JORNADAS CULTURAIS 2014 VÊM AÍ!!!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JORNADAS CULTURAIS 2014 VÊM AÍ!!!"

Transcrição

1 Edição: Escola Profissional Abreu Callado/GAEP Periodicidade: trimestral Nº 7 janeiro - março 2014 JORNADAS CULTURAIS 2014 VÊM AÍ!!! NÃO PODES PERDER!!

2 nº07 JORNADAS CULTURAIS 2014 Índice AS JORNADAS CULTURAIS 3 - Jornadas Culturais Festa de Natal 5 - Carnaval PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE 6 - Dia da Internet Mais Segura 7 - A Importância da Caminhada ANIMADOR SOCIOCULTURAL 8 - O que nós sentimos nos Estágios 10 - Corpos Expressivos à solta na Festa de Natal/Decoração de Natal 11 - Cenário de Marionetas 12 - Viagem ao Mundo do Teatro TÉCNICO DE TURISMO 13 - Visita de Estudo ao Parque Ecológico do Gameiro 14 - Termas de Cabeço de Vide / Termas da Sulfúrea 15 - Opiniões da Turma 16 - O Desenvolvimento Sustentável e o Turismo 17 - O Nome de Avis e a Lenda das Águias TÉCNICO DE INFORMÁTICA DE GESTÃO / TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS 18 - Decorações de Natal 19 - Opiniões 20 - Montagem de um Robot Bot'nRoll ONE C 21 - Opiniões ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES 22 - Atividades da Lista Z PASSATEMPOS JORNADAS CULTURAIS Pág.. 3 FESTA DE NATAL - Pág. 4 CARNAVAL - Pág. 5 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE - Pág. 6

3 Editorial O JORNADAS CULTURAIS 2014 ano letivo vai a meio do seu percurso e já mexem no bastidor as Jornadas Culturais Planeiam-se atividades, desenhamse ideias e preenchem-se aos poucos os dias (e as noites, pois claro!) que irão ter uma azáfama desusada e reinventada, graças à equipa que tomou a seu cargo a animação de um evento que já é parte da vida da EPAC : parte viva, exuberante e que deve ser participada por toda a comunidade escolar! Os objetivos são os mesmos de sempre : trazer até nós, em oportunidade muito especial, as famílias dos nossos alunos, as outras escolas, a comunidade local e concelhia, e as populações vizinhas que assim vêm cultivar o espírito de participação que se deseja domine todo o tempo das Jornadas. E mostrar-lhes o que estamos a fazer, como é e como se leva a cabo o nosso contributo para o desenvolvimento do nível educacional da região onde estamos inseridos, -- e muito especialmente como queremos cumprir a missão da casa-mãe a que todos estamos ligados, a Fundação Abreu Callado. Vai haver animação e vão suceder-se atividades lúdico-escolares dos mais diversos tipos, chamando a atenção dos pais e dos potenciais novos alunos para aquilo que é a nossa finalidade global : formar pessoas, manter acesa no concelho de Avis a chama do ensino secundário que tão cara é aos munícipes de raíz e de coração, e ir apontando pistas para o futuro dos que terminem os seus cursos e se queiram lançar num dos dois percursos alternativos que a EPAC proporciona -- a continuidade para o ensino superior ou a entrada no mercado de trabalho como técnicos intermédios das especialidades que tenham elegido para a sua carreira profissional. Neste jornal, poderá já ser percepcionado o programa que está a ser delineado, e que cobre os objetivos que acima se relevam e enquadram a celebração desses três dias de confraternização e de vivência plena da comunidade escolar da EPAC. E deseja-se, desde já e com insistência veemente, que as Jornadas sejam de todos, para todos e participadas por todos, -- entendendo-se desta forma como uma realização dessa comunidade, que mostra assim ao exterior ter vida muito própria e estar presente no nosso dia-a-dia como elo de ligação às populações que serve e nas quais prioriza e elege os jovens que querem seguir o seu percurso académico na Escola Profissional Abreu Callado. E as JC de 2014 são uma etapa importante dessa caminhada comum, esperando-se que superem as expectativas e ultrapassem o êxito dos anos anteriores. Jornadas Culturais 2012/ Noite de Talentos Jornadas Culturais 2012/ Espaço de Proteção Civil Jornadas Culturais 2012/ Concerto O Presidente do Conselho Diretivo Jornadas Culturais 2012/ Animação de Rua - Curso de Animador Sociocultural 3

4 omo já é habitual na Escola Profissional Abreu Callado, foi realizada a Festa C de Natal do ano letivo 2013/2014, onde todos participaram com afinco, desde os docentes aos alunos e funcionários em geral. Os alunos dos Cursos lecionados na escola, realizaram várias atividades de entretenimento para a comunidade escolar. As turmas do curso de Animador Sociocultural realizaram diversas atividades: de teatro, com caracterizações muito bem-sucedidas; de dança e de música. Os cursos da área de Informática ofereceram à comunidade escolar uma demonstração de dança e de música. Por último, o curso de Técnico de Turismo realizou um Quiz sobre diversos países e os seus costumes natalícios. Este evento teve lugar no pavilhão gimnodesportivo da Escola Profissional Abreu Callado, onde era visível o interesse de toda a comunidade escolar. Prof.ª Mª Carmo Cancela d Abreu PARABÉNS A TODOS!!! 4

5 S erpentinas, máscaras, alegria e muita diversão estiveram presentes no desfile de carnaval, que mais uma vez aconteceu pelas ruas de Benavila, no dia 28 de fevereiro. Os alunos e alguns docentes da Escola Profissional Abreu Callado, juntamente com as crianças, auxiliares e professores do 1º ciclo da Escola Primária e do Jardim de Infância de Benavila, mascararam-se e trajaram fatos coloridos e também reciclados, mostrando que a imaginação e a criatividade estão sempre presentes. Um agradecimento aos participantes, já que mais uma vez, todos juntos colorimos as ruas de Benavila, como as fotografias ilustram Prof.ª Ana Luísa Baptista 5 Jornal da EPAC março 2014

6 O P.E.S - Programa de Educação para a Saúde este mês destaca duas áreas do seu domínio: a Saúde Mental e a Atividade Física. uma sessão de esclarecimentos muito útil. F oi realizada no Fórum de Eventos da Fundação Abreu Callado, no dia 19 de fevereiro, uma palestra denominada Dia da Internet Mais Segura, organizada pela Escola e nomeadamente, Direção Técnico Pedagógica, Programa de Educação para a Saúde (PES) e Gabinete de Apoio Escolar e Profissional (GAEP), com a colaboração da Escola Segura GNR de Ponte de Sor. O intuito desta palestra foi alertar os nossos jovens para os perigos da Internet, quando não é utilizada com segurança. De forma a permitir um maior esclarecimento desta matéria, contou-se com o apoio de dois elementos da Guarda Nacional Republicana, que realizaram Esta ação, além de interessante, foi bastante opurtuna, pois foram colocados em análise vários aspetos que muitas vezes não são levados em consideração no uso diário da internet, tais como: a falsa noção de privacidade, que existe principalmente nas redes sociais, quando são utilizadas fotos ou comentários inapropriados, o cyberbulling, que acontece principalmente por comentários realizados sobre as vítimas ; o perigo dos abusos sexuais, que acontecem muitas vezes por se conhecerem pessoas através das redes sociais e sites específicos, dando uma sensação de segurança que não é real. O objetivo desta palestra não teve como finalidade proibir o uso da internet, mas sim saber utilizá-la de forma segura. Por essa razão, foi também referido a importância de bons antivírus e de boas passwords, de forma a defendermo-nos dos inúmeros perigos que a internet contém. Ao longo da formação, os nossos jovens mostraram-se muito interessados em todos os pontos abordados pelos oradores. Desta forma, constatou-se que estas sessões são necessárias para a proteção dos utilizadores, chegando com facilidade aos jovens, que por vezes não têm consciência plena dos perigos iminentes na Internet. O nosso muito obrigado à Escola Segura. Prof.ª Mª do Carmo Cancela d Abreu 6

