Redação. Língua Portuguesa TEXTO I. Rio, um abismo social

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Redação. Língua Portuguesa TEXTO I. Rio, um abismo social"

Transcrição

1 Redação Observe o infográfico e o gráfico a seguir e, com base neles e nos tetos I e II da prova de Língua Portuguesa, escreva um teto dissertativoargumentativo relacionado ao seguinte tema: TEXTO I Língua Portuguesa Rio, um abismo social Educação: fator de promoção e de abismo social. Não se esqueça de dar um título à sua redação. Tetos com menos de 15 (quinze) linhas serão desclassificados. EXTRAÍDO DE: <http://www1.folha.uol.com.br/colunas/fernandocanzian/ rio-um-abismo-social.shtml> Fernando Canzian A corrupção policial e o grau de miséria nas favelas cariocas são as principais dificuldades para a política de "pacificação" das áreas dominadas pelo crime organizado no Rio. Passada a fase "quente" dos últimos dias, os dois problemas vão ficando cada vez mais claros e enormes. Foi a polícia corrupta do Rio quem permitiu a instalação de grupos criminosos nas favelas e quem os armou, haja vista a quantidade do arsenal apreendido recentemente. Depois, foi essa mesma polícia quem se transmutou nas milícias que hoje achacam moradores em troca de "proteção". Iniciado o processo de "limpeza" dessas áreas, dificilmente as autoridades voltarão atrás. Há Copa e Olimpíadas no calendário e interesses políticos e comerciais enormes por trás da "pacificação". Algumas das áreas de favela no Rio estão no coração da cidade, a poucas centenas de metros de praias e em áreas etremamente valorizadas como Copacabana, Ipanema e Leblon. O mercado imobiliário e financiadores de campanhas políticas estão atentos a esse processo. Apenas dois mil homens estão hoje lotados nas UPPs que pretendem epulsar o tráfico da cidade. A Secretaria de Segurança quer mais para um total de 40 UPPs. É de se esperar que parcela importante desses novos policiais caia no mesmo redemoinho que levou outros a interagirem com o tráfico. Não eiste nenhuma razão para que isso não ocorra. Mesmo que isso se dê de forma mais "mansa", não permitindo mais a ostentação de armas e o controle total por parte dos traficantes, é de se esperar que, no mínimo, o crime organizado apenas mude de endereço. É na distante zona norte e região da Baiada Fluminense onde se concentram o maior risco de migração. Longe da classe média e dos 3

2 holofotes da mídia, são áreas que poderão acolher a criminalidade (e a corrupção policial) sem maiores "danos colaterais" aos políticos. Mais ou menos como já ocorre na Grande São Paulo, onde a classe média "formadora de opinião" vive ilhada, alheia e distante do que acontece diariamente nas distantes periferias. A outra dificuldade é o abismo de indicadores sociais que separa os cariocas do "asfalto" dos "do morro". Sem integrar essas "duas sociedades", dificilmente a política de pacificação dará certo no longo prazo. Segundo estudo divulgado há poucos dias pela FGV-RJ, é chocante a perspectiva de vida dos milhões que hoje vivem nas favelas do Rio. O dado mais impressionante é que jovens da classe média e das favelas começam a vida por volta dos 20 anos ganhando praticamente a mesma coisa, cerca de R$ 250 ao mês. Mas, com o passar dos anos, o favelado mantém, até depois dos 60 anos, um rendimento médio que não passa de R$ 600. Na classe média, ele vai subindo durante a vida, até chegar, após os 60, a uma média mensal de R$ A chave é a educação. Na comparação com a classe média, apenas 10% dos favelados chegam à universidade (24% a 2,5%). E o total de anos passados na escola é 1/3 menor (9,9 anos a 6,4) entre os que vivem nas favelas. É ótimo que o Rio ataque o problema do crime organizado nas favelas. Mas, como sempre, o buraco é bem mais embaio. Etraído de: <http://www1.folha.uol.com.br/colunas/fernandocanzian/ rio-um-abismo-social.shtml> QUESTÃO 1) O teto I aponta alguns fatores como determinantes para a dificuldade de pacificar as áreas dominadas pelo crime organizado no Rio de Janeiro. São eles: A) a educação e a corrupção policial. B) o grau de miséria nas favelas e a corrupção policial. C) a miséria e a falta de educação. D) a corrupção dos habitantes e a falta de educação. E) a ausência de políticas públicas adequadas e a falta de educação. QUESTÃO 2) Ao longo do teto, o autor Fernando Canzian só NÃO busca: A) eplicitar as razões que dificultam o processo de implantação de um projeto de pacificação em áreas dominadas pelo crime organizado. B) apresentar os motivos para as autoridades desejarem a limpeza de áreas dominadas pelo crime organizado. C) demonstrar certa descrença de que o processo de pacificação chegue integralmente a termo. D) sugerir que a descriminalização das drogas seja o único caminho viável para se resolver o problema. E) apontar o aumento da escolaridade como fator essencial para a redução da miséria hoje eistente nas comunidades dominadas pelo crime organizado. QUESTÃO 3) No último parágrafo do teto I, Fernando Canzian sugere que: A) o poder público mais uma vez não está realmente determinado a resolver o problema. B) o crime organizado será rechaçado e a paz reinará na cidade do Rio de Janeiro. C) se as autoridades não combaterem de fato as causas reais, o problema do crime organizado no Rio de Janeiro não será resolvido. D) o crime organizado é consequência apenas da falta de educação dos moradores. E) o Rio de Janeiro nunca resolverá o problema do crime organizado. QUESTÃO 4) Não eiste nenhuma razão para que isso não ocorra. O termo destacado em tal afirmação, presente no 8.º parágrafo do teto, faz referência à: A) crença de que os novos policiais que venham a atuar em áreas de pacificação possam ser levados à corrupção como o foram os seus antecessores. B) permanência de um quadro insuficiente de policiais em áreas de pacificação. 4

3 C) certeza de que o crime organizado continuará a imperar nos morros cariocas. D) vontade de que os policiais consigam desenvolver o seu trabalho em regiões antes dominadas pelo tráfico. E) inércia do poder público no intuito de resolver a questão do crime organizado. QUESTÃO 5) Longe da classe média e dos holofotes da mídia, são áreas que poderão acolher a criminalidade (e a corrupção policial) sem maiores "danos colaterais" aos políticos. No trecho em questão, o autor faz uso de uma importante figura de linguagem denominada: A) polissíndeto. B) catacrese. C) eufemismo. D) pleonasmo. E) ironia. TEXTO II Um abismo chamado educação... O nome do jogo é qualidade. A batalha do ensino, que define o futuro dos meninos, vai ser decidida dentro da sala de aula. Fernando Dantas/RIO - O Estado de S.Paulo No próimo governo, a parte mais importante da política social pode ser a que vai tratar de educação. Uma das principais eplicações sobre por que o crescimento econômico nesta década tem sido tão favorável aos pobres - a renda do trabalho da base da pirâmide cresce muito mais rápido do que a do topo - é a redução das desigualdades educacionais no Brasil. Que, ainda assim, permanecem gigantescas. Para manter e acelerar essa melhora, o novo presidente terá de investir bem mais na qualidade da educação no ensino básico. Até agora, o avanço tem sido mais na escolaridade média, medida em anos de estudo, e não no nível de aprendizado dos alunos. Pode parecer surpreendente que um país com qualidade sofrível de ensino na rede pública esteja reduzindo diferenças educacionais ao ponto de estreitar a diferença de renda entre ricos e pobres. Mas o especialista Naércio Menezes, professor e coordenador do Centro de Políticas Públicas do Insper, garante que é isso mesmo: "Quando colocamos quase todas as crianças no fundamental - um processo iniciado na década de 90 - e elas começaram a chegar em maior número ao ensino médio, e a se matricular no ensino superior, a desigualdade começou a cair. Isso ocorreu mesmo sem melhora efetiva da qualidade da educação, só pelo acesso." O efeito da escolarização no mercado de trabalho pode ser medido, eplica Menezes, pela redução dos diferenciais de renda associados à educação. Quando a qualificação é escassa, o seu preço sobe. No Brasil, esses diferenciais são muito grandes, revelando que ainda persiste um abismo de diferenças educacionais. Ainda assim, o "prêmio" salarial pelo diploma universitário começou a recuar a partir de 2005, e o relativo ao ensino médio já encolhe desde não por coincidência, momento muito próimo do início da redução mais intensa da desigualdade da renda do trabalho nos últimos anos. Segundo Naércio, o único diferencial educacional que ainda está crescendo é o da pósgraduação. O impulso educacional na redução da desigualdade deve continuar nos próimos anos, por inércia, à medida que sucessivas gerações cheguem ao mercado de trabalho com um nível cada vez maior de anos médios de estudo (hoje está por volta de 7,5 anos, para a população de 15 ou mais de idade). Esse é um efeito, porém, que pode diminuir, na proporção em que o país vá completando o trabalho de universalizar a educação básica. Dessa forma, o ataque à má qualidade do ensino público será cada vez mais importante. A boa notícia é que os especialistas já começam a energar a luz no fim do túnel também no front da qualidade, embora os avanços sejam muito tênues. [...] Etraído de: mp615798,0.php 5

