UTILIZAÇÃO DO BAS H NO MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS PARA O PLANTIO DIRETO DE MILHO (Zea mays L.)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UTILIZAÇÃO DO BAS 800 01 H NO MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS PARA O PLANTIO DIRETO DE MILHO (Zea mays L.)"

Transcrição

1 UTILIZAÇÃO DO BAS H NO MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS PARA O PLANTIO DIRETO DE MILHO (Zea mays L.) MARINHO, J. F. (UNICAMP, Campinas/SP - FOLONI, L. L. (UNICAMP, Campinas/SP - JULIÃO, L. G. F. (UNICAMP, Campinas/SP - SOUZA, E. L. C. (UNICAMP, Campinas/SP - RESUMO: A redução na produção de grãos de milho devido à competição das plantas daninhas com a cultura pode variar de intensidade, dependendo do ano agrícola, infestação de plantas daninhas e manejo de solo. O objetivo do presente trabalho foi o de avaliar a eficiência e seletividade da formulação BAS H na operação de pré-plantio, antes da implantação da cultura do milho no sistema plantio direto. Foi empregado o delineamento experimental de blocos ao acaso com 6 tratamentos e 04 repetições, compreendendo cada parcela uma área de 4,0 x 5,0 m, perfazendo 20,0 m ² de área tratada. Os dados médios de controle (%) foram comparados estatisticamente pelos testes F e Tukey a 5% (BANZATO & KRONKA, 1988; SBCPD, 1995). Os tratamentos utilizados foram: Saflufenacil (0,035 Kg ha - 1 ), Saflufenacil (0,050 Kg ha -1 ), Saflufenacil (0,070 Kg ha -1, Carfentrazone ethyl (0,050 L ha - 1 ), Flumioxazin (0,080 Kg ha -1 ) e testemunha. Os tratamentos herbicidas foram pulverizados em área total da parcela, empregando equipamento de precisão a gás carbônico (CO2), contendo 6 bicos de jato plano XR Avaliou-se eficiência agronômica, fitotoxicidade e a altura da cultura. Os tratamentos apresentaram eficiência agronômica na maioria dos tratamentos e não foram constatados sinais de fitotoxicidade aparente e nem diminuição na altura da cultura. Concluindo que o presente experimento permitem recomendar o herbicida BAS H cujos resultados foram positivos, em aplicação de pós-emergência e em préplantio para a cultura do milho em Sistema de Plantio Direto. Palavras-chave: Zea mays, controle, plantas daninhas, plantio direto. INTRODUÇÃO Nos últimos anos, o mercado vem registrando alterações decorrentes de um novo setor demandante: o de bioenergia. Nos Estados Unidos, as usinas se multiplicam e cresce 414

2 a demanda de milho para produção de etanol. O governo incentiva a produção de álcool de milho para substituir parte do petróleo. O Brasil é o segundo produtor mundial de milho, após os Estados Unidos, China e União Européia-25. De um total, contribui com 44 milhões, em uma ara estimada de 13.1 milhões de hectares divididos em 1 safra (verão) e Safrinha. (AGRIANUNAL, 2006). A produção mundial de milho em 2011/2012 é estimada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos da América (USDA) em 868, 06 milhões de toneladas, superior em 4,9% à safra anterior. Os EUA deverão colher em 2012 cerca de 313,92 milhões de toneladas. Já a produção brasileira de milho para a safra de 2011/2012 é estimada pelo IBGE, em 70,07 milhões de toneladas. O sistema plantio direto (SPD) vem se destacando como alternativa racional de cultivo do milho, soja, trigo, algodão, entre outros, e sua adoção pelos agricultores nos últimos anos tem crescido bastante. Dentre as diversas operações de cultivo, a de manejo das plantas daninhas em pré-plantio, normalmente conhecida como dessecação torna-se fundamental para o sucesso almejado no sistema. No Brasil, estima-se que a área implantada no sistema plantio direto esteja em torno de 22 milhões de ha (FEBRAPDP, 2004). Na produção agrícola, as plantas daninhas têm importante papel em virtude do seu grau de interferência (ação conjunta da competição e da alelopatia) imposta às culturas. A luta do homem contra as plantas daninhas que infestam as culturas é constante; a infestação de plantas daninhas é representada por muitas espécies, emergindo em épocas diferentes, dificultando sobremaneira o seu controle (SILVA & KARAM, 1995). A redução na produção de grãos de milho devido à competição das plantas daninhas com a cultura pode variar de intensidade, dependendo do ano agrícola, infestação de plantas daninhas, manejo de solo, etc. (BLANCO & ARAÚJO, 1976). Basicamente, o controle de plantas invasoras visa evitar que estas concorram com o milho durante o período crítico. Através da competição por água, luz, nutrientes e de ações indiretas como a hospedagem e a transmissão de pragas e doenças, as plantas ditas daninhas ocasionam perdas na produção do cereal. Tais perdas variam de ano a ano, conforme as condições climáticas e de propriedade a propriedade, em função das variações de solo, populações de invasoras, etc. Há diferentes métodos de controle dessas invasoras. (EMBRAPA, 1981). A busca de um novo produto para substituição tem incentivado novas pesquisas, das quais são sugeridos o Flumioxazin, o Carfentrazone e o Clorimuron-ethyl. Agora a BASF está lançando um novo produto que poderá também complementar o glifosato. 415

