Procedimento Especial de Despejo / BNA. II Congresso NRAU 30 de Outubro de 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Procedimento Especial de Despejo / BNA. II Congresso NRAU 30 de Outubro de 2015"

Transcrição

1

2 Procedimento Especial de Despejo / BNA II Congresso NRAU 30 de Outubro de 2015

3 II Congresso Novo Regime Arrendamento Urbano Local: Hotel Altis Park - Lisboa Data: 30 de Outubro de 2015 Procedimento Especial de Despejo / BNA António Raposo Subtil (Coordenador RSA LP)

4 II Congresso do Regime de Arrendamento Urbano Procedimento Especial de Despejo\BNA I Breves considerações sobre o Regime do Procedimento Especial de Despejo

5 Objectivos da Reforma Legislativa Lei 31/2012, de 14 de Agosto (alterada pela Lei 79.º/2014, de 19 de Dezembro) cria o Procedimento Especial de Despejo (PED) A alteração ao regime substantivo, vertido no CC (liberdade contratual) a reforma legislativa pretendeu: A revisão do sistema de transição dos contratos para o NRAU (atualização das rendas) A agilização do procedimento de despejo (desjudicialização via BNA)

6 Regime Processual Misto e Complexo Procedimento extrajudicial/especial de despejo (via BNA) - Art. 15 NRAU Acção Executiva para Pagamento de Quantia Certa Rendas, Encargos e Despesas (também aplicável aos fiadores) - Art. 14-A NRAU (viatribunal) Procedimentos específicos Procedimento Despejo e Cobrança: Cumulação do pedido de despejo com o pedido de pagamento de rendas, encargos e despesas Art. 15, n.º 5 do NRAU (via BNA) Acção Executiva Cumulativa de despejo e pagamento de rendas fundada em sentença (viatribunal) Acção Declarativa de despejo para cessação do contrato (viatribunal) Nos casos em que é a única via para obter a cessação do contrato de arrendamento ex. alíneas a) a e) do n.º 2 do art do CC Nota: Carácter facultativo dos instrumentos novos (PED)

7 Estrutura do Mecanismo / PED Âmbito de Aplicação do Mecanismo Especial de Despejo Quando: O contrato de arrendamento cessou nas situações consagradas no art. 15.º, n.º 2 do NRAU (títulos do procedimento no BNA), e O arrendatário não desocupe o locado na data prevista na lei ou na data fixada por convenção das partes A acção de despejo propriamente dita e o procedimento (extrajudicial) especial de despejo (PED) constituem MEIOS RÍGIDOS à disposição do senhorio, dado que só o direito à resolução do contrato por falta de pagamento de rendas pode ser exercido judicial ou extrajudicialmente. [vide art. 14.º e 15.º do NRAU e artigo 1048.º CC]

8 Âmbito da Fase Extrajudicial do PED O procedimento extrajudicial especial de despejo é o meio processual que se destina a efectivar a cessação do contrato de arrendamento, quando o arrendatário não desocupe o locado, MAS: Só podem servir de base ao procedimento os títulos mencionados no n.º 2 do art. 15.º do NRAU (que deixaram de ser designados por títulos executivos ). (Lei 31/2012 de 14 de Agosto) Novidade (Lei 79/2014 de 19 de Dezembro) Só se aplica aos contratos de arrendamento em relação aos quais o senhorio tenha diligenciado pelo seu registo junto da administração fiscal e cumprido todas as obrigações tributárias relativas ao mesmo Face às dificuldades surgidas em fazer prova do pagamento do imposto de selo - sobretudo nos contratos antigos - em alternativa à junção de tal comprovativo, poderá ser junto o comprovativo do pagamento de IRS ou IRC relativo aos últimos quatro anos e do qual constem as rendas relativas ao locado, salvo se o contrato for mais recente.

9 Formas de Apresentação do Requerimento de Despejo Via Citius: Quando o requerente esteja representado por mandatário, aplicando-se com as necessárias adaptações o disposto na Portaria 114/2008 (acesso eletrónico aos tribunais) Formas de apresentação do requerimento de despejo Via electrónica: Através do preenchimento do formulário disponível na página informática do BNA, com recurso à assinatura digital constante do cartão do cidadão (nesta situação é apresentado directamente pelo requerente, via página do BNA) Entrega em papel: Devidamente preenchido e assinado é entregue numa das secretarias judiciais competentes para recepcionar o mesmo e, posteriormente, o remeter ao BNA (nesta situação é a secretaria judicial que preenche o formulário constante da página do BNA)

10 Formas de Notificação ao Requerido via BNA Após verificar que o requerimento de despejo reúne as condições necessárias para ser aceite, O BNA expede imediatamente notificação para o requerido, por carta registada com aviso de recepção, para, em 15 dias, este: [art. 15.º-D, n.º 1 da Lei 6/2006 ] 1. Desocupar o locado e, simultaneamente, proceder ao pagamento das quantias peticionadas pelo requerente; 2. Deduzir oposição à pretensão formulada pelo requerente e, simultaneamente, requerer o diferimento da desocupação do locado, caso se trate de imóvel arrendado para habitação; 3. Requerer apenas o diferimento da desocupação do locado, nos termos do disposto nos artigos 15.ºN e 15.º O do NRAU, no caso de se tratar de um arrendamento para fins habitacionais.

11 Decisão do BNA / Títulos via PED O BNA converte o requerimento de despejo em título para desocupação do locado (não tendo ocorrido voluntariamente a desocupação do imóvel): Quando o arrendatário, depois de notificado, não deduza oposição no respectivo prazo e/ou pedido de diferimento da desocupação [al. a) do n.º 1 do art. 15.º-E do NRAU, conjugada com o art. 11.º do DL 1/2013] Quando deduza oposição mas não preste caução no valor das rendas, encargos ou despesas em atraso, até ao valor máximo correspondente a seis rendas [al. b) do n.º 1 do art. 15.º-E do NRAU] Na pendência do procedimento especial de despejo, o requerido não proceder ao pagamento ou depósito das rendas que se forem vencendo [al. c) do n.º 1 do art. 15.º-E do NRAU]

12 Oposição ao Despejo e Requerimentos Avulsos (a reenviar para o Tribunal) Os autos são igualmente apresentados à distribuição sempre que se suscite QUESTÃO SUJEITA A DECISÃO JUDICIAL (art. 15.º H, n.º 4) IMPUGNAÇÃO do título de desocupação (tramitação específica em Tribunal) art. 15.º - P OPOSIÇÃO ao pedido de despejo (implica a distribuição em Tribunal) art.º15 - F Alternativas/ Vicissitudes Pedido de DIFERIMENTO da desocupação (tramitação específica em Tribunal) art.º 15.º - N Requerimento para autorização judicial de entrada imediata no domicílio (decisão judicial) art.15.º- L Pedido de SUSPENSÃO do despejo (tramitação específica em Tribunal) art.º15.º - M

13 II Congresso do Regime de Arrendamento Urbano Procedimento Especial de Despejo / BNA II Análise crítica da eficácia do Procedimento Especial de Despejo

14 Análise crítica da eficácia do PED O 1.º Relatório da CMRAU Junho de 2013 O Procedimento Especial de Despejo Os Números 1º Relatório da Comissão de Monitorização do NRAU (CMRAU): PED em Números: pedidos de despejo deram entrada no BNA, até Janeiro de 2014; 68% dos pedidos são relativos a contratos de arrendamento habitacional celebrados após 1990; 90,68% têm fundamento na falta de pagamento de rendas, encargos ou despesas; Dos pedidos foram recusados (aproximadamente 44,60%); 60% dos casos de recusa devem-se à falta ou deficiência na comunicação do senhorio da resolução do contrato.

