ACES Workflow 16 bits. Pablo Bioni

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACES Workflow 16 bits. Pablo Bioni pablo.bioni@tvglobo.com.br"

Transcrição

1 ACES Workflow 16 bits Pablo Bioni

2 Panorama Imagens, cameras, monitores Cada vez mais resolução SD, HD, 4K, 8K... Mais Cores! Mais Bits! Embora 8 bits por canal permita 1.6 milhões de cores......cada canal só possui 256 valores. O olho humano é capaz operar em até 10 ordens de magnitude e suportar 5 ordens em simultaneo em uma mesma situação. Uma imagem de 8 bits só consegue representar 2 ordens de magnitude

3 Panorama Na natureza é comum achar relações de contraste elevadas. Condição Luz de uma estrela Lua Luz de interior Luz do Sol Intensidade máxima de CRT Iluminação (cd/m^2)

4 Panorama Qual o motivo de imagens de 8 bits serem tão comuns? Os monitores comuns não conseguem exibir mais que 8 bits Atualmente existem 10 bits e profissionais de 12bits A razão é que o fósforo do CRT quando excitado não excede o limite de dos 8 bits. Mesmo os monitores de LED, Plasma, Oled não superam tanto o limite Por que não permanecer nos 8 bits???

5 Motivadores Trabalhar com mais possibilidades e com mais qualidade! Maior liberdade artística Maior possibilidade técnica Maior fidelidade dos dados capturados para displays futuros. Todos os pacotes gráficos operam internamente com 16 ou 32 Bits. Se cada processo for realizado no máximo do seu potencial, o resultado final será de maior qualidade se comparado a um processo que começa com um dado sem margem de variação.

6 Motivadores

7 Motivadores

8 Motivadores

9 Motivadores

10 Motivadores Copyright - Steve Helmbrecht

11 Motivadores Copyright - Sandeep Tewari

12 Espaço de cor Referencia por Cena Referencia por Output

13 Visualizando as imagens Tone Mapping 16 Bits Imagem RAW??? Como representar??? Monitor 8 Bits 10 Bits

14 ACES - Academy Color Enconding System Desenvolvimento iniciado em 2004 por 50 profissionais lideres da indústria. Coleção de componentes para facilitar o workflow dos filmes e eliminar problemas de formato de arquivos. Suporta workflows totalmente digitais ou híbridos. OpenEXR Formato principal de arquivo open source ILM - Pixar CTL Color Transformation Language SMPTE RDD-15 Set de Imagens de referência e targets de calibração para film scanners e Recorders Espaço de cor que engloba todo espectro visível Valores de primarias RGB s compatíveis com os sistemas existentes.

15 OpenEXR - ILM DPX vs EXR 10 Bits 1024 Steps para cobri 12 Stops de Dynamic Range 16 Bits Cada Step possui 1024 niveis 30 Stops

16 ACES - Motivadores 10 Bits é pouco para representar o que é capturado atualmente. Necessidade de intercambiar imagens entre sistemas Muitos formatos de imagem e codecs DPX desenvolvido em 93 (SMPTE 268M) possui várias questões técnicas Pelicula não é mais o formato de intercambio entre sistemas Necessidade de mais metadados Possibilidade de trabalhar com : HDR Wide color Gamut Workflows de alta precisão 4K e 16Bits Definição de um arquivo Master para armazenamento. Negativo Digital

17 ACES - Simplificado Original Scene Reference Input Capture Device ACES RRT & ODT SMPTE Reference Projector Theater Reproduction IDT RRT ODT RDT ADX Input Device Transform Reference Rendering Transform Output Device Transform Reference Device Transform Academy Density Exchange Enconding

18 ACES - Idealizado IDT RRT ODT RDT ADX Input Device Transform Reference Rendering Transform Output Device Transform Reference Device Transform Academy Density Exchange Enconding ADX Original Scene Film Camera Film Negative APD Film Scanner ADX to ACES Transform Calibrated Film Recorder Film Negative Film Print Film Projector Theater Reproduction ACES RRT RDT Original Scene Reference Input Capture Device SMPTE Reference Projector Theater Reproduction Original Scene Real Digital Camera IDT Video Monitor ODT Video Monitor

19 ACES - Operando IDT RRT ODT RDT ADX Input Device Transform Reference Rendering Transform Output Device Transform Reference Device Transform Academy Density Exchange Enconding On-set timing session IDT ACES RRT ODT Digital acquisition source HD Monitor Color Correction session Full-range raw digital acquisition IDT ACES RRT RDT dist master

