Programa da disciplina de Direitos Fundamentais. Ano lectivo de 2011/2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa da disciplina de Direitos Fundamentais. Ano lectivo de 2011/2012"

Transcrição

1 Programa da disciplina de Direitos Fundamentais Ano lectivo de 2011/2012 Regente: Jorge Reis Novais 1- Apresentação da disciplina: programa, bibliografia, aulas e método de avaliação. O objectivo da disciplina: o estudo dos direitos fundamentais enquanto garantias jurídicoconstitucionais. A distinção entre direitos fundamentais e direitos humanos. Os direitos fundamentais enquanto garantias jurídicas e enquanto objecto de luta política e de transformação social. Bibliografia: A bibliografia sobre direitos fundamentais, mesmo considerando só a escrita em língua portuguesa, é já quase inabarcável, pelo que, para além dos textos do regente da disciplina que serão expressamente indicados em cada ponto específico do programa como textos de apoio ao estudo da matéria leccionada, se sugerem apenas as principais obras que podem auxiliar o acompanhamento do programa. Com a advertência que nessas obras se sustentam, em geral, posições muito diversas do sentido com que a matéria é leccionada neste curso, aconselhamos, em língua portuguesa, as anotações aos direitos fundamentais constantes das duas principais Constituições Anotadas (de Gomes Canotilho/Vital Moreira e de Jorge Miranda/Rui Medeiros) e ainda: Jorge Miranda, Manual de Direito Constitucional, IV, Direitos Fundamentais, Coimbra, 2008 Gomes Canotilho, Direito Constitucional e Teoria da Constituição, Coimbra, 2007 Vieira de Andrade, Os Direitos Fundamentais na Constituição Portuguesa de 1976, Coimbra, 2009 Melo Alexandrino, Direitos Fundamentais, Lisboa,

2 Ingo Sarlet, A Eficácia dos Direitos Fundamentais, Porto Alegre, Os direitos fundamentais na história do Estado de Direito: no Estado de Direito liberal; no Estado social e democrático de Direito. Jorge Reis Novais Os Princípios Constitucionais Estruturantes da República Portuguesa, págs. 15 ss. Jorge Reis Novais Contributo para uma Teoria do Estado de Direito, págs. 59 segs, 179 segs. 3. Os direitos fundamentais enquanto garantias jurídico-constitucionais em Estado de Direito democrático. Sua natureza, alcance e relevância jurídica. A relação entre o princípio do Estado de Direito e o princípio democrático. O papel do poder judicial na garantia dos direitos fundamentais em Estado democrático. Os direitos fundamentais como trunfos contra a maioria. segs. Jorge Reis Novais Direitos Fundamentais: Trunfos contra a Maioria, págs. 17 e 4. A complexidade, as vantagens e as dificuldades da compreensão dos direitos fundamentais como trunfos. A necessária compatibilização entre direitos fundamentais e outros bens dignos de protecção jurídica. A dependência que a garantia e a realização dos direitos fundamentais apresentam face à necessária intervenção e actuação do Estado. A inadequação constitucional do princípio in dubio pro libertate. A necessidade de uma dogmática sólida de enquadramento jurídico-constitucional dos direitos fundamentais. 2

3 segs. Jorge Reis Novais Direitos Fundamentais: Trunfos contra a Maioria, págs. 56 e Jorge Reis Novais Direitos Sociais, págs. 319 ss; Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não Expressamente Autorizadas pela Constituição, págs. 708 segs; págs. 693 segs. 5. Conceito de direito fundamental. Direitos fundamentais em sentido formal e em sentido material. A cláusula aberta. A estrutura típica das normas de direitos fundamentais. Titulares, destinatários e conteúdo dos direitos fundamentais. Algumas distinções dogmáticas essenciais. Enunciado normativo e norma de direito fundamental. Direito fundamental como um todo e cada uma das diferentes faculdades que o integram. Dimensão principal e dimensões secundárias no conteúdo dos direitos fundamentais. Dimensão objectiva e dimensão subjectiva das garantias jurídicas jusfundamentais. Direito fundamental e direito subjectivo. Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não Expressamente Autorizadas pela Constituição, págs. 51 e segs, 57 e segs. 6. Classificações e tipos de direitos fundamentais. As classificações de direitos fundamentais e a Constituição portuguesa. A distinção entre direitos de liberdade e direitos sociais: na doutrina, nos textos de Direito Internacional de Direitos Humanos e na Constituição portuguesa. Direitos, liberdades e garantias e direitos económicos, sociais e culturais: critérios de sistematização e de distinção. O art. 17º da Constituição e a concepção tradicional sobre a distinção entre direitos, liberdades e garantias e direitos económicos, sociais e culturais. Os direitos análogos a direitos, liberdades e garantias e o pretenso regime 3

4 de protecção especial dos direitos de liberdade. O regime especial de protecção dos direitos, liberdades e garantias enquanto regime material, orgânico e de revisão constitucional. Jorge Reis Novais Direitos Sociais, págs. 333 segs. 7. Crítica da concepção tradicional sobre a distinção entre direitos de liberdade e direitos sociais na Constituição portuguesa. Crítica da concepção tradicional sobre a existência de dois regimes diferentes de protecção dos direitos de liberdade e dos direitos sociais. Jorge Reis Novais Direitos Sociais, págs. 340 segs, 358 segs. Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não Expressamente Autorizadas pela Constituição, págs. 125 segs. 8. Crítica da desqualificação dos direitos sociais enquanto direitos fundamentais. A reserva do financeiramente possível, a natureza positiva, a determinabilidade de conteúdo e a questão da aplicabilidade directa dos preceitos constitucionais sobre direitos fundamentais. Jorge Reis Novais Direitos Sociais, págs. 65 segs., 89 segs., 251 segs. 9. A natureza constitucional das garantias jusfundamentais e a necessidade de uma dogmática de direitos fundamentais unitária e abrangente. Os factores de diferenciação no quadro de uma dogmática de direitos fundamentais unitária e os seus reflexos na fixação de diferentes margens de decisão de legislador, administração e poder judicial. A diferente 4

