WEBLOGS COMO FERRAMENTAS DE SOCIABILIDADE: A EXPERIÊNCIA DO WEBLOG JUVENTUDE CLICHÊ NA CONSTRUÇÃO COLETIVA DE CONTEÚDO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "WEBLOGS COMO FERRAMENTAS DE SOCIABILIDADE: A EXPERIÊNCIA DO WEBLOG JUVENTUDE CLICHÊ NA CONSTRUÇÃO COLETIVA DE CONTEÚDO"

Transcrição

1 Mídias Sociais, Saberes e Representações Salvador - 13 e 14 de outubro de 2011 WEBLOGS COMO FERRAMENTAS DE SOCIABILIDADE: A EXPERIÊNCIA DO WEBLOG JUVENTUDE CLICHÊ NA CONSTRUÇÃO COLETIVA DE CONTEÚDO Fábio Carvalho dos Santos 1 Julianna Nascimento Torezani 2 Resumo: Aborda características da Internet como uma rede fundamentada na coletividade e o desenvolvimento de aplicações que facilitam e organizam o processo de criação e publicação de conteúdo no ambiente on-line. Destacando os weblogs como importantes e democráticos veículos de comunicação da atualidade, evidencia a experiência do weblog Juventude Clichê como instrumento de sociabilidade que incentiva, de maneira coletiva, a construção de conteúdo e o compartilhamento de conhecimentos entre um determinado público na Internet. Palavras-chave: Internet, sociabilidade, weblogs. Abstract: Discusses features of the Internet as a network based on community and the development of applications that facilitate and organize the process of creating and publishing content in an online environment. Highlighting weblogs as important and democratic means of communication today, highlights the experience of Youth Cliché weblog as an instrument of socialization that encourages, collectively, the construction of content and knowledge sharing among a particular audience on the Internet. Keywords: Internet, sociability, weblogs. Introdução Desde o seu surgimento, a Internet vem provocando inúmeras mudanças no campo da comunicação. Criada inicialmente para fins bélicos, não se condicionou a limitada função de estabelecer contatos entre bases militares específicas (CASTELLS, 1999; PINHO 2003), colaboradores visionários enxergaram na nova tecnologia inúmeras potencialidades, transformando-a em uma das maiores e mais bem sucedidas infra-estruturas para a comunicação. Na última década, a Internet vem se firmando como uma tecnologia de 1 Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela União Metropolitana de Educação e Cultura. Graduando em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Santa Cruz. 2 Coordenadora e docente do curso de Comunicação social Jornalismo da União Metropolitana de Educação e Cultura das disciplinas Fotografia e Fotojornalismo. Mestre em Cultura e Turismo, Bacharel em Comunicação Social Rádio e TV.

2 informação que abre novas perspectivas à sociedade do futuro, propiciando o surgimento de conceitos e estruturas comunicacionais que, constantemente, reorganizam a sociedade na medida em que surgem novos recursos adaptados à rede (DIZARD JR, 2000; LEMOS 2004). Reflexos do surgimento de novas ferramentas para Internet não se restringem apenas às melhorias tecnológicas, como a rapidez na troca de informações, proporcionam também reformulações em campos sociais e profissionais, permitindo a exploração de novos canais de comunicação adaptados aos recursos hipermidiáticos. Os weblogs, ferramentas que facilitam a publicação de conteúdo no meio on-line, vêm conquistando cada vez mais adeptos, ampliando significativamente a participação na construção da informação e compondo veículos de mídia mais democráticos para inserção de conteúdo dos mais variados na rede (ORDUÑA et al. 2007; AMARAL et al. 2009). O weblog Juventude Clichê, como exemplo de um ambiente sócio virtual com as dinâmicas características da Internet, permite, através do recurso CMS (Content Management System Sistema de Gerenciamento de Conteúdo), a participação e colaboração dos seus usuários para construção coletiva de conteúdo, incentivando a sociabilidade para troca de conhecimentos e experiências, constituindo assim um potencial comunicativo devido à sua capacidade interativa, hipertextual e hipermidiática. Internet: a descentralizada rede da coletividade Ao longo da década de 1960 surgem conceitos fundamentais do que hoje conhecemos como Internet. No auge da Guerra Fria e de uma disputa tecnológica militar entre os Estados Unidos e a União Soviética, os norte-americanos desenvolvem a ARPAnet, uma rede de computadores com o objetivo de manter um sistema de comunicação descentralizado entre as principais bases militares dos Estados Unidos (CASTELLS, 2003). Posteriormente, a integração de universidades norte-americanas ao projeto ARPAnet acresceu fins acadêmicos através da difusão e compartilhamento de informações e resultados (PINHO, 2003), colaborações da comunidade científica e dos estudantes de ciência da computação permitiram o desenvolvimento de aplicações que foram essenciais para expansão da rede que inicia seu processo evolutivo tendo como base fundamentos da liberdade de pensamento e inovação. A história da criação e do desenvolvimento da Internet é a história de uma aventura humana extraordinária. Ela põe em relevo a capacidade que têm as pessoas de transcender metas institucionais, superar barreiras burocráticas e subverter valores estabelecidos no processo de inaugurar um mundo novo. Reforça também a idéia de