20 Impacto no workflow STORAGE 10 bits dpx KB 1080p 16 bits dpx KB 16 bits EXR KB 32 bits EXR KB 10 bits dpx KB 4K 16 bits dpx KB 16 bits EXR KB 32 bits EXR KB 1080p (24p) 1 min - 16 bits EXR GB 4K (24p) 1 min - 16 bits EXR GB

21 Obrigado!

Pacotes Ofertados. Pacote Global + A La Carte HD + Adulto Pacote Global + Filmes HD + A La Carte HD + Adulto

Pacotes Ofertados. Pacote Global + A La Carte HD + Adulto Pacote Global + Filmes HD + A La Carte HD + Adulto CIDADE PACOTE + Filmes SD + Filmes SD + Filmes SD + A La Carte HD + Filmes SD + A La Carte HD + Filmes SD + A La Carte HD + Adulto + Adulto Pacote Familia + Filmes SD + A La Carte HD + Adulto + Filmes

Leia mais

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Fundamentos da fotografia digital: Câmeras digitais CCD e CMOS Resolução Armazenamento Softwares para edição e manipulação de imagens digitais: Photoshop e Lightroom

Leia mais

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas Óbidos MÓDULO 769 Arquitectura interna do computador Carga horária 25 Objectivos No final do módulo, os formandos deverão: i. Identificar os elementos base

Leia mais

Fotografia digital. Aspectos técnicos

Fotografia digital. Aspectos técnicos Fotografia digital Aspectos técnicos Captura CCD (Charge Coupled Device) CMOS (Complementary Metal OxideSemiconductor) Conversão de luz em cargas elétricas Equilíbrio entre abertura do diafragma e velocidade

Leia mais

Imagem digital. Unidade 3

Imagem digital. Unidade 3 Imagem digital Unidade 3 Objectivos Reconhecer o potencial comunicativo/ expressivo das imagens; Reconhecer as potencialidades narrativas de uma imagem; A criação de sentido nas associações de imagens

Leia mais

A CÂMARA DIGITAL A CAPTURA DE UMA IMAGEM NUMA CÂMARA DIGITAL ENVOLVE OS SEGUINTES PROCESSOS:

A CÂMARA DIGITAL A CAPTURA DE UMA IMAGEM NUMA CÂMARA DIGITAL ENVOLVE OS SEGUINTES PROCESSOS: A CÂMARA DIGITAL A CAPTURA DE UMA IMAGEM NUMA CÂMARA DIGITAL ENVOLVE OS SEGUINTES PROCESSOS: EXISTEM TRÊS TIPOS DE SENSORES UTILIZADOS NAS CÂMARAS DIGITAIS: CCD - Charge Coupled Device CMOS - Complimentary

Leia mais

CMs - Gestão de cor. josé gomes ferreira

CMs - Gestão de cor. josé gomes ferreira josé gomes ferreira CMs - Gestão de cor APRESENTAÇÃO A Gestão de Cor da captura à impressão! Conhecer e compreender a teoria da cor para a gestão de cor. A Luz e a sua natureza, os espaços de cor, etc.

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Conteúdo s: Aspetos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais. Imagens computacionais e programas que criam ou manipulam esse tipo de imagens.

Leia mais

Índice. Temos o Apoio:

Índice. Temos o Apoio: Página 2 de 18 Índice Historinha... 2 Definição... 4 Criação da Imagem... 4 Cores/Tons... 6 Dynamic Range... 7 Ruído (Noise)... 9 Recuperação... 10 Perda de Qualidade... 12 Balanço de Brancos (White Balance)...

Leia mais

Síntese de Imagens de Alta Fidelidade

Síntese de Imagens de Alta Fidelidade Síntese de Imagens de Alta Fidelidade Iluminação e FotoRealismo http://www.di.uminho.pt/uce-cg/index.php Luís Paulo Peixoto dos Santos Competências GERAIS : Caracterizar a iluminação global e descrever

Leia mais

CALIBRAÇÃO DO SISTEMA - SCANNER MONITOR 2 CLÁUDIO MELO

CALIBRAÇÃO DO SISTEMA - SCANNER MONITOR 2 CLÁUDIO MELO GESTÃO DE CORES - OBJECTIVOS DA GESTÃO DE COR A NECESSIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE COR (CMS) OS PERFIS DE COR A CRIAÇÃO DE PERFIS OS MODELOS DE COR 1 GESTÃO DE CORES - OBJECTIVOS DA GESTÃO DE COR A

Leia mais

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta TRATAMENTO DE IMAGENS Elisa Maria Pivetta CATEGORIAS DE IMAGENS Distinguem-se geralmente duas grandes: Bitmap (ou raster) - trata-se de imagens "pixelizadas", ou seja, um conjunto de pontos (pixéis) contidos