3 O objetivo do presente trabalho foi o de avaliar a eficiência e seletividade da formulação BAS H na operação de pré-plantio, antes da implantação da cultura do milho no sistema plantio direto. MATERIAL E MÉTODOS O presente experimento foi instalado no município de Bariri-SP, na fazenda Bananal, coordenadas latitude 22º02 43 S, longitude 48º43 43 w Gr e altitude 464m; em solo classificado como Latossolos Vermelhos (OLIVEIRA et al, 1999), com 5,3 g/dm 3 de Matéria Orgânica e ph de 15,0. A área experimental foi instalada na cultura de milho, cultivar IAC AL-34 (Lote IB 084/07), plantada em 29 de dezembro de 2007 em sistema plantio direto. A aplicação dos herbicidas em pré-plantio (manejo), constituiu-se de uma aplicação com os produtos testados 14 dias antes do plantio. O plantio foi efetuado com plantadeira de plantio direto, com uma densidade de 8-9 sementes/metro linear e profundidade de 5 cm. O espaçamento utilizado foi de 90 cm entre linhas. A adubação básica por ocasião do plantio foi de 508 kg/ha, da fórmula Foi empregado o delineamento experimental de blocos ao acaso com 6 tratamentos e 04 repetições, compreendendo cada parcela uma área de 4,0 x 5,0 m, perfazendo 20,0 m ² de área tratada. Os dados médios de controle (%) foram comparados estatisticamente pelos testes F e Tukey a 5% (BANZATO & KRONKA, 1988; SBCPD, 1995). Os tratamentos utilizados foram: Saflufenacil (0,035 Kg ha -1 ), Saflufenacil (0,050 Kg ha -1 ), Saflufenacil (0,070 Kg ha -1, Carfentrazone ethyl (0,050 L ha -1 ), Flumioxazin (0,080 Kg ha -1 ) e testemunha. Todos os tratamentos foram efetuados 14 dias antes do plantio, em pós-emergência total e em pré-plantio (operação de manejo), para implantação da cultura no sistema Plantio Direto. As plantas daninhas avaliadas na área experimental foram Cenchrus echinatus, Digitaria horizontalis, Chloris polydactyla, Sida cordifolia, Conyza canadensis, Portulaca oleracea, Acanthospermum hispidum, Bidens pilosa e Raphanus raphanistrum. Os tratamentos herbicidas foram pulverizados em 15 de Dezembro de 2007, em área total da parcela, empregando equipamento de precisão a gás carbônico (CO 2 ), da marca R&D Sprayers, provido de barra compensada, contendo 6 bicos de jato plano marca TT , espaçados entre si 0,50 m, promovendo 3,0 m de largura efetiva. O equipamento foi operado a 152,9 Kpa (1,53 Kgf/cm² ou 22,0 psi), empregando água como diluente e volume de aplicação de 120 L ha -1 (calibração efetuada no local, em função da velocidade do aplicador em relação a área trabalhada, aplicada nas parcelas testemunhas). Tais bicos, segundo seu fabricante Sprayng Systems CO. (USA), operando 416

4 nessas condições, produzem uma pulverização com gotas de diâmetro mediano volumétrico (DMV) de 235 m e um espectro de gotas com diâmetros variando de 72 a 575 m, nos volumes acumulativos de 2% a 98% respectivamente (SPRAYNG Systems C.O.,1992 a e SPRAYNG Systems C.O., 1992 b). Avaliou-se a eficiência agronômica, em função do tipo de cultura e período de competição, efetuadas de forma visual aos 14 e 21 D.A.T. (dias após tratamento), fitotoxicidade à cultura foram realizadas de forma visual aos 14, 21 e 35 D.A.T. (dias após tratamento), conforme a escala EWRC (1964) e a altura da cultura, objetivou-se avaliar, de forma indireta, qualquer efeito adverso de fitotoxicidade induzida pelo uso dos produtos, que possa ter passado despercebido na avaliação visual da fitotoxicidade. RESULTADOS E DISCUSSÃO De acordo com os resultados de campo obtidos no presente ensaio, para aplicação dos herbicidas em pós-emergência das plantas daninhas e em pré-plantio da cultura do milho, implantada no sistema plantio direto, pode-se avaliar: - Relativos à Eficiência Agronômica: a) Cenchrus echinatus De acordo com esses resultados os tratamentos com o BAS H + Dash, nas diferentes doses, e os padrões utilizados, Aurora e Flumizin, não mostraram nenhum efeito no controle do C. echinatus, presente na área experimental; b) Sida cordifolia - A análise dos dados mostraram que BAS H + Dash promoveu bom controle da guanxuma na menor dose e excelente na duas maiores. Os dois herbicidas padrões também mostraram bom nível de controle sobre esta espécie; c) Conyza canadensis - Conforme pode ser observado neste quadro, os tratamentos com o BAS H a 0,035 e 0,050 Kg ha -1 e os padrões apresentaram bom nível de controle para a BUVA, sendo que a maior dose do BAS H demonstrou controle total para esta espécie; d) Bidens pilosa - A análise destes dados mostrou que o BAS H apresentou bom nível de controle aos 14 e 21 DAT, e este herbicida nas doses de 0,050 e 0,070 kg ha -1 bem como os padrões utilizados, mostram excelente nível de controle na avaliação final aos 21 DAT; e) Acanthospermum hyspidum - A análise destes dados mostraram que este herbicida foi pouco suscetível aos herbicidas BAS H e aos padrões utilizados. Deve-se ressaltar que o estádio desta planta daninha estava bem desenvolvida, no florescimento, fato que pode ter contribuído para o não controle; Pode-se verificar ainda que não foram observados sinais de fitotoxicidade aparente para a cultura de milho para a cultivar implantada no sistema plantio direto. Do mesmo modo 417

5 que o parâmetro altura não foi afetado negativamente pelos tratamentos herbicidas na avaliação efetuadas, igualando-se a testemunha não tratada, portanto sem demonstrarem efeito depressivo pelo uso de herbicida. CONCLUSÕES Os dados obtidos no presente experimento permitem recomendar o herbicida BAS H cujos resultados foram positivos, em aplicação de pós-emergência e em préplantio, tendo em vista a eficiência demonstrada no controle das principais plantas daninhas (específicas nas quais mostrou controle) e a segurança para a cultura do milho implantado no sistema Plantio Direto. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AGRIANUAL. Anuário da Agricultura Brasileira. Instituto FNP. São Paulo-SP. Outubro 2006; 506p. BANZATTO, D.A.; KRONKA, S.N. Experimentação Agrícola: ESTATÍSTICA EXPERIMENTAL. Jaboticabal - SP. FUNEP. 1988, 247 p. BLANCO,H.G.; ARAUJO, J.B.M. Estudo sobre a competição de plantas daninhas na cultura do milho (Zea mays L.). IV- Determinação do período de competição. Arq. Inst. Biológico, São Paulo, 43 (3/4): EMBRAPA - Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos. Mapa de Solos do Brasil, EWRC (European Weed Researsh Council). Report of 3 rd and 4 th meetings of EWRC Comittee of Methods in Weed Research. Weed Res., 4(1): 88, FEBRAPDP. Federação Brasileira de Plantio Direto na Palha INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Levantamento sistemático da produção agrícola. Indicadores IBGE, Brasília, Disponível em gov.br. Acesso em 16 de Abril de OLIVEIRA, J.B., ALMEIDA, C.L.E., PRADO, H. Mapa pedológico do Estado de São Paulo Secretaria da Agricultura de São Paulo IAC. Embrapa Solos. Rio de Janeiro, p. SILVA, J.B.; KARAM, D. Controle de plantas daninhas nos sistemas de produção de milho. O ruralista, Belo Horizonte, v. 32, n. 421, p. 4-9, SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DAS PLANTAS DANINHAS (SBCPD). Procedimentos para instalação: Avalição e Análise de Experimentos com Herbicidas. Londrina, PR, SBCPD, 1995, 42 p. 418

