ISSN S erviços. volume 7

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISSN - 1519-8006. S erviços. volume 7"

Transcrição

1 p esquisa a nual ISSN S erviços volume 7

2 Presinte da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presinte Eduardo Pereira Nunes Diretor-Executivo Sérgio da Costa Côrtes ÓRGÃOS ESPECÍFICOS SINGULARES Diretoria Pesquisas Wamália Socorro Barata Bivar Diretoria Geociências Guido Gelli Diretoria Informática Luiz Fernando Pinto Mariano Centro Documentação e Disseminação Informações David Wu Tai Escola Nacional Ciências Estatísticas Sérgio da Costa Côrtes (interino) UNIDADE RESPONSÁVEL Diretoria Pesquisas Coornação das Estatísticas Econômicas e Classificações Sidnéia Reis Cardoso Coornação Serviços e Comércio Vânia Maria Carelli Prata

3 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro Geografia e Estatística - IBGE Pesquisa Anual Serviços volume ISSN Pesq. anual Serv., Rio Janeiro, v. 7, p.1-196, 2005

4 Instituto Brasileiro Geografia e Estatística - IBGE Av. Franklin Roosevelt, Centro Rio Janeiro, RJ - Brasil ISSN (CD-RM) ISSN (meio impresso) IBGE Elaboração do arquivo PDf Roberto Cavararo Produção da multimídia Marisa SigoloMendonça Márcia do Rosário Brauns Capa Marcos Balster Fiore e Renato J. Aguiar - Coornação Marketing/Centro Documentação e Disseminação Informações - CDDI

5 Sumário Apresentação Notas técnicas Objetivos da pesquisa Âmbito da pesquisa Unida investigação Classificação atividas Conceituação das variáveis investigadas Aspectos da amostragem Instrumentos coleta Disseminação dos resultados Comentários gerais Tabelas resultados 1 - Receita operacional líquida, valor adicionado, salários, retiradas e outras remunerações, não-financeiros, segundo as atividas Origem da receita operacional líquida, segundo as atividas Serviços prestados às famílias 3 - Resultados das atividas dos serviços prestados às famílias

6 4 - Receita das empresas serviços prestados às famílias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Custos das empresas serviços prestados às famílias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas operacionais das empresas serviços prestados às famílias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas financeiras, arrendamento mercantil (leasing) e participações acionárias, das empresas serviços prestados às familias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Depreciação, amortização, spesas não-operacionais e constituição provisões, das empresas serviços prestados às famílias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Gastos com pessoal das empresas serviços prestados às famílias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Número empresas e pessoal ocupado em 31.12, das empresas serviços prestados às famílias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Variação trimestral do pessoal ocupado das empresas serviços prestados às famílias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Aquisições do ativo tangível no ano, das empresas serviços prestados às famílias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Baixas do ativo tangível no ano, das empresas serviços prestados às famílias, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Serviços informação 14 - Resultados dos serviços informação Receita das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Custos das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Pesquisa Anual Serviços, v.7, 2005

7 17 - Despesas operacionais das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas financeiras, arrendamento mercantil (leasing) e participações acionárias das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Depreciação, amortização, spesas não-operacionais e constituição provisões, das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Gastos com pessoal das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Número empresas e pessoal ocupado em 31.12, das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Variação trimestral do pessoal ocupado das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Aquisições do ativo tangível no ano, das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Baixas do ativo tangível no ano, das empresas serviços informação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Serviços prestados às empresas 25 - Resultados dos serviços prestados às empresas Receita das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Custos das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas operacionais das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas financeiras, arrendamento mercantil (leasing) e participações acionárias das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Sumário

8 30 - Depreciação, amortização, spesas não-operacionais e constituição provisões, das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Gastos com pessoal das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Número empresas e pessoal ocupado em 31.12, das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Pessoal ocupado das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Aquisições do ativo tangível no ano, das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Baixas do ativo tangível no ano, das empresas serviços prestados às empresas, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio 36 - Resultados das atividas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio Receita das empresas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Custos das empresas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas operacionais das empresas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas financeiras, arrendamento mercantil (leasing) e participações acionárias das empresas transportes, serviços auxiliares aos transporte e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Depreciação, amortização, spesas não-operacionais e constituição provisões, das empresas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Gastos com pessoal das empresas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Pesquisa Anual Serviços, v.7, 2005

9 43 - Número empresas e pessoal ocupado em 31.12, das empresas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Variação trimestral do pessoal ocupado das empresas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Aquisições do ativo tangível no ano, das empresas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas,segundo as atividas Baixas do ativo tangível no ano, das empresas transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis 47 - Resultados das atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis Receita das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Custos das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas operacionais das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas financeiras, arrendamento mercantil (leasing) e participações acionárias das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Depreciação, amortização, spesas não-operacionais e constituição provisões, das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Gastos com pessoal das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Número empresas e pessoal ocupado em 31.12, das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Sumário

10 55 - Variação trimestral do pessoal ocupado das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Aquisições do ativo tangível no ano, das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Baixas do ativo tangível no ano, das empresas atividas imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Serviços manutenção e reparação 58 - Resultados dos serviços manutenção e reparação Receita das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Custos das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas operacionais das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas financeiras, arrendamento mercantil (leasing) e participações acionárias das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Depreciação, amortização, spesas não-operacionais e constituição provisões, das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Gastos com pessoal das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Número empresas e pessoal ocupado em 31.12, das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Variação trimestral do pessoal ocupado das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Aquisições do ativo tangível no ano, das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas e porte das empresas Pesquisa Anual Serviços, v.7, 2005

