FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS MÓDULO 4

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS MÓDULO 4"

Transcrição

1 FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS MÓDULO 4

2 Índice 1. Evolução dos Sistemas Operacionais Continuação Década de Década de

3 1. EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS OPERACIONAIS CONTINUAÇÃO 1.1. DÉCADA DE 70 3 Criação da interface gráfica com o usuário (GUI Graphical User Interface), desenvolvida pelo Palo Alto Research Center (PARC) da Xerox. O primeiro sistema operacional dotado de interface gráfica com o usuário se chamou Alto (ver figuras 7a e 7b). O Alto foi projetado e construído pela Xerox e, embora a Xerox tenha doado certa quantidade para várias organizações, a empresa nunca vendeu nenhuma licença do Alto. 3 Nessa década os sistemas foram favorecidos pelos desenvolvimentos anteriores. Tornaram-se multimodais de multiprogramação, que suportava processamento em lote, tempo compartilhado e aplicações de tempo real. 3 Ocorre o amplo uso do protocolo TCP/IP e as redes LANs (Local Area Network) tornam-se práticas e baratas, a partir da aplicação do padrão Ethernet desenvolvido no Palo Alto Research Center (PARC) da Xerox. Com esses avanços, as comunicações entre computadores tornaram-se fáceis e a conectividade ficou mais frequente. 3

4 3 Nesse momento, os sistemas operacionais passaram a oferecer serviços de configuração da rede e administração da segurança, e seu desempenho cresce continuamente. 3 Os sistemas GUI foram amplamente explorados na década de 1980 pela Apple e pela Microsoft DÉCADA DE 80 3 O sistema Apple II teve uma aceitação extraordinária. 3 A IBM lança o Personal Computer (PC) em 1982 e a Apple lança a sua versão de computador pessoal (ver glossário), batizado de Macintosh, em O poder de processamento dos microprocessadores cresceu de tal forma que os computadores pessoais dessa década possuem um poder de processamento equivalente aos computadores de grande porte de uma década atrás. 3 Em 1981 a Microsoft lança a primeira versão do MS-DOS para computadores pessoais IBM. A versão da IBM chamava-se DOS. 3 O MS-DOS representou um marco na indústria de software, porque permitiu que os fabricantes de software para rodar no MS-DOS o fizessem com muito mais facilidade do que era nos demais sistemas operacionais até então. A grande redução de trabalho que o MS-DOS proporcionou aos fabricantes de software foi principalmente o uso das Interfaces de Programação de Aplicativos (API), que os programadores utilizavam para realizar manipulações detalhadas de hardware e outras operações. Dessa forma, os programadores de aplicações não necessitariam mais mexer com questões complexas de software, como o gerenciamento da memória do computador pessoal e 4

5 acessos a seus dispositivos de entrada/ saída (ver figura 8). 3 Nesse momento ocorre uma enorme revolução na utilização dos recursos digitais, pois indivíduos sem formação tecnológica e as pequenas e médias empresas passam a ter os seus próprios computadores exclusivos, que também podiam transmitir dados entre sistemas de forma rápida e econômica. 3 Softwares aplicativos, tais como planilhas eletrônicas e editores de texto, ganham espaço e auxiliam as empresas a ganhar produtividade. 3 Boa parte dos usuários dos computadores pessoais passa a utilizar correio eletrônico, transferência de arquivos e acesso a bancos de dados remotos. 3 Surge a computação distribuída, que dá origem à arquitetura Cliente/Servidor (ver figura 9). 5

6 3 Em meados dessa década a Microsoft desenvolveu sua plataforma GUI, o Windows, que ainda não atuava como sistema operacional porque era executado de forma sobreposta ao DOS. 6

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Unidade I FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Prof. Victor Halla Conteúdo Introdução; Conceitos; Evolução; Características; Gerenciamento de Processos; Gerenciamento de Memória; Conceito O sistema operacional,

Leia mais

Introdução à Ciência da Informação

Introdução à Ciência da Informação Introdução à Ciência da Informação Prof. Edberto Ferneda Software 1 Software Níveis de Software Hardware Software Aplicativos Software Tipos de Software Softwares Aplicativos de Sistema (Utilitários) Finalidades

Leia mais

Introdução aos Sistemas Operacionais

Introdução aos Sistemas Operacionais Introdução aos Sistemas Operacionais Prof. M.e Helber Wagner da Silva helber.silva@ifrn.edu.br Maio de 2014 Roteiro Introdução Estrutura e Funções do Sistema Operacional Sistemas Operacionais existentes

Leia mais

- Campus Salto. Disciplina: Sistemas Operacionais Docente: Fernando Santorsula E-mail: fernandohs@ifsp.edu.br

