Direitos fundamentais supranacionais (O caso da União Europeia)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Direitos fundamentais supranacionais (O caso da União Europeia)"

Transcrição

1 Direitos fundamentais supranacionais (O caso da União Europeia) Vital Moreira (IGC-FDUC) São Paulo,

2 Plano 1. Direitos fundamentais beyond the state 2. Natureza da UE 3. Direitos fundamentais na UE 4. Adesão da UE à CEDH 5. Mecanismos de proteção 6. Constitucionalismo supranacional 2

3 1. Direitos fundamentais beyond the state 3

4 Entidades transnacionais sujeitas aos direitos fundamentais? Entidades transnacionais dotadas de poderes de autoridade suscetíveis de lesar direitos fundamentais das pessoas? Defesa dos direitos fundamentais contra atos das organizações transnacionais? Entidades supranacionais dotadas de um bill of rights? Entidades supranacionais como parte em convenções internacionais de direitos humanos? 4

5 2. Natureza da UE 5

6 A UE como entidade supranacional Natureza sem precedentes da UE Traços estatais Traços federais Poderes de autoridade da UE Poderes legislativos Poderes administrativos Poderes judiciais Princípios da ordem jurídica da UE Efeito direto do direito da União Primazia na ordem jurídica dos Estados-membros 6

7 3. Direitos fundamentais na UE 7

8 A conquista dos direitos fundamentais na UE Ausência de DF no Tratado de Roma (1957) Submissão pretoriana da UE aos direitos fundamentais Tratado de Maastricht (1992) Propostas de adesão à CEDH CDFUE (2000) Tratado de Lisboa (2007) 8

9 O artigo 6º do Tratado UE/1992 «1. A União assenta nos princípios da liberdade, da democracia, do respeito pelos direitos do Homem e pelas liberdades fundamentais, bem como do Estado de direito, princípios que são comuns aos Estados- Membros. 2. A União respeitará os direitos fundamentais tal como os garante a Convenção Europeia de Salvaguarda dos Direitos do Homem e das Liberdades Fundamentais, assinada em Roma em 4 de Novembro de 1950, e tal como resultam das tradições constitucionais comuns aos Estados-Membros, enquanto princípios gerais do direito comunitário.» 9

10 O artigo 6º TUE segundo o Tratado de Lisboa 1. A União reconhece os direitos, as liberdades e os princípios enunciados na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, de 7 de Dezembro de 2000, com as adaptações que lhe foram introduzidas em 12 de Dezembro de 2007, em Estrasburgo, e que tem o mesmo valor jurídico que os Tratados. (...) 2. A União adere à Convenção Europeia para a Protecção dos Direitos do Homem e das Liberdades Fundamentais. (...) 3. Do direito da União fazem parte, enquanto princípios gerais, os direitos fundamentais tal como os garante a Convenção Europeia para a Protecção dos Direitos do Homem e das Liberdades Fundamentais e tal como resultam das tradições constitucionais comuns aos Estados-Membros. 10

11 As duas grandes novidades do Tratado de Lisboa Incorporação (por remissão) da CDFUE no Tratado força vinculativa da CDFUE constitucionalização da CDFUE Adesão da UE à CEDH e ao TEDH uma velha ideia, cancelada desde 1994 equiparação da UE aos Estados-membros protocolo anexo ao TLª 11

12 Dois pontos menos positivos O protocolo referente ao Reino Unido e à Polónia, onde a Carta não será vinculante, especialmente quanto ao cap. IV (direitos dos trabalhadores e direitos sociais) Falta de adesão à Carta Social Europeia (1961) Falta de previsão da adesão da UE aos instrumentos de DH das Nações Unidas 12

13 O fim do défice de direitos fundamentais da UE A situação anterior ao TLª: as liberdades económicas fundamentais do Tratado de Roma os direitos de cidadania europeia do Tratado de Maastricht os direitos sociais do Tratado de Amesterdão o art. 6º-2 do Tratado de Maastricht A nova situação: conservação do acervo precedente a CDFUE de 2000 a CEDH de 1950 e protocolos adicionais 13

14 O que significa a incorporação da CDFUE? A CDFUE como bill of rights privativo da UE A CDFUE como direito primário ( constitucional ) da UE A vinculação das instituições, órgãos e agências da UE invalidade das normas e decisões que infrinjam a CDFUE o TJUE como guardião da CDFUE (tribunal cosntitucional) A vinculação dos Estados-membros à CDFUE, quando atuem ao abrigo do direito da UE possibilidade de invocar a CDFUE nos Estados-membros eventual conflito com os bills of rights domésticos 14

15 A originalidade da CDFUE Formação método convencional ( ) Indefinida natureza jurídica originária Abrangência e inclusividade dos DF previstos Organização dos dir. fund. (dignidade, liberdade, igualdade, solidariedade, cidadania, justiça) Fontes: Tratados da UE, CEDH, CSE, DUDH, outros instrumentos internacionais de DH A interpretação autêntica da CDFUE 15

16 Efeitos práticos Beneficiários da Carta direitos dos cidadãos da UE direitos de todos os legalmente residentes na UE direitos de toda a gente Articulação da CDFUE com as liberdades económicas do Tratado de Roma / TFUE Casos práticos: os casos Omega (dignidade humana) Schmidberger (liberdade de manifestação) os casos Viking e Laval (direito à greve) 16

17 4. Adesão da UE à CEDH 17

18 CEDH e TEDH Originalidade da CEDH e do TEDH O recurso de última instância junto do TEDH contra violações da CEDH pelos Estados-parte Prevalência da CEDH sobre a ordem jurídica dos Estados-parte Obstáculos à adesão da UE 18

19 Razões para a adesão A incongruente situação pré-existente a obrigação dos Estados de respeitar a CEDH mesmo na aplicação do direito comunitário Necessidade de manter o mesmo grau de protecção em caso de comunitarização de atribuições nacionais Equiparar a UE aos Estados-membros perante a CEDH e o TEDH Vantagem de compartilhar o património comum europeu dos direitos humanos Harmonizar a leitura dos direitos fundamentais na UE com o paradigma de Estrasburgo Estabelecer um mecanismo adicional de tutela dos direitos fundamentais face à UE 19