7 A Organização Mundial de Saúde (O.M.S.) estima que o sedentarismo (ausência ou grande diminuição de atividade física) seja responsável por cerca de dois milhões de mortes anuais, ao nível mundial. As doenças crónicas não transmissíveis, como o cancro, doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e doença mental, são a principal causa de morte, incapacidade e perda de qualidade de vida, sobretudo, nos países desenvolvidos. O risco de doença cardíaca para as pessoas menos ativas pode ser o dobro, comparado com as mais ativas. Para prevenir estas doenças, recomenda-se um estilo de vida saudável, que inclui a atividade física regular. A aptidão física associada à saúde envolve diversas componentes: aptidão aeróbia, composição corporal e aptidão muscular (força muscular, resistência e flexibilidade). Um programa de aptidão física apropriado deverá conter todos estes elementos. Dos exercícios ditos aeróbios, a caminhada é, sem sombra de dúvida, a modalidade que reúne o maior número de qualidades. Todas as pessoas que não apresentam limitações físicas importantes podem caminhar. Todos aprendem a caminhar muito cedo na vida, portanto, somos biomecanicamente mais eficientes durante uma caminhada do que durante qualquer outra atividade física, como a natação, o ciclismo ou o remo, por exemplo. Ela permite ao iniciante começar o seu programa de exercícios com cargas bem leves de trabalho e, com o tempo, ir progredindo lentamente, até atingir a intensidade ideal de treino. O custo dessa atividade física é muito baixo e pode ser realizada em praticamente qualquer lugar. Seja na rua, nos parques, na praia, no campo, em pistas de atletismo ou ginásios, realmente qualquer lugar serve para quem quer dar uma boa caminhada. Como todo o exercício aeróbio, é importante que a caminhada se prolongue por pelo menos 20 minutos. Isso é necessário para promover uma melhoria da condição física, e significa que com o decorrer do treino, maiores distâncias passarão a ser percorridas com menor esforço. Quando a caminhada dura menos do que 20 minutos, ela também promoverá melhorias na saúde, queimará gorduras e trará bem-estar, mas a melhoria da condição física será menor. Para uma boa saúde, é muito melhor caminhar pouco do que não caminhar nada. Prof. Mário Claudino DIA 23/04/2014 TODA A COMUNIDADE ESCOLAR, ÀS 10h15m, VAI PARTICIPAR NO VAMOS TODOS CAMINHAR 7

8 O meu estágio foi em Lisboa, num colégio com crianças de diferentes idades. É um sítio muito colorido e divertido e tinha crianças de várias culturas. Tive a experiência de estar com todas as crianças: desde os bebés, às crianças do A.T.L. Aprendi a ter mais responsabilidade, a saber como agir face aos seus comportamentos. Sempre fui bem recebida, as Educadoras e Auxiliares eram muito criativas, simpáticas e brincalhonas. Foi um estágio muito bom para mim, a nível profissional e também pessoal. Gostei muito. Ana Sofia Marques Local de estágio - Colégio Galáxia Branca No decorrer do meu estágio, no Centro Interculturacidade, fui escolhido para fazer uma formação os Princípios de Organização de um Evento, na Escola de Tecnologias, Inovação e Criação ETIC. Adquiri novos conhecimentos, novas experiências, fiz novos amigos, participei em vários encontros com artistas de vários países Gostei muito de estagiar neste Centro, pois foi uma experiência única e ao mesmo tempo uma oportunidade. Isaías Mendes Local de Estágio - Centro Interculturacidade Estagiar é uma experiência única e pode deixar uma porta aberta para o futuro. Foram três meses em que executei várias atividades, conheci pessoas, fiz amizades, afeiçoei-me às crianças e também foi possível ajudá-las a realizar os trabalhos. Gostei bastante de estar a estagiar na Escola EB1 / Jardim de Infância de Vale de Açor, e fiquei muito triste ao despedir-me das crianças e das pessoas que trabalham na entidade. Carolina Pedruco Local de Estágio - Jardim de Infância de Vale de Açor 8

9 Começo por dizer que o meu estágio correu muito bem, num local onde fui bem recebida e onde me adaptei com facilidade. Posso dizer que o que eu mais gostei foi estar em contacto com as crianças de diferentes idades. Em relação ao meu estágio, posso também mencionar que não me importava de voltar, pois já me sentia muito bem naquele lugar. Foi uma experiência muito engraçada, realizei as minhas atividades, convivi com as crianças, entre outras coisas que resultaram num estágio positivo. Uma experiência a repetir. Vânia Jacob Local de Estágio - Santa Casa da Misericórdia de Avis Gostei muito de realizar este estágio. Fiz algumas atividades com as crianças, foi uma boa experiência. Tive a possibilidade de adquirir diversos conhecimentos e de poder demonstrar alguns dos meus. As pessoas eram muito simpáticas, as crianças muito divertidas e os espaços bem equipados. Daniela Lopes Local de Estágio - Jardim Escola João de Deus de Ponte de Sor No decorrer do estágio, aprendi, tive experiências novas, adquiri novos conhecimentos, foi uma experiência positiva. Ao estagiar com os idosos, aprendi a dar mais atenção, a ajudá-los, tentando fazer bem ao próximo e entretê-los, tornando-os felizes, porque ser idoso não é uma doença, todos lá chegaremos um dia. Cláudia Fernandes Local de Estágio - Santa Casa da Misericórdia da Amadora No estágio consegui dar fruto à minha imaginação, pois realizei alguns trabalhos manuais. Ao efectuar as atividades propostas pela Educadora, consegui colocar em prática os conhecimentos adquiridos na escola e também aprendi algo novo. Senti-me um verdadeiro Animador! João Martins Local de Estágio - Santa Casa da Misericórdia do Cano 9

10 O s alunos do 2º ano do Curso de Animador Sociocultural, participaram na Festa de Natal da escola com os trabalhos criados na disci- plina de Expressão Corporal. Durante cerca de dois meses, exploraram movimentos, gestos e mímica e o resultado foi do agrado do público presente. Um trabalho que exigiu muita disciplina, concentração, coordenação, imaginação, humor, mas sobretudo o prazer de comunicar através do corpo. Estão todos de parabéns! Prof. ª Margarida Abrantes O corpo diz o que as palavras não podem dizer Martha Graham A turma do 2º ano do Curso de Animador Sociocultural, no âmbito da disciplina de Expressão Plástica, deu largas à imaginação e decorou alguns dos espaços da nossa Escola. Realizaram coroas de Natal com rolhas de cortiça, completando-as com vegetação, e foram penduradas nas paredes do hall para o refeitório. Reaproveitaram as figuras do presépio já realizado nos anos anteriores, e construíram uma cabana com canas de forma a dar um aspeto mais real ao presépio. Para completar a decoração, realizaram ainda com umas molduras uns arranjos natalícios, com cedro, folhagens, penas de pavão, entre outros materiais, que foram expostos na parede das escadas da Escola. Parabéns aos alunos!!! Prof. Mª Carmo Cancela d Abreu 10 Jornal da EPAC março 2014

11 N a disciplina de Expressão Plástica do Curso de Animador Sociocultural de 2º ano, construiu-se uma carroça com a finalidade de ser a base de um cenário para fantoches, marionetas e sombras chinesas, de forma a ser utilizada na disciplina de Expressão Dramática. Esta carroça foi desenhada e projetada com materiais reutilizáveis, como: paletes de madeira, uma estrutura de carrinho de bebé, panos velhos, enfim todo o tipo de materiais disponíveis, de forma a sensibilizar os alunos a reutilizarem e reaproveitarem os materiais que já não são necessários. A base da carroça foi feita com um antigo carro de bebé, que serviu de estrutura, onde foram colocadas uns painéis laterais de plástico pintados a imitar a madeira. Enquanto um grupo construía a estrutura da carroça, outro realizava as costuras dos panos de cena e pintava o cenário de fundo para a carroça. O teto da carroça foi realizado com as tiras das paletes de madeira, que foram pregadas e fixas com arames à estrutura da mesma. Este projeto irá ser completado com um cavalo já realizado nos anos anteriores pelo mesmo Curso, de forma a recriar um pouco os animadores ambulantes, que se deslocavam em carroças puxadas por cavalos ou burros, para poderem apresentar os seus espetáculos em diversas localidades. Prof.ª Maria do Carmo Cancela d Abreu Cenário da Carroça - Acrílico sobre plástico. 11