3 que a cooperação e a liberdade de informação podem ser mais propicias à inovação do que a competição e os direitos de propriedade (CASTELLS, 2003, p. 13). Caracterizada por uma arquitetura aberta que proporcionou cooperação mútua, a Internet ganha força a partir de um desenvolvimento autônomo. Hoje, de acordo com Dizard Jr. (2000, p ), estamos vivendo a terceira transformação na mídia de massa e, nas palavras do autor, essa transformação envolve uma transição para a produção, armazenagem e distribuição de informação e entretenimento estruturadas em computadores, representando uma das mais importantes ferramentas para a informação das últimas décadas. Para Lemos (2004, p. 12), a Internet encarna a presença da humanidade a ela própria, já que todas as culturas, todas as disciplinas, todas as paixões aí se entrelaçam, estabelecendo uma conectividade não-hierárquica que proporciona uma variedade de conteúdo que se multiplica na medida em que computadores podem se beneficiar uns dos outros, transformando-se em uma gigante infra-estrutura denominada ciberespaço. O modelo informatizado, cujo exemplo é ciberespaço, é aquele onde a forma do rizoma (redes digitais) se constitui numa estrutura comunicativa de livre circulação de mensagens, agora não mais editada por um centro, mas disseminada de forma transversal e vertical, aleatória e associativa. A nova racionalidade dos sistemas informatizados age sobre um homem que não mais recebe informações homogêneas de um centro editor-coletor-distribuidor, mas de forma caótica, multidirecional, entrópica, coletiva e, ao mesmo tempo, personalizada (LEMOS, 2004, p. 70). A Internet é uma organização social mais democrática, fomentada pela elaboração, processamento e transmissão de informações que circulam de forma livre no extenso mundo do ciberespaço, como afirma Santaella (2007, p. 15), ao dizer que através do ciberespaço o homem tem a possibilidade de se relacionar com todos e incluir a todos, reunindo inúmeras faces em um objetivo comum, objetivo esse amparado por uma hipertextualidade que, segundo Johnson (2001, p. 84), sugere uma nova gramática de possibilidades, uma nova maneira de escrever e narrar, provocando mudanças até mesmo na forma como as pessoas se comunicam umas com as outras. A comunicação mediada por computador (CMC) é um fenômeno real que desempenha uma função cada vez mais definitiva na formação da futura cultura, alcançando toda a esfera de atividades sociais (CASTELLS, 1999), proporcionando interação em um processo dinâmico característico da Internet. De acordo com Recuero (2009, p. 80), os processos dinâmicos das redes são consequência direta dos processos de interação entre os seus atores e a possibilidade de personalização no meio virtual propicia o surgimento de segmentos denominados redes sociais, que Castells (1999, p. 385) define como uma rede eletrônica de comunicação

4 interativa autodefinida, organizada em torno de um interesse ou finalidade compartilhados. Compondo um ambientes em que o ponto forte é a troca de informações, as redes sociais permitem a comunicação de muitos para muitos graças aos recursos de interatividade que se interligam às funcionalidades do computador pessoal e da Internet, tornando possível a elaboração dos mais variados tipos de ambientes interacionais. Novos usos da tecnologia, bem como as modificações reais nela introduzidas, são transmitidos de volta ao mundo inteiro, em tempo real. Assim, o intervalo entre o processo de aprendizagem pelo uso, e de produção pelo uso, é extraordinariamente abreviado, e o resultado é que nos envolvemos num processo de aprendizagem através da produção, num feed-back intenso entre a difusão e o aperfeiçoamento da tecnologia. Foi por isso que a Internet cresceu, e continua crescendo, numa velocidade sem precedentes, não só em número de redes, mas no âmbito de aplicações (CASTELLS, 2003, p. 28). A característica descentralizada e flexível da Internet oferece a usuários e profissionais da comunicação uma nova forma de interagir com a informação, consolidando-a não apenas como um processo comunicativo, mas também como uma prática social. Moldando novos produtos editoriais com baixo custo, grande abrangência, possibilidades de personalização e interatividade, dentre as ferramentas que acoplam as características e funcionalidades da atual Internet, estão os weblogs, ambientes virtuais para produção de conteúdo e socialização que evoluíram na velocidade das inovações trazidas pela Internet. Weblogs e o CMS: ferramentas para informação, integração e socialização virtual Weblogs ou blogs são páginas pessoais da web que possibilitaram a todos publicar na rede (ORDUÑA et al., 2007), facilitando a criação, manutenção e publicação de informações através de um CMS (Content Managemente System - Sistema de Gerencialmente de Conteúdo). Consolidando-se como uma eficaz e democrática forma de comunicação, os weblogs estão entre os mais populares serviços disponibilizados na rede mundial de computadores e vêm, inclusive, remodelando todo um conservadorismo jornalístico histórico ao mudar significativamente o discurso em prol de um hipertexto cuja informação esteja disponível a participaçãos dos leitores. Segundo Amaral et al. (2009, p. 29), uma das primeiras apropriações que rapidamente se seguiu à popularização dos weblogs foi o uso como diários pessoais, utilizados como espaços de expressão pessoal, publicação de relatos,

5 experiências e pensamentos, compondo assim mecanismos para o desenvolvimento de diversos gêneros do discurso. Um Content Management System (Sistema de Gerencialmente de Conteúdo), popularmente conhecido pela sigla CMS, é a ferramenta que permite ao usuário gerar de maneira dinâmica os elementos que fazem parte de um site, desde a criação de páginas, a redação, o design e os arquivos até as licenças (ORDUÑA et al., 2007, p. 22). O blog integrado ao CMS quebrou barreiras e obstáculos impostos por técnicas avançadas de programação voltadas para web, facilitando e incentivando a criação de conteúdo on-line. A rotina para elaboração e manutenção de um espaço na Internet passa a ser automatizada e composta por uma interface com manuseio simplificado para o usuário, organizando a estrutura das postagens em forma cronologicamente inversa e oferecendo uma gama de utilidades para edição de conteúdo e incorporação de diversos formatos de mídia, caracterizando-se como uma ferramenta hipermidiática e versátil que se adaptou às funcionalidades da Internet e às necessidades dos seus usuários. Pela rápida capacidade de distribuição e compartilhamento de informações, principalmente através da troca de links, que os blogs formam uma comunidade chamada blogosfera, que Orduña et al. (2007, p. 8) define como universo e cultura dos blogs. A diversidade de temáticas e sujeitos sociais envolvidos na comunidade da blogosfera faz com que ela se torne um importante sistema para medir o pulso da opinião dominante na Internet sobre quase qualquer tema, manifestando-se como uma relevante oportunidade para expor discursos e críticas que não encontram espaço nos tradicionais meios de comunicação (ORDUÑAS et al., 2007). As ferramentas digitais de edição e distribuição de conteúdo democratizam a comunicação ao permitir que um indivíduo com um computador possa partilhar de um universo com uma audiência ciberespacial quase infinita e, por integrar usuários pela conexão de ideias e conteúdos temáticos que os weblogs representam um democrático meio de comunicação para sociabilidade. Uma das características principais da tecnologia criada e distribuída em forma digital, potencializada pela configuração informacional em rede, é permitir que os meios de comunicação possam atingir os usuários e obter um feedback imediato. Por isso mesmo, há algum tempo, um dos tópicos centrais da comunicação digital tem sido o da interatividade (SANTAELLA, 2007, p. 151). A interatividade nos weblogs ocorre entre autores e leitores e entre os próprios leitores. A relação funcional em um weblog é pautada no pacto de leitura, ou seja, uma convenção entre duas ou mais pessoas propiciada pela temática abordada e, por serem

