Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) Copyright e-core LTDA, Todos os direitos reservados.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) Copyright e-core LTDA, 2010. Todos os direitos reservados."

Transcrição

1 Arquitetura Orientada a Serviços (SOA)

2 Visão Geral e-coree Estabelecida em 1999 Escritórios rios no Brasil e EUA Aproximadamente 100 profissionais Atua em prestação de serviços offshore desde 2004

3 Roteiro O que é SOA Conceitos de Arquitetura Elementos da Arquitetura SOA Orientação a Serviços Web Services e SOA Gerações e evolução de SOA Comparação OO vs SO O que não é SOA Vantagens de SOA Conclusão 3

4 O que é SOA? SOA = solução para tudo? Nova moda, nova tecnologia Reduzir custos, diminuir tempo de desenvolvimento 4

5 Modelo Tradicional de Desenvolvimento Vida antes de SOA 1. Análise de Negócio 2. Envio de requerimentos para a área de TI 3. Análise de TI, arquitetura 4. Desenvolvimento da aplicação 5

6 Modelo tradicional de Desenvolvimento Problemas Excesso de lógica de negócio duplicada Problemas na integração 6

7 Modelo tradicional de Desenvolvimento Custo desenvolvendo Silos (ROI) Diversidade de tecnologias 7

8 Modelo SOA Novo modelo: Reuso de lógica existente * Inventário de Serviços Criar o restante da lógica 8

9 Conceitos de Arquitetura 1. Característica de desenho 2. Princípios de desenho 3. Paradigma de desenho 4. Padrão de desenho 5. Linguagem de padrões de desenho 6. Standard de desenho 7. Melhores práticas 8. Framework 9

10 Arquitetura SOA SOA Combinação de Tecnologias Produtos APIs Plataformas Extensões 10

11 Arquitetura SOA (IBM) 11

12 O que é um serviço? Orientação a Serviços Uma pessoa pode proporcionar um serviço Um grupo de pessoas também pode proporcionar um serviço 12

13 Orientação a Serviços Um serviço em software 13

14 14 Orientação a Serviços Paradigma de orientação a serviços contem os principios: - Contrato standard de serviço - Baixo Acoplamento - Abstração do serviço - Reuso - Autonomia - Falta ou delegação de estado (statelessness) - Facilidade de descoberta - Composição - Interoperabilidade

15 Orientação a Serviços 15

16 Contrato de Serviço Standard Forma em que o serviço expressa a funcionalidade: - Natureza da informação de entrada e saida - Quantidade de conteúdo - Modelos de dados - Políticas 16

17 Baixo Acoplamento Acoplamento = Relacionamento entre 2 coisas - Vários tipos de acoplamento 1) Tecnologia - Contrato 2) Lógica Contrato 3) Funcionalidade Contrato (Processo pai) - Vários níveis de acoplamento 17

18 Baixo Acoplamento 18

19 Abstração Esconder os detalhes do serviço - Só informação essencial - Limitar com o contrato - Esconder tecnologia - Esconder lógica + Contrato é uma parte importante 19

20 Reuso - Serviços Agnósticos (sem conhecimento) ao negócio - Serviços Utilitários - Granularidade + Perder controle + Limitar opções 20

21 Autonomia - Nível de controle no ambiente de execução 1) Confiabilidade 2) Previsível Especialmente quando usado em composições 21

22 Falta ou delegação de estado (Statelessness) Gerenciamento de estado - Incrementa tempo de processamento - Limita escalabilidade - Problemas de Concorrência - Limita composição + Delegar gerenciamento de estado (Sessão, Contexto, negócio) 22

23 Facilidade de Descoberta - Informação de recursos +Propósito +Capacidade +Limitações Evitar redundância Facilitar composição 23

24 Composição Dividir um problema em partes para facilitar a solução Requerimentos: -Ambiente de execução eficiente -Contrato flexível 24

25 Interoperabilidade Facilidade de comunicação e funcionamento com outros serviços. Todos os principios contribuem para a interoperabilidade. 25

26 Serviços como Web Services Opções para Representar um Serviço no mundo Real de TI SCA, WebServices 26

27 1ª Geração SOA (Web Services) SOAP, WSDL, UDDI Vantagens: HTTP, XML 27

28 XML -Indiferente à tecnologia usada. -Facilidade de descrever novos dados -Impulso das maiores Empresas (IBM, Oracle, Sun, etc) 28

29 Contrato do Serviço WSDL (Web Services Description Language) - Capacidades do serviço - Natureza da informação - Tipos de dados - Granularidade +Evitar transformações +Modelos duplicados 29 Abstração do serviço

