivo de carga acoplada) As ligações covalentes do silício são quebradas pela radiação com comprimento de onda menor que 1 µm, criando íons pares. Para coletar a carga eletrônica produzida pela radiação incidente, um material condutor é aplicado sobre uma fina camada isolante na superfície do silício. Esta camada é constituída por um arranjo bidimensional de pontos. Ao se aplicar um potencial elétrico positivo nessa área, os elétrons livres gerados pela radiação incidente podem ser acumulados sobre esses pontos, até a saturação. As mudanças de potencial ocorridas sobre a superfície, linha por linha, são transmitidas ao CCD. Esses dados são, então, passados para um amplificador que produz um sinal eletrônico analógico, que em seguida é digitalizado. (WELANDER et al., 1993) A qualidade da imagem radiográfica digital está associada com o desenvolvimento tecnológico dos equipamentos de informática, especialmente a capacidade dos sensores em captar a energia eletromagnética. O aparelho Sens-A-Ray (Regam Medical Systems AB, Sundsvall, Sweden) representa um desse sistema, utiliza o silício em seu sensor. Este elemento atômico apresenta baixo peso atômico além de baixo coeficiente de absorção para fótons de energia. (VERSTEEG et al., 1997) A imagem digital do sistema CCD é tão eficiente quanto a imagem nos filmes comuns na clínica odontológica. (VERSTEEG et al., 1997),

15 Em 1987 surgiu o primeiro aparelho digital de imagens radiográficas intrabucais, o RadioVisioGraphy (RVG- Trophy Radiologe, Vicennes, France). Baseado no sistema CCD (fig. 2 a, b, c) utiliza um placa de silício para captação da imagem. Este tem face ativa de tamanho reduzido, apesar do volume externo ser maior que o do filme periapical. Possui um fio condutor acoplado onde conecta esta conectado o chip ao restante do equipamento, permitindo que a imagem seja exibida imediatamente após a sensibilização do sensor pelos raios X. (HAITER NETO et al., 2000) a b c FIGURA 2. Sistemas Digitais CCD - a) RVG, b) Gendex, c) Planmeca Fonte:a) b) c) O CCD ou dispositivo de carga acoplada é um chip de silicone duro que possui semi-condutores sensíveis à luz e a raios X. São revestidos por uma superfície plástica rígida, apresentando em média 25 X 18 mm(quadrado) de área efetiva e 8mm de espessura, ligada a um

16 computador através de um cabo, constituindo a parte ativa que faz a função de filme radiográfico. (BOTELHO, 2003) A aquisição da imagem no sistema CCD é praticamente instantânea após a exposição aos raios X, mostrando-se de grande utilidade nos procedimentos, endodônticos por exemplo, que requerem uma maior velocidade na obtenção das imagens necessárias à execução do tratamento. (WENZEL & KIRKEVANG, 2004) 2.3 *Detectores Digitais CMOS (semicondutores de óxido de metal complementares) As diferenças entre os sistemas no estado sólido (CCD e CMOS, este tem sido utilizado como uma alternativa mais barata áquele) e as placas de fósforo estão basicamente na velocidade de aquisição das imagens e na espessura física dos receptores. Alguns poucos sistemas no estado sólido conectam-se ao computador sem fio,via sinal de radio.(emmot, 2005) A tecnologia de semicondutores de óxido de metal complementares é a base de câmaras vídeo convencionais. Estes detectores são baseados nos semicondutores de silício,mas são fundamentalmente diferentes dos CCDs na forma como as cargas dos pixels são lidas. Cada pixel está isolado de seus pixels vizinhos e é conectado diretamente a um transistor. É uma tecnologia mais barata que a usada em construção dos CCDs. Somente um fabricante utiliza essa tecnologia na aplicação de intra orais. (LEDLOW JB & MOL A, 2007)

17 2.4 *Detectores Digitais PSP (Placa de Fósforo Fotoestimulada) Possui uma placa intensificadora de fósforo que substitui o filme radiográfico. (HAYKAWA et al., 1998) Em 1994, surgiu o primeiro aparelho com sistema de armazenamento de fósforo denominado Digora (Soredex Orion Corporation, Helsink, Finland). Este tipo de sistema utiliza uma placa óptica de armazenamento de fósforo ativado (PSP- Photostimulable Phosfor Plate) que é lido através de um scanner óptico a laser, e a partir dele para o computador (fig. 3). Ele não apresenta fio acoplado e possui dimensões semelhantes aos filmes convencionais periapicais adulto ou infantil. (HAITER NETO et al, 2000) FIGURA 3. O sensor do sistema PSP é o que mais se assemelha à película radiográfica convencional, em relação ao tamanho da face ativa, espessura e flexibilidade, sendo o que fornece maior conforto ao paciente. (OLIVEIRA et al., 2000) No sistema de armazenamento, uma placa de fósforo é exposta aos raios-x da mesma maneira que a película radiográfica, e suas dimensões são

18 similares as dos filmes periapicais. Durante a exposição, a radiação é absorvida na placa de fósforo que dá forma a uma imagem latente. A informação contida na placa é liberada quando um feixe de laser de um scanner (fig. 3) apropriado ilumina a placa de fósforo. A placa emite fótons de luz, que são detectados e traduzidos em uma imagem que possa ser processada e exibida no monitor. (HAITER NETOet al., 2000) O receptor tipo placa de fósforo fotoestimulavel é uma placa ótica constituída por uma base de poliéster revestida por uma camada de flúorhalogenato de bário. Esse sistema não possui um cabo e seu tamanho e espessura assemelha-se a um filme convencional. No entanto, é necessário um sistema de leitura conectado a um computador o qual transforma o sinal recebido pela placa óptica em sinal digital. Esse sistema também é conhecido como semi-direto. (BOTELHO, 2003) Baseado no sistema de placa de fósforo ativado, o recurso permite uma melhor análise comparativa da radiopacidade de materiais restauradores e endodôntico, pinos intra-radiculares, bem como modificação em estruturas ósseas. (TAKESITA et al., 2004) Antes da exposição, as placas PSP devem ser apagadas para eliminar imagens fantasmas de exposições anteriores (sendo um tipo diferente de imagens fantasmas associada à radiografias panorâmicas). Isto é realizado expondo a placa a uma fonte luminosa brilhante, porém alguns sistemas PSP possuem sistemas automáticos de luzes apagadoras de placas. (LUDLOW JB & MOL A, 2007) 2.5 * Vantagens e Desvantagens