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

Apple ProRes. White Paper Junho de 2014

Apple ProRes. White Paper Junho de 2014 White Paper Junho de 2014 2 Índice 3 Introdução 4 Implementações autorizadas do 5 Visão geral da família 7 Propriedades de imagens digitais Tamanho do quadro (largura total versus largura parcial) Chroma

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA RESOLUÇÃO Associada à quantidade e a qualidade de

Leia mais

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta Teoria da Cor TI Elisa Maria Pivetta A percepção da cor é um processo complexo, resultante da recepção da luz pelo olho e da interpretação desta pelo cérebro. O que de fato determina a cor de um objeto

Leia mais

Explicação, Vantagens e Comparação com Sistemas de Prova Tradicionais

Explicação, Vantagens e Comparação com Sistemas de Prova Tradicionais Livro branco: PROVA DIGITAL Explicação, Vantagens e Comparação com Sistemas de Prova Tradicionais O presente livro branco introduz a prova digital e explica o seu valor para a obtenção de cores consistentes

Leia mais

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sistemas Multimédia Ano lectivo 2006-2007 Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sumário Gráficos e imagens bitmap Tipos de dados para gráficos e imagens Imagens de 1-bit Imagens de gray-level

Leia mais

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Classificação dos dispositivos (ou periféricos) ricos) Entrada Teclado Rato, touchpad, pointing device, track ball Scanner Câmaras digitais (fotográficas

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

PROCESSAMENTO DE DADOS

PROCESSAMENTO DE DADOS PROCESSAMENTO DE DADOS Aula 1 - Hardware Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari 2 3 HARDWARE Todos os dispositivos físicos que constituem

Leia mais

1) Conceitos de Computação Gráfica

1) Conceitos de Computação Gráfica 1) Conceitos de Computação Gráfica A computação gráfica pode ser entendida como o conjunto de algoritmos, técnicas e metodologias para o tratamento e a representação gráfica de informações através da criação,

Leia mais

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica Diferenças entre Mídia Impressa e Eletrônica Resolução Web >> 72dpi Impressão >> 300dpi Padrão de cores Web >> RGB Impressão >> CMYK Tipos de Arquivos Web >> GIF / JPEG Impressão >> TIF / EPS Tamanho dos

Leia mais

Principais parâmetros na definição de qualidade numa imagem digitalizada

Principais parâmetros na definição de qualidade numa imagem digitalizada Principais parâmetros na definição de qualidade numa imagem digitalizada reprodução de tom reprodução de cor resolução ruído e luz parasita aberrações e erros de registo. Principais parâmetros na definição

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL Representação da imagem Uma imagem é uma função de intensidade luminosa bidimensional f(x,y) que combina uma fonte de iluminação e a reflexão ou absorção de energia a partir

Leia mais

Informática e informação 2

Informática e informação 2 Introdução à Informática Informática e informação Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Outubro de 2006 Conceito de Informática Informação + Automática Informática Tratamento

Leia mais

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens

Fundamentos de Imagens Digitais. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens. Aquisição e Digitalização de Imagens Fundamentos de Imagens Digitais Aquisição e Serão apresentadas as principais características de uma imagem digital: imagem do ponto de vista matemático processo de aquisição e digitalização de uma imagem

Leia mais

1 O que é um computador? Definição uma máquina que lê dados, efectua cálculos e fornece resultados.

1 O que é um computador? Definição uma máquina que lê dados, efectua cálculos e fornece resultados. 1 O que é um computador? Definição uma máquina que lê dados, efectua cálculos e fornece resultados. 1.1 - Processos básicos do computador Entrada de dados ler ou receber os valores iniciais ou constantes

Leia mais

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica A natureza da imagem fotográfica PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital - 1 Antes do desenvolvimento das câmeras digitais, tínhamos a fotografia convencional, registrada em papel ou filme, através de um processo

Leia mais

Novo cabo HDMI AVIS da Discabos

Novo cabo HDMI AVIS da Discabos sac@discabos.com.br www.discabos.com.br Novo cabo HDMI AVIS da Discabos O primeiro cabo HDMI High Speed (1.4) com Ethernet e retorno de áudio. O padrão HDMI acaba de se tornar muito mais poderoso, com

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA. TIPOS DE RECEPTORES DE TV e SISTEMAS

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA. TIPOS DE RECEPTORES DE TV e SISTEMAS PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STR1 MOURA LACERDA TIPOS DE RECEPTORES DE TV e SISTEMAS Como tudo em nossa vida e em nosso mundo evolui, com a tecnologia não é diferente, agora você pode contar com alta definição

