REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS"

Transcrição

1 REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P. (IGFSS), procede ao arrendamento de imóveis da sua propriedade, submetidos ao regime de renda livre. Artigo 2.º Concorrência O IGFSS, IP deve, nos procedimentos de arrendamento de imóveis, assegurar uma concorrência efetiva aos interessados em contratar. Artigo 3.º Transparência 1. O IGFSS, IP deve garantir adequada publicidade e proporcionar, tempestivamente, o acesso aos procedimentos nos termos da lei. 2. As decisões são documentadas e, quando necessário, objeto de fundamentação e notificadas aos interessados. Artigo 4.º Equidade As decisões relativas ao arrendamento devem atender à equidade na distribuição de benefícios e custos devendo ponderar-se: a. A perspetiva de evolução dos encargos com a manutenção e conservação de bem imóvel; b. A perspetiva de evolução do valor do bem imóvel de acordo com as suas características e face ao mercado imobiliário. 1/9

2 Artigo 5.º Dos procedimentos 1. O arrendamento de imóveis de renda livre é realizado por concurso e por ajuste direto. 2. Pode ser adotado o procedimento por ajuste direto nas seguintes situações: a. Quando o concurso tenha ficado deserto; b. Quando, no âmbito do concurso, o ou os concorrentes tenham desistido do arrendamento; c. Quando a entidade concorrente pertença à administração central ou local; d. Quando a entidade concorrente seja pessoa coletiva de utilidade pública devidamente reconhecida, e o imóvel se destine direta e imediatamente à realização dos seus fins por um período determinado. 3. Os imóveis, cujo concurso tenha ficado deserto, mantêm-se em arrendamento pelo período de um ano a contar da data de abertura do último concurso ou até à abertura de novo concurso de arrendamento ou respetiva alienação. CAPÍTULO II Do concurso Artigo 6.º Imóvel a arrendar 1. A listagem dos imóveis a arrendar no concurso e o respetivo valor base de licitação são aprovados por deliberação do conselho diretivo, sob proposta do departamento de património imobiliário do IGFSS, IP. 2. Os imóveis são arrendados no estado de conservação em que se encontram. Artigo 7.º Concorrentes Podem ser admitidos a concurso: a. Pessoas singulares maiores, ou seus representantes; b. Pessoas coletivas. 2/9

3 Artigo 8.º Impedimentos Não é permitida a apresentação de propostas por quem participa no processo decisório, nem por trabalhadores do IGFSS, IP, bem como por avençados, avaliadores externos, fornecedores e prestadores de serviços no âmbito da atividade do departamento do património imobiliário. Artigo 9.º Publicitação do concurso 1. Em regra, o IGFSS promove o anúncio da abertura do presente concurso mediante a sua publicação em jornal diário de expansão nacional, por aviso afixado nos serviços centrais e locais e por divulgação no respetivo sítio da internet. 2. Sempre que tal se justifique, o anúncio referido no número anterior pode ser apenas publicado em jornal local ou regional e os avisos afixados noutros locais. 3. O anúncio deve conter: a) A identificação e a localização do imóvel; b) O valor base da renda mensal; c) O local, data e hora limites para a apresentação de propostas; d) O local, data e hora do ato público de abertura de propostas; e) Indicação dos contatos para esclarecimentos sobre a situação dos imóveis, do local de consulta, do calendário das visitas, e do regulamento aplicável. 4. O anúncio tem caráter meramente informativo. Artigo 10.º Apresentação das propostas As propostas podem ser entregues diretamente no local a indicar no anúncio de abertura do concurso, contra a entrega de recibo, ou enviadas pelo correio, sob registo e com aviso de receção, desde que sejam recebidas até ao final do prazo fixado para a sua apresentação, sendo imputável apenas ao concorrente qualquer atraso que ocorra no envio pelo correio. 3/9

4 Artigo 11.º Proposta 1. A proposta deve conter obrigatoriamente: a) A identificação do concorrente mediante a indicação do nome e domicílio ou, no caso de pessoa coletiva, a firma (denominação social) e a sede; b) O valor da renda mensal oferecido, indicado em algarismos e por extenso, sendo que, em caso de dúvida prevalece o valor indicado por extenso. 2. A proposta deve mencionar ainda: a. Número e data de emissão do bilhete de identidade ou, número e validade do cartão do cidadão, bem como, o número fiscal de contribuinte ou número de pessoa coletiva do concorrente; b. Estado civil do concorrente, nome do cônjuge e regime de bens do casamento, quando aplicável; c. Número de telefone ou telemóvel e, quando possível, ou fax; d. Declaração sob compromisso de honra em como o concorrente possui a sua situação tributária e contributiva regularizada, ou que não se encontre inscrito na Segurança Social. As declarações emitidas pelos serviços das finanças e da segurança social, onde consta que o concorrente tem a sua situação tributária e contributiva regularizada, ou que não se encontra inscrito na segurança social. Em alternativa, pode entregar declaração contendo código de acesso à informação da sua situação tributária bem como, autorização que expressamente conceda ao IGFSS, IP., a faculdade de confirmar a sua situação contributiva. 3. A proposta tem de ser assinada pelo concorrente ou pelo seu legal representante. 4. A proposta tem de ser acompanhada pela indicação de um fiador, devidamente identificado pelo nome completo, número e data de emissão do bilhete de identidade ou, número e validade do cartão do cidadão, bem como pelo número fiscal de contribuinte e morada de residência, ou, no caso de ser uma pessoa coletiva, pelo número de pessoa coletiva e sede social, bem como pelo código de acesso à certidão permanente da conservatória de registo comercial. 5. A proposta deve ser redigida em língua portuguesa e não pode ser rasurada. 4/9

5 6. Cada concorrente apenas pode apresentar uma única proposta por imóvel. 7. Concorrendo a vários imóveis, o concorrente tem de apresentar propostas individualizadas. Artigo 12.º Modo de apresentação da proposta A proposta deve ser apresentada em sobrescrito fechado, identificando-se no exterior do mesmo o nome do concorrente e o imóvel a que respeita que, por sua vez, é encerrado num segundo sobrescrito dirigido ao Presidente do Conselho Diretivo do IGFSS e endereçado ao local indicado no anúncio de abertura do concurso, devendo nele constar, ao lado do endereço, a menção Concurso de Arrendamento. Artigo 13.º Exclusão de concorrentes São excluídos os concorrentes cujas propostas: a) Tenham dado entrada no IGFSS fora do prazo; e b) Não observem o disposto no artigo 12.º do presente Regulamento. Artigo 14.º Ato público 1. As propostas são abertas em ato público a realizar no primeiro dia útil seguinte à data limite para apresentação das propostas. 2. O ato público referido no número anterior decorre perante uma Comissão composta por três elementos designados pelo Conselho Diretivo do IGFSS, sob proposta do Departamento de Património Imobiliário. 3. A deliberação referida no número anterior deve indicar o Presidente, o Vogal Efetivo que substitui o Presidente, e o Secretário. 4. O ato público é composto por tantos concursos quantos números de imóveis colocados em arrendamento, pelo que a exclusão de uma proposta não implica a exclusão dos restantes concursos. 5/9