6 SPRAYING SYSTEMS CO. Data Sheet, nº M e M. WHEATON - USA p. a. SPRAYING SYSTEMS CO. Data Sheet, nº M. WHEATON - USA b. USDA - United States Department of Agriculture. Disponível em: http: Acesso em 17 de abril de

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO LEANDRO CARLOS FERREIRA 1,3 ; ITAMAR ROSA TEIXEIRA 2,3 RESUMO: O sistema de cultivo

Leia mais

CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ATRAVÉS DE HERBICIDAS EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA

CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ATRAVÉS DE HERBICIDAS EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ATRAVÉS DE HERBICIDAS EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA Hugo de Almeida Dan 1, Alberto Leão de Lemos Barroso 2, Lilian Gomes de Moraes Dan 3, Alaeste Diniz da Silva Júnior 3, Cleriston

Leia mais

SELETIVIDADE DE CLOMAZONE APLICADO EM PRÉ-EMERGÊNCIA, EM SEMENTES TRATADAS COM DIETHOLATE (TEOR DE ARGILA ENTRE 10 A 30%)

SELETIVIDADE DE CLOMAZONE APLICADO EM PRÉ-EMERGÊNCIA, EM SEMENTES TRATADAS COM DIETHOLATE (TEOR DE ARGILA ENTRE 10 A 30%) SELETIVIDADE DE CLOMAZONE APLICADO EM PRÉ-EMERGÊNCIA, EM SEMENTES TRATADAS COM DIETHOLATE (TEOR DE ARGILA ENTRE 10 A 30%) Luiz Lonardoni Foloni (Unicamp / lfoloni@aol.com), Douglas Roberto Bizari (Unicamp),

Leia mais

Estudo da dose de resposta de cobertura (N.K) na cultura do milho safrinha-mt Consultoria Pesquisa Agricultura de Precisão

Estudo da dose de resposta de cobertura (N.K) na cultura do milho safrinha-mt Consultoria Pesquisa Agricultura de Precisão Estudo da dose de resposta de cobertura (N.K) na cultura do milho safrinha-mt Consultor: Paulo Sérgio de Assunção Daniel Bennemann Frasson OBJETIVO O objetivo do presente trabalho foi realizar um estudo

Leia mais

Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo

Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo Gerson Sander 1, Antonio Carlos Torres da Costa 2, Jose Barbosa Junior Duarte 3 1 Eng. Agrôn., Mestrando

Leia mais

O papel da APROSOJA na promoção da sustentabilidade na cadeia produtiva da soja brasileira

O papel da APROSOJA na promoção da sustentabilidade na cadeia produtiva da soja brasileira O papel da APROSOJA na promoção da sustentabilidade na cadeia produtiva da soja brasileira Clusters para exportação sustentável nas cadeias produtivas da carne bovina e soja Eng Agrônomo Lucas Galvan Diretor

Leia mais

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E RESPOSTA DE MILHO SAFRINHA CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis À CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E 2012) Carlos Hissao Kurihara, Bruno Patrício Tsujigushi (2), João Vitor de Souza

Leia mais

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO AMARAL, Kevin Bossoni do 1 ; CAMPOS, Ben-Hur Costa de 2 ; BIANCHI, Mario Antonio 3 Palavras-Chave:

Leia mais

10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA

10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA 10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA CONVENCIONAL (SOJA LIVRE) EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo deste experimento foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja convencionais (Soja Livre) em

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E EFICÁCIA DE PULVERIZAÇÃO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E EFICÁCIA DE PULVERIZAÇÃO AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E EFICÁCIA DE PULVERIZAÇÃO DE UM HERBICIDA SISTÊMICO COM USO DE SOFTWARE PARA ANÁLISE DE CARTÕES HIDROSSENSÍVEIS Luiz Cláudio Garcia Email: lgarcia@uepg.br Vínculo: Acadêmico de

Leia mais

AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE ALGODÃO HERBÁCEO EM ESPAÇAMENTO ESTREITO COM CLORETO DE MEPIQUAT RESUMO

AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE ALGODÃO HERBÁCEO EM ESPAÇAMENTO ESTREITO COM CLORETO DE MEPIQUAT RESUMO AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE ALGODÃO HERBÁCEO EM ESPAÇAMENTO ESTREITO COM CLORETO DE MEPIQUAT Antonio César Bolonhezi (1), Edivaldo André Gomes (2) (1)UNESP-Ilha Solteira(SP) E-mail: bolonha@agr.feis.unesp.br.