19 As imagens digitais podem apresentar detalhes que não parecem em um filme não digitalizado. (FARMAN et al., 1995) Desde o lançamento do primeiro sistema comercial de radiografia digital em 1987 muito tem sido discutido sobre esta modalidade no ramo do diagnóstico por imagem. Para muitos, este seria o método ideal para obtenção da imagem radiográfica, já que possibilitaria a formação de bancos de dados, disponíveis indefinidamente a todos que deles precisassem, facilitaria o controle de qualidade da imagem radiográfica bem como a manipulação desse material por meio do computador. Com o advento comercial e propagação da Internet, o diagnóstico multicêntrico de patologias envolvendo profissionais de vários locais do mundo, não necessariamente presentes fisicamente em um único local, seria enormemente facilitado graças à difusão das imagens na rede mundial de computadores. (HAYKAWA et al., 1999) Os sistemas de captação de imagem digital apresentam vantagens na sua utilização em relação ao auxílio de diagnóstico: colaboram com a preservação do meio ambiente ao dispensar o filme radiográfico e o processamento; reduzem a dose de exposição dos pacientes aos raios-x, visto que o sistema digital direto requer entre 5% e 50% da dose necessária nas tomadas radiográficas convencionais e há uma maior latitude oferecida pelo sistema de armazenamento de fósforo, com menor risco de sub ou superexposição; proporcionam maior conforto ao paciente com a diminuição do tempo de atendimento, uma vez que reduz o tempo gasto com a operacionalidade da técnica por excluir o processamento; reduzem o número de repetições que ocorrem devido a falhas de processamento; eliminam o custo dos filmes e das soluções reveladoras e fixadoras ; obtém cópias de

20 imagem sem a necessidade de novas tomadas radiográficas. (WATANABE et al., 1999) Outras considerações: eliminam a necessidade de espaço para arquivo, armários, envelopes, fichas, cartões de montagem, negatoscópio; otimizam o diagnóstico; melhoram a comunicação entre profissionais e pacientes através da exibição da imagem na tela do monitor; agilizam a procura das imagens, visto que elas podem ser arquivadas em pastas de forma organizada e de fácil acesso; melhoram as imagens através de retoques, alterando contraste e brilho, além de sua magnificação em locais específicos ou toda a imagem; transportam as imagens para qualquer parte do mundo, através de correio eletrônico, melhorando e agilizando a comunicação entre profissionais. (ZÁRADE PEREIRA, 2000) Porém alguns autores apontam algumas desvantagens do emprego das imagens digitais tais como: os sistemas digitais não possuem uma qualidade de imagem totalmente satisfatória como as radiografias convencionais, a qualidade de imagem digitalizada representa a metade da qualidade de imagem dos filmes dos grupos D e E, custo e a manutenção do equipamento é muito alto, ficando ainda restrito aos grandes centros de diagnóstico por imagens; o dentista recebe apenas o resultado através de discos ou via correio eletrônico; os sensores do sistema CCD apresentam tamanho reduzido, seu volume é acentuado além de apresentar rigidez quando comparado ao filme radiográfico. (FRIEDLANDER & LOVE & CHANDLER, 2002)

21 Uma grande vantagem da substituição do método convencional para o método digital seria que o método digital é simples, objetivo e rápido. (COCLETE et al., 2003) As vantagens dos sistemas acabam superando as desvantagens que com o passar do tempo serão solucionadas. (WHAITES, 2003) A ergonomia também deve ser considerada principalmente nos sistemas CCD, pois exigem um aparato computadorizado, apresentam poucas opções de tamanho tornando-se uma de suas grandes limitações são difíceis de serem posicionados em bocas pequenas, e no posicionamento há muita proximidade com o paciente por causa do fio conector do sensor, ao contrário do sistema de placa de fósforo que não necessita dessa proximidade. (WENZEL & KIRKEVANG, 2004) O software que acompanha os sistemas digitais, veio também para ajudar de uma forma geral o clínico, apresentam funções diversas funções (brilho, contraste, negativo, zoom, etc.) (anexo1 fig. 4 a, b,c). Entretanto alega também que alguns sistemas apresentam maiores opções de recursos, como: filtros digitais, ferramentas de mensurações angulares e de histograma e maior número de formatos de arquivos para armazenamento de imagem. (GUNERI e AKDENIZ, 2004) Considerações clínicas devem ser estabelecidas, como por exemplo, onde realmente os filmes em certas situações podem ser intencionalmente danificado quando dobrado para melhor acomodar a anatomia do paciente. Placas PSP são susceptíveis a dobrar e arranhar durante o manuseio, induzindo danos permanentes ao receptor. O controle de infecção também é

22 um cuidado a ser tomado nos receptores digitais. (LUDLOW JB & MOL A, 2007) 2.6 * Método de subtração digital de imagem Uma radiografia de referência é transformada em imagem positiva num computador. Depois de alinhamento e correção de contraste e de geometria, essa radiografia é subtraída de outra e dá, como resultado, uma diminuição das interferências de estruturas. Assim, áreas com perda ou ganho ósseo entre as duas radiografias são mostradas em tons escuros ou claros de cinza, respectivamente. (REEDY et al., 1991) A utilização do recurso eletrônico de subtração radiográfica em imagens digitalizadas tem demonstrado ser uma técnica sensível para a detecção de pequenas alterações em tecidos duros. Na radiografia convencional é necessária a perda de 30 a 50% de mineral para a identificação de uma lesão óssea. (VERSTEEG, 1997) A utilização desse recurso permite a detecção quando a perda é de apenas 5% de mineral. (VERSTEEG, 1997) Essa técnica permite a avaliação de diferenças entre duas radiografias tomadas em intervalos de tempo, contanto que seja observada uma exata reprodução geométrica. O uso da subtração de imagem depende da reprodução da radiografia e da eficácia do programa de subtração em restaurar variações geométricas e de contraste entre as imagens. (RAWLINSON et al., 1999) O sistema de subtração radiográfica digital é satisfatório para investigações clinicas de pequenas mudanças do osso alveolar e para o