- Campus Salto. Disciplina: Sistemas Operacionais Docente: Fernando Santorsula E-mail: fernandohs@ifsp.edu.br - Campus Salto Disciplina: Sistemas Operacionais Docente: Fernando Santorsula E-mail: fernandohs@ifsp.edu.br - Campus Salto Mas o que é um Sistema Operacional??? - Campus Salto Resposta segundo Andrew

Leia mais

Objetivos. Definir e classificar os principais tipos de softwares Básico Aplicativos

Objetivos. Definir e classificar os principais tipos de softwares Básico Aplicativos Objetivos Definir e classificar os principais tipos de softwares Básico Aplicativos Software Categorias Principais de Software Básico Chamado de Sistema Operacional. Informa ao computador como ele deve

Leia mais

Elementos básico de uma rede Samba - Local Master Browser

Elementos básico de uma rede Samba - Local Master Browser Servidor Samba Linux Samba é o protocolo responsável pela integração de máquinas Linux com Windows, permitindo assim a criação de redes mistas utilizando servidores Linux e clientes Windows. Samba, é uma

Leia mais

Histórico e Evolução da Computação

Histórico e Evolução da Computação Lista de Exercícios Introdução à Informática Professor: Sérgio Salazar Histórico e Evolução da Computação O 1º computador foi o ENIAC, utilizado para montar tabelas para o cálculo de projéteis na 2ª Guerra

Leia mais

Sistemas Operacionais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 6 - Threads

Sistemas Operacionais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 6 - Threads Sistemas Operacionais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 6 - Threads Com o conceito de múltiplos threads (multithread) é possível

Leia mais

Introdução a Informática

Introdução a Informática Informática Introdução a Informática Carlos Eduardo da Silva carlos.silva@cefetrn.br Sistemas computacionais Sistemas computacionais O computador é uma máquina eletrônica capaz de receber informações,

Leia mais

Arquitetura de Computadores Sistemas Operacionais I

Arquitetura de Computadores Sistemas Operacionais I O que é um Sistema Operacional? Arquitetura de Computadores Sistemas Operacionais I Programa que atua como um intermediário entre um usuário do computador ou um programa e o hardware. Os 4 componentes

Leia mais

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT Disciplina: Administração de Tecnologia da Informação / 2012_1 Carga horária: 68h Curso/Semestre: 6 ( x ) ADM ( x ) ADM COMEX ( x ) ADM MKT Data de atualização: janeiro 2012 Núcleo: Operações e Logística

Leia mais

Objetivos. Arquitetura x86. Evolução dos Microprocessadores com arquitetura x86. Universidade São Judas Tadeu. Introdução à Computação

Objetivos. Arquitetura x86. Evolução dos Microprocessadores com arquitetura x86. Universidade São Judas Tadeu. Introdução à Computação Universidade São Judas Tadeu Prof. André Luiz Ribeiro Prof. Jorge Luis Pirolla Introdução à Computação Microprocessadores e Arquitetura (2) - FEDELI, Ricardo D.; POLLONI, Enrico G.; PERES, Fernando E.

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais

Administração de Sistemas Operacionais Administração de Sistemas Operacionais João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) 08/2009 1 / 9 Ementa Características de um servidor da plataforma Linux: fundamentos, configuração e administração; 2 / 9 Ementa

Leia mais

Virtualização de Servidores. Adirlhey Assis Marcus Vinicius Coimbra

Virtualização de Servidores. Adirlhey Assis Marcus Vinicius Coimbra Virtualização de Servidores Adirlhey Assis Marcus Vinicius Coimbra Curriculum Autor: Marcus Coimbra Graduado em Informática, possui MBA em e-commerce e MIT em Governança de TI, atua na área a 25 anos,

Leia mais

Virtualização: o caminho para usar os recursos computacionais de forma inteligente

Virtualização: o caminho para usar os recursos computacionais de forma inteligente Virtualização: o caminho para usar os recursos computacionais de forma inteligente 26 de Agosto de 2015 Belo Horizonte - MG Fabrício Roulin Bittencout Bom dia a todos! Sejam bem-vindos! Apresentação Doutorando

Leia mais

O SOFTWARE LIVRE COMO FERRAMENTA DE ENSINO

O SOFTWARE LIVRE COMO FERRAMENTA DE ENSINO 1 O SOFTWARE LIVRE COMO FERRAMENTA DE ENSINO Denise Ester Fonseca de Brito Jefferson Willian Gouveia Monteiro Mariana Vieira Siqueira de Arantes Mateus Palhares Cordeiro Paulo Alfredo Frota Rezeck Thiago

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Curso, ora criado, será oferecido no turno noturno, com 10 semestres de duração e com 50 vagas iniciais.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Curso, ora criado, será oferecido no turno noturno, com 10 semestres de duração e com 50 vagas iniciais. RESOLUÇÃO CONSEPE 27/2001 CRIA E IMPLANTA O CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO, NO CCT, DO CÂMPUS DE CAMPINAS. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições

Leia mais

- Campus Salto. Disciplina: Sistemas de Arquivos Docente: Fernando Santorsula E-mail: fernandohs@ifsp.edu.br