6 Artigo 15.º Exclusão de propostas 1. São excluídas as propostas: a) Que careçam de algum elemento essencial previsto no artigo 11.º, n.º 1, do presente Regulamento; e b) Cujo valor da renda oferecido seja inferior ao valor base de renda. c) Que não observem o disposto no artigo 11.º, números 3, 4, 5, 6 e 7, do presente Regulamento. 3. A omissão da indicação dos elementos previstos nas alíneas a), b), c) e d) do nº. 2, do artigo 11.º, pode ser sanada no próprio ato público ou no prazo de 48 horas, mediante comunicação efetuada ao concorrente. Artigo 16.º Classificação das propostas Na classificação das propostas o critério utilizado é o do valor da renda mais elevado oferecido. Artigo 17.º Empate 1. Caso se verifique empate relativamente ao valor da renda mais elevado apresentado, os concorrentes nestas circunstâncias serão notificados no próprio ato para apresentar nova proposta no prazo a fixar pela Comissão, não podendo nunca ser superior a 72 horas. 2. Verificando-se a situação prevista no número anterior, a Comissão interrompe o ato público, após a abertura de todas as propostas, indicando o local, a data e a hora da continuação do mesmo. 3. Caso os concorrentes não se encontrem no ato público, a notificação é feita por telefone, telegrama ou fax, a qual será confirmada por via postal no dia útil seguinte, sem prejuízo de a notificação se considerar feita na data da primeira comunicação. 4. As novas propostas serão abertas na data e local designados, dando-se prosseguimento ao ato público. Artigo 18.º Reclamações 1. Os concorrentes ou os seus representantes devidamente credenciados, podem pedir esclarecimentos e apresentar reclamações verbais ou escritas no ato público. 6/9

7 2. No caso de serem apresentadas reclamações verbais, as mesmas são: a. Registadas na respetiva ata, nela constando a identificação completa do reclamante e o motivo da reclamação; b. Decididas no próprio ato sempre que possível. 3. As respostas às reclamações que não puderem ser decididas no próprio ato serão notificadas aos concorrentes por carta registada com aviso de receção, no prazo máximo de dez dias úteis. Artigo 19.º Lista de concorrentes 1. A comissão elabora uma lista de classificação com menção dos concorrentes excluídos e com a ordenação das propostas, de acordo com o critério enunciado no artigo 16.º e submete-a ao conselho diretivo para homologação. 2. A lista de classificação final é afixada nos serviços centrais e locais e divulgada no site da segurança social. Artigo 20.º Não adjudicação O IGFSS, IP reserva-se no direito de não adjudicar o arrendamento a nenhum dos concorrentes, independentemente do valor de renda proposto. Artigo 21.º Adjudicação e celebração do contrato de arrendamento 1. A adjudicação e a consequente celebração do contrato de arrendamento serão realizadas exclusivamente com o concorrente. 2. O concorrente admitido em 1.º lugar será notificado da adjudicação por meio de carta registada com aviso de receção, acompanhada da respetiva minuta do contrato de arrendamento. 3. O concorrente deverá confirmar o seu interesse no arrendamento, por meio de comunicação enviada no prazo de oito dias úteis, remetendo cópias dos documentos necessários à celebração do contrato. 7/9

8 Artigo 22.º Desistência Caso o concorrente não confirme o seu interesse no prazo referido no n.º 3, do artigo anterior, considera-se que desistiu do arrendamento, sendo contactado o concorrente classificado na posição imediatamente a seguir. Artigo 23.º Garantias 1. O IGFSS poderá solicitar, por meio de comunicação registada com aviso de receção, a indicação de um outro fiador, caso a pessoa indicada não tenha capacidade para se obrigar, não tenha bens suficientes para garantir a obrigação de pagamento da renda ou não renuncie ao benefício da excussão prévia. 2. Caso o concorrente não indique um novo fiador no prazo de dez dias úteis, considera-se que desistiu do concurso. Artigo 24.º Anulação do procedimento O IGFSS reserva-se no direito de, se assim o entender por conveniente, não celebrar o contrato de arrendamento com nenhum dos concorrentes. CAPÍTULO III Do ajuste direto Artigo 25.º Âmbito O presente capítulo estabelece as normas pelas quais o IGFSS, IP procede ao arrendamento dos imóveis da segurança social por ajuste direto. Artigo 26.º Apresentação de propostas As propostas devem ser dirigidas ao presidente do conselho diretivo do IGFSS, IP e podem ser entregues diretamente na Avenida António Serpa, n.º 32, Lisboa, na Avenida Manuel da Maia, n.º 58, 8/9

9 , Lisboa, e na Avenida da Boavista, 900, , Porto, contra recibo, enviadas pelo correio, por ou fax. Artigo 27.º Exclusão de propostas Relativamente às situações previstas nas alíneas a) e b) do n.º 2 do art. 5.º são liminarmente excluídas as propostas cujo valor de renda oferecido seja inferior ao valor base da renda mensal do respetivo concurso, e caso a proposta seja apresentada por concorrente que, no âmbito do procedimento do concurso de arrendamento, desistiu dos imóveis que lhe foram adjudicados, o preço mínimo de arrendamento, por ajuste direto, corresponde ao oferecido no âmbito do concurso. Artigo 28.º Critérios de Adjudicação 1. A adjudicação será efetuada por ordem de entrada das propostas. 2. Na eventualidade de serem recebidas no IGFSS, IP, mais do que uma proposta no mesmo dia, o critério utilizado será o do valor de renda mais elevado. 3. As propostas apresentadas para o mesmo imóvel mantêm-se válidas até à concretização do arrendamento. 4. O IGFSS, IP reserva-se no direito de não arrendar os imóveis que sejam objeto de propostas. Artigo 29.º Regime subsidiário Sem prejuízo do disposto no artigo anterior, é aplicável subsidiariamente ao ajuste direto o disposto no capítulo II do presente regulamento, com as necessárias adaptações. CAPÍTULO IV Das disposições finais Artigo 30.º Avaliações 1. Os imóveis a arrendar são objeto de avaliação por peritos avaliadores externos ao IGFSS, IP, que constituem a bolsa de peritos avaliadores do departamento de património imobiliário. 2. A bolsa de peritos avaliadores deve ser atualizada com a periodicidade máxima de três anos. 9/9

REGULAMENTO DE ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS DE RENDA LIVRE

REGULAMENTO DE ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS DE RENDA LIVRE REGULAMENTO DE ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS DE RENDA LIVRE Nos termos da al. c) n.º 4 do artigo 3.º do decreto-lei n.º 84/2012, de 30 de março, são atribuições do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social,

Leia mais

REGULAMENTO DE ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS DE RENDA LIVRE

REGULAMENTO DE ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS DE RENDA LIVRE REGULAMENTO DE ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS DE RENDA LIVRE Nos termos do artigo 3.º do Decreto-Lei n.º 215/2007, de 29 de Maio, são atribuições do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, IP promover