5 densidade normativa das normas de direitos fundamentais. A diferente natureza dos deveres estatais e das reservas que os afectam. A natureza negativa ou positiva dos direitos. Jorge Reis Novais Direitos Sociais, págs. 255 segs., 269 segs. 10. A diferente densidade normativa das normas de direitos fundamentais. Regras e princípios. Direitos definitivos e direitos sujeitos a ponderação. Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não Expressamente Autorizadas pela Constituição, págs. 322 segs. Jorge Reis Novais Direitos Sociais, págs. 269 segs. 11. A diferente natureza dos deveres estatais correlativos ou associados aos direitos fundamentais (dever de respeitar, dever de proteger e dever de promover) e o controlo judicial da respectiva realização à luz do princípio da separação de poderes. As reservas próprias de cada tipo dos diferentes deveres estatais associados aos direitos fundamentais e o princípio da separação de poderes. O dever estatal de respeito dos direitos fundamentais e a reserva geral imanente de ponderação. O dever estatal de protecção dos direitos fundamentais e a reserva do politicamente adequado ou oportuno. O dever estatal de promoção dos direitos fundamentais e a reserva do financeiramente possível. Jorge Reis Novais Direitos Sociais, págs. 255 segs., 271 segs. concreto 12. A natureza negativa ou positiva dos direitos fundamentais em apreciação no caso 5

6 Jorge Reis Novais Direitos Sociais, págs. 282 segs. 13. A figura e o conceito de restrição aos direitos fundamentais enquanto instância central da teoria de direitos fundamentais. O problema do fundamento da admissibilidade de restrições aos direitos fundamentais ou de limites dos direitos fundamentais. Teoria externa, teoria interna e teoria dos direitos fundamentais como princípios. Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não Expressamente Autorizadas pela Constituição, págs. 289 e segs. 14. Posição adoptada sobre o fundamento e as necessidades de controlo das restrições aos direitos fundamentais. A inadequação da teoria dos limites imanentes à luz das necessidades de protecção da liberdade em Estado de Direito. A adequação constitucional do recurso à metodologia da ponderação de bens. A ponderação de bens e os riscos de subjectivismo e decisionismo. A reserva geral imanente de ponderação como pressuposto lógico da admissibilidade de restrições e as necessidades do controlo da sua constitucionalidade em caso de ocorrência. Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não Expressamente Autorizadas pela Constituição, págs. 569 segs., 602 segs., 693 segs. segs. Jorge Reis Novais Direitos Fundamentais: Trunfos contra a Maioria, págs. 49 e 6

7 15. Estado de Direito, necessidades de controlo das afectações desvantajosas dos direitos fundamentais e adequação do modelo proposto pela teoria externa. A primeira fase ou fase preliminar do processo de controlo: a delimitação do conteúdo constitucionalmente protegido do direito fundamental. A necessidade dessa fase de controlo face aos modelos alternativos: a concepção restritiva própria da teoria interna (que concentra todo o processo de controlo na interpretação do conteúdo protegido do direito fundamental e prescinde do controlo da restrição) e a concepção ampliativa própria da teoria dos princípios (que concentra todo o controlo na ponderação de bens que conduz à imposição de um limite e prescinde da necessidade de interpretação do conteúdo protegido do direito fundamental). Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não Expressamente Autorizadas pela Constituição, págs. 354 e segs, 396 e segs. 16. A fase de verificação da existência de uma restrição ao conteúdo protegido do direito fundamental. A irrelevância prática da distinção entre restrições e conceitos afins. A distinção entre restrição e suspensão de direitos fundamentais. Leis restritivas e intervenções restritivas. O controlo da constitucionalidade da restrição. A autorização ou a justificação para restringir. Restrições expressamente autorizadas pela Constituição e restrições não expressamente autorizadas. O sentido do art. 18º, 2, da Constituição portuguesa. Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não Expressamente Autorizadas pela Constituição, págs. 172 segs, 192 segs., 254 segs., 581 segs. 17. O controlo da justificação das restrições. A concepção dos direitos fundamentais como trunfos, a necessidade de uma justificação forte e a inadmissibilidade de algumas razões para restringir. A natureza constitucional ou infraconstitucional dos bens susceptíveis 7

8 de justificar a ocorrência de uma restrição. O problema dos limites aos limites e os seus diferentes tipos. Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não Expressamente Autorizadas pela Constituição, 602 e segs, 626 e segs, 727 e segs. segs. Jorge Reis Novais Direitos Fundamentais: Trunfos contra a Maioria, págs. 49 e 18. O art. 18º, nº 2. O princípio da proibição do excesso e os seus diferentes subprincípios (aptidão, indispensabilidade, proporcionalidade, razoabilidade, determinabilidade). Jorge Reis Novais Os Princípios Constitucionais Estruturantes da República Portuguesa, págs. 161 segs. 19. O art. 13º e ao art. 18º, nº 3. O princípio da igualdade. A proibição de leis restritivas não gerais e não abstractas. Jorge Reis Novais Os Princípios Constitucionais Estruturantes da República Portuguesa, págs. 101 segs. 20. O art. 2º e o art. 18º, nº 3. O princípio da segurança jurídica e da protecção da confiança. A proibição de leis restritivas retroactivas. 8

9 Jorge Reis Novais Os Princípios Constitucionais Estruturantes da República Portuguesa, págs. 261 segs. 21. A garantia do conteúdo essencial dos direitos fundamentais. A discutível relevância desta garantia entre a retórica e a identificação com a proibição do excesso ou com a dignidade da pessoa humana. As várias teorias explicativas: absoluta, relativa, objectiva, subjectiva. Os limites orgânicos. O sentido da reserva de lei parlamentar. Jorge Reis Novais As Restrições aos Direitos Fundamentais não expressamente autorizadas pela Constituição, págs. 727 e segs. e págs. 779 e segs, 872 ss. 22. A relevância jurídica dos direitos fundamentais enquanto direitos positivos. O controlo judicial da afectação dos direitos fundamentais no âmbito dos deveres estatais de protecção e de promoção. O princípio da proibição do défice. Mínimo de protecção, mínimo social, razoabilidade e dignidade da pessoa humana. Jorge Reis Novais Direitos Sociais, págs. 302 segs. 23. O princípio da dignidade da pessoa humana. O sentido da relevância do princípio nos direitos de liberdade e nos direitos sociais. O dever estatal de protecção e a protecção contra si próprio. A renúncia a direitos fundamentais. Jorge Reis Novais Os Princípios Constitucionais Estruturantes da República Portuguesa, págs. 51 segs. 9