- Campus Salto. Disciplina: Sistemas de Arquivos Docente: Fernando Santorsula E-mail: fernandohs@ifsp.edu.br Disciplina: Sistemas de Arquivos Docente: Fernando Santorsula E-mail: fernandohs@ifsp.edu.br Sistemas de Arquivos- Parte 2 Pontos importantes de um sistema de arquivos Vários problemas importantes devem

Leia mais

Apostila de GSO Gestão de Sistemas Operacionais I

Apostila de GSO Gestão de Sistemas Operacionais I Apostila de GSO Gestão de Operacionais I Prof. Jones Artur Gonçalves / Wendell Santos 1 Arquitetura de Operacionais 1. Histórico... 3 2. Sistema Operacional... 4 3. Tipos de Operacionais... 5 2.1 Monoprogramáveis...

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: APLICATIVOS INFORMATIZADOS NA ENFERMAGEM

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: APLICATIVOS INFORMATIZADOS NA ENFERMAGEM Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã (SP) Eixo Tecnológico: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

Placas Gráficas. Placas Gráficas. Placas Gráficas. Placas Gráficas. O que é? Para que serve? Resolução (cont.) Resolução

Placas Gráficas. Placas Gráficas. Placas Gráficas. Placas Gráficas. O que é? Para que serve? Resolução (cont.) Resolução O que é? Para que serve? -A função das placas gráficas é a de construir as imagens que são apresentadas nos monitores dos computadores. -O conteúdo dessa memória está sempre a ser actualizado pela placa

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais

Fundamentos de Sistemas Operacionais Fundamentos de Sistemas Operacionais Aula 3 Princípios de Sistemas Operacionais Prof. Belarmino Existem dezenas de Sistemas Operacionais executando nos mais variados tipos de maquinas. Os mais conhecidos

Leia mais

BARRAMENTO. Caminho de Dados

BARRAMENTO. Caminho de Dados BARRAMENTO Caminho de Dados Conceito Um barramento é simplesmente um circuito que conecta uma parte da placa-mãe à outra. Quanto mais dados o barramento consegue ter de uma só vez, mais rápido a informação

Leia mais

DESVENDADO O TCP/IP. Prof. Me. Hélio Esperidião

DESVENDADO O TCP/IP. Prof. Me. Hélio Esperidião DESVENDADO O TCP/IP Prof. Me. Hélio Esperidião TCP/IP INTERNAMENTE Quando dois computadores tentam trocar informações em uma rede, o TCP/IP precisa, primeiro, determinar se os dois computadores pertencem

Leia mais

Linha de produtos VESDAnet VESDAnet é uma rede de comunicação imune a falhas. Ela conecta diversos detectores, displays, programadores e unidades remotas em um circuito em série. A VESDAnet permite realizar

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE EDIFÍCIOS METASYS Vá mais longe com Metasys

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE EDIFÍCIOS METASYS Vá mais longe com Metasys SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE EDIFÍCIOS METASYS Vá mais longe com Metasys Gerencie seu edifício onde quer que você esteja. O sistema de gerenciamento de edifícios Metasys da Johnson Controls é o único sistema

Leia mais

Evolução do Computador. Evolução do computador. Evolução do computador. 1ª máquina mecânica de calcular com as 4 operações Charles Thomas, 1820.

Evolução do Computador. Evolução do computador. Evolução do computador. 1ª máquina mecânica de calcular com as 4 operações Charles Thomas, 1820. Evolução do Computador Aula 2 Disciplina de OAC Prof. Luiz Antonio do Nascimento Faculdade Nossa Cidade Àbaco Régua de cálculo Evolução do 1º forma de cálcular Dedos (digital dígitos 0 a 9). 1ª máquina

Leia mais

Soluções de gestão de clientes e de impressão móvel

Soluções de gestão de clientes e de impressão móvel Soluções de gestão de clientes e de impressão móvel Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca comercial registada da Microsoft Corporation nos

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA: TERMINOLOGIA BÁSICA RAÍ ALVES TAMARINDO RAI.TAMARINDO@UNIVASF.EDU.BR

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA: TERMINOLOGIA BÁSICA RAÍ ALVES TAMARINDO RAI.TAMARINDO@UNIVASF.EDU.BR INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA: TERMINOLOGIA BÁSICA RAÍ ALVES TAMARINDO RAI.TAMARINDO@UNIVASF.EDU.BR SOFTWARE Dados: informações guardadas no computador. Instruções: Comando que define uma operação a ser executada.

