Algoritmos e Estruturas de Dados

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Algoritmos e Estruturas de Dados"

Transcrição

1 Algoritmos e Estruturas de Dados Introdução Prof. Sinaide Nunes Bezerra Vídeoaulas e exercícios em linguagem C, acesse 1 de novembro de 2015

2 Sumário 1 Introdução 2 Estrutura Sequencial 3 Estrutura Condicional se... então se... senão... 4 Estruturas de Repetição enquanto... faça para... até... faça repita... até... 5 Estruturas Homogêneas de Dados Vetor Matriz 2/37

3 Algoritmos computacionais Definição Segundo Cormem (2001) um algoritmo computacional pode ser entendido como... qualquer procedimento computacional bem definido que toma algum valor ou conjunto de valores como entrada e produz algum valor ou conjunto de valores como saúda. Portanto, um algoritmo é uma sequência de passos computacionais que transformam a entrada na saída. 3/37

4 Algoritmos computacionais Outras definições Algoritmo é uma sequência de passos que visa atingir um objetivo bem definido (FORBELLONE, 1999) Algoritmo é a descrição de uma seqüência de passos que dever ser seguida para a realização de uma tarefa (ASCENCIO, 2007) Algoritmo é uma sequência finita de instruções ou operações cuja execução, em tempo finito, resolve um problema computacional, qualquer que seja sua instância (SALVETTI, 1999) 4/37

5 Algoritmos computacionais Outras definições Algoritmo são regras formais para a obtenção de um resultado ou da solução de um problema, englobando fórmulas de expressões aritméticas (MANZANO, 1997) Ação é um acontecimento que, a partir de um estado inicial, após um período de tempo finito, produz um estado final previsível e bem-definido. Portanto, um algoritmo é a descrição de um conjunto de comandos que, obedecidos, resultam numa sucessão finita de ações (FARRER, 1999) 5/37

6 Algoritmos computacionais Continuação Um algoritmo é como uma receita de bolo para o computador, onde estão definidos todos os comandos que ele deve executar p ara se chegar a um resultado. Daí, temos que, o algoritmo é uma sequência de instruções, onde cada instrução representa uma AÇÃO que deve ser entendida e realizada. Em algoritmos computacionais, o computador possui um conjunto limitado de instruções e o algoritmo deve ser expresso nos termos destas instruções. O computador utiliza dois conceitos básicos para construir e interpretar algoritmos, são eles: Estruturas de Dados para manipulação das informações Estruturas de Controle para manipulação das ações 6/37

7 Tipos de Algoritmos Descrição Narrativa A descrição narrativa consiste em analisar o enunciado do problema e escrever, utilizando um linguagem natural (por exemplo, a ĺıngua portuguesa), os passos a serem seguidos para resolução do problema (semelhante a escrever uma receita). Vantagem: Não é necessário aprender nenhum conceito novo, pois uma ĺıngua natural já é bem conhecida. Desvantagem: A linguagem natural (não padronizada e informal) abre espaço para várias interpretações. Será mais difícil estruturá-la e transcrever este algoritmo para uma linguagem de programação. 7/37

8 Tipos de Algoritmos Fluxograma Analisar o enunciado do problema e escrever, utilizando símbolos gráficos pré-definidos, os passos a serem seguidos para a resolução do problema. Vantagem: Visão geral do fluxo de processamento. Desvantagem: É necessário aprender a simbologia dos fluxogramas e, além disso o algoritmo resultante não apresenta muitos detalhes, dificultando sua transcrição para uma linguagem de programação. 8/37

9 Tipos de Algoritmos Fluxograma Os símbolos utilizados para representar o uso em fluxograma podem variar dependendo do autor. A seguir é apresentada a lista de símbolos a ser utilizada nas aulas deste curso. Indica o início ou fim do algoritmo. Leitura de dados. Processamento dos dados. Saída de dados 9/37

10 Tipos de Algoritmos Pseudocódigo Consiste em analisar o enunciado do problema e escrever, por meio de regras predefinidas, os passos a serem seguidos para a resolução do problema. Vantagem: A passagem (transcrição) do algoritmo para uma linguagem de programação é quase imediata, bastando conhecer as regras e palavras reservadas da linguagem que será utilizada. Desvantagem: É necessário aprender as regras para se escrever um algoritmo corretamente. 10/37

11 Estruturas de Dados Definição Uma estrutura de dados é um meio para armazenar e organizar dados com o objetivo de facilitar o acesso e as modificações. Nenhuma estrutura de dados única funciona bem para todos os propósitos, e assim é importante conhecer os pontos fortes e as limitações de várias delas (CORMEN, 2001) As estruturas de dados representam as informações do problema a ser resolvido. Tais estruturas estão organizadas em tipos distintos de informações. Dentro do escopo das estruturas de dados, define-se os seguintes termos: Constante, Variável e Identificador. 11/37

12 Estruturas de Dados Constantes Representam valores constantes, ou seja, que não variam no decorrer do algoritmo. Exemplo 1: Seja x = 2, efetuando as seguintes operações: y = x y = 4 A = 3x + 5x A = 3*(2) + 5 * 2 A = 22 Exemplo 2: Seja PI = 3,14, efetuando as seguintes operações: A = PI.*1 A = 3,14 A = PI * 2 A = 6,28 A = PI * 3 A = 9,42 Nos exemplos 1 e 2, tanto o valor de x quanto PI não variam a medida que as operações são executadas. 12/37

13 Estruturas de Dados Variáveis Representam informações cujos valores são modificados ao longo do tempo. Exemplo 1: Deseja-se saber o salário de um funcionário considerando que ele recebe R$ 1.000, 00 por mês, supondo que teve um aumento de 20% e deve-se descontar 8% de INSS do novo salário, qual será o salário ĺıquido? Resposta: salario = reajuste = salario * 0,2 salario = salario + reajuste imposto = salario * 0,08 salario = salario - imposto 13/37

14 Estruturas de Dados Variáveis Matematicamente, variável é a representação simbólica dos elementos de um certo conjunto. Computacionalmente, pode-se definir variável como um local reservado na memória do computador usado para armazenar dados. Uma variável possui nome (identificador) e tipo, possui apenas um valor em um determinado instante, mas seu conteúdo pode variar ao longo do tempo. O conceito de variável, em computação, corresponde a posições de memória RAM (Random Access Memory) onde são armazenados os dados manipulados pelo programa quando este for executado. 14/37

