INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG"

Transcrição

1

2 INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG

3 - No Brasil o Sistema de Integração Lavoura Pecuária, sempre foi bastante utilizado, principalmente na abertura de áreas - O que é novo é a aplicação deste Sistema com Plantio Direto

4 Embora haja muitos paradigmas a respeito da entrada de animais em áreas de lavoura, principalmente em áreas de Plantio Direto, há um forte crescimento na adoção da tecnologia, principalmente no Centro Sul do País e é uma prática comum entre os Agricultores Familiares

5 No Sul do Pais, o enfoque tem sido na rotação de cultura, na diversificação de atividades, mas principalmente como alternativa de renda e utilização no período de entre safra

6 Já no cerrado, o enfoque da Integração Lavoura Pecuária tem sido na rotação de culturas e de recuperação de pastagens degradadas.

7 Não importa os diferentes enfoques, no contexto mundial, nacional e ou regional a Integração Lavoura Pecuária tem sido associada sempre a:

8 -redução de custos -intensificação do uso da terra -melhoria dos atributos do solo -redução de pragas e doenças -consequentemente aumento da renda do produtor -excelente ação mitigadora contra o aquecimento global

9 Por isto há um grande interesse nos Sistemas de Produção Integrada, devido capacidade deste conceito de produção, em mudar positivamente a imagem da exploração agrícola, cuja a intensificação, associada a especialização de atividades, utilizada nos últimos 40 anos, provocou uma perda de Biodiversidade e Poluição Ambiental nos sistemas intensivos de exploração vegetal e animal

10 PLANTIO CONVENCIONAL Consiste na utilização de operações de preparo de solo que envolvem: Arado de disco Arado de aiveca Grade aradora Grade niveladora, uma duas ou mais vezes

11 CARACTERÍSTICAS - Grande eficiência no controle de plantas daninhas - Revolvimento do solo - Exposição do solo à radiação solar - Decomposição rápida da matéria orgânica - Aumento da erosão - Degradação do solo ao longo do tempo, com exigência de doses crescentes de fertilizantes

12

13

14

15 PLANTIO DIRETO HISTÓRICO: - Iniciado no Brasil na década de setenta em decorrência de trabalhos Americanos e Ingleses, com o surgimento do primeiro herbicida de contato, o Paraquat, no início dos anos sessenta. - Quando o Brasil começou o Plantio Direto, os EUA já tinha 2 milhões de hectares com Plantio Direto - Hoje o Brasil tem mais de 23 milhões de hectares com Plantio Direto

16 FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE PLANTIO DIRETO NA PALHA

17 FEDERAÇÃO BRASILEIRA DE PLANTIO DIRETO NA PALHA

18

19 CARACTERÍSTICAS - Plantio sobre a palhada - Rotação de culturas - Menor intensidade dos raios solares incidindo sobre o solo - Melhoria das características físicas e químicas do solo: - adição de matéria orgânica - elevação da CTC

20 CARACTERÍSTICAS - Não revolvimento do solo - Aumento dos microorganismos do solo - Maior infiltração da água no solo - Maior abastecimento do lençol freático - Menor arrastamento de solo para os mananciais - Melhora a qualidade da água

21 ÁREA DE LAVOURAS NO BRASIL CULTURA ALGODÃO ÁREA PLANTADA EM (1000 Ha) 1.086,00 ARROZ 2.891,60 FEIJÃO TOTAL 3.922,90 MILHO TOTAL ,60 SOJA ,70 TRIGO 1.818,90 DEMAIS PRODUTOS 1.487,80 TOTAL DE LAVOURAS ,80 PASTAGEM TOTAL ,00 PASTAGEM CERRADO ,00 PASTAGEM CERRADO DEGRADADAS ,00 TOAL PAST DEGRADADAS + LAVOURAS ,80 Fonte CONAB- Levantamento out/2007

22 INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA Sitema de Produção Integrada, entre lavoura e Pecuária, na mesma área Onde no período das águas planta-se lavoura junto co gramínea que na época da seca vira pastagem.

23 INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA Nova visão de um sistema de exploração agrícola onde, dentro de um planejamento bem feito o produtor intensifica sua exploração.

24 A propriedade deve ser planejada de forma a recuperar as pastagens degradadas, utilizando lavouras, por talhões de forma que num curto espaço de tempo, toda a propriedade estará recuperada

25 A partir daí, inicia-se um uso intensivo destas áreas, podendo ser as mesmas glebas de forma a utilizar as pastagens para a cobertura morta para o plantio direto, sempre com utilização de uma gramínea forrageira, que servirá de pasto na entressafra da cultura ou se tornará uma pastagem cada vez mais rica por período de dois, três, ou quatro anos, mas sempre antes de se degradarem, são novamente cultivadas tendo como parceira a cultura, para diluição dos custos e produção de grãos e ou forragem conservada para o período seco do ano.

26 CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA - Utilização intensiva da terra - Melhoria sensível dascaracterística físicas e químicas do solo - Maior infiltração da água no solo - Integração das explorações agrícolas e pecuária - Benefícios para a lavoura - Benefício para a pastagem - Benefício para o agricultor

27 BENEFÍCIOS PARA A LAVOURA - Fornece palhada para o Plantio Direto - Melhora as características físicas, químicas e biológicas do solo - Aumenta a Matéria Orgânica - Reduz pragas e doenças - Minimiza a erosão

28 BENEFÍCIOS PARA A PECUÁRA - A lavoura melhora a fertilidade do solo - A adubação de manutenção mantem este novo patamar de produção - Aumenta o período de pastejo e a disponibilidade de forragens - Produção de forragem para ser armazenada na forma de silagem

29 BENEFÍCIOS PARA O PRODUTOR - Produtividade - Aumento do rebanho - Lucro na atividade - Produção diversificada - Menor vulnerabilidade aos efeitos do clima - Aumento da produção de grãos - Valorização da propriedade

30 MODELO DE UM SISTEMA DE ILP Nº 1 1º ano Lavoura Pastagem leguminosa degradada Pastagem degradada Pastagem degradada Pastagem degradada 2º ano Pastagem Lavoura + Milho leguminosa Pastagem degradada Pastagem degradada Pastagem degradada 3º ano Pastagem de 1º ano 4º ano Pastagem de 2º ano 5º ano Pastagem de 3º ano 6º ano Pastagem de 4º ano 7º ano Lavoura leguminosa Pastagem + Lavoura leguminosa Milho Pastagem de Pastagem + Milho Pastagem Pastagem degradada degradada Lavoura leguminosa Pastagem degradada Pastagem de Pastagem de 1º ano 2º ano Pastagem de Pastagem de 2º ano 3º ano Pastagem de Pastagem de 3º ano 4º ano Pastagem + Milho Lavoura leguminosa Pastagem de 1º ano Pastagem + Milho Pastagem de 2º ano Pastagem de 1º ano