11 68 - Baixas do ativo tangível no ano, das empresas serviços manutenção e reparação, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas e porte das empresas Outras atividas serviços 69 - Resultados das outras atividas serviços Receita das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Custos das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas operacionais das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Despesas financeiras, arrendamento mercantil (leasing) e participações acionárias das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Depreciação, amortização, spesas não-operacionais e constituição provisões, das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Gastos com pessoal das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Número empresas e pessoal ocupado em 31.12, das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas Variação trimestral do pessoal ocupado das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pesssoas ocupadas, segundo as atividas Aquisições do ativo tangível no ano, das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas e porte das empresas Baixas do ativo tangível no ano, das empresas outras atividas serviços, total e empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, segundo as atividas e porte das empresas Dados regionalizados 80 - Dados regionalizados do segmento empresarial não-financeiro, segundo as Grans Regiões, as Unidas da Feração e as atividas Sumário

12 Referências Anexos 1 - Relação atividas da Classificação Nacional Econômicas - CNAE Questionários da Pesquisa Anual Serviços Convenções - Dado numérico igual a zero não resultante arredondamento;.. Não se aplica dado numérico;... Dado numérico não disponível; x Dado numérico omitido a fim evitar a individualização da informação; 0; 0,0; 0 Dado numérico igual a zero resultante arredondamento um dado numérico originalmente positivo; e -0; -0,0; -0 Dado numérico igual a zero resultante arredondamento um dado numérico originalmente negativo. Pesquisa Anual Serviços, v.7, 2005

13 Apresentação Instituto Brasileiro Geografia e Estatística - IBGE divulga, na O presente publicação, os resultados da Pesquisa Anual Serviços - PAS, referentes ao ano A PAS representa a principal fonte dados sobre a estrutura dos serviços empresariais não-financeiros, com talhamento regional, fornecendo informações relevantes para os planejamentos público e privado, bem como para a comunida acadêmica e o público em geral. A pesquisa, cuja série iniciou-se em 1998, segue a metodologia que passou a vigorar na organização das pesquisas por empresa realizadas pela Instituição a partir da implementação do Programa Mornização das Estatísticas Econômicas. Os resultados da pesquisa estão organizados em três partes. Inicialmente, apresenta uma tabela-resumo com os resultados para os anos e outra tabela com informações da origem da receita líquida por ativida para A segunda parte apresenta tabelas para sete segmentos estudados na PAS 2005 (Serviços prestados às famílias; Serviços informação; Serviços prestados às empresas; Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio; imobiliárias e aluguel bens móveis e imóveis; Serviços manutenção e reparação; e Outras atividas serviços). Por último, traz resultados para os dados regionalizados. As informações apresentadas nesta publicação, através tabelas, gráficos e mapas, traçam um perfil do setor serviços no Brasil em 2005 e caracterizam a distribuição regional ste segmento. Os dados encartados em CD-ROM possibilitam a ampliação da exploração dos resultados da pesquisa e apresentam também informações para o ano 2004.

14 A Coornação Serviços e Comércio, vinculada a esta Diretoria, coloca-se à disposição dos usuários para esclarecimentos e sugestões que venham a contribuir para o aperfeiçoamento da pesquisa. Agracemos a todos que nos forneceram informações e nos auxiliaram na compreensão dos dados, contribuindo para o aprimoramento da qualida dos resultados da Pesquisa Anual Serviços. Wasmália Bivar Diretora Pesquisas Pesquisa Anual Serviços, v.7, 2005

15 Notas técnicas Pesquisa Anual Serviços - PAS, cuja série foi iniciada em 1998, A insere-se no molo das pesquisas anuais caráter estrutural, responndo, em substituição aos Censos Econômicos, pelas informações necessárias à caracterização da estrutura produtiva dos diversos segmentos das atividas serviços que abrange. Uma peculiarida da PAS em relação às mais pesquisas econômicas anuais, cobrindo a indústria (Pesquisa Industrial Anual), comércio (Pesquisa Anual Comércio) e construção (Pesquisa Anual da Indústria da Construção), diz respeito à abrangência um conjunto atividas com características econômicas diversificadas e genericamente referidas como setor produtor serviços, corresponndo a várias seções da Classificação Nacional Econômicas - CNAE 1.0. Objetivos da pesquisa Para os mais variados tipos usuários (empresários, formuladores políticas econômicas, pesquisadores, etc.), a PAS possibilita a construção um sistema informações que permite a elaboração estimativas valor adicionado, emprego e salários, em níveis talhados da classificação atividas e por Unida da Feração, possibilitando a intificação da estrutura básica dos serviços empresariais não-financeiros no País, sua distribuição espacial e o acompanhamento suas transformações no tempo; No âmbito do Sistema Estatístico, a PAS tem por objetivo fornecer informações dos segmentos produtivos não-financeiros para o Sistema Contas Nacionais; e Possibilita a atualização do Cadastro Central Empresas CEMPRE, do IBGE, nos segmentos das atividas serviços cobertos pela pesquisa, sobretudo no que diz respeito ao código CNAE 1.0.

