Rolamentos Axiais de Esferas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rolamentos Axiais de Esferas"

Transcrição

1

2 Rolamentos Axiais de Esferas Tolerância Página 52 Modelo Os Rolamentos Axiais de Esferas são fabricados como rolamentos de escora simples ou de escora dupla. Os Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Simples, podem receber uma carga axial apenas em um sentido. Enquanto os Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Dupla, podem receber carga axial em ambos os sentidos. Os tipos de Rolamentos Axiais de Esferas, não podem receber carga radial. Os Rolamentos Axiais de Esferas estão disponíveis com anel externo de assento esférico alinhante, para formar conjunto com um alojamento que tenha uma superfície esférica. Também estão disponíveis discos de assento alinhante, com uma superfície esférica de alinhamento, para facilitar projeto e montagem sobre uma superfície plana de assentamento. Os rolamentos com gaiola de poliamida, são indicados com suxo G no código de identicação do rolamento. Tabela 1. Série de Rolamentos Axias de Esfera Tipo Escora Simples Escora Dupla Assento plano Assento esférico Assento esférico e contra-placa U U U O ( 1 ) TAM ( 2 ) TG ( 2 ) U U U Notas: ( 1 )Série O possui dimensões em polegadas. ( 2 )Séries TAM, TG são Extra-Pequenos e Miniaturas. Atenção (1) Os Rolamentos Axiais de Esferas com Assento Plano, não permitem qualquer desalinhamento angular entre o eixo e o alojamento, nem podem compensar qualquer erro de ângulo, entre a superfície de apoio no alojamento e o eixo. (2) Não são adequados para uso em alta velocidade. Os limites de velocidade estão indicados na tabela dimensional. (3) Os diâmetros externos, do anel interno e do anel externo ou intermediário, são os mesmos. Portanto, deve ser proporcionado espaçamento ao diâmetro externo de anel interno ou anel intermediário, com a utilização de um degrau no furo do alojamento (ver gura 1). O diâmetro externo de um anel interno ou anel intermediário dos rolamentos, que estão indicados na tabela 2, são menores que do anel externo. De modo que não é necessário degrau de espaçamento no alojamento para o anel interno (intermediário). Ver gura 2. (4) Os rolamentos com gaiola de poliamida devem ser usados abaixo de 120 C. Escora simples Fig. 1 Escora dupla Tabela 2. Séries de Rolamentos Código de Furo Escora simples Fig. 2 Escora dupla 326

3 Gaiola As gaiolas normais, estão indicadas na tabela 3. Se forem necessária outras gaiolas, solicitamos contatar NACHI. Fig. 3. Poliamida Fig. 4. Estampada de aço Tabela 3. Gaiola de Rolamentos Axiais de Esferas Série Código de diâmetro do furo Poliamida Estampada de aço Usinada , , , O TAM 38( 1 ) TG 58( 1 ) Observação: A capacidade básica da tabela dimensional está indicada se referindo ao uso de gaiola da tabela 3. Nota: ( 1 ) Indica diâmetro de furo, e não código de furo. Fig. 5. Usinada Carga Axial Mínima Quando os Rolamentos Axiais de Esferas são usados em altas velocidades, o ângulo de contato entre as esferas e as pistas, no plano radial é afetado pela força centrífuga das esferas. E ocorre um movimento de escorregamento entre as esferas e as pistas. O movimento de escorregamento, pode causar danos, como o surgimento de manchas. Para evitar esses danos, os Rolamentos Axiais de Esferas devem ser submetidos a uma determinada carga, acima da carga mínima, através das funções (1) ou (2). Rolamentos Axiais de Esferas de Uma Carreira podem receber carga axial somente em um sentido. De modo que, se houver carga axial nos dois sentidos, devem ser usados Rolamentos Axiais de Escora Dupla, e pré-carregados com uma carga superior à mínima. Em caso de eixo vertical, o peso do eixo muitas vezes supera a carga mínima. Nesse caso, a carga atuante deve ser compensada pela carga externa agindo em sentido contrário. Use o maior resultado de (1) ou (2) Fa mín: Carga axial mínima (N) K: Coeciente axial mínimo ver tabela 4 n: Velocidade de giro (mín -1 ) Coa: básica estática (N) 327

4 Tabela 4. Coeficiente axial mínimo K (10-6 ) Série Código , , , 524 de furo 00 1,03 1, ,26 1, ,56 3, ,84 4, ,42 7, ,19 13,1 20,4 43,8 06 9,36 17,2 33,1 81, ,2 32,8 58, ,4 49,7 97, ,6 57, ,3 66, , , , , , Série Série Código Código O de furo de furo 00 1,55 3 1, ,92 4 3, ,64 5 4, ,30 6 6, ,82 7 7, /2 6,41 8 9, ,51 14,2 9 11,6 06 9,72 28, , ,1 52, , ,1 81, , , , , , , , , , , , , ,

5 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Simples Diâmetro de furo 1050mm Assento plano Assento esférico Disco alinhante 1N=0,102kgf Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento r Assento Assento Disco dinâmica plano esférico alinhante Ca (N) d D T T3 T estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) Lubrificação com graxa Lubrificação com óleo , ,6 13 0, U , ,4 13 0, U , ,3 15 0, U , ,2 15 0, U , ,7 17 0, U , ,7 19 0, U , U , U , ,8 20 0, U , U , U , , U , U , U , , U , U ,2 42 1, U , , U , U ,4 46 1, U , , U ,3 37 1, U ,6 50 1, U

6 D1 d1 Dimensões (mm) D2 D3 S R A Dimensões internas e de raio (mm) da Da1 Da2 ra Massa (kg) Referência Assento plano Assento esférico Disco alinhante Rolamento ,3 0, ,5 22 8, ,6 0,030 0,029 0, ,3 0, , , ,6 0,034 0,033 0, ,3 0, ,6 0,046 0,048 0, ,3 0, ,6 0,053 0,055 0, ,3 0, ,6 0,082 0,080 0, ,6 0, , ,6 0,120 0,125 0, ,180 0,185 0, ,340 0,350 0, ,6 0, , ,6 0,150 0,160 0, ,270 0,270 0, ,530 0,530 0, ,6 0, ,220 0,220 0, , ,390 0,390 0, ,790 0,790 0, ,6 0, , ,270 0,270 0, , ,550 0,570 0, ,14 1,13 1, ,6 0, , ,320 0,320 0, ,690 0,680 0, , ,47 1,50 1, ,6 0, , , ,390 0,380 0, ,00 1,00 1, ,5 1,99 1,97 2,

7 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Simples Diâmetro de furo: 55100mm Assento plano Assento esférico Disco alinhante 1N=0,102kgf Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento r Assento Assento Disco dinâmica plano esférico alinhante Ca (N) d D T T3 T estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) Lubrificação com graxa Lubrificação com óleo , , U ,3 42 1, U ,5 55 1, U U ,3 42 1, U , U , U ,4 43 1, U , U , U ,2 48 1, U , U , U ,1 52 1, U U , U ,6 52 1, U ,2 78 2, U , U ,1 58 1, U , U ,5 42 1, U ,6 59 1, U ,2 88 2, U ,9 45 1, U ,2 64 1, U U

8 D1 d1 Dimensões (mm) D2 D3 S R A Dimensões internas e de raio (mm) da Da1 Da2 ra Massa (kg) Referência Assento plano Assento esférico Disco alinhante Rolamento ,6 0, ,610 0,620 0, , ,34 1,40 1, , ,5 2,64 2,55 3, , , ,690 0,690 0, , ,43 1,45 1, ,5 3,30 3,25 3, , ,770 0,770 0, , , ,57 1,60 1, , ,18 4,17 4, , ,810 0,800 0, ,06 2,15 2, , ,11 4,94 5, , , ,860 0,840 1, ,5 2,68 2,70 3, ,35 6,25 7, , ,950 0,930 1, ,5 2,82 2,85 3, ,97 7,83 9, , ,29 1,29 1, , ,5 3,66 3,65 4, ,30 9,20 10, , , ,77 1,78 2, ,5 3,88 3,84 4, , ,0 10,7 12, , ,36 2,36 2, ,5 5,11 5,12 6, ,5 14,7 14,5 17,

