Introdução ao uso do simulador de circuitos CircuitMaker Student 6.2c para o apoio no ensino-aprendizado de Eletricidade e Eletrônica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução ao uso do simulador de circuitos CircuitMaker Student 6.2c para o apoio no ensino-aprendizado de Eletricidade e Eletrônica"

Transcrição

1 Introdução ao uso do simulador de circuitos CircuitMaker Student 6.2c para o apoio no ensino-aprendizado de Eletricidade e Eletrônica Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro Faculdade Anhanguera de Jundiaí Resumo Este artigo apresenta o CircuitMaker (CM) Student 6.2c como uma importante ferramenta na simulação de circuitos digitais e analógicos em cursos de Eletricidade e Eletrônica. São apresentados os componentes da interface gráfica e uma descrição geral do ambiente. Ao final do artigo são apresentados exemplos de simulação de circuitos analógico e digital que ilustram o uso deste aplicativo com relativa facilidade e demonstra a sua rápida curva de aprendizado. Palavras-chave: simulação, circuito, eletricidade, eletrônica, software livre. Abstract This article shows CircuitMaker (CM) Student 6.2c as a important tool for simulation of digital and analog circuits on Electricity and Electronics courses. Has been presented the parts of graphical interface and a general description of environment. In the final of article is presented examples of analog and digital circuits simulations in order to illustrate the ease use of this application and demonstrate its quick learning curve. Keywords: simulation, circuit, electricity, electronics, free software. 1. Introdução Uma das mais importantes habilidades a serem desenvolvidas durante um curso na área de Eletricidade ou Eletrônica é a simulação de circuitos. Ao dominar ferramentas que permitam ter-se uma visão prévia do comportamento do circuito antes da prototipação, o projetista poderá realizar, sem muitos custos, a com-

2 provação do funcionamento do sistema idealizado sem a necessidade de implementação de um circuito físico, e caso seja necessário, realizar as devidas correções ou adaptações. Adicionalmente, a simulação possui grande importância no processo de ensino/aprendizado, permitindo ao estudante lidar com componentes diversos sem que os tenha necessariamente disponíveis na forma física. No ambiente acadêmico podemos ainda ressaltar outras vantagens do processo de simulação como segurança, rapidez e retorno de erros pelo próprio ambiente de simulação. Embora a simulação não possa a experiência em ambiente laboratorial, pode ser usada de forma complementar dando ao aluno uma visão preliminar bastante ampla em relação ao projeto e seu comportamento elétrico. Neste contexto, uma ferramenta bastante útil é o CircuitMaker (CM) Student 6.2c. Este é um programa de simulação de circuitos que usa como motor um simulador clássico da Universidade de Berkeley na Califórnia/EUA chamado SPICE. Informações adicionais sobre o simulador SPICE podem ser encontradas em <http://bwrc.eecs.berkeley.edu/classes/icbook/spice/>. O CircuitMaker Student é um programa para Windows 98/NT mas também pode ser usado em Linux através da camada de tradução Wine com perfeição de todas as suas funções. Para saber mais sobre como usar o Wine para executar aplicações Windows em ambiente Linux acesse <http://www.winehq.org/>. É possível realizar simulações analógica, digitais ou mistas usando CircuitMaker Student usando quaisquer componentes cujo modelo esteja disponível no formato SPICE. A versão para estudantes está limitada a 50 componentes na simulação e a sua biblioteca pode conter, no máximo, 1000 componentes. Os requisitos para a instalação do CircuitMaker em um computador são: Processador 486 ou superior. 8 MB de memória RAM. 15 MB de espaço em disco. Windows 95 ou Windows NT 4.0 ou mais atual. Note que os requisitos de sistema exigidos são relativamente modestos para os padrões atuais. Para baixar o programa de simulação basta acessar o site <http://www.baixatudo.com.br/circuitmaker-stu- Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 2

3 dent-version> e clicar em baixar. Após o instalador ter sido totalmente baixado, execute-o e siga os passos da instalação até o fim do processo. Uma nova entrada no menu Iniciar (no caso do Microsoft Windows) ou no menu de programas do ambiente gráfico (no caso do GNU/Linux) será criada. Na seção seguinte será feita uma breve explanação sobre a interface gráfica do CircuitMaker Student 6.2c para que se possa compreender o básico sobre o seu uso. 2. Visão geral da interface gráfica do CircuitMaker. A figura 1 apresenta os elementos da interface gráfica do CircuitMaker Student 6.2c. Barra de menus Barra de ferramentas Barra de título Janela de Desenho do Circuito Janela do Multímetro Janelas de Análise Figura 1: interface do programa de simulação de circuitos CircuitMaker Student 6.2c. A figura 2 destaca a barra de ferramentas do CircuitMaker Student 6.2c. É possível notar que nem todos os botões da barra encontram-se habilitados. Dependendo do tipo de simulação e do elemento selecionado, algumas funções podem não se aplicar e os botões correspondentes a elas aparecerão inabilitados, com ícones acinzentados, como é o caso do sexto ícone da direita para a esquerda. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 3

4 Figura 2: barra de ferramentas padrão do CircuitMaker Student. Seguem abaixo os ícones da barra de ferramentas acompanhados de seus respectivos atalhos entre parênteses, além de uma rápida descrição das funções oferecidas por cada um deles. As teclas de função aparecem representadas entre colchetes angulares, e.g., <Alt>, <Ctrl>, <F10> e <Shift>. Novo (<Ctrl>+n): cria um novo projeto. Abrir (<Ctrl>+o): abre um projeto existente. Gravar (<Ctrl>+s): grava o projeto atual. O principal arquivo de um projeto CircuitMaker possui a extensão.ckt. Imprimir (<Ctrl>+p): imprime o projeto atual. Ferramenta Seta (<Alt>+a): usada para selecionar, mover e editar dispositivos, fios e texto. Ferramenta Fio (<Alt>+w): usada para conectar os dispositivos entre si. Ferramenta Texto (<Alt>+t): usada para inserir texto no projeto. Ferramenta Apagar (<Alt>+d): usada para apagar dispositivos, fios ou texto. Ferramenta Lupa (<Alt>+z): usada para alterar o fator de magnificação do circuito. Rotacionar 90 (<Alt>+r): usado para rotacionar um ou mais dispositivos selecionados Espelhar (<Alt+m>): usado para inverter a orientação em relação à vertical de um ou mais dispositivos. Digital/Analógico: indica o modo de simulação atual. Um transistor indica o modo de simulação analógico e uma porta AND indica o modo de simulação digital. No modo de simulação misto, um ícone desabilitado contendo um transistor e uma porta AND aparecerá na barra. Reiniciar (<Ctrl>+q): usado para reiniciar simulações analógicas ou digitais Passo (<F9>): usado para avançar um passo em uma simulação digital. Executar/Encerrar (<F10>): usado para executar e encerrar simulações analógicas ou digitais. Ferramenta Ponta de Prova (<Alt>+p): usada para indicar estados digitais e esboçar gráficos de dados analógicos. Sinalizar estados (<F11>): usado para mostrar os estados de todos os nós em simulações digitais. Formas de onda (<F12>): usado para mostrar formas de onda digitais ou gráficos analógicos. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 4

