Este suplemento faz parte da edição do jornal Correio do Minho de 5 de Maio de 2015 e não pode ser vendido separadamente

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Este suplemento faz parte da edição do jornal Correio do Minho de 5 de Maio de 2015 e não pode ser vendido separadamente"

Transcrição

1 Este suplemento faz parte da edição do jornal Correio do Minho de 5 de Maio de 2015 e não pode ser vendido separadamente

2 2 Agere, cunho de Braga AAgere Empresa de Águas, Efluentes e Resíduos, EM é a entidade gestora dos sistemas públicos de distribuição de água e drenagem e tratamento de águas residuais, bem como de recolha de resíduos indiferenciados e higiene urbana, no município de Braga. Gere também o canil e gatil municipal, sendo responsável pela captura, recolha e restituição para adoção de animais. Complementa a sua atividade com a gestão do sistema de monitorização de ar e ruído do Concelho. É uma empresa municipal detida em 51% pela Câmara Municipal de Braga e em 49% pela Geswater, SGPS, que conta com a colaboração de 540 trabalhadores, focados na prestação de um serviço de qualidade aos munícipes, bem como a todos aqueles que investem, trabalham, ou simplesmente visitam o Município. Operando os sistemas de abastecimento de água e saneamento de águas residuais num modelo verticalizado, garante a gestão eficiente de todo o ciclo urbano da água, desde a sua captação no rio Cávado até à devolução das águas residuais devidamente tratadas ao meio hídrico. Entre estes dois momentos, garante aos seus clientes a disponibilidade de água com qualidade distinguida pela Entidade Reguladora de Águas e Resíduos, em quantidade e com pressão adequadas. Garante ainda condições de salubridade no Concelho, através de operações de drenagem e tratamento das águas residuais geradas no Município que visam devolver as linhas de água à população. Com infraestruturas implantadas que permitem assegurar o abastecimento de água e o tratamento de águas residuais a 99% da população de Braga, a empresa foca-se agora na segurança e sustentabilidade dos sistemas públicos, bem como na otimização do seu funcionamento. Na gestão de resíduos, complementa as atividades de recolha de indiferenciados e de higiene urbana com uma posição maioritária no capital social da Braval, empresa responsável pela recolha seletiva, valorização e tratamento de resíduos do Baixo Cávado. Disponibiliza o serviço de recolha de resíduos indiferenciados a 100% da população do Concelho através de uma frota de 18 viaturas e de uma equipa empenhada em manter o município limpo. Empresa 28,06M Volume de Negócios Clientes 542 Colaboradores Abastecimento de Água m3 Água Faturada 99% Cobertura Águas Residuais m3 Água Residual Tratada 99% Cobertura Recolha de Resíduos Certificada pelas normas internacionais de Qualidade (ISO 9001), Ambiente (ISO 14001) e Segurança (OHSAS 18001), a Agere procura destacarse no Setor das Águas e Resíduos como uma empresa de referência, com uma cultura de inovação e que assegura a excelência dos seus serviços ton Resíduos Recolhidos Indiferenciadamente 100% Cobertura

3 3 agere Qualidade à distância de uma torneira! Sabia que... A ligação à rede pública de abastecimento de água, sempre que esta se encontre disponível, constitui uma obrigação dos cidadãos consagrada em legislação Nacional! Eficiência na utilização de recursos escassos Do Cávado à torneira Os munícipes, como parceiros ambientais AAgere assegura a disponibilidade de água de excelente qualidade em todas as torneiras do município de Braga ligadas ao sistema público de abastecimento, gerindo integralmente os processos de captação, tratamento, armazenagem e distribuição de água. Após captação, um processo de tratamento que contempla etapas de tamisação, pré-oxidação, coagulação/ floculação, filtração, remineralização e desinfeção final, assegura a produção de água pronta a ser consumida, cuja qualidade é monitorizada em laboratório, através de mais de análises realizadas anualmente. Vinte e quatro reservatórios distribuídos pelo município permitem à Agere garantir uma reserva de água de 2,1dias, que viabiliza a gestão eficiente de recursos energéticos e a manutenção dos níveis de serviço a que habituou os seus clientes, designadamente no que respeita à sua ininterruptibilidade. A distribuição domiciliária, realizada através de 1.160km de condutas enterradas e cujo diâmetro máximo atinge os 1,2m, é disponibilizada atualmente a 99% da população do Município. Equipas da Agere asseguram que todas estas avarias são rapidamente reparadas, com um mínimo de impacto no nível de serviço e com um mínimo de desperdício de água. O esforço realizado permitiu à Agere, entre 2013 e 2014, reduzir em 25% a água não faturada no Município, que resultou num decréscimo de 9% da água captada no rio Cávado e na consequente redução da pressão exercida neste curso de água. Permite ainda que se estabeleça como objetivo de 2015 o valor de 18,5% para este indicador de desempenho, sendo que entre Abril de 2014 e Março de 2015 este é já de 20,5%, traduzindo o resultado das práticas implementadas. Com um código de boas práticas, transversal à organização, a empresa cumpre procedimentos de higienização periódica de reservatórios, bem como de desinfeção de novas condutas e de peças utilizadas na reparação de infraestruturas, que minimizam riscos de contaminação nos sistemas de armazenagem e distribuição. Coroando o foco na disponibilização de um serviço de abastecimento de qualidade, foi distinguida em 2014 e pelo segundo ano consecutivo com o Selo de Qualidade Exemplar da Água para Consumo Humano, atribuído pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos e que reflete os resultados obtidos no Plano de Controlo de Qualidade de Água, de mais de análises realizadas a amostras recolhidas, ao longo do ano, em torneiras de clientes dispersos pelo Município. Neste campo, as principais preocupações da empresa centram-se no aumento da taxa de adesão à rede pública de distribuição, de 84%, bem como de promoção do consumo de água do sistema público. Por um lado, porque o dimensionamento das infraestruturas recomenda níveis de atendimento mais elevados, para garantia de circulação da água e da manutenção de níveis recomendados de desinfetante. Por outro, porque o consumo de água da rede pública com qualidade reconhecida pela Entidade Reguladora, em detrimento de água de captações particulares não controladas, é reconhecidamente um promotor da saúde pública. No sentido de garantir, em quaisquer circunstâncias, os pressupostos de abastecimento atrás enumerados, a Agere tem em fase implementação um plano de segurança da água, que sistematizará práticas de análise e redução do risco de operação do sistema gerido. Este plano, que contemplará todas as etapas entre a origem e a torneira dos consumidores, auxiliará a preparação da empresa para eventuais situações de emergência. A interligação de sistemas de abastecimento de água com diferentes origens, como por exemplo pública e de uma captação particular, é proibida em Regulamento? Interligações podem originar a contaminação da água de redes prediais ou mesmo da rede pública. O consumo de água não medida viola o princípio do consumidor-pagador! A Agere tem em curso campanhas de inspeção vídeo de ramais domiciliários para deteção de ligações fraudulentas Infraestrutura 1 Estação de Tratamento de Água 1.160km de condutas Ramais domiciliários Operação m3 de água captada 2,1 dias de reserva 20,5% de Água não Faturada 53,19 km de rede remodelada nos úlrmos 5 anos Qualidade Água Análises de Processo 557 Amostras na torneira do Consumidor Análises PCQA 99,94% Água Segura Publicidade

4 4 O seu a seu dono! Sabia que... Os munícipes, como parceiros ambientais Os lançamentos indevidos na rede de águas residuais, tais como cotonetes, cabelo, embalagens, restos de comida, toalhitas, entre outros, causam obstruções e graves prejuízos nos equipamentos das estações de elevação e tratamento, podendo ainda causar danos em pessoas e bens. Os problemas de obstruções, inundações e retorno de águas residuais agravam-se em épocas de chuva pela ligação indevida das águas pluviais às redes de águas residuais. As infraestruturas de águas residuais não estão dimensionadas para receber este caudal extraordinário! Estas ações, apesar de individuais, causam danos coletivos nomeadamente nas zonas públicas, no meio ambiente e consequentemente na saúde pública. Gerindo todos os processos de recolha, drenagem, elevação e tratamento das águas residuais geradas no município de Braga, a Agere assegura a devolução ao meio hídrico de efluentes tratados, em conformidade com a legislação ambiental Comunitária. Operando uma rede de coletores com 920km, setorizada em 15 sistemas, garante o eficiente funcionamento de 36 estações elevatórias e de 16 estações de tratamento de águas residuais (ETAR) dispersas pelo Concelho, que descarregam os efluentes nas bacias do rio Cávado e do rio Este e reutilizam já 1% desse mesmo efluente. O serviço é disponibilizado a 99% dos munícipes e ao tecido empresarial implantado no Concelho e assegura a devolução ao meio hídrico de cerca de m3 de efluentes devidamente tratados, em cada dia. Este volume, superior ao da água para consumo faturada pela empresa, incorpora os efluentes industriais (previamente tratados) gerados no município, bem como infiltrações de águas parasitas (p.ex. pluviais). A promoção da adequada utilização da rede de saneamento constitui uma das preocupações da empresa nesta área de atividade. Apesar da identificação em Regulamento dos lançamentos interditos, designadamente de águas não poluídas e de substâncias que possam obstruir ou danificar as canalizações e seus acessórios, verificam-se ainda regularmente descargas que afetam o normal funcionamento da rede de drenagem de águas residuais, com prejuízo para a comunidade e para o meio ambiente, tais como transbordos, inundações, acidentes de viação e problemas ao nível do tratamento. Assim sendo, seguindo os princípios de qualidade de serviço e eficiência que guiam a empresa, bem como para proteção dos valores de saúde pública e ambientais colocados em causa pelos problemas atrás referidos, a Agere tem em curso um plano de redução de obstruções e de afluências indevidas. No primeiro caso, através da limpeza preventiva de coletores e de práticas de inspeção vídeo, identifica e elimina anomalias estruturais nas redes de drenagem, que possam agravar os efeitos da má utilização do sistema. Já no que respeita às afluências indevidas, a sistematização de inspeções com recurso, entre outros, a equipamentos de emissão de fumo, tem permitido identificar ligações indevidas entre os sistemas de drenagem de águas pluviais e de águas residuais, designadamente em redes particulares. No sentido da criação de condições de equidade ao tecido empresarial implementado no município e de salvaguardar a integridade das infraestruturas por si geridas e o próprio meio ambiente, aprovou recentemente o Regulamento de Descarga de Águas Residuais Industriais. Este documento, de vital importância para o Município, define as regras a cumprir na descarga de efluentes não domésticos na rede pública de drenagem, que permitirão à Agere regularizar todos os lançamentos deste tipo. Publicidade Mário Gonçalves, Lda ÁGUAS E SANEAMENTO TUBOS - VÁLVULAS - ACESSÓRIOS - SISTEMAS DE BOMBAGEM RUA MONTE DA ESTAÇÃO, 175, PORTO Telf Fax