16 A PAS tem, ainda, a função servir como núcleo básico um sistema mais amplo informações sobre os segmentos pesquisados, a ser construído através novas pesquisas e/ou suplementos. Âmbito da pesquisa O âmbito da PAS é finido pelo universo das empresas que atenm aos seguintes requisitos: 1) estar em situação ativa no Cadastro Central Empresas CEMPRE, do IBGE, que cobre as entidas com registro no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica CNPJ; 2) ter ativida principal compreendida nos segmentos da CNAE 1.0, apresentados no Quadro 1; Quadro 1 - Segmentos da CNAE 1.0 Divisões da CNAE 1.0 Grupos da CNAE 1.0 Classes da CNAE Alojamento e alimentação Serviços relacionados com agricultura e a pecuária Serviços relacionados com a silvicultura e exploração florestal 61 - Transporte aquaviário Manutenção e reparação veículos 62 - Transporte aéreo, exceto em Representantes comerciais Manutenção e reparação presas transporte aéreo e agentes do comércio motocicletas com se no exterior 63 - anexas e auxiliares Reparação objetos do transporte e agências pessoais e domésticos viagens 64 - Correio e telecomunicações Transporte ferroviário interurbano 67 - auxiliares das insti Outros transportes terrestres ensino, exceto tuições financeiras educação pré-escolar, fundamental, média e superior 71 - Aluguel veículos, máquinas Incorporação e venda e equipamentos, objetos imóveis pessoais e domésticos Aluguel imóveis Outras atividas relacionadas ao lazer 72 - informática e imobiliárias por conexas conta terceiros 74 - Serviços prestados princi cinematográficas palmente às empresas e vío 90 - Limpeza urbana e esgoto rádio e televisão 93 - Serviços pessoais Outras atividas artisticas e espetáculos agências notícias Fonte: IBGE, Diretoria Pesquisas, Coornação Serviços e Comércio. Pesquisa Anual Serviços, v.7, 2005

17 3) estar sujeita ao regime jurídico das entidas empresariais, excluindo-se, portanto, Órgãos da Administração Pública Direta e Instituições Privadas sem Fins Lucrativos; e 4) estar sediada no Território Nacional e, em particular, para as Unidas da Feração da Região Norte (Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima, Pará, Amapá e Tocantins), são consiradas apenas aquelas que estão sediadas nos municípios das capitais, com exceção do Pará, on são consiradas aquelas que estão sediadas nos municípios da região metropolitana. A partir da PAS 2003, as novas atividas apresentadas no Quadro 2 passaram a integrar o âmbito da pesquisa. Quadro 2 - Novas atividas que integram o âmbito da pesquisa Transporte regular em bons e teleféricos ou trens próprios para exploração pontos turísticos Outras atividas informática recuperação dados e panes informática, instalação softwares segurança (antivírus, criptografia, tecção hackers ), elaboração cartões visita, crachás, mala-direta e logotipos, etc ensino, exceto educação pré-escolar, fundamental, média e superior - cursos idiomas, ballet, culinária, senho, música, corte e costura, preparatórios para concursos, pré-vestibular e autoescolas Fonte: IBGE, Diretoria Pesquisas, Coornação Serviços e Comércio. Unida investigação A unida investigação da PAS é a empresa, finida como sendo a unida jurídica caracterizada por uma firma ou razão social, que engloba o conjunto atividas econômicas exercidas em uma ou mais unidas locais. A empresa é unida cisão, que assume obrigações financeiras e está à frente das transações mercado, exercidas em uma ou mais unidas locais, e que respon pelo capital investido nas atividas. Por outro lado, é sobre a empresa que recai a obrigatorieda dos registros contábeis, balanços, etc. Portanto, a empresa constitui a unida aquada, tanto para análise do comportamento dos agentes econômicos, como para a investigação estatística. Por unida local, enten-se o espaço físico, geralmente uma área contínua, no qual uma ou mais atividas econômicas são senvolvidas, corresponndo, na maioria das vezes, a cada enreço atuação da empresa. Classificação atividas A classificação adotada pela PAS é a Classificação Nacional Econômicas - CNAE 1.0, cujos códigos e scrição das atividas no âmbito da pesquisa encontram-se no Anexo 1, Relação da Classificação Nacional Econômicas - CNAE 1.0. O volume completo da CNAE 1.0 está disponível em publicação, disquete, e no portal do IBGE na Internet, no enreço gov.br/concla. A Classificação Nacional Econômicas - CNAE passou por alterações que implicaram em agregações/sagregações alguns códigos, passando a ser chamada CNAE 1.0. Essas mudanças, que foram incorporadas a partir da PAS 2003, Notas técnicas

18 foram necessárias para atualizar as atividas com base nos produtos/serviços, bem como para retratar as características específicas um terminado segmento econômico. As principais alterações da CNAE relativas às atividas serviços pom ser sintetizadas no Quadro 3. Quadro 3 - Alterações da CNAE relativas às atividas serviços CNAE CNAE 1.0 Serviços alojamento Hotéis, motéis e pousadas com restaurante explorado pela mesma empresa - não consirar as empresas que só oferecem café da manhã Ativida exclusivamente hoteleira - hotéis, motéis e pousadas - consirar as empresas que só oferecem café da manhã Hotel, hotel fazenda, apart-hotel (usado como hotel), motéis, pousadas e administração hotéis Consultoria em hardware Consultoria, assessoria em hardware, serviço apoio a clientes na configuração equipamentos Desenvolvimento e edição softwares inclusive consultoria em softwares informatica Desenvolvimento softwares prontos para uso ( prateleira) Desenvolvimento softwares e banco dados sob encomenda e senho páginas para Internet ( bd i ) Processamento dados (inclusive digitação) Processamento dados (digitação), escaneamento e hospedagem página na Internet (web hosting ) banco dados e distribuição on-line conteúdo eletrônico Manutenção e reparação máquina escritório e informática banco dados, edição on-line, portais busca, etc Manutenção e reparação máquina escritório e informática Outras atividas informática não-especificadas anteriormente recuperação dados e panes informática, instalação softwares segurança (antivírus, criptografia, tecção hackers ), elaboraração cartões visita, crachás, mala-direta e logotipos, etc. Serviços prestados principalmente às empresas Outros serviços prestados principalmente às empresas Serviços tradução e redação, fotocópias, microfilmagem, secretaria, organização feiras e congressos, cobranças, spachantes (exclusive aduaneiros), recados, intermediação linhas telefônicas, escafandria, mergulho, etc Outros serviços prestados principalmente às empresas - Serviços tradução e redação, fotocópias, microfilmagem, secretaria, organização festas, feiras e congressos, cobranças, spachantes (exclusive aduaneiros), recados, intermediação linhas telefônicas, escafandria, mergulho, mala-direta, medição água, luz e gás, administração e emissão vale-transporte, tíquete-farmácia, combustível e refeição, leiloeiro, clipping, etc. Fonte: IBGE, Diretoria Pesquisas, Coornação Serviços e Comércio. Detalhamento geográfico e ativida econômica A PAS busca estimar os totais populacionais referentes às variáveis investigadas, acordo com os talhamentos atividas a partir da CNAE 1.0, no nível Brasil e Unidas da Feração. A PAS apresenta dois níveis talhamento das atividas econômicas por Unida da Feração, finidos no seu senho amostral. Os dois talhamentos são apresentados nos Quadros 4 e 5. Pesquisa Anual Serviços, v.7, 2005