15 Análise crítica da eficácia do PED O 2.º Relatório da CMRAU Janeiro de 2014 O Procedimento Especial de Despejo Os números 2º Relatório da Comissão de Monitorização do NRAU (CMRAU): PED em Números: Foram emitidos 829 títulos de desocupação, o que equivale a 59,81% dos requerimentos recebidos (no 1º Relatório eram apenas transformados em títulos de desocupação 8,51% dos requerimentos); Principais problemas apontados prendem-se com desconhecimento do funcionamento PED por parte dos senhorios e fraca preparação dos funcionários judiciais, o que conduz a uma elevada percentagem de recusas assim que dão entrada no BNA.

16 Análise crítica da eficácia do PED O 3.º Relatório da CMRAU Maio de 2014 O Procedimento Especial de Despejo Os números 3º Relatório da Comissão de Monitorização do NRAU (CMRAU): PED em Números: 63% dos requerimentos de despejo apresentados foram convertidos em título de desocupação do locado Dificuldades na utilização do PED decorrentes da exigência legal de apresentação do comprovativo de liquidação do Imposto de Selo, por parte do senhorio, relativo ao contrato de arrendamento (situação já alterada pela Lei 79.º/2014, de 19 de Dezembro) ;

17 Análise crítica da eficácia do PED Dificuldades de Implementação O Procedimento Especial de Despejo Os desafios Dificuldades de implementação: Falta de unicidade e correspondência lógica entre os vários diplomas existentes que dificultam a apreensão da tramitação do PED; Rigidez dos mecanismos, nomeadamente na fase inicial do PED, que se repercutem na falta celeridade e na complexificação do sistema; Falta de adaptabilidade às situações e aos contratos mais antigos; Fragilidade dos direitos de defesa do arrendatário, directamente ligadas com o efeito meramente devolutivo da impugnação do título de desocupação e do recurso art. 15.º - Q

18 Análise crítica da eficácia do PED Outras considerações Outras considerações: O Procedimento Especial de Despejo As questões O Regime do PED incutiu mudanças visíveis e qualitativas no regime do despejo? A introdução do PED permitiu atingir os objectivos de celeridade e simplicidade processual, subjacentes à sua criação? A avaliação deste novo regime passará pela preferível opção de manutenção do antigo regime (em especial, títulos executivos art 15.º NRAU?) Em suma, facilitou os despejos e retirou processos do Tribunal? Existe a tão almejada desjudicialização?

19 Análise crítica da eficácia do PED Sound Bites SOUND BITES Procedimento Especial de Despejo: Os dados enviados Ministério da Justiça, recolhidos diretamente da aplicação informática, mostram que praticamente metade (49,5 por cento) das ações de despejo foi recusada (Antena 1, 12 de Novembro de 2014); Desde 2013, o Balcão Nacional do Arrendamento recebeu mais de 10 mil títulos de despejo. Mais de metade foi recusada. Só no primeiro semestre de 2015 foram aprovados 929 (Jornal de Negócios, 17 de Julho de 2015) O principal motivo de rejeição é a falta de notificação do proprietário, ou seja, uma burocracia que faz com que proprietários e inquilinos, embora por razões diferentes, sejam contra a existência deste balcão que prometia ser uma via verde para os despejos (RTP 1, 12 de Novembro de 2014);

20 Recurso Artigo 15.º Q Recurso da decisão judicial para a desocupação do locado Independentemente do valor da causa e da sucumbência, da decisão judicial para desocupação do locado cabe sempre recurso de apelação, nos termos do Código de Processo Civil, o qual tem sempre efeito meramente devolutivo (artigo 692 CPC efeito suspensivo [artigo. 647.º/3/b] É de realçar que não se procede à alteração do art. 629.º do CPC, o qual prevê as decisões que admitem recurso, de forma a contemplar a admissibilidade de recurso da decisão judicial para desocupação independentemente do valor da causa e da sucumbência ( é sempre admissível recurso para a Relação: nas acções em que se aprecie a validade, a subsistência ou a cessação dos contratos de arrendamento, com excepção dos arrendamentos para habitação não permanente ou fins especiais transitórios)

21 II Congresso do Regime de Arrendamento Urbano Procedimento Especial de Despejo / BNA III Análise sumária de algumas decisões judiciais

22 Análise de Decisões Judiciais Acórdão 1 Fases Acórdão 2 Manutenção Competência Tribunais Acórdão 3 Envio Helpdesk Acórdão do Tribunal da Relação do Porto, Processo 491/15.5YLPRT.P1 Divisão de Competências e fases estanques: Todavia, não pode lançar mão da possibilidade de recusa do requerimento, que é exclusiva da fase administrativa, junto do Balcão Nacional do Arrendamento, como decorre do art. 15º-C da Lei n.º6/2006, na redacção da Lei n.º31/2012 ; A entender-se que sempre poderia recusar a petição por falta de causa de pedir, seria de interpretar restritivamente a norma referente ao conhecimento de nulidade, do art. 15º-H da Lei n.º6/2006, quando tal conduzisse à renovação ou repetição da competência da entidade administrativa. Acórdão do Tribunal da Relação de Guimarães, Processo 1913/13.5TBFG Competência dos Tribunais (Acções de Despejo): Os Tribunais judiciais mantêm competência para conhecer as causas relativas a despejo, por via de resolução do contrato de arrendamento verbal, com fundamento no não pagamento de rendas. Acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa, Processo 1980/13.1YLPRT Papel do Mandatário: Segundo, porque não havia nada para apurar pois sabe-se que o mandatário enviou a peça processual para o helpdesk do site do BNA.

23 Análise de Decisões Judiciais Acórdão 4 Impedimento Exercício do Direito Acórdão 5 Extinção do PED e extinção da Instância Acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa, Processo 2563/14.4YLPRT Efeitos da Caução: A prestação da caução exigida no art. 15º-F, n.º3 do NRAU ( ) não está condicionada à existência de ora no pagamento das rendas devidas e funciona como condição necessária ao exercício do direito de oposição a apresentar pelo arrendatário no âmbito do PED, que corre termos no BNA ; Não sendo apresentado documento comprovativo do pagamento dessa caução juntamente com a oposição, esta considera-se não deduzida ( ). Acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa, Processo 696/14.6YLPRT Cumulação de Pedidos e Extinção do PED: A extinção do PED prevista no n.º1 do art.15º-g do NRAU, por qualquer uma das causas aí indicadas ( ) só opera quando o procedimento se encontra ainda na fase que decorre no BNA. ; A extinção do PED prevista no art.15º-g citado não é tecnicamente a extinção da instância prevista no art.277º do CPC ou uma das suas causas, a inutilidade superveniente da lide ; Quando a desocupação do locado ocorre já depois de deduzida oposição e estando o processo na sua fase judicial, após distribuição, as consequências hão-de ser analisadas à luz do CPC e não daquele art.15º-g ; Essas consequências são a extinção da instância por inutilidade superveniente da lide quanto ao pedido de despejo, dada a desocupação do locado, ao abrigo do art.277º, al.e) do CPC, mas prosseguimento dos autos para decisão do outro pedido, o de condenação no pagamento das rendas