5 5

6 6 TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS O tratamento das águas residuais efetuado em qualquer uma das 16 ETAR operadas é de nível secundário ou terciário e do tipo biológico, por lamas ativadas, variando a configuração dos órgãos e organização dos processos de acordo com a dimensão da população servida e o nível de tratamento exigido pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA). Salvas as devidas especificidades, estes processos contemplam um conjunto de etapas comuns, descritas no diagrama abaixo. Infraestrutura 99% Cobertura 16 Estações de Tratamento de Águas Residuais 36 Estações Elevatórias 920km de coletores Operação m3 de águas residuais tratadas 46% de Águas Residuais não Faturadas 680 km de rede inspecionada Tratamento preliminar e primário Gradagem: Remoção de sólidos suspensos de maior dimensão Desarenamento/desengorduramento: Remoção de areias e gorduras por sedimentação e flotação, respervamente Decantação primária: Separação gravírca de sólidos em suspensão de reduzida dimensão Encaminhamento para aterro dos resíduos separados Tratamento biológico Tanques de arejamento: Remoção de poluentes (matéria orgânica) dissolvidos na água residual, com recurso a fauna microbiológica complexa e num processo biológico aeróbio Decantação secundária: Processo gravírco urlizado para separação da fase líquida, devolvida ao meio ambiente ou conduzida à etapa de desinfeção, da fase sólida (lamas), desidratada antes do encaminhamento para valorização Desinfeção Eliminação de microrganismos presentes na água residual com recurso a lâmpadas de radiação Ultra- Violeta Instalada em 3 ETAR de maior dimensão, onde a licença de urlização de recursos hídricos o exige, permite ainda a reurlização da água residual tratada para efeitos de rega e processo Qualidade dos Efluentes 732 Análises de Avaliação de Conformidade 99,32% Conformidade dos Parâmetros de Descarga A exploração destas instalações contempla a gestão do processo, a operação, a manutenção e o controlo de qualidade, sendo o seu desempenho regulado por licenças de utilização de recursos hídricos, que estabelecem as condições específicas de descarga no meio ambiente. Para a monitorização do desempenho das etapas de tratamento e verificação da conformidade das descargas, a Agere dispõe de um laboratório de controlo de analítico de águas residuais. Instalado em 1996 na ETAR de Frossos, este laboratório está habilitado para a execução de cerca de oito parâmetros analíticos, processando anualmente mais de análises, realizadas a partir de mais de amostras. Publicidade

7 7

8 8 Braga, Cidade Limpa - um município sem lixo Sabia que... A deposição de resíduos fora dos horários definidos pela Agere é proibida e passível de contraordenação. Com uma frota de 18 viaturas, a Agere promove a recolha de resíduos sólidos urbanos indiferenciados e a higiene urbana no Município de Braga, assegurando a proteção da saúde pública e a prevenção de incêndios. A recolha de resíduos sólidos urbanos indiferenciados processa-se seis dias por semana, de segunda-feira a sábado, com recurso a 11 circuitos noturnos e 6 circuitos diurnos, sendo este serviço complementado com uma viatura dedicada exclusivamente à recolha de contentores enterrados. O sistema de recolha predominante no Concelho é porta a porta, sendo adotados, em alternativa e em zonas específicas, sistemas de recolha por contentores de 800 litros ou contentores enterrados de grande capacidade. No sentido da melhoria contínua do serviço prestado aos cidadãos, será em 2015 realizado um projeto-piloto para alteração da metodologia e periodicidade de recolha, privilegiando este último método. Para assegurar o cumprimento das regras definidas para a deposição de lixo, a empresa coordena uma equipa de fiscalização, que diariamente percorre o Concelho para garantir a sua limpeza e higiene. Apesar deste esforço, complementado com campanhas de divulgação e sensibilização para o cumprimento dos horários definidos para deposição de resíduos, as notificações de incumprimento registam uma tendência de crescimento, com prejuízo para a comunidade. A Agere conta ainda com o apoio de 134 colaboradores no serviço de varredura, bem como de dois veículos especiais dedicados a este serviço, procurando garantir a imagem cuidada pretendida para o Município. Nesta área de atividade, a colaboração dos munícipes revela-se como essencial, disponibilizando a empresa um conjunto de papeleiras dispersas no Concelho que pretendem facilitar-lhes essa tarefa. Realiza ainda campanhas de sensibilização da população, para obter o seu apoio na conservação de uma cidade cada vez mais limpa. A Agere está também neste setor de atividade focada na qualidade e na eficiência do serviço disponibilizado. Através de ferramentas de gestão de frota, otimiza os seus percursos de recolha para rentabilização do seu parque de viaturas e monitoriza a atividade dos seus motoristas, promovendo a condução defensiva para redução de consumos de combustível e segurança dos seus colaboradores. Em média, cada português produz por ano 470kg de resíduos, 30% do qual biodegradável. Anualmente as caixas do correio recebem cerca de 60 quilos de panfletos. Ao colocar um autocolante Publiciade Aqui Não pode reduzir em 3,92 quilos o volume do seu lixo. Promover a reutilização de mobiliário, equipamentos elétricos e eletrónicos, brinquedos e outros resíduos volumosos pode prevenir a produção de resíduos em 10,18 quilos por pessoa. Infraestrutura 100% Cobertura 18 Viaturas de Recolha 566 Contentores Operação ton de Resíduos Recolhidos Indiferenciadamente km percorridos pela Frota de Recolha Fiscalização 667 Autos/ Contra ordenações 322 Norficações/ Avisos 53 Citações Pessoais Publicidade

9 9 BRAGA. MAIO.2015

10 10 O foco nos nossos clientes! Aatenção da Agere está, naturalmente, focada nos seus clientes. A prestação de serviços de qualidade integra as linhas estratégicas da empresa, que promove em todas as suas atividades e transversalmente à organização princípios de melhoria contínua que visam a sua satisfação. O início desta intervenção verifica-se na análise de projetos de obras particulares e loteamentos, onde os técnicos da empresa validam, sempre que solicitado, o cumprimento de regulamentos e de soluções que minimizem possíveis problemas de abastecimento de água ou de drenagem de águas residuais nas habitações. Com serviços de fiscalização de ligações à rede pública, a empresa apoia construtores e munícipes na adoção de soluções construtivas que minimizem riscos de contaminação (p.ex. por interligação de sistemas de abastecimento de água com origens distintas), de inundação ou poluição (p.ex. por interligação de sistemas de drenagem de águas residuais e pluviais). Para apoio à sua atividade e interação com os munícipes, disponibiliza um Contact Center, de segunda a sexta-feira, entre as 09h e as 19h, para apoio comercial e comunicação de avarias, salvaguardando o atendimento a este último tipo de situações 24h/dia, 365dias/semana. Aqui, os clientes da Agere podem solicitar a intervenção da empresa, a contratualização e alteração dos serviços, nomeadamente a celebração e denúncia de contratos, e esclarecer dúvidas relativas aos serviços prestados, certos do devido tratamento das questões colocadas. A Agere disponibiliza, ainda, gratuitamente aos seus clientes uma linha de comunicação de leituras. Para atendimento ao público, dispõe ainda de um balcão na Sede da empresa, disponível de segunda a sexta-feira, entre as 8h30 e as 16h30, bem como de um posto na Loja do Cidadão, disponível de segunda a sextafeira, entre as 8h30 e as 19h30 e ao sábado entre as 9h30 e as 15h00. Implementou ainda meios complementares de interação com os seus clientes, designadamente o Balcão Digital, onde pode ser feita a adesão à fatura eletrónica, consultadas faturas, verificados históricos de faturação, fornecidas leituras de contadores ou alterados dados pessoais. No site da empresa (http://www.agere.pt/), recentemente remodelado, disponibiliza um conjunto de serviços tais como a celebração e denúncia de contratos de água, comunicação de leituras e agendamento de recolha de objetos volumosos. Faculta ainda informações relevantes acerca do funcionamento da empresa e úteis para os seus clientes, como os boletins de qualidade de água, Regulamento de Serviços, tarifários ou avisos de intervenção na via pública. Por fim, com uma página de Facebook, a Agere criou um importante meio de comunicação com os seus clientes, onde divulga campanhas de sensibilização e fornece informações consideradas úteis. Implementou também um sistema de telemetria domiciliária, já estendida a 59% do parque de contadores da empresa, que minimiza a necessidade de leitura presencial, reduz estimativas de consumo e apoia a deteção de problemas nos equipamentos prediais, traduzindo-se numa relação cada vez mais transparente com os clientes. Procura em toda a sua atividade garantir condições de equidade aos utilizadores dos sistemas públicos de abastecimento de água, drenagem de águas residuais e recolha de resíduos, fazendo cumprir o princípio do utilizador ou poluidor/ pagador e mantendo uma acessibilidade económica ao serviço (traduzida pela relação entre o custo dos seus serviços e o rendimento médio do Município) como uma das mais baixas do País. Num cenário de crise económica e não esquecendo os munícipes mais vulneráveis, a AGERE disponibiliza tarifas compatíveis com a sua capacidade económica, através da aplicação da tarifa social e de famílias numerosas. A tarifa social aplica-se aos utilizadores domésticos titulares de contrato de requisição de água cuja média do rendimento bruto anual per capita do seu agregado familiar seja igual ou inferior ao valor anual da pensão mínima de velhice e invalidez ( 262,00). A aplicação desta tarifa traduzse na aplicação de uma redução nas tarifas de disponibilidade, de águas e de águas residuais, na tarifa de drenagem de águas residuais e de resíduos, bem como na aplicação de escalão único na faturação do consumo de água. A percentagem de desconto sobre a fatura total, para um consumo de 10 m3 por mês, atinge cerca de 27%. É de salientar a implementação de uma tarifa reduzida às IPSS, a qual se traduz na redução de todas as tarifas imputadas na fatura, a qual atinge cerca de 41%, para um consumo de 25 m3 por mês, de desconto sobre a fatura total. A AGERE disponibiliza o tarifário de famílias numerosas, através do qual as tarifas são reduzidas tendo em conta a composição do agregado familiar, pelo ajustamento dos escalões de consumo. Refere-se que, para um consumo de 18 m3 por mês, a percentagem de desconto sobre o consumo atinge cerca de 39%. Com a implementação do Cartão de Fa-mília Numerosa, verificou-se um acréscimo de 98% no número de clientes com este tarifário.