15 Estruturas de Dados Identificador Nome de um local onde se pode colocar qualquer valor do conjunto de valores possíveis de um tipo básico associado. Usado para manipular os dados necessários no algoritmo. O identificador é também usado para rotular valores constantes, assim como o nome PI, utilizado no exemplo 2, em constantes (o identificador PI foi utilizado para representar o valor constante 3,14). 15/37

16 Estruturas de Dados Regras para formação de identificadores 1 Começar sempre o nome com uma letra ou o caractere sublinhado ; 2 Não usar espaços em branco, pontuação, acentos nem caracteres especiais #,?, $, etc); 3 Não usar palavras reservadas, ou seja, palavras que pertençam a linguagem de programação que estiver sendo usada (ex: if, for, case, int, etc). Importante: Um identificador deve representar o melhor possível o papel da variável no algoritmo 16/37

17 Estruturas de Dados Identificadores válidos 1 nota, nota1, nota 1, operador, salario, nome, x, y, enderecoresidencial, 2 aluno01, preco produto, Area, Tensao A, tensao B, media, soma, S. Identificadores inválidos 1 1K, nota 1, salário, nome, y%2, aluno 01, preco produto. 17/37

18 Tipos Primitivos de Dados Numéricos 1 Inteiros. Ex: , -1, 0, 1, 2,..., 100,... 2 Reais. Ex: ,..., -50.2,..., -2,..., -1.5,..., 0,..., 1,..., 2,..., 25.12, Literal Caractere ou alfanuméricos. Ex: ESCOLA, livro, 18, R$ 55,36,... Lógicos ou booleanos Assume um estado: verdadeiro (V) ou falso (F) 18/37

19 Declaração Tipos Primitivos de Dados É a criação (ou definição) do identificador da variável (ou constante) que será utilizado no algoritmo. Esta variável será utilizada para a manipulação de um determinado tipo de dado. Formato tipo do dados: identificador; tipo do dado: identificador1, identificador2,..., identificadorn 1 Todas as variáveis utilizadas em algoritmos serão definidas no início do mesmo, por meio de um comando de uma das formas seguintes: 2 Em uma mesma linha podem ser denidas uma ou mais variáveis do mesmo tipo, separando-se os nomes das mesmas por vírgulas. 3 Variáveis de tipos diferentes devem ser declaradas em linhas diferentes. 19/37

20 Tipos Primitivos de Dados Exemplos inteiro: idade; real: salario; caracter: nome; lógico: temfilhos; No exemplo, foram declaradas quatro variáveis, sendo elas: Variável nome: capaz de armazenar dados literais; Variável idade: capaz de armazenar um número inteiro; Variável salario: capaz de armazenar um número real; Variável temfilhos: capaz de armazenar um valor lógico, verdadeiro (V) ou falso (F). 20/37

21 Comandos básico Tabela: Comandos em pseudocódigo Comando Função Exemplo atribui um valor a uma variável x 2 leia escreva obter um valor informado externo e atribuir a uma variável mostrar algo, que pode ser uma variável, texto ou ambos leia x; escreva x; escreva mensagem de teste ; 21/37

22 Estrutura Sequencial Sobre a estrutura Na estrutura sequencial os comandos são executados numa sequência pré-estabelecida. Cada comando é executado somente após o término do comando anterior. Em pseudocódigos, a estrutura sequencial caracteriza-se por um conjunto de comandos dispostos ordenadamente. Formato início tipo: variável1, variável2,... ; //declaração das variávieis leia variável1, variável2; //dados de entrada comandos/ações; //ações a serem executadas escreva Mensagem pré-determinada, variável; //dados de saída fim. 22/37

23 Estruturas Condicional Finalidade Utilizada quando o problema apresenta alguma ou algumas condições. Em problemas que apresentam classificação, comparação, verificação, restrição, e outras situações que existam condições a serem observadas. Classificação: 1 Simples 2 Composta 23/37

24 Condicional Simples Pseudocódigo se (condição) então comandos/ações; fimse; Características: A ação será executada apenas se a condição for verdadeira. A ação ou ações a serem executadas são escritas depois da palavra então e antes de fimse. 24/37

25 Condicional Composta Pseudocódigo se (condição) então comando1; senão comando2; fimse; Funcionamento: Se a condição for verdadeira, será executado o comando1; caso contrário, se a condição for falsa, será executado o comando2. 25/37

26 Seleção de Múltipla Escolha Finalidade Utilizada para simplificar a escrita de seleções encadeadas se-senão-se. Pseudocódigo escolha X V1: C1; V2: C2;... Vn: Cn; fimescolha; 26/37

27 Finalidade Estruturas de Repetição Permitem executar mais de uma vez (repetir) um determinado trecho do algoritmo O trecho do algoritmo em repetição é também chamado de laço (ou loop ) As repetições devem ser sempre finitas Quanto a quantidade de repetições, os laços podem ser 1 Pré-determinados: Sabe-se antes a quantidade de execuções 2 Indeterminados: Não se conhece a quantidade de execuções Quanto ao critério de parada, os laços podem utilizar 1 Variável de controle 2 Teste no início 3 Teste no final 27/37

28 Estruturas de Repetição enquanto... faça Laço que verifica antes de cada execução, se é permitido executar o trecho do algoritmo O laço acontece enquanto uma dada condição permanecer verdadeira Pseudocódigo enquanto(condição) faça comandos/ações; fimenquanto; 28/37

29 Estruturas de Repetição Exemplo: Faça um algoritmo que leia a nota de cada aluno de uma turma com 50 alunos, em seguida apresente a média da turma. início real: mediaturma, somanotas, nota; inteiro: i; //contador i 0; //inicialização do contador somanotas 0; //inicializaodoacumulador enquanto (i < 50) faça // teste da condição de parada leia nota; //soma em somanotas os valores lidos em nota somanotas somanotas + nota ; i i + 1; //incremento do contador fimenquanto; mediaturma somanotas / 50; // cálculo da média da turma escreva média da turma =, mediaturma; fim. 29/37

