LP EMPREENDIMENTOS CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO LTDA.

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LP EMPREENDIMENTOS CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO LTDA."

Transcrição

1 CONTROLE DE DOCUMENTOS Procedimento Geral Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados à Gerência de Operações, indicando o item a ser revisado, a proposta e a justificativa. LP CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO LTDA. Este documento normativo tem a validade de 2 (dois) anos a partir da sua edição, prazo máximo para a realização da próxima revisão. Apresentação Este procedimento visa fornecer orientações para o controle de documentos na LP. GESTOR: RD APROVADOR: LP / DIRETORIA João Batista Lenin Daluce / José Peroni PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 1 de 10

2 CONTROLE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO DATA 0 Emissão original 04/07/ Revisão anual sem alteração 19/07/ Alteração nos itens 6, 7, 8 e 10 10/08/2007 PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 2 de 10

3 SUMÁRIO 1. OBJETIVO APLICAÇÃO ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES DOCUMENTO DE REFERÊNCIA TERMINOLOGIA DOCUMENTOS DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA HIERARQUIA DOS DOCUMENTOS TÉCNICOS TIPOS DE DOCUMENTOS DESENVOLVIMENTO DOS DOCUMENTOS DO SGI CABEÇALHO E RODAPÉ DISPONIBILIZAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA CONSULTA CONTROLE DA REVISÃO REPRODUÇÃO DOS DOCUMENTOS PARA CONSULTA E DISTRIBUIÇÃO PERMISSÕES DE ACESSO DOCUMENTOS INTERNOS DOCUMENTOS EXTERNOS TIPOS DE DOCUMENTOS EXTERNOS EMISSÃO, DISPONIBILIZAÇÃO, REPRODUÇÃO E REVISÃO DOS DOCUMENTOS... EXTERNOS ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS GUARDA E CONTROLE DO ARQUIVO INATIVO AVALIAÇÃO DO PROCESSO REGISTROS PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 3 de 10

4 1. OBJETIVO Descrever a metodologia para o controle dos documentos utilizados nos processos da LP, de forma a assegurar sua aprovação, atualização, reaprovação, rastreabilidade, disponibilidade, distribuição e guarda da referida documentação. Definir as diretrizes ao fornecedor contratado para o apoio ao controle dos documentos da LP. 2. APLICAÇÃO Aplica-se a todos os setores cujas atividades utilizem os documentos necessários aos processos do Sistema de Gestão Integrada da LP e documentos de origem externa. 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES RD - responsável pela elaboração e manutenção deste documento, atualizar a Lista Mestra de Documentos, manter a estrutura de documentação organizada e atualizada na rede, emissão, disponibilização e reprodução dos documentos do SGI; Diretoria - responsável pela aprovação de todos os documentos do SGI assim como participar da elaboração, se necessário; Áreas que utilizam documentação responsáveis por manter os documentos em locais apropriados, solicitar alterações quando necessário e disponibilizar registros da própria área quando solicitado. Fornecedor de apoio cumprir o procedimento para o controle dos documentos da LP que estiverem sob sua guarda. 4. DOCUMENTO DE REFERÊNCIA MGI Manual de Gestão Integrada. 5. TERMINOLOGIA SGI: Sistema de Gestão Integrada. SIGLAS: Referências de identificação e controle dos documentos gerados pela empresa por suas respectivas áreas; DOCUMENTO - Informação e o meio na qual ela está contida; DOCUMENTOS DO SGI: Documentos dos tipos MGI, PG, PO e RG gerados pelo Sistema de Gestão Integrada; DOCUMENTOS INTERNOS: Documentos gerados pela LP; DOCUMENTOS EXTERNOS: Documentos de origem externa, tais como: legislativos, normativos e dos clientes e fornecedores; PROCEDIMENTO - Forma especificada de executar uma atividade ou um processo. PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 4 de 10

5 6. DOCUMENTOS DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA 6.1. HIERARQUIA DOS DOCUMENTOS TÉCNICOS MGI PG e PO RG onde: MGI PG PO RG Manual de Gestão Integrada Procedimento Geral Procedimento Operacional Registro 6.2. TIPOS DE DOCUMENTOS TIPO MGI OBJETIVO Definir sistemática e diretrizes de gestão integrada de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde, incentivando processos para melhoria contínua, de forma a garantir o atendimento aos requisitos especificados e garantir a satisfação do cliente. QUEM ELABORA/ REVISA RD / Diretoria QUEM APROVA Diretoria PG Descrever as atividades gerais. RD / Diretoria Diretoria PO Descrever as atividades operacionais. RD / Áreas Responsáveis Diretoria RG Registrar os dados do Sistema de Gestão Integrada. RD / Áreas Responsáveis RD / Áreas Responsáveis PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 5 de 10

6 6.3. DESENVOLVIMENTO DOS DOCUMENTOS DO SGI Os documentos do Sistema de Gestão Integrada apresentam codificação específica, conforme descrito a seguir: - MGI - PG e RG Seqüencial - XXX - PO Seqüencial Sigla para o órgão da LP CABEÇALHO E RODAPÉ Os documentos apresentam cabeçalho e rodapé padronizados. Os cabeçalhos apresentam o logotipo da LP, a sigla e a numeração do documento, a revisão do documento e a data da revisão. Os rodapés apresentam o número da página e o número total de páginas dos documentos DISPONIBILIZAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA CONSULTA Os documentos dos tipos MGI, PG, PO e os modelos dos registros são disponibilizados aos usuários para consulta na rede da LP pelo caminho \\Lpserver\LP\SGI. Os registros são disponibilizados de acordo com o PG-002 Controle de Registros e Rastreabilidade. Para as áreas que não possuem acesso à rede da LP, uma cópia em meio magnético é disponibilizada para consulta e fica arquivada na área de realização dos serviços. Convém que todas as áreas mantenham uma cópia impressa dos procedimentos que utilizam. Toda cópia impressa é considerada cópia não controlada conforme informação no rodapé do documento. Para assegurar a disponibilidade dos documentos, é realizado um back-up da rede, onde estes documentos estão armazenados, conforme o procedimento PO-GAD-001 Gestão de recursos e Infra-estrutura CONTROLE DA REVISÃO Os documentos do tipo MGI, PG e PO apresentam, na página 2, uma folha para o controle das revisões, contendo as seguintes informações: número da revisão, descrição e a data na qual foi realizada. PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 6 de 10

