(11) Número de Publicação: PT A. (51) Classificação Internacional: B66C 13/08 ( ) B66F 9/04 ( )

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "(11) Número de Publicação: PT 104707 A. (51) Classificação Internacional: B66C 13/08 (2006.01) B66F 9/04 (2006.01)"

Transcrição

1 (11) Número de Publicação: PT A (51) Classificação Internacional: B66C 13/08 ( ) B66F 9/04 ( ) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: (30) Prioridade(s): (43) Data de publicação do pedido: (45) Data e BPI da concessão: / (73) Titular(es): LOMBOSER - METALÚRGICA, S.A. ZONA INDUSTRIAL DE VAGOS, LOTE VAGOS PT (72) Inventor(es): PEDRO MIGUEL SILVA PT (74) Mandatário: JOÃO PEREIRA DA CRUZ RUA VÍCTOR CORDON, LISBOA PT (54) Epígrafe: EQUIPAMENTO PARA MOVIMENTAÇÃO DE PEÇAS (57) Resumo: O PRESENTE INVENTO DIZ RESPEITO A UM EQUIPAMENTO PARA MOVIMENTAÇÃO DE PEÇAS, NOMEADAMENTE PARA ELEVAÇÃO E ROTAÇÃO ATÉ 360º DE PEÇAS LONGITUDINAIS, CONSTITUÍDO POR PELO MENOS UMA TORRE, A TORRE PRINCIPAL (1) E A TORRE SATÉLITE (2).

2 - 1 - RESUMO "EQUIPAMENTO PARA MOVIMENTAÇÃO DE PEÇAS" O presente invento diz respeito a um equipamento para movimentação de peças, nomeadamente para elevação e rotação até 360ª de peças longitudinais, constituído por pelo menos uma torre, a torre principal (1) e a torre satélite (2).

3 - 1 - DESCRIÇÃO "EQUIPAMENTO PARA MOVIMENTAÇÃO DE PEÇAS" ÂMBITO DO INVENTO O presente invento diz respeito a um equipamento para movimentação de peças, utilizado na área da metalomecânica, nomeadamente elevação e rotação até 360º de peças longitudinais, como perfis com diversas secções. O equipamento para movimentação de peças permite a execução de trabalhos de serralharia e construção mecânica com perfilados longos sem o auxílio de pontes rolantes, de forma segura e ergonómica para o operador. TÉCNICA ANTERIOR São conhecidos do estado da técnica anterior equipamentos para movimentação de peças longitudinais. Entre eles, são de referir os equipamentos descritos nos pedidos de patentes DE e DE O pedido de patente DE diz respeito a um dispositivo que compreende uma corrente e dois braços de retenção, para suporte de uma carga. Nos braços de retenção encontram-se dispostos rolos para desviar a corrente, sendo a distância entre os rolos ajustável entre si. O

4 - 2 - equipamento descrito na presente invenção compreende também outros rolos dispostos para desviar a corrente; os rolos, anteriormente mencionados encontram-se dispostos nas extremidades opostas dos braços de retenção. Os braços de retenção foram concebidos de maneira a rodarem em torno de um eixo de rotação. O pedido de patente DE diz respeito a um dispositivo de rotação de carga que compreende uma secção rolante dotada de uma correia, uma corrente ou um cabo disposto em torno de pelo menos um rolo e usado para suportar uma carga. A secção rolante descrita no presente invento é fixada a uma extremidade de um braço de alavanca, estando este, acoplada a um braço de apoio na outra extremidade; o braço de apoio está montado numa base a fim de apoiar o dispositivo de rotação de carga. Os documentos anteriormente referidos ou outros do estado da técnica, são equipamentos para movimentação de peças longitudinais, que não compreendem as características descritas no presente invento. SUMÁRIO DO INVENTO O presente invento diz respeito a um equipamento para movimentação de peças, nomeadamente para rotação até 360º e elevação de peças longitudinais.

5 - 3 - O equipamento para movimentação de peças é constituído por pelo menos uma torre, a torre principal e uma torre secundária que funciona como torre satélite da torre principal. A torre principal comanda a elevação e a rotação de peça a trabalhar no equipamento para movimentação de peças. O equipamento para movimentação de peças é utilizado na área da metalomecânica, para o auxílio à construção soldada, montagem de moldes e todo o trabalho com peças que se desenvolvem segundo a longitudinal, permitindo a execução de trabalhos de serralharia e construção mecânica com perfilados longos sem o auxílio de pontes rolantes. O equipamento para movimentação de peças tem como característica a elevação e rotação até 360º das peças a trabalhar, possibilitando deste modo o acesso a qualquer ponto das peças sem necessidade de incorrer em posições de trabalho incorrectas e inseguras. Seguro para o operador, o equipamento para movimentação de peças permite diversas posições das peças a trabalhar, devido ao braço de carga articulado e a uma frente de acesso totalmente aberta, possibilitando a carga e a descarga das peças a trabalhar com rapidez e segurança. Diversos componentes são comuns às duas torres, como uma coluna telescópica regulável hidraulicamente com

6 - 4 - um curso máximo de 800 mm, podendo este ser alterado mediante as necessidades e as dimensões das peças a trabalhar; um cavalete regulável em altura para suporte das peças, conseguindo-se assim uma óptima posição de trabalho, indo de encontro aos princípios ergonómicos de adequação do trabalho ao homem tão desejado nos postos de trabalho; um braço de carga fixo na parte superior da coluna telescópica; e uma polia, acoplado ao braço de carga fixo, onde trabalha uma cinta para suporte e rotação da peça a trabalhar. O hidráulico anteriormente mencionado compreende um sistema de limitação de carga que impede qualquer movimento se a peça a trabalhar, tiver um peso superior à força de elevação para a qual o equipamento para movimentação de peças está dimensionado. A rotação das peças a trabalhar é feita através de cintas que estão suspensas nas polias, a quais estão acopladas nos respectivos braços fixos da torre principal e da torre satélite. A polia localizada na torre principal está ligada a um moto-redutor que permite várias velocidades da rotação da polia e consequentemente da cinta que suporta a peça a trabalhar. Deste modo a rotação da peça, suspensa por cintas da torre principal e da torre satélite, ocorre de um modo suave devido às cintas utilizadas e dimensionadas para

7 - 5 - o efeito, em detrimento de correntes que imprimem uma rotação descontínua e aos solavancos. Na torre satélite a polia roda livremente por acção da cinta, e em simultâneo com a outra polia, localizada na torre principal e acoplada ao moto-redutor para movimentação da cinta, e consequentemente para rotação da peça a trabalhar. BREVE DESCRIÇÃO DOS DESENHOS A descrição que se segue baseia-se nos desenhos anexos, nos quais sem qualquer carácter limitativo: A figura 1 representa uma vista em perspectiva das duas torres do equipamento para movimentação de peças; A figura 2 representa uma vista em perspectiva da torre principal que compreende um braço de carga articulado, um braço de carga fixo, um moto-redutor, guincho e hidráulico; A figura 3 representa uma vista em perspectiva da torre satélite do equipamento para movimentação de peças; e A figura 4 representa uma vista da torre principal que compreende um braço de carga fixo, um braço de carga, um moto-redutor, guincho e hidráulico.