30 Serviço como Web Service 30

31 WSDL (Contrato) UDDI (Facilidade de Descoberta) 31

32 SOAP (Mensagens WS-I Basic Profile) 32

33 2ª Geração SOA (WS-) 33

34 SOA (WS-) 34

35 Arquitetura SOA (IBM) 35

36 Problema (Communicação) Comunicação Ponto a Ponto 36 Padrão de desenho: Enterprise Service Bus (ESB)

37 Broker: - Traduzir tipos de dados - Interpretar mensagens Intermediate Routing: - Evitar ponto a ponto - Direcionar mensagens Asynchronous Queuing: - Garantia de mensagens - Escalabilidade Enterprise Server Bus 37

38 Arquitetura SOA (IBM) 38

39 Conceitos de Arquitetura para o negócio 39

40 Camadas de serviços Varios tipos de serviço dependendo da granularidade: - Tarefas de negócio (autorização, revisão, etc) - Serviço de Entidade (comprador, fatura, artigo, etc) - Serviços de utilidade ( , transformação de dados) 40

41 Tipos de Serviços 41

42 WS-BPEL,BPEL4WS (Composição) Fomentar o reuso de serviços autônomos 42

43 BPEL (Oracle) 43

44 Outras especificações (extensões): Transações: WS-Coordination, WS-Transaction, WS-AtomicTransaction, WS-BusinessActivity Política: WS-Policy, WS-PolicyAssertions Segurança: WS-Security, WS-Federation, WS-SecureConversation Extras: WS-CDL (Choreography Description Language) 44

45 Desenvolvendo SOA -Colaboração importante negócio e TI -Metodologia ágil não é tão recomendada 45

46 - Processo cíclico 46 Metodologia SOA 1) Definir processos do negócio 2) Examinar soluções existentes (bottom-up) 1) Criar inventário de serviços 2) Implementar serviços de acordo com a necessidade (top-down) + Evitar criar SOA a partir de zero + Sempre alinhar TI com o negócio

47 Arquitetura SOA (IBM) 47

48 SOA Governance 48

49 Comparação SOAD vs OOAD -Orientação a objetos é aplicado em segmentos da empresa. Para integrar aplicativos em OO, EAI era usado. (Contexto) -OO, EAI são influencias diretas de SOA: Reuso, Composição, etc. -SOA visa incrementar os benefícios de negócio (agilidade de processos), diversificar as opções de provedores e tecnologias, facilitar a integração. -Classes e objetos: Atributos e métodos. SOA tenta não utilizar estados (statelessness) -Mensagens. OOAD normalmente RPC ou similar. SOAD usa mensagens asíncronos e síncronos. -Maior parte dos serviços em SOA têm implementações com OO. 49

50 O que não é SOA -Conjunto de Web Services oferecendo acesso a código existente (Lembrar principios de desenho) -Solucão para qualquer tipo de problema. Tem que avaliar questões de negócio, benefícios, etc. -Conjunto de aplicações Silos integradas. (EAI) -SOA não é uma tecnologia totalmente nova: + OOD + AOD + EAI 50

51 Vantagens de SOA -Interoperabilidade: Facilidade de usar várias tecnologias e provedores -Facilitar o reuso: Inventário de serviços -Alinhar TI com negócio -Aumento de retorno do investimento (não nas primeiras iterações, e sim com inventario de serviços) -Agilidade na organização -Reduzir os custos de TI -Multicore, Cloud computing 51

52 Vantagens de SOA 52

53 Conclusão SOA é um modelo de arquitetura que visa melhorar a eficiência, agilidade e produtividade das empresas ou negócios. Objetivos de negócio alinhados ao paradigma de desenvolvimento orientado a serviços. Combinação de tecnologias, produtos, provedores, infraestruturas de suporte, extensões. 53

54 Referências Web -www.whatissoa.com -www.soaprinciples.com -www.soapatterns.org -www.soaspecs.com Thomas Erl. -www.ibm.com/developerworks/library/ar-soapit/ -www-01.ibm.com/software/solutions/soa/?pgel=ibmhzn&cm_re=masthead-_- business-_-soa -www.osoa.org (SCA, SDO) REST, Restlet, JSON 54

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição 15 2 Conceitos relativos a Web services e sua composição A necessidade de flexibilidade na arquitetura das aplicações levou ao modelo orientado a objetos, onde os processos de negócios podem ser representados

Leia mais

Integração Orientada a Serviços

Integração Orientada a Serviços Integração Orientada a Serviços Porto Alegre, Agosto de 2006 Agenda Sobre a e-core SOA O que é? Web Services x SOA Principal Motivação - Integração SOI ESB BPEL JBI ServiceMix Solução Proposta A Empresa

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviço

Arquitetura Orientada a Serviço Arquitetura Orientada a Fabio Perez Marzullo IEEE Body of Knowledge on Services Computing Sponsored by Technical Committee on Services Computing, IEEE Computer Society 1 SOA e Web Services SOA é um modelo

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

SOA. Fabio Perez Marzullo. Inovando seu negócio por meio de soluções orientadas a serviços. Novatec