7 Para os documentos do tipo RG não será apresentada esta página para o controle das revisões, pois não será necessária a descrição da alteração no modelo. Apenas o nº da revisão atual será alterado. Todas as versões anteriores dos documentos serão armazenadas em um local diferente de onde se encontram os documentos atualizados e válidos. O caminho onde as versões anteriores dos documentos serão armazenadas é: \\Lp-server\LP\SGI\SGI Versões Anteriores. No caso dos documentos que se encontram impressos nas áreas de trabalho, quando as versões são alteradas, é de responsabilidade da área recolher e descartar os mesmos. Para as áreas que não possuem acesso à rede da LP, os documentos são trocados pelas versões atualizadas em meio magnético e as versões anteriores são recolhidas e apagadas. A Lista Mestra de Documentos apresentará as versões atualizadas dos documentos do SGI REPRODUÇÃO DOS DOCUMENTOS PARA CONSULTA E DISTRIBUIÇÃO Para a reprodução dos documentos, tanto para consulta quanto para distribuição regular e adicional, a LP dispõe dos seguintes recursos: copiadora (preto e branco); impressora (preto e branco e colorida). Todo documento impresso é considerado cópia não controlada PERMISSÕES DE ACESSO As permissões sobre os arquivos das pastas do SGI na rede da LP são as determinadas na tabela a seguir. Diretórios Manual do SGI Procedimentos Gerais Procedimentos Operacionais Permissões de Acesso aos Arquivos Total (*) Parcial (Leitura) Nenhuma RD RD RD Demais Áreas e fornecedor de apoio Demais Áreas e fornecedor de apoio Demais Áreas e fornecedor de apoio Registros RD e áreas responsáveis pela coleta dos registros De acordo com a LMR Lista Mestra de Registros - Modelos de Registros RD Demais Áreas e fornecedor de apoio - PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 7 de 10

8 Versões Anteriores RD Diretoria Demais Áreas e fornecedor (*) A permissão de acesso total implica em direitos de leitura, gravação, alteração e exclusão de arquivos. 7. DOCUMENTOS INTERNOS Os documentos de origem interna são todos os documentos gerados pela LP tais como: correspondências enviadas (uso geral ou de contratos), relatórios de medição, relatórios de acompanhamento de projetos, pareceres técnicos (documentos de contratos) e propostas (documentos comerciais). Todo documento interno que é considerado de uso geral é identificado com a sigla LP e de uma numeração seqüencial. As áreas de atuação serão as seguintes: Administrativo; Financeiro; Operacional; Comercial - Licitação; Contratos; Recursos Humanos; SMS. Os responsáveis pelo controle dos documentos de uso geral são os próprios setores da LP, e são disponibilizados em pastas que identificam o ano de sua emissão. Na rede da LP pelo caminho \\Lp-server\LP e/ou nos próprios setores, caso sejam armazenados em meio físico. Os documentos de contratos vigentes são disponibilizados à Gerência Administrativa e Diretoria para consulta na rede da LP pelo caminho \\Lpserver\LP\Contratos\Contratos Vigentes. Todo documento interno específico de um contrato é identificado com a sigla LP seguida da sigla e número do contrato e numeração seqüencial. Ao término dos contratos as pastas são transferidas para o diretório de contratos concluídos que podem ser encontrados pelo caminho \\Lp-server\LP\Contratos\Contratos Concluídos. O responsável pelo controle dos documentos de contratos é o Gerente de Operações e serviços. As propostas são disponibilizadas à Coordenação Comercial e Diretoria e controladas através do arquivo encontrado em \\Lp-server\LP\Comercial - Licitação O responsável pelo controle das propostas é a Gerência de Operações e Serviços. PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 8 de 10

9 8. DOCUMENTOS EXTERNOS 8.1. TIPOS DE DOCUMENTOS EXTERNOS Os documentos de origem externa, de interesse do Sistema de Gestão Integrada da LP, são divididos nas seguintes categorias: Legislativos: documentos de legislação, de âmbito federal, estadual e municipal; Normativos: documentos normativos, como as normas ISO e OHSAS; Do Cliente: documentos emitidos pelos clientes (contratos, pedidos de orçamento, correspondências, atas de reunião,...); 8.2. EMISSÃO, DISPONIBILIZAÇÃO, REPRODUÇÃO E REVISÃO DOS DOCUMENTOS EXTERNOS Os documentos de origem externa ficam armazenados com as seguintes Gerências na Sede da Administração de seu fornecedor: Documentos Legislativos ficam arquivados com a Gerência Administrativa; Documentos do Cliente ficam arquivados com a Gerência de Operações e Serviços; Documentos Normativos ficam armazenados com a Gerência de Operações e Serviços; Se necessário, uma cópia em meio físico será disponibilizada para consulta e ficará arquivada na área de realização dos serviços. Somente é permitida a reprodução dos documentos externos para consulta, através dos seguintes recursos: copiadora/impressora (preto e branco e colorido); Os documentos vigentes são arquivados em pastas do tipo A-Z. A ordenação dos documentos nas pastas é realizada de acordo com o tipo de documento (ex: correspondências, em ordem cronológica; documentos de contratação, primeiro o contrato e depois os respectivos anexos e aditivos). Os documentos externos são revisados de acordo com a tabela apresentada abaixo. TIPO DE DOCUMENTO RESPONSÁVEL PERÍODO Legislativo Gerência Administrativa Mensal Normativo Depto. Operacional Anual Do Cliente Áreas responsáveis pela guarda da documentação Contínua PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 9 de 10

