Futebol Feminino no Desporto Escolar. Plano Plurianual de desenvolvimento do projeto 2015/2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Futebol Feminino no Desporto Escolar. Plano Plurianual de desenvolvimento do projeto 2015/2016"

Transcrição

1 Futebol Feminino no Desporto Escolar Plano Plurianual de desenvolvimento do projeto 2015/2016

2 INTRODUÇÃO O Futebol Feminino é uma atividade que tem crescido nos últimos tempos em Portugal e por isso, sentimos que é importante dar continuidade ao seu crescimento através de um projeto que chegue a muitas crianças e jovens que gostam de futebol. A escola é um contexto rico e fundamental para a educação e crescimento dos nossos jovens. A capacidade para mobilizarmos a escola para o crescimento de uma atividade como o futebol feminino poderá ter impactos importantes no crescimento das nossas jovens e no futebol feminino. Neste sentido temos como intenção dar continuidade ao projeto no qual as jovens contactam com o futebol na escola e crescem com a sua prática regular e competitiva, promovendo a capacidade de jogar com alegria e qualidade. O futebol feminino tem um dia especial no seu calendário anual de atividades: A festa do futebol feminino, onde se procura promover a prática do futebol feminino como uma festa, com paixão e alegria. Assim, sentimos que este dia seria mais especial com a celebração de um projeto de parceria com o desporto escolar. A ida às escolas e a competição ao longo do ano procura evidenciar a importância do futebol feminino como algo que poderemos dinamizar celebrando o talento das nossas praticantes. Por tudo isto temos como intenção criar condições para as nossas jovens desenvolverem o seu talento e prazer na prática do futebol. Assim, teríamos todos a ganhar com um projeto envolvente e conjunto, da Federação Portuguesa de Futebol - Futebol Feminino e a Direção Geral da Educação - Divisão de Desporto Escolar. Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 1

3 OBJETIVOS Criar nas escolas condições de acesso e desenvolvimento da prática do futebol nas vertentes competição e arbitragem. Estimular a prática regular e o mais antecipada possível do futebol feminino. Desenvolver a qualidade do futebol através da sua prática orientada nas escolas. Contribuir para o crescimento do desporto escolar e da atividade competitiva nas escolas. Dinamizar a vertente de arbitragem com recurso a formação e formação tutorada de alunas interessadas nesta variante. Contribuir para o aumento da taxa de participação feminina no Desporto em Portugal e no Futebol em particular. Contribuir para a interligação entre escolas e clubes e entre Direcções de Serviços Regionais de Educação e/ou Coordenações Locais do Desporto Escolar e Associações de Futebol, promovendo em simultâneo a motivação para o desporto para todos e a motivação para o desporto de competição. Promover o Dia do Futebol Feminino nas Escolas e nos clubes Fase Escola e Fase Regional. Destacar a Festa do Futebol Feminino Fase Final Nacional - como referência nacional e meta a atingir. ESTIMULAR- DINAMIZAR- SENVOLVER- PROMOVER POPULAÇÃO ALVO Todas as estudantes que se encontram no 2.º e 3.º ciclos e ensino secundário, com idades compreendidas entre os 9 e os 15 anos. Na fase regional será igualmente destinada a todos os clubes ou conjunto de jogadoras que constituam uma equipa e que se enquadrem nos escalões etários acima referidos. Todas as escolas, adequando a prática às condições materiais e estruturais das mesmas e todos os clubes com escalões sub 13 e sub 15: Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 2

4 2.º Ciclo - sub 13 - Futebol de 5, GR+4x4+GR 3.º Ciclo e Secundário - sub 15 - Futebol de 7, GR+6x6+GR PLANO ANUAL ATIVIDAS 2014/ º ciclo Futebol 5 2- Em todas as escolas com 2.º e/ou 3.º ciclo, para alunas entre os anos e entre anos: Torneios de 5x5 (em zonas relvadas, se possível, ou em terrenos de terra batida, ou nas superfícies que a escola disponha ou ainda, na rua) - Superficies variadas estimulam o crescimento das jogadoras e o relacionamento com a bola. Em campos com 40x20m mas que poderão ser ajustados em função do espaço disponível, com balizas formais, se houver ou improvisadas (sem redes, como no futebol de rua). Jogos com duração de 25 minutos, podendo a duração dos jogos ser ajustada em função das necessidades da competição. As equipas jogam todas contra todas para apurar um vencedor, ou então distribuem-se por grupos apurando depois os vencedores que disputarão os jogos de onde sairá a equipa vencedora. A vitória vale 3 pontos, o empate 2 pontos e a derrota 1 ponto. No caso de empate pontual recorre-se ao desempate marcando 3 grandes penalidades. Se no final destas grandes penalidades o empate permanecer, continua-se a marcar grandes penalidades até uma equipa falhar e outra marcar para se apurar o vencedor. Torneio em campos ou zonas públicas ou das autarquias, com colaboração da autarquia no desenvolvimento do torneio (cedência de espaços e/ou técnicos para auxiliar na dinamização) e a colaboração/organização do Coordenador Técnico da Associação de Futebol Distrital em parceria com a Coordenação Local do Desporto Escolar. Os árbitros devem ser o (a)s aluno (a)s/professores das escolas. Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 3

5 PLANO PLURIANUAL ATIVIDAS 2015/ º ciclo 2014/ torneio aberto a escolas, clubes e conjuntos de jogadoras que constituam uma equipa (1 por região 2.º período e com possibilidade do vencedor aceder à fase final nacional). 2015/ torneio intra escola ou intra agrupamento, se se verificar mais proveitoso (1 por ano lectivo 1.º período) + torneio aberto a escolas, clubes e conjuntos de jogadoras que constituam uma equipa (1 por região - 2.º período e com possibilidade do vencedor aceder à fase final nacional e assistir à Final da Taça de Portugal de Futebol Feminino ao vivo). 2016/2017 e seguintes - torneio intra escola, ou intra agrupamento se se verificar mais proveitoso (1 por ano lectivo 1.º período) + 1 torneio entre escolas do concelho (1 por ano lectivo 2.º período) e torneio aberto a escolas, clubes e conjuntos de jogadoras que constituam uma equipa (1 por região 2.º período e com possibilidade do vencedor aceder à fase final nacional e assistir à Final da Taça de Portugal de Futebol Feminino ao vivo). PLANO ANUAL ATIVIDAS 2014/ º ciclo e secundário Futebol Em todas as escolas com 3.º ciclo e/ou secundário, para praticantes com idades compreendidas entre os anos: Torneios de 7x7 (em campos de futebol de 7 relvados ou zonas relvadas, se possível, ou em terrenos de terra batida, ou nas superfícies que a escola disponha ou ainda, na rua) - Superficies variadas estimulam o crescimento das jogadoras e o relacionamento com a bola. Em campos com 70x45m, mas que poderão ser ajustados em função do espaço disponível, com balizas formais, se houver ou improvisadas (sem redes, como no futebol de rua). Jogos com duração de 30 minutos, podendo a duração dos jogos ser ajustada em função das necessidades da competição. As equipas jogam todas contra todas para apurar um vencedor, ou então distribuem-se por grupos apurando depois os vencedores que disputarão os jogos de onde sairá a equipa vencedora. A vitória vale 3 pontos, o empate 2 Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 4