9 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Simples Diâmetro de furo: mm Assento plano Assento esférico Disco alinhante 1N=0,102kgf Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento r Assento Assento Disco dinâmica plano esférico alinhante Ca (N) d D T T3 T estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) Lubrificação com graxa Lubrificação com óleo ,2 45 1, U , U , U ,8 46 1, U ,1 80 2, U , U ,9 53 1, U ,3 86 2, U , U ,6 55 1, U ,9 92 2, U U ,3 60 1, U ,7 92 2, U , U ,7 61 1, U , U , U , ,7 65 1, U , U U , ,2 66 1, U , U , U , , U U

10 D1 d1 Dimensões (mm) D2 D3 S R A Dimensões internas e de raio (mm) da Da1 Da2 ra Massa (kg) Referência Assento plano Assento esférico Disco alinhante Rolamento , ,57 2,53 3, , ,73 7,66 8, ,5 19,8 19,4 22, , ,86 2,76 3, ,6 10,4 12, ,0 24,6 29, , ,5 4,10 4,03 4, ,7 12,6 15, ,4 30,4 36, , ,5 4,47 4,40 5, ,5 15,3 18, ,9 32,9 39, , , ,5 5,74 5,60 7, , ,3 16,0 19, ,6 40,5 48, , ,5 6,64 6,50 8, ,5 21,0 20,5 24, , ,2 49,7 58, , , ,5 8,13 7,89 9, ,5 22,0 21,3 25, ,1 58,1 69, , , ,5 8,69 8,26 10, ,5 28,2 27,0 32, , ,5 68,8 81, , ,7 11,5 14, ,1 35,8 41,

11 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Simples Diâmetro de furo mm Assento plano Assento esférico Disco alinhante 1N=0,102kgf Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento r Assento Assento Disco dinâmica plano esférico alinhante Ca (N) d D T T3 T estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) Lubrificação com graxa Lubrificação com óleo , , U , U , , U , ,6 92 2, U , ,8 93 2, U , , U , U , U , U , U

12 D1 d1 Dimensões (mm) D2 D3 S R A Dimensões internas e de raio (mm) da Da1 Da2 ra Massa (kg) Referência Assento plano Assento esférico Disco alinhante Rolamento , ,2 12,0 14, ,0 43,1 51, , ,5 13,0 16, ,5 7, ,1 22,3 27, ,5 7, ,0 24,0 29, ,5 12, ,0 26,2 32, , ,5 42,3 41,7 49, , ,5 44,7 43,8 52, , ,5 47,6 46,4 56, , ,0 67,7 81,

13 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Simples Série 2900 Diâmetro de furo: 10140mm Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento dinâmica Ca (N) 1N=0,102kgf estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) d D T r Lubrifi cação com graxa , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , Lubrifi cação com óleo 337

14 D1 Dimensões (mm) d1 da Dimensões internas e de raio (mm) Da ra Massa (kg) Referência Rolamento 10, ,6 16,4 0,6 0, , ,6 18,4 0,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 0, , ,6 1, , ,6 1, , ,6 1, , ,6 1, , ,6 1, , ,6 2,

15 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Simples Série 3900 Diâmetro de furo: 25120mm Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento dinâmica Ca (N) 1N=0,102kgf estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) d D T r Lubrifi cação Lubrifi cação com graxa com óleo , , , , , , , , , , , , ,

16 D1 Dimensões (mm) d1 da Dimensões internas e de raio (mm) Da ra Massa (kg) Referência Rolamento 25, ,0 0, , ,0 0, , ,5 48,5 1,0 0, , ,0 0, , ,0 0, , ,0 0, , ,5 73,5 1,0 1, , ,5 1, , ,5 83,5 1,5 1, , ,5 1, , ,5 96,5 1,5 2, , ,5 2, , ,5 3, , ,5 3, , ,5 4, , ,5 5, , ,5 6, , ,5 7, , ,5 147,5 2,5 8, , ,5 10,

17 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Simples Série em Polegadas Série O Diâmetro de furo: 9,525152,400mm Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento dinâmica Ca (N) 1N=0,102kgf estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) d D T r Lubrifi cação Lubrifi cação com graxa com óleo 9,525 25,400 13,494 0,8 O ,700 32,544 15,875 0,8 O ,875 35,719 15,875 0,8 O ,050 38,894 15,875 0,8 O ,225 42,069 15,875 0,8 O ,400 45,244 15,875 1,6 O ,575 48,419 15,875 1,6 O ,750 53,181 18,256 1,6 O ,925 56,356 18,256 1,6 O ,100 59,531 18,256 1,6 O ,275 62,706 18,256 1,6 O ,450 68,262 19,050 1,6 O ,625 71,438 19,050 1,6 O ,800 75,406 19,050 2,4 O ,975 81,756 22,225 2,4 O ,150 84,931 22,225 2,4 O ,325 91,281 25,400 2,4 O ,500 94,456 25,400 2,4 O ,675 97,631 25,400 2,4 O , ,394 25,400 2,4 O , ,569 25,400 2,4 O , ,125 28,575 3,2 O , ,238 31,750 3,2 O , ,588 31,750 3,2 O , ,938 31,750 3,2 O , ,638 34,925 3,2 O , ,688 44,450 4,8 O , ,738 50,800 4,8 O , ,788 55,562 4,8 O , ,662 60,325 4,8 O

18 D1 Dimensões (mm) d1 da Dimensões internas e de raio (mm) Da ra Massa (kg) Referência Rolamento 9,925 24,606 19,1 15,9 0,8 0,036 O ,097 31,750 24,6 20,6 0,8 0,077 O ,272 34,925 27,8 23,8 0,8 0,086 O ,447 38, ,8 0,095 O ,622 41, ,8 0,100 O ,797 44, ,8 0,110 O ,972 47, ,8 0,128 O ,147 52, ,8 0,164 O ,322 55, ,8 0,186 O ,497 58, ,200 O ,672 61, ,210 O ,847 67, ,260 O ,021 70, ,285 O ,594 74, ,300 O ,769 80, ,6 0,405 O ,944 84, ,6 0,450 O ,119 90, ,6 0,590 O ,294 93, ,6 0,610 O ,469 96, ,6 0,660 O , , ,6 0,700 O , , ,6 0,730 O , , ,900 O , , ,30 O , , ,32 O , , ,36 O , , ,88 O , , ,18 O , , ,54 O , , ,90 O , , ,25 O

19 Rolamentos Axiais de Esferas Extra-Pequenos e Miniaturas Tipo TAM Diâmetro de furo: 38mm Dimensões principais (mm) d D T c D1 d1 Identifi cação do Rolamento dinâmica Ca (N) 1N=0,102kgf estática Coa (N) Massa (kg) Referência 3 8 3,5 0,2 3,2 8 3TAM , ,2 4,1 9 4TAM , ,3 5,1 10 5TAM , ,5 0,3 6,2 12 6TAM , ,5 0,3 7,2 14 7TAM , ,3 8,2 16 8TAM ,4 343

20 Rolamentos Axiais de Esferas Extra-Pequenos e Miniaturas Tipo TG (Coberto) Diâmetro de furo: 58mm Dimensões principais (mm) d D T c D1 Dc Identifi cação do Rolamento dinâmica Ca (N) 1N=0,102kgf estática Coa (N) Massa (kg) Referência ,2 0,3 5,1 5,8 5TG , ,7 0,5 6,2 7,2 6TG , ,7 0,5 7,2 8,2 7TG , ,2 0,5 8,2 9,2 8TG ,0 344