12 N o dia 15 de janeiro, os alunos do 2º ano do Curso de Animador Sociocultural usufruíram de uma visita guiada ao Teatro Garcia de Resende, em Évora, inaugurado em 1 de Junho de 1892, um dos mais representativos "teatros à italiana" existentes em Portugal, desfrutando em pleno e entusiasticamente dos espaços fabulosos que este teatro possui. De seguida assistiram ao espetáculo O mistério da pedra encantada, pelo Grupo de Teatro de Marionetas Era uma vez, na Casa dos Bonecos. Esta visita de estudo realizou-se no âmbito das disciplinas de Expressão Plástica e Expressão Dramática e teve como ponto de partida o facto dos alunos, este ano, terem um módulo, onde os conteúdos são direcionados para o trabalho de construção e manipulação de Marionetas. O interesse que os alunos no geral demonstraram, bem como os seus comentários, foram prova da satisfação e do prazer com que absorviam toda a informação e experiência que lhes estava a ser proporcionada. Uma vivência que em muito vai contribuir para o seu enriquecimento pessoal e uma excelente forma para a aquisição de alguns conteúdos, a serem aplicados durante as aulas de Expressão Plástica e Expressão Dramática. Os alunos tiveram a oportunidade de vivenciar e viajar, um pouco, pelo mundo das Marionetas, bem como por um espaço teatral de excelência. Prof.ª Margarida Abrantes 12 Jornal da EPAC março 2014

13 A turma do curso de Técnico de Turismo da Escola Profissional Abreu Callado, realizou no dia 28 de janeiro uma atividade prática, no Parque Ecológico do Gameiro. O Parque situa-se no concelho de Mora, numa área ribeirinha com vegetação e zona de lazer, banhada pela Ribeira do Raia, junto ao Açude do Gameiro. A atividade prática, designada Trilhos Fotográficos, consistiu numa atividade outdoor, do tipo aventura fotográfica e orientação, que decorreu com horários definidos no briefing inicial da atividade. Os participantes tinham como objetivo e tarefa registar fotograficamente todos os pontos de interesse, objetos, atividades, pessoas, paisagens, fauna e flora. A orientação dos participantes/equipas foi suportada pela disponibilização de meios adequados (mapas), nos quais estes encontraram registados os pontos de passagem e controlo (check points) por onde tinham obrigatoriamente que passar, fazendo prova dessa passagem pela recolha de fotografias do local referenciado. Os participantes/equipas escolheram livremente os itinerários entre cada um dos check points identificados. Este Parque distingue-se pela aposta em materiais ecológicos, localizando-se numa área rica em vegetação. Prof. José Lourenço 13

14 O 3ª ano do curso de Técnico de Turismo realizou, no dia 25 de fevereiro, uma visita às Termas de Cabeço de Vide/ Termas da Sulfúrea. O principal objetivo da visita foi o conhecimento deste tipo de empreendimento, identificando e caracterizando as principais áreas funcionais das termas, tendo em atenção as instalações e os serviços prestados. A água mineral natural das Termas da Sulfúrea caracteriza-se por, do ponto de vista físico e químico, ser uma água hipossalina, sulfúrea, cloretada, sódica e cálcica, com um ph de 11,5. A captação da água realiza-se através de dois furos verticais: (Sulfúrea I e Sulfúrea II) com 120 e 150 m respetivamente. A água emerge a uma temperatura de 19ºC. Estudos realizados pelo Instituto Superior Técnico de Lisboa, revelaram que a água utilizada nas termas é explorada há cerca de 3500 anos. Os primeiros utilizadores desta, para fins termais, terão sido os romanos, provavelmente no tempo de César Augusto (119 a.c.). Para além da ingestão, a água é utilizada em banhos de imersão simples, imersão com bolha de ar, hidromassagem, duche subaquático, duche circular, duche vidáqua (Vichy), duche de jato, estufa de vapor à coluna (Bertolaix), tratamentos locais, manilúvio e pedilúvio, tratamentos com lamas, inalação, aerossol e irrigação nasal, massagem local e geral. Na zona de bem-estar, os aquistas podem usufruir do ginásio e de tratamentos efetuados na piscina de marcha e na piscina polivalente, além de desfrutarem de outras técnicas complementares. Longe do apogeu de outras épocas, o termalismo em Portugal parece querer voltar a atingir um lugar de destaque no panorama turístico português. De facto, fruto das campanhas de divulgação mas, sobretudo, fruto do esforço desenvolvido no melhoramento das condições e na diversificação da oferta, o termalismo parece renascer da sonolência que o caracterizou nos últimos anos e que levou, nalguns casos, ao encerramento de algumas estâncias termais. Prof. José Lourenço 14

15 O Parque Ecológico do Gameiro é um ótimo destino para a prática de turismo ambiental. Para quem adora a natureza e praticar desportos, ou simplesmente desfrutar de um simples passeio ao ar livre com a família, o Parque Ecológico do Gameiro é ótimo para praticar essas atividades desportivas. Parque Ecológico do Gameiro é um lugar onde podemos fazer turismo de natureza, saúde e bem-estar. O Parque Ecológico do Gameiro é um ótimo sitio que as pessoas deveriam visitar, pois é um lugar sossegado e com lindas paisagens. Gostei muito do Parque Ecológico do Gameiro, não só porque tem belas paisagens, mas também é um bom lugar para fazer passeios pedestres. A Sulfúrea é um lugar que dá para fazer turismo de saúde e bem-estar e ver aquilo que os romanos fizeram no passado e ainda está a servir no presente. Foi muito emocionante conhecer um lugar como a Sulfúrea, que tem uma particularidade única - as suas águas. As termas são um local onde é possível satisfazer As termas são o lugar ideal para quem procura as exigências físicas, mentais e psicológicas dos descanso, lazer e desfrutar do lugar. turistas. 15 Jornal da EPAC março 2014

16 O turismo é uma das atividades económicas mais importantes a nível mundial. Porém, a intensidade das cargas a que foram sujeitas muitas áreas turísticas levou à consequente delapidação de recursos. Assim, a ideia de um turismo sustentável, um conceito hoje popularizado, começa a ganhar sentido. Ainda que sejam identificáveis os efeitos negativos da atividade turística sobre as características das áreas de acolhimento e ainda que a atividade turística seja fortemente dependente e esteja condicionada pela qualidade das condições naturais de base, o que acontece num número significativo de situações, os agentes locais seriam seguramente dos principais interessados em proteger e recuperar essas áreas de acolhimento. Como áreas de turismo, a montanha, as áreas rurais ou balneares, dependem grandemente da qualidade das condições naturais que o turista pode usufruir, por isso, o discurso/modelo estruturado em torno da sustentabilidade afigura-se como especialmente apelativo. A apetência pelas áreas mais frágeis ou em estabilidade precária podem ter efeitos particularmente negativos ou provocar tensões e conflitos, na medida em que ocorram fenómenos de concentração excessiva. São exemplo, áreas insulares, como o Arquipélago das Seicheles; de litoral, de montanha, como no Nepal; ou urbanas de matriz histórica, como Veneza ou St. Michel. Nepal Deste modo, o turismo sustentável assume um papel primordial, pois visa um turismo que funciona dentro das capacidades naturais para a regeneração e produtividade futura dos recursos naturais; reconhece o contributo de indivíduos e comunidades, costumes e estilos de vida, para a experiência do turismo; aceita que estes indivíduos devam ter uma parte equitativa nos benefícios económicos do turismo; é conduzido pela vontade dos indivíduos e das comunidades locais, nas áreas de acolhimento. Demorará muito tempo até ser possível afirmar que existe um modelo de turismo sustentável, porém se nada for feito será possivelmente mais rápido e menos falível conseguir tirar conclusões sobre a sua não sustentabilidade. St. Michel Prof.ª Raquel Sousa Arquipélago das Seicheles Veneza 16 Jornal da EPAC março 2014