6 pontos e a derrota 1 ponto. No caso de empate pontual recorre-se ao desempate marcando 5 grandes penalidades. Se no final destas grandes penalidades o empate permanecer, continua-se a marcar grandes penalidades até uma equipa falhar e outra marcar para se apurar o vencedor. Torneios em campos ou zonas relvadas públicas ou das autarquias. Com colaboração da autarquia no desenvolvimento do torneio (cedência de espaços e técnicos para auxiliar na dinamização) e na fase regional também a colaboração/organização do Coordenador Técnico da Associação de Futebol Distrital em parceria com a Coordenação Local do Desporto Escolar. Os árbitros devem ser o (a)s aluno (a)s/professores das escolas. PLANO PLURIANUAL ATIVIDAS 2015/ º ciclo e secundário 2014/ torneio abertos a escolas, clubes e conjuntos de jogadoras que constituam uma equipa (1 por região 2.º período e com possibilidade do vencedor aceder à fase final nacional). 2015/ torneio intra escola, ou intra agrupamento se se verificar mais proveitoso (1 por ano lectivo 1.º período) + torneio aberto a escolas, clubes e conjuntos de jogadoras que constituam uma equipa (1 por região - 2.º período e com possibilidade do vencedor aceder à fase final nacional e assistir à Final da Taça de Portugal de Futebol Feminino ao vivo). 2016/2017 e seguintes - torneio intra escola, ou intra agrupamento se se verificar mais proveitoso (1 por ano lectivo 1.º período) + 1 torneio entre escolas do concelho (1 por ano lectivo 2.º período) e torneio aberto a escolas, clubes e conjuntos de jogadoras que constituam uma equipa (1 por região 2.º período e com possibilidade do vencedor aceder à fase final nacional e assistir à Final da Taça de Portugal de Futebol Feminino ao vivo). NOTA: Para a fase final nacional Festa do Futebol Feminino, se entre as equipas vencedoras da região não estiver pelo menos uma equipa do Desporto Escolar, a equipa melhor classificada no escalão sub 13 ou sub 15, representante de uma escola e integrando o Desporto Escolar dessa região, será também apurada para a fase final. Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 5

7 Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 6

8 COLABORAÇÃO E APOIOS NA FASE ESCOLA E REGIONAL: Apoio Entidade Tipo Publicidade Página de internet do Desporto Escolar Cartaz modelo para a Fase Escolar Cartaz modelo para a fase regional Panfletos para a Festa do FF Facebook/Redes Socias/Outras plataformas Material de apoio aos jogos Ofertas Fase regional Associações de Futebol Autarquias Campo de Futebol de 7 sintético Campo de Futebol de 5 sintético Bolas Coletes Águas Apitos Fichas de resultados e quadros de classificação Jogadoras e Treinadores: Kit s Oferta Diplomas de participação fase escolar/regional D.E. Arbitragem Árbitros alunos das escolas Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 7

9 APOIO NA FASE NACIONAL FESTA DO FUTEBOL FEMININO Apoio Entidade Tipo Deslocações Autocarros (ida e volta) Material de apoio aos jogos, alimentação e estadia Recursos Humanos 1 noite de alojamento 1 Refeição quente 1 pequeno almoço 1 lanche box para a manhã 1 Refeição quente 2 Lanches Boxes (1 tarde e 1 noite) Campos de Fut 7 Campos de Fut 5 (relvado/sintético) Bolas Coletes Águas (Tenda de Apoio/Organização) Um membro da organização em cada campo/jogo. Arbitragem Ofertas/Prémios / AF (Tenda de Apoio) Membros das Coordenações Nacional e Local do Desporto Escolar. Árbitras Femininas Distritais 1 por ADR Todas as jogadoras: T-shirts Treinadores Vencedores: Fato de Treino (colecções antigas) Pranchetas, blocos, etc... 1.ª, 2.ª e 3.ª classificados: Medalhas + Taça para 1ª classificada Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 8

10 Arbitragem Árbitros Alunos das Escolas Árbitras das ADR s no apoio às árbitras das escolas. Publicidade / MEC / Portal do Desporto Escolar Portal da Facebook Festa do Futebol Feminino Apoios Importantes para o Evento / / FIFA PRESSUPOSTOS REALIZAÇÃO Participação envolvente dos professores, Coordenadores Técnicos de Desporto Escolar, Coordenação Local do Desporto Escolar e Coordenadores Técnicos das Associações de Futebol. Promoção da modalidade através da prática e das atividades competitivas. Promover e desenvolver estratégias de intervenção para que as jogadoras e equipas possam jogar de acordo com as suas apetências individuais e coletivas sem a intervenção constante do treinador. Gostar da prática do futebol feminino. A partir daqui dever-se-á criar uma valorização do talento da prática, direcionar para a prática sistemática na escola e sempre que a situação o permita, encaminhar para os clubes numa prática federada. Manter condições para a prática das jogadoras/equipas menos capazes. Ou seja, manter o campo disponível para a prática do campeonato escolar, com todos contra todos sempre que possível. Num segundo campeonato, obrigatoriedade de mudarem de equipas (motivar interações diferentes e sobretudo, dificuldades diversas). A presença de treinadores nacionais nas competições mais relevantes para promover a interação com as jogadoras e com as escolas. Para além disso, podem garantir a observação das jogadoras. Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 9

11 A divulgação do futebol feminino através da presença de jogadoras das seleções nacionais, sempre que possível, que devem mediar os jogos e participar junto das jogadoras. Dialogar e interagir com as jogadoras, motivando-as à prática. Promover a presença das jogadoras em eventos da seleção nacional quando existe uma proximidade que o permita. Acompanhar os jogos das seleções nacionais femininas e permitir que algumas alunas entrem em campo com as jogadoras, enquanto outras alunas poderiam ajudar durante o jogo como apanha-bolas, havendo uma interação mais real com a competição feminina. Dinamizar os eventos através de atividades que apelem à participação das alunas e nas competições regionais conseguir criar um contexto de festa, valorizando as equipas vencedoras. CONCLUSÃO Em virtude dos factos mencionados percebemos que este projecto se baseia na intenção progressiva de ESTIMULAR DINAMIZAR SENVOLVER - PROMOVER a prática do futebol numa população com uma taxa de participação baixa. Taxa essa que nos propomos alterar com a colaboração e interajuda entre todas as instituições (Escolas, Clubes, Federação Portuguesa de Futebol, Associações de Futebol Distritais, Direção Geral da Educação, Direções dos Serviços Regionais de Desporto Escolar e Coordenações Locais de Desporto Escolar), estabelecendo novas relações/ligações e consolidando-as com um aprofundamento sequencial, rentabilizando recursos e contribuindo para a qualidade do ensino e do desenvolvimento desportivo em Portugal. Futebol Feminino nas Escolas Futebol de 5 e 7 10