24 Análise de Decisões Judiciais Acórdão 6 Carácter Facultativo Acórdão 7 Benfeitorias Art. 29 NRAU Acórdão do Tribunal da Relação de Guimarães, Processo 15/14.1T8PTL Carácter Facultativo: As alterações introduzidas pela Lei n.º31/2012 ( ) ao regime jurídico do arrendamento urbano não modificaram o sentido imperativo da maioria da doutrina e jurisprudência no que tange ao carácter facultativo do uso dos instrumentos processuais de natureza judicial ou extrajudicial para fazer cessar o contrato de arrendamento, antes visaram aperfeiçoar a sua eficácia, criando um novo instrumento ; O PED não se aplica quando esteja em causa um pedido dirigido contra um devedor subsidiário, como o fiador. Acórdão do Tribunal da Relação do Porto, Processo 1572/13.5YLPRT Reconvenção, Compensação e Benfeitorias: No âmbito do mesmo (PED) não é admissível deduzir reconvenção invocando os requeridos o direito a serem indemnizados pela realização de benfeitorias no arrendado, uma vez que o procedimento só comporta dois articulados, requerimento inicial e oposição ; Os requerimentos, em sede de oposição, apenas, podem invocar a compensação de um crédito devido a benfeitorias no caso de os requerentes terem deduzido o seu pedido de despejo cumulativamente com o pedido de pagamento de rendas, encargos ou despesas, nos termos do n.º5 do art.15º da Lei n.º6/2006.

25 Portugal Rua Bernardo Lima 3, , Lisboa T F Angola Presidente Business Center, Sala 402, Largo 17 de Setembro, Luanda T. e F Brasil São Paulo Edifício San Paolo Av. Brigadeiro Faria Lima, Andar São Paulo SP Brasil T F Brasil Nordeste Pernambuco Sede Rua da Hora, 692, Espinheiro Recife PE CEP T F Cabo Verde Prédio Garantia, 1.º Esq Caixa Postal n.º 107 Santa Maria Ilha do Sal, Cabo Verde T F Moçambique Av. Kenneth Kaunda, 609, Maputo Moçambique T. e F.:

Projeto de Decreto-Lei de regulamentação do Balção Nacional do Arrendamento. Preâmbulo

Projeto de Decreto-Lei de regulamentação do Balção Nacional do Arrendamento. Preâmbulo Projeto de Decreto-Lei de regulamentação do Balção Nacional do Arrendamento Preâmbulo A Lei n.º 31/2012, de 27 de fevereiro aprovou medidas destinadas a dinamizar o mercado de arrendamento urbano, alterando

Leia mais

meses ou por oposição pelo arrendatário à realização de obras coercivas.

meses ou por oposição pelo arrendatário à realização de obras coercivas. Lei n.º 31/2012, de 14 de Agosto, que procede à revisão do regime jurídico do arrendamento urbano, alterando o Código Civil, o Código de Processo Civil e a Lei n.º 6/2006, de 27 de fevereiro A reforma

Leia mais

Área de Prática - Imobiliário. Junho 2012. Alterações ao Regime do Arrendamento Urbano. I - Rendas Antigas

Área de Prática - Imobiliário. Junho 2012. Alterações ao Regime do Arrendamento Urbano. I - Rendas Antigas Área de Prática - Imobiliário Junho 2012 Alterações ao Regime do Arrendamento Urbano Foi aprovada na Assembleia da República a Proposta de Lei n.º 38/XII/1.ª, que procede à revisão do regime jurídico do

Leia mais

CONFERÊNCIA Novo Regime do Alojamento Local implicações e aplicação na prática

CONFERÊNCIA Novo Regime do Alojamento Local implicações e aplicação na prática CONFERÊNCIA Novo Regime do Alojamento Local implicações e aplicação na prática CONFERÊNCIA Novo Regime do Alojamento Local implicações e aplicação na prática Local: Sala da Assembleia Municipal da Câmara

Leia mais

ARRENDAMENTO URBANO. Novo Regime do ANOTADO E COMENTADO MANTEIGAS MARTINS CARLOS NABAIS CARLA SANTOS FREIRE JOSÉ M. RAIMUNDO

ARRENDAMENTO URBANO. Novo Regime do ANOTADO E COMENTADO MANTEIGAS MARTINS CARLOS NABAIS CARLA SANTOS FREIRE JOSÉ M. RAIMUNDO MANTEIGAS MARTINS CARLOS NABAIS CARLA SANTOS FREIRE JOSÉ M. RAIMUNDO Novo Regime do ARRENDAMENTO URBANO ANOTADO E COMENTADO INCLUI: Código Civil Regime da Locação Regime do Arrendamento Urbano Alteração

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DO MINIJO CURSO DE DIREITO CADEIRA OPCIONAL RECURSOS E PROCESSOS ESPECIAIS ANO LECTIVO 2005-2006 5º ANO 2º SEMESTRE

ESCOLA DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DO MINIJO CURSO DE DIREITO CADEIRA OPCIONAL RECURSOS E PROCESSOS ESPECIAIS ANO LECTIVO 2005-2006 5º ANO 2º SEMESTRE ESCOLA DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DO MINIJO CURSO DE DIREITO CADEIRA OPCIONAL RECURSOS E PROCESSOS ESPECIAIS ANO LECTIVO 2005-2006 5º ANO 2º SEMESTRE 6 de Junho de 2006 Nome: N.º Leia atentamente as questões

Leia mais

Derrogação do sigilo bancário em matéria fiscal. Samuel Fernandes de Almeida

Derrogação do sigilo bancário em matéria fiscal. Samuel Fernandes de Almeida Derrogação do sigilo bancário em matéria fiscal Samuel Fernandes de Almeida Introdução O problema político da humanidade écombinar três coisas: eficiência económica, justiça social e liberdade individual

Leia mais

SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS Novo regime

SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS Novo regime SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS Novo regime Lisboa, 2014 www.bportugal.pt http://clientebancario.bportugal.pt SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS 3.ª reedição, janeiro de 2016 Banco de Portugal Av. Almirante Reis, 71

Leia mais

COMPETÊNCIAS E FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS

COMPETÊNCIAS E FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA ASSUNTO COMPETÊNCIAS E FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS QUESTÃO A autarquia pretende que a CCDR LVT se pronuncie relativamente à possibilidade de existência

Leia mais

REVISÃO DO REGIME JURÍDICO DO ARRENDAMENTO URBANO (NRAU)

REVISÃO DO REGIME JURÍDICO DO ARRENDAMENTO URBANO (NRAU) REVISÃO DO REGIME JURÍDICO DO ARRENDAMENTO URBANO (NRAU) AGILIZAÇÃO DO MECANISMO / PROCEDIMENTO DE DESPEJO: (LEI Nº 31/2012, de 14 de Agosto, DL Nº 1/2013, de 7 de Janeiro, PORTARIA Nº 9/2013, de 10 de

Leia mais

Reforma do Regime dos Recursos em Processo Civil. (Decreto-Lei n.º 303/2007, de 24 de Agosto)