21 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Dupla Diâmetro de furo: 1575mm Assento plano Assento esférico Disco alinhante 1N=0,102kgf Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento d d2 D T1 T5 T7 r r1 Assento Assento Disco dinâmica plano esférico alinhante Ca (N) estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) Lubrificação com graxa Lubrificação com óleo ,6 28 0,6 0, U ,4 32 0,6 0, U ,4 36 0,6 0, U , , U , , U ,6 37 0,6 0, U , , U , , U , , U , , U ,1 0, U , , U , U ,4 77 1,1 0, U , , U , , U ,8 86 1,1 0, U , U ,6 70 1,1 0, U ,2 92 1,5 0, U , , U ,6 78 1,1 0, U ,5 0, U , U ,6 78 1,1 0, U ,5 0, U , , U ,8 79 1,1 0, U , U , U ,4 88 1, U , U , U ,2 95 1, U U

22 d3 D1 Dimensões (mm) D2 D3 T2 T6 T8 a b A1 R Dimensões internas e de raio (mm) da Da1 Da2 ra ra1 Assento plano Massa (kg) Referência Assento esférico Disco alinhante Rolamento ,5 14,8 16, , ,6 0,3 0,085 0,090 0, , ,6 0,3 0,150 0,147 0, ,5 19,2 21,5 7 5,5 16, ,6 0,3 0,230 0,241 0, , ,3 0,330 0,340 0, , ,6 0,630 0,650 0, , , ,6 0,3 0,272 0,291 0, ,5 25,1 27, , ,3 0,490 0,495 0, , ,6 1,00 1,00 1, , ,3 0,420 0,431 0, , , ,3 0,710 0,711 0, ,5 38,5 41, , ,6 1,44 1,43 1, ,5 23,8 26, ,6 0,540 0,542 0, , ,5 12 8,5 23, ,6 1,06 1,10 1, , ,6 2,03 2,00 2, , , ,6 0,620 0,617 0, , ,6 1,29 1,28 1, ,5 47,9 51, ,5 23, ,6 2,71 2,76 3, , ,5 30, ,6 0,71 0,697 0, , ,6 1,86 1,92 2, , ,5 0,6 3,56 3,52 4, ,5 29,8 32, , ,6 1,12 1,14 1, ,5 43,8 46, ,5 25, ,6 2,51 2,65 3, , , ,5 22, ,5 0,6 4,70 4,55 5, , ,6 1,25 1,26 1, ,5 42,8 46, ,5 36, ,6 2,68 2,76 3, ,5 0,6 6,33 6,20 7, ,5 30,2 33, , ,6 1,36 1,35 1, , ,5 34, ,6 2,90 2,98 3, , , ,03 8,01 9, ,5 30,3 33, , ,48 1,48 1, , ,90 4,08 4, ,5 69,1 74, ,5 28, ,71 9,50 11, ,5 29,8 33,5 10 9,5 47, ,57 1,53 1, ,5 52,6 56, , ,5 1 4,83 4,93 6, ,5 74,5 80, , ,8 11,6 14,

23 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Dupla Diâmetro de furo: 80170mm Assento plano Assento esférico Disco alinhante 1N=0,102kgf Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento d d2 D T1 T5 T7 r r1 Assento Assento Disco dinâmica plano esférico alinhante Ca (N) estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) Lubrificação com graxa Lubrificação com óleo U ,2 95 1, U , , U , U , , U ,1 1, U , U , , U , ,1 1, U ,8 81 1, U , , U , U ,4 81 1, U , U , ,6 82 1,1 1, U , ,1 1, U , ,8 96 1,5 1, U ,1 1, ,2 99 1,5 1, U ,1 1, , ,5 1, U ,1 1, , ,5 1, U , , ,5 1, U , ,

24 d3 D1 Dimensões (mm) D2 D3 T2 T6 T8 a b A1 R Dimensões internas e de raio (mm) da Da1 Da2 ra ra1 Assento plano Massa (kg) Referência Assento esférico Disco alinhante Rolamento , ,69 1,67 2, ,5 52,1 56, , ,5 1 5,06 5,14 6, ,5 77,7 83, , ,0 13,7 16, ,5 35,6 39, , ,34 2,34 2, , , ,5 1 6,43 6,41 8, , ,5 83,5 89, , ,5 17,3 20, , , ,22 3,25 4, ,5 58,1 62, , ,5 1 6,60 6,62 8, , ,5 86,7 93, ,5 34, ,6 19,1 23, , ,29 4,29 5, , ,5 1 8,90 8,92 10, , ,5 96,5 104, , ,5 1 26,6 26,2 32, , ,68 4,60 5, , , , ,8 13,7 16, , ,5 1 34, ,5 43,3 48, , ,24 5,04 6, , , ,2 16,9 21, , , , , ,5 1 7,72 7,58 9, , , , ,5 52,1 58, , ,5 1 8,93 8,79 11, , , , , ,5 57,8 64, ,5 74, ,5 1 10,6 10,3 13, , , , , , , ,5 1 12,2 11,9 15, ,5 1 37, , , , , ,5 1 15,2 14,7 19, ,5 1 39,

25 Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Dupla Diâmetro de furo: mm Assento plano Assento esférico Disco alinhante 1N=0,102kgf Dimensões principais (mm) Identifi cação do Rolamento d d2 D T1 T5 T7 r r1 Assento Assento Disco dinâmica plano esférico alinhante Ca (N) estática Coa (N) Limite de rotação (min -1 ) Lubrificação com graxa Lubrificação com óleo , , U , U , U , U

26 d3 D1 Dimensões (mm) D2 D3 T2 T6 T8 a b A1 R Dimensões internas e de raio (mm) da Da1 Da2 ra ra1 Assento plano Massa (kg) Referência Assento esférico Disco alinhante Rolamento ,5 61,7 69, ,5 108, ,5 2 16,0 15,2 19, ,5 2 50, , , ,5 70,2 77, , ,6 21,2 26, , , ,5 69,8 78, , ,7 22,3 28, , , ,9 22,9 29,

ROLAMENTOS AXIAIS DE ESFERAS DE ESCORA SIMPLES Com Assento Plano, Assento Esférico ou Contraplaca CONCEPÇÃO, TIPOS E CARACTERÍSTICAS

ROLAMENTOS AXIAIS DE ESFERAS DE ESCORA SIMPLES Com Assento Plano, Assento Esférico ou Contraplaca CONCEPÇÃO, TIPOS E CARACTERÍSTICAS B 206 ROLAMENTOS AXIAIS ROLAMENTOS AXIAIS DE ESFERAS DE ESCORA SIMPLES Assento Plano, Assento Esférico ou Contraplaca ROLAMENTOS AXIAIS DE ESFERAS DE ESCORA DUPLA Assento Plano, Assento Esférico ou Contraplaca

Leia mais

Rolamentos de Esferas de Contato Angular

Rolamentos de Esferas de Contato Angular Rolamentos Esferas Contato Angular Tolerância Página 52 Pré-Carga Página 95 Molo Os Rolamentos Esferas Contato Angular pom suportar cargas combinadas, ação simultânea das cargas radial e axial, porque

Leia mais

Rolamentos de Precisão para Máquinas-Ferramentas

Rolamentos de Precisão para Máquinas-Ferramentas Rolamentos de Precisão para Máquinas-Ferramentas Os rolamentos selecionados para uso em máquinasferramentas requerem um design que assegurem a alta velocidade rotacional e grande precisão. Rolamentos para