09H30 AF Vila Real / AF Braga. 09H30 AF Viana Castelo / AF Porto. 15H00 Apuramento do 3º e 4º classificados. 16H00 Final

09H30 AF Vila Real / AF Braga. 09H30 AF Viana Castelo / AF Porto. 15H00 Apuramento do 3º e 4º classificados. 16H00 Final 09H30 AF Vila Real / AF Braga 09H30 AF Viana Castelo / AF Porto 15H00 Apuramento do 3º e 4º classificados 16H00 Final XXVII TORNEIO DE NATAL 2013 SUB/14 DR.MACEDO VIEIRA PROGRAMA GERAL 23.DEZ.13 (2ª Feira)

Leia mais

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS:

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS: INTRODUÇÃO NÍVEL I O Gira-Volei é um jogo de iniciação à modalidade destinada aos jovens com idades compreendidas entre os 8 e 15 anos, onde através do jogo simplificado (2x2) e utilização do passe faz

Leia mais

PROGRAMA. 14:30h Chegada das comitivas ao Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real; 15:30h JOGO 1: AF VISEU x AF BRAGANÇA;

PROGRAMA. 14:30h Chegada das comitivas ao Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real; 15:30h JOGO 1: AF VISEU x AF BRAGANÇA; PROGRAMA 14:30h Chegada das comitivas ao Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real; 15:30h JOGO 1: AF VISEU x AF BRAGANÇA; 16:30h JOGO 2: AF x AF VISEU; 17:30h JOGO 3: AF BRAGANÇA x AF ; 18:30h

Leia mais

Direcções Executivas Projecto Gira Volei 2013/2014

Direcções Executivas Projecto Gira Volei 2013/2014 Direcções Executivas Projecto Gira Volei 2013/2014 16 de Julho de 2013 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO... 4 3. OBJECTIVOS DA AVM... 4 3.1. OBJECTIVOS GERAIS... 4 3.2. OBJECTIVOS ESPECÍFICOS...

Leia mais

CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETEBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS

CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETEBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETEBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS INTRODUÇÃO No Campeonato Escolar Compal Air estão incluídos um conjunto de Torneios 3x3, correspondentes às fases Local, Regional

Leia mais

A Liga Escolhas realizar-se-á com equipas mistas com idades compreendidas entre os 10 e os 14 anos e será apadrinhada por um jogador a definir.

A Liga Escolhas realizar-se-á com equipas mistas com idades compreendidas entre os 10 e os 14 anos e será apadrinhada por um jogador a definir. Regulamento Liga Fundação Aragão Pinto Escolhas 2011-2012 PREÂMBULO São diversas as definições de desenvolvimento óptimo juvenil entre os investigadores. Para Hamilton, por exemplo, o desenvolvimento positivo

Leia mais

Associação de Voleibol ALENTEJO E ALGARVE VOLEIBOL DE PRAIA. Projeto e Programa de Competição

Associação de Voleibol ALENTEJO E ALGARVE VOLEIBOL DE PRAIA. Projeto e Programa de Competição Associação de Voleibol ALENTEJO E ALGARVE VOLEIBOL DE PRAIA Projeto e Programa de Competição 2015 INTRODUÇÃO Assumindo uma lógica de continuidade, a atividade aqui descrita está enquadrada no Projeto Volley

Leia mais

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL ÍNDICE CAPITULO I - O JOGO DE MINIVOLEIBOL - REGRA 1 - Concepção do Jogo - REGRA 2 - A quem se dirige - REGRA 3 - Finalidade do Jogo CAPITULO II - INSTALAÇÕES E MATERIAL - REGRA

Leia mais

PROJETO DO DESPORTO ESCOLAR

PROJETO DO DESPORTO ESCOLAR COORDENADOR: Vanda Teixeira 1. FUNDAMENTAÇÃO/ CONTEXTUALIZAÇÃO/ JUSTIFICAÇÃO a) O Desporto Escolar constitui uma das vertentes de atuação do Ministério da Educação e Ciência com maior transversalidade

Leia mais

A. Disposições Gerais

A. Disposições Gerais FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO Direcção Técnica Nacional Sector juvenil Versão de 29 de Maio de 2008 REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES NORMAS RELACIONADAS COM OS ESCALÕES DO ATLETISMO JUVENIL A. Disposições

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO A Câmara Municipal de Serpa no âmbito da sua politica para as áreas sócio-cultural e desportiva, considera o movimento associativo como parceiro

Leia mais

Torneio de Futsal Inter-Associações de Mortágua

Torneio de Futsal Inter-Associações de Mortágua CÂMARA MUNICIPALL DE MORTTÁGUA TORNEIO DE FUTSAL DE 2015 INTER-ASSOCIAÇÕES DE MORTÁGUA TORNEIO DE FUTSAL INTER-ASSOCIAÇÕES 2015 1º ORGANIZAÇÃO 1- O Município de Mortágua será responsável pela estruturação

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL GIRA-PRAIA (SUB. 16,18 e 20)

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL GIRA-PRAIA (SUB. 16,18 e 20) REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL GIRA-PRAIA (SUB. 16,18 e 20) I DISPOSIÇÔES GERAIS ARTIGO 1º O Campeonato Nacional Gira-Praia é uma competição de Voleibol de Praia de âmbito nacional, organizada pela

Leia mais

Federação Portuguesa de Minigolfe UPD REGULAMENTO GERAL DE PROVAS. Aprovado na Assembleia Geral de 2013-12-07

Federação Portuguesa de Minigolfe UPD REGULAMENTO GERAL DE PROVAS. Aprovado na Assembleia Geral de 2013-12-07 Federação Portuguesa de Minigolfe UPD REGULAMENTO GERAL DE PROVAS Aprovado na Assembleia Geral de 2013-12-07 REGULAMENTO GERAL DE PROVAS DESPORTIVAS 1. PROVAS FEDERATIVAS 1.1. São consideras Provas Federativas

Leia mais

Preâmbulo. 3. Todos os restantes apoios e subsídios serão concedidos sob a forma de protocolo. 1/7

Preâmbulo. 3. Todos os restantes apoios e subsídios serão concedidos sob a forma de protocolo. 1/7 Preâmbulo Recentemente, um estudo efectuado pela União Europeia demonstra de uma forma clara que Portugal, é o país dos "Quinze" que tem uma menor percentagem de população a praticar desporto. Urge criar