SOA. Fabio Perez Marzullo. Inovando seu negócio por meio de soluções orientadas a serviços. Novatec SOA na prática Inovando seu negócio por meio de soluções orientadas a serviços Fabio Perez Marzullo Novatec Sumário Parte I Fundamentos técnicos da teoria de serviços... 17 Capítulo 1 Introdução à teoria

Leia mais

Interoperabilidade em SOA

Interoperabilidade em SOA c o l u n a Marcílio Oliveira (marcilio.oliveira@sensedia.com): Gerente de consultoria da Sensedia (http://www.sensedia.com/br), empresa especializada em implantação corporativa de SOA. Participou de diversos

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul QUESTÃO: 23 A questão 23 do Código de Vaga 24 - Engenharia de software e Sistemas de Informação questiona a sequencia correta de V e F das+a1:j7 três afirmativas apresentadas. A resposta do gabarito preliminar

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 14 SOA e ESB Service-Oriented

Leia mais

Porque adotar SOA. (Service Oriented Architecture) SOA. Por Ricardo de Castro Barbosa. Publicado Setembro/2008. 1 Portal BPM - www.portalbpm.com.

Porque adotar SOA. (Service Oriented Architecture) SOA. Por Ricardo de Castro Barbosa. Publicado Setembro/2008. 1 Portal BPM - www.portalbpm.com. SOA Porque adotar SOA (Service Oriented Architecture) Por Ricardo de Castro Barbosa Publicado Setembro/2008 Ricardo de Castro Barbosa é sócio da SOA- Savoir Faire (www.soa-savoirfaire.com.br) empresa dedicada

Leia mais

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Serviço Service Requisitante Consumer Service Serviço Provider Provedor consumidores processos business e processes negócios Coreografia process choreography

Leia mais

PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto. O Produto Internet e suas Aplicações

PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto. O Produto Internet e suas Aplicações Universidade de São Paulo Escola Politécnica Programa de Educação Continuada em Engenharia PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto O Produto Internet e suas Aplicações Tecnologias de Informação

Leia mais

SOA na Prática Ricardo Limonta

SOA na Prática Ricardo Limonta SOA na Prática Ricardo Limonta Arquiteto JEE Objetivo Apresentar os conceitos de Arquiteturas Orientadas a Serviços; Entender a relação entre SOA e a tecnologia Web Services; Implementar SOA com Web Services

Leia mais

Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial

Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial Sindo V. Dias Antônio C. Mosca Rogério A. Rondini Agenda Cenário do Setor de

Leia mais

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos Web Services Integração de aplicações na Web Integração de Aplicações na Web Interoperação entre ambientes heterogêneos desafios diversidade de componentes: EJB, CORBA, DCOM... diversidade de linguagens:

Leia mais

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes Microsoft.NET Lirisnei Gomes de Sousa lirisnei@hotmail.com Jair C Leite jair@dimap.ufrn.br Desenvolvimento Baseado em Componentes Resolução de problemas específicos, mas que podem ser re-utilizados em

Leia mais

acoplamento Exprime o grau de conexão entre os módulos; os módulos de um software devemapresentar um baixo coeficiente de acoplamento.

acoplamento Exprime o grau de conexão entre os módulos; os módulos de um software devemapresentar um baixo coeficiente de acoplamento. SOA Arquitetura Orientada a Serviços Conceitos e Aplicações Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com/ http://edilms.eti.br Gestão de TI Conceitode SOA SOA - Service OrientedArchitecture (Arquitetura

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 5 INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos

Leia mais

Introdução a Web Services

Introdução a Web Services Introdução a Web Services Mário Meireles Teixeira DEINF/UFMA O que é um Web Service? Web Service / Serviço Web É uma aplicação, identificada por um URI, cujas interfaces podem ser definidas, descritas

Leia mais

Web Services. (Introdução)

Web Services. (Introdução) Web Services (Introdução) Agenda Introdução SOA (Service Oriented Architecture) Web Services Arquitetura XML SOAP WSDL UDDI Conclusão Introdução Comunicação distribuída Estratégias que permitem a comunicação

Leia mais

Arquiteturas Orientadas a Serviços ESB. Enterprise Service Bus. Prof. Ricardo J. Rabelo DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos

Arquiteturas Orientadas a Serviços ESB. Enterprise Service Bus. Prof. Ricardo J. Rabelo DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos ESB Enterprise Service Bus Prof. Ricardo J. Rabelo DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos Resumo Introdução Definição Problemas atuais e Vantagens Evolução do ESB ESB versus EAI, MOM, Workfow, SOA

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Estruturação da Arquitetura Estadual de Sistemas de Informação por Meio da Orientação a Serviços

Estruturação da Arquitetura Estadual de Sistemas de Informação por Meio da Orientação a Serviços Estruturação da Arquitetura Estadual de Sistemas de Informação por Meio da Orientação a Serviços Relato de Experiência da ATI-PE WCGE 2010 20/07/2010 1 Introdução 2 Sobre a ATI Agência Estadual de Tecnologia