31 MODELO DE UM SISTEMA DE ILP Nº 2 1º ano Milho + Pasto Pastagem Degradada Pastagem Degradada 2º ano Pastagem de 1º ano Milho + Pasto Pastagem Degradada 3º ano Pastagem de 2º ano Pastagem de 1º ano Milho + Pasto 4º ano Pastagem de 3º ano Pastagem de 2º ano Pastagem de 1º ano 5º ano Milho + Pasto Pastagem de 2º ano Pastagem de 3º ano

32 O aumento do teor de Matéria Orgânica no Solo (MOS), está associado à melhoria de diversos atributos do solo, sejam eles químicos, físicos ou biológicos, uma vez que vários processos que ocorrem no sistema solo e suas interfaces estão intimamente relacionados à sua dinâmica e teor no solo, servindo inclusive como indicador de qualidade do solo (Mielniczuk, 1999)

33 O acúmulo de Carbono no solo vai depender do sistema de manejo empregado no solo, desde o preparo do solo até as sequência das culturas. Diferença significativa foi observada na camada 0 a 5 cm, onde os sistema com presença de pastagem apresentaram valores superiores sistemas apenas com lavouras (Fabrício & Salton)

34 Diferenças significativas foram observadas na camada mais superficial em sistema com presença de pastagem e não foi observado alteração de estoque de carbono em camadas mais profundas. Isto pode fortalecer a importância da senescência de folhas da pastagem (Fabrício & Salton)

35 O pastejo excessivo, sem sobras de material em quantidade suficiente para suprir a necessidade de carbono no sistema o balanço de carbono fica negativo

36 Integração Lavoura Pecuária em Sistema de Plantio Direto(SPD): A experiência da Fazenda Boa Fé Grupo Ma Shou Tao Uberaba-MG 2006

37 Diversificação de cultura Verticalização Fazenda Boa Fé Integração lavoura + Profissionalização Integração Pecuária

38 SPD (Sistema de plantio direto) 1994 Rotação de culturas: Soja - Milho: 50%-50% (3,6 ton/há) (10 ton/há) 61%- 35% Desafio: Implantar ILP (Integração Lavoura Pecuária) por meio da cultura de milho sem que o alto nível de produtividade fosse afetado.

39 Plantio de Milho e Capim Plantio de milho. Nível de adubação (N-P-K) o mesmo do milho solteiro. Plantio Capim: 20 dias após plantio do milho, na entrelinha do milho, associada e segunda cobertura. Herbicida pós-emergência apenas suspensão, não eliminação. Controlar planta daninhas. Mesmo nível de produtividade do milho.

40 Experimentos com cinco tratamentos e três repetições Tratamento 1: Milho solteiro Tratamento 2: Milho e Brachiaria decumbens Tratamento 3: Milho e Brachiaria rizozhiensis Tratamento 4: Milho e Brachiaria brizantha Tratamento 5: Milho e Panicum maximum

41 1ª Fase: Plantio O plantio é feito 20 dias após o plantio do milho, associado a operação da segunda cobertura, evitando a competição na cultura principal. Em todos os tratamentos, o nível de adubação de base e de cobertura não foi alterado na cultura do milho, mantendo-se o padrão de N, P e K fornecido a cultura.

42 Melhores tratamentos Os melhores tratamentos foram o da Brachiaria brizantha e Brachiaria rizizhienses, que atingiram a mesma produtividade do tratamento padrão (em torno de 10 ton/ há), porem no período seco pós-colheita de maio a setembro, a brizantha se comportou melhor no que se diz respeito a adaptação e adequação para suporte de pastejo.

43 2ª Fase: Pastejo Esta fase se caracteriza pelo descanso pós- colheita da forragem em torno de 50 a 60 dias que teve a entrada de 400 animais da raça nelore entre machos e fêmeas com idade de 12 a 24 meses e peso médio de liquidas num período total de 150 dias.

44 Resultados técnicos-econômicos Lotação media por hectare: 2 U.A. Ganho de peso diário médio: 780 g/dia Número de ciclos de pastejo: 3,33 ciclos Número de dias de pastejo por piquete: 11 Número de dias de descanso: 44 Custo total do projeto por hectare: R$ 228,76 Receita bruta/ha: R$ 519,68 Receita liquida/há: R$ 291,22

45 Percentagem de cobertura do solo em função do preparo do solo (1982/88). Preparo do solo A. Aiveca A. Disco P. Direto G. Pesada Esc. + Grade (CM1) Escarificador (CM2) FONTE: Oliveira et al; 1982/88 - OCEPAR * Rotação Trigo x Soja % Cobertura

46 EFEITO DE DIFERENTES QUNTIDADES DE RESÍDUOS CULTURAIS NO ESCORRIMENTO SUPERFICIAL DE ÁGUA, INFILTRAÇÃO E PERDA DESOLO, EM DECLIVE DE 5% Resíduos t ha-¹ Escorrimento % Infiltração % Perda de solo t ha-¹ 0,000 45,3 54,7 13,69 0,550 24,3 74,7 1,56 1,102 0,5 99,5 0,33 2,205 0,1 99,9 0,00 4,410 0,0 100,0 0,00

47 Cobertura da superfície do solo, em percentagem, em função da rotação de culturas e sistema de manejo do solo. Sistema de manejo Rotação Aiveca Escarificador Plantio Direto Milho contínuo 2,5 25,5 65,0 Milho após soja 2,0 34,5 62,0 Soja após milho 0,5 3,5 40,0 Soja contínua 0,5 3,0 39,5 FONTE: Cruz (1982)

48 Funções da cobertura morta Reduzir o impacto das gotas de chuvas protegendo o solo contra a desagregação de partículas e compactação Dificulta o escorrimento superficial, aumentando o tempo e a capacidade de infiltração da água de chuvas Como conseqüência, há uma redução nas perdas de solo e água pela erosão Protege a superfície do solo da ação direta de raios solares reduzindo a evaporação e conseqüentemente mantendo maior quantidade de água disponível no solo

49 Reduz a amplitude hídrica e térmica favorecendo alta atividade biológica Aumenta a matéria orgânica no perfil do solo, aumentando a disponibilidade de água para as plantas, a CTC do solo e melhorando suas características físicas Ajudar no controle de plantas daninhas, por supressão ou por ação alelopática.