11 11 "A Agere tem um papel fundamental na vida dos bracarenses" Rui Morais e Ricardo Rio durante a visita às obras que estão a realizar no Monte Picoto DR A importância da Agere levou Ricardo Rio a assumir a pasta de presidente do conselho da administração da empresa. O autarca de Braga sente que a instituição é um pilar da sociedade bracarense e na construção da cidade inteligente. Nesta entrevista aborda os investimentos que estão a ser realizados, a situação do canil/gatil, a problemática das cheias, bem como a forma rigorosa através da qual se chegou a uma poupança de cerca de 2,2 milhões de euros em apenas um ano. serviço de varredura que está inerente à própria Agere, até à questão do canil, que é um equipamento bastante importante para a qualidade de vida da cidade, e que são responsabilidades que a Agere tem executado de uma forma muito qualitativa... isso acaba por reflectir-se com grande qualidade de serviço e no benefício conjunto da cidade e da imagem que projectamos para aqueles que aqui vivem e que nos visitam. O que representa a Agere no dia-a-dia dos bracarenses? Diria que, até pela sua abrangência, é uma ilha a nível nacional, uma vez que é uma das poucas empresas, se não a única, que tem todos os serviços conectados, desde a captação de água à sua distribuição, aos serviços de lixo e saneamento. É uma empresa que lida diariamente com a vida dos bracarenses nos mais diversos contextos, quer ao nível doméstico, quer ao nível profissional no contacto com as várias empresas, e isso, obviamente, releva a importância da Agere no contacto com o concelho. A Agere tem um papel fundamental na vida dos bracarenses. Este tipo de serviços são bens essenciais para a qualidade de vida das pessoas e isso, impõe à Agere uma responsabilidade muito grande, quer do ponto de vista da qualidade dos serviços que presta e da acessibilidade que dá, quer do ponto de vista económica. É uma ação que está muito vincada junto da comunidade. Um facto que exige um nível de eficiência elevado? É fundamental. Se olharmos já numa base mais despersonalizada da vida da cidade no seu todo, desde gerir questões que digam respeito à segurança no abastecimento, evitando dessa maneira rupturas de condutas, ou prejuízos para a segurança pública que possam daí resultar, até à recolha de lixo, até à limpeza das ruas, porque obviamente temos um A empresa orgulha-se de cobrir praticamente a totalidade do território, ao nível da água e saneamento. Apesar disso mantém investimentos, como os que estão a acontecer no Picoto ou na zona do Vale d' Este, mas não tem tido aqui a taxa de adesão que esperava? São duas questões distintas. Há aqui uma componente de investimento que ainda se mantém muito premente, primeiro porque defendi muito isso enquanto vereador da oposição e mantendo essa posição.

12 12 agere 13 O serviço da Agere tem que chegar a todos os bracarenses e, por mais que haja situações obviamente difíceis e que obriguem a um investimento acrescido, temos que, na medida do possível conseguir concretizar esses investimentos para que o serviço chegue aos tais 1, 2 ou 3% para que haja cobertura total. Isso é algo de que nunca abdicaremos. Por outro lado, há também um plano de investimentos muito grande do ponto de vista da otimização da rede, com reforço de alguns reservatórios, como é o caso do Monte Picoto, e é preparar o futuro com maior eficiência na gestão do ponto de vista energético na distribuição da água. Além disso, vão ser efetuados alguns melhoramentos na própria ETA. Do lado das ETAR's, sabemos que o investimento realizado em Frossos, desde a sua origem, não foi bem concretizado, acarretou vários problemas de natureza ambiental e com graves prejuízos para a população da zona circundante e estamos a rectificar esse espaço como a mitigar esses impactos, nomeadamente no rio Cávado, mas, por outro lado, criar sistemas alternativos e diminuir os riscos, criando uma nova ETAR no Vale d'este. Estes são investimentos estruturantes que temos planeados para o novo quadro comunitário. A Agere vai, seguramente, concretizá-los ao longo dos próximos anos. É óbvio que quando fazemos estes investimentos queremos que sejam bem recebidos pelas pessoas, ou seja, tem que deles saber tirar partido. E quando somos confrontados com uma taxa de adesão relativamente não elevada, isso deixa-nos apreensivos e tem-nos levado a realizar várias campanhas para demonstra-lo. Há alguma razão que leve a que esta adesão esteja longe do esperado? Não há propriamente uma única razão objetiva, tem muito a ver com fatores culturais, com a tipologia da cidade de Braga onde existem muitas fontes alternativas e as pessoas vão utilizando também os seus poços e com algumas situações ilícitas. Acima de tudo, é uma questão cultural, as pessoas terão algum receio, nomeadamente, no que diz respeito aos custos e temos que demonstrar que estamos a lidar com situações de razoabilidade económica que estão acessíveis a todas as pessoas, até porque existem diferenciados. Acontece em zonas mais rurais ou na proximidade da cidade? É predominante nas zonas mais rurais. Falou dessa campanha que se lançou recentemente e que tem como público- -alvo as crianças e as escolas. Esse é um trabalho a médio e longo prazo. Temos números pensados para atingir de forma a que a empresa conquiste esse mercado que falta? Estamos a trabalhar com objetivos estratégicos de médio prazo. Naturalmente, no curto prazo já se registaram progressos muito assinaláveis, quer do ponto de vista da eficiência, quer com a adesão ao serviço. Mas não vamos pensar que é de um momento para o outro que vamos recuperar a diferença que ainda existe, mas paulatinamente, acreditamos que vamos conseguir atingir para os nossos objetivos. Como é vista essa campanha da vossa parte? Tem havido uma grande recetividade, mas esta campanha é de sensibilização junto da população mais jovem, e isso é muito importante para a câmara municipal, porque entendemos as comunidades escolares como parceiros preferenciais para desenvolver atividades. Todas as iniciativas são importante para incutir estes valores cruciais juntos dos mais novos e esta campanha tem um papel muito importante. O serviço da Agere tem que chegar a todos os bracarenses. Esta é a vontade de Ricardo Rio e a justificação plena para que se continue a investir. A Agere também desempenha esse papel. A empresa tem várias ramificações e serviços. Já falamos da comunidade escolar, ambiente e turismo na zona do Cávado. Tem também esse lado de ser uma mola para outros setores importantes para o executivo? Claro que sim. Vejamos o que se tem feito pela Agere no que diz respeito à monitorização do Rio Este, das várias descargas poluentes que ali infelizmente acontecem por falta de civismo das pessoas ou por falta de estruturas próprias rede de drenagem das águas e saneamento. Mas acho que, no geral, a Agere tem um papel muito abrangente no que diz respeito aos fatores de desenvolvimento da cidade. Também por isso é um ativo estratégico para a câmara municipal e deve ser acompanhada, do ponto de vista de gestão, com grande proximidade por parte da câmara municipal, algo que não aconteceu no passado. Nesse sentido fiz questão de ser pessoalmente o presidente do conselho de administração da Agere e de acompanhar efectivamente a realidade da empresa. Também o administrador designado pela câmara [Rui Morais], que tem funções executivas, tem feito um trabalho notável. DR Ricardo Rio, em Nogueira, no momento do lançamento da campanha de sensibilização No que diz respeito à monitorização, tem havido um acompanhamento muito mais próximo da realidade, mas têm-se registado anomalias, houve reforço disso ou aconteceu por força das circunstâncias? Esse é um trabalho que estamos a fazer de forma paulatina, porque é um trabalho que não se consegue fazer de um momento para o outro. Devia ter sido feito de raiz mas não foi, tem a ver com toda a cartografia e levantamento da realidade no conjunto do município. Quando discutimos um tema que me é muito caro, o da cidade inteligente, temos que conhecer bem a realidade. E, infelizmente, em Braga, por força das inúmeras construções, da falta de documentação existente nem sempre foi possível fazer essa monitorização e introduzir esses dados no sistema informático. Mas estamos a fazer esse levantamento. A questão da drenagem de águas residuais é um dos problemas graves com que a cidade se confronta, que temos vindo a resolver paulatinamente, e que resultou de uma decisão que foi errada, que foi de retirar a gestão das águas pluviais da esfera da Agere e transferi-la para a Câmara, sem que esta tivesse meios para fazer face a essa mesma responsabilidade. Daí que já anunciamos um plano para devolver à Agere essa responsabilidade num futuro próximo, dando mais coerência às intervenções que sejam aí feitas. Além disso, à medida que vamos conhecendo melhor a realidade, quando tivermos o inventário feito e as informações tratadas no sistema vamos ter capacidade de atuar sobre essas situações. Tem havido uma grande receptividade, mas esta campanha é de sensibilização junto da população mais jovem e isso é muito importante. Com alguma frequência, ao ponto de 'envergonhar' a cidade, acontecem cheias na zona dos túneis. O executivo tem tentado acabar com esse tipo de situações, tem sido complicado eliminá-las? É complicado. Temos feito algumas intervenções no conjunto do concelho, porque os problemas de drenagem de águas pluviais afetavam vários bairros e urbanizações em vários pontos do concelho, nomeadamente em Adaúfe, Dume, Palmeira, Merelim, Fraião e Nogueira. Nos últimos meses, nas reuniões de câmara, temos estado a aprovar obras de montantes consideráveis para corrigir situações ligadas à drenagem de águas pluviais, que obviamente prejudicam e muito as pessoas. Ali sempre que chovia mais um pouco, tínhamos uma série de residências que ficavam inundadas e isso está a ser corrigido. Depois temos um segundo eixo que são os próprios cursos de água, com destaque para o Rio Este, até com consequências muito nefastas para algumas indústrias. Com as intervenções que foram feitas no âmbito da regeneração do rio Este, a intervenção realizada junto ao INL e que vai ser feita até ao Hotel Mélia, em parceria com a APA, vamos paulatinamente resolvendo esses problemas. O caso dos túneis no centro da cidade é bastante mais complexo, por dois motivos: aqui levantam-se questões relativas à própria capacidade de drenagem das águas, mas, mais importante que isso, há a política urbanística que foi seguida no passado. Foi uma política que impermeabilizou excessivamente os solos, que fez com que as águas fossem naturalmente encaminhadas para as zonas dos túneis e isso leva a que quando há um volume de pluviosidade significativo e muito intenso num curto espaço de tempo a capacidade de drenagem desses túneis seja inexistente. O que temos que fazer nessa matéria, para além das correções tem a ver com a Proteção Civil, ou seja, ter capacidade de resposta e sinalização que limite imediatamente a possibilidade de acesso e permita, até, e aqui voltamos à Cidade Inteligente, antecipadamente prever que isso possa acontecer de acordo com alguns parâmetros e, caso esteja a acontecer, vedamos imediatamente o acesso aos túneis. Outra das ferramentas da Agere é o canil/ganil, que está em reformulação. Também foi uma promessa eleitoral, aquando uma visita que lá fez. Quando finalizarem as obras, que mudanças podem os bracarenses esperar para este serviço? Sobre esta matéria há desde logo que desmistificar algumas ideias. A primeira é de que o canil/gatil público não é propriamente um espaço de alojamento ou hotel para os animais. Não é um espaço que possa acomodar indefinitivamente animais que acabam por ser recolhidos ou entregues pelos próprios donos e, portanto, nunca vamos conseguir erradicar definitivamente aquilo que custa a todos nós, que é abater um animal. O que podemos fazer, e é nesse sentido que estamos a trabalhar, é garantir duas coisas: a primeira que os animais sempre que vão para o canil/gatil sejam tratados com dignidade e sejam dadas as condições de conforto e segurança. Em segundo lugar, temos que evitar que animais vadios se possam reproduzir, e é nesse contexto que as práticas há muito reivindicadas como o controlo de reprodução destes animais vão ser adoptadas. Vamos também começar, em princípio ainda este ano, a esterilização dos animais. Por outro lado, é estimulando práticas e campanhas de sensibilização para a adoção de animais e aí as associações que trabalham connosco, nomeadamente a ABRA e outras, têm papel crucial, pois têm desempenhado um trabalho notável nessa matéria. Tem sido esse o objetivo do seu discurso, pretendendo o envolvimento da comunidade? As associações, neste caso em concreto, são aliados inconformáveis deste trabalho que a câmara tem tentado fazer, bem como a Agere. Nem sempre estamos de acordo, gostaríamos nós muitas vezes de fazer mais do que fazemos, mas a verdade é que temos procurado manter uma relação profícua de colaboração para que as associações e voluntários possam desenvolver o seu trabalho e possam colaborar com a Agere no cumprimentou dos nossos objetivos e com isso prestar um melhor serviço à população.