Leia mais

Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST

Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST Jhonatan Wilson Aparecido Garbo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil jhowgarbo@gmail.com jaime@unipar.br

Leia mais

INT-9: Implementing ESB Processes with OpenEdge and Sonic David Cleary

INT-9: Implementing ESB Processes with OpenEdge and Sonic David Cleary Implementando Processos ESB com OpenEdge e Sonic Paulo Costa Global Field Services Agenda Desenvolvendo Processos de Negócio Visão geral da tecnologia Desenvolvendo um processo de negócio do início ao

Leia mais

Introdução a Arquiteturas ESB I N S T I T U T O D E G E S TÃ O E M T E C N OLOGIA D A I N F OR M A Ç Ã O

Introdução a Arquiteturas ESB I N S T I T U T O D E G E S TÃ O E M T E C N OLOGIA D A I N F OR M A Ç Ã O Introdução a Arquiteturas ESB Uma típica sala de TV Uma TV e um DVD. Uma típica sala de TV em operação Conexão ponto a ponto entre a sala de TV e o DVD. A sala de TV dos seus sonhos Uma TV Digital, sistemas

Leia mais

Linha de Produto para BPM

Linha de Produto para BPM Linha de Produto para BPM Prof. Dr. Marcelo Fantinato m.fantinato@usp.br Sistemas de Informação, EACH/USP Agenda Fundamentos LP para BPM Estabelecimento de Contratos Exemplo de Aplicação Trabalhos em Andamento/Próximos

Leia mais

Obtendo Qualidade com SOA

Obtendo Qualidade com SOA Obtendo Qualidade com SOA Daniel Garcia Gerente de Prática BPM/SOA daniel.garcia@kaizen.com.br 11 de Novembro de 2009 Copyright 2009 Kaizen Consultoria e Serviços. All rights reserved Agenda Sobre a Kaizen

Leia mais

Trabalho de Sistemas Distribuídos

Trabalho de Sistemas Distribuídos Cássio de Olivera Ferraz Trabalho de Sistemas Distribuídos Petrópolis 2015, v-1.0 Cássio de Olivera Ferraz Trabalho de Sistemas Distribuídos Trabalho sobre sistemas distribuídos e suas tecnologias. Universidade

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços ADILSON FERREIRA DA SILVA Centro Paula Souza São Paulo Brasil afs.software@gmail.com Prof.a. Dr.a. MARILIA MACORIN DE AZEVEDO Centro

Leia mais

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB WEBSERVICES Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Compreender o que é um WebService e sua utilidade Compreender a lógica de funcionamento de um WebService Capacitar

Leia mais

SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços

SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços Sérgio Larentis Jr (Unisinos) Andrêsa Larentis (Unisinos) Jorge Barbosa (Unisinos) Sérgio Crespo C. S. Pinto (Unisinos) SBSI 2008 Roteiro

Leia mais

SOA-1: Fundamentos da Arquitetura Orientada a Serviços. Douglas Charcon System Engineer

SOA-1: Fundamentos da Arquitetura Orientada a Serviços. Douglas Charcon System Engineer SOA-1: Fundamentos da Arquitetura Orientada a Serviços Douglas Charcon System Engineer Agenda Direcionadores de Negócios Arquitetura Orientada a Serviços Enterprise Service Bus Enhanced SOA Resumo 2 Busca

Leia mais

Serviços Web: Introdução

Serviços Web: Introdução Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Objetivos Nesta aula

Leia mais

2. Gerar um arquivo XSD e referenciá-lo no WSDL, fazendo com que seja possível catalogar o XML Schema no catálogo de XML Schemas da e-ping;

2. Gerar um arquivo XSD e referenciá-lo no WSDL, fazendo com que seja possível catalogar o XML Schema no catálogo de XML Schemas da e-ping; Guia de Orientação para Implementação de Web Services Este documento apresenta alguns direcionamentos referentes à implementação de web services. É uma versão preliminar da construção do Guia de Orientação

Leia mais

SOA: Service-oriented architecture

SOA: Service-oriented architecture SOA: Service-oriented architecture Roteiro Breve História O que é Arquitetura de Software? O que é SOA? Serviços Infraestrutura Composição Sua empresa está preparada para SOA? Breve História Uma empresa

Leia mais

Workshop BPM e SOA. Conceitos sobre BPMN, BPMS, BAM e BPMM

Workshop BPM e SOA. Conceitos sobre BPMN, BPMS, BAM e BPMM Workshop BPM e SOA Conceitos sobre BPMN, BPMS, BAM e BPMM Mudanças... >> Meus sistemas estão adequados aos meus processos? Gestor de Business Com meus processos de negócio desenhado, como faço para alinhar

Leia mais

Usando Service Design Thinking para criar SOA Corporativo

Usando Service Design Thinking para criar SOA Corporativo Usando Service Design Thinking para criar SOA Corporativo Hilton Menezes 2013 Introdução Uma área de Tecnologia da Informação - TI ágil pode contribuir significativamente para que o negócio possa fazer

