A COPA DO MUNDO DE 2014 E OS INVESTIMENTOS PÚBLICOS: um breve relato sobre as principais realizações para o evento.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A COPA DO MUNDO DE 2014 E OS INVESTIMENTOS PÚBLICOS: um breve relato sobre as principais realizações para o evento."

Transcrição

1 A COPA DO MUNDO DE 2014 E OS INVESTIMENTOS PÚBLICOS: um breve relato sobre as principais realizações para o evento. RAMALHO 1, Rodrigo Alves; TEIXEIRA 2, PROF Rogério de Assis (Orientador) RESUMO Os investimentos com a Copa do Mundo de Futebol em 2014 em sua maioria serão públicos, divididos entre os poderes municipal, estadual e federal, com um orçamento de mais de trinta bilhões de reais, serão utilizados para construção de estádios, reformas de aeroportos e execução de obras de infra-estrutura em todas as doze sedes do torneio. Com o evento o Brasil receberá turistas do mundo inteiro sendo necessário um ótimo acolhimento durante o período do torneio, para que o legado do mundial permaneça por muitos anos, gerando assim retorno não somente no período do mundial, mas também por um longo prazo. Para que todas as obras de infra-estrutura estejam prontas até 12 de julho de 2014, será necessário o comprometimento de todos os governantes e a população brasileira, com intuito de organizar um evento que agrade todos os telespectadores mundiais, dentro do orçamento programado pelo poder público. Palavras-chave: Investimento, infra-estrutura, legado. ABSTRACT Investments with the FIFA World Cup in 2014 will be mostly public, divided between the municipal, state and federal levels, with a budget of more than thirty billion reais, will be used to build stadiums, airports and implementing reforms works infrastructure in all twelve venues of the tournament. Brazil will get tourists all around the world, with this it will be needed a great host during the event so that the legacy of the world remains for many years, thereby creating not only return during the event, but also for a long time. For all the works of infrastructure to be ready by July 12, 2014, it will be required the commitment of all governments and the Brazilian population, aiming to organize an event that will please all viewers worldwide, within the budget set by the government. Key words: investments; infrastructure; legacy. 1 Acadêmico do Curso de Gestão Pública, nível pós-graduação do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Sul de Minas Campus Muzambinho/MG. Graduado em Administração pelo Centro Universitário da Fundação Educacional de Guaxupé UNIFEG. 2 Professor universitário, Graduado em Ciências Econômicas, Especialista em Controladoria e em Gestão Fiscal, Mestre em Administração Pública Municipal, atua na área pública desde

2 INTRODUÇÃO No dia 30 de outubro de 2007 o Brasil foi escolhido pela Federação Internacional de Futebol (FIFA) para organizar o maior evento do futebol mundial. Após esta data o país passou a ter a missão adequar toda sua infra-estrutura de estádio, aeroportos, rede hoteleira, entre outras, para receber este mega evento. (COPA DE 2014, 2012). A escolha das sedes foi baseada em critérios técnicos estabelecidos pela FIFA, nos quais foram verificadas através de várias inspeções nas cidades a partir de Os principais pontos analisados nestas visitas foram à capacidade de investimento de cada cidade na construção de seus estádios, segurança, tanto para as delegações dos países quando aos turistas, rede hoteleira, sistema de transporte terrestre e aéreo. De acordo com Proposta Estratégica de Turismo (2012), para realizar os investimentos necessários para que todas as obras estejam prontas, conforme o especificado pela FIFA, as sedes terão que arcar com no mínimo 30 bilhões de reais, sendo a maioria destes recursos públicos, liberados através de convênios com as respectivas cidades. A população brasileira acredita que as obras realizadas com dinheiro público possam ser úteis mesmo após o término do torneio, significando um ganho na oferta de bens públicos. Conforme Portal 2014 (2012) espera que os estádios brasileiros tenham as mesmas características da multiarena Amsterdã na Holanda, onde além de jogos de futebol, são realizados shows, palestras, encontros religiosos e vários outros eventos esportivos, como futebol americano e rúgbi. Daqui alguns anos, vamos descobrir se os investimentos alocados nas cidades sedes trarão grandes benefícios à população brasileira. O grande desafio do Brasil é manter todos os seus investimentos em uso, assim deixando um legado por muitos anos. O país espera receber (ibid) mais de 700 mil turistas estrangeiros e movimentar milhões de brasileiros pelas sedes, criando empregos em larga escala e promovendo o Brasil no exterior, Mesmo com toda esta expectativa de geração de empregos, existe uma grande parcela da população que é contra o investimento realizado na Copa, onde os mesmo recursos poderiam ser direcionados para educação, saúde e segurança, que são áreas que necessitam de maiores investimentos e abrangem a população em geral. O estudo dos investimentos públicos no evento de 2014 nos mostrará, onde e como serão gastos os recursos, quais cidades que serão beneficiadas com a construção estádios, ampliação de aeroportos e rodovias, aumento da rede hoteleira, melhoria na infra-estrutura em geral das sedes do evento.

3 2 HISTÓRIA E INVESTIMENTOS COM A COPA DE 1950 A história conta que os eventos esportivos sempre movimentaram uma legião de seguidores mundo afora. Com o passar do tempo estes eventos ficaram mais globalizados. O primeiro grande evento esportivo mundial pode ser considerado os jogos Olímpicos de Atenas em 1896, onde o mesmo foi batizado como o primeiro acontecimento da era moderna. (ATENAS 1896, 2012). O Brasil apesar de sempre participar dos maiores eventos esportivo, como as Olimpíadas e as Copas do Mundo, até o ano de 1950 nunca tinha sido sede de um destes grandes eventos mundiais. Conforme História Copa de 1950 (2012), Em 1948 o Brasil foi escolhido para organizar a quarta edição da copa do mundo de futebol. Este evento ocorreu em seis cidades brasileiras, sendo São Paulo, Curitiba; Recife, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, e teve a participação de dezesseis seleções, das quais sete eram europeias, sete americanas e duas asiáticas. Para este torneio foi construído o maior estádio de futebol do mundo na época, o Maracanã no Rio de Janeiro, com um investimento todo do governo federal. De acordo com Silva (2010, p.64), os investimentos federais são despesas orçamentárias com o planejamento e a execução de obras, inclusive com aquisição de imóveis considerados necessários à realização destas últimas, e com a aquisição de instalação, equipamento e material permanente. De acordo com Portal 2014 (2012), mais de um milhão de pessoas acompanharam os jogos nos estádios brasileiros na edição de 1950, além de jornalistas do mundo todo. O mundial mostrou que apesar do curto tempo de organização, o Brasil estava preparado para o evento, e todos os estádios construídos ou reformados para 1950, até hoje são utilizados pelos seus estados para acontecimentos esportivos, e o Maracanã, voltará a ser responsável por mais uma final de copa do mundo, desta vez em Para Rubio (2008, p.64): O planejamento estratégico e amplamente recomendado como um importante instrumento para o desenvolvimento e está relacionado com a forma de antecipar e regulares mudanças locais, de forma a promover o desenvolvimento ordenado ampliando os benefícios sociais, econômicos e ambientais. Para conseguir isso o planejamento deve possuir uma seqüência de operações ordenadas e desenhadas para alcançar os objetivos esperados.

4 3 INVESTIMENTOS PÚBLICOS COPA DE 2014 Na história dos eventos esportivos há relatos em que a sede do evento esportivo, teve um alto retorno em relação ao seu investimento, e outras que estão pagando até hoje pelo evento realizado. O mega evento esportivo que teve o melhor impacto após o seu término para a população foram às olimpíadas de 1992, realizada na cidade de Barcelona na Espanha, que até hoje colhe seus frutos, com um grande número de turista de todo o mundo e também consegue utilizar até hoje as arenas esportivas para vários eventos. Já Montreal, que fica no Canadá, foi sede das olimpíadas de 1976 e adquiriu uma dívida de aproximadamente R$ 2,8 bilhões, que foi quitada apenas em 2006, após trinta anos do fim da competição. (GLOBO, 2012). Até o início da próxima edição do maior evento de futebol mundial, serão sete anos de preparação para que o Brasil consiga sediar um evento de alta complexidade, tanto na oferta de estádios quanto no desenvolvimento da infra-estrutura. De acordo com Rubio (2008, p.24): Infra-instrutora significa obviamente a infra-estrutura esportiva para competições e treinamentos, mas também a infra-estrutura geral da cidade como aeroportos, estradas, telecomunicações, alojamentos (atletas, mídias e oficiais), estrutura para o entretenimento e parques, etc. Toda infra-estrutura deixada após um evento deve caber no desenvolvimento geral da cidade. Hoje construções temporárias ajudam a evitar legados negativos. Após a escolha do Brasil como sede da copa de mundo de futebol de 2014, o segundo passo foi escolher as cidades que participaram do evento, houve a candidatura de dezoito cidades, sendo escolhidas apenas doze, quais sejam: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Recife (PE) e Salvador (BA). (PORTAL 2014, 2012). A estimativa é que o torneio de 2014 agregará cerca de cento e oitenta e três bilhões de reais ao produto interno bruto brasileiro até 2019, com um investimento de aproximadamente trinta bilhões em infra-estrutura, tanto na construção de estádios quanto na melhoraria do transporte terrestre e aéreo, da rede hoteleira e maior segurança dos turistas e das delegações que participarão do evento. Os governantes brasileiros esperam gerar, entre empregos diretos e indiretos, aproximadamente setecentos mil novos postos de trabalho. Todos os investimentos públicos serão auditados pelo Tribunal de Contas da União, que colocou o portal da transparência a