Leia mais

O PRIMEIRO MONITOR GRÁFICO AUTO- CALIBRÁVEL

O PRIMEIRO MONITOR GRÁFICO AUTO- CALIBRÁVEL O PRIMEIRO MONITOR GRÁFICO AUTO- CALIBRÁVEL O monitor EIZO ColorEdge CG245W, é o primeiro monitor gráfico com sensor interno de calibração. Com o dispositivo interno, é possível agendar dia e hora para

Leia mais

Capítulo 31. Câmeras digitais

Capítulo 31. Câmeras digitais Capítulo 31 Câmeras digitais Câmeras digitais produzem fotos sem utilizar filmes. As imagens captadas são armazenadas na sua memória, podendo ser posteriormente transferidas para um computador. Uma vez

Leia mais

Referência de cores Fiery

Referência de cores Fiery 2014 Electronics For Imaging. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos dos Avisos de caráter legal deste produto. 11 de junho de 2014 Conteúdo 3 Conteúdo Introdução à referência de cores

Leia mais

ALCANCE DINÂMICO CCD CMOS

ALCANCE DINÂMICO CCD CMOS ALCANCE DINÂMICO Nos sensores de imagem CCD (charge-coupled device) ou CMOS (complementary metal oxide semiconductor), o alcance dinâmico (ou dinâmica) é especificado tipicamente como a razão entre o sinal

Leia mais

IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE CORES PARA O DESIGN GRÁFICO

IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE CORES PARA O DESIGN GRÁFICO IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE CORES PARA O DESIGN GRÁFICO Rodrigo Holdschip Pós-Graduação em Desenho Industrial, FAAC, Unesp Bauru, SP, Brasil rodrigoholdschip@yahoo.com.br Dr. João Fernando Marar Departamento

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS - 2015. Prof. Marco Antônio

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS - 2015. Prof. Marco Antônio INFORMÁTICA PARA CONCURSOS - 2015 Prof. Marco Antônio Gestão da Informação e Conhecimento Dados Elemento bruto que não expressa informação Ex.: A, ], % *, & Gestão da Informação e Conhecimento Informação

Leia mais

Imagens Digitais Tratamento de Imagens

Imagens Digitais Tratamento de Imagens Imagens Digitais Imagens de Bitmap Bitmap = Mapa de Bits ou Imagens Raster São as imagens formadas por pixels em oposição às imagens vetoriais. Imagens de Bitmap Imagem de bitmap Imagem vetorial Imagens

Leia mais

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Prof. Sandrina Correia

Prof. Sandrina Correia Tecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Definir os conceitos de Hardware e Software Identificar os elementos que compõem um computador

Leia mais

A EXPERIÊNCIA MAIS RÁPIDA E FÁCIL DE DIGITALIZAÇÃO 3D

A EXPERIÊNCIA MAIS RÁPIDA E FÁCIL DE DIGITALIZAÇÃO 3D A EXPERIÊNCIA MAIS RÁPIDA E FÁCIL DE DIGITALIZAÇÃO 3D Creaform apresenta o Go!SCAN 3D TM, uma linha simples de scanners 3D portáteis que permite que pessoas de diversas áreas capturem facilmente formas

Leia mais

Nosso foco é tornar a escuridão totalmente visível. Tecnologia starlight

Nosso foco é tornar a escuridão totalmente visível. Tecnologia starlight Nosso foco é tornar a escuridão totalmente visível Tecnologia starlight 2 tecnologia starlight As câmeras 24 x 7 definitivas Não seria ótimo se você pudesse obter imagens nítidas e relevantes, independentemente

Leia mais

Capítulo 30. Quando compramos um scanner, recebemos o seguinte material:

Capítulo 30. Quando compramos um scanner, recebemos o seguinte material: Scanners Capítulo 30 O scanner e seu software Quando compramos um scanner, recebemos o seguinte material: Scanner Cabo de conexão Placa de interface* Software para captura de imagens Software para edição

Leia mais

CONCEITOS ESSENCIAIS E SISTEMAS OPERATIVOS EM AMBIENTE GRÁFICO. Informação Automática. Informática

CONCEITOS ESSENCIAIS E SISTEMAS OPERATIVOS EM AMBIENTE GRÁFICO. Informação Automática. Informática CONCEITOS ESSENCIAIS E SISTEMAS OPERATIVOS EM AMBIENTE GRÁFICO Sandra Silva 2008 Unicenter. Todos os direitos reservados O que é Informática A palavra informática surgiu: Informação Automática Informática