17 A de Avis. maioria das pessoas desconhece a verdadeira razão que está por detrás do nome da vila sede do concelho A tradição diz-nos que, há muitos anos, um grupo de cavaleiros vindos de Évora, em busca de um lugar para construir um castelo que servisse de fortaleza contra os mouros, escolheram um sítio alto, onde, numa azinheira, poisavam duas águias. Para os cavaleiros, o aparecimento das águias (símbolo de reminiscência cristã) naquele lugar teria significado: bom agoiro. Diz a mesma tradição lendária que os freires cavaleiros construíram um castelo às escondidas dos mouros e deram o nome de Avis (que deriva de aves) ao lugar. Nem o facto de os historiadores medievais terem encontrado, num documento do geógrafo muçulmano Ibn Hwgal (da segunda metade do século X), referências a uma pequena aldeia de agricultores e pastores mouros, de nome Abêz, o mesmo que Avis em árabe, existente nesta zona e terem provado que os cavaleiros ocuparam o dito local pela força, alterou a ideia generalizada de que o nome da vila tem origem nas águias que os freires cavaleiros encontraram supostamente poisadas na azinheira. Prof. José Ramiro Caldeira 17

18 C omo já vai sendo hábito em todos os Natais, a turma do curso de Gestão de Equipamentos Informáticos/1º Ano realizou, no âmbito da disciplina de Eletrónica Fundamental, uma atividade prática: Decorações de Natal. Esta atividade valorizava uma componente experimental. A aprendizagem foi realizada através da descoberta e da investigação, tendo como objetivo o desenvolvimento de competências e de atitudes. Um dos objetivos deste trabalho, realizado pela turma, era averiguar que a ciência se encontra na vida quotidiana e, por isso, torna-se importante que os alunos compreendam a influência do desenvolvimento científico e tecnológico nas nossos vidas e no ambiente onde estamos inseridos. Valorizar o papel ativo dos alunos no processo de aprender foi o ponto de partida desta atividade. Numa primeira fase, os alunos começaram a esboçar o que queriam fazer e com o material que possuíamos foram realizadas várias decorações de Natal. Uma das bases propostas foi a utilização de material reciclado, como peças velhas de computadores usados. Esta atividade prática de Natal funcionou muito bem, com os alunos interessados, imaginativos e persuadidos no trabalho, o que permite refletir que atividades deste género motivam, impressionam e possibilitam um desenvolvimento dos alunos. Prof.ª Sandra Ferreira 18 Jornal da EPAC março 2014

19 Elaborei o meu primeiro projeto com materiais electrónicos, e esta experiência foi ótima. Também aprendi, que com imaginação tudo se pode reutilizar. O aspeto final ficou muito engraçado e é motivante ver este resultado! Neide Raposo Gostei muito de ajudar na elaboração do projeto. Fiquei a saber algumas formas de reciclar equipamento electrónico, transformando-o em arte! Luís Castelinho Fazer parte deste projeto de electrónica foi uma experiência incrível! Conseguimos construir enfeites de Natal originais, utilizando o equipamento informático para decorarmos a nossa Escola! Mariana Costa Gostei muito de participar neste projeto de electrónica, onde trabalhámos com materiais informáticos e no fim colaborámos para a decoração de Natal da escola! Duarte Rosado s alunos encontram-se a construir Páginas Web, quer na linguagem HTML quer no Programa Microsoft Expression Web. O H TML significa HyperText Markup Language. Trata-se de uma linguagem universal destinada à elaboração de páginas com hipertexto, como o próprio nome indica. A principal aplicação desta linguagem é a criação de páginas na Web, e convém esclarecer que não se trata de uma linguagem de programação, mas sim de uma espécie de linguagem de formatação onde um ficheiro de texto é formatado através de uma série de comandos chamados tags. É <html> <head> <title>a minha página HTML</title> </head> <body> <h1>o meu primeiro cabeçalho.</h1> <p>o meu primeiro parágrafo.</p> </body> </html> o mais recente editor web desenvolvido pela Microsoft e permite-nos criar páginas no modo WYSIWYG (o que tu vês é o que tu obténs). Possui enumeras funcionalidades que vão desde a criação de páginas HTML simples até à criação de páginas dinâmicas, através da utilização de linguagens de programação tais como ASP, PHP, etc Prof.ª Laura Pinheiro F azendo uso destas duas ferramentas, os alunos deitaram mãos à obra e eis algumas das páginas concebidas: 19

20 N a disciplina de Eletrónica Fundamental, o Curso de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos do 2º ano encontra-se a realizar uma atividade prática de montagem de robots, que envolve todos os conceitos práticos necessários aos conteúdos programáticos dos módulos Tecnologias de Eletricidade e Circuitos Impressos. Nesta atividade utilizou-se um modelo Bot'nRoll ONE C, que é um robô autónomo fornecido em peças para montagem e foi desenvolvido a pensar nos que se iniciam na robótica, embora seja um grande desafio para os mais experientes. Todos os componentes são soldados pelo utilizador seguindo as instruções do manual. É um produto didático, que se dirige a todos os que pretendem estrear-se no universo da robótica. A montagem deste robô possibilita a aproximação dos alunos a alguns dos componentes eletrónicos mais comuns, possuindo uma montagem mecânica, que desenvolve conhecimentos de destreza manual, uma montagem elétrica e uma montagem eletrónica que permitem introduzir conteúdos programáveis, ao nível da parte elétrica e da soldagem de componentes. Em termos didáticos, na minha opinião, este kit é uma ferramenta de trabalho capaz de auxiliar na transmissão de conhecimento desde a eletrónica à programação. Este robô, permite o estudo de um vasto leque de conceitos numa perspetiva muito prática. Prof.ª Sandra Ferreira 20

21 Eu gostei de construir os robôs, porque pusemos em prática todos os conhecimentos de robótica, soldadura e de programação. Fábio Correia Montar um robô é como dar vida a algo inanimado, desde soldar, fazer ligações elétricas, programar e ajustar. É muito interessante, pois conseguimos perceber que com trabalho podemos construir algo útil. Ermelindo Parreira Foi interessante aprender a trabalhar com robôs, pois é uma matéria que poderá ser útil na minha carreira profissional. Filipe Rosa Foi interessante aprender a montar os robôs, porque foi-nos ensinado a soldar e a programar os mesmos. Esta atividade foi muito divertida. Mauro Silva A atividade da construção do robô foi muito interessante. No processo de construção, o que gostei mais foi ter aprendido a soldar. Luzia Reis 21

22 contributo. N a Escola Profissional Abreu Callado foi eleita no passado período escolar, a Direção da Associação de Estudantes - Lista Z. Esta é constituída por onze elementos: Henrique Coelho, André Soutenho, João Tomé, Maria Beatriz, Luzia Reis, Patrícia Botas, Patrícia Neves, Duarte Rosado, Pedro Balixa, Sara Galvão e Irina Ribeiro. A lista Z pretende melhorar e promover ações que proporcionem aos alunos um maior gosto pela Escola Profissional Abreu Callado. A ajuda de todos é essencial e é aceite. Enquanto Associação, somos um grupo de estudantes que luta pelos direitos e deveres dos alunos, sem nunca descurar o valor humano de cada um e o seu Vogal da A.E - Irina Ribeiro N o final do primeiro período, a Associação de Estudantes realizou conjuntamente com o GAEP e colaboração com o professor de Educação Física - Mário Claudino, um torneio inter-turmas de futsal e um torneio de badminton. Existem outras propostas para o decorrer do ano letivo. Noites de cinema: As noites de cinema realizam-se uma vez por semana. De três filmes propostos será eleito apenas um. Esta atividade tem o objetivo de divulgar a sétima arte e promover o gosto pelo cinema. Apoio ao aluno: O apoio ao Aluno é dirigido a todos os alunos que tenham interesse em comparecer para estudar ou realizar trabalhos relacionados com a Escola. Temos como objetivo incutir a necessidade de hábitos de estudo. Almoço musical: O almoço musical consiste na colocação de música durante a hora de almoço no refeitório. O objetivo desta atividade é tornar a refeição mais agradável através de música ambiente. Grupo de dança: O grupo de dança é dinamizado por dois elementos da Associação de Estudantes. Com este grupo de dança temos como objetivo desenvolver a criatividade e o gosto pela dança. Serão estas as atividades que a Lista Z irá realizar no decorrer do ano letivo, além de outras que serão surpresa. Agradecemos a todos os colaboradores. A Direção da Associação de Estudantes, reforça que está aberta a opiniões, sugestões ou ideias de todos os alunos. Participem!!!! 22