Leia mais

Rolamentos Autocompensadores de Esferas

Rolamentos Autocompensadores de Esferas Rolamentos Autocompensadores de Esferas Tolerância Página 52 Folga interna Página 64 Modelo Os Rolamentos Autocompensadores de Esferas são particularmente apropriados para aplicações onde ocorram desalinhamentos

Leia mais

Rolamentos. Diógenes Bitencourt. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre. Page 1

Rolamentos. Diógenes Bitencourt. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre. Page 1 Rolamentos Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Diógenes Bitencourt Page 1 Rolamentos Para que utilizamos os rolamentos? Quando é necessário reduzir o atrito de escorregamento entre a superfície

Leia mais

SNR - Industry. Para um objetivo de duração definida:

SNR - Industry. Para um objetivo de duração definida: Apresentação da SNR Escolha dos rolamentos em função da aplicação Fatores de escolha dos rolamentos: aptidões, famílias Gaiolas Estanqueidades Simbolização Duração de vida Capacidade de carga dinâmica

Leia mais

Rolamentos I. Os rolamentos podem ser de diversos tipos: Tipos e finalidades. Rolamento fixo de uma carreira de esferas

Rolamentos I. Os rolamentos podem ser de diversos tipos: Tipos e finalidades. Rolamento fixo de uma carreira de esferas A UU L AL A Rolamentos I Os rolamentos podem ser de diversos tipos: fixo de uma carreira de esferas, de contato angular de uma carreira de esferas, autocompensador de esferas, de rolo cilíndrico, autocompensador

Leia mais

Rolamentos com uma fileira de esferas de contato radial

Rolamentos com uma fileira de esferas de contato radial Rolamentos com uma fileira de esferas de contato radial Rolamentos com uma fileira de esferas de contato radial 154 Definições e aptidões 154 Séries 154 Variantes 155 Tolerâncias e jogos 155 Elementos

Leia mais

Rolamentos de. agulha/radial tipo pivô C-1

Rolamentos de. agulha/radial tipo pivô C-1 C-1 Agulha Conjunto de rolamentos, constituídos de anéis internos e externos temperados e retificados sob precisão, contendo elementos rolantes tipo agulha com ou sem gaiola. Dependendo da configuração

Leia mais

Caixas SD. VE-001-SD. Copyright FCM 2001

Caixas SD.  VE-001-SD. Copyright FCM 2001 Catálogo Eletrônico VE-001-SD www.fcm.ind.br Caixas SD Copyright FCM 2001 O conteúdo deste catálogo é de propriedade da empresa FCM - Fábrica de Mancais Curitiba Ltda., sendo proibida a reprodução parcial

Leia mais

Folga Axial Diâmetro do fuso (mm) ɸ14,0 ~ ɸ28,0 ɸ30 ~ ɸ32,0 ɸ36 ~ ɸ45,0 ɸ50 Folga axial máxima (mm) 0,10 0,14 0,17 0,20

Folga Axial Diâmetro do fuso (mm) ɸ14,0 ~ ɸ28,0 ɸ30 ~ ɸ32,0 ɸ36 ~ ɸ45,0 ɸ50 Folga axial máxima (mm) 0,10 0,14 0,17 0,20 Fusos de Esferas 1 - Folga Axial: É a medida entre o fuso e a castanha no sentido longitudinal ao eixo. Radial: É a folga entre o fuso e a castanha perpendicular ao eixo do fuso. Folga Axial Diâmetro do

Leia mais

até 350 bar até 60 l/min Válvulas de retenção RVE

até 350 bar até 60 l/min Válvulas de retenção RVE até 350 bar até 60 l/min Válvulas de retenção RVE 1. DESCRIÇÃO 1.1. GENERALIDADES As válvulas de retenção HYDAC tipo RVE pertencem ao grupo de válvulas de bloqueio. São unidades conforme DIN-ISO 1219,

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II. Aula 02 Mancais, Anéis Elásticos e Retentores. Desenho Técnico Mecânico II

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II. Aula 02 Mancais, Anéis Elásticos e Retentores. Desenho Técnico Mecânico II DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II Aula 02 Mancais, Anéis Elásticos e Retentores 1.0. Mancais 1.1. Definição: Mancais são elementos que servem de apoio para eixos girantes, deslizantes ou oscilantes e que suportam

Leia mais

Folga Interna e Pré-carga dos Rolamentos

Folga Interna e Pré-carga dos Rolamentos Folga Interna e Précarga dos Rolamentos. Folga Interna e Précarga dos Rolamentos. Folga interna dos rolamentos A folga interna de um rolamento (folga inicial) é a folga que um rolamento tem antes de ser

Leia mais

s es estáticas O-ring housing details Vedações estáticas

s es estáticas O-ring housing details Vedações estáticas võeõ esta O-ring housing details Vedações estáticas s es estáticas Além dos convencionais anéis toroidais (O-rings) e anéis de secção quadrada (square-rings) a Economos oferece uma série padrão de anéis

Leia mais

Apresentação. Sistema de Recirculação Existem 2 sistemas de recirculação das esferas: Interno e Externo.

Apresentação. Sistema de Recirculação Existem 2 sistemas de recirculação das esferas: Interno e Externo. Apresentação A Bressane indústria Mecânica Ltda., fabrica dois tipos de Fusos de Esferas: Fusos Laminados e Fusos Retificados, com maior precisão de passo e tolerâncias mais apuradas. Realiza serviços

Leia mais

SE E SEL CARACTERÍSTICAS

SE E SEL CARACTERÍSTICAS SE E SEL CARACTERÍSTICAS PB PBL SB SBL SE SEL SD SDL SF SFL ST ENGRENAGENS DE DENTES HELICOIDAIS Mecanismos de redução de primeira linha empregar engrenagens de dentes helicoidais, que fornecem uma taxa

Leia mais

Rolamentos com duas fileiras. de esferas de contato radial 262

Rolamentos com duas fileiras. de esferas de contato radial 262 Rolamentos com duas fileiras de esferas Rolamentos com duas fileiras de esferas de contato radial 262 Definições e aptidões 262 Séries 262 Tolerâncias e jogos 262 Elementos de cálculo 263 Sufixos 263 Características

Leia mais

Precisão do fuso de esferas

Precisão do fuso de esferas Precisão do ângulo de avanço A precisão do fuso de esferas no ângulo de avanço é controlado de acordo com os padrões JIS (JIS B 1192-1997). As classes de precisão C0 a C5 são defi nidas na linearidade

Leia mais

Dados Gerais Sobre Rolamentos

Dados Gerais Sobre Rolamentos Dados Gerais Sobre Rolamentos Dimensões As dimensões principais dos rolamentos são: diâmetro do furo (d), diâmetro externo (D) e largura (B); a largura de montagem (T) e o raio de curvatura do chanfro,

Leia mais

Rolamentos autocompensadores de rolos

Rolamentos autocompensadores de rolos Rolamentos autocompensadores de rolos Rolamentos autocompensadores de rolos 334 Definições e aptidões 334 Séries 335 Variantes 335 Tolerâncias e jogos 338 Elementos de cálculo 343 Elementos de montagem

Leia mais

ROLAMENTOS FIXOS DE ESFERAS

ROLAMENTOS FIXOS DE ESFERAS B 4 ROLAMENTOS FIXOS DE ESFERAS ROLAMENTOS FIXOS DE UMA CARREIRA DE ESFERAS Tipo, Tipo Blindado e Tipo Vedado Tipo Diâmetro do Furo 10-240 mm... B8 Diâmetro do Furo 260-800 mm... B20 ROLAMENTOS DE ESFERAS

Leia mais

Rolamentos de rolos cilíndricos

Rolamentos de rolos cilíndricos Rolamentos de rolos cilíndricos Rolamentos de rolos cilíndricos 292 Definições e aptidões 292 Séries 292 Variantes 293 Tolerâncias e jogos 294 Elementos de cálculo 296 Elementos de montagem 297 Sufixos