10 9. ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS As áreas responsáveis pela guarda dos documentos atendem às solicitações de usuários para: localização de documentos existentes no arquivo; busca de documentos de referência em outros setores/órgãos; elaboração de listas de documentos para os usuários; fornecimento de cópias adicionais de documentos para uso pessoal de usuários. 10. GUARDA E CONTROLE DO ARQUIVO INATIVO A Gerência Administrativa é a responsável pela guarda e controle do arquivo inativo da LP, o qual é composto, entre outros documentos, de: documentação de contratos encerrados; correspondências recebidas e enviadas, tanto internas quanto externas; registros administrativos diversos; boletins e memórias de medição. Esta documentação deve ser rastreável e mantida permanentemente. 11. AVALIAÇÃO DO PROCESSO Os resultados das atividades realizadas neste procedimento devem ser avaliados através dos seguintes indicadores de desempenho: INDICADOR DE DESEMPENHO Quantidade de anomalias no procedimento PERIODICIDADE META RESPONSÁVEL PELA AVALIAÇÃO Mensal < 5 RD 12. REGISTROS LMD Lista Mestra de Documentos do SGI PROPRIEDADE DA LP CÓPIA NÃO CONTROLADA Página 10 de 10

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO) CONTROLE DE DOCUMENTOS e REGISTROS

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO) CONTROLE DE DOCUMENTOS e REGISTROS (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO) Procedimento CONTROLE DE DOCUMENTOS e REGISTROS PR.01 Página 1 de 3 14001: 4.4.5, 4.5.4 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática para o processo de elaboração,

Leia mais

PO - Procedimento Operacional Revisão: 09 Página 1 de 5

PO - Procedimento Operacional Revisão: 09 Página 1 de 5 PO - Procedimento Operacional Revisão: 09 Página 1 de 5 1. OBJETIVO Definir as etapas do processo de elaboração e controle de documentos e registro do Sistema de Gestão da Qualidade. 2. RESPONSÁVEIS Diretores

Leia mais

E-QP-EIF-076 REV. B 14/Abr/2008 PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO PINTURA INDUSTRIAL - INSTRUÇÕES AO CANDIDATO - GERAL -

E-QP-EIF-076 REV. B 14/Abr/2008 PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO PINTURA INDUSTRIAL - INSTRUÇÕES AO CANDIDATO - GERAL - ENGENHARIA PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO PINTURA INDUSTRIAL - INSTRUÇÕES AO CANDIDATO - GERAL - Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados ao SEQUI, indicando

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO - POP. Data de Vigência 01/DEZ/2005

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO - POP. Data de Vigência 01/DEZ/2005 Página 1 de 8 CA- POP-GQ 0 OBJETIVO Padronizar os Procedimentos Operacionais Padrão (POPs) em termos de redação, emissão e distribuição. APLICAÇÃO Este POP aplica-se unicamente ao Laboratório de Controle

Leia mais

ANEXO 3 GERENCIAMENTO DE MODIFICAÇÕES

ANEXO 3 GERENCIAMENTO DE MODIFICAÇÕES ANEXO 3 GERENCIAMENTO DE MODIFICAÇÕES 1 OBJETIVO O objetivo do Gerenciamento de Modificações consiste em prover um procedimento ordenado e sistemático de análise dos possíveis riscos introduzidos por modificações,

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES

HISTÓRICO DE REVISÕES PÁGINA: 1/11 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD ÁREA GESTÃO DE CONTRATOS/ QUALIDADE CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 010 TíTULO: ANALISAR PROCESSO PARA PAGAMENTO DE CONTRATOS - COPIADORAS ELABORADO EM:10/07/2014

Leia mais

LEI Nº, DE DE 2003. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº, DE DE 2003. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO DE LEI LEI Nº, DE DE 2003 Dispõe sobre o Plano Plurianual para o período 2004/2007. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º

Leia mais

CONTROLE DE DOCUMENTOS

CONTROLE DE DOCUMENTOS 1. OBJETIVO Estabelecer critérios e regras quanto ao procedimento de conferência e arquivamento dos documentos fiscais. 2. REGRAS / CONSIDERAÇÕES GERAIS Esta instrução aplica-se a toda a empresa. Será

Leia mais

REALIZAR A COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL DA DIREH HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Glauber Queiroz Tabosa

REALIZAR A COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL DA DIREH HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Glauber Queiroz Tabosa REALIZAR A COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL DA DIREH HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 10/03/2012 01 Alteração do Formato; Exclusão do item 12 - Indicadores. Elaborado

Leia mais

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS. 0 21/01/2014 Emissão Original

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS. 0 21/01/2014 Emissão Original PGSGA/09 Auditorias Internas e Externas Página 1 de 10 SUMÁRIO DE REVISÕES Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS 0 21/01/2014 Emissão Original 01 20/02/2014 Alteração no item 6 e 7 Elaborado por: Verificado

Leia mais

Norma de Procedimento

Norma de Procedimento PREFEITURA DE VITÓRIA Controladoria Geral do Município Assessoria de Planejamento Organizacional Norma de Procedimento Código SCS-NP 01 Assunto: DIVULGAÇÃO DE CAMPANHAS INSTITUCIONAIS Versão: Data da elaboração:

Leia mais

NORMA GERAL PARA GESTÃO DE CONTENCIOSOS TRABALHISTAS DA CDP

NORMA GERAL PARA GESTÃO DE CONTENCIOSOS TRABALHISTAS DA CDP NORMA GERAL PARA GESTÃO DE CONTENCIOSOS TRABALHISTAS DA CDP Norma Geral TÍTULO Capítulo Seção Nome Revisão 2 Presidência 4 Jurídico 02 Contenciosos 01 Gestão de Contenciosos Trabalhistas 00 Inicial Data

Leia mais

Regulamento paraa Certificação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional

Regulamento paraa Certificação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional Regulamento paraa Certificação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional Em vigor a partir de 01 de abril 2012 RINA Via Corsica, 12 16128 Genova - Itália Tel. +39 01053851 Fax: +39 0105351000

Leia mais

Esta Norma Complementar se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. APROVAÇÃO

Esta Norma Complementar se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. APROVAÇÃO 03/IN01/DSIC/GSIPR 00 30/JUN/09 1/5 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE POLÍTICA DE SEGURANÇA

Leia mais

PROCEDIMENTO INTERNO

PROCEDIMENTO INTERNO 1. Objectivo Regulamentar a actividade do Gabinete de Auditoria Interna do Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE. 2. Aplicação Gabinete de Auditoria Interna do Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE. 3. Definições

Leia mais

Procedimento de Gestão

Procedimento de Gestão Índice 1.0. Objectivo... 2 2.0. Campo de aplicação.. 2 3.0. Referências e definições......... 2 4.0. Responsabilidades. 3 5.0. Procedimento. 3 5.1. Auditorias ao Sistema da Qualidade. 3 5.1.1. Preparação.