Leia mais

GUIA PRÁTICO VENDA DE IMÓVEIS POR AJUSTE DIRETO

GUIA PRÁTICO VENDA DE IMÓVEIS POR AJUSTE DIRETO GUIA PRÁTICO VENDA DE IMÓVEIS POR AJUSTE DIRETO INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Venda de Imóveis por

Leia mais

PROCEDIMENTO. I Arrendamento

PROCEDIMENTO. I Arrendamento PROCEDIMENTO Arrendamento de imóvel para fim não habitacional sito na Rua Cândido dos Reis, nº 62 fração A da União das Freguesias de Santa Marinha e São Pedro da Afurada. I Arrendamento Artigo 1º Regime

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA ATRIBUIÇÃO DE ARRENDAMENTO COMERCIAL DE LOJAS NO MERCADO MUNICIPAL DA NAZARÉ PROGRAMA DO CONCURSO

CONCURSO PÚBLICO PARA ATRIBUIÇÃO DE ARRENDAMENTO COMERCIAL DE LOJAS NO MERCADO MUNICIPAL DA NAZARÉ PROGRAMA DO CONCURSO CONCURSO PÚBLICO PARA ATRIBUIÇÃO DE ARRENDAMENTO COMERCIAL DE LOJAS NO MERCADO MUNICIPAL DA NAZARÉ PROGRAMA DO CONCURSO 1 - ENTIDADE ADJUDICANTE Município da Nazaré, Avenida Vieira Guimarães, nº 54, Paços

Leia mais

MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE

MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE Concurso Público Arrendamento (para fins não habitacionais) do Estabelecimento Comercial Café Paraíso, em Castro Verde PROGRAMA DE CONCURSO Castro Verde, 04 de Janeiro de 2016

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL SAZONAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS SITO NO PARQUE MANUEL DE CASTRO, EM CUBA

CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL SAZONAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS SITO NO PARQUE MANUEL DE CASTRO, EM CUBA CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL SAZONAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS SITO NO PARQUE MANUEL DE CASTRO, EM CUBA PROGRAMA DE CONCURSO 1- ENTIDADE ADJUDICANTE: Entidade pública adjudicante

Leia mais

GUIA PRÁTICO ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS POR AJUSTE DIRETO

GUIA PRÁTICO ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS POR AJUSTE DIRETO GUIA PRÁTICO ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS POR AJUSTE DIRETO INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. Pág. 1/13 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Arrendamento de Imóveis por Ajuste Direto PROPRIEDADE

Leia mais

ATRIBUIÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO MUNICIPAL DE GOUVEIA HASTA PÚBLICA

ATRIBUIÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO MUNICIPAL DE GOUVEIA HASTA PÚBLICA ATRIBUIÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO MUNICIPAL DE GOUVEIA HASTA PÚBLICA PROGRAMA 1.Entidade Competente A entidade concedente é o Município de Gouveia, com sede na Avenida 25 de abril,

Leia mais

PROGRAMA DE CONCURSO

PROGRAMA DE CONCURSO MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE Concurso Público ALIENAÇÃO DE LOTES DE TERRENO PARA CONSTRUÇÃO URBANA Loteamento Municipal de Castro Verde 7 Lotes Loteamento Municipal de Santa bárbara de Padrões 15 Lotes Loteamento

Leia mais

1- ENTIDADE ADJUDICANTE:

1- ENTIDADE ADJUDICANTE: CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS DENOMINADO ADEGA DO ARRUFA, SITO NA TRAVESSA DAS FRANCAS, 3, EM CUBA PROGRAMA DE CONCURSO 1- ENTIDADE ADJUDICANTE:

Leia mais

CONCURSO Nº 5/DGP/2012 VENDA DE MORADIAS COM LOGRADOURO, EM TERRENO EM REGIME DE DIREITO DE SUPERFÍCIE, EM SALEMA

CONCURSO Nº 5/DGP/2012 VENDA DE MORADIAS COM LOGRADOURO, EM TERRENO EM REGIME DE DIREITO DE SUPERFÍCIE, EM SALEMA CONCURSO Nº 5/DGP/2012 VENDA DE MORADIAS COM LOGRADOURO, EM TERRENO EM REGIME DE DIREITO DE SUPERFÍCIE, EM SALEMA FREGUESIA DE BUDENS, CONCELHO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO CONCURSO Nº 5/DGP/12 VENDA DE

Leia mais

Programa de Procedimento Público de Venda de Prédio Urbano Câmara Municipal de Serpa

Programa de Procedimento Público de Venda de Prédio Urbano Câmara Municipal de Serpa Programa de Procedimento Público de Venda de Prédio Urbano Câmara Municipal de Serpa 1- Objeto O presente programa tem como objeto o Procedimento Público de Venda, com publicação prévia de anúncio, do

Leia mais

ATRIBUIÇÃO DE DIREITOS DE EXPLORAÇÃO DE DIVERSOS ESPAÇOS DESTINADOS A ATIVIDADE COMERCIAL NO MERCADO MUNICIPAL DA PENTEADA

ATRIBUIÇÃO DE DIREITOS DE EXPLORAÇÃO DE DIVERSOS ESPAÇOS DESTINADOS A ATIVIDADE COMERCIAL NO MERCADO MUNICIPAL DA PENTEADA ATRIBUIÇÃO DE DIREITOS DE EXPLORAÇÃO DE DIVERSOS ESPAÇOS DESTINADOS A ATIVIDADE COMERCIAL NO MERCADO MUNICIPAL DA PENTEADA PROGRAMA DO PROCEDIMENTO Página 1 de 18 Índice Artigo 1.º Objeto do concurso Artigo

Leia mais

PROGRAMA DE CONCURSO PÚBLICO. Acordo Quadro para o fornecimento de gás natural em regime de mercado livre para Portugal Continental

PROGRAMA DE CONCURSO PÚBLICO. Acordo Quadro para o fornecimento de gás natural em regime de mercado livre para Portugal Continental PROGRAMA DE CONCURSO PÚBLICO Acordo Quadro para o fornecimento de gás natural em regime de mercado livre para Portugal Continental ÍNDICE CAPÍTULO I OBJETO E ÂMBITO DO CONCURSO... 3 Artigo 1.º Identificação

Leia mais

CONVITE PROCEDIMENTO DE AJUSTE DIRETO PARA A CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DOS SERVIÇOS DE BAR FUNDAÇÃO DE SERRALVES

CONVITE PROCEDIMENTO DE AJUSTE DIRETO PARA A CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DOS SERVIÇOS DE BAR FUNDAÇÃO DE SERRALVES CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DOS SERVIÇOS DE BAR FUNDAÇÃO DE SERRALVES Índice Artigo 1.º Objeto do procedimento de Ajuste Direto Artigo 2.º Entidade adjudicante Artigo 3.º Órgão Competente Para a Decisão de

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL SAZONAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS DO PARQUE MANUEL DE CASTRO, EM CUBA

CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL SAZONAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS DO PARQUE MANUEL DE CASTRO, EM CUBA CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO COMERCIAL SAZONAL DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO/BEBIDAS DO PARQUE MANUEL DE CASTRO, EM CUBA PROGRAMA DE CONCURSO 1- ENTIDADE ADJUDICANTE: Entidade pública adjudicante

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS TRANSPORTES EM TÁXI - DO MUNICÍPIO DE MIRANDELA

REGULAMENTO MUNICIPAL DO TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS TRANSPORTES EM TÁXI - DO MUNICÍPIO DE MIRANDELA REGULAMENTO MUNICIPAL DO TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS TRANSPORTES EM TÁXI - DO MUNICÍPIO DE MIRANDELA Nota justificativa (artigo 116.º do CPA) Em 22 de Dezembro de 2006,

Leia mais

PROGRAMA DE CONCURSO PÚBLICO. Acordo Quadro para o fornecimento de eletricidade em regime de mercado livre para Portugal Continental

PROGRAMA DE CONCURSO PÚBLICO. Acordo Quadro para o fornecimento de eletricidade em regime de mercado livre para Portugal Continental PROGRAMA DE CONCURSO PÚBLICO Acordo Quadro para o fornecimento de eletricidade em regime de mercado livre para Portugal Continental ÍNDICE CAPÍTULO I OBJETO E ÂMBITO DO CONCURSO... 3 Artigo 1.º Identificação

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA CESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO RESTAURANTE IBAR, SITO NO CENTRO DE LAZER, NA PORTAGEM

CONCURSO PÚBLICO PARA CESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO RESTAURANTE IBAR, SITO NO CENTRO DE LAZER, NA PORTAGEM CONCURSO PÚBLICO PARA CESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO RESTAURANTE IBAR, SITO NO CENTRO DE LAZER, NA PORTAGEM 1. ENTIDADE CEDENTE 2. OBJECTO DO CONCURSO 3. ELEMENTOS DO PROCESSO 4. CONCORRENTES PROGRAMA DE PROCEDIMENTO

Leia mais

Programa Do Procedimento por Negociação, com publicação prévia de Anúncio

Programa Do Procedimento por Negociação, com publicação prévia de Anúncio Programa Do Procedimento por Negociação, com publicação prévia de Anúncio para celebração de contrato de cedência de utilização de diversos espaços, em edifícios municipais, para instalação e exploração

Leia mais

Programa de Procedimentos

Programa de Procedimentos Hasta Pública para venda de imóveis Programa de Procedimentos SETOR DE PATRIMÓNIO PROGRAMA DE PROCEDIMENTOS DE HASTA PÚBLICA PARA ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS 1. OBJETO DA HASTA PÚBLICA 1.1 A presente hasta pública,

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS CONCESSÃO DE USO PRIVADO DE ESPAÇO DO DOMÍNIO PÚBLICO NO JARDIM MUNICIPAL PARA INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE DIVERSÕES

CADERNO DE ENCARGOS CONCESSÃO DE USO PRIVADO DE ESPAÇO DO DOMÍNIO PÚBLICO NO JARDIM MUNICIPAL PARA INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE DIVERSÕES CADERNO DE ENCARGOS CONCESSÃO DE USO PRIVADO DE ESPAÇO DO DOMÍNIO PÚBLICO NO JARDIM MUNICIPAL PARA INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE DIVERSÕES Cláusula 1ª Princípio geral O presente Caderno de Encargos compreende

Leia mais

FAQS ATRIBUIÇÃO DE HABITAÇÕES

FAQS ATRIBUIÇÃO DE HABITAÇÕES FAQS ATRIBUIÇÃO DE HABITAÇÕES 1 Onde é que posso obter o Regulamento do concurso? O Regulamento do concurso pode ser obtido: a) Nos escritórios da SPRHI, SA: - Rua Carvalho Araújo n.º38-b, em Ponta Delgada

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO PARA VENDA DE FRACÇÕES MUNICIPAIS HABITACIONAIS DEVOLUTAS A JOVENS, ATRAVÉS DE CONCURSO POR SORTEIO

PROJECTO DE REGULAMENTO PARA VENDA DE FRACÇÕES MUNICIPAIS HABITACIONAIS DEVOLUTAS A JOVENS, ATRAVÉS DE CONCURSO POR SORTEIO PROJECTO DE REGULAMENTO PARA VENDA DE FRACÇÕES MUNICIPAIS HABITACIONAIS DEVOLUTAS A JOVENS, ATRAVÉS DE CONCURSO POR SORTEIO Preâmbulo Com o presente Regulamento pretende-se criar condições para o acesso

Leia mais

CONCURSO. 1. Introdução. 2. Objetivo. Criação de imagem gráfica do Ministério Público. [Regulamento]

CONCURSO. 1. Introdução. 2. Objetivo. Criação de imagem gráfica do Ministério Público. [Regulamento] S. R. PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA CONCURSO Criação de imagem gráfica do Ministério Público [Regulamento] 1. Introdução O Ministério Público português, órgão constitucional do Estado, é autónomo do

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA REDE AQUI É FRESCO 5 ANOS, 5 CARROS

REGULAMENTO DA CAMPANHA REDE AQUI É FRESCO 5 ANOS, 5 CARROS REGULAMENTO DA CAMPANHA REDE AQUI É FRESCO 5 ANOS, 5 CARROS PRIMEIRA.- EMPRESA ORGANIZADORA 1.1 UNIMARKETING, Marketing, Comercialização de Bens de Consumo e Serviços Promocionais, C.R.L com sede em Av.

Leia mais

Procedimento n.º 09/2015/DGF-A. Convite para Aquisição de Serviços de Patrocínio Judiciário e Assessoria Jurídica na Modalidade de Avença

Procedimento n.º 09/2015/DGF-A. Convite para Aquisição de Serviços de Patrocínio Judiciário e Assessoria Jurídica na Modalidade de Avença Procedimento n.º 09/2015/DGF-A Convite para Aquisição de Serviços de Patrocínio Judiciário e Assessoria Jurídica na Modalidade de Avença Índice 1. Entidades... 3 2. Decisão de contratar e de autorização

Leia mais

Processo de declaração de conformidade de software PEM-H

Processo de declaração de conformidade de software PEM-H Processo de declaração de conformidade de software PEM-H Março, 2014 Versão 3,0 Os direitos de autor deste trabalho pertencem à SPMS e a informação nele contida é confidencial. Este trabalho não pode ser

Leia mais

Acordo quadro de serviço móvel terrestre PROGRAMA DE CONCURSO

Acordo quadro de serviço móvel terrestre PROGRAMA DE CONCURSO Acordo quadro de serviço móvel terrestre PROGRAMA DE CONCURSO ANCP 2012 Índice Artigo 1.º Tipo de procedimento, designação e objeto... 3 Artigo 2.º Entidade pública adjudicante... 3 Artigo 3.º Órgão que

Leia mais

Regulamento Relativo aos Programas de Apoio Fundação GDA. Título I Disposições gerais. Artigo 1º Objecto e âmbito de aplicação

Regulamento Relativo aos Programas de Apoio Fundação GDA. Título I Disposições gerais. Artigo 1º Objecto e âmbito de aplicação Regulamento Relativo aos Programas de Apoio Fundação GDA Título I Disposições gerais Artigo 1º Objecto e âmbito de aplicação 1. O presente Regulamento estabelece as normas relativas aos concursos promovidos

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições Gerais

CAPÍTULO I Disposições Gerais PROPOSTA DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS A PESSOAS COLETIVAS E/OU SINGULARES COM ATUAÇÃO RECREATIVA, CULTURAL, DESPORTIVA, SOCIAL OU DE OUTRA NATUREZA Preâmbulo A Constituição da República

Leia mais

Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas 1.

Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas 1. Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas da MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A., com sede na Av. Fontes

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012 O Decreto Regulamentar n.º 84-A/2007, de 10 de dezembro, alterado pelos Decretos

Leia mais

(*) Campos de preenchimento obrigatório.

(*) Campos de preenchimento obrigatório. ANEXO II - ELEMENTOS RELATIVOS AOS REPRESENTANTES AUTORIZADOS, nos termos do artigo 19.º do Regulamento (UE) n.º 920/2010, alterado pelo Regulamento (UE) 1193/2011, de 18 de novembro (*) Campos de preenchimento

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO N.º 01/14/GJ/DSR/Estudo para a Simplificação Regulatória AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMNISTRATIVA, I.P. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO

CONCURSO PÚBLICO N.º 01/14/GJ/DSR/Estudo para a Simplificação Regulatória AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMNISTRATIVA, I.P. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO CONCURSO PÚBLICO N.º 01/14/GJ/DSR/Estudo para a Simplificação Regulatória AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMNISTRATIVA, I.P. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO CONCURSO PÚBLICO PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO DO INR, I.P. ÀS ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO DO INR, I.P. ÀS ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO DO INR, I.P. ÀS ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS Preâmbulo Considerando a missão do INR, I.P., enquanto organismo público, de assegurar o planeamento, execução e

Leia mais

Artigo 3º Bolsas de Investigação para Frequência de Estágios

Artigo 3º Bolsas de Investigação para Frequência de Estágios PROGRAMA OPERACIONAL DE VALORIZAÇÃO DO POTENCIAL HUMANO E COESÃO SOCIAL DA RAM EIXO I EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMAÇÃO AVANÇADA DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE FORMAÇÃO AVANÇADA E QUALIFICAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO

Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO Janeiro de 2014 Versão 1.3 1. INTRODUÇÃO O presente Regulamento é fundamental para reger as operações-chave do programa de Certificação Profissional FEBRABAN.

Leia mais

RMABE-Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo Preâmbulo

RMABE-Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo Preâmbulo RMABE-Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo Preâmbulo Os Municípios são as Autarquias Locais que têm como objectivo primordial a prossecução dos interesses próprios e comuns dos respectivos

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO A INSTITUIÇÕES PARTICULARES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL E DEMAIS ORGANIZAÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS DO CONCELHO DE PINHEL

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO A INSTITUIÇÕES PARTICULARES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL E DEMAIS ORGANIZAÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS DO CONCELHO DE PINHEL REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO A INSTITUIÇÕES PARTICULARES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL E DEMAIS ORGANIZAÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS DO CONCELHO DE PINHEL Junho 2013 PREÂMBULO Considerando o quadro legal de atribuições

Leia mais

Regulamento de Taxas da Freguesia de Santo António

Regulamento de Taxas da Freguesia de Santo António PREÂMBULO As taxas das autarquias locais, nos termos do artigo 3.º da Lei n.º 53 -E/2006, de 29 de dezembro, são tributos que assentam na prestação concreta de um serviço público local, na utilização privada

Leia mais

Município de Monção Largo de Camões 4950 Monção PROCESSO DE CONCURSO 17-342 DP VENDA DE VIATURAS. Edital Programa de Concurso

Município de Monção Largo de Camões 4950 Monção PROCESSO DE CONCURSO 17-342 DP VENDA DE VIATURAS. Edital Programa de Concurso PROCESSO DE CONCURSO 17-342 DP VENDA DE VIATURAS Edital Programa de Concurso EDITAL Venda de Viaturas Processo 17-342 DP 1. Entidade Proprietária Município de Monção Largo de Camões 4950 444 Monção Tel.

Leia mais

"CONCURSO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO TEMPORÁRIA DE LOJAS, LOCALIZADAS NO MERCADO MUNICIPAL DE AREIAS DE SÃO JOÃO, EM ALBUFEIRA" CADERNO DE ENCARGOS

CONCURSO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO TEMPORÁRIA DE LOJAS, LOCALIZADAS NO MERCADO MUNICIPAL DE AREIAS DE SÃO JOÃO, EM ALBUFEIRA CADERNO DE ENCARGOS "CONCURSO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO TEMPORÁRIA DE LOJAS, LOCALIZADAS NO MERCADO MUNICIPAL DE AREIAS DE SÃO JOÃO, EM ALBUFEIRA" CADERNO DE ENCARGOS ARTIGO 1.º OBJETO O presente Caderno de Encargos diz respeito

Leia mais

Programa e Condições Gerais Para Alienação e Arrematação em Hasta Pública da Participação Social da Ribeira Grande Mais, E.M., na empresa Sociedade

Programa e Condições Gerais Para Alienação e Arrematação em Hasta Pública da Participação Social da Ribeira Grande Mais, E.M., na empresa Sociedade Programa e Condições Gerais Para Alienação e Arrematação em Hasta Pública da Participação Social da Ribeira Grande Mais, E.M., na empresa Sociedade de Desenvolvimento de Habitação Social da Ribeira Grande,

Leia mais

NORMAS INTERNAS DE FUNCIONAMENTO DO PROJETO «COMBATE O DESPERDÍCIO! REUTILIZA OS MANUAIS ESCOLARES 2014» PREÂMBULO

NORMAS INTERNAS DE FUNCIONAMENTO DO PROJETO «COMBATE O DESPERDÍCIO! REUTILIZA OS MANUAIS ESCOLARES 2014» PREÂMBULO NORMAS INTERNAS DE FUNCIONAMENTO DO PROJETO «COMBATE O DESPERDÍCIO! REUTILIZA OS MANUAIS ESCOLARES 2014» PREÂMBULO Verificando-se que a compra anual de manuais escolares por parte das famílias se tornou

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO URGENTE N.º 159A000003

CONCURSO PÚBLICO URGENTE N.º 159A000003 CONCURSO PÚBLICO URGENTE N.º 159A000003 Prestação de serviços de segurança, vigilância e controlo de circulação e estacionamento, nas instalações do Centro Hospitalar Lisboa Norte, E.P.E. Programa do Procedimento

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS Nota Justificativa A Lei n.º 18/97, de 11 de Junho, concedeu ao Governo autorização para legislar no