23 SUDOKU Solução: SOPA DE LETRAS Solução: REPÚBLICA CHECA DESCOBRE AS DIFERENÇAS: PÁSSAROS; MONTANHA; CASAS AO LONGE; OLHOS, CORDEL NA LANÇA E ESCUDO SOPA DE LETRAS PALAVRAS CRUZADAS 1 - Tipo de tempero 2 - Aquele que cria as leis 3 - Escritor Russo 4 - Faz parte do Sistema Solar 5 - Antiga civilização 6 - Estilo musical 7 - Famoso pintor 8 - Fábrica de roupas 9 - Fantasia 10 - Regra, em Inglês 11 - Ilha da Indonésia 12 - Órgão do Olfato 13 - Animal Pré-Histórico 14 - Fruta 15 - Objetivo 16 - Muito usado em saladas O Acordo Ortográfico não está aplicado.

24 ESPAÇOS TEMÁTICOS RECEÇÃO DAS ESCOLAS ATIVIDADES DESPORTIVAS FEIRA DO LIVRO MÚSICA NOITE DE TALENTOS JORNADAS CULTURAIS VAMOS TODOS CAMINHAR ATIVIDADES DOS CURSOS

Escola Profissional de Pedagogia Social (EPPS)

Escola Profissional de Pedagogia Social (EPPS) Escola Profissional de Pedagogia Social (EPPS) Relatório de Actividades do ano letivo 2014/15 A Escola Profissional de Pedagogia Social (EPPS), tutelada pela API e apoiada pelo Ministério da Educação,

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá distinguir e recriar

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá

Leia mais

Setembro: 01 - Início do ano escolar - Início do ano letivo. Outubro:

Setembro: 01 - Início do ano escolar - Início do ano letivo. Outubro: CALENDARIZAÇÃO ATIVIDADES OBJETIVOS RECURSOS HUMANOS Setembro: 01 - Início do ano escolar - Início do ano letivo Preparar o ano letivo Criar uma relação de empatia entre as crianças e os adultos da sala

Leia mais

Dinâmica e Animação de Grupo

Dinâmica e Animação de Grupo Dinâmica e Animação de Grupo Desenvolvimento de Competências Turma G3D Leandro Diogo da Silva Neves 4848 Índice 1. Introdução... 3 2. Planeamento de desenvolvimento individual... 4 2.1 Competências...

Leia mais

Trabalho Prático. Breve descrição de conceitos e desenvolvimento teórico da temática

Trabalho Prático. Breve descrição de conceitos e desenvolvimento teórico da temática Trabalho Prático Designação do Projecto Proposta de Valorização da Zona Ribeirinha do Montijo Tema Cidades Saudáveis e Respostas Locais Breve descrição de conceitos e desenvolvimento teórico da temática

Leia mais

PROJECTO PEDAGÓGICO Sala 1-2 anos

PROJECTO PEDAGÓGICO Sala 1-2 anos PROJECTO PEDAGÓGICO Sala 1-2 anos Ano letivo 2015/2016 «Onde nos leva uma obra de arte» Fundamentação teórica (justificação do projeto): As crianças nesta faixa etária (1-2 anos) aprendem com todo o seu

Leia mais

Projeto Curricular do 1.º Ciclo

Projeto Curricular do 1.º Ciclo Projeto Curricular do 1.º Ciclo Tema Felizes os que constroem a vida na verdade e no bem. INTRODUÇÃO Este ano letivo 2014/2015 ficou definido como tema geral Felizes os que constroem a vida na verdade

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas Visita de estudo Geografia Conhecer o funcionamento de uma unidade industrial; Reconhecer a importância da atividade industrial na economia. Geografia e Alunos do 9º Ano Unidade Industrial 2ºPeríodo Visita

Leia mais

Plano Anual de Atividades CRECHE/JARDIM DE INFÂNCIA/CATL 2013-2014

Plano Anual de Atividades CRECHE/JARDIM DE INFÂNCIA/CATL 2013-2014 Fundação Centro Social de S. Pedro de, FCSR Plano Anual de Atividades CRECHE/JARDIM DE INFÂNCIA/CATL 2013-2014 Atividade Objetivos Recursos Calendarização Local Receção e acolhimento das crianças que vão

Leia mais

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19

1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 1. Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim não 4 19 Você conhecia a história do bairro de Pinheiros? sim 17% não 83% 2. O que achou da transformação do Largo de Pinheiros? Diferente, muito

Leia mais

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades Externato Cantinho Escolar Plano Anual de Atividades Ano letivo 2014 / 2015 Pré-escolar e 1º Ciclo Ação Local Objetivos Atividades Materiais Recursos Humanos Receção dos Fomentar a integração da criança

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES (3ª ACTUALIZAÇÃO)

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES (3ª ACTUALIZAÇÃO) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PÚBLICAS DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA (3ª ACTUALIZAÇÃO) (3ª Actualização JULHO/2008) 1 Mês: Abril/2008 ANULAR (Estava na 1ª versão sem data) ANULAR (estava na 2ª versão para o 3º

Leia mais

SEMANA DO DESPORTO SEMANA DA NATUREZA COM PRAIA

SEMANA DO DESPORTO SEMANA DA NATUREZA COM PRAIA Dia 16 de Junho - segunda -feira 17 de Junho - terça -feira 18 de Junho -quarta -feira 19 de Junho - quinta -feira 20 de Junho - sexta -feira SEMANA DO DESPORTO TPC/Atelier do Saber " desporto?? Jogos??

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Samora Correia 2011/2012

Agrupamento de Escolas de Samora Correia 2011/2012 Plano Anual de Actividades Jardins de Infância Organização do Ambiente Educativo e espaços comuns. (de 4 a 09-09-2011) Cada educadora prepara a sua sala Organizar o Ambiente Educativo educadoras. Observação

Leia mais

NEWSLETTER#5 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave

NEWSLETTER#5 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave NEWSLETTER#5 Sol do Ave - Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave Sistema de Aprendizagem Com uma vasta experiência nesta modalidade de formação, a Sol do Ave tem vindo a desenvolver

Leia mais

Trabalho 3 Scratch na Escola

Trabalho 3 Scratch na Escola Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra Departamento de Matemática Trabalho 3 Scratch na Escola Meios Computacionais de Ensino Professor: Jaime Carvalho e Silva (jaimecs@mat.uc.pt)

Leia mais

A PRÁTICA DE PROJETOS ESCOLARES COMO MEIO DE APRENDIZAGEM: UMA EXPERIENCIA EM BARRA DO GARÇAS (MT)

A PRÁTICA DE PROJETOS ESCOLARES COMO MEIO DE APRENDIZAGEM: UMA EXPERIENCIA EM BARRA DO GARÇAS (MT) A PRÁTICA DE PROJETOS ESCOLARES COMO MEIO DE APRENDIZAGEM: UMA EXPERIENCIA EM BARRA DO GARÇAS (MT) Rosinei Borges de Mendonça UFMT-Araguaia rosineibm@gmail.com Adriana Queiroz do Nascimento UFMT-Araguaia

Leia mais

Fruto do título de campeão nacional conquistado, João Pedro Sanches carimbou o passaporte para estar presente na 1.ª fase do Campeonato do Mundo, que

Fruto do título de campeão nacional conquistado, João Pedro Sanches carimbou o passaporte para estar presente na 1.ª fase do Campeonato do Mundo, que Resistência, coordenação, força e equilíbrio são alguns dos requisitos físicos necessários para a prática do Street Workout. Ainda pouco divulgada no nosso país, é uma modalidade desportiva que atrai cada