Reforma do Regime dos Recursos em Processo Civil. (Decreto-Lei n.º 303/2007, de 24 de Agosto) Reforma do Regime dos Recursos em Processo Civil (Decreto-Lei n.º 303/2007, de 24 de Agosto) Sumário Aplicação da lei no tempo e regime dos recursos em legislação extravagante Simplificação do regime de

Leia mais

Nota informativa. Internacionalização de PME com incentivos de 70 milhões Aviso nº 01/SI/2014

Nota informativa. Internacionalização de PME com incentivos de 70 milhões Aviso nº 01/SI/2014 Nota informativa Internacionalização de PME com incentivos de 70 milhões Aviso nº 01/SI/2014 Já se encontra republicado, com a alteração de 23 de janeiro de 2015, o Aviso nº 01/SI/2014, para apresentação

Leia mais

NOVO REGIME DO ARRENDAMENTO URBANO

NOVO REGIME DO ARRENDAMENTO URBANO compilações legislativas VERBOJURIDICO NOVO REGIME DO ARRENDAMENTO URBANO INCLUI LEGISLAÇÃO REVOGADA NÃO DISPENSA A CONSULTA DO DIÁRIO DA REPÚBLICA verbojuridico ABRIL 2006 VERBOJURIDICO NOVO REGIME DO

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 38/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 38/XII. Exposição de Motivos Exposição de Motivos A presente proposta de lei inscreve-se num amplo e profundo conjunto de reformas centrado na aposta clara do XIX Governo Constitucional na dinamização do mercado de arrendamento, na

Leia mais

Algumas considerações sobre o Novo Regime de Arrendamento Urbano

Algumas considerações sobre o Novo Regime de Arrendamento Urbano Luísa Lopes Mestre em Direito, Advogada Docente do Instituto Superior de Ciências Empresariais e Turismo (ISCET) Algumas considerações sobre o Novo Regime de Arrendamento Urbano Delegação de Matosinhos

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECIAL DE DESPEJO E BALCÃO NACIONAL DO ARRENDAMENTO (LEI N.º 31/2012; DECRETO-LEI N.º 1/2013; PORTARIA N.º 9/2013)

PROCEDIMENTO ESPECIAL DE DESPEJO E BALCÃO NACIONAL DO ARRENDAMENTO (LEI N.º 31/2012; DECRETO-LEI N.º 1/2013; PORTARIA N.º 9/2013) Fevereiro 2013 Direito Imobiliário A Livraria Almedina e o Instituto do Conhecimento da Abreu Advogados celebraram em 2012 um protocolo de colaboração para as áreas editorial e de formação. Esta cooperação

Leia mais

Curso Intensivo sobre Processo Especial de Revitalização

Curso Intensivo sobre Processo Especial de Revitalização Curso Intensivo sobre Processo Especial de Revitalização Finalidade e Natureza do PER António Raposo Subtil ENQUADRAMENTO ANTECEDENTES Memorando assinado com a Troika; Resolução do Conselho de Ministros

Leia mais

Nova lei do arrendamento em vigor no próximo mês de Novembro Síntese das principais alterações

Nova lei do arrendamento em vigor no próximo mês de Novembro Síntese das principais alterações Nova lei do arrendamento em vigor no próximo mês de Novembro Síntese das principais alterações A revisão do regime do arrendamento urbano foi finalmente aprovada pela Lei nº 31/2012, de 14 de Agosto, a

Leia mais

FICHA INFORMATIVA SISAAE/GPESE

FICHA INFORMATIVA SISAAE/GPESE Câmara dos Solicitadores Colégio de Especialidade de Agentes de Execução Número 6/2012 Data: 06/03/2012 FICHA INFORMATIVA SISAAE/GPESE Descrição: Comunicações com os tribunais e actualização estatística

Leia mais

Anexo 4. (Minuta para contratos sem obras a realizar pelo inquilino)

Anexo 4. (Minuta para contratos sem obras a realizar pelo inquilino) Anexo 4 (Minuta para contratos sem obras a realizar pelo inquilino) CONTRATO DE ARRENDAMENTO URBANO PARA FIM HABITACIONAL NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE RENDA CONVENCIONADA (Prazo Certo Artigo 1095.º do Código

Leia mais

SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS

SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS Lisboa, 2013 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Supervisão Comportamental

Leia mais

Nova Lei do Arrendamento Urbano

Nova Lei do Arrendamento Urbano Agosto de 2012 Nova Lei do Arrendamento Urbano O objectivo da presente reforma é criar um mercado de arrendamento, que, em conjunto com o impulso à reabilitação urbana, possa oferecer aos portugueses soluções

Leia mais

ARBITRAGEM VOLUNTÁRIA

ARBITRAGEM VOLUNTÁRIA (Até às alterações do Decreto Lei n.º 38/2003, de 08 de Março) ARBITRAGEM VOLUNTÁRIA CAPÍTULO I Artigo 1.º Convenção de arbitragem 1 - Desde que por lei especial não esteja submetido exclusivamente a tribunal

Leia mais

Sumário. Assuntos: - Acção de despejo - Pedidos cumulativos - Pagamento das rendas - Compatibilidade da forma processual

Sumário. Assuntos: - Acção de despejo - Pedidos cumulativos - Pagamento das rendas - Compatibilidade da forma processual Recurso nº 69/2003 30 de Outubro de 2003 Assuntos: - Acção de despejo - Pedidos cumulativos - Pagamento das rendas - Compatibilidade da forma processual Sumário 1. O pedido de pagamento das rendas é deduzido

Leia mais

Simulação de Crédito Pessoal

Simulação de Crédito Pessoal Simulação de Crédito Pessoal Data de Impressão: 15-10-2013 12:35 Número de Simulação: 13892037 Resumo Prestação Comissão de Processamento (mensal) (Acresce Imposto do Selo à Taxa em vigor) Seguro de Vida

Leia mais

Regime Jurídico das Obras em Prédios Arrendados

Regime Jurídico das Obras em Prédios Arrendados Regime Jurídico das Obras em Prédios Arrendados A Lei n.º 6/2006, de 27 de Fevereiro, aprovou o Novo Regime do Arrendamento Urbano (NRAU), dando resposta à necessidade, por todos sentida, de reformar profundamente

Leia mais

DERROGAÇÃO DE SIGILO BANCÁRIO

DERROGAÇÃO DE SIGILO BANCÁRIO Delegação de Viana do Castelo Direcção de Finanças de Viana do Castelo DERROGAÇÃO DE SIGILO BANCÁRIO CONFERÊNCIA jesuinoamartins@gmail.com 04.06.2015 Atribuições da AT No conjunto das actividades desenvolvida

Leia mais

ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL

ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL Os regimes dos Golden Visa e dos Residentes Não Habituais Enquadramento legal António Raposo Subtil / João Ricardo Nóbrega (Managing Partners RSA) ENQUADRAMENTO

Leia mais

O PROCEDIMENTO ESPECIAL DE DESPEJO (REVISITANDO O INTERESSE PROCESSUAL E TESTANDO A COMPATIBILIDADE CONSTITUCIONAL)