23 diagnostico e monitoramento de doenças periodontais destrutivas. (anexo1, fig. 5) (RAWLINSON et al, 1999) Imagens obtidas por subtração são apropriadas para adquirir informação quantitativa, como comprimento, área e medidas de densidade. Métodos usados para tais medidas variam entre a interpretação visual com medição manual e a análise da imagem feita por computador. Independentemente da análise técnica usada, a descoberta e a quantificação das reais mudanças no paciente requerem que outros fatores que afetam tais medidas sejam controlados. (LUDLOW JB & MOL A, 2007) 2.7 *Aplicação Clinica da Radiologia Digital No diagnóstico, o objetivo do processamento da imagem é tornar a informação relevante mais evidente para o observador, através da criação de imagens que sejam mais propicias para a percepção visual humana, a fim de facilitar sua interpretação. (MOL A, 2000) Na implantodontia, a radiografia panorâmica alcança cada vez mais papel de destaque na prática clínica. Mensurações de altura de rebordo alveolar são estimadas com maior precisão nas radiografias panorâmicas digitais disponíveis ao implantodontista, possibilitando um melhor planejamento cirúrgico. (SCHULZE R, 2000) Enfatizam outro avanço alcançado com o advento da radiografia digital, que é a técnica de subtração radiográfica, comumente utilizada para o diagnóstico de cárie, de doença periodontal, a visualização em relevo de dentes e estruturas de suporte na avaliação do trauma alvéolo-dentário e a analise computadorizada do trabeculado ósseo na detecção precoce de doenças sistêmicas. (ALMEIDA et al., 2001)

24 Os recursos de manipulação de imagem da radiologia digital podem auxiliar no diagnóstico de lesões, tanto ósseas quanto dentarias. Diversos recursos estão disponíveis nos softwares, como a alteração de relevo, do brilho e do contraste da imagem, a inversão dos tons cinza, a aplicação de cores a imagem e dos filmes que permitem o aumento da nitidez. (SOUZA, 2002) Na endodontia avaliaram a capacidade de diversos filmes radiográficos periapicais e imagens digitais padrão, em relevo e com inversão de contraste na visibilidade de limas endodonticas de diferentes calibres. Concluíram que para a visibilidade de limas de menor calibre (números 6, 8 e 10), os filmes radiográficos convencionais foram melhores do que as imagens digitais, mas sem diferença estatisticamente significante. Entretanto, as imagens digitais exibiram melhores resultados quanto a visibilidade de limas numero 15, destacando-se a imagem digital com inversão de contraste. (VALE e BRAMANTE, 2002) As principais aplicações da Radiologia Digital na clínica odontológica envolvem o diagnóstico de carie (utilizando diferentes filtros de imagem, que podem aumentar a eficiência do exame), o tratamento endodôntico (em mensurações mais exatas e melhor observação de detalhes anatômicos), a terapia periodontal (tornando possível medidas de perda e ganho ósseo através da subtração digital), o diagnostico de lesões no sistema estomatognático (na obtenção de medidas e alterações de padrões de trabeculado ósseo no estudo de doenças sistêmicas além de tornar o acompanhamento mais preciso), o diagnóstico de fraturas e perfurações radiculares e a ortodontia (com programa que auxiliam na cefalometria e na analise do desenvolvimento ósseo). (BOTELHO, 2003)

VistaScan Combi View Eficiência com precisão

VistaScan Combi View Eficiência com precisão VistaScan Combi View Eficiência com precisão O novo digitalizador de placas de fósforo com tela touch screen para todos os formatos Ar comprimido Aspiração Imagiologia Tratamento Higiene Placas de fósforo

Leia mais

Arqu bras odontol 2010;6(3):170-8 ISSN 2178-0595

Arqu bras odontol 2010;6(3):170-8 ISSN 2178-0595 170 APLICAÇÃO DA RADIOGRAFIA DIGITAL NA ODONTOPEDIATRIA APPLICATION OF THE DIGITAL X-RAY IN PEDIATRIC DENTISTRY Bruno César Ladeira Vidigal¹, Olívia dos Santos Silveira 2, Luciano Andrei Francio 3, Flávio

Leia mais

Aula 12: ASPECTOS RADIOGRÁFICOS DAS LESÕES PERIODONTAIS

Aula 12: ASPECTOS RADIOGRÁFICOS DAS LESÕES PERIODONTAIS Aula 12: ASPECTOS RADIOGRÁFICOS DAS LESÕES PERIODONTAIS Autora: Profª. Rosana da Silva Berticelli Edição: Luana Christ e Bruna Reuter Lesões Periodontais Doença inflamatória dos tecidos de suporte dos

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DR. RADAMÉS NARDINI

HOSPITAL DE CLÍNICAS DR. RADAMÉS NARDINI HOSPITAL DE CLÍNICAS DR. RADAMÉS NARDINI PROJETO REVELAÇÃO DE IMAGEM DIAGNÓSTICA DIGITALIZADA ECIMARA DOS SANTOS SILVA Email: e.santos@hospitalnardini.org.br Telefone: (11) 4547-6906 Cel. (11) 98697-6908

Leia mais

RADIOLOGIA DIGITAL: COMPARAÇÃO ENTRE OS SISTEMAS DE AQUISIÇÃO DE IMAGEM

RADIOLOGIA DIGITAL: COMPARAÇÃO ENTRE OS SISTEMAS DE AQUISIÇÃO DE IMAGEM RADIOLOGIA DIGITAL: COMPARAÇÃO ENTRE OS SISTEMAS DE AQUISIÇÃO DE IMAGEM MENEGOLO, D.R.R. 1 ; BORSATO, L.A. 2 1 Pós-graduanda do Curso de Especialização em Radiologia Odontológica e Imaginologia da Universidade

Leia mais

Estrutura do Curso...