30 para... até... faça Estruturas de Repetição Utilizada somente em casos nos quais a quantidade de repetições previamente conhecida. Incorpora internamente o funcionamento de um contador para controlar a quantidade de laços Pseudocódigo para v de v i até v f passo p faça comandos/ações; fimpara; v: variável de controle v i : valor inicial de v v f : valor final de v p: variação de v 30/37

31 Estruturas de Repetição repita... até... A verificação se é permitido repetir a ação ocorre no final da estrutura Trata-se de um laço que se mantém repetindo até que uma dada condição se torne verdadeira Pseudocódigo repita comandos/ações; até (condição); 31/37

32 Estruturas de Repetição Comparação É importante perceber que existem laços mais adequados ou convenientes para cada situação Tabela: Comparação entre Estruturas de Repetição Estrutura Condição Qtd. de Execuções Condição de Existência enquanto... início zero ou muitas verdadeira para... início valor final - valor inicial verdadeira repita... final mínimo uma falsa 32/37

33 Estrutura Homogênea de Dados Definição Estruturas homogêneas de dados possibilitam o armazenamento de grupos de valores em uma única variável que será armazenada na memória do computador. São ditas homogêneas porque os valores a serem armazenados devem ser do mesmo tipo. Entre outros nomes que estas estruturas recebem, iremos chamá-las de vetores e matrizes. 33/37

34 Vetor - Arranjo Unidimensional Vetor Um vetores é uma variável composta (arranjo) com múltiplas posições. Podem ser vistos como lista de elementos do mesmo tipo. São estruturas lineares e estáticas, ou seja, são compostas por um número finito e pré-determinado de valores Representação: Exemplo: Vetor de notas de uma turma com 10 alunos: Notas = 6,1 3,4 9,2 8,5 4,6 8,3 7,4 6,5 10 9,6 Posição /37

35 Vetor Pseudocódigo - Declaração tipo: identificador[qtd. de elementos]; Exemplo: Faça um algoritmo que leia as notas de uma turma com 50 alunos e mostre o vetor resultante. inicio inteiro: i, notas[50]; para i de 1 até 50 passo 1 faça escrever Entre com um valor: ; ler notas[i]; fimpara; para i de 1 até 50 passo 1 faça escrever notas[i]; fimpara; fim. 35/37

36 Matriz - Array Bidimensional Matriz Uma matriz é uma variável composta homogênea bidimensional formada por elementos do mesmo tipo, alocados sequencialmente na memória, organizada em linhas e colunas. Representação: Turma 6,1 3,4 9,2 8,5 4,6 8,3 7,4 6,5 10 9,6 1 Nota 5,6 3,1 8 4, ,3 9,8 6, ,6 9 5,5 8,4 3,5 7,3 8,9 8,1 5, /37

37 Matriz Pseudocódigo - Declaração tipo: identificador[qtd. linha][qtd. coluna]; Exemplo: Faça um algoritmo que leia as notas de 5 turmas, cada turma com 50 alunos, e mostre a matriz resultante. inicio inteiro i, j, notas[5][50]; para i de 1 até 5 passo 1 faça para j de 1 até 50 passo 1 faça escreva Entre com um valor: ; leia notas[i][j]; fimpara; fimpara; para i de 1 até 5 passo 1 faça para j de 1 até 50 passo 1 faça escreva notas[i][j]; fimpara; fimpara; fim. 37/37

Algoritmos e Estrutura de Dados I Conceitos de Algoritmos. Prof. Elyssandro Piffer

Algoritmos e Estrutura de Dados I Conceitos de Algoritmos. Prof. Elyssandro Piffer Algoritmos e Estrutura de Dados I Conceitos de Algoritmos Prof. Elyssandro Piffer CONCEITO DE ALGORITMO O computador pode auxiliar em muitas tarefas, contudo ele não possui independência, não é inteligente,

Leia mais

Algoritmos - 1. Alexandre Diehl. Departamento de Física - UFPel

Algoritmos - 1. Alexandre Diehl. Departamento de Física - UFPel Algoritmos - 1 Alexandre Diehl Departamento de Física - UFPel Conceitos básicos Computador: conceito clássico (até quando????) HARDWARE (partes físicas) SOFTWARE (programas) PCF2017 2 Conceitos básicos

Leia mais

Noções de algoritmos - Aula 1

Noções de algoritmos - Aula 1 Noções de algoritmos - Aula 1 Departamento de Física UFPel Definição de algoritmo Sequência ordenada e finita de operações para a realização de uma tarefa. Tarefa: Experimento de Física I. Passo 1: Reunir

Leia mais

Programação de Computadores I Introdução. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa

Programação de Computadores I Introdução. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa Programação de Computadores I Introdução Prof. Ramon Figueiredo Pessoa 1 Conceitos Básicos O computador só consegue: Armazenar dados em disco Imprimir Relatórios gerar gráficos realizar cálculos 5 4 3

Leia mais

CONCEITOS DE ALGORITMOS

CONCEITOS DE ALGORITMOS CONCEITOS DE ALGORITMOS Fundamentos da Programação de Computadores - 3ª Ed. 2012 Editora Prentice Hall ISBN 9788564574168 Ana Fernanda Gomes Ascênsio Edilene Aparecida Veneruchi de Campos Algoritmos são

Leia mais

Introdução aos Algoritmos

Introdução aos Algoritmos Introdução aos Algoritmos Aula 05 Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa http://www2.ufersa.edu.br/portal/professor/diogopedrosa diogopedrosa@ufersa.edu.br Universidade Federal Rural do Semiárido Bacharelado

Leia mais

Estruturas de Repetição. João Medeiros FATERN

Estruturas de Repetição. João Medeiros FATERN Estruturas de Repetição João Medeiros FATERN 2010.2 Quais seriam os passos do algoritmo? 1. colocar café solúvel na xícara 2. colocar água quente 3. Colocar açucar na xícara 4. mexer 5. mexer 6. mexer

Leia mais

Noções de algoritmos - Aula 1

Noções de algoritmos - Aula 1 Noções de algoritmos - Aula 1 Departamento de Física UFPel Definição de algoritmo Sequência ordenada e finita de operações para a realização de uma tarefa. Tarefa: Experimento de Física I. Passo 1: Reunir

Leia mais

Este conceito é bastante simples e será útil e conveniente nos itens seguintes, na definição das estruturas básicas de controle de execução.