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL Melhoria contínua

PROCEDIMENTO GERAL Melhoria contínua Página 1 de 6 I ÂMBITO Aplicável em toda a estrutura funcional da ESEP. II OBJETIVOS Definir a metodologia, as responsabilidades e a documentação necessárias à implementação do controlo de não conformidades

Leia mais

MANUAL DE Gestão da. Qualidade

MANUAL DE Gestão da. Qualidade MANUAL DE Gestão da Qualidade Resposta Social: Estrutura Residencial para Idosos Prestamos Serviços de Qualidade Aldeia de S. Sebastião ADCS Aldeia de S. Sebastião, Largo da Igreja nº6 6355-041 Aldeia

Leia mais

Qualidade de Software Normatização

Qualidade de Software Normatização Qualidade de Software Normatização Norma ISO/IEC 12207 processo do ciclo de vida de software Norma criada em 1995 com o objetivo de fornecer uma estrutura comum para adquirente, fornecedor, desenvolvedor,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 005/2014 EXCLUSÃO DE TRECHOS RODOVIÁRIOS PELO SISTEMA RODOVIÁRIO ESTADUAL

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 005/2014 EXCLUSÃO DE TRECHOS RODOVIÁRIOS PELO SISTEMA RODOVIÁRIO ESTADUAL SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DA SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA GESTÃO DE PLANOS E PROGRAMAS DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA MODAL RODOVIÁRIO INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 005/2014 EXCLUSÃO DE

Leia mais

3 ASPECTOS AMBIENTAIS Não se aplica Elaboração Revisão Aprovação Histórico da Alteração

3 ASPECTOS AMBIENTAIS Não se aplica Elaboração Revisão Aprovação Histórico da Alteração Pág: 1/9 1 OBJETIVO Esta instrução tem como objetivo avaliar fornecedores de materiais de processo, e estabelecer os requisitos mínimos para o fornecimento de produtos, serviços e determinar, através de

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. A empresa contratada deverá providenciar local para a realização das provas escritas e pessoal para fiscalização.

MEMORIAL DESCRITIVO. A empresa contratada deverá providenciar local para a realização das provas escritas e pessoal para fiscalização. MEMORIAL DESCRITIVO Contratação de empresa especializada para realização de concurso público, visando a formação de banco de concursados para diversos cargos efetivos do Município, através da Secretaria

Leia mais

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 03

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 03 1/ 8 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Revisão e Adequação integral do PO 02 Adequação dos Registros e Padrões 03 Adequação das responsabilidades ao e alteração da área

Leia mais

Políticas Corporativas

Políticas Corporativas 1 IDENTIFICAÇÃO Título: POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS ADMINISTRADORES Restrições para Uso: Livre Acesso Controle Reservado Confidencial Controlada Não Controlada Em Revisão 2 - RESPONSÁVEIS Etapa Área Responsável

Leia mais

DECISÃO TÉCNICA AMPLA DTA-054/2016 R-00

DECISÃO TÉCNICA AMPLA DTA-054/2016 R-00 INFRAESTRUTURA E REDES BRASIL OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO BRASIL /2016 DECISÃO TÉCNICA /2016 R- FOLHA DE CONTROLE DECISÃO TÉCNICA I APRESENTAÇÃO Esta Decisão Técnica Cobrança de Danos Causados por Terceiros

Leia mais

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Sustentabilidade Contexto Aumento no número de pessoas Maior quantidade de recursos explorados Produção e consumo: compras

Leia mais

Procedimento para a Certificação de Conformidade com a Directiva de Produtos da Construção 89/106/CEE

Procedimento para a Certificação de Conformidade com a Directiva de Produtos da Construção 89/106/CEE 1 Objectivo Este procedimento tem como objectivo descrever o procedimento seguido pela EIC como Organismo de Certificação Notificado para a avaliação da conformidade dos agregados de acordo com os requisitos

Leia mais

Estrutura de gerenciamento do risco operacional

Estrutura de gerenciamento do risco operacional Estrutura de gerenciamento do risco operacional 1. Sistema Sicoob A estrutura de gerenciamento do risco operacional das cooperativas do Sicoob é composta da seguinte forma: 2. Principais competências dos

Leia mais

NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS

NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS 2.5 Condições de Habilitação e Desabilitação dos Municípios I. Da Habilitação Para habilitação dos municípios nos níveis de gestão definidos

Leia mais

Manual Escrituração Fiscal Digital

Manual Escrituração Fiscal Digital Manual Escrituração Fiscal Digital 29/11/2013 Sumário 1 Introdução... 3 2 Funcionalidade... 3 3 Navegação no Sistema... 3 3.1 Inicialização... 3 4 Configurações Gerais... 6 4.1 Domínios... 6 4.2 Configuração

Leia mais

Manual do Processo de Planejamento da UFSC. Departamento de Planejamento SEPLAN/UFSC

Manual do Processo de Planejamento da UFSC. Departamento de Planejamento SEPLAN/UFSC Manual do Processo de Planejamento da UFSC 2010 Departamento de Planejamento SEPLAN/UFSC Apresentação Este documento descreve o processo de planejamento que vem sendo implantado na Universidade Federal

Leia mais

GESTÃO POR PROCESSOS

GESTÃO POR PROCESSOS GESTÃO POR PROCESSOS O que é um Processo: Uma série de ações que produz um resultado que agrega valor ao produto ou serviço. Gestão de Processos: Conjunto de ações sistemáticas, baseadas em fatos e dados

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE

POLÍTICA DE COMPLIANCE Classificação das Informações 5/5/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ] Uso Público ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIAS... 3 4 DEFINIÇÕES... 4 5 DIRETRIZES... 4 6 RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Política de Risco Socioambiental

Política de Risco Socioambiental Política de Gestão de Risco Política de Risco Socioambiental Controle de Versões Dono / Emitido por Revisada por Aprovado por PL-003.7-GR V1 Gestão de Riscos Compliance Alta Administração Vigência Exercício

Leia mais

NORMA DE TRANSMISSÃO UNIFICADA NTU-013 INSPEÇÃO E AVALIAÇÃO TÉCNICA DE FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS

NORMA DE TRANSMISSÃO UNIFICADA NTU-013 INSPEÇÃO E AVALIAÇÃO TÉCNICA DE FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS NORMA DE TRANSMISSÃO UNIFICADA NTU-013 INSPEÇÃO E AVALIAÇÃO TÉCNICA DE FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS APROVAÇÃO Júlio Cesar Ragone Lopes Diretor Corporativo de Engenharia e Construção Grupo Energisa

Leia mais

Manual Certidão Web - Certidão Específica

Manual Certidão Web - Certidão Específica Manual Certidão Web - Certidão Específica 1 Sumário 1. NORMATIVA... 3 2. PROCEDIMENTO PARA SOLICITAÇÃO... 4 3. PROCEDIMENTO PARA ACOMPANHAR O ANDAMENTO DA SOLICITAÇÃO13 2 1. NORMATIVA De acordo com a INSTRUÇÃO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MP - 07/2011

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MP - 07/2011 MANUAL DE PROCEDIMENTOS MP - 07/2011 TELEFONE CELULAR COMPUTADOR PORTÁTIL E MINI MODEM Macro Processo: Processo: Subprocesso Origem: 1ª Publicação: Suporte Gestão de Tecnologia da Informação Telefone Celular

Leia mais

NORMA GERAL PARA GESTÃO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA À EMBARCAÇÕES

NORMA GERAL PARA GESTÃO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA À EMBARCAÇÕES NORMA GERAL PARA GESTÃO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA À EMBARCAÇÕES TÍTULO Capítulo Seção Nome Revisão Norma Geral 4 Área de Gestão de Engenharia e Operação Portuárias 1 Diretrizes Operacionais 01 Diretrizes

Leia mais

PROCESSO DE INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS EM INSTALAÇÕES OFFSHORE

PROCESSO DE INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS EM INSTALAÇÕES OFFSHORE UO-BC CORPORATIVO Código: PP-3E7-00674-F ANÁLISE CRÍTICA PENDENTE PROCESSO DE INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS EM INSTALAÇÕES OFFSHORE Status: Ativo Órgão aprovador: UO-BC/OPM/EMI Órgão gestor: UO-BC/OPM/EMI Cadastro

Leia mais

Requalificação de Recipientes Transportáveis para Gás Liquefeito de Petróleo (GLP)

Requalificação de Recipientes Transportáveis para Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) Elaborado por: Eduardo Augusto Di Marzo Verificado por: Karen Martins Doc: 701-CRC-004 Revisão: 7 Página: 1/10 Aprovado por: Igor Moreno Data Aprovação: 27/04/2015 1 OBJETIVO Este documento apresenta os

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO DA COLETA SELETIVA DOS MATERIAIS DESCARTADOS Programa Nº 05/2016

Leia mais

1. Definir penalidade a ser aplicada por arquivo indevido em pasta corporativa.

1. Definir penalidade a ser aplicada por arquivo indevido em pasta corporativa. Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos padronizados necessários para utilização e controle em Backup dos arquivos e pastas de equipamentos, rede física e lógica, softwares corporativos e informações

Leia mais

ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA TÉCNICA E ECONÔMICA

ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA TÉCNICA E ECONÔMICA ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA TÉCNICA E ECONÔICA Introdução Entende-se que a Proposta Técnica e Econômica é a demonstração do conjunto dos elementos necessários e suficientes, com nível

Leia mais

Informe Técnico Agência das Bacias PCJ n 01/2015

Informe Técnico Agência das Bacias PCJ n 01/2015 Informe Técnico Agência das Bacias PCJ n 01/2015 Procedimentos e Requisitos Necessários para a Solicitação de inclusão no Mecanismo Diferenciado de Pagamento Abatimento do ValorDBO, referente a cobrança

Leia mais

TUTORIAL PESQUISA DE POLÍTICA DE REMOÇÃO

TUTORIAL PESQUISA DE POLÍTICA DE REMOÇÃO TUTORIAL PESQUISA DE POLÍTICA DE REMOÇÃO Diretoria de Planejamento, Administração e Logística DIPLAN Coordenação Geral de Gestão de Pessoas CGGP Página 2 de 15 ÍNDICE DE ILUSTRAÇÕES Ilustração 1: Tela:

Leia mais

PROCESSO COTAÇÃO DE PREÇO PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP.COTAÇÃO DE PREÇO

PROCESSO COTAÇÃO DE PREÇO PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP.COTAÇÃO DE PREÇO Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Assessoria de Gestão Estratégica Núcleo de Processos Formulário 6 COTAÇÃO DE PREÇO PROCESSO COTAÇÃO DE PREÇO PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP.COTAÇÃO DE PREÇO

Leia mais

Novos critérios para a recertificação de inspetor de pintura industrial, com base na norma ABNT NBR 15218:2014

Novos critérios para a recertificação de inspetor de pintura industrial, com base na norma ABNT NBR 15218:2014 Novos critérios para a recertificação de inspetor de pintura industrial, com base na norma ABNT NBR 15218:2014 Autor: Ednilton Alves Pereira (Associação Brasileira de Corrosão - ABRACO) Dez/2014 Introdução

Leia mais

LEI MUNICIPAL N 4.774, DE 13 DE JUNHO DE 2013.

LEI MUNICIPAL N 4.774, DE 13 DE JUNHO DE 2013. -Dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de edificações para aprovação na Prefeitura Municipal de Tatuí, e dá outras providencias. JOSÉ MANOEL CORREA COELHO MANÚ, Prefeito Municipal de Tatuí,

Leia mais

Código: CHCB. PI.JUR.01 Edição: 1 Revisão: 1 Páginas:1 de 5. 1. Objectivo

Código: CHCB. PI.JUR.01 Edição: 1 Revisão: 1 Páginas:1 de 5. 1. Objectivo Código: CHCB. PI.JUR.01 Edição: 1 Revisão: 1 Páginas:1 de 5 1. Objectivo São objectivos predominantes do Gabinete Jurídico, informar e colaborar em termos Jurídico Legais, na tomada de decisão do, contribuindo

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Ouvidoria da FAE Centro Universitário. Curitiba, 11 de dezembro de 2009.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Ouvidoria da FAE Centro Universitário. Curitiba, 11 de dezembro de 2009. RESOLUÇÃO CONSUN 05/2009 APROVA O REGULAMENTO DA OUVIDORIA DA. O Presidente do Conselho Universitário CONSUN, no uso das atribuições que lhe confere o art. 13, I, do Estatuto, e em cumprimento à deliberação

Leia mais

Auditorias. 1. Apresentação. 2. Legislação de enquadramento. 3. Tramitação dos processos. 4. Fluxograma da tramitação NORMA DE PROCEDIMENTOS

Auditorias. 1. Apresentação. 2. Legislação de enquadramento. 3. Tramitação dos processos. 4. Fluxograma da tramitação NORMA DE PROCEDIMENTOS NORMA DE PROCEDIMENTOS Julho de 2008 08 / AM Tramitação dos processos de Auditorias 1. Apresentação 2. Legislação de enquadramento 3. Tramitação dos processos 4. Fluxograma da tramitação 1/6 2/6 1. Apresentação

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS.