Estrutura do Curso... Radiologia Digital Aula 2 Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Estrutura do Curso... 1. Introdução à Radiologia Digital 2. A imagem digital e etapas de PDI 3. Equipamento - Detectores

Leia mais

RADIOLOGIA DIGITAL: REVISÃO DE LITERATURA

RADIOLOGIA DIGITAL: REVISÃO DE LITERATURA RADIOLOGIA DIGITAL: REVISÃO DE LITERATURA DIGITAL RADIOLOGY: A LITERATURE REVIEW George Táccio de Miranda CANDEIRO 1 Amanda de Sousa Ferreira BRINGEL 2 Ilan Sampaio do VALE 3 RESUMO Diante das desvantagens

Leia mais

SEL 397 - PRINCÍPIOS FÍSICOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS. Prof. Homero Schiabel

SEL 397 - PRINCÍPIOS FÍSICOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS. Prof. Homero Schiabel SEL 397 - PRINCÍPIOS FÍSICOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS Prof. Homero Schiabel 6. FORMAÇÃO DE IMAGENS POR RAIOS X A Radiografia 2 fatores fundamentais: padrão de intensidade de raios-x transmitido através

Leia mais

A EVOLUÇÃO DOS APARELHOS DE RAIOS-X

A EVOLUÇÃO DOS APARELHOS DE RAIOS-X A EVOLUÇÃO DOS APARELHOS DE RAIOS-X JEFERSON MIGUEL LEITE CASTILHO Discente do Curso de Tecnologia em Radiologia das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS CAMILA ALVES REZENDE LOPRETO Docente Esp.

Leia mais

RADIOLOGIA DIGITAL. Conceitos Básicos. Eizo Soluções Médicas

RADIOLOGIA DIGITAL. Conceitos Básicos. Eizo Soluções Médicas Eizo Soluções Médicas Conceitos Básicos RADIOLOGIA DIGITAL Entenda os conceitos, termos e a história da radiologia ; os benefícios, desafios e o futuro da radiologia digital INTRODUÇÃO Para profissionais

Leia mais

Profº. Emerson Siraqui

Profº. Emerson Siraqui RADIOLOGIA DIGITAL Profº. Emerson Siraqui Nome: Emerson Siraqui Formação Acadêmica: Graduação: Tecnólogo em Radiologia Médica-FASM Especialização: APRESENTAÇÃO Operacionalidade e Capacitação em aparelhos

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista

Assessoria ao Cirurgião Dentista Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna a Papaiz edição IV agosto de 2014 Escrito por: Dr. André Simões, radiologista da Papaiz Diagnósticos Odontológicos por Imagem 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Leia mais

Aula 1: RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA

Aula 1: RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA Aula 1: RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA Produção, Propriedades e Interações dos Raios X Os raios X foram descobertos em 1895, por William Conrad Röentgen. São na verdade, uma forma de onda eletromagnética

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

Coerência temporal: Uma característica importante

Coerência temporal: Uma característica importante Coerência temporal: Uma característica importante A coerência temporal de uma fonte de luz é determinada pela sua largura de banda espectral e descreve a forma como os trens de ondas emitidas interfererem

Leia mais

Principais parâmetros na definição de qualidade numa imagem digitalizada

Principais parâmetros na definição de qualidade numa imagem digitalizada Principais parâmetros na definição de qualidade numa imagem digitalizada reprodução de tom reprodução de cor resolução ruído e luz parasita aberrações e erros de registo. Principais parâmetros na definição

Leia mais

JOSÉ RAUL GIRONDI VALIDAÇÃO DAS FERRAMENTAS DE CALIBRAGEM DE MEDIDAS EM TRÊS SISTEMAS DE RADIOGRAFIA DIGITAL

JOSÉ RAUL GIRONDI VALIDAÇÃO DAS FERRAMENTAS DE CALIBRAGEM DE MEDIDAS EM TRÊS SISTEMAS DE RADIOGRAFIA DIGITAL JOSÉ RAUL GIRONDI VALIDAÇÃO DAS FERRAMENTAS DE CALIBRAGEM DE MEDIDAS EM TRÊS SISTEMAS DE RADIOGRAFIA DIGITAL Tese apresentada à Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo, para obter o título

Leia mais

Importância do exame radiográfico

Importância do exame radiográfico Exames e Indicações Importância do exame radiográfico O exame radiográfico de rotina associado ao exame clínico é a maneira mais efetiva de se obter o índice diagnóstico de 100% de cárie (segundo Estevam

Leia mais

Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL

Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL Técnicas Radiográficas Periapical Exame do dente e osso alveolar que o rodeia; Interproximal Diagnóstico de cáries proximais, excessos marginais de restaurações;

Leia mais

Técnicas radiográficas. Técnicas Radiográficas Intraorais em Odontologia. Técnicas Radiográficas Intraorais. Técnicas Radiográficas

Técnicas radiográficas. Técnicas Radiográficas Intraorais em Odontologia. Técnicas Radiográficas Intraorais. Técnicas Radiográficas Técnicas Radiográficas Intraorais em Odontologia Técnicas radiográficas Divididas em dois grandes grupos: Técnicas Intraorais Profª Paula Christensen Técnicas Radiográficas Técnicas Extraorais Técnicas

Leia mais

FÍSICA DO RX. Cristina Saavedra Almeida fisicamed

FÍSICA DO RX. Cristina Saavedra Almeida fisicamed FÍSICA DO RX Cristina Saavedra Almeida fisicamed O QUE É RADIAÇÃO Pode ser gerada por fontes naturais ou por dispositivos construídos pelo homem. Possuem energia variável desde valores pequenos até muito

Leia mais

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE UBERLÂNDIA Imagenologia: Técnicas Radiológicas II Prof. Msc Ana Paula de Souza Paixão Biomedicina 5º P Método de diagnóstico

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital. Unidade de Aprendizagem Radiológica. Professor Paulo Christakis

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital. Unidade de Aprendizagem Radiológica. Professor Paulo Christakis Radiologia Digital Unidade de Aprendizagem Radiológica Princípios Físicos da Imagem Digital Professor Paulo Christakis 1 Em sistemas digitais de imagens médicas, as mudanças não se apresentam somente no

Leia mais

FÍSICA DAS RADIAÇÕES. Prof. Emerson Siraqui

FÍSICA DAS RADIAÇÕES. Prof. Emerson Siraqui FÍSICA DAS RADIAÇÕES Prof. Emerson Siraqui CONCEITO Método que permite estudar o corpo em cortes ou fatias axiais ou trasversais, sendo a imagem obtida atraves dos Raios-X com o auxílio do computador (recontrução).