4 QUESTÃO 6) Conforme o teto, é INCORRETO afirmar que: A) a redução da desigualdade educacional é fator de redução da desigualdade social. B) apesar de se verificar a redução da desigualdade educacional, afirma-se que esta permanece gigantesca. C) embora haja avanços em relação ao nível de escolaridade da população, não se pode dizer que haja avanços em relação ao nível de aprendizagem. D) a principal preocupação da próima presidente é investir na educação superior. E) o crescimento econômico nesta década tem sido favorável aos pobres. QUESTÃO 7) Todos os trechos abaio etraídos do teto referem-se a observações de Naércio Menezes acerca das mudanças provocadas pela educação na sociedade, EXCETO: A) "Quando colocamos quase todas as crianças no fundamental - um processo iniciado na década de 90 - e elas começaram a chegar em maior número ao ensino médio, e a se matricular no ensino superior, a desigualdade começou a cair. B) O efeito da escolarização no mercado de trabalho pode ser medido, eplica Menezes, pela redução dos diferenciais de renda associados à educação. C) No próimo governo, a parte mais importante da política social pode ser a que vai tratar de educação. D) [...] o único diferencial educacional que ainda está crescendo é o da pós-graduação. E) Isso [a queda da desigualdade] ocorreu mesmo sem melhora efetiva da qualidade da educação, só pelo acesso." QUESTÃO 8) No trecho, o prêmio salarial pelo diploma universitário começou a recuar a partir de 2005, e o relativo ao ensino médio já encolhe desde 2002, a epressão destacada significa: A) acerto salarial B) redução salarial C) correção salarial D) revolução salarial E) promoção salarial QUESTÃO 9) O único trecho destacado que contém um substantivo formado pelo processo de derivação regressiva é: A) Para manter e acelerar essa melhora, o novo presidente terá de investir bem mais na qualidade da educação no ensino básico. B) A boa notícia é que os especialistas já começam a energar a luz no fim do túnel também no front da qualidade, embora os avanços sejam muito tênues. C) Esse é um efeito, porém, que pode diminuir, na proporção em que o país vá completando o trabalho de universalizar a educação básica. D) O impulso educacional na redução da desigualdade deve continuar nos próimos anos. E) No Brasil, esses diferenciais são muito grandes, revelando que ainda persiste um abismo de diferenças educacionais. QUESTÃO 10) O período A boa notícia é que os especialistas já começam a energar a luz no fim do túnel também no front da qualidade, embora os avanços sejam muito tênues. está corretamente reescrito em: A) A boa notícia é que os especialistas já começam a energar a luz no fim do túnel também no front da qualidade, se os avanços forem muito tênues. B) A boa notícia é que os especialistas já começam a energar a luz no fim do túnel também no front da qualidade, para que os avanços sejam muito tênues. C) A boa notícia é que os especialistas tanto já começam a energar a luz no fim do túnel também no front da qualidade, que os avanços são muito tênues. D) A boa notícia é que os especialistas já começam a energar a luz no fim do túnel também no front da qualidade, porque os avanços são muito tênues. 6

5 E) A boa notícia é que os especialistas já começam a energar a luz no fim do túnel também no front da qualidade, ainda que os avanços sejam muito tênues. Literatura QUESTÃO 11) Observe a afirmativa abaio e depois marque a alternativa correta: A poesia de Drummond é algo que etrapola o gênero poético, podendo se revelar em qualquer parte, mesmo em contos delicados e de aparência despretensiosa, mas fortes, como os de Contos de aprendiz. A) a afirmativa é falsa porque poesia e prosa se diferem em estrutura e sentido. B) a afirmativa é falsa porque Drummond produziu apenas poesia ao longo de sua vida. C) a afirmativa é verdadeira porque Drummond é considerado o melhor contista do século XX. D) a afirmativa é verdadeira porque Drummond é considerado o melhor poeta de todos os tempos. E) a afirmativa é verdadeira porque poesia e prosa se dialogam e o fazer poético independe da estrutura. A) A afirmativa está incorreta porque Morte e Vida Severina foi escrito para o cinema e não para o teatro. B) A afirmativa está correta porque o auto de Natal mostra a condição de vida dos severinos C) A afirmativa está incorreta porque o adjetivo Severina refere-se à morte e não à vida. D) A afirmativa está incorreta, porque, assim como O Auto da Barca do Inferno, Morte e Vida Severina refere-se à morte. E) A afirmativa está correta, porque no final da peça, Severino arruma um emprego em engenho de açúcar, como acontece com Carlos de Menino de Engenho. QUESTÃO 14) Observe as seguintes afirmativas sobre Dom Casmurro de Machado de Assis e marque a INCORRETA. A) A história se desenvolve na Bahia do século XVIII B) É uma obra de caráter psicológico. C) É narrado em primeira pessoa. D) O ciúme é o tema central da obra. E) Trata-se de um romance realista. QUESTÃO 12) Sobre Menino de Engenho de José Lins do Rego, afirma-se, EXCETO: A) Foi publicado em 1932 e marca a estreia de José Lins do Rego no Romance. B) Tem uma narração em primeira pessoa, feita pelo personagem Carlos. C) Mostra as relações sociais dos meninos de rua de Salvador, como acontece também em Capitães de Areia de Jorge Amado. D) Mostra a história de um menino que vai viver com o avô em uma fazenda nordestina. E) Mostra a realidade nordestina do ciclo da cana-de-açúcar, seu apogeu e decadência. QUESTÃO 13) Observe a afirmativa abaio e depois marque a alternativa correta: O auto de natal Morte e Vida Severina possui estrutura dramática: é uma peça de teatro. Severino, personagem, se transforma em adjetivo, referindo-se à vida severina, à condição severina, à miséria QUESTÃO 15) Observe a estrofe de um poema de Vinícius de Moraes, tirado do livro Antologia Poética e marque a alternativa correta: E no longo capítulo das mulheres, Senhor, [tende piedade das mulheres Castigai minha alma, mas tende piedade das [mulheres Enlouquecei meu espírito, mas tende piedade das [mulheres Ulcerai minha carne, mas tende piedade das [mulheres! A) É a primeira estrofe do início do Soneto do Amor Total. B) É a primeira estrofe do Soneto da Separação. C) É o final do Soneto da Devoção. D) É a primeira estrofe de O Desespero da Piedade. E) Trata-se do início do Poema à Mulher que Passa. 7