Leia mais

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL ROSA, Maria Célia Fernandes 1 Palavras-chave: Conscientização-Sensibilização-Transferência RESUMO A psicóloga Vanda

Leia mais

Regulamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) Jardim de Infância António José de Almeida

Regulamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) Jardim de Infância António José de Almeida Regulamento das Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) Jardim de Infância António José de Almeida Artigo 1º Enquadramento As atividades letivas com as educadoras no Jardim de Infância António

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Escola Secundária de DEPARTAMENTO: 1º CICLO - ATIVIDADES COMUNS ao longo do ano ATIVIDADES 15 Minutos de Leitura Crescer a Ler Levar a Ler CMC 15 de Leitura

Leia mais

Reflexão Crítica AÇÃO DE FORMAÇÃO (25 Horas)

Reflexão Crítica AÇÃO DE FORMAÇÃO (25 Horas) Reflexão Crítica AÇÃO DE FORMAÇÃO (25 Horas) A Biblioteca Escolar 2.0 FORMADORA Maria Raquel Medeiros Oliveira Ramos FORMANDA Regina Graziela Serrano dos Santos Chaves da Costa Azevedo Período de Realização

Leia mais

Direcção Regional do Norte GERAL OFICINAS FÉRIAS DE VERÃO 2013

Direcção Regional do Norte GERAL OFICINAS FÉRIAS DE VERÃO 2013 Direcção Regional do Norte GERAL OFICINAS FÉRIAS DE VERÃO 2013 Distrito: BRAGA Oficina de Desenho e Aguarela Sandra Gonçalves 1 a 12 de Julho 25 h 14:30h às 17:00h 6 a 12 Oficina de Pintura Sandra Gonçalves

Leia mais

Externato Paroquial de Colares

Externato Paroquial de Colares Fazer uma escultura é muito simples, é só arranjar um bloco de pedra e depois tirar o que estiver a mais. ( ) Educar uma criança é um processo muito simples, é só arranjar uma criança e depois deixa-la

Leia mais

Projeto Curricular de Escola

Projeto Curricular de Escola Projeto Curricular de Escola QUADRIÉNIO 2014-2018 Somos aquilo que comemos. Hipócrates Cooperativa de Ensino A Colmeia 2 Índice Introdução... 4 Identificação do Problema... 5 Objetivos... 6 Estratégias/Atividades...

Leia mais

Empreendedorismo e Tradição

Empreendedorismo e Tradição Plano de Promoção de Empreendedorismo nas Escolas do Baixo Alentejo Empreendedorismo e Tradição Proposta de Projeto Agrupamento de Escolas de Cuba OBJETIVOS Desenvolver ações que contribuam para preparar

Leia mais

1º Trabalho Listas de Discussão

1º Trabalho Listas de Discussão 1º Trabalho Listas de Discussão Catarina Santos Meios Computacionais no Ensino 05-03-2013 Índice Introdução... 3 Resumo e análise da mensagem da lista Matemática no secundário... 4 Resumo e análise da

Leia mais

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco Sobre nós Em 1997 com iniciativas dos proprietários da Fazenda Alegre conscientes da importância da preservação e conservação dos remanescentes da vegetação nativa da fazenda, áreas degradadas vêm sendo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSEFA DE ÓBIDOS DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSEFA DE ÓBIDOS DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSEFA DE ÓBIDOS DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR PLANO DE ACTIVIDADES 2006/2007 INTENCIONALIDADE EDUCATIVA O menino tem a capacidade rara de maravilhar-se, de inventar a realidade para

Leia mais

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL 2013 1. IDENTIFICAÇÃO GRUPO DE EDUCAÇÃO FISCAL ESTADUAL DE GOIÁS GEFE/GO 2. APRESENTAÇÃO O curso a distância de Disseminadores de Educação Fiscal constitui

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Cascais Plano Anual de Atividades 2014/2015 ANEXO 1 DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR E 1.º CICLO

Agrupamento de Escolas de Cascais Plano Anual de Atividades 2014/2015 ANEXO 1 DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR E 1.º CICLO ANEO 1 DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR E 1.º CICLO 0 1º Período A CAF (Componente de Apoio à Família 2 primeiras semanas de setembro e interrupção do Natal) será acionada de acordo com resposta dos Encarregados

Leia mais

PROJETO PÁGINA WEB GRUPO DISCIPLINAR DE EF

PROJETO PÁGINA WEB GRUPO DISCIPLINAR DE EF UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA MESTRADO EM ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE GAMA BARROS ESTÁGIO PEDAGÓGICO 20122013

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação DEPARTAMENTO: Pré-Escolar PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES - PROPOSTA DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO - 2010 / 2011 Coordenador(a):

Leia mais

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ Entrevista com DJ Meu nome é Raul Aguilera, minha profissão é disc-jóquei, ou DJ, como é mais conhecida. Quando comecei a tocar, em festinhas da escola e em casa, essas festas eram chamadas de "brincadeiras

Leia mais

DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E NOVAS TECNOLOGIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISICAS E NATURAIS

DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E NOVAS TECNOLOGIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISICAS E NATURAIS Governo dos Açores Escola Básica e Secundária de Velas DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E NOVAS TECNOLOGIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISICAS E NATURAIS Ano Letivo: 2014/2015

Leia mais

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências boletim Jovem de Futuro ed. 04-13 de dezembro de 2013 Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências O Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013 aconteceu de 26 a 28 de novembro.

Leia mais

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS CURSOS DE: MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA COM PESSOAS FACULDADE REDENTOR 2012 ITAPERUNA RJ MODELO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Leia mais

Reflexão: Abordagem ao domínio da matemática, comunicação oral e escrita na Educação de Infância

Reflexão: Abordagem ao domínio da matemática, comunicação oral e escrita na Educação de Infância 1 Reflexão: Abordagem ao domínio da matemática, comunicação oral e escrita na Educação de Infância Mariana Atanásio, Nº 2036909. Universidade da Madeira, Centro de Competência das Ciências Sociais, Departamento

Leia mais

MESTRADO DE QUALIFICAÇÃO PARA A DOCÊNCIA EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

MESTRADO DE QUALIFICAÇÃO PARA A DOCÊNCIA EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Instituto Superior de Educação e Ciências/Universitas Prática de Ensino Supervisionada I (Educação Pré-Escolar) MESTRADO DE QUALIFICAÇÃO PARA A DOCÊNCIA EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Identificação da Instituição:

Leia mais

Edição: Escola Profissional Abreu Callado / GAEP Periodicidade: trimestral Nº 11 Abril 2015 - Junho - 2015

Edição: Escola Profissional Abreu Callado / GAEP Periodicidade: trimestral Nº 11 Abril 2015 - Junho - 2015 Edição: Escola Profissional Abreu Callado / GAEP Periodicidade: trimestral Nº 11 Abril 2015 - Junho - 2015 nº11 Animador Sociocultural Índice Turismo Ambiental e Rural 3. EDITORIAL 4. ANIMADOR SOCIOCULTURAL

Leia mais

Ação 1 Foral andante o que eu escrevo, o que tu lês

Ação 1 Foral andante o que eu escrevo, o que tu lês Ação 1 Foral andante o que eu escrevo, o que tu lês Criar ambientes de partilha; Proporcionar momentos de incentivo à leitura e ao relevo das ilustrações; Facilitar e promover a criatividade e imaginação;

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7 5. Propostas

Leia mais

Perguntas frequentes. 20142015 Rede de Bibliotecas Escolares Plano Nacional de Leitura Direção Geral da Saúde

Perguntas frequentes. 20142015 Rede de Bibliotecas Escolares Plano Nacional de Leitura Direção Geral da Saúde Perguntas frequentes 20142015 Rede de Bibliotecas Escolares Plano Nacional de Leitura Direção Geral da Saúde lista de perguntas Projeto SOBE Trabalhar no projeto Saúde Oral, Bibliotecas Escolares (SOBE)