Leia mais

ANEXO TÉCNICO REQUERIMENTOS DE INFRAESTRUTURA BEMATECH GEMCO NFC-e

ANEXO TÉCNICO REQUERIMENTOS DE INFRAESTRUTURA BEMATECH GEMCO NFC-e ANEXO TÉCNICO REQUERIMENTOS DE INFRAESTRUTURA BEMATECH GEMCO NFC-e Introdução Este documento tem por objetivo demonstrar uma visão geral dos requerimentos e necessidades de infraestrutura para a implantação

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais Prof.: Marlon Marcon

Administração de Sistemas Operacionais Prof.: Marlon Marcon Instituto Federal de Minas Gerais Campus Bambuí Administração de Sistemas Operacionais Prof.: Marlon Marcon Sumário Visão Geral de um sistema linux Conceitos básicos Histórico do Linux Kernel Principais

Leia mais

Introdução Informática e TIC. Prof. Ivo Júnior

Introdução Informática e TIC. Prof. Ivo Júnior Introdução Informática e TIC Prof. Ivo Júnior O que é informática?? É o ramo do conhecimento que cuida dos conceitos, procedimentos e técnicas referentes ao processamento ou tratamento de conjuntos de

Leia mais

Nosso Site. http://www.cintegrado.com.br/anapolis/

Nosso Site. http://www.cintegrado.com.br/anapolis/ Nosso Site http://www.cintegrado.com.br/anapolis/ MÓDULO I INFORMÁTICA BÁSICA Endereço do grupo Endereço da web atual: http://douglasddp.wordpress.com.br Endereço de e-mail atual: douglas.ddp@gmail.com

Leia mais

Linux? O que é, para que serve, etc. http://gul.dei.isep.ipp.pt. isep. Grupo de Utilizadores de Linux do Departamento de Eng. Informática do ISEP

Linux? O que é, para que serve, etc. http://gul.dei.isep.ipp.pt. isep. Grupo de Utilizadores de Linux do Departamento de Eng. Informática do ISEP ? O que é, para que serve, etc Grupo de Utilizadores de do Departamento de Eng. Informática do ISEP http://gul.dei..ipp.pt 1 O que é o O é um sistema operativo que corre em quase todos os tipos de computadores

Leia mais

Introdução a Banco de Dados. INTRODUÇÃO

Introdução a Banco de Dados. INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O termo banco de dados é bastante popular em diversas áreas de atuação. Com o aumento da utilização de computadores na manipulação de dados que envolvem diversas aplicações, os bancos de dados

Leia mais

Tipos de Software e Ambientes de Processamento

Tipos de Software e Ambientes de Processamento Universidade São Judas Tadeu Prof. André Luis Ribeiro Prof. Jorge Luis Pirolla Introdução à Computação Tipos de Software e Ambientes de Processamento Tópicos Formas de Processamento de Dados Sistema de

Leia mais

Linux e Computação Científica

Linux e Computação Científica Linux e Computação Científica Sumário Motivação Noções de Sistemas Operacionais Ferramental Computação Científica Motivação Financeira Linux é livre Desempenho Linux gerencia melhor recursos de processdor,

Leia mais

Módulo de Catalogação e Pesquisa

Módulo de Catalogação e Pesquisa Módulo de Catalogação e Pesquisa BIBLIObase, versão 2004 Procedimentos de instalação 1. EQUIPAMENTO MÍNIMO NECESSÁRIO Antes de instalar o BIBLIObase verifique se a configuração e as características mínimas

Leia mais

Novas aquisições. Classificação: 65 P562p. Título: Procuram-se super-heróis. inovação. Classificação: 376 G392c

Novas aquisições. Classificação: 65 P562p. Título: Procuram-se super-heróis. inovação. Classificação: 376 G392c Janeiro, Fevereiro e Março / 2015 Classificação: 65 P562me Título: A menina do vale 2 Assunto: Empreendedorismo; inovação Classificação: 65 P562p Título: Procuram-se super-heróis Assunto: Empreendedorismo;

Leia mais

Escola Superior de Redes

Escola Superior de Redes Escola Superior de Redes Por que uma Escola Superior de Redes? Capacitação em TIC é um dos objetivos do Programa Prioritário de Informática do MCT/SEPIN (PPI RNP). A ESR é um novo instrumento na realização

Leia mais

26 de agosto de 2014 Belo Horizonte - MG Claudio Mello

26 de agosto de 2014 Belo Horizonte - MG Claudio Mello Cloud Computing IX Encontro dos Profissionais de TI das Cooperativas Mineiras 26 de agosto de 2014 Belo Horizonte - MG Claudio Mello Apresentação 20 anos de experiência nas áreas de Tecnologia da Informação

Leia mais

Arquiteturas para Sistemas Distribuídos I

Arquiteturas para Sistemas Distribuídos I Arquiteturas para Sistemas Distribuídos I Pedro Ferreira Departamento de Informática Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Tópicos Estilos Arquiteturais: formas de desenhar o software do SD Organização

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 4

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 4 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 4 Índice 1. História da Arquitetura de Computadores - Continuação..3 1.1. Terceira Geração Circuitos Integrados (1965 1980)... 3 1.2. Quarta Geração Integração em Larga