6 caracteristicamente temáticos, que os weblogs se destacam como grandes ambientes virtuais de interação e troca de informações. Os visitantes de um weblog procuram no veículo o ponto de vista e a temática de seu autor, a opinião expressa sem uma linha editorial prévia faz do blogueiro o principal componente para que se possa contextualizar previamente os objetivos do veículo. De acordo com Lemos (2004, p. 44), os weblogs constituem-se, atualmente, em um dos grandes elementos de modificação do jornalismo do ponto de vista tecnológico e da produção notícia on-line, apresentando-se como um meio de comunicação mais pessoal que proporciona uma resposta mais rápida em relação à interação entre emissor e receptor. Diante da realidade jornalística, os weblogs contribuem oferecendo funcionalidades que aumentam as fronteiras da realidade midiática, estabelecendo agendas que antes eram regidas exclusivamente pelos meios tradicionais. A efetiva aproximação dos weblogs com o jornalismo tem como marco inicial o ano de Embora ela já se rascunhasse alguns anos antes, com a criação dos primeiros blogs em meados da década de 1990, é em 2001, principalmente com os atentados terroristas às Torres Gêmeas do World Trade Center em 11 de setembro, que os weblogs passam a ter visibilidade para o grande público e, como consequência disso, passa a ser vislumbrada a função que eles poderiam ocupar no jornalismo (AMARAL et al., 2009, p. 199). Confirmado por Orduña et al. (2007), os atentados de 11 de setembro foram grandes responsáveis pela popularização dos weblogs, a partir desse acontecimento a ferramenta passa a ser vista como uma relevante fonte de informação, transformando-se em uma alternativa complementar diante da mídia tradicional. O jornalismo praticado nos weblogs, seja ele de qualquer segmento, funciona como uma conversação apurativa que desenvolveu o chamado jornalismo participativo ou jornalismo 3.0, em que, segundo Orduña et al. (2007, p. 57), a centralização dos meios de sua agenda, sua concentração, seu mercado e seu monopólio informativo, se transformam em um universo descentralizado, governado por pessoas que se tornam guias umas para as outras, ou seja, é o usuário comum manifestando sua opinião e construindo uma conversação na qual a participação da audiência on-line torna-se fundamental para que se possa concluir o discurso e a informação. No novo cenário da comunicação, as funções da blogosfera são múltiplas: um filtro social de controle e crítica dos meios de comunicação, um fator de mobilização social, um novo canal para as fontes convertidas em mídia, um novo formato aplicável às versões eletrônicas dos meios tradicionais para as coberturas extensas, catástrofes e acidentes, um enorme arquivo que opera como memória na web, o alinhamento privilegiado e sua alta densidade de links de entrada e saída e, finalmente, a grande conversação de múltiplas comunidades cujo objetivo comum é o conhecimento compartilhado (ORDUÑA et al., 2007, p. 9).

7 Os weblogs, assim como a sua progenitora, a Internet, possuem características que os diferenciam dos demais meios de comunicação por integrar, de forma funcional e através de um único meio, a rapidez, a hipertextualidade, a multimidialidade e a possibilidade de interatividade, constituindo assim importantes ferramentas de participação social. De acordo com Amaral et al. (2009, p. 13), dar voz a todos (liberação da emissão), permitir o compartilhamento e a troca de informações (conexão) são poderosas ferramentas políticas de transformação da vida social (reconfiguração) e, após inúmeras conquistas da nossa sociedade, percebemos a partir do surgimento da Internet e da ferramenta weblog o nascer de uma nova era para a comunicação, com a reformulação de todo um histórico de regras e padrões comunicacionais que precisaram se adaptar ao gigante e inovador mundo descentralizado do ciberespaço. O weblog Juventude Clichê: um espaço de interação social para construção coletiva de informação e conhecimento Disponível no endereço eletrônico o weblog Juventude Clichê demonstra as funcionalidades de utilização do veículo para as diversas funções da comunicação, destacando-se como uma mídia social 3 que possibilita a manutenção e a preservação de um espaço identitário para interação, difusão de informações e a troca de conhecimentos. Para Amaral et al. (2009, p. 8), os blogs são criados para os mais diversos fins, refletindo um desejo reprimido pela cultura de massa: o de ser ator na emissão, na produção de conteúdo e na partilha de experiências, com o advento da web o internauta passa a interagir e colaborar para construção desse ambiente dinâmico, não se limitando apenas à visualização do material que é disponibilizado. De acordo com Orduña et al., (2007, p. 6), o blog é um meio a princípio pessoal, que funciona sem editores e sem prazos, sem fins lucrativos, e que é escrito, em geral, pelo prazer de compartilhar informações ou como veículo de expressão, permitindo a reunião de temáticas de interesse do autor e a troca de informações e conhecimentos entre seus visitantes. 3 Ferramentas online que são usadas para divulgar conteúdo ao mesmo tempo em que permitem alguma relação com outras pessoas. Disponível em: < Acesso em: 7 ago O termo Web 2.0 é utilizado para descrever a segunda geração da World Wide Web - tendência que reforça o conceito de troca de informações e colaboração dos internautas com sites e serviços virtuais. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u20173.shtml>. Acesso em: 7 ago

8 Figura 1 Página inicial do weblog Juventude Clichê, disponível no endereço eletrônico <http://www.juventudecliche.com>. Acesso em 8 ago Caracterizado como um espaço sócio virtual para construção coletiva de informação e compartilhamento de conhecimentos e experiências, o weblog Juventude Clichê mostra as facilidades que a ferramenta weblog, integrada a um sistema CMS para gerenciamento de conteúdo, oferece para integração dos processos de criação e publicação na Internet. Como diz Lemos (2004, p. 111), a interação por interfaces gráficas é uma forma de empreender ações e, tendo como base esse fundamento, utilizando dos recursos da interatividade colaborativa, que o veículo promove e incentiva a produção de conteúdo voltado para um público-alvo que é composto em sua maioria por jovens. O termo clichê tem como um dos sinônimos o termo lugar-comum (HOUAISS, 2001), que melhor fundamenta a utilização da palavra para compor o título e os objetivos do weblog. Interligando à juventude contemporânea, o termo clichê é uma crítica a homogeneidade de práticas e ideologias impulsionadas por modismos temporários, impostos pela grande mídia e disseminadas de forma massificada na rede mundial de computadores, compondo assim parte significativa dos mais populares conteúdos voltados para o público jovem na Internet. O weblog não propõe um julgamento aos adeptos dos modismos contemporâneos, mas uma reflexão através de um espaço com recursos que promovem interação e participação, oferecendo oportunidades para a prática da escrita e expressão de

