Rolamentos. Rolamentos Autocompensadores de Esferas. Rolamentos Rígidos de Esferas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rolamentos. Rolamentos Autocompensadores de Esferas. Rolamentos Rígidos de Esferas"

Transcrição

1 Rolamentos Desde a invenção da roda as civilizações mais antigas tinham a necessidade de substituir o atrito e o deslizamento provocado pelos contatos que dois materiais causavam. Relatos de que os Romanos já utilizavam Rolamentos rudimentares, destinados a suportar e rolar em torno de seu eixo. Estas características aliadas a um preço vantajoso fazem dos rolamentos rígidos de esferas o mais popular de todos os rolamentos. Em um rolamento de esferas, a carga é transmitida da pista externa para a esfera e da esfera para a pista interna. Sendo uma esfera, o único contato com as pistas interna e externa é um ponto muito pequeno, o que propicia uma rotação muito suave. Mas foi no inicio do século XV, que Leonardo da Vinci descobriu o principio do rolamento, que a fricção seria menor se as esferas não se tocassem. Ao longo dos anos várias mudanças ocorreram com o propósito de resolver o problema de atrito, aumentar a velocidade de deslocamento e diminuir a dificuldade, sendo assim, surgiram outros tipos de rolamentos como: Rolamentos Rígidos de Esferas Os rolamentos rígidos de esferas são usados em uma ampla variedade de aplicações. Eles são de construções simples, não separáveis, capazes de operar em altas velocidades e requerem pouca atenção em serviços. Rolamentos Autocompensadores de Esferas Os rolamentos autocompensadores de esferas tem duas carreiras de esferas com uma pista esférica comum no anel externo. Esta ultima característica da ao rolamento a propriedade ao ser auto-alinhável, permitindo desalinhamentos angulares do eixo em relação ao alojamento do rolamento, portanto, são especialmente indicado para aplicações onde podem surgir desalinhamentos por erros de montagem ou por flexão do eixo.

2 Os rolamentos auto compensadores de esferas possuem uma maior capacidade de carga em função do aprimoramento do seu desenho interno. Isto o torna adequados para um maior número de aplicações. Rolamentos de Rolos Cônicos Os rolamentos de rolos cônicos possuem as pistas internas e externas cônicas, entre as quais os rolos cônicos são dispostos. Se estendidas, as superfícies cônicas convergem a uma único ponto no eixo do rolamento. Isto significa que as condições de rolamento são otimizadas. Rolamentos de Esferas de Contato Angular Sua construção torna o rolamentos de rolos cônicos particularmente adequados para suportar cargas combinadas (radial e axial). A capacidade de carga axial dos rolamentos é determinado pelo ângulo de contato, que corresponde ao ângulo da pista do anel externo. Os rolamentos de esferas de contato angular possuem as pistas do anel interno e do anel externo deslocadas entre si na direção do eixo do rolamento. Isto significa que eles são particularmente adequados para suportar cargas combinadas, isto é, cargas axiais e radiais atuando simultaneamente. Quanto maior esse ângulo, maior a capacidade de carga axial. Os rolamentos de rolos cônicos são geral mente separável, isto é, o anel interno com o conjunto de gaiola e rolos formam uma unidade que pode ser montada separadamente do anel externo. A capacidade de carga axial dos rolamentos de esferas de contato angular aumenta quando se aumenta o ângulo de contato. O ângulo de contato é definido como sendo o ângulo entre a linha que une os pontos de contato entre a esfera e as pistas no plano radial (ao longo da qual a carga é transmitida de uma pista para outra) e a linha perpendicular ao eixo do rolamento.

3 Rolamentos de Rolos Cilíndricos Os rolamentos de rolos cilíndricos são fabricados muitos tipos e tamanhos, a maioria sendo rolamentos de uma carreira com gaiola, mas também rolamentos como uma ou duas carreira, com o máximo numero de rolos, e rolamentos de rolos cilíndricos cruzados. Rolamentos Autocompensadores de Rolos Os rolamentos autocompensadores de rolos possuem duas carreiras de rolos com uma pista esférica comum no anel externo. As duas pistas no anel interno são inclinadas formando um ângulo com o eixo do rolamento. Os rolamentos de uma carreira de rolos cilíndricos podem suportar cargas radiais pesadas e permitem altas velocidades de trabalho. Eles são fabricados em diferentes tipos que diferem a configuração da flange. Estes rolamentos são auto-alinhantes e conseqüentemente, insensíveis a erros de alinhamento do eixo. Além das cargas radiais, os rolamentos podem suportar cargas axiais atuando em ambos os sentidos. Os rolamentos dos tipos NU possuem dois flanges integrados no anel interno se m flange, enquanto que o N possui dois flanges integrados no anel interno e anel externo sem flange. Os rolamentos de rolos cilíndricos tipo NJ possuem dois flanges integrados no anel e um no anel interno e podem ser utilizados para fixação axial do eixo somente em um sentido, o NUP também possuem duas flanges integrados no anel externo e o anel interno possui uma flange integrado e um anel flange solto, permitindo que os rolamentos fixem o eixo axial mente em ambos os sentidos. Os rolamentos autocompensadores de rolos possuem um grande número de rolos simétricos, longos e de grade diâmetro e, conseqüentemente, tem alta capacidade de carga. Os rolamentos autocompensadores de rolos são disponíveis com furo cilíndrico ou furo cônico.