Leia mais

Fundamentos de Arquitetura e Organização de Computadores

Fundamentos de Arquitetura e Organização de Computadores Fundamentos de Arquitetura e Organização de Computadores Dois conceitos fundamentais no estudo dos sistemas de computação são o de Arquitetura e Organização de computadores. O termo arquitetura refere-se

Leia mais

Glossário Versão 1.0 Desenvolvimento do Sistema de Gestão de Documentos Doc Manager Histórico de Revisão

Glossário Versão 1.0 Desenvolvimento do Sistema de Gestão de Documentos Doc Manager Histórico de Revisão Glossário Versão 1.0 Desenvolvimento do Sistema de Gestão de Documentos Doc Manager Cliente: São José Agroindustrial Representante do cliente: Paulo José de Souza Histórico de Revisão 1 Data Versão Descrição

Leia mais

A instalação da vantagem VT em um PC

A instalação da vantagem VT em um PC A instalação da vantagem VT em um PC Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Procedimento de instalação Troubleshooting Informações Relacionadas Introdução A vantagem

Leia mais

BARRAMENTOS DE MICROCOMPUTADORES

BARRAMENTOS DE MICROCOMPUTADORES BARRAMENTOS DE MICROCOMPUTADORES 1. INTRODUÇÃO Um sistema baseado em microcomputador utiliza os barramentos de endereços, dados e controle para efetuar a comunicação entre o microprocessador e os dispositivos

Leia mais

Polycom SoundPoint IP 321 e 331 Telefones IP básicos com recursos de nível corporativo e uma excepcional qualidade de voz

Polycom SoundPoint IP 321 e 331 Telefones IP básicos com recursos de nível corporativo e uma excepcional qualidade de voz Polycom SoundPoint IP Phones A família de telefones SoundPoint IP da Polycom potencializa as capacidades de redes VoIP baseadas em SIP para proporcionar uma revolucionária qualidade de voz e recursos avançados

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Evolução e Desempenho dos Computadores Slide 1 Conceitos Arquitetura do Computador Refere-se aos atributos que são visíveis para o programador. Ex: conjunto

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação

Introdução à Ciência da Computação 1 Universidade Federal Fluminense Campus de Rio das Ostras Curso de Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação Professor: Leandro Soares de Sousa e-mail: leandro.uff.puro@gmail.com site:

Leia mais

Informática Sistemas Operacionais Aula 5. Cleverton Hentz

Informática Sistemas Operacionais Aula 5. Cleverton Hentz Informática Sistemas Operacionais Aula 5 Cleverton Hentz Sumário Introdução Fundamentos sobre Sistemas Operacionais Gerenciamento de Recursos Interface Com Usuário Principais Sistemas Operacionais 2 Introdução

Leia mais

5 - Qual é a principal vantagem de desenvolvimento de código por pares:

5 - Qual é a principal vantagem de desenvolvimento de código por pares: 1 - Quais são os atributos essenciais de um bom software: a) Ser baseado numa boa linguagem de programação b) Fácil manutenção, segurança, eficiência e aceitabilidade c) Fácil manutenção e simplicidade

Leia mais

SAFETY Tecnologia de Safety Passivo

SAFETY Tecnologia de Safety Passivo SAFETY Tecnologia de Safety Passivo Fiação SAFETY MVK Metálico Cube67 MASI67 / MASI68 02 O MÓDULO SAFETY Combinados de forma inteligente, módulos de rede de campo e saídas seguras de acordo com as exigências

Leia mais

Banco de Dados para Redes. Cassio Diego cassiodiego.com

Banco de Dados para Redes. Cassio Diego cassiodiego.com Banco de Dados para Redes Cassio Diego cassiodiego.com 1 Agenda 03/11 - Unidade 4 + Exercícios; 10/11 - Unidade 5 + Exercícios; 17/11 - Revisão; 24/11 - AV2; 01/12 - AV3. 2 Aula de hoje UNIDADE 4: ARQUITETURA

Leia mais

Técnicas de Programação para a Web. Luiz Cláudio Silva. Novembro de 2005. Apresentação

Técnicas de Programação para a Web. Luiz Cláudio Silva. Novembro de 2005. Apresentação Técnicas de Programação para a Web Luiz Cláudio Silva Novembro de 2005 Apresentação Objetivos Gerais Identificar os diversos modelos de funcionamento de uma aplicação Web Citar as caracterísitcas de uma

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 5 Sistemas Biométricos 1. Sistema Biométrico Típico Qualquer que seja a característica

Leia mais

Jogos de Computador e Ciência da Computação

Jogos de Computador e Ciência da Computação Jogos de Computador e Ciência da Computação Wallace Santos Lages Computer Graphics and Game Technology Group UFMG-Mostra de Profissões/2007 Ontem Jogos Eletrônicos - Origem Tenis para Dois William Higinbotham