6 Inglês Airlines cut flights, routes From Butte, Montana, to Hagerstown, Pennsylvania, more than 100 small and mediumsize cities across the US will see reductions in airline service by year's end. Some communities will lose commercial service altogether. Surging oil prices, driving up the cost of jet fuel, are behind the cuts. For the first time in aviation history, airlines are forced to reduce the number of flights offered and eliminate some destinations even as demand for their services remains high. The result: It will be harder for many Americans to get from where they are to where they want to go, planes will remain elbow-roomonly packed, and ticket prices will soar higher. The aviation reductions will also produce economic ripples that etend far beyond those airports with newly empty tarmacs, some aviation eperts warn. "This is not about Butte. This is about the national economy," says Roger Cohen, president of the Regional Airline Association. "Commercial air service is part of the backbone of the American economy... All of the industries that have grown up with cheap, competitive airfares over the last decade will be affected." The impact of the service cuts probably won't be felt until 2009, because most aren't slated to go into effect until fall. The summer schedule has been pretty much set and sold for months. But here's the rub: Most of the tickets for the peak summer season were sold before oil skyrocketed above $130 a barrel. That means that even as passengers are packed like sardines into planes and it would appear that the airlines should be raking in huge profits, the carriers are actually losing money. To make up the losses, airlines must ensure that in the future they fly only very profitable routes. As a result, some communities where airlines rely on regional jets that guzzle a lot of fuel will see service cuts, even though plenty of passengers may still want to fly from there. (Teto adaptado de AFP 05/30/2008) Choose the BEST option to complete the following statements according to the tet. QUESTION 16) The increase in the price of jet fuel is caused by the A) Airline cutbacks. B) Rising oil prices. C) Routes. D) Regional jets. E) The reduction in the number of flights. QUESTION 17) According to the tet, most of these cuts will take effect A) In the fall. B) Immediately. C) In the summer. D) E) In a few months. QUESTION 18) Airlines want to eliminate: A) All routes in Montana and Pennsylvania. B) Routes which are not profitable. C) Many international routes. D) The routes in Hagerstown. E) Some routes in Montana. QUESTION 19) The tet doesn t say that A) The results of the cuts possibly will not be felt until B) This decision will eliminate overcrowding. C) Tickets for the summer flying season were sold before these changes. D) Routes are being cut because no one wants to fly from these cities. E) Some communities will see service cuts. 8

7 Matemática QUESTÃO 20) Em enquete realizada numa turma de 60 alunos do UNILAVRAS, tomou-se conhecimento dos seguintes dados, que relacionam o número de alunos ao(s) esporte(s) que praticam: Número de alunos Esporte Praticado 40 Futebol 30 Natação 15 Tênis 20 Futebol e Natação 10 Futebol e Tênis 8 Natação e Tênis 5 Futebol, Natação e Tênis O número de alunos que não pratica esporte, nesse grupo, é: A) 0 B) 5 C) 8 D) 13 E) 25 QUESTÃO 22) Um parque Esportivo possui duas piscinas, a de Aprendizagem, com superfície retangular de 18m por 6m, e a Terapêutica, com superfície também retangular de 300m 2. As dimensões da superfície da piscina Terapêutica, supondo que suas medidas sejam proporcionais às da superfície da piscina de Aprendizagem, são: A) 60m 5m B) 40m 7,5m C) 30m 10m D) 24m 12,5m E) 20m 15m QUESTÃO 23) Devido à gripe do último inverno, foram tomadas algumas providências para evitar epidemia e uma delas foi a suspensão de apresentações e palestras em lugares fechados. Uma alternativa foi realizar essas atividades em lugares abertos, como parques ou praças. Para uma dessas apresentações na Pça Dr. Augusto Silva, precisou-se compor uma platéia com oito filas, de tal forma que na primeira fila houvesse 10 cadeiras; na segunda, 14 cadeiras; na terceira, 18 cadeiras; e assim por diante. O total de cadeiras utilizadas foi de: QUESTÃO 21) Se f () = y = f ( ) f ( ) 1 f ( ) f ( ) é: 1, então 1 A) 80 B) 92 C) 168 D) 192 E) 384 A) B) C) QUESTÃO 24) A solução do sistema 4 y 3y 2y z 2z z D) 2 1 E) é: A) (-2, 7, 1) B) (4, -3, 5) C) (0, 1, 5) D) (2, 3, 1) E) (1, 2, 3) 9

8 Geografia QUESTÃO 25). Tanto a origem das formas de relevo como as modificações que elas sofrem com o tempo são resultantes de forças eternas e internas da Terra. Geografia: O mundo em transição - José William Vesentini. Editora Ática: Pág. 185 Assinale a alternativa que apresenta somente os agentes eternos modificadores do relevo: A) Chuvas - Vento - Seres Vivos B) Neve - Terremoto - Rios C) Vulcanismo - Tectonismo - Terremotos D) Intemperismo - Vento - Abalos Sísmicos E) Chuvas - Vulcanismo - Vento QUESTÃO 26) Observe a charge abaio: jpg A origem da situação demonstrada na charge se associa a seguinte consequência do aquecimento global: A) Formação de ondas gigantes resultantes de terremotos no subsolo oceânico. B) Deformação na costa litorânea provocada pela tectônica das placas. C) Aumento do nível dos oceanos resultante do degelo polar. D) Aumento anormal das marés provocado por ciclones etratropicais. E) Formação de ondas nos leitos dos rios pelo fenômeno da pororoca. QUESTÃO 27) Observe a tabela abaio: BRASIL: DISTRIBUIÇÃO DOS IMÓVEIS RURAIS SEGUNDO A DIMENSÃO Dimensão dos imóveis (ha) Menos de 10 De 10 a 100 De 100 a Mais de Número de propriedades (proporção sobre o total) Área dos imóveis (proporção sobre o total) ,4% 49,7% 3,1% 2,3% 39,3% 39,6% 20,4% 17,7% 8,5% 9,7% 36,9% 34,9% 0,8% 1,0% 39,6% 45,1% Fonte: IBGE. Censo Agropecuário de Adaptado Todas as alternativas apresentam conclusões corretas obtidas pela interpretação da tabela, EXCETO: A) Entre 1970 e 1996 o percentual de propriedades rurais com menos de 10ha diminuiu. B) A maior parte das propriedades rurais possui menos de 100ha. C) Nas propriedades com menos de 1.000ha houve uma redução na concentração de terras, entre 1970 e D) A área dos imóveis com mais de 1.000ha foi ampliada em 5,5 pontos percentuais no período apresentado na tabela. E) Entre 1970 e 1996 houve uma concentração de terras nas pequenas e médias propriedades. QUESTÃO 28). O etrativismo do láte e da castanha-do-pará (final do século XIX e início do século XX) foi um dos motores do processo de produção e organização regional do espaço regional da região Norte. Essas atividades estimularam... A) O processo de industrialização da região. B) A criação da SUDAM (Superintendência de Desenvolvimento na Amazônia). C) O investimento em agricultura intensiva na região. D) Atração de migrantes brasileiros e estrangeiros. E) A construção de rodovias pavimentadas na região. 10