8 - 6 - LEGENDA DAS FIGURAS Torre principal (1) Torre satélite (2) Braço de carga fixo (3) Base de suporte (4) Coluna telescópica (5) Cavalete (6) Polia (7) Cinta (8) Braço de carga articulado (9) Moto-redutor (10) Guincho (11) Hidráulico (12) Base de suporte (13) Coluna telescópica (14) Cavalete (15) Braço de carga (16) Polia (17) Cinta (18) DESCRIÇÃO DETALHADA DO INVENTO O presente invento diz respeito a um equipamento para movimentação de peças, nomeadamente para rotação e elevação de peças, como perfis metálicos, com diferentes

9 - 7 - secções. Conforme representado na figura 1, o equipamento é constituído por pelo menos uma torre, uma torre principal (1) e uma torre satélite (2), ligadas por uma manga de hidráulico (não representada nas figuras) e cada torre apresenta uma base de suporte (4 e 13). A torre principal (1) e a torre satélite (2) compreendem diversos componentes idênticos, como uma coluna telescópica (5, 14), um cavalete (6, 15) e um braço de carga fixo (9, 16), uma polia (7, 17) onde trabalha uma cinta (8, 18) para suporte e rotação da peça a trabalhar. Uma das funções da torre principal (1) é comandar a elevação e a rotação da peça a trabalhar no equipamento de para movimentação de peças, nomeadamente a elevação da coluna telescópica (5) e da coluna telescópica (14) da torre satélite (2), e a rotação da cinta (8) e a rotação da cinta (18) da torre satélite (2), sendo que esta última movimentasse por acção da peça, de modo a movimentar de forma sincronizada a peça a trabalhar. Conforme representado na figura 1, a coluna telescópica (5, 14), é regulável em altura através de um hidráulico (12) com um curso variável, podendo este ser alterado mediante as necessidades e as dimensões da peça a trabalhar, o qual possui um sistema de limitação de carga que impede qualquer movimento se a peça a trabalhar tiver

10 - 8 - um peso superior à força de elevação para a qual as torres (1, 2) estão dimensionadas. O cavalete (6) e o cavalete (15), representados respectivamente nas figuras 2 e 4 e na figura 3, são reguláveis manualmente em altura para suporte da peça a trabalhar. Nas figuras 2 e 4 podemos observar, respectivamente o braço de carga fixo (9) na parte superior da coluna telescópica (5) e o braço carga fixo (16) na parte superior da coluna telescópica (14). No braço de carga fixo (9, 16), está acoplado uma polia (7, 17) onde trabalha uma cinta (8, 18), representada na figura 1, para suporte e rotação da peça a trabalhar. Para além dos componentes comuns nas duas torres (1, 2), anteriormente descritos, a torre principal (1) conforme se pode observar nas figuras 2 e 4, compreende ainda um moto-redutor (10) com variador de velocidades que permite várias velocidades na rotação da polia (7); um hidráulico (12), para movimentação da coluna telescópica (5) e da coluna telescópica (14); um braço de carga articulado (3), localizado na parte superior da coluna telescópica (5), que realiza um movimento de rotação de 270º na horizontal em torno da coluna telescópica (5), e no qual, está acoplado um guincho (11) eléctrico, que pode ser deslocado manualmente ao longo do braço de carga (3), para

11 - 9 - auxílio do posicionamento da peça a soldar no topo e/ou nas laterais de qualquer peça a trabalhar. O braço de carga articulado (3), representado nas figuras 2 e 4, realiza um movimento de rotação de 270º na horizontal em torno da coluna telescópica (5), e no qual, está acoplado um guincho (11) eléctrico, que pode ser deslocado manualmente ao longo do braço de carga (3), para auxílio do posicionamento da peça a soldar no topo e/ou nas laterais de qualquer peça a trabalhar. A torre satélite (2) (ver figura 1), compreende uma polia (17) que roda livremente por acção da cinta (18), e em simultâneo com a polia (7), esta ultima, acoplada ao moto-redutor (10) para movimentação da cinta (8) e consequentemente para rotação da peça a trabalhar. A elevação da peça a trabalhar ser feita perfeitamente na horizontal e com a carga controlada aquando da sua movimentação, o que permite o controlo total da estabilidade de cada uma das torres (1, 2), uma vez que durante a elevação, a peça a trabalhar mantêm sempre a mesma distância da torre principal (1) e da torre satélite (2), evitando desta forma colisões com as mesmas. No equipamento descrito na presente invenção, para peças a trabalhar de pequenas dimensões, a torre (1) pode movimentar as peças a trabalhar de forma autónoma e independente da torre (2), através da desactivação da manga

12 de hidráulico (não representada nas figuras). Lisboa, 17de Novembro de 2009

13 - 1 - REIVINDICAÇÕES 1. Equipamento para movimentação de peças, nomeadamente para rotação até 360º e elevação de peças, constituído por pelo menos uma torre, a torre principal (1) e a torre satélite (2) ligadas por uma manga de hidráulico e com uma base de suporte (4, 13), caracterizado por cada torre, a torre principal (1) e a torre satélite (2), compreender: - uma coluna telescópica (5, 14), regulável em altura através de um hidráulico (12), com um curso variável, podendo este ser alterado mediante as necessidades e as dimensões da peça a trabalhar, o qual possui um sistema de limitação de carga que impede qualquer movimento se a peça tiver um peso superior à força de elevação para a qual as torres (1, 2) estão dimensionadas; - um cavalete (6, 15) regulável em altura para suporte da peça a trabalhar; - um braço de carga (9, 16) fixo na parte superior da coluna telescópica (5, 14), no qual está acoplado uma polia (7, 17) onde trabalha uma cinta (8, 18) para suporte e rotação da peça a trabalhar. 2. Equipamento para movimentação de peças, de acordo com a reivindicação 1, caracterizado por uma torre principal (1) ser ainda dotada de:

14 um moto-redutor (10) com variador de velocidades que permite várias velocidades na rotação da polia (7); - um hidráulico (12), localizado na torre (1), para movimentação da coluna telescópica (5) e da coluna telescópica (14), através de uma manga de hidráulico que une as duas torres (1, 2); e - um braço de carga articulado (3), localizado na parte superior da coluna telescópica (5), que realiza um movimento de rotação de 270º na horizontal em torno da coluna telescópica (5), e no qual, está acoplado um guincho (11) eléctrico, que pode ser deslocado manualmente ao longo do braço de carga (3), para auxílio do posicionamento da peça a soldar no topo e/ou nas laterais de qualquer peça a trabalhar. 3. Equipamento para movimentação de peças, de acordo com a reivindicação anterior caracterizado por o hidráulico (12) da torre principal (1) comandar a movimentação da coluna telescópica (14) da torre satélite (2) e comandar a rotação da cinta (18), por acção da peça suspensa na cinta (8), da torre satélite (2), de modo a movimentar de forma sincronizada a peça a trabalhar. 4. Equipamento para movimentação de peças, de acordo com a reivindicações anteriores caracterizado por na torre satélite (2) a polia (17) rodar livremente por meio da cinta (18), e em simultâneo com a polia (7) acoplado ao moto-redutor (10) para movimentação da cinta (8) e

15 - 3 - consequentemente para rotação da peça a trabalhar. 5. Equipamento para movimentação de peças, de acordo com as reivindicações anteriores, caracterizado por na coluna telescópica (5) e na coluna telescópica (14), a elevação da peça a trabalhar ser feita perfeitamente na horizontal e com a carga controlada aquando da sua movimentação, o que permite o controlo total da estabilidade de cada uma das torres (1, 2), uma vez que ao longo de todo o ciclo de trabalho, a peça a trabalhar mantêm sempre a mesma distância das torres (1, 2), evitando desta forma colisões com as mesmas. 6. Equipamento para movimentação de peças, de acordo com as reivindicações anteriores, caracterizado por, para peças a trabalhar de pequenas dimensões, a torre (1) poder movimentar as peças a trabalhar de forma autónoma e independente da torre (2), através da desactivação da manga de hidráulico. Lisboa, 17de Novembro de 2009

16 - 1/4 - Fig.1

17 - 2/4 - Fig.2

18 - 3/4 - Fig.3

19 - 4/4 - Fig.4

(72) Inventor(es): (74) Mandatário: (54) Epígrafe: GERADOR DE ENERGIA DAS CORRENTES MARÍTIMAS E FLUVIAIS

(72) Inventor(es): (74) Mandatário: (54) Epígrafe: GERADOR DE ENERGIA DAS CORRENTES MARÍTIMAS E FLUVIAIS (11) Número de Publicação: PT 105069 A (51) Classificação Internacional: F03B 13/12 (2006.01) F03B 13/10 (2006.01) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2010.04.26 (30) Prioridade(s):

Leia mais

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD 18.01.2013 Racks Paletização KD O sistema de armazenagem KD de cargas médias e pesadas representa a melhor solução para armazéns em que é necessária uma correta armazenagem para produtos paletizados com

Leia mais

de limpeza frontal com corrente

de limpeza frontal com corrente GRELHA MECÂNICA DE BARRAS de limpeza frontal com corrente tipo GV ou GSV Aplicações As águas de descarga civis podem conter vários lixos. Tudo o que puder ser deitado no esgoto, e mesmo o que não se puder,

Leia mais

Processo de Pedido de Patente e de Desenho para Ferramenta de. Soldadura e Processamento por Fricção Linear

Processo de Pedido de Patente e de Desenho para Ferramenta de. Soldadura e Processamento por Fricção Linear Instituto Superior Técnico Departamento de Engenharia Mecânica Secção de Tecnologia Mecânica Av. Rovisco Pais 1049-001 Lisboa Portugal Processo de Pedido de Patente e de Desenho para Ferramenta de Soldadura

Leia mais

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS Bastidores das Torres Rolantes Disponíveis em 2 larguras (0,75 e 1,35 m) de 4 degraus (1 m) e 7 degraus (2 m) Os degraus possuem uma superfície estriada antideslizante e a distância entre degraus é de

Leia mais

Agora com. Delegação em Lisboa Tel. 21 231 89 19 Tlm 96 764 46 22 N O R M A L I Z A D O S. Aluguer MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS

Agora com. Delegação em Lisboa Tel. 21 231 89 19 Tlm 96 764 46 22 N O R M A L I Z A D O S. Aluguer MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS Agora com Delegação em Lisboa Tel. 21 231 89 19 Tlm 96 764 46 22 N O R M A L I Z A D O S Aluguer SOLUÇÕES DE ACESSO MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS BASES SIMPLES / DUPLAS - ALUMÍNIO EN 1004 classe 3 EN 1298 DE

Leia mais

3. Procedimento para Avaliação da Integridade Estrutural em estruturas de equipamentos de transporte e elevação de materiais

3. Procedimento para Avaliação da Integridade Estrutural em estruturas de equipamentos de transporte e elevação de materiais 3. Procedimento para Avaliação da Integridade Estrutural em estruturas de equipamentos de transporte e elevação de materiais Neste capítulo serão descritos os passos para a avaliação da Integridade Estrutural

Leia mais

CAPÍTULO 7 FABRICAÇÃO DOS DORMENTES

CAPÍTULO 7 FABRICAÇÃO DOS DORMENTES CAPÍTULO 7 FABRICAÇÃO DOS DORMENTES Este capítulo mostra e descreve o molde metálico e a estrutura de protensão, utilizados para a fabricação dos protótipos do dormente. Também apresenta os procedimentos

Leia mais

Manual de Instruções e Catálogo de Peças

Manual de Instruções e Catálogo de Peças 1 Manual de Instruções e Catálogo de Peças Mk-GT 800 2 ÍNDICE Apresentação... 03 Normas de Segurança... 04 Componentes... 07 Engate / Montagem... 08 Preparação p/trabalho... 09 Cuidados... 10 Manutenção...11

Leia mais

Porta Contêiner. Aplicação. O semi-reboque Porta Contêiner foi desenvolvido para o transporte de contêiner de 20 e 40 pés. Chassi

Porta Contêiner. Aplicação. O semi-reboque Porta Contêiner foi desenvolvido para o transporte de contêiner de 20 e 40 pés. Chassi Porta Contêiner Aplicação O semi-reboque Porta Contêiner foi desenvolvido para o transporte de contêiner de 20 e 40 pés. Chassi Constituído de longarinas tipo I, possui travessas e reforços. Construído

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PONTE ROLANTE - ZL EQUIPAMENTOS. 1. DESCRIÇÃO. Os Equipamentos de movimentação ZL Equipamentos são fabricados com: Qualidade Tecnologia Segurança. PONTE ROLANTE UNIVIGA SUSPENSA

Leia mais

TORRE TELESCÓPICA AUTO SUPORTADA DE 18 METROS TORRE TEMPORÁRIA TRANSPORTÁVEL COMPACTA SBF INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA.