Leia mais

Radiografia Industrial MANFRED RONALD RICHTER

Radiografia Industrial MANFRED RONALD RICHTER MANFRED RONALD RICHTER 1. Princípios Radiografia Industrial OBJETIVO Verificação da existência de descontinuidades internas em materiais opacos pelo uso das radiações X ou (gama), que incidem em um dado

Leia mais

PROCESSAMENTO DE IMAGEM #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO

PROCESSAMENTO DE IMAGEM #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO PROCESSAMENTO DE IMAGEM #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO Que é Processamento Digital de Imagens (PDI) Quais as etapas fundamentais em um sistema de PDI Sensores CCD e CMOS Visão Humana x Visão de

Leia mais

VANTAGENS E LIMITAÇÕES DIAGNÓSTICO MAMOGRÁFICO MAMOGRAFIA ANALÓGICA MAMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (CR) MAMOGRAFIA DIGITAL(DR)

VANTAGENS E LIMITAÇÕES DIAGNÓSTICO MAMOGRÁFICO MAMOGRAFIA ANALÓGICA MAMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (CR) MAMOGRAFIA DIGITAL(DR) XXX CONGRESSO PARAIBANO DE GINECOLOGIA VANTAGENS E LIMITAÇÕES DIAGNÓSTICO MAMOGRÁFICO MAMOGRAFIA ANALÓGICA MAMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (CR) MAMOGRAFIA DIGITAL(DR) Norma Maranhão norma@truenet.com.br EVOLUÇÃO

Leia mais

RADIOLOGIA DIGITAL NA CLÍNICA ODONTOLÓGICA

RADIOLOGIA DIGITAL NA CLÍNICA ODONTOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA E ORTOPEDIA ESPECIALIZAÇÃO EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA RADIOLOGIA DIGITAL NA CLÍNICA ODONTOLÓGICA

Leia mais

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO CONE BEAM HIGH DEFINITION PARA AVALIAÇÃO PERIODONTAL

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO CONE BEAM HIGH DEFINITION PARA AVALIAÇÃO PERIODONTAL TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO CONE BEAM HIGH DEFINITION PARA AVALIAÇÃO PERIODONTAL Autora: Nelma Maria de Freitas Agradecimentos: Imagem Radiologia de Itajaí, Dr. Élio Giácomo Papaiz (in memorian). Dr.

Leia mais

Scanner de películas de memória VistaScan Mini pequeno, mas forte

Scanner de películas de memória VistaScan Mini pequeno, mas forte Scanner de películas de memória VistaScan Mini pequeno, mas forte Ar comprimido Aspiração Imagiologia Conservação dos dentes Higiene A nova dimensão do diagnóstico radiográfico Chairside O scanner de películas

Leia mais

Ensaios Não Destrutivos

Ensaios Não Destrutivos Ensaios Não Destrutivos DEFINIÇÃO: Realizados sobre peças semi-acabadas ou acabadas, não prejudicam nem interferem a futura utilização das mesmas (no todo ou em parte). Em outras palavras, seriam aqueles

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANA. Allan Daniel Ramos

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANA. Allan Daniel Ramos 8 UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANA Allan Daniel Ramos IMAGEM DIGITAL EM ODONTOLOGIA CURITIBA 2010 9 IMAGEM DIGITAL EM ODONTOLOGIA Curitiba 2010 10 Allan Daniel Ramos IMAGEM DIGITAL EM ODONTOLOGIA Monografia

Leia mais

Digitalização de imagens em radiologia: uma nova visão de futuro

Digitalização de imagens em radiologia: uma nova visão de futuro Digitalização de imagens em radiologia: uma ARTIGO nova visão DE de PESQUISA futuro Digitalização de imagens em radiologia: uma nova visão de futuro Digitalization of images in radiology: a new vision

Leia mais

Detectores de Radiação Ionizante

Detectores de Radiação Ionizante Detectores de Radiação Ionizante As radiações ionizantes por si só não podem ser medida diretamente, a detecção é realizada pelo resultado produzido da interação da radiação com um meio sensível (detector).

Leia mais

A CÂMARA DIGITAL A CAPTURA DE UMA IMAGEM NUMA CÂMARA DIGITAL ENVOLVE OS SEGUINTES PROCESSOS:

A CÂMARA DIGITAL A CAPTURA DE UMA IMAGEM NUMA CÂMARA DIGITAL ENVOLVE OS SEGUINTES PROCESSOS: A CÂMARA DIGITAL A CAPTURA DE UMA IMAGEM NUMA CÂMARA DIGITAL ENVOLVE OS SEGUINTES PROCESSOS: EXISTEM TRÊS TIPOS DE SENSORES UTILIZADOS NAS CÂMARAS DIGITAIS: CCD - Charge Coupled Device CMOS - Complimentary

Leia mais

DIGITAL. PODEROSO. PERSONALIZADO.

DIGITAL. PODEROSO. PERSONALIZADO. Sistema Vita CR, DRX-1 e software Image Suite Soluções veterinárias DIGITAL. PODEROSO. PERSONALIZADO. Soluções projetadas com as necessidades veterinárias no pensamento. AGORA CHEGOU O MOMENTO DE PASSAR

Leia mais

Seminário Computador Óptico

Seminário Computador Óptico Universidade Federal de Minas Gerais Belo Horizonte, 23 de Junho de 2008 Seminário Computador Óptico Organização de Computadores I Bruno Xavier da Silva Diego de Moura Duarte brunoxs@dcc.ufmg.br diegomd@dcc.ufmg.br

Leia mais

4.2. Técnicas radiográficas especiais

4.2. Técnicas radiográficas especiais SEL 5705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS (III. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas) 4.2. Técnicas radiográficas especiais 4.2.1. Abreugrafia Chapa, em

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Analisando-se a imagem de um dente íntegro, todas as suas partes são facilmente identificáveis, pois já conhecemos sua escala de radiopacidade e posição

Leia mais

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Fundamentos da fotografia digital: Câmeras digitais CCD e CMOS Resolução Armazenamento Softwares para edição e manipulação de imagens digitais: Photoshop e Lightroom

Leia mais

CÂMERAS. fotográficas

CÂMERAS. fotográficas CÂMERAS fotográficas Quanto ao suporte: Digital Analógico Como classificar e diferenciar os tipos de Câmeras? Quanto a automação: Automáticas Semi-automáticas Auto e manual Quanto ao visor: Visor direto

Leia mais

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado 2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado Neste capítulo são apresentados os tipos de dados utilizados neste trabalho e a anatomia do fígado, de onde foram retiradas todas as heurísticas adotadas para segmentação