Leia mais

Ranking Nacional. Departamento de Combates

Ranking Nacional. Departamento de Combates Departamento de Combates ÍNDICE ARTIGO 1 - ENQUADRAMENTO 3 ARTIGO 2 - DESÍGNIO 3 ARTIGO 4 - PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS 3 ARTIGO 5 - FÓRMULA DE CÁLCULO DA PONTUAÇÃO FINAL NO EVENTO 5 ARTIGO 6 - FÓRMULA DE

Leia mais

Proposta de Regulamento de Apoio e Financiamento do Associativismo Desportivo

Proposta de Regulamento de Apoio e Financiamento do Associativismo Desportivo Proposta de Regulamento de Apoio e Financiamento do Associativismo Desportivo Dezembro 2007 Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Âmbito e objecto 1. O presente regulamento visa definir as normas e

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO BTT - XCO. (Revisto em Setembro 2014)

REGULAMENTO ESPECÍFICO BTT - XCO. (Revisto em Setembro 2014) REGULAMENTO ESPECÍFICO BTT - XCO 2013 2017 (Revisto em Setembro 2014) Índice 1. Introdução 2 2. Escalões Etários e variantes da Modalidade 3 2.1. Escalões Etários 3 2.2. Variantes da modalidade 3 3. Constituição

Leia mais

O CLUBE SPORT BENFICA E CASTELO BRANCO O QUE É A CHUTALBI ESCOLA DE FUTEBOL? ESPIRITO CHUTALBI

O CLUBE SPORT BENFICA E CASTELO BRANCO O QUE É A CHUTALBI ESCOLA DE FUTEBOL? ESPIRITO CHUTALBI O CLUBE SPORT BENFICA E CASTELO BRANCO O Sport Benfica e Castelo Branco é um clube da cidade de Castelo Branco com 84 anos de história, foi fundado em 24 de Março de 1924. Destaca-se o facto de ser a filial

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE GIRA-PRAIA DE SUB. 16,18 e 20-2014

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE GIRA-PRAIA DE SUB. 16,18 e 20-2014 REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE GIRA-PRAIA DE SUB. 16,18 e 20-2014 ARTIGO 1º O Campeonato Nacional de Gira- Praia de Subs é uma competição de Voleibol de Praia de âmbito nacional, organizada pela

Leia mais

TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM)

TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM) COMPETIÇÕES NACIONAIS TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM) Modelo Competitivo -Proposta de Alteração- Elaborado por: Directores Técnicos das Associações de Basquetebol de VIANA DO CASTELO, BRAGA, PORTO,

Leia mais

Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais XIX CAMPEONATO DE GOALBALL DE PORTUGAL REGULAMENTO

Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais XIX CAMPEONATO DE GOALBALL DE PORTUGAL REGULAMENTO Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais XIX CAMPEONATO DE GOALBALL DE PORTUGAL REGULAMENTO Preâmbulo O Goalball é uma modalidade desportiva coletiva, originariamente concebida para a prática

Leia mais

CAMPEONATOS NACIONAIS DE JOVENS

CAMPEONATOS NACIONAIS DE JOVENS CAMPEONATOS NACIONAIS DE JOVENS Época 2009-2010 - Escalões de Sub-08 / 10 / 12 / 14 / 16/ 18 e 20 Hotel Golf Mar, Torres Vedras www.hotelgolfmar.com - de 28 de Março a 1 de Abril de 2010 - REGULAMENTO

Leia mais

Circuito de Atletismo em Pavilhão Games and Fun

Circuito de Atletismo em Pavilhão Games and Fun 2014 Circuito de Atletismo em Pavilhão Games and Fun Departamento Técnico Associação de Atletismo do Porto Introdução O Circuito de Torneios de Atletismo em Pavilhão tem como propósito o combate dos modelos

Leia mais

EDITAL Nº. 001/2015 PROCESSO SELETIVO DO PROJETO BOLSA-ESPORTE DA SECRETARIA DO ESPORTE DO CEARÁ

EDITAL Nº. 001/2015 PROCESSO SELETIVO DO PROJETO BOLSA-ESPORTE DA SECRETARIA DO ESPORTE DO CEARÁ EDITAL Nº. 001/2015 PROCESSO SELETIVO DO PROJETO BOLSA-ESPORTE DA SECRETARIA DO ESPORTE DO CEARÁ O Estado do Ceará, através da Secretaria do Esporte, torna público, para conhecimento dos interessados,

Leia mais

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS O QUE É O Gira Volei é um jogo fácil, divertido e competitivo destinado aos jovens com idade compreendida entre os 8 e os 16 onde apenas se pode utilizar uma técnica: o passe. OBJECTIVOS: Contribuir para

Leia mais

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL ÍNDICE CAPITULO I - O JOGO DE MINIVOLEIBOL - REGRA 1 - Concepção do Jogo - REGRA 2 - A quem se dirige - REGRA 3 - Finalidade do Jogo CAPITULO II - INSTALAÇÕES E MATERIAL - REGRA

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL 2013-2014

REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL 2013-2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL 2013-2014 Índice 1. Introdução 2 2. Escalões etários 3 3. Constituição das Equipas 4 4. Regulamento Técnico Pedagógico 5 5. Classificação, Pontuação e Desempate 6 6.

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS FUTSAL ÉPOCA 2009-2010

NORMAS ESPECÍFICAS FUTSAL ÉPOCA 2009-2010 NORMAS ESPECÍFICAS FUTSAL ÉPOCA 2009-2010 FUTSAL NORMAS ESPECÍFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direcção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas

Leia mais

Modelo Regional de Apoios ao Desporto

Modelo Regional de Apoios ao Desporto 1 Introdução Esta proposta é um draft para o trabalho que se segue. Daí o seu conteúdo não ser nem pretender ser exaustivo nem definitivo. Poderão ser produzidas várias versões, à medida que se introduzem

Leia mais

LIGA ATLÉTICA DA REGIÃO MINEIRA

LIGA ATLÉTICA DA REGIÃO MINEIRA CAMPEONATO REGIONAL DA LARM DE FUTEBOL NÃO PROFISSIONAL DA 1ª DIVISÃO DE 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO Disposições Preliminares: CAPÍTULO I Art. 1º - O campeonato Regional da Liga Atlética da Região Mineira

Leia mais

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo 3º - Sistema Competitivo Artigo 4º - Ordem dos Jogos Artigo 5º - Duração dos Jogos Artigo

Leia mais

CIRCULAR PA Nº. 31 14/15 02/09/2015

CIRCULAR PA Nº. 31 14/15 02/09/2015 CIRCULAR PA Nº. 31 14/15 02/09/2015 DISTRIBUIÇÃO: Associações, Clubes P.A. ASSUNTO: 1 Abertura de época 2015/2016 2 Inscrição de equipas nas provas oficiais 3 Bola oficial 4 Taxas 5 - Regulamentos 6 Anexos