9 arte nos mais variados formatos, reforçando a ideia do ciberespaço como uma realidade virtual que integra meios de comunicação múltiplos (SANTAELLA, 2007) através da convergência de mídias na hipermidiática Internet, demonstrando a versatilidade da ferramenta weblog como uma mídia social que incentiva a produção intelectual na rede. O weblog Juventude Clichê utiliza o sistema de gerenciamento de conteúdo CMS Joomla 5, que é desenvolvido em uma plataforma Open Source (Código Aberto), que permite a colaboração de diversos usuários visando a sua melhoria funcional e técnica, reportando a ideia do surgimento da Internet, na qual recebeu inúmeras colaborações que possibilitaram a sua expansão. Apresentando-se ao usuário como um sistema facilitado de publicação, através de um editor de textos repleto de ícones, é compatível com os mais populares navegadores web e se integra-se ao weblog oferecendo uma interface intuitiva, prática, ágil e segura, possibilitando aos visitantes todas as praticidades para interagir com o meio através das suas publicações. Figura 2 Editor do CMS para publicação de conteúdo no weblog. Como afirma Recuero (2009, p. 84), weblogs coletivos dependem da cooperação entre todos os envolvidos para que continuem a existir, já que é preciso atualizar, ler 5 O Joomla é um CMS grátis e muito popular, desenvolvido e enriquecido por milhares de pessoas pelo mundo fora. O próprio termo Joomla origina da palavra "jumla" que em Arábico significa "todos juntos", o que corresponde perfeitamente com a natureza do projeto. Disponível em: <http://www.navegabem.pt/>. Acesso em: 10 ago

10 comentários e, sobretudo, dividir as informações. A possibilidade de participação e socialização através do weblog Juventude Clichê permite a construção da informação e a interação entre seus usuários, proporcionando o compartilhamento de ideias que se moldam aos objetivos do veículo e do seu público-alvo. As categorias para publicação de conteúdo funcionam como mecanismos de personalização, integrando temáticas que abordam segmentos como crônicas, cultura e arte, dicas de filmes e livros, juventude, opinião, poesias, política, sociedade e uma parte destinada a indicação de vídeos hospedados na rede. Fomentando a colaboração através dos diferentes tipos de abordagens que podem ser dadas aos mais variados tipos de assuntos, o weblog mantém, ao mesmo tempo, a característica pessoal (em que o autor encontra um espaço para encaixar as suas ideias) e social (por interagir e compartilhar essas ideias com outros autores e visitantes). De acordo com Santaella (2007, p. 162), as interfaces homem-máquina, especialmente nas configurações informacionais via rede, trouxeram profundas mudanças nas visões tradicionais de interatividade, através da convergência de recursos com múltiplas possibilidades, a interatividade torna o espaço mais participativo e faz com que os usuários se sintam parte do ambiente através da sua participação. No weblog Juventude Clichê a interatividade está presente na possibilidade de colaborar para construção do conteúdo, no recurso de comentários (que permite a participação de visitantes através de questionamentos e contribuições ao que é publicado) e também através do sistema de avaliação (em que os usuários determinam notas que variam de 0 a 5, representadas por estrelas), indicando previamente aos visitantes a qualidade e aceitação do material que é publicado. A interatividade também se faz presente na integração do produto com redes sociais como Orkut, Twitter e Facebook, ambientes que servem como extensões para assuntos abordados no weblog e como meios de divulgação. Redes sociais como Orkut e Twitter foram fundamentais para captura e conquista do público-alvo do weblog. Segundo Recuero (2009), o Orkut é um site de rede social que alcançou grande popularidade entre os internautas brasileiros por permitir a criação de perfis focados no interesse, com criação e participação em comunidades temáticas, agregando grupos que funcionam como fóruns de discussão, já o Twitter, de acordo Amaral el al. (2009, p. 15) permite um contato mais direto com pessoas de interesses similares, funcionando como uma página de recados instantâneos. No Orkut, a divulgação feita em comunidades com temáticas relacionadas à juventude atrai visitantes que se tornam membros do weblog e passam a participar por se identificar com a ideia do veículo, compondo assim uma mídia social na qual as redes sociais tem fundamental importância para composição do ambiente,

11 criando conexões entre usuários que se moldam aos objetivos do weblog por possuírem interesses em comum. Figura 3 Página inicial da comunidade Juventude Clichê no Orkut, disponível no endereço eletrônico <http:// Acesso em 15 ago A funcionalidade do weblog Juventude Clichê como mídia social e meio de comunicação capaz de unir pessoas com objetivos e ideias semelhantes é constatada pela sua versatilidade de integrar, permitir a participação e socializar o que é compartilhado por seus participantes. Interligando o termo Sociedade da Informação, do autor Manuel Castells (1999), ao conceito de Inteligência Coletiva, cunhado pelo autor Pierre Lévy (1998), o weblog alcança uma representatividade na rede mundial de computadores por conquistar usuários e constituir um meio de comunicação mais democrático, possuindo uma determinada audiência independente das tradicionais hierarquias comunicacionais. No tempo da Internet, o tempo real, o weblog Juventude Clichê transmite a sua mensagem, mobilizando seu públicoalvo através de uma cooperação voluntária e incentivando a produção intelectual como forma de expressão e compartilhamento de saberes, informando e construindo um conteúdo que se converte em memória na rede disponível para um público que pode ser o mundo inteiro.

