CONSIDERAÇÕES SOBRE O CASAMENTO CLERICAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSIDERAÇÕES SOBRE O CASAMENTO CLERICAL"

Transcrição

1 Introdução CONSIDERAÇÕES SOBRE O CASAMENTO CLERICAL Rev. Pe. Rodson Ricardo Souza do nascimento. Comunidade Anglicana da Natividade, Natal/RN Como o sacerdote anglicano sente as conseqüências de viver num país em que se associa automaticamente o sacerdócio ao celibato? Que relação existe entre matrimônio e sacerdócio? Qual o lugar de sua esposa no seu ministério? São estas algumas das questões que pretendo discutir neste artigo. 1. Padres casados no Cristianismo O casamento clerical parece ter sido o modelo predominante nos primeiros discípulos. É consenso, que pelo menos alguns dos apóstolos eram casados (ou tinham sido casados antes do ministério). O caso mais famoso é de São Pedro que teve sua sogra curada por Cristo (Mt 8, 14, Mc1, 29-34; Lc 4, 38-41). São Paulo estabelece o casamento monogâmico como requisito importante para a ordenação ministerial (1 Tm 3,2). (Este texto tem sido interpretado pela Tradição como uma proibição ao segundo casamento de ministros ordenados. Esta é a visão normativa da Igreja da Inglaterra e da maioria das igrejas anglicanas ortodoxas). A maioria dos católicos romanos ignora que aos sacerdotes e bispos não era proibido o matrimônio durante os primeiros dez séculos da vida cristã. Além de São Pedro, outros seis papas viveram em matrimônio. Entre os bispos destaca-se São Gregório de Nissa, reconhecido como um dos mais importantes teólogos da Igreja. Até o Concilio de Elvira, que o proibiu no ano 306, um sacerdote podia inclusive dormir com sua esposa na noite anterior a celebrar a missa. No Oriente está situação permaneceu praticamente estável para os diáconos e padres. Na Igreja da Inglaterra o casamento clerical sempre foi motivo de debates. Uma das primeiras tentativas de imposição do celibato aos padres fracassou no Concílio de Niceia, no ano 325. A Igreja só proibiu o casamento depois da ordenação. Ao que tudo indica, porém, nem mesmo essa cláusula foi respeitada rigorosamente, já que vários clérigos do período viviam com suas companheiras e resistiram à nova regra. No século IV, por exemplo, bispos como Gregório de Nazianzo ( ) e Gregório de Nissa ( ) eram casados, e 39 dos papas tiveram esposas e filhos, que chegaram, em alguns casos, a suceder os pais. A situação começou a mudar em especial no Ocidente, após o século IV com a ascensão de vários monges a cargos de importância na hierarquia eclesiástica. Num contexto de degradação moral os monges passaram a serem vistos como modelos de pureza e santidade. O matrimônio passou a ser desprezado, ou no máximo, tolerado. Isso explica a multiplicação das decisões papais, concílios e sínodos de bispos em defesa da obrigatoriedade do celibato mostra que a força política desse grupo, praticante da renúncia aos prazeres mundanos, alterou bastante a estrutura de poder da Igreja. Os monges eram missionários, cultos, determinados e respeitados. Foi graças a eles que o celibato tornou-se obrigatório no Ocidente. Finalmente em 1073, Gregório VII (1020-

2 1085) impôs o celibato. Definiu-se que o matrimônio dos sacerdotes era herético, porque os distraía do serviço ao Senhor e contrariava o exemplo de Cristo. A história da Igreja, no Ocidente e no Oriente, tem experimentado diferentes práticas a este respeito. A questão dos padres casados no Oriente foi liquidada firmemente no século VII. Já no Ocidente a questão do celibato sacerdotal foi motivo de um debate contínuo e só veio a ser insistiu em torno do século XI, precisamente no Segundo Concílio de Latrão, em Em 1123 o Primeiro Concilio da Latrão decretou a invalidade do matrimônio dos clérigos. Dezesseis anos mais tarde, o segundo Concilio de Letrão confirmou a decisão. Quando o Concilio de Trento fixou a excelência do celibato sobre o matrimônio, fez doutrina das palavras com que São Gregorio Magno (604+) havia condenado o desejo sexual durante seu papado, no século VI. Oriente e Ocidente tinham agora uma visível diferença de estrutura e espiritualidade. Gregório VII que emprestou seu nome à chamada Reforma gregoriana. Esse movimento intensificou a crítica à incontinência dos religiosos e passou a valorizar um clero inteiramente voltado à sua tarefa, sem relações familiares que pudessem afastá-lo dos interesses espirituais ou levá-lo a usurpar bens da Igreja para benefício de seus parentes. Em vários países, como Alemanha, França, Espanha e Inglaterra, essas decisões foram mal recebidas pelos clérigos locais, e o casamento dos padres persistiu. Na Inglaterra a existência de padres casados é documentada até a invasão normanda, em 1066, quando a regra canônica do celibato obrigatório começou a ser executada. O debate reapareceu com a Reforma Protestante do Século XVI. 2. Padres casados no Anglicanismo O anglicanismo admite o casamento clerical, ou seja, a prática de permitir que o seu clero (aqueles que já foram ordenados) seja casado. Esta prática é admitida pela ortodoxia oriental, pelas igrejas católicas independentes e pelas igrejas protestantes. Uma das primeiras coisas que ocorreram na Reforma foi a abolição do celibato sacerdotal. Martinho Lutero tinha sido padre e monge agostiniano. Ele se casou com uma ex-freira cisterciense, Catarina de Bora ( ), e constituiu uma família com seis filhos. Lutero soube unir muito bem vida matrimonial e ministério e seu exemplo tornou-se comum. O futuro Arcebispo de Cantuária, Thomas Cranmer ( ), secretamente contrabandeou sua esposa para Inglaterra, mesmo antes da Reforma acontecer. Mas o problema estava longe de ser resolvido. O rei, Henrique VIII ( ), seguia a visão romana neste sentido e manteve a proibição do celibato clerical nos seus Seis Artigos de Religião, lançados pouco tempo depois da ruptura com Roma. Esta situação continuou até que os artigos fossem revogados durante o reinado do jovem Eduardo VI ( ) em 1547, abrindo assim o caminho para que o clero anglicano pudesse se casar oficialmente. Apesar disto é notório que a rainha Elizabeth I ( ), considerada a verdadeira criadora do anglicanismo moderno, era contrária ao casamento dos bispos. Hoje a maioria do clero é casado, incluindo os bispos. Existem padres e bispos celibatários e monges, é claro, mas eles são relativamente raros. No anglicanismo o matrimônio pode ser adquirido antes ou depois da ordenação sacerdotal. Na prática geralmente acontece antes. Na Igreja da Inglaterra o segundo casamento de padres é combatido e o de bispos terminantemente proibido. Esta é também a posição das igrejas ortodoxas.

