UNISINOS. SOA e Web Services. Giovane Barcelos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNISINOS. SOA e Web Services. Giovane Barcelos. giovanebarcelos@gmail.com"

Transcrição

1 UNISINOS SOA e Web Services Giovane Barcelos São Leopoldo, Maio de 2010

2 Roteiro Introdução SOA Serviços Web Services Composição de Serviços Implementação InSOA Conclusão Publicado em: 2

3 Introdução Porque precisamos de? Integração e Composição de Sistemas e Processos 3

4 Introdução Porque integrar? Vamos reescrever tudo de novo!!! Existem situações em que isto é praticamente impossível: Por falta de tempo Recursos financeiros Problemas técnicos 4

5 Introdução Porque precisamos de? Alinhar TI com o Negócio Automatizar e Integrar Processos de Negócios Gerenciar Fluxo de Processos (Workflow) Compor e Integrar Processos 5

6 SOA Mas afinal, o que é SOA? SOA (Service-Oriented Architecture) SOA é um estilo de arquitetura de software onde as aplicações devem ser disponibilizadas na forma de serviços SOA NÃO É: uma tecnologia web services estratégia de integração de sistemas 6

7 SOA Exemplo típico de SOA Ordem de Compra Contabilidade Estoque Barramento de Serviços Fornecedor NF de Entrada Contas a Pagar 7

8 SOA O que SOA requer? Modelagem e simulação de processos (BPMN, BPEL) Orquestração dos processos de negócio como serviços Componentização e reuso de serviços (SCA, WS-*) Integrações de aplicações (WS-*, JNI, JMS) Gerenciamento de processos em servidores de processos Monitoração dos processos de negócio (BAM) 8

9 SOA Quais os princípios da arquitetura? 1/2 Encapsulamento Baixa Acoplagem Contrato Abstração Reusabilidade 9

10 SOA Quais os princípios da arquitetura? 2/2 Composição Autonomia Otimização Descoberta Relevância 10

11 SOA Quais são os elementos? SOA Aplicação Frontend Contrato/ Definição Serviço Repositório de Serviços Implementação Lógica de Negócios Barramento de Serviços Interface Banco de Dados 11

12 Servicos SOA e os Serviços Implementações SOA utilizam Serviços Web e geralmente SOA utiliza WS Serviços são aplicações disponíveis na Web Principais padrões de serviços: RPC CORBA DCOM Web Services REST DDS WCF Exemplo WS: px?sid=19 12

13 Serviços RPC RPC (Remote Procedure Call) 13

14 Serviços CORBA - OMG CORBA (Common Object Request Broker Architecture) 14

15 Serviços DCOM - Microsoft DCOM (Dynamic Component Object Model) 15

16 Web Services Afinal de contas, o que são WS? WS (Web Services) Serviços Web Web Services fornecem um padrão de interoperabilidade entre aplicações diferentes, rodando sobre plataformas e/ou frameworks distintos Especificação W3C (w3c.org): XML, XPath, XQuery,... Mensagens (SOAP, WS-Addressing,...) Metadados de trocas (WSDL, UDDI, WS-Policies, ) Segurança e Confiabilidade (WS-Security, WS-Trust, ) Privacidade (P3P) Recursos (WS-Resource, WS-Transfer, ) Interoperabilidade (WS-Basic Profile, ) Processos de Negócios (WS-BPEL, WS-CDL,..) Transações (WS-Transaction, WS-Coordination, ) Gerenciamento (WS-Management, WSDM,...) 16

17 Web Services Arquitetura Serviços como Web-Services (WS) Usuário ou aplicação Troca de mensagens (SOAP) Lógica e dados encapsulados Cliente Web-Services Serviço Web-Services SOAP: Simple Object Access Protocol Arquitetura Web-Services (WS) SOAP Troca Mensagens WSDL WSDL Servidor Publicação SOAP: Simple Object Access Protocol UDDI: Universal Description, Discovery and Integration Diretório de Serviços (UDDI) Cliente Pesquisa e Descoberta 17

18 Web Services Pilha Pilha de Tecnologias Pilha de Soluções Descoberta UDDI Descrição WSDL Empacotamento SOAP Transporte HTTP (Web) Rede TCP / IP (Internet) 18

19 Web Services O que é XML? extensible Markup Language: padrão W3C Maneira de representar informação Não é uma linguagem específica Não define vocabulário de comandos Não define uma gramática, apenas regras mínimas 19

20 Web Services XML versus HTML 20

21 Web Services Exemplo WSDL 1/2 21

22 Web Services Exemplo WSDL 2/2 22

23 Web Services SOAP Formato Genérico SOAP Envelope SOAP Cabeçalho (Header) SOAP Corpo (Body) 23

24 Web Services Exemplo SOAP Pedido SOAP Resposta SOAP 24

25 Web Services O que é REST? REST significa REpresentational State Transfer É um estilo de arquitetura de serviços e WS Trabalha essencialmente com o protocolo HTTP Proposto por Roy Fielding (Tese) autor da especificação HTTP 25

26 Web Services REST versus WS-*? WS-* - Modelo OSI e W3C Formalidade e overhead de protocolos Muitas especificações antes de implementar Modelo Waterfall / Cascata REST TCP/IP Simplicidade e flexibilidade Especificações junto com implementação Modelo incremental 26

27 Web Services Comandos REST GET PUT CLIENTE RECURSO POST DELETE CLIENTE INVOKE Atividade 1 INVOKE Atividade 2 INVOKE Atividade 3 27

28 Web Services SOAP x REST = Declarativo x Imperativo SOAP <soap:envelope> <soap:body> <globo:getbook> <id>soap123</id> Operação e parâmetros </globo:getbook> </soap:body> </soap:envelope> REST URI do recurso Método HTTP GET /getbook/soap123 Como O quê 28

