Virtualização de Servidores. Adirlhey Assis Marcus Vinicius Coimbra

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Virtualização de Servidores. Adirlhey Assis Marcus Vinicius Coimbra"

Transcrição

1 Virtualização de Servidores Adirlhey Assis Marcus Vinicius Coimbra

2 Curriculum Autor: Marcus Coimbra Graduado em Informática, possui MBA em e-commerce e MIT em Governança de TI, atua na área a 25 anos, trabalhou em diversos segmentos da economia industrial, setor financeiro e serviços.

3 O que é Virtualização? Virtualização é uma técnica que permite compartilhar e utilizar recursos de um único sistema computacional em vários outros denominados de máquinas virtuais. Cada máquina virtual oferece um sistema computacional completo muito similar a uma máquina física. Com isso, cada máquina virtual pode ter seu próprio sistema operacional, aplicativos e oferecer serviços de rede. É possível ainda interconectar (virtualmente) cada uma dessas máquinas através de interfaces de rede, switches, roteadores e firewalls virtuais.

4 Por que utilizar virtualização de servidores? Dificilmente um computador dedicado é exigido em seu potencial máximo, sempre possui uma quantidade ociosa de processamento, mas mesmo assim continua gastando a mesma quantidade energia. Com a utilização da virtualização otimizamos o uso do hardware, ou seja mais máquinas com menos energia, switches, cabos e CPU s tudo isso aliado a um melhor gerenciamento.

5 Quais os motivos levaram o Grupo Águas do Brasil a utilizar a Virtualização de Servidores?

6 Ferramentas de Mercado Microsoft Hyper-V Server 2008 R2 VMware

7 Ferramentas escolhidas pelo Grupo Águas do Brasil VMWare ESXi versão FREE Utilizado para o antispam e antivírus Xenserver 5.6 versão FREE Utilizado para os demais serviços

8 Alguns Números Consumo mensal de 1 servidor 626,4 Kw/mês = R$ 219,40 Consumo mensal para 20 servidores kw/mês = R$ 4.384,80 Utilizando a virtualização 2505,6 kw/mês = R$ 876,96 Economia mensal de R$ 3.507,84 Como todos os nossos serviços são redundantes o valor deverá ser duplicado: R$8.769,60 contra R$1.753,92 resultando em uma economia de R$ 7.015,68 ao mês.

9 Algumas vantagens Segurança:as VM s(virtual machines) são isoladas e independentes umas das outras. Redução de custos:necessita-se de menos hardware (menos dispositivos físicos, como computadores, switches etc.) para gerenciar uma rede. Redução do consumo de energia:devido a redução na quantidade de dispositivos. Melhor aproveitamento do espaço físico:com menos máquinas a necessidade de espaço diminui. Melhor aproveitamento do hardware:com o compartilhamento de hardware entre as VM snuma mesma máquina, reduz-se a ociosidade do mesmo. Possibilidade de simular redes de computadores com menor demanda de hardware.

10 Algumas vantagens Possibilidade de utilizar de SO s (sistemas operacionais) que não possuam compatibilidade com o hardware sobre o mesmo: caso o software gerenciador de máquinas virtuais seja compatível com esse hardware e possibilite a emulação do mesmo para um SO incompatível Facilidade ao migrar ambientes: evita reinstalação e reconfiguração dos sistemas a serem migrados Utilização de uma VM como ambiente de desenvolvimento: possibilita testes em SO s distintos e, por prover um ambiente isolado, evita que falhas na configuração e/ou execução, ou até mesmo vírus, danifiquem o hardware da máquina. Racionalização da manutenção: Reduzindo o número de servidores físicos é possível cortar gastos de manutenção do hardware de forma relevante

11 Desvantagens Devemos sempre nos atentar às limitações de hardware da virtualização, pois o processamento, a capacidade de armazenamento da memória virtual e o espaço em disco da máquina são compartilhados pelos ambientes virtuais, podendo o hardware vir a se tornar o gargalo da virtualização. Não podemos simplesmente criar quantas máquinas virtuais quisermos e não termos perda de performance significativo. Devemos sempre dosar o compartilhamento com cautela. Não é recomendável para Banco de Dados.

12 Administração Centralizada

13 Administração Centralizada

14 Próximos Passos Com a virtualização de servidores consolidada, o próximo passo será a virtualização de desktops e a criação da nuvem corporativa.