50 Efeito da quantidade de palha na superfície do solo sobre a produtividade do milho. Palha t/ha Rendimento kg/ha % , , , , ,3 FONTE: Embrapa Milho e Sorgo. Dados não publicados.

51 Efetividade de resíduos na redução de evaporação Superfície Cobertura (%) FONTE: D. R. Linden, et al Evaporação-Potencial relativo 1,00 0,90 0,78 0,70 0,67 0,63 0,61 0,59 0,58

52 Efeito da palha de milho sobre o teor de umidade do solo (%) na profundidade de 0-5cm de um latossolo vermelho típico cultivado com milho em função do prolongamento do veranico. Tratamento Dias após última chuva Palha (t/ha) ,22 24,68 25,82 25,52 26,50 23,71 24,51 24,96 25,61 26,12 18,68 18,77 21,27 20,57 21,13 Época veranico 25,35 a 24,98 a 20,08 b FONTE: Andrade e Alvarenga (1997).

53 Temperatura do solo Em função da quantidade e durabilidade da cobertura morta na superfície do solo, o plantio direto apresenta menor temperatura do solo (1 a 10ºC) a menos

54

55

56

57

58

59

60

61

62 OBRIGADO Engº. Agrº. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas Telefone (31) E.mail DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP Autores: Eng.º Agr.º José Alberto Ávila Pires Eng.º Agr.º Wilson José Rosa Departamento Técnico da EMATER-MG Trabalho baseado em: Técnicas

Leia mais

Integração Lavoura Pecuária

Integração Lavoura Pecuária Integração Lavoura Pecuária A B E A S CONVÊNIO Nº 420013200500139/SDC/MAPA A B E A S Apresentação Esta cartilha, produto do esforço do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA, em parceria

Leia mais

Manuel Cláudio Motta Macedo Ademir Hugo Zimmer

Manuel Cláudio Motta Macedo Ademir Hugo Zimmer 16 Potencial para Adoção da Estratégia de Integração Lavoura- -Pecuária e de Integração Lavoura-Pecuária- -Floresta para Recuperação de Pastagens Degradadas Manuel Cláudio Motta Macedo Ademir Hugo Zimmer

Leia mais

Produção sustentável de grãos e carne bovina na região do Bolsão-Sul-Mato-Grossense

Produção sustentável de grãos e carne bovina na região do Bolsão-Sul-Mato-Grossense Produção sustentável de grãos e carne bovina na região do Bolsão-Sul-Mato-Grossense Ademir H. Zimmer Júlio Salton Armindo N. Kichel Engº. Agrsº. Pesquisadores Embrapa Gado de Corte e Agropecuária Oeste

Leia mais

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Ramon C. Alvarenga¹ e Miguel M. Gontijo Neto¹ Pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) A Embrapa Milho e Sorgo

Leia mais

INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA ALYSSON PAOLINELLI

INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA ALYSSON PAOLINELLI INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA ALYSSON PAOLINELLI SISTEMAS TRADICIONAIS DE EXPLORAÇÃO DA FAZENDA: Onde é pasto sempre foi pasto e será pasto! Onde é lavoura sempre foi lavoura e será lavoura! QUASE SEMPRE

Leia mais

Adaptação à mudança do clima*

Adaptação à mudança do clima* Agropecuária: Vulnerabilidade d e Adaptação à mudança do clima* Magda Lima - Embrapa Meio Ambiente Bruno Alves - Embrapa Agrobiologia OCB Curitiba Março de 2010 * Apresentação baseada em artigo publicado

Leia mais

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Henrique Antunes de Souza Fernando Lisboa Guedes Equipe: Roberto Cláudio Fernandes Franco Pompeu Leandro Oliveira Silva Rafael Gonçalves Tonucci

Leia mais

PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011

PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011 Estado do Rio Grande do Sul CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2011 Boletim de Informações

Leia mais

Vantagens da integração lavoura-pecuária na recuperação de pastagens degradadas

Vantagens da integração lavoura-pecuária na recuperação de pastagens degradadas Vantagens da integração lavoura-pecuária na recuperação de pastagens degradadas Armindo Neivo Kichel 1 ; José Alexandre Agiova da Costa 1 ; Roberto Giolo de Almeida 1 1 Pesquisador EMBRAPA Gado de Corte,

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola Primeiro e Pecuário Relatório de Avaliação Nacional PAP 2013/2014 sobre Mudanças Climáticas ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Nelson

Leia mais

Estudo de Caso: Fazenda Santa Brígida

Estudo de Caso: Fazenda Santa Brígida Estudo de Caso: Fazenda Santa Brígida XXIII FÓRUM ABAG INTEGRAÇÃO LAVOURA, PECUÁRIA E FLORESTA Maringá, 18 de maio de 2012. João Kluthcouski joaok@cnpaf.embrapa.br Produtividade (kg ha -1 ) Evolução da

Leia mais

INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA: SUSTENTABILIDADE DA AGROPECUÁRIA

INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA: SUSTENTABILIDADE DA AGROPECUÁRIA PROGRAMA DE TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA PARA A INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA Armindo Neivo Kichel Cesar Heraclides Behling Miranda INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA: SUSTENTABILIDADE DA AGROPECUÁRIA Ministério

Leia mais

artigos 92 Revista UFG / Dezembro 2012 / Ano XIII nº 13

artigos 92 Revista UFG / Dezembro 2012 / Ano XIII nº 13 artigos INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA: ALTERNATIVA PARA INTENSIFICAÇÃO DO USO DA TERRA Lourival Vilela 1, Geraldo B. Martha Jr 2, Robélio Leandro Marchão 3 1. Pesquisador da Embrapa Cerrados. E-mail:

Leia mais

Caracterização das Principais Modalidades de Sistemas Integrados de Produção Agropecuária na Região Centro-Sul de Mato Grosso do Sul

Caracterização das Principais Modalidades de Sistemas Integrados de Produção Agropecuária na Região Centro-Sul de Mato Grosso do Sul ISSN 1679-043X Dezembro, 2014 125 Caracterização das Principais Modalidades de Sistemas Integrados de Produção Agropecuária na Região Centro-Sul de Mato Grosso do Sul ISSN 1679-043X Dezembro, 2014 Empresa