29 Web Services REST e SOAP Itens Importantes Recursos URI (Uniform Resource Identifier) Formatos e tipos disponíveis Métodos Retorno Tags e identificadores 29

30 Composição Serviços O que significa compor serviços? Composição de Serviços com SOA (Service Oriented Architecture) WS1 SO integração de múltiplas plataformas AP WS2 Usuário ou aplicação UI SOAP Cliente Web-Services WS3 SO Servidor de composição de Web-Services responsável pela Orquestração WS AP Linguagens BPEL4WS e OWL-S Abordagens distintas Escritas com auxílio de ferramentas gráficas 30

31 Composição de Serviços O que é Orquestração? Um processo central controle os serviços 1. Inicia 2. Executa 5. Retorno 4. Executa 3. Executa 31 31

32 Composição de Serviços O que é Coreografia? Não depende de um coordenador central 5. Executa 1. Inicia 3. Retorno 2. Executa 4. Executa 32 32

33 Composição de Serviços Design Patterns e Linguagens de Composição Para compor serviços Linguagem de Composição são essenciais Principais patterns de composição: Controle de fluxo básico (5) Marcação de sincronização avançados (4) Estruturais (2) Múltiplas instâncias (4) Baseados em estado (3) Cancelamento (2) Tratamento de Erros (1) Design Patterns ou Padrões de Projeto: Descrevem um problema que acontece repetidas vezes Foco em reutilização e documentação de soluções Úteis para analisar e comparar aplicações Seguem Patterns: BPEL4WS, XLANG, WSFL, XPDL e OWL-S 33

34 Composição de Serviços Linguagens: BPEL4WS e OWL-S BPEL4WS (Business Process Execution Language for WS): Originária das especificações WSFL (Web Services Flow Language) da IBM e da XLANG da Microsoft 4 partes: partnerlinks, variables, faulthandler e sequence Característica de execução procedural OWL-S (Ontology Web Language for Services) Predecessor é a linguagem DAML (DARPA Agent Markup Language) utilizada para criação de ontologias 4 partes: service, profile, process e grounding Descoberta, Invocação e Composição automática Característica de definição de Ontologias de Domínios 34

35 Composição de Serviços Análise Comparativa Design Patterns OWL-S: Vantagens devido ao suporte a XSLT (Extensible Stylesheet Language Transformations) BPEL: Vantagem em itens muito importantes (19 e 20) - tratamento de exceções e compensação 35

36 Implementação Típico roteiro de implementação SOA Processos de Negócios Integração Aplicações Segurança Centralização dos Dados Básicos / Mestres 36

37 Implementação Estratégias de Integração Projeto centralizado ou descentralizado de integração de sistemas Definição da arquitetura a ser utilizada Hub and Spoke ESB (Transporte, Transformação e Roteamento) 37

38 Implementação APIs de Integração 38

39 Implementação Integração SOA ESB Enterprise Service Bus 39

40 Implementação ESB e SOA Open Source MULE (http://mule.codehaus.org) - DEMO APACHE (http://incubator.apache.org/servicemix e tuscany) ECLIPSE (http://www.eclipse.org/stp/ ) 40

41 Implementação ESB e SOA Suites (Real-Wold Labs) 41

42 Implementação Métodos de transporte ESB Software BEA CAPE Clear Florano WebSphere Oracle AG Sonic TIBCO Servidor J2EE J2EE J2EE OS Nativo J2EE J2EE J2EE OS Nativo Barramento JMS HTTP JMS Definido HTTP JMS Sonic MQ TIBCO Metadados Outro BPEL Outro Outro BPEL Outro Outro Outro 42

43 InSOA Cenário de Convergência e Evolução Arquiteturas Centralizadas Arquiteturas Distribuídas Web Services (WS) SOA (Service Oriented Architecture) Business Process Management SOA Linguagens de Composição de Serviços Computador Pessoal Dispositivos Móveis Dispositivos Móveis Clientes Dispositivos Móveis Servidores Linguagens Compiladas Linguagens interpretadas e declarativas Embutidas e leves 43

44 InSOA Características desejadas Soluções atuais devem: Ser distribuídas Orientadas a serviços Compor serviços Adequadas a dispositivos móveis Prover serviços e uso destes Tendência para linguagens declarativas [Aho 2006] Possibilidade de ser embutida e leves 44

45 insoa Questão de Pesquisa Como criar composições de serviços em dispositivos móveis utilizando uma linguagem de composição declarativa? 45

46 Linguagem insoa Projeto U-SOA insoa faz parte do Projeto U-SOA U-SOA significa Ubiquitous ServiceOriented Architecture É uma pilha de tecnologias separada em camadas É uma arquitetura para desenvolvimento de aplicações colaborativas ubíquas 46

47 insoa Características (1/2) insoa (invoke SOA) é uma linguagem declarativa de composição de serviços com foco em dispositivos móveis Insensível a capitalização Possui declaração flexível Faz validação de padrões (URI RFC 3986 e XPath 2.0) Comandos são opcionais, com exceção do invoke 47

48 insoa Características (2/2) Suporte a tratamento de falhas Orquestração de WS Organiza invocações de forma otimizada em objetos Gera saída customizável com StringTemplate Pode ser embutida Leve e não exige software de autoria 48

49 insoa Exemplo -- Exemplo insoa /* Data: 19/02/2009 */ invoke as a if way!= 1, as b input way type Number default 0 into / as waypipe, / as waypipea set a.field := way, b.field := waypipea/result/text() where waypipe/result/tag/text() == 'Valid' return waypipe/result/field/text() type String name Result fail a: invoke as c set c.field := 'Rollback', c.way := way id Identification tags Example; 49