Este conceito é bastante simples e será útil e conveniente nos itens seguintes, na definição das estruturas básicas de controle de execução. Capítulo 7 Controle de Fluxo de Execução Até o momento os algoritmos estudados utilizam apenas instruções primitivas de atribuição, e de entrada e saída de dados. Qualquer conjunto de dados fornecido a

Leia mais

Processamento de Dados aplicado à Geociências. AULA 3: Algoritmos computacionais Representação de Algoritmos Sintaxe Tipos de dados Expressões

Processamento de Dados aplicado à Geociências. AULA 3: Algoritmos computacionais Representação de Algoritmos Sintaxe Tipos de dados Expressões Processamento de Dados aplicado à Geociências 1 AULA 3: Algoritmos computacionais Representação de Algoritmos Sintaxe Tipos de dados Expressões UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 ALGORITMOS

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 ALGORITMOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 ALGORITMOS Profª ª Danielle Casillo ALGORITMOS Um algoritmo é uma sequência de instruções

Leia mais

#Conceituação. Algoritmos. Eliezio Soares

#Conceituação. Algoritmos. Eliezio Soares INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS SÃO GONÇALO DO AMARANTE Algoritmos #Conceituação Eliezio Soares Eliezio.soares@ifrn.edu Computadores e Tarefas 1. O computador

Leia mais

Fundamentos de Programação

Fundamentos de Programação Fundamentos de Programação CP41F Aula 2 Prof. Daniel Cavalcanti Jeronymo Conceito de algoritmo. Raciocínio lógico na construção de algoritmos. Estrutura de algoritmos. Universidade Tecnológica Federal

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Edirlei Soares de Lima Introdução a Computação Aula 02 Lógica de Programação Lógica de Programação Lógica de Programação é a técnica de criar sequências lógicas de ações para atingir

Leia mais

Lógica. Necessida de se usar lógica. Solucionar problemas Eficiência e eficácia Boa performance de conhecimento

Lógica. Necessida de se usar lógica. Solucionar problemas Eficiência e eficácia Boa performance de conhecimento Lógica INTRODUÇÃO Lógica consiste na arte de pensar corretamente, organizando o pensamento, de forma a corrigir o raciocínio. Em nosso dia-a-dia, sem percebermos colocamos em prática a lógica, em qualquer

Leia mais

Fluxograma. Conjunto de símbolos utilizados em fluxogramas

Fluxograma. Conjunto de símbolos utilizados em fluxogramas 27 Símbolo Nome Terminador Seta de fluxo Entrada de dados Atribuição Saída de dados Desvio condicional Declaração Fluxograma Descrição Indica o início e o fim do fluxo do algoritmo. Indica o sentido do

Leia mais

Aula 4B. Lógica e Algoritmos. Profª. Fabiany

Aula 4B. Lógica e Algoritmos. Profª. Fabiany Fundamentos de Programação 1 Aula 4B Lógica e Algoritmos. Profª. Fabiany Lógica A lógica de programação é a técnica de encadear pensamentos para atingir determinado objetivo. Sequência Lógica São passos

Leia mais

Fundamentos de Algoritmos (5175/31)

Fundamentos de Algoritmos (5175/31) UEM/CTC Departamento de Informática Curso: Ciência da Computação Professor: Flávio Rogério Uber Fundamentos de Algoritmos (5175/31) Material Original: Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa (UEM/DIN)

Leia mais

ALGORITMOS AULA 1. Profª Amanda Gondim

ALGORITMOS AULA 1. Profª Amanda Gondim ALGORITMOS AULA 1 Profª Amanda Gondim O que é lógica? NOÇÕES DE LÓGICA A lógica trata da correção do pensamento Ensina-nos a usar corretamente as leis do pensamento É a arte de pensar corretamente A forma

Leia mais

Algoritmos Estrutura Condicional

Algoritmos Estrutura Condicional Algoritmos Estrutura Condicional Aula 06 Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa http://www2.ufersa.edu.br/portal/professor/diogopedrosa diogopedrosa@ufersa.edu.br Universidade Federal Rural do Semiárido Bacharelado

Leia mais

TÉCNICO DE INFORMÁTICA - SISTEMAS

TÉCNICO DE INFORMÁTICA - SISTEMAS 782 - Programação em C/C++ - estrutura básica e conceitos fundamentais Linguagens de programação Linguagem de programação são conjuntos de palavras formais, utilizadas na escrita de programas, para enunciar

Leia mais

Algoritmos e Técnicas de Programação

Algoritmos e Técnicas de Programação Algoritmos e Técnicas de Programação Introdução filipe.raulino@ifrn.edu.br Créditos O material utilizado neste curso é composto de adaptações dos Slides do Professor Diego Silveira. Objetivos Fazer uma

Leia mais

Capítulo 7 Matriz. Roteiro

Capítulo 7 Matriz. Roteiro Capítulo 7 Matriz Licenciatura em Computação Fundamentos de Lógica para Programação Prof. Nícolas Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br http://professor.ifsertao-pe.edu.br/nicolas.trigo Roteiro Definição

Leia mais

Aula 10: Introdução a Vetores e Matrizes

Aula 10: Introdução a Vetores e Matrizes Aula 10: Introdução a Vetores e Matrizes Fernanda Passos Universidade Federal Fluminense Programação de Computadores IV Fernanda Passos (UFF) Vetores e Matrizes Programação de Computadores IV 1 / 50 Agenda

Leia mais

Introdução à Programação de Computadores Fabricação Mecânica

Introdução à Programação de Computadores Fabricação Mecânica Introdução à Programação de Computadores Fabricação Mecânica Edilson Hipolito da Silva edilson.hipolito@ifsc.edu.br - http://www.hipolito.info Aula 06 - Introdução a algoritmos Roteiro Algoritmos Formas

Leia mais

ESTRUTURAS DE CONTROLE ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO

ESTRUTURAS DE CONTROLE ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO ESTRUTURAS DE CONTROLE ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Baseado nos slides de autoria de Rosely Sanches Estruturas de Controle ESTRUTURA SEQUENCIAL ESTRUTURAS CONDICIONAIS Estrutura Condicional Simples Estrutura

Leia mais

Programação de Computadores Profa Jacqueline 1

Programação de Computadores Profa Jacqueline 1 Programação de Computadores Profa Jacqueline 1 REVISÃO Construção de Algoritmos Estruturas de Controle Objetivo: Abordar as técnicas para entrada e saída de dados e as estruturas para controle do fluxo

Leia mais

AULA 07. HABILIDADES TRABALHADAS: Desenvolver algoritmos utilizando laços a partir da leitura de fluxogramas ou algoritmos em portugol.