TORRE TELESCÓPICA AUTO SUPORTADA DE 18 METROS TORRE TEMPORÁRIA TRANSPORTÁVEL COMPACTA SBF INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA. TORRE TELESCÓPICA AUTO SUPORTADA DE 18 METROS TORRE TEMPORÁRIA TRANSPORTÁVEL COMPACTA SBF INDÚSTRIA MECÂNICA LTDA. PRODUTO SBF TTAS-18 DESCRITIVO TÉCNICO 1.1. Finalidade da Torre A Torre Telescópica Auto

Leia mais

MF 86 HS. Retroescavadeira / Pá carregadeira MASSEY FERGUSON

MF 86 HS. Retroescavadeira / Pá carregadeira MASSEY FERGUSON MF 86 HS Retroescavadeira / Pá carregadeira MASSEY FERGUSON 2 www.massey.com.br 4 tipos de versões e o maior número de vantagens Alavanca de múltipla ação no carregador frontal Plataforma para o operador

Leia mais

IRRIGAÇÃO POR PIVÔ CENTRAL

IRRIGAÇÃO POR PIVÔ CENTRAL IRRIGAÇÃO POR PIVÔ CENTRAL Introdução Num passado não muito distante, irrigação era sinônimo de trabalho humano intenso. Desde a pré-história o homem vem desviando ribeirões para irrigar suas plantações,

Leia mais

Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD

Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD Dimensões Máquina básica com carro inferior R 9760 3650 10000 5480 3675 2445 1810 3950 1610 1700 7945 9360 3975 1720 R 6360 1100 6800 620 17380 Peso operacional

Leia mais

PARA O ALUNO. 2. Não utilizar celular em sala de aula (em caso de urgência pedir licença para o professor e atender a ligação fora da sala).

PARA O ALUNO. 2. Não utilizar celular em sala de aula (em caso de urgência pedir licença para o professor e atender a ligação fora da sala). 1. Ter disciplina e respeito em sala de aula. PARA O ALUNO. 2. Não utilizar celular em sala de aula (em caso de urgência pedir licença para o professor e atender a ligação fora da sala). 3. Manter a Escola

Leia mais

ANEXO TÉCNICO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AQUISIÇÃO DE ELEVADOR CONVENCIONAL

ANEXO TÉCNICO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AQUISIÇÃO DE ELEVADOR CONVENCIONAL ANEXO TÉCNICO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AQUISIÇÃO DE ELEVADOR CONVENCIONAL AQUISIÇÃO DE ELEVADOR CONVENCIONAL PARA SER INSTALADO NO EDÍFICIO DO ESCRITÓRIO REGIONAL DA ANATEL EM FORTALEZA-CE.

Leia mais

Miguel C. Branchtein, Delegacia Regional do Trabalho no Rio Grande do Sul

Miguel C. Branchtein, Delegacia Regional do Trabalho no Rio Grande do Sul DETERMINAÇÃO DE CONDIÇÃO DE ACIONAMENTO DE FREIO DE EMERGÊNCIA TIPO "VIGA FLUTUANTE" DE ELEVADOR DE OBRAS EM CASO DE QUEDA DA CABINE SEM RUPTURA DO CABO Miguel C. Branchtein, Delegacia Regional do Trabalho

Leia mais

OS PAINÉIS DE CONTROLE E COMANDO DOS EQUIPAMENTOS ESTÃO INCLUSOS NO VALOR DA PROPOSTA

OS PAINÉIS DE CONTROLE E COMANDO DOS EQUIPAMENTOS ESTÃO INCLUSOS NO VALOR DA PROPOSTA Rio de Janeiro, 02 de dezembro de 2011. UNIDADE TRIAGEM E RECICLAGEM E INCLUSÃO SOCIAL E VALORIZAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS. 01. Proposta Simplificada PRODUTO QUANTIDADE VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL

Leia mais

TS-300BR. CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m

TS-300BR. CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m TADANO GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N TS-300BR TS-300BR DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m LANÇA 4 seções, 9,8 m - 31,0 m DIMENSÕES GERAIS Comprimento

Leia mais

Prezado Cliente, agradecemos a sua confiança e preferência pela nossa enxada mecânica. Temos a certeza de que a utilização desta sua máquina satisfará plenamente as suas exigências. Para que a máquina

Leia mais

T.D.B. do Brasil Indústria e Comércio Ltda.

T.D.B. do Brasil Indústria e Comércio Ltda. TDB CAMINHÃO - GUINDASTE 30 TONELADAS MÉTRICAS T.D.B. do Brasil Indústria e Comércio Ltda. Rua Doutor Djalma Pinheiro Franco, n 829 Vila Santa Catarina São Paulo SP CEP: 04368-000. Telefone: ( 0xx11 )

Leia mais

TBA 42/60. Tornos automáticos CNC de carros múltiplos

TBA 42/60. Tornos automáticos CNC de carros múltiplos TBA 42/60 Tornos automáticos CNC de carros múltiplos TBA 42/60 - nova geração com moderna tecnologia Os tornos automáticos CNC de carros múltiplos Ergomat TBA 42 e TBA 60 se tornaram mais versáteis e produtivos

Leia mais

UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga

UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga CENTRO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga 16 Valores Introdução No âmbito da ufcd 5811 Sistemas de transporte e elevação de cargas, foi-nos

Leia mais

EXAUSTOR MUNTERS MANUAL DE INSTALAÇÃO EXAUSTOR MUNTERS REV.00-11/2012-MI0047P

EXAUSTOR MUNTERS MANUAL DE INSTALAÇÃO EXAUSTOR MUNTERS REV.00-11/2012-MI0047P MANUAL DE INSTALAÇÃO EXAUSTOR MUNTERS REV.00-11/2012-MI0047P 0 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 IMPORTANTE... 3 SEGURANÇA... 3 CUIDADOS AO RECEBER O EQUIPAMENTO... 4 1) Instalação dos exaustores... 5 2) Instalação

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário:

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (11) Número de Publicação: PT 106328 (51) Classificação Internacional: A47K 13/30 (2006) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2012.05.22 (30) Prioridade(s): (43) Data de publicação

Leia mais

PosiLeno E OUTROS PRODUTOS PARA A TECELAGEM DE GIRO INGLÊS

PosiLeno E OUTROS PRODUTOS PARA A TECELAGEM DE GIRO INGLÊS info W I N F O R M A Ç Ã O T É C N I C A E A V I N G 5 PosiLeno E OUTROS PRODUTOS PARA A TECELAGEM DE GIRO INGLÊS Os tecidos de giro inglês são cada vez mais utilizados também em aplicações técnicas. Daí

Leia mais

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 3

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 3 ESCORAMENTO PÁGINA 1/16 MOS 4ª Edição ESPECIFICAÇÕES MÓDULO 05 VERSÃO 00 DATA jun/2012 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 3 0501 ESCORAMENTO DE MADEIRA... 3 0502