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Educação Superior de Boituva dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia da Informação com rede de computadores que

Leia mais

EMISSÃO DE PERMISSÃO PARA TRABALHO - PT

EMISSÃO DE PERMISSÃO PARA TRABALHO - PT FOLHA DE CAPA TÍTULO EMISSÃO DE NÚMERO ORIGINAL NÚMERO COMPAGÁS FOLHA 1 / 9 CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS ESTA FOLHA DE CONTROLE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA E AO DESTINATÁRIO

Leia mais

Manual do PPA no Sistema do Orçamento SH3

Manual do PPA no Sistema do Orçamento SH3 Manual do PPA no Sistema do Orçamento SH3 São João del Rei Versão: 1.0 1 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 - SISTEMA DE ORÇAMENTO DA SH3... 5 2.1. Iniciando o PPA... 5 2.2. Cadastros das Informações do PPA Menu

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Ensino Superior Santo André dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO E TRAJETO

ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO E TRAJETO 1 de 5 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 06/1 1.001.00 P Proposta inicial J J.S.C, M.F.A 1 Objetivo Otimizar o atendimento do colaborador acidentado

Leia mais

INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº. 2, DE XXX DE XXXXXXXXXX DE 2016.

INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº. 2, DE XXX DE XXXXXXXXXX DE 2016. INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº. 2, DE XXX DE XXXXXXXXXX DE 2016. Estabelece as regras a serem observadas pelas sociedades seguradoras e entidades fechadas de previdência complementar para transferência de riscos

Leia mais

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO RECEITA MUNICIPAL DE SENADOR CANEDO Responsável: Vanderlúcia Cardoso

Leia mais

AUDITORIA INTERNA Secretaria de Educação

AUDITORIA INTERNA Secretaria de Educação 1. Objetivo Esta norma estabelece o procedimento, requisitos básicos e a metodologia a ser obedecida para o planejamento, a execução e o registro de auditorias internas do Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

DECISÃO TÉCNICA DT-121 R00 CONTROLE DAS ATIVIDADES DE OBRAS E DE MANUTENÇÃO

DECISÃO TÉCNICA DT-121 R00 CONTROLE DAS ATIVIDADES DE OBRAS E DE MANUTENÇÃO R OBRAS E DE MANUTENÇÃO DOCUMENTO NORMATIVO I Í N D I C E 1 OBJETIVO... 1 2 DISPOSIÇÕES GERAIS... 1 2.1 IMPLANTAR EM JANEIRO DE 25 O SUB-MÓDULO DE OBRAS DO SISTEMA GOM.... 1 3 PROCEDIMENTOS... 1 3.1 CONTROLE

Leia mais

Manual do Pesquisa Saúde perfil Pesquisador. Sumário. Informações técnicas do Pesquisa Saúde

Manual do Pesquisa Saúde perfil Pesquisador. Sumário. Informações técnicas do Pesquisa Saúde Manual do Pesquisa Saúde perfil Pesquisador Informações técnicas do Pesquisa Saúde Sistema desenvolvido para rodar em Internet Explorer 9.0 ou superior, Mozilla Firefox 16 ou superior e Google Chrome ou

Leia mais

TREINAMENTO PARA OS COLABORADORES DA ÁREA DE TI RESPONSÁVEIS PELO DESENVOLVIMENTO DO SERVIDOR WEB

TREINAMENTO PARA OS COLABORADORES DA ÁREA DE TI RESPONSÁVEIS PELO DESENVOLVIMENTO DO SERVIDOR WEB TREINAMENTO PARA OS COLABORADORES DA ÁREA DE TI RESPONSÁVEIS PELO DESENVOLVIMENTO DO SERVIDOR WEB 1. Levantamento de Necessidades: Objetivos gerais: Desenvolvimento de um treinamento voltado para a implementação

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Bragança Paulista, 30 de maio de 2016. Profa. Márcia Aparecida Antônio Presidente

R E S O L U Ç Ã O. Bragança Paulista, 30 de maio de 2016. Profa. Márcia Aparecida Antônio Presidente RESOLUÇÃO CONSEACC/BP 16/2016 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVIONADO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO, DO CAMPUS BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico

Leia mais

PLANEJAMENTO SIMPLIFICADO DE PROJETOS

PLANEJAMENTO SIMPLIFICADO DE PROJETOS PLANEJAMENTO SIMPLIFICADO DE PROJETOS Nestor Nogueira de Albuquerque, MsC. Gestão e Desenvolvimento Regional V Encontro de Pós-GraduaP Graduação UNITAU 2005 Necessidade de um processo de Gestão de Projetos

Leia mais

ADAM CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE TREINAMENTO E RECICLAGEM DE COLABORADORES

ADAM CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE TREINAMENTO E RECICLAGEM DE COLABORADORES ADAM CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE TREINAMENTO E RECICLAGEM DE COLABORADORES Data de elaboração: 27.06.2016 Versão: 1.0 ÍNDICE POLÍTICA DE TREINAMENTO E RECICLAGEM DE COLABORADORES... 3

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 4. DESCRIÇÃO DO OBJETO 4.1. DESCRIÇÃO RESUMIDA Item Descrição Resumida. Preço médio total

TERMO DE REFERÊNCIA. 4. DESCRIÇÃO DO OBJETO 4.1. DESCRIÇÃO RESUMIDA Item Descrição Resumida. Preço médio total TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada em fornecimento de cópias de chaves para o Campus Birigui do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP.