Leia mais

Relatório da prática/proposta

Relatório da prática/proposta Relatório da prática/proposta 1.Nome da pratica/ proposta inovadora: Projeto de Digitalização de Imagens Radiológicas na Rede Pública de Saúde de Naviraí 2.Caracterização da situação anterior: O município

Leia mais

APOSTILA DE RADIOLOGIA

APOSTILA DE RADIOLOGIA APOSTILA DE RADIOLOGIA 2013 Autores ANZILIERO, Luciano. Esp. Curso de Odontologia da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões Campus de Erechim. BELEDELLI, Rodrigo. Ms. Curso de Odontologia

Leia mais

Raio X e Tomografia Computadorizada

Raio X e Tomografia Computadorizada Raio X e Tomografia Computadorizada Processamento de Imagens e Sinais Biológicos Aluno: Diego Cordeiro Barboza Professora: Aura Conci 04/2010 Sumário Introdução Descoberta Geração Imagens com Raio X Tomografia

Leia mais

A primeira coisa que se precisa definir é a lógica que rege os sistemas de captura, e essa pode ser descrita em linhas gerais por:

A primeira coisa que se precisa definir é a lógica que rege os sistemas de captura, e essa pode ser descrita em linhas gerais por: 4 Tecnologias A ideia da construção de Digital Human Models não caminha em separado das diversas tecnologias que englobam tal construção. Porém, para um melhor entendimento, serão descritas a seguir as

Leia mais

Cirurgiã Dentista, Especialista em Radiologia, Especializanda em Ortodontia PLANO DE CURSO

Cirurgiã Dentista, Especialista em Radiologia, Especializanda em Ortodontia PLANO DE CURSO C U R S O O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: RADIOLOGIA Código: ODO-14 Pré-requisito: ANATOMIA

Leia mais

LINK CATÁLOGO DE EXAMES

LINK CATÁLOGO DE EXAMES Porque pedir um exame radiográfico? LINK CATÁLOGO DE EXAMES O exame radiográfico é solicitado para a visualização clinica das estruturas ósseas da cavidade bucal. Para isso, existem as mais diversas técnicas

Leia mais

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós-

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós- FOUSP Avaliação da precisão da tomografia computadorizada por feixe cônico (cone beam) como método de medição do volume ósseo vestibular em implantes dentários Dissertação apresentada à Faculdade de Odontologia

Leia mais

ALCANCE DINÂMICO CCD CMOS

ALCANCE DINÂMICO CCD CMOS ALCANCE DINÂMICO Nos sensores de imagem CCD (charge-coupled device) ou CMOS (complementary metal oxide semiconductor), o alcance dinâmico (ou dinâmica) é especificado tipicamente como a razão entre o sinal

Leia mais

Comparação das Densidades Ótica e Radiográfica, Analisadas pelo Fotodensitômetro MRA e pelo Sistema Digital Digora*

Comparação das Densidades Ótica e Radiográfica, Analisadas pelo Fotodensitômetro MRA e pelo Sistema Digital Digora* v. Revista 32, n. de 1, Odontologia 2003 da Comparação UNESP, v. 32, das n. Densidades 1, 93-98, 2003. Ótica e Radiográfica, Analisadas pelo Fotodensitômetro MRA e pelo Sistema Digital Digora 2003 93 Comparação

Leia mais

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO EXAME CLÍNICO DA DOENÇA PERIODONTAL DIAGNÓSTICO PERIODONTAL CONSISTE O DIAGNÓSTICO NA ANÁLISE DO PERIODONTAL HISTÓRICO DO CASO, NA AVALIAÇÃO DOS SINAIS CLÍNICOS E SINTOMAS, COMO TAMBÉM DOS RESULTADOS DE

Leia mais

Radiação Espalhada no Paciente

Radiação Espalhada no Paciente Interação dos Raios X com a Matéria Os Raios-X podem ser: Transmitidos, Absorvidos, Espalhados. A probabilidade da interação depende da energia do fóton incidente, da densidade do meio, da espessura do

Leia mais

SOEBRAS - FUNORTE ANDRÉA CARRO

SOEBRAS - FUNORTE ANDRÉA CARRO SOEBRAS - FUNORTE ANDRÉA CARRO USO DA RADIOGRAFIA DIGITAL E A CERTIFICAÇÃO DIGITAL EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA FLORIANÓPOLIS - SC 2013 1 SOEBRAS - FUNORTE ANDRÉA CARRO USO DA RADIOGRAFIA DIGITAL E A CERTIFICAÇÃO

Leia mais

Tomografia Computadorizada

Tomografia Computadorizada Tomografia Computadorizada Características: não sobreposição de estruturas melhor contraste ( menos radiação espalhada) usa detectores que permitem visibilizar pequenas diferenças em contraste de tecido

Leia mais

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens Fundamentos de Imagens Digitais Aquisição e Serão apresentadas as principais características de uma imagem digital: imagem do ponto de vista matemático processo de aquisição e digitalização de uma imagem

Leia mais

Digitalização 3D em Medicina Dentária

Digitalização 3D em Medicina Dentária 1 of 7 20-10-2011 12:58 Digitalização 3D em Medicina Dentária 13.Outubro.2011 Os modelos são elementos fundamentais e imprescindíveis no estudo, planeamento e acompanhamento odontopediátrico, protético,

Leia mais

Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com

Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Radiologia Industrial Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. Fundamentos de Radiologia Industrial Quando pensamos em aeronaves, automóveis, metro, trens, navios, submarinos, etc todas estas máquinas não poderiam

Leia mais

TECNOLOGIA RADIOLÓGICA

TECNOLOGIA RADIOLÓGICA TECNOLOGIA RADIOLÓGICA Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Aula 05 Qualidade Radiográfica Agenda Qualidade radiográfica, resolução, velocidade, d curva característica, ti densidade

Leia mais

2 Editoração Eletrônica

2 Editoração Eletrônica 8 2 Editoração Eletrônica A década de 80 foi um marco na história da computação. Foi quando a maioria dos esforços dos desenvolvedores, tanto de equipamentos, quanto de programas, foram direcionados para

Leia mais

CENAP- CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM RAFAEL CIPRIANO DA SILVA