3 2. A esposa do presbítero Neste contexto uma questão central tem sido a questão do lugar da esposa no ministério ordenado. Existe uma diferença de perspectiva entre anglo-católicos e protestantes e liberais sobre este tema. Com a maior participação da mulher no mercado de trabalho e o surgimento da ideologia feminista as tensões entre pastores e suas esposas tem aumentado. Cresce um movimento nestas igrejas para ver o ministério como uma profissão ou escolha individual do homem. É comum se ouvir a frase: Não sou pastora, sou esposa de pastor significando que, embora na Igreja, ambos terão profissões e projetos de vida bem diferentes. Em outros casos acontece o oposto e a mulher do pastor torna-se pastora e passa a tratar a Igreja como uma extensão de sua casa. Nosso desafio é mantermos a via média. Às vezes penso se a falta de veneração pela Mãe de Deus no protestantismo não contribui para esta confusão entre ministério e poder que acompanha a tensão sobre o papel das mulheres e das mulheres que são casadas com ministros. Acredito que a correta veneração à Mãe de Deus abre o coração para o correto lugar da mulher na Igreja A experiência da ortodoxia oriental Talvez devamos começar observando como isto vem sendo trabalhado pela ortodoxia durante 2000 anos. Na Igreja Ortodoxa a esposa de um padre tem um título especial. Em grego, ela é chamada, Presvytera (a forma feminina de presbítero ). Em russo, ela é chamada Matushka, que é um diminutivo da palavra para a mãe. Ela é, portanto, Nossa amada mãe ou mãezinha. Outros idiomas ortodoxos têm títulos semelhantes que significam a mesma coisa: A mulher do padre deve ser a mãe da paróquia. O título de presbytera é encontrada entre os antigos escritos cristãos, e teve vários usos diferentes. Algumas vezes é também aplicado a uma diaconisa que ajudou um padre em diferentes tarefas. Na Igreja primitiva, uma diaconisa era uma mulher cristã, geralmente viúva, que ofereceu seu serviço ou diaconia ( serviço em grego) para a Igreja. Seus deveres incluía manter a ordem na igreja e ajudar em determinadas cerimônias como vestir as mulheres adultas após o Santo Batismo. Elas também participavam da visitação aos doentes. No entanto, o uso mais comum deste título era para a esposa de um sacerdote. Na Igreja Ortodoxa Grega, este é o uso atual do título de presbytera. Algo muito parecido acontece em algumas paróquias anglo-católicas. A esposa do padre é chamada de reverenda (literalmente aquela que merece ser honrada ). Isto porque a família do padre é a primeira família da paróquia e serve de modelo para toda a comunidade. Isto exige uma grande responsabilidade e capacidade da esposa. Isto também lembra aos sacerdotes que antes de Edificar a casa de Deus, nós precisamos edificar a nossa. Nada mais valioso para um padre e sua comunidade do que ver sua família servindo ao Senhor, isso não tem preço, requer tempo e disponibilidade do casal a quem Deus tem confiado isso. O Apóstolo Paulo, em 1 Timóteo 5,8, ensina que se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o pagão.

4 O padre em primeiro lugar, precisa edificar a sua casa e a esposa precisa entender o chamado do marido. Creio que quando Deus chama o esposo para o ministério ele chama igualmente sua esposa. Deus não chama apenas o sacerdote solteiro, Ele chama toda a família. Então a esposa tem o mesmo chamado do marido, o mesmo coração, mas tem funções diferentes. A esposa de um presbítero não tem a obrigação de revestir-se das atribuições próprias do ministério. O equilíbrio de ações, a coerência e a capacidade de discernir vão lhe dar a visão e o limite do território de sua participação na obra. Mas, se é verdade que a esposa de um padre não é ordenada para realizar funções sacerdotais ela o é para o compartilhar do seu ministério. Por isto ela é considerada profundamente importante na vida de uma paróquia. Assim, como em uma família existe um pai e uma mãe, a presbytera não é apenas uma ajudante. Até certo ponto, como o padre é um pai espiritual em uma congregação, assim sua esposa torna-se uma mãe espiritual, em especial para as mais jovens. E como numa família comum, estes papéis se expressam de diferentes maneiras. Sou padre casado. Casei antes de ser ordenado ao presbitério. Ao longo dos anos do meu ministério, eu tomei poucas decisões importantes que não fossem antes o produto de muita conversa e reflexão com a minha esposa. Afinal de contas, as decisões no meu ministério também terão conseqüências em sua vida. Por isto sua opinião é importante. Ela não só conhece a paróquia, mas me conhece, e pode apontar meus erros com muito mais eficácia que qualquer outro. 3. Matrimônio e Ordem Dois eventos na vida da esposa de um sacerdote anglicano se destacam: o dia do casamento e o dia da ordenação do marido. Estes dois acontecimentos eclesiais formam os vínculos sacramentais entre o sacerdote e sua esposa, entre o sacramento do matrimônio e o sacramento da ordem. Primeiro, com o sacramento do matrimônio, o casal faz um compromisso conjunto para a vida inteira. Um se subordina ao outro no Amor de Cristo: No entanto, no Senhor mulher não é independente do homem, nem o homem da mulher (1 Cor 11:11). Eles também fazer um compromisso incondicional para servir a Deus por toda a vida. Por isto se tornam sacramento para o mundo: sinal visível do amor de Cristo e da Igreja (Ef 5, ). Em segundo lugar, com o Sacramento da Ordem, o presbítero está pronto para servir a Deus. A sua esposa está presente para compartilhar seu ministério depois de sua ordenação. Lembro que foi minha esposa quem recebeu minha primeira benção sacerdotal. No anglicanismo é necessário o consentimento da esposa do futuro padre e da sua participação para que aconteça a sua ordenação como presbítero. Assim, a esposa do sacerdote desempenha um papel importante na ordenação de seu marido. Em primeiro lugar, ela deve consentir por escrito que ela está disposta para o seu marido a ser ordenado. Como "uma só carne" com seu marido através do Sacramento do Matrimônio, ela participa de espírito em sua ordenação. Embora seja ele que esteja sendo ordenado ela estará lá também. Ambos estão respondendo ao chamado de Cristo. Quando o Bispo e os presbíteros imporem as mãos sobre a cabeça de seu marido o Espírito Santo derramará sua graça sobre ele e uma faísca tocará sua esposa neste momento. Após a ordenação, o sacerdote poderá oferecer o Santo