50 insoa Gramática Diagrama da sintaxe 50

51 insoa Design Patterns Implementados B P E L O W L S in S O A B P E L O W L S in S O A 1. Sequence 12. Multiple Instances Without Synchronization 2. Parallel Split 13. Multiple Instances With a Priori Design Time Knowledge 3. Synchronization 14. Multiple Instances With a Priori Runtime Knowledge Exclusive Choice 15. Multiple Instances Without a Priori Runtime Knowledge - 5. Simple Merge 16. Deferred Choice 6. Multi-choice 17. Interleaved Parallel Synchronizing Merge 18. Milestone Multi-merge Cancel Activity 9. Discriminator Cancel Case 10. Arbitrary Cycles Exception Handling Implicit Termination Pattern Pattern 51

52 insoa Protótipo Funcional 52

53 InSOA Estudo de Caso 2 Cenários: Consulta de Viagem (4 níveis, 10 WS, 10 Composições insoa) Consulta de Livros (5 níveis, 8 WS, 12 Composições insoa) Processo integrado de teste: 53

54 insoa Cenário 1: Consulta de Viagem 4 níveis 10 Composições insoa 10 WS 10 Emuladores 54

55 insoa Comparação com os Paradigmas Atuais # Característica BPEL OWL-S insoa a Insensível a capitalização NÃO NÃO SIM b Declaração Flexível NÃO NÃO SIM c Validação de Padrões NÃO NÃO SIM d Tratamento XML Externo Externo Interno e Opcionalidade NÃO NÃO SIM f Tratamento de Erros SIM SIM SIM g Orquestração SIM SIM SIM h Saída Customizável NÃO NÃO SIM i Invocação Otimizada NÃO NÃO SIM j Embutida NÃO NÃO SIM k Leve NÃO NÃO SIM l Abordagem Funcional Orientada para Objetos Declarativa XML XML m Baseada Texto 55

56 insoa Patterns Implementados/Testados no Estudo de Caso Pattern I? T? Pattern I? T? 1. Sequence Sim Sim 12. Multiple Instances Without Synchronization Sim Não 2. Parallel Split Sim Sim 13. Multiple Instances With a Priori Design Time Knowledge Sim Não 3. Synchronization Sim Sim 14. Multiple Instances With a Priori Runtime Knowledge Sim Não 4. Exclusive Choice Sim Não 15. Multiple Instances Without a Priori Runtime Knowledge Sim Não 5. Simple Merge Sim Sim 16. Deferred Choice Sim Não 6. Multi-choice Sim Não 17. Interleaved Parallel Sim Não 7. Synchronizing Merge Sim Sim 18. Milestone Não Não 8. Multi-merge Sim Sim 19. Cancel Activity Sim Sim 9. Discriminator Sim Não 20. Cancel Case Sim Sim 10. Arbitrary Cycles Sim Não 21. Exception Handling Sim Não 11. Implicit Termination Sim Sim Legenda: I? = Implementado? e T? = Testado 56

57 insoa Comparação BPEL4WS, OWL-S e insoa Linguagem Motivação Componentes Paradigma Tratamento Retorno XML BPEL4WS OWL-S insoa WSFL e XLANG partnerlinks, Procedural Externo variables, faulthandler e sequence DAML POO Externo service, profile, process e grounding Declarativa Invoke, input, Declarativo Interno into, set, where, return, fail, id e tags 57

58 Introdução Críticas SOA SOA é apenas uma nova palavra para WS Dependência de SOA à tecnologia WS Altos custos e riscos ocasionados pela constante evolução dos padrões ligados a SOA Serviços SOA com estado (stateful) criam alto grau de acoplamento e reduz escalabilidade SOA é só uma evolução e não um novo conceito Rigidez nas interfaces gera impacto negativo nas alterações dos serviços 58

59 Conclusão Integrar é preciso Quem não se comunica se trumbica SOA é um conceito e não tecnologia WS é a tecnologia mais utilizada na atualidade 59

60 Referências Bibliográficas Parcial [Aalst 2003] Aalst, W.M.P van der; Dumas, M. e Hofstede, A.H.M. Ter. Web service composition languages: old wine in New bottles?. Euromicro Conference. IEEE. ISBN: [Aho 2006] Aho, Alfred V.; Lam, Monica S.; Sethi, Ravi e Ullman, Jeffrey D. Compilers: Principles, Techniques, & Tools. Pearson Addison Wesley Pág. ISBN: [Erl 2005] Erl, Thomas. Service-Oriented Architecture: Concepts, Technology, and Design. Prentice Hall PTR. 792 Pág. ISBN: [Haseman 2008] Haseman, Chris. Android Essentials. Apress. 166 Pág. ISBN: [Martin 2004] Martin, D. at al. OWL-S: Semantic Markup for Web Services. W3C [Parr 2007] Parr, Terence. The Definitive Antlr Reference: Building DomainSpecific Languages. Pragmatic Bookshelf. 376 pag. ISBN: [Staab 2003] Staab, S.; van der Aalst, W.; Benjamins, V.R.; Sheth, A.; Miller, J.A.; Bussler, C.; Maedche, A.; Fensel, D. e Gannon, D.. Web services: been there, done that?. IEEE, DOI: /MIS [Will 2003] Will, van der Aalst. Don't go with the flow: Web services 60 composition standards exposed. IEEE Intelligent Systems