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS O acoplamento ACRIFLEX AD, consiste em dois flanges simétricos inteiramente usinados, pinos de aço com superfícies retificadas e buchas amortecedoras de borracha nitrílica à prova

Leia mais

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências:

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências: Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Os elevadores de correias a caçambas são os equipamentos mais comuns e econômicos para o movimento vertical de materiais

Leia mais

Pregão 003/2006 Alteração 01 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES

Pregão 003/2006 Alteração 01 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES Pregão 003/2006 Alteração ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES ITEM O1 Sistema de arquivamento composto de módulos de arquivos deslizantes, com acionamento

Leia mais

Pedro Rocha 2015-10-15

Pedro Rocha 2015-10-15 Pedro Rocha 2015-10-15 Circulação O veiculo não pode sair do centro para se posicionar nas linhas ou áreas de inspeção Via de fuga Evitar o cruzamento de veículos 2 As linhas devem ser estruturadas para

Leia mais

Calibradores de Minerais

Calibradores de Minerais uma Companhia Astec Industries Calibradores de Minerais Calibradores de Minerais/Calibradores de Rolos para Aplicações Primárias/Secundárias e Terciárias A gama Osborn de Calibradores de Rolos de Eixo

Leia mais

Conheça nossa empresa

Conheça nossa empresa Conheça nossa empresa Empresa Damaeq Integridade, Vontade de Superar-se, Satisfação do Cliente. MODELO PANDA 2015 Novo coletor compactador modelo PANDA 2015, com capacidade para 15m³ ou 19m³ de lixo compactado.

Leia mais

IME - AUTOFLIFT - ESPECIALISTA EM SISTEMAS DE ELEVAÇÃO MÓVEL PARA TODO O TIPO DE VEÍCULOS.

IME - AUTOFLIFT - ESPECIALISTA EM SISTEMAS DE ELEVAÇÃO MÓVEL PARA TODO O TIPO DE VEÍCULOS. IME - AUTOFLIFT - ESPECIALISTA EM SISTEMAS DE ELEVAÇÃO MÓVEL PARA TODO O TIPO DE VEÍCULOS. Equipamentos Oficinais SSH ELEVADOR DE TESOURAS PARA CAMIÕES E AUTOCARROS Equipamentos Oficinais CARACTERÍSTICAS

Leia mais

Baú Lonado (Sider) Características do Produto. Chassi

Baú Lonado (Sider) Características do Produto. Chassi Baú Lonado (Sider) Cortinas laterais em malha de PVC; Trilhos para abertura total das laterias; Agilidade na carga e decarga lateral; Características do Produto Chassi Constituído de longarinas tipo I,

Leia mais

Estantes para paletização dinâmica por força da gravidade

Estantes para paletização dinâmica por força da gravidade Estantes para paletização dinâmica por força da gravidade Ótima rotação dos produtos graças à movimentação da carga Características do sistema de paletização dinâmica As estantes dinâmicas para a armazenagem

Leia mais

Elementos de Engenharia Civil 2007/2008. Enunciados dos problemas *

Elementos de Engenharia Civil 2007/2008. Enunciados dos problemas * DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA SECÇÁO DE HIDRÁULICA E RECURSOS HÍDRICOS E AMBIENTAIS Elementos de Engenharia Civil 2007/2008 2 SEMESTRE Enunciados dos problemas * (módulo de Hidráulica)

Leia mais

SUMÁRIO. Elaboração Revisão Aprovado (ou Aprovação) Data aprovação Maturino Rabello Jr Marco Antônio W. Rocha Carmen T. Fantinel

SUMÁRIO. Elaboração Revisão Aprovado (ou Aprovação) Data aprovação Maturino Rabello Jr Marco Antônio W. Rocha Carmen T. Fantinel SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 3.1 Hidrômetro...2 3.2 A.R.T...2 3.3 Ramal predial de água...2 4. Procedimentos e Responsabilidades...3 4.1 Generalidades...3

Leia mais

Acoplamento Altamente Elástico

Acoplamento Altamente Elástico Acoplamento Altamente Elástico Spxpt 04/02 GENERALIDADES Acoplamentos altamente elásticos Speflex modelos SPA e SPG O acoplamento VULKAN SPEFLEX é constituído de um elemento altamente elástico em borracha

Leia mais

Terceira Lista de Exercícios

Terceira Lista de Exercícios Universidade Católica de Petrópolis Disciplina: Resitência dos Materiais I Prof.: Paulo César Ferreira Terceira Lista de Exercícios 1. Calcular o diâmetro de uma barra de aço sujeita a ação de uma carga

Leia mais

COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.150/2007 PROCESSO TRT Nº

COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.150/2007 PROCESSO TRT Nº PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO D.S.M.P. - SEÇÃO DE COMPRAS COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.150/2007 PROCESSO TRT Nº 01714.2007.000.14.00-3 Solicitamos de Vossa Senhoria

Leia mais

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX MSN

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX MSN ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX MSN CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX MSN são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido nodular, e um elemento poliuretano alojado entre eles

Leia mais

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial Prof. Daniel Hasse Robótica Industrial Aula 02 - Robôs e seus Periféricos Tipos de Sistemas de Controle Volume de Trabalho Dinâmica e Precisão dos Movimentos Sistemas de Acionamentos Garras Tipos de Sistemas

Leia mais

A registered trademark of SNA Europe Group HIDRÁULICA BAHCO

A registered trademark of SNA Europe Group HIDRÁULICA BAHCO A registered trademark of SNA Europe Group HIDRÁULICA BAHCO ÍNDICE GAMA HIDRAULICA BAHCO Elevação de motor & transmissão Grua Garagem T Barra Suporte Motor Ajustável Barra Suporte Motor Suporte para motores

Leia mais

1. GUINDASTE: HISTÓRIA E DEFNIÇÃO

1. GUINDASTE: HISTÓRIA E DEFNIÇÃO SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 4 1. GUINDASTE: HISTÓRIA E DEFNIÇÃO... 5 1.1. Tipos de Guindaste... 7 2. CAPACIDADE DE CARGA... 12 3. PLANO DE RIGGING... 13 4. OPERAÇÃO DO GUINDASTE... 17 4.1. Acidentes na Operação...