Leia mais

Projeto Agrisus 1084-13

Projeto Agrisus 1084-13 EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA AGROPECUÁRIA OESTE RELATÓRIO FINAL DE PROJETO Projeto Agrisus 1084-13 TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA OCUPADA COM SISTEMAS DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA

Leia mais

Contexto e importância da diversificação de culturas em sistemas de produção de soja no Brasil

Contexto e importância da diversificação de culturas em sistemas de produção de soja no Brasil Contexto e importância da diversificação de culturas em sistemas de produção de soja no Brasil Eng. Agr. Dr. Henrique Debiasi Eng. Agr. Dr. Julio C. Franchini Eng. Agr. Dr. Alvadi A. Balbinot Jr. VII Congresso

Leia mais

Tecnologias para uma agricultura de baixa emissão de carbono Contextualização do Plano e Programa ABC

Tecnologias para uma agricultura de baixa emissão de carbono Contextualização do Plano e Programa ABC Tecnologias para uma agricultura de baixa emissão de carbono Contextualização do Plano e Programa ABC Paulo Roberto Galerani Eng. Agro Pesquisador Adaptado de: Luiz Adriano Maia Cordeiro Eng.Agr., D.S.,

Leia mais

A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas

A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas Moacyr Bernardino Dias-Filho Engenheiro Agrônomo, pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA www.diasfilho.com.br Conceito

Leia mais

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 38,34%

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 38,34% CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM PARANAVAÍ/PR. Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Milho + brachiaria: investimento mínimo, máximo retorno Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Pesquisadores do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Leia mais

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA PASTAGENS: INTENSIDADE DE MANEJO E ADEQUAÇÃO ESTRATÉGICA. O que mais impressiona na nossa pecuária de corte é a possibilidade de um uso bastante conveniente e de baixo custo das pastagens. O Brasil, um

Leia mais

Adubaçã. ção o potássica em sistemas intensivos de manejo de pastagens. (Potash Fertilization in Intensive Pastures Management Systems)

Adubaçã. ção o potássica em sistemas intensivos de manejo de pastagens. (Potash Fertilization in Intensive Pastures Management Systems) Adubaçã ção o potássica em sistemas intensivos de manejo de pastagens (Potash Fertilization in Intensive Pastures Management Systems) Alberto C. de Campos Bernardi Pecuária brasileira: 220 milhões de hectares

Leia mais

SISTEMA PLANTIO DIRETO, EM CONSTANTE EVOLUÇÃO

SISTEMA PLANTIO DIRETO, EM CONSTANTE EVOLUÇÃO 13º Encontro Nacional de Plantio Direto na Palha SISTEMA PLANTIO DIRETO, EM CONSTANTE EVOLUÇÃO José Eloir Denardin Embrapa Trigo AGRICULTURA DE CONSERVAÇÃO DENARDIN, 2012 CONFERÊNCIA DE ABERTURA OBJETIVOS

Leia mais

EFEITO DE SISTEMAS DE CULTIVO E MANEJO NA CONSERVAÇÃO DO SOLO E PRODUTIVIDADE DAS CULTURAS PARA AGRICULTURA DE SEQUEIRO

EFEITO DE SISTEMAS DE CULTIVO E MANEJO NA CONSERVAÇÃO DO SOLO E PRODUTIVIDADE DAS CULTURAS PARA AGRICULTURA DE SEQUEIRO EFEITO DE SISTEMAS DE CULTIVO E MANEJO NA CONSERVAÇÃO DO SOLO E PRODUTIVIDADE DAS CULTURAS PARA AGRICULTURA DE SEQUEIRO Nielson Gonçalves Chagas, João Tavares Nascimento, Ivandro de França da Silva & Napoleão

Leia mais

Técnicas Aplicadas à Produção Intensiva de Leite no Projeto Balde Cheio Formação e Manejo de Pastagens

Técnicas Aplicadas à Produção Intensiva de Leite no Projeto Balde Cheio Formação e Manejo de Pastagens Técnicas Aplicadas à Produção Intensiva de Leite no Projeto Balde Cheio Formação e Manejo de Pastagens PARANÁ 71 municípios 27 extensionistas 306 propriedades assistidas SANTA CATARINA 16 municípios 04

Leia mais

SISTEMAS DE CULTIVO. Eliminação de plantas não desejáveis, diminuindo a concorrência com a cultura implantada.

SISTEMAS DE CULTIVO. Eliminação de plantas não desejáveis, diminuindo a concorrência com a cultura implantada. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPT. FITOTECNIA E FITOSSANITARISMO DISCIPLINA AGRICULTURA GERAL (AF001) PROFS. OSWALDO TERUYO IDO E RICARDO AUGUSTO DE OLIVEIRA MONITORA ANA SELENA

Leia mais

RENOVAÇÃO DE PASTAGENS COM PLANTIO DIRETO

RENOVAÇÃO DE PASTAGENS COM PLANTIO DIRETO RENOVAÇÃO DE PASTAGENS COM PLANTIO DIRETO EXPERIÊNCIAS DA MONSANTO DO BRASIL MARCIO SCALÉA ABRIL 2007 Manejo Genética Alimentação Sanidade GENÉTICA M A N E J O ALIMENTAÇÃO S A N I D A D E FASE PRODUTIVA

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM LONDRINA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

A PECUÁRIA E SUA INFLUÊNCIA IMPACTANTE AO MEIO AMBIENTE

A PECUÁRIA E SUA INFLUÊNCIA IMPACTANTE AO MEIO AMBIENTE A PECUÁRIA E SUA INFLUÊNCIA IMPACTANTE AO MEIO AMBIENTE Caroline Wüst (*), Naiara Tagliani, Ani Carla Concato * Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) Câmpus Sertão;

Leia mais

DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA

DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA Por: Julio Franchini Área: Manejo do Solo Julio Franchini possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual

Leia mais

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela 199 Trigo não é somente para alimentar o homem Renato Serena Fontaneli Leo de J.A. Del Duca Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela posição ocupada como uma das culturas mais importantes para alimentar

Leia mais

PLANTAS DE COBERTURA NO CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS

PLANTAS DE COBERTURA NO CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS PLANTAS DE COBERTURA NO CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS Wander Luis Barbosa Borges Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Noroeste Paulista/APTA wanderborges@apta.sp.gov.br Rogério Soares de Freitas Eng. Agr.,

Leia mais

RELATÓRIO PARA AUXÍLIO DE EVENTO

RELATÓRIO PARA AUXÍLIO DE EVENTO RELATÓRIO PARA AUXÍLIO DE EVENTO Projeto: Agrisus No 874-11 Nome do evento: Dia de Campo: Integração soja-bovinos de corte no subtrópico Brasileiro Coordenadores do Projeto: Paulo César de Faccio Carvalho

Leia mais

FOTO1-Preparo do solo inadequado na recuperação de pastagem, ocasionando erosão em sulcos.