61 Referências Bibliográficas Parcial [1] W3C, Web Services Architecture, 2004, disponível em: acessado em: 23/05/08. [2] M. Nakamura, H. Igaki,, H. Tamada, K. Matsumoto, Implementing Integrated Services of Networked Home Appliances using service oriented Architecture, In: 2nd International Conference on Service Oriented Computing, Novembro, 2004 [3] M. Hu, Web Services Composition, Partition, and Quality of Service in Distributed System Integration and Re-engineering, 2003, XML Conference & Exposition 2003 [4] J. Shen, Y. Yang, C. Zhu e C. Wan, From BPEL4WS to OWL-S: Integrating E-Business Process Descriptions, Services Computing, 2005 IEEE International Conference. [5] W.M.P van der Aalst, M. Dumas e A.H.M. ter Hofstede, Web service composition languages: old wine in New bottles?, 2003, IEEE. [6] E. Gamma, R. Helm, R. Johnson e J.M. Vlissides, Design Patterns: Elements of Reusable Object-Oriented Software, 1994, AddisonWesley. [7] W.M.P. van der Aalst, A.H.M. ter Hofstede, B. Kiepuszewski, e A.P. Barros, Workflow Patterns,

62 Agradecimentos Perguntas OBRIGADO! 62

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição 15 2 Conceitos relativos a Web services e sua composição A necessidade de flexibilidade na arquitetura das aplicações levou ao modelo orientado a objetos, onde os processos de negócios podem ser representados

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) Copyright e-core LTDA, 2010. Todos os direitos reservados.

Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) Copyright e-core LTDA, 2010. Todos os direitos reservados. Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) Visão Geral e-coree Estabelecida em 1999 Escritórios rios no Brasil e EUA Aproximadamente 100 profissionais Atua em prestação de serviços offshore desde 2004 Roteiro

Leia mais

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com. Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.br 08/2014 Agenda Introdução Conceitos Web Service Por que utilizar

Leia mais

Web Services. (Introdução)

Web Services. (Introdução) Web Services (Introdução) Agenda Introdução SOA (Service Oriented Architecture) Web Services Arquitetura XML SOAP WSDL UDDI Conclusão Introdução Comunicação distribuída Estratégias que permitem a comunicação

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviço

Arquitetura Orientada a Serviço Arquitetura Orientada a Fabio Perez Marzullo IEEE Body of Knowledge on Services Computing Sponsored by Technical Committee on Services Computing, IEEE Computer Society 1 SOA e Web Services SOA é um modelo

Leia mais

REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos

REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos Márcio Alves de Araújo¹, Mauro Antônio Correia Júnior¹ 1 Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Monte Carmelo MG Brasil

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos Web Services Integração de aplicações na Web Integração de Aplicações na Web Interoperação entre ambientes heterogêneos desafios diversidade de componentes: EJB, CORBA, DCOM... diversidade de linguagens:

Leia mais

Integração Orientada a Serviços

Integração Orientada a Serviços Integração Orientada a Serviços Porto Alegre, Agosto de 2006 Agenda Sobre a e-core SOA O que é? Web Services x SOA Principal Motivação - Integração SOI ESB BPEL JBI ServiceMix Solução Proposta A Empresa

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services Web Services Existem diferentes tipos de comunicação em um sistema distribuído: Sockets Invocação

Leia mais

Trabalho de Sistemas Distribuídos

Trabalho de Sistemas Distribuídos Cássio de Olivera Ferraz Trabalho de Sistemas Distribuídos Petrópolis 2015, v-1.0 Cássio de Olivera Ferraz Trabalho de Sistemas Distribuídos Trabalho sobre sistemas distribuídos e suas tecnologias. Universidade

Leia mais

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes Microsoft.NET Lirisnei Gomes de Sousa lirisnei@hotmail.com Jair C Leite jair@dimap.ufrn.br Desenvolvimento Baseado em Componentes Resolução de problemas específicos, mas que podem ser re-utilizados em

Leia mais

Arquiteturas Orientadas a Serviços ESB. Enterprise Service Bus. Prof. Ricardo J. Rabelo DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos

Arquiteturas Orientadas a Serviços ESB. Enterprise Service Bus. Prof. Ricardo J. Rabelo DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos ESB Enterprise Service Bus Prof. Ricardo J. Rabelo DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos Resumo Introdução Definição Problemas atuais e Vantagens Evolução do ESB ESB versus EAI, MOM, Workfow, SOA

Leia mais

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP Cleber de F. Ferreira¹, Roberto Dias Mota¹. ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil cleberferreirasi@hotmail.com, motaroberto@hotmail.com Resumo.

Leia mais

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Tópicos Motivação e Objetivos LP e SOA Processo ADESE

Leia mais

Arquiteturas SOA, WOA, e REST

Arquiteturas SOA, WOA, e REST Arquiteturas SOA, WOA, e REST Aplicação de Software Social Fred Figueiredo Luiz Borges Pedro Pires Arquiteturas SOA, WOA e REST Desenvolvimento de aplicações orientadas ao fornecimento de serviços que

Leia mais

Linha de Produto para BPM

Linha de Produto para BPM Linha de Produto para BPM Prof. Dr. Marcelo Fantinato m.fantinato@usp.br Sistemas de Informação, EACH/USP Agenda Fundamentos LP para BPM Estabelecimento de Contratos Exemplo de Aplicação Trabalhos em Andamento/Próximos

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 14 SOA e ESB Service-Oriented

Leia mais

Introdução a Web Services

Introdução a Web Services Introdução a Web Services Mário Meireles Teixeira DEINF/UFMA O que é um Web Service? Web Service / Serviço Web É uma aplicação, identificada por um URI, cujas interfaces podem ser definidas, descritas

Leia mais

Web services. Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML.