AULA 07. HABILIDADES TRABALHADAS: Desenvolver algoritmos utilizando laços a partir da leitura de fluxogramas ou algoritmos em portugol. AULA 07 OBJETIVO: Estruturas de repetição: visão geral HABILIDADES TRABALHADAS: Desenvolver algoritmos utilizando laços a partir da leitura de fluxogramas ou algoritmos em portugol. ESTRUTURA DE REPETIÇÃO

Leia mais

Fluxograma Pseudocódigo Estruturas de decisão. Professor Leandro Augusto Frata Fernandes

Fluxograma Pseudocódigo Estruturas de decisão. Professor Leandro Augusto Frata Fernandes Programação de Computadores III Aula 4 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-03.063 Roteiro da Aula

Leia mais

Programação de Computadores:

Programação de Computadores: Instituto de C Programação de Computadores: Pseudocódigo e Estruturas Básicas de Controle Luis Martí Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense lmarti@ic.uff.br - http://lmarti.com Roteiro

Leia mais

1.1 o que é um algoritmo... 6

1.1 o que é um algoritmo... 6 sumário introdução 1 1 fundamentos 5 1.1 o que é um algoritmo... 6 1.1.1 algoritmos executados por um computador...7 1.1.2 comandos básicos executados por um computador...11 1.1.3 da necessidade do desenvolvimento

Leia mais

Microcontroladores. Programação: fluxogramas, pseudocódigos e lógica. Prof. Daniel

Microcontroladores. Programação: fluxogramas, pseudocódigos e lógica. Prof. Daniel Microcontroladores Programação: fluxogramas, pseudocódigos e lógica Prof. Daniel 1 Algoritmo Pseudocódigo Também conhecido como Portugol ou Português Estruturado; As instruções são todas padronizadas;

Leia mais

Programação de Computadores III

Programação de Computadores III Programação de Computadores III Pseudocódigo e Estruturas Básicas de Controle Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.1/tcc-00.157

Leia mais

PORTUGUÊS ESTRUTURADO: INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO PROF. ALEXANDRO DOS SANTOS SILVA

PORTUGUÊS ESTRUTURADO: INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO PROF. ALEXANDRO DOS SANTOS SILVA PORTUGUÊS ESTRUTURADO: INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO PROF. ALEXANDRO DOS SANTOS SILVA SUMÁRIO Introdução Conceitos básicos Formato básico Tipos primitivos Variáveis Constantes Operadores Operações

Leia mais

Programação em C. Victor Amorim dos Santos

Programação em C. Victor Amorim dos Santos Programação em C Victor Amorim dos Santos Proposições Lógicas Expressões Lógicas e o tipo Boolean Importante para a tomada de decisão; Tipo Boolean: tipo de dados para representar a satisfação ou não de

Leia mais

Algoritmos I Edézio 1

Algoritmos I Edézio 1 Algoritmos I Edézio 1 Algoritmo Conjunto de regras e operações bem definidas e ordenadas, destinadas à solução de um problema, ou de uma classe de problemas, em um número finito de etapas. Exemplos: As

Leia mais

Lógica de Programação e Algoritmos

Lógica de Programação e Algoritmos Lógica de Programação e Algoritmos com exemplos na linguagem JAVA Cap. 4 Estruturas de Dados Homogêneas Vetores e Matrizes Conteúdo: 4.1 Variáveis compostas homogêneas... 55 4.2 Vetores... 56 Exercícios

Leia mais

Programação de Computadores III

Programação de Computadores III Programação de Computadores III Pseudocódigo e Estruturas Básicas de Controle Professor Hugo de Oliveira Barbalho hbarbalho@ic.uff.br Material produzido pelo professor: Leandro Augusto Frata Fernandes

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Algoritmos e Programação Aula 5 Estruturas de Repetição Profa. Marina Gomes marinagomes@unipampa.edu.br 26/04/2017 Engenharia de Computação - Unipampa 1 Aula de Hoje Estrutura de repetição Comando for

Leia mais

Lógica de Programação, Algoritmos e Estruturas de Dados

Lógica de Programação, Algoritmos e Estruturas de Dados Lógica de Programação, Algoritmos e Estruturas de Dados Professor: Vilson Heck Junior vilson.junior@ifsc.edu.br Agenda Funções Básicas do Software; Relações entre áreas; Introdução à Algoritmos; Introdução

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação ICC0001 Prof. Diego Buchinger

Introdução à Ciência da Computação ICC0001 Prof. Diego Buchinger Algoritmos e Linguagens de Programação Introdução à Ciência da Computação ICC0001 Prof. Diego Buchinger Conceitos Básicos Para dizer o que um computador deve fazer devemos programá-lo através de instruções

Leia mais

ESTRUTURA CONDICIONAL E SELEÇÃO

ESTRUTURA CONDICIONAL E SELEÇÃO Algoritmos e Estruturas de Dados 1 Prof. Eduardo 1 ESTRUTURA CONDICIONAL E SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE OU DECISÃO) Até o momento da disciplina vimos algoritmos e programas

Leia mais

Ciência da Computação. Prof. Dr. Leandro Alves Neves Prof. Dr. Adriano Cansian

Ciência da Computação. Prof. Dr. Leandro Alves Neves Prof. Dr. Adriano Cansian Algoritmos e Programação Informática II Ciência da Computação Prof. Dr. Leandro Alves Neves Prof. Dr. Adriano Cansian 1 Sumário Noções de lógica Representação do Conhecimento Lógica na Programação Lógica

Leia mais

Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF Programação I

Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF Programação I Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF1004 - Programação I Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática 1 Algoritmo: Conceito Sequência finita e não ambígua de passos para a solução de

Leia mais

PSEUDO-CÓDIGO. Nickerson Fonseca Ferreira

PSEUDO-CÓDIGO. Nickerson Fonseca Ferreira 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS JOÃO CÂMARA PSEUDO-CÓDIGO Nickerson Fonseca Ferreira nickerson.ferreira@ifrn.edu.br Introdução 2 Um algoritmo pode ser

Leia mais

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

Métodos de Representação de Algoritmos

Métodos de Representação de Algoritmos Métodos de Representação de Algoritmos Contudo, quando falamos em algoritmo sob o enfoque computacional, como já foi mencionado, não podemos utilizar uma descrição narrativa para representar um algoritmo.

Leia mais

CAPÍTULO 5 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO

CAPÍTULO 5 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO CAPÍTULO 5 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Fabio Augusto Oliveira Guilherme da Cunha Fonseca FEPI Centro Universitário de Itajubá Curso de Engenharia de Produção 1 INTRODUÇÃO Em vários momentos, na programação,

Leia mais

ALGORITMOS 3ª Aula. 3. Introdução Tipos de dados, variáveis e operadores Tipos de dados

ALGORITMOS 3ª Aula. 3. Introdução Tipos de dados, variáveis e operadores Tipos de dados 3. Introdução Segundo alguns especialistas, qualquer programa de computador pode ser escrito utilizando apenas três estruturas básicas: Seqüência, Condição e Repetição. Isto significa que, na construção

Leia mais

ALGORITMO. Professor: RODRIGO GOBBI TIPOS DE DADOS E INSTRUÇÕES PRIMITIVAS

ALGORITMO. Professor: RODRIGO GOBBI TIPOS DE DADOS E INSTRUÇÕES PRIMITIVAS ALGORITMO Professor: RODRIGO GOBBI As instruções são os comandos que identificarão a máquina qual deverá ser a ação executada; Os dados são números, medidas, valores relacionados ao problema em que se

Leia mais

TIPOS DE DADOS E VARIÁVEIS

TIPOS DE DADOS E VARIÁVEIS AULA 3 TIPOS DE DADOS E VARIÁVEIS 3.1 Tipos de dados Os dados manipulados por um algoritmo podem possuir natureza distinta, isto é, podem ser números, letras, frases, etc. Dependendo da natureza de um

Leia mais

Java - Estruturas de Decisão, Repetição e Arrays

Java - Estruturas de Decisão, Repetição e Arrays Java - Estruturas de Decisão, Repetição e Arrays Professor: Vilson Heck Junior vilson.junior@ifsc.edu.br Estruturas de Decisão: if; Clausulas em Java; switch; Exercícios; Estruturas de Repetição: while;

Leia mais

ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE)

ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE) Algoritmos e Estruturas de Dados 1 Prof. Eduardo 1 ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE) Até o momento da disciplina vimos comandos de entrada, processamento e saída

Leia mais

O que é um jogo digital?

O que é um jogo digital? O que é um jogo digital? Programa de Computador Dados Algoritmos Para que estudar Estrutura de Dados? Para manipular os dados dos programas usamos os ALGORITMOS e para organizar os dados da melhor forma

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Faculdade de Computação Aula Revisão Marcelo Zanchetta do Nascimento Material elaborado pela Profa. Ana Carolina Lorena - UNIFESP Desenvolvimento de Software ANÁLISE IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

CURSO de NIVELAMENTO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO

CURSO de NIVELAMENTO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO CURSO de NIVELAMENTO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO Lógica de Programação Lógica de programação é a técnica de encadear pensamentos (instruções) para atingir determinado objetivo. Instruções Instruções são regras

Leia mais

Estruturas de Decisão e Estruturas de Repetição

Estruturas de Decisão e Estruturas de Repetição Estruturas de Decisão e Estruturas de Repetição Profa. Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderfer lara.popov@ifsc.edu.br http://professores.chapeco.ifsc.edu.br/lara/ Processos de Seleção ou Estruturas de Decisão

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados. Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras PURO

Algoritmos e Estruturas de Dados. Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras PURO Programação de Computadores I Algoritmos e Estruturas de Dados Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras PURO Estruturas de dados Vetor (array): trata-se

Leia mais

Variáveis, Expressões Aritméticas e Entrada e Saída de Dados

Variáveis, Expressões Aritméticas e Entrada e Saída de Dados Escola de Ciências e Tecnologia UFRN Variáveis, Expressões Aritméticas e Entrada e Saída de Dados ECT1103 INFORMÁTICA FUNDAMENTAL Manter o telefone celular sempre desligado/silencioso quando estiver em

Leia mais

Aula 3 Conceitos de memória, variáveis e constantes Cleverton Hentz

Aula 3 Conceitos de memória, variáveis e constantes Cleverton Hentz Aula 3 Conceitos de memória, variáveis e constantes Cleverton Hentz Sumário de Aula } Conceito de Memória } Variáveis e Tipos de Dados } Constantes 2 Conceito de Memória } A memória de um computador é

Leia mais

INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO - EPET006 -

INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO - EPET006 - INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO - EPET006 - Heleno Pontes Bezerra Neto - helenopontes@lccv.ufal.br Introdução ao MATLAB Tipos Primitivos 3. TÓPICOS PRELIMINARES Tipos Primitivos - ATÉ AGORA TRABALHAMOS NO MATLAB

Leia mais

Conceitos Básicos de Algoritmos

Conceitos Básicos de Algoritmos Conceitos Básicos de Algoritmos 35 TIPOS PRIMITIVOS Palavra-reservada: inteiro - define variáveis numéricas do tipo inteiro, ou seja, sem casas decimais Palavra-reservada: real - define variáveis numéricas

Leia mais

LINGUAGEM C: COMANDOS DE REPETIÇÃO

LINGUAGEM C: COMANDOS DE REPETIÇÃO LINGUAGEM C: COMANDOS DE REPETIÇÃO Prof. André Backes ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Uma estrutura de repetição permite que uma sequência de comandos seja executada repetidamente, enquanto determinadas condições

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Produção / Elétrica Parte 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Pampa Campus-Bagé Algoritmos e Programação Aula 1 Apresentação da Disciplina Conceitos Introdutórios Prof. Julio Saraçol juliodomingues@unipampa.edu.br Slide1 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Professor: Marcelo Santos Linder Disciplina: Algoritmos e Programação Código Disciplina: Carga Horária: 60h Período: Pág. 1 de 5 PROFESSOR TITULAÇÃO: Engenheiro de Computação EMENTA: Conceito de algoritmo.

Leia mais

01/08/2011. Tipos de dados Numéricos Alfanuméricos Lógicos. Numéricos. Tipos de dados. Dados Numéricos Inteiros. Dados Numéricos Reais.

01/08/2011. Tipos de dados Numéricos Alfanuméricos Lógicos. Numéricos. Tipos de dados. Dados Numéricos Inteiros. Dados Numéricos Reais. Engenharia de Controle e Automação Programação I Prof. Ricardo Sobjak ricardo.sobjak@ifsc.edu.br Tipos de dados Numéricos Alfanuméricos Lógicos Tipos de dados Os tipos de dados primitivos ou básicos são

Leia mais

FACCAT Sistemas de Informação. Estruturas de Dados

FACCAT Sistemas de Informação. Estruturas de Dados FACCAT Sistemas de Informação Estruturas de Dados Aula 1 http://professores.faccat.br/azambuja (Estrutura de Dados) Definição de variáveis Podemos imaginar uma variável como o local onde se pode colocar

Leia mais

Conceitos Básicos Linguagem C

Conceitos Básicos Linguagem C Conceitos Básicos Linguagem C PROF. MAURÍCIO A DIAS MACDIASPAE@GMAIL.COM 2 Método Método básico para construção de algoritmos 1. Compreender completamente o problema a ser resolvido, se possível dividindo

Leia mais

Algoritmos e Programação I

Algoritmos e Programação I Algoritmos e Programação I Estruturas de Controle e Repetição Prof. Fernando Maia da Mota mota.fernandomaia@gmail.com CPCX/UFMS Fernando Maia da Mota 1 Estruturas de Controle Uma vez que a expressão condicional

Leia mais

Algoritmos. Diego Silveira Costa Nascimento. 12 de setembro de Instituto Federal do Rio Grande do Norte

Algoritmos. Diego Silveira Costa Nascimento. 12 de setembro de Instituto Federal do Rio Grande do Norte Algoritmos Diego Silveira Costa Nascimento Instituto Federal do Rio Grande do Norte diego.nascimento@ifrn.edu.br 12 de setembro de 2015 Ementa do Curso 1 Introdução 2 Estrutura de um Algoritmo 3 Variáveis

Leia mais

AULA 02. OBJETIVO: Desenvolvimento e solução de Algoritmos. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO

AULA 02. OBJETIVO: Desenvolvimento e solução de Algoritmos. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 02 OBJETIVO: Desenvolvimento e solução de Algoritmos. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO A lógica é a ciência do pensamento correto. Esta declaração não implica, contudo em afirmar que ela seja a ciência da verdade.

Leia mais

ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE)

ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE) Algoritmos e Estruturas de Dados 1 Prof. Eduardo 1 ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE) Já vimos entrada, processamento e saída, que compõem os algoritmos puramente

Leia mais

Aula 4 Estruturas Condicionais

Aula 4 Estruturas Condicionais Departamento de Sistemas de Computação Universidade de São Paulo SSC 600 Introdução a Ciência de Computação I Aula 4 Estruturas Condicionais Seiji Isotani, Rafaela V. Rocha sisotani@icmc.usp.br rafaela.vilela@gmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Matrizes. Prof. Alex Camargo

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Matrizes. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Matrizes Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Definição Matriz é uma variável composta homogênea multidimensional. Conjunto de

Leia mais

Introdução à Programação. 4ª aula. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. 4ª aula. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação 4ª aula Prof. José Honorato F. Nunes honoratonunes@gmail.com RESUMO DA AULA Operador Literal Estruturas de Controle Seleção Repetição Prof. José Honorato F. Nunes honoratonunes@gmail.com

Leia mais

Algoritmos e Programação. Noções de Lógica e Algoritmos Tarcio Carvalho

Algoritmos e Programação. Noções de Lógica e Algoritmos Tarcio Carvalho s e Programação Noções de Lógica e Algoritmos Tarcio Carvalho EMENTA Desenvolvimento de algoritmos; Tipos de dados básicos e estruturados; Comandos de uma linguagem de Programação; Metodologia de desenvolvimento

Leia mais

Algoritmos. Prof. Jonatas Bastos Site:

Algoritmos. Prof. Jonatas Bastos   Site: Algoritmos Prof. Jonatas Bastos Email: jonatasfbastos@gmail.com Site: http://jonatasfbastos.wordpress.com/ 1 Exemplo de Algoritmo { declaração de variáveis } real: p1, p2, p3, p4, Media; inicio { comandos

Leia mais

Computação I: Representações de Algoritmos

Computação I: Representações de Algoritmos Computação I: Representações de Algoritmos reginaldo.re@utfpr.edu.br * Parte da apresentação foi gentilmente cedida pelo prof. Igor Steinmacher Agenda Objetivos Relembrando... Algoritmos para desenvolver

Leia mais

ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PRÉ AULA DIAGNÓSTICO 22/10/2015. Analise o algoritmo a seguir e depois assinale a alternativa correspondente:

ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PRÉ AULA DIAGNÓSTICO 22/10/2015. Analise o algoritmo a seguir e depois assinale a alternativa correspondente: ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com PRÉ AULA Julgue as afirmações enumeradas a seguir em verdadeiras (V) ou falsas

Leia mais

Introdução à Programação em C. Prof. Ricardo Teixeira Tecnologia em Mecatrônica Industrial SENAI

Introdução à Programação em C. Prof. Ricardo Teixeira Tecnologia em Mecatrônica Industrial SENAI Introdução à Programação em C Prof. Ricardo Teixeira Tecnologia em Mecatrônica Industrial SENAI Linguagem C Criada em 1972 para uso no LINUX; Sintaxe base para diversas outras (Java, JavaScript, PHP, C++,

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Estruturas de repetição

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Estruturas de repetição Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Estruturas de repetição Prof. Renato Pimentel 1 Estruturas de repetição Utilização: Trecho de um algoritmo precisa ser executado mais de uma vez:

Leia mais

Conceitos Básicos. Professor: Juliano Lucas Gonçalves.

Conceitos Básicos. Professor: Juliano Lucas Gonçalves. Conceitos Básicos Professor: Juliano Lucas Gonçalves juliano.goncalves@ifsc.edu.br Agenda Revisão Algoritmos Memória, variáveis e constantes Estrutura básica de um algoritmo em pseudocódigo 2 O que já

Leia mais

A palavra ALGORITMO teve origem com um Matemático Persa, al. Khawarizmi. O seu trabalho mais famoso foi Al-jabr walmuquabalah,

A palavra ALGORITMO teve origem com um Matemático Persa, al. Khawarizmi. O seu trabalho mais famoso foi Al-jabr walmuquabalah, A palavra ALGORITMO teve origem com um Matemático Persa, al Khawarizmi. O seu trabalho mais famoso foi Al-jabr walmuquabalah, ou a ciência das Equações que, em última análise suscitaram o desenvolvimento

Leia mais

Introdução à Lógica de Programação. Adaptação de Luis Otavio Alvares

Introdução à Lógica de Programação. Adaptação de Luis Otavio Alvares 1 Introdução à Lógica de Programação Adaptação de Luis Otavio Alvares 2 Elaboração de um programa Problema Análise Programa Algoritmo 3 Processo de geração de um programa Análise do problema: Ler atentamente

Leia mais

Processamento Sequencial e Condicional

Processamento Sequencial e Condicional FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre Processamento Sequencial e Condicional Rafael Barbosa Neiva rafael@prodados.inf.br Processamento Sequencial Processamento sequencial

Leia mais

Algoritmos Computacionais

Algoritmos Computacionais Material produzido por professores da UFABC Objetivos Aprender a sintaxe e a semântica de instruções de saída e de entrada de dados na linguagem PORTUGOL Aprender alguns operadores pra uso na parte de

Leia mais

Slides trabalhados durante a quinta aula

Slides trabalhados durante a quinta aula Slides trabalhados durante a quinta aula prática Estruturas de Controle de Fluxo 3. Laços de repetição (continuação) Exercício: Construa um algoritmo, representando-o através de um pseudocódigo e de um

Leia mais

Fábio Rodrigues / Israel Lucania

Fábio Rodrigues / Israel Lucania Fábio Rodrigues / Israel Lucania Variável é um local na memória principal, isto é, um endereço que armazena um conteúdo. Em linguagem de alto nível nos é permitido dar nomes a esse endereço, facilitando

Leia mais

Lógica de Programação. Profas. Simone Campos Camargo e Janete Ferreira Biazotto

Lógica de Programação. Profas. Simone Campos Camargo e Janete Ferreira Biazotto Lógica de Programação Profas. Simone Campos Camargo e Janete Ferreira Biazotto O curso Técnico em Informática É o profissional que desenvolve e opera sistemas, aplicações, interfaces gráficas; monta estruturas

Leia mais

Algoritmo e Programação. Capítulo 2 Tópicos Preliminares

Algoritmo e Programação. Capítulo 2 Tópicos Preliminares Algoritmo e Programação Capítulo 2 Tópicos Preliminares Tópicos Preliminares Neste capítulo Tipos Primitivos Variáveis Expressões Aritméticas, Lógicas e Relacionais Comandos de Entrada e Saída Blocos Tópicos

Leia mais

Linguagem de Programação I. Aula 03 Estruturas de Controle

Linguagem de Programação I. Aula 03 Estruturas de Controle Linguagem de Programação I Aula 03 Estruturas de Controle Da Aula Anterior Algoritmos, definição; Representação de algoritmos; Pseudo-linguagem Portugol: Definições básicas Nesta Aula Portugol: aspectos

Leia mais

Estruturas de repetição

Estruturas de repetição Estruturas de repetição IF61A/IF71A - Computação 1 Prof. Leonelo Almeida Universidade Tecnológica Federal do Paraná Até agora... Sabemos construir algoritmos que tenham: Variáveis Comandos sequenciais

Leia mais

Estruturas de Seleção Seleção Simples e Composta (parte 1)

Estruturas de Seleção Seleção Simples e Composta (parte 1) Seleção Simples e Composta (parte 1) Material produzido por professores da UFABC Objetivos Reconhecer a necessidade do uso de estruturas de seleção (decisão) Aprender a utilizar operadores relacionais

Leia mais

Algoritmos e Técnicas. Lógica de Programação. É a técnica de encadear pensamento para atingir determinado objetivo.

Algoritmos e Técnicas. Lógica de Programação. É a técnica de encadear pensamento para atingir determinado objetivo. Algoritmos e Técnicas Lógica de Programação É a técnica de encadear pensamento para atingir determinado objetivo. 1 Algoritmos - Conceitos Um algoritmo é uma seqüência de ações (passos) finitas, bem definidas,

Leia mais

INTRODUÇÃO A PROGRAMAÇÃO

INTRODUÇÃO A PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO A PROGRAMAÇÃO Aula - 3 Edilson Hipolito da Silva edilson.hipolito@ifsc.edu.br - http://wwww.hipolito.info Roteiro 2 Exercícios Lógica 3 Para podermos trabalhar com desenvolvimento de sistemas/programas

Leia mais

Exercícios Repetição. 8.3 Exercícios

Exercícios Repetição. 8.3 Exercícios Curso de Graduação em Ciência da Computação Disciplina: Algoritmos Professor: Marcelo Cendron Exercícios Repetição 8.3 Exercícios 1. Faça um programa utilizando o comando while, que fica lendo números

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 1

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 1 LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 1 Prof. RANILDO LOPES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Introdução aos conceitos básicos de lógica de programação Fundamentos da Lógica de Programação Tipos e estrutura de dados, variáveis, constantes,

Leia mais

Resolução De Problemas Em Informática. Docente: Ana Paula Afonso Resolução de Problemas. 1. Analisar o problema

Resolução De Problemas Em Informática. Docente: Ana Paula Afonso Resolução de Problemas. 1. Analisar o problema ALGORITMIA Resolução De Problemas Em Informática Docente: Ana Paula Afonso 2000-2001 Resolução de Problemas 1. Analisar o problema Conhecer o bem o problema Descrever o problema: subdividir, detalhar 2.

Leia mais

Algoritmos I Aula 10 Estrutura de controle: repetição

Algoritmos I Aula 10 Estrutura de controle: repetição Algoritmos I Aula 10 Estrutura de controle: repetição Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação São comuns as situações nas quais precisamos repetir determinadas

Leia mais