Leia mais

Especialização Disciplina Sistemas Distribuídos Prof. Cesar A. Tacla UTFPR/Curitiba

Especialização Disciplina Sistemas Distribuídos Prof. Cesar A. Tacla UTFPR/Curitiba - 1 - - 2 - - 3 - A arquitetura de um sistema é a sua estrutura em termos dos elementos (componentes) constituintes. O objetivo de uma arquitetura (e de dividi-la em componentes) é assegurar que a estrutura

Leia mais

Requisitos do sistema para Qlik Sense. Qlik Sense 2.2 Copyright 1993-2016 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Requisitos do sistema para Qlik Sense. Qlik Sense 2.2 Copyright 1993-2016 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Requisitos do sistema para Qlik Sense Qlik Sense 2.2 Copyright 1993-2016 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2016 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS 1 SISTEMAS OPERACIONAIS Profª Josiane T. Ferri Licenciada em Computação prof.jositf@yahoo.com.br facebook.com/josiferri AVALIAÇÕES A avaliação se dará mediante a observação dos seguintes pontos: Organização

Leia mais

EVOLUÇÃO DOS COMPUTADORES

EVOLUÇÃO DOS COMPUTADORES EVOLUÇÃO DOS COMPUTADORES 1943 2 O primeiro computador do mundo foi o ENIAC, sigla que significa Electronic Numerical Integrator and Computer, um trabalho conjunto do Professor John Mauchly, conjuntamente

Leia mais

Guia de desenvolvimento de um aplicativo para o sistema operacional Android

Guia de desenvolvimento de um aplicativo para o sistema operacional Android Guia de desenvolvimento de um aplicativo para o sistema operacional Android Introdução Este documento será voltado para o desenvolvimento de um aplicativo na plataforma Android (sistema operacional do

Leia mais

Plano de Ensino CURSO: TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS DISCIPLINA: JOGOS MASSIVOS PELA INTERNET

Plano de Ensino CURSO: TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS DISCIPLINA: JOGOS MASSIVOS PELA INTERNET CURSO: TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS DISCIPLINA: JOGOS MASSIVOS PELA INTERNET Matriz Curricular 016-1 Carga Horária 80 H/A EMENTA Estudo dos fundamentos para elaboração de um projeto usuários pela Estudo

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE MOVIMENTAÇÃO DE COLABORADORES

SISTEMA DE CONTROLE DE MOVIMENTAÇÃO DE COLABORADORES SISTEMA DE CONTROLE DE MOVIMENTAÇÃO DE COLABORADORES Anderson Cristiano Rosas Quinteiro 1, Ricardo Rall 2 1 Aluno de graduação do curso de Informática para Negócios Fatec Botucatu, acrquinteiro@gmail.com.

Leia mais

INFORMÁTICA. www.fatodigital.com.br. Introdução à Informática Hardware CONHECIMENTOS BÁSICOS EM INFORMÁTICA

INFORMÁTICA. www.fatodigital.com.br. Introdução à Informática Hardware CONHECIMENTOS BÁSICOS EM INFORMÁTICA Introdução à Informática Hardware 1 CONHECIMENTOS BÁSICOS EM INFORMÁTICA Hardware - parte física do equipamento, ou seja, tudo aquilo que é palpável. Software - programas. Peopleware - parte humana do

Leia mais

Para ser usado com aplicativos ativados para scanner/leitor de Código QR

Para ser usado com aplicativos ativados para scanner/leitor de Código QR Xerox QR Code App Guia de Utilização Rápida 702P03999 Para ser usado com aplicativos ativados para scanner/leitor de Código QR Use o QR (Quick Response) Code App com os seguintes aplicativos: Aplicativos

Leia mais

TUTORIAL SOBRE O GOOGLE DOCS

TUTORIAL SOBRE O GOOGLE DOCS TUTORIAL SOBRE O GOOGLE DOCS O Google Docs é um recurso do Google que funciona como um HD virtual permitindo criar e compartilhar trabalhos on-line. Ele é uma ferramenta com características da nova tendência

Leia mais

Guia de Instalação do "AirPrint"

Guia de Instalação do AirPrint Guia de Instalação do "AirPrint" Versão 0 POR Definições de notas Ao longo deste Manual do Utilizador, é utilizado o seguinte ícone: Nota As Notas indicam o que fazer perante uma determinada situação ou

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação Campus Guaíba Cursos de Informática Projeto de Inclusão Digital APOSTILA APOSTILA CONCEITOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA

Curso de Sistemas de Informação Campus Guaíba Cursos de Informática Projeto de Inclusão Digital APOSTILA APOSTILA CONCEITOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA CONCEITOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA Agosto, 2006 Apresentação A apostila de Conceitos Básicos de Informática tem por objetivo apresentar aos alunos os conceitos relacionados à área de tecnologia. Esquema

Leia mais

Oficina de Informática e Telemática

Oficina de Informática e Telemática UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ (UESC) Criada pela Lei 6.344, de 05.12.1991, e reorganizada pela Lei 6.898, de 18.08.1995 e pela Lei 7.176, de 10.09.1997 Oficina de Informática e Telemática Prof. Dr.