Leia mais

Conhecer, sentir e viver a Floresta

Conhecer, sentir e viver a Floresta Projeto de Sensibilização e Educação da População Escolar Conhecer, sentir e viver a Floresta 2011-12 Floresta, Fonte de Vida Guia das Atividades - - Dia de S. Martinho, Castanhas e Castanheiros - Dia

Leia mais

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social O Projeto Social Luminando O LUMINANDO O Luminando surgiu como uma ferramenta de combate à exclusão social de crianças e adolescentes de comunidades

Leia mais

Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil

Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil APCOI lança 4ª edição do projeto que incentiva os alunos a comer mais fruta no lanche escolar Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil Depois do sucesso das edições anteriores

Leia mais

Reggio Emília Cooperação e Colaboração

Reggio Emília Cooperação e Colaboração Reggio Emília Cooperação e Colaboração Trabalho realizado por: Alexandra Marques nº4423 Ana Sofia Ferreira nº4268 Ana Rita Laginha nª4270 Dina Malveiro nº3834 Prof. Docente: José Espírito Santo Princípios

Leia mais

D9. DOSSIER DE RESULTADOS DO IV WORKSHOP. Serviços para animação de workshops de empreendedorismo cultural PR-02199

D9. DOSSIER DE RESULTADOS DO IV WORKSHOP. Serviços para animação de workshops de empreendedorismo cultural PR-02199 Serviços para animação de workshops de empreendedorismo cultural PR-02199 novembro 2014 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 2 1.1 Objetivos... 2 1.2 Metodologia de trabalho... 2 2. RESULTADOS IV WORKSHOP... 4 2.1

Leia mais

Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil

Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil APCOI lança 5ª edição do projeto que incentiva os alunos a comer mais fruta no lanche escolar Heróis da Fruta voltam às escolas para prevenir obesidade infantil Depois do sucesso das edições anteriores

Leia mais

Aldeia de Santa Margarida

Aldeia de Santa Margarida Aldeia de Santa Margarida Agenda Cultural Cultural Edição Especial - Nov Dez 2013 Agenda Cultural Propriedade: Junta de Freguesia de Aldeia de Santa Margarida Edição Especial Nov. Dez. 2013 Distribuição

Leia mais

DATA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS

DATA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 (Resposta Social de Creche) DATA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS Setembro Integração/adaptação das Crianças Reunião de Pais 24/09/2014 Outono - Promover a integração

Leia mais

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR INTRODUÇÃO ÍNDICE - Objectivos de Educação Pré-Escolar - Orientações Curriculares - Áreas de Conteúdo/Competências - Procedimentos de Avaliação - Direitos e Deveres dos Encarregados de Educação - Calendário

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

PALÍNDROMO Nº 7 /2012 Programa de Pós Graduação em Artes Visuais CEART/UDESC

PALÍNDROMO Nº 7 /2012 Programa de Pós Graduação em Artes Visuais CEART/UDESC ENTREVISTA MUSEO DE ARTE LATINOAMERICANO DE BUENOS AIRES MALBA FUNDACIÓN CONSTANTINI Entrevista realizada com a educadora Florencia González de Langarica que coordenou o educativo do Malba até 2012, concedida

Leia mais

INFORMAÇÕES PARA A PÁGINA DA ESCOLA FRASE DE ABERTURA NOVOS TESTEMUNHOS DE EX-ALUNOS A INCLUIR

INFORMAÇÕES PARA A PÁGINA DA ESCOLA FRASE DE ABERTURA NOVOS TESTEMUNHOS DE EX-ALUNOS A INCLUIR INFORMAÇÕES PARA A PÁGINA DA ESCOLA FRASE DE ABERTURA De acordo com os últimos dados disponíveis do Observatório para a inserção profissional da Universidade Nova de Lisboa, a taxa de emprego dos alunos

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR MÊS Setembro TEMA Adaptação das Crianças PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR ACTIVIDADES PEDAGÓGICAS

Leia mais

Creche Pré-Escolar 1º Ciclo

Creche Pré-Escolar 1º Ciclo Creche Pré-Escolar 1º Ciclo A NOSSA MISSÃO É O NOSSO COMPROMISSO... Contribuir para o desenvolvimento integral dos nossos Alunos. Ser uma escola que marca a diferença fazendo melhor. Ensinar com amor.

Leia mais

Viagem a Dornes e Sertã

Viagem a Dornes e Sertã Viagem a Dornes e Sertã (19 e 20 de Março de 2011) Por: RuckFules 1 No fim de semana, aproveitando os belos dias de Sol com que a chegada da Primavera nos presenteou, decidi dar uma volta pelo interior,

Leia mais

Plano Anual de Atividades. Resposta Social: Serviço de Apoio Domiciliário

Plano Anual de Atividades. Resposta Social: Serviço de Apoio Domiciliário 2015 CENTRO SOCIAL DA SÉ CATEDRAL DO PORTO Plano Anual de Atividades Resposta Social: Serviço de Apoio Domiciliário Porto, 2015 Índice Introdução 2 Serviço de Apoio Domiciliário SAD 3 Princípios/regras

Leia mais

Ano 14 N.º 22 Sector de Educação Junho de 2010. Jornal da Pediatria. Centro Hospitalar Barreiro Montijo, E.P.E.

Ano 14 N.º 22 Sector de Educação Junho de 2010. Jornal da Pediatria. Centro Hospitalar Barreiro Montijo, E.P.E. Ano 14 N.º 22 Sector de Educação Junho de 2010 Jornal da Pediatria Centro Hospitalar Barreiro Montijo, E.P.E. Serviço de Pediatria do Hospital Nossa Senhora do Rosário Olá amiguinhos. 2010 tem sido um

Leia mais

5ª Edição do Projeto "Energia com vida"

5ª Edição do Projeto Energia com vida 5ª Edição do Projeto "Energia com vida" Maria Isabel Junceiro Agrupamento de Escolas de Marvão No presente ano letivo 2014-15, quatro turmas do Agrupamento de Escolas do Concelho de Marvão (8º e 9º anos),

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação 5 dias 5 passos na Cultura. Projeto Pedagógico e de Animação 5 dias 5 passos na Cultura

Projeto Pedagógico e de Animação 5 dias 5 passos na Cultura. Projeto Pedagógico e de Animação 5 dias 5 passos na Cultura Projeto Pedagógico e de Animação 5 dias 5 passos na Cultura 1 Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas...

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objectivos gerais:... 4 2. Objectivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 5 4. Actividades Sócio-Educativas... 6 5.

Leia mais

Terceiro Relatório de Intercâmbio de Longa Duração

Terceiro Relatório de Intercâmbio de Longa Duração Terceiro Relatório de Intercâmbio de Longa Duração Carlos Araujo RCRJ/Nova Iguaçu Odense, Danmark. Os últimos meses chegaram e já passaram. No geral, aconteceram muitos encontros com os intercambistas

Leia mais

MISSÃO. Heading. A Fundação Realizar Um Desejo é uma filial da Make-A-Wish Internacional.

MISSÃO. Heading. A Fundação Realizar Um Desejo é uma filial da Make-A-Wish Internacional. MISSÃO Heading Copy Here A Fundação Realizar Um Desejo é uma filial da Make-A-Wish Internacional. A Fundação é uma Instituição Particular de Solidariedade Social MISSÃO Realizamos desejos de crianças e

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT Desde já, agradecemos a sua participação nesta nova etapa do Projecto de Tutoria a Estudantes ERASMUS versão OUT. Com este inquérito, pretendemos

Leia mais

Vila Baleira Ilha de Porto Santo

Vila Baleira Ilha de Porto Santo Vila Baleira Ilha de Porto Santo Dia 0 Lisboa Porto Santo (25 12 2009) A viagem a Porto Santo começou a ser preparada com alguma antecedência, de forma a ser adequada a uma família de 4 pessoas. Para isso,

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

ORDEM DE TRABALHOS. 1ª reunião

ORDEM DE TRABALHOS. 1ª reunião ORDEM DE TRABALHOS. 1ª reunião 1. Tomada de Posse dos membros do Conselho Municipal de Educação; 2. Proposta de regimento do Conselho Municipal de Educação; 3. Apresentação de propostas para a constituição

Leia mais

Benedicto Silva. Foto 1. Minha mãe e eu, fotografados pelo meu pai (setembro de 1956).