Leia mais

Curso de Especialização em Engenharia Automotiva. Módulo: Transmissões

Curso de Especialização em Engenharia Automotiva. Módulo: Transmissões Curso de Especialização em Engenharia Automotiva Módulo: Realização: Parceria: CVT (Continuous Variable Transmission) Com a tecnologia CVT o torque do motor é transmitido a uma polia motriz ligada a uma

Leia mais

Preparo periódico do solo arados de discos *

Preparo periódico do solo arados de discos * Preparo periódico do solo arados de discos * 1. Arados de discos Os arados de discos distinguem-se das de aivecas por a lavoura ser efetuada por discos com movimento de rotação provocado pelo atrito de

Leia mais

MESAS ELEVATÓRIAS MÓVEIS MANUAIS E ELÉCTRICAS HT(E)

MESAS ELEVATÓRIAS MÓVEIS MANUAIS E ELÉCTRICAS HT(E) Réf : HT(E) MESAS ELEVATÓRIAS MÓVEIS MANUAIS E ELÉCTRICAS HT(E) A solução ergonómica para a de ferramentas e componentes em caso de manutenção de máquinas. HT : mesa elevatória manual HTE : mesa elevatória

Leia mais

Prof. Sérgio Viana. Estas notas de aula são destinadas aos alunos que. Gráfica, para um posterior estudo mais profundo.

Prof. Sérgio Viana. Estas notas de aula são destinadas aos alunos que. Gráfica, para um posterior estudo mais profundo. EXPRESSÃO GRÁFICA Prof. Sérgio Viana Estas notas de aula são destinadas aos alunos que desejam ter um conhecimento básico de Expressão Gráfica, para um posterior estudo mais profundo. 1 Caligrafia Técnica

Leia mais

TRANSPORTADORES DE CORREIA

TRANSPORTADORES DE CORREIA 1. DESCRIÇÃO Os Transportadores de correia é a solução ideal para o transporte de materiais sólidos a baixo custo. Sua construção é compacta e com excelente desempenho funcional. Sua manutenção é simples

Leia mais

2.1 Dados Técnicos - Dimensões na Condição de Altura Fechada (Sem Pressão)

2.1 Dados Técnicos - Dimensões na Condição de Altura Fechada (Sem Pressão) 1. Considerações Gerais 1.1 Instruções de recebimento Deve-se inspecionar visualmente todo o equipamento para detectar avarias causadas durante o transporte, como vazamentos e marcas de batidas. Avarias

Leia mais

Art. 3º - Informar que as críticas e sugestões a respeito da proposta deverão ser encaminhadas para o endereço abaixo:

Art. 3º - Informar que as críticas e sugestões a respeito da proposta deverão ser encaminhadas para o endereço abaixo: MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 161, de 30 de setembro de 2003. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

VALTRA VL. Plaina frontal 60-190 cv

VALTRA VL. Plaina frontal 60-190 cv VALTRA VL Plaina frontal 60-190 cv TECNOLOGIA E EFICIÊNCIA NA MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS Menor concentração de massa (peso) na parte frontal gera menor efeito alavanca, permite melhor dirigibilidade e estabilidade

Leia mais

PROJETO INTEGRADO 4º SEMESTRE 2013/2 ESTRUTURA DE COBERTURA

PROJETO INTEGRADO 4º SEMESTRE 2013/2 ESTRUTURA DE COBERTURA UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO DIRETORIA DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL PROJETO INTEGRADO 4º SEMESTRE 2013/2 ESTRUTURA DE COBERTURA 1 Objetivos: Propiciar aos estudantes do curso de Engenharia

Leia mais

TROFÉU CLUBE DESPORTIVO NACIONAL PROMERCH PUBLICIDADE 2011 REGULAMENTO TÉCNICO

TROFÉU CLUBE DESPORTIVO NACIONAL PROMERCH PUBLICIDADE 2011 REGULAMENTO TÉCNICO TROFÉU CLUBE DESPORTIVO NACIONAL PROMERCH PUBLICIDADE 2011 REGULAMENTO TÉCNICO 1. TODAS AS VIATURAS DEVERÃO ESTAR OBRIGATORIAMENTE EQUIPADAS COM: 1.1. - Armação de Segurança constituída por: a) Arco Principal:

Leia mais

3B SCIENTIFIC PHYSICS

3B SCIENTIFIC PHYSICS 3B SCIENTIFIC PHYSICS Osciloscópio didático U8481350 Instruções para o uso 01/08 CW/ALF Entradas: 1 Tensão anódica 2 Tensão catódica 3 Tensão de Wehnelt 4 Tensão de aquecimento (0) 5 Tensão de aquecimento

Leia mais

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL Aula 06 CISALHAMENTO

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL Aula 06 CISALHAMENTO CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL Cálculo de solda de filete Resistências de cálculo a solicitação de cálculo é igual à resultante vetorial de todas as forças de cálculo na junta que produzam tensões normais

Leia mais

TÉCNICO EM MECÂNICA NOME: Nº INSC.: PRRH. Pró-Reitoria de Recursos Humanos

TÉCNICO EM MECÂNICA NOME: Nº INSC.: PRRH. Pró-Reitoria de Recursos Humanos TÉNIO M MÂNI NOM: Nº INS.: PRRH Pró-Reitoria de Recursos Humanos Para a usinagem de uma engrenagem de 55 dentes, de módulo 2 mm, foi utilizada uma barra de seção circular de 5". onsiderando a necessidade

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO SELETIVO DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO SELETIVO DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS GPT/M008/10/R6 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO SELETIVO DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS O presente documento estabelece os padrões de comunicação visual a serem observados

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário:

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (11) Número de Publicação: PT 105546 (51) Classificação Internacional: A01G 23/06 (2006) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2011.02.26 (30) Prioridade(s): (43) Data de publicação

Leia mais

MANUAL DO USUARIO DIMMER ENERGY L.E.D Página 1 de 11 DCP ILUMINAÇÃO LTDA. DIMMER L.E.D DIMMER DMX PARA ILUMINAÇÃO. Manual do Usuário Versão 1

MANUAL DO USUARIO DIMMER ENERGY L.E.D Página 1 de 11 DCP ILUMINAÇÃO LTDA. DIMMER L.E.D DIMMER DMX PARA ILUMINAÇÃO. Manual do Usuário Versão 1 Página 1 de 11 DCP ILUMINAÇÃO LTDA. DIMMER L.E.D DIMMER DMX PARA ILUMINAÇÃO Manual do Usuário Versão 1 Página 2 de 11 Índice 1. INTRODUÇÃO...2 2. DESCRIÇÃO...2 3. POSICIONAMENTO/MEDIDAS/INDICADORES...3/4

Leia mais

Rebites I. Um mecânico tem duas tarefas: consertar

Rebites I. Um mecânico tem duas tarefas: consertar A U A UL LA Rebites I Introdução Um mecânico tem duas tarefas: consertar uma panela cujo cabo caiu e unir duas barras chatas para fechar uma grade. A questão é a seguinte: qual elemento de fixação é o

Leia mais

M7 Estantes para picking

M7 Estantes para picking M7 Estantes para picking 2 PICKING M7 PARA CARGA MÉDIA E GRANDE Sistema de armazenagem de produtos para picking manual que segue o princípio homem a produto. Principais vantagens: - Possibilidade de armazenar

Leia mais

* Não precisa de elementos auxiliares para a sua sustentação.