CENAP- CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM RAFAEL CIPRIANO DA SILVA CENAP- CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM RAFAEL CIPRIANO DA SILVA RADIOPROTEÇÃO EPI`s: AVENTAL PUMBLÍFERO E PROTETOR DE TIREÓIDE CASCAVEL-PR RAFAEL CIPRIANO

Leia mais

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Quim. Nova, Vol. 38, No. 3, S1-S6, 2015 O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Fernando Arruda Mendes de Oliveira a,b, Eduardo Ribeiro

Leia mais

Sensores e Atuadores (1)

Sensores e Atuadores (1) (1) 4º Engenharia de Controle e Automação FACIT / 2009 Prof. Maurílio J. Inácio Introdução Sensores Fornecem parâmetros sobre o comportamento do manipulador, geralmente em termos de posição e velocidade

Leia mais

Radiografia Panorâmica

Radiografia Panorâmica Unidade Clínica I Radiografia Panorâmica 18.10.2012 1 Introdução A radiografia panorâmica (também chamada de ortopantomografia) produz uma só imagem, tomográfica, das estruturas da face, incluindo as arcadas

Leia mais

II CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPUS DE BRASÍLIA CRONOGRAMA DOS MÓDULOS

II CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPUS DE BRASÍLIA CRONOGRAMA DOS MÓDULOS II CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPUS DE BRASÍLIA CRONOGRAMA DOS MÓDULOS MÓDULO MÊS DATAS I OUTUBRO/NOVEMBRO/07 29, 30, 31/10, 01/11 II DEZEMBRO/07

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Tecnologias e Sistemas de Informação Tecnologias de computadores Trabalho realizado por: Carlos Aguilar nº 27886 Miguel Xavier nº 26705 Bruno Esteves nº 26975 ECRÃS Introdução Servem basicamente para mostrar

Leia mais

q,37( A RADIOGRAFIA DIGITAL DIRETA: TIPOS DE SISTEMAS E SENSORES DE RADIOGRAFIA DIGITAL DIRETA EXISTENTES NO MERCADO INTERNACIONAL

q,37( A RADIOGRAFIA DIGITAL DIRETA: TIPOS DE SISTEMAS E SENSORES DE RADIOGRAFIA DIGITAL DIRETA EXISTENTES NO MERCADO INTERNACIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ESTOMALOTOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RADIOLOGIA q,37( A RADIOGRAFIA DIGITAL DIRETA: TIPOS DE SISTEMAS E SENSORES DE

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Em relação à produção, à emissão e à interação dos raios X com a matéria, julgue os itens a seguir. 41 O deslocamento de elétrons da camada M para a camada K produz radiação característica. 42 Bremsstrahlung,

Leia mais

Scanners Manual Básico. Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos.

Scanners Manual Básico. Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos. Scanners Manual Básico Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos. Tipos de Scanners Diferentes tipos de scanners funcionam de diferentes maneiras. Conheça

Leia mais

Maximizar eficiência da dose para criação de imagens de pacientes pediátricos

Maximizar eficiência da dose para criação de imagens de pacientes pediátricos Maximizar eficiência da dose para criação de imagens de pacientes pediátricos Introdução A criação de imagens radiográficas dos pacientes pediátricos apresenta vários desafios únicos comparativamente à

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

CR 30-X. Digitalizador. Alta qualidade de imagens. Digitalizador de mesa. Ampla gama de aplicações

CR 30-X. Digitalizador. Alta qualidade de imagens. Digitalizador de mesa. Ampla gama de aplicações Janeiro 2007 Digitalizador CR 30-X CR 30-X Digitalizador Alta qualidade de imagens Ampla gama de aplicações O CR 30-X é um digitalizador altamente versátil. Ele oferece uma solução ideal para qualquer

Leia mais

Figura 01: Aplicações do Filtro Espacial Passa-Baixa.

Figura 01: Aplicações do Filtro Espacial Passa-Baixa. 791 IMPLEMENTAÇÃO DE TÉCNICAS DE PRÉ-PROCESSAMENTO E PROCESSAMENTO DE IMAGENS PARA RADIOGRAFIAS CARPAIS Rafael Lima Alves 1 ; Michele Fúlvia Angelo 2 Bolsista PROBIC, Graduando em Engenharia de Computação,

Leia mais

Análise comparativa da maturação óssea determinada pelo método de Grave-Brown entre imagens convencionais e digitalizadas

Análise comparativa da maturação óssea determinada pelo método de Grave-Brown entre imagens convencionais e digitalizadas A r t i g o I n é d i t o Análise comparativa da maturação óssea determinada pelo método de Grave-Brown entre imagens convencionais e digitalizadas Marcia Spinelli Casanova*, Ana Isabel Ortega**, Francisco

Leia mais

VANTAGENS NO USO DAS IMAGENS DA CÂMARA ADS40

VANTAGENS NO USO DAS IMAGENS DA CÂMARA ADS40 VANTAGENS NO USO DAS IMAGENS DA CÂMARA ADS40 O constante desenvolvimento de sistemas aerotransportados para captação de imagens finalmente trouxe ao mercado os modernos sensores para captação de imagens

Leia mais

Fotografia digital. Aspectos técnicos

Fotografia digital. Aspectos técnicos Fotografia digital Aspectos técnicos Captura CCD (Charge Coupled Device) CMOS (Complementary Metal OxideSemiconductor) Conversão de luz em cargas elétricas Equilíbrio entre abertura do diafragma e velocidade

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Conjunto para microondas 9,4 GHz (230 V, 50/60 Hz) Conjunto para microondas 10,5 GHz (115 V, 50/60 Hz) 1009950 (115 V, 50/60 Hz) 1009951 (230 V, 50/60 Hz) Instruções de operação 10/15

Leia mais

Figura 1 : Foto embalagem c/filme para Radiografia Geral Modelo TMAT-G/RA

Figura 1 : Foto embalagem c/filme para Radiografia Geral Modelo TMAT-G/RA INSTRUÇÕES DE USO FILMES KODAK PARA RADIOGRAFIA GERAL TMAT-G/RA (TMG/ RA); MXG; INSIGHT IT; INSIGHT IP, INSIGHT VHC (ITC) Kodak da Amazônia Indústria e Comércio Ltda. Fabricante: Kodak da Amazônia Indústria