20 Consequências práticas Possibilidade de recurso ao TEDH contra violações da CEDH por parte de instituições / órgãos / agências da UE, depois de esgotados os recursos jurisdicionais disponíveis na justiça da própria UE Possibilidade de escrutínio e revisão das decisões do TJUE pelo TEDH Conflitos Estrasburgo versus Luxemburgo? 20

21 Rejeição do acordo entre a UE e os Estados-parte na CEDH Razões da rejeição Consequências da rejeição 21

22 5. Mecanismos de proteção 22

23 Quem protege os DF da UE? Não basta reconhecer direitos Os DF como direito constitucional da UE A competência primária do TJUE Recurso de anulação Impugnação das omissões inconstitucionais A competência dos tribunais nacionais, nos casos em que os Estados-membros aplicam direito comunitário O Ombudsman europeu O recurso de última instância para o TEDH, quanto à violação dos direitos da CEDH 23

24 O caso Kadi Descrição do caso Kadi Significado do caso Kadi: a UE está vinculada aos DF mesmo quando se limita a dar cumprimento a obrigações decorrentes de decisões vinculativas do CS das Nações Unidas 24

25 6. Constitucionalismo supranacional 25

26 Traços constitucionais da UE Bill of rights Cidadania europeia Separação de poderes Jurisdição constitucional Constitucionalismo sem constituição 26

27 7. Conclusões UE: primeira entidade supranacional explicitamente sujeita aos direitos fundamentais e dotada de um bill of rights próprio Primeira entidade supranacional a tornr-se parte numa convenção internacional de DH Proteção judicial dos particulares contra o poder legislativo, administrativo (e mesmo judicial) da UE A UE como Estado de direito / rule of law Escrutínio externo da UE pelo TEDH 27

28 Bibliografia essencial Philip Alston et allii (org), The EU and human rights, Oxford 1999 Vital Moreira, Respublica Europeia: Estudos de direito cosntitucional da União Europeia, Coimbra,

Licenciatura

Licenciatura Licenciatura 2014-2015 DISCIPLINA DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA (TURMA A) PROFESSORA REGENTE ANA MARIA GUERRA MARTINS Sumário A refundação da União Europeia, operada pelo Tratado de Lisboa, obrigou a reequacionar

Leia mais

ÍNDICE GERAL. apresentação da 8ª edição 7 apresentação da 7ª edição 9 apresentação da 6ª edição 11 apresentação da 1ª edição 13

ÍNDICE GERAL. apresentação da 8ª edição 7 apresentação da 7ª edição 9 apresentação da 6ª edição 11 apresentação da 1ª edição 13 ÍNDICE GERAL apresentação da 8ª edição 7 apresentação da 7ª edição 9 apresentação da 6ª edição 11 apresentação da 1ª edição 13 PARTE I 15 1. Introdução 17 2. A pré-história da integração europeia (as ideias

Leia mais

DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA 2015/2016 TURMA: PROFESSOR DOUTOR EDUARDO PAZ FERREIRA PROGRAMA. I. Introdução

DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA 2015/2016 TURMA: PROFESSOR DOUTOR EDUARDO PAZ FERREIRA PROGRAMA. I. Introdução DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA 2015/2016 TURMA: PROFESSOR DOUTOR EDUARDO PAZ FERREIRA PROGRAMA I. Introdução 1. Apresentação da cadeira 1.1. Porquê estudar Direito da União Europeia 1.2. Programa da cadeira

Leia mais

NOTA DE ABERTURA À SEGUNDA EDIÇÃO 17. INTRODUÇÃO 19 Maria Manuel Leitão Marques 21

NOTA DE ABERTURA À SEGUNDA EDIÇÃO 17. INTRODUÇÃO 19 Maria Manuel Leitão Marques 21 SIGLAS 15 NOTA DE ABERTURA À SEGUNDA EDIÇÃO 17 INTRODUÇÃO 19 Maria Manuel Leitão Marques 21 O mercado e a economia de mercado 21 O Direito, o mercado e a concorrência 22 Saber Direito para entender o mercado

Leia mais

Preparação da União Europeia para os importantes alargamentos de 1 de Maio de 2004 e 1 de Janeiro de 2007 a Leste e a Sul

Preparação da União Europeia para os importantes alargamentos de 1 de Maio de 2004 e 1 de Janeiro de 2007 a Leste e a Sul 2001 Preparação da União Europeia para os importantes alargamentos de 1 de Maio de 2004 e 1 de Janeiro de 2007 a Leste e a Sul O Tratado foi assinado em 26 de Fevereiro de 2001 e entrou em vigor em 1 de

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão das Liberdades Cívicas, da Justiça e dos Assuntos Internos 26.1.2016 DOCUMENTO DE TRABALHO sobre a criação de um mecanismo da UE para a democracia, o Estado de direito

Leia mais

PROGRAMA DE DIREITO DA INTEGRAÇÃO ECONÓMICA

PROGRAMA DE DIREITO DA INTEGRAÇÃO ECONÓMICA Licenciatura de Direito em Língua Portuguesa PROGRAMA DE DIREITO DA INTEGRAÇÃO ECONÓMICA 4º ANO ANO LECTIVO 2011/2012 1 ELEMENTOS DE ESTUDO Bibliografia Básica: João Mota de Campos e João Luíz Mota de

Leia mais

DIREITOS HUMANOS E A CONSTITUIÇÃO

DIREITOS HUMANOS E A CONSTITUIÇÃO DIREITOS HUMANOS E A CONSTITUIÇÃO Aula 06 NOS CAPÍTULOS ANTERIORES... Identificamos a evolução histórica dos direitos humanos Direitos Humanos Direitos fundamentais Geração x Dimensões Documentos Históricos

Leia mais

O funcionamento do Sistema Europeu em relação ao Sistema Interno dos Países Membros

O funcionamento do Sistema Europeu em relação ao Sistema Interno dos Países Membros O funcionamento do Sistema Europeu em relação ao Sistema Interno dos Países Membros Professora Rosa Greaves, Universidades de Glasgow e Oslo Email: Rosa.Greaves@glasgow.ac.uk Porque deve conhecer o Direito

Leia mais

Carta dos Direitos Fundamentais da UE

Carta dos Direitos Fundamentais da UE Carta dos Direitos Fundamentais da UE A5-0064/2000 Resolução do Parlamento Europeu sobre a elaboração de uma Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia (C5-0058/1999 1999/2064(COS)) O Parlamento

Leia mais

União Europeia. Carolina Lembo

União Europeia. Carolina Lembo União Europeia Carolina Lembo carolina.lembo@fiesp.org.br Processo de Construção da União Europeia O Processo de Construção da União Europeia 1950: Declaração Schumann A paz mundial não poderá ser salvaguardada

Leia mais

TÓPICOS DE CORREÇÃO DO EXAME FINAL

TÓPICOS DE CORREÇÃO DO EXAME FINAL TÓPICOS DE CORREÇÃO DO EXAME FINAL DE DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA,TURMA DA NOITE (2.º ANO) DE 7 DE JUNHO DE 2017 Regente: Prof.ª Doutora Ana Maria Guerra Martins NOTA: A hipótese poderia ter sido resolvida

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO II. 2.º Ano Turma B PROGRAMA DA DISCIPLINA Ano lectivo de 2011/2012 2º semestre

DIREITO ADMINISTRATIVO II. 2.º Ano Turma B PROGRAMA DA DISCIPLINA Ano lectivo de 2011/2012 2º semestre DIREITO ADMINISTRATIVO II 2.º Ano Turma B PROGRAMA DA DISCIPLINA Ano lectivo de 2011/2012 2º semestre LISBOA 2012 Regente: Prof. Doutor Fausto de Quadros Colaborador: Prof. Doutor Lourenço Vilhena de Freitas

Leia mais

Licenciatura

Licenciatura Licenciatura 2016-2017 DISCIPLINA DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO (TURMA A) PROFESSORA REGENTE ANA MARIA GUERRA MARTINS PROGRAMA Introdução 1. O direito internacional no contexto do direito constitucional

Leia mais

COMO SERIA A NOSSA VIDA SEM A UNIÃO EUROPEIA?

COMO SERIA A NOSSA VIDA SEM A UNIÃO EUROPEIA? COMO SERIA A NOSSA VIDA SEM A UNIÃO EUROPEIA? O QUE É A UNIÃO EUROPEIA? A União Europeia é uma união de países democráticos europeus, que partilham valores comuns e que se encontram empenhados num projeto

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA

CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA Direito Constitucional e Teoria Geral do Estado *Aspectos de Direito Eleitoral *Controle

Leia mais

Programa da disciplina de Direitos Fundamentais. Ano lectivo de 2011/2012

Programa da disciplina de Direitos Fundamentais. Ano lectivo de 2011/2012 Programa da disciplina de Direitos Fundamentais Ano lectivo de 2011/2012 Regente: Jorge Reis Novais 1- Apresentação da disciplina: programa, bibliografia, aulas e método de avaliação. O objectivo da disciplina:

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. DIREITO DO CONTENCIOSO DA UNIÃO EUROPEIA - disciplina de opção Licenciatura 2016/2017 (1.

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. DIREITO DO CONTENCIOSO DA UNIÃO EUROPEIA - disciplina de opção Licenciatura 2016/2017 (1. FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO DO CONTENCIOSO DA UNIÃO EUROPEIA - disciplina de opção Licenciatura 2016/2017 (1.º Semestre) Regente: Prof. Doutora Maria Luísa Duarte Colaboradores:

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA CONTENCIOSO DA UNIÃO EUROPEIA. Curso de Mestrado Profissionalizante 2014/2015 (2.

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA CONTENCIOSO DA UNIÃO EUROPEIA. Curso de Mestrado Profissionalizante 2014/2015 (2. FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA CONTENCIOSO DA UNIÃO EUROPEIA Curso de Mestrado Profissionalizante 2014/2015 (2.º Semestre) Regente: Prof. Doutora Maria Luísa Duarte PROGRAMA INTRODUÇÃO

Leia mais

VERSÕES CONSOLIDADAS

VERSÕES CONSOLIDADAS 7.6.2016 Jornal Oficial da União Europeia C 202/1 VERSÕES CONSOLIDADAS DO TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA E DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA (2016/C 202/01) 7.6.2016 Jornal Oficial da União

Leia mais

A UNIÃO EUROPEIA E O DIÁLOGO INTERCULTURAL MNE DGAE

A UNIÃO EUROPEIA E O DIÁLOGO INTERCULTURAL MNE DGAE A UNIÃO EUROPEIA E O DIÁLOGO INTERCULTURAL O CAMINHO PARA A UNIÃO EUROPEIA O QUE SE COMEMORA NO ANO EUROPEU 2008 QUIZ O CAMINHO PARA A UNIÃO EUROPEIA No século XX, depois das Guerras Mundiais (a 2ª foi

Leia mais

DH e Educação Aula 04

DH e Educação Aula 04 DH e Educação Aula 04 A tutela internacional dos direitos humanos a) Os precedentes históricos b) O sistema internacional e seus instrumentos de proteção (Carta da ONU, Declaração Universal dos Direitos

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA Regente: Prof. Doutora Maria Luísa Duarte Colaboradores: Mestre Cecília; Anacoreta Correia; Dra. Joana Loureiro; Dr. Francisco Abreu

Leia mais

Cidadania Europeia. Trabalho realizado por: Joana Ferreira 11ºH Área de Integração

Cidadania Europeia. Trabalho realizado por: Joana Ferreira 11ºH Área de Integração Cidadania Europeia Trabalho realizado por: Joana Ferreira 11ºH Área de Integração UNIÃO EUROPEIA Momentos Importantes da construção Europeia 1950 - A 9 de Maio deu-se a declaração de Robert Schuman; 1951

Leia mais

sobre o papel do Ministério Público fora do sistema de justiça penal

sobre o papel do Ministério Público fora do sistema de justiça penal TRADUÇÃO da versão em francês CONSELHO DA EUROPA Recomendação CM/Rec(2012)11 do Comité de Ministros aos Estados Membros sobre o papel do Ministério Público fora do sistema de justiça penal (adoptada pelo

Leia mais

EIXO FUNDAMENTAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA

EIXO FUNDAMENTAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC LINHAS DE PESQUISA Direito Constitucional e Teoria Geral do Estado * O Poder Constituinte * Processo Legislativo

Leia mais

Ordenação dos ramos de Direito (tradicional):

Ordenação dos ramos de Direito (tradicional): Ramos do Direito 1 - Ordem jurídica una / demarcação de sectores) - Ramos de Direito objectivo corpos de regras gerais e abstractas que organizam aspectos da vida em sociedade - Critério de delimitação

Leia mais

Cidadania Europeia. Direção-Geral da Educação Av. 24 de Julho, n.º Lisboa Tel

Cidadania Europeia. Direção-Geral da Educação Av. 24 de Julho, n.º Lisboa Tel Este documento foi elaborado pela Direção-Geral da Educação em parceria com a Pro Dignitate - Fundação de Direitos Humanos, por ocasião do Seminário conjunto realizado no âmbito do Ano Europeu dos Cidadãos

Leia mais

CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A AÇÃO CIVIL PÚBLICA... 23

CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A AÇÃO CIVIL PÚBLICA... 23 SUMÁRIO Capítulo I CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A AÇÃO CIVIL PÚBLICA... 23 1. Previsão normativa... 23 1.1. A tradição individualista na tutela dos direitos... 23 1.2. Surgimento e consolidação da tutela

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Ano lectivo de ºano, Turma A DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA I. Exame escrito. 4 de Junho de 2009

Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Ano lectivo de ºano, Turma A DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA I. Exame escrito. 4 de Junho de 2009 Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Ano lectivo de 2008-2009 2ºano, Turma A DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA I Exame escrito 4 de Junho de 2009 Regente: Prof. Doutor Fausto de Quadros Responda às duas

Leia mais

União Europeia Bruxelas, 14 de novembro de 2014 (OR. en) Assegurar o respeito pelo Estado de direito na União Europeia

União Europeia Bruxelas, 14 de novembro de 2014 (OR. en) Assegurar o respeito pelo Estado de direito na União Europeia Conselho da União Europeia Bruxelas, 14 de novembro de 2014 (OR. en) 15206/14 FREMP 198 JAI 846 COHOM 152 POLGEN 156 NOTA de: para: Assunto: Presidência Conselho Assegurar o respeito pelo Estado de direito

Leia mais

O que é a União Europeia (UE)?

O que é a União Europeia (UE)? O que é a União Europeia (UE)? 28 Estados-Membros Mais de 500 milhões de habitantes Atuais candidatos à adesão à UE: Albânia, antiga República Iugoslava da Macedônia, Montenegro, Sérvia e Turquia Tratados

Leia mais

CÓDIGO DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO: alterações e consequências na Administração Central e Local

CÓDIGO DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO: alterações e consequências na Administração Central e Local CÓDIGO DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO: alterações e consequências na Administração 2015 Lei n.º 42/2014, de 11 de julho Lei de autorização legislativa Decreto-Lei n.º 4/2015, de 7 de janeiro aprova o novo

Leia mais

SUMÁRIO. Siglas e abreviaturas Introdução Teoria Geral dos Direitos Humanos... 25

SUMÁRIO. Siglas e abreviaturas Introdução Teoria Geral dos Direitos Humanos... 25 Siglas e abreviaturas... 19 Introdução... 21 Capítulo 1 Teoria Geral dos Direitos Humanos... 25 1. Conceito de Direitos Humanos... 26 2. Dimensão ética dos Direitos Humanos... 26 3. Direitos do Homem,

Leia mais

STJ AMICUS CURIAE NO PROCESSO CIVIL BRASILEIRO Um Terceiro Enigmático. Editora Saraiva. São Paulo, 2006

STJ AMICUS CURIAE NO PROCESSO CIVIL BRASILEIRO Um Terceiro Enigmático. Editora Saraiva. São Paulo, 2006 STJ00063793 CASSIO SCARPINELLA BUENO Mestre, Doutor e Livre-docente em Direito Faculdade de Direito da PUCSP. Professor de nos cursos de graduação, especialização, mestrado e doutorado da Faculdade de

Leia mais

União Europeia Docente: Pedro Moreira Ano Lectivo: 2012/2013

União Europeia Docente: Pedro Moreira Ano Lectivo: 2012/2013 União Europeia Docente: Pedro Moreira Ano Lectivo: 2012/2013 Como Nasceu a União Europeia? Depois da guerra...a paz, a solidariedade na Europa Em 1951, nasceu a primeira Comunidade - a Comunidade Europeia

Leia mais

I Noções e Problemas Elementares

I Noções e Problemas Elementares Introdução ao Estudo do Direito I 1.º Ano Noite, 2015/ 2016 Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa PROGRAMA 1 I Noções e Problemas Elementares 1. Primeiros olhares; ideias geralmente associadas ao «direito»

Leia mais

A AUDIÇÃO DA CRIANÇA NOS PROCEDIMENTOS QUE CORREM NAS CONSERVATÓRIAS DO REGISTO CIVIL

A AUDIÇÃO DA CRIANÇA NOS PROCEDIMENTOS QUE CORREM NAS CONSERVATÓRIAS DO REGISTO CIVIL A AUDIÇÃO DA CRIANÇA NOS PROCEDIMENTOS QUE CORREM NAS CONSERVATÓRIAS DO REGISTO CIVIL A Lei n.º 5/2017, de 2 de Março, veio estabelecer o regime de regulação do exercício das responsabilidades parentais

Leia mais

A RELAÇÃO DO DIREITO COMUNITÁRIO E O DIREITO INTERNACIONAL REGIONAL - A ADESÃO DA UNIÃO EUROPEIA AO SISTEMA DA CONVENÇÃO EUROPEIA DE DIREITOS HUMANOS

A RELAÇÃO DO DIREITO COMUNITÁRIO E O DIREITO INTERNACIONAL REGIONAL - A ADESÃO DA UNIÃO EUROPEIA AO SISTEMA DA CONVENÇÃO EUROPEIA DE DIREITOS HUMANOS A RELAÇÃO DO DIREITO COMUNITÁRIO E O DIREITO INTERNACIONAL REGIONAL - A ADESÃO DA UNIÃO EUROPEIA AO SISTEMA DA CONVENÇÃO EUROPEIA DE DIREITOS HUMANOS THE RELATIONSHIP OF EUROPEAN UNION LAW AND REGIONAL

Leia mais

ESTUDOS DE HOMENAGEM AO PROF. DOUTOR JORGE MIRANDA

ESTUDOS DE HOMENAGEM AO PROF. DOUTOR JORGE MIRANDA ESTUDOS DE HOMENAGEM AO PROF. DOUTOR JORGE MIRANDA VOLUME V DIREITO INTERNACIONAL E DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO E DIREITO MARÍTIMO DIREITO FINANCEIRO E DIREITO FISCAL EDIÇÃO

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 194/IX SOBRE A CONSTITUIÇÃO EUROPEIA

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 194/IX SOBRE A CONSTITUIÇÃO EUROPEIA PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 194/IX SOBRE A CONSTITUIÇÃO EUROPEIA Considerando o Relatório sobre os Trabalhos da Convenção sobre o Futuro da Europa e sobre o Projecto de Tratado que estabelece uma Constituição

Leia mais

A garantia do Direito

A garantia do Direito A garantia do Direito 1. A garantia dos direitos Quando estudamos a especificidade das normas jurídicas face às normas morais, tivemos oportunidade de mencionar que as primeiras recebiam o amparo da coacção,

Leia mais

DIREITOS HUMANOS. Prof. Ricardo Torques. fb.com/direitoshumanosparaconcursos. periscope.tv/rstorques.

DIREITOS HUMANOS. Prof. Ricardo Torques. fb.com/direitoshumanosparaconcursos. periscope.tv/rstorques. DIREITOS HUMANOS Prof. Ricardo Torques fb.com/direitoshumanosparaconcursos periscope.tv/rstorques rst.estrategia@gmail.com Teoria Geral dos Direitos Humanos Características, Eficácia e Classificação de

Leia mais

A arbitragem administrativa institucionalizada: aspetos constitucionais

A arbitragem administrativa institucionalizada: aspetos constitucionais A arbitragem administrativa institucionalizada: aspetos constitucionais João Tiago Silveira CAAD e ICJP 13 de novembro de 2016 Sumário 1. A arbitragem administrativa institucionalizada e o Centro de Arbitragem

Leia mais

Actas. OBSERVARE 1 st International Conference. I Congresso Internacional do OBSERVARE November, Novembro, 2011

Actas. OBSERVARE 1 st International Conference. I Congresso Internacional do OBSERVARE November, Novembro, 2011 OBSERVARE 1 st International Conference 16-17 - 18 November, 2011 I Congresso Internacional do OBSERVARE 16-17 - 18 Novembro, 2011 Actas Universidade Autónoma de Lisboa Fundação Calouste Gulbenkian http://observare.ual.pt/conference

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO ESTRUTURA CURRICULAR STRICTO SENSU (por área de concentração-baseada na Res. Vigente do CCEPE)

PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO ESTRUTURA CURRICULAR STRICTO SENSU (por área de concentração-baseada na Res. Vigente do CCEPE) NOME DO CURSO: DIREITO NÍVEL: [ x ] MESTRADO [ ] DOUTORADO LINHA DE PESQUISA: 1 ESTADO, CONSTITUCIONALIZAÇÃO E DIREITOS HUMANOS PERÍODO DE VIGÊNCIA: para alunos MATRICULADOS a partir de 03 / 2013 DO CURSO

Leia mais

Estrutura do Jornal Oficial Adaptação na sequência da entrada em vigor do Tratado de Lisboa

Estrutura do Jornal Oficial Adaptação na sequência da entrada em vigor do Tratado de Lisboa Assunto: Jornal Oficial, série L Estrutura do Jornal Oficial Adaptação na sequência da entrada em vigor do Tratado de Lisboa L I Actos legislativos a) Regulamentos b) Directivas c) Decisões d) Orçamentos

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I ÍNDICE. CAPÍTULO I A relevância do estudo do direito administrativo

DIREITO ADMINISTRATIVO I ÍNDICE. CAPÍTULO I A relevância do estudo do direito administrativo ÍNDICE DIREITO ADMINISTRATIVO I Abreviaturas e siglas CAPÍTULO I A relevância do estudo do direito administrativo 1. A relevância do estudo do direito administrativo 1.1 As abordagens do direito administrativo

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 45/XIII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 45/XIII. Exposição de Motivos Exposição de Motivos A livre circulação de trabalhadores é uma liberdade fundamental dos cidadãos da União Europeia (UE) e assume um relevo determinante para o desenvolvimento de um verdadeiro mercado

Leia mais

DIREITO INTERNACIONAL. Tratados Internacionais

DIREITO INTERNACIONAL. Tratados Internacionais DIREITO INTERNACIONAL Tratados Internacionais Conceito e nomenclatura Validade no Brasil Estrutura Profª Luciana Romano Morilas 1 Constituição Federal Na CF, há vários dispositivos que remetem aos Tratados

Leia mais

PROTOCOLOS e DECLARAÇÕES anexas ao Tratado de Lisboa PROTOCOLOS

PROTOCOLOS e DECLARAÇÕES anexas ao Tratado de Lisboa PROTOCOLOS PROTOCOLOS e DECLARAÇÕES anexas ao Tratado de Lisboa PROTOCOLOS Protocolo (N.º 1) relativo ao papel dos Parlamentos nacionais na União Protocolo (N.º 2) relativo à aplicação dos princípios da subsidiariedade

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTENCIOSO DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTENCIOSO DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular CONTENCIOSO DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular CONTENCIOSO DO PODER

Leia mais

Direito da Segurança

Direito da Segurança Direito da Segurança Direito Constitucional, Internacional, Europeu, Legal e Regulamentar I DIREITO CONSTITUCIONAL DA SEGURANÇA 1. Constituição da República Portuguesa (artigos) - Artigo 7º - Relações

Leia mais

O TRATADO DE LISBOA OS PARLAMENTOS NACIONAIS. Assembleia da República Comissão de Assuntos Europeus

O TRATADO DE LISBOA OS PARLAMENTOS NACIONAIS. Assembleia da República Comissão de Assuntos Europeus O TRATADO DE LISBOA E OS PARLAMENTOS NACIONAIS O TRATADO DE LISBOA E OS PARLAMENTOS NACIONAIS O Tratado de Lisboa consagra os Parlamentos nacionais como garante do bom funcionamento da UE (artigo 12.º

Leia mais

BASES JURÍDICAS PARA O PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO. económico geral. das instituições

BASES JURÍDICAS PARA O PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO. económico geral. das instituições ANEXO III BASES JURÍDICAS PARA O PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO 1 Artigo 14.º Base jurídica Descrição Elementos processuais 1 Artigo 15.º, n. 3 Artigo 16.º, n. 2 Artigo 18.º Artigo 19.º, n. 2 Artigo 21.º,

Leia mais

Programa da disciplina de Direitos Fundamentais Ano letivo de 2014/15

Programa da disciplina de Direitos Fundamentais Ano letivo de 2014/15 Programa da disciplina de Direitos Fundamentais Ano letivo de 2014/15 Regente: Jorge Reis Novais Colaboradores: Prof. Doutor Domingos Soares Farinho Mestre Tiago Fidalgo de Freitas Mestre Tiago Antunes

Leia mais

ANEXO. Plano de Ação para reforçar a luta contra o financiamento do terrorismo. Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu e ao Conselho

ANEXO. Plano de Ação para reforçar a luta contra o financiamento do terrorismo. Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu e ao Conselho COMISSÃO EUROPEIA Estrasburgo, 2.2. COM() 50 final ANNEX 1 ANEXO Plano de Ação para reforçar a luta contra o financiamento do terrorismo da Comunicação da ao Parlamento Europeu e ao Conselho PT PT ANEXO

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITOS FUNDAMENTAIS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITOS FUNDAMENTAIS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITOS FUNDAMENTAIS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITOS FUNDAMENTAIS (02314)

Leia mais

Convenção de Istambul

Convenção de Istambul CONVENÇÃO DO CONSELHO DA EUROPA PARA A PREVENÇÃO E O COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES E A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA Convenção de Istambul LIVRE DO MEDO LIVRE DA VIOLÊNCIA QUAL É O OBJETIVO DA CONVENÇÃO?

Leia mais

1- As matrizes clássicas do Estado de Direito - Características comuns 2- O Rule of Law Britânico

1- As matrizes clássicas do Estado de Direito - Características comuns 2- O Rule of Law Britânico 1- As matrizes clássicas do Estado de Direito - Características comuns 2- O Rule of Law Britânico Profa. Nina Ranieri 15/09/2017 1 Plano de aula I - Introdução As matrizes clássicas do Estado de Direito

Leia mais

1 Direito processual constitucional, 7

1 Direito processual constitucional, 7 1 Direito processual constitucional, 7 1.1 Esclarecimentos iniciais, 7 1.2 Direito processual constitucional: objeto de estudo, 8 1.3 Jurisdição, processo, ação e defesa, 10 1.4 Constituição e processo,

Leia mais

O PROVEDOR DE JUSTIÇA EUROPEU

O PROVEDOR DE JUSTIÇA EUROPEU O PROVEDOR DE JUSTIÇA EUROPEU O Provedor de Justiça Europeu procede a inquéritos para esclarecer eventuais casos de má administração na atuação de instituições, organismos, gabinetes e agências da União

Leia mais

Jor nal Oficial C 202. da União Europeia. Comunicações e Informações. 59. o ano 7 de junho de Edição em língua portuguesa.

Jor nal Oficial C 202. da União Europeia. Comunicações e Informações. 59. o ano 7 de junho de Edição em língua portuguesa. Jor nal Oficial da União Europeia C 202 Edição em língua portuguesa Comunicações e Informações 59. o ano 7 de junho de 2016 Índice 2016/C 202/01 Versões consolidadas do Tratado da União Europeia e do Tratado

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Documento de sessão 29.6.2011 B7-0380/2011 PROPOSTA DE RESOLUÇÃO apresentada na sequência da pergunta com pedido de resposta oral B7-000316/2011 nos termos do n.º 5 do artigo

Leia mais

Comissão Europeia. Conselho da União Europeia. Parlamento Europeu. Tribunal de Justiça. Tribunal de Contas. Comité Económico e Social

Comissão Europeia. Conselho da União Europeia. Parlamento Europeu. Tribunal de Justiça. Tribunal de Contas. Comité Económico e Social As instituições comunitárias Comissão Europeia Conselho da União Europeia Parlamento Europeu Tribunal de Justiça Tribunal de Contas Comité Económico e Social Comité das Regiões Banco Europeu de Investimentos

Leia mais

Proposta conjunta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta conjunta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA ALTA REPRESENTANTE DA UNIÃO PARA OS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS E A POLÍTICA DE SEGURANÇA Bruxelas, 21.9.2016 JOIN(2016) 43 final 2016/0298 (NLE) Proposta conjunta de DECISÃO DO CONSELHO relativa

Leia mais

-APOIO JUDICIÁRIO- Um Direito Fundamental em toda a União Europeia

-APOIO JUDICIÁRIO- Um Direito Fundamental em toda a União Europeia -APOIO JUDICIÁRIO- Um Direito Fundamental em toda a União Europeia Declaração Universal dos Direitos do Homem Artigo 10º Toda a pessoa tem direito, em plena igualdade, a que a sua causa seja equitativa

Leia mais

Apoio. Patrocinadores Globais APDSI

Apoio. Patrocinadores Globais APDSI Apoio Patrocinadores Globais APDSI Transparência e Sigilo na Administração Pública: A questão dos dados fiscais XV Tomada de Posição GAN / APDSI Lisboa, 24 de abril de 2013 Princípios regentes da Administração

Leia mais

Reforma legislativa da proteção de dados pessoais na União Europeia. Jornadas FCCN 2017

Reforma legislativa da proteção de dados pessoais na União Europeia. Jornadas FCCN 2017 Reforma legislativa da proteção de dados pessoais na União Europeia PACOTE LEGISLATIVO Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de abril de 2016, relativo à proteção das pessoas

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Direitos humanos no âmbito da União Européia Aldir Guedes Soriano* Sumário: 1. Introdução - 2. Tratamento Comunitário dos Direitos humanos - 3. Tribunal de Justiça das Comunidades

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2016

PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2016 PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2016 ASSUNTOS EUROPEUS E COOPERAÇÃO ASSUNTOS EUROPEUS E COOPERAÇÃO DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DIREITO ADMINISTRATIVO EUROPEU Identificar o delineamento

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Turno diurno

Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Turno diurno Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo 2015-2016 PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Turno diurno Setembro 2015 REGENTE/COORDENADOR Professor Doutor Luís Silva Morais Membros

Leia mais

Política Europeia de Imigração: Evolução e Perspectivas. Constança Urbano de Sousa

Política Europeia de Imigração: Evolução e Perspectivas. Constança Urbano de Sousa Política Europeia de Imigração: Evolução e Perspectivas Constança Urbano de Sousa Notas preliminares Imigração e Asilo Conceito comunitário de estrangeiro Cidadão comunitário Estrangeiro: nacional de Estado

Leia mais

HERMENÊUTICA CONSTITUCIONAL

HERMENÊUTICA CONSTITUCIONAL HERMENÊUTICA CONSTITUCIONAL Objetivo final do estudo da Herm. Jurídica Ponto de encontro entre o social e o jurídico Dinamismo da sociedade desafia o intérprete Novo padrão interpretativo: norma + contexto

Leia mais

CORPO DOCENTE: PROGRAMA. 1. Apresentação e programa da cadeira. Diplomas relevantes.

CORPO DOCENTE: PROGRAMA. 1. Apresentação e programa da cadeira. Diplomas relevantes. CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA MESTRADO PROFISSIONALIZANTE ANO LETIVO 2014/2015 CORPO DOCENTE: PROFESSOR DOUTOR GUILHERME W. D OLIVEIRA MARTINS PROGRAMA

Leia mais

BASE JURÍDICA DESCRIÇÃO

BASE JURÍDICA DESCRIÇÃO PROCESSOS DE DECISÃO INTERGOVERNAMENTAL Na Política Externa e de Segurança Comum, bem como em vários outros domínios, tais como a cooperação reforçada, determinadas nomeações e a revisão de tratados, o

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO DO CONTENCIOSO DA UNIÃO EUROPEIA. Curso de Mestrado Profissionalizante 2015/2016 (2.

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO DO CONTENCIOSO DA UNIÃO EUROPEIA. Curso de Mestrado Profissionalizante 2015/2016 (2. FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO DO CONTENCIOSO DA UNIÃO EUROPEIA Curso de Mestrado Profissionalizante 2015/2016 (2.º Semestre) Regente: Prof. Doutora Maria Luísa Duarte PROGRAMA

Leia mais

As suas questões. sobre o Tribunal de Justiça da União Europeia

As suas questões. sobre o Tribunal de Justiça da União Europeia As suas questões sobre o Tribunal de Justiça da União Europeia PORQUÊ UM TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA (TJUE)? Para construir a Europa, os Estados (actualmente 27) celebraram entre si Tratados

Leia mais

CIDADANIA EUROPEIA ATIVA E INFORMADA

CIDADANIA EUROPEIA ATIVA E INFORMADA CIDADANIA EUROPEIA ATIVA E INFORMADA 2013 - Ano Europeu dos Cidadãos Objetivos: Colocar os cidadãos no centro do debate público Aproximação dos Cidadãos às instituições europeias; Promover e incentivar

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. EXAME DE DIREITO ADMINISTRATIVO II Época de recurso (TURMA NOITE)

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. EXAME DE DIREITO ADMINISTRATIVO II Época de recurso (TURMA NOITE) FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA EXAME DE DIREITO ADMINISTRATIVO II Época de recurso (TURMA NOITE) I Distinga dois (e apenas dois) dos seguintes pares de conceitos: (a) Parecer vinculativo

Leia mais

O Direito de Adoptar?

O Direito de Adoptar? Direito da Igualdade Social 2010 2011 O Direito de Adoptar? A adopção por casais homossexuais Andreia Engenheiro Nº 2068 1. Família Tem influência de factores: - Religiosos; - Económicos; - Socio-culturais.

Leia mais

DIREITOS COLETIVOS E CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE II. Professor Juliano Napoleão

DIREITOS COLETIVOS E CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE II. Professor Juliano Napoleão DIREITOS COLETIVOS E CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE II Professor Juliano Napoleão UNIDADE 1 O controle de constitucionalidade no Brasil 1.1 Considerações iniciais: conceito, pressupostos e objetivos do

Leia mais

Prof. Eduardo Casassanta

Prof. Eduardo Casassanta Prof. Eduardo Casassanta Ementa História Constitucional do Brasil nas suas diversas fases (colonial, monárquica e republicana). Classificação das Constituições. Partes da Constituição. Direitos Sociais

Leia mais

O TRATADO DE NICE E A CONVENÇÃO

O TRATADO DE NICE E A CONVENÇÃO O TRATADO DE NICE E A CONVENÇÃO SOBRE O FUTURO DA EUROPA O Tratado de Nice preparou apenas parcialmente a União Europeia para os importantes alargamentos de 2004 e de 2007, a Leste e a Sul. Em resposta

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) TARDE

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) TARDE ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) TARDE Direito Constitucional e Direitos Humanos (8 Valores) GRELHA DE CORRECÇÃO 28 de Março de 2014 1-Proceda ao enquadramento jurídico na perspetiva

Leia mais

CURSO DE PREPARAÇÃO PARA O CONCURSO DE INGRESSO NA CARREIRA DIPLOMÁTICA. Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

CURSO DE PREPARAÇÃO PARA O CONCURSO DE INGRESSO NA CARREIRA DIPLOMÁTICA. Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa CURSO DE PREPARAÇÃO PARA O CONCURSO DE INGRESSO NA CARREIRA DIPLOMÁTICA Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa 2017 Organizado de acordo com os temas do regulamento do concurso Coordenação: ICJP

Leia mais

A PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NOS BLOCOS ECONÔMICOS UMA ANÁLISE DA UNIÃO EUROPEIA E DO MERCOSUL

A PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NOS BLOCOS ECONÔMICOS UMA ANÁLISE DA UNIÃO EUROPEIA E DO MERCOSUL Imagem LYCIA CIBELY PORTO JALES A PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NOS BLOCOS ECONÔMICOS UMA ANÁLISE DA UNIÃO EUROPEIA E DO MERCOSUL Dissertação em Ciências Jurídico-Políticas Menção em Direito Internacional

Leia mais

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS REDE JURIS DIREITO CONSTITUCIONAL PROF. BRUNO PONTES PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (arts. 1º ao 4º) TÍTULO II DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS (arts. 5º ao 17) Capítulo

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA CONTRA O RACISMO E A INTOLERÂNCIA

COMISSÃO EUROPEIA CONTRA O RACISMO E A INTOLERÂNCIA CRI(97)36 Version portugaise Portuguese version COMISSÃO EUROPEIA CONTRA O RACISMO E A INTOLERÂNCIA RECOMENDAÇÃO DE POLÍTICA GERAL N. 2 DA ECRI: OS ÓRGÃOS ESPECIALIZADOS NA LUTA CONTRA O RACISMO, A XENOFOBIA,

Leia mais

5455/02 PB/cdc DG H II PT

5455/02 PB/cdc DG H II PT CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 28 de Janeiro de 2002 (OR. en) 5455/02 EUROPOL 5 ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: Iniciativa do Reino da Bélgica e do Reino da Espanha tendo em vista

Leia mais

OS RECURSOS DE INCONSTITUCIONALIDADE PARA O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL. Tribunal Constitucional, seminário 2013

OS RECURSOS DE INCONSTITUCIONALIDADE PARA O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL. Tribunal Constitucional, seminário 2013 OS RECURSOS DE INCONSTITUCIONALIDADE PARA O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL S Plano de apresentação S I. INTRODUÇÃO S II. RECURSO ORDINÁRIO DE INCONSTITUCIONALIDADE S III. RECURSO EXTRAORDINÁRIO S IV. REGIME COMPARADO

Leia mais

A necessidade de proteção e efetividade aos direitos humanos, em sede internacional, possibilitou o surgimento de uma disciplina autônoma ao Direito

A necessidade de proteção e efetividade aos direitos humanos, em sede internacional, possibilitou o surgimento de uma disciplina autônoma ao Direito Profa. Andrea Wild A necessidade de proteção e efetividade aos direitos humanos, em sede internacional, possibilitou o surgimento de uma disciplina autônoma ao Direito Internacional Público, com denominação

Leia mais

Direito internacional público. Aula 3 As fontes de DIP

Direito internacional público. Aula 3 As fontes de DIP Direito internacional público Aula 3 As fontes de DIP Plano de aula As fontes do DIP Estatuto CIJ Novas fontes e meios auxiliares DIP Fontes 1 o art. 38, Estatuto CIJ 1. A Corte, cuja função seja decidir

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL JORGE MIRANDA CURSO DE DIREITO CONSTITUCIONAL ESTADO E CONSTITUCIONALISMO. CONSTITUIÇÃO. DIREITOS FUNDAMENTAIS. VOL. 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA LISBOA 2016 ÍNDICE Explicação 9 Preliminares 1. O fenómeno

Leia mais

Índice ÍNDICE. Pág. Prefácio... 7 Plano da obra Abreviaturas Bibliografia Geral Parte I CONCEITO DE DIREITO

Índice ÍNDICE. Pág. Prefácio... 7 Plano da obra Abreviaturas Bibliografia Geral Parte I CONCEITO DE DIREITO Índice 609 ÍNDICE Pág. Prefácio... 7 Plano da obra... 11 Abreviaturas... 13 Bibliografia Geral... 15 Parte I CONCEITO DE DIREITO Capítulo 1 A vida do Homem em sociedade 1. Observações preliminares... 23

Leia mais

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA O Tribunal de Justiça da União Europeia é uma das sete instituições da UE. Congrega duas jurisdições: o Tribunal de Justiça propriamente dito e o Tribunal Geral

Leia mais

LICENCIATURA

LICENCIATURA LICENCIATURA 2015-2016 DIREITO DO AMBIENTE (CURSO NOCTURNO) REGÊNCIA: PROFESSORA DOUTORA CARLA AMADO GOMES Programa Apresentação Esta disciplina pretende, a partir da delimitação do objecto do Direito

Leia mais

20/11/2014. Direito Constitucional Professor Rodrigo Menezes AULÃO DA PREMONIÇÃO TJ-RJ

20/11/2014. Direito Constitucional Professor Rodrigo Menezes AULÃO DA PREMONIÇÃO TJ-RJ Direito Constitucional Professor Rodrigo Menezes AULÃO DA PREMONIÇÃO TJ-RJ 1 01. A Constituição Federal de 1988 consagra diversos princípios, os quais exercem papel extremamente importante no ordenamento

Leia mais

I INTRODUÇÃO AO DIREITO INTERNACIONAL

I INTRODUÇÃO AO DIREITO INTERNACIONAL ÍNDICE GERAL Nota Prévia à 3. a edição 7 Nota Prévia à 2. a edição 9 Nota Prévia à l. a edição 11 Plano 13 Orientações de Leitura 15 I INTRODUÇÃO AO DIREITO INTERNACIONAL CAPÍTULO I O DIREITO INTERNACIONAL

Leia mais