Leia mais

soluções transversais SOLUÇÕES middleware

soluções transversais SOLUÇÕES middleware soluções transversais SOLUÇÕES middleware RESUMO DA SOLUÇÃO ITbank framework 4g performance orquestração interoperabilidade O Middleware SOA ITBank framework 4g implementa uma arquitetura SOA com orquestração

Leia mais

Web Services. Tópicos. Motivação. Tecnologias Web Service. Passo a passo Business Web Conclusão. Integração de aplicações SOAP, WSDL, UDDI, WSFL

Web Services. Tópicos. Motivação. Tecnologias Web Service. Passo a passo Business Web Conclusão. Integração de aplicações SOAP, WSDL, UDDI, WSFL Web Services Antonio Dirceu adrvf@cin.ufpe.br Tópicos Motivação Integração de aplicações Tecnologias Web Service SOAP, WSDL, UDDI, WSFL Passo a passo Business Web Conclusão Motivação Integração de Aplicações

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação 1 Ruironaldi dos Santos Cruz ARTIGO ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO SOA SERVICE

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Goiânia 12/2011 Versionamento 12/12/2011 Hugo Marciano... 1.0

Leia mais

V JORNADA DE INTEROPERABILIDADE LOGISTICA. Ten Cel Andersonn KOHL Divisão de Comando e Controle Centro de Desenvolvimento de Sistemas

V JORNADA DE INTEROPERABILIDADE LOGISTICA. Ten Cel Andersonn KOHL Divisão de Comando e Controle Centro de Desenvolvimento de Sistemas V JORNADA DE INTEROPERABILIDADE LOGISTICA Ten Cel Andersonn KOHL Divisão de Comando e Controle Centro de Desenvolvimento de Sistemas 21 de novembro de 2013 2/83 Objetivo Conhecer o projeto da família de

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services Web Services Existem diferentes tipos de comunicação em um sistema distribuído: Sockets Invocação

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviço - Conceituação

Arquitetura Orientada a Serviço - Conceituação UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Relatórios Técnicos do Departamento de Informática Aplicada da UNIRIO n 0012/2009 Arquitetura Orientada a Serviço

Leia mais

U N IVERSID ADE FEDERAL DE PERN A MBUCO TRABALHO DE GRADUAÇÃO UTILIZAÇÃO DE ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS CAIO TIZEI DE ANDRADE LIRA

U N IVERSID ADE FEDERAL DE PERN A MBUCO TRABALHO DE GRADUAÇÃO UTILIZAÇÃO DE ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS CAIO TIZEI DE ANDRADE LIRA U N IVERSID ADE FEDERAL DE PERN A MBUCO GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2 0 0 8. 2 UTILIZAÇÃO DE ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS EM PEQUENOS NEGÓCIOS TRABALHO DE GRADUAÇÃO

Leia mais

SOA Service Oriented Architecture. Fabiano Oss fabiano.oss@gmail.com

SOA Service Oriented Architecture. Fabiano Oss fabiano.oss@gmail.com SOA Service Oriented Architecture Fabiano Oss fabiano.oss@gmail.com 1 Roteiro SOA Serviços Tecnologias para o desenvolvimento de serviços Modelagem de Negócios 2 O que é SOA É uma arquitetura de desenvolvimento

Leia mais

Arquiteturas SOA, WOA, e REST

Arquiteturas SOA, WOA, e REST Arquiteturas SOA, WOA, e REST Aplicação de Software Social Fred Figueiredo Luiz Borges Pedro Pires Arquiteturas SOA, WOA e REST Desenvolvimento de aplicações orientadas ao fornecimento de serviços que

Leia mais

MBA EM DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES JAVA SOA E INTERNET DAS COISAS

MBA EM DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES JAVA SOA E INTERNET DAS COISAS MBA EM DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES JAVA SOA E INTERNET DAS COISAS Você trabalha ou quer trabalhar com tecnologias orientadas para objetos e sua distribuição na internet usando objetos inteligentes, especialmente

Leia mais

SINS: um Ambiente para Geração de Aplicações baseadas em Serviços

SINS: um Ambiente para Geração de Aplicações baseadas em Serviços SINS: um Ambiente para Geração de Aplicações baseadas em Serviços Sérgio Larentis Júnior, Jorge Luis Victória Barbosa, Sérgio Crespo Coelho da Silva Pinto, Andrêsa Vargas Larentis Programa Interdisciplinar

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE 1. Kellen Kristine Perazzoli 2 ; Manassés Ribeiro 3

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE 1. Kellen Kristine Perazzoli 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE 1 Kellen Kristine Perazzoli 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTRODUÇÃO Atualmente empresas de diversos portes estão encontrando nos web services soluções para seus

Leia mais

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Tópicos Motivação e Objetivos LP e SOA Processo ADESE