5 Partes (x): usado para mostrar e selecionar dispositivos da biblioteca do programa. Buscar (X): usado para buscar um dispositivo na biblioteca por nome, número ou descrição. Macro: usado para criar uma nova macro ou expandir uma macro selecionada. Ferramenta Ajuda (<Alt>+h): usada para mostrar informação sobre dispositivos e fios. PCB: usado criar automaticamente um netlist PCB e executar o TraxMaker (indisponível na versão Student do CircuitMaker). 3. Exemplo de simulação analógica de um circuito resistivo Ao realizar os passos descritos nesta seção será possível fazer a simulação analógica de um circuito puramente resistivo idealizado para ser um primeiro contato prático com o simulador CircuitMaker. As etapas cobrem desde o desenho do circuito até a simulação propriamente dita. Seguem-se os passos: 1 Clique no botão New (novo) no barra de ferramentas. Isto abrirá uma janela para um novo projeto. Figura 3: projeto de um circuito puramente resistivo. 2 Clique no botão de comutação do modo de simulação Digital/Analógico (Digital/Analog), se necessário, para que esteja no modo analógico. É possível saber se o CircuitMaker está no modo analógico quando um ícone de transistor está visível na barra de ferramentas. Se o ícone de uma porta AND estiver visível na barra de ferramentas significa que está no modo digital. Se isto acontecer, clique no Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 5

6 botão para alternar para o modo analógico. 3 Desenhe o circuito conforme mostrado na figura 3 usando os dispositivos a seguir: 1 bateria [Analog / Power / Battery] tecla de atalho b. 1 terra (nó de referência) [Analog / Power / Ground] tecla de atalho 0 (zero). 2 resistores [Passive Components / Resistors / Resistor] tecla de atalho r. Dispositivos podem ser adicionados ao projeto clicando no botão Partes e em seguida selecionando as opções desejadas em Major Device Class, Minor Device Class e Device Symbol conforme indicado na figura 4. Caso este método seja escolhido, pode-se usar as opções entre colchetes na listagem anterior. Figura 4: seleção de dispositivo na biblioteca do CircuitMaker Student 6.2c (navegador de partes). Para que a simulação analógica possa ser realizada, deve haver um nó de referência (Ground) e cada nó do circuito deve ter um caminho para o nó de referência. 4 Use a ferramenta Fio para conectar os elementos do circuito. A Ferramenta Seta também pode ser usada para ajustar as conexões adequadamente. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 6

7 5 Selecione Simulation > Analyses Setup... (ou tecle <Ctrl>+<F8>). A janela de configuração mostrada na figura 5 aparecerá. Clique no botão Analog Options... para exibir a caixa de diálogo de opções analógicas mostrada na figura 6. Figura 5: janela de configuração de análises. 6 Na caixa Analysis data saved in RAW file (dados de análise salvos no arquivo RAW), selecione a terceira opção: Node Voltage, Supply Current, Device Current and Power (tensão no nó, corrente na fonte, potência e corrente no dispositivo). Clique em OK para sair da janela de diálogo. Figura 6: janela de opções analógicas. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 7

8 A opção que foi selecionada faz com que sejam gerados dados que permitirão posteriormente medidas de corrente e potência usando a ferramenta Ponta de Prova. 7 Clique no botão Run Analises (executar análises) para iniciar imediatamente a simulação; ou, alternativamente, clique no botão Exit (sair) e então clique no botão Executar na barra de ferramentas. Uma janela de simulação SPICE interativa será visível durante o processo de coleta de dados do SPICE mostrando o progresso da simulação. Quando o processo de coleta de dados do SPICE estiver completo, será mostrada a janela do multímetro (Multimeter). Ao repousar a Ponta de Prova sobre o fio conectado no terminal positivo (+) da bateria é possível notar a presença da letra V dentro da ferramenta, indicando que ao clicar nesta posição será mostrada a tensão deste nó. 8 Ao clicar nesta posição é mostrado o valor da tensão CC do nó em relação à referência (Terra), que no caso é de +10 V, mostrado na janela do multímetro. 9 Clique no fio conectado entre os dois resistores. A tensão CC presente no nó aparece na janela do multímetro. O nó de referência possuirá sempre tensão igual a zero. 10 Clique no pino + da bateria ou em um dos pinos do resistor. Note que um I aparece na ponta de prova quando ela está sobre o pino. A corrente que percorre o dispositivo aparece na janela do multímetro. 11 Clique diretamente sobre um dos resistores. A potência dissipada pelo resistor (25 mw) será mostrada na janela do multímetro. Note que a letra P aparece dentro da Ponta de Prova sempre que ela está posicionada sobre um dispositivo, indicando que será mostrada a potência dissipada pelo dispositivo ao clicar sobre ele. 12 Clique no botão Encerrar na barra de ferramentas para encerrar a simulação e voltar para o modo de edição, ou simplesmente tecle <F10>. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 8

9 4. Exemplo de simulação analógica de um filtro ativo Ao realizar os passos descritos nesta seção será possível realizar a simulação de um filtro ativo de 2ª ordem de resposta tipo Chebyshev com estrutura VCVS (voltage controlled voltage-source fonte de tensão controlada por tensão) com frequência de corte de 150 Hz. Este exemplo permitirá a demonstração de recursos um pouco mais avançados em simulações analógicas com CircuitMaker Student. As etapas a seguir cobrem desde o desenho do circuito até a simulação propriamente dita. Seguem-se os passos: Figura 7: filtro ativo passa-baixas tipo Chebyshev de estrutura VCVS com fc = 150Hz. 1 Clique no botão New (novo) no barra de ferramentas. Isto abrirá uma janela para um novo projeto. 2 Ajuste o tipo de simulação para analógico, da mesma forma que no exemplo anterior. 3 Desenhe o circuito conforme mostrado na figura 7 dispondo dos dispositivos a seguir: 2 geradores de sinais [Instruments / Analog / Signal Gen] tecla de atalho g 2 +V [Power Suply / Linear / +V]. Uma de +12V e outra de -12V. 3 terras (nó de referência) [Analog / Power / Ground] tecla de atalho 0 (zero). 1 amplificador operacional UA741 [OPAMPs / OPAMPs / Op-Amp5:A]. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 9