Benedicto Silva. Foto 1. Minha mãe e eu, fotografados pelo meu pai (setembro de 1956). 1. INTRODUÇÃO 1.1. MINHA RELAÇÃO COM A FOTOGRAFIA Meu pai tinha uma câmara fotográfica. Ele não era fotógrafo profissional, apenas gostava de fotografar a família e os amigos (vide Foto 1). Nunca estudou

Leia mais

Corpo Ás As 10 Páginas Que Vão Transformar o Seu Corpo 2013 www.luisascensao.pt

Corpo Ás As 10 Páginas Que Vão Transformar o Seu Corpo 2013 www.luisascensao.pt Corpo Ás As 10 Páginas Que Vão Transformar o Seu Corpo www.luisascensao.pt Página 1 de 10 Termos e Condições Madeira, Portugal. Autor: Luís Ascensão (o Ás). Todos os direitos reservados. Copyright 2012,

Leia mais

Estágio Ironconde Abril 2015

Estágio Ironconde Abril 2015 Estágio Ironconde Abril 2015 www.ironconde.com Estágio Ironconde Abril de 2015 Este estágio de triatlo oferece a oportunidade de treinar com um dos melhores treinadores triatlo de Portugal. Nosso objectivo

Leia mais

Reflexão. O ambiente na sala de aula era de muita atenção e de alguma expectativa e ansiedade para começar a montar os Robots da Lego.

Reflexão. O ambiente na sala de aula era de muita atenção e de alguma expectativa e ansiedade para começar a montar os Robots da Lego. Reflexão Tarefa Proposta: Uma Viagem ao Centro da Terra. Tema abordado: Razões Trigonométricas Unidade didática: Trigonometria Estrutura e organização da aula A realização desta Ficha de Trabalho foi dividida

Leia mais

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015)

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique, de 1 (mais importante)

Leia mais

Programa para a Inclusão e Desenvolvimento Progride. ParticipAR Inovação para a Inclusão em Arraiolos"

Programa para a Inclusão e Desenvolvimento Progride. ParticipAR Inovação para a Inclusão em Arraiolos Programa para a Inclusão e Desenvolvimento Progride ParticipAR Inovação para a Inclusão em Arraiolos" Relatório de Avaliação SEGURANÇA NA INTERNET (SESSÕES PARA ALUNOS) Arraiolos 12\04\ 07 O Agrupamento

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo PÁGINAS WEB António Ginja Carmo Índice 1 - Titulo 2 2 Enquadramento 2 3 - Descrição 3 4 - Objectivos 3 5 Público-Alvo 3 6 - Conteúdos 4 7 - Calendário das Actividades 5 8 - Estratégias Pedagógicas 8 9

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2013/ 2014. - Receção e entrega de lembranças às. - Proporcionar momentos de alegria e Educadoras (S.A.

Plano Anual de Atividades 2013/ 2014. - Receção e entrega de lembranças às. - Proporcionar momentos de alegria e Educadoras (S.A. Data em que se realiza Setor/ Departamento Atividades Objetivos Específicos Responsáveis 2 de setembro - Receção e entrega de lembranças às - Fomentar a adaptação das crianças e Ajudantes crianças; na

Leia mais

Projeto Viva a Alameda

Projeto Viva a Alameda Projeto Viva a Alameda Janeiro 2012 I. Enquadramento a. Política de Cidades o instrumento PRU b. Sessões Temáticas II. A PRU de Oliveira do Bairro a. Visão b. Prioridades Estratégicas c. Área de Intervenção

Leia mais

magazine A inaugurar a época de bom tempo e de boas sardinhas

magazine A inaugurar a época de bom tempo e de boas sardinhas magazine DESTAQUES Junho 2012 Santos populares Amera 3.0 Planos ambiciosos de animação edição 34 90 exemplares www.amera.com.pt 21 444 75 30 SANTOS POPULARES A inaugurar a época de bom tempo e de boas

Leia mais

INTRODUÇÃO. Projecto Curricular de Turma SALA DO ATL

INTRODUÇÃO. Projecto Curricular de Turma SALA DO ATL INTRODUÇÃO A Educação não formal distingue-se, nas últimas décadas da Educação formal ou ensino tradicional, uma vez que confere outro tipo de reconhecimento, organização, qualificação e estrutura. A Educação

Leia mais

REGULAMENTO GUIÃO 6ª ETAPA DATA:

REGULAMENTO GUIÃO 6ª ETAPA DATA: GUIÃO 6ª ETAPA DATA: REGULAMENTO O evento terá início às 23,00h do dia 12 de julho de 2014. O levantamento dos dorsais será das 20,00h às 23,00h. A concentração para partida é às 23,00h. PERCURSOS: Sendo

Leia mais

tartarugas marinhas a viagem

tartarugas marinhas a viagem musical infantil tartarugas marinhas a viagem Era uma vez uma tartaruga marinha que era famosa pelas suas migrações de milhares de quilómetros. A magnífica história da sua vida era pouco conhecida e muito

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL

PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL A vida é a arte de pintar e sentir a nossa própria história. Somos riscos, rabiscos, traços, curvas e cores que fazem da nossa vida uma verdadeira obra de arte! Autor

Leia mais

Ano VI N.º 22. Boletim Informativo da Junta de Freguesia da Ribeira Quente. Quinta-Feira 28 de Julho de 2011

Ano VI N.º 22. Boletim Informativo da Junta de Freguesia da Ribeira Quente. Quinta-Feira 28 de Julho de 2011 Ano VI N.º 22 Boletim Informativo da Junta de Freguesia da Ribeira Quente Quinta-Feira 28 de Julho de 2011 Bandeira Azul Hasteada na Ribeira Quente A Praia do Fogo da Ribeira Quente recebeu no dia 28 de

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7

Leia mais

Seis dicas para você ser mais feliz

Seis dicas para você ser mais feliz Seis dicas para você ser mais feliz Desenvolva a sua Espiritualidade A parte espiritual é de fundamental importância para o equilíbrio espiritual, emocional e físico do ser humano. Estar em contato com

Leia mais

Maratona BTT 5 Cumes realiza-se a 23 de Setembro em Barcelos

Maratona BTT 5 Cumes realiza-se a 23 de Setembro em Barcelos Em 2011 foi a Maratona com maior participação das provas da FPC Maratona BTT 5 Cumes realiza-se a 23 de Setembro em Barcelos A oitava edição da Maratona BTT 5 Cumes foi apresentada na última quinta-feira

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

Câmara Municipal da Amadora. Férias. Julho 2014. na Cidade

Câmara Municipal da Amadora. Férias. Julho 2014. na Cidade Câmara Municipal da Amadora Férias Julho 2014 na Cidade Férias? Na Cidade! Férias de Verão significam tempo e oportunidade para dar uso à imaginação, à iniciativa, ao divertimento e à amizade. Férias na

Leia mais

plano anual de educação ambiental

plano anual de educação ambiental plano anual de educação ambiental 2009/2010 complexo de educação ambiental da quinta da gruta PROGRAMA FAMÍLIAS Grelha Resumo por Sector Sector Rios/Espaços Verdes Animais Dias comemorativos Férias Datas

Leia mais

Programa 5 ao Dia. Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos.

Programa 5 ao Dia. Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos. Programa 5 ao Dia Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos. O que é o Programa 5 ao Dia? Enquadramento Conceito Objectivos e Destinatários Associação 5 ao Dia Desenvolvimento Enquadramento Mudança

Leia mais

PROJETO PEQUENOS CIENTISTAS AO LEME Sessões Experimentais

PROJETO PEQUENOS CIENTISTAS AO LEME Sessões Experimentais AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA ZONA URBANA DA FIGUEIRA DA FOZ DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PROJETO PEQUENOS CIENTISTAS AO LEME Sessões Experimentais

Leia mais