Leia mais

HENRIQUE SHOITI FUGITA. MAPOS: Método de Análise e Projeto Orientado a Serviços

HENRIQUE SHOITI FUGITA. MAPOS: Método de Análise e Projeto Orientado a Serviços HENRIQUE SHOITI FUGITA MAPOS: Método de Análise e Projeto Orientado a Serviços SÃO PAULO 2009 HENRIQUE SHOITI FUGITA MAPOS: Método de Análise e Projeto Orientado a Serviços Dissertação apresentada à Escola

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE. Kellen Kristine Perazzoli 1, Manassés Ribeiro 2 RESUMO

INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE. Kellen Kristine Perazzoli 1, Manassés Ribeiro 2 RESUMO INTEGRAÇÃO DE APLICAÇÕES UTILIZANDO WEB SERVICE Kellen Kristine Perazzoli, Manassés Ribeiro RESUMO O grande avanço tecnológico vivenciado nos últimos anos, os web services vem sendo utilizados trazendo

Leia mais

Webservices. O que é um web service? Características. Por que web services? Tipos de web services

Webservices. O que é um web service? Características. Por que web services? Tipos de web services Webservices O que é um web service? Solução utilizada na integração de sistemas e na comunicação entre aplicações diferentes Permite que um código rodando em uma máquina (cliente) interaja com um código

Leia mais

Combinação de serviços já existentes para criar um novo serviço. jcd@cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. Composição de Serviços Com WS-BPEL

Combinação de serviços já existentes para criar um novo serviço. jcd@cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. cin.ufpe.br. Composição de Serviços Com WS-BPEL Introdução à Composição de serviços Web Júlio César Damasceno jcd@ Agenda Definição Motivação Background Arquitetura Orientada a Serviço (SOA) Computação Orientada a Serviço (SOC) Web Services Composição

Leia mais

Fernando Cardeal fcardeal@ifba.edu.br

Fernando Cardeal fcardeal@ifba.edu.br Fernando Cardeal fcardeal@ifba.edu.br Definição de SOA. Teoria de Serviços. Arquitetura de Software. E-Business. Arquiteturas Orientadas a Serviços. Padrões em SOA. Software como Serviço, Serviço como

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) ARQUITETURA DE SISTEMAS Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Definição Documento de arquitetura Modelos de representação da arquitetura Estilos arquiteturais Arquitetura de sistemas web Arquitetura

Leia mais

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com. Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.br 08/2014 Agenda Introdução Conceitos Web Service Por que utilizar

Leia mais

IBM WebSphere DataPower Integration Appliances

IBM WebSphere DataPower Integration Appliances IBM DataPower Integration Appliances Integration Appliance XI50 e Integration Blade XI50B Destaques Obtenha integração de aplicativos de maneira rápida e flexível com implementação rápida dirigida por

Leia mais

Demoiselle Framework. Palestrante: Flávio Gomes da Silva Lisboa JUN/2009

Demoiselle Framework. Palestrante: Flávio Gomes da Silva Lisboa JUN/2009 Demoiselle Framework Palestrante: Flávio Gomes da Silva Lisboa JUN/2009 Sumário Introdução Desenvolvimento de TI para Governo Elementos de Decisão Estratégia para a área de tecnologia Diretivas da Arquitetura

Leia mais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais Ambientes Visuais Inicialmente, apenas especialistas utilizavam os computadores, sendo que os primeiros desenvolvidos ocupavam grandes áreas e tinham um poder de processamento reduzido. Porém, a contínua

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 4 Infra-Estrutura de TI: Hardware e Software 2 1 OBJETIVOS

Leia mais

Success doesn't just happen. Success is planned.

Success doesn't just happen. Success is planned. EUISMOD ELEMENTUM Success doesn't just happen. Success is planned. Como expandir suas possibilidades técnicas e financeira? SOA adiciona em média 37% ao valor do salário. O livro My Job Went to India,

Leia mais

Padrões de projeto 1

Padrões de projeto 1 Padrões de projeto 1 Design Orientado Objeto Encapsulamento Herança Polimorfismo Design Patterns 2 Responsabilidades Booch e Rumbaugh Responsabilidade é um contrato ou obrigação de um tipo ou classe. Dois

Leia mais

Tendências da Arquitetura na Produção de Software

Tendências da Arquitetura na Produção de Software Tendências da Arquitetura na Produção de Software Prof. Dr. Ivanir Costa icosta11@terra.com.br mai-08 IC TECNOLOGIA EM SOFTWARE LTDA 1 Prof. Dr. Ivanir Costa Bacharel em Física pela USP Pós-Graduado em

Leia mais

Destaques Aproveite o insight de negócios ao enriquecer as mensagens de forma dinâmica com dados de aplicativos, bancos de dados e arquivos.