10 4 resistores [Passive Components / Resistors / Resistor] tecla de atalho r. 2 capacitores [Passive Components / Capacitors / Capacitor] tecla de atalho c. Figura 8: janela de edição de atributos de componente. Figura 9: ajuste do gerador de sinal senoidal (Sine Wave). Para inserir os componentes deve ser seguido o mesmo procedimento realizado no passo 3 do exemplo anterior. Rotacione os componentes necessário usando a ferramenta Rotacionar. Use a ferramenta Fio Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 10

11 para conectar os elementos do circuito e a ferramenta Seta para ajustar as conexões adequadamente conforme o circuito mostrado na figura 7. 4 Atribua os valores corretos nos resistores e capacitores dando um duplo clique e modificando o atributo Label-Value, como mostrado na figura 8 clicando em OK no final. 5 O gerador de sinal de cima simulará o sinal do sensor enquanto o de baixo estará gerando um sinal de frequência mais alta, no caso, simulando algo como um ruído adicionado ao sinal. No primeiro, basta clicar duas vezes sobre ele e ajustar os valores de acordo com a figura 9, clicando em seguida no botão Wave..., habilitando a caixa Source em AC Analysis e atribuindo os valores conforme mostrado na figura 10a e clicando em OK no final. No gerador de sinais de baixo, será necessário alterar o tipo de sinal gerado para FM. Faça isso dando um duplo clique sobre ele e em seguida clicando no botão Wave... como mostrado da janela da figura 9. Na janela Edit Signal Genrator clique em FM Signal... o que fará com que a janela da figura 9 tome a forma da janela mostrada na figura 10b de modo a refletir os parâmetros para este tipo de gerador, no caso, um gerador de frequência modulada. Ajuste os atributos conforme mostrado na janela Edit FM Signal Data mostrada na figura 10b clicando em OK no final do processo. (a) (b) Figura 10: ajuste do gerador de sinal FM (FM Signal). Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 11

12 Figura 11: janela de configuração de análise CA. Figura 12: janela configuração da análise de transiente e análise de Fourier. 6 Selecione Simulation > Analyses Setup... (ou tecle <Ctrl>+<F8>). A mesma janela de configuração mostrada na figura 5 aparecerá. Clique no botão AC... para exibir a janela de configuração de análise CA mostrada na figura 11. Ajuste os atributos conforme a figura 11 e clique em OK. Desmarque a caixa referente a opção Always set defaults for transient and operating point analysis e clique no botão Transient/Fourier... e ajuste os atributos conforme a figura 12 e clique em OK. 7 Clique no botão Run Analises (executar análises) para iniciar imediatamente a simulação; ou, alternativamente, clique no botão Exit (sair) e então clique no botão Executar na barra de ferramentas. Uma janela de simulação SPICE interativa será visível durante o processo de coleta de dados do SPICE mostrando o progresso da simulação. Quando o processo de coleta de dados do SPICE estiver completo, serão mostradas as janelas do multímetro (Multimeter), a janela de análise de transiente (Transient Analysis (Oscilloscope)) e a janela de análise CA (AC Analysis (Bode Plot)) e a janela de análise de Fourier (Fourier Analysis). Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 12

13 Figura 13: simulação do circuito com destaque para análise de transientes. 8 Selecione a janela de análise de transiente (Transient Analysis (Oscilloscope)), mantenha pressionada a tecla <Shift> e usando a ferramenta Ponta de Prova clique no terminal positivo do gerador de sinais e em seguida na saída do amplificador operacional como indicado na figura 13. Só após clicar no segundo ponto, solte a tecla <Shitf>. A tecla <Shitf> pode ser usada sempre que houver necessidade de medir vários pontos do circuito ao mesmo tempo. O resultado do procedimento descrito neste passo pode ser visto na figura 14, na janela de análise CA. O sinal de cor verde representa a entrada do filtro, enquanto o sinal amarelo representa a saída. Observe que na saída o ruído de alta frequência foi praticamente eliminado além de o sinal de interesse ter sido amplificado (aproximadamente 5 vezes). Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 13

14 Figura 14: janela de análise de transiente (osciloscópio). Figura 14: janela de análise CA (diagrama de Bode). 9 Selecione a janela de análise CA (AC Analysis (Bode Plot)) e usando a ferramenta Ponta de Prova clique na saída do amplificador operacional. Os gráficos gerados podem ter seus eixos ajustados convenientemente clicando no botão de configurações localizado na parte superior esquerda da janela de análise. Clique no botão de configurações da janela de análise CA, na caixa Y Axix selecione Decibels e clique em OK. O resultado pode ser visto na figura 14. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 14

15 10 Selecione a janela de análise de Fourier (Fourier Analysis), mantenha pressionada a tecla <Shift> e usando a ferramenta Ponta de Prova clique no terminal positivo do gerador de sinais e em seguida na saída do amplificador operacional como mostrado na figura 13. Só após clicar no segundo ponto, solte a tecla <Shitf>. O resultado pode ser visto na figura 15. Figura 15: janela de análise de Fourier. 11 Selecione a janela do multímetro (Multimeter) e usando a ferramenta Ponta de Prova clique na saída do amplificador operacional, ou em qualquer outro ponto em que desejar verificar o nível CC de tensão, a potência dissipada ou a corrente em um pino. Os precedimentos são semelhantes aos mostrados nos passos de 7 a 11 do exemplo anterior. 12 Clique diretamente sobre um dos resistores. A potência dissipada pelo resistor (25 mw) será mostrada na janela do multímetro. Note que a letra P aparece dentro da Ponta de Prova sempre que ela está posicionada sobre um dispositivo, indicando que será mostrada a potência dissipada pelo dispositivo ao clicar sobre ele. 13 Clique no botão Encerrar na barra de ferramentas para encerrar a simulação e voltar para o modo de edição, ou simplesmente tecle <F10>. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 15

16 5. Exemplo de simulação digital Nesta seção será demonstrada a simulação de um circuito digital envolvendo circuitos integrados, portas lógicas, monitores lógicos, chaves lógicas e monitores de forma de onda. Ao seguir os passos descritos o leitor terá condições de realizar a simulação de circuitos lógicos usando o Circuit Maker Student. Seguem-se os passos necessários para desenho e simulação do circuito. 1 Clique no botão New (novo) no barra de ferramentas. Isto abrirá uma janela para um novo projeto. Figura 16: circuito digital envolvendo portas lógicas e um multiplexador. 2 Ajuste o tipo de simulação para digital, clicando no botão Digital/Analógico até que o ícone esteja visível na face do botão. 3 Desenhe o circuito conforme mostrado na figura 16 dispondo os dispositivos a seguir: Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 16