9 História QUESTÃO 29) Entre os séculos XVII e XIX, a Europa Ocidental foi palco de movimentos políticos e sociais que determinaram mudanças nas estruturas presentes nas sociedades conservadoras de então. Dentre tais movimentos, destaca-se: A) a Primavera de Praga B) a Revolução Praieira C) a Primavera dos Povos D) a Revolução dos Cravos E) a Guerra dos Boers QUESTÃO 30) Após a Segunda Guerra Mundial ( ), o mundo foi dividido em dois pólos de referência, ou seja, capitalista e socialista. O primeiro tinha como líder os Estados Unidos da América e o segundo, a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Foi uma intensa polarização ideológica conhecida como Guerra Fria. Do lado estadunidense, foi criada uma aliança político-militar denominada Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), o mesmo acontecendo do lado soviético. Tal aliança soviética ficou conhecida por: A) Plano Marshall B) Pacto de Varsóvia C) Frente de Libertação Nacional D) Plano Cohen E) Intentona Comunista QUESTÃO 31) No início da história republicana brasileira houve algumas revoltas populares de caráter messiânico. De todas as revoltas, uma ficou celebrizada na obra de Euclides da Cunha. Identifique a revolta e o nome da obra nas alternativas abaio: A) Revolta de Canudos e Os Sertões B) Revolta da Chibata e Os Sertanejos C) Revolta do Contestado e Grandes Sertões Veredas D) Revolta da Vacina e Macunaíma E) Revolta da Armada e Mulato QUESTÃO 32) A Comissão Pastoral da Terra (CPT) ligada à Igreja Católica no Brasil articulou os vários movimentos rurais eistentes no país na década de 1980 e isso possibilitou a formação no ano de 1984: A) do Movimento dos Agricultores sem Terra do Oeste do Paraná B) do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto C) do Movimento dos Camponeses sem Terra do Noroeste do Rio Grande do Sul D) do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra E) do Movimento das Donas de Casa Química QUESTÃO 33) Em uma reação, o compleo ativado: A) possui mais energia que os reagentes ou os produtos. B) age como catalisador. C) sempre forma produtos. D) é composto estável. E) possui menos energia que os reagentes ou os produtos. QUESTÃO 34) Prevê-se que na Serra dos Carajás, no Estado do Pará, haja toneladas de minério com teor aproimado de 60% de ferro. Sabendo que um prego grande contém cerca de 6 g de ferro, quantos pregos poderiam ser fabricados com todo o minério de Carajás? A) B) C) D) E)

10 QUESTÃO 35) Na embalagem de álcool para uso doméstico vem escrito: álcool hidratado 96 ºGL, de baio teor de aldeídos. Produto não perecível. Dessas informações, fazem-se as afirmações: I. Esse álcool possui aproimadamente 96% de etanol e 4% de água. II. O grupamento característico de aldeído é representado pela fórmula: - CHO. III. O álcool em questão tem fórmula estrutural H 3 C CH 2 OH. IV. Álcool e aldeído são funções inorgânicas. V. Não perecível significa deteriorar-se com facilidade. Das afirmações feitas, as INCORRETAS são: A) IV e V. B) I e III. C) II e III. D) I, II e III. E) Todas. QUESTÃO 36) O composto propino sofreu hidratação em meio ácido. O principal produto dessa reação é: A) ácido etanóico B) propano-2,2-diol C) propanal D) propan-2-ol E) propanona Biologia QUESTÃO 37) Thomas Hunt Morgan e seus colaboradores ajudaram a esclarecer muitos mecanismos genéticos que não foram contemplados pelas Leis de Mendel. O acoplamento e/ou repulsão entre os alelos de genes diferentes é um deles. Marque a opção que se relaciona a esses dois fenômenos eplicados por Morgan. A) Penetrância B) Segregação C) Ligação D) Dominância E) Efeito de posição QUESTÃO 38) Uma comunidade de bromeliáceas vivendo sobre troncos de arvores em uma floresta ombrofila compreende um claro eemplo de: A) Facilitação B) Tolerância C) Inibição D) Sucessão tardia E) Parasitismo QUESTÃO 39) Os túbulos de Malpighi são estruturas ecretoras presentes em: A) Insetos e aracnideos B) Tardigrados e insetos C) Minhocas e caramujos D) Insetos e platelmintos E) Moluscos e platelmintos QUESTÃO 40) Considerando-se as doenças: Gripe, Paralisia Infantil, Gonorréia, Doença de Chagas, Amarelão, Cólera, Tuberculose e Febre Amarela, assinale a alternativa correta. A) A antibioticoterapia é aplicada para a Cólera, Tuberculose e Gonorréia, uma vez que essas substâncias interferem no metabolismo bacteriano. B) A dedetização diminuiria a incidência de febre amarela e da Doença de Chagas porque ambas são veiculadas por insetos, respectivamente piolho e barbeiro. C) Sendo a gripe e a febre amarela determinadas por infecções virais o tratamento adequado seria com a utilização de antibióticos. D) Tanto a gonorréia quanto a cólera podem ser prevenidas com a utilização de preservativos, uma vez que são transmitidas seualmente. E) As vacinas disponíveis para paralisia infantil, doença de chagas e amarelão são constituídas de antígenos vivos ou atenuados, conferindo imunidade aos indivíduos. QUESTÃO 41) No Brasil, a lista de peies ameaçados pode ser seis vezes maior. A lista oficial de espécies ameaçadas no Brasil elenca 133 peies sob risco de sumir no país, mas o número verdadeiro pode ser entre quatro e seis 12

11 vezes maior, revela um novo levantamento. O estudo, publicado recentemente na revista científica de acesso livre "PLoS One", mostra como a biodiversidade dos rios do país anda mal das pernas. Embora o Brasil abrigue a maior variedade de peies de água doce do planeta, com quase espécies registradas em 2007, 819 delas são classificadas, na pesquisa, como potencialmente ameaçadas. Fonte: Reinaldo J. Lopes, Jornal Folha de São Paulo10/07/2010. Depois de ler o teto acima com atenção marque a alternativa correta em relação aos peies: A) Os peies atuais são classificados em: Agnatha (Peies sem mandíbula), Peies ósseos e Peies Cartilaginosos, sendo este último grupo, o que apresenta maior número de espécies no Brasil. B) os peies cartilaginosos possuem opérculo que protege as brânquias. C) os peies ósseos possuem apenas aberturas branquiais por onde a água passa e entra em contato com as brânquias, onde são realizadas as trocas gasosas. D) os peies ósseos mantêm a flutuabilidade neutra ajustando o volume de gás na beiga natatória conforme alteram sua profundidade na coluna de água. E) o cavalo marinho é um tipo de peie cartilaginoso onde o macho é que incuba os ovos. Física QUESTÃO 42) Davi, partindo do marco 0 km, caminha 3 km na direção oeste e, depois 4 km na direção sul. Ao final do percurso seu deslocamento total terá sido de: A) 1 km B) 3 km C) 4 km D) 5 km E) 7 km QUESTÃO 43) Em uma sala de temperatura homogênea, toca-se numa peça de metal e numa peça de madeira; nota-se que o metal parece mais frio que a madeira. Esta diferença de sensação dá-se porque: A) O calor específico do metal é maior que o calor específico da madeira B) A temperatura do metal está mais baia que a temperatura da madeira C) O coeficiente de condutibilidade térmica do metal é maior que o da madeira D) O metal conduz o calor por condução e a madeira por radiação E) A madeira é menos densa que o metal QUESTÃO 44) Leia atentamente o poema abaio: Colho esta luz solar à minha volta, No meu prisma a disperso e recomponho: Rumor de sete cores, silêncio branco. Como flechas disparadas do seu arco, Do violeta ao vermelho percorremos O inteiro espaço que aberto no suspiro Se remata convulso em grito rouco. Depois todo o rumor se reconverte Tornam as cores ao prisma que define À luz solar de ti e ao silêncio. SARAMAGO, José. Os poemas possíveis. 5. ed. Lisboa: Caminho, A leitura desse poema remete a conceitos científicos e à necessidade de conhecer sua natureza. Considerando isso, avalie as seguintes afirmativas: I O que ocorre fisicamente é que o prisma, por meio da refleão da luz, é capaz de gerar novas cores além da branca. II O principal fenômeno físico a que se refere o poema é a dispersão da luz, que é a separação do espectro luminoso devido aos diferentes desvios que as frequências da onda podem sofrer ao mudar de meio. III A dispersão da luz nas gotículas de água também é responsável pelo aparecimento do 13