5 sacrifício eucarístico. Que maravilhosa bênção para uma mulher sentir e receber a Sagrada Comunhão das mãos do meu esposo! Como descrito acima, o sacerdote e sua esposa são duplamente abençoados pelos dois sacramentos do matrimônio e Ordem. A partir de então, eles estão unidos. É realmente verdade que a esposa do sacerdote é parte da sua batina, parafraseando um ditado grego ortodoxo. A partir de então uma difícil jornada espiritual começa. O sacerdote e sua esposa têm de estarem preparados para estes desafios. Devem confiar e apoiarem-se mutuamente, andarem de mãos dadas pela pela estrada estreita, tendo o Espírito Santo como seu guia. São Cirilo, um santo do II Século, descreveu a mesa eucarística em um ícone: a mão de um homem toca o pão, e uma mulher está em pé ao seu lado, orando. Eles representam Cristo e da Igreja. Este ícone pode simbolizar também um padre casado e sua esposa depois de sua ordenação.com profundo amor mútuo por Deus e pelo próximo, o casal compartilha a importante responsabilidade de servir a Deus e Seu povo. A compreensão destes vínculos sacramentais pode ajudar os casais do nosso clero a vive em tempos difíceis. Mas, às vezes, as esposas dos padres esquecem que elas são casados com sacerdotes. Ou eles esquecem que elas fizeram um compromisso, primeiro a Deus e segundo a seus maridos, para compartilhar o serviço ministerial. Quando as coisas se tornam difíceis, as mulheres de alguns padres sentem que é impossível continuar em seu casamento ou partilhar o ministério do marido. É preciso ter paciência e fé. Dias difíceis são como um mar agitado, mas as águas tempestuosas acabarão por acalmar. É preciso crer na eficácia dos sacramentos. Porque Deus faz parte dos vínculos sacramentais que uniram o sacerdote e sua esposa, Deus enviará o Espírito Santo para darlhes sabedoria e força para superar as dificuldades. Vivemos tempos difíceis de secularização, promiscuidade e ateísmo. Os casais clericais não estão imunes a isto. Deus permite que as coisas aconteçam em nossas vidas por razões que só ele conhece. Tudo o que precisamos fazer é rezar e dizer: Que a vontade seja feita. 4. Desafios contemporâneos para padres casados 4.1. Questões culturais Não é fácil ser mulher de padre. Em primeiro lugar é preciso lutar contra os preconceitos arraigados na cultura popular que vêem a mulher do padre como um má influencia em sua vida espiritual. Isto é mais comum em paróquias do interior onde a comunidade é oriunda do catolicismo romano. A primeira coisa a fazer é enfrentar o problema de frente. Expor claramente a posição anglicana sobre isto e envolver a família na dinâmica da igreja. O que não podemos fazer é fingir que somos romanos e escondermos nossas esposas e filhos. Infelizmente conheci alguns anglicanos que usaram esta tática profundamente equivocada Vocações tardias A realidade dos casais clericais é sempre rica e diversa. Certas mulheres enfrentam desafios especiais na decisão de compartilhar o ministério de seus maridos. Em alguns casos, os maridos podem ter escolhido seguir o chamado ao sacerdócio mais tarde na vida. Tais vocações tardias são importantes para a Igreja, mas não são livres de problemas.

6 Como foram pegadas de surpresa essas mulheres enfrentam grandes mudanças emocionais em sua vida conjugal e familiar estabelecidas. Isto, muitas vezes, significa mudanças em sua rotina, em sua carreira, que irá afetar o casal emocional e financeiramente. Em outros casos, as mulheres de padres ficam preocupadas porque elas não sabem o que esperar em uma paróquia. Muitas são de temperamento reservado ou explosivo. Tudo isto deve ser analisado e acompanhado pastoralmente pelo bispo. Para enfrentar esses desafios especiais, um pai espiritual pode guiá-los e ajudá-los a entender a vontade de Deus em cada momento. O casal deverá ter alguém com quem possa confidenciar suas dificuldades. A direção espiritual permanece sendo a primeira e melhor forma de terapia Diferentes níveis de compromisso com o ministério O perfil da mulher de um padre mudou muito nos últimos anos. Atualmente a esposa do sacerdote tem muitas opções com respeito a quanto tempo e energia ela comprometerá como o ministério do marido. Ela pode ser uma mãe em tempo integral ou dona de casa. Ela pode trabalhar tempo integral ou parcial fora de casa. Ela pode ser um membro voluntário de várias comissões e projetos da igreja. Ela poderá ser qualificada para um envolvimento pleno na vida da Igreja. Ou ela pode combinar um ou vários destes perfis acima. O importante é que ela esteja comprometida e tenha clareza do que significa ser esposa de um padre anglicano. A esposa do sacerdote deve avaliar seus próprios talentos, habilidades e interesses, e agir em conformidade com eles. É preciso evitar comparações e cobranças desnecessárias. Ela deverá escolher o que a faz feliz e o que funciona melhor para ela e seu marido. Não importa a forma que ela como ela escolheu para compartilhar o ministério de seu marido: o importante é que ela seja feliz com sua decisão. Outro aspecto importante são os filhos. Como casal cristão a primeira prioridade é garantir amor, segurança e disciplina aos seus filhos. É preciso que ambos tenham um tempo para a família que Deus lhes deu. É preciso investir tempo na educação das crianças. Ensiná-los, responder às suas perguntas, e o mais importante, rezar com eles. A Igreja deve ser uma continuação do que vivem em suas casas. Isto, certamente, é a parte mais importante e difícil de um casal clerical Formação e planejamento É preciso formar às futuras gerações. Para algumas esposas de padres anglicanos sua situação tem sido um peso quase insuportável, chegando algumas a adoecerem, sofrendo de males como depressão, gastrite etc. O motivo dessas enfermidades, com frequência, é que as mulheres nem sempre se preparam para casar, muito menos para se casarem com sacerdotes. Estão despreparadas para enfrentar a dinâmica eclesiástica com suas cobranças sem muitos esclarecimentos. E por isto muitos casamentos fracassam. Como disse Jim Rohn: Ninguém planeja fracassar. As pessoas fracassam por não planejar. Ela deve ter clareza sobre suas futuras responsabilidades como mulher de um clérigo. Isto não significa que ela deve perder é a sua identidade de mulher. Muitas vezes ela é apresentada sem ter seu nome próprio citado, mas como esposa do padre fulano de tal. Nestas ocasiões, é importante que seu cônjuge, sem agressão, faça uma nova apresentação citando o nome próprio dela. Afinal, antes desta função, ela já era uma pessoa criada à

7 imagem e semelhança de Deus, e amada por Ele: à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou (Gn 1.27). Algo que não deve faltar na vida de uma esposa de padre é uma agenda bem dividida para os seus compromissos pessoais (hora devocional, academia, arrumar cabelos, fazer unhas, caminhar, fazer terapia), familiares (tempo com o esposo para orar, conversar, sair com os filhos, ensinar tarefas, namorar) e eclesiásticos (preparar palestras, reuniões, ensaios, visitações). Cada uma deve fazer sua agenda conforme as necessidades assumidas livre e espontaneamente, para que assim não se sinta esgotado física e emocionalmente. Sem este controle a vida familiar pode ser engolida pela vida eclesiástica o que em longo prazo trará problemas para o casal e a Igreja. 5. Espiritualidade do casal Outro desafio é manter a espiritualidade familiar. Muitas vezes o padre cuida tanto dos filhos dos outros que esquece os da sua casa. O casal está sempre em estado de construção. Espiritualidade significa viver segundo o Espírito. O Espírito é centro de todo Ministério Ordenado. Espiritualidade conjugal é aprender, do Espírito, como viver conjugado, unido, é para ser vivida na carne, situada no tempo e no espaço, é concreta, dinâmica. É uma espiritualidade encarnada, uma graça que santifica o casal não apesar da vida conjugal, mas por meio dela. A vida conjugal torna-se instrumento e meio de vivência e expressão da espiritualidade. Segundo as Escrituras o amor conjugal precisa ser anúncio explícito do amor apaixonado de Deus pela humanidade. Não existe nenhum amor mais intenso e profundo do que o amor conjugal. O envolvimento amoroso de um casal é o mais pleno que existe, pois implica corpo, alma, coração, sentimentos, emoções, sangue e sonhos. Por outro lado a falta de uma espiritualidade conjugal tornou-se um dos grandes assassinos do amor. Sem a força do Alto, ninguém persevera no amor. Sem a força do Alto ninguém passa da paixão ao amor. Sem a força do Alto é impossível achar sentido para a vida conjugal. Para o padre casado a espiritualidade é garantia de uma relação pessoal com Jesus Cristo, Mestre e Profeta, Sacerdote e Pastor. É nele que encontramos as raízes mais profundas de nossa vocação ao Ministério como experiência do Deus salvador. Foi ele que nos escolheu e amou, chamando-nos à santidade, ou seja, a identificar-nos progressivamente com Ele, conhecendo-o em profundidade. No nosso caso, como sacerdotes anglicanos, como Ministro de Cristo e numa dupla dimensão, ou seja, naquela pastoral, onde manifesta a caridade de Cristo, Bom Pastor que cuida de suas ovelhas, e naquela familiar, onde, com sua esposa e filhos, por meio do Matrimônio, revela o Mistério da relação entre Cristo e sua Igreja (cf. Ef 5,32). A vivência desta dupla dimensão espiritual aprofunda o sentido de Deus na vida, ajuda a responder ao Seu chamado e descobrir o sentido das opções de Jesus, com quem, no Ministério Ordenado, nos identificamos, no amor e na santidade. A espiritualidade no ministério conduz àquela caridade que nos ensina, como Jesus, a buscar as pessoas e, na santidade, viver uma espiritualidade de comunhão. Nesse sentido, a devoção à Virgem Maria nos ajuda a entender em profundidade, a partir do seu sim à vontade de Deus, a beleza e a importância do Mistério da Encarnação em nosso Ministério Ordenado. E aqui se evidencia a dimensão da caridade, já que esta requer