17 6 monitores de sinal [Instruments / Digital / SCOPE] 2 mostradores hexadecimal [Digital Animated / Displays / Hex display]. 3 chaves lógicas [Digital / Power / Logic Switch] tecla de atalho s. 1 sequenciador de dados [Digital / Instruments / Data Seq] tecla de atalho G. 1 multiplexador 74LS151 [Digital by Function / Multiplexers / 74151]. 1 terra (nó de referência) [Digital / Power / Ground] tecla de atalho 0 (zero). 2 mostradores lógicos [Digital Animated / Displays / Logic Display]. 3 portas inversoras [Digital Basics / Buffers/Inverters / Inverter] tecla de atalho 2. 2 portas AND de 4 entradas [Digital Basics / Gates / 4-in AND]. 1 porta OR de 2 entradas [Digital Basics / Gates / 2-in OR] tecla de atalho 4. Dispositivos podem ser adicionados ao projeto clicando no botão Partes e em seguida selecionando as opções desejadas em Major Device Class, Minor Device Class e Device Symbol conforme indicado na lista anterior (entre colchetes) e clicando no botão Place. Alguns componentes possuem teclas de atalho cujo uso pode agilizar o processo. Obs.: Ao usar o navegador de partes (figura 4) podem existir vários caminhos para um mesmo componente. Use o que achar mais conveniente. 4 Disponha os componentes usando as ferramentas Seta e Rotacionar e faça as devidas conexões entre eles usando a ferramenta Fio conforme mostrado na figura Neste passo será configurado o sequenciador de dados. Este componente pode servir para gerar um sinal de clock ou uma sequência predefinida arbitraria qualquer. Para configurar o sequenciador de dados dê um duplo clique sobre ele. Será aberta a janela de configuração mostrada na figura 17a. Clique então no botão Pattern... para acessar o editor de padrões mostrado na figura 17b. Clique em Count up (contagem crescente) e ajuste o atributo Max. number of pattern lines para 256. Clique em OK. Ao retornar à janela de configuração do sequenciador ajustes os atributos conforme mostrado na figura 17a e clique em OK. Note que o valor do atributo Present Address (endereço atual) define o ponto onde será iniciada a contagem. Caso prefira, atribua o valor 0 para este atributo. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 17

18 (a) (b) Figura 17: configuração do sequenciador de dados. 6 Clique no botão Run Analises (executar análises) para iniciar imediatamente a simulação. Observe que os eventos ocorrem muito rapidamente de forma que é difícil acompanhar o que está acontecendo no circuito. Para controlar a evolução da simulação pode-se usar a simulação passo-a-passo. Para isso, interrompa a simulação clique no botão Passo ou tecle <F9>. Ao fazer isso, a simulação será interrompida automaticamente e o estado lógico atual será mantido. Cada novo clique no botão Passo provocará um avanço discreto da simulação levando o sequenciador de dados a mostrar o conteúdo do próximo endereço. Nota-se que os monitores lógicos se acendem e apagam de acordo com o nível lógico de saída do multiplexador e das portas lógicas. Quando o nível lógico da saída é alto, o monitor acende (cor vermelha); quando é baixo, o monitor se apaga (cor branca). 7 Para conhecer o valor lógico presente em linhas que não possuem monitor lógico conectado, pode-se usar a ferramenta Ponta de Prova. Ao selecionar esta ferramenta e repousar o cursor sobre uma linha será mostrado dentro do cursor (ponta de prova) o valor lógico presente representado por uma letra. L representa nível baixo (Low level), H representa nível alto (High level), P representa um valor de transição (Pulse) e quando não há nenhuma letra o estado é indefinido ou desconhecido. Clique na ferramenta Ponta de Prova e use esta funcionalidade nas linhas do circuito para verificar o seu estado. 8 Outra maneira de verificar os estados lógicos do circuito é ativando o sinalizador de estados. Com Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 18

19 este botão acionado é possível verificar simultaneamente todos os estados das linhas do circuito de acordo com a cor presente em cada uma delas. A cor vermelha representa nível lógico alto; e a cor azul, nível lógico baixo. Figura 18: simulação com o sinalizador de estado ativado. No modo de simulação passo-a-passo clique no botão sinalizador de estados de modo a ativá-lo. O sinalizador de estados estará ativado quando o ícone do botão estiver colorido conforme mostrado na figura 18. Avance alguns passos na simulação clicando em <F9> para que se possa observar o resultado. 9 - Cada monitor de sinal adicionado ao circuito (TP1, TP2, TP3 etc.) é capaz de capturar ao longo do tempo o sinal de uma determina da linha. Para que as formas de onda geradas pelos monitores de sinal possam ser vistas é necessário acionar o botão Formas de Onda ou simplesmente teclar <F12>. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 19

20 Figura 19: monitor de formas de onda (Waveforms). Tecle <F12> para ativar o monitor de formas de onda. Uma janela semelhante à mostrada na figura 19 será mostrada. É importante notar que a identificação de cada monitor de sinal aparece à esquerda em azul. Avance alguns passos na simulação para que seja possível ver a evolução das formas de onda. 10 A simulação pode ser reiniciada a qualquer momento clicando no botão, ou simplesmente teclando <Ctrl>+q. 12 Clique no botão Encerrar na barra de ferramentas para encerrar a simulação e voltar para o modo de edição, ou simplesmente tecle <F10>. 6. Conclusões Ao concluir este artigo, se obteve o primeiro contato com o programa simulador de circuitos gratuito, CircuitMaker Student 6.2c. Muitas outras funcionalidades estão disponíveis, mas o objetivo deste trabalho é oferecer um contato básico inicial. Informação adicional pode ser obtida consultando a ajuda do programa (teclando <F1>), que possui tutoriais e dicas para produtividade. O manual do usuário está disponível na página <http://my.ece.ucsb.edu/bobsclass/2c/simulation/circuit_maker.htm>. Pode-se ter acesso a dezenas de exemplos de circuitos prontos para simulação dentro da pasta Circuits no diretório de instalação do programa, que por padrão é C:\CM60S. Nesta pasta encontram-se mais de 80 projetos prontos para serem simulados e testados, e podem servir como ponto de partida para projetos personalizados. A versão profissional do CircuitMaker é bastante similar, de modo a permitir que o usuário da versão estudante use-a sem muito esforço. Concluímos, portanto, que o CircuitMaker Student 6.2c é um importante aliado educacional em cursos de eletricidade e eletrônica. Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 20