19 Quadro 4 - Nível talhamento das atividas econômicas das Unidas da Feração que compreenm o Grupo A - Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Rio Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Gran do Sul (continua) Descrição da ativida Agregação Hotéis, motéis e pousadas Outros tipos alojamentos (hospedarias, dormitórios, etc.) Restaurantes e estabelecimentos bebidas com serviço completo Lanchonetes e similares Serviços alimentação privativos Fornecimento comida preparada Outros serviços alimentação: quiosque, traillers, etc Transporte rodoviário passageiros regular urbano Transporte rodoviário passageiros regular não-urbano Transporte rodoviário passageiros não-regular Transporte cargas e produtos perigosos Transporte mudança Transporte regular em bons Transporte ferroviário interurbano Transporte ferroviário passageiros urbano Transporte metroviário Transporte marítimo cabotagem Transporte marítimo longo curso Transporte por navegação interior cargas e passageiros Transporte aquaviário urbano Transporte aéreo regular Transporte aéreo não-regular Serviço carga e scarga, armazenamento e pósitos cargas auxiliares aos transportes terrestres auxiliares aos transportes aquaviários auxiliares aos transportes aéreos Organização do transporte cargas 634 Agências viagens e organizadores viagens 633 Correio Telecomunicações Incorporação e compra e venda imóveis por conta própria Aluguel e administração imóveis próprios Corretagem e administração imóveis terceiros Aluguel automóveis Aluguel ônibus, caminhões, embarcações e aeronaves (exclusive táxi-aéreo) Aluguel máquinas e equipamentos Aluguel objetos pessoais e domésticos Consultoria e senvolvimento programas informática e atividas banco dados Processamento dados Manutenção e reparação máquinas escritório e informática Notas técnicas

20 Quadro 4 - Nível talhamento das atividas econômicas das Unidas da Feração que compreenm o Grupo A - Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Rio Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Gran do Sul (conclusão) Descrição ativida Agregação jurídicas contabilida e auditoria Pesquisas mercado e opinião pública Gestão participação acionária, exclusive holdings financeiras assessoria em gestão empresarial Serviços arquitetura, engenharia e assessoramento técnico especializado Ensaios materiais e produtos Publicida Seleção, agenciamento e locação mão--obra temporária Investigação, vigilância, segurança e transporte valores Serviços limpeza em prédios e domicílios Serviços fotográficos Serviços envasamento e empacotamento por conta terceiros Outros serviços prestados principalmente às empresas Outras atividas ensino Distribuição filmes e fitas vío Projeção filmes e víos Produção filmes e fitas vío rádio televisão teatro, música, gestão salas espetáculos e outras atividas espetáculos Agência notícias relacionadas ao lazer Lavanrias e tinturarias Cabeleireiros, barbeiros e salões beleza funerárias manutenção do físico corporal e outros serviços pessoais Serviços auxiliares financeiros Serviços auxiliares dos seguros e da previdência privada Limpeza urbana e esgoto e atividas conexas Serviços relacionados com a agricultura, pecuária, silvicultura e exploração florestal Intermediários do comércio atacadista 511 Manutenção e reparação veículos automotores Manutenção e reparação motocicletas Manutenção e reparação eletrodomésticos Reparação calçados e outros objetos pessoais e domésticos Fonte: IBGE, Diretoria Pesquisas, Coornação Serviços e Comércio. Pesquisa Anual Serviços, v.7, 2005

ISSN - 1519-8006. S erviços. volume 6

ISSN - 1519-8006. S erviços. volume 6 p esquisa a nual ISSN - 1519-8006 S erviços 2 0 0 4 volume 6 Presinte da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA

Leia mais

ISSN - 1519-8006. S erviços. volume 10

ISSN - 1519-8006. S erviços. volume 10 p esquisa a nual de ISSN - 1519-8006 S erviços 2 0 0 8 volume 10 Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO

Leia mais

série relatórios metodológicos volume P a s esquisa nual de erviços IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

série relatórios metodológicos volume P a s esquisa nual de erviços IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística série relatórios metodológicos volume 33 P a s esquisa nual de erviços IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento

Leia mais

Anexo 3 - Questionários da Pesquisa Industrial Anual - Empresa - 2003 UF MUNICÍPIO NÚMERO DA PASTA

Anexo 3 - Questionários da Pesquisa Industrial Anual - Empresa - 2003 UF MUNICÍPIO NÚMERO DA PASTA Anexo 3 - Questionários da Pesquisa Industrial Anual - Empresa - 2003 IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Diretoria de Pesquisas Coordenação de Indústria PESQUISA INDUSTRIAL ANUAL - EMPRESA