FOTO1-Preparo do solo inadequado na recuperação de pastagem, ocasionando erosão em sulcos. IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA, PECUÁRIA E FLORESTA EM PROPRIEDADES DA AGRICULTURA FAMILIAR DA ZONA DA MATA DE MINAS. 1 Ricardo Tadeu Galvão Pereira- Eng o Agrônomo, Dsc, Coordenador Regional

Leia mais

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 45,81%

Índices Zootécnicos Taxa de mortalidade 1,0% Idade de abate do boi gordo ou venda do animal Taxa de desfrute 45,81% CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM UMUARAMA/PR. Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM EM FUNÇÃO DA SATURAÇÃO POR BASES DO SOLO E DA GESSAGEM. Acadêmico PVIC/UEG do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG.

PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM EM FUNÇÃO DA SATURAÇÃO POR BASES DO SOLO E DA GESSAGEM. Acadêmico PVIC/UEG do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM EM FUNÇÃO DA SATURAÇÃO POR BASES DO SOLO E DA GESSAGEM Zélio de Lima Vieira 1 ; Valter de Oliveira Neves Júnior 1 ; Rodolfo Araújo Marques 1 ; Rafael Benetti 1 ; Adilson

Leia mais

PRÁTICAS MECÂNICAS DE CONTROLE DA EROSÃO

PRÁTICAS MECÂNICAS DE CONTROLE DA EROSÃO DISCIPLINA: GCS 104 PRÁTICAS MECÂNICAS DE CONTROLE DA EROSÃO 3ª AULA PRÁTICA II SEMESTRE/2010 TERRAÇO: Canal e CAMALHÃO CANAL CAMALHÃO Classificação dos terraços: Quanto a função: Terraço em nível ou de

Leia mais

Janeiro de 2013 Volume 01

Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 Janeiro de 2013 Volume 01 2 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Companhia Nacional de Abastecimento - Conab Dipai - Diretoria de Política Agrícola e Informações

Leia mais

LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA MATA CILIAR. Áreas de Preservação Permanente RESERVA LEGAL

LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA MATA CILIAR. Áreas de Preservação Permanente RESERVA LEGAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO ANIMAL ESPECIALIZAÇÃO EM PRODUÇÃO DE BOVINOS FORMAÇÃO E MANEJO DE PASTAGENS (IMPLANTAÇÃO DE PASTAGENS) EDGAR FRAGA

Leia mais

SISTEMA DE MANEJO DO SOLO COM PALHADA. Sistema Plantio Direto (SPD) com qualidade

SISTEMA DE MANEJO DO SOLO COM PALHADA. Sistema Plantio Direto (SPD) com qualidade SISTEMA DE MANEJO DO SOLO COM PALHADA Sistema Plantio Direto (SPD) com qualidade Valmor dos Santos INOVAÇÃO AGRÍCOLA E INSTITUTO PAS 77-9971-2234 (Vivo / WhatsApp) TEMAS QUE SERÃO ABORDADOS - Objetivos;

Leia mais

Substituir este slide pelo slide de título escolhido

Substituir este slide pelo slide de título escolhido Substituir este slide pelo slide de título escolhido AS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E A AGRICULTURA PORTUGUESA Ana Paiva Brandão Coimbra, 7 de Abril de 2011 1 ÍNDICE 1. Alterações climáticas 2. Alterações climáticas

Leia mais

IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO. (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera*

IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO. (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera* IRRIGAÇÃO DO ALGODOEIRO NO CERRADO BAIANO (ALGODÃO IRRIGADO NO CERRADO BAIANO) (ALGODÃO COM IRRIGAÇÃO COMPLEMENTAR NO CERRADO BAIANO) Pedro Brugnera* A história do algodão tecnificado no oeste da Bahia,

Leia mais

Recuperação de pastagens degradadas para sistemas intensivos de produção de bovinos

Recuperação de pastagens degradadas para sistemas intensivos de produção de bovinos ISSN 1516-4111X Recuperação de pastagens degradadas para sistemas intensivos de produção de bovinos 38 São Carlos, SP Março, 2005 Autor Patrícia Perondi Anchão Oliveira, Dra., Pesquisadora da Embrapa Pecuária

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

RELATÓRIO DE PLANTIO. Código: 10/2011

RELATÓRIO DE PLANTIO. Código: 10/2011 Código: 10/2011 Propriedade: Chácara Paraíso Coordenadas (UTM): 556100 L 7662900 S Número de mudas plantadas: 240 (Duzentos e Quarenta) Datas do plantio: 01, 03 e 04 de novembro de 2011 Patrocinador(es):

Leia mais

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório:

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório: Guia de sustentabilidade na produção de soja na Agricultura Familiar Relatório individual NOME: Prezado senhor (a), Em primeiro lugar, no nome dacoopafi, da Gebana e da Fundação Solidaridad,gostaríamos

Leia mais

A SOJA NO BRASIL. Engº Agrº Amélio Dall Agnol Embrapa Soja, Londrina, PR

A SOJA NO BRASIL. Engº Agrº Amélio Dall Agnol Embrapa Soja, Londrina, PR A SOJA NO BRASIL Engº Agrº Amélio Dall Agnol Embrapa Soja, Londrina, PR O que vamos abordar nesta apresentação 1. Desenvolvimento da soja no Brasil. 2. Razões do deu rápido desenvolvimento. 3. Importância

Leia mais

FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ

FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ Carlos Augusto Oliveira de ANDRADE 1 ; Rubens Ribeiro da SILVA. 1 Aluno do Curso

Leia mais

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NOS SISTEMAS DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTAiLPF

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NOS SISTEMAS DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTAiLPF INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NOS SISTEMAS DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTAiLPF Ramon c. Alvarenqa': Miguel M. Gontijo Neto 1 1 Eng. Agrônomo, DSc, Pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo Sistemas integrados

Leia mais

Integração Lavoura- pecuária- Floresta = ilpf

Integração Lavoura- pecuária- Floresta = ilpf Integração Lavoura- pecuária- Floresta = ilpf O Futuro da Agropecuaria Brasileira Armindo Neivo Kichel. Eng.Agrônomo, M.Sc. Pesquisador da Embrapa Gado de Corte Bebedouro- SP, dia 21 de Setembro de 2012