12 Considerações finais Em um período de intensas disputas militares, políticas, econômicas e ideológicas, nasce o mais democrático meio de comunicação da história: a Internet. A cooperação científica, os investimentos em pesquisa e o compartilhamento de informações e resultados foram pontos fundamentais para o desenvolvimento de uma tecnologia que reconfigurou modos de ação e interação, dando novos sentidos aos conceitos de tempo e espaço. Interligando indivíduos em um ambiente próprio (o ciberespaço), através de uma cultura característica (a cibercultura) e de uma forma inovadora (hipertextual, hipermidiática), a Internet compõe uma gigante infra-estrutura fundamentada na construção coletiva do seu conteúdo e na busca por informações e conhecimentos de forma simples e rápida. Constituindo um novo modelo de comunicação, a Internet oferece uma gama de serviços e oportunidades graças a sua capacidade de produção, armazenamento e transmissão de informações. A sua multimidialidade permite a criação e integração de diversos recursos que ampliam a participação dos seus usuários e, é nesse contexto, que entram os weblogs, frutos das evoluções da Internet que atribuem funções ainda mais democráticas para construção e compartilhamento de conteúdo na rede mundial de computadores, pois permite que qualquer um possa disponibilizar e distribuir suas produções sem a necessidade de conhecimentos técnicos de aplicações web e vínculos com hierárquicos veículos de comunicação. Oferecendo uma nova forma de se comunicar e informar, os weblogs não se encaixam mais no simples conceito de diários virtuais, hoje, são poderosas ferramentas para transmitir informação. Atrelados a um Sistema de Gerenciamento de Conteúdo (CMS), vem reconfigurando a comunicação on-line por oferecer inúmeras funcionalidades através de um espaço para construção e distribuição de informação que vem conquistando uma ampla audiência, audiência composta por usuários que não se restringem à mera função de espectadores: eles interagem, questionam informações incoerentes e ajudam na construção do processo informacional no amplo e multifacetado mundo da web. O weblog Juventude Clichê, além de demonstrar a questão estrutural da ferramenta weblog e a versatilidade da utilização do CMS para gerenciamento do seu conteúdo, possibilita a expressão através de uma socialização moldada numa estrutura virtual fundamentada na comunicação e na interatividade para o compartilhamento de saberes, ajudando na compreensão das rotinas que permitem deixar um weblog ativo na rede e em destaque em meio à blogosfera. A ferramenta weblog resume funcionalmente a precursora

13 Internet e evolui junto com ela, elaborando novos valores sociais com a aplicação de novas rotinas e construção de novos fluxos de informação, por isso, entendê-la é essencial para compreender o processo de apropriação da Internet como mecanismo de informação e organização social na contemporaneidade. Referências AMARAL, Adriana; RECUERO, Raquel; MONTARDO, Sandra. (orgs). Blogs.com: estudos sobre blogs e comunicação. São Paulo: Momento, CASTELLS, Manuel. A Galáxia da Internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. 4. ed. Tradução de Roneide V. Majer. São Paulo: Paz e Terra, Título orginal: The rise of the network society. (A era da informação: economia, sociedade e cultura; v. 1). DIZARD Jr., Wilson. A nova mídia: a comunicação de massa na era da informação. Tradução de Antônio Queiroga e Edmond Jorge. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, JOHNSON, Steven. Cultura da interface: como o computador transforma nossa maneira de criar e comunicar. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, LEMOS, André. Cibercultura, tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. Tradução de Luiz P. Rouanet. São Paulo: Loyola, PINHO, J. B. Jornalismo na internet: planejamento e produção da informação on-line. 3. ed. São Paulo: Summus, ORDUÑA, Octavio I. Rojas et al. Blogs: revolucionando os meios de comunicação. São Paulo: Thomson, RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre. Sulina, SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço: o perfil do leitor imersivo. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2007.

Lucas Arantes Zanetti 1 Lívia Cadete da Silva 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP

Lucas Arantes Zanetti 1 Lívia Cadete da Silva 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP Movimentos sociais e internet: uma análise sobre as manifestações de 2013 no Brasil Lucas Arantes Zanetti 1 Lívia Cadete da Silva 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista,

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário SOUZA, Kauana Mendes 1 ; XAVIER, Cintia 2 Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná, PR RESUMO O projeto Portal

Leia mais

Participação política na internet: o caso do website Vote na web

Participação política na internet: o caso do website Vote na web Participação política na internet: o caso do website Vote na web Lívia Cadete da Silva 1 Lucas Arantes Zanetti 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP RESUMO

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS Anissa CAVALCANTE 2 Jessica WERNZ 3 Márcio CARNEIRO 4, São Luís, MA PALAVRAS-CHAVE: CMS, webjornalismo, TV Vila Embratel, comunicação 1 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz

Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz Autores: Ana Paula Bernardo Mendonça Ana Cristina da Matta Furniel Rosane Mendes da Silva Máximo Introdução

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

Museu virtual e redes sociais: Uma possibilidade de interação com a comunidade

Museu virtual e redes sociais: Uma possibilidade de interação com a comunidade 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO Gustavo Cançado de Azevedo O autor relaciona educação e tecnologia, tomando como ponto de partida a maneira com que os avanços

Leia mais

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG Moema Gomes Moraes 1 RESUMO: Este trabalho faz uma reflexão sobre os aspectos relacionados ao uso de Blogs no ensino de Matemática. Para isto, ele inicia fazendo uma reflexão

Leia mais

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil Samira NOGUEIRA 2 Márcio Carneiro dos SANTOS 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA

Leia mais

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Pedro Henrique SOUZA¹, Gabriel Henrique Geraldo Chaves MORAIS¹, Jessiara Garcia PEREIRA².

Leia mais

Proposta Revista MARES DE MINAS

Proposta Revista MARES DE MINAS SATIS 2011 Proposta Revista MARES DE MINAS 21/03/2011 A SATIS Índice 1 A Satis 1 A Proposta 1 Serviços 2 Mapa do Site 2 SEO 3 Sistema de gerenciamento de conteudo 4 Cronograma e Prazos 5 Investimento 6

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos

I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos LABORATÓRIO DE CONVERGÊNCIA DE MÍDIAS PROJETO DE CRIAÇÃO DE UM NOVO AMBIENTE DE APRENDIZADO COM BASE EM REDES DIGITAIS. 1 Palavras-chave: Convergência,

Leia mais

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Letícia BARROSO 2 Thaís PEIXOTO 3 Centro Universitário Fluminense Campus II- Campos/RJ RESUMO: A falta de espaço nos veículos convencionais

Leia mais

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 COSTA 2 Daiane dos Santos; FONSECA 3 Aurea Evelise dos Santos; ZUCOLO 4 Rosana Cabral 1 Trabalho submetido ao SEPE 2011 Simpósio

Leia mais

As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento

As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento Nirave Reigota Caram Universidade Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: nirave.caram@usc.br Comunicação Oral Pesquisa em Andamento