8 uma verdadeira encarnação que exige de nós, Ministros Ordenados, um amplo conhecimento da sociedade concreta em que estamos e uma atenção peculiar aos problemas atuais do mundo e da Igreja. Que Deus nos abençoe.

Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições

Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições O. T. Brito Pág. 2 Dedicado a: Minha filha única Luciana, Meus três filhos Ricardo, Fernando, Gabriel e minha esposa Lúcia. Pág. 3 Índice 1 é o casamento

Leia mais

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil Documento do MEJ Internacional Para que a minha alegria esteja em vós Por ocasião dos 100 anos do MEJ O coração do Movimento Eucarístico Juvenil A O coração do MEJ é a amizade com Jesus (Evangelho) B O

Leia mais

Elementos da Vida da Pequena Comunidade

Elementos da Vida da Pequena Comunidade Raquel Oliveira Matos - Brasil A Igreja, em sua natureza mais profunda, é comunhão. Nosso Deus, que é Comunidade de amor, nos pede entrarmos nessa sintonia com Ele e com os irmãos. É essa a identidade

Leia mais

Você foi criado para tornar-se semelhante a Cristo

Você foi criado para tornar-se semelhante a Cristo 4ª Semana Você foi criado para tornar-se semelhante a Cristo I- CONECTAR: Inicie o encontro com dinâmicas que possam ajudar as pessoas a se conhecer e se descontrair para o tempo que terão juntas. Quando

Leia mais

HOMILIA: A CARIDADE PASTORAL A SERVIÇO DO POVO DE DEUS (1 Pd 5,1-4; Sl 22; Mc 10, 41-45) Amados irmãos e irmãs na graça do Batismo!

HOMILIA: A CARIDADE PASTORAL A SERVIÇO DO POVO DE DEUS (1 Pd 5,1-4; Sl 22; Mc 10, 41-45) Amados irmãos e irmãs na graça do Batismo! HOMILIA: A CARIDADE PASTORAL A SERVIÇO DO POVO DE DEUS (1 Pd 5,1-4; Sl 22; Mc 10, 41-45) Amados irmãos e irmãs na graça do Batismo! A vida e o ministério do padre é um serviço. Configurado a Jesus, que

Leia mais

Discipulado Parte II Pastor Emanuel Adriano (Mano)

Discipulado Parte II Pastor Emanuel Adriano (Mano) Discipulado Parte II Pastor Emanuel Adriano (Mano) Estruturas Para Formar Discípulos Célula Evangelística: Esta estrutura ajuda nas ações de ganhar e consolidar. Ela tem dois objetivos principais: 1 )Despertar

Leia mais

A Identidade da Igreja do Senhor Jesus

A Identidade da Igreja do Senhor Jesus A Identidade da Igreja do Senhor Jesus Atos 20:19-27 (Ap. Paulo) Fiz o meu trabalho como Servo do Senhor, com toda a humildade e com lágrimas. E isso apesar dos tempos difíceis que tive, por causa dos

Leia mais

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis Grupos de Oração sem a experiência do Batismo no Espírito Santo, exercício dos carismas e o cultivo da vivência fraterna, revelam uma face desfigurada da RCC. Reflitamos a esse respeito tendo por base

Leia mais

A Santa Sé ENCONTRO COM OS JOVENS DE ROMA E DO LÁCIO EM PREPARAÇÃO À JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE DIÁLOGO DO PAPA BENTO XVI COM OS JOVENS

A Santa Sé ENCONTRO COM OS JOVENS DE ROMA E DO LÁCIO EM PREPARAÇÃO À JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE DIÁLOGO DO PAPA BENTO XVI COM OS JOVENS A Santa Sé ENCONTRO COM OS JOVENS DE ROMA E DO LÁCIO EM PREPARAÇÃO À JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE DIÁLOGO DO PAPA BENTO XVI COM OS JOVENS Quinta-feira, 25 de Março de 2010 (Vídeo) P. Santo Padre, o jovem

Leia mais

PASTORAL É O HOJE DA IGREJA

PASTORAL É O HOJE DA IGREJA PASTORAL É O HOJE DA IGREJA As mudanças sociais são desafios à Evangelização. A atualização da mensagem cristã nas diversas realidades e em diferentes tempos fez surgir a Pastoral. Hoje em nossas paróquias

Leia mais

Natal do Senhor de 2015. Missa Solene da Noite

Natal do Senhor de 2015. Missa Solene da Noite Natal do Senhor de 2015 Missa Solene da Noite Caríssimos Irmãos e Irmãs: Acabamos de ouvir no Evangelho a palavra que os Anjos, na Noite Santa, disseram aos pastores e que agora a Igreja grita para nós:

Leia mais

QUESTÕES ELABORADAS A PARTIR DO TEXTO O CARISMA FUNDADOR Discurso de Chantilly Pe. Henri Caffarel

QUESTÕES ELABORADAS A PARTIR DO TEXTO O CARISMA FUNDADOR Discurso de Chantilly Pe. Henri Caffarel QUESTÕES ELABORADAS A PARTIR DO TEXTO O CARISMA FUNDADOR Discurso de Chantilly Pe. Henri Caffarel 1. Pe. Caffarel afirma que carisma fundador é muito mais do que uma simples boa idéia. Então, o que ele

Leia mais

MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II PARA A XXXI JORNADA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES

MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II PARA A XXXI JORNADA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II PARA A XXXI JORNADA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES Aos venerados irmãos no episcopado e a todos os queridos fiéis do mundo inteiro A celebração da Jornada Mundial de Oração

Leia mais

Reforma Protestante: Igreja reformada, sempre se reformando. 31 de outubro: Dia da Reforma

Reforma Protestante: Igreja reformada, sempre se reformando. 31 de outubro: Dia da Reforma Reforma Protestante: Igreja reformada, sempre se reformando 31 de outubro: Dia da Reforma Uma sugestão para realizar o jogral é que as leitoras e leitores representem todas as classes de escola dominical,