Leia mais

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA Valter de Oliveira Neves Júnior 1 ; Zélio de Lima Vieira 1 ; Tiago Trevizam de Freitas 1 ; Edgar Rodrigues Marques 1 ; Paulo César

Leia mais

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas Considerações Finais Todos os tratamentos testados apresentaram teores foliares de N inferiores ao recomendado para a cultura da soja. As aplicações isoladas de BIOMOL (0,3 L/ha), KALIBRE (1,5 L/ha) e

Leia mais

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Exemplares desta publicação podem ser solicitados à: Embrapa Agropecuária Oeste Área de Comunicação Empresarial - ACE BR 163,

Leia mais

COMPARAÇÃO DE DIFERENTES FONTES DE CÁLCIO EM SOJA

COMPARAÇÃO DE DIFERENTES FONTES DE CÁLCIO EM SOJA COMPARAÇÃO DE DIFERENTES FONTES DE CÁLCIO EM SOJA 1 INSTITUIÇÃO REALIZADORA SEEDS Serviço Especial em Diagnose de Sementes Ltda CNPJ 91.356.055/0001-94 Endereço: Rua João de Césaro, 255 - Sala 06 - Bairro

Leia mais

EFICÁCIA E SELETIVIDADE DO HERBICIDA FLUMIOXAZIN APLICADO EM PRÉ-EMERGÊNCIA NA CULTURA TRANSPLANTADA DA CEBOLA

EFICÁCIA E SELETIVIDADE DO HERBICIDA FLUMIOXAZIN APLICADO EM PRÉ-EMERGÊNCIA NA CULTURA TRANSPLANTADA DA CEBOLA EFICÁCIA E SELETIVIDADE DO HERBICIDA FLUMIOXAZIN APLICADO EM PRÉ-EMERGÊNCIA NA CULTURA TRANSPLANTADA DA CEBOLA DURIGAN, J. C. 1 ; SILVA, M. R. M. 2 ; AZANIA, A.A.P.M. 3 1 Eng. Agr. Prof. Adjunto do Departamento

Leia mais

ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NA PRODUTIVIDADE DA CANA- SOCA

ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NA PRODUTIVIDADE DA CANA- SOCA Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NA PRODUTIVIDADE DA CANA- SOCA Lucélia Alves Ramos (1) ; Regina Maria Quintão Lana (2) ; Gaspar Henrique Korndörfer (2), Adriane de

Leia mais

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Milho + brachiaria: investimento mínimo, máximo retorno Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Pesquisadores do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Leia mais

Evolução dos casos de resistência ao glifosato no Paraná

Evolução dos casos de resistência ao glifosato no Paraná Evolução dos casos de resistência ao glifosato no Paraná Capim-marmelada e leiteiro são exemplos de grandes problemas que aconteceram nas lavouras de soja no início dos anos 80. Nesta mesma década, foram

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA RELATÓRIO FINAL AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA Empresa solicitante: FOLLY FERTIL Técnicos responsáveis: Fabio Kempim Pittelkow¹ Rodrigo

Leia mais

COMPOSIÇÃO: CLASSE: GRUPO QUÍMICO: TIPO DE FORMULAÇÃO:

COMPOSIÇÃO: CLASSE: GRUPO QUÍMICO: TIPO DE FORMULAÇÃO: COMPOSIÇÃO: Glifosato 480 g/l CLASSE: Herbicida GRUPO QUÍMICO: Glicina Substituída TIPO DE FORMULAÇÃO: Concentrado Solúvel CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO: CULTURA:

Leia mais

EFICIENCIA DE SISTEMAS DE APLICAÇÃO DE VINHAÇA VISANDO ECONOMIA E CONSCIENCIA AMBIENTAL

EFICIENCIA DE SISTEMAS DE APLICAÇÃO DE VINHAÇA VISANDO ECONOMIA E CONSCIENCIA AMBIENTAL ISBN 978-85-609-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 7 a 0 de outubro de 009 EFICIENCIA DE SISTEMAS DE APLICAÇÃO DE VINHAÇA VISANDO ECONOMIA E CONSCIENCIA AMBIENTAL Ricardo Gava ;

Leia mais

Sistema Agropecuário de Produção Integrada de Milho

Sistema Agropecuário de Produção Integrada de Milho Sistema Agropecuário de Produção Integrada de Milho José Carlos Cruz 1, Israel Alexandre Pereira Filho 1, João Carlos Garcia 1, Jason de Oliveira Duarte 1, João Herbert Moreira Viana 1, Ivan Cruz 1, Rodrigo

Leia mais

EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE FEIJÃO NO BRASIL DE 1976-2009 Paulo Roberto Vieira de ALMEIDA¹; Alcido Elenor WANDER² INTRODUÇÃO

EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE FEIJÃO NO BRASIL DE 1976-2009 Paulo Roberto Vieira de ALMEIDA¹; Alcido Elenor WANDER² INTRODUÇÃO EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE FEIJÃO NO BRASIL DE 1976-2009 Paulo Roberto Vieira de ALMEIDA¹; Alcido Elenor WANDER² ¹ Mestrando do Programa de Pós Graduação em Agronegócio na Escola de Agronomia e Engenharia

Leia mais

Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná

Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná Assunto: falta de recursos do governo federal para agricultura do Paraná A FAEP tem solicitado ao governo federal que libere os recursos anunciados de R$ 5,6 bilhões na Política de Garantia de Preços Mínimos

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 486

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 486 Página 486 COMPONENTES DE PRODUÇÃO DA BRS NORDESTINA CULTIVADA EM DIFERENTES FONTES DE ADUBAÇÃO 1 Josely Dantas Fernandes 1, Lucia Helena Garófalo Chaves 2, José Pires Dantas 3, José Rodrigues Pacífico

Leia mais

O HERBICIDA PARAQUATE

O HERBICIDA PARAQUATE O HERBICIDA PARAQUATE Girabis Envangelista Ramos Brasília/DF, 04 de novembro de 2015 HISTÓRICO E USO Primeiro registro:1962 na Inglaterra (ICI) Nos Estados Unidos da América: 1964 No Brasil: década de

Leia mais

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2012. MUNDO O milho é o cereal mais produzido no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção média do

Leia mais

Aregião de Cerrados no Brasil Central, ao longo

Aregião de Cerrados no Brasil Central, ao longo 103 Trigo no Brasil começa nos Cerrados Márcio Só e Silva Aregião de Cerrados no Brasil Central, ao longo dos anos, tem procurado opções de culturas para melhorar, tanto agronomicamente quanto economicamente,

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Efeito da Densidade de Plantas no Progresso da Ferrugem Comum em Híbridos Comerciais de Milho Murilo Viotto Del Conte²,

Leia mais

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA Marco Antônio Ferreira Varanda 1 ; Aurélio Vaz de Melo 2 ; Rubens Ribeiro da Silva³ 1 Aluno do Curso de Agronomia; Campus