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

Web site Espia Amazonas 1

Web site Espia Amazonas 1 1 Web site Espia Amazonas 1 Lidiane CUNHA 2 Adália CORDEIRO 3 Breno CABRAL 4 Iara RODRIGUES 5 Marcela MORAES 7 Gabrielle NASCIMENTO 8 Faculdade Boas Novas, Manaus, AM RESUMO O web site Espia Amazonas foi

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org documento inicial Site preparatório FSM Dacar introdução Neste documento, a Ethymos apresenta uma

Leia mais

Cinco pontos sobre redes sociais na Internet

Cinco pontos sobre redes sociais na Internet Cinco pontos sobre redes sociais na Internet Por Raquel Recuero (*) Nos últimos anos, assistimos a um crescimento espantoso das chamadas tecnologias de comunicação. Essas tecnologias tornaram-se mais rápidas,

Leia mais

definição, conceitos e passo a passo

definição, conceitos e passo a passo Sites e blogs: definição, conceitos e passo a passo Ana Paula Bossler Pedro Zany Caldeira Diego Venturelli Introdução O suporte de comunicação mais utilizado em todo o mundo é a Internet, um repositório

Leia mais

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing 26 3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing O surgimento das mídias sociais está intimamente ligado ao fenômeno da geração de conteúdo pelo usuário e ao crescimento das redes sociais virtuais

Leia mais

UM PRODUTO EDUCATIVO PARA FAZER EDUCAÇÃO AMBIENTAL

UM PRODUTO EDUCATIVO PARA FAZER EDUCAÇÃO AMBIENTAL UM PRODUTO EDUCATIVO PARA FAZER EDUCAÇÃO AMBIENTAL Se, na verdade, não estou no mundo para simplesmente a ele me adaptar, mas para transformá-lo [...] devo usar toda possibilidade que tenha para não apenas

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

Proposta Concessionária Terra Nova Land Rover

Proposta Concessionária Terra Nova Land Rover SATIS 2011 Proposta Concessionária Terra Nova Land Rover 21/03/2011 A SATIS Índice 1 A Satis 1 A Proposta 1 Serviços 2 Mapa do Site 2 SEO 3 Sistema de gerenciamento de conteudo 4 Cronograma e Prazos 5

Leia mais

ANÁLISE DA CONVERGÊNCIA NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM

ANÁLISE DA CONVERGÊNCIA NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM ANÁLISE DA CONVERGÊNCIA NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM INTRODUÇÃO/DESENVOLVIMENTO Bruna Vieira de Oliveira Ricardo Rigaud Salmito 1 Esta pesquisa pretende analisar se a criação do site da rádio São Francisco

Leia mais

A DIVULGAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO ATRAVÉS DO SITE E DAS REDES SOCIAIS

A DIVULGAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO ATRAVÉS DO SITE E DAS REDES SOCIAIS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

Resenha. Fernanda Gabriela Gadelha ROMERO 1

Resenha. Fernanda Gabriela Gadelha ROMERO 1 Resenha As redes sociais na internet: instrumentos de colaboração e de produção de conhecimento (Redes Sociais na Internet. Raquel Recuero. Porto Alegre: Sulina, 2009) Fernanda Gabriela Gadelha ROMERO

Leia mais

NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO

NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO O QUE É MÍDIA DIGITAL? É conjunto de meios de comunicação baseados em tecnologia digital, permitindo a distribuição de informação na forma escrita, sonora

Leia mais

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Resumo: Dolores Follador Secretaria de Estado da Educação do Paraná e Faculdades Integradas do Brasil - Unibrasil doloresfollador@gmail.com

Leia mais

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web 2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web A eficiência da educação a distância (EAD) depende da contribuição de diversas disciplinas. É comum encontrarmos estudos nas áreas da ciência da computação,

Leia mais

INTELIGÊNCIA COLETIVA NA CONSTRUÇÃO DO SABER: aprendizagem em ambientes virtuais. 1

INTELIGÊNCIA COLETIVA NA CONSTRUÇÃO DO SABER: aprendizagem em ambientes virtuais. 1 INTELIGÊNCIA COLETIVA NA CONSTRUÇÃO DO SABER: aprendizagem em ambientes virtuais. 1 Laís Tolentino Muniz CAMPOS 2 Fernanda Gabriela Gadelha Romero 3 Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB RESUMO

Leia mais

Mídias sociais: novo modelo de marketing e comunicação

Mídias sociais: novo modelo de marketing e comunicação Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Mídias sociais: novo modelo de marketing e comunicação Maria Fazanelli Crestana (USP) - crestana@usp.br Eidi Raquel Franco Abdalla (FMUSP) - eidi@biblioteca.fm.usp.br Fabiola

Leia mais

Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1

Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1 Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1 Ediane Barbosa Oliveira 2 ECOS/UCPel Resumo: O trabalho busca um estudo sobre uma ferramenta estratégica do ciberespaço no meio da comunicação

Leia mais

REDES SOCIAIS. Profº Thiago Arantes

REDES SOCIAIS. Profº Thiago Arantes REDES SOCIAIS Profº Thiago Arantes Todos os direitos reservados - IAB 2014 - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros

Leia mais

REDES SOCIAIS. Prof. Thiago Arantes

REDES SOCIAIS. Prof. Thiago Arantes REDES SOCIAIS Prof. Thiago Arantes - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org documento inicial Portal do Fórum Social Mundial introdução Entendemos que um site como do Fórum

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

A experiência da Assessoria de Comunicação dos grupos de Educação Tutorial na UFJF 1

A experiência da Assessoria de Comunicação dos grupos de Educação Tutorial na UFJF 1 A experiência da Assessoria de Comunicação dos grupos de Educação Tutorial na UFJF 1 Isabela LOURENÇO 2 Caio Cardoso de QUEIROZ 3 Francisco José Paoliello PIMENTA 4 Universidade Federal de Juiz de Fora,

Leia mais

O que é educação a distância (*)

O que é educação a distância (*) O que é educação a distância (*) José Manuel Moran Professor da Universidade Bandeirante e das Faculdades Sumaré-SP Assessor do Ministério de Educação para avaliação de cursos a distância jmmoran@usp.br

Leia mais

ANEXO V À RESOLUÇÃO Nº XX/2015, DE XX DE XXXX DE 2015.