Leia mais

Gestão de Participantes Semana de Integração Acadêmica

Gestão de Participantes Semana de Integração Acadêmica Gestão de Participantes Semana de Integração Acadêmica DSMP Documento de Simplificação e Modernização do Processo Agosto/2014 Sumário PARTE I MAPEAMENTO DO PROCESSO... 3 1. Dados do Processo... 3 2. Legislação

Leia mais

Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos

Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos O presente documento tem como objetivo apresentar as diretrizes e orientar no preenchimento do formulário de inscrição

Leia mais

ANO LETIVO 2014/2015 REGIMENTO DO DEPARTAMENTO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR

ANO LETIVO 2014/2015 REGIMENTO DO DEPARTAMENTO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR ANO LETIVO 2014/2015 REGIMENTO DO DEPARTAMENTO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO PRÉ ESCOLAR 1 Preâmbulo O presente regimento interno, adiante designado por regimento, é o documento que define o regime de funcionamento

Leia mais

GEPE MAT - Modelo de Monitorização e Reporte do MAT Breakfast com GEPEs

GEPE MAT - Modelo de Monitorização e Reporte do MAT Breakfast com GEPEs REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO DO TERRITÓRIO Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística GEPE MAT - Modelo de Monitorização e Reporte do MAT Breakfast com GEPEs Dr. Nazário Vilhena,

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA A QUALIFICAÇÃO DE VERIFICADOR DE PÓS-AVALIAÇÃO. Versão 1.0 Dezembro 2015

PROCEDIMENTO PARA A QUALIFICAÇÃO DE VERIFICADOR DE PÓS-AVALIAÇÃO. Versão 1.0 Dezembro 2015 PROCEDIMENTO PARA A QUALIFICAÇÃO DE VERIFICADOR DE PÓS-AVALIAÇÃO Versão 1.0 Dezembro 2015 Índice 1. Objetivo... 2 2. Campo de aplicação... 2 3. Documentos de referência... 2 4. Qualificação de verificadores

Leia mais

AUTODECLARAÇÃO. Visão Requerente SISVISA. Sistema de Controle de Vigilância Sanitária

AUTODECLARAÇÃO. Visão Requerente SISVISA. Sistema de Controle de Vigilância Sanitária AUTODECLARAÇÃO Visão Requerente SISVISA Sistema de Controle de Vigilância Sanitária Versão 2.0 1 CONTROLE DE REVISÕES Versão Data Autor Comentário 1.0 19/11/2015 Equipe IVIG_COPPE_UFRJ SISVISA versão 1.0.0

Leia mais

Política de Controle Interno

Política de Controle Interno Política de Controle Interno QUORUM PARTICIPAÇÕES Sumário 1. Introdução... 2 2. Princípios gerais... 2 3. Implementação e diretrizes... 2 4. Responsabilidade da Área de Compliance... 3 5. Responsabilidade

Leia mais

Gerenciamento de Integração. Prof. Anderson Valadares

Gerenciamento de Integração. Prof. Anderson Valadares Gerenciamento de Integração Prof. Anderson Valadares 1. Conceito A área de conhecimento em gerenciamento de integração do projeto inclui processos e as atividades necessárias para identificar, definir,

Leia mais

NORMA TÉCNICA E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAR ALTERAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO

NORMA TÉCNICA E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAR ALTERAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO NORMA TÉCNICA E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAR ALTERAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO Referência: NT-AI.04.03.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/nt-ai.04.03.01.pdf Data: 31/07/2000 STATUS: EM VIGOR A Assessoria

Leia mais

Responsável: João Seyffarth Ministério do Meio Ambiente Apoio: Gerência da Conta TFCA no Funbio Rio de Janeiro, 03 de junho de 2016. 1.

Responsável: João Seyffarth Ministério do Meio Ambiente Apoio: Gerência da Conta TFCA no Funbio Rio de Janeiro, 03 de junho de 2016. 1. TERMO DE REFERÊNCIA nº 13/2016 Contratação de consultoria pessoa física para coordenação técnica do projeto Promoção do Cadastro Ambiental Rural CAR na APA de Pouso Alto GO Responsável: João Seyffarth

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PPG QUALISAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PPG QUALISAÚDE EDITAL Nº 001/2016 do Mestrado Profissional Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde (PPG QualiSaúde) de 07 de junho de 2016 para Credenciamento de Docentes A Coordenação do Programa de Pós-Graduação Gestão

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Nº 38.16

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Nº 38.16 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Nº 38.16 A FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU BRASIL (FPTI-BR) torna público que serão recebidas as inscrições para o Processo Seletivo nº 38.16 sob contratação em regime CLT

Leia mais

PLANO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA (PAAI) - 2009

PLANO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA (PAAI) - 2009 PLANO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA (PAAI) - 2009 Estabelece o Plano Anual de Auditoria Interna PAAI/2009, da Prefeitura Municipal de Aripuanã-MT, dos procedimentos metodológicos e cronológicos e outras providências.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL INSTITUTO DE IDENTIFICAÇÃO SETOR DE ESTATÍSTICAS

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL INSTITUTO DE IDENTIFICAÇÃO SETOR DE ESTATÍSTICAS NOTA TÉCNICA N 002/13-SE A presente Nota Técnica corresponde ao ANEXO II da Ordem de Serviço n 041/13, concernente à necessidade de atualização do modelo de Relatório Mensal de Estatística dos Setores

Leia mais

Painel MT-611-00008 Última Atualização 25/04/2012

Painel MT-611-00008 Última Atualização 25/04/2012 Painel MT-611-00008 Última Atualização 25/04/2012 I. Objetivos Após este módulo de capacitação você será capaz de: 1. Visualizar os dados das avaliações do processo de cadastramento com a Petrobras; 2.