15 Obrigado!

Virtualização: o caminho para usar os recursos computacionais de forma inteligente

Virtualização: o caminho para usar os recursos computacionais de forma inteligente Virtualização: o caminho para usar os recursos computacionais de forma inteligente 26 de Agosto de 2015 Belo Horizonte - MG Fabrício Roulin Bittencout Bom dia a todos! Sejam bem-vindos! Apresentação Doutorando

Leia mais

Introdução aos Sistemas Operacionais

Introdução aos Sistemas Operacionais Introdução aos Sistemas Operacionais Prof. M.e Helber Wagner da Silva helber.silva@ifrn.edu.br Maio de 2014 Roteiro Introdução Estrutura e Funções do Sistema Operacional Sistemas Operacionais existentes

Leia mais

SeTIC - Infraestrutura e Serviços e Sistemas de TIC. Visão Geral. Novembro/2015. Visão Geral

SeTIC - Infraestrutura e Serviços e Sistemas de TIC. Visão Geral. Novembro/2015. Visão Geral SeTIC - Infraestrutura e Serviços e Sistemas de TIC Novembro/2015 SeTIC Infraestrutura, Serviços e Sistemas de TIC Missão: Planejar, pesquisar, aplicar e desenvolver produtos e serviços de tecnologia da

Leia mais

Economia de Recursos de TI - Tratamento de Arquivos de Imagem (JPG - BMP - PNG - TIFF)

Economia de Recursos de TI - Tratamento de Arquivos de Imagem (JPG - BMP - PNG - TIFF) Economia de Recursos de TI - Tratamento de Arquivos de Imagem (JPG - BMP - PNG - TIFF) Naziro Hamed de Assis R-DSI (Divisão de Suporte e Infraestrutura) Romik Polgliane de Souza Oportunidade Percebida

Leia mais

Elementos básico de uma rede Samba - Local Master Browser

Elementos básico de uma rede Samba - Local Master Browser Servidor Samba Linux Samba é o protocolo responsável pela integração de máquinas Linux com Windows, permitindo assim a criação de redes mistas utilizando servidores Linux e clientes Windows. Samba, é uma

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA: TERMINOLOGIA BÁSICA RAÍ ALVES TAMARINDO RAI.TAMARINDO@UNIVASF.EDU.BR

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA: TERMINOLOGIA BÁSICA RAÍ ALVES TAMARINDO RAI.TAMARINDO@UNIVASF.EDU.BR INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA: TERMINOLOGIA BÁSICA RAÍ ALVES TAMARINDO RAI.TAMARINDO@UNIVASF.EDU.BR SOFTWARE Dados: informações guardadas no computador. Instruções: Comando que define uma operação a ser executada.

Leia mais

Banco de Dados para Redes. Cassio Diego cassiodiego.com

Banco de Dados para Redes. Cassio Diego cassiodiego.com Banco de Dados para Redes Cassio Diego cassiodiego.com 1 Agenda 10/11 - Unidade 5 + Exercícios; 17/11 - Revisão; 24/11 - AV2; 01/12 - AV3. 2 Aula de hoje UNIDADE 5: ESTRUTURA DE ARMAZENAMENTO DE BANCO

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS MÓDULO 4

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS MÓDULO 4 FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS MÓDULO 4 Índice 1. Evolução dos Sistemas Operacionais Continuação...3 1.1. Década de 70... 3 1.2. Década de 80... 4 2 1. EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS OPERACIONAIS CONTINUAÇÃO

Leia mais

Técnico em Radiologia. Prof.: Edson Wanderley

Técnico em Radiologia. Prof.: Edson Wanderley Técnico em Radiologia Prof.: Edson Wanderley Rede de Computadores Modelo Mainframe Terminal Computador de grande porte centralizado; Os recursos do computador central, denominada mainframe são compartilhadas

Leia mais

Proposta Comercial CloudFlex

Proposta Comercial CloudFlex Transformando o mundo através da TI como Serviço Proposta Comercial CloudFlex www.centralserver.com.br Cloud Servers Hospedagem de Sites Email Corporativo 0800 701 1993 +55 11 4063 6549 AFICIONADOS POR

Leia mais

DESCRIÇÃO TÉCNICA DATA CENTER VIRTUAL

DESCRIÇÃO TÉCNICA DATA CENTER VIRTUAL Arquitetura de rede Compare as arquiteturas: Data Center Virtual Híbrido Internet Detalhes: - Conexão Internet; - Transferência Outbound de 50GB p/ mês; - Integração com ambientes externos; - Máx. de 1

Leia mais

Administração de Sistemas Proprietários. Prof. Rodrigo Siqueira

Administração de Sistemas Proprietários. Prof. Rodrigo Siqueira Administração de Sistemas Proprietários Prof. Rodrigo Siqueira Lição 1: Funções de servidor Edições do Windows Server 2008 O que são funções de servidor? O que são as funções de serviços de infra-estrutura

Leia mais

Integração sistêmica e o uso da informação na tomada de decisão. Henrique Costa

Integração sistêmica e o uso da informação na tomada de decisão. Henrique Costa Integração sistêmica e o uso da informação na tomada de decisão Henrique Costa Curriculum Autor Henrique Costa Com experiência de mais de 13 anos no mercado de medição de energia água e gás, atualmente

Leia mais

Introdução à Ciência da Informação

Introdução à Ciência da Informação Introdução à Ciência da Informação Prof. Edberto Ferneda Software 1 Software Níveis de Software Hardware Software Aplicativos Software Tipos de Software Softwares Aplicativos de Sistema (Utilitários) Finalidades

Leia mais

DESVENDADO O TCP/IP. Prof. Me. Hélio Esperidião

DESVENDADO O TCP/IP. Prof. Me. Hélio Esperidião DESVENDADO O TCP/IP Prof. Me. Hélio Esperidião TCP/IP INTERNAMENTE Quando dois computadores tentam trocar informações em uma rede, o TCP/IP precisa, primeiro, determinar se os dois computadores pertencem

Leia mais

Backup e Recuperação Guia do Usuário

Backup e Recuperação Guia do Usuário Backup e Recuperação Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. As informações contidas neste documento

Leia mais

2 MATERIAL E MÉTODOS

2 MATERIAL E MÉTODOS ANÁLISE COMPARATIVA DE DOIS FIREWALLS GRATUITOS E SUAS APLICAÇÕES EM UM AMBIENTE DE REDE VIRTUALIZADO Gilmar Maikon Ferreira Silva 1, Marcos Paulo Vigiassi 2 1 Discente em Informática Para Negócios, Faculdade

Leia mais

- Campus Salto. Disciplina: Sistemas de Arquivos Docente: Fernando Santorsula E-mail: fernandohs@ifsp.edu.br

- Campus Salto. Disciplina: Sistemas de Arquivos Docente: Fernando Santorsula E-mail: fernandohs@ifsp.edu.br Disciplina: Sistemas de Arquivos Docente: Fernando Santorsula E-mail: fernandohs@ifsp.edu.br Sistemas de Arquivos- Parte 2 Pontos importantes de um sistema de arquivos Vários problemas importantes devem

Leia mais

PLANO DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS

PLANO DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS PLANO DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS Sumário INTRODUÇÃO... 3 DIRETRIZES NA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DAS CONTINGÊNCIAS... 3 RECUPERAÇÃO DO NEGÓCIO E DAS ATIVIDADES... 3 VIGÊNCIA E ATUALIZAÇÃO... 5 PLANO DE CONTINUIDADE

Leia mais

Banco de Dados para Redes. Cassio Diego cassiodiego.com

Banco de Dados para Redes. Cassio Diego cassiodiego.com Banco de Dados para Redes Cassio Diego cassiodiego.com 1 Agenda 03/11 - Unidade 4 + Exercícios; 10/11 - Unidade 5 + Exercícios; 17/11 - Revisão; 24/11 - AV2; 01/12 - AV3. 2 Aula de hoje UNIDADE 4: ARQUITETURA

Leia mais

Sistemas Operacionais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 6 - Threads

Sistemas Operacionais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 6 - Threads Sistemas Operacionais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 6 - Threads Com o conceito de múltiplos threads (multithread) é possível

Leia mais

Capítulo 5 - Cabeamento para Redes Locais e WANs. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 5 - Cabeamento para Redes Locais e WANs. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 5 - Cabeamento para Redes Locais e WANs 1 Camada Física de Rede Local Uma rede de computador pode ser montada utilizando-se vários tipos de meios físicos, representados pelos símbolos abaixo:

Leia mais

Especificação Técnica do Leitor Biométrico Griaule

Especificação Técnica do Leitor Biométrico Griaule Especificação Técnica do Leitor Biométrico Griaule Especificação Técnica Preparado por Rafael Roque Viana Analista de Sistemas Versão 1.0 01/11/2013 1. INTRODUÇÃO O presente documento tem como objetivo

Leia mais

20687 - CONFIGURING WINDOWS 8

20687 - CONFIGURING WINDOWS 8 20687 - CONFIGURING WINDOWS 8 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Módulo 1: Windows 8.1 em um ambiente corporativo Sistemas operacionais clientes Windows são essenciais para a funcionalidade de quase cada ambiente corporativo.

Leia mais

Rede Local - Administração Políticas de Backup, Redundância e Fiabilidade

Rede Local - Administração Políticas de Backup, Redundância e Fiabilidade Rede Local - Administração Políticas de Backup, Redundância e Fiabilidade Formador: Miguel Neto (migasn@gmail.com) Covilhã - Novembro 11, 2015 Segurança da Informação A informação é a alma da negócio,

Leia mais

FATORES QUE INFLUENCIAM A VELOCIDADE DA INTERNET

FATORES QUE INFLUENCIAM A VELOCIDADE DA INTERNET FATORES QUE INFLUENCIAM A VELOCIDADE DA INTERNET 1. Fatores que influenciam o débito de transferência de dados IP 2. Largura de banda e débito de transferência IP 3. Recomendações e verificações a efetuar

Leia mais

Computação em Nuvem: Conceitos, Aplicações e Desafios

Computação em Nuvem: Conceitos, Aplicações e Desafios Computação em Nuvem: Conceitos, Aplicações e Desafios Miguel Elias Mitre Campista miguel@gta.ufrj.br Semana da Computação CEFET Petrópolis maio/2016 Este trabalho conta com o apoio CNPq, CAPES, Faperj

Leia mais

CTIC - Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias. Digitais para Informação e Comunicação CHAMADA DE PROJETOS. Computação em Nuvem

CTIC - Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias. Digitais para Informação e Comunicação CHAMADA DE PROJETOS. Computação em Nuvem CTIC - Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias Digitais para Informação e Comunicação CHAMADA DE PROJETOS Computação em Nuvem O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias Digitais

Leia mais

Requisitos do sistema para Qlik Sense. Qlik Sense 2.2 Copyright 1993-2016 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Requisitos do sistema para Qlik Sense. Qlik Sense 2.2 Copyright 1993-2016 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Requisitos do sistema para Qlik Sense Qlik Sense 2.2 Copyright 1993-2016 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2016 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Leia mais

Tecnologias da Informação TI /2 Material de apoio ler bibliografia recomendada (Stair)

Tecnologias da Informação TI /2 Material de apoio ler bibliografia recomendada (Stair) Objetivos: Hardware, Software e Sistemas de gerenciamento de Banco de dados. Capítulos 3, 4 e 5 Stair. Hardware (HW) Qualquer maquinário que assiste nas atividades de: Entrada Processamento de um Sistema

Leia mais

Sistemas Operacionais (SO)

Sistemas Operacionais (SO) Sistemas Operacionais (SO) Fundamentos Prof. Eduardo Abordagens SO Moderno (importância) Funções básicas Definição Componentes de um SC Objetivos de um SO Serviços de um SO Abstrações Tipos de SO Estudo

Leia mais

Veeam Endpoint Backup FREE

Veeam Endpoint Backup FREE CONSULTORIA INFORMÁTICA DOWNLOAD GRATUITO Veeam Endpoint Backup FREE Visão Global do Produto Veeam Endpoint Backup FREE 1 Veeam Endpoint Backup está preparado para proteger a sua empresa. O Veeam Endpoint

Leia mais

OUTROS TRABALHOS EM:

OUTROS TRABALHOS EM: OUTROS TRABALHOS EM: www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Produção Industrial Disciplina: Tecnologia da Informação Aplicada à Produção Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 5: O Armazenamento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA. Área técnica: Inclusão Digital

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA. Área técnica: Inclusão Digital Área técnica: Inclusão Digital CURSO: Access Básico Objetivo: Capacitar o participante leigo a compreender os recursos básicos de um Banco de Dados do tipo relacional, desde a criação de tabelas, relacionamentos,

Leia mais

INFORMÁTICA. www.fatodigital.com.br. Introdução à Informática Hardware CONHECIMENTOS BÁSICOS EM INFORMÁTICA

INFORMÁTICA. www.fatodigital.com.br. Introdução à Informática Hardware CONHECIMENTOS BÁSICOS EM INFORMÁTICA Introdução à Informática Hardware 1 CONHECIMENTOS BÁSICOS EM INFORMÁTICA Hardware - parte física do equipamento, ou seja, tudo aquilo que é palpável. Software - programas. Peopleware - parte humana do

Leia mais

ANEXO TÉCNICO REQUERIMENTOS DE INFRAESTRUTURA BEMATECH GEMCO NFC-e

ANEXO TÉCNICO REQUERIMENTOS DE INFRAESTRUTURA BEMATECH GEMCO NFC-e ANEXO TÉCNICO REQUERIMENTOS DE INFRAESTRUTURA BEMATECH GEMCO NFC-e Introdução Este documento tem por objetivo demonstrar uma visão geral dos requerimentos e necessidades de infraestrutura para a implantação

Leia mais

VIRTUALIZAÇÃO PARA INICIANTES VMware Inc. All rights reserved.

VIRTUALIZAÇÃO PARA INICIANTES VMware Inc. All rights reserved. VIRTUALIZAÇÃO PARA INICIANTES Agenda 1. Histórico 2. Conceito 3. Benefícios 4. Limitações 5. O que podemos Virtualizar 6. Tipos de Virtualização 7. Classificação da Virtualização 8. Principais Fornecedores

Leia mais

Apostila de GSO Gestão de Sistemas Operacionais I

Apostila de GSO Gestão de Sistemas Operacionais I Apostila de GSO Gestão de Operacionais I Prof. Jones Artur Gonçalves / Wendell Santos 1 Arquitetura de Operacionais 1. Histórico... 3 2. Sistema Operacional... 4 3. Tipos de Operacionais... 5 2.1 Monoprogramáveis...

Leia mais

Fundamentos da Informática Aula 02 - Softwares aplicativos: Realizando o trabalho Exercícios - REPOSTAS Professor: Danilo Giacobo

Fundamentos da Informática Aula 02 - Softwares aplicativos: Realizando o trabalho Exercícios - REPOSTAS Professor: Danilo Giacobo Fundamentos da Informática Aula 02 - Softwares aplicativos: Realizando o trabalho Exercícios - REPOSTAS Professor: Danilo Giacobo Múltipla escolha 1. O profissional de informática que desenvolve e testa

Leia mais

Como o VIOS Jurídico pode otimizar os processos em um escritório de advocacia? Indicado para: médios e grandes escritórios de advocacia.

Como o VIOS Jurídico pode otimizar os processos em um escritório de advocacia? Indicado para: médios e grandes escritórios de advocacia. Como o VIOS Jurídico pode otimizar os processos em um escritório de advocacia? Indicado para: médios e grandes escritórios de advocacia. O que é o VIOS Jurídico: consiste em uma empresa de soluções em

Leia mais

Catálogo de Serviços

Catálogo de Serviços Catálogo de Serviços ID: SN04 Nome: E-mail Descrição: Serviço de e-mail para servidores do GDF Catalogado: 31/07/2013 Última revisão: 14/08/2013 Coordenação: Coordenação Técnica do Centro de Dados - COCED

Leia mais

TUTORIAL SOBRE O GOOGLE DOCS

TUTORIAL SOBRE O GOOGLE DOCS TUTORIAL SOBRE O GOOGLE DOCS O Google Docs é um recurso do Google que funciona como um HD virtual permitindo criar e compartilhar trabalhos on-line. Ele é uma ferramenta com características da nova tendência

Leia mais

26 de agosto de 2014 Belo Horizonte - MG Claudio Mello

26 de agosto de 2014 Belo Horizonte - MG Claudio Mello Cloud Computing IX Encontro dos Profissionais de TI das Cooperativas Mineiras 26 de agosto de 2014 Belo Horizonte - MG Claudio Mello Apresentação 20 anos de experiência nas áreas de Tecnologia da Informação

Leia mais

Prova de Valor (SIB)

Prova de Valor (SIB) Prova de Valor (SIB) Planejamento e Especificação A Prova de Valor é uma verdadeiro Ver para Crer (SIB "SEEING IS BELIEVING"), como denominado pela própria pela Qliktech, para mostrar o potencial do Qlikview.

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação

Introdução à Ciência da Computação 1 Universidade Federal Fluminense Campus de Rio das Ostras Curso de Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação Professor: Leandro Soares de Sousa e-mail: leandro.uff.puro@gmail.com site:

Leia mais

Introdução a Informática

Introdução a Informática Informática Introdução a Informática Carlos Eduardo da Silva carlos.silva@cefetrn.br Sistemas computacionais Sistemas computacionais O computador é uma máquina eletrônica capaz de receber informações,

Leia mais

Atualizações de Software Guia do Usuário

Atualizações de Software Guia do Usuário Atualizações de Software Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. As informações contidas neste

Leia mais

WINDOWS XP. Autor: Amarildo Correia de Melo

WINDOWS XP. Autor: Amarildo Correia de Melo WINDOWS XP Autor: Amarildo Correia de Melo COLEÇÃO NAVEGANDO NO WINDOWS XP INFORMÁTICA Editora Melo LTDA 1ª EDIÇÃO 2015 DEDICATÓRIA: À minha família, pelo o incentivo e companheirismo. " O Senhor é meu

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Interconexão do Computador Givanaldo Rocha de Souza http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br Material do prof. Sílvio Fernandes -

Leia mais

Projeto Integrador II

Projeto Integrador II Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Projeto Integrador II 1 Seminário de Andamento Aluno: Marcelo Giovani dos Santos Furtado E-mail: furtado.senac@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM

Leia mais

Normas de Utilização dos Recursos Computacionais

Normas de Utilização dos Recursos Computacionais Normas de Utilização dos Recursos Computacionais Norma da UniNet - 01/1997 de dezembro/1997 - Utilização da Rede 1. Normas para a distribuição de blocos de endereços IP alocados à UNICAMP pelo órgão competente

Leia mais

Procedimento de utilização da pasta Arquivos

Procedimento de utilização da pasta Arquivos Procedimento de utilização da pasta Arquivos Versão 1.0 1 I. Índice 1. SALVANDO DOCUMENTOS... 3 1.1. LINUX EDUCACIONAL 4... 3 1.2. LINUX EDUCACIONAL 5... 6 1.3. SALVANDO ARQUIVOS NA ÁREA DE TRABALHO LE4

Leia mais

Trabalho sobre Topologia de Redes

Trabalho sobre Topologia de Redes Trabalho sobre Topologia de Redes Emerson Baptista da Silva 27 de Janeiro de 2013 Topologia das Redes A topologia de rede descreve como o fica a sua situação física através do qual os dados, imagens e

Leia mais

Sistema Operacional. Implementação de Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais

Sistema Operacional. Implementação de Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais Sistema Operacional Implementação de Processo e Threads O mecanismo básico para a criação de processos no UNIX é a chamada de sistema Fork(). A Figura a seguir ilustra como que o processo e implementado.

Leia mais

Atualizações de Software Guia do Usuário

Atualizações de Software Guia do Usuário Atualizações de Software Guia do Usuário Copyright 2008 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. As informações contidas neste

Leia mais

Fundamentos de Arquitetura e Organização de Computadores

Fundamentos de Arquitetura e Organização de Computadores Fundamentos de Arquitetura e Organização de Computadores Dois conceitos fundamentais no estudo dos sistemas de computação são o de Arquitetura e Organização de computadores. O termo arquitetura refere-se

Leia mais

Introdução a Banco de Dados. INTRODUÇÃO

Introdução a Banco de Dados. INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O termo banco de dados é bastante popular em diversas áreas de atuação. Com o aumento da utilização de computadores na manipulação de dados que envolvem diversas aplicações, os bancos de dados

Leia mais

Gerenciamento de Memória Minix 3.1.7

Gerenciamento de Memória Minix 3.1.7 Gerenciamento de Memória Minix 3.1.7 Prof. Alexandre Beletti Introdução Não utiliza paginação Não faz swapping (está disponível, mas inativo) PM = gerencia processos e memória Chamadas de sistemas: Memória

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais

Administração de Sistemas Operacionais Administração de Sistemas Operacionais João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) 08/2009 1 / 9 Ementa Características de um servidor da plataforma Linux: fundamentos, configuração e administração; 2 / 9 Ementa

Leia mais

Soluções de gestão de clientes e de impressão móvel

Soluções de gestão de clientes e de impressão móvel Soluções de gestão de clientes e de impressão móvel Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca comercial registada da Microsoft Corporation nos

Leia mais

Virtualização do System302 em ambiente VMWARE

Virtualização do System302 em ambiente VMWARE GUIA DO USUÁRIO Virtualização do System302 em ambiente VMWARE ABR / 17 SYSTEM302 DOC-0149-00 smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Projeto de endereçamento 2 ClassLess Objetivo Conhecer o conceito de super-redes da arquitetura de endereçamento classless Entender os princípios de subdivisão, agregação e alocação

Leia mais

19/9/2011. Canais de distribuição. Introdução

19/9/2011. Canais de distribuição. Introdução Canais de distribuição Gestão da distribuição Prof. Marco Arbex Introdução Toda produção visa a um ponto final, que é entregar os seus produtos ao consumidor; Se o produto não está disponível na prateleira,

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Apresentado por: Ricardo Quintão

Arquitetura TCP/IP. Apresentado por: Ricardo Quintão Arquitetura TCP/IP Apresentado por: Ricardo Quintão Roteiro Conexões Inter-redes Serviço Universal Rede Virtual (inter-rede ou internet) Protocolos para ligação inter-redes (TCP/IP) Divisão em camadas

Leia mais

Atualização de Software Guia do Usuário

Atualização de Software Guia do Usuário Atualização de Software Guia do Usuário Copyright 2009 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. As informações contidas neste

Leia mais

3.1 - Topologias de cablagem

3.1 - Topologias de cablagem Capítulo 3 3.1 - Topologias de cablagem Topologias Determinam a forma de implantação das cablagens Topologia Física Decorre do modo como a rede se apresenta instalada no espaço a ser coberto Topologia

Leia mais

NORMA TÉCNICA E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAR ALTERAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO

NORMA TÉCNICA E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAR ALTERAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO NORMA TÉCNICA E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAR ALTERAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO Referência: NT-AI.04.03.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/nt-ai.04.03.01.pdf Data: 31/07/2000 STATUS: EM VIGOR A Assessoria

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Ensino Superior Santo André dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia

Leia mais

Dispositivos Externos Manual do Utilizador

Dispositivos Externos Manual do Utilizador Dispositivos Externos Manual do Utilizador Copyright 2009 Hewlett-Packard Development Company, L.P. As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. As únicas garantias

Leia mais

Informática. Estruturas de Servidores Físicos e Virtualizados. Professor Márcio Hunecke.

Informática. Estruturas de Servidores Físicos e Virtualizados. Professor Márcio Hunecke. Informática Estruturas de Servidores Físicos e Virtualizados Professor Márcio Hunecke www.acasadoconcurseiro.com.br Informática ESTRUTURA DE SERVIDORES FÍSICOS E VIRTUALIZADOS Conceito de Virtualização

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL TELECOMUNICAÇÕES S.A.

CONTRIBUIÇÃO REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL TELECOMUNICAÇÕES S.A. CONTRIBUIÇÃO REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL TELECOMUNICAÇÕES S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AUDIÊNCIA PÚBLICA O10/2009 Recebimento de contribuições

Leia mais

Microcontroladores e Microprocessadores. Conversão de Bases Prof. Samuel Cavalcante

Microcontroladores e Microprocessadores. Conversão de Bases Prof. Samuel Cavalcante Microcontroladores e Microprocessadores Conversão de Bases Prof. Samuel Cavalcante Conteúdo Conversão de Qualquer base para Decimal Decimal para Binário Hexadecimal para binário Componentes básicos de

Leia mais

Fundamentos da Informática Aula 03 - Sistemas operacionais: Software em segundo plano Exercícios Professor: Danilo Giacobo

Fundamentos da Informática Aula 03 - Sistemas operacionais: Software em segundo plano Exercícios Professor: Danilo Giacobo Fundamentos da Informática Aula 03 - Sistemas operacionais: Software em segundo plano Exercícios Professor: Danilo Giacobo Múltipla escolha 1. Em que consiste um sistema operacional: a. Um conjunto de

Leia mais

Q1 Q2 Q3 Total. Nome. Assinatura -

Q1 Q2 Q3 Total. Nome. Assinatura - Fundação CECIERJ - Vice Presidência de Educação Superior a Distância Curso de Tecnologia em Sistemas de Computação UFF Disciplina: INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA AP1-2 o semestre de 2008 Data... Nome Assinatura

Leia mais

Arquiteturas para Sistemas Distribuídos I

Arquiteturas para Sistemas Distribuídos I Arquiteturas para Sistemas Distribuídos I Pedro Ferreira Departamento de Informática Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Tópicos Estilos Arquiteturais: formas de desenhar o software do SD Organização

Leia mais

MARCELO NEGRÃO DIRETOR COMERCIAL TÉC. www.brc.com.br 11 2165 8888

MARCELO NEGRÃO DIRETOR COMERCIAL TÉC. www.brc.com.br 11 2165 8888 MARCELO NEGRÃO DIRETOR COMERCIAL TÉC. Appliance Marco Civil da Internet O OMNE3 é a única ferramenta que garante a integridade dos registros que constam em banco de dados de relatórios. Através de um

Leia mais

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT Disciplina: Administração de Tecnologia da Informação / 2012_1 Carga horária: 68h Curso/Semestre: 6 ( x ) ADM ( x ) ADM COMEX ( x ) ADM MKT Data de atualização: janeiro 2012 Núcleo: Operações e Logística

Leia mais

Objetivos. Definir e classificar os principais tipos de softwares Básico Aplicativos

Objetivos. Definir e classificar os principais tipos de softwares Básico Aplicativos Objetivos Definir e classificar os principais tipos de softwares Básico Aplicativos Software Categorias Principais de Software Básico Chamado de Sistema Operacional. Informa ao computador como ele deve

Leia mais

Produção de Vídeos Didáticos: Tábua de Galton

Produção de Vídeos Didáticos: Tábua de Galton UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas; IFGW Instituto de Física Gleb Watagin; Relatório Final de F 809, Instrumentação para ensino: Produção de Vídeos Didáticos: Tábua de Galton André de Ávila Acquaviva,

Leia mais

Curso: Redes de Computadores

Curso: Redes de Computadores Curso: Redes de Computadores Cadeira de Introdução a Sistemas Operacionais. Bibliografia Sistemas Operacionais Modernos Andew S. Tanembaum Sistema Operacionais Abraham Silberchatz, Peter Galvin e Greg

Leia mais

Apresentação Comercial Proposta de Suporte Técnico Informática

Apresentação Comercial Proposta de Suporte Técnico Informática Apresentação Comercial Proposta de Suporte Técnico Informática Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter

Leia mais

Informática. Cloud Computing e Storage. Professor Márcio Hunecke.

Informática. Cloud Computing e Storage. Professor Márcio Hunecke. Informática Cloud Computing e Storage Professor Márcio Hunecke www.acasadoconcurseiro.com.br Informática COMPUTAÇÃO EM NUVEM Cloud Computing ou Computação em Nuvem pode ser definido como um modelo no

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA UNIDADE DE FOMENTO E DIFUSÃO DA PRODUÇÃO CULTURAL RESOLUÇÃO SC Nº 14, DE 10 DE MARÇO DE 2015

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA UNIDADE DE FOMENTO E DIFUSÃO DA PRODUÇÃO CULTURAL RESOLUÇÃO SC Nº 14, DE 10 DE MARÇO DE 2015 RESOLUÇÃO SC Nº 14, DE 10 DE MARÇO DE 2015 Estabelece procedimentos quanto aos limites dos valores de incentivo fiscal, previsto no artigo 24, I, do Decreto nº 54.275, de 27 de abril de 2009 e dá outras

Leia mais

Email: professorclebermarques@hotmail.com Atualizada em 29/01/2010. 1

Email: professorclebermarques@hotmail.com Atualizada em 29/01/2010. 1 1- Software: É o elemento lógico (não palpável) do sistema computacional. 1.1- Classificação do Software: 1. Básico = fundamental para o processamento. Ex: Sistema Operacional. 2. Aplicativo = auxilia

Leia mais

COMPUTADORES NAS EMPRESAS Cloud Computing Prof. Reginaldo Brito

COMPUTADORES NAS EMPRESAS Cloud Computing Prof. Reginaldo Brito COMPUTADORES NAS EMPRESAS Prof. Reginaldo Brito Os computadores são essenciais para enfrentar o desafio da concorrência global, na qual as empresas precisam ser eficientes e ágeis e tem de produzir produtos

Leia mais

Sistema Operacionais II. Aula: Virtualização

Sistema Operacionais II. Aula: Virtualização Sistema Operacionais II Aula: Virtualização Objetivos Entender o que é uma máquina virtual. Instalar várias máquinas virtuais em um mesmo computador usando o VirtualBox. Aprender os modos de rede suportados

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS. TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO

Leia mais

Computação Instrumental

Computação Instrumental Computação Instrumental Antonio Cesar Germano Martins amartins@sorocaba.unesp.br Engenharia Ambiental 2º Semestre de 2016 1 Memória de Massa Entrada Barramento Saída Memória Principal Unidade Central de

Leia mais

TYTEC - Tecnologias de Integração, Comunicações e Segurança, SA Contribuinte 508 781 590 Rua Vasco Santana, lote 24, Loja A Dto.

TYTEC - Tecnologias de Integração, Comunicações e Segurança, SA Contribuinte 508 781 590 Rua Vasco Santana, lote 24, Loja A Dto. Solução: Videoconferência VMWare (VMWare Tytec Virtualization) Marcas: ESXi- VMWare Hiper- V Microsoft XenSource- Xen.org (open source Citrix XenServer) Texto descritivo Factos Históricos Na Actualidade:

Leia mais

ADOTI. Solução para Gestão de Ambientes de TI

ADOTI. Solução para Gestão de Ambientes de TI ADOTI Solução para Gestão de Ambientes de TI Quem é a ABCTec Atuando no mercado de TI desde 1996, a ABCTec está hoje focada em oferecer soluções voltadas à Segurança da Informação. Com uma equipe de profissionais

Leia mais

3 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS. 3.1 Sistema Direto

3 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS. 3.1 Sistema Direto 3 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS 3.1 Sistema Direto No sistema direto, as peças de utilização do edifício estão ligadas diretamente aos elementos que constituem o abastecimento, ou seja, a instalação é a própria

Leia mais

CÁLCULO DO MODELO NUMÉRICO (MDT)

CÁLCULO DO MODELO NUMÉRICO (MDT) GUIA PRÁTICO DataGeosis Versão 2.3 CÁLCULO DO MODELO NUMÉRICO (MDT) Paulo Augusto Ferreira Borges Engenheiro Agrimensor Treinamento e Suporte Técnico 1. INTRODUÇÃO O DataGeosis utiliza a Modelagem Numérica

Leia mais

A instalação da vantagem VT em um PC

A instalação da vantagem VT em um PC A instalação da vantagem VT em um PC Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Procedimento de instalação Troubleshooting Informações Relacionadas Introdução A vantagem

Leia mais

Servidores. Um Servidor, em redes de computadores, nada mais é que um host da rede capaz de oferecer um determinado serviço a outros hosts da redes.

Servidores. Um Servidor, em redes de computadores, nada mais é que um host da rede capaz de oferecer um determinado serviço a outros hosts da redes. Roitier Campos Gonçalves Iporá, GO, 02 Maio de 2017 Introdução As redes de computadores são uma necessidade da humanidade para o seu desenvolvimento. Entretanto, esse desenvolvimento é relativo, tendo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Introdução às Bases de Dados

Introdução às Bases de Dados O Sistema de Base de Dados através do SGBD permite controlar de forma centralizada os dados armazenados. Base de Dados Ficheiro 1 Ficheiro 2 Ficheiro 3 Sistema de Gestão de Bases de Dados (SGBD) Prog.1

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SISTEMA DE DETECÇÃO VEICULAR OVERHEAD

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SISTEMA DE DETECÇÃO VEICULAR OVERHEAD ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SISTEMA DE DETECÇÃO VEICULAR OVERHEAD SUMÁRIO 1. SISTEMA DE DETECÇÃO OVERHEAD... 2 2. PROCEDIMENTO DE TESTE DE SISTEMA DE DETECÇÃO OVERHEAD PARA O SISTEMA SCOOT... 3 3. DOCUMENTAÇÃO...

Leia mais

Histórico e Evolução da Computação

Histórico e Evolução da Computação Lista de Exercícios Introdução à Informática Professor: Sérgio Salazar Histórico e Evolução da Computação O 1º computador foi o ENIAC, utilizado para montar tabelas para o cálculo de projéteis na 2ª Guerra

Leia mais

Modem e rede local Guia do usuário

Modem e rede local Guia do usuário Modem e rede local Guia do usuário Copyright 2008 Hewlett-Packard Development Company, L.P. As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações sem aviso. As únicas garantias para produtos

Leia mais

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Página1 e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. Safeweb e-nota G... 03 2. O que é XML... 04 3. Acesso e-nota G... 06

Leia mais