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Absorção de Macronutrientes pela Cultura do Milho sobre Diferentes Wander Luis Barbosa Borges 1,7, Rogério Soares

Leia mais

SISTEMA DE MANEJO DO SOLO COM PALHADA. Sistema Plantio Direto (SPD) com qualidade

SISTEMA DE MANEJO DO SOLO COM PALHADA. Sistema Plantio Direto (SPD) com qualidade SISTEMA DE MANEJO DO SOLO COM PALHADA Sistema Plantio Direto (SPD) com qualidade Valmor dos Santos INOVAÇÃO AGRÍCOLA E INSTITUTO PAS 77-9971-2234 (Vivo / WhatsApp) TEMAS QUE SERÃO ABORDADOS - Objetivos;

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

QUALIDADE EM TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS

QUALIDADE EM TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS 1 QUALIDADE EM TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS Prof. Dr. Ulisses Rocha Antuniassi FCA/UNESP Caixa Postal 237-18603-970 - Botucatu/SP - Fone: (14) 96711604 ulisses@fca.unesp.br 1. Conceitos básicos

Leia mais

O PROBLEMA DO BAIXO NÚMERO DE REPETIÇÕES EM EXPERIMENTOS DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES

O PROBLEMA DO BAIXO NÚMERO DE REPETIÇÕES EM EXPERIMENTOS DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES O PROBLEMA DO BAIXO NÚMERO DE REPETIÇÕES EM EXPERIMENTOS DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES Cristiano Nunes Nesi 1, Antônio Lourenço Guidoni 2 Cleber Bringhenti 1 INTRODUÇÃO Uma questão importante a ser definida

Leia mais

FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO

FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO Henrique Pereira dos Santos 1, Renato Serena Fontaneli 1, Anderson Santi 1, Ana Maria Vargas 2 e Amauri Colet Verdi 2 1 Pesquisador,

Leia mais

Resultados da Avaliação de Cultivares de Milho IAC/APTA/CATI/Empresas Safra de Verão 2013/14. Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA

Resultados da Avaliação de Cultivares de Milho IAC/APTA/CATI/Empresas Safra de Verão 2013/14. Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA REUNIÃO TÉCNICA SOBRE A CULTURA DO MILHO CAMPINAS - Junho 2014 Resultados da Avaliação de Cultivares de Milho IAC/APTA/CATI/Empresas Safra de Verão 2013/14 Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA

Leia mais

EM FLORESTAS PLANTADAS

EM FLORESTAS PLANTADAS Manutenção de Florestas e Manejo Integrado de Pragas MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM FLORESTAS PLANTADAS Rudolf Woch 1 1. INTRODUÇÃO Segundo a Abraf, em seu anuário 2013, com dados referentes a 2012, na

Leia mais

Herbicida 1. Acanthospermum hispidum Acanthospermum australe. Carrapicho-de-carneiro

Herbicida 1. Acanthospermum hispidum Acanthospermum australe. Carrapicho-de-carneiro COMPOSIÇÃO: Diurom 800 g/kg CLASSE: Herbicida GRUPO QUÍMICO: Ureia TIPO DE FORMULAÇÃO: Granulado Dispersível (WG) CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO: CULTURAS:

Leia mais

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com. 1 Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.br e baixe todas as cartilhas, ou retire no seu Sindicato Rural. E

Leia mais

Dionísio Brunetta Manoel Carlos Bassoi Pedro Luiz Scheeren Luís César V. Tavares Claudinei Andreoli Sérgio Roberto Dotto

Dionísio Brunetta Manoel Carlos Bassoi Pedro Luiz Scheeren Luís César V. Tavares Claudinei Andreoli Sérgio Roberto Dotto Desenvolvimento de linhagens e de cultivares de trigo de ciclo precoce e médio, das classes Pão e Melhorador, adaptadas à Região Centro-Sul Subtropical (Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul) Dionísio

Leia mais

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura A safra de grãos do país totalizou 133,8 milhões de toneladas em 2009, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de dezembro,

Leia mais

Monitoramento Ambiental do Uso de Dejetos Líquidos de Suínos Como Insumo na Agricultura: 3 - Efeito de Doses na Produtividade de Milho.

Monitoramento Ambiental do Uso de Dejetos Líquidos de Suínos Como Insumo na Agricultura: 3 - Efeito de Doses na Produtividade de Milho. Monitoramento Ambiental do Uso de Dejetos Líquidos de Suínos Como Insumo na Agricultura: 3 - Efeito de Doses na Produtividade de Milho. XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo - 01 a 05 de setembro de

Leia mais

Agricultura de Baixo Carbono e Bioenergia. Heitor Cantarella FAPESP: Programa BIOEN & Instituto Agronômico de Campinas(IAC)

Agricultura de Baixo Carbono e Bioenergia. Heitor Cantarella FAPESP: Programa BIOEN & Instituto Agronômico de Campinas(IAC) Agricultura de Baixo Carbono e Bioenergia Heitor Cantarella FAPESP: Programa BIOEN & Instituto Agronômico de Campinas(IAC) Bioenergia: energia renovável recicla o CO 2 E + CO 2 + H 2 O CO 2 + H 2 O Fotossíntese

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE PRATICABILIDADE E EFICIÊNCIA AGRONÔMICA

RELATÓRIO TÉCNICO DE PRATICABILIDADE E EFICIÊNCIA AGRONÔMICA EMPRESA: RELATÓRIO TÉCNICO DE PRATICABILIDADE E EFICIÊNCIA AGRONÔMICA Assist Consultoria e Experimentação Agronômica LTDA ME Endereço: Avenida Brasília, 2711 Campo Real. Campo Verde - MT. CEP 78840-000.