ANEXO V À RESOLUÇÃO Nº XX/2015, DE XX DE XXXX DE 2015. ANEXO V À RESOLUÇÃO Nº XX/2015, DE XX DE XXXX DE 2015. 1 OBJETIVO O objetivo deste documento é estipular um plano de ação para criar e gerenciar perfis do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Portal de conteúdos Linha Direta

Portal de conteúdos Linha Direta Portal de conteúdos Linha Direta Tecnologias Educacionais PROMOVEM SÃO Ferramentas Recursos USADAS EM SALA DE AULA PARA APRENDIZADO SÃO: Facilitadoras Incentivadoras SERVEM Necessárias Pesquisa Facilitar

Leia mais

Intranets e Capital Intelectual

Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual As mídias sociais ultrapassaram os limites da vida privada. Os profissionais são 2.0 antes, durante e depois do expediente. É possível estabelecer

Leia mais

COLIVRE Cooperativa de Tecnologias Livres www.colivre.coop.br contato@colivre.coop.br Telefone: (71) 3011-2199 CNPJ: 07.970.

COLIVRE Cooperativa de Tecnologias Livres www.colivre.coop.br contato@colivre.coop.br Telefone: (71) 3011-2199 CNPJ: 07.970. Razões para usar Noosfero como plataforma de rede social da USP COLIVRE Cooperativa de Tecnologias Livres www.colivre.coop.br contato@colivre.coop.br Telefone: (71) 3011-2199 CNPJ: 07.970.746/0001-77 Contato:

Leia mais

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Fernando César Lima Leite fernandodfc@gmail.com 1. A comunicação científica e sua importância Qualquer

Leia mais

FACULDADE SATC CURSO DE JORNALISMO PROJETO EDITORIAL PORTAL SATC

FACULDADE SATC CURSO DE JORNALISMO PROJETO EDITORIAL PORTAL SATC FACULDADE SATC CURSO DE JORNALISMO PROJETO EDITORIAL PORTAL SATC 1. Contexto A transmissão e o acesso às informações é uma preocupação constante do ser humano. Ser bem informado e informar bem são, portanto,

Leia mais

A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1. Thais CASELLI 2. Iluska COUTINHO 3

A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1. Thais CASELLI 2. Iluska COUTINHO 3 A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1 RESUMO Thais CASELLI 2 Iluska COUTINHO 3 Universidade Federal de Juiz De Fora, Juiz de Fora, MG Este trabalho verifica como é a

Leia mais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Cristina Novikoff c_novikoff@yahoo.com.br UNIGRANRIO Natália Xavier Pereira nxpereira@hotmail.com UNIGRANRIO Resumo:O uso da tecnologia

Leia mais

Blog NoRascunho 1. Andrew Philip Saldanha de FRANÇA 2 Melissa Cirne de Lucena 3 Universidade Potiguar, Natal, RN

Blog NoRascunho 1. Andrew Philip Saldanha de FRANÇA 2 Melissa Cirne de Lucena 3 Universidade Potiguar, Natal, RN Blog NoRascunho 1 Andrew Philip Saldanha de FRANÇA 2 Melissa Cirne de Lucena 3 Universidade Potiguar, Natal, RN RESUMO Como forma de registrar acontecimentos ligados a área da comunicação com um foco em

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais

. Indice. 1 Introdução. 2 Quem Somos. 3 O que Fazemos. 4 Planejamento. 5 Serviços. 6 Cases. 9 Conclusão

. Indice. 1 Introdução. 2 Quem Somos. 3 O que Fazemos. 4 Planejamento. 5 Serviços. 6 Cases. 9 Conclusão . Indice 1 Introdução 2 Quem Somos 3 O que Fazemos 4 Planejamento 5 Serviços 6 Cases 9 Conclusão . Introdução 11 Segundo dados de uma pesquisa Ibope de 2013, o Brasil ocupa a terceira posição em quantidade

Leia mais

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com. INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br 1. Introdução A rede mundial tem permitido novas práticas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Observatórios Virtuais

Observatórios Virtuais UNIVASF: UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE SÃO FRANCISCO TRABALHO DE ASTROFÍSICA ALUNO: PEDRO DAVID PEDROSA PROFESSOR: MILITÃO CURSO: MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA Observatórios Virtuais

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II Primeiro Trabalho Descrição do trabalho: Escrever um Documento de Visão. Projeto: Automatização do sistema que

Leia mais

Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar os princípios que se destacam como características da Web 2.0. INTRODUÇÃO

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

Monitoramento de Marcas no Twitter: Instituições de Ensino Superior Privadas de Salvador. Monitoramento de Marcas no Twitter: Inst.

Monitoramento de Marcas no Twitter: Instituições de Ensino Superior Privadas de Salvador. Monitoramento de Marcas no Twitter: Inst. Monitoramento de Marcas no Twitter: Instituições de Ensino Superior Privadas de Salvador Introdução A web contemporânea nos revela aspectos importantes no comportamento de seus usuários: produção e compartilhamento

Leia mais

Blog da House Comunicação entre a Agência Experimental e acadêmicos de Publicidade e Propaganda da FURB 1

Blog da House Comunicação entre a Agência Experimental e acadêmicos de Publicidade e Propaganda da FURB 1 Blog da House Comunicação entre a Agência Experimental e acadêmicos de Publicidade e Propaganda da FURB 1 Fernanda Bento ZEN 2 Joaquim Cardeal Junior 3 Fabricia Durieux ZUCCO 4 Venilton REINERT 5 FURB

Leia mais

Blogs na Educação: uma ferramenta de auxilio na aprendizagem 1

Blogs na Educação: uma ferramenta de auxilio na aprendizagem 1 Blogs na Educação: uma ferramenta de auxilio na aprendizagem 1 Andreia Solange Bos 2 Rodrigo Moreira 3 Instituto Federal Farroupilha- Campus Alegrete Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS Ijuí,

Leia mais

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 Cruz das Almas BA 2013 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO

Leia mais

ESTRATÉGIA DIGITAL. Prof. Luli Radfahrer

ESTRATÉGIA DIGITAL. Prof. Luli Radfahrer ESTRATÉGIA DIGITAL Prof. Luli Radfahrer - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares

AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares Denis Lacerda Paes 1 ; Angelo Augusto Frozza 2 RESUMO O trabalho apresentado visa desenvolver uma aplicação baseada em

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Lygia de Assis Silva Sérgio Paulino Abranches Universidade Federal de Pernambuco lygia1@hotmail.com/ Este