Leia mais

Dispositivos de Vídeo. Prof. Rafael Sandim

Dispositivos de Vídeo. Prof. Rafael Sandim Dispositivos de Vídeo Prof. Rafael Sandim Roteiro Conceitos Básicos Adaptadores de Vídeo Placas de Vídeo Tipos de Monitores Frequência Vertical e Frequência Horizontal Conceitos Básicos Pixel Resolução

Leia mais

Gerenciamento de cor. 7.2 Calibração do scanner utilizando a calibração IT8 de SilverFast

Gerenciamento de cor. 7.2 Calibração do scanner utilizando a calibração IT8 de SilverFast Botão para a abertura do diálogo de calibração IT8 colorido: A calibração IT8 está ativa cinza: A calibração IT8 está desativada O botão IT8 somente está visível, se a função estiver liberada!.2 Calibração

Leia mais

Digitalização e Microfilmagem de Documentos e a Preservação Documental na era Digital. Julio Salgado Produtos e Desenvolvimento de Negócios

Digitalização e Microfilmagem de Documentos e a Preservação Documental na era Digital. Julio Salgado Produtos e Desenvolvimento de Negócios Digitalização e Microfilmagem de Documentos e a Preservação Documental na era Digital Julio Salgado Produtos e Desenvolvimento de Negócios 8/16/2015 2 2 Onde existir Papel Existe Oportunidade!! Mercado

Leia mais

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros Utilização do Sistema Multimédia 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens 2.1. Compressão Formatos com e sem compressão Técnicas de compressão (reduzem tamanho) de 2 tipos: Compressão

Leia mais

Artigo. Dez razões para comprar uma câmera de rede ou o que o seu fornecedor de câmeras analógicas não contará para você

Artigo. Dez razões para comprar uma câmera de rede ou o que o seu fornecedor de câmeras analógicas não contará para você Artigo Dez razões para comprar uma câmera de rede ou o que o seu fornecedor de câmeras analógicas não contará para você ÍNDICE Introdução 3 Dez coisas que você não ouvirá de seu fornecedor de câmeras analógicas

Leia mais

Alguns métodos utilizados

Alguns métodos utilizados Alguns métodos utilizados TIF Algumas pessoas exportam o trabalho feito no Corel em formato TIF,que é um procedimento comum para impressão em jornais e publicações impressas. Para exportar desta forma

Leia mais

Se ouço esqueço, se vejo recordo, se faço aprendo

Se ouço esqueço, se vejo recordo, se faço aprendo Se ouço o esqueço, se vejo recordo, se faço o aprendo Meios de Armazenamento Secundário Principais Dispositivos de Entrada Principais Dispositivos de Saída Outros Dispositivos de Entrada/Saída Meios de

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática. Imagem. Prof. Thales Vieira

Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática. Imagem. Prof. Thales Vieira Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática Imagem Prof. Thales Vieira 2014 O que é uma imagem digital? Imagem no universo físico Imagem no universo matemático Representação de uma imagem Codificação

Leia mais

Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento

Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento 1 Antes de mais nada, é extremamente necessário lembrar que para tratar uma imagem é necessário que o monitor de seu computador esteja calibrado

Leia mais

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem Uma imagem bitmapeada é formada por um conjunto de pixels. gerados no momento da digitalização da imagem (através do scanner ou câmera digital). PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital 2 Resolução x dimensão

Leia mais

TRABALHO COM FERRAMENTAS DE APLICAÇÃO NA ÁREA DE INFORMÁTICA MSC. RICARDO INOUYE RODRIGUEZ

TRABALHO COM FERRAMENTAS DE APLICAÇÃO NA ÁREA DE INFORMÁTICA MSC. RICARDO INOUYE RODRIGUEZ TRABALHO COM FERRAMENTAS DE APLICAÇÃO NA ÁREA DE INFORMÁTICA MSC. RICARDO INOUYE RODRIGUEZ INFORMÁTICA A INFORMÁTICA É UMA MISTURA DA CIÊNCIA COM A TECNOLOGIA QUE TEM COMO OBJECTIVO O TRATAMENTO DE DADOS,

Leia mais

Introdução à Organização de Computadores Entrada e Saída. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007

Introdução à Organização de Computadores Entrada e Saída. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Introdução à Organização de Computadores Entrada e Saída Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Tópicos Processadores Memória Principal Memória Secundária

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Informática Prof. Macêdo Firmino Representação da Informação Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Introdução Estamos acostumados a pensar nos computadores como mecanismos complexos,

Leia mais

Cariniana. Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital P R E S E R V AÇ ÃO D I G I T AL D I S T R I B U Í D A