13 14 O nosso objectivo é dotar todo o concelho e não só o centro da cidade de recursos para garantir a limpeza da via pública. Eduardo Barbot, Ricardo Rio, Jorge Silva e Rui Morais Outras das ferramentas que a Agere possui e poucas pessoas conhecem é o laboratório de ruído. Vai ao encontro da cidade inteligente, que papel tem desempenhado ou poderá desempenhar no futuro esse laboratório? Acho que está francamente desaproveitado. No que diz respeito à monitorização do ruído, Braga tem registado muitos problemas e tenho sido recorrentemente confrontado com queixas relativas ao funcionamento de bares e de restaurantes. Depois acaba por se perder um pouco no vazio, porque não havia capacidade do município para fazer um controle mais próximo e até a própria Polícia Municipal não trabalha à noite, salvo raras exceções, a PSP também não tem os meios para o fazer e estas situações acabam por passar um pouco impunes. Estas ferramentas que a Agere dispõe, podem ser colocadas ao serviço de uma política de controlo de ruído em benefício dos cidadãos e pelo respeito da lei. Não podemos colocar em causa o funcionamento dos estabelecimentos e até dos bares, bem pelo contrário, até porque têm um papel importante na animação da cidade. Mas queremos que desenvolvam a sua atividade enquadrados pela baixa legal que acompanha a sua atividade. Esse laboratório de ruído vai dar ferramentas concretas para punir os infratores e defender os respeitadores da lei. "Retirar a gestão das águas pluviais da esfera da Agere foi um erro" Outra das medidas que apresentou foi as tarifas especiais para as famílias numerosas e para as IPSS. Que avaliação podemos fazer neste momento? Relativamente às associações, uma vez que é mais fácil já que é automático, conseguimos tipificar quais as que estavam abrangidas e efetuar de imediato o desconto na factura de 12,5% e que pretendemos reforçar no futuro. Esta foi a confirmação de um compromisso assumido enquanto vereador da oposição, por ajudar na sustentabilidade numa altura em que tantas IPSS se debatem com problemas financeiros para conseguirem assegurar as suas atividades correntes. Na franja das famílias numerosas ainda não está totalmente aproveitada, porque a fórmula que temos para aplicar o desconto muito substancial, em muitos caso de quase 50%, foi através do cartão famílias numerosas. No ano de 2014, a câmara implementou este cartão a cerca de 300 famílias, o que ainda está aquém da realidade efetiva do concelho. Apelo a que mais famílias possam aceder a este cartão. No âmbito da recolha de lixo e da varredura de ruas, a recolha de lixo é eficaz, mas na varredura de ruas tem havido algumas queixas ultimamente por parte da população. São situações diferentes. No que diz respeito à varredura de ruas e das queixas que surgiram ultimamente, que têm a ver com as freguesias mais periféricas, a Agere não tem tido condições para assegurar o serviço permanente em todas as freguesias. O que tentamos fazer é, sempre que temos indicação de uma determinada freguesia onde não existe uma resposta permanente, disponibilizar esses recursos. O nosso objetivo é dotar todo o concelho e não só o centro da cidade de recursos para garantir a limpeza da via pública. No que diz respeito à recolha de lixo, o sistema está bastante otimizado e os circuitos também, ainda assim o sistema de recolha de lixo que Braga tem é um pouco artesanal por via da proliferação dos sacos, da forma como são depositados, da acessibilidade a canídeos acabam por ser fator de poluição e aí a Agere está a fazer um trabalho preparatório, começando com algumas experiências piloto, para a colocação de contentores inteligentes em todo o concelho de maneira a que se possa contabilizar a otimização do serviço com o que é o bem- -estar da população. DR A Agere apresentou contas equilibradas com custos reduzidos na ordem dos 2,2 milhões de euros e uma ligeira redução nos ganhos, mas compensa pela poupança... A Agere, desde que foi criada e desde que contou com participação de parceiros privados, teve a sua gestão bastante otimizada e, em contexto municipal a empresa melhor gerida ao longo dos últimos anos, com padrões de qualidade e eficiência mais rigorosos. Dirão alguns, porque disso beneficiava o parceiro privado. Porventura é verdade. Mas também não deixa de ser verdade o facto do município também ter beneficiado disso. A verdade é que ao longo do último ano, fruto da a- tual administração e da intervenção direta do município, foi possível atuar sem prejudicar a qualidade do serviço, sem onerar mais os munícipes. No ano de 2014 e 2015 a Agere não só criou as tarifas mais preferenciais como teve os menores aumentos, quer da água, quer do saneamento dos últimos anos. Passamos de aumentos de 3 e 8% para aumentos de 2 e 5% ao longo dos últimos dois anos e o nosso objetivo assumido é conter estes aumentos e até reverter no futuro, a partir do momento em que consigamos reunir condições para isso. Estamos a fazer por via da ottimização dos custos, ou seja, renegociar contratos com fornecedores, otimizando procedimentos de contratação e isso potenciou só em 2014 uma poupança de mais de 2 milhões de euros o que contribuiu decisivamente para que a Agere acabasse por ter um resultado um milhão de euros superior ao que tinha acontecido no ano anterior. Acerca da remunicipalização, o que podemos avançar sobre essa questão? Há aqui dois aspetos fundamentais. Sendo certo que para o município seria preferível ter 100% a ter 51% da Agere, porque é uma empresa bem gerida e não dá muitas preocupações ao município do ponto de vista da sua gestão. É verdade também que o município não tem saído prejudicado e não tem nenhum problema em ter tido um parceiro privado ao longo destes anos com 49% do capital. O que achamos que é crucial é que o município assuma a sua posição majoritária, faça valer a sua vontade e estratégias e, por último, que optimize a gestão da empresa de modo a que possa fazer um serviço cada vez mais económico para com os cidadãos e isso pode ser feito sem prejudicar a rentabilidade que se deseja e que todos tenhamos quer o parceiro privado quer o público com a atividade da empresa. A municipalizarão da Agere não é uma prioridade absoluta, não é uma questão que tenhamos que resolver dê por onde der. Se tivermos condições para o fazer tentaremos fazer.

14 15 BRAGA. MAIO.2015

15 16 agere Investindo no Concelho Após o forte investimento verificado nas últimas décadas no aumento da taxa de cobertura dos seus serviços e na adequação dos níveis de tratamento das águas residuais geradas no Concelho, a Agere foca agora o seu plano de investimentos nos seguinte eixos: Qualidade do serviço Eficiência energética Resiliência dos sistemas Sustentabilidade infraestrutural Estabilização de pressões Sectorização Nesse sentido e com um investimento de aproximadamente 7,17 milhões de euros, encontra-se a proceder ao reforço de reserva e elevação dos sistemas de abastecimento de água de Sete Fontes, Alto de Gualtar, Picoto e Falperra, intervenções que visam a garantia da correta distribuição das reservas de água do Concelho, bem como dos níveis de serviço e eficiência pretendidos, assegurando: Constituição de reserva de água para garantia da sua disponibilidade em picos de consumo ou em situações de avaria de equipamentos. Transferência de parte dos consumos de bombeamento para o período noturno, mais propriamente, para períodos de Vazio e Super-Vazio. Para além da redução dos custos energéticos de bombeamento, tal medida permitirá o consumo em períodos em que a rede elétrica nacional é menos solicitada e em que existe mais energia disponível, proveniente de sistemas de produção mais verdes, como por exemplo os eólicos. Redução do stress do sistema de abastecimento de água operado e, consequentemente, do risco de falhas na distribuição. Para além do impacto ao nível da qualidade do serviço prestado à população, minimizam-se desta forma os riscos de contaminação da rede de distribuição e, por conseguinte, da água fornecida. A empresa investe ainda na remodelação das redes de abastecimento com piores desempenhos. Nos últimos 5 anos, remodelou cerca de 53 km de tubagens, com recurso às suas equipas e num investimento que ascendeu aos ,52 Publicidade

16 17 Tecnologia ao seu serviço Com atividade num setor em forte crescimento tecnológico, a Agere dota-se de diversos sistemas de informação que apoiam as suas equipas na gestão eficiente das suas operações. Um sistema de informação geográfica permite já a localização, com coordenadas GPS, de toda a sua rede de abastecimento de água, de uma grande parte da rede de águas residuais e de contentores para deposição de resíduos. Neste sistema são registadas características das redes, como diâmetro, material ou ano de instalação. Disponível em toda a rede informática da empresa, permite aos colaboradores verificar a disponibilidade da rede em qualquer local do Concelho e aos técnicos trabalhar a sua otimização. Sistemas de telegestão permitem à Agere monitorizar e controlar à distância os equipamentos que constituem os sistemas de tratamento e distribuição de água, bem como de drenagem e tratamento de águas residuais. Parâmetros como o nível de reservatórios, caudal, pressão, consumos energéticos, horas de funcionamento de equipamentos ou de qualidade, são monitorizados em tempo real por colaboradores da empresa. A análise de padrões e a determinação de desvios que indiciam problemas de funcionamento e possibilitam a orientação das equipas da Agere para tarefas de diagnóstico e reparação. Através deste sistema são ainda parametrizados os equipamentos, assegurando a adequada utilização de recursos energéticos e das reservas de água do Município. Complementados com sistemas de automação em instalações de elevação e tratamento, estes sistemas garantem o adequado funcionamento dos processos, com um mínimo de intervenção humana. Equipamentos de deteção acústica de fugas são utilizados na rede de abastecimento para deteção de fugas que não resultam no aparecimento de água à superfície dos arruamentos, normalmente comunicadas pelos munícipes. A especialização de técnicos na utilização deste tipo de equipamentos permite a identificação de perdas que, por vezes, permanecem encobertas durante vários anos. Em fase de implementação, a modelação matemática da rede de abastecimento de água permite simular em ambiente informático o funcionamento do sistema, para identificação de pontos críticos (p.ex. com pressão excessiva) e avaliação de impacto de novos consumidores. Permite já este sistema a avaliação de ações de melhoria (manobras, redução de pressões, remodelação de condutas), sem necessidade de intervenção na rede de distribuição. Com a implementação de práticas de videoscopia, a empresa fiscaliza ramais domiciliários de abastecimento de água para deteção de ligações sem medição. Visa esta ação reduzir a água não faturada por utilização fraudulenta do sistema e garantir condições de equidade aos clientes da empresa. Com equipamentos de inspeção vídeo de coletores, avalia o estado estrutural das suas redes para determinação de necessidades de intervenção. Estas ações, complementadas com equipamentos de emissão de fumo, permitem ainda detetar ligações de águas pluviais a rede de saneamento, responsáveis pela sua sobrecarga. Com dispositivos de localização GPS em toda a sua frota, são monitorizados os percursos realizados pelas viaturas da empresa. Esta tarefa permite aos gestores dos vários setores de atividade a otimização de percursos e tarefas realizadas pelos seus colaboradores, bem como determinar a proximidade da frota com pontos específicos de intervenção. Com uma quantidade de informação disponível considerada adequada às necessidades da empresa, aposta centra-se agora na integração dos seus sistemas de informação. É considerada prioritária a garantia de fiabilidade dos dados utilizados pelos colaboradores da empresa, a eliminação de redundâncias de registos e a criação de informação de gestão fidedigna e útil para os vários intervenientes da organização. Publicidade