Leia mais

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP Autores: Eng.º Agr.º José Alberto Ávila Pires Eng.º Agr.º Wilson José Rosa Departamento Técnico da EMATER-MG Trabalho baseado em: Técnicas

Leia mais

EFICÁCIA DE GLYPHOSATE EM PLANTAS DE COBERTURA 1

EFICÁCIA DE GLYPHOSATE EM PLANTAS DE COBERTURA 1 Eficácia de glyphosate em plantas de cobertura 475 EFICÁCIA DE GLYPHOSATE EM PLANTAS DE COBERTURA 1 Efficacy of Glyphosate in Cover Crops TIMOSSI, P.C. 2, DURIGAN, J.C. 3 e LEITE, G.J. 4 RESUMO - Objetivou-se

Leia mais

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 Mercado Internacional Em 2007, a produção anual de milho atingiu quase 720 milhões de tonelada (Tabela 1), quando os Estados Unidos,

Leia mais

1ª REUNIÃO GLOBAL SOBRE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL

1ª REUNIÃO GLOBAL SOBRE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA 1ª REUNIÃO GLOBAL SOBRE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL Tema: Políticas Públicas no Brasil para o Desenvolvimento da Pecuária Sustentável Plano ABC Elvison

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA DE PLANTIO DIRETO NA CULTURA DA SOJA

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA DE PLANTIO DIRETO NA CULTURA DA SOJA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA DE PLANTIO DIRETO NA CULTURA DA SOJA Jorge Ricardo Moura 3 ; Elton Fialho dos Reis 1,4 ; João Paulo Arantes Rodrigues da Cunha 2,4 ; 1 Pesquisador Orientador

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PROGÊNIES DE MILHO NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE ADUBO

AVALIAÇÃO DE PROGÊNIES DE MILHO NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE ADUBO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN 1677-0293 PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2004 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Curva de Produção de Mandioquinha-Salsa Sob Manejo Orgânico em Unidade Produtiva do Distrito Federal.

Curva de Produção de Mandioquinha-Salsa Sob Manejo Orgânico em Unidade Produtiva do Distrito Federal. Curva de Produção de Mandioquinha-Salsa Sob Manejo Orgânico em Unidade Produtiva do Distrito Federal. Nuno R. Madeira 1 ; Francisco V. Resende 1 ; Dejoel B. Lima 1 ; Hugo C. Grillo 1 1 Embrapa Hortaliças,

Leia mais

DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA

DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA Por: Julio Franchini Área: Manejo do Solo Julio Franchini possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual

Leia mais

ENSAIOS DE ALGODOEIROS DE FIBRAS COLORIDAS NO VALE DO IUIU 1 INTRODUÇÃO

ENSAIOS DE ALGODOEIROS DE FIBRAS COLORIDAS NO VALE DO IUIU 1 INTRODUÇÃO Página 1376 ENSAIOS DE ALGODOEIROS DE FIBRAS COLORIDAS NO VALE DO IUIU 1 Murilo Barros Pedrosa 1 ; Osório Lima Vasconcelos 3 ; Camilo de Lelis Morello 2 ; Eleusio Curvelo Freire 4 ; Flávio Rodrigo Gandolfi

Leia mais

MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM SPD. Dionisio Luiz Pisa Gazziero Embrapa Soja

MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM SPD. Dionisio Luiz Pisa Gazziero Embrapa Soja MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM SPD Dionisio Luiz Pisa Gazziero Embrapa Soja ( e de informações) É TER VISÃO DE SISTEMA, MANEJO DA ÁREA/DA PROPRIEDADE - VISÃO EMPRESARIAL É UMA DE TRABALHO É gerenciar -

Leia mais

Uso de húmus sólido e diferentes concentrações de húmus líquido em características agronômicas da alface

Uso de húmus sólido e diferentes concentrações de húmus líquido em características agronômicas da alface Uso de húmus sólido e diferentes concentrações de húmus líquido em características agronômicas da alface Everto Geraldo de MORAIS 1 ; Chrystiano Pinto de RESENDE 2 ; Marco Antônio Pereira RESUMO LOPES

Leia mais

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Resultados incluem primeiro ano de cultivo de milho geneticamente modificado, além das já tradicionais

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 923

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 923 Página 923 DOSES E FONTES DE NITROGÊNIO EM COBERTURA E CARACTERÍSTICAS PRODUTIVAS DO ALGODOEIRO EM SEMEADURA DIRETA Carlos Eduardo Rosa 1 ; Enes Furlani Júnior 2 ; Samuel Ferrari 3 ; Ana Paula Portugal

Leia mais

AGRICULTURA DE PRECISÃO EM SISTEMAS AGRÍCOLAS

AGRICULTURA DE PRECISÃO EM SISTEMAS AGRÍCOLAS IX SIMPÓSIO NACIONAL CERRADO BRASÍLIA 12 A 17 DE OUTUBRO DE 2008 AGRICULTURA DE PRECISÃO EM SISTEMAS AGRÍCOLAS ANTÔNIO MARCOS COELHO OBJETIVOS : INTRODUÇÃO - CONCEITOS E DEFFINIÇÕES: PRECISÃO NA AGRICULTURA

Leia mais

Herbicida 1. CULTURAS PLANTAS DANINHAS ESTÁDIO DOSE (L/ha)

Herbicida 1. CULTURAS PLANTAS DANINHAS ESTÁDIO DOSE (L/ha) COMPOSIÇÃO: PROPAQUIZAFOPE 100 g/l CLASSE: Herbicida GRUPO QUÍMICO: Ácido Ariloxifenoxipropiônico TIPO DE FORMULAÇÃO: Concentrado Emulsionável CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES

Leia mais

Circular. Técnica COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE AVEIA BRANCA E AVEIA PRETA EM ARAXÁ, MG.

Circular. Técnica COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE AVEIA BRANCA E AVEIA PRETA EM ARAXÁ, MG. 12 Circular Técnica Arejacy Antônio Sobral Silva 1 Paulo de Tarso Veloso Menezes Brando 2 Nayara Aparecida da Silva 2 Emanuely Torres Melo 2 1 Professor do Uniaraxá arejacysilva@uniaraxa.edu.br 2 Graduando

Leia mais

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG - No Brasil o Sistema de Integração Lavoura Pecuária, sempre foi bastante utilizado,

Leia mais

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 1. INTRODUÇÃO O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), realiza sistematicamente

Leia mais

Propriedades físicas de um Cambissolo submetido a períodos de pastejo rotacionado

Propriedades físicas de um Cambissolo submetido a períodos de pastejo rotacionado Propriedades físicas de um Cambissolo submetido a períodos de pastejo rotacionado Rostirolla, P. 1 ; Miola, E. C. C. 2 ; Suzuki, L. E. A. S. 1 ; Bitencourt Junior, D. 3 ; Matieski, T. 1 ; Moreira, R. M.

Leia mais

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Super-safra norte-americana Em seu boletim de oferta e demanda mundial de setembro o Usda reestimou para cima suas projeções para a safra 2007/08.

Leia mais

EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO. PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max)

EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO. PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) Autor(es): Apresentador: Rodrigo Ciotti Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: MOTTA, Marcelo;

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br.

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br. Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. Mauricio Vicente Alves², Luiz Armando

Leia mais

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem.

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. DAMASCENO, T. M. 1, WINDER, A. R. da S. 2, NOGUEIRA, J. C. M. 3, DAMASCENO, M. M. 2, MENDES, J. C. da F. 2, e DALLAPORTA, L. N.

Leia mais

Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho.

Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho. Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho. XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo - 01 a 05 de setembro de 2002 - Florianópolis - SC Magalhães, P. C.1, Durães,

Leia mais

EFEITO RESIDUAL DE HERBICIDAS PÓS- EMERGENTES UTILIZADOS NA CULTURA DA SOJA SOBRE O MILHO SAFRINHA

EFEITO RESIDUAL DE HERBICIDAS PÓS- EMERGENTES UTILIZADOS NA CULTURA DA SOJA SOBRE O MILHO SAFRINHA EFEITO RESIDUAL DE HERBICIDAS PÓS- EMERGENTES UTILIZADOS NA CULTURA DA SOJA SOBRE O MILHO SAFRINHA Hugo de Almeida Dan 1, Lilian Gomes de Moraes Dan 2, Alberto Leão de Lemos Barroso 3, Antonio Mendes de

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB14.01 9 de abril de 2014 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 6 Figuras Figura 1. Adoção da

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII REQUISITOS MÍNIMOS PARA DETERMINAÇÃO DO VALOR DE CULTIVO

Leia mais

FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ

FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ Carlos Augusto Oliveira de ANDRADE 1 ; Rubens Ribeiro da SILVA. 1 Aluno do Curso

Leia mais

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Milho Safra 2010/2011

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Milho Safra 2010/2011 3 Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Milho Safra 200/20 André Luis F. Lourenção 3.. Introdução Analisando o oitavo levantamento da Conab (20), observase que a área semeada com milho

Leia mais

Contexto e importância da diversificação de culturas em sistemas de produção de soja no Brasil

Contexto e importância da diversificação de culturas em sistemas de produção de soja no Brasil Contexto e importância da diversificação de culturas em sistemas de produção de soja no Brasil Eng. Agr. Dr. Henrique Debiasi Eng. Agr. Dr. Julio C. Franchini Eng. Agr. Dr. Alvadi A. Balbinot Jr. VII Congresso

Leia mais

ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL EM CULTIVO DE MILHO

ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL EM CULTIVO DE MILHO ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ESPÉCIES DE TRICOGRAMATÍDEOS EM POSTURAS DE Spodoptera frugiperda (LEP.: NOCTUIDAE) E FLUTUAÇÃO POPULACIONAL

Leia mais

PERÍODO CRÍTICO DE COMPETIÇÃO DE FEIJÃO-CAUPI COM PLANTAS DANINHAS NA REGIÃO DE DOURADOS-MS

PERÍODO CRÍTICO DE COMPETIÇÃO DE FEIJÃO-CAUPI COM PLANTAS DANINHAS NA REGIÃO DE DOURADOS-MS Área: Fitotecnia PERÍODO CRÍTICO DE COMPETIÇÃO DE FEIJÃO-CAUPI COM PLANTAS DANINHAS NA REGIÃO DE DOURADOS-MS Germani Concenço 1 ; Gessi Ceccon 1 ; Igor Vinicius Talhari Correia 2 ; Sabrina Alves dos Santos

Leia mais

Eficácia do herbicida amicarbazone no controle de cordas-de-viola na cultura da cana-de-açúcar (Saccharum spp.) 1

Eficácia do herbicida amicarbazone no controle de cordas-de-viola na cultura da cana-de-açúcar (Saccharum spp.) 1 Revista Brasileira de Herbicidas, v.10, n.3, p.183-189, set./dez. 2011 (ISSN 2236-1065) www.rbherbicidas.com.br Eficácia do herbicida amicarbazone no controle de cordas-de-viola na cultura da cana-de-açúcar

Leia mais

DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1

DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1 DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1 Sérgio Delmar dos Anjos e Silva 1, Rogério Ferreira Aires 2, João Guilherme Casagrande Junior 3, Claudia Fernanda Lemons e Silva 4 1 Embrapa

Leia mais

A SOJA NO BRASIL. Engº Agrº Amélio Dall Agnol Embrapa Soja, Londrina, PR

A SOJA NO BRASIL. Engº Agrº Amélio Dall Agnol Embrapa Soja, Londrina, PR A SOJA NO BRASIL Engº Agrº Amélio Dall Agnol Embrapa Soja, Londrina, PR O que vamos abordar nesta apresentação 1. Desenvolvimento da soja no Brasil. 2. Razões do deu rápido desenvolvimento. 3. Importância

Leia mais

Campeão de Produtividade de Soja Região Sudeste. ANTONIO LUIZ FANCELLI Fundador do CESB e Docente da ESALQ/USP SAFRA 2011/2112

Campeão de Produtividade de Soja Região Sudeste. ANTONIO LUIZ FANCELLI Fundador do CESB e Docente da ESALQ/USP SAFRA 2011/2112 Campeão de Produtividade de Soja Região Sudeste ANTONIO LUIZ FANCELLI Fundador do CESB e Docente da ESALQ/USP SAFRA 2011/2112 Dados do Participante (Campeão) PRODUTOR: FREDERIK JAKOBUS WOLTERS CONSULTOR

Leia mais

DIFERENTES DOSES DE ADUBAÇÃO DE COBERTURA EM MILHO (Zea mays L.) COM SULFATO DE AMÔNIO FARELADO

DIFERENTES DOSES DE ADUBAÇÃO DE COBERTURA EM MILHO (Zea mays L.) COM SULFATO DE AMÔNIO FARELADO DIFERENTES DOSES DE ADUBAÇÃO DE COBERTURA EM MILHO (Zea mays L.) COM SULFATO DE AMÔNIO FARELADO GOMES, Onélio Marcos Teston Acadêmico do curso de Engenharia Agronômica da FAEF-Garça-SP nelio_agro@ibest.com.br

Leia mais

Márcio Santos Diretor Estratégia & Produtos Brasilia/DF, 08/08/2013

Márcio Santos Diretor Estratégia & Produtos Brasilia/DF, 08/08/2013 Márcio Santos Diretor Estratégia & Produtos Brasilia/DF, 08/08/2013 A Evolução do Mercado de Soja no Brasil Avanços da genética, mais e melhores opções de insumos (sementes, máquinas, fertilizantes e defensivos)

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO Dionisio Link 1 Rodolpho Saenger Leal 2 RESUMO A avaliação econômica do controle preventivo das pragas iniciais da cultura do fumo

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE 2,4-D Fonte: Força-tarefa - Dow AgroSciences/Basf/Milenia

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE 2,4-D Fonte: Força-tarefa - Dow AgroSciences/Basf/Milenia PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE 2,4-D Fonte: Força-tarefa - Dow AgroSciences/Basf/Milenia O 2,4-D nome simplificado do ácido diclorofenoxiacético, é um dos herbicidas mais comuns e antigos do mundo. Foi desenvolvido

Leia mais

N-(1-ethypropyl)-2,6-dinitro-3,4-xylidine (PENDIMETALINA)...500 g/l (50% m/v) Ingredientes inertes...500 g/l (50% m/v)

N-(1-ethypropyl)-2,6-dinitro-3,4-xylidine (PENDIMETALINA)...500 g/l (50% m/v) Ingredientes inertes...500 g/l (50% m/v) Composição N-(1-ethypropyl)-2,6-dinitro-3,4-xylidine (PENDIMETALINA)...500 g/l (50% m/v) Ingredientes inertes...500 g/l (50% m/v) Classe Herbicida seletivo, de ação não sistêmica do grupo químico das dinitroanilinas.

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Controle Químico da Mancha Branca na Cultura do Milho José Luiz de Andrade Rezende Pereira¹, Juliana Uzan ²,Elisa

Leia mais

NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia

NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia FATOS 80.000 70.000 60.000 ÁREA CULTIVADA (milhões/ha)

Leia mais

Edmar W. Gervásio Administrador, especialista em Marketing e Agronegócio UFPR Email: edmar.gervasio@seab.pr.gov.br Fone: (41) 3313-4034

Edmar W. Gervásio Administrador, especialista em Marketing e Agronegócio UFPR Email: edmar.gervasio@seab.pr.gov.br Fone: (41) 3313-4034 Edmar W. Gervásio Administrador, especialista em Marketing e Agronegócio UFPR Email: edmar.gervasio@seab.pr.gov.br Fone: (41) 3313-4034 MILHO (Zea mays) Sustento da Vida Maior cultura agrícola do mundo;

Leia mais

Canola. Brasília, Setembro de 2010.

Canola. Brasília, Setembro de 2010. Canola Brasília, Setembro de 2010. Canola: A canola ocupa o terceiro lugar entre as oleogionosas cultivadas no mundo. A internação no Brasil ocorreu em 1974 procedente do México, país criador da canola.

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 682

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 682 Página 682 AVALIAÇÃO DO SISTEMA AGCELENCE NA CULTURA DO ALGODOEIRO NO SISTEMA DE PLANTIO ADENSADO NO OESTE DA BAHIA *Cleiton Antônio da Silva Barbosa 1 ; Benedito de Oliveira Santana Filho 1 ; Ricardo

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1527

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1527 Página 1527 ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE CUL TIVARES DE GIRASSOL NO NORDESTE BRASILEIRO NA SAFRA 2009 Ivênio Rubens de Oliveira¹; Hélio Wilson Lemos de Carvalho¹; Cláudio Guilherme Portela de Carvalho

Leia mais

SISTEMA DE PLANTIO DIRETO EM AGRICULTURA ORGÂNICA. Pesquisador Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) Curitiba,PR darolt@iapar.

SISTEMA DE PLANTIO DIRETO EM AGRICULTURA ORGÂNICA. Pesquisador Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) Curitiba,PR darolt@iapar. SISTEMA DE PLANTIO DIRETO EM AGRICULTURA ORGÂNICA Moacir Roberto Darolt 1 e Francisco Skora Neto 2 1 Pesquisador Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) Curitiba,PR darolt@iapar.br 2 Pesquisador IAPAR Ponta

Leia mais

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 09 Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 1 Carlos DirceuPitol Luiz2 Broch1 Dirceu Luiz Broch Roney Simões Pedroso2 9.1. Introdução Os sistemas de produção da atividade agropecuária cada vez requerem

Leia mais

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015)

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Gráfico 1 Evolução da produção de grãos (Em milhões de toneladas) A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas cresceu, em

Leia mais

LEVANTAMENTO DE PLANTAS DANINHAS E MONITORAMENTO DE RESULTADOS EM ÁREAS DE CANA-DE-AÇÚCAR

LEVANTAMENTO DE PLANTAS DANINHAS E MONITORAMENTO DE RESULTADOS EM ÁREAS DE CANA-DE-AÇÚCAR LEVANTAMENTO DE PLANTAS DANINHAS E MONITORAMENTO DE RESULTADOS EM ÁREAS DE CANA-DE-AÇÚCAR Consultoria e Projetos Agrícolas Ltda. Marcos A. Kuva, Eng. Agrônomo, Dr. Sede administrativa Rua Nicolino Filardi,

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1389. Desenvolvimento Agrícola-EBDA; 4 Cotton Consultoria.

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1389. Desenvolvimento Agrícola-EBDA; 4 Cotton Consultoria. Página 1389 GENÓTIPOS DE ALGODÃO DE FIBRAS LONGAS NO SEMIÁRIDO DO VALE DO IUIU, SUDOESTE DA BAHIA, SAFRA 2008/09. 1 Murilo Barros Pedrosa 1 ; Flávio Rodrigo Gandolfi Benites 2 ; Osório Lima Vasconcelos

Leia mais