O PROCEDIMENTO ESPECIAL DE DESPEJO (REVISITANDO O INTERESSE PROCESSUAL E TESTANDO A COMPATIBILIDADE CONSTITUCIONAL) O PROCEDIMENTO ESPECIAL DE DESPEJO (REVISITANDO O INTERESSE PROCESSUAL E TESTANDO A COMPATIBILIDADE CONSTITUCIONAL) ELIZABETH FERNANDEZ A Autora começa por enunciar as formas de cessação do contrato de

Leia mais

Freguesia de Requião

Freguesia de Requião Freguesia de Requião Regulamento e Tabela de Taxas e Licenças Ano de 2014 Em conformidade com o disposto nas alíneas d) e f), nº 1 do artigo 9º, conjugada com a alínea h) do nº 1 do artigo 16º, da Lei

Leia mais

PROCEDIMENTO POR NEGOCIAÇÃO, COM PUBLICAÇÃO PRÉVIA DE ANÚNCIO, PARA ARRENDAMENTO PARA A ACTIVIDADE DE RESTAURAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS

PROCEDIMENTO POR NEGOCIAÇÃO, COM PUBLICAÇÃO PRÉVIA DE ANÚNCIO, PARA ARRENDAMENTO PARA A ACTIVIDADE DE RESTAURAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS PROCEDIMENTO POR NEGOCIAÇÃO, COM PUBLICAÇÃO PRÉVIA DE ANÚNCIO, PARA ARRENDAMENTO PARA A ACTIVIDADE DE RESTAURAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º Objeto O presente Procedimento

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS

REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais o Instituto de Gestão Financeira da Segurança

Leia mais

CARTÃO PRÉ-PAGO VISA KANDANDU

CARTÃO PRÉ-PAGO VISA KANDANDU [Imagem] CONTRATO DE ADESÃO CARTÃO PRÉ-PAGO VISA KANDANDU Órgão Nº de Entidade (NDE) Dados do Titular Nome Nome a gravar no cartão Nº de Conta - - Declaro serem verdadeiras todas as informações prestadas.

Leia mais

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Fases do Processo de Contra-Ordenações)

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Fases do Processo de Contra-Ordenações) FASES DO PROCESSO DE CONTRA ORDENAÇÕES Auto de Notícia Menciona os factos constitutivos da infracção, o dia, a hora, o local e as circunstâncias desta. É levantado pelo agente de autoridade. Notificação

Leia mais

ENTREGA DE IMÓVEL ARRENDADO: ALTERNATIVAS

ENTREGA DE IMÓVEL ARRENDADO: ALTERNATIVAS ENTREGA DE IMÓVEL ARRENDADO: ALTERNATIVAS SEMANA DA SOLICITADORIA IPCA 6 MAIO 2015 Por Márcia Passos Advogada e Mestre em Direito Márcia Passos - Advogada e Mestre em Direito Contrato de arrendamento RELAÇÃO

Leia mais

Portaria. Gabinete da Ministra da Justiça Praça do Comércio, 1149-019 Lisboa, PORTUGAL TEL + 351 21 322 23 00 EMAIL gmj@mj.gov.pt www.portugal.gov.

Portaria. Gabinete da Ministra da Justiça Praça do Comércio, 1149-019 Lisboa, PORTUGAL TEL + 351 21 322 23 00 EMAIL gmj@mj.gov.pt www.portugal.gov. Portaria O Memorando de Entendimento sobre as Condicionalidades de Política Económica, celebrado entre a República Portuguesa e o Banco Central Europeu, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional,

Leia mais

Assim, não há lugar a despacho liminar, nem a citação prévia do executado nas execuções baseadas em:

Assim, não há lugar a despacho liminar, nem a citação prévia do executado nas execuções baseadas em: Decreto-Lei n.º 38/2003, de 8 de março A revisão do Código de Processo Civil operada pelo Decreto-Lei n.º 329-A/95, de 12 de dezembro, e pelo Decreto-Lei n.º 180/96, de 25 de setembro, complementada pelo

Leia mais

PETIÇÃO À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

PETIÇÃO À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Texto da Petição PETIÇÃO À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, CCP João Vieira Lopes Presidente da Direcção cc 00016576 validade 02-03-2017 Av. Vasco da Gama nº 29

Leia mais

Nós Servimos ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE INTER-LIONS. Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes ESTATUTOS

Nós Servimos ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE INTER-LIONS. Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes ESTATUTOS Nós Servimos ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE INTER-LIONS Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes ESTATUTOS Associação de Solidariedade Inter - Lions ESTATUTOS Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º Denominação,

Leia mais

2. O prazo de abertura de concurso é de 30 dias contados a partir da data da afixação do anúncio de abertura do concurso.

2. O prazo de abertura de concurso é de 30 dias contados a partir da data da afixação do anúncio de abertura do concurso. Programa do Concurso Relativo à Atribuição do Direito ao Arrendamento de 3 Fogos nas Freguesias de S. Salvador, Gafanha da Encarnação (Costa Nova) e Gafanha da Nazaré I. Disposições Gerais 1. O presente

Leia mais

L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010

L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010 L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010 REGULAMENTO (UE) N. o 1259/2010 DO CONSELHO de 20 de Dezembro de 2010 que cria uma cooperação reforçada no domínio da lei aplicável em matéria de divórcio

Leia mais

Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, de 08-05-2013

Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, de 08-05-2013 Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, de 08-05-2013 Processo: 6686/07.8TBCSC.L1.S1 Relator: BETTENCOURT DE FARIA Meio Processual: REVISTA Decisão: NEGADA A REVISTA Fonte: www.dgsi.pt Sumário I - O promitente

Leia mais

1/5. Link para o texto original no Jornal Oficial. JusNet 69/2004

1/5. Link para o texto original no Jornal Oficial. JusNet 69/2004 1/5 Portaria n.º 642/2004, de 16 de Junho, Regula a forma de apresentação a juízo dos actos processuais enviados através de correio electrónico, assim como as notificações efectuadas pela secretaria aos

Leia mais

PONTO 1: Execução Trabalhista. Fase de Liquidação de Sentença Trabalhista é uma fase preparatória da execução trabalhista art. 879 da CLT.

PONTO 1: Execução Trabalhista. Fase de Liquidação de Sentença Trabalhista é uma fase preparatória da execução trabalhista art. 879 da CLT. 1 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PONTO 1: Execução Trabalhista 1. EXECUÇÃO TRABALHISTA: ART. 876 ART. 892 da CLT Fase de Liquidação de Sentença Trabalhista é uma fase preparatória da execução trabalhista

Leia mais

Pagamento do prémio: O prémio é único, sendo devido antecipadamente pelo tomador do seguro.

Pagamento do prémio: O prémio é único, sendo devido antecipadamente pelo tomador do seguro. INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL SEGURO DE VIDA - PPR POSTAL PPR PLUS (nos termos do Dec.-Lei n.º 72/2008 de 16 de Abril) SEGURADOR MAPFRE SEGUROS DE VIDA S.A. Sede Social: Rua Castilho, 52, 1250-071 Lisboa N.I.P.C.

Leia mais

A resolução do contrato de arrendamento por falta de pagamento de rendas em caso de mora superior a três meses Acção de Despejo, ou Comunicação?