Leia mais

HASTA PÚBLICA Nº01/2016 CONCURSO PARA A ALIENAÇÃO DE 3 PRÉDIOS MUNICIPAIS, SITOS AO PARQUE INDUSTRIAL DA CANCELA-CANIÇO

HASTA PÚBLICA Nº01/2016 CONCURSO PARA A ALIENAÇÃO DE 3 PRÉDIOS MUNICIPAIS, SITOS AO PARQUE INDUSTRIAL DA CANCELA-CANIÇO de Santa Cruz HASTA PÚBLICA Nº01/2016 CONCURSO PARA A ALIENAÇÃO DE 3 PRÉDIOS MUNICIPAIS, SITOS AO PARQUE INDUSTRIAL DA CANCELA-CANIÇO Programa Município de Santa Cruz Janeiro de 2016 Cláusula 1ª Objeto

Leia mais

CONCURSO NACIONAL PARA A CRIAÇÃO DA IMAGEM DA GALA DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL REGULAMENTO

CONCURSO NACIONAL PARA A CRIAÇÃO DA IMAGEM DA GALA DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL REGULAMENTO CONCURSO NACIONAL PARA A CRIAÇÃO DA IMAGEM DA GALA DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL REGULAMENTO Artigo 1º - Promotor 1. O Comité Paralímpico de Portugal (CPP) organiza um Concurso Nacional, adiante designado

Leia mais

ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES

ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES 1 ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES CADERNO DE ENCARGOS Artigo 1.º Objeto A Câmara Municipal de

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO

REGULAMENTO DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO REGULAMENTO DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO Freguesia da Batalha REGULAMENTO DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO DA FREGUESIA DA BATALHA Introdução O associativismo desempenha um papel de importante valor na dinamização

Leia mais

melhoria e inovação da contratação colectiva; dignificação e melhoria das condições de trabalho.

melhoria e inovação da contratação colectiva; dignificação e melhoria das condições de trabalho. REGULAMENTO O Prémio Manuel Lopes foi instituído 1 pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade no sentido de homenagear Manuel Lopes considerando a sua dedicação à implementação da contratação colectiva

Leia mais

A V I S O nº 3/2015 SORTEIO Nº 2/JFM/2015 LUGARES PARA VENDA DE PRODUTOS NA FEIRA DE ARTESANATO E VELHARIAS DO PRÍNCIPE REAL

A V I S O nº 3/2015 SORTEIO Nº 2/JFM/2015 LUGARES PARA VENDA DE PRODUTOS NA FEIRA DE ARTESANATO E VELHARIAS DO PRÍNCIPE REAL A V I S O nº 3/2015 SORTEIO Nº 2/JFM/2015 LUGARES PARA VENDA DE PRODUTOS NA FEIRA DE ARTESANATO E VELHARIAS DO PRÍNCIPE REAL Avisam-se todos os interessados que entre os dias 30 de Março e 24 de Abril

Leia mais

PROGRAMA DA HASTA PÚBLICA VENDA DE VEÍCULOS ABANDONADOS NA VIA PÚBLICA, METAIS FERROSOS E VIATURAS DO MUNICÍPIO. Hasta Pública nº 3/2014

PROGRAMA DA HASTA PÚBLICA VENDA DE VEÍCULOS ABANDONADOS NA VIA PÚBLICA, METAIS FERROSOS E VIATURAS DO MUNICÍPIO. Hasta Pública nº 3/2014 PROGRAMA DA HASTA PÚBLICA VENDA DE VEÍCULOS ABANDONADOS NA VIA PÚBLICA, METAIS FERROSOS E VIATURAS DO MUNICÍPIO 1 Objeto do concurso Hasta Pública nº 3/2014 Hasta pública para alienação, em lotes, de 11

Leia mais

Município de Valpaços

Município de Valpaços Município de Valpaços Regulamento Municipal de Atribuição de Apoios às Freguesias Preâmbulo A Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro aprovou o regime jurídico das autarquias locais, o estatuto das entidades

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR Entre O Primeiro Outorgante, A Administração Regional de Saúde de. IP, adiante

Leia mais

Direção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística. Caderno de Encargos

Direção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística. Caderno de Encargos Direção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística Caderno de Encargos Caderno de Encargos Cláusula 1.ª Objeto 1. O presente caderno de encargos compreende as cláusulas

Leia mais

Regulamento. 5. O Concurso 50/50, promovido pelo ACM, IP, lançado pela primeira vez em 2015, assume um carácter experimental.

Regulamento. 5. O Concurso 50/50, promovido pelo ACM, IP, lançado pela primeira vez em 2015, assume um carácter experimental. Regulamento PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL Artigo 1º Âmbito 1. O Alto Comissariado para as Migrações, I.P. (doravante ACM, I.P.) propõe a dinamização de um concurso de ideias, denominado Concurso 50/50, destinado

Leia mais

Freguesia de Requião

Freguesia de Requião Freguesia de Requião Regulamento e Tabela de Taxas e Licenças Ano de 2014 Em conformidade com o disposto nas alíneas d) e f), nº 1 do artigo 9º, conjugada com a alínea h) do nº 1 do artigo 16º, da Lei

Leia mais

Orientação Técnica n.º 1/2016 PPEC 2017-2018 Procedimentos a observar na implementação das medidas

Orientação Técnica n.º 1/2016 PPEC 2017-2018 Procedimentos a observar na implementação das medidas Orientação Técnica n.º 1/2016 PPEC 2017-2018 Procedimentos a observar na implementação das medidas A revisão das Regras do Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de energia elétrica (PPEC), aprovada

Leia mais

Concurso público para a prestação de serviços de iluminação, som e palco para a Feira do Livro a realizar entre 20 e 29 de Maio de 2011

Concurso público para a prestação de serviços de iluminação, som e palco para a Feira do Livro a realizar entre 20 e 29 de Maio de 2011 Concurso público para a prestação de serviços de iluminação, som e palco para a Feira do Livro a realizar entre 20 e 29 de Maio de 2011 Programa de concurso CMF Abril de 2011 Programa de concurso Pág.

Leia mais

BOLETIM MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DA AMADORA. Edição Especial 16 de Setembro de 2005

BOLETIM MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DA AMADORA. Edição Especial 16 de Setembro de 2005 Edição Especial Regulamento e Programa de Con- curso de Venda de Fogos a Custos Controlados no Alto da Mira (Deliberação da CMA de 15 de Junho de 2005) (Deliberação da AMA de 24 de Junho de 2005) CÂMARA

Leia mais

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I Natureza, denominação, duração, sede e objeto Artigo 1.º Natureza e denominação A sociedade tem a natureza de sociedade anónima de capitais

Leia mais

Capítulo 1- Agências de Viagem

Capítulo 1- Agências de Viagem Capítulo 1- Agências de Viagem 1.1- Quadro Sinótico Relativamente ao D.L. n.º 199/2012, de 24 de agosto, transcrito de seguida, os seus artigos n.º s 2, 3, 4, 5 e 6 foram omitidos neste trabalho. Neles

Leia mais

FUNDO DE EMERGÊNCIA SOCIAL DE LISBOA. Câmara Municipal de Lisboa

FUNDO DE EMERGÊNCIA SOCIAL DE LISBOA. Câmara Municipal de Lisboa FUNDO DE EMERGÊNCIA SOCIAL DE LISBOA Câmara Municipal de Lisboa FUNDO DE EMERGÊNCIA SOCIAL DE LISBOA O que é o Fundo de Emergência Social de Lisboa (FES)? É um programa municipal criado em 2012 e que se

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO FINANCEIRO ÀS INSTITUIÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS

PROGRAMA DE APOIO FINANCEIRO ÀS INSTITUIÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA DE APOIO FINANCEIRO ÀS INSTITUIÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS 1/13 FORMULÁRIO DE CANDIDATURA ( nº SM ) Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra Solicito que seja apreciado o pedido de candidatura

Leia mais

Concurso Escolar O que é ser jovem num país lusófono?