Leia mais

Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas

Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas Seminário de Avaliação de Impacto sobre as Adaptações da Agricultura Dakar, 26 a 29 de abril de 2011 Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas KLEBER SANTOS Brasília, 27 de abril de 2011

Leia mais

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa Julho/2013 1 Confinamento - sistema de criação onde lotes de animais são encerrados em piquetes ou currais com área restrita

Leia mais

Título da Pesquisa: QUALIDADE DO SOLO E ESTOQUES DE CARBONO SOB ILP NO TOCANTINS

Título da Pesquisa: QUALIDADE DO SOLO E ESTOQUES DE CARBONO SOB ILP NO TOCANTINS RELATÓRIO PARA AUXÍLIO DE PESQUISA Projeto Agrisus No: PA 1199/13 Título da Pesquisa: QUALIDADE DO SOLO E ESTOQUES DE CARBONO SOB ILP NO TOCANTINS Interessado (Coordedor do Projeto): Elisandra Solange

Leia mais

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2013 MUNDO A economia mundial cada vez mais globalizada tem sido o principal propulsor responsável pelo aumento da produção de soja. Com o aumento do

Leia mais

PLANEJAMENTO DA PROPRIEDADE RURAL FAMILIAR Proposta de Treinamento Prático/ Teórica Roteiro para o instrutor

PLANEJAMENTO DA PROPRIEDADE RURAL FAMILIAR Proposta de Treinamento Prático/ Teórica Roteiro para o instrutor PLANEJAMENTO DA PROPRIEDADE RURAL FAMILIAR Proposta de Treinamento Prático/ Teórica Roteiro para o instrutor CURITIBA, SETEMBRO DE 2004 2 PLANEJAMENTO DA PROPRIEDADE RURAL Proposta de Treinamento Prático/

Leia mais

USO DO SOLO EM SISTEMAS CONSERVACIONISTAS PARA O CULTIVO DE PERENES

USO DO SOLO EM SISTEMAS CONSERVACIONISTAS PARA O CULTIVO DE PERENES USO DO SOLO EM SISTEMS CONSERVCIONISTS PR O CULTIVO DE PERENES Pedro ntonio Martins uler Eng. gr., Dr., Pesquisador - IPR Área de Fitotecnia / Fruticultura III Reunião Paranaense de Ciência do Solo Londrina,

Leia mais

A inserção do cultivo do arroz irrigado na Agricultura de Baixo Carbono do Plano Agrícola e Pecuário, Safra 2013/14

A inserção do cultivo do arroz irrigado na Agricultura de Baixo Carbono do Plano Agrícola e Pecuário, Safra 2013/14 A inserção do cultivo do arroz irrigado na Agricultura de Baixo Carbono do Plano Agrícola e Pecuário, Safra 2013/14 Eng. Agr. Sérgio Iraçu Gindri Lopes Gerente da Divisão de Pesquisa Estação Experimental

Leia mais

RELATÓRIO PARA AUXÍLIO DE EVENTO

RELATÓRIO PARA AUXÍLIO DE EVENTO Projeto Agrisus Nº: 1626/15 RELATÓRIO PARA AUXÍLIO DE EVENTO Nome do Evento: 6º Dia de Campo do Portal Ciência do Solo Qual o caminho para altas produtividades de soja? Interessado (Coordenador do Projeto):

Leia mais

Integração Lavoura-Pecuária-ILP

Integração Lavoura-Pecuária-ILP Integração Lavoura-Pecuária-ILP Evolução da Produção e da Área Plantada de Grãos - Brasil 144,1 149,0 131,8 135,1 123,2 119,1 114,7 122,5 PRODUÇÃO (milhões de t) +157,3% = 4,8% aa 100,3 96,8 68,4 68,3

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO E SUSTENTABILIDADE DEPROS

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO E SUSTENTABILIDADE DEPROS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO E SUSTENTABILIDADE DEPROS COORDENAÇÃO DE MANEJO SUSTENTÁVEL DOS SISTEMAS PRODUTIVOS - CMSP Plano Agricultura

Leia mais

Produção de Leite a Pasto

Produção de Leite a Pasto Produção de Leite a Pasto Levar o gado ao pasto e não o pasto ao gado Menor custo, redução da mão-de-obra Mais saúde para os animais Menor impacto ambiental Maior rentabilidade PRODUÇÃO DE LEITE A PASTO

Leia mais

Aplicação de Nitrogênio em Cobertura no Feijoeiro Irrigado*

Aplicação de Nitrogênio em Cobertura no Feijoeiro Irrigado* ISSN 1678-9636 Aplicação de Nitrogênio em Cobertura no Feijoeiro Irrigado* 49 O feijoeiro é uma das principais culturas plantadas na entressafra em sistemas irrigados nas regiões Central e Sudeste do Brasil.

Leia mais

Sistemas de manejo do solo

Sistemas de manejo do solo Sistemas de manejo do solo Introdução Uso e preparo do solo O arado. Evolução dos conhecimentos de uso e manejo do solo. O Ecossistema tropical Temperatura elevada e solos muito imteperizados 1 Sistemas

Leia mais

tecnologia Engenharia Agrícola y

tecnologia Engenharia Agrícola y tecnologia Engenharia Agrícola y Caetano Barreira / olhar imagem 64 z março DE 2015 A contribuição do campo Irrigação com água tratada de esgoto diminui a retirada dos mananciais e economiza fertilizantes

Leia mais

Aregião de Cerrados no Brasil Central, ao longo

Aregião de Cerrados no Brasil Central, ao longo 103 Trigo no Brasil começa nos Cerrados Márcio Só e Silva Aregião de Cerrados no Brasil Central, ao longo dos anos, tem procurado opções de culturas para melhorar, tanto agronomicamente quanto economicamente,

Leia mais

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE

MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE MILHO TRANSCÊNICO: CADA VEZ MAIS PRESE A Fundação Pró-Sementes aponta que um dos grandes problemas encontrados nos arrozais é a forte atuação de plantas invasoras, que são de difícil controle, prejudicando

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Efeito da Distância Entre as Linhas da Cultura e o Renque de Eucalipto Sobre o Rendimento de Grãos e Forragem do

Leia mais

Embasamento técnico de projetos de conservação do solo para atendimento da legislação. Isabella Clerici De Maria Instituto Agronômico

Embasamento técnico de projetos de conservação do solo para atendimento da legislação. Isabella Clerici De Maria Instituto Agronômico Embasamento técnico de projetos de conservação do solo para atendimento da legislação Isabella Clerici De Maria Instituto Agronômico Áreas Agrícolas Diferentes situações Aspectos que devem ser vistos em

Leia mais

ILPF. Integração Lavoura-Pecuária-Floresta. Experiências da Embrapa Agrossilvopastoril

ILPF. Integração Lavoura-Pecuária-Floresta. Experiências da Embrapa Agrossilvopastoril ILPF Integração Lavoura-Pecuária-Floresta Experiências da Embrapa Agrossilvopastoril Maurel Behling Eng.º Agr.º, D. Sc. Solos em Nutrição de Plantas Pesquisador Sistemas Integrados de Produção Tópicos

Leia mais

Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil

Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil Universidade de São S o Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Zootecnia Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil Prof. Dr. Moacyr Corsi Eng Agro.