10 segs. Jorge Reis Novais Direitos Fundamentais, Trunfos contra a Maioria, págs. 211 e 24. A tutela dos direitos fundamentais. A tutela jurisdicional dos direitos fundamentais. A tutela pelo Tribunal Constitucional. As possibilidades limitadas de os particulares acederem ao Tribunal Constitucional para protecção dos direitos fundamentais contra intervenções restritivas actuadas pela Administração e pelo poder judicial. A Convenção Europeia dos Direitos do Homem e a protecção dos direitos fundamentais pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem. Jorge Reis Novais Direitos Fundamentais, Trunfos contra a Maioria, págs. 11 e seg., págs. 155 e segs. 25. A tutela por parte dos tribunais comuns e a controvérsia doutrinária acerca da invocabilidade dos direitos fundamentais nas relações jurídicas entre privados. O sentido controverso do art. 18º, nº 1, da Constituição. As diferentes teses de enquadramento do problema. segs. Jorge Reis Novais Direitos Fundamentais, Trunfos contra a Maioria, págs. 69 e Jorge Reis Novais "A intervenção do Provedor de Justiça nas relações entre privados" in "O Provedor de Justiça, Novos Estudos", Lisboa, 2008, págs. 227 e segs. (este texto está no site do ICJP, no link Institutos da página da FDL). 10

Programa da disciplina de Direitos Fundamentais Ano letivo de 2014/15

Programa da disciplina de Direitos Fundamentais Ano letivo de 2014/15 Programa da disciplina de Direitos Fundamentais Ano letivo de 2014/15 Regente: Jorge Reis Novais Colaboradores: Prof. Doutor Domingos Soares Farinho Mestre Tiago Fidalgo de Freitas Mestre Tiago Antunes

Leia mais

Direitos Fundamentais 2015/2016 Turma Noite Curso de Licenciatura. 2. Os direitos fundamentais na história do Estado de Direito

Direitos Fundamentais 2015/2016 Turma Noite Curso de Licenciatura. 2. Os direitos fundamentais na história do Estado de Direito Direitos Fundamentais 2015/2016 Turma Noite Curso de Licenciatura 1. Apresentação da disciplina a) Os direitos fundamentais enquanto garantias jurídicas decorrentes das normas constitucionais e das normas

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITOS FUNDAMENTAIS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITOS FUNDAMENTAIS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITOS FUNDAMENTAIS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITOS FUNDAMENTAIS (02314)

Leia mais

DEVERES DO ESTADO DE PROTECÇÃO DE DIREITOS FUNDAMENTAIS

DEVERES DO ESTADO DE PROTECÇÃO DE DIREITOS FUNDAMENTAIS UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA DEVERES DO ESTADO DE PROTECÇÃO DE DIREITOS FUNDAMENTAIS Tese apresentada à Universidade Católica Portuguesa para a obtenção do grau de Doutor em Ciências Jurídico-Políticas

Leia mais

DEVERES DO ESTADO DE PROTECÇÃO DE DIREITOS FUNDAMENTAIS

DEVERES DO ESTADO DE PROTECÇÃO DE DIREITOS FUNDAMENTAIS JORGE PEREIRA DA SILVA DEVERES DO ESTADO DE PROTECÇÃO DE DIREITOS FUNDAMENTAIS Fundamentação e Estrutura das Relações Jusfundamentais Triangulares UNIVERSIDADE CATÓLICA EDITORA Lisboa 2015 Nota Prévia

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL (02308)

Leia mais

PROGRAMA. DIREITO CONSTITUCIONAL I (Introdução à Teoria da Constituição) Professor José Melo Alexandrino. (1.º ano 1.º Semestre Turma B) 2014/2015

PROGRAMA. DIREITO CONSTITUCIONAL I (Introdução à Teoria da Constituição) Professor José Melo Alexandrino. (1.º ano 1.º Semestre Turma B) 2014/2015 PROGRAMA DIREITO CONSTITUCIONAL I (Introdução à Teoria da Constituição) Professor José Melo Alexandrino (1.º ano 1.º Semestre Turma B) 2014/2015 INTRODUÇÃO 1. O objecto e o método do Direito constitucional

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL (02308)

Leia mais

RECURSO DE INCONSTITUCIONALIDADE

RECURSO DE INCONSTITUCIONALIDADE UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Faculdade de Direito Mestrado de Direito Forense RECURSO DE INCONSTITUCIONALIDADE Programa para 2016-2017 I Inconstitucionalidade e garantia em geral 1º Inconstitucionalidade

Leia mais

Notas prévias à 12ª edição 7 Agradecimentos (1ª edição) 9 Abreviaturas 11 Prefácio (1ª edição) 15 Sumário 19 Notas introdutórias 21

Notas prévias à 12ª edição 7 Agradecimentos (1ª edição) 9 Abreviaturas 11 Prefácio (1ª edição) 15 Sumário 19 Notas introdutórias 21 Índice geral Notas prévias à 12ª edição 7 Agradecimentos (1ª edição) 9 Abreviaturas 11 Prefácio (1ª edição) 15 Sumário 19 Notas introdutórias 21 1ª P A R T E O Sistema dos Direitos Fundamentais na Constituição:

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Ciências Económicas e Empresariais Licenciatura Marketing Unidade Curricular Introdução ao Direito Semestre: 1 Nº ECTS: 3,0 Regente José Caramelo Gomes Assistente

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Contabilidade 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

SUMÁRIO LISTA DE ABREVIATURAS...13 AGRADECIMENTOS...15 APRESENTAÇÃO...17 PREFÁCIO...19 INTRODUÇÃO... 23

SUMÁRIO LISTA DE ABREVIATURAS...13 AGRADECIMENTOS...15 APRESENTAÇÃO...17 PREFÁCIO...19 INTRODUÇÃO... 23 SUMÁRIO LISTA DE ABREVIATURAS...13 AGRADECIMENTOS...15 APRESENTAÇÃO...17 PREFÁCIO...19 INTRODUÇÃO... 23 CAPÍTULO 1 EM BUSCA DA DEFINIÇÃO DO PRINCÍPIO DA SEGURANÇA JURÍDICA..29 1.1. O direito e a segurança