Concurso Escolar O que é ser jovem num país lusófono? Concurso Escolar O que é ser jovem num país lusófono? Regulamento Artigo 1º (Natureza e objetivos) 1. A Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, doravante designada ULHT, institui o concurso

Leia mais

FREGUESIA DE BOAVISTA DOS PINHEIROS MUNICÍPIO DE ODEMIRA. Concurso de Criação do Logótipo para a Freguesia de Boavista dos Pinheiros REGULAMENTO

FREGUESIA DE BOAVISTA DOS PINHEIROS MUNICÍPIO DE ODEMIRA. Concurso de Criação do Logótipo para a Freguesia de Boavista dos Pinheiros REGULAMENTO FREGUESIA DE BOAVISTA DOS PINHEIROS MUNICÍPIO DE ODEMIRA Concurso de Criação do Logótipo para a Freguesia de Boavista dos Pinheiros REGULAMENTO Artigo 1.º Promotor 1. A Freguesia de Boavista dos Pinheiros

Leia mais

MUNICÍPIO DE PAMPILHOSA DA SERRA

MUNICÍPIO DE PAMPILHOSA DA SERRA REGIMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE PAMPILHOSA DA SERRA A Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, estatui na alínea a) do artigo 39.º que compete à Câmara Municipal, no âmbito do seu funcionamento, elaborar e

Leia mais

Município de Alcácer do Sal

Município de Alcácer do Sal Município de Alcácer do Sal Divisão de Planeamento e Gestão Urbanística CONCURSO PÚBLICO CONCESSÃO PARA EXPLORAÇÃO DO QUIOSQUE NA MARGEM SUL PROGRAMA DE PROCEDIMENTO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Objecto: Concessão

Leia mais

Projeto de Regulamento do Fundo Municipal de Emergência Social (FMES) de Nordeste

Projeto de Regulamento do Fundo Municipal de Emergência Social (FMES) de Nordeste Projeto de Regulamento do Fundo Municipal de Emergência Social (FMES) de Nordeste Tendo por base o n.º 8 do artigo 112.º e o artigo 241.º da Constituição da República Portuguesa, o Município de Nordeste

Leia mais

Regulamento Municipal para a Concessão de Apoios ao Associativismo. Preâmbulo

Regulamento Municipal para a Concessão de Apoios ao Associativismo. Preâmbulo MUNICIPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ Regulamento Dr. Francisco Rodrigues de Araújo, Presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez: Faz público que a Assembleia Municipal de Arcos de Valdevez, na sua sessão

Leia mais

EDITAL CURSO DE PÓS LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNA E OBSTETRICIA

EDITAL CURSO DE PÓS LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNA E OBSTETRICIA EDITAL CURSO DE PÓS LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNA E OBSTETRICIA Nos termos do disposto no Despacho nº 1482/2010, publicado em Diário da República, II Série Nº14 de 21 de

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO I. DENOMINAÇÃO / SEDE

REGULAMENTO INTERNO I. DENOMINAÇÃO / SEDE I. DENOMINAÇÃO / SEDE Art.º 1.º A Instinto, Associação Protetora de Animais da Covilhã, é uma associação sem fins lucrativos, que se rege pelos Estatutos, pelo presente Regulamento Interno e demais disposições

Leia mais

ASSUNTO: Convite para apresentação de proposta Ajuste Directo para Fornecimento de Material de Escritório Nº 3/ 2012-2013

ASSUNTO: Convite para apresentação de proposta Ajuste Directo para Fornecimento de Material de Escritório Nº 3/ 2012-2013 À JOBRILE, LDA. Rua Monte dos Congregados, 70 4000-338 Porto Porto, 30 de Agosto de 2012 ASSUNTO: Convite para apresentação de proposta Ajuste Directo para Fornecimento de Material de Escritório Nº 3/

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES NEGOCIAIS LEILÕES ONLINE

TERMOS E CONDIÇÕES NEGOCIAIS LEILÕES ONLINE TERMOS E CONDIÇÕES NEGOCIAIS LEILÕES ONLINE A BIDDING LEILÕES, Lda., adiante designada e identificada, apenas por Bidding Leilões, sujeita a sua atividade leiloeira online, aos Termos e Condições Negociais

Leia mais

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÁO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONOMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO - APV CONVITE AJUSTE DIRETO

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÁO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONOMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO - APV CONVITE AJUSTE DIRETO UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÁO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONOMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO - APV CONVITE AJUSTE DIRETO Contrato de Prestação de Serviço por Tarefa, de um Calceteiro, com

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS E NÃO FINANCEIROS. Nota justificativa

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS E NÃO FINANCEIROS. Nota justificativa PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS E NÃO FINANCEIROS Nota justificativa A prossecução do interesse público municipal nas áreas da cultura, da acção social, das actividades

Leia mais

BANCO PRIMUS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO SEDE OBJETO E DURAÇÃO DA SOCIEDADE

BANCO PRIMUS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO SEDE OBJETO E DURAÇÃO DA SOCIEDADE BANCO PRIMUS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO SEDE OBJETO E DURAÇÃO DA SOCIEDADE Artigo 1.º Natureza jurídica e denominação social A Sociedade, que adota a denominação de Banco Primus SA («a Sociedade»),

Leia mais

ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO

ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO JUNTA DE FREGUESIA DE MARVILA CONCURSO PÚBLICO N / 2 ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO DO BAIRRO DO CONDADO Avisam-se todos os interessados que entre os dias de março e de abril de 2 se encontra aberto Concurso

Leia mais

CONDIÇÕES DA HASTA PÚBLICA PARA ARRENDAMENTO DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS FÓRUM ACTIVO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CONDIÇÕES DA HASTA PÚBLICA PARA ARRENDAMENTO DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS FÓRUM ACTIVO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CONDIÇÕES DA HASTA PÚBLICA PARA ARRENDAMENTO DO ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS FÓRUM ACTIVO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Cláusula 1.ª Objeto do procedimento 1 O presente procedimento tem por

Leia mais

GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO E ALTERAÇÃO DE DADOS PESSOA COLETIVA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO E ALTERAÇÃO DE DADOS PESSOA COLETIVA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO E ALTERAÇÃO DE DADOS PESSOA COLETIVA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Inscrição e Alteração de Dados Pessoa Coletiva (2001 v5.02) PROPRIEDADE

Leia mais

Região Autónoma dos Açores ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ALMAGREIRA MODELO DE REGIMENTO DE ASSEMBLEIA DE FREGUESIA CAPITULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA

Região Autónoma dos Açores ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ALMAGREIRA MODELO DE REGIMENTO DE ASSEMBLEIA DE FREGUESIA CAPITULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA Região Autónoma dos Açores ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ALMAGREIRA MODELO DE REGIMENTO DE ASSEMBLEIA DE FREGUESIA CAPITULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA Artigo 1 Natureza e âmbito do mandato 1. Os membros

Leia mais

Detalhe de Oferta de Emprego

Detalhe de Oferta de Emprego Detalhe de Oferta de Emprego Código da Oferta: OE201507/0294 Tipo Oferta: Procedimento Concursal para Cargos de Direção Estado: Activa Nível Orgânico: Câmaras Municipais Organismo Câmara Municipal de Matosinhos

Leia mais

TEXTO ATUALIZADO. Artigo 1.º Objeto

TEXTO ATUALIZADO. Artigo 1.º Objeto Diploma: Portaria n.º 204-B/2013, de 18 de junho Sumário: Cria a medida Estágios Emprego Alterações: Portaria n.º 375/2013, de 27 de dezembro, altera o artigo 3.º e as alíneas a), b) e c) do n.º 1 do artigo

Leia mais

Projeto de Decreto-Lei de regulamentação do Balção Nacional do Arrendamento. Preâmbulo

Projeto de Decreto-Lei de regulamentação do Balção Nacional do Arrendamento. Preâmbulo Projeto de Decreto-Lei de regulamentação do Balção Nacional do Arrendamento Preâmbulo A Lei n.º 31/2012, de 27 de fevereiro aprovou medidas destinadas a dinamizar o mercado de arrendamento urbano, alterando

Leia mais

Os sócios da Liga são ordinários ou honorários, designando-se por «Amigos».

Os sócios da Liga são ordinários ou honorários, designando-se por «Amigos». CAPÍTULO I (Denominação, natureza e fins) Artigo 1º 1 A Liga dos Amigos do Hospital Geral de Santo António é uma associação apolítica e inconfessional com sede na Cidade do Porto, Largo Professor Abel

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 11

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 11 MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 11 PREÂMBULO Compete ao município promover acções de interesse municipal, de âmbito cultural, social, recreativo e outros, e exercer um papel dinamizador junto

Leia mais

REGULAMENTO Prémio de Jornalismo na área da DOR 4ª Edição, 2014/2015

REGULAMENTO Prémio de Jornalismo na área da DOR 4ª Edição, 2014/2015 REGULAMENTO Prémio de Jornalismo na área da DOR 4ª Edição, 2014/2015 Preâmbulo De acordo com a International Association for the Study of Pain, a dor é uma experiência multidimensional desagradável, envolvendo

Leia mais

Regulamento Interno. Artigo 1º (Missão)

Regulamento Interno. Artigo 1º (Missão) Regulamento Interno O presente regulamento aplica-se a todos os Cursos de formação concebidos, organizados e desenvolvidos pelo Nucaminho - Núcleo dos Camionistas do Minho, com o objetivo de promover o

Leia mais

ANEXO VI PROGRAMA DA HASTA PÚBLICA PARA ALIENAÇÃO DE PRÉDIOS URBANOS NO ÂMBITO DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS

ANEXO VI PROGRAMA DA HASTA PÚBLICA PARA ALIENAÇÃO DE PRÉDIOS URBANOS NO ÂMBITO DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS ANEXO VI PROGRAMA DA HASTA PÚBLICA PARA ALIENAÇÃO DE PRÉDIOS URBANOS NO ÂMBITO DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS 1. OBJECTO DA HASTA PÚBLICA A presente hasta pública tem por objeto a alienação

Leia mais

Município de Leiria Câmara Municipal

Município de Leiria Câmara Municipal Divisão Jurídica e Administrativa (DIJA) DELIBERAÇÃO DA REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE 19 DE ABRIL DE 2016 Serviço responsável pela execução da deliberação Divisão de Desenvolvimento Social Epígrafe 9.2.

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO EM PORTUGAL PARA O ENSINO SUPERIOR DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA CAPÍTULO I

REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO EM PORTUGAL PARA O ENSINO SUPERIOR DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA CAPÍTULO I REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO EM PORTUGAL PARA O ENSINO SUPERIOR DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº. 1º. 1. A Fundação Calouste Gulbenkian, através

Leia mais

NORMAS DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO

NORMAS DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO CÂMARA MUNICIPAL DE ALJUSTREL Preâmbulo A Câmara Municipal de Aljustrel, reconhecendo a intervenção do Movimento Associativo, como um parceiro estratégico determinante na promoção e dinamização de atividades

Leia mais

PARECER N.º 104/CITE/2014

PARECER N.º 104/CITE/2014 PARECER N.º 104/CITE/2014 Assunto: Parecer relativo a queixa sobre a recusa de autorização de trabalho em regime de horário flexível, pedido pela trabalhadora com responsabilidades familiares ao Laboratório,

Leia mais

CARTA CONSULTA Nº 008/2015

CARTA CONSULTA Nº 008/2015 CARTA CONSULTA Nº 008/2015 A Fundação de Apoio `Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação FAPEB, por intermédio do Chefe do Setor de Licitação, convida as empresas cadastradas a participar da licitação na modalidade

Leia mais

ATRIBUIÇÃO DE DIREITO DE EXPLORAÇÃO DE QUIOSQUE SITUADO NO JARDIM DO ALMIRANTE REIS

ATRIBUIÇÃO DE DIREITO DE EXPLORAÇÃO DE QUIOSQUE SITUADO NO JARDIM DO ALMIRANTE REIS ATRIBUIÇÃO DE DIREITO DE EXPLORAÇÃO DE QUIOSQUE SITUADO NO JARDIM DO ALMIRANTE REIS CADERNO DE ENCARGOS Página 1 de 11 Índice Cláusula 1ª Objeto do Procedimento ------------------------------------------------------

Leia mais

PROJETO QUADRO DE HONRA STAPLES (2013/2014) TERMOS E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

PROJETO QUADRO DE HONRA STAPLES (2013/2014) TERMOS E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO PROJETO QUADRO DE HONRA STAPLES (2013/2014) TERMOS E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1. NATUREZA E ÂMBITO DO QUADRO DE HONRA STAPLES 1.1. O QUADRO DE HONRA STAPLES é uma iniciativa da Staples Portugal Equipamento

Leia mais

AVISO Nº 46/2011 PROCEDIMENTO CONCURSAL COMUM PARA CONTRATAÇÃO

AVISO Nº 46/2011 PROCEDIMENTO CONCURSAL COMUM PARA CONTRATAÇÃO Câmara Municipal Núcleo de Recrutamento e Selecção AVISO Nº 46/2011 PROCEDIMENTO CONCURSAL COMUM PARA CONTRATAÇÃO DE UM TÉCNICO SUPERIOR ESPECIALISTA DE INFORMÁTICA, EM REGIME DE CONTRATO INDIVIDUAL DE

Leia mais