17 18 Canil e Gatil Municipal Para assegurar condições dignas a animais perdidos ou abandonados no Concelho, a empresa gere o Centro de Recolha Oficial (CRO), instalação de arquitetura moderna e adequada à permanência de animais no período de procura dos seus donos. Contando com a colaboração de trabalhadores que conciliam a sua competência com carinho por animais, a responsabilidade da Agere nesta área contempla: Controlo da população canina e felina no município; Promoção do bem-estar animal; Execução das medidas de profilaxia médica e sanitária. a adoção e controlo da população animal do Município, bem como o controlo e prevenção de zoonoses e o desenvolvimento de projetos no âmbito do bem- estar animal e saúde pública. A este nível, a Agere tem ainda um protocolo com a Associação ABRA, que realiza um trabalho diário de voluntariado, para apoio à adoção de animais ADOTADOS Receção e recolha de animais Adoção Recolha de cadáveres de animais Eliminação de cadáveres de animais (através de inceneração); CAPTURADOS ENTREGUES Os canídeos ou felinos capturados em áreas públicas são objeto de um exame clínico e de uma leitura do microchip, para identificação do seu dono. Caso tal identificação seja possível, a Agere procede à notificação do proprietário, para a sua entrega no prazo legal determi-nado. O CRO mantém um acordo de cooperação com entidades externas, designadamente associações zoófilas e outras legalmente constituídas, com vista a promover RESTITUÍDOS No decorrer de 2015, o canil sofrerá uma remodelação/ ampliação, que pretende acrescer às atuais instalações: Mais 300m2 para passeio de canídeos; Mais 30% de capacidade instalada para a recepção de canídeos: Mais 200% de capacidade instalada para recepção de gatos. Com esta remodelação/ampliação pretende a Agere res-ponder às necessidades crescentes em termos de alojamento com que nos temos deparado no decorrer dos últimos anos, devido ao acréscimo de cães abandonados na via pública. Apelamos naturalmente à responsabilização dos proprietários de animais, de que os mesmos não são brinquedos. Comprar, ou adotar um cão/gato é um compromisso que não deve ser tomado de impulso ou levianamente. Publicidade

18 19 O que deve saber antes de comprar ou adotar um animal de companhia Está preparado para um compromisso a longo prazo? Os animais de companhia dependem de nós e precisam que cuidemos deles todos os dias durante uma vida inteira. Durante a vida de um animal de companhia (que pode ir até aos anos), a nossa vida pode sofrer muitas mudanças e reviravoltas, mas temos de estar preparados para manter o animal connosco, como parte integrante da família, ao longo de todas as mudanças. Porque pretende adoptar um animal de companhia? É importante saber exactamente por que motivo se pretende adoptar um animal. Ter um animal porque o vizinho também tem um, ou porque as crianças pediram ou ainda porque o animal nos poderá conferir algum tipo de status social, é quase sempre um enorme erro. Existe consenso na família? Deverá certificar-se de que todas as pessoas com uma palavra a dizer sobre o assunto concordam com a entrada do animal para a família. Tem tempo para dedicar a um animal? Ter um animal de companhia implica ter disponibilidade de tempo para alimentá-lo, levá-lo a passear (no caso de um cão), prestar-lhe cuidados de higiene, educá-lo e fazer-lhe companhia todos os dias. Tem disposição para aceitar imprevistos e acidentes? Mobília riscada, objectos roídos ou estragados, urina em casa (em animais que ainda não aprenderam a fazer as necessidades no sítio correcto ou que possam marcar ocasionalmente território) e emergências veterinárias são situações inerentes a ter um animal de companhia e devemos estar preparados para as aceitar com naturalidade. Está preparado para cuidar responsavelmente de um animal e educá-lo? Cuidar de um animal de companhia de forma responsável implica medidas como passeá-lo sempre pela trela, nunca o deixar vaguear fora de casa, proporcionar-lhe assistência veterinária sempre que necessário, identificá-lo, mantê-lo em conforto e segurança. Quem cuidará do animal quando se ausentar? Certifique-se de que pode contar com familiares ou amigos de confiança que se responsabilizem por cuidar do animal quando for de férias ou tiver de se ausentar. Como alternativa, pondere se tem disponibilidade financeira para o deixar num hotel para animais. Publicidade

19 20 agere SMARBraga Sistema de Monitorização de Ar e Ruído Oprojeto SMARBraga - sistema de informação e monitorização do ambiente urbano da cidade de Braga, integrado no "Balcão Digital de Águas e Ambiente" da Agere, foi desenvolvido no âmbito do BragaDigital e financiado pela União Europeia através do programa POS Conhecimento, no ano de Nessa data Braga passou a dispor de um serviço inovador, pioneiro em Portugal, que disponibiliza aos munícipes, através da plataforma digital SMAR Braga (www.smarbraga.com), informações relativas aos aspetos centrais do ambiente urbano: ruído, qualidade do ar e meteorologia. A homepage apresenta uma síntese da informação atualizada, através de um sistema de classificação e informação ao público por código de cores (verde, amarelo e vermelho). O site integra ainda um centro de análise com previsões de longo termo e processamento de dados de medições oriundos de uma unidade móvel instrumentada com módulos de ruído, poluição do ar e meteorológico. Módulo Meteorologia: Destina-se a recolher dados meteorológicos urbanos pontuais, nomeadamente a temperatura ambiente, humidade relativa, pressão atmosférica e índice de calor. Módulo Ruído: Destina-se a recolher dados acústicos ambientais pontuais, nomeadamente o Nível Sonoro Contínuo Equivalente. O módulo ruído recolhe ainda os indicadores estatísticos ou níveis percentis L(10) - nível de pressão sonora que foi excedido durante 10% do tempo de medição e L(90) - nível de pressão sonora que foi excedido durante 90% do tempo de medição. Módulo Poluição Ar: Destina-se a recolher dados de concentração pontual de poluentes na atmosfera, nomeadamente Partículas PM10 (Partículas inaláveis ou PM10, é o termo utilizado para partículas presentes no ar, com diâmetro aerodinâmico equivalente menor do que 10 μm, constituídas por cinzas, poeira, fumo e pequenas gotas líquidas), podendo ainda incluir medidores de outros poluentes como o Ozono (O3), Dióxido de Azoto (NO2) ou Monóxido de Carbono (CO). As medições são efetuadas ao longo da semana em seis pontos-chave do Município, que constituem a rede de monitorização. Rua Eça de Queirós, Centro Histórico Rua dos Torrados, Infias Avenida Frei Bartolomeu dos Mártires, Circular Sul Rua Prof. Machado Vilela, Tribunal Rua Comendador Santos da Cunha, Maximinos Avenida D. João II, Variante da Encosta Publicidade

20 21 Sabia que... Não deve realizar atividades ruidosas nos dias úteis das 22 às 7 horas, aos fins-de-semana e aos feriados? Laboratório de Ruído Ao utilizar equipamento e máquinas deve verificar se não ultrapassam os níveis de ruído permitidos por lei e aplicar as medidas corretivas necessárias para minimizar o ruído. Oruído é uma das principais causas da degradação da qualidade do ambiente urbano, tendo aqui como principais fontes o tráfego rodoviário, ferroviário e aéreo, mas sendo também provocado por atividades como a indústria, o comércio e os serviços. Os seus efeitos mais frequentes traduzem-se em perturbações psicológicas ou fisiológicas associadas a reações de stress e cansaço. O ruído interfere com as comunicações e provoca perturbações no sono, na capacidade de concentração e hipertensão arterial, sendo por conseguinte um problema de saúde pública cujo controlo requer o empenho de todos. O Regulamento Geral do Ruído (publicado no Decreto- Lei n.º 9/2007, de 17 de Janeiro) estabelece o regime de prevenção e controlo da poluição sonora, visando a salvaguarda da saúde humana e o bem-estar das populações. Estabelece ainda que os ensaios de ruído ambiente têm que ser realizados por entidades devidamente acreditadas para o efeito. A Agere dispõe de um Laboratório de Ruído acreditado segundo a Norma NP EN ISO/IEC pelo Instituto Português de Acreditação (IPAC), que, por conseguinte, está habilitado para a realização dos ensaios atrás mencionados, podendo prestar um serviço ao público em geral, assegurando elevados padrões de qualidade, rigor e isenção. A acreditação conferida demonstra a competência técnica para medição dos níveis de pressão sonora (critério de incomodidade) e medição dos níveis de pressão sonora (nível sonoro médio de longa duração). Publicidade

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 5/2013

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 5/2013 1 9 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 5/2013 (S00537-201301) Nos termos do Artigo 33º. do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto- Lei n.º

Leia mais

ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS E GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS

ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS E GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS E GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS O setor de serviços de águas compreende: as atividades de abastecimento de água às populações urbanas e rurais e às atividades

Leia mais

WORKSHOP Plano para preservar os Recursos Hídricos da Europa (Blueprint) - Perspetivas para Portugal

WORKSHOP Plano para preservar os Recursos Hídricos da Europa (Blueprint) - Perspetivas para Portugal Eficiência dos sistemas de abastecimento de água para consumo humano WORKSHOP Plano para preservar os Recursos Hídricos da Europa (Blueprint) - Perspetivas para Portugal IPQ, 9 de abril de 2014 Os serviços

Leia mais

Projeto Heróis da Água Fase III - 2014/2015

Projeto Heróis da Água Fase III - 2014/2015 O projeto O Projeto Heróis da Água é promovido pela EMAS de Beja e pela Câmara Municipal de Beja, enquadra-se na área da sensibilização e educação ambiental. O projeto mantem-se pelo 3.º ano e continua

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO Entidade Gestora: Nota Justificativa Conscientes da necessidade premente de se dotarem de uma infra-estrutura em conformidade com a legislação vigente, mas também no sentido

Leia mais

Regulamento Interno PREÂMBULO

Regulamento Interno PREÂMBULO Regulamento Interno PREÂMBULO O Município de Beja enquanto promotor local de políticas de protecção social, desempenha um papel preponderante na elaboração de estratégias de desenvolvimento social e na

Leia mais

D.R. DO AMBIENTE Despacho n.º 1059/2012 de 25 de Julho de 2012

D.R. DO AMBIENTE Despacho n.º 1059/2012 de 25 de Julho de 2012 D.R. DO AMBIENTE Despacho n.º 1059/2012 de 25 de Julho de 2012 Nos termos e para efeitos do disposto no n.º 2 do artigo 110.º do Decreto Legislativo Regional n.º 30/2010/A, de 15 de novembro, que estabelece

Leia mais

GESTÃO, TRATAMENTO E REUTILIZAÇÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS. José dos Santos Santiago (*)

GESTÃO, TRATAMENTO E REUTILIZAÇÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS. José dos Santos Santiago (*) GESTÃO, TRATAMENTO E REUTILIZAÇÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS José dos Santos Santiago (*) RESUMO: Apresenta-se, neste artigo, a metodologia a seguir para gerir, tratar a reutilizar os efluentes industriais,

Leia mais

INFRAQUINTA. Afirmação de uma Cultura Ambiental. "Modelos de Gestão no Sector do Turismo. Albufeira, 22 Abril 2009