Cariniana. Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital P R E S E R V AÇ ÃO D I G I T AL D I S T R I B U Í D A Cariniana Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital P R E S E R V AÇ ÃO D I G I T AL D I S T R I B U Í D A http://carniana.ibict.br cariniana@ibict.br Cariniana Rede Brasileira de Serviços de

Leia mais

Bruno Pereira Evangelista. www.brunoevangelista.com

Bruno Pereira Evangelista. www.brunoevangelista.com Bruno Pereira Evangelista www.brunoevangelista.com 2 Introdução Shaders Pipeline de Renderização Evolução dos Shaders Como Programar Shaders Programando Shaders com XNA Ferramentas Conclusões 3 Durante

Leia mais

Atividade: matrizes e imagens digitais

Atividade: matrizes e imagens digitais Atividade: matrizes e imagens digitais Aluno(a): Turma: Professor(a): Parte 01 MÓDULO: MATRIZES E IMAGENS BINÁRIAS 1 2 3 4 5 6 7 8 Indique, na tabela abaixo, as respostas dos 8 desafios do Jogo dos Índices

Leia mais

reflecta Scanner Super 8

reflecta Scanner Super 8 reflecta Scanner Super 8 Manual do utilizador 1 DECLARAÇÃO DA COMISSÃO FEDERAL DE COMUNICAÇÕES (FCC) Este Equipamento foi testado e é compatível com os limites estipulados para um dispositivo digital de

Leia mais

CEFET-RS Curso de Eletrônica

CEFET-RS Curso de Eletrônica CEFET-RS Curso de Eletrônica 7 - Vídeo Profs. Roberta Nobre & Sandro Silva robertacnobre@gmail.com e sandro@cefetrs.tche.br Unidade 07.1 Vídeo Principal periférico de saída desde o final da década de 70;

Leia mais

Desafios arquivísticos contemporâneos: seminário em torno dos 40 anos do CPDOC Sessão 1: Arquivos, metadados, nuvens: os desafios do mundo digital

Desafios arquivísticos contemporâneos: seminário em torno dos 40 anos do CPDOC Sessão 1: Arquivos, metadados, nuvens: os desafios do mundo digital Desafios arquivísticos contemporâneos: seminário em torno dos 40 anos do CPDOC Sessão 1: Arquivos, metadados, nuvens: os desafios do mundo digital 29 de agosto de 2013 Coordenação de Documentação do CPDOC

Leia mais

Pesquisa Internacional sobre Documentos Arquivísticos Autênticos Permanentes em Sistemas. CS03 REGISTROS AUDIOVISUAIS: Programas de TV

Pesquisa Internacional sobre Documentos Arquivísticos Autênticos Permanentes em Sistemas. CS03 REGISTROS AUDIOVISUAIS: Programas de TV Pesquisa Internacional sobre Documentos Arquivísticos Autênticos Permanentes em Sistemas CS03 REGISTROS AUDIOVISUAIS: Programas de TV Rádio e Televisão da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Maria

Leia mais

www.i9tecinfor.com.br Soluções Profissionais Em CFTV IP

www.i9tecinfor.com.br Soluções Profissionais Em CFTV IP www.i9tecinfor.com.br Soluções Profissionais Em CFTV IP Sobre a Hikvision Hikvision Digital Technology Co., Ltd. é um dos principais fornecedores mundiais de produtos e soluções de vídeo vigilância. Fundada

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.: Lillian Alvares Aspectos Gerais O uso da tecnologia digital traz grandes perspectivas de trabalho para os arquivos

Leia mais

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia.

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia. A Empresa A GDDoc é uma empresa especializada na gestão de documentos digitais e arquivos, auxilia as empresas a administrar através da tecnologia o uso de papel, para alcançar estes objetivos fazemos

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

Por razões, é requerido um módulo de E/S, que deve desempenhar duas funções principais:

Por razões, é requerido um módulo de E/S, que deve desempenhar duas funções principais: Entrada e Saída Além do processador e da memória, um terceiro elemento fundamental de um sistema de computação é o conjunto de módulos de E/S. Cada módulo se conecta com o barramento do sistema ou com

Leia mais

Material protegido pelas leis de direito autoral Proibida qualquer tipo de divulgação sem à devida autorização ou citada a fonte de forma correta.