12 arco-íris com suas diversas cores, que estão destacadas no verso do violeta ao vermelho percorremos. IV - A presença das diversas frequências na luz do sol a faz branca aos nossos olhos, efeito utilizado de forma poética no verso rumor de sete cores, silêncio branco. É correto apenas o que se afirma em: A) I, II e IV B) II, III e IV C) I, II, e III D) II e III E) I e III QUESTÃO 45) O pára-raios tem por finalidade oferecer um caminho mais eficiente para as descargas elétricas atmosféricas, protegendo casas, edifícios, depósitos de combustíveis, linhas de transmissão de energia elétrica etc. Seu funcionamento é eplicado por: A) blindagem eletrostática. B) supercondutividade. C) efeito joule. D) histerese magnética. E) poder das pontas. 14

13 GABARITO QUESTÃO 1 B QUESTÃO 16 B QUESTÃO 31 A QUESTÃO 2 D QUESTÃO 17 A QUESTÃO 32 D QUESTÃO 3 C QUESTÃO 18 B QUESTÃO 33 A QUESTÃO 4 A QUESTÃO 19 D QUESTÃO 34 C QUESTÃO 5 E QUESTÃO 20 C QUESTÃO 35 A QUESTÃO 6 D QUESTÃO 21 D QUESTÃO 36 E QUESTÃO 7 C QUESTÃO 22 C QUESTÃO 37 C QUESTÃO 8 E QUESTÃO 23 D QUESTÃO 38 A QUESTÃO 9 A QUESTÃO 24 E QUESTÃO 39 B QUESTÃO 10 E QUESTÃO 25 A QUESTÃO 40 A QUESTÃO 11 E QUESTÃO 26 C QUESTÃO 41 D QUESTÃO 12 C QUESTÃO 27 E QUESTÃO 42 D QUESTÃO 13 B QUESTÃO 28 D QUESTÃO 43 C QUESTÃO 14 A QUESTÃO 29 C QUESTÃO 44 B QUESTÃO 15 D QUESTÃO 30 B QUESTÃO 45 E Prof. Ale de Oliveira Ribeiro Coordenador da CPS

O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa.

O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa. O que é o Aquecimento Global? O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa. O efeito estufa é um fenômeno natural e consiste na retenção de calor irradiado pela

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

Notas sobre experiências de Pacificação em favelas do Rio de Janeiro - Brasil.

Notas sobre experiências de Pacificação em favelas do Rio de Janeiro - Brasil. Conferencia Internacional Violencia en Barrios en America Latina Notas sobre experiências de Pacificação em favelas do Rio de Janeiro - Brasil. Lia de Mattos Rocha Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

3 Breve história da criminalidade nas favelas

3 Breve história da criminalidade nas favelas 3 Breve história da criminalidade nas favelas A origem das favelas no Rio de Janeiro é consensualmente datada no final do século XIX. A primeira favela foi a ocupação do Morro da Providência no centro

Leia mais

in Revista Visão Júnior, nº78, novembro de 2010 (adaptação gráfica)

in Revista Visão Júnior, nº78, novembro de 2010 (adaptação gráfica) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTO ANTÓNIO Língua Portuguesa Esta Visão Júnior é dedicada ao ambiente. ( ) vais descobrir muitas formas diferentes de contribuir para preservar a Terra. O estado do planeta

Leia mais

07. Alternativa c. Seja PABC a pirâmide regular, com as medidas indicadas. Tem-se:

07. Alternativa c. Seja PABC a pirâmide regular, com as medidas indicadas. Tem-se: + + = = = + = = = = = = 07. Alternativa c. Seja PABC a pirâmide regular, com as medidas indicadas. Tem-se: (1) PP'A: 4 = cos60º = 1 = () PABC é regular P' é baricentro y = y = () ABC é equilátero + y =

Leia mais

Processo Seletivo/UFU - julho 2007-1ª Prova Comum GEOGRAFIA QUESTÃO 11. TAXAS DE URBANIZAÇÃO EM PAÍSES SELECIONADOS, 2003 (em %)

Processo Seletivo/UFU - julho 2007-1ª Prova Comum GEOGRAFIA QUESTÃO 11. TAXAS DE URBANIZAÇÃO EM PAÍSES SELECIONADOS, 2003 (em %) GEOGRAFIA QUESTÃO 11 Observe a tabela. TAXAS DE URBANIZAÇÃO EM PAÍSES SELECIONADOS, 2003 (em %) * Estimativa. Fonte: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD, 2003. Com relação ao processo

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego EVOLUÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA DE TRABALHO ASSINADA 2003-2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 2 Pesquisa Mensal de Emprego - PME I - Introdução A Pesquisa

Leia mais

OS OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA PERSPECTIVA DE GÊNERO

OS OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA PERSPECTIVA DE GÊNERO OS OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA PERSPECTIVA DE GÊNERO Conjuntura Para além de enfrentarem a discriminação social e familiar, muitas mulheres ainda lutam para ultrapassar os obstáculos ao

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Geografia

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Geografia COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Geografia Nome: Ano: 2º Ano 1º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Ciências Humanas Disciplina:

Leia mais

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens Um país de idosos Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens A expectativa de vida do brasileiro aumentou mais de 20 anos em

Leia mais

Economia Internacional

Economia Internacional Economia Internacional A abertura de novos mercados criou condições para que a produção econômica mundial crescesse em mais de 150% desde 1980, com a poluição aumentando no mesmo ritmo. Amplo consenso

Leia mais

REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA

REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA Unidade 2, Tema 2 e 3. Págs. 50 53 Personagem. Pág. 55 e 64 Ampliando Conhecimentos. Págs. 60-61 Conceitos Históricos. Pág. 65 Em foco. Págs. 66-71 GUERRA DE CANUDOS

Leia mais

URBANIZAÇÃO LUGAR É A BASE

URBANIZAÇÃO LUGAR É A BASE URBANIZAÇÃO LUGAR É A BASE. DA REPRODUÇÃO DA VIDA E PODE SER ANALISADO PELA TRÍADE HABITANTE- IDENTIDADE-LUGAR. OBJETIVOS ESPECÍFICOS A. Caracterizar o fenômeno da urbanização como maior intervenção humana

Leia mais

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014 GEOGRAFIA QUESTÃO 1 A Demografia é a ciência que estuda as características das populações humanas e exprime-se geralmente através de valores estatísticos. As características da população estudadas pela

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

Instituto de Educação infantil e juvenil Inverno, 2013. Londrina, de. Nome: Ano: Tempo Início: término: total:

Instituto de Educação infantil e juvenil Inverno, 2013. Londrina, de. Nome: Ano: Tempo Início: término: total: Instituto de Educação infantil e juvenil Inverno, 2013. Londrina, de. Nome: Ano: Tempo Início: término: total: Edição XVIII MMXIII Extra 6º ao 9º anos MUDANÇAS CLIMÁTICAS Hoje, tivemos a presença das pesquisadoras

Leia mais

Os 10 bairros onde o aluguel mais subiu no Rio de Janeiro.