A resolução do contrato de arrendamento por falta de pagamento de rendas em caso de mora superior a três meses Acção de Despejo, ou Comunicação? compilações doutrinais VERBOJURIDICO A resolução do contrato de arrendamento por falta de pagamento de rendas em caso de mora superior a três meses Acção de Despejo, ou Comunicação? DR. FERNANDO DA SILVA

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CONCURSO PÚBLICO N.º 3.09 CADERNO DE ENCARGOS

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CONCURSO PÚBLICO N.º 3.09 CADERNO DE ENCARGOS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CONCURSO PÚBLICO N.º 3.09 CADERNO DE ENCARGOS (Conforme art.42º do Decreto Leinº18/2008 de 29 de Janeiro de 2008) Cláusula 1.ª Objecto 1. O presente

Leia mais

Especificidades do Processo Administrativo relativamente ao actual Código de Processo Civil

Especificidades do Processo Administrativo relativamente ao actual Código de Processo Civil Especificidades do Processo Administrativo relativamente ao actual Código de Processo Civil A 3ª Reunião Anual da Justiça Administrativa, tem como tema Um Novo Processo para a Justiça Administrativa. O

Leia mais

Decreto-Lei nº 227/2012, de 25 de outubro

Decreto-Lei nº 227/2012, de 25 de outubro Decreto-Lei nº 227/2012, de 25 de outubro A concessão responsável de crédito constitui um dos importantes princípios de conduta para a atuação das instituições de crédito. A crise económica e financeira

Leia mais

REGIME EXTRAORDINÁRIO DE PROTECÇÃO DE DEVEDORES DE CRÉDITO À HABITAÇÃO EM SITUAÇÃO ECONÓMICA MUITO DIFÍCIL

REGIME EXTRAORDINÁRIO DE PROTECÇÃO DE DEVEDORES DE CRÉDITO À HABITAÇÃO EM SITUAÇÃO ECONÓMICA MUITO DIFÍCIL NOTA INFORMATIVA REGIME EXTRAORDINÁRIO DE PROTECÇÃO DE DEVEDORES DE CRÉDITO À HABITAÇÃO EM SITUAÇÃO ECONÓMICA MUITO DIFÍCIL Fruto da forte pressão social que se foi fazendo junto do Governo e de várias

Leia mais

SUBSÍDIO DE DESEMPREGO

SUBSÍDIO DE DESEMPREGO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO Recentemente foi publicado o Decreto-Lei n.º 220/2006 de 3 de Novembro, o qual alterou o quadro legal de reparação da eventualidade do desemprego dos trabalhadores por conta de outrem.

Leia mais

Centro de Dia e Apoio Domiciliário sito no Alto dos Moinhos

Centro de Dia e Apoio Domiciliário sito no Alto dos Moinhos PROTOCOLO DE CEDÊNCIA DE ESPAÇO MUNICIPAL Centro de Dia e Apoio Domiciliário sito no Alto dos Moinhos Entre O MUNICÍPIO DE LISBOA, Pessoa Colectiva n.º 500051070, com sede na Praça do Município, através

Leia mais

P.º R. P. 80/2009 SJC-CT-

P.º R. P. 80/2009 SJC-CT- P.º R. P. 80/2009 SJC-CT- Obrigação de registar Determinação do momento relevante para efeitos do cumprimento da obrigação de registar relativamente a acto cujo registo é promovido por via electrónica,

Leia mais

Os rendimentos prediais em sede de IRS e. os recibos de renda eletrónicos

Os rendimentos prediais em sede de IRS e. os recibos de renda eletrónicos Os rendimentos prediais em sede de IRS e os recibos de renda eletrónicos A reforma do IRS, aprovada pela Lei n.º 82-E/2014, de 31 de dezembro, instituiu no artigo 115.º do Código do IRS a obrigatoriedade

Leia mais

Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa

Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa Rede de Cooperação Jurídica e Judiciária Internacional dos Países de Língua Portuguesa Cooperação Jurídica e Judiciária em Matéria Civil e Comercial A Rede Judiciária da CPLP Artigo 1.º Criação 1. A Conferência

Leia mais

Última actualização em 01/05/2007

Última actualização em 01/05/2007 Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro. - Regula o regime da promoção electrónica de actos de registo comercial e cria a certidão permanente, Ministério da Justiça, S.I 2º Suplemento, DR n.º 242, p.

Leia mais

MANUAL DOS PRAZOS PROCESSUAIS: A CONTAGEM DOS PRAZOS NO NOVO CPC 1. MUDANÇAS GERAIS APLICÁVEIS A TODOS OS PRAZOS PROCESSUAIS:

MANUAL DOS PRAZOS PROCESSUAIS: A CONTAGEM DOS PRAZOS NO NOVO CPC 1. MUDANÇAS GERAIS APLICÁVEIS A TODOS OS PRAZOS PROCESSUAIS: MANUAL DOS PRAZOS PROCESSUAIS: A CONTAGEM DOS PRAZOS NO NOVO CPC 1. MUDANÇAS GERAIS APLICÁVEIS A TODOS OS PRAZOS PROCESSUAIS: Mudança no modo de contagem dos prazos: A partir do novo CPC, os prazos processuais

Leia mais

PT PRIME - Soluções Empresariais de Telecomunicações e Sistemas, S.A., pessoa colectiva nº 502 840 757, com

PT PRIME - Soluções Empresariais de Telecomunicações e Sistemas, S.A., pessoa colectiva nº 502 840 757, com Prime Soluções Empresariais SEDE: Rua de Entrecampos, 28, 1749-076 Lisboa Nº de Pessoa Colectiva 502 M 757 - N' de Matricula 08537 C.R.C.L Capital Social de EUR.; 30 000 000. I/ -I- CONTRATO DE PRESTAÇÃO

Leia mais

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código Civil. 2012 16ª Edição. Atualização nº 1

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código Civil. 2012 16ª Edição. Atualização nº 1 Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código Civil 2012 16ª Edição Atualização nº 1 1 [1] Código do Trabalho CÓDIGO CIVIL Atualização nº 1 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR EDIÇÕES ALMEDINA,

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Decreto-Lei nº 103/2009, de 12 de Maio

Decreto-Lei nº 103/2009, de 12 de Maio Diploma consolidado Decreto-Lei nº 103/2009, de 12 de Maio Perante a actual conjuntura económica e o respectivo reflexo no mercado do emprego, revela-se ser de toda a conveniência a flexibilização das

Leia mais

TEMA: CONTRATO DE ARRENDAMENTO URBANO (HABITAÇÃO) PROPOSTA DE LEI 38/XII. Maria Teresa Lopes Vicente

TEMA: CONTRATO DE ARRENDAMENTO URBANO (HABITAÇÃO) PROPOSTA DE LEI 38/XII. Maria Teresa Lopes Vicente TEMA: CONTRATO DE ARRENDAMENTO URBANO (HABITAÇÃO) PROPOSTA DE LEI 38/XII Maria Teresa Lopes Vicente Lisboa, 19 de Junho de 2012 INDICE 1. Introdução pag.3 2. Motivos para a necessidade da alteração do

Leia mais

28 de Março 2012 Contencioso de Cobrança

28 de Março 2012 Contencioso de Cobrança Entra em vigor amanhã, dia 29 de Março de 2012, a Lei n.º 7/2012, de 13 de Fevereiro, que procede à alteração e republicação do Regulamento das Custas Processuais. Desde a entrada em vigor do actual Regulamento

Leia mais

Recurso jurisdicional em matéria administrativa. Assunto: Apensação de recurso contencioso. Suspensão da eficácia do acto.