Leia mais

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA Valter de Oliveira Neves Júnior 1 ; Zélio de Lima Vieira 1 ; Tiago Trevizam de Freitas 1 ; Edgar Rodrigues Marques 1 ; Paulo César

Leia mais

FERTILIZANTES, ESCOLHA DE FÓRMULAS E TIPOS DE ADUBOS

FERTILIZANTES, ESCOLHA DE FÓRMULAS E TIPOS DE ADUBOS FERTILIZANTES, ESCOLHA DE FÓRMULAS E TIPOS DE ADUBOS Absorção plantas Prof. Dilmar Baretta (UDESC/CEO) & Profa. Carolina Baretta (UDESC/CEO/UNOCHAPECÓ) Roteiro da aula: 1) Noções de fertilizantes e escolha

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia Universidade Federal de Uberlândia Júlio Cézar Pessanha Rangel Júnior Relatório de Viagem ao estado do Mato Grosso do Sul Relatório de visitas à Embrapa Gado de Corte e propriedades da região Uberlândia

Leia mais

Professora Dra.Jussara dos Santos Rosendo Orientadora e Professora -Universidade Federal de Uberlândia UFU E-mail: jussara@facip.ufu.

Professora Dra.Jussara dos Santos Rosendo Orientadora e Professora -Universidade Federal de Uberlândia UFU E-mail: jussara@facip.ufu. O Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC) no Município de Ituiutaba MG Laíza Castro Brumano Viçoso Bolsista de IC/ FAPEMIG - Universidade Federal de Uberlândia UFU E-mail: laizabrumano@hotmail.com

Leia mais

Sistemas de Integração Lavoura Pecuária e Floresta -ILPF

Sistemas de Integração Lavoura Pecuária e Floresta -ILPF Sistemas de Integração Lavoura Pecuária e Floresta -ILPF Simpósio Brasileiro de Solos Arenosos P. Prudente, 01-03 de outubro de 2014 João K. joao.kluthcouski@embrapa.br Brasil = 851.487.659 ha Pastagens,

Leia mais

TAXA DE LOTAÇÃO EM PASTAGEM DE TIFTON 85 SOB MANEJO DE IRRIGAÇÃO E SEQUEIRO NO PERÍODO DA SECA*

TAXA DE LOTAÇÃO EM PASTAGEM DE TIFTON 85 SOB MANEJO DE IRRIGAÇÃO E SEQUEIRO NO PERÍODO DA SECA* TAXA DE LOTAÇÃO EM PASTAGEM DE TIFTON 85 SOB MANEJO DE IRRIGAÇÃO E SEQUEIRO NO PERÍODO DA SECA* SENE. G. A. 1 ; JAYME. D. G.²; BARRETO. A. C. 2 ; FERNANDEZ. L. O. 3, OLIVEIRA. A. I. 4 ; BARBOSA. K. A.

Leia mais

Comunicado Técnico 06

Comunicado Técnico 06 Comunicado Técnico 06 ISSN 2177-854X Agosto. 2010 Uberaba - MG Irrigação de Pastagens Instruções Técnicas Responsáveis: André Luis Teixeira Fernandes; E-mail: andre.fernandes@fazu.br Engenheiro Agrônomo;

Leia mais

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 Pergunta fundamental 1 Quanto custa produzir um quilo de carne????????? Pergunta fundamental 2 O que produz o pecuarista?

Leia mais

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica

Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Soja: elevação dos preços da convencional/transgênica deve dificultar incremento da orgânica Produção mundial deve recuar em 2007/08 Segundo o relatório de oferta e demanda divulgado pelo Usda em setembro

Leia mais

Biodiversidade como bioindicadora da qualidade do solo no Paraná

Biodiversidade como bioindicadora da qualidade do solo no Paraná Biodiversidade como bioindicadora da qualidade do solo no Paraná George G. Brown Lenita J. Oliveira Vanesca Korasaki Antônio A. dos Santos Macroprograma 2: Competitividade e Sustentabilidade Número do

Leia mais

Avaliação do efeito de tipos de manejos de solo nos atributos físicos de solo, após seis safras

Avaliação do efeito de tipos de manejos de solo nos atributos físicos de solo, após seis safras Avaliação do efeito de tipos de manejos de solo nos atributos físicos de solo, após seis safras Silvio Tulio Spera 1, Henrique Pereira dos Santos 2, Renato Serena Fontaneli 3, Georgia Luiza Maldaner 4

Leia mais

RELATÓRIO TÈCNICO. Técnico: João Adolfo Kasper. Período de Viagem:19/06/2005 á 25/06/2005

RELATÓRIO TÈCNICO. Técnico: João Adolfo Kasper. Período de Viagem:19/06/2005 á 25/06/2005 RELATÓRIO TÈCNICO Técnico: João Adolfo Kasper Período de Viagem:19/06/2005 á 25/06/2005 Objetivo: Realizar o 5º Levantamento da Safra 2004/2005 sendo a 3ª avaliação para as culturas, Arroz Sequeiro, Milho

Leia mais

ANÁLISE DA REDE METEOROLÓGICA DA BAHIA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NO SEMIÁRIDO BAIANO

ANÁLISE DA REDE METEOROLÓGICA DA BAHIA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NO SEMIÁRIDO BAIANO ANÁLISE DA REDE METEOROLÓGICA DA BAHIA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NO SEMIÁRIDO BAIANO Selma Barbosa Bastos Universidade Estadual de Feira de Santana selmabbastos@gmail.com Manuel Cabalar

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANTIO DIRETO E DO PLANTIO CONVENCIONAL E AS SUAS RELAÇÕES COM O MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO

A IMPORTÂNCIA DO PLANTIO DIRETO E DO PLANTIO CONVENCIONAL E AS SUAS RELAÇÕES COM O MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO A IMPORTÂNCIA DO PLANTIO DIRETO E DO PLANTIO CONVENCIONAL E AS SUAS RELAÇÕES COM O MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO Admir Bortoleti Junior (Discente do Curso de Agronomia/AEMS) Luiz Gustavo Gonçalves (Discente

Leia mais

Prof. José Roberto e Raphaella. 6 anos.