Leia mais

19/9/2011. Canais de distribuição. Introdução

19/9/2011. Canais de distribuição. Introdução Canais de distribuição Gestão da distribuição Prof. Marco Arbex Introdução Toda produção visa a um ponto final, que é entregar os seus produtos ao consumidor; Se o produto não está disponível na prateleira,

Leia mais

Especificação Técnica do Leitor Biométrico Griaule

Especificação Técnica do Leitor Biométrico Griaule Especificação Técnica do Leitor Biométrico Griaule Especificação Técnica Preparado por Rafael Roque Viana Analista de Sistemas Versão 1.0 01/11/2013 1. INTRODUÇÃO O presente documento tem como objetivo

Leia mais

SIG. USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio

SIG. USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio SIG USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio Os Sistemas de Informações e os Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) podem ser manuais e eletrônicos. I parte SIGs eletrônicos Tecnologias

Leia mais

Com uma melhoria no visual o sistema conta com novidades e alguns aprimoramentos nos recursos já existentes.

Com uma melhoria no visual o sistema conta com novidades e alguns aprimoramentos nos recursos já existentes. O Microsoft Windows XP traz maior estabilidade e segurança com um sistema operacional que aposentarde vez o velho MS-DOS. Esta nova versão herda do Windows NT algumas qualidades que fazem do XP a melhor

Leia mais

Fundamentos da Informática Aula 02 - Softwares aplicativos: Realizando o trabalho Exercícios - REPOSTAS Professor: Danilo Giacobo

Fundamentos da Informática Aula 02 - Softwares aplicativos: Realizando o trabalho Exercícios - REPOSTAS Professor: Danilo Giacobo Fundamentos da Informática Aula 02 - Softwares aplicativos: Realizando o trabalho Exercícios - REPOSTAS Professor: Danilo Giacobo Múltipla escolha 1. O profissional de informática que desenvolve e testa

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 036, de 15 de março de 2004.

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO SUPERVISOR WEB

MANUAL DE INSTALAÇÃO SUPERVISOR WEB MANUAL DE INSTALAÇÃO SUPERVISOR WEB [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Frente

Leia mais

Q1 Q2 Q3 Total. Nome. Assinatura -

Q1 Q2 Q3 Total. Nome. Assinatura - Fundação CECIERJ - Vice Presidência de Educação Superior a Distância Curso de Tecnologia em Sistemas de Computação UFF Disciplina: INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA AP1-2 o semestre de 2008 Data... Nome Assinatura

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REDE DE COMPUTADORES II Prof. Dr. Adenauer C.

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REDE DE COMPUTADORES II Prof. Dr. Adenauer C. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REDE DE COMPUTADORES II Prof. Dr. Adenauer C. Yamin MRTG Bruno Andretti Duarte¹

Leia mais

Sistema Operacional. Implementação de Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais

Sistema Operacional. Implementação de Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais Sistema Operacional Implementação de Processo e Threads O mecanismo básico para a criação de processos no UNIX é a chamada de sistema Fork(). A Figura a seguir ilustra como que o processo e implementado.

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Apresentação da Disciplina Laboratório de Sistemas Operacionais Prof. Fernando Nakayama de Queiroz fernando.queiroz@ifpr.edu.br Sobre o professor... Fernando Nakayama de Queiroz fernando.queiroz@ifpr.edu.br

Leia mais

Status avançado Modo Paralelo 1 Aceitar Init. Modo Paralelo 2 Buffer Trabalhos Comutação p/ PCL MAC Binary PS Protocolo. Modo NPA Configuração p/ PS

Status avançado Modo Paralelo 1 Aceitar Init. Modo Paralelo 2 Buffer Trabalhos Comutação p/ PCL MAC Binary PS Protocolo. Modo NPA Configuração p/ PS Use o para alterar as configurações da impressora que afetam os trabalhos enviados à impressora por uma porta paralela (Paralela Padrão ou Opção Paralela ). Selecione um item de menu para obter mais

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS MÓDULO 1

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS MÓDULO 1 FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS MÓDULO 1 Índice 1. Introdução...3 1.1. Conceituação dos Sistemas Operacionais... 3 2 1. INTRODUÇÃO 1.1. CONCEITUAÇÃO DOS SISTEMAS OPERACIONAIS A maior parte dos equipamentos

Leia mais

Flávia Rodrigues. Silves, 26 de Abril de 2010

Flávia Rodrigues. Silves, 26 de Abril de 2010 Flávia Rodrigues STC5 _ Redes de Informação e Comunicação Silves, 26 de Abril de 2010 Vantagens e Desvantagens da Tecnologia Acessibilidade, quer a nível pessoal quer a nível profissional; Pode-se processar