Material protegido pelas leis de direito autoral Proibida qualquer tipo de divulgação sem à devida autorização ou citada a fonte de forma correta. Para que serve? Basicamente o V-Ray Frame Buffer é a janela que apresenta o processo de renderização ao usuário. Entretanto esta simples janela de renderização contém diversas ferramentas que podem auxiliar

Leia mais

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.2.Animação. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.2.Animação. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Sistemas e Conteúdos Multimédia 4.2.Animação Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Não é mais do que uma sequência de imagens Ao contrário do vídeo, as imagens são geradas e não gravadas Muito

Leia mais

O Sistema mais completo. de Captura e GED. do Mercado. MegaGED

O Sistema mais completo. de Captura e GED. do Mercado. MegaGED O Sistema mais completo de Captura e GED do Mercado AutoStore O AutoStore é um software de captura e distribuição de documentos (Texto, Imagens e Arquivos Eletrônicos) Com o AutoStore é possível automatizar

Leia mais

Willard Boyle (esquerda) e George Smith, inventores do sensor CCD. 1975 primeira camera video de qualidade

Willard Boyle (esquerda) e George Smith, inventores do sensor CCD. 1975 primeira camera video de qualidade Sensores CCD e CMOS CCD Willard Boyle (esquerda) e George Smith, inventores do sensor CCD. 1975 primeira camera video de qualidade Desde a sua invenção nos laboratórios Bell (EUA), nos anos 70 do século

Leia mais

Sistema Gráfico Dispositivos de Exibição

Sistema Gráfico Dispositivos de Exibição Sistema Gráfico Dispositivos de Exibição Profa. M. Cristina Rosane março 27 março 29 Processador Memória Frame buffer Dispositivos de saída Dispositivos de entrada 2 Monitor de Vídeo Tecnologia tradicional

Leia mais

ARQUIVOLOGIA - TIPOLOGIAS DOCUMENTAIS E SUPORTES FÍSICOS. Prof. Antonio Victor Botão

ARQUIVOLOGIA - TIPOLOGIAS DOCUMENTAIS E SUPORTES FÍSICOS. Prof. Antonio Victor Botão ARQUIVOLOGIA - TIPOLOGIAS DOCUMENTAIS E SUPORTES FÍSICOS Prof. Antonio Victor Botão TÉCNICAS MODERNAS DE ARQUIVAMENTO Anteriormente tratamento somente de suporte papel em arquivos, os materiais especiais

Leia mais

Scanners Manual Básico. Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos.

Scanners Manual Básico. Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos. Scanners Manual Básico Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos. Tipos de Scanners Diferentes tipos de scanners funcionam de diferentes maneiras. Conheça

Leia mais

SISTEMA PARA CATALOGAR PALAVRAS INDÍGENAS SISCAPI. Manual do Usuário. Versão 1.0

SISTEMA PARA CATALOGAR PALAVRAS INDÍGENAS SISCAPI. Manual do Usuário. Versão 1.0 1 SISTEMA PARA CATALOGAR PALAVRAS INDÍGENAS SISCAPI Manual do Usuário Versão 1.0 Para usar o sistema acesse: www.palavrasindigenas.com.br Equipe: Dener Guedes Mendonça Local: Instituto Federal do Norte

Leia mais

Fotografia: conceitos e técnicas

Fotografia: conceitos e técnicas ca leo Carlos Leonardo S Mendes wwwcaleocombr caleo Carlos Leonardo dos S Mendes Fotografia: conceitos e técnicas Exposição Setembro de 2008 Versão 10 Nota: os textos ou fotos contidos neste material não

Leia mais

MENU PRINCIPAL DO SET TOP BOX HD

MENU PRINCIPAL DO SET TOP BOX HD MENU PRINCIPAL DO SET TOP BOX HD No controle remoto do Set Top Box, pressionando a tecla MENU visualiza-se a tela acima. Nesta tela temos acesso a várias funcionalidades e configurações do aparelho: 1.

Leia mais

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

HARDWARE GRÁFICO. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR

HARDWARE GRÁFICO. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR HARDWARE GRÁFICO Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR Mar/2012 Introdução Características do hardware Funcionalidades do hardware gráfico Influência da área

Leia mais

2 Editoração Eletrônica

2 Editoração Eletrônica 8 2 Editoração Eletrônica A década de 80 foi um marco na história da computação. Foi quando a maioria dos esforços dos desenvolvedores, tanto de equipamentos, quanto de programas, foram direcionados para

Leia mais

Multiplexação de Displays

Multiplexação de Displays Multiplexação de Displays Versão 20 RESUMO Nesta experiência são apresentados alguns conceitos sobre displays ou mostradores. São discutidas as formas de multiplexá-los de modo a reduzir a quantidade de

Leia mais

15/08/2013 DIREITO DA. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

15/08/2013 DIREITO DA. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA DIREITO DA INFORMÁTICA Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1 CONCEITOS BÁSICOS Informática infor + mática. É o tratamento da informação de forma automática Dado