Leia mais

+O O ESTADO DA ARTE NA RADIOLOGIA NO SÉC. XXI

+O O ESTADO DA ARTE NA RADIOLOGIA NO SÉC. XXI + V JORNADAS DE RADIOLOGIA +O O ESTADO DA ARTE NA RADIOLOGIA NO SÉC. XXI 21-10-2011 Joana Santos + Introdução A evolução tecnológica na Radiologia tem sido exponencial; Faz parte do Perfil Profissional

Leia mais

O sistema Tube and Grid Alignment da CARESTREAM fornece melhor qualidade de imagem e técnicas consistentes para radiografia de diagnósticos portáteis

O sistema Tube and Grid Alignment da CARESTREAM fornece melhor qualidade de imagem e técnicas consistentes para radiografia de diagnósticos portáteis O sistema Tube and Grid Alignment da CARESTREAM fornece melhor qualidade de imagem e técnicas consistentes para radiografia de diagnósticos portáteis As grades anti-dispersão aprimoram qualidade da imagem

Leia mais

O software EVP Plus fornece o processamento mais recente de imagens para os sistemas CR e DR

O software EVP Plus fornece o processamento mais recente de imagens para os sistemas CR e DR O software EVP Plus fornece o processamento mais recente de imagens para os sistemas CR e DR Introdução Os técnicos de radiografia esperam um grau alto de automação e eficiência na tecnologia que eles

Leia mais

Radiologia Odontológica

Radiologia Odontológica 01 Unidade Radiologia Odontológica Princípios de interpretação 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Reitor Natalino Salgado Filho Vice-Reitor Antonio José Silva Oliveira Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Leia mais

Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com

Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Radiologia Digital Sensores Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Detectores Digitais de Raios-X Formação de Imagens por Raios - X Nosso Sensor de Imagens O Olho Humano Cones 7 milhões,

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL Representação da imagem Uma imagem é uma função de intensidade luminosa bidimensional f(x,y) que combina uma fonte de iluminação e a reflexão ou absorção de energia a partir

Leia mais

Odontologia e tecnologia

Odontologia e tecnologia Odontologia e tecnologia APSS d e n t a l Uma das dentais que mais crescem no Brasil. Odontologia e tecnologia 1. Tecnologia nos procedimentos 2. Tecnologia na gestão 3. Tecnologia no aprendizado 4. Conclusão

Leia mais

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Também conhecido por digitalizador Scanner é um periférico de entrada Leitura de textos e imagens

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 QUESTÃO 31 Ao realizar uma radiografia, um técnico de radiologia percebeu que sua máquina fotográfica convencional e os filmes fotográficos estavam no mesmo local que o aparelho

Leia mais

Instituto Latino Americano de Pesquisa e Ensino Odontológico Ricardo José Fernandes da Costa

Instituto Latino Americano de Pesquisa e Ensino Odontológico Ricardo José Fernandes da Costa Instituto Latino Americano de Pesquisa e Ensino Odontológico Ricardo José Fernandes da Costa Relevâncias da tomografia computadorizada cone beam na implantodontia. CURITIBA 2014 Ricardo José Fernandes

Leia mais

SCANNER. Introdução. Aplicações para o scanner. Ilustrações. Texto

SCANNER. Introdução. Aplicações para o scanner. Ilustrações. Texto SCANNER Introdução O scanner traduz as informações que vê na página para um formato que o computador pode usar. O scanner é como uma fotocopiadora, exceto que cria um arquivo de computador em vez de uma

Leia mais

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Em um dente íntegro, suas imagens são facilmente identificáveis, pois já conhecemos a escala de radiopacidade. Estudamos as imagens das estruturas anatômicas, suas

Leia mais

HISTÓRICO. Röntgen (1895): descoberta dos raios X. Otto Walkhoff: radiografia dental. Kells (1899): Endodontia

HISTÓRICO. Röntgen (1895): descoberta dos raios X. Otto Walkhoff: radiografia dental. Kells (1899): Endodontia HISTÓRICO Röntgen (1895): descoberta dos raios X Otto Walkhoff: radiografia dental Kells (1899): Endodontia Dentro das especialidades da Odontologia, a Endodontia é aquela que mais se utiliza da radiologia,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA

MEMORIAL DESCRITIVO DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA MEMORIAL DESCRITIVO DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA Memorial Descritivo de Proteção Radiológica 1 Estabelecimento Consultório Odontológico do Dr.(a). XXX (nome do dentista), CRORJ nº XXX, inscrito no CPF sob nº.

Leia mais

ANO INTERNACIONAL DA LUZ - 2015

ANO INTERNACIONAL DA LUZ - 2015 ANO INTERNACIONAL DA LUZ - 2015 FOTÔNICA: A NOVA REVOLUÇÃO DO SÉCULO 21 APRESENTAÇÃO No princípio era o vidro, com o qual foi, e continua sendo, possível fazer tantas coisas, entre elas uma tecnologia

Leia mais

Glossário de Fotopublicidade

Glossário de Fotopublicidade Glossário de Fotopublicidade Câmera analógica: câmera que captura as imagens em filme/película. Câmera digital: câmera que salva imagens como arquivos digitais em algum tipo de disco de memória em vez

Leia mais

Planejamento radiográfico e tomográfico para instalação de implantes dentários

Planejamento radiográfico e tomográfico para instalação de implantes dentários Artigo de revisão de literatura Planejamento radiográfico e tomográfico para instalação de implantes dentários Cauê Monteiro dos Santos 1 1 Bacharel em Odontologia pela Faculdade de Macapá - FAMA. Faculdade

Leia mais

Palavras-chave: Microtomografia; Imagem; Morfometria; Ossos.

Palavras-chave: Microtomografia; Imagem; Morfometria; Ossos. MORFOLOGIA DA ESTRUTURA INTERNA DE OSSOS: MICROTOMOGRAFIA POR RAIOS X G. Carvalho J.R.C. Pessôa F. V. Vidal J.T. Assis Resumo A Microtomografia Computadorizada (CT) é uma técnica de ensaio não destrutivo,

Leia mais

Avaliação clínica e radiográfica do nível ósseo-alveolar em crânios humanos

Avaliação clínica e radiográfica do nível ósseo-alveolar em crânios humanos Avaliação clínica e radiográfica do nível ósseo-alveolar em crânios humanos Clínical and radiographic evaluation of alveolar bone levei in human skulls José Roberto Cottelli' Oaniela Martins de Souze/

Leia mais