Os 10 bairros onde o aluguel mais subiu no Rio de Janeiro. CDURP Tópico: Porto Maravilha 09/08/2012 Exame.com - SP Editoria: Economia Pg: 07:00:00 Os 10 bairros onde o aluguel mais subiu no Rio de Janeiro. Priscila Yazbek Veja quais foram os bairros que tiveram

Leia mais

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos POPULAÇÃO BRASILEIRA Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos Desde a colonização do Brasil o povoamento se concentrou no litoral do país. No início do século XXI, a população brasileira ainda

Leia mais

CAPÍTULO 4 DESASTRES NATURAIS

CAPÍTULO 4 DESASTRES NATURAIS CAPÍTULO 4 DESASTRES NATURAIS Quando vimos na TV o acontecimento do Tsunami, em 2004, pensamos: O mundo está acabando! Mas por que esses desastres naturais estão, cada vez mais, assolando nosso planeta?

Leia mais

JOSANE BATALHA SOBREIRA DA SILVA APROXIMANDO CULTURAS POR MEIO DA TECNOLOGIA

JOSANE BATALHA SOBREIRA DA SILVA APROXIMANDO CULTURAS POR MEIO DA TECNOLOGIA JOSANE BATALHA SOBREIRA DA SILVA APROXIMANDO CULTURAS POR MEIO DA TECNOLOGIA Valinhos, setembro de 2014 1 JOSANE BATALHA SOBREIRA DA SILVA APROXIMANDO CULTURAS POR MEIO DA TECNOLOGIA Relato do Projeto

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências Nome: Ano: 5º Ano 1º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Ciências da Natureza Disciplina:

Leia mais

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente A U A UL LA O homem e o meio ambiente Nesta aula, que inicia nosso aprendizado sobre o meio ambiente, vamos prestar atenção às condições ambientais dos lugares que você conhece. Veremos que em alguns bairros

Leia mais

Fenômenos e mudanças climáticos

Fenômenos e mudanças climáticos Fenômenos e mudanças climáticos A maioria dos fenômenos climáticos acontecem na TROPOSFERA. Camada inferior da atmosfera que vai do nível do mar até cerca de 10 a 15 quilômetros de altitude. Nuvens, poluição,

Leia mais

Taxa de analfabetismo

Taxa de analfabetismo B Taxa de analfabetismo B.1................................ 92 Níveis de escolaridade B.2................................ 94 Produto Interno Bruto (PIB) per capita B.3....................... 96 Razão de

Leia mais

RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28

RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 no Estado do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 PANORAMA GERAL Na última década, o Brasil passou por profundas mudanças

Leia mais

1) Calcular, em m/s, a velocidade de um móvel que percorre 14,4Km em 3min. a) ( ) 70m/s b) ( ) 80 m/s c) ( ) 90m/s d) ( ) 60m/s

1) Calcular, em m/s, a velocidade de um móvel que percorre 14,4Km em 3min. a) ( ) 70m/s b) ( ) 80 m/s c) ( ) 90m/s d) ( ) 60m/s SIMULADO DE FÍSICA ENSINO MÉDIO 1) Calcular, em m/s, a velocidade de um móvel que percorre 14,4Km em 3min. a) ( ) 70m/s b) ( ) 80 m/s c) ( ) 90m/s d) ( ) 60m/s 2) Um avião voa com velocidade constante

Leia mais

Região Norte e Amazônia não são sinônimos

Região Norte e Amazônia não são sinônimos REGIÃO NORTE Região Norte e Amazônia não são sinônimos Não existe uma Amazônia, e, sim, várias. Amazônia Internacional: região natural coberta pela floresta Amazônica, que se estende por alguns países

Leia mais

O gráfico de. Freqüentemente você se depara com tabelas. Nossa aula

O gráfico de. Freqüentemente você se depara com tabelas. Nossa aula O gráfico de uma função A UUL AL A Freqüentemente você se depara com tabelas e gráficos, em jornais, revistas e empresas que tentam transmitir de forma simples fatos do dia-a-dia. Fala-se em elevação e

Leia mais

NOSSO PLANETA. O planeta Terra se caracteriza por uma história evolutiva complexa:

NOSSO PLANETA. O planeta Terra se caracteriza por uma história evolutiva complexa: NOSSO PLANETA O planeta Terra se caracteriza por uma história evolutiva complexa: Interações entre atmosfera, terra sólida, oceanos e a biosfera resultaram no desenvolvimento de uma grande e complexa variedade

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / /2011 ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIE: 6ª série/7 ano TURMA: TURNO: DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSOR: Equipe de Geografia Roteiro e lista de Recuperação

Leia mais

Exercícios Processo de Urbanização no Brasil

Exercícios Processo de Urbanização no Brasil Exercícios Processo de Urbanização no Brasil 1. Nota intitulada Urbano ou rural? foi destaque na coluna Radar, na revista Veja. Ela apresenta o caso extremo de União da Serra (RS), município de 1900 habitantes,

Leia mais

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das INFORME-SE BNDES ÁREA PARA ASSUNTOS FISCAIS E DE EMPREGO AFE Nº 48 NOVEMBRO DE 2002 EDUCAÇÃO Desempenho educacional no Brasil: O que nos diz a PNAD-2001 Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou

Leia mais

SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA

SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA QUESTÃO 01 Em uma determinada transformação foi constatado que poderia ser representada

Leia mais

Estudo de funções parte 2

Estudo de funções parte 2 Módulo 2 Unidade 13 Estudo de funções parte 2 Para início de conversa... Taxa de desemprego no Brasil cai a 5,8% em maio A taxa de desempregados no Brasil caiu para 5,8% em maio, depois de registrar 6%

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros O que o brasileiro pensa sobre a conservação e o uso da água no Brasil METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para subsidiar o planejamento

Leia mais

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular.

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular. Irradiação térmica È o processo de troca de calor que ocorre através da radiação eletromagnética, que não necessitam de um meio material para isso. Ondas eletromagnéticas é uma mistura de campo elétrico

Leia mais

CHEGAM A 21 CASOS CONFIRMADOS DE GRIPE NO BRASIL; CRECHE É INTERDITADA EM CAMPINAS (SP)

CHEGAM A 21 CASOS CONFIRMADOS DE GRIPE NO BRASIL; CRECHE É INTERDITADA EM CAMPINAS (SP) Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6 Ọ ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM 2015 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Leia a tirinha abaixo e responda às questões 1 e

Leia mais

Exercícios de Monera e Principais Bacterioses

Exercícios de Monera e Principais Bacterioses Exercícios de Monera e Principais Bacterioses 1. (Fuvest) O organismo A é um parasita intracelular constituído por uma cápsula protéica que envolve a molécula de ácido nucléico. O organismo B tem uma membrana

Leia mais

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos

Rio de cara nova. Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos Rio de cara nova Conheça dez obras que prometem mudar a cara da cidade nos próximos dez anos por Ernesto Neves 01 de Agosto de 2011 Fonte: Revista Veja Rio Cidade do Rock O terreno de 250 mil metros quadrados

Leia mais

2012 1ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA

2012 1ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 1ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA Aluno(a): Nº Ano: 7º Turma: Data: 24/03/2012 Nota: Professor(a): Valor da Prova: 40 pontos Orientações gerais: 1) Número de

Leia mais

Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning)

Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning) Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning) DISCURSOS 1, 2, 3 e 4 sem mensagem de raça ou classe (o texto do discurso é para ser lido duas vezes por cada ator,

Leia mais

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças.

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças. TEXTOS PARA O PROGRAMA EDUCAR SOBRE A APRESENTAÇÃO DA PEADS A IMPORTÂNCIA SOBRE O PAPEL DA ESCOLA Texto escrito para o primeiro caderno de formação do Programa Educar em 2004. Trata do papel exercido pela

Leia mais

Município D 8.902 545 6,12 Município E 231.977 3.544 1,53 Município F 93.655 1.280 1,37

Município D 8.902 545 6,12 Município E 231.977 3.544 1,53 Município F 93.655 1.280 1,37 01 - Os problemas ambientais estão na ordem do dia dos debates científicos, das agendas políticas, da mídia e das relações econômicas. Até muito recentemente, ao se falar de meio ambiente, as instituições

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Rio Claro, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5074,56 km² IDHM 2010 0,682 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 17124 hab.