Leia mais

Diretoria de Pesquisa. Serviços 25/08/2010

Diretoria de Pesquisa. Serviços 25/08/2010 Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio Pesquisa Anual de Serviços PAS 2008 25/08/2010 Objetivos da PAS 1 - Reunir um conjunto de informações econômicofinanceiras que permitam estimar

Leia mais

Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio. Pesquisa Anual de Serviços PAS 2009 25/08/2011

Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio. Pesquisa Anual de Serviços PAS 2009 25/08/2011 Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio Pesquisa Anual de Serviços PAS 2009 25/08/2011 Objetivos da PAS 1 - Reunir um conjunto de informações econômicofinanceiras que permitam estimar

Leia mais

PESQUISA INDUSTRIAL ANUAL - EMPRESA - 2008

PESQUISA INDUSTRIAL ANUAL - EMPRESA - 2008 01 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO (USO DA UNIDADE ESTADUAL) Diretoria de Pesquisas Coordenação de Indústria 01 CÓDIGO DA AGÊNCIA DA UC PESQUISA INDUSTRIAL ANUAL - EMPRESA - 2008 QUESTIONÁRIO COMPLETO 02

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE METODOLOGIA M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Atividade Empreendedora Empreendedorismo * Fonte: OCDE M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Indivíduo que tenciona gerar valor através da

Leia mais

FARO CONTÁBIL - CONTE CONOSCO (www.farocontabil.com.br)

FARO CONTÁBIL - CONTE CONOSCO (www.farocontabil.com.br) FARO CONTÁBIL - CONTE CONOSCO (www.farocontabil.com.br) ver. 2.2 Dados enviados com sucesso, sujeito a crítica e confirmação dos dados. Obrigado. Data: 2/8/21 17:24:11 Arquivo: SPPACXX9-56268712.pck Pesquisa:

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam Belchior INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta Wasmália Bivar Diretor-Executivo Nuno

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS

PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS NOTAS METODOLÓGICAS A Pesquisa Mensal de Serviços - PMS tem por objetivo produzir indicadores que permitam o acompanhamento da evolução conjuntural do setor de serviços empresariais

Leia mais

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS APRESENTAÇÃO A Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN em parceria com a SUFRAMA e sob a coordenação

Leia mais

COMENTÁRIOS TABELA 1 INDICADORES DE RECEITA NOMINAL DO SETOR DE SERVIÇOS, SEGUNDO GRUPOS DE ATIVIDADES BRASIL - MAIO 2015

COMENTÁRIOS TABELA 1 INDICADORES DE RECEITA NOMINAL DO SETOR DE SERVIÇOS, SEGUNDO GRUPOS DE ATIVIDADES BRASIL - MAIO 2015 COMENTÁRIOS O setor de serviços registrou no Brasil, no mês de maio de 2015, um crescimento nominal de 1,1%, na comparação com igual mês do ano anterior, inferior às taxas de abril (1,7%) e março (6,1%),

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

Análise Demográfica das Empresas da IBSS

Análise Demográfica das Empresas da IBSS CAPÍTULO 4 Análise Demográfica das Empresas da IBSS Apresentação A demografia de empresas investiga a estrutura do estoque de empresas em dado momento e a sua evolução, como os movimentos de crescimento,

Leia mais

SERVIÇOS SIMPLIFICADO

SERVIÇOS SIMPLIFICADO SERVIÇOS SIMPLIFICADO BLOCO 1 Econômico-Financeiro ANO-BASE 2001 CÓDIGO PAEP DA EMPRESA - GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria de Economia e Planejamento SEADE Fundação Sistema Estadual de Análise

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam Belchior INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta Wasmália Bivar Diretor-Executivo Nuno

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson Barbosa INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta Wasmália Bivar Diretor-Executivo Fernando

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam Belchior INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta Wasmália Bivar Diretor-Executivo Fernando

Leia mais

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa):

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Pesquisa Industrial Anual Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Aluguéis e arrendamentos Despesas com

Leia mais

Análise dos resultados Panorama geral

Análise dos resultados Panorama geral Análise dos resultados Panorama geral Durante o período de 2005 a 2008, o Produto Interno Bruto - PIB brasileiro passou de cerca de R$ 2,2 trilhões para R$ 3,0 trilhões, a valores correntes, com uma taxa

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Guido Mantega INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes Diretor

Leia mais

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Coordenação detrabalho e Rendimento Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Leia mais

RADIOGRAFIA DAS AGÊNCIAS DE PUBLICIDADE E PROMOÇÃO COM 10 OU MAIS PESSOAS OCUPADAS

RADIOGRAFIA DAS AGÊNCIAS DE PUBLICIDADE E PROMOÇÃO COM 10 OU MAIS PESSOAS OCUPADAS RADIOGRAFIA DAS AGÊNCIAS DE PUBLICIDADE E PROMOÇÃO COM 10 OU MAIS PESSOAS OCUPADAS ABAP / IBGE 2009 FONTE: PSPP Pesquisa de Serviços de Publicidade e Promoção 1 ÍNDICE METODOLOGIA 5 NOTAS TÉCNICAS 6 OBJETIVO

Leia mais

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 Código Descrição 1830-0/03-00 REPRODUCAO DE SOFTWARE EM QUALQUER SUPORTE 6190-6/01-00 PROVEDORES DE ACESSO AS REDES

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

Economia do Turismo. Análise das atividades características do turismo 2003

Economia do Turismo. Análise das atividades características do turismo 2003 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Estudos e Pesquisas Informação Econômica número 5 Economia do Turismo Análise