* Não precisa de elementos auxiliares para a sua sustentação. INTRODUÇÃO RYLBRUN é a tubulação flexível, fabricada a base de materiais de alta qualidade e resistência, e cujas características construtivas, fazem dela a tubulação ideal para a instalação de bombas

Leia mais

Truck Crane TKA-420N TKA-420N TRUCK CRANE

Truck Crane TKA-420N TKA-420N TRUCK CRANE Truck Crane TKA-420N TKA-420N TRUCK CRANE DESTAQUES DO NOVO GUINDASTE TKA-420N Moderna e confortável cabina de comando, com amplo campo de visão e fácil acesso aos controles do guindaste. Possui ventilação,

Leia mais

ESQUADREJADORA. Princípios principais de utilização e precauções:

ESQUADREJADORA. Princípios principais de utilização e precauções: ESQUADREJADORA A esquadrejadora é uma máquina de serra circular que permite realizar cortes rectos de precisão, vazados ou interrompidos, de peças de grande dimensão. É constituída por um corpo com mesa

Leia mais

rimetal máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário Máquinas para Baterias

rimetal máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário Máquinas para Baterias máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário ÍNDICE INTRODUÇÃO Apresentação Dados Técnicos Cuidados Segurança Limpeza 2 3 4 5 6 MANUTENÇÃO Instruções Manutenção Preventiva REGULAGEM E AJUSTES

Leia mais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais Contextualização A transformação da matéria-prima em produto acabado requer que pelo menos um dos três elementos básicos de produção (trabalhador, máquina e material) seja movimentado. Para a maioria dos

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL. PORTARIA N.º 511, DE 29 DE ABRIL DE 2016 (DOU de 02/05/2016 Seção I Pág. 94)

MINISTÉRIO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL. PORTARIA N.º 511, DE 29 DE ABRIL DE 2016 (DOU de 02/05/2016 Seção I Pág. 94) MINISTÉRIO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL PORTARIA N.º 511, DE 29 DE ABRIL DE 2016 (DOU de 02/05/2016 Seção I Pág. 94) Inclui, na Norma Regulamentadora n.º 36 - Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário:

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: () Número de Publicação: PT 06258 (5) Classificação Internacional: A4B 9/02 (2006) (2) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 202.04.7 (30) Prioridade(s): (43) Data de publicação do pedido:

Leia mais

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba E Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase Diego Rafael Alba 1 Mancais De modo geral, os elementos de apoio consistem em acessórios para o bom funcionamento de máquinas. Desde quando o homem passou a

Leia mais

Papel. Série: Formato... A4 Dificuldade... 03 Papel...180g/m²

Papel. Série: Formato... A4 Dificuldade... 03 Papel...180g/m² Papel Gurgel X-TR MOD Nº V02 - Ago.2006 - Papel Modelismo - 1/25 Série: Veículos do Brasil Modelo Grátis Formato... A4 Dificuldade... 03 Papel...180g/m² 2006 Modelo de Papel: Gurgel X.TR Série: Veículos

Leia mais

Prevenção e Segurança na Construção Ferroviária: Execução de Passagens Superiores à Via Férrea em Exploração

Prevenção e Segurança na Construção Ferroviária: Execução de Passagens Superiores à Via Férrea em Exploração Prevenção e Segurança na Construção Ferroviária: Execução de Passagens Superiores à Via Férrea em Exploração Anabela Canelas: Coordenadora de SHST na WS Atkins, Portugal (ar-canelas@netcabo.pt) Mafalda

Leia mais

METALÚRGICA MORAIS & FILHOS, S.A.

METALÚRGICA MORAIS & FILHOS, S.A. POLIBENNE PLB 40 METALÚRGICA MORAIS & FILHOS, S.A. CONSTRUÇÃO O POLIBENNE PLB 40 Este equipamento foi desenvolvido para o manuseamento de cargas, dos mais variados tipos e que se encontram acondicionados

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO A TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP Nº 02/2008

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO A TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP Nº 02/2008 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO A TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP Nº 02/2008 1 DO OBJETO Visa à contratação de empresa especializada nos serviços de fornecimento, entrega e instalação

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO 2015-2016. 1ª Edição PARABÉNS! VOCÊ ACABOU ADQUIRIR UMA PORTA DE AÇO AUTOMATIZADA SIEG. Agora vamos instalar?

MANUAL DE INSTALAÇÃO 2015-2016. 1ª Edição PARABÉNS! VOCÊ ACABOU ADQUIRIR UMA PORTA DE AÇO AUTOMATIZADA SIEG. Agora vamos instalar? 1 MANUAL DE INSTALAÇÃO 2015-2016 1ª Edição PARABÉNS! VOCÊ ACABOU ADQUIRIR UMA PORTA DE AÇO AUTOMATIZADA SIEG. Agora vamos instalar? 2 3 Índice Quem é a SIEG... 06 Instalação passo-a-passo... 09 Kit Porta

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO NOTURNO DO TRANSPORTE COLETIVO DE CAMPINAS CORUJÃO

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO NOTURNO DO TRANSPORTE COLETIVO DE CAMPINAS CORUJÃO GPT/M012/10/R4 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO NOTURNO DO TRANSPORTE COLETIVO DE CAMPINAS CORUJÃO O presente documento estabelece os padrões de comunicação visual a serem observados

Leia mais

(11) Número de Publicação: PT 10590 T. (51) Classificação Internacional: A61J 1/05 (2006.01) B65D 81/18 (2006.01)

(11) Número de Publicação: PT 10590 T. (51) Classificação Internacional: A61J 1/05 (2006.01) B65D 81/18 (2006.01) (11) Número de Publicação: PT 10590 T (51) Classificação Internacional: A61J 1/05 (2006.01) B65D 81/18 (2006.01) (12) FASCÍCULO DE MODELO DE UTILIDADE (22) Data de pedido: 2010.06.23 (30) Prioridade(s):

Leia mais

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CR (COM CRUZETA)

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CR (COM CRUZETA) ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CR (COM CRUZETA) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX CR são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre

Leia mais

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética de elevada resistência a abrasão.

Leia mais

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX GR (COM GARRAS)

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX GR (COM GARRAS) ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX GR (COM GARRAS) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX GR são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre

Leia mais

Desafio Tecnológico Carro Mecatrônico

Desafio Tecnológico Carro Mecatrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS DE PRESIDENTE EPITÁCIO Desafio Tecnológico Carro Mecatrônico 1. Descrição e Objetivos Propõe um desafio tecnológico

Leia mais

Rev.1 18.01.2013. Estantes cantoneira

Rev.1 18.01.2013. Estantes cantoneira 18.01.2013 Estantes cantoneira O sistema de estantes em cantoneira foi concebido para satisfazer as necessidades de armazenagem nas indústrias, oficinas, armazéns, etc, tendo em vista uma solução económica.