Leia mais

A primeira coisa que se precisa definir é a lógica que rege os sistemas de captura, e essa pode ser descrita em linhas gerais por:

A primeira coisa que se precisa definir é a lógica que rege os sistemas de captura, e essa pode ser descrita em linhas gerais por: 4 Tecnologias A ideia da construção de Digital Human Models não caminha em separado das diversas tecnologias que englobam tal construção. Porém, para um melhor entendimento, serão descritas a seguir as

Leia mais

Placas de Vídeo. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Placas de Vídeo. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Placas de Vídeo Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução Dispositivo responsável pela comunicação entre a placa mãe e o monitor de vídeo para reproduzir imagens. Dispositivo básico de output. Converte

Leia mais

VistaScan Combi View Eficiência com precisão

VistaScan Combi View Eficiência com precisão VistaScan Combi View Eficiência com precisão O novo digitalizador de placas de fósforo com tela touch screen para todos os formatos Ar comprimido Aspiração Imagiologia Tratamento Higiene Placas de fósforo

Leia mais

DISPLAYS. Prospecto inteligente

DISPLAYS. Prospecto inteligente DISPLAYS Monitores de diagnóstico médico Prospecto inteligente Monitor médico completo Soluções para a maioria dos usuários Soluções para diagnósticos médicos completas e prontas para usar, do mesmo fornecedor.

Leia mais

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante de Engenharia de

Leia mais

Computador. 1982: os computadores são ferramentas que nos permitem fazer cálculos rápida e comodamente

Computador. 1982: os computadores são ferramentas que nos permitem fazer cálculos rápida e comodamente Computador Algumas definições 1982: os computadores são ferramentas que nos permitem fazer cálculos rápida e comodamente 1985: calculador electrónico usado na investigação espacial e actualmente já noutros

Leia mais

#46. CRIDI / UFBa - Audiovisual Institucional - 2014 COMPLETAS 1 / 8 PÁGINA 2. P1: Qual o nome desta instituição? MIS-RJ/SAV

#46. CRIDI / UFBa - Audiovisual Institucional - 2014 COMPLETAS 1 / 8 PÁGINA 2. P1: Qual o nome desta instituição? MIS-RJ/SAV #46 COMPLETAS Coletor: Institucional 2014 (Link da web) Iniciado em: quinta-feira 15 de maio de 2014 14:25:23 Última modificação: sábado 13 de junho de 2015 11:35:18 Tempo gasto: Mais de uma semana Endereço

Leia mais

Gerenciador de Áudio HD Realtek Manual do Usuário para o Sistema Operacional Vista

Gerenciador de Áudio HD Realtek Manual do Usuário para o Sistema Operacional Vista Gerenciador de Áudio HD Realtek Manual do Usuário para o Sistema Operacional Vista 27 de fevereiro de 2008 Copyrights da Realtek Semiconductor 2008 Índice Índice A. PARA COMEÇAR...4 B. INTRODUÇÃO...7 1.

Leia mais

Sociedade do Conhecimento

Sociedade do Conhecimento Gerenciamento (Gestão) Eletrônico de Documentos GED Introdução Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED Sociedade do Conhecimento Nunca se produziu tanto documento e se precisou de tanta velocidade

Leia mais

Câmeras de rede HDTV e megapixel Axis Veja o que você está perdendo.

Câmeras de rede HDTV e megapixel Axis Veja o que você está perdendo. Câmeras de rede HDTV e megapixel Axis Veja o que você está perdendo. Câmeras de rede HDTV e megapixel Câmeras de rede HDTV e megapixel têm um papel importante nas aplicações de vigilância por vídeo. Elas

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira PROCESSAMENTO DE IMAGENS Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira PROCESSAMENTO DE IMAGENS Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira PROCESSAMENTO DE IMAGENS Engenharia de Computação INTRODUÇÃO Processamento Digital de Imagens refere-se ao processamento imagens por meio de um computador

Leia mais

Enquadramento e Conceitos Fundamentais

Enquadramento e Conceitos Fundamentais Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Enquadramento e Conceitos Fundamentais Edward Angel, Cap. 1 Questão 9, exame de 29/06/11 [0.5v] Identifique e descreva os três

Leia mais

para Exame de Documentos Suspeitos

para Exame de Documentos Suspeitos VSC 8000 O VÍDEO COMPARADOR ESPECTRAL ESSENCIAL para Exame de Documentos Suspeitos Examinar e Autenticar Passaportes e Cartões de Identificação Documentos de Segurança Papel-moeda e Cheques foster+freeman

Leia mais