5 disposição da população para tentar esclarecer qualquer dúvida sobre os investimentos que serão feitos para a realização da copa. Para TCU (2012, p.1): O Tribunal de Contas da União (TCU) é um tribunal administrativo. Julga as contas de administradores públicos e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos federais, bem como as contas de qualquer pessoa que der causa a perda, extravio ou outra irregularidade de que resulte prejuízo ao erário. Tal competência administrativa-judicante, entre outras, está prevista no art. 71 da Constituição brasileira. Conhecido também como Corte de Contas, o TCU é órgão colegiado. Compõe-se de nove ministros. Seis deles são indicados pelo Congresso Nacional, um, pelo presidente da República e dois, escolhidos entre auditores e membros do Ministério Público que funciona junto ao Tribunal. Suas deliberações são tomadas, em regra, pelo Plenário instância máxima ou, nas hipóteses cabíveis, por uma das duas Câmaras. Com todos estes investimentos realizados para o evento de 2014, há uma grande possibilidade do aumento da dívida pública do país, pois grande parte das arenas será financiada com dinheiro público, e mesmo após o evento, terão sua manutenção custeada pelo Estado, como algumas cidades sedes não têm tradição em levar uma grande platéia aos jogos, os estádios destas cidades poderão virar elefantes brancos ocasionando um grande custo ao governo de manter estas arenas em bom estado de conservação. Para Giambiagi (2008, p.32). O administrador público, no ato de selecionar as atividades prioritárias, deve fazer escolhas difíceis e, provavelmente, deixará algum grupo insatisfeito. Portanto muitos de nós em algum momento poderemos ter reclamado do fato do gasto público ser excessivo, criticando o governo por isso, mas por outro lado temos que entender que e muito mais fácil pregar uma palavra de ordem (reduzir gastos) do que estar na pelo do prefeito, governador ou do presidente da República e decidir qual gasto especifico que vai ser cortado. Quem pagará estes novos custos serão população brasileira, que já possui uma das maiores cargas tributárias do mundo, e com os próximos eventos, os gastos públicos tendem a crescer, o que pode vir a diminuir a possibilidade de investimentos em outras áreas críticas do país. 3.1 Construções e reforma de Estádios Das doze capitais brasileiras que receberão jogos da Copa 2014, nove delas terão recursos totalmente públicos para a construção ou reformas de suas arenas, e os outros três terão incentivos ficais, já que pertencem a clubes de futebol particulares. De acordo com Templos do Futebol (2012, p.1):

6 Local para uma atividade de lazer, praticando ou apenas assistindo, os estádios de futebol mais importantes do país estão em processo de reformulação, devido à conquista de duas grandes oportunidades. Primeiramente, no ano de 2014, a realização da Copa do Mundo em doze capitais brasileiras, e em 2016, as Olimpíadas, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Esses estádios estão se adaptando às normas da FIFA Fédération Internationale de Football Association, para receber a aprovação e sediarem os jogos do campeonato mundial e, posteriormente, se manterem economicamente através da arrecadação nos valores de ingressos nas partidas locais, nos espaços para shows e outros eventos nacionais e internacionais, e também como pontos turísticos. O grande destaque entre todas as arenas é o estádio do Maracanã no Rio de Janeiro, que passa novamente por uma grande reforma, para sediar um grande evento esportivo, já que em 2007, para a realização do Pan Americano do Rio de Janeiro, o estádio foi reformado. As obras para a copa custarão aos cofres públicos, oitocentos e oitenta e três milhões de reais. (COPA 2014, 2012). O estádio mineiro do evento será o Mineirão, que receberá seis partidas do mundial, com grande destaque para uma das semifinais. O investimento total na reforma será de quase seiscentos e trinta e quatro milhões de reais, sendo que quatrocentos milhões financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). O restante com recursos da prefeitura de Belo Horizonte. No nordeste são quatro sedes, com destaque para o Ceará, que receberá uma das semifinais do mundial. O estádio Governador Plácido Castelo, conhecido por Castelão, dentre todas as obras, é o que está com o cronograma mais adiantado, com previsão de entrega das obras para o começo de dezembro de Com um orçamento de mais de quinhentos milhões de reais para a reforma, quase 70% estão sendo financiados pelo BNDES e o restante dos recursos serão de uma parceria pública privada, onde um consórcio de empresas terá o direito de explorar o estádio por oito anos. De acordo com Silva (2010, p.27). A contratação de uma parceria Pública Privada deve ser precedida de licitação na modalidade de concorrência pública. A lei nº 11079/04 em seu artigo 10 estabelece que a abertura do processo licitatório seja condicionada ao cumprimento de vários requisitos que demonstrem a viabilidade do projeto do ponto de vista técnico, fiscal, legal, orçamentário. Outra sede nordestina será Recife (PE), que está construindo a Arena Pernambuco, com capacidade para quarenta e seis mil espectadores. Para Portal 2014 (2012), após o mundial esta arena poderá receber eventos como shows e convenções. Os investimentos são da ordem de quinhentos milhões de reais, financiados pelo governo de Pernambuco em parceria com o BNDES.

7 Em Natal (RN) de acordo com Copa 2014 (2012), as obras estão atrasadas, devido ao atraso na licitação da Arena das Dunas. O orçamento é de quatrocentos e dezessete milhões, sendo que 95% destes são recursos federais, e o restante de uma parceria pública privada, que terá a concessão do estádio por vinte anos. A última das sedes nordestinas para o evento, Salvador (BA) também optou por uma parceria pública privada, onde a empresa que ganhou a licitação poderá explorar por trinta e cinco anos as instalações em torno do estádio. Com recursos de quase seiscentos milhões de reais, dos quais trezentos e trinta milhões são financiados pelo governo federal, e o restante proveniente de uma parceria pública privada. O estádio da Fonte Nova comportará cinqüenta mil pessoas, e receberá cinco jogos do mundial. A região Norte será representada pela cidade de Manaus (AM) que construirá a Arena Amazônia que terá investimento todo federal, orçado em quinhentos e trinta e dois milhões de reais, com capacidade de quarenta e quatro mil espectadores e receberá quatro jogos do mundial. No Centro Oeste além da capital federal, Cuiabá (MT), também receberá jogos do evento, a Arena Pantanal terá capacidade de quarenta e três mil espectadores, com investimento de mais de quatrocentos e cinquenta milhões de reais, totalmente provenientes dos cofres públicos. (PORTAL 2014, 2012). O Estádio Nacional Mané Garrincha em Brasília (DF) terá investimento público na casa de oitocentos milhões reais, e receberá sete jogos. Como o Distrito Federal não possui grandes clubes de futebol, o grande desafio será manter o palco útil, já que sua capacidade será de setenta e um mil espectadores. São Paulo (SP), Porto Alegre (RS) e Curitiba (PR) são arenas particulares, e com isso, (ibid) os recursos para a construção e reformas dos estádios terão que vir da iniciativa privada. O incentivo que o poder público poderá aplicar a estas arenas é a diminuição de impostos e o financiamento do BNDES, com prazos maiores e uma taxa de juros reduzidos. Em Curitiba (PR), os incentivos fiscais poderão chegar a noventa milhões de reais, além de um financiamento do BNDES de aproximadamente cem milhões de reais, para a reforma da Arena da Baixada. Já Porto Alegre (RS) a arena Beira Rio terá um custo total de trezentos e trinta milhões de reais, sendo que duzentos e trinta e cinco milhões financiados pelo BNDES, com prazo de pagamento de trinta e cinco anos, e terá capacidade para sessenta mil espectadores. A capital paulista concentra o maior incentivo para a construção de um estádio particular no Brasil. A obra está orçada em oitocentos e vinte milhões de reais, sendo que quatrocentos milhões de financiamento do BNDES e o restante através de Certificado

8 Incentivo ao Desenvolvimento (CIDS) emitido pela prefeitura de São Paulo. O Estádio que ainda não tem nome definido receberá a abertura do mundial e terá disponibilidade para sessenta e cinco mil pessoas, sendo que deste total quinze mil lugares serão de arquibancadas móveis, que serão removidas após o término da Copa do Mundo. Conforme Correio do Povo (2012, p.1): Para o mestre em finanças públicas pela FGV Amir Kahir, é absurdo dizer que não haverá dinheiro público no estádio corintiano. "É claro que é dinheiro público. Isso é novidade para mim. Quando uma empresa ou uma pessoa tem a obrigação de pagar um determinado valor, naturalmente esse valor entraria no tesouro da prefeitura. Quando você dá algum tipo de incentivo, você está abrindo mão de receber um recurso. Isso é enquadrado no artigo 14 da Lei de Responsabilidade Fiscal, que diz que quando você reduz uma receita a que você tem direito, você tem que compensála com outra receita. Então quando você está dando um benefício, você abre mão de uma receita. Senão, pela própria essência não tem por que falar em incentivo. 3.2 Ampliações e Reformas de Aeroportos Um dos grandes problemas que o Brasil apresentou nos últimos anos, foi os recorrentes apagões aéreos. O maior deles foi em 2006, quando ocorreu o acidente com o avião da empresa aérea Gol, com a morte de todos os presentes a bordo. Neste ano, em um único dia, foram cancelados mais de 30% vôos, por falta de estrutura dos aeroportos. Conforme Revista Veja (2012, p.1): O caos e a incerteza que dominam o setor aéreo são resultado de uma série de problemas interligados. Os recursos da área são mal administrados; os aeroportos não têm estrutura para atender a atual demanda; faltam controladores de tráfego aéreo, e os que estão aí não têm boas condições de trabalho; os radares têm zonas cegas; as comunicações por rádio falham. Basta que um desses elos da corrente não funcione para que todos os outros sejam comprometidos. Como estão todos na iminência de falhar, a vulnerabilidade do sistema - que há muito ultrapassou o seu limite - é enorme. Com todos estes dados há uma grande preocupação das autoridades brasileiras com o movimento de turistas na Copa. A previsão de investimento neste setor é de mais de cinco bilhões de reais, em sua maioria com recursos públicos, nas doze capitais que receberão jogos do torneio. Caso haja um novo apagão aéreo na Copa de 2014, o Brasil poderá ter grande dificuldade em conseguir sediar novos eventos dessa magnitude. (PORTAL 2014, 2012).

9 O quadro abaixo demonstra a quantidade de recursos que cada cidade sede terá para a reforma e ampliação de seus aeroportos, e também como serão distribuídos os investimentos entre o poder público e a iniciativa privada. Cidades Aeroportos Investimentos Investimentos Públicos Privados São Paulo André Franco Montoro R$ 665 milhões R$ 1,38 bilhão Rio de Janeiro Antônio Carlos Jobim R$ 813 milhões R$ 0,00 Belo Horizonte Tancredo Neves R$ 508 milhões R$ 0,00 Brasília Juscelino Kubitscheck R$ 17 milhões R$ 626 milhões Curitiba Afonso Pena R$ 84 milhões R$ 0,00 Porto Alegre Salgado Filho R$ 579 milhões R$ 0,00 Manaus Brigadeiro Eduardo. Gomes R$ 394 milhões R$ 0,00 Cuiabá Marechal Rondon R$ 91 milhões R$ 0,00 Natal São Gonçalo. do Amarante R$ 174 milhões R$ 618 milhões Salvador Dep. Luís Ed. Magalhães R$ 47 milhões R$ 0,00 Recife Gilberto Freyre R$ 18 milhões R$ 0,00 Fortaleza Pinto Martins R$ 350 milhões R$ 0,00 Quadro 1 Investimentos em aeroportos para a Copa de Fonte: Portal 2014 (2012). São Paulo será a cidade que mais receberá recursos para ampliação de seu principal aeroporto, por meio de uma parceria pública privada. A maior obra será a construção do terceiro terminal, que terá capacidade de movimentação de um mil e oitocentos passageiros internacionais/hora no embarque e dois mil e duzentos passageiros internacionais/hora para desembarque, com previsão de entrega das reformas em dezembro de O aeroporto do Rio de Janeiro vem passando por reformas desde dois mil e três, quando a cidade foi escolhida para sediar o Pan Américo de As principais obras para o torneio de 2014 são a reforma do terminal de passageiros e a ampliação da capacidade de pouso de decolagens das aeronaves em vôos internacionais. Os investimentos federais para estas obras devem ultrapassar a casa de oitocentos milhões de reais. (COPA 2014, 2012). Na cidade de Belo Horizonte o aeroporto Internacional Tancredo Neves, está com as obras adiantadas, com previsão para o término das reformas em dezembro de As principais mudanças para receber os turistas da Copa 2014 são a reforma da pista de pouso e melhoria nos pátios do aeroporto. Portal 2014 (2012). Na capital Federal foi aprovada a ampliação do aeroporto Juscelino Kubitscheck, com orçamento estimado em mais de seiscentos milhões de reais, sendo que dezessete milhões de reais sairão dos cofres da INFRAERO e o restante dos recursos virá de uma parceria pública

10 privada. Esta ampliação irá aumentar em 47% a capacidade do aeroporto, passando de quatorze milhões de passageiros para vinte e seis milhões de passageiros por ano. Na região Sul o aeroporto Afonso Pena em Curitiba, também está ampliando suas instalações, melhorando os pátios e a pista de pouso e decolagem. A previsão de término das obras é para dezembro de O aeroporto Salgado Filho de Porto Alegre está com as obras em andamento, a primeira fase de ampliação do pátio está prevista terminar em dezembro de 2013 e a segunda etapa da ampliação da pista de pouso e decolagem com previsão de término em Já em Manaus (AM), conforme Copa 2014 (2012), as obras do aeroporto Brigadeiro Eduardo Gomes estão bem avançadas. A principal medida de melhoria é a ampliação da capacidade de geração de energia em até oito vezes, com a construção de uma nova subestação de energia. No Mato Grosso a cidade de Cuiabá, o aeroporto Marechal Rondon tem como reforma principal o terminal de passageiros e a melhoria dos estacionamentos. A previsão da entrega das obras é para o fim de julho de Um dos maiores desafios da comissão organizadora da Copa 2014 é o término do aeroporto São Gonçalo do Amarante, que fica em Natal (RN). Como era um aeroporto muito precário, a maioria das estruturas terá que ser totalmente refeitas, com a construção de um novo terminal de passageiros, ampliação dos estacionamentos, reforma da pista de pouso e decolagem. Para Rodrigues (2008. p.63) Todo o processo pré-evento, evento e pós-evento, e a preparação dos legados, exigem a atenção dos gestores em todas as fases, desde a candidatura, o planejamento, a execução e o pós-evento. O aeroporto Deputado Luís Eduardo Magalhães (ibid), que fica em Salvador (BA), terá como sua principal obra, o aumento de sua pista de pouso e decolagem e ampliação de seus estacionamentos. Com o menor dos orçamentos entre todos os aeroportos das cidades que receberão jogos da Copa 2014, o aeroporto Gilberto Freyre em Recife (PE), terá apenas a construção de uma nova torre de controle. Já em Fortaleza (CE) o aeroporto Pinto Martins está ampliando sua capacidade em 39%, com a reforma e ampliação do terminal de passageiros e a melhoria nos estacionamentos, com previsão de entrega das obras em dezembro de 2013.

11 3.3 Investimentos em infra-estrutura nas cidades sedes da Copa 2014 O Brasil ficou por muitos anos sem realizar investimentos significativos em infrainstrutora, porque geralmente são obras demoradas, que demandam um grande volume de recursos. Muitas vezes alguns políticos preferem realizar construções em que a população identifica rapidamente as melhorias. Isso pode resultar em uma infra-estrutura insuficiente, diante da crescente demanda por bens e serviços públicos. Mas para o evento de 2014 serão necessárias várias obras de infra-estrutura para o sucesso do Brasil como organizador do torneio. De acordo com Jornal Marítimo (2012, p.1): Logística é fundamental para que a Copa do Mundo de 2014 possa ser realizada de uma forma eficiente no Brasil. Assim, é necessário ter a visão da importância estratégica que esta área assume em que temos diversas atividades desde simples até complexas que envolvem a chegada e saída dos torcedores, atletas e suas delegações, assim como a necessidade de dimensionar estes fluxos de uma maneira eficiente. Ao mesmo tempo em que percebemos oportunidades de grandes investimentos nesta área, temos que nos preocupar com a lentidão dos tomadores de decisão. O quadro abaixo apresenta os recursos públicos que serão investidos no âmbito municipal, estadual e federal para a melhoria da infra-estrutura das cidades sedes. Cidades Investimentos Federais Investimentos Estaduais Investimentos Municipais Investimento Total São Paulo R$ 0,00 R$ 3 bilhões R$ 0,00 R$ 3 bilhões Rio de Janeiro R$ 0,00 R$ 1,8 bilhão R$ 0,00 R$ 1,8 bilhão Belo Horizonte R$ 650 milhões R$ 0,00 R$ 650 milhões R$ 1,3 bilhão Brasília R$ 0,00 R$ 280 milhões R$ 0,00 R$ 280 milhões Curitiba R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 300 milhões R$ 300 milhões Porto Alegre R$ 400 milhões R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 400 milhões Manaus R$ 0,00 R$ 1,5 bilhão R$ 0,00 R$ 1,5 bilhão Cuiabá R$ 1,5 bilhão R$ 500 milhões R$ 0,00 R$ 2 bilhões Natal R$ 250 milhões R$ 250 milhões R$ 0,00 R$ 500 milhões Salvador R$ 0,00 R$ 50 milhões R$ 0,00 R$ 50 milhões Recife R$ 300 milhões R$ 0,00 R$ 150 milhões R$ 450 milhões Fortaleza R$ 900 milhões R$ 600 milhões R$ 0,00 R$ 1,5 bilhão Quadro 2 Investimentos em infra-estrutura para a Copa de Fonte: Copa 2014 (2012). Em Manaus (AM) para Copa 2014 (2012), além da construção de uma nova arena esportiva e reforma do aeroporto, também serão feitos investimentos para a construção de um monotrilho com duas linhas, sendo uma com sete e outra com doze estações. Outra obra que

12 deixará um legado para a população da cidade é a ampliação do terminal de passageiros, melhoria nos armazéns, aumento do pátio de estacionamento e construção de uma passarela de pedestres no porto de Manaus, com previsão de entrega para o início de Para Rodrigues (2008, p.26): Em termos de legados sociais, os megaeventos esportivos, ao modificarem a estrutura e o cotidiano de uma cidade, precisam beneficiar toda a população. Ou seja, mesmo que o espetáculo esportivo ao vivo não tenha como expectador o indivíduo mais pobre, esse pode ser beneficiado pelas inúmeras ações que fazem parte do megaevento (operários que trabalharam na construção e manutenção dos equipamentos esportivos e de infra-estrutura em geral, cidadãos que passam a utilizar um transporte coletivo de melhor qualidade, equipamentos públicos de esporte e lazer. Dentre todas as sedes, Cuiabá no Mato Grosso é considerada a cidade que mais se preocupa com o meio ambiente, reaproveitando a água que é usada para lavar os caminhões e exigindo certificação em toda a madeira usada nas obras. Para receber o evento a cidade está organizando algumas melhorias, como a construção de um Veículo Leve sobre Trilho (VLT), que é uma espécie de metrô de superfície, com mais de vinte e dois quilômetros de extensão. Também está sendo construídos corredores exclusivos para ônibus, além da duplicação da ponte Mário Andreazza para facilitar a locomoção do aeroporto até a Arena Pantanal. A rede hoteleira que hoje tem capacidade para apenas sete mil leitos, será ampliada para mais de dez mil leitos. (PORTAL 2014, 2012). Como em sua arena, os projetos de mobilidade urbana de Natal (RN) também se encontram bem atrasados, o principal projeto é a integração através de um anel rodoviário, entre a Arena das Dunas, o aeroporto e setor hoteleiro, outro empreendimento compreende a duplicação da via Prudente de Moraes que dá acesso ao estádio. Fortaleza (CE), assim como Cuiabá (MT), tem a construção do VLT como principal obra de mobilidade urbana. Em Fortaleza as obras se encontram atrasadas por causa das negociações de desapropriação de vários terrenos particulares. Os trilhos terão treze quilômetros de extensão e dez estações, passando por vinte e dois bairros da cidade. A expectativa é de que mais de noventa mil pessoas utilize o VLT por dia, com previsão de entrega para junho de O metrô de Fortaleza ganhará mais duas estações Juscelino Kubitschek e Padre Cícero, aumentando assim sua capacidade em 20%. Já o porto de Mucuripe será reformado, com a construção de um novo cais e reforma da estação de passageiros. (PORTAL 2014, 2012). Em Recife (PE), conforme Portal da Transparência (2012), as principais obras de infra-estrutura para a população são a construção de um corredor rápido de ônibus, com doze

13 quilômetros de extensão e capacidade para transportar cento e vinte seis mil passageiros por dia, a modernização da Avenida dos Mangues, que terá ciclovias, calçadas para pedestres, além do alargamento da Ponte Paulo Guerra e do Viaduto Capitão Temudo, com previsão de entrega para o final de A capital baiana Salvador (BA), tem como sua principal obra, o término de duas estações de metrô, com previsão de conclusão em meados de Mas há também projetos de construção de uma via expressa entre o porto e a principal rodovia da cidade, além de investimentos na ampliação do porto, investimentos em segurança dos turistas e o aumento da capacidade hoteleira da cidade. (PORTAL 2014, 2012). Conhecida como a cidade brasileira que mais se preocupa com o planejamento urbano, Curitiba (PR) já tem uma boa infra-estrutura, se comparada com as demais capitais que receberão o evento. Mas ainda assim executarão algumas melhorias em seu sistema de metrô, com incremento de elevadores, melhorias na acessibilidade e aumento da iluminação. Também será construído um corredor de ônibus que ligará o aeroporto a Arena da Baixada, com previsão de entrega do projeto em dezembro de No Rio Grande do Sul, a capital Porto Alegre está com as obras de melhorias urbanas bem atrasadas, sendo a principal delas a duplicação da Avenida Moah Caldas, embora com previsão de entrega no final de 2013, apenas 15% das melhorias projetadas estão concluídas. Outra construção importante são quatro corredores exclusivos para ônibus, sendo que um deles ligará o aeroporto a Arena Beira Rio. A rede hoteleira de Porto Alegre tem capacidade de mais de vinte mil leitos, o que deve ser suficiente para receber os turistas no evento. (COPA 2014, 2012). Já a capital Federal Brasília (DF), o projeto do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que deveria ficar pronto até a Copa de 2014, está parado por acusações de fraudes, e segundo autoridades, não deve ficar pronto até o início do evento. Com valor estimado em duzentos e oitenta milhões de reais, todo repassado pelo governo do Distrito Federal, as obras começaram em 2009 e foram interrompidas em abril de Ainda não houve uma nova licitação para terminar o VLT. Na região Sudeste é onde se encontram as maiores obras de infra-estrutura para o evento de Na capital mineira há várias obras de mobilidade urbana que podem ser destacadas, como por exemplo, a construção de corredores exclusivos para ônibus, que terão dezesseis quilômetros de extensão e capacidade para transportar aproximadamente vinte mil usuários por hora. Outra importante obra na cidade é a ligação da Via do Minério à Avenida

14 Tereza Cristina, pela Via 210, esta via terá quase dois quilômetros de corredor de ônibus, ligando a região do Barreiro ao centro de Belo Horizonte e ao metrô. (COPA 2014, 2012). A rede hoteleira de Belo Horizonte oferece aproximadamente vinte e três mil leitos para turistas, sendo assim necessária a construção de mais dois mil leitos para a Copa de Estes investimentos estão sendo realizados pela iniciativa privada. A maior cidade do país também será a que mais irá investir em obras de mobilidade urbana. De acordo com o Portal 2014 (2012), a principal obra é a construção de monotrilho que ligará o aeroporto de Congonhas ao bairro do Morumbi, onde se encontra a maior concentração de hotéis da cidade. As construções começaram com vinte meses de atraso, por causa do atraso na emissão de licenças do projeto. Com orçamento superior a três bilhões de reais, todo repassado pelo governo estadual, se tornou a obra de infra-estrutura mais cara até então elaborada para o torneio de A rede hoteleira de São Paulo não precisará aumentar seus leitos disponíveis, pois a cidade recebe aproximadamente noventa mil eventos anuais, conseguindo assim disponibilizar hospedagens adequadas aos turistas da Copa. O Rio de Janeiro que foi sede do Pan Américo de 2007 e será a cidade organizadora das Olimpíadas de 2016, além de receber a grande final da Copa de 2014, tem elaborado vários projetos de infra-estrutura para os eventos. O projeto do corredor expresso de ônibus articulados e um deles, com previsão de entrega para junho de 2014, serão trinta e nove quilômetros de extensão e fará ligação entre o aeroporto Internacional do Galeão e a Barra da Tijuca. O projeto enfrenta várias críticas, pois terá que desapropriar quase quatro mil imóveis, com investimento total de mais de um bilhão e oitocentos milhões de reais, todo proveniente do governo estadual. Para Portal Popular da Copa (2012, p.1): Não queremos que a Copa seja a reprodução do Pan 2007, no Rio de Janeiro. O dinheiro utilizado para a realização daquele evento foi tirado da saúde, da educação, da moradia. Resultado: a falta de recursos provocou o caos nos hospitais, a epidemia de dengue e o desmoronamento de encostas. Uma das obras mais emblemáticas prometidas pelo governo para a Copa, ainda não saiu do papel. De acordo com EXAME (2012), a construção do trem-bala que ligaria São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas, passou por uma licitação pública e não houve nenhuma empresa interessa em realizar tal obra e com isso, o governo deve mudar o edital para facilitar a entrada de empresas estrangeiras na concorrência pública.

15 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS Sem dúvida a Copa de 2014, trará muitos recursos financeiros para o Brasil durante o torneio, com o aumento do turismo e exposição das empresas brasileiras durante o evento. Mas apenas isso não basta para que os bilhões de reais investidos pelo governo, em todas suas esferas, garantam ganhos à sociedade brasileira. O mundial precisa deixar um legado que dure por muitos anos, tanto no turismo, como na utilização das obras de infra-estrutura que serão realizadas Brasil afora. Para o sucesso do mega evento, todas as obras de infra-estrutura terão que estar prontas no início torneio. Não adiantará em nada as arenas esportivas estarem em ótimas condições para prática do futebol, se os aeroportos estiverem congestionados, os hotéis não tiverem vagas, as rodovias engarrafadas, e faltar segurança para os atletas e turistas. Como o Brasil é um país de dimensões continentais e as necessidades de cada cidade são bem distintas, os recursos públicos não serão divididos de forma igualitária e sim de acordo com a necessidade de todas as sedes e os projetos apresentados pelas suas respectivas autoridades. Com todos os recursos públicos destinados a este mega evento esportivo, a população brasileira espera que todas as obras estejam prontas até o início do mundial e que possam durar vários anos, aumentando a quantidade e qualidade da infra-estrutura das cidades que serão sedes do evento. Cabe à população brasileira o importante papel de fiscalizar cada etapa das obras, denunciarem fraudes e desvios cometidos e não deixar que os recursos públicos sejam aplicados de forma incorreta, como há relatos de ocorrências no Pan Americano de 2007 no Rio de Janeiro, quando determinadas obras ficaram até 400% mais caras que o orçamento inicial. Como o evento ocorrerá em 2014, há várias etapas ainda para serem concluídas, mas os projetos estão prontos, com recursos aprovados, dependendo da correta execução dos cronogramas pelas autoridades competentes.

16 REFERÊNCIAS: CANAL OLÍMPICO. Sítio eletrônico CANAL OLÍMPICO. Atenas 1896: A Primeira Olimpíada da Era Moderna. Disponível em: <http://www.canalolimpico.com.br/jogos/olimpiadas-anteriores/atenas a-primeiraolimpiada-da-era-moderna/>. Acesso em 05 de mai COPA2014. Sítio eletrônico COPA2014. Andamento das obras de construção da arena em Manaus. Disponível em: <http://www.copa2014.gov.br/pt-br/noticia/balanco-obras-da-copasomam-r-28-bilhoes-em-manaus>. Acesso em 07 de jun [Como evitar elefantes brancos para estádios da copa Disponível em: <http://www.copa2014.gov.br/pt-br/noticia/receita-holandesa-para-evitar-que-estadios-viremelefantes-brancos>. Acesso em 03 mai ].[Construção da arena em Brasília. Disponível em: <http://www.copa2014.gov.br/pt-br/arena/brasilia>. Acesso em 05 de jun ].[Construção da arena em Cuiabá. Disponível em: <http://www.copa2014.gov.br/pt-br/arena/cuiaba>. Acesso em 07 de jun ].[Construção da arena em Curitiba. Disponível em: <http://www.copa2014.gov.br/pt-br/arena/curitiba>. Acesso em 07 de jun ].[Construção da arena em Natal. Disponível em: <http://www.copa2014.gov.br/pt-br/arena/natal>. Acesso em 07 de jun ].[Construção da arena em Recife. Disponível em: <http://www.copa2014.gov.br/pt-br/arena/recife>. Acesso em 09 de jun ].[Construção da arena em Salvador. Disponível em: <http://www.copa2014.gov.br/pt-br/arena/salvador>. Acesso em 09 de jun ] CORREIO DO POVO. Sítio eletrônico CORREIO DO POVO. Incentivo fiscal para construção do estádio de Corinthians é dinheiro público, diz legislação. Disponível em: < Acesso em 15 de jul

17 CUIABÁ Sítio eletrônico CUIABÁ Andamento das obras para a copa em Mato Grosso. Disponível em: <http://www.cuiaba2014.mt.gov.br/pw/> acesso em 08 de jun EXAME. Sítio eletrônico Exame. Governo assumira custo extra das obras do trem bala. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/economia/brasil/noticias/governo-assumira-custoextra-das-obras-do-trem-bala-2> Acesso em 11 de jun FOLHA. Sítio eletrônico Folha Online. Orçamento do Pan Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/esporte/ult92u shtml> Acesso em 15 mai GIAMBIGI, Fábio. Financias Públicas, Teorias e Práticas no Brasil. 1. Ed. São Paulo: Campus, GLOBO. Sítio eletrônico Globo. Olimpíada não è garantia de sucesso, tem que ser bem feita. Disponível em: <http://g1.globo.com/bomdiabrasil/0,,mul ,00- MIRIAM+OLIMPIADA+NAO+E+GARANTIA+DE+SUCESSO+TEM+QUE+SER+BEM+ FEITA.html>. Acesso em 05 mai [Obras em aeroportos ficarão prontas até a Copa de Disponível em: <http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/06/obras-em-aeroportos-ficarao-prontas-atecopa-dizem-consorcios.html>. Acesso em 07 jun ] MARÍTIMO. Sítio eletrônico Jornal Marítimo A importância da logística para a Copa de Disponível em: <http://opropulsormaritimo.info/news/index.php?option=com_content&view=article&id=83:a -importancia-da-logistica-para-o-sucesso-da-copa-2014l>. Acesso em 15 jul POPULAR. Sítio eletrônico Portal Popular da Copa. Copa pra quem: Disponível em: <http://www.portalpopulardacopa.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3 87&Itemid=293>. Acesso em 10 de jul PORTAL Sítio eletrônico Portal2014. Cidades sedes Copa 2014, Belo Horizonte. Disponível em: <http://www.portal2014.org.br/cidades-sedes/belo+horizonte/>. Acesso em 07 de jun [Cidades sedes copa de 2014, Porto Alegre. Disponível em: < Acesso em 10 de jun. de 2012.]

18 .[Cidades sedes copa de 2014, Rio de Janeiro. Disponível em: < Acesso em 10 de jun. de 2012.].[Cidades sedes copa de 2014, São Paulo. Disponível em: < Acesso em 10 de jun. de 2012.] RODRIGUES, Rejane Penna Rodrigues. Legado de Megaeventos Esportivos. 1. Ed. Brasília: Tesouro Nacional, [Legado de Megaeventos Esportivos. 1. Ed. Brasília: Tesouro Nacional, 2008.] RUBIO, Kátia. Megaeventos esportivas, legado e responsabilidade social. 1. Ed. São Paulo: Casa PSI Livraria, Editora e Gráfica Ltda., SILVA, Paulo Henrique Feijó. Manual de contabilidade pública aplicada ao setor público. 2. Ed. Brasília: Tesouro Nacional, SPPERT. Sítio eletrônico SPPERT. Os templos do futebol. Disponível em: <http://www.sppert.com.br/artigos/brasil/lazer/est%c3%a1dios_de_futebol/os_templos_d o_futebol/>. Acesso em 07 de jul TERRA. Sítio eletrônico PORTAL TERRA. História Copa de Disponível em:<http://esportes.terra.com.br/futebol/copa2006/interna/0,,oi ei5497,00.html> Acesso em 15 de jul TCU. Sítio eletrônico TCU. Funcionamento do TCU. Disponível em: <http://portal2.tcu.gov.br/portal/page/portal/tcu/institucional/conheca_tcu/institucional_func ionamento>. Acesso em 05 de jun TRANSPARÊNCIA. Sítio eletrônico Transparência. Copa 2014 transparência em 1º lugar. Recife, mobilidade urbana. Disponível em: Acesso em 10 de jun. de TURISMO. Sítio eletrônico Turismo. Proposta Estratégica de Turismo. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads _publicacoes/brasil_final_novo.pdf>. Acesso em 01 mai

19 VEJA. Sítio eletrônico Revista Veja. Caos Aéreo. Disponível em: < Acesso em 15 de jul

Aeroportos Copa do Mundo 2014. 14 Dezembro 2009

Aeroportos Copa do Mundo 2014. 14 Dezembro 2009 Aeroportos Copa do Mundo 2014 14 Dezembro 2009 Belo Horizonte e Confins - MG 1. Aeroporto Internacional Tancredo Neves Confins 2. Aeroporto de Belo Horizonte/ Pampulha Carlos Drummond de Andrade Brasília

Leia mais

Investimento Global (R$ mi) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2 -

Investimento Global (R$ mi) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2 - Anexo A - Mobilidade Urbana Empreendimento (obra, projeto e desapropriação) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2-2 Belo Horizonte Corredor Pedro II e Obras Complementares nos

Leia mais

Responsabilidade (R$ milhões) Contratado

Responsabilidade (R$ milhões) Contratado SELEÇÃO DE OBRAS DA COPA DE ACORDO COM O PORTAL DA TRASPARÊNCIA DA COPA DA CGU - ACESSO EM 27/09/2011 Belo Horizonte > Aeroportos e Portos > Aeroporto Tancredo Neves - Confins: Reforma e Ampliação da Pista

Leia mais

Infraestrutura Aeroportuária Copa do Mundo 2014

Infraestrutura Aeroportuária Copa do Mundo 2014 VI Seminário ALACPA de Pavimentos Aeroportuários e IV FAA Workshop Infraestrutura Aeroportuária Copa do Mundo 2014 28 Outubro 2009 Arq. Jonas M. Lopes INFRAERO Aeroportos - Copa do Mundo 2014 Belo Horizonte

Leia mais

Copa do Mundo FIFA 2014

Copa do Mundo FIFA 2014 1. Belo Horizonte Copa do Mundo FIFA 2014 CODE-2 Belo Horizonte Belo Horizonte Quantitativo de Empreendimentos e Investimentos por Tema Nº de Empreendimentos Investimento Total (R$ mi) Estádio Mobilidade

Leia mais

O TCU E A COPA 2014 Ministro-Relator: Valmir Campelo

O TCU E A COPA 2014 Ministro-Relator: Valmir Campelo O TCU E A COPA 2014 Ministro-Relator: Valmir Campelo Adalberto Santos de Vasconcelos Coordenador-Geral da Área de Infraestrutura e da Região Sudeste Rafael Jardim Assessor do Ministro Valmir Campelo Brasília

Leia mais

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014 O que o Brasil já ganhou com a Copa 2 O que o Brasil já ganhou com a Copa Investimentos A Copa do Mundo é um grande investimento para todos brasileiros Os únicos

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil Ações do Governo de Minas Gerais 27 de Outubro de 2009 Roteiro Estratégia de Execução Modernização do Mineirão Reforma dos Estádios Alternativos Mobilidade

Leia mais

Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República. 10 de novembro de 2011

Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República. 10 de novembro de 2011 Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República 10 de novembro de 2011 Secretaria de Aviação Civil INFRAERO ANAC Ministério da Defesa DECEA PANORAMA Passageiros- quilômetros transportados no Brasil,

Leia mais

Plano de Investimentos para os Eventos Internacionais Esportivos no Brasil

Plano de Investimentos para os Eventos Internacionais Esportivos no Brasil 40ª RAPv Reunião Anual de Pavimentação Plano de Investimentos para os Eventos Internacionais Esportivos no Brasil INFRAERO Superintendência de Obras Ricardo Ferreira ricardof@infraero.gov.br 26 Outubro

Leia mais

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Carlos Campos Neto carlos.campos@ipea.gov.br Frederico Hartmann de Souza frederico.souza@ipea.com.br Abril de 2011 Objetivos Avaliar

Leia mais

3º Balanço das ações do Governo Brasileiro para a Copa- Abril 2012

3º Balanço das ações do Governo Brasileiro para a Copa- Abril 2012 Code-P0 3º Balanço das ações do Governo Brasileiro para a Copa- Abril 2012 Brasília, Maio de 2012 Code-P1 Conteúdo do documento Visão geral das ações Visão por tema 1 Code-P2 Ciclos dos preparativos do

Leia mais

Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República. 23 de novembro de 2011

Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República. 23 de novembro de 2011 Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República 23 de novembro de 2011 Secretaria de Aviação Civil INFRAERO ANAC Ministério da Defesa DECEA 1960 1962 1964 1966 1968 1970 1972 1974 1976 1978 1980

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014. Logística

1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014. Logística 1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014 Logística Economia Brasileira Gráfico 1 Crescimento Econômico Brasileiro e Mundial PIB 2002 a 2016 (em %) 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0-2,0 7,5 61 6,1 5,7 4,6 5,3 5,2

Leia mais

Fórum de Logística Perspectivas para 2014 25/02/2014

Fórum de Logística Perspectivas para 2014 25/02/2014 Fórum de Logística Perspectivas para 2014 25/02/2014 David Barioni Neto Mar/10 a Jun/11: Presidente Executivo (CEO) da Facility Group S.A. Nov/07 a Out/09: Presidente Executivo (CEO) da TAM Linhas Aéreas

Leia mais

COPA 2014. 28º Reunião do Conselho Nacional de Turismo

COPA 2014. 28º Reunião do Conselho Nacional de Turismo COPA 2014 28º Reunião do Conselho Nacional de Turismo COPA 2014 CIDADES-SEDE Fortaleza Manaus Natal Recife Cuiabá Salvador Brasília Belo Horizonte Curitiba São Paulo Rio de Janeiro Porto Alegre PLANEJAMENTO

Leia mais

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República O que o Brasil já ganhou com a Copa COPA DO MUNDO NO BRASIL um momento histórico e de oportunidades A Copa do Mundo é um momento histórico para o Brasil, que vai sediar, em conjunto com as Olimpíadas em

Leia mais

O TCU e a Copa de 2014

O TCU e a Copa de 2014 O TCU e a Copa de 2014 Presidente: Benjamin Zymler Ministro Relator: Valmir Campelo Copa 2014: Objetos de Fiscalização do TCU Gestão da Copa pelo Min. Esporte Atuação dos demais Ministérios Aplicação de

Leia mais

Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH. escolha das cidades-sede. Copa

Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH. escolha das cidades-sede. Copa Minas Gerais na Copa do Mundo de 2014 Copa em Minas já começou Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH 31 de maio de 2011 dois anos de escolha das cidades-sede 2014 BH/MG modelo

Leia mais

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL Julho/2013 Em 2014, o Brasil sediará a Copa do Mundo e em 2016 as Olimpíadas. Os brasileiros efetivamente são apaixonados por futebol e quando foi divulgado que

Leia mais

Balanço 2012 - Copa do Mundo Cidade-sede Curitiba Brasília, Abril de 2012

Balanço 2012 - Copa do Mundo Cidade-sede Curitiba Brasília, Abril de 2012 CodeP0 Balanço 2012 Copa do Mundo Cidadesede Curitiba Brasília, CodeP1 Valores Consolidados R$ mi, abr/12 Total Empreendimentos Investimento Total Financiamento Federal Local Federal Privado Estádio 1

Leia mais

INVESTIMENTOS EM AEROPORTOS

INVESTIMENTOS EM AEROPORTOS AEROPORTOS INVESTIMENTOS EM AEROPORTOS 6 concessões de aeroportos Investimentos de R$ 26 Bilhões São Gonçalo do Amarante RN Brasília DF Guarulhos SP Confins MG Viracopos SP Galeão RJ 5 operadores aeroportuários

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Recife. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Recife. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede de Recife Dezembro de 2012 Recife: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s Referência Nov/12, Distribuição dos investimentos por

Leia mais

Apresentação. Entendendo a Copa A Copa em Porto Alegre Oportunidades

Apresentação. Entendendo a Copa A Copa em Porto Alegre Oportunidades Apresentação Entendendo a Copa A Copa em Porto Alegre Oportunidades Impactos Econômicos Mega Eventos 2010 2013 Construção Civil Móveis Tecnologia da Informação 2013... Comércio e Serviços Turismo Produção

Leia mais

REQUALIFICAÇÃO URBANA - O DESAFIO DA MOBILIDADE URBANA NA REFORMULAÇÃO DAS CIDADES BRASILEIRAS PARA A COPA DE 2014

REQUALIFICAÇÃO URBANA - O DESAFIO DA MOBILIDADE URBANA NA REFORMULAÇÃO DAS CIDADES BRASILEIRAS PARA A COPA DE 2014 1 REQUALIFICAÇÃO URBANA - O DESAFIO DA MOBILIDADE URBANA NA REFORMULAÇÃO DAS CIDADES BRASILEIRAS PARA A COPA DE 2014 GEORGE HARRILSON SILVA RAGÃO 1 EDUARDO NOGUEIRA PEIXOTO 2 ELISÂNGELA MARIA DA SILVA

Leia mais

I 4 - INV 4 90 0 495 110.099.314

I 4 - INV 4 90 0 495 110.099.314 PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES R$ 1,00 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 256.092.869 26 TRANSPORTE 468.989.333 TOTAL - GERAL 725.082.202 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL 21.077.996 126 TECNOLOGIA

Leia mais

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social?

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Panorama das ações e projetos e hipóteses gerais da pesquisa Juciano Martins Rodrigues Aumento no tempo de deslocamento Crescimento do número

Leia mais

Copa do Mundo de 2014: Impactos e legado (Região. Prof. Dr. Gerardo Silva, UFABC, 03-12-2012

Copa do Mundo de 2014: Impactos e legado (Região. Prof. Dr. Gerardo Silva, UFABC, 03-12-2012 Copa do Mundo de 2014: Impactos e legado (Região Sudeste) Prof. Dr. Gerardo Silva, UFABC, 03-12-2012 Questões gerais A Copa do Mundo do Futebol já está ai e é muito pouco o que pode ser mudado A questão

Leia mais

CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES. João Alberto Manaus Correa

CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES. João Alberto Manaus Correa CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES João Alberto Manaus Correa SUMARIO 1. TROCANDO EM MIUDOS OS EVENTOS COPA 2. MOBILIDADE URBANA RMSP 3 MOBILIDADE AEREA 4. MOBILIDADE TERRESTRE - PLANOS E AÇÕES 5.

Leia mais

Audiência Pública CREA/SP - 21/06/2011. InfraestruturaAeroportuária em SÃO PAULO para a COPA 2014

Audiência Pública CREA/SP - 21/06/2011. InfraestruturaAeroportuária em SÃO PAULO para a COPA 2014 INFRAERO Audiência Pública CREA/SP - 21/06/2011 InfraestruturaAeroportuária em SÃO PAULO para a COPA 2014 Arq. Jonas Lopes Superintendente de Estudos e Projetos de Engenharia jonas_lopes@infraero.gov.br

Leia mais

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil Marcelo Weishaupt Proni Unicamp A discussão sobre os megaeventos ainda é feita com base em informações precárias Sem dúvida,

Leia mais

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana PAC 2 SÃO PAULO R$ 241,5 bilhões R$ milhões Eixo 2011-2014 Pós 2014 TOTAL Transportes 55.427 2.169 57.596 Energia 57.578 77.936 135.513 Cidade Melhor

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Curitiba. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Curitiba. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Curitiba Setembro/2013 Curitiba: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos investimentos

Leia mais

INFRAERO Diretoria de Engenharia e Meio Ambiente Jaime Parreira E-mail: jparreira@infraero.gov.br

INFRAERO Diretoria de Engenharia e Meio Ambiente Jaime Parreira E-mail: jparreira@infraero.gov.br 1 INFRAERO Diretoria de Engenharia e Meio Ambiente Jaime Parreira E-mail: jparreira@infraero.gov.br 2 Organização 9 Superintendências Regionais Superintendência Regional do Noroeste; Superintendência Regional

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Salvador. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Salvador. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Salvador Setembro/2013 Salvador: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de Recursos CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos investimentos

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DA FISCALIZAÇÃO DO ÓRGÃO / ENTIDADE FISCALIZADA. Município/UF: Fortaleza / CE

1. APRESENTAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DA FISCALIZAÇÃO DO ÓRGÃO / ENTIDADE FISCALIZADA. Município/UF: Fortaleza / CE 1. APRESENTAÇÃO IDENTIFICAÇÃO Município/UF: Fortaleza / CE DA FISCALIZAÇÃO Objeto da fiscalização: Veículo leve sobre trilhos (VLT)Parangaba/ Mucuripe Tipo de obra: Mobilidade Urbana Período abrangido

Leia mais

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013 BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013 O setor se reúne para divulgar seus números, que refletem a importância dos trilhos para a mobilidade dos brasileiros Aumento de 8% no número de passageiros

Leia mais

Code-P13 CODE-13. Obras Copa 2014. Julho de 2014

Code-P13 CODE-13. Obras Copa 2014. Julho de 2014 Code-P13 CODE-13 Obras Copa 2014 Julho de 2014 CODE-14 Manaus (1/2) Escopo: Reconstrução do Estádio Capacidade: 44.480 lugares Valor: R$ 669,50 milhões Arena da Amazônia Fonte: ME e Secopa/AM Jul/14 Eduardo

Leia mais

Especialização de Engenharia de Produção Análise da Cobertura Móvel nos estádios da Copa do Mundo

Especialização de Engenharia de Produção Análise da Cobertura Móvel nos estádios da Copa do Mundo ISSN 1984-9354 Especialização de Engenharia de Produção Análise da Cobertura Móvel nos estádios da Copa do Mundo Leandro Nogueira Guimarães (LATEC / UFF) Resumo: A telefonia celular tem o grande desafio

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente A Copado Mundode 2014, as Olímpiadasde 2016 e os gargalos da nossa infraestrutura Diálogos Capitais Rio de Janeiro, 7 de dezembro de 2010 Luciano Coutinho Presidente A trajetória recente da economia brasileira

Leia mais

AEROPORTOS RESULTADOS DO 10º BALANÇO

AEROPORTOS RESULTADOS DO 10º BALANÇO AEROPORTOS RESULTADOS DO 10º BALANÇO AEROPORTOS Manaus Ampliação TPS Rio Branco Reforma e Ampliação TPS e Recuperação de Pista e Pátio Macapá Novo TPS 1ª fase Macapá Ampliação Pátio São Luís Reforma e

Leia mais

Odebrecht TransPort assume operação do Galeão

Odebrecht TransPort assume operação do Galeão nº 338 agosto 2014 Odebrecht TransPort assume operação do Galeão Odebrecht 70 anos: trajetória em aeroportos Novos serviços para usuários-clientes de água e esgoto Rota do Oeste deve investir R$5,5 bilhões

Leia mais

COPA 2014 AEROPORTOS Atualização: 14/06/2011

COPA 2014 AEROPORTOS Atualização: 14/06/2011 COPA 2014 AEROPORTOS Atualização: 14/06/2011 AEROPORTOS DA COPA 13 Aeroportos 31 Intervenções R$ 5,79 bilhões Manaus TPS Fortaleza TPS São Gonçalo do Amarante Pista Recife Torre Cuiabá TPS Brasília TPS

Leia mais

Mídia Kit COPA DO MUNDO BRASIL 2014

Mídia Kit COPA DO MUNDO BRASIL 2014 Mídia Kit COPA DO MUNDO BRASIL 2014 Sua visibili vai fazer um gol placa Copa do Mundo FIFA 2014 Estimativas para a Copa no Brasil O Brasil está próximo receber um evento que ficará para a história do país,

Leia mais

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013 IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA Industria hoteleira brasileira JUNHO 2013 ENTIDADE ABIH NACIONAL Fundada em 09/11/1936 3.500 associados 35 escritórios 26 capitais + DF 08 regionais ENTIDADE 25.500 meios de

Leia mais

Copa do Mundo no Brasil: oportunidades, desafios e atuação do Governo Federal

Copa do Mundo no Brasil: oportunidades, desafios e atuação do Governo Federal BRA-MEB001-091126-1 Copa do Mundo no Brasil: oportunidades, desafios e atuação do Governo Federal Brasília, 26 novembro de 2009 BRA-MEB001-091126-2 Conteúdo do documento O que é a Copa do Mundo Atuação

Leia mais

Code-P0 COPA 2014. Atualizado em 27/09/2011

Code-P0 COPA 2014. Atualizado em 27/09/2011 CodeP0 AEROPORTOS COPA 2014 Atualizado em 27/09/2011 0 CodeP1 ÍNDICE 2 GUARULHOS 4 Construção do TPS 3 (1ª Fase) Desapropriação, Ampliação e Revitalização do Sistema de Pista e Pátio Ampliação e Revitalização

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015 Programa de Requalificação de UBS Março/2015 PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Instituído no ano de 2011 OBJETIVOS: Criar incentivo financeiro para as UBS Contribuir para estruturação e o fortalecimento

Leia mais

GILMAR TADEU ALVES RIBEIRO. (Secopa São Paulo)

GILMAR TADEU ALVES RIBEIRO. (Secopa São Paulo) GILMAR TADEU ALVES RIBEIRO (Secopa São Paulo) O maior evento mundial Copa do Mundo Fifa Transmissão para todos os países e territórios do mundo, inclusive a Antártida e o Círculo Polar Ártico; Primeiro

Leia mais

Júlio Eduardo dos Santos

Júlio Eduardo dos Santos Júlio Eduardo dos Santos Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Linha do Tempo 1965 a 2003 Extinção da GEIPOT Lei 10.233 / 2001 Criação da EBTU lei nº 6.261 em 1975 Extinção da EBTU Dec.

Leia mais

PAC 2 superará em 72% a execução total do PAC 1

PAC 2 superará em 72% a execução total do PAC 1 EXECUÇÃO GLOBAL DO PAC 2 ATÉ OUTUBRO DE 2014 R$ 1,009 trilhão 91,3% do previsto até 2014 ATÉ DEZEMBRO DE 2014 R$ 1,066 trilhão 96,5% do previsto até 2014 PAC 2 superará em 72% a execução total do PAC 1

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede do Rio de Janeiro. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede do Rio de Janeiro. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede do Rio de Janeiro Dezembro de 2012 CodeP1 CODE1 Rio de Janeiro: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s Referência Nov/12, Distribuição

Leia mais

Principais Benefícios Fiscais Relacionados à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos. CIESP - Campinas Workshop - (25.10.2012)

Principais Benefícios Fiscais Relacionados à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos. CIESP - Campinas Workshop - (25.10.2012) Principais Benefícios Fiscais Relacionados à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos CIESP - Campinas Workshop - (25.10.2012) Benefícios Fiscais relacionados à Copa do Mundo no âmbito Federal RECOPA Lei nº

Leia mais

Secretaria. de Futebol de 2014

Secretaria. de Futebol de 2014 Secretaria Especial de Articulação para a Copa do Mundo de Futebol de 2014 SECOPA Assistir direta e indiretamente ao Prefeito na condução aos assuntos referentes a Copa do Mundo; Parcerias com a sociedade

Leia mais

Circular CAIXA nº 684, de 07 de agosto de 2015

Circular CAIXA nº 684, de 07 de agosto de 2015 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Vice-Presidência de Fundos de Governo e Loterias Diretoria Executiva de Fundos de Governo Superintendência Nacional de Fundo de Garantia Gerência Nacional do Ativo do FGTS Circular

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AÇÃO DE CONTROLE FISCALIZAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AÇÃO DE CONTROLE FISCALIZAÇÃO https://app.cgu.gov.br/ativa/paginas/funcionalidades/relatoriosos/relato... 20/11/2015 08:36 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AÇÃO

Leia mais

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para Code-P0 Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para a engenharia brasileira O Mundial e o Desenvolvimento Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Manaus, 30 de março de 2012 Code-P1

Leia mais

MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016

MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 Pela primeira vez, o setor de aviação está lançando todas as diretrizes operacionais com mais de 300 dias de antecedência, o que contribui decisivamente

Leia mais

Luiz Carlos Bueno de Lima

Luiz Carlos Bueno de Lima A política nacional de transporte t e da mobilidade urbana Luiz Carlos Bueno de Lima Secretário Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Transporte e

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Belo Horizonte. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Belo Horizonte. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Belo Horizonte Setembro/2013 Belo Horizonte: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos

Leia mais

EDIÇÃO Nº 11 / NOVEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 12 / DEZEMBRO DE 2012

EDIÇÃO Nº 11 / NOVEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 12 / DEZEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 11 / NOVEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 12 / DEZEMBRO DE 2012 História da Copa do Mundo FIFA A história da Copa do Mundo de Futebol da FIFA se iniciou em 1928, durante um congresso da entidade, quando

Leia mais

João Alberto Manaus Correa CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES

João Alberto Manaus Correa CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES João Alberto Manaus Correa CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES SUMARIO 1. TROCANDO EM MIUDOS OS EVENTOS COPA 2. MOBILIDADE URBANA RMSP 3 MOBILIDADE AEREA 4. MOBILIDADE TERRESTRE - PLANOS E AÇÕES 5.

Leia mais

Governo do Estado do Amazonas Gabinete do Governador

Governo do Estado do Amazonas Gabinete do Governador Governo do Estado do Amazonas Gabinete do Governador DECRETO Nº 33.443, DE 25 DE ABRIL DE 2013. ABRE crédito adicional suplementar que especifica, no Orçamento Fiscal vigente da Administração Direta. O

Leia mais

Parceria com Universidades (federais, estaduais e privadas) Universidades federais

Parceria com Universidades (federais, estaduais e privadas) Universidades federais Rede Nacional de Treinamento de Atletismo está sendo estruturada pelo Ministério do Esporte (ME) em parceria com universidades, prefeituras, governos estaduais, Confederação Brasileira de Atletismo, federações

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Gustavo Guerrante 30 de novembro de 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

O setor hoteleiro do Brasil às portas da Copa do Mundo. Roberto Rotter 20 de setembro de 2013

O setor hoteleiro do Brasil às portas da Copa do Mundo. Roberto Rotter 20 de setembro de 2013 O setor hoteleiro do Brasil às portas da Copa do Mundo Roberto Rotter 20 de setembro de 2013 Panorama atual da hotelaria - Brasil Total de hotéis: 10 mil Total de UH s: 460 mil Fonte: Hotelaria em Números

Leia mais

Balanço 2012 - Copa do Mundo Cidade-sede Belo Horizonte Brasília, Abril de 2012

Balanço 2012 - Copa do Mundo Cidade-sede Belo Horizonte Brasília, Abril de 2012 CodeP0 Balanço 2012 Copa do Mundo Cidadesede Belo Horizonte Brasília, CodeP1 Valores Consolidados R$ mi, abr/12 Total Empreendimentos Investimento Total Federal Local Federal Estádio 1 695,0 400,0 295,0

Leia mais

A decolagem do turismo

A decolagem do turismo A decolagem do turismo OBrasil sempre foi considerado detentor de um enorme potencial turístico. Em 1994, no entanto, o país recebeu menos de 2 milhões de turistas internacionais, um contingente que, na

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO AGENDA ESTRATÉGIA PERSPECTIVAS ECONÔMICAS MATRIZ DE RESPONSABILIDADES PORTO AEROPORTO ARENA MONOTRILHO MATRIZ ENERGÉTICA COMUNICAÇÃO MANAUS CIDADE-SEDE ESTRATÉGIA Concepção Planejamento Manaus x Belém

Leia mais

RESOLUÇÕES DO SENADO FEDERAL VOLUME 7 (1977) SUBSECRETARIA DE ANAIS BRASÍLIA 1978

RESOLUÇÕES DO SENADO FEDERAL VOLUME 7 (1977) SUBSECRETARIA DE ANAIS BRASÍLIA 1978 RESOLUÇÕES DO SENADO FEDERAL VOLUME 7 (1977) SUBSECRETARIA DE ANAIS BRASÍLIA 1978 Resoluções do Senado Federal. t. 1 1946/59 Brasília, 1974 v. irregular 1. Brasil. Congresso. Senado Federal Resouções.

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL EDIÇÃO EXTRA ISSN 1677-7042... Sumário Seção 1 Seção 1 Atos do Poder Legislativo LEI N o 13.053, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014 Ano CLI N o - 242-A Brasília - DF, segunda-feira, 15 de dezembro de 2014 Altera

Leia mais

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA Brasil, 2007 PIB R$ 1,8 trilhão Alfabetização 88,6% Expec. de Vida 71,7 anos PIB per capita US$ 8.402 Fonte: ONU e IBGE Brasil, 2015 PIB R$ 2,1 trilhões Alfabetização

Leia mais

FALANDO PARA O MUNDO. www.espm.br/centraldecases

FALANDO PARA O MUNDO. www.espm.br/centraldecases FALANDO PARA O MUNDO www.espm.br/centraldecases FALANDO PARA O MUNDO Preparado pelo Prof. Marcus S. Piaskowy. Este caso foi escrito inteiramente a partir de informações cedidas pela empresa e outras fontes

Leia mais

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Agenda de Trabalho Junho 2011 Claudio Langone Code-P1 OPORTUNIDADE PARA O BRASIL 2011 - Jogos Militares Mundiais 2012 - RIO + 20 - Cúpula das

Leia mais

Região Sudeste concentra 41,5% dos investimentos

Região Sudeste concentra 41,5% dos investimentos ESPECIAL O ano do futebol Região Sudeste concentra 41,5% dos investimentos A abertura da Copa de 2014 será em São Paulo e a grande final se dará no Rio de Janeiro. As escolhas demonstram a importância

Leia mais

Número: 00225.000175/2012-24 Unidade Examinada: Município de Mogi Guaçu/SP

Número: 00225.000175/2012-24 Unidade Examinada: Município de Mogi Guaçu/SP Número: 00225.000175/2012-24 Unidade Examinada: Município de Mogi Guaçu/SP Relatório de Demandas Externas n 00225.000175/2012-24 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

GABINETE DO DEPUTADO ROMÁRIO (PSB/RJ) DEP. ROMÁRIO DE SOUZA FARIA E ALEXANDRE SIDNEI GUIMARÃES (Consultor Legislativo do Senado Federal)

GABINETE DO DEPUTADO ROMÁRIO (PSB/RJ) DEP. ROMÁRIO DE SOUZA FARIA E ALEXANDRE SIDNEI GUIMARÃES (Consultor Legislativo do Senado Federal) GABINETE DO DEPUTADO ROMÁRIO (PSB/RJ) DEP. ROMÁRIO DE SOUZA FARIA E ALEXANDRE SIDNEI GUIMARÃES (Consultor Legislativo do Senado Federal) RELATÓRIO DAS OBRAS DA COPA DO MUNDO FIFA BRASIL 2014: SITUAÇÃO

Leia mais

Rede Nacional de Treinamento de Atletismo

Rede Nacional de Treinamento de Atletismo Belo Horizonte (MG) UFMG Rio de Janeiro (RJ) CEFAN São Paulo (SP) CEPEUSP / Pinheiros São Bernardo do Campo, SP Rio de Janeiro (RJ) ESEFEX Porto Alegre (RS) CETE Legado dos Jogos Olímpicos de 2016 Lei

Leia mais

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO DE CAMPOS NOVOS PARA O EXERCÍCIO DE 2008 Cirilo Rupp, Prefeito em exercício do Município de Campos Novos, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.913, DE 18 DEZEMBRO DE 2013 (publicada no DOU de 19/12/13, Seção 1, página 19) Abre ao Orçamento Fiscal da União, em favor

Leia mais

Estádios. 1 Revista LIBERDADE e CIDADANIA Ano IV n. 15 janeiro / março, 2012 www.flc.org.br. Por Sen. Demóstenes Torres *

Estádios. 1 Revista LIBERDADE e CIDADANIA Ano IV n. 15 janeiro / março, 2012 www.flc.org.br. Por Sen. Demóstenes Torres * 1 Revista LIBERDADE e CIDADANIA Ano IV n. 15 janeiro / março, 2012 www.flc.org.br ARTIGO COPA 2014 - Falta tudo para o Brasil Por Sen. Demóstenes Torres * No dia 30 de outubro, completou-se quatro anos

Leia mais

Planejamento estratégico de transporte para Copa do Mundo de Futebol e outros mega torneios internacionais

Planejamento estratégico de transporte para Copa do Mundo de Futebol e outros mega torneios internacionais Planejamento estratégico de transporte para Copa do Mundo de Futebol e outros mega torneios internacionais Philippe H. BOVY Professor Honorário / Instituto Federal Suíço de Tecnologia Lausanne / Suíça

Leia mais

A Copa do Brasil. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Governo Federal

A Copa do Brasil. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Governo Federal A Copa do Brasil Secretaria de Políticas para as Mulheres Governo Federal Apresentação A Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) publicou em seu sítio eletrônico,

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Porto Alegre. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Porto Alegre. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Porto Alegre Setembro/2013 Porto Alegrel: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de Recursos CodeP2 Referência Set/13, Distribuição

Leia mais

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Tabulação dos Resultados da Pesquisa Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios

Leia mais

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 (Estudo Técnico nº 175) François E. J. de Bremaeker Salvador, julho de 2012 2 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo Associação

Leia mais

São Paulo. O Brasil como Pólo Internacional de Investimentos e Negócios. tsando@visitesaopaulo.com

São Paulo. O Brasil como Pólo Internacional de Investimentos e Negócios. tsando@visitesaopaulo.com São Paulo O Brasil como Pólo Internacional de Investimentos e Negócios São Paulo Convention & Visitors Bureau Fundação 25 de Janeiro Entidade estadual, mantida pela iniciativa privada. Captação e apoio

Leia mais

Obras de Mobilidade Urbana no Município da Cidade do Rio de Janeiro. Alexandre Pinto Secretario Municipal de Obras

Obras de Mobilidade Urbana no Município da Cidade do Rio de Janeiro. Alexandre Pinto Secretario Municipal de Obras Obras de Mobilidade Urbana no Município da Cidade do Rio de Janeiro Alexandre Pinto Secretario Municipal de Obras BRTs Criado no Brasil e exportado para diversas cidades, tais como Bogotá, Pequim e Johanesburgo,

Leia mais

Caio Luiz de Carvalho Presidente

Caio Luiz de Carvalho Presidente Caio Luiz de Carvalho Presidente Os desafios do Brasil Deixar de ser espectador e se tornar ator do processo. Todos os brasileiros. Profissionais ou espectadores, envolvidos diretamente ou não. Muitas

Leia mais

Secretaria Municipal de Obras. secretário Alexandre Pinto

Secretaria Municipal de Obras. secretário Alexandre Pinto Secretaria Municipal de Obras secretário Alexandre Pinto Investimentos recordes e precisos Obras em andamento R$ 5,54 bilhões Obras concluídas 3,48 bilhões Obras em licitação 235 milhões R$ 9,25 bilhões

Leia mais

RESUMO DAS INTERVENÇÕES APONTADAS COMO LEGADO DAS OLIMPÍADAS PARA A CIDADE

RESUMO DAS INTERVENÇÕES APONTADAS COMO LEGADO DAS OLIMPÍADAS PARA A CIDADE OLIMPÍADAS 2016 RESUMO DAS INTERVENÇÕES APONTADAS COMO LEGADO DAS OLIMPÍADAS PARA A CIDADE 1 Principais intervenções previstas para as Olimpíadas: A Infraestrutura urbana Porto Maravilha Projeto de revitalização

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DA MATRIZ ORIGEM DESTINO DO TRANSPORTE AÉREO NO BRASIL 2009 REGIÃO NORTE

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DA MATRIZ ORIGEM DESTINO DO TRANSPORTE AÉREO NO BRASIL 2009 REGIÃO NORTE CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DA MATRIZ ORIGEM DESTINO DO TRANSPORTE AÉREO NO BRASIL 2009 REGIÃO NORTE São Paulo Outubro de 2009 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 1 ACRE RIO BRANCO AEROPORTO PRESIDENTE MÉDICI...

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Cuiabá. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Cuiabá. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Cuiabá Setembro/2013 Cuiabá: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de Recursos CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos investimentos

Leia mais

Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014. Preparativos: sorteio final e venda de ingressos

Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014. Preparativos: sorteio final e venda de ingressos Introdução: função do COL Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014 Preparativos: sorteio final e venda de ingressos O legado já começou Conclusão Introdução: função do COL Oportunidade: efeitos

Leia mais

Brasil. Oportunidades de Investimento Batimat 2011. Miriam Belchior. Ministra de Estado Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Brasil. Oportunidades de Investimento Batimat 2011. Miriam Belchior. Ministra de Estado Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Brasil Oportunidades de Investimento Batimat 2011 Miriam Belchior Ministra de Estado Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão BRASIL VIVE UM MOMENTO EXITOSO Quatro movimentos estruturais explicam

Leia mais

Infraestrutura, Segurança e PPPs

Infraestrutura, Segurança e PPPs www.pwc.com Infraestrutura, Segurança e PPPs Dezembro, 2011 Agenda - Características de uma PPP - Alguns Projetos de PPP no Brasil - Exemplos de PPP em Infraestrutura e Segurança 2 Características de uma

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 3 TRIMESTRE 2015 Julho - Setembro

RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS. 3 TRIMESTRE 2015 Julho - Setembro 1. 2015 RELATÓRIO DE DESEMPENHO OPERACIONAL DOS AEROPORTOS 3 TRIMESTRE 2015 Julho - Setembro ENTIDADES ENVOLVIDAS NA EXECUÇÃO DA PESQUISA COORDENAÇÃO DA PESQUISA INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

COPA DO MUNDO DA FIFA BRASIL 2014 Cidade-sede Natal RN

COPA DO MUNDO DA FIFA BRASIL 2014 Cidade-sede Natal RN GT - INFRAESTRUTURA GT - INFRAESTRUTURA Grupo de Trabalho INFRAESTRUTURA Responsável pela proposição de projetos e operações de infraestrutura, além do acompanhamento na execução destes, necessários à

Leia mais

As lições de Vancouver

As lições de Vancouver As lições de Vancouver O sucesso das Olimpíadas de Inverno realizadas na cidade canadense ensina diversas lições sobre como organizar eventos desse porte Com a proximidade das duas grandes competições

Leia mais