Leia mais

A Estrutura da Web. Redes Sociais e Econômicas. Prof. André Vignatti

A Estrutura da Web. Redes Sociais e Econômicas. Prof. André Vignatti A Estrutura da Web Redes Sociais e Econômicas Prof. André Vignatti A Estrutura da Web Até agora: redes onde unidades eram pessoas ou entidades sociais, como empresas e organizações Agora (Cap 13, 14 e

Leia mais

MATEMÁTICA Ellen Hertzog ** RESUMO

MATEMÁTICA Ellen Hertzog ** RESUMO MATEMÁTICA Ellen Hertzog ** O TWITTER COMO FERRAMENTA DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE RESUMO Este artigo trata da utilização do Twitter como uma ferramenta de ensino e aprendizagem de Matemática. A experiência

Leia mais

Redes Sociais como ferramenta fundamental para a comunicação institucional atual 1

Redes Sociais como ferramenta fundamental para a comunicação institucional atual 1 Redes Sociais como ferramenta fundamental para a comunicação institucional atual 1 Jaqueline ECLISSI 2 Jesse James dos SANTOS 3 Sergio RODRIGUES 4 Daniele DOMINGOS 5 Drielle Ferreira de LIMA 6 Adriana

Leia mais

RÁDIO UNIVERSITÁRIA DO MINHO: CONFIGURAÇÕES EDUCOMUNICATIVAS DE ENSINO-APREDIZAGEM MARCELO MENDONÇA TEIXEIRA

RÁDIO UNIVERSITÁRIA DO MINHO: CONFIGURAÇÕES EDUCOMUNICATIVAS DE ENSINO-APREDIZAGEM MARCELO MENDONÇA TEIXEIRA 1 RÁDIO UNIVERSITÁRIA DO MINHO: CONFIGURAÇÕES EDUCOMUNICATIVAS DE ENSINO-APREDIZAGEM MARCELO MENDONÇA TEIXEIRA Introdução A passagem da comunicação oral para a comunicação eletrônica no final da década

Leia mais

SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA

SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA Resumo: O programa traz uma síntese das questões desenvolvidas por programas anteriores que refletem sobre o uso de tecnologias

Leia mais

1. Introdução. 2. Conceitos. 3. Metodologia. 4. Resultados. 5. Considerações

1. Introdução. 2. Conceitos. 3. Metodologia. 4. Resultados. 5. Considerações Comunidades de Prática Experiências e Contribuições da Tecnologia para a Educação Profissional Lane Primo Senac Ceará 2012 Sumário 1. Introdução 2. Conceitos 3. Metodologia 4. Resultados 5. Considerações

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B Mídias sociais como apoio aos negócios B2B A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Porvir, programa do Instituto Inspirare, lança guia temático Tecnologia na Educação

Porvir, programa do Instituto Inspirare, lança guia temático Tecnologia na Educação Porvir, programa do Instituto Inspirare, lança guia temático Tecnologia na Educação ü Em cinco capítulos, o guia Tecnologia na Educação aborda a importância da tecnologia para a educação; os principais

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação. Conceito de rede. Redes organizacionais. Redes e o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) Características da atuação em rede

ÍNDICE. Apresentação. Conceito de rede. Redes organizacionais. Redes e o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) Características da atuação em rede #10 ATUAÇÃO EM REDE ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Conceito de rede Redes organizacionais Redes e o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) Características da atuação em rede Sobre a FNQ Apresentação

Leia mais

Pacote Multimídia: A Luta Popular¹. Alan Regis DANTAS² Faculdade 7 de Setembro (FA7), Fortaleza, CE

Pacote Multimídia: A Luta Popular¹. Alan Regis DANTAS² Faculdade 7 de Setembro (FA7), Fortaleza, CE Pacote Multimídia: A Luta Popular¹ Alan Regis DANTAS² Faculdade 7 de Setembro (FA7), Fortaleza, CE RESUMO Este trabalho procura expor de maneira sucinta, a ideia da produção de um pacote multimídia, sua

Leia mais

O que aprendi sobre avaliação em cursos semipresenciais

O que aprendi sobre avaliação em cursos semipresenciais O que aprendi sobre avaliação em cursos semipresenciais José Moran Pesquisador, Professor, Conferencista e Orientador de projetos inovadores na educação. Publicado em: SILVA, Marco & SANTOS, Edméa (Orgs).

Leia mais

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Desenvolvimento em Ambiente Web Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Internet A Internet é um conjunto de redes de computadores de domínio público interligadas pelo mundo inteiro, que tem

Leia mais

Novas Mídias e Relações Sociais.

Novas Mídias e Relações Sociais. Novas Mídias e Relações Sociais. Eduardo Foster 1 1 Caiena Soluções em Gestão do Conhecimento, Av. 34-578, CEP 13504-110 Rio Claro, Brasil foster@caiena.net Resumo. A comunicação é uma disciplina que acompanha

Leia mais

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 1 CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 04/2007 Mílada Tonarelli Gonçalves CENPEC - Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária

Leia mais

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO 1. DIMENSÃO PEDAGÓGICA 1.a) ACESSIBILIDADE SEMPRE ÀS VEZES NUNCA Computadores, laptops e/ou tablets são recursos que estão inseridos na rotina de aprendizagem dos alunos, sendo possível

Leia mais

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Redesenhando a forma como empresas operam e envolvem seus clientes e colaboradores no mundo digital. Comece > Você pode construir de fato uma

Leia mais

O blog no processo de ensino e aprendizagem em Ciências: horizontes e possibilidades

O blog no processo de ensino e aprendizagem em Ciências: horizontes e possibilidades O blog no processo de ensino e aprendizagem em Ciências: horizontes e possibilidades Rodolfo Fortunato de Oliveira Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho UNESP, Bauru/SP rodolfo_fdeoliveira@hotmail.com

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013

UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013 UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013 Adriana Nascimento Flamino 1, Juliana de Souza Moraes 2 1 Mestre em Ciência

Leia mais

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA 11 PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA O PVANet é o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) de uso exclusivo da UFV. Os AVAs apresentam diferenças de layout, forma de acesso, funcionamento,

Leia mais

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Prof. Dr. Luis Paulo Leopoldo Mercado Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de Alagoas Conteúdos

Leia mais

O que você está lendo? Prêmio para leitoras e leitores de 15 a 17 anos

O que você está lendo? Prêmio para leitoras e leitores de 15 a 17 anos O que você está lendo? Prêmio para leitoras e leitores de 15 a 17 anos CONVOCATÓRIA 2015 A Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), com o apoio dos Ministérios

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais