como Engordar as suas poupanças

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "como Engordar as suas poupanças"

Transcrição

1 março edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 789 como Engordar as suas poupanças Siga as nossas dez regras de investimento para encher o seu porco mealheiro garantido Certificados de Aforro são uma alternativa aos superdepósitos Pág. 6 Destaque Saiba quando vale a pena pagar a prestação da casa com o PPR Pág. 16 Análise Evite obrigações de empresas na bolsa. Não é a melhor altura para comprar Pág. 18 Cruzámos Portugal à procura de conselhos dos bancos Pág. 12

2 sumário Quem somos Destaques desta edição Vantagens e serviços para associa Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 789. Propriedade/Redação DECO PROTESTE, Editores, Lda. Av. Eng.º Arantes e Oliveira, n.º 13, 1.º B, Lisboa. Editora registada sob o número NIPC: Diretor e editor Pedro Moreira. Redação Ana Filipa Gaspar, David Almas. Analistas financeiros Ações nacionais: João Sousa (banca); Luís Pinto (construção, cimento, bens de consumo, papel); Pedro Catarino (distribuição, media, autoestradas, serviços informáticos); Rui Ribeiro (telecomunicações, papel, energia); outros valores mobiliários e instrumentos financeiros: António Ribeiro, João Sousa, Jorge Duarte, Pedro Barata. Na análise do mercado externo, a PROTESTE INVESTE colabora com um grupo de organizações de consumidores europeias com as quais definiu metodologias de análise idênticas a quem cede e de quem recebe alguns conteúdos. São elas: Euroconsumers S.A. Avenue Guillaume 13b, L-1651 Luxembourg. Altroconsumo Edizioni Finanziarie S.R.L. Via Valassina 22, Milano. Test-Achats S.C. Rue de Hollande 13, 1060 Bruxelles. OCU Ediciones S.A. C/ Albarracín 21, Madrid. As análises publicadas na PROTESTE INVESTE são independentes e elaboradas de acordo com uma metodologia que poderá consultar no endereço As análises nunca são enviadas à entidade emitente dos instrumentos financeiros objeto de avaliação e, por isso, não estão sujeitas a alterações a pedido destas. A DECO PROTESTE e os responsáveis pela informação financeira não têm interesses suscetíveis de prejudicar a objetividade da mesma. Os nossos conselhos baseiam-se em análises internas e em fontes externas fiáveis. É impossível fazer previsões totalmente exatas ou garantir o sucesso total dos conselhos apresentados. Conselho de Gerência Vasco Colaço, Luís Silveira Rodrigues e Alberto Regueira em representação da DECO, detentora de 25% do capital, e Yves Genin, Armand de Wasch, Benoît Plaitin em representação da Euroconsumers que detém 75% do capital. Tiragem exemplares. Registo no ICS n.º Depósito legal n.º /96. Assinaturas Tel: Fax: Assinatura anual: 226,20 ( 18,85 por mês), 48 edições semanais de 12 páginas + 11 edições mensais de 32 páginas. Impressão Sogapal, Sociedade Gráfica da Paiã, S.A., Av. dos Cavaleiros, n.º 35 35A, Portela da Ajuda. Fotografia e ilustração Ricardo Bento, Shutterstock, Thinkstock/Getty Images. Todos os direitos de reprodução, adaptação e de tradução são reservados e a utilização para fins comerciais é proibida. Gráficos Thomson Financial Datastream e DECO PROTESTE. 10 regras para o seu dinheiro investir não tem de ser uma tarefa complexa dominada só por alguns. simplifique a sua estratégia e encha o bucho do seu porco mealheiro. Conselhos por maus caminhos Visitámos 40 agências bancárias e apenas em 1 nos sugeriram um questionário para averiguar o tipo de investidor Mundo Não há uma correlação entre o peso do Estado, que aumentou em muitos países, e o crescimento económico. garantido Os depósitos a prazo rendem cada vez menos. Nem os novos clientes conseguem bons juros. dossiê Não complique quando investir. Siga esta dezena de simples ideias com o seu património. teste Fomos à procura das melhores recomendações em Portugal junto dos principais bancos. destaque Vale a pena pagar as prestações do crédito à habitação com o plano poupança-reforma? análise Quando a torneira dos bancos fecha, muitas empresas optam por colocar a sua dívida na bolsa. Fundos Descubra porque passamos a recomendar fundos que investem em ações europeias. Fórum Saiba porque terá problemas se quiser transferir a sua carteira de títulos para outra instituição financeira. seja nosso fã no Facebook facebook.com/protesteinveste 2 Proteste Investe 789 edição mensal março 2013

3 dos Atualidade em revista Editorial Pedro Moreira Mais lidos no portal financeiro não perca as últimas análises da proteste InVEsTE em QuestÃo do leitor: garantia dos depósitos na letónia Devido às elevadas taxas de juro apresentadas pelo PrivatBank, alguns associados questionam- -nos sobre a segurança destes depósitos. alerta de Fraude: goldenarium, effectiveprofit e banners broker É recorrente sermos confrontados com esquemas que prometem rentabilidades elevadas, mas que não passam de burlas. avaliação a PedIdo: obrigações mota-engil A oferta é para todos, mas o perfil mais defensivo de muitos investidores não se adequa ao investimento nestas obrigações. nova CalCuladora: Quanto Vale a Prata? O valor de mercado da prata é divulgado em dólares por onça. A nova calculadora troca-lhe essa informação por miúdos. Descubra quanto vale prata que tem em casa em deco.proteste.pt/investe/preco-prata. Junte-se aos mais de 4700 fãs na nossa nova página no Facebook. É uma forma de saber imediatamente das novidades. Ajude-nos a escolher os temas das nossas análises, coloque as suas dúvidas e eleja os ativos que iremos avaliar. Preparar a reforma Crises à parte, preparar a reforma é uma das maiores preocupações dos consumidores nacionais. Os portugueses já estão cientes que a proteção na velhice garantida pela Segurança Social afinal não é assim tão garantida. Os cofres da Previdência estão rapidamente a esvaziar-se. Quando o Orçamento do Estado para 2013 foi à votação na Assembleia da República, o Governo estimava que o saldo do Sistema Previdencial ficaria negativo antes de O relógio está a contar: faltam menos de 7 anos. Nessa altura, o Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social, criado para adiar a morte do sistema, teria dinheiro equivalente a um ano e meio de pensões. Os planos de poupança-reforma (PPR), criados, tal como o Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social, em 1989, incentivavam os aforradores a poupar para a aposentação. Contudo, uma grande fatia dos benefícios fornecidos aos investidores foi diretamente para os bolsos dos bancos e das entidades que gerem os PPR, através da cobrança de comissões muito elevadas, algumas das quais permanecem até hoje. São essas mesmas instituições que agora dificultam a utilização dos PPR para pagar as prestações da casa, tal como previsto na legislação desde o início do ano. Se lhe vedarem ou dificultarem a aplicação do PPR no pagamento da prestação do empréstimo, não fique calado: fale connosco e reclame junto do Banco de Portugal. Todas as reclamações inscritas no livro de reclamações da instituição financeira vão diretamente para o banco central. Como refere o nosso Destaque, a partir da página 16, apenas os consumidores com créditos à habitação recentes ou que estão a enfrentar dificuldades financeiras devem usar o PPR para aliviar o peso da prestação da casa. Todos os outros devem permanecer com o dinheiro no melhor PPR em que podem investir, na condição de o rendimento esperado do PPR exceder o juro do empréstimo. Os PPR não resolveram a necessidade dos portugueses investirem para a reforma. É por isso que, em breve, vamos lançar um curso de Preparar a Reforma. Esta é a nossa oitava unidade de formação. Pretende ajudar os aforradores a definir estratégias de investimento e auxiliar na seleção dos melhores produtos financeiros para complementar uma eventual pensão de reforma. Nas duas primeiras sessões do curso de Preparar a Reforma, oferecemos um desconto a todos os associados. Saiba mais na página 17.

4 mundo Um mar De Despesa PÚBLICA O peso do Estado aumentou na maioria dos países, sendo mais predominante nos desenvolvidos. Mas não há uma correlação direta com o crescimento económico. Por isso, não deve ser um fator determinante para as suas decisões de investimento 52% 49% SUÉCIA 40% 42% CaNaDÁ 35% 41% eua reino UNIDo PorTUGAL 34% 45% SUÍÇA 42% 47% 39% 43% 45% 45% 34% 33% espanha 41% 43% PoLÓNIA ALemANHA 47% 51% GrÉCia 35% 37% BrASIL O Estado tem um peso maior nas economias desenvolvidas, mas isso nem sempre produziu economias mais dinâmicas 26% 32% ÁfriCa Do Sul

5 ZoNa euro: metade É estado Face ao resto do mundo, o Estado é mais pesado na Europa, mas com resultados internos bem diferentes 33% 37% rússia Na seleção de países apresentada, os valores mais elevados da despesa pública pertencem à Grécia (51% do produto interno bruto) e à Suécia (49%). São dois países com economias diametralmente opostas. A economia escandinava é um exemplo de sucesso e a Suécia conta- -se entre os países com maior rendimento per capita do mundo. Ao invés, a Grécia, um dos países mais pobres do euro, atravessa agora uma profunda recessão económica. Mas também é possível fazer comparações intercontinentais. Com pesos bem diferentes do Estado, a Austrália (36%) e a Alemanha (45%) conseguiram registar um bom desempenho económico na última década. Em suma, o sucesso económico de um país não depende do nível da despesa pública. É uma verdade de La Palice: interessa menos quanto se gasta, do que como se gasta. Entre os países desenvolvidos que preferimos para investir em fundos de ações, há vários níveis de despesa pública: elevado como na Suécia (Nordea Swedish Equity E), baixo como na Suíça (Parvest Equity Switzerland N) ou intermédio como nos Estados Unidos da América (MSIF Advantage B e Vontobel US Value Equity C). 25% 28% ÍNDIA 49% Em 2012, o peso médio da despesa pública na zona euro foi superior ao de Portugal 17% 24% CHINA JAPÃo AUSTrÁLIA 37% 41% 35% 36% Peso da despesa pública no PIB Fonte: FMI emergentes gastam menos Os países que mais cresceram nos últimos anos, (ainda) têm um Estado pequeno As funções sociais dos Estados nos países emergentes encontram-se muito menos desenvolvidas, levando a um peso reduzido da despesa pública no produto interno bruto. Esta realidade está até patente na Rússia e na China que foram, durante décadas, essencialmente economias de planeamento central. O facto de os Estados pesarem pouco na economia dos BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) e de estes países terem obtido um bom desempenho económico na última década não deve ser visto como uma relação de causa e efeito. É preciso não esquecer que, apesar dos progressos, o nível de vida médio dos seus habitantes ainda está muito longe do alcançado pela maioria dos países ocidentais. Também entre eles, há importantes diferenças que vão além do peso dos respetivos Estados. Atualmente consideramos que a China continua a apresentar a melhor relação entre rendimento potencial e risco. O fundo de ações Fidelity Greater China E, comercializado pelo ActivoBank e pelo Best Bank, está presente em todas as nossas carteiras de fundos. O seu peso não deve, no entanto, exceder 10% do total das poupanças.

6 garantido Depósitos a prazo SUPerTaXaS a encolher Os depósitos a prazo rendem cada vez menos. Nem os novos clientes ou os novos montantes aplicados conseguem boas taxas. O rendimento líquido fica entre 2,2% e 2,9% 2,9% É a melhor taxa de juro líquida que consegue. Essa é a proposta do Banco Big, do Banco Invest, do Best Bank e do Finantia tantes oferecem taxas anuais líquidas de 2,9 por cento. Podem ser constituídos no Banco Big, no Banco Invest, no Best Bank e no Finantia, como pode confirmar no quadro em baixo. Há três razões para esta diminuição das taxas de juro dos depósitos. Em primeiro lugar, a contínua descida das taxas de juro de referência do mercado, como a Euribor. Se, no início de 2012, a Euribor a 12 meses rondava 1,9%, em meados de março de 2013 estava pouco acima de 0,5 por cento. Esta queda acentuada foi arrastando consigo todos os depósitos. Por outro lado, no ano passado, o Banco de Portugal voltou a apertar os limites às taxas de juro, agravando as penalizações aos bancos que apresentassem remunerações superiores a um determinado patamar. A cereja no topo do bolo foi a subida da taxa de imposto sobre o rendimento que se verificou no início deste ano. Em pouco mais de 1 ano, a taxa de imposto passou de 21,5% para 28%, sempre a encolher o rendimento líquido dos depósitos. no computador ou ao balcão Já existiram diferenças significativas nas taxas de juro entre a banca que funciona maioritariamente através da Internet e a banca tradicional. Se, no passado, eram superdepósitos os superdepósitos são depósitos com taxas promocionais e são exclusivos para novos capitais ou novos montantes aplicados. o seu objetivo é captar clientes e recursos. 2,3% É a taxa anual líquida dos Certificados de Aforro da série C e, por isso, o mínimo que deve aceitar nos depósitos a prazo 0,5% É o valor aproximado da taxa Euribor a 12 meses nos primeiros dias de março de 2013 banco depósito on-line montante mínimo novos recursos Prazo (meses) taxa anual nominal líquida Best Bank Depósito 4% Já V ,9% Banco Big Super Depósito V ,9% Banco Invest Invest Novos Depósitos 2000 V 12 2,9% Finantia Depósito a Prazo 4% V 12 2,9% BBVA Super 3,5 BBVA ,5% Banco BIC Depósito Extra 5000 V 12 2,5% ActivoBank Poupança Start V ,3% Banco Big Super Depósito V ,2% ActivoBank Poupança Start V ,2% 6 Proteste Investe 789 edição mensal março 2013 C ompensa ou não abrir conta num novo banco para usufruir de uma taxa promocional para novos clientes? Cada vez menos. Parecem distantes os dias em que os bancos seduziam os clientes com taxas de juros elevadas. Não foi assim há tanto tempo que os juros eram maximizados para atrair novos capitais aos bancos. Basta recuar 1 ano: era possível encontrar superdepósitos com taxas anuais brutas de 6% (4,5% depois de impostos), como se pode ver na figura da página seguinte. Os superdepósitos são depósitos a prazo desenhados especialmente para captar novos clientes ou novos recursos. Geralmente são os que apresentam as melhores taxas do mercado. Contudo, a maioria destes depósitos tem um prazo curto, variando entre 3 e 12 meses. Hoje, os depósitos mais generosos que premeiam os novos clientes e os novos monwww.deco.proteste.pt/investe