Leia mais

Associação de Futebol do Porto

Associação de Futebol do Porto Rua António Pinto Machado, n.º 96 4100 068 Porto Circular n.º 234 = 2014/2015= COMUNICADO OFICIAL Para conhecimento e orientação dos Clubes filiados, SAD s, SDUQ s e demais interessados, divulgamos os

Leia mais

Curso de Árbitros inicia a 13 de fevereiro

Curso de Árbitros inicia a 13 de fevereiro Newsletter da Associação de Futebol de Leiria Ano VI n.º73 10-02-2016 Curso de Árbitros inicia a 13 de fevereiro pág.6 pág.2 Site da A.F. Leiria com nova imagem A.F. Leiria já disponibiliza os resultados

Leia mais

CAMPEONATO REGIONAL INTER CLUBES JUNIORES D FUTSAL

CAMPEONATO REGIONAL INTER CLUBES JUNIORES D FUTSAL Rua Cônsul Dabney 9900-014 Horta DATA: 24, 25 e 26 de abril de 2015 LOCAL: Complexo Desportivo Manuel Arriaga, Pavilhão Desportivo da Horta e Pavilhão Desportivo Castelo Branco / Ilha do Faial Página Net

Leia mais

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL DE BEJA REGULAMENTO DO CURSO

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL DE BEJA REGULAMENTO DO CURSO ASSOCIAÇÃO FUTEBOL DE BEJA REGULAMENTO DO CURSO CURSO DE TREINADORES DE FUTEBOL UEFA C /RAÍZES (GRAU I) 2015 2016 1- Organização O curso de treinadores de Futebol UEFA C /RAÍZES (Grau I) - será organizado

Leia mais

Sociedade União 1º.Dezembro. Das teorias generalistas. à ESPECIFICIDADE do treino em Futebol. Programação e. Periodização do.

Sociedade União 1º.Dezembro. Das teorias generalistas. à ESPECIFICIDADE do treino em Futebol. Programação e. Periodização do. Sociedade União 1º.Dezembro Das teorias generalistas à ESPECIFICIDADE do treino em Futebol Programação e Periodização do Treino em Futebol 1 Programação e Periodização do Treino em Futebol Ter a convicção

Leia mais

LIGA ATLÉTICA DA REGIÃO MINEIRA

LIGA ATLÉTICA DA REGIÃO MINEIRA CAMPEONATO REGIONAL DA LARM DE FUTEBOL JÚNIOR DE 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO Disposições Preliminares: CAPÍTULO I Art. 1º - O campeonato Regional da Liga Atlética da Região Mineira de Futebol Júnior de

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO ÀS ENTIDADES DESPORTIVAS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO ÀS ENTIDADES DESPORTIVAS REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO ÀS ENTIDADES DESPORTIVAS Critérios específicos de apoio para época desportiva 2011/2012 Introdução O Regulamento n.º 635/2010 Regulamento Municipal de Apoio às Entidades

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 ÉPOCA 2015/2016 Associação de Andebol do Algarve

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 ÉPOCA 2015/2016 Associação de Andebol do Algarve Distribuição: FAP e Clubes Filiados 1. Direcção 1.1 A época desportiva 2014/2015 termina no dia 31/07/2015. A época desportiva 2015/2016 inicia-se no dia 01/08/2015. 1.2 Informamos que o horário de funcionamento

Leia mais

NEWSLETTER CETC ABRIL 2014

NEWSLETTER CETC ABRIL 2014 NEWSLETTER CETC ABRIL 2014 A B R I L 2 0 1 4 E M D E S T A Q U E : ABRIL 2014 Competição juvenil Os fundamentos do ténis V O L U M E I I, N º 4 N E W S L E T T E R C E T C @ G M A I L. C O M Adriano Carvalho

Leia mais

Programa. Xadrez. Lisboa 14 a 17 de maio

Programa. Xadrez. Lisboa 14 a 17 de maio Programa Xadrez Lisboa 14 a 17 de maio Nota Introdutória Os Campeonatos Nacionais Escolares 2015 realizam se nos dias 14, 15, 16 e 17 de maio, em Lisboa. A Direção Geral da Educação e a Direção Geral dos

Leia mais

PROGRAMA TAG RUGBY NAS ESCOLAS 2015 2016

PROGRAMA TAG RUGBY NAS ESCOLAS 2015 2016 PROGRAMA TAG RUGBY NAS ESCOLAS 2015 2016 2. RUGBY NAS ESCOLAS 2.1. Objectivos Introdução do Rugby através do Tag Rugby como matéria alternativa na Educação Física (2º/3º Ciclo); Criação de núcleos de Desporto

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Circular n.º 023/2014 Portal F.P.T. - Inscrições Exmo. Sr. Presidente, No seguimento da Circular Nº 021/2014 Inscrições em Provas F.P.T. e depois de disponibilizarmos a possibilidade de testar/treinar

Leia mais

Circular FEPACAN 002/2015 Foz do Iguaçu, 04 de junho de 2015.

Circular FEPACAN 002/2015 Foz do Iguaçu, 04 de junho de 2015. Circular FEPACAN 002/2015 Foz do Iguaçu, 04 de junho de 2015. Às Associações Filiadas Referente: Programa TOP 2016 do Governo Estadual Prezados Filiados, A Federação Paranaense de Canoagem, neste ato representada

Leia mais

Guião de Ajuda. Inscrição. Instituto Português da Juventude Departamento de Associativismo

Guião de Ajuda. Inscrição. Instituto Português da Juventude Departamento de Associativismo Guião de Ajuda Inscrição Instituto Português da Juventude Departamento de Associativismo ÍNDICE Títulos Pág. Apresentação do Roteiro do Associativismo 3 Aceder ao Roteiro do Associativismo 4 Inscrever/Atualizar

Leia mais

Continuamos com uma parceria entre a AMB e a Associação de Voleibol do Porto, em que esta ficará responsável por toda a parte competitiva do evento.

Continuamos com uma parceria entre a AMB e a Associação de Voleibol do Porto, em que esta ficará responsável por toda a parte competitiva do evento. BEM VINDOS É com enorme prazer que estamos a trabalhar no V AMB VOLLEYBALL CUP/Espinho 2016. Depois do êxito das quatro edições anteriores desta competição, continuamos a pensar e a desejar sempre o melhor.

Leia mais

CONGRESSO DO DESPORTO DESPORTO SAUDE E SEGURANÇA MEDICINA DESPORTIVA PRESSUPOSTOS

CONGRESSO DO DESPORTO DESPORTO SAUDE E SEGURANÇA MEDICINA DESPORTIVA PRESSUPOSTOS CONGRESSO DO DESPORTO DESPORTO SAUDE E SEGURANÇA PRESSUPOSTOS Não temos médicos com formação/especialidade em medicina desportiva para assegurar uma cobertura médico desportiva do país com eficácia e qualidade.

Leia mais

* Regulamento Técnico 2016 * FUTSAL

* Regulamento Técnico 2016 * FUTSAL * Regulamento Técnico 2016 * FUTSAL 1. DOS JOGOS: Os jogos de Futsal serão regidos pelas Regras Oficiais vigentes da Confederação Brasileira de Futsal, observadas as exceções previstas neste Regulamento

Leia mais

COPA DAS FEDERAÇÕES REGULAMENTO GERAL PARA 2014

COPA DAS FEDERAÇÕES REGULAMENTO GERAL PARA 2014 COPA DAS FEDERAÇÕES REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO Anualmente a CBT - Confederação Brasileira de Tênis promoverá a Copa das Federações, para definir o Estado Campeão Brasileiro. A Copa das

Leia mais

4. Indicadores de desenvolvimento sustentável

4. Indicadores de desenvolvimento sustentável 4. es de desenvolvimento sustentável para o Município de Fronteira 1. Os indicadores de desenvolvimento sustentável são instrumentos de monitorização do caminho que é percorrido desde a situação existente,

Leia mais

COPA SUL DOS CAMPEÕES DE 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAPÍTULO I. Disposições Preliminares

COPA SUL DOS CAMPEÕES DE 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAPÍTULO I. Disposições Preliminares LIGA IMBITUBENSE DE FUTEBOL - LIF DEPARTAMENTO TÉCNICO COPA SUL DOS CAMPEÕES DE 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º - A Copa Sul dos Campeões de 2015, será promovida

Leia mais

O Treino ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Jovens

O Treino ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Jovens O Treino Preparar Conduzir Avaliar ANTF Acção de Actualização para Treinadores de Jovens Vítor Urbano O Treino O treino é o acto pedagógico de base do treinador, é o meio da sua intervenção. Através do

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO BASQUETE

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO BASQUETE REGULAMENTO ESPECÍFICO DO BASQUETE 1. As competições de basquete serão realizadas de acordo com as regras internacionais da FIBA e os regulamentos e normas do Novo Desporto Universitário 2012 NDU. 2. Cada

Leia mais

O CAMPEONATO SAMBERNARDENSE DE FUTEBOL JUNIORES 2011 R E G U L A M E N T O / TEMPORADA 2011 = = = = = = = = = = = = DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

O CAMPEONATO SAMBERNARDENSE DE FUTEBOL JUNIORES 2011 R E G U L A M E N T O / TEMPORADA 2011 = = = = = = = = = = = = DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAMPEONATO SAMBERNARDENSE DE FUTEBOL JUNIORES 2011 R E G U L A M E N T O / TEMPORADA 2011 = = = = = = = = = = = = DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ARTIGO 1º O CAMPEONATO SAMBERNARDENSE DE FUTEBOL JUNIORES/2011,

Leia mais

VII Troféu Cidade Caldas da Rainha/I MEETING INTERNACIONAL DE NATAÇÃO MASTER Caldas da Rainha, Portugal 24 e 25 de Abril, 2010

VII Troféu Cidade Caldas da Rainha/I MEETING INTERNACIONAL DE NATAÇÃO MASTER Caldas da Rainha, Portugal 24 e 25 de Abril, 2010 A Secção de Natação dos PIMPÕES, com o apoio institucional da Câmara Municipal de Caldas da Rainha, com o apoio da Associação Distrital de Natação de Leiria e da Federação Portuguesa de Natação, têm o

Leia mais

LIGA PAULISTANA DE FUTEBOL AMADOR

LIGA PAULISTANA DE FUTEBOL AMADOR COPA LIGA PAULISTANA REGULAMENTO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º - Este Regulamento é o conjunto das disposições que regem a Copa Liga Paulistana. Artigo 2º - A Copa tem por finalidade promover

Leia mais

Índice: 1) Identificação.Pág.2. 2) Descrição geral, justificação e funcionamento Pág.2. 3) Objectivos..Pág.5. 4) Duração do programa...pág.

Índice: 1) Identificação.Pág.2. 2) Descrição geral, justificação e funcionamento Pág.2. 3) Objectivos..Pág.5. 4) Duração do programa...pág. Índice: 1) Identificação.Pág.2 2) Descrição geral, justificação e funcionamento Pág.2 3) Objectivos..Pág.5 4) Duração do programa...pág.8 5) Público-alvo..Pág.8 6) Recursos Pág.10 7) Construção, obras

Leia mais

GRUPOS CAMPO (02) SHOW DE BOLA CATEGORIA SUB: 13 CATEGORIA SUB: 15

GRUPOS CAMPO (02) SHOW DE BOLA CATEGORIA SUB: 13 CATEGORIA SUB: 15 GRUPOS CAMPO (01) 1º BPM CAMPO (02) SHOW DE BOLA CATEGORIA SUB: 09 1. Associação Teotônio Segurado- 1º BPM 2. Associação Aureny III 3. Instituto Fernandes Futebol Clube 4. Escolinha FLA CAMPO (03) 606

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO JICOF JOGOS INTERNOS DO COLÉGIO FRACTAL

REGULAMENTO GERAL DO JICOF JOGOS INTERNOS DO COLÉGIO FRACTAL REGULAMENTO GERAL DO JICOF JOGOS INTERNOS DO COLÉGIO FRACTAL CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Os jogos internos do COLÉGIO FRACTAL (JICOF) têm por finalidade principal humanizar a prática desportiva, valorizando

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE TÉNIS DE MESA DE LISBOA

ASSOCIAÇÃO DE TÉNIS DE MESA DE LISBOA Época 2008/2009 COMUNICADO Nº. 3 3 de Dezembro de 2008 Para conhecimento das Entidades Oficiais, Federação Portuguesa de Ténis de Mesa, Associações Distritais, Associação Portuguesa de Árbitros, Juízes

Leia mais

TAÇA DE PORTUGAL POR EQUIPAS REGULAMENTO

TAÇA DE PORTUGAL POR EQUIPAS REGULAMENTO REGULAMENTO Época 2015 / 2016 Informação de 1 de outubro de 2015 A Taça de Portugal por Equipas (Taça), organizado pela Federação Portuguesa de Xadrez (FPX) com o apoio do Instituto Português do Desporto

Leia mais

PÁG3. EURO PORTUGAL TOUR PORTO PÁG5. MESAS OFICIAIS DE JOGO PÁG6. EQUIPAS EPT PORTO

PÁG3. EURO PORTUGAL TOUR PORTO PÁG5. MESAS OFICIAIS DE JOGO PÁG6. EQUIPAS EPT PORTO PÁG3. EURO PORTUGAL TOUR PORTO PÁG5. MESAS OFICIAIS DE JOGO PÁG6. EQUIPAS EPT PORTO PÁG6. REGISTO DE EQUIPAS PÁG6. DATAS IMPORTANTES PÁG7. REGRAS E FORMATO DE JOGO PÁG8. SORTEIO E WEBSITE DO EVENTO PÁG8.

Leia mais

REGULAMENTO REALIZAÇÃO. Prefeitura Municipal de Irará PARCERIA. Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia SUDESB

REGULAMENTO REALIZAÇÃO. Prefeitura Municipal de Irará PARCERIA. Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia SUDESB REGULAMENTO REALIZAÇÃO Prefeitura Municipal de Irará PARCERIA Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia SUDESB APOIO: FEDERAÇÃO BAHIANA DE FUTEBOL FBF SETEMBRO / NOVEMBRO 2015 1 Disposições Preliminares

Leia mais

SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL

SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PROPOSTA DE ALTERAÇÃO QUADROS COMPETITIVOS NACIONAIS A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) apresentou, a 4 de Abril de 2005, uma proposta de alteração

Leia mais

COPA FEEVALE - 11ª EDIÇÃO - 2015

COPA FEEVALE - 11ª EDIÇÃO - 2015 COPA FEEVALE - 11ª EDIÇÃO - 2015 OBJETIVOS - PROMOVER UMA COMPETIÇÃO COM CUSTOS BAIXOS; - PROPORCIONAR JOGOS EM AMBIENTES FAVORÁVEIS AO CRESCIMENTO TÉCNICO, TÁTICO E EMOCIONAL, UTILIZANDO O ESPORTE COMO

Leia mais

Regulamento Específico de Basquetebol

Regulamento Específico de Basquetebol Regulamento Específico de Basquetebol Regulamento Basquetebol 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESCALÕES ETÁRIOS / BOLA DE JOGO... 4 3. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... 4 4. MESA DE JOGO... 4 5. ARBITRAGEM... 5

Leia mais

Departamento de Formação

Departamento de Formação FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BADMINTON Departamento de Formação Documento Orientador de Formação de Treinadores Nível I, II e III Com apoio de: ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 OBJECTIVOS 4 FUNÇÃO DO TREINADOR 4 SISTEMA

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL XCM 2009

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL XCM 2009 REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL XCM 2009 1. INTRODUÇÃO 1.1- O CAMPEONATO NACIONAL XCM é um troféu oficial da UVP/Federação Portuguesa de Ciclismo e consta de uma prova única. A prova do Campeonato Nacional

Leia mais

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto B O C C I A REGULAMENTAÇÃO GERAL NACIONAL 2008/2009 1 INTRODUÇÃO Todos os intervenientes em competições de zona e nacionais, acções de formação e classificação médico - desportiva, deverão reger-se pelos

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIOS AO ASSOCIATIVISMO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIOS AO ASSOCIATIVISMO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIOS AO ASSOCIATIVISMO (Aprovado na 6ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal realizada em 18 de Março de 2003, na 2ª Sessão Extraordinária de Assembleia Municipal, realizada

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS OLIMPIADAS UFS 2008. 25 de outubro à 30 de novembro de 2008

REGULAMENTO GERAL DAS OLIMPIADAS UFS 2008. 25 de outubro à 30 de novembro de 2008 1 DAS OLIMPIADAS UFS 2008 25 de outubro à 30 de novembro de 2008 São Cristóvão 2008 2 SUMÁRIO TÍTULO I CAPÍTULO I DA APRESENTAÇÃO 3 CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS 3 CAPÍTULO III DA JUSTIFICATIVA 3 TÍTULO II

Leia mais

COPA SUL DOS CAMPEÕES DE 2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAPÍTULO I. Disposições Preliminares

COPA SUL DOS CAMPEÕES DE 2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAPÍTULO I. Disposições Preliminares LIGA LAGUNENSE DE FUTEBOL - LLF DEPARTAMENTO TÉCNICO COPA SUL DOS CAMPEÕES DE 2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º - A Copa Sul dos Campeões de 2016, será promovida pela

Leia mais

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018 Plano de Ação 2015-2018 Eixo de Intervenção 1 Emprego, Formação e Qualificação a) Estabelecimento da Parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, I.P., com o objetivo de facilitar os processos

Leia mais

FLUVIAL TRIATHLON-ZOOT-DETEÇÃO DE TALENTOS

FLUVIAL TRIATHLON-ZOOT-DETEÇÃO DE TALENTOS INFORMAÇÕES O evento de Deteção de Talentos da Fluvial Triathlon, secção de triatlo do Clube Fluvial Portuense, pretende, como a própria palavra indica, atrair e recrutar jovens para a prática da modalidade

Leia mais

AGAP/DF ASSOCIAÇÕES DE GARANTIA AO ATLETA PROFISSIONAL DO DISTRITO FEDERAL CNPJ: 00.497.826/0001-08

AGAP/DF ASSOCIAÇÕES DE GARANTIA AO ATLETA PROFISSIONAL DO DISTRITO FEDERAL CNPJ: 00.497.826/0001-08 Regulamento da 16º COPA AGAP DE NOVOS TALENTOS Edição 2015 Copa Agap de Futebol Novos Talentos Categoria Sub 11 Copa Agap de Futebol Novos Talentos Categoria Sub 13 CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

Leia mais

ENCONTRO INTER-CONCELHIO

ENCONTRO INTER-CONCELHIO ENCONTRO INTER-CONCELHIO VOUZELA Parque Desportivo Municipal das Chãs 30 de Maio de 2015 Vouzela / São Pedro do Sul / Oliveira de Frades Agrupamento de Escolas de Oliveira de Frades INTRODUÇÃO O Projeto

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO BASQUETE MINEIRO

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO BASQUETE MINEIRO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO BASQUETE MINEIRO O que é? O Programa de Desenvolvimento do Basquete Mineiro (PDBM) é um projeto focado no atendimento as demandas dos clubes e escolas, em novas metodologias

Leia mais

Ministério da Juventude e Desportos

Ministério da Juventude e Desportos Ministério da Juventude e Desportos DIPLOMA DO REGIME DE PRÉMIOS AOS ATLETAS, NA ALTA COMPETIÇÃO I SÉRIE N.º47 8 DE NOVEMBRO DE 1996 CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 33/96 de 8 de Novembro O desporto

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA ANEXO II DOMÍNIO: GESTÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Estudex PROJETOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS PARCERIAS CALENDARIZAÇÃO Sala de estudo para o

Leia mais

Escola Básica 2,3 com Ensino Secundário de Alvide

Escola Básica 2,3 com Ensino Secundário de Alvide Informação Prova de equivalência à frequência de Educação Física Prova 26 2013 3.º Ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova tem por referência o Programa

Leia mais

FICHA DE CANDIDATURA AO PROGRAMA 2

FICHA DE CANDIDATURA AO PROGRAMA 2 A p o i o à A c ç ã o D e s p o r t i v a n o C o n c e l h o d e C o r u c h e Designação: Programa de Apoio a Infra- Estruturas FICHA DE CANDIDATURA AO PROGRAMA 2 Tipologia das Acções No âmbito desta

Leia mais

REGULAMENTO DA TAÇA DE PORTUGAL. Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes, SAD s e demais interessados

REGULAMENTO DA TAÇA DE PORTUGAL. Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes, SAD s e demais interessados REGULAMENTO DA TAÇA DE PORTUGAL Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes, SAD s e demais interessados informamos que na reunião de Direção de 21 de Agosto de 2012 foi aprovado o Regulamento da Taça

Leia mais

International Golden Cup

International Golden Cup O, é um torneio internacional de futebol de formação, que se disputa em Barcelona e onde podemos encontrar alguns dos melhores clubes de formação a nível mundial. O 2014, celebra nos próximos dias 6, 7

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO

REGULAMENTO DESPORTIVO TORNEIO DE FUTEBOL INFANTIL JOSÉ TORRES AMADORA 2014 FUTEBOL 7 INFANTIS COMPLEXO DESPORTIVO MUNICIPAL DO MONTE DA GALEGA 4 e 5 de outubro de 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO 01 Regras 02 Escalão etário 03 Equipas

Leia mais

IV COPA UNIMED BOM DE BOLA, MELHOR NA ESCOLA REGULAMENTO. Capítulo I Das Disposições Preliminares. Capítulo II - Dos Objetivos

IV COPA UNIMED BOM DE BOLA, MELHOR NA ESCOLA REGULAMENTO. Capítulo I Das Disposições Preliminares. Capítulo II - Dos Objetivos REGULAMENTO Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1 - A IV Copa Unimed Bom de Bola, Melhor na Escola de Futsal Masculino e Feminino tem como objetivo promover a integração da criança e do adolescente

Leia mais

Plano de Formação 2009

Plano de Formação 2009 Plano de Formação 2009 Introdução: O Departamento de Formação (DF) da FPR apresenta o plano de formação para 2009. A formação de todos os agentes desportivos treinadores, dirigentes, árbitros e fisioterapeutas

Leia mais

Federação de Ginástica de Portugal 3º Curso de Treinadores de GRAU I (nº 3/I/2015)

Federação de Ginástica de Portugal 3º Curso de Treinadores de GRAU I (nº 3/I/2015) Federação de Ginástica de Portugal 3º Curso de Treinadores de GRAU I (nº 3/I/2015) Todas as disciplinas Formação Geral (41h) e Formação Específica (59h) 1. Componente Geral Regulamento de Participação

Leia mais

NOTA OFICIAL N 50/2013 ATOS DA PRESIDÊNCIA

NOTA OFICIAL N 50/2013 ATOS DA PRESIDÊNCIA NOTA OFICIAL N 50/2013 Rio de Janeiro, 19 de março de 2013. ATOS DA PRESIDÊNCIA COPA BRASIL NORTE - 2013 Tornar sem efeito a Nota Oficial nº 29/2013 por força de alteração na programação, motivada pela

Leia mais

Circuito Nacional de Bodyboard Esperanças 2014

Circuito Nacional de Bodyboard Esperanças 2014 CADERNO DE ENCARGOS Circuito Nacional de Bodyboard Esperanças 2014 1. INTRODUÇAO Utilidade Pública Desportiva - Despacho 49/94, de 9.9.1994 Com o objectivo de aumentar o número de provas existentes em

Leia mais

1ºTorneio Bancário Society de Clubes Paulista REGULAMENTO 2015

1ºTorneio Bancário Society de Clubes Paulista REGULAMENTO 2015 REGULAMENTO 2015 1º Torneio Bancário Society de Clubes Paulista 2015, é uma promoção da Secretaria de Esporte do Sindicato dos Bancários, e tem por finalidade efetuar o congraçamento entre os bancários

Leia mais

Federação Portuguesa de Bridge Orçamento Ano 2008 ORÇAMENTO. Federação Portuguesa de Bridge. para o ano 2008 - 1 -

Federação Portuguesa de Bridge Orçamento Ano 2008 ORÇAMENTO. Federação Portuguesa de Bridge. para o ano 2008 - 1 - ORÇAMENTO da Federação Portuguesa de Bridge para o ano 2008 Lisboa, 21 de Outubro de 2007-1 - Orçamento para 2008 A Direcção da Federação Portuguesa de Bridge em cumprimento do disposto na alínea b) do

Leia mais

Financiamento do Desporto

Financiamento do Desporto Financiamento do Desporto Para abordar o tema do financiamento do desporto no momento actual e suas prospectivas é conveniente recordarmos as Opções do Plano e o Programa do Governo. De igual modo, consubstanciando

Leia mais

Câmara Municipal de Montemor-o-Velho. Unidade de Desporto XVII TORNEIO DE FUTEBOL JUVENIL 2014 REGULAMENTO

Câmara Municipal de Montemor-o-Velho. Unidade de Desporto XVII TORNEIO DE FUTEBOL JUVENIL 2014 REGULAMENTO Câmara Municipal de Montemor-o-Velho Unidade de Desporto XVII TORNEIO DE FUTEBOL JUVENIL 2014 REGULAMENTO Montemor-o-Velho, Maio de 2014 Índice REGULAMENTO... 3 1. ORGANIZAÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS/ESCALÕES

Leia mais

2 CLASSIFICAÇÃO / PONTUAÇÃO

2 CLASSIFICAÇÃO / PONTUAÇÃO 1 CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS E CONFIGURAÇÃO DOS JOGOS O número de praticantes desportivos por equipa que podem ser inscritos no boletim de jogo é os seguintes: 2º Ciclo: 4 jogadores (Jogos 2x2); 3º Ciclo

Leia mais

PROJETO E REGULAMENTO GERAL

PROJETO E REGULAMENTO GERAL OLIMPÍADAS DO INSTITUTO EDUCACIONAL NOVOS TEMPOS PROJETO E REGULAMENTO GERAL Ensino Fundamental II e Médio OUTUBRO DE 2015 APRESENTAÇÃO: As Olimpíadas do Instituto Educacional Novos Tempos (OLIENT), visam

Leia mais

Regulamento. Escola de Ciclismo CCMC

Regulamento. Escola de Ciclismo CCMC Regulamento Escola de Ciclismo CCMC I Disposições Gerais 1.º Objetivo A de Macedo de Cavaleiros tem como objetivo principal contribuir para a criação de um espaço de lazer e ocupação dos tempos livres

Leia mais

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia Gaianima, E. M., Equipamentos Municipais Departamento do Desporto Escolar Escola Profissional de Gaia Academia de Xadrez de

Leia mais

REGULAMENTO I DOS VALORES

REGULAMENTO I DOS VALORES REGULAMENTO I DOS VALORES Artigo 1º - Valores e princípios que norteiam a 6ª COPA CERTUS 2011. a) Estimular a prática do Esporte como estratégia privilegiada da Educação; b) Valorizar a Cultura Esportiva;

Leia mais