Destaques Aproveite o insight de negócios ao enriquecer as mensagens de forma dinâmica com dados de aplicativos, bancos de dados e arquivos. Melhore a agilidade de negócios com o Message Broker Melhore a flexibilidade e conectividade enquanto controla os custos e aumenta a satisfação do cliente Destaques Aproveite o insight de negócios ao enriquecer

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para licenças de softwares da plataforma Red Hat Linux

TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para licenças de softwares da plataforma Red Hat Linux TERMO DE REFERÊNCIA Ata de Registro de Preços para licenças de softwares da plataforma Red Hat Linux Página 1 de 43 TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO ATUALIZAÇÃO E AQUISIÇÃO DE SUBSCRIÇÃO DE LICENÇAS DO SOFTWARE

Leia mais

Arquitetura SOA SCP. Sistema de Controle Patrimonial. Pandora Tech Soluções em Software Livre. Versão Atual 1.0. Data Versão Descrição Autor

Arquitetura SOA SCP. Sistema de Controle Patrimonial. Pandora Tech Soluções em Software Livre. Versão Atual 1.0. Data Versão Descrição Autor SCP Pandora Tech Soluções em Software Livre Versão Atual 1.0 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 24/02/2010 1.0 Criação do Documento Fernando Anselmo Parte Conceito O uso de tecnologias

Leia mais

11/20/10. Resoluções: Teste de Áudio. Não suporto esses malucos de TI. Só inventam despesas. Não acredito que teremos que pagar por mais softwares.

11/20/10. Resoluções: Teste de Áudio. Não suporto esses malucos de TI. Só inventam despesas. Não acredito que teremos que pagar por mais softwares. Não suporto esses malucos de TI. Só inventam despesas. Não acredito que teremos que pagar por mais softwares. Teste de Áudio Quero adaptar os softs que já temos e você não sabe como faz e diz que não é

Leia mais

Serviços Web: Arquitetura

Serviços Web: Arquitetura Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Objetivos Nesta aula

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 2 Computação em Nuvem Desafios e Oportunidades A Computação em Nuvem

Leia mais

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Sobre entidades externas ao sistema Quais sistemas externos devem ser acessados? Como serão acessados? Há integração com o legado a ser feita?

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Mecanismos de Comunicação Protocolos de Aplicação Mecanismos de comunicação

Leia mais

Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce

Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Facilitando Negócios Conectando softwares com Magento Plataforma de E-Commerce Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Este documento

Leia mais

Extensões MIDP para Web Services

Extensões MIDP para Web Services Extensões MIDP para Web Services INF-655 Computação Móvel Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática MIDP Architecture MIDP = Mobile Information Device Profile Connection Framework HttpConnection

Leia mais

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas BPM e SOA Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Como funcionam as organizações? O que ébpm Business Process Management (BPM)

Leia mais

Iniciando um Framework de

Iniciando um Framework de c o l u n a Ricardo Ferreira (ricardo.ferreira@redhat.com): Trabalha na Red Hat do Brasil atuando como Solutions Architect e é especialista em Middleware, SOA e BPM. Com mais de 11 anos de experiência,

Leia mais

24/05/2011. Modelagem de serviços com SoaML. Agenda. SOA-Motivação

24/05/2011. Modelagem de serviços com SoaML. Agenda. SOA-Motivação Modelagem de serviços com SoaML Thaíssa Diirr, Leonardo Guerreiro Azevedo, Flávia Santoro, Fernanda Baião {thaissa.medeiros, azevedo, flavia.santoro, fernanda.baiao}@uniriotec.br NP2Tec Núcleo de Pesquisa

Leia mais

The OWASP Foundation

The OWASP Foundation Segurança Computacional no Desenvolvimento de Web Services 28/10/2009 Júlio Cézar Estrella, Douglas Rodrigues, Kalinka R. L. J. C. Branco, Regina H. C. Santana, Marcos José Santana Instituto de Ciências

Leia mais

Middleware Orientado a Mensagens Visão Geral Comunicação Gerenciamento de Filas Padrões e Produtos 1 Middleware Orientado a Mensagens RPC/RMI é inadequado para comunicação em alguns cenários de aplicação

Leia mais

SOA. Service Oriented Architecture. Maxmiliano Franco Braga

SOA. Service Oriented Architecture. Maxmiliano Franco Braga SOA Service Oriented Architecture Maxmiliano Franco Braga Agenda O que é? SOA Glossário de SOA Vantagens e Cuidados Exemplos Viagem Restaurante Processos do MP O que é SOA? [1] Service Oriented Architecture

Leia mais

Service Oriented Architectures

Service Oriented Architectures Service Oriented Architectures Uma abordagem evolutiva Manager, IT Middleware Vodafone Portugal Mario.saraiva@vodafone.com Agenda 1. O desafio da Integração O princípio do Middleware, ActiveWorks e Middleware

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Web Services. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Web Services. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Web Services Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br SUMÁRIO Visão geral Arquitetura Web Services Desenvolvimento 2 Visão Geral Web Services Usados para disponibilizar serviços na