4 Rolamentos de Agulhas e Roletes Rolamentos Axiais de Esferas Os rolamentos de agulhas são rolamentos com rolos cilíndricos finos e compridos em relação ao seu diâmetro, que são chamados de agulha. Devido a sua secção transversal reduzida os rolamentos possuem uma elevada capacidade de carga e são adequados para arranjos de rolamentos onde o espaço radial disponível for limitado. As agulhas possuem um perfil ligeiramente aliviado na direção das extremidades. Obtém-se então, uma linha de contato corrigida entre as agulhas e as pistas, evitando-se as prejudicais cargas de canto. Os rolamentos de agulhas são fabricados nos tipos, gaiolas de agulhas, rolamentos de agulhas sem flanges, rolamentos de agulhas com anel externo abaulado, rolamentos combinados de agulha/radial de esferas, rolamentos combinados de agulha/axial de esferas, rolamentos combinados de agulha/axial de rolos cilíndricos. Os rolamentos axiais de esferas deste tipo são adequados para suportar cargas axiais em um sentido e fixar o eixo neste sentido; eles não podem, entretanto ser submetidos a qualquer carga radial. Os rolamentos axiais de esferas de escora simples são compostos de um anel de eixo, uma gaiola axial de esferas e um anel de caixa. O anel de caixa pode ter uma superfície de assento plana ou esférica, de acordo com a necessidade. Os rolamentos axiais de esferas são separáveis e de montagem simples, pois os componentes podem ser montados individualmente. Rolamentos Axiais de Rolos Cilíndricos Os rolamentos axiais de rolos cilíndricos são adequados para arranjos que devam suportar cargas axiais pesadas.

5 Além disso, são resistentes a carga de choque, rígidos e requerem pouco espaço axial. Eles são do tipo de escora simples e podem suportar somente cargas axiais em um sentido. A sua principal utilização é em aplicações onde a capacidade de carga do rolamento axial de esferas é insuficiente. Os rolamentos axiais de rolos cilíndricos são de construção simples e compostos geralmente de um anel de eixo, um anel de caxa, e uma gaiola axial de rolo cilíndricos. Os anéis do rolamentos podem ser dispensados, no caso dos próprios componentes associados da maquina serem adequadas como pista de rolamentos, e quando eles possam ser endurecidos e retificados. O terminal de rotula é uma peça auto-ajustavel, fabricado com anel interno esférico com o mesmo nível de precisão e dureza comparado com rolamentos. Combinando o anel interno esférico com grande durabilidade e deslizante sobre uma superfície polida, o terminal rotulado assegura um movimento rotativo sem folgas e extremamente suave ou um movimento de balanço. Os terminais de rotula como os rolamentos são fabricados em diversos tipos, modelos e medidas conforme cada necessidade. Contra Recuo Também conhecido como rolamento de catraca é fabricado em diversos modelos, medidas e tipos. Sendo a maioria fabricada nas mesmas medidas dos rolamentos da serie 6000 e O contra recuo em geral não substitui rolamentos porque não poder sofrer esforços radiais e ou axiais assim esse mesmo tem que ser montado em conjunto com rolamento. O contra recuo é fabricado com rasgo de chaveta laterais para proporcionarem um melhor travamento no alojamento. Terminais de Rótula O terminal de rotula consiste em uma cabeça arredondada junta a uma haste formando uma caixa onde fica anexo uma rotula padrão. Elas são fabricadas com roscas interna ou externa, macho ou fêmea. Como o seu próprio nome indica, o contra recuo impede todo o movimento de recuo se tornando assim um equipamento de segurança e indispensável no uso de Elevadores de canecas, transportadores de correia, sistema auxiliares de acionamentos, Máquinas têxteis, laminado resebritadores, Máquinas gráficas, compressores, Ventiladores, misturadores de líquidos, bombas centrífugas, etc.

6 Para maiores informações sobre os rolamentos entre em contato com a Sul Importadora e solicite seu orçamento grátis clicando no botão em laranja abaixo! SOLICITE ORÇAMENTO JÁ!

Rolamentos de rolos cilíndricos

Rolamentos de rolos cilíndricos Rolamentos de rolos cilíndricos Rolamentos de rolos cilíndricos 292 Definições e aptidões 292 Séries 292 Variantes 293 Tolerâncias e jogos 294 Elementos de cálculo 296 Elementos de montagem 297 Sufixos

Leia mais

Rolamentos. Diógenes Bitencourt. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre. Page 1

Rolamentos. Diógenes Bitencourt. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre. Page 1 Rolamentos Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Diógenes Bitencourt Page 1 Rolamentos Para que utilizamos os rolamentos? Quando é necessário reduzir o atrito de escorregamento entre a superfície

Leia mais

Rolamentos com duas fileiras. de esferas de contato radial 262

Rolamentos com duas fileiras. de esferas de contato radial 262 Rolamentos com duas fileiras de esferas Rolamentos com duas fileiras de esferas de contato radial 262 Definições e aptidões 262 Séries 262 Tolerâncias e jogos 262 Elementos de cálculo 263 Sufixos 263 Características

Leia mais

ROLAMENTOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá

ROLAMENTOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá ROLAMENTOS Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá INTRODUÇÃO Há evidências que toras de madeira (rodas ou rolos) foram utilizadas pelos nossos ancestrais para mover objetos pesados em 4000 a.c., ou seja,

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo IV Aula 03 Conjuntos O desenho de conjunto representa um grupo de peças montadas tais como: dispositivos, ferramentas, máquinas, motores, equipamentos

Leia mais

Rolamentos Bipartidos de Rolos Cilíndricos

Rolamentos Bipartidos de Rolos Cilíndricos Rolamentos Bipartidos de Rolos Cilíndricos Soluções em desempenho Variedade de mancais Projetados para alto desempenho Suporte padrão com mancal e rolamento completos Mancal tipo flange Mancal esticador

Leia mais

ROLAMENTOS - USO FREQUENTE

ROLAMENTOS - USO FREQUENTE PARA MAIOR DETALHE: CONSULTAR CATALOGOS DAS MARCAS, CONSTANTES NESTE SEPARADOR. LINHA APOIO TIMKEN: +351 910 800 900 ROLAMENTOS - USO FREQUENTE Cat 019 - Out 2015 1 / 16 ROLAMENTOS RIGIDOS DE ESFERAS ZZ

Leia mais

Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo

Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo As buchas ETP são mecanismos de fixação que, apesar de simples, tem tido sua eficiência comprovada através de anos de uso.