INFRAQUINTA. Afirmação de uma Cultura Ambiental. Modelos de Gestão no Sector do Turismo. Albufeira, 22 Abril 2009 INFRAQUINTA Afirmação de uma Cultura Ambiental "Modelos de Gestão no Sector do Turismo Albufeira, 22 Abril 2009 AGENDA 1. A INFRAQUINTA Génese Estrutura Accionista Organograma Missão Competências 2. O

Leia mais

Cadernos de sensibilização O consumidor e os serviços de águas e resíduos. A qualidade da água na torneira

Cadernos de sensibilização O consumidor e os serviços de águas e resíduos. A qualidade da água na torneira 2 Cadernos de sensibilização O consumidor e os serviços de águas e resíduos A qualidade da água na torneira Saiba a resposta às seguintes questões: Em que consiste o abastecimento de água para consumo

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRE

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRE LEI Nº 354/2014 Dispõe sobre a Política Municipal de Saneamento Básico, cria o Conselho Municipal de Saneamento Básico e o Fundo Municipal de Saneamento de Básico, e dá outras providências. A Prefeita

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho Tarifário de água 2014 Tarifa variável ( /m3) 0 a 5 m3 0,6410 6 a 15 m3 0,8000 16-25 m3 1,0000 > 25 m3 2,3000 0 a 9999 m3 1,0000 1 a 9999 m3 1,0000 Tarifa Fixa ( /30 dias) Calibre do contador (mm) Valor

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS Fundo de Eficiência Energética PERGUNTAS E RESPOSTAS Aviso 12 Requalificação de Sistemas Solares Térmicos 2015 Perguntas e Respostas Aviso 12 Requalificação de Sistemas Solares Térmicos 2015 v0 0 ÍNDICE

Leia mais

Regulamento. Sorriso Solidário

Regulamento. Sorriso Solidário Regulamento Sorriso Solidário 0 Introdução A Santa Casa da Misericórdia de Mirandela, tem desenvolvido ao longo dos tempos, diversas iniciativas no sentido de criar condições que favoreçam o bem-estar

Leia mais

Grandes Opções do Plano 2011-2014

Grandes Opções do Plano 2011-2014 Grandes Opções do Plano 2011-2014 Plano Plurianual de Investimentos 2011-2014 Apesar da apresentação efectuada pelo Grupo Águas de Portugal no segundo semestre de 2009 das possibilidades de constituição

Leia mais

Turismo e Água Proteger o nosso futuro comum Dia Mundial do Turismo 2013

Turismo e Água Proteger o nosso futuro comum Dia Mundial do Turismo 2013 Turismo e Água Proteger o nosso futuro comum Dia Mundial do Turismo 2013 Caraterização das práticas relacionadas com o consumo de água nas empresas de alojamento turístico de Montemor-o-Novo Anualmente,

Leia mais

REGULAMENTO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DO MUNICÍPIO DE ESPOSENDE

REGULAMENTO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DO MUNICÍPIO DE ESPOSENDE REGULAMENTO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DO MUNICÍPIO DE ESPOSENDE RAADAR.1.00 1 / 49 PREÂMBULO E LEGISLAÇÃO HABILITANTE...5 CAPÍTULO I...6 DISPOSIÇÕES GERAIS...6 Objecto...6

Leia mais

Prólogo REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL

Prólogo REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL Prólogo O CLDS SERPE EnReDe, consiste numa estratégia de desenvolvimento social integrado visando a criação de respostas sociais inovadoras e sustentáveis que atendem às

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei nº 65/XIII-1.ª

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar. Projeto de Lei nº 65/XIII-1.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Lei nº 65/XIII-1.ª Aprova medidas para a criação de uma rede de centros de recolha oficial de animais e para a modernização dos serviços municipais

Leia mais

Termos de referência para o cadastro das infraestruturas de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais

Termos de referência para o cadastro das infraestruturas de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais Termos de referência para o cadastro das infraestruturas de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais Enquadramento A base do conhecimento de qualquer sistema de abastecimento de água e

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º3 /2009. Política de Cidades - Parcerias para a Regeneração Urbana. Programas integrados de criação de Eco-Bairros

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º3 /2009. Política de Cidades - Parcerias para a Regeneração Urbana. Programas integrados de criação de Eco-Bairros ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º3 /2009 Política de Cidades - Parcerias para a Regeneração Urbana Programas integrados de criação de Eco-Bairros 1. ENQUADRAMENTO GERAL A Autoridade de Gestão do Programa Operacional

Leia mais

Raízes Ocultas Unipessoal, Lda. Belchior Lourenço

Raízes Ocultas Unipessoal, Lda. Belchior Lourenço 2011 Raízes Ocultas Unipessoal, Lda. Belchior Lourenço SÍNTESE DA FUNDAMENTAÇÃO ECONÓMICO- FINANCEIRA DO CÁLCULO DA ESTRUTURA TARIFÁRIA Apresentação de Resultados e Conclusões da elaboração e Cálculo dos

Leia mais

Cadernos de sensibilização O consumidor e os serviços de águas e resíduos. Os contadores domiciliários de água

Cadernos de sensibilização O consumidor e os serviços de águas e resíduos. Os contadores domiciliários de água 3 Cadernos de sensibilização O consumidor e os serviços de águas e resíduos Os contadores domiciliários de água Saiba a resposta às seguintes questões: O que são contadores de água? Existe alguma relação

Leia mais

unicipal de Vila Pouca d Gabinete Acção Social

unicipal de Vila Pouca d Gabinete Acção Social unicipal de Vila Pouca d Gabinete Acção Social BANCO DE ECURSOS' REGULAMENTO DO BANCO DE RECURSOS DO MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR PREÂMBULO Ao abrigo do quadro legal de atribuições e competências

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO NORMAS DE FUNCIONAMENTO INTERNO BUS Solidário e Loja Solidária Junta de Freguesia de Encosta do Sol Capítulo I Disposições Gerais Artigo I Enquadramento No âmbito das atribuições que lhe são cometidas

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia Diploma de Estudos Avançados Engenharia Sanitária e Gestão Integrada de Resíduos. 1º Período

Faculdade de Ciências e Tecnologia Diploma de Estudos Avançados Engenharia Sanitária e Gestão Integrada de Resíduos. 1º Período 1. Plano de estudos: Faculdade de Ciências e Tecnologia Diploma de Estudos Avançados Engenharia Sanitária e Gestão Integrada de Resíduos 1º Período QUADRO N.º 2-Engenharia Sanitária e Gestão Integrada

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr. JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006 Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.ª Guadalupe Tel. e Fax: 266 781 165 Tel.: 266 747 916 email: jfguadalupe@mail.evora.net

Leia mais

ETAR de Ermesinde e Alfena. Capacidade de Tratamento: Breve descrição do tratamento:

ETAR de Ermesinde e Alfena. Capacidade de Tratamento: Breve descrição do tratamento: ETAR de Ermesinde e Alfena A ETAR de Ermesinde foi projectada para tratar os efluentes urbanos provenientes da zona poente do Concelho de Valongo, abrangendo as freguesias de Ermesinde e Alfena. Esta ETAR

Leia mais

A melhoria da qualidade da água balnear no Concelho de Cascais, um fator decisivo para a sustentabilidade

A melhoria da qualidade da água balnear no Concelho de Cascais, um fator decisivo para a sustentabilidade Conferência Nacional do projeto SUSTAIN Promover a Sustentabilidade Local das Comunidades Costeiras A melhoria da qualidade da água balnear no Concelho de Cascais, um fator decisivo para a sustentabilidade

Leia mais

Nota técnica Março/2014

Nota técnica Março/2014 Nota técnica Março/2014 Sistemas de Saneamento no Brasil - Desafios do Século XXI João Sergio Cordeiro O Brasil, no final do ano de 2013, possuía população de mais de 200 milhões de habitantes distribuídos

Leia mais

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂMARA MUNICIPAL

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂMARA MUNICIPAL NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS ZONAS DE ESTACIONAMENTO DA COROADA As zonas de estacionamento da Coroada, adiante designadas por parques ou Parques da Coroada, são parte integrante das áreas de estacionamento

Leia mais

PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola

PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola 1º CONGRESSO DOS ENGENHEIROS DE LÍNGUA PORTUGUESA 18 de Setembro de 2012 Agenda da apresentação do PESGRU I. Enquadramento do PESGRU

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

GUIA DO CONSUMIDOR DE ÁGUA

GUIA DO CONSUMIDOR DE ÁGUA Infomail GUIA DO CONSUMIDOR DE ÁGUA Índice Prestação do serviço de abastecimento de água Está sujeita a regras especiais? É obrigatória? O que é necessário? Como se processa a ligação à rede pública? Quem

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE SERVIÇO DE SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS URBANAS DO MUNICÍPIO DE CANTANHEDE

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE SERVIÇO DE SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS URBANAS DO MUNICÍPIO DE CANTANHEDE PROPOSTA DE REGULAMENTO DE SERVIÇO DE SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS URBANAS DO MUNICÍPIO DE CANTANHEDE Preâmbulo O Decreto-Lei n.º 194/2009, de 20 de agosto, que aprova o regime jurídico dos serviços municipais

Leia mais

TERMINAIS FERROVIÁRIOS DE MERCADORIAS DE LEIXÕES E DA BOBADELA REGULAMENTO DE ACESSO E TARIFA DE UNIDADES DE TRANSPORTE INTERMODAL (UTI)

TERMINAIS FERROVIÁRIOS DE MERCADORIAS DE LEIXÕES E DA BOBADELA REGULAMENTO DE ACESSO E TARIFA DE UNIDADES DE TRANSPORTE INTERMODAL (UTI) TERMINAIS FERROVIÁRIOS DE MERCADORIAS DE LEIXÕES E DA BOBADELA REGULAMENTO DE ACESSO E TARIFA DE UNIDADES DE TRANSPORTE INTERMODAL (UTI) Artigo 1.º Objeto Pelo presente estabelece-se as condições que regem

Leia mais

Grandes Opções do Plano 2013-2016

Grandes Opções do Plano 2013-2016 Grandes Opções do Plano 2013-2016 Plano Plurianual de Investimentos 2013-2016 O Grupo Águas de Portugal apresentou aos Municípios do Oeste, no segundo semestre de 2009, as possibilidades de constituição

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

Abastecimento de Água

Abastecimento de Água AA Abastecimento de Água Tipo de cliente Doméstico Não doméstico IPSS's Autarquia 0 a 10 m3 0,6300 0 a 50 m3 0,9500 0 a 50 m3 0,9500 0,0500 11 a 20 m3 1,0000 51 a 80 m3 1,3000 51 a 80 m3 1,3000 0

Leia mais

REGULAMENTO DA LOJA SOCIAL DA FREGUESIA DE PARANHOS PREÂMBULO

REGULAMENTO DA LOJA SOCIAL DA FREGUESIA DE PARANHOS PREÂMBULO REGULAMENTO DA LOJA SOCIAL DA FREGUESIA DE PARANHOS PREÂMBULO Com a emergência de cada vez mais processos de exclusão social e a persistência de fortes desigualdades sociais, pessoais e espaciais, subjacentes

Leia mais

Projecto de Lei nº /X

Projecto de Lei nº /X Grupo Parlamentar Projecto de Lei nº /X ESTABELECE O REGIME APLICÁVEL À GESTÃO DE ÓLEOS ALIMENTARES USADOS Exposição de motivos: Os óleos alimentares usados são um resíduo não perigoso que carece de legislação