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

Climatologia. humanos, visto que diversas de suas atividades

Climatologia. humanos, visto que diversas de suas atividades Climatologia É uma parte da que estuda o tempo e o clima cientificamente, utilizando principalmente técnicas estatísticas na obtenção de padrões. É uma ciência de grande importância para os seres humanos,

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

MATRIZ BÁSICA DO REFERENCIAL CURRICULAR DE BETIM 1 CICLO- GEOGRAFIA

MATRIZ BÁSICA DO REFERENCIAL CURRICULAR DE BETIM 1 CICLO- GEOGRAFIA PREFEITURA MUNICIPAL DE BETIM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SEMED DIVISÃO PEDAGÓGICA 2010 MATRIZ BÁSICA DO REFERENCIAL CURRICULAR DE BETIM 1 CICLO- GEOGRAFIA 06 ANOS 07 ANOS 08 ANOS COMPETÊNCIAS HABILIDADES

Leia mais

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro A taxa de desocupação registrada pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, nas seis principais Regiões Metropolitanas do país (Recife, Salvador, Belo Horizonte,

Leia mais

"O que não está sendo divulgado na mídia"

O que não está sendo divulgado na mídia "O que não está sendo divulgado na mídia". Essa nova versão possui mais fotos e foi disponibilizada na internet por: Clélia Dahlem da Silva. Realmente não sabemos nada, ou muito pouco, sobre a transição

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES COLÉGIO ARNALDO 2014 CADERNO DE ATIVIDADES GEOGRAFIA Aluno (a): 4º ano Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação Sistema Solar. Mapa político do Brasil: Estados e capitais. Regiões

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno.

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno. 1. ASPECTOS GERAIS Comércio é um conceito que possui como significado prático, trocas, venda e compra de determinado produto. No início do desenvolvimento econômico, o comércio era efetuado através da

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Indicadores CNI RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Previdência 20 Maioria dos brasileiros apoia mudanças na previdência Sete em cada dez brasileiros reconhecem que o sistema previdenciário brasileiro apresenta

Leia mais

Educa teu filho no caminho que deve andar, e quando grande não se desviará dele Prov.22.6

Educa teu filho no caminho que deve andar, e quando grande não se desviará dele Prov.22.6 Educa teu filho no caminho que deve andar, e quando grande não se desviará dele Prov.22.6 Bateria de Exercícios Data: 11/03/2016 Turma: 2º Ano Área II Matemática 1) Determine o sinal das expressões: a)

Leia mais

Apostila 2. Capítulo 7. A evolução da capacidade energética do ser humano. Página 233

Apostila 2. Capítulo 7. A evolução da capacidade energética do ser humano. Página 233 Apostila 2 Capítulo 7 Página 233 A evolução da capacidade energética do ser humano A vantagem energética Nosso antepassados criaram um método para as caçadas, que lhes dava certa vantagem energética sobre

Leia mais

Climas do Brasil GEOGRAFIA DAVI PAULINO

Climas do Brasil GEOGRAFIA DAVI PAULINO Climas do Brasil GEOGRAFIA DAVI PAULINO Grande extensão territorial Diversidade no clima das regiões Efeito no clima sobre fatores socioeconômicos Agricultura População Motivação! Massas de Ar Grandes

Leia mais

1ª PARTE - OBJETIVA ESPECIFICA (Valendo 05 pontos cada questão)

1ª PARTE - OBJETIVA ESPECIFICA (Valendo 05 pontos cada questão) PREFEITURA DE VÁRZEA ALEGRE CE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 01/2014 SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONTRATAÇÂO TEMPORÁRIA - PROVA DE GEOGRAFIA PROFESSOR DE GEOGRAFIA (6º ao 9º ANO) ASSINATURA DO

Leia mais

QUAL É A CIDADE MAIS DISTANTE DO MAR?

QUAL É A CIDADE MAIS DISTANTE DO MAR? SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 03 / 2 / 203 UNIDADE III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 6.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Fielzão e seu impacto na zona Leste

Urban View. Urban Reports. Fielzão e seu impacto na zona Leste Urban View Urban Reports Fielzão e seu impacto na zona Leste Programa Falando em dinheiro, coluna Minha cidade, meu jeito de morar e investir Rádio Estadão ESPN Itaquera acordou com caminhões e tratores

Leia mais

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo.

Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade IV Natureza sociedade: questões ambientais. Aula 19 Conteúdo O homem e o meio ambiente. Principais problemas ambientais do mundo. 2 CONTEÚDO

Leia mais

a) 138,6 m 2 b) 123,30 m 2 c) 115,5 m 2 d) 11.550 m 2

a) 138,6 m 2 b) 123,30 m 2 c) 115,5 m 2 d) 11.550 m 2 01 (Pucpr 0) A figura mostrada a seguir representa uma embalagem de papelão em perspectiva, construída pelo processo de corte, vinco e cola Determine a quantidade de material para fabricar 500 embalagens,

Leia mais

HIDROGRAFIA GERAL E DO BRASIL

HIDROGRAFIA GERAL E DO BRASIL HIDROGRAFIA GERAL E DO BRASIL QUESTÃO 01 - A Terra é, dentro do sistema solar, o único astro que tem uma temperatura de superfície que permite à água existir em seus três estados: líquido, sólido e gasoso.

Leia mais

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS O presente levantamento mostra a situação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) nos municípios brasileiros. Para realizar a comparação de forma mais precisa,

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES COLÉGIO ARNALDO 2014 CADERNO DE ATIVIDADES GEOGRAFIA ATENÇÃO: Este trabalho deverá ser realizado em casa, trazendo as dúvidas para serem sanadas durante as aulas de plantão. Aluno (a): 5º ano Turma: Professora:

Leia mais

Objetivo Conteúdos Habilidades

Objetivo Conteúdos Habilidades Tema 8 Um Lugar Frio e Escuro Objetivo investigar as condições ambientais predominantes nos oceanos, com destaque para os gradientes verticais de temperatura, luz e pressão hidrostática. Conteúdos física,

Leia mais

Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década

Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década 1 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO PROFESSOR BAHIA TEXTO DE CULTURA GERAL FONTE: UOL COTIDIANO 24/09/2008 Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década Fabiana Uchinaka Do UOL Notícias

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Peruíbe, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 323,17 km² IDHM 2010 0,749 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 59773 hab. Densidade

Leia mais

76 Anos Educando para a Vida

76 Anos Educando para a Vida CIANSP - COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Rua Monsenhor Domingos Pinheiro, 35 Calafate/BH Fone: (31) 3334 6913 - coorden acao@colegiopied ade.co m.b r 76 Anos Educando para a Vida DISCIPLINA: REDAÇÃO PROFESSORA:

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES

DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES Barbara Christine Nentwig Silva Professora do Programa de Pós Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social /

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Novo Mundo, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5826,18 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 7332 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Vera, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2962,4 km² IDHM 2010 0,680 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10235 hab. Densidade demográfica

Leia mais

A EVOLUÇÃO DA CULTURA DO CAFÉ E DA CANA-DE-AÇUCAR NO MUNICIPIO DE FRANCA: UM ESTUDO NOS ANOS DE 1990 A 2007

A EVOLUÇÃO DA CULTURA DO CAFÉ E DA CANA-DE-AÇUCAR NO MUNICIPIO DE FRANCA: UM ESTUDO NOS ANOS DE 1990 A 2007 344 A EVOLUÇÃO DA CULTURA DO CAFÉ E DA CANA-DE-AÇUCAR NO MUNICIPIO DE FRANCA: UM ESTUDO NOS ANOS DE 1990 A 2007 Jordanio Batista Maia da Silva (Uni-FACEF) Hélio Braga Filho (Uni-FACEF) 1 INTRODUÇÃO Vivemos

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Data: / /15

Nome: Nº: Turma: Data: / /15 Ciências 7º ano do Ensino Fundamental Material de apoio Solos, ph e Sucessão Ecológica Professor: Mateus Rodrigues Silva Nome: Nº: Turma: Data: / /15 Leia o texto. O PH DO XAMPU E A QUÍMICA DO CABELO Líria

Leia mais

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A visão dos brasileiros O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água Dezembro, 2006 METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para

Leia mais

Módulo 12 Segmentando mercados

Módulo 12 Segmentando mercados Módulo 12 Segmentando mercados Há alguns anos que os profissionais de marketing perceberam que não se pode atender todo o mercado com um único composto de produto. Nem todos os consumidores querem um carro

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Alegre do Norte, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3994,51 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10748 hab.

Leia mais

Estudos da Natureza na Educação Infantil

Estudos da Natureza na Educação Infantil Estudos da Natureza na Educação Infantil Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Infantil (RCNEI) parte 3 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015

Leia mais

15/09/2015 1 PRINCÍPIOS DA ÓPTICA O QUE É A LUZ? A luz é uma forma de energia que não necessita de um meio material para se propagar.

15/09/2015 1 PRINCÍPIOS DA ÓPTICA O QUE É A LUZ? A luz é uma forma de energia que não necessita de um meio material para se propagar. O QUE É A LUZ? A luz é uma forma de energia que não necessita de um meio material para se propagar. PRINCÍPIOS DA ÓPTICA A luz do Sol percorre a distância de 150 milhões de quilômetros com uma velocidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cabo Verde, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 368,15 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 13823 hab. Densidade

Leia mais

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Ciências AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Graduada em História e Pedagogia, Doutora em Filosofia e Metodologia de Ensino, Autora da Metodologia ACRESCER. REGINALDO STOIANOV Licenciatura Plena em Biologia,

Leia mais

Reflexões sobre o Quinto relatório de avaliação do IPCC constatações e complexidades Natal outubro 2015. CAROLINA DUBEUX carolina@ppe.ufrj.

Reflexões sobre o Quinto relatório de avaliação do IPCC constatações e complexidades Natal outubro 2015. CAROLINA DUBEUX carolina@ppe.ufrj. Reflexões sobre o Quinto relatório de avaliação do IPCC constatações e complexidades Natal outubro 2015 CAROLINA DUBEUX carolina@ppe.ufrj.br A mudança do clima e a economia Fonte: Adaptado de Margulis

Leia mais

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias outubro/2008 página 1 Atenção ao olhar crítico dos professores Maria Malta Campos: Há uma enorme demanda reprimida por creches nas periferias das grandes cidades,

Leia mais

2A educação é o principal catalisador para

2A educação é o principal catalisador para objetivo 2. atingir o ensino básico universal O Estado da Amazônia: Indicadores A Amazônia e os Objetivos do Milênio 2010 o desenvolvimento humano e para a construção de uma sociedade mais justa (Unesco,

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guaranésia, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 294,28 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 18714 hab. Densidade

Leia mais

Um Guia para Usar Ferramentas de Assessment em Treinamento e Coaching MAIO DE 2014. Você está preparado PARA DISPUTAR COM OS MELHORES?

Um Guia para Usar Ferramentas de Assessment em Treinamento e Coaching MAIO DE 2014. Você está preparado PARA DISPUTAR COM OS MELHORES? Você está preparado PARA DISPUTAR COM OS MELHORES? Um Guia para Usar Ferramentas de Assessment em Treinamento e Coaching PREPARADO PELA TTI SUCCESS INSIGHTS PARA PROFISSIONAIS DE TREINAMENTO E COACHING

Leia mais

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 17 outubro de 2014 Organização:

Leia mais

A URBANIZAÇÃO SOB O CAPITALISMO E SEUS PROBLEMAS. www.tiberiogeo.com.br A Geografia Levada a Sério

A URBANIZAÇÃO SOB O CAPITALISMO E SEUS PROBLEMAS. www.tiberiogeo.com.br A Geografia Levada a Sério A URBANIZAÇÃO SOB O CAPITALISMO E SEUS PROBLEMAS 1 Industrialização e urbanização A industrialização dá o tom da urbanização contemporânea; Teve seu início próxima as áreas de matériasprimas e água; Ela

Leia mais

GEOGRAFIA. Professores: Marcus, Ronaldo

GEOGRAFIA. Professores: Marcus, Ronaldo GEOGRAFIA Professores: Marcus, Ronaldo Questão que trabalha conceitos de cálculo de escala, um tema comum nas provas da UFPR. O tema foi trabalhado no Módulo 05 da apostila II de Geografia I. Para melhor

Leia mais

EVASÃO ESCOLAR EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO: UMA PESQUISA EXPLORATÓRIA A PARTIR DA VIVÊNCIA NO COTIDIANO ESCOLAR DE UMA ESCOLA PÚBLICA DO RIO DE JANEIRO

EVASÃO ESCOLAR EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO: UMA PESQUISA EXPLORATÓRIA A PARTIR DA VIVÊNCIA NO COTIDIANO ESCOLAR DE UMA ESCOLA PÚBLICA DO RIO DE JANEIRO EVASÃO ESCOLAR EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO: UMA PESQUISA EXPLORATÓRIA A PARTIR DA VIVÊNCIA NO COTIDIANO ESCOLAR DE UMA ESCOLA PÚBLICA DO RIO DE JANEIRO Everton Pereira da Silva Departamento de Geografia

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa 9 o ano 1 o bimestre PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa Escola: Nome: Turma: n o : Texto para as questões de 1 a 4. Poética (I) De manhã escureço De dia tardo De tarde anoiteço De noite ardo. A oeste a

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP Alunos apontam melhorias na graduação Aumenta grau de formação dos professores e estudantes mostram que cursos possibilitam

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 38 Discurso na cerimónia do V Encontro

Leia mais

Ideal Qualificação Profissional

Ideal Qualificação Profissional 2 0 1 1 Finalista Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Vencedora Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Finalista Nacional Categoria Serviços de Educação Apresentação O desenvolvimento

Leia mais

PESQUISA MAIORIDADE PENAL

PESQUISA MAIORIDADE PENAL PESQUISA MAIORIDADE PENAL OBJETIVOS Entender o pensamento da população do Rio sobre a redução da maioridade penal; Saber se ela é favorável a mudança das penalidades aplicadas ao menor infrator; Buscar

Leia mais

SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio. SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio. RESUMO Nós, jovens brasileiros, é uma continuidade do conhecido Este jovem brasileiro, sucesso do portal por 6 edições consecutivas.

Leia mais

Boletim PNAD Resultados da PNAD 2011 Educação Junho de 2013

Boletim PNAD Resultados da PNAD 2011 Educação Junho de 2013 Boletim PNAD Resultados da PNAD 2011 Educação Junho de 2013 RESULTADOS DA PNAD 2011 EDUCAÇÃO Apresentação 2 Governo do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretaria do Planejamento (Seplan) José Sergio Gabrielli

Leia mais

Pisa 2012: O que os dados dizem sobre o Brasil

Pisa 2012: O que os dados dizem sobre o Brasil Pisa 2012: O que os dados dizem sobre o Brasil A OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) divulgou nesta terça-feira os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Alunos,

Leia mais