Web services. Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML. Web services Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML. XML é utilizado para codificar toda a comunicação de/para um web service. Web services

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE 1. Kellen Kristine Perazzoli 2 ; Manassés Ribeiro 3

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE 1. Kellen Kristine Perazzoli 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE 1 Kellen Kristine Perazzoli 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTRODUÇÃO Atualmente empresas de diversos portes estão encontrando nos web services soluções para seus

Leia mais

SOA: Service-oriented architecture

SOA: Service-oriented architecture SOA: Service-oriented architecture Roteiro Breve História O que é Arquitetura de Software? O que é SOA? Serviços Infraestrutura Composição Sua empresa está preparada para SOA? Breve História Uma empresa

Leia mais

SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços

SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços Sérgio Larentis Jr (Unisinos) Andrêsa Larentis (Unisinos) Jorge Barbosa (Unisinos) Sérgio Crespo C. S. Pinto (Unisinos) SBSI 2008 Roteiro

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE. Kellen Kristine Perazzoli 1, Manassés Ribeiro 2 RESUMO

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE. Kellen Kristine Perazzoli 1, Manassés Ribeiro 2 RESUMO INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE Kellen Kristine Perazzoli, Manassés Ribeiro RESUMO O grande avanço tecnológico vivenciado nos últimos anos, os web services vem sendo utilizados trazendo

Leia mais

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações 1 Introdução A Organização é a forma pela qual nós coordenamos nossos recursos de todos os tipos para realizar o trabalho que nos propusemos a fazer. A estrutura de nossas organizações manteve-se basicamente

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 2 Computação em Nuvem Desafios e Oportunidades A Computação em Nuvem

Leia mais

SINS: um Ambiente para Geração de Aplicações baseadas em Serviços

SINS: um Ambiente para Geração de Aplicações baseadas em Serviços SINS: um Ambiente para Geração de Aplicações baseadas em Serviços Sérgio Larentis Júnior, Jorge Luis Victória Barbosa, Sérgio Crespo Coelho da Silva Pinto, Andrêsa Vargas Larentis Programa Interdisciplinar

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Mecanismos de Comunicação Protocolos de Aplicação Mecanismos de comunicação

Leia mais

PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto. O Produto Internet e suas Aplicações

PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto. O Produto Internet e suas Aplicações Universidade de São Paulo Escola Politécnica Programa de Educação Continuada em Engenharia PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto O Produto Internet e suas Aplicações Tecnologias de Informação

Leia mais

SOA Service Oriented Architecture. Fabiano Oss fabiano.oss@gmail.com

SOA Service Oriented Architecture. Fabiano Oss fabiano.oss@gmail.com SOA Service Oriented Architecture Fabiano Oss fabiano.oss@gmail.com 1 Roteiro SOA Serviços Tecnologias para o desenvolvimento de serviços Modelagem de Negócios 2 O que é SOA É uma arquitetura de desenvolvimento

Leia mais

SOA - Service Oriented Architecture. Marcelo Canevello Ferreira

SOA - Service Oriented Architecture. Marcelo Canevello Ferreira SOA - Service Oriented Architecture Marcelo Canevello Ferreira Índice Arquitetura baseada em componentes Introdução a SOA Principais conceitos de SOA SOA Framework Abordagem de integração Conclusões Evolução

Leia mais

REST. Caio Nakashima caio.nakashima@mds.gov.br caionakashima@gmail.com

REST. Caio Nakashima caio.nakashima@mds.gov.br caionakashima@gmail.com REST Caio Nakashima caio.nakashima@mds.gov.br caionakashima@gmail.com 1 RESTful REpresentation State Transfer Estilo de arquitetura de software para sistemas distribuídos Termo proposto por Roy Fielding

Leia mais

Web Services. Tópicos. Motivação. Tecnologias Web Service. Passo a passo Business Web Conclusão. Integração de aplicações SOAP, WSDL, UDDI, WSFL

Web Services. Tópicos. Motivação. Tecnologias Web Service. Passo a passo Business Web Conclusão. Integração de aplicações SOAP, WSDL, UDDI, WSFL Web Services Antonio Dirceu adrvf@cin.ufpe.br Tópicos Motivação Integração de aplicações Tecnologias Web Service SOAP, WSDL, UDDI, WSFL Passo a passo Business Web Conclusão Motivação Integração de Aplicações

Leia mais

SOA na Prática Ricardo Limonta

SOA na Prática Ricardo Limonta SOA na Prática Ricardo Limonta Arquiteto JEE Objetivo Apresentar os conceitos de Arquiteturas Orientadas a Serviços; Entender a relação entre SOA e a tecnologia Web Services; Implementar SOA com Web Services

Leia mais

acoplamento Exprime o grau de conexão entre os módulos; os módulos de um software devemapresentar um baixo coeficiente de acoplamento.

acoplamento Exprime o grau de conexão entre os módulos; os módulos de um software devemapresentar um baixo coeficiente de acoplamento. SOA Arquitetura Orientada a Serviços Conceitos e Aplicações Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com/ http://edilms.eti.br Gestão de TI Conceitode SOA SOA - Service OrientedArchitecture (Arquitetura

Leia mais

PROJELER. Solução de código aberto para gerenciamento de processos de negócio

PROJELER. Solução de código aberto para gerenciamento de processos de negócio Otimização e Automação de Processos de Negócio Abril/2008 Solução de código aberto para gerenciamento de processos de negócio Maurício Bitencourt, PMP Diretor Executivo mauricio.bitencourt@projeler.com.br

Leia mais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais Ambientes Visuais Inicialmente, apenas especialistas utilizavam os computadores, sendo que os primeiros desenvolvidos ocupavam grandes áreas e tinham um poder de processamento reduzido. Porém, a contínua

Leia mais

SOA. Service Oriented Architecture. Maxmiliano Franco Braga

SOA. Service Oriented Architecture. Maxmiliano Franco Braga SOA Service Oriented Architecture Maxmiliano Franco Braga Agenda O que é? SOA Glossário de SOA Vantagens e Cuidados Exemplos Viagem Restaurante Processos do MP O que é SOA? [1] Service Oriented Architecture

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Web Services. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Web Services. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Web Services Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br SUMÁRIO Visão geral Arquitetura Web Services Desenvolvimento 2 Visão Geral Web Services Usados para disponibilizar serviços na