Leia mais

Tipos de Banco de Dados - Apresentação

Tipos de Banco de Dados - Apresentação Tipos de Banco de Dados - Apresentação Assunto: Tipo de Banco de Dados Professor: Altair Martins de Souza Disciplina: Banco de Dados Colégio Padre Carmelo Perrone 2 Ano - 2015 Tipos de Banco de Dados -

Leia mais

CARTILHA UTILIZAÇÃO DE PEN DRIVES NAS ESTAÇÕES DE TRABALHO DO TJPE NOVAS REGRAS DE UTILIZAÇÃO

CARTILHA UTILIZAÇÃO DE PEN DRIVES NAS ESTAÇÕES DE TRABALHO DO TJPE NOVAS REGRAS DE UTILIZAÇÃO CARTILHA UTILIZAÇÃO DE PEN DRIVES NAS ESTAÇÕES DE TRABALHO DO TJPE NOVAS REGRAS DE UTILIZAÇÃO Cartilha para utilização de pen drives nas estações de trabalho do TJPE Novas regras de utilização 1º Edição

Leia mais

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/06/06 1

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/06/06 1 Informática I Aula 19 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/06/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA. Área técnica: Inclusão Digital

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA. Área técnica: Inclusão Digital Área técnica: Inclusão Digital CURSO: Access Básico Objetivo: Capacitar o participante leigo a compreender os recursos básicos de um Banco de Dados do tipo relacional, desde a criação de tabelas, relacionamentos,

Leia mais

Cartões Multimédia Externos Manual do utilizador

Cartões Multimédia Externos Manual do utilizador Cartões Multimédia Externos Manual do utilizador Copyright 2009 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Java é uma marca comercial da Sun Microsystems, Inc. nos E.U.A. O logótipo SD é uma marca comercial

Leia mais

O que é Microsoft Excel? Microsoft Excel. Inicialização do Excel. Ambiente de trabalho

O que é Microsoft Excel? Microsoft Excel. Inicialização do Excel. Ambiente de trabalho O que é Microsoft Excel? Microsoft Excel O Microsoft Excel é um programa para manipulação de planilhas eletrônicas. Oito em cada dez pessoas utilizam o Microsoft Excel pra trabalhar com cálculos e sistemas

Leia mais

Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS DISTRIBUÍDOS. Marcelo Henrique dos Santos

Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS DISTRIBUÍDOS. Marcelo Henrique dos Santos Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS DISTRIBUÍDOS Marcelo Henrique dos Santos Marcelo Henrique dos Santos Email: Site: marcelosantos@outlook.com www.marcelohsantos.com.br TECNOLOGIA EM JOGOS

Leia mais

Este trabalho foi motivado basicamente por três fatores:

Este trabalho foi motivado basicamente por três fatores: Introdução à ITIL ITIL vem do inglês IT infra-structure library e, como o próprio nome diz, é uma biblioteca ou um conjunto de livros que apresenta melhores práticas para a gestão dos serviços de TI. Esta

Leia mais

TOKEN RING & TOKEN BUS

TOKEN RING & TOKEN BUS TOKEN RING & TOKEN BUS Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Redes de Comunicação 10º Ano Nome: Diogo Martins Rodrigues Ferreira 2013/2014 ÍNDICE Introdução...2 Token

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA Hardware & Software Macau-RN Novembro/2014 Sumário Introdução... 1 Evolução dos computadores... 1 Hardware...

Leia mais

Manual do Usuário da Biblioteca 1.0

Manual do Usuário da Biblioteca 1.0 Manual do Usuário da Biblioteca 1.0 1 Sumário Apresentação Pesquisa Simples área de buscas Pesquisa Avançada Aquisições Periódicos Resultado das Buscas Detalhamento do Acervo Google Books Z3950 Busca Biblioteca

Leia mais

Universidade Estadual de Goiás Campus Posse Ano 2015

Universidade Estadual de Goiás Campus Posse Ano 2015 Professor: José Ronaldo Leles Júnior Email: juniorleles80@gmail.com Curso: Sistemas de Informação Universidade Estadual de Goiás Campus Posse Ano 2015 A crise do software e sua origem O conceito de Engenharia

Leia mais

INTEGRAÇÃO JAVA COM ARDUINO

INTEGRAÇÃO JAVA COM ARDUINO INTEGRAÇÃO JAVA COM ARDUINO Alessandro A. M. De Oliveira 3, Alexandre O. Zamberlan 3, Reiner F Perozzo 3, Rafael O. Gomes 1 ;Sergio R. H Righi 2,PecilcesP. Feltrin 2 RESUMO A integração de Linguagem de

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais 1 Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware Gerencia os recursos do computador (CPU, dispositivos periféricos). Estabelece

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução às Redes de Computadores www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução Com os computadores conectados através da Internet a informação é disseminada

Leia mais