Leia mais

SOQUETES E ACESSÓRIOS

SOQUETES E ACESSÓRIOS SOQUETES E ACESSÓRIOS Os soquetes são ferramentas manuais destinadas ao aperto e desaperto de porcas ou parafusos, conjugados com um acessório. Os soquetes e acessórios Belzer são forjados em aço cromo-vanádio,

Leia mais

NEW HOLLAND 7OOTL 73OTL 74OTL 75OTL 76OTL

NEW HOLLAND 7OOTL 73OTL 74OTL 75OTL 76OTL NEW HOLLAND 7OOTL 73OTL 74OTL 75OTL 76OTL 2 3 CONCEBIDOS ESPECIFICAMENTE A PENSAR NA ADAPTAÇÃO PERFEITA CONCEBIDOS ESPECIFICAMENTE A PENSAR NA ADAPTAÇÃO PERFEITA Desenvolvidos com base nas necessidades

Leia mais

RAMPAS NIVELADORAS E PONTES DE LIGAÇÃO

RAMPAS NIVELADORAS E PONTES DE LIGAÇÃO RAMPAS NIVELADORAS E PONTES DE LIGAÇÃO RAMPA NIVELADORA REFRAL / OPG ELECTROHIDÁULICA LÁBIO REBATÍVEL Rampa niveladora electrohidráulica REFRAL / OPG para uso intensivo. Fabricada em conformidade EN 1398.

Leia mais

CARROS DE APOIO À INDUSTRIA

CARROS DE APOIO À INDUSTRIA Carros de Mão Carros Ligeiros com Carros para Cargas Médias/Elevadas Carros Armário com e sem Prateleiras Carros com Banca de Trabalho Carros de Apoio à Industria Carros de Reboque Carros para Escritóio

Leia mais

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL SUBGERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário:

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (11) Número de Publicação: PT 105575 (51) Classificação Internacional: A61F 5/449 (2006) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2011.03.21 (30) Prioridade(s): (43) Data de publicação

Leia mais

Localização do termostato 14 Posicionamento e instalação do sensor 14. Instalação eléctrica normal 15 Montagem do termostato na caixa de parede 16

Localização do termostato 14 Posicionamento e instalação do sensor 14. Instalação eléctrica normal 15 Montagem do termostato na caixa de parede 16 ÍNDICE INTRODUÇÃo 13 Especificações técnicas 14 POSICIONAMENTO DO TERMOSTATO E DO SENSOR 14 Localização do termostato 14 Posicionamento e instalação do sensor 14 INSTALAÇÃO 15 Instalação eléctrica normal

Leia mais

NICOLAU BELLO / REBECA P. RICO PROFISSIONAIS DA ÁREA SEGURANÇA Email:- nicobelo@hotmail.com

NICOLAU BELLO / REBECA P. RICO PROFISSIONAIS DA ÁREA SEGURANÇA Email:- nicobelo@hotmail.com NICOLAU BELLO / REBECA P. RICO PROFISSIONAIS DA ÁREA SEGURANÇA Email:- nicobelo@hotmail.com 1 GRÚA TORRE Definição GRÚA TORRE.- Máquina que se emprega para a elevação de cargas, por meios de um gancho

Leia mais

CAIXA, REBOQUE E SEMI-REBOQUE BASCULANTE

CAIXA, REBOQUE E SEMI-REBOQUE BASCULANTE FICHA DE SEGURANÇA CAIXA, REBOQUE E SEMI-REBOQUE BASCULANTE FUNÇÃO Transporte e esvaziamento da carga por elevação da caixa ou do reboque ou do semireboque basculante industrial ou agrícola. Caixa basculante

Leia mais

TS-9972 Reach Stacker

TS-9972 Reach Stacker TS-9972 Reach Stacker Capacidade: 45 Ton (99.000 lbs) Primeira Fila / 4 de Altura 2,9m (9,5 pés) Capacidade: 41 Ton (90.000 lbs) Primeira Fila / 5 de Altura (9,5 pés) 6,500 mm (256 pol) Entre- Eixos TS-9972

Leia mais

Qual gráfico expressa as intensidades das forças que a Terra exerce sobre cada satélite em função do tempo?

Qual gráfico expressa as intensidades das forças que a Terra exerce sobre cada satélite em função do tempo? 1. (Enem 2013) A Lei da Gravitação Universal, de Isaac Newton, estabelece a intensidade da força de atração entre duas massas. Ela é representada pela expressão: F G mm d 1 2 2 onde m1 e m2 correspondem

Leia mais

Manual de montagem e utilização Torre rolante 5100 e 5200 Torre com escadas 5300 Base rebatível 5400 e 5500 EN 1004. www.equipleva.

Manual de montagem e utilização Torre rolante 5100 e 5200 Torre com escadas 5300 Base rebatível 5400 e 5500 EN 1004. www.equipleva. Manual de montagem e utilização Torre rolante 5100 e 5200 Torre com escadas 5300 Base rebatível 5400 e 5500 EN 1004 752906 www.equipleva.pt Relax. Segurança. It's an É Altrex. GERAL Manual de Montagem

Leia mais

C R I T É R I O S D E M E D I Ç Ã O E E S T R U T U R A D E P R E Ç O S

C R I T É R I O S D E M E D I Ç Ã O E E S T R U T U R A D E P R E Ç O S CM: CM 19/01 190100 CONJUNTO MOTO-BOMBA (MONTAGEM E INST.) FOLHA: 1/5 190101 MONTAGEM E INSTALAÇÃO DE CONJUNTO MOTO-BOMBA DE EIXO HORIZONTAL, POTENCIA ATE 5 CV 190104 MONTAGEM E INSTALAÇÃO DE CONJUNTO

Leia mais

MONTAGEM DE BARRAMENTOS

MONTAGEM DE BARRAMENTOS Elaborado por Vanessa Oliveira Visto Aprovado por José Carlos Visto Revisado por Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 26/06/2014 - Emissão inicial 1. OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

CARRETA BASCULANTE KHOR

CARRETA BASCULANTE KHOR 1 - INTRODUÇÃO Parabéns; você acaba de adquirir um produto KHOR que é resultado de um projeto sofisticado, onde profissionais com anos de experiência dedicaram horas de trabalho e os mais rigorosos teste.

Leia mais

Capitulo II - Máquinas e equipamentos

Capitulo II - Máquinas e equipamentos Invenções, desenhos, ideias e projectos por Mário Loureiro Capitulo II - Máquinas e equipamentos 1988 - Mesa de corte de madeira Para fabricar colunas de som é necessário cortar as placas de contraplacado

Leia mais