Leia mais

Ajuste dos Rolamentos

Ajuste dos Rolamentos Ajuste dos s 7 Ajuste dos s 7. Interferência Para s, o anel interno e o anel externo são fixados sobre os eixos nos alojamentos, de forma que não ocorra movimento relativo entre as superfícies fixadas

Leia mais

Rolamentos de Rolos Cilíndricos

Rolamentos de Rolos Cilíndricos Rolamentos de Rolos Cilíndricos Tolerância Página 52 Folga interna Página 64 axial Página 34 Modelos e Formatos Os Rolamentos de Rolos Cilíndricos NACHI são produzidos em uma larga variedade de projetos

Leia mais

Rolamentos. Rolamentos Autocompensadores de Esferas. Rolamentos Rígidos de Esferas

Rolamentos. Rolamentos Autocompensadores de Esferas. Rolamentos Rígidos de Esferas Rolamentos Desde a invenção da roda as civilizações mais antigas tinham a necessidade de substituir o atrito e o deslizamento provocado pelos contatos que dois materiais causavam. Relatos de que os Romanos

Leia mais

Metrologia Professor: Leonardo Leódido

Metrologia Professor: Leonardo Leódido Metrologia Professor: Leonardo Leódido Sumário Definição Conceitos Básicos Classificação de Forma de Orientação de Posição Definição Tolerância pode ser definida como um intervalo limite no qual as imperfeições

Leia mais

Guia Linear. Tamanho. Curso 07 20. Patins. Características Técnicas Material das guias DIN 58 CrMoV4 Material dos patins DIN 16 MnCr5

Guia Linear. Tamanho. Curso 07 20. Patins. Características Técnicas Material das guias DIN 58 CrMoV4 Material dos patins DIN 16 MnCr5 Guias Lineares - Série GH G H Guia Linear - Guia Linear Tamanho Curso 07 20 Máx. 4000mm 09 25 12 35 Exemplo: GH20-200 15 45 GH35-100 Patins G H P - Guia Linear Tamanho 07 20 09 25 12 35 15 45 Patins ---

Leia mais

Rótulas de aço/aço SKF Explorer. Robustas e praticamente sem necessidade de manutenção para redução de custos e desempenho otimizado

Rótulas de aço/aço SKF Explorer. Robustas e praticamente sem necessidade de manutenção para redução de custos e desempenho otimizado Rótulas de aço/aço SKF Explorer Robustas e praticamente sem necessidade de manutenção para redução de custos e desempenho otimizado SKF EnCompass Field Performance Programme: teoria e realidade Pode-se

Leia mais

ROLAMENTOS - USO FREQUENTE

ROLAMENTOS - USO FREQUENTE PARA MAIOR DETALHE: CONSULTAR CATALOGOS DAS MARCAS, CONSTANTES NESTE SEPARADOR. LINHA APOIO TIMKEN: +351 910 800 900 ROLAMENTOS - USO FREQUENTE Cat 019 - Out 2015 1 / 16 ROLAMENTOS RIGIDOS DE ESFERAS ZZ

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR 028 / MNNE / 2012

TERMO DE REFERÊNCIA TR 028 / MNNE / 2012 TERMO DE REFERÊNCIA TR 028 / MNNE / 2012 AQUISIÇÃO DE MANCAIS E CORREIAS EM V PARA OS AEROPORTOS DE FORTALEZA (SBFZ), PETROLINA (SBPL) E RECIFE / GUARARAPES (SBRF). Recife, Agosto de 2012. TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

seguidores do Rolamentos came B-1

seguidores do Rolamentos came B-1 lamentos B-1 lamentos lamentos de comando e rolos de apoio Conjunto de rolamentos de agulhas, esferas, rolos cônicos ou cilíndricos, que consistem de anéis internos e externos retificados e endurecidos

Leia mais

Exercícios de Mecânica - Área 3

Exercícios de Mecânica - Área 3 1) O bloco de peso 10lb tem uma velocidade inicial de 12 pés/s sobre um plano liso. Uma força F = (3,5t) lb onde t é dado em segundos, age sobre o bloco durante 3s. Determine a velocidade final do bloco

Leia mais

uso externo Nº 2117 1

uso externo Nº 2117 1 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 12 DESENHO 2 - CORPO DA CAIXA DISPOSITIVO PARA LACRE DE SEGURANÇA A B ROSCA M6 x 1 TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x 1,5 C TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x

Leia mais

Fuso de esferas compatível com o padrão DIN (DIN69051)

Fuso de esferas compatível com o padrão DIN (DIN69051) Modelos EBA, EBB, EBC, EPA, EPB e EPC Castanha Eixo parafuso Defletor Fig.1 Fuso de esferas de precisão compatível com o padrão DIN (DIN69051) Diagrama de seleção A Opcionais A Codificação A Precauções

Leia mais

FURADEIRAS COM BASE MAGNÉTICA

FURADEIRAS COM BASE MAGNÉTICA FURADEIRAS COM BASE MAGNÉTICA BASES MAGNÉTICAS BROCAS ANULARES 1 2 Você conhece as brocas A n u l a r e s? 3 Também chamadas de brocas copo ou brocas fresa, possuem enorme capacidade de corte! Devido ao

Leia mais

Suponha que a velocidade de propagação v de uma onda sonora dependa somente da pressão P e da massa específica do meio µ, de acordo com a expressão:

Suponha que a velocidade de propagação v de uma onda sonora dependa somente da pressão P e da massa específica do meio µ, de acordo com a expressão: PROVA DE FÍSICA DO VESTIBULAR 96/97 DO INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA (03/12/96) 1 a Questão: Valor : 1,0 Suponha que a velocidade de propagação v de uma onda sonora dependa somente da pressão P e da

Leia mais

A unidade de freqüência é chamada hertz e simbolizada por Hz: 1 Hz = 1 / s.

A unidade de freqüência é chamada hertz e simbolizada por Hz: 1 Hz = 1 / s. Movimento Circular Uniforme Um movimento circular uniforme (MCU) pode ser associado, com boa aproximação, ao movimento de um planeta ao redor do Sol, num referencial fixo no Sol, ou ao movimento da Lua

Leia mais

Manual ou automática a escolha é sua

Manual ou automática a escolha é sua Válvulas borboleta Manual ou automática a escolha é sua Aplicação A LKB é uma válvula borboleta sanitária acionada manual ou automaticamente para uso em sistemas com tubulações em aço inoxidável. Princípio

Leia mais

Preparativos antes da montagem

Preparativos antes da montagem Preparativos antes da montagem Manter o local da montagem seco e livre de poeira. Observar a limpeza do eixo, alojamento e das ferramentas. Organizar a área de trabalho. Selecionar as ferramentas adequadas

Leia mais

Caixas F500. VE-001-F500. Copyright FCM 2001

Caixas F500.  VE-001-F500. Copyright FCM 2001 Catálogo Eletrônico VE-001-F500 www.fcm.ind.br Caixas F500 Copyright FCM 2001 O conteúdo deste catálogo é de propriedade da empresa FCM - Fábrica de Mancais Curitiba Ltda., sendo proibida a reprodução

Leia mais

GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO GVS

GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO GVS GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS INTRODUÇÃO Os gabinetes de ventilação da linha são equipados com ventiladores de pás curvadas para frente (tipo "sirocco"), de dupla aspiração

Leia mais

Truck Components Eaton Corporation Truck Division Quality Planning & Field Services Boletim de Serviços

Truck Components Eaton Corporation Truck Division Quality Planning & Field Services Boletim de Serviços Fco Aprovado IGL Distribuição: Clientes EATON Objetivo: Esclarecer as diferenças introduzidas pelo novo conjunto sincronizador de 5 a Vel. e Ré. Transmissões envolvidas: transmissões FSO-4405 Alteração:

Leia mais

Dobra/Corte por cisalhamento

Dobra/Corte por cisalhamento Dobra/Corte por cisalhamento Esta publicação aborda o dobramento a frio, e também o corte da chapa antidesgaste Hardox e da chapa de aço estrutural Weldox. Nestes tipos de aços, combinamos elevada resistência

Leia mais

Dimensões 01深溝玉.indd 138 01深溝玉.indd 138 2007/08/22 16:27:39 2007/08/22 16:27:39

Dimensões 01深溝玉.indd 138 01深溝玉.indd 138 2007/08/22 16:27:39 2007/08/22 16:27:39 Dimensões Rolamento Fixo de Esferas Precisão Página 52 Folga interna Página 64 Dimensões de anel de retenção Página 45 Devido à sua versatilidade, o Rolamento Fixo de Esferas de Uma Carreira é o tipo

Leia mais

Turbina eólica: conceitos

Turbina eólica: conceitos Turbina eólica: conceitos Introdução A turbina eólica, ou aerogerador, é uma máquina eólica que absorve parte da potência cinética do vento através de um rotor aerodinâmico, convertendo em potência mecânica

Leia mais

CÓDIGO: DC 1.2/14 REVISÃO: 01 PÁGINA: 1 de 5

CÓDIGO: DC 1.2/14 REVISÃO: 01 PÁGINA: 1 de 5 CÓDIGO: DC 1.2/14 REVISÃO: 01 PÁGINA: 1 de 5 NBR 13966:1997 - Móveis para escritório - Mesas - Classificação e características físicas e dimensionais O Objetivo desta Norma é especificar as características

Leia mais

CATÁLOGO DIGITAL. Empresa Certificada ISO 9001:2000. Coleta Seletiva de Lixo. Prêmio SESI de Qualidade no Trabalho. www.dober.com.

CATÁLOGO DIGITAL. Empresa Certificada ISO 9001:2000. Coleta Seletiva de Lixo. Prêmio SESI de Qualidade no Trabalho. www.dober.com. CATÁLOGO DIGITAL 2009 Empresa Certificada ISO 9001:2000 Prêmio SESI de Qualidade no Trabalho Coleta Seletiva de Lixo www.dober.com.br Índice Grupo 01 - Pinos Elásticos Pesados... Grupo 02 - Pinos Elásticos

Leia mais

Manuseio dos Rolamentos

Manuseio dos Rolamentos Manuseio dos Rolamentos 15. Manuseio dos Rolamentos Os rolamentos são componentes de precisão e para preservar sua exatidão e confiabilidade deve-se tomar cuidado no seu manuseio. Em particular, deve-se

Leia mais

PLANO INCLINADO. a. a aceleração com que o bloco desce o plano; b. a intensidade da reação normal sobre o bloco;

PLANO INCLINADO. a. a aceleração com que o bloco desce o plano; b. a intensidade da reação normal sobre o bloco; PLANO INCLINADO 1. Um corpo de massa m = 10kg está apoiado num plano inclinado de 30 em relação à horizontal, sem atrito, e é abandonado no ponto A, distante 20m do solo. Supondo a aceleração da gravidade

Leia mais

Para cada partícula num pequeno intervalo de tempo t a percorre um arco s i dado por. s i = v i t

Para cada partícula num pequeno intervalo de tempo t a percorre um arco s i dado por. s i = v i t Capítulo 1 Cinemática dos corpos rígidos O movimento de rotação apresenta algumas peculiaridades que precisam ser entendidas. Tem equações horárias, que descrevem o movimento, semelhantes ao movimento

Leia mais

Gamas de produtos. Aplicações especiais. Novidade. SNR - Industry SNR TOPLINE HT 200, HT 200 ZZ HV ZZ FT150, FT 150 ZZ

Gamas de produtos. Aplicações especiais. Novidade. SNR - Industry SNR TOPLINE HT 200, HT 200 ZZ HV ZZ FT150, FT 150 ZZ Apresentação da SNR Escolha dos rolamentos em função da aplicação Fatores de escolha dos rolamentos: aptidões, famílias Gaiolas Estanqueidades Simbolização Duração de vida Capacidade de carga dinâmica

Leia mais

Micrômetros para Medições de Rebordos de Latas

Micrômetros para Medições de Rebordos de Latas Micrômetros para Medições de Rebordos de Latas Série 147 Para controle preciso da profundidade e espessura dos rebordos de latas. 147 103 Profundidade do rebordo (profundidade maior que 5 mm) Exatidão:

Leia mais

Rolamentos II. Para evitar paradas longas na produção, devido. O que verificar durante o funcionamento

Rolamentos II. Para evitar paradas longas na produção, devido. O que verificar durante o funcionamento A UU L AL A Rolamentos II Para evitar paradas longas na produção, devido a problemas de rolamentos, é necessário ter certeza de que alguns desses rolamentos estejam disponíveis para troca. Para isso, é

Leia mais

12. INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNOSE DE DEFEITOS 12-1 ÁRVORE DE MANIVELAS/ BALANCEIRO NX-4 FALCON

12. INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNOSE DE DEFEITOS 12-1 ÁRVORE DE MANIVELAS/ BALANCEIRO NX-4 FALCON NX-4 FALCON 12. ÁRVORE DE MANIVELAS/ BALANCEIRO INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 12-1 DIAGNOSE DE DEFEITOS 12-1 REMOÇÃO DA ÁRVORE DE MANIVELAS 12-2 INSTALAÇÃO DA ÁRVORE DE MANIVELAS 12-5 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO INSTRUÇÕES

Leia mais

A) -5,5i - 4,3j - 8,8k B) -19,5i - 16,7j - 14,9k. 5,3i - 1,2j + 4,3k. 0,5i + 6,0j - 4,5k. 9,5i - 6,1j - 4,0k

A) -5,5i - 4,3j - 8,8k B) -19,5i - 16,7j - 14,9k. 5,3i - 1,2j + 4,3k. 0,5i + 6,0j - 4,5k. 9,5i - 6,1j - 4,0k Page 1 of 13 Exercício 1 Exercício 2 Exercício 3 Exercício 4 Exercício 5 Exercício 6 Exercício 7 Exercício 8 Exercício 9 Exercício 10 Exercício 11 Exercício 12 Exercício 13 Exercício 14 Exercício 15 Exercício

Leia mais

Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A.

Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210-3122 Fax: (021) 240-8249/532-2143

Leia mais

Características do fuso de esferas

Características do fuso de esferas Torque de acionamento de um terço do parafuso deslizante Com o fuso de esferas, esferas rolam entre o eixo parafuso e a castanha para alcançar uma alta eficiência. O torque de acionamento necessário é

Leia mais

Placa de orifício, modelo FLC-OP Flange de orifício, modelo FLC-FL Câmara anular, modelo FLC-AC

Placa de orifício, modelo FLC-OP Flange de orifício, modelo FLC-FL Câmara anular, modelo FLC-AC Medição de vazão Placa de orifício, modelo FLC-OP Flange de orifício, modelo FLC-FL Câmara anular, modelo FLC-AC WIKA folha de dados FL 10.01 Aplicações Geração de energia Produção de óleo e refino Tratamento

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS:

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: HTS ZZ 280 Os rolamentos de esferas HTS ZZ 280 foram projectados com base das dimensões dum rolamento padrão, que seuiam um processo de estabilização, embrocate, joo radial, lubrificante e imaem especial

Leia mais

1.2. Grandezas Fundamentais e Sistemas de Unidades

1.2. Grandezas Fundamentais e Sistemas de Unidades CAPÍTULO 1 Grandezas, Unidades e Dimensões 1.1. Medidas Uma grandeza física é uma propriedade de um corpo, ou particularidade de um fenómeno, susceptível de ser medida, i.e. à qual se pode atribuir um