Leia mais

ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS. Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Almada

ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS. Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Almada ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Almada O QUE SÃO ÁGUAS RESIDUAIS? São águas que resultam de diversos usos ou atividades ligadas à vida humana:

Leia mais

DETEÇÃO DE INFRAESTRUTURAS ENTERRADAS INSPEÇÃO TERMOGRÁFICA POR INFRAVERMELHOS

DETEÇÃO DE INFRAESTRUTURAS ENTERRADAS INSPEÇÃO TERMOGRÁFICA POR INFRAVERMELHOS Geodetect, Lda. DETEÇÃO DE INFRAESTRUTURAS ENTERRADAS INSPEÇÃO TERMOGRÁFICA POR INFRAVERMELHOS Travessa do Governo Civil, Nº4 2ºDrt. Sala 5 3810-118 Aveiro PORTUGAL (+351) 967 085 701 (+351) 963 829 703

Leia mais

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br 51 3307 6597 A ECCOSYSTEMS está estruturada para a prestação de serviços de engenharia, consultoria, elaboração de estudos, planejamento, projetos

Leia mais

Mais clima para todos

Mais clima para todos Mais clima para todos 1 Mais clima para todos Na União Europeia, entre 1990 e 2011, o setor dos resíduos representou 2,9% das emissões de gases com efeito de estufa (GEE), e foi o 4º setor que mais contribuiu

Leia mais

O PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA EMPRESA ÁGUAS DO VOUGA

O PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA EMPRESA ÁGUAS DO VOUGA O PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA EMPRESA ÁGUAS DO VOUGA Ana CAMACHO 1, Fausto OLIVEIRA 2 RESUMO A aplicação de princípios de avaliação e de gestão de riscos, complementa o controlo realizado através da monitorização

Leia mais

Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal

Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal Piracicaba, 07 de Agosto de 2013 Atuação da CAIXA Missão: Atuar na promoção da cidadania e do desenvolvimento sustentável

Leia mais

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge Segunda alteração do Decreto Regulamentar Regional n.º 22/2007/A, de 25 de Outubro, que aprova o Subsistema de Apoio ao Desenvolvimento Local Promotores -Empresários em nome individual, estabelecimentos

Leia mais

Município de Cuba Tarifário dos Serviços de Abastecimento de Água, Saneamento de Águas Residuais e de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos.

Município de Cuba Tarifário dos Serviços de Abastecimento de Água, Saneamento de Águas Residuais e de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos. Tarifário dos Serviços de Abastecimento de Água, Saneamento de Águas Residuais e de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos Secção I Abastecimento de Água Subsecção I Tarifas de Abastecimento de Água 1 - Utilizadores

Leia mais

INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»?

INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»? INTRODUÇÃO O QUE É O PLANO «SALATIA»? No actual cenário económico-financeiro do Mundo e do País, é obrigação de todas as entidades públicas, à sua escala, promoverem medidas de apoio às empresas e às famílias

Leia mais

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com o presente trabalho, desenvolver uma rede de percursos cicláveis para todo o território do Município do Barreiro, de modo a promover a integração da bicicleta no sistema de

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO e CONDIÇÕES GENÉRICAS DE VENDA

TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO e CONDIÇÕES GENÉRICAS DE VENDA pág. 1 / 5 TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO e CONDIÇÕES GENÉRICAS DE VENDA 1. INTRODUÇÃO O site de vendas online www.fitnesshut.pt (adiante designado por site ou loja online) é um site de vendas online

Leia mais

Tarifário para 2013. Tarifário para 2013

Tarifário para 2013. Tarifário para 2013 Tarifário para 2013 Novembro de 2012 Página 1 de 12 Índice Tarifas de Abastecimento... 3 Tarifas de Saneamento... 4 Outros serviços de abastecimento... 5 Outros serviços de saneamento... 6 Processos de

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Concelho de Esposende Distrito de Braga 15 Freguesias Área - Cerca de 95 Km2 População - 33.325 habitantes ( x 3 na época balnear ) Orla Costeira Parque

Leia mais

Questionário para Subscrição de Seguro de Responsabilidade Ambiental e por Contaminação

Questionário para Subscrição de Seguro de Responsabilidade Ambiental e por Contaminação Questionário para Subscrição de Seguro de Responsabilidade Ambiental e por Contaminação Este questionário deve ser preenchido pelo Segurado ou por um representante autorizado, devendo dar-se resposta completa

Leia mais

14638 Diário da República, 2.ª série N.º 107 4 de junho de 2014

14638 Diário da República, 2.ª série N.º 107 4 de junho de 2014 14638 Diário da República, 2.ª série N.º 107 4 de junho de 2014 MUNICÍPIO DE ALMADA Aviso (extrato) n.º 6778/2014 Nos termos do Estatuto do Pessoal Dirigente, torna -se público que o presidente desta Câmara

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS Fundo de Eficiência Energética PERGUNTAS E RESPOSTAS Aviso 11 Hotelaria - Incentivo à promoção da Eficiência Energética 2015 ÍNDICE 1. O que é o FEE Fundo de Eficiência Energética?... 3 2. Qual o enquadramento

Leia mais

5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS

5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS 5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS 1 PRINCIPAIS DESTAQUES [Indicadores] Indicadores 2010 2011 RECEITA Crescimento da Receita Total 19,8 3,7 Receitas Correntes / Receita Total 61 67,2 Crescimento das

Leia mais

REGULAMENTO DOS SISTEMAS PÚBLICOS E PREDIAIS DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DO MUNICÍPIO DE BEJA

REGULAMENTO DOS SISTEMAS PÚBLICOS E PREDIAIS DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DO MUNICÍPIO DE BEJA REGULAMENTO DOS SISTEMAS PÚBLICOS E PREDIAIS DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DO MUNICÍPIO DE BEJA Índice Regulamento dos Sistemas Públicos e Prediais de Drenagem de Águas Residuais do Município de Beja

Leia mais

Jornadas Técnicas de Água e Saneamento da África Sub-Saheliana Apresentação da Situação de Abastecimento de Água e Saneamento em Cabo Verde

Jornadas Técnicas de Água e Saneamento da África Sub-Saheliana Apresentação da Situação de Abastecimento de Água e Saneamento em Cabo Verde Jornadas Técnicas de Água e Saneamento da África Sub-Saheliana Apresentação da Situação de Abastecimento de Água e Saneamento em Cabo Verde ABRIL DE 2009 Índice Apresentação da ELECTRA, SA Papel da empresa

Leia mais

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ÁREA DE ABASTECIMENTO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEL 6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ambiente e seu manuseio e armazenagem também apresentam considerável grau

Leia mais

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares Reg. N.º Em / / Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome: BI/Cartão de Cidadão: Arquivo: Validade: / / N.º de Identificação Fiscal: Morada: Freguesia:

Leia mais

A Evolução dos Serviços de Água em Portugal

A Evolução dos Serviços de Água em Portugal A Evolução dos Serviços de Água em Portugal AcquaLifeExpo Lisboa, 22-25 de Março de 2012 Centro Empresarial Torres de Lisboa Rua Tomás da Fonseca, Torre G 8º 1600-209 LISBOA - PORTUGAL www.ersar.pt Tel.:

Leia mais

EDP - Gestão da Produção de Energia, S.A. Central Termoelétrica de Sines. Produção de Energia Elétrica e Deposição de resíduos não perigosos em aterro

EDP - Gestão da Produção de Energia, S.A. Central Termoelétrica de Sines. Produção de Energia Elétrica e Deposição de resíduos não perigosos em aterro 2.º ADITAMENTO À LICENÇA AMBIENTAL nº 300/2009 Nos termos da legislação relativa à Prevenção e Controlo Integrados da Poluição (PCIP), é emitido o 2.º Aditamento à Licença Ambiental do operador EDP - Gestão

Leia mais

Conheça os Seus Direitos de Passageiro

Conheça os Seus Direitos de Passageiro Conheça os Seus Direitos de Passageiro Índice Via Aérea... 2 Pessoas com deficiências e pessoas com mobilidade reduzida... 2 Embarque recusado... 2 Cancelamento... 2 Atrasos consideráveis... 2 Bagagem...

Leia mais

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários;

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários; PROJETO DE: EMENDA À LEI ORGÂNICA LEI COMPLEMENTAR LEI ORDINÁRIA RESOLUÇÃO NORMATIVA DECRETO LEGISLATIVO ( X ) Nº /2013 AUTOR/SIGNATÁRIO: Ver. GILBERTO PAIXÃO EMENTA: Dispõe sobre os serviços e obras para

Leia mais

ETAR de Valongo, Campo e Sobrado. Capacidade de Tratamento: Descrição do Tratamento

ETAR de Valongo, Campo e Sobrado. Capacidade de Tratamento: Descrição do Tratamento ETAR de Valongo, Campo e Sobrado A Estação de Tratamento de Águas Residuais de Valongo, Campo e Sobrado foi projectada para tratar os efluentes da zona nascente do Concelho de Valongo, abrangendo as freguesias

Leia mais

ESTUDO DO IMPACTE AMBIENTAL

ESTUDO DO IMPACTE AMBIENTAL ENERGIN AZÓIA Empresa de Cogeração Industrial, S.A. CENTRAL DE COGERAÇÃO A INSTALAR NA SOLVAY PORTUGAL (PÓVOA DE SANTA IRIA, VILA FRANCA DE XIRA) ESTUDO DO IMPACTE AMBIENTAL RESUMO NÃO TÉCNICO Maio de

Leia mais

Erro! ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Erro! ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO Erro! ROTEIRO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO Formulário de Entrada de Dados - PARTE A - IDENTIFICAÇÃO DO SISTEMA OU SOLUÇÃO ALTERNATIVA

Leia mais

PAY-AS-YOU-THROW. Um longo caminho para percorrer. - Caso de Óbidos - Filipa Silva Santos

PAY-AS-YOU-THROW. Um longo caminho para percorrer. - Caso de Óbidos - Filipa Silva Santos PAY-AS-YOU-THROW Um longo caminho para percorrer - Caso de Óbidos - Estrutura 1 Introdução 1.1 Relevância do Tema 1.2 Objectivos 1.3 Constrangimentos 2 O que é o PAYT? 3 Tarifários Variáveis 3.1 Alternativas

Leia mais

PROJECTO PORTO GRAVÍTICO ABASTECIMENTO DE ÁGUA AO PORTO POR GRAVIDADE

PROJECTO PORTO GRAVÍTICO ABASTECIMENTO DE ÁGUA AO PORTO POR GRAVIDADE PROJECTO PORTO GRAVÍTICO ABASTECIMENTO DE ÁGUA AO PORTO POR GRAVIDADE JOAQUIM POÇAS MARTINS EM ENTREVISTA O Projecto Porto Gravítico começou a ser implementado em 2007 pela Águas do Porto. Consiste no

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE UMA PLATAFORMA AGREGADORA DE PROCESSOS NA GESTÃO OPERACIONAL DE UM SISTEMA MULTIMUNICIPAL