Leia mais

CONTRATO DE PARCERIA

CONTRATO DE PARCERIA CONTRATO DE PARCERIA Entre:, legalmente representada por na qualidade de., legalmente representada por na qualidade de., legalmente representada por na qualidade de., legalmente representada por na qualidade

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 ÍNDICE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1. OBJETIVO...3 2. APLICAÇÃO...3 3. IMPLEMENTAÇÃO...3 4. REFERÊNCIA...3

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho CADASTRAMENTO DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO E CURSOS IT. 41 04 1 / 5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o cadastramento e recadastramento de Instituições de Ensino e Cursos, de nível Médio, Tecnológico,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SPO N.º 003/2012, 11 DE DEZEMBRO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SPO N.º 003/2012, 11 DE DEZEMBRO DE 2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA SPO N.º 003/2012, 11 DE DEZEMBRO DE 2012. Versão: 01 Aprovação em: 11 de dezembro de 2012 Ato de aprovação: Resolução n. 82/2012. Unidade Responsável: Secretaria Geral Administrativa

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento de Monitoria para os cursos de graduação das Faculdades Integradas Sévigné.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento de Monitoria para os cursos de graduação das Faculdades Integradas Sévigné. RESOLUÇÃO CSA 08/2009 APROVA O REGULAMENTO DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DAS. O Presidente do Conselho Superior de Administração CSA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 6º, II, do

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL DEPARTAMENTO DE AÇÕES EM SAÚDE

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL DEPARTAMENTO DE AÇÕES EM SAÚDE NOTA TÉCNICA Assunto: Leitos de Saúde Mental Integral DA HABILITAÇÃO 1. No Estado do Rio Grande do Sul, os leitos de saúde mental integral terão duas formas de habilitação: federal, quando se tratarem

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE CURSOS E ATIVIDADES DE EXTENSÃO DA USP

ORIENTAÇÕES SOBRE CURSOS E ATIVIDADES DE EXTENSÃO DA USP ORIENTAÇÕES SOBRE CURSOS E ATIVIDADES DE EXTENSÃO DA USP FORMAÇÃO PROFISSIONAL Prática Programa de Residência Profissionalizante Atualização Graduação Sim Não Sim Concluída Carga horária mínima Definida

Leia mais

Assessoramento Técnico e Jurídico Fiança Criminal. Descrição 0 31/08/2010 - Emissão inicial 1 01/10/2010

Assessoramento Técnico e Jurídico Fiança Criminal. Descrição 0 31/08/2010 - Emissão inicial 1 01/10/2010 Pág.: 1/10 Controle de alterações Revisão Data Local da Revisão Descrição 0 31/08/2010 - Emissão inicial 1 01/10/2010 Item 6 - Alteração da indexação dos registros Despacho Registros e Ofício Alteração

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DA FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DA FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DA FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E FINALIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1 - O Estágio Supervisionado,

Leia mais

Recadastramento de ECF Perguntas e Respostas

Recadastramento de ECF Perguntas e Respostas Recadastramento de ECF Perguntas e Respostas Setembro/2007 1) Qual o instituto normativo que dispõe sobre o recadastramento de ECF? A Instrução Normativa nº 11/07, de 24 de agosto de 2007, publicada no

Leia mais

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Treinamento e Reciclagem de Colaboradores

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Treinamento e Reciclagem de Colaboradores MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Treinamento e Reciclagem de Colaboradores Junho de 2016 ÍNDICE POLÍTICA DE TREINAMENTO E RECICLAGEM DE COLABORADORES... 2 (A) Programas de Treinamento...

Leia mais

Art. 2º A responsabilidade pelo cumprimento desta Instrução Normativa é da Gerência de Recursos Humanos ou equivalente.

Art. 2º A responsabilidade pelo cumprimento desta Instrução Normativa é da Gerência de Recursos Humanos ou equivalente. INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 008/ DGRH/SEA Orienta os procedimentos relativos a elaboração dos Planos de Capacitação no âmbito da Administração Direta, Autárquica e Fundacional mencionados no Decreto 3.917,

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR. Organização: NID / NEP

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR. Organização: NID / NEP MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR Organização: NID / NEP Caruaru, 2012 APRESENTAÇÃO Este manual orienta o aluno na elaboração de seu Relatório de Estágio Curricular, de acordo com

Leia mais

ANEXO ll DA RESOLUÇÃO Nº 023/11/DPR GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS - GAPES

ANEXO ll DA RESOLUÇÃO Nº 023/11/DPR GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS - GAPES ANEXO ll DA RESOLUÇÃO Nº 023/11/DPR GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS - GAPES 1.0 Objetivo Planejamento, desenvolvimento e gerenciamento das atividades relacionadas à administração de pessoas, relações

Leia mais

PROVAS DISCURSIVAS P 3 (questões) e P 4 (parecer) RASCUNHO QUESTÃO 1

PROVAS DISCURSIVAS P 3 (questões) e P 4 (parecer) RASCUNHO QUESTÃO 1 PROVAS DISCURSIVAS P (questões) e P (parecer) Nestas provas, faça o que se pede, usando, caso deseje, os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para o CADERNO

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº XXXX, DE XX DE XXXXXX DE 2015

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº XXXX, DE XX DE XXXXXX DE 2015 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº XXXX, DE XX DE XXXXXX DE 2015 Dispõe sobre o atendimento das Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde Operadoras às solicitações de garantia de cobertura assistencial

Leia mais

Eixo VI _ Assistência Técnica. VI.1. Gestão Operacional e Monitorização Estratégica

Eixo VI _ Assistência Técnica. VI.1. Gestão Operacional e Monitorização Estratégica _ Assistência Técnica CONTROLO DO DOCUMENTO Versão Data Descrição N. de Página 1ª 2008.05.15 5 Pág. 1 de 5 Objectivo Assegurar as condições adequadas para a gestão, acompanhamento, avaliação, monitorização

Leia mais

COMUNICADO 01 EDITAL SEBRAE/SC Nº 002/2016 CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSTRUTORIA E CONSULTORIA

COMUNICADO 01 EDITAL SEBRAE/SC Nº 002/2016 CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSTRUTORIA E CONSULTORIA COMUNICADO 01 EDITAL SEBRAE/SC Nº 002/2016 CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSTRUTORIA E CONSULTORIA PUBLICADO EM 02/05/2016 O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Leia mais

Natureza do Serviço Modalidade / N de vagas Localidade de Trabalho

Natureza do Serviço Modalidade / N de vagas Localidade de Trabalho MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE TERMO DE REFERÊNCIA (TOR) N.º e Título do Projeto OEI/ BRA/ 10/ 001 Fortalecimento da Capacidade Institucional da Diretoria

Leia mais