Leia mais

Setor Divisão Industrial 160,000 produtos para mais de 55.000 clientes em mais de 60 setores

Setor Divisão Industrial 160,000 produtos para mais de 55.000 clientes em mais de 60 setores Setor Divisão Industrial 160,000 produtos para mais de 55.000 clientes em mais de 60 setores Produtos de consumo Maquinas de produção Transmissãode potencia & tecnología ferroviária Industria pesada Completa

Leia mais

Rolamentos I. Os rolamentos podem ser de diversos tipos: Tipos e finalidades. Rolamento fixo de uma carreira de esferas

Rolamentos I. Os rolamentos podem ser de diversos tipos: Tipos e finalidades. Rolamento fixo de uma carreira de esferas A UU L AL A Rolamentos I Os rolamentos podem ser de diversos tipos: fixo de uma carreira de esferas, de contato angular de uma carreira de esferas, autocompensador de esferas, de rolo cilíndrico, autocompensador

Leia mais

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores A UU L AL A Calibrador Seguindo as diretrizes da empresa para implantar um programa de qualidade e produtividade, um dos funcionários alertou o supervisor sobre a perda de tempo em medir um grande lote

Leia mais

OS ROLAMENTOS BIPARTIDOS IBROL DE ROLOS CILÍNDRICOS AUTOCOMPENSADORES PROPORCIONAM:

OS ROLAMENTOS BIPARTIDOS IBROL DE ROLOS CILÍNDRICOS AUTOCOMPENSADORES PROPORCIONAM: 1 OS ROLAMENTOS BIPARTIDOS IBROL AUTOCOMPENSADORES PROPORCIONAM: Economia de tempo e redução de custo para reposição em locais de acesso restrito: Os rolamentos bipartidos de rolos cilíndricos autocompensadores

Leia mais

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas A U A UL LA Pinos e cupilhas Introdução Até agora você estudou rebites que constituem um dos principais elementos de fixação. Mas existem outros elementos que um mecânico deve conhecer como pinos, cavilhas

Leia mais

Transmissão por correia e polia

Transmissão por correia e polia IFSP - instituto federal Nome: Yan Conrado Curso: automação industrial Período: noite Prontuário: 1310747 Transmissão por correia e polia São elementos de máquina que se movem com um movimento de rotação

Leia mais

Acesse:

Acesse: Segurando as pontas As operações de tornear superfícies cilíndricas ou cônicas, embora simples e bastante comuns, às vezes apresentam algumas dificuldades. É o que acontece, por exemplo, com peças longas

Leia mais

ROLAMENTOS FIXOS DE ESFERAS

ROLAMENTOS FIXOS DE ESFERAS B 4 ROLAMENTOS FIXOS DE ESFERAS ROLAMENTOS FIXOS DE UMA CARREIRA DE ESFERAS Tipo, Tipo Blindado e Tipo Vedado Tipo Diâmetro do Furo 10-240 mm... B8 Diâmetro do Furo 260-800 mm... B20 ROLAMENTOS DE ESFERAS

Leia mais

ROLAMENTOS AXIAIS DE ESFERAS DE ESCORA SIMPLES Com Assento Plano, Assento Esférico ou Contraplaca CONCEPÇÃO, TIPOS E CARACTERÍSTICAS

ROLAMENTOS AXIAIS DE ESFERAS DE ESCORA SIMPLES Com Assento Plano, Assento Esférico ou Contraplaca CONCEPÇÃO, TIPOS E CARACTERÍSTICAS B 206 ROLAMENTOS AXIAIS ROLAMENTOS AXIAIS DE ESFERAS DE ESCORA SIMPLES Assento Plano, Assento Esférico ou Contraplaca ROLAMENTOS AXIAIS DE ESFERAS DE ESCORA DUPLA Assento Plano, Assento Esférico ou Contraplaca

Leia mais

Ventiladores. espirovent VENTILADORES INDUSTRIAIS DUTOS E VENTILADORES INDUSTRIAIS

Ventiladores. espirovent VENTILADORES INDUSTRIAIS DUTOS E VENTILADORES INDUSTRIAIS Ventiladores LIMIT LOAD espirovent uma MARCA do grupo DUTOS E Descricao e Nomenclatura Ventiladores LIMIT LOAD Perspectiva Geral Os ventiladores das series ELSC/ELDC, respectivamente de pás retas inclinadas

Leia mais

Condições ambientais?

Condições ambientais? ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CO (COM CORREIA) 4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX CO são compostos por docisubos simétricos de ferro fundido cinzento, unidos por um jogo de correias planas

Leia mais

Torno Mecânico. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc.

Torno Mecânico. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Torno Mecânico Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. EVOLUÇÃO DOS TORNOS O PRINCIPIO TORNO TIPOS DE TORNOS PARTES FUNDAMENTAIS DO TORNO HORIZONTAL ACESSÓRIOS SISTEMA DE FIXAÇÃO DA FERRAMENTA DE CORTE ANÉIS GRADUADOS

Leia mais

Rolamentos Axiais de Esferas

Rolamentos Axiais de Esferas Rolamentos Axiais de Esferas Tolerância Página 52 Modelo Os Rolamentos Axiais de Esferas são fabricados como rolamentos de escora simples ou de escora dupla. Os Rolamentos Axiais de Esferas de Escora Simples,

Leia mais

A Anatomia de uma Lenda

A Anatomia de uma Lenda As Chaves de Tubo RIDGID são conhecidas mundialmente pela sua robustez e resistência à serviços pesados. A original Chave Heavy Duty RIDGID, apresentada abaixo, ganhou a confiança dos profissionais de

Leia mais

Características do fuso de esferas

Características do fuso de esferas Torque de acionamento de um terço do parafuso deslizante Com o fuso de esferas, esferas rolam entre o eixo parafuso e a castanha para alcançar uma alta eficiência. O torque de acionamento necessário é

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNO MEC. HORIZ. (PONTA E CONTRAPONTA DO TORNO ) DEFINIÇÃO: A ponta e contraponta (fig.1) são utilizadas para apoiar as extremidades do material a ser torneado externamente

Leia mais

RADEX -N Composite Instruções de Operação/Montagem

RADEX -N Composite Instruções de Operação/Montagem 1 de 9 RADEX -N é um acoplamento em aço flexível de lâminas, torcionalmente rígido, capaz de compensar desalinhamentos causados por expansão devido ao calor, por exemplo. Conteúdo 1 Dados técnicos 2 Avisos

Leia mais

Código. Máquina (s) 1 / 15. Pág Descrição. Pré-Secado Rev.

Código. Máquina (s) 1 / 15. Pág Descrição. Pré-Secado Rev. Pré-Secado 080 00 Rev. / 0.600 8 9 0 9 0 0 9 7 8 0 8 0 9 7 6 6 0 8 9 0 9 0 0 9 7 8 0 8 0 9 7 6 6 0 6 8 7 7 0 7 0 8 0 0 6 8 0.600 Rev. / 00 ITEM QTDE. do Produto 0.606 Estrutura 0.608 Sistema de recolhimento

Leia mais

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde.

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde. Moldes Plástico. Na seqüência de desenvolvimento de uma peça injetada, desde o primeiro rascunho até a extração na máquina, o molde de injeção é o último elo, porém não é o menos importante. A precisão

Leia mais

SEM534 Processos de Fabricação Mecânica. Professor - Renato G. Jasinevicius. Aula: Máquina ferramenta- Torno. Torno

SEM534 Processos de Fabricação Mecânica. Professor - Renato G. Jasinevicius. Aula: Máquina ferramenta- Torno. Torno SEM534 Processos de Fabricação Mecânica Professor - Renato G. Jasinevicius Aula: Máquina ferramenta- Torno Torno Torno Existe uma grande variedade de tornos que diferem entre si pelas dimensões, características,

Leia mais

ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Oficina Mecânica para Automação - OMA

ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Oficina Mecânica para Automação - OMA II. AJUSTE & TOLERÂNCIA: Livro recomendado: Tolerâncias, Ajustes, Desvios e Análise de Dimençôes. Autores: Osvaldo Luiz Agostinho; Antonio Carlos dos Santos Rodrigues e Joâo Lirani. Editora Edgard Blucher

Leia mais

Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos

Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos Agosto / 2002 êndice êndice Histórico / Informações Técnicas...03 Buchas de Fixação...04 Buchas de Fixação...05 Buchas de Fixação...06 Buchas de Desmontagem...07

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO DESENHO TÉCNICO MECÂNICO Unidade 3 Roscas e Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Mendes da Silva 1. Engrenagens: Engrenagens são rodas com dentes padronizados que servem para transmitir movimento

Leia mais

VENTILADOR CENTRÍFUGO TIPO PLENUM FAN. Modelo BPF

VENTILADOR CENTRÍFUGO TIPO PLENUM FAN. Modelo BPF VENTILADOR CENTRÍFUGO TIPO PLENUM FAN VENTILADORES Aspectos gerais São produtos de ventilação de ar que podem ser empregados em instalações com ar limpo, contaminado ou carregados de pó. São ventiladores

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo IV Aula 02 Tolerância de forma e posição Símbolos, inscrições e interpretações sobre o desenho (norma ISO R 1101-1969) As tolerâncias de forma

Leia mais

Elementos de Transmissão Correias

Elementos de Transmissão Correias Elementos de Transmissão Correias Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Transmissão por polias e correias Transmissão por polias e correias As polias são peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo

Leia mais

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW As flanges de fixação STW pertencem às uniões por meio de pressão, com a finalidade de unir cubos com eixos lisos. Este tipo de união transmite

Leia mais

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca Rosca Sistema Métrico Normal Fina Machos de roscar Rosca Sistema Whitworth Para Parafusos Normal - BSW Fina - BSF Para Tubos - BASP - BSPT Rosca

Leia mais

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 01

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 01 1 Rolamento industrial, Nº 4202zz 3 Rolamento industrial, rígido de esferas, angular, series 4202zz diam. Int. 15mm; diam. Ext. 35mm; proteção lateral duas blindagens, 2 Rolamento industria, Nº 4203zz

Leia mais

ARTIGOS. Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil

ARTIGOS. Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil fotolia.com ARTIGOS Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil Dr. Ing. Mauro M. de Souza Juliano Savoy Paulo Cesar Sigoli Marcelo A. do C. Silva Elevadas cargas axiais aplicadas

Leia mais

Relógios Apalpadores Instrumentos de medição por comparação que garantem alta qualidade, exatidão e confiabilidade.

Relógios Apalpadores Instrumentos de medição por comparação que garantem alta qualidade, exatidão e confiabilidade. s Apalpadores Instrumentos de medição por comparação que garantem alta qualidade, exatidão e confiabilidade. Série 513 comparador com alavanca iguras das Características Desenvolvido para apalpar superfícies

Leia mais

São quatro categorias básicas de mancais, quanto ao tipo de força de sustentação da carga do eixo, a saber:

São quatro categorias básicas de mancais, quanto ao tipo de força de sustentação da carga do eixo, a saber: 3 Mancais 3.1 Introdução As máquinas rotativas são dotadas de dois elementos básicos, entre outros importantes, para a execução de seu objetivo: rotor e mancais, (que suportam o rotor e os esforços a ele

Leia mais

ACOPLAMENTO ELÁSTICO CR (COM CRUZETA)

ACOPLAMENTO ELÁSTICO CR (COM CRUZETA) ACOPLAMENTO (COM CRUZETA) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos CR são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética

Leia mais

T-802XXX. Carga Minima (Kg) Deflexão / mm

T-802XXX. Carga Minima (Kg) Deflexão / mm 10.17 APOIOS ANTIVIBRÁTEIS T-802XXX Suportes de teto tg & tm geral: As séries TG e TM são concebidas para evitar a transmissão de vibrações de unidades de ar condicionado e de qualquer outro equipamento

Leia mais

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS LINHA ASTM A325 TIPO 1 São fixadores específicos de alta resistência, empregados em ligações parafusadas estruturais e indicados em montagens de maior responsabilidade.

Leia mais

Redutores planetários Alta Precisão Alta Velocidade

Redutores planetários Alta Precisão Alta Velocidade Código de compra SÉRIE AF APEX DYNAMICS BRASIL AF07-00 - S - P / MOTOR Tamanho do redutor Opção de eixo de saída: S: Eixo de saída liso S: Eixo de saída com chaveta Dados do motor: Fabricante e modelo

Leia mais

Caixas SOFN. VE-001-SOFN. Copyright FCM 2001

Caixas SOFN.  VE-001-SOFN. Copyright FCM 2001 Catálogo Eletrônico VE-001-SOFN www.fcm.ind.br Caixas SOFN Copyright FCM 2001 O conteúdo deste catálogo é de propriedade da empresa FCM - Fábrica de Mancais Curitiba Ltda., sendo proibida a reprodução

Leia mais

ATUADORES ROTATIVOS CAPÍTULO 1.3 INTRODUÇÃO PAG. 1.3/02 ATUADOR ROTATIVO, SÉRIE R1 PAG. 1.3/06 ATUADOR ROTATIVO, SÉRIE R2 PAG. 1.

ATUADORES ROTATIVOS CAPÍTULO 1.3 INTRODUÇÃO PAG. 1.3/02 ATUADOR ROTATIVO, SÉRIE R1 PAG. 1.3/06 ATUADOR ROTATIVO, SÉRIE R2 PAG. 1. ATUADORES ROTATIVOS CAPÍTUO.3 INTRODUÇÃO PAG..3/0 ATUADOR ROTATIVO, SÉRIE R PAG..3/06 ATUADOR ROTATIVO, SÉRIE R PAG..3/09 ATUADOR ROTATIVO, SÉRIE R3 PAG..3/3 MESA GIRATÓRIA, SÉRIE R4 PAG..3/8.3/0 P N E

Leia mais

Descritivo Técnico Adaptador Sensor Hall

Descritivo Técnico Adaptador Sensor Hall Folha 1 de 7 Folha 2 de 7 Sumário 1 Descrição geral... 3 2 Funcionamento... 3 2.1 Operação... 3 2.2 Programação, configuração e comunicação... 3 2.3 Descritivo de aplicação... 3 2.4 Exemplo de aplicação...

Leia mais

A tarefa do mecânico era a de vedar válvulas

A tarefa do mecânico era a de vedar válvulas A U A UL LA Junções II Introdução A tarefa do mecânico era a de vedar válvulas com anéis OR. Mas o mecânico ficou em dúvida quanto às dimensões dos anéis. Que fazer? Contou seu problema a um colega mais

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA Órgãos de Máquinas II

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA Órgãos de Máquinas II T.01 SISTEMAS DE TRANSMISSÃO DE MOVIMENTO MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA MECÂNICA Elaborado e revisto por Paulo Flores, José Gomes, Nuno Dourado e Filipe Marques - 2017 Departamento de Engenharia Mecânica

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica. Eixos e árvores

Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica. Eixos e árvores Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica Eixos e árvores Introdução 1.1 Conceitos fundamentais 1.2 Considerações sobre fabricação 1.3 Considerações sobre projeto

Leia mais

Mancal monobloco de rolamentos autocompensadores de rolos Timken

Mancal monobloco de rolamentos autocompensadores de rolos Timken Mancal monobloco de rolamentos autocompensadores de rolos Timken A ESCOLHA ROBUSTA As operações industriais atuais dependem de mancais para se manterem em movimento particularmente em condições exigentes

Leia mais

Instruções para Implementadores

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Curitiba, Brazil Instruções para Implementadores Data Grupo Edição Pág. 12.05 95 01 1(8) Instalações, Veículo Rígido Árvore de transmissão VM BRA19385 20 045192 Portuguese/Brazil

Leia mais

A AMARRAÇÃO. Alguns conselhos R. Tipos de amarração R BIZART

A AMARRAÇÃO. Alguns conselhos R. Tipos de amarração R BIZART 7 A AMARRAÇÃO Alguns conselhos R Tipos de amarração R Fevereiro 2012 BIZART A amarração Se uma carga não for amarrada de forma adequada, poderá constituir um perigo para si e para terceiros. Uma carga

Leia mais

Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico

Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico Engenharia de Aplicação BGL Vídeo 05: MONTAGEM de BUCHA DE FIXAÇÃO HIDRÁULICA sob ROLAMENTO Veja o passo-a-passo

Leia mais

FEPI , Page 1 Tecnologia Mecânica II

FEPI , Page 1 Tecnologia Mecânica II 28.09.2009, Page 1 APLAINAMENTO O Aplainamento consiste em obter superfícies planas em posição horizontal, vertical ou inclinada. A ferramenta utilizada tem apenas uma aresta cortante que retira o sobremetal

Leia mais

ACOPLAMENTO MC (ENGRENAGEM)

ACOPLAMENTO MC (ENGRENAGEM) ACOPLAMENTO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX MC são compostos por dois cubos simétricos de aço SAE 1020, e um elemento alojado entre eles de nylon com e elevada resistência. Esta configuração

Leia mais

5º Seminário de Trefilação

5º Seminário de Trefilação 5º Seminário de Trefilação 2014 Problemas em processos de trefilação de ferrosos e não ferrosos - defeitos e causas Vibração e ondulação em arames trefilados em alta velocidade Marcelo Stahlschmidt DESBALANCEAMENTO

Leia mais

Introdução. elementos de apoio

Introdução. elementos de apoio Introdução aos elementos de apoio A UU L AL A Esta aula - Introdução aos elementos de apoio - inicia a segunda parte deste primeiro livro que compõe o módulo Elementos de máquinas. De modo geral, os elementos

Leia mais

Classificação e Características dos Rolamentos

Classificação e Características dos Rolamentos Classificação e Características dos 1. Classificação e Características dos 1.1 dos rolamentos A maioria dos rolamentos é constituída de anéis com pistas (um anel e um anel ), corpos rolantes (tanto esferas

Leia mais

Preparativos Antes da Montagem

Preparativos Antes da Montagem Preparativos Antes da Montagem Manter o local da montagem seco e livre de poeira. Observar a limpeza do eixo, alojamento e das ferramentas. Organizar a área de trabalho. Selecionar as ferramentas adequadas

Leia mais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais Seleção do 2. Seleção do Os s e de estão disponíveis numa variedade de tipos, formas e dimensões. Quando se faz a correta seleção do para a sua aplicação, é importante considerar diversos fatores, e analisar

Leia mais

FRESADORA. Equipe: Bruno, Desyrêe, Guilherme, Luana

FRESADORA. Equipe: Bruno, Desyrêe, Guilherme, Luana FRESADORA Equipe: Bruno, Desyrêe, Guilherme, Luana O que é: Máquina que possui movimento de rotação e que permite movimentar a peça em 3 ou mais eixos. (lineares ou giratórios). Máquina para execução facilitada

Leia mais

UNIRONS. Esteiras Série E38AA

UNIRONS. Esteiras Série E38AA UNIRONS Esteiras Série E38AA Série E38AA: As esteiras da série E38AA foram desenvolvidas para aplicações onde há abrasão, principalmente na limpeza de produtos oriundos da lavoura, com terra, como tomate

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA (APOIO, ELÁSTICO E VEDAÇÃO) Notas de Aulas v.2015 ELEMENTOS DE APOIO BUCHAS Radial Axial Cônica ELEMENTOS DE APOIO BUCHAS ELEMENTOS DE

Leia mais

Atuadores Pneumáticos Lineares

Atuadores Pneumáticos Lineares UNIFEI Sistemas Hidropneumáticos I Pneumática 02 Atuadores Pneumáticos Lineares EME-26/EME610 Aula 08 03-11-2009 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Introdução Atuadores pneumáticos incluem cilindros

Leia mais

Competência em Limas Rotativas. Desempenho e soluções individuais são nossos requisitos.

Competência em Limas Rotativas. Desempenho e soluções individuais são nossos requisitos. Competência em Limas Rotativas Desempenho e soluções individuais são nossos requisitos. Competência Quando a experiência e o conhecimento prático se encontram, surgem soluções de alta capacidade. Em cada

Leia mais

Recursos da guia linear

Recursos da guia linear Funções necessárias para a superfície da guia linear Alta carga permitida Altamente rígido em todas as direções Alta repetibilidade de posicionamento Precisão de operação obtida facilmente Alta precisão

Leia mais

Carrosséis - Inclinado (friction drive)

Carrosséis - Inclinado (friction drive) Carrosséis - Inclinado (friction drive) Introdução Os carrosséis inclinados são projetados para recircular a bagagem de forma contínua e pode ser usado como loop de carrossel de embarque ou de restituição

Leia mais

Conteúdo. Resistência dos Materiais. Prof. Peterson Jaeger. 3. Concentração de tensões de tração. APOSTILA Versão 2013

Conteúdo. Resistência dos Materiais. Prof. Peterson Jaeger. 3. Concentração de tensões de tração. APOSTILA Versão 2013 Resistência dos Materiais APOSTILA Versão 2013 Prof. Peterson Jaeger Conteúdo 1. Propriedades mecânicas dos materiais 2. Deformação 3. Concentração de tensões de tração 4. Torção 1 A resistência de um

Leia mais

SOLUÇÕES EM TRANSMISSÃO

SOLUÇÕES EM TRANSMISSÃO SOLUÇÕES EM TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA RINGFEDER CORPORATION CONEXÕES DE EIXO/CUBO SEM CHAVETA Modêlo RFN 7012 Os dispositivos Locking Assemblies originais Ringfeder promovem a fixação mecânica de fácil ajuste

Leia mais

Nova tecnologia em fresamento Soluções em Fresamento

Nova tecnologia em fresamento Soluções em Fresamento Fresamento Dupla face, Inserto de 6 arestas, cabeçote 90 com baixo esforço de corte Nova tecnologia em fresamento Soluções em Fresamento 6 vantagens competitivas para alta eficiência em fresamento Maior

Leia mais

Suporte de Relógio com Alicate de Pressão

Suporte de Relógio com Alicate de Pressão Suporte de Relógio com Alicate de Pressão Exemplo de aplicação Sistema articulado para s comparadores e apalpadores com fixação por alicate de pressão em locais de difícil acesso. Permite fixação em locais

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNO MEC. HORIZONTAL (NOMENCL./CARACT./ACESSÓRIOS) DEFINIÇÃO: É a máquina-ferramenta usada para trabalhos de torneamento, principalmente de metais que, através da realização

Leia mais

ROCCO UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS

ROCCO UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS VEN NTILADOR RES SIR ROCCO UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA VENTILADORES SIROCCO Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: ESSC 560 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação

Leia mais

A Juncor têm ao seu dispor uma gama extensa de roletes que vai de encontro ás suas necessidades e aplicações, nos mais diversos parâmetros, desde

A Juncor têm ao seu dispor uma gama extensa de roletes que vai de encontro ás suas necessidades e aplicações, nos mais diversos parâmetros, desde A Juncor têm ao seu dispor uma gama extensa de roletes que vai de encontro ás suas necessidades e aplicações, nos mais diversos parâmetros, desde dimensões á qualidade com que é produzido o rolete. Os

Leia mais

Fátima Pais. Movimento e Mecanismos. Operadores mecânicos. Educação Tecnológica

Fátima Pais. Movimento e Mecanismos. Operadores mecânicos. Educação Tecnológica Fátima Pais Movimento e Mecanismos Operadores mecânicos Roda e eixo A roda é considerada a maior invenção de sempre. É um dispositivo cilíndrico que gira em torno de um eixo, facilitando o deslocamentos

Leia mais

ROLAMENTOS AUTOCOMP- ENSADORES DE ROLOS TIMKEN

ROLAMENTOS AUTOCOMP- ENSADORES DE ROLOS TIMKEN ROLAMENTOS AUTOCOMP- ENSADORES DE ROLOS TIMKEN Inspirado pelo rolamento de rolos cônicos Timken líder do segmento, o novo rolamento autocompensador de rolos Timken ajuda os fabricantes e os usuários finais

Leia mais

Bomba de engrenamento externo Tipo AZPF

Bomba de engrenamento externo Tipo AZPF P 10 01D/0.02 Substitui : 02.02 Edição rasil: 09.0 omba de engrenamento externo Tipo AZPF s nominais até Pressão máxima 20 bar (conforme TN) Volume de recalque até 22,9 cm Descrição de funcionamento, cortes

Leia mais

MANUTENÇÃO BÁSICA VALE A PENA! SOLUÇÕES PARA PROBLEMAS DE CORTE ÍNDICE DE CONTEÚDOS G U I A PA R A S E R R A S D E F I TA

MANUTENÇÃO BÁSICA VALE A PENA! SOLUÇÕES PARA PROBLEMAS DE CORTE ÍNDICE DE CONTEÚDOS G U I A PA R A S E R R A S D E F I TA MANUTENÇÃO BÁSICA VALE A PENA! São necessárias manutenções periódicas nas máquinas de serras de fita para manter um corte apropriado e eficiente, para as superligas atuais, isto é mais importante do que

Leia mais

MÁQUINA REBITADEIRA MR18

MÁQUINA REBITADEIRA MR18 ÍNDICE Pag. Características Técnicas... 02 Informações Gerais... 03 Informações de Segurança... 03 Roteiro para Solicitação de Peças... 03 Regulagem de Corte e Pressão do Ilhós... 04 Visão Geral... 05

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Curso de Engenharia de Produção Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Mancais: São elementos de máquinas que suportam eixo girante, deslizante ou oscilante. São classificados em mancais de: Deslizamento

Leia mais

Novos produtos. Fabrico de ferramentas de estampagem Sistema de guiamento para ferramentas modulares. Sistema de guiamento compacto

Novos produtos. Fabrico de ferramentas de estampagem Sistema de guiamento para ferramentas modulares. Sistema de guiamento compacto Novos produtos Fabrico de ferramentas de estampagem 2014 CD 5.8.3.1 Catálogo em e lin Catálogo on Ampliámos novamente a nossa gama de produtos, indo de encontro às suas necessidades e sugestões. Desta

Leia mais

Catálogo de. Peças RT 630

Catálogo de. Peças RT 630 Catálogo de Cuidados Importantes...0 Manutenção periódica...0 Diagnóstico de Falhas... Dimensões... Dados técnicos... Diagrama do Sistema de Transmissão... Peças Eixo de entrada... Eixo de transmissão...

Leia mais

Desenho Técnico Moderno

Desenho Técnico Moderno TOLERANCIAMENTO Desenho Técnico GEOMÉTRICO Moderno Toleranciamento Geométrico OBJECTIVOS Identificar os símbolos geométricos e aplicá-los convenientemente no toleranciamento das peças. Compreender as vantagens

Leia mais

ACOPLAMENTOS DE SEGURANÇA

ACOPLAMENTOS DE SEGURANÇA ACOPLAMENTOS DE SEGURANÇA Série SE ÍNDICE Aplicação 3 Qualidade e produção 3 Projeto e características 3 Seleção de tamanho 4-5 Dispositivo de Segurança Tipo SE 6 Acoplamento de engrenagem com dispositivos

Leia mais

Desenho Técnico. Cortes, seções, encurtamento e omissão de corte. Caderno de Exercícios Desenho Técnico 1

Desenho Técnico. Cortes, seções, encurtamento e omissão de corte. Caderno de Exercícios Desenho Técnico 1 Desenho Técnico 2 Cortes, seções, encurtamento e omissão de corte CORTES Em desenho técnico, o corte de uma peça é sempre imaginário. Ele permite ver as partes internas da peça. Na projeção em corte, a

Leia mais

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba E Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase Diego Rafael Alba 1 Conceitos VEDAÇÃO: Processo usado para impedir a passagem, de maneira estática ou dinâmica, de líquidos, gases e sólidos particulados (pó)

Leia mais

PINÇAS CAPÍTULO 1.2 INTRODUÇÃO PAG. 1.2/02 PINÇA COM DUAS GARRAS PARALELAS, SÉRIE P1 PAG. 1.2/12 PINÇA COM DUAS GARRAS PARALELAS, SÉRIE P2 PAG. 1.

PINÇAS CAPÍTULO 1.2 INTRODUÇÃO PAG. 1.2/02 PINÇA COM DUAS GARRAS PARALELAS, SÉRIE P1 PAG. 1.2/12 PINÇA COM DUAS GARRAS PARALELAS, SÉRIE P2 PAG. 1. PIÇAS CAPÍTULO.2 ITRODUÇÃO PAG..2/02 PIÇA COM DUAS GARRAS PARALELAS, SÉRIE P PAG..2/2 PIÇA COM DUAS GARRAS PARALELAS, SÉRIE P2 PAG..2/4 PIÇA DE PRECISÃO COM DUAS GARRAS PARALELAS, SÉRIE P3 PAG..2/7 PIÇA

Leia mais

Considerando a variação temporal do momento angular de um corpo rígido que gira ao redor de um eixo fixo, temos:

Considerando a variação temporal do momento angular de um corpo rígido que gira ao redor de um eixo fixo, temos: Segunda Lei de Newton para Rotações Considerando a variação temporal do momento angular de um corpo rígido que gira ao redor de um eixo fixo, temos: L t = I ω t e como L/ t = τ EXT e ω/ t = α, em que α

Leia mais

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO APRESENTAÇÃO EMPRESA A UBM Usinagem mantém o firme propósito de proporcionar aos seus clientes

Leia mais

EPS Mancais Industriais Ltda

EPS Mancais Industriais Ltda Série SNH Série SNH 200 Mancal versátil, desenvolvido para trabalho com rolamento autocompensador de esfera séries 1200 e 200 ou autocompensador de rolo séries 22200 e 23200, onde o bloqueio do mesmo é

Leia mais

ABRAÇADEIRA CRON ABRAÇADEIRA FLEXIL

ABRAÇADEIRA CRON ABRAÇADEIRA FLEXIL ABRAÇADEIRA CRON As abraçadeiras da linha CRON são recomendadas para uso em mangueiras de material semi-rígido por possuir alta capacidade de aperto e também em materiais macios por não possuir perfurações

Leia mais

Fresamento NOMENCLATURA. Haste Ângulo da Hélice Canal Diâmetro Externo Comprimento de Corte Comprimento Total A B C D E F

Fresamento NOMENCLATURA. Haste Ângulo da Hélice Canal Diâmetro Externo Comprimento de Corte Comprimento Total A B C D E F NOMENCLATURA A B C D E F Haste Ângulo da Hélice Canal Diâmetro Externo Comprimento de Corte Comprimento Total 1 Gash - Rebaixamento 2 Ângulo de alívio primário 3 Ângulo de alívio secundário 4 Dorso 5 Aresta

Leia mais

NOVA LINHA DE ACESSÓRIOS TROMINK

NOVA LINHA DE ACESSÓRIOS TROMINK NOVA LINHA DE ACESSÓRIOS TROMINK Por: Equipe Comercial e Engenharia Tromink Data: Fevereiro / 2016 OBJETIVO PRINCIPAL: A Tromink, pensando no futuro dos fluxos de armazenagem e na sua gama de clientes

Leia mais

SNR - Industry. Para um objetivo de duração definida:

SNR - Industry. Para um objetivo de duração definida: Apresentação da SNR Escolha dos rolamentos em função da aplicação Fatores de escolha dos rolamentos: aptidões, famílias Gaiolas Estanqueidades Simbolização Duração de vida Capacidade de carga dinâmica

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 09 EQUILIBRIO DE CORPOS EXTENSOS

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 09 EQUILIBRIO DE CORPOS EXTENSOS FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 09 EQUILIBRIO DE CORPOS EXTENSOS F Rotação 0 F Como pode cair no enem? (ENEM) Um portão está fixo em um muro por duas dobradiças A e B, conforme mostra a figura, sendo P o peso

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I. Aula 06 Cotas, Símbolos. Desenho Técnico Mecânico I

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I. Aula 06 Cotas, Símbolos. Desenho Técnico Mecânico I DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Aula 06 Cotas, Símbolos 1. COTAGEM COTAGEM é a indicação das medidas das peças em seu desenho. Ao cotar você deve tentar imaginar se com as medidas representadas será possível

Leia mais

SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO LTDA-ME L IN H A P R O F I S S I O N A L

SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO LTDA-ME L IN H A P R O F I S S I O N A L SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO LTDA-ME L IN H A P R O F I S S I O N A L ÍNDICE Linha de Escovas Página Escovas Circulares de arames Ondulados 03 ref. 7000 Escovas Circulares de arames Trançados 04 ref. 7010

Leia mais

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Prof.: Carlos

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Prof.: Carlos Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Campos de Presidente Epitácio LIDIANE FERREIRA Trabalho apresentado na disciplina de Elementos de Maquinas do Curso de Automação Industrial 3º módulo

Leia mais