7 taxas líquidas supertaxas Cada VeZ Mais Mini Nem os superdepósitos escaparam: em 2012 a Euribor caiu, o Banco de Portugal penalizou as taxas elevadas e o imposto aumentou. Assim, o rendimento só podia descer. 4,50% 4,50% 4,10% 4,10% 4,10% 2,90% 2,90% 2,90% 2,90% 2,30% Banco Invest Finantia Best Bank Banco Big ActivoBank números Do mês Março de 2013 no último mês de 2012 inverteu-se a tendência de resgate dos Certificados de aforro. Pela primeira vez, desde 2008, as subscrições superaram os resgates em 1 milhão de euros. os Certificados estão novamente a atrair os portugueses. CERtIFICadoS de aforro (1) Série C (taxa + prémio) 2,3% Séries b (taxa + prémio) 2,3% SobE E desce os bancos on-line que mais ofereceriam aos novos clientes ou novos montantes, atualmente já não é regra. Agora, entre os bancos mais generosos estão o Banco Invest e o Finantia, duas instituições mais orientadas para o atendimento presencial, ainda que tenham uma rede reduzida de agências. As suas propostas são para o prazo de 12 meses. Já o Banco Big e o Best Bank são bancos que trabalham essencialmente pela Internet. A taxa anual líquida de 2,9% é oferecida nas aplicações com a duração de 3 meses. Na lista dos mais generosos seguem-se o BBVA e o Banco BIC, ambos da rede tradicional, que propõem 2,5% aos novos clientes ou novos recursos. Menos interessante, o ActivoBank oferece o mesmo rendimento dos Certificados de Aforro (2,3%) nas aplicações a prazo de 1 ano. especiais para além da taxa Alguns destes depósitos têm características especiais. Por exemplo, o Depósito 4% Já do Best Bank paga os juros antecipadamente, mas não permite a mobilização do dinheiro durante os 3 meses da aplicação. O Depósito a Prazo 4% do Finantia é apenas para montantes superiores a 50 mil euros. A Poupança Start do ActivoBank é um depósito com duas opções de prazo: a 6 meses rende uma taxa anual líquida de 2,2% e para o prazo de 12 meses rende 2,3 por cento. Na abertura de conta junto do ActivoBank, o cliente recebe um cartão Pou- pança Star. Esse cartão dá direito a constituir o depósito homónimo. No entanto, o novo cliente pode oferecer o cartão a outros clientes. É permitida a utilização máxima de dois cartões por cliente. O cartão é válido por 3 meses após a data da emissão, que coincide com a abertura da conta de depósitos à ordem. Certificados de aforro são alternativa Com a contínua descida das taxas de juro dos depósitos e as recentes alterações na fórmula de cálculo do rendimento dos Certificados de Aforro, estes ficaram bem mais interessantes. Em março, a taxa anual líquida dos Certificados de Aforro da série C ficou em 2,3%, superior a alguns superdepósitos e superior à maioria dos depósitos a prazo. Apesar do rendimento estar dependente da Euribor a 3 meses, os Certificados de Aforro usufruem de um bónus de 2,75% (antes de impostos) a acrescer à taxa-base até ao final de Aliás, se não existisse esse bónus, a taxa-base da série C dos Certificados renderia apenas 0,3% líquidos. A partir de 2017, voltam a vigorar as regras dos Certificados de Aforro que existiam anteriormente, ou seja, a taxa-base é majorada com um prémio de permanência de acordo com a antiguidade. Consulte o nosso comparador de depósitos em deco.proteste.pt/ investe/depositos-a-prazo 15 milhões de euros Em janeiro, pelo 2.º mês, as subscrições de Certificados de aforro superaram os resgates 0,6% para 2013 a Comissão Europeia estimou uma taxa de inflação inferior à do banco de Portugal (0,9%) os melhores depósitos (1) 1 mês Popular (netprazo) 1,6% banif (Sup. dep. 1,5% 3 meses banco big (Super depósito) 2,9% Finantia (dep. a 3 meses) 2,2% 6 meses Privatbank (E-Pé de meia) 2,5% Finantia (dep. a 6 meses) 2,5% 12 meses Popular (dp ordenado) 3,6% banco Invest (novos dep.) 2,9% taxa média de um depósito de 5000 euros a 12 meses 1,5% (1) Taxa anual nominal líquida (TANL) à taxa de imposto de 28%.

8 dossiê Estratégia 10 regras Para o SeU DINHeIro Não complique quando investir. Siga esta dezena de simples ideias com o seu património, dos depósitos a prazo às ações. Simplifique e encha o bucho do seu porco mealheiro a contece em todos os ciclos económicos: uma crise desmoraliza muitos investidores. O efeito quase imediato é o afastamento das regras básicas que qualquer aforrador deve seguir. Não deve ser assim: se quer alcançar o triunfo do seu porco mealheiro, mantenha-se fiel aos princípios fundamentais do investimento são. Este momento de crise é tão bom como qualquer outro para fazer a revisão da sua carteira de aplicações e dos seus planos de aforro de longo prazo. Comece já hoje a examinar a estratégia do seu património para não se arrepender tarde demais. 8 Proteste Investe 789 edição mensal março 2013

9 1. Preveja o imprevisto Antes de começar a investir o seu património, assegure que não precisará do dinheiro. Se garantir que não retirará fundos do seu porco mealheiro, pode gerir as aplicações para o longo prazo, solidificando melhores resultados financeiros. Todos os investidores devem reservar o equivalente a três a seis meses de despesas mensais do agregado familiar para enfrentarem imprevistos, como custos de saúde, arranjos no carro ou em casa ou, mesmo, o desemprego. Esse fundo de emergência deve ficar parqueado em aplicações de risco muito baixo facilmente transferíveis para a conta corrente. Os depósitos a prazo são os candidatos ideais para o seu pé-de- -meia de emergência. Para beneficiar de taxas de juro mais elevadas, pode ser necessário abrir conta noutro banco. É um esforço menor para alcançar um resultado superior. Atualmente, o depósito a prazo a seis meses mais generosos rende o dobro dos juros da média dos depósitos com o mesmo prazo. Além do fundo de emergência, alguns imprevistos podem ser precavidos através de seguros. Em caso de sinistro, como um acidente automóvel ou um incêndio na residência, a companhia de seguros indemniza o segurado, garantindo que ele consegue suportar os encargos do arranjo do carro ou da reconstrução da habitação. Se muitos aspetos da sua vida financeira já estiverem protegidos com seguros, o montante aplicado no fundo de emergência pode ser drasticamente reduzido. CoNTra ImPreVISToS Estes são os depósitos mais rentáveis para uma aplicação até 5000 euros BANco depósito 6 meses BIC DP Nova Oportunidade 2,9% PrivatBank E-Depósito a Prazo 2,5% Novagalicia DP Especial On 2,3% 12 meses Popular DP Ordenado 3,6% Banco Invest Invest Novos Depósitos 2,9% PrivatBank E-Depósito a Prazo 2,8% TAXA ANUAl NomINAl líquida ações Para a engorda Conheça os fundos de ações que recomendamos agora aos investidores FUNdo RENtABIlIdAdE ANUAlIZAdA CATEGORIA 3 ANoS 5 ANoS Fidelity Asean A Pacífico 19,4% 10,3% Allianz Europe Eq. Growth CT Europa 17,1% 9,8% Vontobel US Value Eq. C EUA 15,2% 8,1% MISF US Advantage B EUA 13,9% 10,3% SISF UK Equity B Reino Unido 13,3% 3,1% BGF W. Healthscience E Farmácia 12,2% 10,3% ING L Telecom X USD Telecom 11,5% 3,6% Parvest Switzerland N Suíça 11,2% 4,1% Fidelity UK A Reino Unido 10,9% 3,6% Nordea Swedish Eq. E Suécia 10,4% 4,7% Fidelity Greater China E China 8,6% 5,7% Parvest Equity Russia N Rússia 5,2% -1,5% BNY Mellon Brazil Eq. A Brasil 3,6% 2,5% Franklin India N USD Índia 2,4% 1,9% Amundi Eq Glb Resourc SU Mat.-primas 0,6% n.a. Montepio Euro Utilities Utilities -3,5% -7,6% BPI Portugal Portugal -4,6% -7,2% Santander Ac. Portugal Portugal -6,0% -8,6% 2. invista para o longo prazo se puder Sempre que puder, invista com os olhos no futuro distante. Quando mais tempo der aos seus investimentos, mais pode arriscar e, logo, mais pode ganhar. Se der tempo suficiente à sua carteira (5 anos é razoável, 10 anos é bom, mas 20 anos é melhor), o dinheiro gerado pelo investimento em ações é maximizado. Mesmo as perdas temporárias que pode eventualmente registar, serão eliminadas se investir para o longo prazo.no quadro em cima encontra os 18 fundos de ações que recebem a recomendação de compra pelos nossos analistas. Se não pode investir a pensar no futuro, não arrisque o seu dinheiro. Não ponha a cabeça do porco mealheiro no cepo. Embora deva optar por instrumentos de risco inferior, as aplicações de curto prazo deverão render menos que os instrumentos de médio prazo. Um exemplo flagrante são os depósitos: as aplicações a 3 meses rendem menos que as a 1 ano, por exemplo. Nas Obrigações do Tesouro é a mesma coisa. 3. negoceie para ganhar mais Lembre-se sempre de que os bancos têm interesse em atrair o maior número possível de clientes, mesmo que o montante que cada um dispõe seja reduzido. Portanto, não aceite tornar-se cliente sem refletir sobre as condições que lhe são oferecidas e, sobretudo, não hesite em tentar negociá- -las. Por exemplo, pode tentar obter uma taxa de juro mais vantajosa no seu depósito a prazo ou uma redução nas comissões. Este conceito não se resume aos investimentos: pode cruzar com outra oferta bancária, como os spreads dos créditos e os encargos dos seguros. Nem sempre a negociação resulta, mas não custa tentar. Na nossa última tentativa de negociar os juro dos depósitos, publicada na edição de setembro, conseguimos incrementos nas aplicações de 25 mil euros. Em alguns casos, os incrementos foram substanciais: o Banif e a Caja Duero deram mais 52 e 122 euros de juros, respetivamente. negociar taxas depósitos a 1 ano Em setembro de 2012, apenas 5 bancos fizeram uma proposta para depósitos de 25 mil euros a 1 ano. O Banif e a Caja Duero aumentaram muito os juros BaNIf BaNCo PoPULar CaJa DUero MILLeNNIUm BCP MoNTePIo Juro à taxa do preçário Juro à taxa negociada Proteste Investe 789 edição mensal março

10 dossiê 4. Engorde o seu porco com ações As ações mundiais ofereceram uma rentabilidade real (acima da inflação) de 5% por ano desde Esta é uma das conclusões de um estudo conduzido por Elroy Dimson, Paul Marsh e Mike Staunton, três académicos londrinos, juntamente com o banco Credit Suisse. É uma das análises mais longas de desempenhos dos principais ativos financeiros. As ações bateram, de longe, o rendimento das obrigações e da dívida pública de curto prazo nos últimos 113 anos, de acordo com o estudo. As obrigações renderam 1,8% por ano acima da inflação entre 1900 e 2012, enquanto a dívida pública de curto prazo deu 0,9 por cento. Tal como os nossos analistas, o trio londrino, que incluiu as 22 principais economias mundiais no seu estudo, defende que as ações são os ativos mais rentáveis no longo prazo. Por isso, se procura engordar o seu porco mealheiro através de investimentos, terá de dedicar uma fatia significativa do seu património de longo prazo aos mercados acionistas. Pode fazê-lo através de um investimento direto em ações ou através de fundos de investimento que se concentrem nesses títulos. Acreditamos que as ações continuarão a render mais do que as outras classes de ativos. Os nossos analistas calculam que, no longo prazo, a rentabilidade anual das ações ficará entre 3% e 4% acima do retorno anual de uma carteira de obrigações soberanas com maturidades entre 7 e 10 anos. RentaBilidade real AÇÕes rendem Mais Estas são as rentabilidades anuais reais (acima da inflação) das principais classes de ativos entre 1900 e ,0% 1,8% 0,9% Ações Obrigações Dívida pública de curto prazo Fonte: Credit Suisse Global Investment Returns Yearbook Se não tem estômago, não arrisque Se fica enjoado com os altos e baixos da bolsa, não arrisque. É natural que um rendimento superior não lhe pague o suficiente pelas noites mal dormidas preocupado com a volatilidade da sua carteira. Se é avesso aos balanços bolsistas, prefira instrumentos de reduzido risco. Exclua da sua carteira de investimento as ações e todas as aplicações denominadas em divisas estrangeiras, cujo câmbio pode baixar em relação ao euro. Investir em dívida pública é uma opção racional. Pode escolher a facilidade dos Certificados de Aforro, que, em março, capitalizam a uma taxa anual líquida de 2,3%, ou o maior rendimento potencial das Obrigações do Tesouro, que rendem até 4,5% por ano na próxima década. Os Certificados de Aforro compram-se nos Correios, mas as Obrigações do Tesouro têm de ser negociadas na bolsa, através de um intermediário financeiro, o que tem custos adicionais. A figura em baixo revela o ganho anual das Obrigações do Tesouro se as mantiver até à maturidade. OBrigaÇÕes do tesouro RendiMento superior Estas rentabilidades potenciais das Obrigações do Tesouro foram calculadas com os preços do dia 6 de março taxa anual efetiva líquida SeTembro ,3% JUNHo ,1% OUTUbro ,3% OUTUbro ,0% FeVereIro ,7% OUTUbro ,2% OUTUbro ,5% JUNHo ,9% JUNHo ,1% JUNHo ,4% abril ,5% OUTUbro ,5% UNIDoS Para 2013 Estes são os fundos de investimento que destacamos para investir neste ano Rentabilidade anualizada Fundo 3 anos 5 anos Ações Vontobel US Value Equity C 15,2% 8,1% Parvest Equity Switzerland N 11,2% 4,1% Fidelity United Kingdom A 10,9% 3,6% Obrigações Nordea 1 Swedish Bond E 8,0% 6,0% Nordea 1 Polish Bond E não aplicável Mistos Fidelity Euro Balanced A 8,7% 2,8% Credit Suisse PF Growth Euro B 6,2% 1,9% UBS SF Yield EUR N 3,6% 3,0% 6. A união faz a força Ser milionário tem claras vantagens. Quem dispõe de avultadas somas para investir encontra-se numa situação privilegiada. Entre outros benefícios, são-lhe oferecidas melhores taxas de juro, as suas despesas são proporcionalmente menos elevadas e goza de uma melhor receção na instituição bancária. Além de terem menor poder negocial junto da banca, os pequenos investidores que se lançam sozinhos na aventura dos investimentos encontram ainda um obstáculo suplementar: a dificuldade em diversificar as aplicações. A diversificação, que é conseguida através de uma carteira composta por vários títulos, permite reduzir o risco da carteira, mantendo o potencial de rentabilidades. Se o leitor pretende investir pequenas somas, aconselhamo-lo a participar em sistemas de investimento coletivo, como, por exemplo, fundos de investimento. Através de fundos consegue, tal como a um grande investidor, diversificar as aplicações. No quadro em cima pode conhecer 8 fundos que destacamos para investir em São destinados aos mercados que acreditamos terem um potencial interessante de ganhos para o seu perfil de risco. Se quiser conhecer detalhadamente as nossas carteiras recomendadas de fundos, leia o artigo a partir da página Proteste Investe 789 edição mensal março 2013

11 7. não ponha os ovos no mesmo cesto É fundamental que diversifique a sua carteira de aplicações. Diversificar significa que não deve colocar todos os ovos no mesmo cesto. Isto quer dizer que não deve deter apenas um título ou títulos de empresas cujos lucros dependem de negócios semelhantes. Por exemplo, numa carteira de ações, não invista apenas em companhias elétricas. Caso aconteça uma mudança estrutural no negócio, como uma alteração no regime legal, o seu património pode sofrer um pesado revés. Há, no entanto, um limite à diversificação. É possível abusar da diversificação. Vários estudos académicos apontam que os benefícios máximos da diversificação são alcançados quando o número de ações na carteira fica entre 10 e 15. É isso que aconselhamos aos nossos leitores que querem investir em ações. Menos do que 10 ações torna-se arriscado. Mais do que 15 torna- -se impraticável: para os investidores não profissionais, não é possível acompanhar toda a informação relevante. No quadro em baixo encontra a nossa carteira de ações, construída em função das recomendações dos nossos analistas. Tem atualmente 13 títulos. DIVerSIfICar Com ações Esta seleção de ações evolui de acordo com os conselhos dos nossos analistas ação indústria recomendação AT&T Telecomunicações Comprar BP Petróleo Comprar Chevron Petróleo Comprar EDP Energia Comprar GlaxoSmithKline Farmácia Comprar Intel Tecnologia Comprar Kimberly-Clark Bens de consumo Manter Kraft Foods Alimentação Manter National Grid Energia Comprar Sabesp Serviços públicos Manter Sainsbury Distribuição Comprar Vodafone Group Telecomunicações Comprar Zurich Insurance Seguros Comprar LISTa De VeNDa Conheça os maiores fundos que merecem a nossa recomendação de venda Rentabilidade anualizada Fundo 3 anos 5 anos Fundos especiais de investimento Espírito Santo Liquidez não aplicável Espírito Santo Rendimento 2,6% não aplicável Caixa Fundo Monetário 1,7% não aplicável BPI Monetário Curto Prazo não aplicável Fundos de obrigações Santander MultiObrigações 0,8% -2,0% Fundos flexíveis Espírito Santo Plano Dinâmico -1,4% não aplicável Fundos imobiliários Fundimo 1,9% 2,5% Gespatrimónio Rendimento 2,2% 2,6% Novimovest 2,0% 2,4% Imonegócios -4,0% -5,9% 8. não invista no que não percebe É uma das regras mais básicas que muitos investidores teimam em não seguir: não invista no que não compreende. Se não percebe o produto que uma empresa vende, não compre as suas ações. Se não está à vontade com a bolsa, vá pela via dos fundos de investimentos. Se quer investir em dívida pública mas não percebe como funcionam as Obrigações do Tesouro, compre Certificados de Aforro. Se não percebe a descrição da política de investimento no prospeto de um fundo, não subscreva. Se o depósito a prazo que lhe propõem tem uma fórmula de cálculo para aferir a taxa de juro, troque-o por um depósito de taxa simples. Mesmo em ativos fáceis de entender, é possível encontrar elevados níveis de complexidade. As sociedades gestoras de fundos complicaram o que antes era bastante simples. Os fundos mais populares e aqueles que os bancos promovem mais ativamente são provavelmente aqueles que não deve subscrever. No quadro em cima, conheça os fundos mais populares (medido pelo valor do seu património) que merecem a nossa recomendação de venda. Eleja apenas fundos cujo desempenho dependa claramente da evolução dos mercados. 9. importa o quanto poupamos, não quanto ganhamos O primeiro passo para uma independência financeira é pagar primeiro a nós. É muito simples: assim que receber o vencimento, invista uma boa parte. Se trabalha oito horas por dia, uma delas deve ser canalizada para poupança. Se assim fizer, a sua taxa de poupança é de 12,5%, superior à média nacional (10,6% em 2012). Embora possa custar no arranque, esse pé-de-meia mensal fará toda a diferença num futuro financeiramente independente: se o agregado familiar poupar cerca de 300 euros por mês com um rendimento anual de 6%, dentro de 25 anos acumulará mais de 200 mil euros. 10. nunca se endivide para investir É um pecado capital para o investidor: financiar-se para investir. Se os seus investimentos desvalorizarem, o crédito tem um efeito multiplicador dos prejuízos. Se as suas aplicações subirem, o crédito amortiza o efeito dos ganhos. Qualquer que seja o resultado dos seus investimentos, os empréstimos para investir nunca têm os efeitos que se desejavam à partida. Só há uma entidade que ganha sempre: o seu banco, quer o investidor ganhe quer perca. EndiVidaMento não arrisque o que não É seu Esta simulação assume um investimento de 10 mil euros, dos quais 5 mil euros são obtidos com crédito com uma taxa de juro de 8%. Ao fim de um ano, o impacto do financiamento é sempre negativo, a não ser que os ativos eleitos rendam mais de 8%, o que é improvável. Rentabilidade da carteira com crédito 16% 8% 0% -8% -16% -24% -32% -16% -8% 0% 8% 16% Rentabilidade dos ativos Proteste Investe 789 edição mensal março

MULTIPLIQUE os seus juros

MULTIPLIQUE os seus juros outubro 2011 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 719 MULTIPLIQUE os seus juros Negociar depósitos

Leia mais

como proteger a sua poupança Esta é a altura certa para fixar a taxa dos seus depósitos de prazos mais longos

como proteger a sua poupança Esta é a altura certa para fixar a taxa dos seus depósitos de prazos mais longos setembro 2012 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 763 como proteger a sua poupança Esta é a altura

Leia mais

orçamento no seu Faça obras pelos bancos que podem ajudar na tarefa. Saiba o que existe, para que serve e como pode utilizar.

orçamento no seu Faça obras pelos bancos que podem ajudar na tarefa. Saiba o que existe, para que serve e como pode utilizar. Faça obras no seu orçamento Se quer planear as suas poupanças, há ferramentas disponibilizadas pelos bancos que podem ajudar na tarefa. Saiba o que existe, para que serve e como pode utilizar. Faça obras

Leia mais

Bê-á-Bá da poupança. Depósitos a prazo. Fundos de Tesouraria em euros

Bê-á-Bá da poupança. Depósitos a prazo. Fundos de Tesouraria em euros Bê-á-Bá da poupança Há um vasto leque de escolhas para quem quer poupar, mas a análise da PROTESTE INVESTE mostra-lhe que nem todas são boas opções. No Dia Mundial da Poupança, saiba quais as alternativas.

Leia mais

ESCOLHA UMA CARTEIRA À SUA MEDIDA

ESCOLHA UMA CARTEIRA À SUA MEDIDA junho 2013 www.deco.proteste.pt/investe EDIÇÃO MENSAL Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da PROTESTE INVESTE n.º 802 ESCOLHA UMA CARTEIRA À SUA MEDIDA Descubra

Leia mais

Ocrédito à habitação barato,

Ocrédito à habitação barato, risco de explosão Ocrédito à habitação barato, com spreads (margem financeira do banco) abaixo de 1% e financiamentos de 100% ou mais, ainda é uma recordação recente. Durante muito tempo, os bancos de

Leia mais

Evite os depósitos mais arriscados

Evite os depósitos mais arriscados novembro 2013 www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 820 Evite os depósitos mais arriscados Há bancos em que o

Leia mais

Aprenda a conduzir o dinheiro das crianças

Aprenda a conduzir o dinheiro das crianças maio 2014 deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 846 Aprenda a conduzir o dinheiro das crianças Não brinque com as

Leia mais

dos fundos Aceda aos melhores fundos de investimento. As nossas apostas ganharam 10% em 2012

dos fundos Aceda aos melhores fundos de investimento. As nossas apostas ganharam 10% em 2012 janeiro 2013 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 781 Abra a porta dos fundos Aceda aos melhores

Leia mais

10 ações para navegar na crise

10 ações para navegar na crise dezembro 2012 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 776 10 ações para navegar na crise Descubra

Leia mais

Dos documentos que se seguem quais os necessários para abrir uma conta num banco?

Dos documentos que se seguem quais os necessários para abrir uma conta num banco? Quais as principais funções de um banco? A Captar depósitos e gerir a poupança dos seus clientes. B Conceder empréstimos a empresas, particulares e ao Estado. C Disponibilizar meios e formas de pagamento

Leia mais

Está na hora de fazer crescer a carteira Adube as suas ações com dividendos até 10%

Está na hora de fazer crescer a carteira Adube as suas ações com dividendos até 10% abril 2013 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 793 Está na hora de fazer crescer a carteira Adube

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Designação: VICTORIA PPR Acções

Leia mais

PPR sofrem xeque-mate

PPR sofrem xeque-mate outubro 2012 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 768 PPR sofrem xeque-mate Conheça as melhores

Leia mais

CRÉDITO À HABITAÇÃO. Banco de Cabo Verde

CRÉDITO À HABITAÇÃO. Banco de Cabo Verde S DO BANCO DE CABO VERDE CRÉDITO À HABITAÇÃO Banco de Cabo Verde Banco de Cabo Verde Crédito à Habitação Banco de Cabo Verde Cidade da Praia 013 Ficha Técnica Título: Crédito à Habitação Autor: Banco de

Leia mais

SEGURO INVESTIDOR GLOBAL FUNDO AUTÓNOMO ESTRATÉGIA AGRESSIVA AÇÕES

SEGURO INVESTIDOR GLOBAL FUNDO AUTÓNOMO ESTRATÉGIA AGRESSIVA AÇÕES Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. SEGURO INVESTIDOR GLOBAL FUNDO AUTÓNOMO

Leia mais

sobre Instrumentos Financeiros

sobre Instrumentos Financeiros A Informação que deve ser Prestada pelos Intermediários Financeiros sobre Instrumentos Financeiros CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 A Informação que deve ser prestada pelos

Leia mais

Encontro Nacional de Instaladores da APIRAC-Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado. Batalha, 8 Julho de 2010

Encontro Nacional de Instaladores da APIRAC-Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado. Batalha, 8 Julho de 2010 Encontro Nacional de Instaladores da APIRAC-Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado Batalha, 8 Julho de 2010 As vossas necessidades... O apoio aos Empreendedores e às PME s

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Saiba investir o dinheiro dos miúdos Esqueça os depósitos infantis dos bancos. Conheça as nossas três estratégias de poupança.

Saiba investir o dinheiro dos miúdos Esqueça os depósitos infantis dos bancos. Conheça as nossas três estratégias de poupança. maio 2013 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 798 Saiba investir o dinheiro dos miúdos Esqueça

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Solução Multifundos Zurich Fundo Autónomo: MF Zurich Vida Agressivo Empresa de Seguros: Zurich -Companhia de Seguros de Vida S.A. Sede: Rua Barata Salgueiro 41, 1269-058 Lisboa TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. - Sede Social: 1099-090 Lisboa - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO

Leia mais

www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste

www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste abril 2015 www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste Tânia de Lima Santos Subscritora desde 2009 Basílio Moreira Subscritor desde 2011 O casal Ana Maria e Carlos Neves Subscritores

Leia mais

SEGURO INVESTIDOR GLOBAL FUNDO AUTÓNOMO ESTRATÉGIA AGRESSIVA AÇÕES

SEGURO INVESTIDOR GLOBAL FUNDO AUTÓNOMO ESTRATÉGIA AGRESSIVA AÇÕES Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. SEGURO INVESTIDOR GLOBAL FUNDO AUTÓNOMO

Leia mais

www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste As melhores ações Para investir

www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste As melhores ações Para investir dezembro 2011 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste As melhores ações Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 728 Para investir Descubra

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO BBVA Unit-Linked Empresa de Seguros: Zurich -Companhia de Seguros de Vida S.A. Sede: Rua Barata Salgueiro 41, 1269-058 Lisboa TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO! Risco de perder a totalidade do capital investido

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Soluções Financeiras ANEXO I. Protocolo exclusivo. Soluções Ordenado BBVA. Soluções Habitação BBVA

Soluções Financeiras ANEXO I. Protocolo exclusivo. Soluções Ordenado BBVA. Soluções Habitação BBVA Protocolo exclusivo. Soluções Financeiras ANEXO I Aproveite o Protocolo BBVA para realizar os seus projectos pessoais. O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, coloca ao seu dispor um conjunto de Produtos e

Leia mais

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem.

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Advertências ao Investidor Os riscos do, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Risco de perda total ou parcial do capital investido

Leia mais

SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2014 10 ANOS 2.ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO)

SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2014 10 ANOS 2.ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO) Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2014

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. - Sede Social: 1099-090 Lisboa - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO BBVA Unit-Linked Empresa de Seguros: Zurich -Companhia de Seguros de Vida S.A. Sede: Rua Barata Salgueiro 41, 1269-058 Lisboa TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO! Risco de perder a totalidade do capital investido

Leia mais

Protocolo BBVA Soluções Financeiras

Protocolo BBVA Soluções Financeiras Protocolo BBVA Soluções Financeiras Conheça as soluções financeiras que o BBVA tem para lhe oferecer e aproveite o Protocolo BBVA com condições exclusivas para os Associados do SPLIU. Para o BBVA cada

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DB Multifundos Fundo Autónomo: Multifundos DB Investimento III Empresa de Seguros: Zurich -Companhia de Seguros de Vida S.A. Sede: Rua Barata Salgueiro 41, 1269-058 Lisboa TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO!

Leia mais

SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2013 8 ANOS 5.ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO)

SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2013 8 ANOS 5.ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO) Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2013

Leia mais

OS FUNDOS DE INVESTIMENTO

OS FUNDOS DE INVESTIMENTO OS FUNDOS DE INVESTIMENTO CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 Os Fundos de Investimento O que é um Fundo de investimento? Um fundo de investimento é um instrumento financeiro

Leia mais

Mude de banco e deixe de pagar até 1876 euros em comissões por ano

Mude de banco e deixe de pagar até 1876 euros em comissões por ano março 2012 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 741 Mude de banco e deixe de pagar até 1876 euros

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em Obrigações

Conceitos básicos de negociação em Obrigações Conceitos básicos de negociação em Obrigações N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Obrigação: título representativo de uma fração da dívida/passivo

Leia mais

GUIA PARA INVESTIR. Rentabilizar os Investimentos

GUIA PARA INVESTIR. Rentabilizar os Investimentos www.facebook.com/santandertotta.pt http://twitter.com/santandertotta Onde deve investir? A escolha deve ter em conta diversos factores, tais como: quando é que pretende utilizar o montante que investiu?

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 822/XII/4.ª

PROJETO DE LEI N.º 822/XII/4.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 822/XII/4.ª ELIMINA AS COMISSÕES POR REEMBOLSO ANTECIPADO E DE TERMO DO CONTRATO, INSTITUINDO AINDA A OBRIGATORIEDADE E GRATUITIDADE DE EMISSÃO DO DISTRATE E DE DECLARAÇÃO

Leia mais

RENDA SEMESTRAL BES VIDA 2014 2ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO)

RENDA SEMESTRAL BES VIDA 2014 2ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO) Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las RENDA SEMESTRAL BES VIDA 2014 2ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO) Entidade Gestora: BES-VIDA, COMPANHIA DE SEGUROS,

Leia mais

www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste maximize

www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste maximize janeiro 2014 www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 829 maximize a sua carteira de fundos As nossas escolhas renderam

Leia mais

INVESTIMENTO ACTIVO MAIS OBRIGAÇÕES

INVESTIMENTO ACTIVO MAIS OBRIGAÇÕES Breve Descrição do Produto O é um produto financeiro complexo composto por 50% do investimento num Depósito a Prazo a 180 dias, não renovável, com uma taxa de juro de 4% (TANB Taxa Anual Nominal Bruta),

Leia mais

Recomendações aos Investidores em Instrumentos Financeiros

Recomendações aos Investidores em Instrumentos Financeiros Recomendações aos Investidores em Instrumentos Financeiros Um investimento responsável exige que conheça todas as suas implicações. Certifique-se de que conhece essas implicações e que está disposto a

Leia mais

deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste Dívida pública dá saúde à carteira

deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste Dívida pública dá saúde à carteira março 2014 deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 837 Dívida pública dá saúde à carteira Saiba quando deve investir

Leia mais

FIN - FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA

FIN - FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA FIN - FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA PARTE I - CONDIÇÕES FINANCEIRAS DO CRÉDITO À HABITAÇÃO A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO E OBSERVAÇÕES 1. Identificação da Instituição Denominação Caixa Geral de Depósitos,

Leia mais

Obrigações CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1

Obrigações CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 O que são obrigações As obrigações são instrumentos financeiros que representam um empréstimo contraído junto dos investidores pela entidade

Leia mais

O DINHEIRO NÃO CAI DO CÉU E PARECE QUE VOA DO BOLSO *

O DINHEIRO NÃO CAI DO CÉU E PARECE QUE VOA DO BOLSO * PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2012 POR O DINHEIRO NÃO CAI DO CÉU E PARECE QUE VOA DO BOLSO * Elaborar o orçamento familiar é muito importante porque permite controlar melhor

Leia mais

Através da sua rede de Balcões do Banco Espírito Santo, S.A.. Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Através da sua rede de Balcões do Banco Espírito Santo, S.A.. Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Mod. Versão 91-60 Informação actualizada a: 19/04/2011 Designação Comercial: Operação de Capitalização T- 1ª Série (ICAE- Não Normalizado) Período de Comercialização: de17/12/2008 a 17/12/20 Empresa de

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. - Sede Social: 1099-090 Lisboa - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA DP NETB@ANCO 90 DIAS

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA DP NETB@ANCO 90 DIAS DP NETB@ANCO 90 DIAS Designação Condições de acesso Modalidade Prazo Mobilização antecipada DP Netb@nco 90 Dias Clientes aderentes ao NetB@nco (constituição e movimentação exclusiva através do canal NetB@nco).

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. - Sede Social: - 1099-090 Lisboa - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Data início de comercialização: 2000/04/13 por tempo

Leia mais

Abra uma Conta Ordenado BBVA e conheça todas as vantagens que tornam a sua vida mais fácil:

Abra uma Conta Ordenado BBVA e conheça todas as vantagens que tornam a sua vida mais fácil: Protocolo BBVA Soluções Financeiras Conheça as soluções financeiras que o BBVA tem para lhe oferecer e aproveite o Protocolo BBVA com condições exclusivas para os Sócios e Filhos dos Sócios do COFRE DA

Leia mais

PoupançaIndependente. PPR ou não? Eis a questão. Portal financeiro com novo visual e endereço: www.deco.proteste.pt/poupanca. Credível.

PoupançaIndependente. PPR ou não? Eis a questão. Portal financeiro com novo visual e endereço: www.deco.proteste.pt/poupanca. Credível. 25 de janeiro 2011 N. o 395 www.deco.proteste.pt/poupanca P R O T E S T E Credível PoupançaIndependente Perto de Si Portal financeiro com novo visual e endereço: www.deco.proteste.pt/poupanca PPR ou não?

Leia mais

Medidas de Rendibilidade e Risco

Medidas de Rendibilidade e Risco 30 de Setembro de 2014 Nº 118 Medidas de Rendibilidade e Risco Com a Colaboração da: FUNDOS DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO E FUNDOS DE PENSÕES ABERTOS 31 Agosto 2014 Classificações Número Montantes F.I.M.

Leia mais

Prospecto Informativo CA Solução Poupança Activa

Prospecto Informativo CA Solução Poupança Activa Produto a comercializar Perfil do Cliente alvo da solução O é um produto financeiro complexo que resulta da comercialização combinada de um depósito a prazo simples, denominado SDA, com um seguro de capitalização

Leia mais

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Tipo de Propriedade 1ª Habitação Residência habitual do agregado familiar (habitação própria permanente). 2ª Habitação Residência não habitual do agregado familiar

Leia mais

Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Mod. Versão 65.01 Informação actualizada a: 04/04/2011 Designação Comercial: Fidelity Poupança Data de início de Comercialização: 01/02/2007 Empresa de Seguros Entidade Comercializadora Autoridades de

Leia mais

Simulação de Crédito Imobiliário

Simulação de Crédito Imobiliário Simulação de Crédito Imobiliário Data de Impressão: 16-02-2015 19:42 Número de Simulação: 14616115 / x944719 Gestor de Projeto: MIGUEL VELEZ (211126702) Resumo Prestação inicial Prestação Comissão manutenção

Leia mais

Módulos de Formação 2013

Módulos de Formação 2013 Módulos de Formação 2013 Documento de trabalho Editores Banco de Portugal Comissão do Mercado de Valores Mobiliários Instituto de Seguros de Portugal Design, impressão e acabamento Banco de Portugal Departamento

Leia mais

Encontrámos 11 ações baratas num mercado caro Conheça os títulos que os nossos analistas recomendam para o próximo ano. Apenas um é português

Encontrámos 11 ações baratas num mercado caro Conheça os títulos que os nossos analistas recomendam para o próximo ano. Apenas um é português dezembro 2013 www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste Encontrámos 11 ações baratas num mercado caro Conheça os títulos que os nossos analistas recomendam para o próximo ano.

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: POUPAR E INVESTIR NOÇÕES BÁSICAS SOBRE APLICAÇÃO DE POUPANÇA

ÁREA DE FORMAÇÃO: POUPAR E INVESTIR NOÇÕES BÁSICAS SOBRE APLICAÇÃO DE POUPANÇA ÁREA DE FORMAÇÃO: POUPAR E INVESTIR NOÇÕES BÁSICAS SOBRE APLICAÇÃO DE Índice A importância da poupança Remuneração e risco Principais tipos de riscos Princípios básicos da aplicação da poupança Produtos

Leia mais

INFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS AO INVESTIDOR PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

INFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS AO INVESTIDOR PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO MAPFRE INVEST CRESCENTE 2015 NÃO NORMALIZADO Entidade gestora: Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Contrato de Seguro ligado a Fundo de Investimento MAPFRE Seguros de Vida, S.A., com sede social:

Leia mais

2. SEGUROS ÍNDICE. Euro ( ) Rentabilidades (%) Plano de Poupança Reforma II (PPR BIC II) - Mapfre Seguros Nota 1 (Em Comercialização) - - 200,00 -

2. SEGUROS ÍNDICE. Euro ( ) Rentabilidades (%) Plano de Poupança Reforma II (PPR BIC II) - Mapfre Seguros Nota 1 (Em Comercialização) - - 200,00 - Entrada em vigor: 01mai2015 2.1. Seguros de Poupança Euro ( ) Rentabilidades (%) Comissões (%) Plano de Poupança Reforma II (PPR BIC II) Mapfre Seguros (Em Comercialização) 1.1. Rendimento mínimo garantido

Leia mais

INVISTA NOS PPR QUE VALEM A PENA

INVISTA NOS PPR QUE VALEM A PENA Julho 2013 www.deco.proteste.pt/investe EDIÇÃO MENSAL Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da PROTESTE INVESTE n.º 806 INVISTA NOS PPR QUE VALEM A PENA Depois de

Leia mais

Relatório Estatístico Mensal

Relatório Estatístico Mensal Relatório Estatístico Mensal Fundos de Investimento Mobiliário Julho 2013 Sede: Rua Castilho, 44-2º 1250-071 Lisboa Telefone: 21 799 48 40 Fax: 21 799 48 42 e.mail: info@apfipp.pt home page: www.apfipp.pt

Leia mais

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014)

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) 1. Taxa de Desemprego O desemprego desceu para 14,3% em maio, o que representa um recuo de 2,6% em relação a maio de 2013. Esta é a segunda maior variação

Leia mais

RECOMENDAÇÕES AOS INVESTIDORES

RECOMENDAÇÕES AOS INVESTIDORES RECOMENDAÇÕES AOS INVESTIDORES CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 Recomendações aos Investidores RECOMENDAÇÕES AOS INVESTIDORES EM INSTRUMENTOS FINANCEIROS Antes de investir

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. - Sede Social: 1099-090 Lisboa - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO

Leia mais

Projeto de Lei n.º 818/XII/4ª

Projeto de Lei n.º 818/XII/4ª Projeto de Lei n.º 818/XII/4ª Determina a obrigatoriedade de as instituições de crédito disponibilizarem uma conta de depósito à ordem padronizada, designada de conta base, e proíbe a cobrança de comissões,

Leia mais

Banif Investimento Moderado

Banif Investimento Moderado Banif Investimento Moderado Fundo de Investimento Mobiliário Janeiro de 2014 Enquadramento Macroeconómico Variação (%) Dezembro Desde o início do ano EUA (S&P 500) 2,4% 29,6% Japão (Nikkei) 4,0% 56,7%

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Garantias precisam-se

Garantias precisam-se www.deco.proteste.pt/investe 4 de outubro 2011 N. o 412 Esteja atento: dia de 18 de outubro temos uma surpresa para si! Proteste Investe Poupança Boletim Quinzenal Ano 17 Diretor e Editor : Pedro Moreira

Leia mais

Os conselhos financeiros da Deco Proteste. Poupe mais de 2000 euros ao ano ao negociar ações com a nossa Escolha Acertada GARANTIDO

Os conselhos financeiros da Deco Proteste. Poupe mais de 2000 euros ao ano ao negociar ações com a nossa Escolha Acertada GARANTIDO março 2015 www.deco.proteste.pt/investe Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da PROTESTE INVESTE n.º 885 AS MELHORES CORRETORAS ONLINE Poupe mais de 2000 euros ao

Leia mais

Os valores mobiliários que fazem parte de uma mesma emissão conferem aos seus titulares os mesmos direitos e deveres.

Os valores mobiliários que fazem parte de uma mesma emissão conferem aos seus titulares os mesmos direitos e deveres. VALORES MOBILIÁRIOS O QUE SÃO VALORES MOBILIÁRIOS? Valores mobiliários são documentos emitidos por empresas ou outras entidades, em grande quantidade, que representam direitos e deveres, podendo ser comprados

Leia mais

Fases Financeiras. www.kash.pt. - Artigo - Ponha o Dinheiro a Trabalhar para Si! Autor: Pedro Queiroga Carrilho

Fases Financeiras. www.kash.pt. - Artigo - Ponha o Dinheiro a Trabalhar para Si! Autor: Pedro Queiroga Carrilho www.kash.pt - Artigo - Fases Financeiras Autor: Pedro Queiroga Carrilho Ponha o Dinheiro a Trabalhar para Si! Quais as diferentes Fases Financeiras ao longo da Vida? Cada fase da nossa vida financeira

Leia mais

Produto Financeiro Complexo

Produto Financeiro Complexo Zurich Companhia de Seguros Vida, S.A. PROSPETO SIMPLIFICADO (atualizado a 8 de fevereiro de 2013) Empresa de Seguros Entidades Comercializadoras Autoridades de supervisão Reclamações BBVA Unit-Linked,

Leia mais

Produto Financeiro Complexo

Produto Financeiro Complexo Zurich Companhia de Seguros Vida, S.A. PROSPECTO SIMPLIFICADO (atualizado a 8 de fevereiro de 2013) Empresa de Seguros Entidades Comercializadoras Autoridades de supervisão Reclamações DB MULTIFUNDOS,

Leia mais

Como aplicar o dinheiro dos seus miúdos

Como aplicar o dinheiro dos seus miúdos maio 2012 www.deco.proteste.pt/investe edição mensal Os conselhos financeiros da Deco Proteste Esta revista faz parte integrante da Proteste Investe n.º 750 Como aplicar o dinheiro dos seus miúdos Evite

Leia mais

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado.

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado. Designação Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de Risco Instrumentos ou variáveis subjacentes ou associados Perfil de cliente recomendado Condições

Leia mais

Relatório de Acompanhamento. dos mercados Bancários. de Retalho. Lisboa, 2013 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt ou em www.bportugal.

Relatório de Acompanhamento. dos mercados Bancários. de Retalho. Lisboa, 2013 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt ou em www.bportugal. Relatório de Acompanhamento dos mercados Bancários de Retalho 2012 Lisboa, 2013 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt ou em www.bportugal.pt BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

CAIXA SEGURO 2014 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

CAIXA SEGURO 2014 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO PROSPETO SIMPLIFICADO (atualizado a 30 de abril de 2012) CAIXA SEGURO 2014 SEGURO LIGADO A FUNDOS DE INVESTIMENTO INSTRUMENTO DE CAPTAÇÃO DE AFORRO ESTRUTURADO (ICAE) NÃO NORMALIZADO PRODUTO FINANCEIRO

Leia mais

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A BANCA PAGA METADE DA TAXA DE IRC, AS REMUNERAÇÕES DOS TRABALHADORES REPRESENTAM APENAS

Leia mais

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito.

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. INFORMAÇÕES GERAIS. O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. A rendibilidade é a taxa de rendimento gerado pelo investimento durante

Leia mais

Excelência Proximidade Profissionalismo. É bom saber que pode contar com quem está ao seu lado. ORDEM DOS ENGENHEIROS Oferta 1 º Trimestre 2013

Excelência Proximidade Profissionalismo. É bom saber que pode contar com quem está ao seu lado. ORDEM DOS ENGENHEIROS Oferta 1 º Trimestre 2013 Oferta de Cooperação Barclays at Work Excelência Proximidade Profissionalismo É bom saber que pode contar com quem está ao seu lado 300 Anos de Experiência 50 Milhões de Clientes 60 Países ORDEM DOS ENGENHEIROS

Leia mais

XXX CRÉDITO HABITAÇÃO

XXX CRÉDITO HABITAÇÃO ROGÉRIO MATIAS CÁLCULO FINANCEIRO CASOS REAIS RESOLVIDOS E EXPLICADOS 2008 ESCOLAR EDITORA 3 ÍNDICE Notas Prévias... 6 Resumo dos Casos Reais por Instituição Financeira e Tipo de Caso Real... 6 Dedicatória...

Leia mais

Simulação de Crédito Pessoal

Simulação de Crédito Pessoal Simulação de Crédito Pessoal Data de Impressão: 22-10-2013 14:13 Número de Simulação: 13901487 Resumo Multifinalidades Prestação Comissão de Processamento (mensal) (Acresce Imposto do Selo à Taxa em vigor)

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Gestoras de Activos

Prospecto Informativo Invest Gestoras de Activos Prospecto Informativo Invest Gestoras de Activos Agosto de 2014 Designação: Classificação: Caracterização do Depósito: Garantia de Capital: Garantia de Remuneração: Factores de Risco: Invest Gestoras de

Leia mais

Tabela de Taxas de Juro. Anexo II. Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional. Entrada em vigor: 26 de Outubro de 2015

Tabela de Taxas de Juro. Anexo II. Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional. Entrada em vigor: 26 de Outubro de 2015 Anexo II Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional Entrada em vigor: 26 de Outubro de 2015 Preçário pode ser consultado nas Agências e locais de atendimento ao público do Banco Keve

Leia mais

POUPANÇA. Portugueses estão a poupar cada vez mais

POUPANÇA. Portugueses estão a poupar cada vez mais ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO ECONÓMICO Nº 5688 DE 05 DE JUNHO DE 2013 E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE Soluções de POUPANÇA Portugueses estão a poupar cada vez mais Mick Tsikas /

Leia mais

A seguir demonstraremos os passos a serem seguidos para uma seleção adequada e que atenda as expectativas dos investidores:

A seguir demonstraremos os passos a serem seguidos para uma seleção adequada e que atenda as expectativas dos investidores: Como escolher um Fundo de Investimento (Suitability) Tão importante quanto conhecer os Fundos de Investimento oferecidos é conhecer o seu perfil de investimento. Feito isso, você poderá selecionar corretamente

Leia mais

Não existe garantia de capital nem rendimento.

Não existe garantia de capital nem rendimento. 91-67 Informação actualizada a: 01/04/2012 Designação Comercial: Operação de Capitalização Série Nº 67 (I.C.A.E - Não normalizado) Data início de Comercialização: 07/05/2009 Empresa de Seguros Entidades

Leia mais

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Fundos de Pensões. Edição Instituto de Seguros de Portugal

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Fundos de Pensões. Edição Instituto de Seguros de Portugal Ficha Técnica Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões Título Fundos de Pensões Edição Instituto de Seguros de Portugal Coordenação editorial Direcção de Comunicação e Relações com os Consumidores

Leia mais