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços ADILSON FERREIRA DA SILVA Centro Paula Souza São Paulo Brasil afs.software@gmail.com Prof.a. Dr.a. MARILIA MACORIN DE AZEVEDO Centro

Leia mais

CORBA. Common Object Request Broker Architecture. Unicamp. Centro de Computação Rubens Queiroz de Almeida queiroz@unicamp.br

CORBA. Common Object Request Broker Architecture. Unicamp. Centro de Computação Rubens Queiroz de Almeida queiroz@unicamp.br CORBA Common Object Request Broker Architecture Unicamp Centro de Computação Rubens Queiroz de Almeida queiroz@unicamp.br Objetivos Apresentação Tecnologia CORBA Conceitos Básicos e Terminologia Considerações

Leia mais

Combinação de serviços já existentes para criar um novo serviço. jcd@cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. Composição de Serviços Com WS-BPEL

Combinação de serviços já existentes para criar um novo serviço. jcd@cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. Composição de Serviços Com WS-BPEL Introdução à Composição de serviços Web Júlio César Damasceno jcd@ Agenda Definição Motivação Background Arquitetura Orientada a Serviço (SOA) Computação Orientada a Serviço (SOC) Web Services Composição

Leia mais

Modelagem de Sistemas Web. Ferramentas e metodologias para projeto de sistemas web

Modelagem de Sistemas Web. Ferramentas e metodologias para projeto de sistemas web Modelagem de Sistemas Web Aula 4 Ferramentas e metodologias para projeto de sistemas web Ferramentas e metodologias para projeto de sistemas web Ferramentas CASE Fontes: Sarajane e Marques Peres Introdução

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB

CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB Deusa Cesconeti e Jean Eduardo Glazar Departamento de Ciência da Computação Faculdade de Aracruz UNIARACRUZ {dcescone, jean}@fsjb.edu.br RESUMO

Leia mais

: : Interoperabilidade entre Sistemas de Informação baseados na WEB - uma abordagem Multicanal

: : Interoperabilidade entre Sistemas de Informação baseados na WEB - uma abordagem Multicanal : : Interoperabilidade entre Sistemas de Informação baseados na WEB - uma abordagem Multicanal Sérgio Magalhães mgi01020@fe.up.pt As vantagens competitivas ganham-se muitas vezes por ser o primeiro a chegar

Leia mais

Programação Cliente em Sistemas Web

Programação Cliente em Sistemas Web Programação Cliente em Sistemas Web WEBSERVICES Cap 18. - Sistemas distribuídos e serviços web em Deitel, H.M, Sistemas Operacionais, 3 ª edição, Pearson Prentice Hall, 2005 Fonte: Rodrigo Rebouças de

Leia mais

2. Gerar um arquivo XSD e referenciá-lo no WSDL, fazendo com que seja possível catalogar o XML Schema no catálogo de XML Schemas da e-ping;

2. Gerar um arquivo XSD e referenciá-lo no WSDL, fazendo com que seja possível catalogar o XML Schema no catálogo de XML Schemas da e-ping; Guia de Orientação para Implementação de Web Services Este documento apresenta alguns direcionamentos referentes à implementação de web services. É uma versão preliminar da construção do Guia de Orientação

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação Um Framework para Desenvolvimento de Workflows baseado em Padrões de Workflow

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 5 INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos

Leia mais

Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br)

Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) DAS5316 - Integração de Sistemas Corporativos BPEL Business Process Execution Language Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) Responsável pela elaboração dos slides Alexandre Perin (perin@das.ufsc.br)

Leia mais

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS WORKFLOW Mapeamento de Processos de Negócio Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É proibido a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio sem a expressa autorização

Leia mais

ANÁLISE DE LINGUAGENS DE COMPOSIÇÃO PARA WEB SERVICES

ANÁLISE DE LINGUAGENS DE COMPOSIÇÃO PARA WEB SERVICES DALTON LUIZ MARCÍLIO ANÁLISE DE LINGUAGENS DE COMPOSIÇÃO PARA WEB SERVICES Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de Mestre em Informática, Curso de Pós-Graduação em Informática,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO PROPOSIÇÃO DE UMA NOVA ARQUITETURA BASEADA EM

Leia mais

SOA-1: Fundamentos da Arquitetura Orientada a Serviços. Douglas Charcon System Engineer

SOA-1: Fundamentos da Arquitetura Orientada a Serviços. Douglas Charcon System Engineer SOA-1: Fundamentos da Arquitetura Orientada a Serviços Douglas Charcon System Engineer Agenda Direcionadores de Negócios Arquitetura Orientada a Serviços Enterprise Service Bus Enhanced SOA Resumo 2 Busca

Leia mais

Arquitetura SOA SCP. Sistema de Controle Patrimonial. Pandora Tech Soluções em Software Livre. Versão Atual 1.0. Data Versão Descrição Autor

Arquitetura SOA SCP. Sistema de Controle Patrimonial. Pandora Tech Soluções em Software Livre. Versão Atual 1.0. Data Versão Descrição Autor SCP Pandora Tech Soluções em Software Livre Versão Atual 1.0 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 24/02/2010 1.0 Criação do Documento Fernando Anselmo Parte Conceito O uso de tecnologias

Leia mais

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Serviço Service Requisitante Consumer Service Serviço Provider Provedor consumidores processos business e processes negócios Coreografia process choreography

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROTÓTIPO PARA INTEGRAÇÃO ORIENTADA A SERVIÇOS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CEFET-AL

IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROTÓTIPO PARA INTEGRAÇÃO ORIENTADA A SERVIÇOS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CEFET-AL IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROTÓTIPO PARA INTEGRAÇÃO ORIENTADA A SERVIÇOS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CEFET-AL Marcilio SOUZA JÚNIOR (1); Mônica CUNHA (2); João Gabriel CAMPOS NETO (3); Heitor SANTOS BARROS