21 Referências PERTENCE JR, A. Amplificadores operacionais e filtros ativos. 6a ed. Porto Alegre: Bookman, WineHQ. Disponível online em <http://www.winehq.org/>. Acesso em jun The Spice Page. Disponível online em <http://bwrc.eecs.berkeley.edu/classes/icbook/spice/>. Acesso em jun Circuits, devices, and systems. Disponível online em <http://my.ece.ucsb.edu/bobsclass/2c/default.htm>. Acesso em jun Prof. Msc. Eberval Oliveira Castro 21

Exercício Opcional: FAMILIARIZAÇÃO COM O SOFTWARE CIRCUIT MAKER 2000

Exercício Opcional: FAMILIARIZAÇÃO COM O SOFTWARE CIRCUIT MAKER 2000 Laboratório de Sistemas Digitais /0 Exercício Opcional: FAMILIARIZAÇÃO COM O SOFTWARE CIRCUIT MAKER 000 OBJETIVO Aprender a utilizar o Editor de Esquemáticos e o Simulador Lógico Criar e simular os esquemáticos

Leia mais

TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO DO PROTEUS

TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO DO PROTEUS 1 Para iniciar a edição de um esquema elétrico para posterior simulação, busque no menu Iniciar do Windows, a opção Todos os Programas. Localize a pasta onde foi instalado o Proteus e selecione o programa

Leia mais

Conhecendo o Proteus

Conhecendo o Proteus Conhecendo o Proteus Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Em uma série de 3 artigos, veremos como usar o Proteus. Introdução Iremos neste momento iniciar nosso estudo no Proteus usando para isso as

Leia mais

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário MODEM USB 3G+ WM31 Manual do Usuário 2 Tabela de Conteúdo 1 Introdução... 3 2. Instalação... 5 3. Descrição da interface do cliente... 6 4. Conexão... 10 5.SMS... 11 6.Contatos... 14 7.Estatística... 18

Leia mais

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário MODEM USB 3G+ WM31 Manual do Usuário 2 Conteúdo 1 Introdução... 3 2 Descrição da Interface do Cliente... 5 3 Conexão... 7 4 SMS... 10 5 Contatos... 14 6 Estatística... 18 7 Configurações... 19 8 SIM Tool

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

MODEM USB LTE. Manual do Usuário

MODEM USB LTE. Manual do Usuário MODEM USB LTE Manual do Usuário 2 Conteúdo Manual do Usuário... 1 1 Introdução... 3 2 Descrição da Interface do Cliente... 4 3 Conexão... 7 4 SMS... 10 5 Contatos... 14 6 Estatística... 18 7 Configurações...

Leia mais

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Universidade Federal do Pará Laboratório de Processamento de Sinais (LaPS) Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Flávio Hernan Figueiredo Nunes flaviohernanfnunes@gmail.com 25 de janeiro

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

UTILIZANDO O MuLTISIM. laboratório de tecnologia. Newton C. Braga. Instituto

UTILIZANDO O MuLTISIM. laboratório de tecnologia. Newton C. Braga. Instituto laboratório de tecnologia Instituto ensino médio ensino fundamental disciplina tecnologia UTILIZANDO O MuLTISIM Introdução ao Multisim Software de Simulação de Circuitos da National Instruments ESCOLA:

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ 1 1. Introdução Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ O ImageJ é um software livre (freeware) que pode ser obtido gratuitamente no site http://rsb.info.nih.gov/ij/. Esse software é

Leia mais

Introdução... 1. Instalação... 2

Introdução... 1. Instalação... 2 ONTE DO Introdução... 1 O que é IPP?... 1 Qual é a função de um software Samsung IPP?... 1 Instalação... 2 Requisitos do sistema... 2 Instalar o software Samsung IPP... 2 Desinstalar o software Samsung

Leia mais

MODEM USB LTE LU11. Manual do Usuário

MODEM USB LTE LU11. Manual do Usuário MODEM USB LTE LU11 Manual do Usuário 2 Tabela de Conteúdo Manual do Usuário... 1 1 Introdução... 3 2 Instalação... 4 3 Descrição da Interface do Cliente... 5 3 Conexão... 8 5 Mensagens SMS... 10 6 Contatos...

Leia mais

Gerenciador USB do Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Versão 3.6

Gerenciador USB do Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Versão 3.6 Gerenciador USB do Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro Versão 3.6 O Gerenciador é um Software para ambiente Windows que trabalha em conjunto com o Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro, através de

Leia mais

Registrador de Dados VB300 3-Axis G- Force Versão 1.0 Novembro 2010

Registrador de Dados VB300 3-Axis G- Force Versão 1.0 Novembro 2010 Utilitário de Ajuda do Software Registrador de Dados VB300 3-Axis G- Force Versão 1.0 Novembro 2010 Introdução ao Software O software do registrador de dados é um programa que coleta dados do registrador

Leia mais

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores Attack 1.35 Software de controle e Monitoração de amplificadores 1 Índice 1 Hardware necessário:... 3 1.1 Requisitos do computador:... 3 1.2 Cabos e conectores:... 3 1.3 Adaptadores RS-232 USB:... 4 1.4

Leia mais

Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes

Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes 1 Índice Introdução............................................... 3 Conexão do software ao Computador de Desempenho Wattbike tela padrão Polar e edição

Leia mais

Projeto solidário para o ensino de Informática Básica

Projeto solidário para o ensino de Informática Básica Projeto solidário para o ensino de Informática Básica Parte 2 Sistema Operacional MS-Windows XP Créditos de desenvolvimento deste material: Revisão: Prof. MSc. Wagner Siqueira Cavalcante Um Sistema Operacional

Leia mais

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I APRESENTAÇÃO... 1 AMBIENTE DE TRABALHO... 2 A folha de cálculo... 2 O ambiente de trabalho do Excel... 3 Faixas de Opções do Excel... 4 - Guia

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR II INFORMÁTICA

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR II INFORMÁTICA 17 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR II INFORMÁTICA QUESTÃO 21 Analise as seguintes afirmativas sobre as ferramentas disponíveis no Painel de Controle do Microsoft Windows XP Professional, versão

Leia mais

DICAS PARA SE APERFEIÇOAR NO WINDOWS 7

DICAS PARA SE APERFEIÇOAR NO WINDOWS 7 DICAS PARA SE APERFEIÇOAR NO WINDOWS 7 1. MOVIMENTAÇÃO ENTRE PASTAS Todo o funcionamento do Windows Explorer gira em torno da sua capacidade de transitar entre as pastas salvas no disco de armazenamento.

Leia mais

GX - ULT MANUAL DO USARIO V1.1. NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012-2015 - Todos os direitos Reservados

GX - ULT MANUAL DO USARIO V1.1. NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012-2015 - Todos os direitos Reservados GX - ULT MANUAL DO USARIO V1.1 NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012-2015 - Todos os direitos Reservados IMPORTANTE Máquinas de controle numérico são potencialmente perigosas. A Nevex Tecnologia Ltda não

Leia mais

b 1 Copyright 2008-2012 In9 Mídia Soluções Digitais Inc. All rights reserved.

b 1 Copyright 2008-2012 In9 Mídia Soluções Digitais Inc. All rights reserved. b 1 Conteúdo Capítulo 1... 3 Instalando o Neonews... 3 Neonews no Linux... 6 Capítulo 2... 7 Configurando o NeoNews... 7 Capítulo 3... 13 Teclas de Atalho do NeoNews Player... 13 2 Capítulo 1 Instalando

Leia mais

INE 5223. Sistemas Operacionais. Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos. Windows (cont.)

INE 5223. Sistemas Operacionais. Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos. Windows (cont.) INE 5223 Sistemas Operacionais Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos Windows (cont.) Baseado no material do IFRN e de André Wüst Zibetti WINDOWS 7 Tópicos Windows 7 Área de

Leia mais

INSTALAÇÃO E USO DO ASSINADOR LIVRE. Índice:

INSTALAÇÃO E USO DO ASSINADOR LIVRE. Índice: Proposto por: Marcos Stallone Santos / Karla Ferreira Moreira Analisado por: Aprovado por: Índice: 1 - O Assinador Livre:...2 2 - Pré-requisitos para instalação:...2 3 - Download e Instalação do Assinador

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

Manual do usuário. Midas Touch PISOINTERATIVO.COM.BR

Manual do usuário. Midas Touch PISOINTERATIVO.COM.BR Manual do usuário Midas Touch PISOINTERATIVO.COM.BR 1 INSTALAÇÃO 1.1 Requisitos de sistema 1.2 Conteúdos do CD de instalação 1.3 Instalação 2 CONFIGURAÇÃO 2.1 ENUTV setup 2.2 Midas Touch 1.1 REQUISITOS

Leia mais

1. Usar o scanner IRISCard

1. Usar o scanner IRISCard O Guia Rápido do Usuário ajuda você a instalar e começar a usar scanners IRISCard Anywhere 5 e IRISCard Corporate 5. Os softwares fornecidos com esses scanners são: - Cardiris Pro 5 e Cardiris Corporate

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009

ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009 ODG Auto Acessórios Ltda www.odginstruments.com.br Versão 2.0 FEVEREIRO 2009 1 INDICE 1. Instalação do Software...3 2. Tela Inicial...3 3. Criando arquivo de configurações (Alt + C + C)...4 3.1 Sensores

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup MANUAL DO USUÁRIO Software de Ferramenta de Backup Software Ferramenta de Backup Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para

Leia mais

Adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10.1

Adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10.1 Adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10.1 Esta adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10 abrange novas funcionalidades e outras alterações específicas ao ZoomText 10.1. Para obter instruções

Leia mais

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado.

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado. 1 Área de trabalho O Windows XP é um software da Microsoft (programa principal que faz o Computador funcionar), classificado como Sistema Operacional. Abra o Bloco de Notas para digitar e participar da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista EXPERIMENTO 1 INTRODUÇÃO AO LABORATÓRIO A. Introdução O Quartus II é um software utilizado para

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT. Power Point. Básico

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT. Power Point. Básico Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT Power Point Básico Santa Maria, julho de 2006 O Power Point é um aplicativo do Microsoft Office direcionado à criação de apresentações.

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PSPICE. Usaremos o PSPICE para simular o circuito mostrado na Figura 1. Figura 1. Exemplo No. 1

INTRODUÇÃO AO PSPICE. Usaremos o PSPICE para simular o circuito mostrado na Figura 1. Figura 1. Exemplo No. 1 INTRODUÇÃO AO PSPICE 1. O QUE É O PSPICE? O programa PSPICE (ORCAD) é um simulador digital de circuitos eletrônicos, que emula os comportamentos de um circuito real. Deste modo ele permite fazer todos

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede GUIA DO USUÁRIO: NOVELL CLIENT PARA WINDOWS* 95* E WINDOWS NT* Usar Atalhos para a Rede USAR O ÍCONE DA NOVELL NA BANDEJA DE SISTEMA Você pode acessar vários recursos do software Novell Client clicando

Leia mais

Guia do usuário do Seagate Dashboard

Guia do usuário do Seagate Dashboard Guia do usuário do Seagate Dashboard Guia do usuário do Seagate Dashboard 2013 Seagate Technology LLC. Todos os direitos reservados. Seagate, Seagate Technology, o logotipo Wave e FreeAgent são marcas

Leia mais

NX- USB MANUAL DO USUARIO V1.2

NX- USB MANUAL DO USUARIO V1.2 NX- USB MANUAL DO USUARIO V1.2 NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2014 - Todos os direitos Reservados Atualizado em: 24/09/2014 IMPORTANTE Máquinas de controle numérico são potencialmente perigosas. A Nevex

Leia mais

Apêndice A. Manual do Usuário JSARP

Apêndice A. Manual do Usuário JSARP Apêndice A Manual do Usuário JSARP A.1. Introdução JSARP é um simulador e analisador de Redes de Petri. É um aplicativo que permite desenhar uma rede, fazer análises, verificar propriedades e simular sua

Leia mais

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424 Digitalização Este capítulo inclui: Digitalização básica na página 4-2 Instalando o driver de digitalização na página 4-4 Ajustando as opções de digitalização na página 4-5 Recuperando imagens na página

Leia mais

Instalação: permite baixar o pacote de instalação do agente de coleta do sistema.

Instalação: permite baixar o pacote de instalação do agente de coleta do sistema. O que é o projeto O PROINFODATA - programa de coleta de dados do projeto ProInfo/MEC de inclusão digital nas escolas públicas brasileiras tem como objetivo acompanhar o estado de funcionamento dos laboratórios

Leia mais

Manual Simulador de Loja

Manual Simulador de Loja Manual Simulador de Loja Índice Início Menu Loja Modelo Loja Modelo Menu Criar Minha Loja Criar Minha Loja Abrir Projeto Salvo Teste Seu Conhecimento 0 04 05 08 09 8 9 0 Início 5 4 Figura 00. Tela inicial.

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO LUZ DO SABER

MANUAL DE INSTALAÇÃO LUZ DO SABER MANUAL DE INSTALAÇÃO LUZ DO SABER Sumário Sumário...2 Instalação do Luz do Saber no Linux...3 1ª opção Utilizando um Instalador...3 2ª opção Utilizando comandos no Konsole...6 Observações Importantes...7

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Portas Lógicas Básicas: Parte 2 Simulação Lógica

Portas Lógicas Básicas: Parte 2 Simulação Lógica Laboratório 1 - continuação Portas Lógicas Básicas: Parte 2 Simulação Lógica 5. Introdução à Simulação Lógica Neste laboratório, você tomará contato com a ferramenta de projeto digital Max+Plus II, da

Leia mais

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word 1 Iniciando o Word 2010 O Word é um editor de texto que utilizado para criar, formatar e imprimir texto utilizado para criar, formatar e imprimir textos. Devido a grande quantidade de recursos disponíveis

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft OneNote 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Alterne entre a entrada por toque

Leia mais

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados.

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados. Bem Vindo GDS TOUCH Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO O GDS Touch é um painel wireless touchscreen de controle residencial, com design totalmente 3D, interativo

Leia mais

O computador. Sistema Operacional

O computador. Sistema Operacional O computador O computador é uma máquina desenvolvida para facilitar a vida do ser humano, principalmente nos trabalhos do dia-a-dia. É composto basicamente por duas partes o hardware e o software. Uma

Leia mais

Recursos do Outlook Web Access

Recursos do Outlook Web Access Recursos do Outlook Web Access Este material foi criado pela Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação (SETIC) do Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região. Seu intuito é apresentar algumas

Leia mais

Conhecendo seu telefone

Conhecendo seu telefone Conhecendo seu telefone Fone de ouvido Tecla de navegação S Lentes da câmera Tecla virtual esquerda Teclas de volume Tecla Enviar N Tecla virtual direita Tecla Menu M Tecla Finalizar O Porta da bateria

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 1 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Documento de Arrecadação Estadual DAE Manual do Usuário Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 66.053-000 Av. Visconde de Souza Franco, 110 Reduto Belém PA Tel.:(091)

Leia mais

CONFIGURADOR DO PAINEL FP1 v 1.3

CONFIGURADOR DO PAINEL FP1 v 1.3 CONFIGURADOR DO PAINEL FP1 v 1.3 1. INTRODUÇÃO Este software permite a configuração dos dispositivos de detecção manuais e ou automáticos do sistema digital de alarme de incêndio FP1. Pode-se, por intermédio

Leia mais

Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter

Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter Da instalação até a impressão Da instalação até a impressão para Windows 98, Windows Me, Windows 2000, Mac OS 8.6 à 9.1 e Mac OS X Abril 2001

Leia mais

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4.

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. 1 Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. Interface do sistema... 4 1.4.1. Janela Principal... 4 1.5.

Leia mais

Manual do Usuário ZKPatrol1.0

Manual do Usuário ZKPatrol1.0 Manual do Usuário ZKPatrol1.0 SOFTWARE Sumário 1 Introdução de Funções... 3 1.2 Operação Básica... 4 1.3 Seleção de idioma... 4 2 Gerenciamento do Sistema... 5 2.1 Entrar no sistema... 5 2.2 Sair do Sistema...

Leia mais

ÁREA DE TRABALHO. Área de Trabalho ou Desktop Na Área de trabalho encontramos os seguintes itens: Atalhos Barra de tarefas Botão iniciar

ÁREA DE TRABALHO. Área de Trabalho ou Desktop Na Área de trabalho encontramos os seguintes itens: Atalhos Barra de tarefas Botão iniciar WINDOWS XP Wagner de Oliveira ENTRANDO NO SISTEMA Quando um computador em que trabalham vários utilizadores é ligado, é necessário fazer login, mediante a escolha do nome de utilizador e a introdução da

Leia mais

Introdução ao Tableau Server 7.0

Introdução ao Tableau Server 7.0 Introdução ao Tableau Server 7.0 Bem-vindo ao Tableau Server; Este guia orientará você pelas etapas básicas de instalação e configuração do Tableau Server. Em seguida, usará alguns dados de exemplo para

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de OCR e separação de documentos de código de correção Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de OCR com separação de código de correção no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se na

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

Mirasys VMS 7.3. Manual do usuário Workstation

Mirasys VMS 7.3. Manual do usuário Workstation Mirasys VMS 7.3 Manual do usuário Workstation CONTEÚDOS Conteúdos... 2 Antes de começar... 3 Iniciando a sessão... 4 Interface de usuário... 8 Navegador... 11 Câmeras... 20 Saídas de Vídeo... 37 Saídas

Leia mais

LASERJET ENTERPRISE M4555 SÉRIE MFP. Guia de instalação do software

LASERJET ENTERPRISE M4555 SÉRIE MFP. Guia de instalação do software LASERJET ENTERPRISE M4555 SÉRIE MFP Guia de instalação do software HP LaserJet Enterprise M4555 MFP Series Guia de instalação do software Direitos autorais e licença 2011 Copyright Hewlett-Packard Development

Leia mais

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA Microsoft Windows XP William S. Rodrigues APRESENTAÇÃO WINDOWS XP PROFISSIONAL O Windows XP, desenvolvido pela Microsoft, é o Sistema Operacional mais conhecido e utilizado

Leia mais

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM...

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM... 1 de 30 INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 3.1. ONDE SE DEVE INSTALAR O SERVIDOR BAM?... 4 3.2. ONDE SE DEVE INSTALAR O PROGRAMADOR REMOTO BAM?... 4 3.3. COMO FAZER

Leia mais

COMO INSTALAR O CATÁLOGO

COMO INSTALAR O CATÁLOGO Este guia tem por finalidade detalhar as etapas de instalação do catálogo e assume que o arquivo de instalação já foi baixado de nosso site. Caso não tenho sido feita a etapa anterior favor consultar o

Leia mais

Tutorial do Quartus II

Tutorial do Quartus II Tutorial do Quartus II Introdução A seguir, você tomará contato com a ferramenta de projeto digital Quartus II, da Altera Corporation, que além de permitir descrever e simular circuitos lógicos complexos,

Leia mais

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/36 LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS Macro Imprimir Neste exemplo será criada a macro Imprimir que, ao ser executada, deverá preparar a

Leia mais

O cursor se torna vermelho e uma Paleta de Edição contendo as instruções mais utilizadas é apresentada.

O cursor se torna vermelho e uma Paleta de Edição contendo as instruções mais utilizadas é apresentada. Editor de Ladder para VS7 Versão Teste O editor de ladder é um software de programação que permite que o VS7 e o µsmart sejam programados em linguagem de contatos. Esse editor está contido na pasta Público

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

Sistema de Controle de Cheques GOLD

Sistema de Controle de Cheques GOLD Sistema de Controle de Cheques GOLD Cheques GOLD é um sistema para controlar cheques de clientes, terceiros ou emitidos. Não há limitações quanto as funcionalidades do programa, porém pode ser testado

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL SBC SUMÁRIO 1 - Tela de Login...03 2 - Caixa de Entrada...04 3 - Escrever Mensagem...06 4 - Preferências...07 4.1 - Configurações Gerais...07 4.2 - Trocar Senha...07 4.3

Leia mais

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral MICROSOFT WORD 2007 George Gomes Cabral AMBIENTE DE TRABALHO 1. Barra de título 2. Aba (agrupa as antigas barras de menus e barra de ferramentas) 3. Botão do Office 4. Botão salvar 5. Botão de acesso à

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Principais Característic

Principais Característic Principais Característic Características as Software para agendamento e controle de consultas e cadastros de pacientes. Oferece ainda, geração de etiquetas, modelos de correspondência e de cartões. Quando

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT

ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT ALBUM DE FOTOGRAFIAS NO POWER POINT O PowerPoint é uma poderosa ferramenta que faz parte do pacote Office da Microsoft. O principal uso desse programa é a criação de apresentação de slides, para mostrar

Leia mais

Superintendência Regional de Ensino de Ubá - MG Núcleo de Tecnologia Educacional NTE/Ubá. LibreOffice Impress Editor de Apresentação

Superintendência Regional de Ensino de Ubá - MG Núcleo de Tecnologia Educacional NTE/Ubá. LibreOffice Impress Editor de Apresentação Superintendência Regional de Ensino de Ubá - MG Núcleo de Tecnologia Educacional NTE/Ubá LibreOffice Impress Editor de Apresentação Iniciando o Impress no Linux Educacional 4 1. Clique no botão 'LE' no

Leia mais

Sistema de Recursos Humanos

Sistema de Recursos Humanos Sistema de Recursos Humanos Projeto 1 O objetivo desse sistema é gerenciar a admissão e a demissão de funcionários. Esse funcionário pode ou não ter dependentes. Esse funcionário está alocado em um departamento

Leia mais

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Ambiente Gráfico Configurações Acessórios O Sistema Operativo (SO) é o conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e que comunique com o exterior. Actualmente o Windows é

Leia mais

Manual Instalação Pedido Eletrônico

Manual Instalação Pedido Eletrônico Manual Instalação Pedido Eletrônico 1 Cliente que não utiliza o Boomerang, mas possui um sistema compatível. 1.1 Instalação do Boomerang Inserir o CD no drive do computador, clicar no botão INICIAR e em

Leia mais

Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos Windows

Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos Windows INE 5223 Sistemas Operacionais Noções sobre sistemas operacionais, funcionamento, recursos básicos Windows Baseado no material de André Wüst Zibetti Objetivos Obter noções básicas sobre o funcionamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CURSO DIDÁTICO SOBRE O SIMULADOR DE CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CURSO DIDÁTICO SOBRE O SIMULADOR DE CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - DEE CURSO DIDÁTICO SOBRE O SIMULADOR DE CIRCUITOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS Prof. Fortaleza, Agosto de 2003 ORCAD

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

COMO REDUZIR O CUSTO NA COMUNICAÇÃO USANDO A INTERNET

COMO REDUZIR O CUSTO NA COMUNICAÇÃO USANDO A INTERNET COMO REDUZIR O CUSTO NA COMUNICAÇÃO USANDO A INTERNET Ao mesmo tempo em que hoje se tornou mais fácil falar a longa distância, pela multiplicidade de opções e operadoras de telefonia, também surgem as

Leia mais

Área de Trabalho. Encontramos: Ìcones Botão Iniciar Barra de Tarefas

Área de Trabalho. Encontramos: Ìcones Botão Iniciar Barra de Tarefas Inicialização Tela de Logon Área de Trabalho Encontramos: Ìcones Botão Iniciar Barra de Tarefas Área de Trabalho Atalhos de Teclados Win + D = Mostrar Área de trabalho Win + M = Minimizar Tudo Win + R

Leia mais

Manual. Rev 2 - junho/07

Manual. Rev 2 - junho/07 Manual 1.Desbloquear o software ------------------------------------------------------------------02 2.Botões do programa- --------------------------------------------------------------------- 02 3. Configurações

Leia mais

2 de maio de 2014. Remote Scan

2 de maio de 2014. Remote Scan 2 de maio de 2014 Remote Scan 2014 Electronics For Imaging. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos dos Avisos de caráter legal deste produto. Conteúdo 3 Conteúdo...5 Acesso ao...5

Leia mais

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010.

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Manual do Usuário Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução deste documento,

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:48 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:48 Leite Júnior ÍNDICE MICROSOFT INTERNET EXPLORER 6 SP2 (IE6 SP2)...2 JANELA PRINCIPAL...2 PARTES DA JANELA...2 OS MENUS DO IE6...3 MENU ARQUIVO...3 MENU EDITAR...3 MENU EXIBIR...3 MENU FAVORITOS...4 MENU FERRAMENTAS...4

Leia mais

Comece aqui. Interação com o BrightLink

Comece aqui. Interação com o BrightLink Interação com o BrightLink As canetas interativas BrightLink transformam qualquer parede ou mesa em uma área interativa, com ou sem um Com um computador, você pode usar o Easy Interactive Tools (duas canetas).

Leia mais

Instruções de instalação e remoção para os drivers de impressora PostScript e PCL do Windows Versão 8

Instruções de instalação e remoção para os drivers de impressora PostScript e PCL do Windows Versão 8 Instruções de instalação e remoção para os drivers de impressora PostScript e PCL do Windows Versão 8 Este arquivo ReadMe contém as instruções para a instalação dos drivers de impressora PostScript e PCL

Leia mais

mobile PhoneTools Guia do Usuário

mobile PhoneTools Guia do Usuário mobile PhoneTools Guia do Usuário Conteúdo Requisitos...2 Antes da instalação...3 Instalar mobile PhoneTools...4 Instalação e configuração do telefone celular...5 Registro on-line...7 Desinstalar mobile

Leia mais