Leia mais

1ª lei de Newton (Lei da Inércia)

1ª lei de Newton (Lei da Inércia) 1ª lei de Newton (Lei da Inércia) Inércia: Por si só, um corpo não é capaz de alterar o seu estado de repouso ou de movimento rectilíneo e uniforme. A inércia de um corpo é uma medida da oposição que o

Leia mais

TSR 3 Eixos Matriz Única Comando PC (2 servos)

TSR 3 Eixos Matriz Única Comando PC (2 servos) TSR www.dsm.com.br - dsm@dsm.com.br - PABX: (11) 5049-2958 TSR Tipo Movimentos Automáticos Número Máximo de Matrizes Sentido de dobra Software Comando Visualizador 3D Raio Variável Booster Pressão Longitudinal

Leia mais

Os elementos vedantes têm contato com o eixo. Suas aplicações são limitadas em função da velocidade periférica

Os elementos vedantes têm contato com o eixo. Suas aplicações são limitadas em função da velocidade periférica MANCAIS INFORMAÇÕES TÉCNICAS MATERIAIS As Caixas Para Rolamentos SS, podem ser fabricadas em três tipos de materiais: - Ferro fundido Nodular: GGG40 - Ferro fundido Cinzento: GG20 - Aço: SAE 1020 Obs.

Leia mais

Boletim de Serviço BS 24-08-15/001

Boletim de Serviço BS 24-08-15/001 Boletim de Serviço BS 24-08-15/001 Data de Lançamento: 24 / 08 / 2015 Boletim Número: BS 24-08-15/001 Título: Modelos Afetados: Boletim de Berço Acoplamento dos Coxins de Motor Conquest 160, 180, 180 LSA,

Leia mais

Professor: José Junio Lopes

Professor: José Junio Lopes Aula 2 - Tensão/Tensão Normal e de Cisalhamento Média; Tensões Admissíveis. A - Tensão Normal Média 1. Exemplo 1.17 - A luminária de 80 kg é sustentada por duas hastes, AB e BC, como mostra a Figura 1.17a.

Leia mais

Seção 8 Sistemas de lubrificação

Seção 8 Sistemas de lubrificação Seção 8 Sistemas de lubrificação Página IDENTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE RESPIRO DO CÁRTER... 144 MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE RESPIRO DO CÁRTER... 145 Modelos 290000, 300000, 350000, 3510000... 145 Modelo 380000...

Leia mais

I-152A-PORB Acoplamento de Junta de Expansão

I-152A-PORB Acoplamento de Junta de Expansão ADVERTÊNCIA Leia e entenda todas as instruções antes de tentar instalar qualquer produto de tubulação Victaulic. Um profissional treinado deve instalar esses produtos de acordo com todas as instruções.

Leia mais

Um mecânico recém-formado foi admitido

Um mecânico recém-formado foi admitido A U A UL LA Junções III Introdução Um mecânico recém-formado foi admitido para trabalhar numa indústria de máquinas agrícolas. O supervisor o encaminhou à área de montagem de comandos e sistemas hidráulicos.

Leia mais

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 34 Cálculo Estrutural da Fuselagem

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 34 Cálculo Estrutural da Fuselagem Introdução ao Projeto de Aeronaves Aula 34 Cálculo Estrutural da Fuselagem Tópicos Abordados Estrutura da Fuselagem. Projeto da Fuselagem. Estrutura da Fuselagem A fuselagem inclui a cabine de comandos,

Leia mais

Rodas Laminadas para Acabamento Rodas Laminadas para Remoção de Rebarbas Leves Scotch-Brite Industrial

Rodas Laminadas para Acabamento Rodas Laminadas para Remoção de Rebarbas Leves Scotch-Brite Industrial 3 Rodas Laminadas para Acabamento Rodas Laminadas para Remoção de Rebarbas Leves Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Fevereiro/2004 Substitui: Janeiro/2002 Página 1 de 6 Introdução: As Rodas Laminadas

Leia mais

EPS Mancais Industriais Ltda

EPS Mancais Industriais Ltda Série SNH Série SNH 200 Mancal versátil, desenvolvido para trabalho com rolamento autocompensador de esfera séries 1200 e 200 ou autocompensador de rolo séries 22200 e 23200, onde o bloqueio do mesmo é

Leia mais

aplicada no outro bloco exceder o valor calculado na alínea 4.1? R: 16 N; 2 ms -2 ; 1 ms -2

aplicada no outro bloco exceder o valor calculado na alínea 4.1? R: 16 N; 2 ms -2 ; 1 ms -2 Engenharia Electrotécnica e de Computadores Exercícios de Física Ficha 6 Dinâmica do Ponto Material Capítulo 3 no lectivo 2010-2011 Conhecimentos e capacidades a adquirir pelo aluno plicação dos conceitos

Leia mais

ROLAMENTOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá

ROLAMENTOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá ROLAMENTOS Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá INTRODUÇÃO Há evidências que toras de madeira (rodas ou rolos) foram utilizadas pelos nossos ancestrais para mover objetos pesados em 4000 a.c., ou seja,

Leia mais

:: Portfólio 03 LIVRO TEXTO REFÊRENCIA: - Slaides de aulas; - Exercícios em sala de aula; - Tabelas no próprio Portifólio 2.

:: Portfólio 03 LIVRO TEXTO REFÊRENCIA: - Slaides de aulas; - Exercícios em sala de aula; - Tabelas no próprio Portifólio 2. Disciplina PROCESSOS INDUSTRIAIS Portfólio N 03 :: Portfólio 03 OBJETIVO Analise e síntese de textos técnicos ORIENTAÇÕES Leia o texto com calma, grife as principais informações e faça um resumo. O livro

Leia mais

Resistência dos Materiais

Resistência dos Materiais Aula 3 Tensão Admissível, Fator de Segurança e rojeto de Acoplamentos Simples Tópicos Abordados Nesta Aula Tensão Admissível. Fator de Segurança. rojeto de Acoplamentos Simples. Tensão Admissível O engenheiro

Leia mais

Atrito estático e cinético

Atrito estático e cinético Experiência 6 Se tentar empurrar uma caixa que se encontra em repouso no solo, notará que é difícil iniciar o movimento. O atrito estático manifesta-se através de uma força com sentido contrário ao do

Leia mais

Capítulo 4 Cisalhamento

Capítulo 4 Cisalhamento Capítulo 4 Cisalhamento 4.1 Revisão V dm dx 4.2 A fórmula do cisalhamento A fórmula do cisalhamento é usada para encontrar a tensão de cisalhamento na seção transversal. VQ It onde Q yda y' A' A' Q= momento

Leia mais

SUMIDOUROS PAVIMENTO SIFONADOS

SUMIDOUROS PAVIMENTO SIFONADOS Este produto é indicado para aplicação em locais unicamente com tráfego humano.tem tido uma aplicação bem sucedida em locais como hoteis, escolas, casas de banho públicas e balneários. A grelha é fabricada

Leia mais

Série 500. Design robusto com grande capacidade de medida Com saída dados SPC

Série 500. Design robusto com grande capacidade de medida Com saída dados SPC Funções / ABS OFFSET PRESET (dois valores) Série 500 551 201 10 551 231 10 551 204 10 551 206 10 551 207 10 Paquímetros Digitais Especiais ABSOLUTE a bateria seja trocada. Exatidão inalterada até em movimentos

Leia mais

PX - Super Pesado Axial

PX - Super Pesado Axial NM - NYLON MACIÇO Capacidade até 1400kg NM - Nylon Maciço Usinado. Dureza: 70 Shore D. ( 40ºc a +110ºC) Produzidas a partir de tarugos de nylon 6.0. São leves, possuem ótima resistência mecânica, rodam