Recurso jurisdicional em matéria administrativa. Assunto: Apensação de recurso contencioso. Suspensão da eficácia do acto. Processo n.º 4/2016. Recurso jurisdicional em matéria administrativa. Recorrente: A Recorrido: Chefe do Executivo. Assunto: Apensação de recurso contencioso. Suspensão da eficácia do acto. Prejuízo de

Leia mais

828 Diário da República, 1. a série N. o 20 29 de Janeiro de 2007 MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES

828 Diário da República, 1. a série N. o 20 29 de Janeiro de 2007 MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES 828 Diário da República, 1. a série N. o 20 29 de Janeiro de 2007 MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Portaria n. o 138/2007 Manda o Governo, pelo Secretário de Estado Adjunto, das

Leia mais

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 19 de novembro de 2012. Série. Número 151

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 19 de novembro de 2012. Série. Número 151 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 19 de novembro de 2012 Série 2.º Suplemento Sumário SECRETARIAS REGIONAIS DO PLANO E FINANÇAS E DOS ASSUNTOS SOCIAIS Portaria n.º 141-A/2012 Regulamenta

Leia mais

Efeitos a partir de 1º de janeiro de 2010)

Efeitos a partir de 1º de janeiro de 2010) Artigo 586-4º - 3 - o contribuinte detentor do crédito acumulado, por qualquer de seus estabelecimentos, não poderá ter débito pendente de liquidação, inclusive decorrente de auto de infração e imposição

Leia mais

I Jornadas Financeiras Capital de Risco. Fundos de Investimento no Espaço Lusófono

I Jornadas Financeiras Capital de Risco. Fundos de Investimento no Espaço Lusófono I Jornadas Financeiras Capital de Risco Local: Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Data: 07 de Maio de 2015 Fundos de Investimento no Espaço Lusófono António Raposo Subtil (Coordenador RSA-LP)

Leia mais

ABERTURA DE CONTA (EMPRESAS) PÁG. 1/7

ABERTURA DE CONTA (EMPRESAS) PÁG. 1/7 ABERTURA DE CONTA (EMPRESAS) PÁG. 1/7 IDENTIFICAÇÃO (Denominação Social) (Denominação Abreviada) Residente Sim Não ( da Sede) (Localidade) (Código Postal) (País) (1º Telefone Empresa) (2º Telefone Empresa)

Leia mais

Resumo. Sentença Declaratória pode ser executada quando houver o reconhecimento de uma obrigação.

Resumo. Sentença Declaratória pode ser executada quando houver o reconhecimento de uma obrigação. 1. Execução Resumo A Lei 11.232/05 colocou fim à autonomia do Processo de Execução dos Títulos Judiciais, adotando o processo sincrético (a fusão dos processos de conhecimento e executivo a fim de trazer

Leia mais

REGULAMENTO DE ARBITRAGEM 1. Capítulo I. Princípios Gerais. Artigo 1.º (Objecto da arbitragem)

REGULAMENTO DE ARBITRAGEM 1. Capítulo I. Princípios Gerais. Artigo 1.º (Objecto da arbitragem) REGULAMENTO DE ARBITRAGEM 1 Capítulo I Princípios Gerais Artigo 1.º (Objecto da arbitragem) Qualquer litígio, público ou privado, interno ou internacional, que por lei seja susceptível de ser resolvido

Leia mais

Estabelece o novo regime jurídico de regularização das dívidas à segurança social

Estabelece o novo regime jurídico de regularização das dívidas à segurança social Legislação Decreto-Lei n.º 411/91, de 17 de Outubro Publicado no D.R. n.º 239, série I-A, de 17 de Outubro de 1991 SUMÁRIO : Estabelece o novo regime jurídico de regularização das dívidas à segurança social

Leia mais

RAU-I:RAU-I.qxd 08-09-2011 16:21 Página 9 ÍNDICES

RAU-I:RAU-I.qxd 08-09-2011 16:21 Página 9 ÍNDICES RAU-I:RAU-I.qxd 08-09-2011 16:21 Página 9 RAU-I:RAU-I.qxd 08-09-2011 16:21 Página 11 ÍNDICE GERAL Prefácio..................................................... 5 Nota do Autor................................................

Leia mais

PROMOÇÃO ENTREGOU CARRO USADO POR APTO NOVO VITACON E GANHOU BIKE REGULAMENTO

PROMOÇÃO ENTREGOU CARRO USADO POR APTO NOVO VITACON E GANHOU BIKE REGULAMENTO PROMOÇÃO ENTREGOU CARRO USADO POR APTO NOVO VITACON E GANHOU BIKE REGULAMENTO A campanha CARRO USADO POR APTO NOVO VITACON E GANHOU BIKE" é promovida pela empresa VITACON PARTICIPAÇÕES S.A., com sede na

Leia mais

Proteção Jurídica Atualizado em: 12-12-2012

Proteção Jurídica Atualizado em: 12-12-2012 SEGURANÇA SOCIAL Proteção Jurídica Atualizado em: 12-12-2012 Esta informação destina-se a que cidadãos Pessoas e entidades sem fins lucrativos que não tenham condições para pagar as despesas associadas

Leia mais

Na sequência dos compromissos

Na sequência dos compromissos Regime especial de exigibilidade do IVA dos serviços de transporte rodoviário nacional de mercadorias P o r R u i R i b e i r o G r i l o Foi publicada no «Diário da República», em 1 de último, a Lei 15/2009,

Leia mais

Plano Empresas Reforma

Plano Empresas Reforma Plano Empresas Reforma Condições gerais e especiais 1110599-01.20104 Pela protecção dos valores da vida. Liberty Seguros, S.A. - Av. Fontes Pereira de Melo, n.º 6 1069-001 Lisboa Telef. 808 243 000 - Fax

Leia mais

Decreto-Lei n.º 149/95, de 24 de Junho, Altera o regime jurídico do contrato de locação financeira

Decreto-Lei n.º 149/95, de 24 de Junho, Altera o regime jurídico do contrato de locação financeira 1/13 Decreto-Lei n.º 149/95, de 24 de Junho, Altera o regime jurídico do contrato de locação financeira JusNet 40/1995 Link para o texto original no Jornal Oficial (DR N.º 144, Série I-A, 24 Junho 1995;

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LOURES

CÂMARA MUNICIPAL DE LOURES Aprovado na 1.ª Reunião, realizada em 25 de outubro de 2013 com as alterações havidas na 6.ª Reunião Ordinária, realizada em 22 de janeiro de 2014, na 36.ª Reunião Ordinária, realizada em 1 de abril de

Leia mais

Regulamentos REGULAMENTO DE PROPINAS DA UPORTO

Regulamentos REGULAMENTO DE PROPINAS DA UPORTO Regulamentos REGULAMENTO DE PROPINAS DA UPORTO Aprovado pelo Conselho Geral da UPorto em 26 de Fevereiro de 2010 Alterado pelo Conselho Geral da UPorto em 18 de Março de 2011 Ao abrigo da Lei n.º 37/2003,