Leia mais

Soluções de integração: SOA, web services e REST + XML/XSD

Soluções de integração: SOA, web services e REST + XML/XSD Soluções de integração: SOA, web services e REST + XML/XSD WWW.DOMINANDOTI.COM.BR Acesse nosso site em WWW.DOMINANDOTI.COM.BR Cursos Livros Fórum Simulados Blog Materiais Turmas em Brasília, na sua cidade,

Leia mais

Serviços Web: Arquitetura

Serviços Web: Arquitetura Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Objetivos Nesta aula

Leia mais

ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO : UMA ANÁLISE DAS PROPOSIÇÕES TECNOLÓGICAS COM FOCO NA AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO : UMA ANÁLISE DAS PROPOSIÇÕES TECNOLÓGICAS COM FOCO NA AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE EDUCAÇÃO SÃO JOSÉ CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO : UMA ANÁLISE DAS PROPOSIÇÕES TECNOLÓGICAS COM FOCO

Leia mais

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas BPM e SOA Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Como funcionam as organizações? O que ébpm Business Process Management (BPM)

Leia mais

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB WEBSERVICES Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Compreender o que é um WebService e sua utilidade Compreender a lógica de funcionamento de um WebService Capacitar

Leia mais

Uma Linguagem de Workflow Para Composição de Web Services - LCWS

Uma Linguagem de Workflow Para Composição de Web Services - LCWS Uma Linguagem de Workflow Para Composição de Web Services - LCWS Luiz Alexandre Hiane da S. Maciel 1, Edgar Toshiro Yano 1 1 Divisão de Pós-Graduação Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) Praça Marechal

Leia mais

Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio

Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio Rodrigo C. Macedo, Vasco Mesquita, Artur Caetano, André Vasconcelos, José Tribolet Centro de Engenharia Organizacional, INESC INOV e Departamento

Leia mais

DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES. Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES. Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos Explicar as vantagens e desvantagens das arquiteturas de sistemas distribuídos

Leia mais

Tendências da Arquitetura na Produção de Software

Tendências da Arquitetura na Produção de Software Tendências da Arquitetura na Produção de Software Prof. Dr. Ivanir Costa icosta11@terra.com.br mai-08 IC TECNOLOGIA EM SOFTWARE LTDA 1 Prof. Dr. Ivanir Costa Bacharel em Física pela USP Pós-Graduado em

Leia mais

WS-BPEL Web Service Business Process Execution Language

WS-BPEL Web Service Business Process Execution Language DAS5316 WS-BPEL Web Service Business Process Execution Language Prof. Ricardo J. Rabelo (rabelo@das.ufsc.br) Responsável pela elaboração dos slides Alexandre Perin (perin@das.ufsc.br) Florianópolis (SC),

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS. Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS. Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada Andrêsa Vargas Larentis Aruba: Uma Arquitetura para Geração de Serviços a partir de Sistemas Legados

Leia mais

Sistemas Distribuídos na Web. Pedro Ferreira DI - FCUL

Sistemas Distribuídos na Web. Pedro Ferreira DI - FCUL Sistemas Distribuídos na Web Pedro Ferreira DI - FCUL Arquitetura da Web Criada por Tim Berners-Lee no CERN de Geneva Propósito: partilha de documentos Desde 1994 mantida pelo World Wide Web Consortium

Leia mais

RestFull WebServices. Rafael Nunes Arquiteto de Software / Instrutor Globalcode. Globalcode Open4Education

RestFull WebServices. Rafael Nunes Arquiteto de Software / Instrutor Globalcode. Globalcode Open4Education RestFull WebServices Rafael Nunes Arquiteto de Software / Instrutor Globalcode 1 REST Integrando aplicações e disponibilizando serviços sem complicar a vida de ninguém. 2 Agenda > Integrando Aplicações

Leia mais

Rompendo os Limites dos Sistemas Tradicionais Aplicação de SOA no Ambiente da Automação

Rompendo os Limites dos Sistemas Tradicionais Aplicação de SOA no Ambiente da Automação Rompendo os Limites dos Sistemas Tradicionais Aplicação de SOA no Ambiente da Automação Carlos E. G. Paiola Engenheiro de Controle e Automação, M.Sc. Gerente Comercial - Aquarius Software Ricardo Caruso

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PROGRAMA INTERDISCIPLINAR DE PÓS GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PROGRAMA INTERDISCIPLINAR DE PÓS GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PROGRAMA INTERDISCIPLINAR DE PÓS GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA Programa Interdisciplinar de Pós Graduação em Computação

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviço - Conceituação

Arquitetura Orientada a Serviço - Conceituação UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Relatórios Técnicos do Departamento de Informática Aplicada da UNIRIO n 0012/2009 Arquitetura Orientada a Serviço

Leia mais

Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial

Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial Sindo V. Dias Antônio C. Mosca Rogério A. Rondini Agenda Cenário do Setor de

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Gerenciamento baseado na Web Prof. João Henrique Kleinschmidt Gerenciamento baseado na Web Web browser Acesso ubíquo Interface Web vs Gerenciamento baseado

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação 1 Ruironaldi dos Santos Cruz ARTIGO ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO SOA SERVICE

Leia mais

Introdução ao BPEL utilizando o Oracle SOA Suíte 10g

Introdução ao BPEL utilizando o Oracle SOA Suíte 10g Introdução ao BPEL utilizando o Oracle SOA Suíte 10g 1. Introdução Neste artigo serão apresentados alguns conceitos inerentes a SOA Service Oriented Architecture e um exemplo prático de construção de processo

Leia mais

Integração Empresarial / Abordagem Estratégica

Integração Empresarial / Abordagem Estratégica Integração Empresarial / Abordagem Estratégica Enterprise Integration Billing Service Customer Representative Situação Inicial Sales Portal Customer Enterprise Systems Accounting Order Processing BSD Customer

Leia mais

Introdução à Web Services

Introdução à Web Services Introdução à Web Services Emerson Ribeiro de Mello emerson@das.ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina O que falaremos... Pra que isso? O que é Web Services A camada de protocolos O que são: XML-RPC,

Leia mais

Sistemas Distribuídos e Paralelos

Sistemas Distribuídos e Paralelos Sistemas Distribuídos e Paralelos Web Services Ricardo Mendão Silva Universidade Autónoma de Lisboa r.m.silva@ieee.org November 29, 2014 Ricardo Mendão Silva (UAL) Sistemas Distribuídos e Paralelos November

Leia mais

Aplicação de tecnologias de Web Services para definição de um modelo de arquitetura orientada a serviço (SOA)

Aplicação de tecnologias de Web Services para definição de um modelo de arquitetura orientada a serviço (SOA) Aplicação de tecnologias de Web Services para definição de um modelo de arquitetura orientada a serviço (SOA) Kléber Onélio Campos 3, André Donadel 1, José Leomar Todesco 1,2, Gregório Varvákis 1, Paulo

Leia mais

Modelos e algoritmos para composição de Web Services com qualidade de serviço. Bruno Tardiole Kuehne

Modelos e algoritmos para composição de Web Services com qualidade de serviço. Bruno Tardiole Kuehne Modelos e algoritmos para composição de Web Services com qualidade de serviço Bruno Tardiole Kuehne SERVIÇO DE PÓS-GRADUAÇÃO DO ICMC-USP Data de Depósito: Assinatura: Modelos e algoritmos para composição

Leia mais

Princípios de Sistemas Distribuídos. Tecnologias utilizadas em sistemas distribuídos Aula 5

Princípios de Sistemas Distribuídos. Tecnologias utilizadas em sistemas distribuídos Aula 5 Princípios de Sistemas Distribuídos Tecnologias utilizadas em sistemas distribuídos Aula 5 Conceitos de comunicação entre processos Interprocess Communication (IPC) Sistemas distribuídos são construídos

Leia mais

Gerenciamento de Processos de Negócio Usando Álgebra de Processos

Gerenciamento de Processos de Negócio Usando Álgebra de Processos V CONGED Congresso de Tecnologias para Gestão de Dados e Metadados do Cone Sul Gerenciamento de Processos de Negócio Usando Álgebra de Processos João Eduardo Ferreira (jef@ime.usp.br) Esta palestra é uma

Leia mais

Web Services e SOAP. Alexandre Zua CaldeiraTecnologias de Middleware 2006/2007 20.10.2006. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Web Services e SOAP. Alexandre Zua CaldeiraTecnologias de Middleware 2006/2007 20.10.2006. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Alexandre Zua Caldeira Tecnologias de Middleware 2006/2007 Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa 20.10.2006 1 Introdução Definições Limitações do Middleware Estudado Integração com Web Services

Leia mais

Criando Web Services. Palestrante: Daniel Destro do Carmo

Criando Web Services. Palestrante: Daniel Destro do Carmo Criando Web Services com Apache Axis Palestrante: Daniel Destro do Carmo Tópicos do Tutorial Introdução O que são Web Services? Padrões Web Services SOAP WSDL Web Services com Java O que é Apache Axis?

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa

Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa Web Service Plínio Antunes Garcia Sam Ould Mohamed el Hacen Sumário Introdução conceitual O Web Service

Leia mais

Introdução Serviços Web WSDL SOAP UDDI Ferramentas. Serviços Web. (Web Services) Emerson Ribeiro de Mello

Introdução Serviços Web WSDL SOAP UDDI Ferramentas. Serviços Web. (Web Services) Emerson Ribeiro de Mello 1/39 Serviços Web (Web Services) Emerson Ribeiro de Mello Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina 22 de Maio de 2007 2/39 Arquitetura Orientada a Serviços Arquitetura

Leia mais

Web Services na plataforma.net

Web Services na plataforma.net Web Services na plataforma.net Jackson Gomes de Souza 1 1 Curso de Sistemas de Informação Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA) Caixa Postal 160 77054-970 Palmas TO Brasil jgomes@ulbra-to.br

Leia mais

MADALENA PEREIRA DA SILVA SLA Sociedade Lageana de Educação DCET Departamento de Ciências Exatas e Tecnológica

MADALENA PEREIRA DA SILVA SLA Sociedade Lageana de Educação DCET Departamento de Ciências Exatas e Tecnológica MADALENA PEREIRA DA SILVA SLA Sociedade Lageana de Educação DCET Departamento de Ciências Exatas e Tecnológica Desenvolvimento de Web Services com SOAP. 1. Introdução. Com a tecnologia de desenvolvimento

Leia mais

EMML Enterprise Mashup Markup Language. Jesús Martín Talavera Portocarrero jesus140@gmail.com

EMML Enterprise Mashup Markup Language. Jesús Martín Talavera Portocarrero jesus140@gmail.com EMML Enterprise Mashup Markup Language Jesús Martín Talavera Portocarrero jesus140@gmail.com Agenda Mashup EMML Instalação do motor EMML Implantação de um script mashup EMML Testes Elementos EMML Mashup

Leia mais

Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST

Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST Jhonatan Wilson Aparecido Garbo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil jhowgarbo@gmail.com jaime@unipar.br

Leia mais

INT-3: Realistic Service Oriented Architecture Approaches Michael Boyd & Bernard Bresser

INT-3: Realistic Service Oriented Architecture Approaches Michael Boyd & Bernard Bresser Abordagens Realistas da Arquitetura Orientada a Serviços Rodrigo Baptista e Paulo Costa Progress Software Abordagens Realistas de SOA O que você verá Como implementar uma Arquitetura Orientada a Serviços

Leia mais