Leia mais

Etapas da maturidade de Eliseu

Etapas da maturidade de Eliseu Etapas da maturidade de Eliseu TEXTO BÍBLICO BÁSICO 2 Reis 2.5-11 5 - Então os filhos dos profetas que estavam em Jericó se chegaram a Eliseu, e lhe disseram: Sabes que o SENHOR hoje tomará o teu senhor

Leia mais

O povo da graça: um estudo em Efésios # 34 Perseverando com graça - Efésios 6.18-24

O povo da graça: um estudo em Efésios # 34 Perseverando com graça - Efésios 6.18-24 Perseverando com graça Efésios 6.18-24 O povo da graça: um estudo em Efésios # 34 18 Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem

Leia mais

José Moreno. DESPERTE O PODER DO ALTO Um estudo bíblico que ajudará você a descobrir, buscar e receber vinte e sete dons espirituais

José Moreno. DESPERTE O PODER DO ALTO Um estudo bíblico que ajudará você a descobrir, buscar e receber vinte e sete dons espirituais José Moreno DESPERTE O PODER DO ALTO Um estudo bíblico que ajudará você a descobrir, buscar e receber vinte e sete dons espirituais Belo Horizonte/MG novembro/2011 Copyright 1992, 2011 by José A. Peraçoli

Leia mais

Reformas Religiosas Monique Bilk

Reformas Religiosas Monique Bilk Reformas Religiosas Monique Bilk Contexto Início da Idade Moderna O Renascimento estimula a crítica e o livre-pensar A burguesia tem projetos que esbarram nos obstáculos que a Igreja coloca... (doutrina

Leia mais

Discipulado Pastor Emanuel Adriano (Mano) DISCIPULADO

Discipulado Pastor Emanuel Adriano (Mano) DISCIPULADO Discipulado Pastor Emanuel Adriano (Mano) DISCIPULADO Em vários textos a Bíblia relata visões que Deus deu a seu povo. Essas visões tinham por objetivo trazer uma orientação ou direção, em outros momentos

Leia mais

A Alma Católica dos Evangélicos no Brasil

A Alma Católica dos Evangélicos no Brasil A Alma Católica dos Evangélicos no Brasil Augustus Nicodemus Foi um dos preletores da 22ª conferência Fiel - Brasil. Os evangélicos no Brasil nunca conseguiram se livrar totalmente da influência do Catolicismo

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O MOCL

ORIENTAÇÕES PARA O MOCL MINISTÉRIO DE ORAÇÃO POR CURA E LIBERTAÇÃO RCC BRASIL Março de 2015 ORIENTAÇÕES PARA O MOCL 1) IMPOSIÇÃO DAS MÃOS Sobre esse assunto já houve muita orientação. Mesmo assim, ainda surgem polêmicas. A imposição

Leia mais

SEMINÁRIO: ATITUDE 434

SEMINÁRIO: ATITUDE 434 SEMINÁRIO: ATITUDE 434 1 2 DEFINIÇÃO Um movimento de PUREZA SEXUAL conforme a vontade de Deus nas Escrituras. 3 Movimento vs Evento 4 BASE BÍBLICA A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se

Leia mais

Plano Pedagógico do Catecismo 6

Plano Pedagógico do Catecismo 6 Plano Pedagógico do Catecismo 6 Cat Objetivos Experiência Humana Palavra Expressão de Fé Compromisso PLANIFICAÇÃO de ATIVIDADES BLOCO I JESUS, O FILHO DE DEUS QUE VEIO AO NOSSO ENCONTRO 1 Ligar a temática

Leia mais

Como a Bíblia foi composta? Escrito por Felipe de Aquino

Como a Bíblia foi composta? Escrito por Felipe de Aquino Os textos da Bíblia começaram a ser escritos desde os tempos anteriores a Moisés (1200 ac). Escrever era uma arte rara e cara, pois se escrevia em tábuas de madeira, papiro, pergaminho (couro de carneiro).

Leia mais

A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser cego.

A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser cego. Mensagem: O HOMEM QUE ABRIU OS OLHOS PARA DEUS Pastor: José Júnior Dia: 22/09/2012 sábado AMAZON JOVENS Texto-base: Lucas 18:35-43 A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser

Leia mais

Perdão Marca de Maturidade

Perdão Marca de Maturidade Perdão Marca de Maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO Mateus 18.15-22 15 - Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão; 16 - Mas, se não te ouvir,

Leia mais

Mais do que Vencedores ou Mais do que Vencidos. Missionário Pastor Danny Hawkins

Mais do que Vencedores ou Mais do que Vencidos. Missionário Pastor Danny Hawkins Mais do que Vencedores ou Mais do que Vencidos. Missionário Pastor Danny Hawkins Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Romanos 8:37 Todos os dias nós temos

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO

2015 O ANO DE COLHER ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO Texto: Apocalipse 22:1-2 Então o anjo me mostrou o rio da água da vida que, claro como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro, no meio da RUA principal da cidade. De

Leia mais

A OFERTA DE UM REI (I Crônicas 29:1-9). 5 - Quem, pois, está disposto a encher a sua mão, para oferecer hoje voluntariamente ao SENHOR?

A OFERTA DE UM REI (I Crônicas 29:1-9). 5 - Quem, pois, está disposto a encher a sua mão, para oferecer hoje voluntariamente ao SENHOR? A OFERTA DE UM REI (I Crônicas 29:1-9). 5 - Quem, pois, está disposto a encher a sua mão, para oferecer hoje voluntariamente ao SENHOR? Esse texto é um dos mais preciosos sobre Davi. Ao fim de sua vida,

Leia mais

Centro Pastoral - Paróquia Imaculada Conceição de Nossa Senhora. Pastoral dos Acólitos

Centro Pastoral - Paróquia Imaculada Conceição de Nossa Senhora. Pastoral dos Acólitos 1 Centro Pastoral - Paróquia Imaculada Conceição de Nossa Senhora Pastoral dos Acólitos Seminarista Thiago Medeiros 1. Encontro de Formação: Ministérios: o que são e para que servem. Nome do Candidato:

Leia mais

Você quer ser um Discípulo de Jesus?

Você quer ser um Discípulo de Jesus? Você quer ser um Discípulo de Jesus? A História do povo de Israel é a mesma história da humanidade hoje Ezequel 37:1-4 Eu senti a presença poderosa do Senhor, e o seu Espírito me levou e me pôs no meio

Leia mais

Encontro a propósito do inquérito do Sínodo dos Bispos sobre a família

Encontro a propósito do inquérito do Sínodo dos Bispos sobre a família METANOIA em Lisboa Encontro a propósito do inquérito do Sínodo dos Bispos sobre a família Algumas notas a partir da reflexão havida no dia 13 de dezembro de 2013 na qual participaram 43 pessoas Contexto

Leia mais

Felizes os puros de coração porque verão a Deus (Mt 5, 8)

Felizes os puros de coração porque verão a Deus (Mt 5, 8) Janeiro e Fevereiro 2015 Editorial Esta é a Síntese dos meses de Janeiro e Fevereiro, assim como a Palavra de Vida, em que o nosso diretor espiritual, Pe. Pedro, fala sobre Felizes os puros de coração

Leia mais

O Sacramento da Confissão, Penitência ou Reconciliação

O Sacramento da Confissão, Penitência ou Reconciliação O Sacramento da Confissão, Penitência ou Reconciliação O SACRAMENTO que apaga os pecados, como já vimos, é o Batismo. Assim como também já vimos que, mesmo após o Batismo, continuamos a experimentar as

Leia mais

Lição 2 Por que Necessitamos de Perdão? Lição 1 Nosso Pai é um Deus Perdoador. A Bênção pelo Perdão. A Bênção pelo Perdão

Lição 2 Por que Necessitamos de Perdão? Lição 1 Nosso Pai é um Deus Perdoador. A Bênção pelo Perdão. A Bênção pelo Perdão Lição 1 Nosso Pai é um Deus Perdoador 1. Você já fugiu de casa? Para onde foi? O que aconteceu? 2. Qual foi a maior festa que sua família já celebrou? Explique. 3. Você é do tipo mais caseiro, ou gosta

Leia mais

TRADUÇÃO Angelino Junior do Carmo

TRADUÇÃO Angelino Junior do Carmo TRADUÇÃO Angelino Junior do Carmo Sumário Obtendo o máximo de Tiago... 5 1. Confiança ou dúvida Tiago 1.1-18... 9 2. Palavras, palavras, palavras Tiago 1.19-27... 12 3. Não discrimine as pessoas Tiago

Leia mais

As reformas religiosas do século XVI

As reformas religiosas do século XVI As reformas religiosas do século XVI Crise na Igreja: a contestação e a ruptura Prof. Nilson Urias Crises religiosas na Europa No início do século XVI, a Igreja vivia uma época de profunda crise. Século

Leia mais

5ª Lição: O que o Islam? As Crenças Essenciais do Islam

5ª Lição: O que o Islam? As Crenças Essenciais do Islam 5ª Lição: O que o Islam? As Crenças Essenciais do Islam Existem muitos aspectos da crença nos quais aquele que adere ao Islam deve ter firme convicção. Desses aspectos, os mais importantes são seis, conhecidos

Leia mais

O SENHOR JESUS CRISTO

O SENHOR JESUS CRISTO O SENHOR JESUS CRISTO I. SUA EXISTÊNCIA A) Provada pelo Antigo Testamento: (Mq 5.2; Is 9:6 Pai da Eternidade ) B) Provada pelo Novo Testamento: 1) João 1.1, em comparação com o versículo 14. 2) Jo 8.58

Leia mais

Apostila 2 - Carismas

Apostila 2 - Carismas Apostila 2 - Carismas Esses milagres acompanharão os que crerem: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI

2015 O ANO DE COLHER JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI Texto: Sal. 126:6 Durante o ano de 2014 falamos sobre a importância de semear, preparando para a colheita que viria neste novo ano de 2015. Muitos criaram grandes expectativas,

Leia mais

EXISTE O INFERNO? Introdução

EXISTE O INFERNO? Introdução EVANGELISMO PESSOAL EXISTE O INFERNO 1 EXISTE O INFERNO? Introdução A. Um dos temas religiosos mais carregados de emoção é o tema do Inferno. Que sucede depois da morte física? Há algo mais além do túmulo

Leia mais

Compartilhando a Sua Fé

Compartilhando a Sua Fé Livrinho 2 Pàgina 4 Lição Um Compartilhando a Sua Fé O Propósito desta Lição Agora que você descobriu a alegria de pecados perdoados e de uma nova vida em Cristo, sem dúvida quer que os seus familiares

Leia mais

Depois de termos tratado de todos os temas da escatologia cristã, vamos falar sobre o purgatório.

Depois de termos tratado de todos os temas da escatologia cristã, vamos falar sobre o purgatório. A purificação após a morte: o estado purgatório Pe. Henrique Soares da Costa Depois de termos tratado de todos os temas da escatologia cristã, vamos falar sobre o purgatório. Nossos irmãos protestantes

Leia mais

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br Palestra Virtual Promovida pelo http://www.irc-espiritismo.org.br Tema: Mediunidade (Consciência, Desenvolvimento e Educação) Palestrante: Vania de Sá Earp Rio de Janeiro 16/06/2000 Organizadores da palestra:

Leia mais

. Os cristãos davam vida ao mundo!

. Os cristãos davam vida ao mundo! Confira o artigo retirado da edição 72 da Revista Renovação: É fato: os primeiros cristãos marcaram a história da humanidade. Em Pentecostes, inaugurou-se uma nova forma de se viver, surpreendente para

Leia mais

A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA Gilson Hoffmann

A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA Gilson Hoffmann A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA Gilson Hoffmann 1 DELIMITAÇÃO Ao abordarmos sobre as razões para ser um professor numa escola e falar sobre o amor de Deus, encontramos algumas respostas

Leia mais

V. Tem que amar... de verdade!

V. Tem que amar... de verdade! CLASSE DE CASAIS CURSO: CONSTRUINDO UM CASAMENTO COM AMOR V. Tem que amar... de verdade! Esta lição tem por objetivo... Nós amamos porque Deus nos amou primeiro (I Jo 4.19) (a) Mostrar a diferença entre

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

Juniores aluno 7. Querido aluno,

Juniores aluno 7. Querido aluno, Querido aluno, Por acaso você já se perguntou algumas destas questões: Por que lemos a Bíblia? Suas histórias são mesmo verdadeiras? Quem criou o mundo? E o homem? Quem é o Espírito Santo? Por que precisamos

Leia mais

Obs.: José recebeu em sonho a visita de um anjo que lhe disse que seu filho deveria se chamar Jesus.

Obs.: José recebeu em sonho a visita de um anjo que lhe disse que seu filho deveria se chamar Jesus. Anexo 2 Primeiro momento: contar a vida de Jesus até os 12 anos de idade. Utilizamos os tópicos abaixo. As palavras em negrito, perguntamos se eles sabiam o que significava. Tópicos: 1 - Maria e José moravam

Leia mais

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha.

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha. O Plano da Salvação Contribuição de Pr. Oswaldo F Gomes 11 de outubro de 2009 Como o pecado entrou no mundo e atingiu toda a raça humana? [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo

Leia mais

Leito maculado quando o casamento se torna um empecilho para a Obra de Deus

Leito maculado quando o casamento se torna um empecilho para a Obra de Deus Leito maculado quando o casamento se torna um empecilho para a Obra de Deus Muitos jovens vêm se mostrando arredios aos trabalhos na sua Igreja após contraírem matrimônio. Quem antes era atuante no ministério

Leia mais

31 dias de oração pelo seu marido por Nancy Leigh DeMoss

31 dias de oração pelo seu marido por Nancy Leigh DeMoss 31 dias de oração pelo seu marido por Nancy Leigh DeMoss A palavra do Senhor nos ensina a orarmos uns pelos outros, e isso inclui a responsabilidade e grande privilégio das esposas em orarem pelos seus

Leia mais

OS DESAFIOS DA JORNADA DA FÉ

OS DESAFIOS DA JORNADA DA FÉ 1 OS DESAFIOS DA JORNADA DA FÉ Mc 6 30/12/2012 INTRODUÇÃO 1. Esta semana estava pensando a respeito do ano de 2012 que estamos concluindo. 2. Que ano! Ele foi repleto de contrastes. 3. De momentos em que

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

PADRE MARCELO ROSSI ÁGAPE

PADRE MARCELO ROSSI ÁGAPE PADRE MARCELO ROSSI ÁGAPE Oo Índice Prefácio, por Gabriel Chalita...11 Introdução...19 1 O Verbo divino...27 2 As bodas de Caná...35 3 A samaritana...41 4 Multiplicação dos pães...49 5 A mulher adúltera...55

Leia mais

O corpo é um templo sagrado, que nos fo i dado com um propósito divino.

O corpo é um templo sagrado, que nos fo i dado com um propósito divino. Educação Familiar no Lar O Corpo É um Templo 8 Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?" (I Coríntios 3:16.) O corpo é um templo sagrado, que nos fo i dado com

Leia mais

Nº 03 - Setembro/2007

Nº 03 - Setembro/2007 Nº 03 - Setembro/2007 Setembro - Mês da Bíblia Deus viu quanto havia feito e era muito bom Gn 1,31. Por que a Igreja coloca o mês de setembro como Mês da Bíblia, se todos os dias do Ano devem ser Bíblicos?

Leia mais

Ser ou não ser, eis a questão.

Ser ou não ser, eis a questão. Decisões Ser ou não ser, eis a questão. Será mais nobre sofrer na alma Pedradas e flechadas do destino feroz Ou pegar em armas contra o mar de angústias E, combatendo-o, dar-lhe fim? Hamlet de William

Leia mais

Lembrança da Primeira Comunhão

Lembrança da Primeira Comunhão Lembrança da Primeira Comunhão Jesus, dai-nos sempre deste pão Meu nome:... Catequista:... Recebi a Primeira Comunhão em:... de... de... Local:... Pelas mãos do padre... 1 Lembrança da Primeira Comunhão

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

CUIDEMOS DA NOSSA VINHA... me puseram por guarda de vinhas; a vinha, porém, que me pertence, não a guardei. - (Cantares 1:6)

CUIDEMOS DA NOSSA VINHA... me puseram por guarda de vinhas; a vinha, porém, que me pertence, não a guardei. - (Cantares 1:6) CUIDEMOS DA NOSSA VINHA... me puseram por guarda de vinhas; a vinha, porém, que me pertence, não a guardei. - (Cantares 1:6) Expositor: Jorge Himitian INTRODUÇÃO: Não podemos fazer a obra sobre as ruínas

Leia mais

O rei Davi e o seu palácio

O rei Davi e o seu palácio O rei Davi e o seu palácio 2 Sm 11:1-5 Estes versículos registram um terrível e assustador período na vida do rei Davi que poderia ter sido evitado, se o mesmo não escolhesse desprezar suas responsabilidades

Leia mais

O NOVO NASCIMENTO. Texto base: Jo 3: 1 a 21

O NOVO NASCIMENTO. Texto base: Jo 3: 1 a 21 O NOVO NASCIMENTO Texto base: Jo 3: 1 a 21 I. INTRODUÇÃO II. QUEM ERA NICODEMOS? Povo de Deus JUDEU MEMBRO DO SINÉDRIO FARISEU COM POSSES Instruído na Lei de Deus e Tradição Oral. Conhecido por ser puro,

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil LUZES DOS DOCUMENTOS

Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil LUZES DOS DOCUMENTOS Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil LUZES DOS DOCUMENTOS Ficha 1 1 Formação Integral (I) A com juventude para todo trabalho de evangelização A, como fundante (falando- se em, com atenção também

Leia mais

Lição 1 Como Amar os Inimigos

Lição 1 Como Amar os Inimigos Lição 1 Como Amar os Inimigos A. Como seus pais resolviam as brigas entres você e seus irmãos? B. Em sua opinião qual a diferença entre amar o inimigo e ser amigo do inimigo? PROPÓSITO: Aprender como e

Leia mais

5º. Dia 3 de Março. Enxergando a vida do ponto de vista dedeus. Que é a sua vida? Tiago 4.14b; nvi

5º. Dia 3 de Março. Enxergando a vida do ponto de vista dedeus. Que é a sua vida? Tiago 4.14b; nvi 5º. Dia 3 de Março Enxergando a vida do ponto de vista dedeus Que é a sua vida? Tiago 4.14b; nvi Nós não vemos as coisas como são, mas como nós somos.anaïs Nin O modo de você enxergar sua vida molda sua

Leia mais

VOCÊ É MOTIVO DE LOUVOR? MARCAS DE LOUVOR

VOCÊ É MOTIVO DE LOUVOR? MARCAS DE LOUVOR 1 VOCÊ É MOTIVO DE LOUVOR? MARCAS DE LOUVOR Fp 1 3 Agradeço a meu Deus toda vez que me lembro de vocês. 4 Em todas as minhas orações em favor de vocês, sempre oro com alegria 5 por causa da cooperação

Leia mais

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros REFORMA E CONTRARREFORMA Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros INTRODUÇÃO A Reforma Religiosa e o Renascimento ocorreram na mesma época e expressam a grande renovação de ideias

Leia mais

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 Mantendo-vos, portanto, firmes, tendo cingido os vossos rins com a verdade, vestindo a couraça da justiça e calçando os pés

Leia mais

Para ser santo é preciso amar. Como progredir na caridade?

Para ser santo é preciso amar. Como progredir na caridade? Para ser santo é preciso amar. Como progredir na caridade? Extraído de https://padrepauloricardo.org/blog/direcao-espiritual-como-pro gredir-na-caridade com acréscimos das palavras extraída do vídeo, disponível

Leia mais

Perfil da Igreja que possui maturidade

Perfil da Igreja que possui maturidade Perfil da Igreja que possui maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO Atos 2.7-45 7 - E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos?

Leia mais

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO ORIENTAÇÕES BÁSICAS JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO JPEG é Jovens em Pequenos Grupos. A nova identidade dos pequenos grupos para jovens. NECESSIDADE DE ORGANIZAÇÃO DA IGREJA PEQUENOS GRUPOS Pequenos grupos

Leia mais

8º Capítulo. Petros Os Dons Pilares 1ª Parte

8º Capítulo. Petros Os Dons Pilares 1ª Parte 8º Capítulo Petros Os Dons Pilares 1ª Parte O texto de I Co 12:7-11 fala sobre os dons espirituais, aqui chamados de carismáticos; O texto de Ef 4:11 fala sobre os dons ministeriais, aqui chamados de dons

Leia mais

Quem Desiste num momento de crise é porque realmente é um fraco!

Quem Desiste num momento de crise é porque realmente é um fraco! Paixão do Povo de Cristo x Paixão de Cristo Texto Base: provérbios 24.10 na Linguagem de Hoje: Quem é fraco numa crise, é realmente fraco. Na Bíblia A Mensagem : Quem Desiste num momento de crise é porque

Leia mais

Por Uma Questão de Igualdade

Por Uma Questão de Igualdade Por Uma Questão de Igualdade Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhoras e Senhores membros do Governo Nos últimos 5 anos a Juventude Socialista tem vindo a discutir o direito ao Casamento

Leia mais

LIÇÃO 3 S DANIEL 2:1-49

LIÇÃO 3 S DANIEL 2:1-49 Reinos Vindouros LIÇÃO 3 S DANIEL 2:1-49 II. Daniel Interpreta o Sonho de Nabucodonosor sobre os Reinos Vindouros, 2:1-49 A. O sonho e o decreto de Nabucodonosor, 2:1-16 1. Nabucodonosor pede aos sábios

Leia mais

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão:

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão: SESSÃO 3 'Eis a tua mãe' Ambiente Em uma mesa pequena, coloque uma Bíblia, abriu para a passagem do Evangelho leia nesta sessão. Também coloca na mesa uma pequena estátua ou uma imagem de Maria e uma vela

Leia mais

CONHECER A DEUS E FAZER SUA VONTADE

CONHECER A DEUS E FAZER SUA VONTADE CONHECER A DEUS E FAZER SUA VONTADE Conhecer as Sagradas Escrituras é conhecer a Vida e dela usufruir enquanto atravessamos por esse planeta caótico. Cada um tem o seu papel no ensino de modo geral, quer

Leia mais

www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES

www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES A RESPONSABILIDADE É PESSOAL A CEEN é uma igreja que tem a responsabilidade de informar e ensinar os valores e princípios de Deus,

Leia mais

O Antigo Testamento tem como seus primeiros livros a TORÀ, ou Livro das leis. É um conjunto de 5 livros.

O Antigo Testamento tem como seus primeiros livros a TORÀ, ou Livro das leis. É um conjunto de 5 livros. O Antigo Testamento tem como seus primeiros livros a TORÀ, ou Livro das leis. É um conjunto de 5 livros. A Torá é o texto mais importante para o Judaísmo. Nele se encontram os Mandamentos, dados diretamente

Leia mais

Lição 11. Batismo nas águas. Comuidade Ev. Amanhecer com Jesus QUESTIONAMENTOS: O batismo salva? O batismo como mandamento

Lição 11. Batismo nas águas. Comuidade Ev. Amanhecer com Jesus QUESTIONAMENTOS: O batismo salva? O batismo como mandamento Lição 11 Batismo nas águas Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e

Leia mais

Documento 62 - CNBB. Missão e Ministérios dos Cristãos Leigos e Leigas APRESENTAÇÃO

Documento 62 - CNBB. Missão e Ministérios dos Cristãos Leigos e Leigas APRESENTAÇÃO Documento 62 - CNBB Missão e Ministérios dos Cristãos Leigos e Leigas APRESENTAÇÃO O Documento 62 Missão e Ministérios dos Cristãos Leigos e Leigas é um marco na reflexão do Magistério da Igreja no Brasil.

Leia mais

A Prática do Discipulado: Discipulando Grupos específicos

A Prática do Discipulado: Discipulando Grupos específicos A Prática do Discipulado: Discipulando Grupos específicos Como funciona um Grupo de Discipulado? http://translation-blog.multilizer.com/language/pt/user-manual-is-a-challenge-foreign-language-user-manual-is-a-nightmare

Leia mais

2015 O ANO DO DISCIPULADO

2015 O ANO DO DISCIPULADO IGREJA DE CRISTO NO BRASIL MINISTÉRIO ICRV 2015 O ANO DO DISCIPULADO NOSSA FUNDAÇÃO A Igreja de Cristo no Brasil foi fundada em 13 de dezembro de 1932, na cidade de Mossoró RN. Como organização denominacional,

Leia mais

2. Fé Cristã e Filosofias: enfocando a necessidade da apologia cristã no ambiente escolar e Universitário

2. Fé Cristã e Filosofias: enfocando a necessidade da apologia cristã no ambiente escolar e Universitário 2. Fé Cristã e Filosofias: enfocando a necessidade da apologia cristã no ambiente escolar e Universitário Apresentação dos participantes (nome; Escola, faculdade ou Univerdidade) Quem é o seu Deus? E qual

Leia mais

SAGRADA LITURGIA Companhia de Jesus (Jesuítas) Memória Facultativa

SAGRADA LITURGIA Companhia de Jesus (Jesuítas) Memória Facultativa DIA - 2 de Agosto SAGRADA LITURGIA Companhia de Jesus (Jesuítas) Memória Facultativa ORAÇÃO DA COLETA (SANTA MISSA) Pai santo, Senhor do Céu e da Terra, que ao Vosso humilde servo Pedro Fabro Vos revelastes

Leia mais

Confira a entrevista do Pastor Juanribe Pagliarin, da Rádio SuperVida FM, concedida para a Onda Gospel, em Portugal.

Confira a entrevista do Pastor Juanribe Pagliarin, da Rádio SuperVida FM, concedida para a Onda Gospel, em Portugal. Confira a entrevista do Pastor Juanribe Pagliarin, da Rádio SuperVida FM, concedida para a Onda Gospel, em Portugal. ONDA GOSPEL - Quando revelou ao seu amigo, Luis Melancia a vontade de adquirir a rádio,

Leia mais

Edificando o casamento dos sonhos

Edificando o casamento dos sonhos Edificando o casamento dos sonhos Formando a identidade do Casal Módulo 1 - Construção Meditando Genesis - 2.24 Eclesiastes 4.12 Genesis - 2.24 Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher,

Leia mais

Koinonia, descobrindo a alegria de pertencer.

Koinonia, descobrindo a alegria de pertencer. ESTUDO 24 SIRVAM UNS AOS OUTROS Sinônimos: Ajudem-se mutuamente. Cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros. O nosso mundo emprega vários critérios para avaliar a grandeza de alguém. É grande

Leia mais

Lição 9 Desafios de um ministério local Parte 1

Lição 9 Desafios de um ministério local Parte 1 Lição 9 Desafios de um ministério local Parte 1 Texto bíblico: 1Tessalonicenses 3.1-13 Todas as igrejas surgidas da missão apostólica de Paulo no mundo gentílico enfrentaram muitos desafios, por causa

Leia mais

QUEM É PIERRE VIGNE? PIERRE VIGNE, MESTRE ESPIRITUAL

QUEM É PIERRE VIGNE? PIERRE VIGNE, MESTRE ESPIRITUAL QUEM É PIERRE VIGNE? Pierre Vigne nasceu em Privas, na França, no dia 20 de agosto de 1670. Com a idade de 11 anos, ele é observado pelo seu pároco que já lhe pode confiar responsabilidades em sua paróquia,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS Conforme registra, por exemplo, o salmo 19.1-6, é através da Criação

A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS Conforme registra, por exemplo, o salmo 19.1-6, é através da Criação 1 LIÇÃO 1 A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS Conforme registra, por exemplo, o salmo 19.1-6, é através da Criação que Deus tem Se revelado ao homem. Deus revela-se também através da Palavra Escrita, a Bíblia

Leia mais

1º VESTIBULAR BÍBLICO DA UMADUP. Livro de João

1º VESTIBULAR BÍBLICO DA UMADUP. Livro de João Upanema/RN, 03 de Agosto de 2013 1º VESTIBULAR BÍBLICO DA Livro de João Leia com atenção as instruções abaixo: 1. Verifique se o caderno de prova contém 30 (trinta) questões. Em caso negativo, comunique

Leia mais

Dia 4. Criado para ser eterno

Dia 4. Criado para ser eterno Dia 4 Criado para ser eterno Deus tem [...] plantado a eternidade no coração humano. Eclesiastes 3.11; NLT Deus certamente não teria criado um ser como o homem para existir somente por um dia! Não, não...

Leia mais