Leia mais

A ACÇÃO EXECUTIVA E A INUTILIDADE SUPERVENIENTE DA LIDE

A ACÇÃO EXECUTIVA E A INUTILIDADE SUPERVENIENTE DA LIDE compilações doutrinais VERBOJURIDICO A ACÇÃO EXECUTIVA E A INUTILIDADE SUPERVENIENTE DA LIDE VÍTOR PACHECO ADVOGADO ESTAGIÁRIO verbojuridico NOVEMBRO 2008 2 : A ACÇÃO EXECUTIVA E A INUTILIDADE SUPERVENIENTE

Leia mais

FREGUESIA DE Galegos REGULAMENTO E TABELA GERAL DE TAXAS

FREGUESIA DE Galegos REGULAMENTO E TABELA GERAL DE TAXAS FREGUESIA DE Galegos REGULAMENTO E TABELA GERAL DE TAXAS Dezembro de 2015 REGULAMENTO E TABELA GERAL DE TAXAS FREGUESIA DE GALEGOS Em conformidade com o disposto na alínea d) do n.º 1 do artigo 9.º, conjugada

Leia mais

COMO O REGIME E O MODO DE CÁLCULO DA COMPENSAÇÃO APLICÁVEL AOS CONTRATOS OBJETO DESSA RENOVAÇÃO

COMO O REGIME E O MODO DE CÁLCULO DA COMPENSAÇÃO APLICÁVEL AOS CONTRATOS OBJETO DESSA RENOVAÇÃO INFORMAÇÃO N.º 149 Período de 1 a 7 de novembro de 2013 PRINCIPAL LEGISLAÇÃO DO PERÍODO REGIME DE RENOVAÇÃO EXTRAORDINÁRIA DOS CONTRATOS DE TRABALHO A TERMO CERTO, BEM COMO O REGIME E O MODO DE CÁLCULO

Leia mais

3. Apreciar, em termos gerais, a Administração e Fiscalização da Sociedade

3. Apreciar, em termos gerais, a Administração e Fiscalização da Sociedade INTERHOTEL- SOCIEDADE INTERNACIONAL DE HOTÉIS, SA Sociedade Aberta Sede: Edifício Espaço Chiado, Rua da Misericórdia, 12 a 20, 5º Andar, Escritório nº 19 1200-273 Lisboa Capital Social: 34.719.990,86 Euros

Leia mais

MANUEL EDUARDO BIANCHI SAMPAIO

MANUEL EDUARDO BIANCHI SAMPAIO A CUMULAÇÃO DAS EXECUÇÕES PARA ENTREGA DO ARRENDADO E PARA PAGAMENTO DAS RENDAS EM DÍVIDA NA RESOLUÇÃO DO CONTRATO DE ARRENDAMENTO URBANO COM FUNDAMENTO NA FALTA DE PAGAMENTO DA RENDA MANUEL EDUARDO BIANCHI

Leia mais

Câmara Municipal de Fafe

Câmara Municipal de Fafe ÍNDICE REMISSIVO. Artigo 1º - Disposições gerais. Artigo 2º - Objeto e âmbito da aplicação. Artigo 3º- Conceitos. Artigo 4º - Natureza do apoio. Artigo 5º - Condições de acesso ao Programa Ser Solidário.

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL. Débitos Previdenciários Municípios Parcelamento Normatização

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL. Débitos Previdenciários Municípios Parcelamento Normatização TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial Débitos Previdenciários Municípios Parcelamento Normatização INSTRUÇÃO NORMATIVA SRP 10/2005 DOU:

Leia mais

Descarregue gratuitamente atualizações online em www.portoeditora.pt/direito Condomínio Col. Legislação (06702.90)

Descarregue gratuitamente atualizações online em www.portoeditora.pt/direito Condomínio Col. Legislação (06702.90) orquê as atualizações aos livros da COL. LEGISLAÇÃO? O panorama legislativo nacional é bastante mutável, sendo constante a publicação de novos diplomas. Ao disponibilizar novas atualizações, a ORTO EDITORA

Leia mais

Decreto-Lei nº 158/2002, de 2 de Julho

Decreto-Lei nº 158/2002, de 2 de Julho Decreto-Lei nº 158/2002, de 2 de Julho A criação dos planos de poupança-reforma (PPR) - instituídos pelo Decreto-Lei nº 205/89, de 27 de Junho, posteriormente desenvolvido pelo Decreto-Lei nº 145/90, de

Leia mais

SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2013 8 ANOS 2ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO)

SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2013 8 ANOS 2ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO) Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2013

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 101/VIII AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Exposição de motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 101/VIII AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Exposição de motivos PROPOSTA DE LEI N.º 101/VIII AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL Exposição de motivos Os sinais de uma nova economia, assentes em processos de globalização e de virtualização

Leia mais

Recuperação e Revitalização Extrajudicial de Empresas. Paulo Valério

Recuperação e Revitalização Extrajudicial de Empresas. Paulo Valério Recuperação e Revitalização Extrajudicial de Empresas Paulo Valério ENQUADRAMENTO ANTECEDENTES Memorando assinado com a Troika; Resolução do Conselho de Ministros nº43/2011; Resolução do Conselho de Ministros

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL ANUAL CONVOCATÓRIA

ASSEMBLEIA GERAL ANUAL CONVOCATÓRIA BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Praça D. João I, 28 - Porto Capital Social: 4.094.235.361,88 euros Matriculada na C.R.C. do Porto Número único de matrícula e identificação fiscal

Leia mais

Condições Gerais do Caixadirecta Empresas

Condições Gerais do Caixadirecta Empresas Condições Gerais do Caixadirecta Empresas Cláusula 1ª - Objecto As presentes condições gerais regulam o Caixadirecta Empresas, sem prejuízo das disposições legais aplicáveis e daquilo que for especialmente

Leia mais

ORDEM DOS NOTÁRIOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO

ORDEM DOS NOTÁRIOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO ORDEM DOS NOTÁRIOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO Preâmbulo Nos termos do Artigo 30.º do Estatuto do Notariado, aprovado pelo Decreto Lei Nº 26/2004, de 4 de Fevereiro, vem a Ordem dos Notários aprovar Regulamento

Leia mais

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES PROCº 3718/12.1TBBCL.G1 I - RELATÓRIO Visam os presentes autos a resolução do conflito de competência entre os Senhores Juizes do 2º e 3º Juízos Cíveis do Tribunal Judicial de Barcelos que, por despachos

Leia mais

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo da Cofidis, contém

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE FERREIRA (Paços de Ferreira)

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE FERREIRA (Paços de Ferreira) Assembleia de Freguesia de Ferreira (Paços de Ferreira) PROJECTO DE REGIMENTO DA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE FERREIRA (Paços de Ferreira) Regimento da Assembleia de Freguesia De FERREIRA (Paços de Ferreira)

Leia mais

Publicado no Diário da República, I série, nº 221, de 17 de Dezembro AVISO N.º 11/2014 ASSUNTO: REQUISITOS ESPECÍFICOS PARA OPERAÇÕES DE CRÉDITO

Publicado no Diário da República, I série, nº 221, de 17 de Dezembro AVISO N.º 11/2014 ASSUNTO: REQUISITOS ESPECÍFICOS PARA OPERAÇÕES DE CRÉDITO Publicado no Diário da República, I série, nº 221, de 17 de Dezembro AVISO N.º 11/2014 ASSUNTO: REQUISITOS ESPECÍFICOS PARA OPERAÇÕES DE CRÉDITO Havendo necessidade de se rever a regulamentação relativa

Leia mais