Leia mais

LICENCIATURA

LICENCIATURA LICENCIATURA 2015-2016 DIREITO DO AMBIENTE (CURSO NOCTURNO) REGÊNCIA: PROFESSORA DOUTORA CARLA AMADO GOMES Programa Apresentação Esta disciplina pretende, a partir da delimitação do objecto do Direito

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO II. 2.º Ano Turma B PROGRAMA DA DISCIPLINA Ano lectivo de 2011/2012 2º semestre

DIREITO ADMINISTRATIVO II. 2.º Ano Turma B PROGRAMA DA DISCIPLINA Ano lectivo de 2011/2012 2º semestre DIREITO ADMINISTRATIVO II 2.º Ano Turma B PROGRAMA DA DISCIPLINA Ano lectivo de 2011/2012 2º semestre LISBOA 2012 Regente: Prof. Doutor Fausto de Quadros Colaborador: Prof. Doutor Lourenço Vilhena de Freitas

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES EM ESPECIAL Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES EM ESPECIAL Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES EM ESPECIAL Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES

Leia mais

PROGRAMA ABREVIADO PARTE I DOGMÁTICA GERAL

PROGRAMA ABREVIADO PARTE I DOGMÁTICA GERAL Faculdade de Direito de Lisboa Ano lectivo de 2016/2017 DIREITO DO TRABALHO I 4º ANO Turma da Noite Coordenação e regência: Profª Doutora Maria do Rosário Palma Ramalho Colaboradores: Prof. Doutor Pedro

Leia mais

Direito Constitucional I Regência: Prof. Doutor CARLOS BLANCO DE MORAIS

Direito Constitucional I Regência: Prof. Doutor CARLOS BLANCO DE MORAIS Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa 2013/2014 Turma B Subturmas 13 e 14 Direito Constitucional I Regência: Prof. Doutor CARLOS BLANCO DE MORAIS PARTE PRIMEIRA INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DO ESTADO

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTENCIOSO DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTENCIOSO DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular CONTENCIOSO DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular CONTENCIOSO DO PODER

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) TARDE

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) TARDE ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) TARDE Direito Constitucional e Direitos Humanos (8 Valores) GRELHA DE CORRECÇÃO 28 de Março de 2014 1-Proceda ao enquadramento jurídico na perspetiva

Leia mais

Sumário. Introdução... 31

Sumário. Introdução... 31 Sumário Introdução..................................................................... 31 Parte I. Teoria e significado da igualdade jurídica............................ 33 Capítulo I. Teorias fundamentais

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Direito e Serviço Social Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Direito e Serviço Social Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular Direito e Serviço Social Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular Direito

Leia mais

História do Direito Português Turma A Regente: Prof. Doutor António Pedro Barbas Homem. Introdução

História do Direito Português Turma A Regente: Prof. Doutor António Pedro Barbas Homem. Introdução História do Direito Português 2015-2016 Turma A Regente: Prof. Doutor António Pedro Barbas Homem Introdução Capítulo 1 Idade Média Capítulo 2 Idade Moderna Capítulo 3 Idade Contemporânea: século XIX (1820-1910)

Leia mais

PROGRAMA. 4. O conceito de crime e o processo penal: pressupostos materiais e processuais da responsabilidade penal.

PROGRAMA. 4. O conceito de crime e o processo penal: pressupostos materiais e processuais da responsabilidade penal. DIREITO PROCESSUAL PENAL PROGRAMA I INTRODUÇÃO AO DIREITO PROCESSUAL PENAL 1. O funcionamento real do sistema penal: os dados da PGR (2010), do Relatório Anual de Segurança Interna (2011) e o tratamento

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO AO DIREITO (1. ANO)

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO AO DIREITO (1. ANO) FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE MACAU CURSO DE LICENCIATURA EM DIREITO EM LÍNGUA PORTUGUESA ANO LECTIVO DE 2011/2012 PROGRAMA DA DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO AO DIREITO (1. ANO) DISCIPLINA ANUAL CARGA

Leia mais

Direito de propriedade privada e liberdade de empresa: o caso da propriedade das farmácias. Andreia Chora Sara Garcia

Direito de propriedade privada e liberdade de empresa: o caso da propriedade das farmácias. Andreia Chora Sara Garcia Direito de propriedade privada e liberdade de empresa: o caso da propriedade das farmácias Andreia Chora Sara Garcia Acórdão do Tribunal Constitucional nº 187/01 Reserva da propriedade de farmácias a titulares

Leia mais

8 Definir e compreender os princípios fundamentais do Direito processual penal;

8 Definir e compreender os princípios fundamentais do Direito processual penal; DIREITO E PROCESSO PENAL [5453310] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS 1 Definir e compreender o conceito de Direito Penal; 2 Definir e compreender o problema dos fins das penas; 3 - Definir e compreender

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO I - CONTENCIOSO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO I - CONTENCIOSO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular OPÇÃO I CONTENCIOSO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Direito (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Direito 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Introdução...1. Parte I A Religião e o Mundo do Trabalho

Introdução...1. Parte I A Religião e o Mundo do Trabalho SUMÁRIO Introdução...1 Parte I A Religião e o Mundo do Trabalho Capítulo 1 Religião, Direitos Humanos e Espaço Público: Algumas Nótulas Preliminares...7 1. Religião e Direitos Humanos...7 2. O Regresso

Leia mais

DIREITO DAS CONTRA-ORDENAÇÕES FICHA DA DISCIPLINA -

DIREITO DAS CONTRA-ORDENAÇÕES FICHA DA DISCIPLINA - DIREITO DAS CONTRA-ORDENAÇÕES 2008-2009 - FICHA DA DISCIPLINA - SUMÁRIO: I - Objectivos; II - Programa; III - Método de ensino; IV - Método de avaliação; V - Bibliografia I OBJECTIVOS Dentro do quadro

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Teoria Geral do Direito Administrativo

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Teoria Geral do Direito Administrativo INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 30/3/2016 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 20/4/2016 Ficha de Unidade

Leia mais

DIREITOS FUNDAMENTAIS

DIREITOS FUNDAMENTAIS 1 DIREITOS FUNDAMENTAIS (LL122) 1 INFORMAÇÕES GERAIS Coordenador: Jorge Bacelar Gouveia Regente: Jorge Bacelar Gouveia Ano letivo: 2014-2015 Curso (1.º ou 2.º Ciclo): 1º ciclo Semestre: 2º ECTS: 4 Contacto

Leia mais

OS LIMITES OBJECTIVOS DO NE BIS IN IDEM

OS LIMITES OBJECTIVOS DO NE BIS IN IDEM HENRIQUE SALINAS OS LIMITES OBJECTIVOS DO NE BIS IN IDEM (DISSERTAÇÃO DE DOUTORAMENTO) ORIENTADOR: PROFESSOR DOUTOR GERMANO MARQUES DA SILVA Fevereiro de 2012 Os limites Objectivos do ne bis in idem ÍNDICE

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular TEORIA GERAL DO PODER

Leia mais

BIBLIOGRAFIA COIMBRA EDITORA PARA ACESSO CURSO FORMAÇÃO MAGISTRATURA CEJ

BIBLIOGRAFIA COIMBRA EDITORA PARA ACESSO CURSO FORMAÇÃO MAGISTRATURA CEJ 1 A TUTELA CAUTELAR NO CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO (EM ESPECIAL, NOS PROCEDIMENTOS DE FORMAÇÃO DOS CONTRATOS) Ana Gouveia Martins ISBN 972-32-1364-8 Coimbra Editora 2005-1 Ed - 604 págs. ESTUDOS DE CONTRATAÇÃO

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº3.355 de 05/12/02-DOU de 06/12/02 Componente Curricular: DIREITO CONSTITUCIONAL I

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº3.355 de 05/12/02-DOU de 06/12/02 Componente Curricular: DIREITO CONSTITUCIONAL I COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº3.355 de 05/12/02-DOU de 06/12/02 Componente Curricular: DIREITO CONSTITUCIONAL I Código: DIR - 163 Pré-Requisito: CPTGE Período Letivo: 2013.1

Leia mais

Direitos Reais. Programa

Direitos Reais. Programa Direitos Reais Programa Pedro Caetano Nunes 2014/2015 (1) Corresponde ao Programa da disciplina de Direitos Reais, tal como definido pelo Professor Doutor Rui Pinto Duarte quando foi regente desta disciplina

Leia mais

Licenciatura

Licenciatura Licenciatura 2015-2016 DIREITO DO TRABALHO I 4º ANO Turma da Noite Coordenação e regência: Profª Doutora Maria do Rosário Palma Ramalho Colaboradores: Prof. Doutor Pedro Madeira de Brito Mestre Isabel

Leia mais

I Noções e Problemas Elementares

I Noções e Problemas Elementares Introdução ao Estudo do Direito I 1.º Ano Noite, 2015/ 2016 Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa PROGRAMA 1 I Noções e Problemas Elementares 1. Primeiros olhares; ideias geralmente associadas ao «direito»

Leia mais

PROGRAMA DE DIREITO DA INTEGRAÇÃO ECONÓMICA

PROGRAMA DE DIREITO DA INTEGRAÇÃO ECONÓMICA Licenciatura de Direito em Língua Portuguesa PROGRAMA DE DIREITO DA INTEGRAÇÃO ECONÓMICA 4º ANO ANO LECTIVO 2011/2012 1 ELEMENTOS DE ESTUDO Bibliografia Básica: João Mota de Campos e João Luíz Mota de

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO DISCIPLINA: DIREITO DAS ORGANIZAÇÕES PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO DISCIPLINA: DIREITO DAS ORGANIZAÇÕES PLANIFICAÇÃO ANUAL MÓDULOS / CONTEÚDOS OBJECTIVOS DE APRENDIZAGEM TEMPO PREVISTO (BLOCOS 45 MINUTOS) OBSERVAÇÕES I MÓDULO 40 NOÇOES FUNDAMENTAIS DE DIREITO. NATUREZA SOCIAL DO HOMEM ORDEM SOCIAL NORMATIVA DIREITO, SENTIDOS

Leia mais

AULA 1) Ementa. Disposições administrativas:

AULA 1) Ementa. Disposições administrativas: Curso: DIREITO Disciplina: TEORIA GERAL DO PROCESSO (Matutino) quinta-feira 10:10 a 12:40 hs Ementa Direito Material e Direito Processual: conceito, natureza, posição enciclopédica, divisão. Fontes do

Leia mais

INFORMAÇÃO. liberdade sindical (cfr. Art. 55º nº 2 al. d) da Constituição da República Portuguesa), concretizado no artigo

INFORMAÇÃO. liberdade sindical (cfr. Art. 55º nº 2 al. d) da Constituição da República Portuguesa), concretizado no artigo INFORMAÇÃO O Direito de reunião dos trabalhadores é uma concretização da garantia constitucionalmente imposta da liberdade sindical (cfr. Art. 55º nº 2 al. d) da Constituição da República Portuguesa),

Leia mais

AULA 03 TEORIA DA CONSTITUIÇÃO

AULA 03 TEORIA DA CONSTITUIÇÃO 1 AULA 03 TEORIA DA CONSTITUIÇÃO Movimento teórico de revalorização do direito constitucional, de uma nova abordagem do papel da constituição no sistema jurídico 2 Surgiu a partir da segunda metade do

Leia mais

Constituição Portuguesa Anotada

Constituição Portuguesa Anotada Jorge Miranda/Rui Medeiros Com a colaboração de Maria da Glória Garcia / Germano Marques da Silva / Américo Taipa de Carvalho / / Damião da Cunha / José Lobo Moutinho / Paula Ribeiro de Faria / / José

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL

Leia mais

PEDIDO DE FISCALIZAÇÃO DA CONSTITUCIONALIDADE

PEDIDO DE FISCALIZAÇÃO DA CONSTITUCIONALIDADE PEDIDO DE FISCALIZAÇÃO DA CONSTITUCIONALIDADE Sua Excelência o Conselheiro Presidente do Tribunal Constitucional PEDIDO DE FISCALIZAÇÃO DA CONSTITUCIONALIDADE: R-648/95 (A6) DATA: 1999-10-01 Assunto: Liberdade

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular AMEAÇAS AMBIENTAIS Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular AMEAÇAS AMBIENTAIS Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular AMEAÇAS AMBIENTAIS Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Políticas de Segurança 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

A criação normativa em matéria tributária - As fontes de Direito Tributário

A criação normativa em matéria tributária - As fontes de Direito Tributário DIREITO TRIBUTÁRIO NACIONAL E EUROPEU [9291111] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS Com esta cadeira pretende-se que os alunos compreendam as estruturas conceptuais essenciais do sistema fiscal português;

Leia mais

CAPÍTULO 1: NOTAS INTRODUTÓRIAS...1

CAPÍTULO 1: NOTAS INTRODUTÓRIAS...1 Sumário CAPÍTULO 1: NOTAS INTRODUTÓRIAS...1 1. Introdução...1 2. Pressupostos Teóricos do Controle de Constitucionalidade...2 3. Supremacia Constitucional Fundamento do Mecanismo de Controle de Constitucionalidade...2

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Relações Internacionais 3. Ciclo de Estudos 1º 4.

Leia mais

OS RECURSOS DE INCONSTITUCIONALIDADE PARA O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL. Tribunal Constitucional, seminário 2013

OS RECURSOS DE INCONSTITUCIONALIDADE PARA O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL. Tribunal Constitucional, seminário 2013 OS RECURSOS DE INCONSTITUCIONALIDADE PARA O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL S Plano de apresentação S I. INTRODUÇÃO S II. RECURSO ORDINÁRIO DE INCONSTITUCIONALIDADE S III. RECURSO EXTRAORDINÁRIO S IV. REGIME COMPARADO

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO ADMINISTRATIVO II (3. ANO)

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO ADMINISTRATIVO II (3. ANO) FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE MACAU CURSO DE LICENCIATURA EM DIREITO EM LÍNGUA PORTUGUESA ANO LECTIVO DE 2015/2016 PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO ADMINISTRATIVO II (3. ANO) DISCIPLINA SEMESTRAL

Leia mais

DIREITO DAS CONTRA- ORDENAÇÕES

DIREITO DAS CONTRA- ORDENAÇÕES DIREITO DAS CONTRA- ORDENAÇÕES ELEMENTOS DA DISCIPLINA Docência: Prof. Doutor José Lobo Moutinho Ano Lectivo: 2013/2014 1.º Semestre Optativa Carga horária: Prof. Doutor José Lobo Moutinho: 2h30 (2 aulas)

Leia mais

I Aspectos Gerais da Metodologia Jurídica

I Aspectos Gerais da Metodologia Jurídica Introdução ao Estudo do Direito II 1.º Ano Noite, 2016 Programa da disciplina I Aspectos Gerais da Metodologia Jurídica 1. Decisão do caso à luz da lei 1.1 A distinção entre «interpretação» e «aplicação»

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular DIREITO DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO DA

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO. Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa. Ano lectivo de 2014/2015

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO. Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa. Ano lectivo de 2014/2015 UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa Ano lectivo de 2014/2015 DIREITO PROCESSUAL CIVIL I (Disciplina anual do 3.º ano) Responsável pela regência:

Leia mais

Colisões entre direitos fundamentais & Restrições aos direitos fundamentais. Professor : Siddharta Legale

Colisões entre direitos fundamentais & Restrições aos direitos fundamentais. Professor : Siddharta Legale Colisões entre direitos fundamentais & Restrições aos direitos fundamentais Professor : Siddharta Legale Bibliografia sugerida Robert Alexy, Teoria dos direitos fundamentais (em especial pósfácio) e Epílogo

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO

PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO Proposta de Lei nº 310/XII/4ª (Aprova o Estatuto da Ordem dos Notários e altera o Estatuto do Notariado aprovado pelo Decreto-Lei 26/2004, de 4 de Fevereiro) A Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos,

Leia mais

Direito da Comunicação Social

Direito da Comunicação Social Programa Direito da Comunicação Social 1.ª Sessão 2 Maio, Quinta-feira, 18h30m Apresentação do Curso Presidente ERC - Dr. Carlos Magno Presidente ICJP da FDUL - Prof. Doutor Jorge Miranda O Serviço Público

Leia mais

PARTE I O PROCEDIMENTO TRIBUTÁRIO E AS GARANTIAS PROCEDIMENTAIS

PARTE I O PROCEDIMENTO TRIBUTÁRIO E AS GARANTIAS PROCEDIMENTAIS Mestrado: FORENSE Disciplina: PROCESSO TRIBUTÁRIO Docente: MESTRE ISABEL MARQUES DA SILVA Ano lectivo: 2008-2009 Semestre: 2.º 1. Programa da disciplina: INTRODUÇÃO 1. Fontes imediatas do processo tributário

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE COIMBRA

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE COIMBRA FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE COIMBRA Direito Constitucional II (1.ª Turma) 2.º Teste (Avaliação Repartida) 25 de Maio de 2010 Duração: 1 hora + 30 m I (8 valores) Atente nas seguintes afirmações,

Leia mais

Direitos Humanos e Direito Penal. Apresentação e a Estrutura do Estado Constitucional Prof. Murillo Sapia Gutier

Direitos Humanos e Direito Penal. Apresentação e a Estrutura do Estado Constitucional Prof. Murillo Sapia Gutier Direitos Humanos e Direito Penal Apresentação e a Estrutura do Estado Constitucional Prof. Murillo Sapia Gutier Ementa da Disciplina As gerações dos direitos humanos. A indivisibilidade dos direitos humanos.

Leia mais

PLANO DE ENSINO. TDI0011 Carga horária

PLANO DE ENSINO. TDI0011 Carga horária PLANO DE ENSINO I Identificação Disciplina Introdução ao Estudo do Direito Código TDI0011 Carga horária 72 horas/aula Créditos 4 Semestre letivo 1º II Ementário O direito como fenômeno social e universal.

Leia mais

CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL:

CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL: CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL: Nome: Sandra Lopes Luís Nacionalidade: Portuguesa Telefone: +351 217984600 Endereço de correio electrónico: sandralopesluis@fd.ulisboa.pt HABILITAÇÕES ACADÉMICAS: Doutoranda

Leia mais

Direito Administrativo I

Direito Administrativo I Discricionariedade Administrativa Fernanda Paula Oliveira 1 Considerações introdutórias Fernanda Paula Oliveira 2 Vinculação e discricionariedade como dois pólos de uma mesma realidade: há um continuum

Leia mais

1 Direito processual constitucional, 7

1 Direito processual constitucional, 7 1 Direito processual constitucional, 7 1.1 Esclarecimentos iniciais, 7 1.2 Direito processual constitucional: objeto de estudo, 8 1.3 Jurisdição, processo, ação e defesa, 10 1.4 Constituição e processo,

Leia mais

Licenciatura

Licenciatura Licenciatura 2014-2015 DISCIPLINA DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA (TURMA A) PROFESSORA REGENTE ANA MARIA GUERRA MARTINS Sumário A refundação da União Europeia, operada pelo Tratado de Lisboa, obrigou a reequacionar

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Turno diurno

Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Turno diurno Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo 2015-2016 PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Turno diurno Setembro 2015 REGENTE/COORDENADOR Professor Doutor Luís Silva Morais Membros

Leia mais

Sobre os direitos fundamentais de educação

Sobre os direitos fundamentais de educação INSTITUTO DE ESTUDOS POLÍTICOS Sobre os direitos fundamentais de educação Crítica ao monopólio estatal na rede escolar Mário Fernando de Campos Pinto Prefácio de Rui Machete Universidade Católica Editora

Leia mais

A PROIBIÇÃO TOTAL DA PUBLICIDADE DE PRODUTOS DE TABACO É CONSTITUCIONAL

A PROIBIÇÃO TOTAL DA PUBLICIDADE DE PRODUTOS DE TABACO É CONSTITUCIONAL A PROIBIÇÃO TOTAL DA PUBLICIDADE DE PRODUTOS DE TABACO É CONSTITUCIONAL Apesar de restrita aos pontos de venda, a publicidade de produtos derivados do tabaco continua forte nesses meios e tem o público

Leia mais

Direitos fundamentais supranacionais (O caso da União Europeia)

Direitos fundamentais supranacionais (O caso da União Europeia) Direitos fundamentais supranacionais (O caso da União Europeia) Vital Moreira (IGC-FDUC) São Paulo, 6.2015 1 Plano 1. Direitos fundamentais beyond the state 2. Natureza da UE 3. Direitos fundamentais na

Leia mais

Capítulo I TEORIA DA CONSTITUIÇÃO Conceito de Constituição e supremacia constitucional... 27

Capítulo I TEORIA DA CONSTITUIÇÃO Conceito de Constituição e supremacia constitucional... 27 ... 23 Capítulo I TEORIA DA CONSTITUIÇÃO... 27 1. Conceito de Constituição e supremacia constitucional... 27... 27 1.2. Constituição política... 27 1.3. Constituição jurídica... 28 1.4. Constituição culturalista...

Leia mais

O Ministério Público e a tutela dos interesses difusos na Comarca de Lisboa

O Ministério Público e a tutela dos interesses difusos na Comarca de Lisboa O Ministério Público e a tutela dos interesses difusos na Comarca de Lisboa A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa tem vindo, ao longo do tempo, a dar nota pública das várias vertentes da actividade

Leia mais

LIBERDADE RELIGIOSA E CONTRATO DE TRABALHO

LIBERDADE RELIGIOSA E CONTRATO DE TRABALHO LIBERDADE RELIGIOSA E CONTRATO DE TRABALHO A dogmática dos direitos fundamentais e a construção de respostas constitucionalmente adequadas aos conflitos religiosos no ambiente de trabalho IMPETUS SUMÁRIO

Leia mais

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014)

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014) PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores - 2013/2014) 1. Aulas: I- METODOLOGIA As sessões de trabalho vão decorrer: a) Leitura, seguida de esclarecimentos e discussão

Leia mais

CAPÍTULO I INTRODUÇÃO

CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Mestrado: Empresarial Disciplina: Direito Bancário Docente: Paulo Câmara Ano lectivo: 2012/2013 Semestre: 1.º semestre 1. Programa da disciplina: 1.º Introdução CAPÍTULO I INTRODUÇÃO 1. Delimitação 2.

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL - GARANTIAS FUNDAMENTAIS. Professor Murillo Sapia Gutier.

DIREITO PROCESSUAL PENAL - GARANTIAS FUNDAMENTAIS. Professor Murillo Sapia Gutier. 1 DIREITO PROCESSUAL PENAL - GARANTIAS FUNDAMENTAIS Professor Murillo Sapia Gutier www.murillogutier.com.br E-mail: murillo@gutier.com.br PROCESSO PENAL PARA QUÊ (M) Por que estudar Direito Processual

Leia mais

Lex Humana, nº 2, 2009, p. 217 ISSN

Lex Humana, nº 2, 2009, p. 217 ISSN Entrevistas Lex Humana, nº 2, 2009, p. 217 ISSN 2175-0947 Entrevista com o Professor Dr. Jorge Miranda - Universidade de Lisboa. Realizada em Lisboa, em maio de 2009, pela Profa. Dra. Lilian Balmant Emerique

Leia mais

Ordenação dos ramos de Direito (tradicional):

Ordenação dos ramos de Direito (tradicional): Ramos do Direito 1 - Ordem jurídica una / demarcação de sectores) - Ramos de Direito objectivo corpos de regras gerais e abstractas que organizam aspectos da vida em sociedade - Critério de delimitação

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO FISCAL (3. ANO)

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO FISCAL (3. ANO) FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE MACAU CURSO DE LICENCIATURA EM DIREITO EM LÍNGUA PORTUGUESA ANO LECTIVO DE 2011/2012 PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO FISCAL (3. ANO) DISCIPLINA SEMESTRAL CARGA HORÁRIA:

Leia mais

A garantia do Direito

A garantia do Direito A garantia do Direito 1. A garantia dos direitos Quando estudamos a especificidade das normas jurídicas face às normas morais, tivemos oportunidade de mencionar que as primeiras recebiam o amparo da coacção,

Leia mais

www.ualdireitopl.home.sapo.pt

www.ualdireitopl.home.sapo.pt UNIVERSIDADE AUTÓNOMA DE LISBOA 1º ANO JURÍDICO CIÊNCIA POLÍTICA E DIREITO CONSTITUCIONAL Regente: Prof. Doutor J.J. Gomes Canotilho Docente aulas teóricas: Prof. Doutor Jonatas Machado Docente aulas práticas:

Leia mais

Calendário: 02/10 II. Princípios do Direito Processual Tributário

Calendário: 02/10 II. Princípios do Direito Processual Tributário Mestrado: Forense Disciplina: Processo Tributário Docente: Carla Castelo Trindade (ccastelotrindade@gmail.com) Ano lectivo: 2014-2015 Semestre: 1º 18/09 Apresentação 25/09 I. Introdução Calendário: 02/10

Leia mais

DECRETO N.º 210/IX REGULA A UTILIZAÇÃO DE CÂMARAS DE VÍDEO PELAS FORÇAS E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM LOCAIS PÚBLICOS DE UTILIZAÇÃO COMUM

DECRETO N.º 210/IX REGULA A UTILIZAÇÃO DE CÂMARAS DE VÍDEO PELAS FORÇAS E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM LOCAIS PÚBLICOS DE UTILIZAÇÃO COMUM DECRETO N.º 210/IX REGULA A UTILIZAÇÃO DE CÂMARAS DE VÍDEO PELAS FORÇAS E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM LOCAIS PÚBLICOS DE UTILIZAÇÃO COMUM A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo

Leia mais

DIREITOS FUNDAMENTAIS

DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS (PARTE GERAL) Conceito de direitos fundamentais Direito fundamental é aquilo que é essencial para o homem e para a sociedade, que está positivado na Constituição com intenção de efetivar

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CIVIL (AVANÇADO) Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CIVIL (AVANÇADO) Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular DIREITO CIVIL (AVANÇADO) Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Direito (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Direito 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular DIREITO CIVIL

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA

CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA A MARCELO REBELO DE SOUSA Professor Catedrático da Faculdade de Direito de Lisboa JOSÉ DE MELO ALEXANDRINO Assistente da Faculdade de Direito de Lisboa CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA ^ COMENTADA

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL CIVIL EXECUTIVO E RECURSOS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL CIVIL EXECUTIVO E RECURSOS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL CIVIL EXECUTIVO E RECURSOS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO

Leia mais

PROGRAMA DA UNIDADE CURRICULAR DE DIREITO FISCAL EM DIREITO ANO LECTIVO 2012/2013

PROGRAMA DA UNIDADE CURRICULAR DE DIREITO FISCAL EM DIREITO ANO LECTIVO 2012/2013 PROGRAMA DA UNIDADE CURRICULAR DE DIREITO FISCAL EM DIREITO ANO LECTIVO 2012/2013 Objectivos Gerais Fomentar o desenvolvimento dos quadros mentais do aluno na sua capacidade para compreender o fenómeno

Leia mais

Das Normas Fundamentais do Processo Civil

Das Normas Fundamentais do Processo Civil Das Normas Fundamentais do Processo Civil UMA ANÁLISE LUSO-BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA 2015 Artur César de Souza \11X ALMEDINA DAS NORMAS FUNDAMENTAIS DO PROCESSO CIVIL UMA ANÁLISE LUSO-BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA

Leia mais

Direito da Economia. Programa

Direito da Economia. Programa Docente: Profa. Maria Eduarda Gonçalves e-mail: mebg2009@gmail.com mebg@iscte.pt Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa Licenciatura em Direito 2010/2011 Direito da Economia Programa 15 de

Leia mais

Estabilidade Constitucional

Estabilidade Constitucional Estabilidade Constitucional Defesa da Constituição: 1ª. Aula Introdução Prof. João Paulo Santos Constituição Rígida de 1988 Defesa da Constituição Substancial (consensos mínimos além da política eventual)

Leia mais

CLÍNICAS FORENSES PRÁTICAS PROCESSUAIS ADMINISTRATIVAS

CLÍNICAS FORENSES PRÁTICAS PROCESSUAIS ADMINISTRATIVAS CLÍNICAS FORENSES PRÁTICAS PROCESSUAIS ADMINISTRATIVAS MARÇO 2006. ÍNDICE 1. Boas Vindas. 3 2. Horário e Funcionamento.. 4 3. Metodologia das Sessões....... 5 4. Programa...... 6 5. Calendarização das

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO ADMINISTRATIVO II (3. ANO)

PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO ADMINISTRATIVO II (3. ANO) FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE MACAU CURSO DE LICENCIATURA EM DIREITO EM LÍNGUA PORTUGUESA ANO LECTIVO DE 2014/2015 PROGRAMA DA DISCIPLINA DE DIREITO ADMINISTRATIVO II (3. ANO) DISCIPLINA SEMESTRAL

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito Professora:Ms. Marilu Pohlenz marilupohlenz@hotmail.com Período/Fase: 2º Semestre: 1º Ano: 2014

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DA COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DA COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular DIREITO DA COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Comunicação e Multimédia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

Auto-Regulação e Melhoria das Escolas. Auto-avaliação - uma PRIORIDADE. Auto-avaliação do Agrupamento de Escolas de Gil Vicente

Auto-Regulação e Melhoria das Escolas. Auto-avaliação - uma PRIORIDADE. Auto-avaliação do Agrupamento de Escolas de Gil Vicente Agrupamento de Escolas de Auto-Regulação e Melhoria das Escolas Auto-avaliação - uma PRIORIDADE Equipa de Avaliação Interna 2009/2010 1 Agrupamento de Escolas de Enquadramento legal Justificação Novo Paradigma

Leia mais

Direito Constitucional Português

Direito Constitucional Português Direito Constitucional Português Legislação Fundamental I CONSTITUIÇÃO E LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR 1. Constituição da República Portuguesa (depois da VII revisão constitucional Lei Constitucional nº 1/2005,

Leia mais