Leia mais

IBM Software. Otimize seus ambientes de SOA, B2B e nuvem com WebSphere DataPower Agosto de 2011

IBM Software. Otimize seus ambientes de SOA, B2B e nuvem com WebSphere DataPower Agosto de 2011 IBM Software Otimize seus ambientes de SOA, B2B e nuvem com WebSphere DataPower Agosto de 2011 2 Otimize seus ambientes de SOA, B2B e nuvem com WebSphere DataPower Destaques Amplie os serviços de negócios

Leia mais

APLICATIVOS DO ORACLE HEALTH INSURANCE BACK OFFICE: SOLUÇÕES FLEXÍVEIS PARA SISTEMAS COMPLEXOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICA

APLICATIVOS DO ORACLE HEALTH INSURANCE BACK OFFICE: SOLUÇÕES FLEXÍVEIS PARA SISTEMAS COMPLEXOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICA APLICATIVOS DO ORACLE HEALTH INSURANCE BACK OFFICE: SOLUÇÕES FLEXÍVEIS PARA SISTEMAS COMPLEXOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICA OFERECE SUPORTE A PROCESSOS DE NEGÓCIOS ESSENCIAIS EM SISTEMAS PÚBLICOS E PRIVADOS PRINCIPAIS

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UTFPR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EDIJUNIOR RELL

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UTFPR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EDIJUNIOR RELL UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UTFPR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EDIJUNIOR RELL IMPLEMENTAÇÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS COM BPEL TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO

Leia mais

Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009. Possibilitando negócios ágeis e inteligentes

Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009. Possibilitando negócios ágeis e inteligentes Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009 Possibilitando negócios ágeis e inteligentes Aviso de isenção de responsabilidade A intenção do texto a seguir é delinear o direcionamento geral do nosso produto.

Leia mais

AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA.

AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA. AUTOMAÇÃO SUPERVISÃO E CONTROLE E A APLICAÇÃO DA ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇOS SOA. Uma significativa parcela dos sistemas de automação de grandes empresas são legados de tecnologias de gerações anteriores,

Leia mais

Escrito por Ricardo de Castro Barbosa Sex, 29 de Abril de 2011 00:56 - Última atualização Sex, 29 de Abril de 2011 01:03

Escrito por Ricardo de Castro Barbosa Sex, 29 de Abril de 2011 00:56 - Última atualização Sex, 29 de Abril de 2011 01:03 Notícias sobre o SOA + Cloud Symposium Último dia Brasília, 28 de Abril de 2011 O evento de hoje teve como abertura a palestra SOA 2011, com Anne Thomas Mane, do Gartner. Anne iniciou com uma breve história

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE INFORMÁTICA APLICADA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE INFORMÁTICA APLICADA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE INFORMÁTICA APLICADA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Uma Abordagem Prática para Desenvolvimento de Web Services com Contract-First

Leia mais

MADALENA PEREIRA DA SILVA SLA Sociedade Lageana de Educação DCET Departamento de Ciências Exatas e Tecnológica

MADALENA PEREIRA DA SILVA SLA Sociedade Lageana de Educação DCET Departamento de Ciências Exatas e Tecnológica MADALENA PEREIRA DA SILVA SLA Sociedade Lageana de Educação DCET Departamento de Ciências Exatas e Tecnológica Desenvolvimento de Web Services com SOAP. 1. Introdução. Com a tecnologia de desenvolvimento

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa

Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa Web Service Plínio Antunes Garcia Sam Ould Mohamed el Hacen Sumário Introdução conceitual O Web Service

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS. Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS. Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada Sérgio Larentis Junior SINS Um Ambiente para Geração de Aplicações Baseadas em Serviços Sérgio Larentis

Leia mais

REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos

REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos Márcio Alves de Araújo¹, Mauro Antônio Correia Júnior¹ 1 Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Monte Carmelo MG Brasil

Leia mais

MATURIDADE DE PLATAFORMAS SOA OPEN SOURCE VS PROPRIETÁRIOS

MATURIDADE DE PLATAFORMAS SOA OPEN SOURCE VS PROPRIETÁRIOS KOSTYANTYN MYROSHNYCHENKO MATURIDADE DE PLATAFORMAS SOA OPEN SOURCE VS PROPRIETÁRIOS Orientador: Professor Rui Ribeiro Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Lisboa 203 KOSTYANTYN MYROSHNYCHENKO

Leia mais

Anexo VI Edital nº 03361/2008. Projeto de Integração das informações de Identificação Civil. 1. Definições de interoperabilidade adotadas pela SENASP

Anexo VI Edital nº 03361/2008. Projeto de Integração das informações de Identificação Civil. 1. Definições de interoperabilidade adotadas pela SENASP Anexo VI Edital nº 03361/2008 Projeto de Integração das informações de Identificação Civil 1. Definições de interoperabilidade adotadas pela SENASP A Senasp procura adotar os padrões de interoperabilidade

Leia mais