Leia mais

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 A economia piauiense, em 2008, apresentou expansão em volume do Produto Interno Bruto (PIB) de 8,8% em relação ao ano anterior. Foi a maior taxa de crescimento

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002 DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002 (versão para informação e comentários) Versão 1 Apresentação O Instituto

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09. Demonstração do Valor Adicionado

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09. Demonstração do Valor Adicionado COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09 Demonstração do Valor Adicionado PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO 1-2 ALCANCE E APRESENTAÇÃO 3 8 DEFINIÇÕES 9 CARACTERÍSTICAS DAS

Leia mais

Ano 2011, Número 215 Brasília, quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Ano 2011, Número 215 Brasília, quarta-feira, 16 de novembro de 2011 Página 2 DIRETORIA-GERAL Atos do Diretor-Geral Portaria Plano de Contas dos Partidos Políticos Republicação da Portaria TSE nº 521, de 18 de outubro de 2011, em virtude de incorreções materiais. PORTARIA

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

Acesso à internet e posse de telefone. óvel elular para so essoal

Acesso à internet e posse de telefone. óvel elular para so essoal p a esquisa n mostra de acional por d omicílios Acesso à internet e posse de telefone M C óvel elular para so essoal 2005 u p Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento,

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 03: ORIGEM E EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA QUALIDADE A DRE tem por objetivo evidenciar a situação econômica de uma empresa,

Leia mais

RADIOGRAFIA DA TRIBUTAÇÃO DAS EMPRESAS CORRETORAS DE SEGUROS E RESSEGUROS E OS REFLEXOS DA INCLUSÃO DA ATIVIDADE NO SIMPLES NACIONAL

RADIOGRAFIA DA TRIBUTAÇÃO DAS EMPRESAS CORRETORAS DE SEGUROS E RESSEGUROS E OS REFLEXOS DA INCLUSÃO DA ATIVIDADE NO SIMPLES NACIONAL RADIOGRAFIA DA TRIBUTAÇÃO DAS EMPRESAS CORRETORAS DE SEGUROS E RESSEGUROS E OS REFLEXOS DA INCLUSÃO DA ATIVIDADE NO SIMPLES NACIONAL Gilberto Luiz do Amaral INTRODUÇÃO A REFERÊNCIA PRINCIPAL deste trabalho

Leia mais

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012 Contas Regionais do Brasil 2012 (continua) Brasil Agropecuária 5,3 Indústria 26,0 Indústria extrativa 4,3 Indústria de transformação 13,0 Construção civil 5,7 Produção e distribuição de eletricidade e

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 RELATÓRIO DE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA QUE ATUA NO RAMO DE SITUADA NO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal

Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto eiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Acesso

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. RESOLUÇÃO Nº 1.138, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Aprova a NBC T 3.7 - Demonstração do Valor Adicionado.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. RESOLUÇÃO Nº 1.138, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Aprova a NBC T 3.7 - Demonstração do Valor Adicionado. CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO Nº 1.138, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Aprova a NBC T 3.7 - Demonstração do Valor Adicionado. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

7(&12/2*,$'$,1)250$d 2'(),1,d 2 5(35(6(17$7,9,'$'((7(1'Ç1&,$6

7(&12/2*,$'$,1)250$d 2'(),1,d 2 5(35(6(17$7,9,'$'((7(1'Ç1&,$6 7(&12/2*,$'$,1)250$d 2'(),1,d 2 5(35(6(17$7,9,'$'((7(1'Ç1&,$6 O setor de tecnologia da informação está incluído, de forma mais agregada, nas atividades de serviços prestados às empresas, segundo a &ODVVLILFDomR1DFLRQDOGH$WLYLGDGHV

Leia mais

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO?

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? É a substituição da contribuição previdenciária patronal de 20% sobre o salário de contribuição dos empregados, trabalhadores avulsos e contribuintes individuais.

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA D I P J 2014

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA D I P J 2014 MINISTÉRIO DA FAZENDA DECLARAÇÃO DE INFORMAÇÕES SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA D I P J 2014 Ficha 01 - Dados Iniciais CNPJ: Situação da Declaração: Normal

Leia mais

P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 159

P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 159 P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 159 C A P Í T U L O 1 4 Empresas de serviços Pergunta aos consultores e aposto que, para a maioria, a primeira afirmação do cliente é: Nossa empresa é diferente.

Leia mais

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS ESTUDOS & pesquisas INFORMAÇÃO DEMOGRÁFICA E SOCIoeconômica 5 SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS 2000 IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Presidente da República Fernando Henrique Cardoso

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais - Brasil Referência 2000. Nota metodológica nº 6

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais - Brasil Referência 2000. Nota metodológica nº 6 DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Sistema de Contas Nacionais - Brasil Referência 2000 Nota metodológica nº 6 Conta da Produção das Atividades (versão para informação e

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64 1.... ATIVO 152.101.493,67 50.040.951,48 153.182.697,98 1.10... ATIVO CIRCULANTE 12.634.079,13 49.780.167,34 14.042.894,83 1.10.10.. DISPONIBILIDADES 10.621.727,62 40.765.261,82 12.080.213,47 1101001 BENS

Leia mais

Plano de Contas Pag.: 1 de 7

Plano de Contas Pag.: 1 de 7 Plano de Contas Pag.: 1 de 7 1 ATIVO 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 ATIVO DISPONIVEL 1.1.1.001 NUMERARIOS 1.1.1.001.0001-0 CAIXA PEQUENO 11110 X 1.1.1.002 BANCOS CONTA MOVIMENTO 1.1.1.002.0001-5 BANCO BRADESCO

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005

Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL Cod.Normal Cód.Reduz. Grau Tipo Natureza Descrição 1. 1 1 S A ATIVO 1.1. 2 2 S AC ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. 3 3 S AC DISPONÍVEL 1.1.1.01. 4 4 S AC BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.001-5 5 A AC Caixa 1.1.1.01.002-6

Leia mais

Comentários gerais. desta publicação. 5 O âmbito de atividades da pesquisa está descrito com maior detalhamento nas Notas técnicas

Comentários gerais. desta publicação. 5 O âmbito de atividades da pesquisa está descrito com maior detalhamento nas Notas técnicas Comentários gerais Pesquisa Anual de Comércio - PAC investiga a estrutura produtiva do A segmento empresarial do comércio brasileiro, sendo os resultados referentes a 2012 divulgados neste volume. A pesquisa

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Notas técnicas. Âmbito da pesquisa

Notas técnicas. Âmbito da pesquisa Notas técnicas Âmbito da pesquisa O âmbito da PEH incluiu os estabelecimentos que atenderam aos seguintes requisitos: ter exercido no ano de 2001 a atividade de alojamento, como atividade principal ou

Leia mais

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE PLANO DE CONTAS Associações, Sindicatos e Outras Entidades. 1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. Disponibilidades 1.1.1.1. Caixa 1.1.1.2. Bancos c/ Movimento 1.1.1.3. Aplicações Financeiras 1.1.2. Créditos

Leia mais

FRANQUIA HOME OFFICE

FRANQUIA HOME OFFICE FRANQUIA HOME OFFICE SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

LEIAUTE ARQUIVO TEXTO DIF ELETRÔNICO - VERSÃO 2014

LEIAUTE ARQUIVO TEXTO DIF ELETRÔNICO - VERSÃO 2014 ANEXO ÚNICO À PORTARIA SEFAZ N o 1.300, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013. ANEXO III À PORTARIA SEFAZ N o 1.859 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2009 LEIAUTE ARQUIVO TEXTO DIF ELETRÔNICO - VERSÃO 2014 1. DADOS TÉCNICOS DE

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Pará CNPJ: 14.974.293/0001-12 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 922.380,03 665.569,81 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESA CORRENTE 541.961,33 188.309,60

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações), instituiu a Demonstração do Resultado do Exercício. A Demonstração do Resultado

Leia mais

DVA Demonstração do Valor Adicionado

DVA Demonstração do Valor Adicionado DVA Demonstração do Valor Adicionado A DVA foi inserida pela Lei nº 11.638/2007, (artigo 176, inciso V), no conjunto de demonstrações financeiras que as companhias abertas devem apresentar ao final de

Leia mais

Objetivo SIMPLES NACIONAL 2015. Lucro Real. Outros Modelos de Tributação. Compreender como funciona o SIMPLES

Objetivo SIMPLES NACIONAL 2015. Lucro Real. Outros Modelos de Tributação. Compreender como funciona o SIMPLES Objetivo SIMPLES NACIONAL 2015 Vicente Sevilha Junior setembro/2014 Compreender como funciona o SIMPLES Entender quais atividades podem ou não optar pelo SIMPLES Analisar as tabelas e percentuais do SIMPLES

Leia mais

TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS

TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS TREINAMENTOS ABRACAF MÓDULO 1 PIS / COFINS Base Constitucional: PIS E COFINS PIS: Art. 149 e 239 da Constituição Federal COFINS: Art. 195 da Constituição Federal 1 COFINS Art. 195. A seguridade social

Leia mais

PESQUISA NACIONAL POR Amostra de domicílios IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

PESQUISA NACIONAL POR Amostra de domicílios IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística PESQUISA NACIONAL POR Amostra de domicílios T RABALHO I NFANTIL 2 0 0 1 IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento,

Leia mais

CAPÍTULO V COFINS CONTRIBUIÇÃO PARA FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL

CAPÍTULO V COFINS CONTRIBUIÇÃO PARA FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL CAPÍTULO V COFINS CONTRIBUIÇÃO PARA FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL Criada pela Lei Complementar nº 70/91, esta contribuição sofreu importantes alterações a partir da competência fevereiro de 1999,

Leia mais

1 - Lista de produtos específi cos de turismo

1 - Lista de produtos específi cos de turismo Anexos 1 - Lista de produtos específi cos de turismo Economia do Turismo Análise das atividades características do turismo 2003 (continua) 63110.0 Serviços de alojamento em hotéis e motéis 63191.0 Serviços

Leia mais

Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio. Pesquisa Anual de Serviços PAS 2010

Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio. Pesquisa Anual de Serviços PAS 2010 Diretoria de Pesquisa Coordenação de Serviços e Comércio Pesquisa Anual de Serviços PAS 2010 26/09/2012 Objetivos da PAS 1 - Reunir um conjunto de informações econômicofinanceiras que permitam estimar

Leia mais

IBGE. Ministério da Saúde. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

IBGE. Ministério da Saúde. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística p a esquisa n mostra de acional por d omicílios A cesso e u tilização de S erviços de s aúde 2003 Ministério da Saúde IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Ministério do Planejamento, Orçamento

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Centro Sebrae em Conselho Deliberativo Pedro Alves de Oliveira Presidente Diretoria Executiva Igor Montenegro Diretor Superintendente Wanderson

Leia mais

Planejamento Tributário Simples Nacional. Fabricio Oenning Pensamento Contábil

Planejamento Tributário Simples Nacional. Fabricio Oenning Pensamento Contábil Planejamento Tributário Simples Nacional Fabricio Oenning Composição: Este treinamento está composto pelas seguintes aulas: Aula 1 Simples Nacional Aula 2 Lucro Real Aula 3 Lucro Presumido Nossa Agenda

Leia mais

Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS

Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS CAPÍTULO 5 Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS Apresentação Neste capítulo, avaliam-se a importância e o crescimento, ao longo do período 2003 a 2010, das atividades

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração Sumário 1. Considerações Iniciais 2. Codificação 3. Abertura de Contas Novas 4. Manual de Contas 5. Estrutura e Classificação Das Contas Patrimoniais 6. Modelo

Leia mais

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO Conta do ATIVO 1 ATIVO 1. Circulante 1.. Disponível 1.. Realizável 1... Créditos 1... Estoques 1... Combustíveis 1... Lubrificantes 1... Peças, Acessórios, Materiais 1...

Leia mais

Dicionário de variáveis da PNAD 2004 - arquivo de domicílios Microdados da Pesquisa Básica e Suplementar de Programas Sociais e Segurança Alimentar

Dicionário de variáveis da PNAD 2004 - arquivo de domicílios Microdados da Pesquisa Básica e Suplementar de Programas Sociais e Segurança Alimentar Dicionário variáveis da PNAD 2004 - arquivo domicílios 1 4 V0101 Ano referência 5 2 UF Unida da Feração 5 8 V0102 2 Número controle 13 3 V0103 3 Número série 16 2 V0104 4 18 2 V0105 20 2 V0106 6 22 1 V0201

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Modelo de Plano de Contas Modelo após Leis 11638/2007 e 11941/2009 (Adaptada ao Sped)

Modelo de Plano de Contas Modelo após Leis 11638/2007 e 11941/2009 (Adaptada ao Sped) Modelo de Plano de Contas Modelo após Leis 11638/2007 e 11941/2009 (Adaptada ao Sped) Código Descrição Analítica Patrim. Natureza 1 *** Ativo *** X Devedora 101 Ativo Circulante X Devedora 10101 Disponibilidades

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS O COMÉRCIO RESPONDE POR 12,7% DO PIB BRASILEIRO O COMÉRCIO VAREJISTA É RESPONSÁVEL POR 42% DO COMÉRCIO

Leia mais

DA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP E COFINS

DA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP E COFINS O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, LEI Nº 9.718, DE 27 DE NOVEMBRO DE 1998. Altera a Legislação Tributária Federal. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º Esta Lei aplica-se

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMOVEIS - 4ª REGIÃO RUA CARIJOS 244 10º ANDAR EDIFICIO WALMAP BELO HORIZONTE-MG Telefone: (31) 3271-6044 Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada Ano do : 2014 : 01/01/2014

Leia mais

Manual de Instrução. Para o preenchimento do questionário sobre OPERAÇÕES E POSIÇÕES COM EXTERIOR EMPRESAS DE INVESTIMENTO DIRETO

Manual de Instrução. Para o preenchimento do questionário sobre OPERAÇÕES E POSIÇÕES COM EXTERIOR EMPRESAS DE INVESTIMENTO DIRETO Manual de Instrução Para o preenchimento do questionário sobre OPERAÇÕES E POSIÇÕES COM EXTERIOR EMPRESAS DE INVESTIMENTO DIRETO Direcção de Estatísticas Económicas e Financeiras DEEF 1.Introdução O Manual

Leia mais

Prof. Carlos Barretto

Prof. Carlos Barretto Unidade IV CONTABILIDADE FINANCEIRA Prof. Carlos Barretto Objetivos gerais Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para o desenvolvimento das seguintes competências: consciência ética

Leia mais

Conta Descrição Fixada + Alterações...Realizada... 6.2.1 RECEITAS CORRENTES 5.300.000,00 364.180,63 2.350.309,73 44,35 2.949.

Conta Descrição Fixada + Alterações...Realizada... 6.2.1 RECEITAS CORRENTES 5.300.000,00 364.180,63 2.350.309,73 44,35 2.949. COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2013 Pág. : 1 6.2.1 RECEITAS CORRENTES 5.300.000,00 364.180,63 2.350.309,73 44,35 2.949.690,27 6.2.1.1 CONTRIBUIÇÕES 4.370.000,00 324.736,22

Leia mais

Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias

Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias CNAE Grupo CNAE Descrição CNAE Grau de risco 4.-8 4 Confecção de roupas íntimas 4.-6 4 Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas 4.3-4 4 Confecção de roupas profissionais 4.4-4 Fabricação

Leia mais

Balanço Patrimonial e DRE

Balanço Patrimonial e DRE Balanço Patrimonial e DRE Administração financeira e orçamentária Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com 2 Demonstrações Financeiras (Contábeis) Dados Dados Coletados Coletados

Leia mais

Plano de Contas - Modelo

Plano de Contas - Modelo Plano de Contas - Modelo Ativo Passivo Contas De Compensação Passivas (CCP) Contas De Resultado Despesas Operacionais (DO) Provisão para o Imposto Sobre a Renda e Contribuição Social (PR) Participações

Leia mais

9.2 Elenco de Contas. 9.1 Conceito

9.2 Elenco de Contas. 9.1 Conceito PLANO DE CONTAS NOTA: Nos capítulos 1 a 8, você estudou as noções básicas da Contabilidade; conheceu a estrutura do Patrimônio (ponto de partida para o entendimento desta Ciência); aprendeu a registrar

Leia mais

Pesquisa Anual de Comércio

Pesquisa Anual de Comércio Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Departamento de Comércio e Serviços Série Relatórios Metodológicos - volume

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA Sumário 1. Considerações Iniciais 2. Estrutura da Demonstração do Valor Adicionado 2.1 - Grupo de Receita Bruta - Outras Receitas 2.2 - Grupo de Insumos Adquiridos

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito Conta Nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado

Leia mais