Prof. José Roberto e Raphaella. 6 anos. Prof. José Roberto e Raphaella. 6 anos. Solo É a camada mais estreita e superficial da crosta terrestre, a qual chamamos habitualmente de Terra. Essa parte da crosta terrestre esta relacionada à manutenção

Leia mais

(67) 3471-1173 / (67) 9643-1999 e-mail: agro.neri@hotmail.com

(67) 3471-1173 / (67) 9643-1999 e-mail: agro.neri@hotmail.com Inscrição CNPJ.: 18.603.382/0001-03 - Inscrição Estadual: 28.389.383-4 VIABILIDADE DE IRRIGAÇÃO X BOVINOCULTURA DE CORTE A distribuição de água de maneira artificial em pastagens por meio de irrigação

Leia mais

Avaliação da qualidade do solo sob diferentes arranjos estruturais do eucalipto no sistema de integração lavoura-pecuária-floresta

Avaliação da qualidade do solo sob diferentes arranjos estruturais do eucalipto no sistema de integração lavoura-pecuária-floresta Avaliação da qualidade do solo sob diferentes arranjos estruturais do eucalipto no sistema de integração lavoura-pecuária-floresta Larissa Silva Melo 2, Ramon Costa Alvarenga 3. 1 Trabalho financiado pela

Leia mais

Manejo de Pastagens e Suplementação na Pecuária. Ari José Fernades Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS

Manejo de Pastagens e Suplementação na Pecuária. Ari José Fernades Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS 1 Manejo de Pastagens e Suplementação na Pecuária Ari José Fernades Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS 2 PECUÁRIA NO MUNDO GRAFICO 1: REBANHO MUNDIAL EM 2.008 78,1 17,8 26,5 29,9 51,2 87,0 96,5 138,90 281,9

Leia mais

Diferimento de pastagens para animais desmamados

Diferimento de pastagens para animais desmamados Diferimento de pastagens para animais desmamados Marco Antonio Alvares Balsalobre Eng. Agrônomo doutor em Ciência Animal e Pastagens Diretor de Produto da Bellman Nutrição Animal LTDA Mirella Colombo Moscardini

Leia mais

9 PRÁTICAS CULTURAIS

9 PRÁTICAS CULTURAIS 9 PRÁTICAS CULTURAIS 9.1 PREPARO DO SOLO Preparo do Solo Quando realizado de maneira incorreta, leva rapidamente àdegradação das características do solo, culminando com o declínio paulatino do seu potencial

Leia mais

AQUECIMENTO GLOBAL. Ações que o setor hortifrutícola deve realizar para se proteger das mudanças climáticas CAPA

AQUECIMENTO GLOBAL. Ações que o setor hortifrutícola deve realizar para se proteger das mudanças climáticas CAPA CAPA AQUECIMENTO GLOBAL Ações que o setor hortifrutícola deve realizar para se proteger das mudanças climáticas Por Mônica Georgino Um dos maiores desafios da humanidade no século 21 é aprender a lidar

Leia mais

INFLUÊNCIA DA ADUBAÇÃO ORGÂNICA NOS ATRIBUTOS FÍSICOS DE UM NEOSSOLO QUARTZARÊNICO CULTIVADO COM EUCALIPTO.

INFLUÊNCIA DA ADUBAÇÃO ORGÂNICA NOS ATRIBUTOS FÍSICOS DE UM NEOSSOLO QUARTZARÊNICO CULTIVADO COM EUCALIPTO. INFLUÊNCIA DA ADUBAÇÃO ORGÂNICA NOS ATRIBUTOS FÍSICOS DE UM NEOSSOLO QUARTZARÊNICO CULTIVADO COM EUCALIPTO. Bruno Marchió 1, Talles Eduardo Borges dos Santos 2, Jânio Goulart dos Santos 3 ; Andrisley Joaquim

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PLANTIO E ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PLANTIO E ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS CONSIDERAÇÕES SOBRE O PLANTIO E ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS Claudio Ramalho Townsend 1 Newton de Lucena Costa 2 Ricardo Gomes de Araujo Pereira 1 Na tomada de decisão sobre a formação e/ou reforma de

Leia mais

Políticas Públicas para o Desenvolvimento Agropecuário no Brasil

Políticas Públicas para o Desenvolvimento Agropecuário no Brasil Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo - SDC Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA Políticas Públicas para o Desenvolvimento Agropecuário no Brasil Reunião Regional

Leia mais

Integração Lavoura-Pecuária: uma nova visão. Federacite Grupo de Pesquisa em Ecologia do Pastejo. Paulo C. de F. Carvalho UFRGS

Integração Lavoura-Pecuária: uma nova visão. Federacite Grupo de Pesquisa em Ecologia do Pastejo. Paulo C. de F. Carvalho UFRGS Federacite Grupo de Pesquisa em Ecologia do Pastejo Integração Lavoura-Pecuária: uma nova visão Paulo C. de F. Carvalho UFRGS PRODUÇÃO INTEGRADA DE SISTEMAS AGROPECUÁRIOS EM MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS Fderacite:

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DA APTIDÃO AGRÍCOLA

CLASSIFICAÇÃO DA APTIDÃO AGRÍCOLA 3 CASSIICAÇÃO DA APTIDÃO AGRÍCOA O enquadramento das terras em classes de aptidão resulta da interação de suas condições agrícolas, do nível de manejo considerado e das exigências dos diversos tipos de

Leia mais

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca.

de inverno que viraram opção para o pecuarista da região para conseguir ter pasto na época da seca. CUSTO DE PRODUÇÃO DE BOVINOCULTURA DE CORTE EM GUARAPUAVA/PR Com a iniciativa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (SENAR) e o Centro

Leia mais

Asustentabilidade do setor agropecuário está diretamente

Asustentabilidade do setor agropecuário está diretamente INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA: ENEFÍCIOS DAS GRAMÍNEAS PERENES NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO Carlos Alexandre Costa Crusciol 1 Rogério Peres Soratto 2 Emerson orghi 3 Gustavo Pavan Mateus 4 1. INTRODUÇÃO Asustentabilidade

Leia mais