A IMPORTÂNCIA DE UMA PLATAFORMA AGREGADORA DE PROCESSOS NA GESTÃO OPERACIONAL DE UM SISTEMA MULTIMUNICIPAL A IMPORTÂNCIA DE UMA PLATAFORMA AGREGADORA DE PROCESSOS NA GESTÃO OPERACIONAL DE UM SISTEMA MULTIMUNICIPAL O case study da aplicação da plataforma NAVIA no processo de fusão da Águas do Noroeste Liliana

Leia mais

Pré-Diagnóstico Social do Concelho de Alenquer

Pré-Diagnóstico Social do Concelho de Alenquer Em Portugal, a questão ambiental emergiu tardiamente, ao contrário do que se verificou noutros países da Europa. Por este mesmo motivo, não existe ainda um grande empenho cívico, nem uma forte visibilidade

Leia mais

Aluguer Operacional e Gestão de Frotas

Aluguer Operacional e Gestão de Frotas the world leading fleet and vehicle management company LeasePlan Portugal Lagoas Park - Edifício 6-2740-244 Porto Salvo Ed. Cristal Douro - R. do Campo Alegre, nº 830 - sala 35-4150-171 Porto Tel.: 707

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS APROVADO 25 de Junho de 2010 O Presidente, ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO (Paulo Parente) REGULAMENTO DE USO DE VEÍCULOS Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto Nos termos do n.º 2 do

Leia mais

Artigo 3º Definições. CAPÍTULO II Direcção e funcionamento do centro de recolha do Município de Almeida. Artigo 4º Direcção e orgânica

Artigo 3º Definições. CAPÍTULO II Direcção e funcionamento do centro de recolha do Município de Almeida. Artigo 4º Direcção e orgânica MUNICÍPIO DE ALMEIDA CÂMARA MUNICIPAL Postura Municipal de Recolha, Captura e Abate de Canídeos e Gatídeos e do Funcionamento do Centro de Recolha Nos termos do artigo 64º, nº. 1, alínea x), da Lei nº.

Leia mais

29039 PARTE H MUNICÍPIO DE ALJUSTREL

29039 PARTE H MUNICÍPIO DE ALJUSTREL Diário da República, 2.ª série N.º 197 8 de outubro de 2015 29039 PARTE H MUNICÍPIO DE ALJUSTREL Aviso n.º 11553/2015 Nos termos e para os efeitos do disposto no n.º 6 do artigo 36.º da Portaria n.º 83

Leia mais

A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. um contributo português para o desenvolvimento do sector da Água

A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. um contributo português para o desenvolvimento do sector da Água A organização nacional do sector da água: pontos fortes e pontos fracos. um contributo português para o desenvolvimento do sector da Água no Mundo Como pode a PPA contribuir para uma melhor consolidação.

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 15 22 de janeiro de 2014 2337 MUNICÍPIO DE OLIVEIRA DO HOSPITAL. CAPÍTULO I Disposições gerais

Diário da República, 2.ª série N.º 15 22 de janeiro de 2014 2337 MUNICÍPIO DE OLIVEIRA DO HOSPITAL. CAPÍTULO I Disposições gerais Diário da República, 2.ª série N.º 15 22 de janeiro de 2014 2337 11 Garantir a manutenção do edifício e instalações do Complexo Termal; 12 Promoção dos circuitos necessários às operações de tratamento

Leia mais

BOLETIM ESTATÍSTICO MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO Nº7 - DEZEMBRO 2007

BOLETIM ESTATÍSTICO MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO Nº7 - DEZEMBRO 2007 BOLETIM ESTATÍSTICO Nº7 - DEZEMBRO 2007 MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO EDITORIAL Com a publicação do número correspondente ao último quadrimestre do ano iniciamos também a edição, no

Leia mais

Regulamento dos Serviços de Abastecimento Público. de Água e de Saneamento de Águas Residuais. do Município de Castelo Branco

Regulamento dos Serviços de Abastecimento Público. de Água e de Saneamento de Águas Residuais. do Município de Castelo Branco Regulamento dos Serviços de Abastecimento Público de Água e de Saneamento de Águas Residuais do Município de Castelo Branco Índice CAPÍTULO I... DISPOSIÇÕES E PRINCÍPIOS GERAIS... 4 CAPÍTULO II... DIREITOS

Leia mais

Case Study Boavista Golf. Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe.

Case Study Boavista Golf. Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe. Case Study Boavista Golf Sistema de Monitorização e Controlo da Produção de Água para Rega de Campos de Golfe. Introdução Portugal é considerado, por muitos especialistas, um dos melhores lugares para

Leia mais

CONTEÚDOS FUNCIONAIS:

CONTEÚDOS FUNCIONAIS: CONTEÚDOS FUNCIONAIS: Ref.ª A) TÉCNICO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO AMBIENTE Realizar análises, estudo e emissão de pareceres dos assuntos que lhe são submetidos, tendo como base as melhores praticas legais

Leia mais

DEBATE DO PG SRETC 21/05/2015

DEBATE DO PG SRETC 21/05/2015 DEBATE DO PG SRETC 21/05/2015 Senhor Presidente da Assembleia Legislativa Regional, Excelência Senhor Presidente do Governo Regional da Madeira, Excelência Senhoras e Senhores Secretários Regionais Senhoras

Leia mais

Responsabilidade Social Temas do Consumo Boas Práticas na Agriloja Retalho Especializado de Agricultura e Pecuária

Responsabilidade Social Temas do Consumo Boas Práticas na Agriloja Retalho Especializado de Agricultura e Pecuária Responsabilidade Social Temas do Consumo Boas Práticas na Agriloja Retalho Especializado de Agricultura e Pecuária Patrícia Garcia Diretora Recursos Humanos e Qualidade Agridistribuição, S.A. Semana da

Leia mais

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhores representantes das associações

Leia mais

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS Autores: Rita de Cássia Junqueira: Cargo atual: Tecnóloga Sanitarista Formação: Tecnologia Sanitária Universidade de Campinas -

Leia mais

- Sistemas em alta: Inclui as entidades gestoras operadoras de sistemas multimunicipais e similares;

- Sistemas em alta: Inclui as entidades gestoras operadoras de sistemas multimunicipais e similares; GUIA PARA DEFINIÇÃO E INTERPRETAÇÃO DAS ENTIDADES OBJECTO DO INQUÉRITO INDICADORES DE GESTÃO PARA ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA A designação, significado e interpretação das Variáveis

Leia mais

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR)

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres Objectivos

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Sistema de Esgotamento Sanitário

Leia mais

Regulamento para atribuição do Cartão Municipal do Idoso na área do Município de Lagoa Açores

Regulamento para atribuição do Cartão Municipal do Idoso na área do Município de Lagoa Açores Regulamento para atribuição do Cartão Municipal do Idoso na área do Município de Lagoa Açores Preâmbulo Aos Municípios incumbem, em geral, prosseguir os interesses próprios, comuns e específicos das populações

Leia mais

PO AÇORES 2020 FEDER FSE

PO AÇORES 2020 FEDER FSE Apresentação pública PO AÇORES 2020 FEDER FSE Anfiteatro C -Universidade dos Açores -Ponta Delgada 04 de marçode 2015 PO AÇORES 2020 UM CAMINHO LONGO, DIVERSAS ETAPAS A definição das grandes linhas de

Leia mais

Regulamento de Funcionamento da Formação. Disposições Gerais da Prestação de Serviços no âmbito da Formação

Regulamento de Funcionamento da Formação. Disposições Gerais da Prestação de Serviços no âmbito da Formação Regulamento de Funcionamento da Formação Disposições Gerais da Prestação de Serviços no âmbito da Formação Agosto 2013 Índice Pág. Introdução. 3 Objetivo... 3 Inscrição nos cursos de formação 3 Condições

Leia mais

Município de S. Pedro do Sul REGULAMENTO MUNICIPAL DO CANIL/GATIL DE S. PEDRO DO SUL

Município de S. Pedro do Sul REGULAMENTO MUNICIPAL DO CANIL/GATIL DE S. PEDRO DO SUL REGULAMENTO MUNICIPAL DO CANIL/GATIL DE S. PEDRO DO SUL PREÂMBULO Assumindo as responsabilidades que lhe estão cometidas por lei e interpretando o sentimento colectivo de que importa defender a higiene

Leia mais

Tarifário do Serviço de Gestão de Resíduos do Municipio de Arouca CAPÍTULO II ARTIGO 1º

Tarifário do Serviço de Gestão de Resíduos do Municipio de Arouca CAPÍTULO II ARTIGO 1º Tarifário do Serviço de Gestão de Resíduos do Municipio de Arouca CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º 1. Nos termos do Regulamento Municipal de Resíduos Urbanos e Limpeza Urbana do Município de Arouca,

Leia mais

REGULAMENTO PARA VENDA HABITAÇÕES MUNICIPAIS A JOVENS, ATRAVÉS DE CONCURSO, POR SORTEIO

REGULAMENTO PARA VENDA HABITAÇÕES MUNICIPAIS A JOVENS, ATRAVÉS DE CONCURSO, POR SORTEIO REGULAMENTO PARA VENDA DE HABITAÇÕES MUNICIPAIS A, ATRAVÉS DE CONCURSO, POR SORTEIO REGULAMENTO PARA VENDA DE HABITAÇÕES MUNICIPAIS A, ATRAVÉS DE CONCURSO, POR SORTEIO PREÂMBULO No quadro das ações e planos

Leia mais

REGULAMENTO NORMAS E CONSELHOS DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE CONTROLO AUTOMAÇÃO E INFORMÁTICA INDUSTRIAL

REGULAMENTO NORMAS E CONSELHOS DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE CONTROLO AUTOMAÇÃO E INFORMÁTICA INDUSTRIAL REGULAMENTO NORMAS E CONSELHOS DE UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE CONTROLO AUTOMAÇÃO E INFORMÁTICA INDUSTRIAL Elaborado por: Coordenador da Área Laboratorial de Mecanotecnia Luís Jorge Bronze Raposeiro IST,

Leia mais

CENTRO ESCOLAR DAS LAGOAS PONTE DE LIMA

CENTRO ESCOLAR DAS LAGOAS PONTE DE LIMA CENTRO ESCOLAR DAS LAGOAS PONTE DE LIMA Projeto Energia Construção Sustentável www.cezero.pt / www.cezero.com.br CENTRO ESCOLAR DAS LAGOAS PONTE DE LIMA PROJETO Arquitetura e sistemas construtivos Maximização

Leia mais

Verdes Campos HORTAS BIOLÓGICAS URBANAS E COMUNITÁRIAS. Normas de Funcionamento

Verdes Campos HORTAS BIOLÓGICAS URBANAS E COMUNITÁRIAS. Normas de Funcionamento Verdes Campos HORTAS BIOLÓGICAS URBANAS E COMUNITÁRIAS Hortas da Várzea Tavarede Normas de Funcionamento Preâmbulo A atividade agrícola de subsistência, materializada sob a forma de hortas, permite uma

Leia mais

NORMAS ESPECIFICAS ÍNDICE

NORMAS ESPECIFICAS ÍNDICE MARB REGULAMENTO INTERNO DO MERCADO ABASTECEDOR DA REGIÃO DE BRAGA, S.A. NORMAS ESPECÍFICAS ÍNDICE NE 01: DIAS E HORÁRIOS (ART.9º DO REGULAMENTO GERAL)... 3 NE 02: ACESSO DE VEÍCULOS AO MERCADO (ART.11º

Leia mais