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO OPERAÇÃO

TORNEIRO MECÂNICO OPERAÇÃO DEFINIÇÃO: TORNEIRO MECÂNICO OPERAÇÃO ABRIR ROSCA MÚLTIPLA (EXTERNA E INTERNA) É abrir rosca na superfície externa ou interna do material, através de um sistema de divisões de avanço da ferramenta, que

Leia mais

Linha Alta Pressão Linha Alta Pressão Utilização Utilização 1 ENTRADA DE ÁGUA 5 1.1 Utilize sempre o filtro de entrada de água. (FIG. 1) 1.2 Conectar a mangueira. Verificar que a vazão mínima de alimentação

Leia mais

Acesse: http://fuvestibular.com.br/

Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Vai uma raspadinha aí? Na aula anterior você aprendeu que existem operações de usinagem na indústria mecânica que, pela quantidade de material a ser retirado, têm que ser necessariamente feitas com o auxílio

Leia mais

Guia de avaliação Bearing Tester. Instrumento para o monitoramento da condição de rolamentos

Guia de avaliação Bearing Tester. Instrumento para o monitoramento da condição de rolamentos Presente em todo movimento Guia de avaliação Bearing Tester. Instrumento para o monitoramento da condição de s Rolamentos. Aço. Componentes de Precisão Lubrificação Retentores Recondicionamento e reparo

Leia mais

Capítulo TRABALHO E ENERGIA

Capítulo TRABALHO E ENERGIA Capítulo 6 TRABALHO E ENERGIA A B C DISCIPLINA DE FÍSICA CAPÍTULO 6 - TRABALHO E ENERGIA 6.1 Um bloco, com 20kg de massa, sobe uma rampa com 15º de inclinação e percorre 55,375 metros até parar. Os coeficientes

Leia mais

Comércio de Grades e Ferragens Ltda. Catálogos de Produtos

Comércio de Grades e Ferragens Ltda. Catálogos de Produtos Comércio de Grades e Ferragens Ltda. Catálogos de Produtos S DE PISO As grades COM são utilizadas largamente em plataformas industriais, passarelas, canaletas, circulares, plataformas circulares, degraus,

Leia mais

PEX - Extra Pesado Axial

PEX - Extra Pesado Axial C - CELERON Capacidade até 0kg C - Celeron. Dureza: 103 Rockwell M. (-30 a +ºC) Fabricadas com composto obtido da combinação de fibras de algodão maceradas impregnadas com resina fenólica, moldado sob

Leia mais

CAIXA DE PILOTAGEM com 2 a 12 válvulas 2/2 normalmente fechadas, de comando directo 1/8

CAIXA DE PILOTAGEM com 2 a 12 válvulas 2/2 normalmente fechadas, de comando directo 1/8 CAIXA DE PILOTAGEM com 2 a 12 válvulas 2/2 normalmente fechadas, de comando directo 1/8 NF OUT IN 2/2 Série 110 APRESENTAÇÃO Caixa de pilotagem compacta, com electroválvulaspiloto de comando directo Especialmente

Leia mais

Difusor de Jato de Ar de Longo Alcance

Difusor de Jato de Ar de Longo Alcance 1/5/P/4 Difusor de Jato de Ar de ongo Alcance Série DUE TROX DO BRASI TDA. Rua Alvarenga, 2025 05509-005 São Paulo SP Fone: (11) 3037-3900 Fax: (11) 3037-3910 E-mail: trox@troxbrasil.com.br www.troxbrasil.com.br

Leia mais

E[M]CONOMY: significa. Design to Cost. EMCOTURN Série E. Tornos CNC para usinagem - de barras de até Ø 95 mm - com placa para peças de até Ø 360mm

E[M]CONOMY: significa. Design to Cost. EMCOTURN Série E. Tornos CNC para usinagem - de barras de até Ø 95 mm - com placa para peças de até Ø 360mm [ E[M]CONOMY: ] significa Design to Cost. EMCOTURN Série E Tornos CNC para usinagem - de barras de até Ø 95 mm - com placa para peças de até Ø 36mm EMCOTURN E65 [Área de trabalho] - ampla área de trabalho

Leia mais

Tema de Física Eletrostática Força elétrica e campo elétrico Prof. Alex S. Vieira

Tema de Física Eletrostática Força elétrica e campo elétrico Prof. Alex S. Vieira Tema de Física Eletrostática Força elétrica e campo elétrico 1) Se, após o contato e posterior separação, F 2 é o módulo da força coulombiana entre X e Y, podese afirmar corretamente que o quociente F

Leia mais

Lista de Exercícios (Profº Ito) Blocos

Lista de Exercícios (Profº Ito) Blocos TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO Constantes físicas necessárias para a solução dos problemas: Aceleração da gravidade: 10 m/s 1. Dois blocos, de massas M e M, estão ligados através de um fio inextensível de

Leia mais

Aula 10 e 11: Engrenagens e conjuntos Engrenagens Conjuntos de engrenagens

Aula 10 e 11: Engrenagens e conjuntos Engrenagens Conjuntos de engrenagens Aula 10 e 11: Engrenagens e conjuntos Engrenagens Conjuntos de engrenagens Quando se fala em variadores e redutores de velocidade, não se pode esquecer de um elemento fundamental desses conjuntos: a engrenagem.

Leia mais

www.grupointerativa.ind.br

www.grupointerativa.ind.br SIMPLES E UPLA AÇÃO www.grupointerativa.ind.br ATUAOR PNEUMÁTICO ATUAORES Tipos de Atuadores upla Ação e Simples Ação - Corpo revestido em epóxi; Actreg, empresa do Grupo - Tampas e corpo em níquel InterAtiva

Leia mais

Aros de Alumínio 8 com seis raios

Aros de Alumínio 8 com seis raios AROS DE ALUMÍNIO 8 - POLEGADAS Os aros de aluminio Mademil, estão disponíveis ao mercado nos tamanhos: 4,6 e 8.Fabricados em alumínio, com alta resistência a corrosão e que proporcionam elevada resistência

Leia mais

Trabalho 2 Dilatação térmica, escalas termométricas, reflexão da luz, espelho plano e esférico

Trabalho 2 Dilatação térmica, escalas termométricas, reflexão da luz, espelho plano e esférico Nome do aluno Turma Nº Questões Disciplina Trimestre Valor da Prova Data Trabalho 2 Dilatação térmica, escalas termométricas, reflexão da luz, espelho plano e esférico 1 - Fuvest 2012 NOTE E ADOTE Coeficiente

Leia mais

LEIS DE NEWTON. a) Qual é a tensão no fio? b) Qual é a velocidade angular da massa? Se for necessário, use: sen 60 = 0,87, cos 60 = 0,5.

LEIS DE NEWTON. a) Qual é a tensão no fio? b) Qual é a velocidade angular da massa? Se for necessário, use: sen 60 = 0,87, cos 60 = 0,5. LEIS DE NEWTON 1. Um pêndulo cônico é formado por um fio de massa desprezível e comprimento L = 1,25 m, que suporta uma massa m = 0,5 kg na sua extremidade inferior. A extremidade superior do fio é presa

Leia mais

Manual de instruções. Rampa de moto 250

Manual de instruções. Rampa de moto 250 Manual de instruções Rampa de moto 250 Apresentação Somos uma empresa voltada no ramo de equipamentos para auto centers e borracharias em geral, contamos com uma linha de funcionários altamente qualificada

Leia mais

Boletim Informativo 066/2011 de 21/02/2013 REV 03

Boletim Informativo 066/2011 de 21/02/2013 REV 03 Boletim Informativo 066/2011 de 21/02/2013 REV 03 PRODUTO: Grampo Pneumático Ø 63mm, com ângulo de abertura regulável A série do Grampo Pneumático é prática, econômica e de fácil aplicação. O Grampo é

Leia mais