Curso de Especialização em Engenharia Automotiva. Módulo: Transmissões

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso de Especialização em Engenharia Automotiva. Módulo: Transmissões"

Transcrição

1 Curso de Especialização em Engenharia Automotiva Módulo: Realização: Parceria:

2 CVT (Continuous Variable Transmission) Com a tecnologia CVT o torque do motor é transmitido a uma polia motriz ligada a uma polia movida geralmente por uma correia em aço, obtendo infinitas relações de transmissão ajustando simultaneamente os diâmetros das 2 polias. Não há ruptura do torque transmitido e o cliente não sente a troca de marchas dando uma sensação agradável de condução. Consumo: tende a ser mais econômico que um veículo com caixa de câmbio manual. Este princípio permite que um grande número de relações de marchas, limitado pelas aberturas mínima e máxima, seja feito por meio da variação dos diâmetros efetivos das polias primária e secundária. A variação contínua das relações elimina os trancos nas mudanças permitindo uma condução mais confortável. 2 03/2011

3 CVT (Continuous Variable Transmission) 2 tipos de CVT: Com conversor de torque (ex. Nissan/Renault) Com embreagem seca, úmida ou magnética (ex. Honda Fit) 3 03/2011

4 CVT (Continuous Variable Transmission) Variador e Correia de CVT Fonte NISSAN 4 03/2011

5 Caixa de Câmbio CVT - Exemplo Definições técnicas caixa Jatco (Nissan/Renault): Torque máximo: 195 Nm Peso FK0: 92 kg Fontes de perda de eficiência (aumento de consumo); Bomba de óleo : pressão de funcionamento de 50 a 70 bar Distribuidor hidráulico : funciona com altas pressões de trabalho Correia: atrito, esforço aplicado Conversor de torque 5 03/2011

6 Esquema AP / AS / Dif. Modelo 3D 6 03/2011

7 Secção FK0 7 03/2011

8 Vista traseira sem tampa: 8 03/2011

9 CVT - Esquema de funcionamento Caixa Jatco - Fonte NISSAN 9 03/2011

10 CVT - Conversor de Torque (Nissan) O conversor de torque num CVT tem a mesma função de um conversor utilizado em caixas de câmbio automáticas convencionais. Permite o acoplamento e a transferência de torque do motor à polia primária e também é responsável por movimentar a corrente da bomba de óleo /2011

11 CVT - Bomba de óleo A bomba de óleo fornece a pressão de óleo suficiente para o funcionamento e a lubrificação do CVT. Esta pressão é superior à de uma caixa manual convencional, uma vez que deve ser suficientemente alta para manter a tensão da correia de transmissão e suportar o torque do motor /2011

12 CVT - Inversor O inversor consiste em um sistema de Trem Epicicloidal simples também chamado de trem planetário, uma embreagem, um freio e é utilizado para alternar entre marcha à frente e marcha à ré /2011

13 CVT - Embreagem e Freio A embreagem e o freio do CVT são do tipo multi-discos. Uma das eletroválvulas distribui a pressão de óleo na face traseira do pistão. Por meio da aplicação progressiva da força do pistão sobre o disco inicial, o bloqueio e a liberação dos discos de acionamento ocorrem de forma suave evitando trancos /2011

14 CVT - Correia Metálica A correia metálica possui aproximadamente 400 elos metálicos e 02 cintas metálicas cada uma com 12 camadas. Mesmo ângulo dos discos das polias variáveis 14 03/2011

15 CVT - Correia Metálica A correia metálica transfere a potência por meio da força de compressão das faces das polias. A pressão hidráulica é transmitida às polias e as faces dos discos destas acionam os elos. Quando o elo é firmemente mantido entre as polias, é produzida uma força de fricção e o elo é elevado na direção de rotação da polia. Um dos elos é pressionado contra o elo seguinte que comprime a peça adjacente assim sucessivamente transferindo a potência solicitada, 15 03/2011

16 Caixa de Câmbio - CVT Correia metálica 16 03/2011

17 CVT - Correia Metálica 17 03/2011

18 CVT - Polias (Variador de Relações) O conjunto do variador de relações possui uma polia primária e uma polia secundária. A polia primária é a polia principal, pois é a que recebe o torque do motor. A polia secundária é a polia de acionamento, a que transfere a potências às rodas motrizes /2011

19 CVT - Polias (Variador de Relações) 19 03/2011

20 CVT - ECU (Electronic Control Unit) 20 03/2011

21 CVT - Pressão do Fluído Hidráulico 21 03/2011

22 CVT - Relações Virtuais Assim como nas caixas de câmbio automatizadas, dupla-embreagem e caixas de câmbio automáticas, no CVT também é possível efetuar mudanças de relações manualmente. Quando posicionada a alavanca de mudanças na posição M (manual), o condutor dispões de cinco a oito relações pré-definidas /2011

23 CVT - Relações Virtuais 23 03/2011

24 CVT Multitronic (AUDI) Corrente Exemplo de CVT Audi Multitronic 24 03/2011

25 CVT Multitronic (AUDI) - Inovações substituição da correia metálica por uma corrente específica desacoplamento do circuito hidráulico de fechamento das polias embreagem multi-disco concêntrica um atuador de torque que regula diretamente a pressão de fechamento das polias bomba de óleo com baixa vazão intersticial /2011

26 CVT Multitronic Corrente Metálica A corrente oferece uma superior capacidade de transmissão de torque, um melhor rendimento e permite um raio de enrolamento inferior ao de uma correia metálica. A corrente é composta de 75 eixos e 1025 elos dispostos em fileiras de 13 e 14 elos por uma largura de 37mm. Para garantir um deslocamento o mais silencioso possível da correia, são utilizados elos de dois comprimentos diferentes /2011

27 CVT Multitronic Corrente Metálica 27 03/2011

28 CVT Correia x Corrente 28 03/2011

29 Caixa de Câmbio - Automatizada I-Shift é nome comercial das transmissões automatizadas Volvo /2011

30 Caixa de Câmbio - Automatizada Automáticas: São transmissões baseadas no sistema de planetárias múltiplas e embreagens atuadas hidraulicamente; Normalmente utilizam conversores de torque no acoplamento com o motor; Exemplos: transmissões Volvo Powertronic, ZF Ecomat, Voith Turbo, Allison /2011

31 Caixa de Câmbio - Automatizada Automatizadas: São transmissões com os mesmos conceitos de construção de caixas manuais: com eixo de entrada, eixo principal, contra-eixo, eixo de saída; Normalmente utilizam embreagens convencionais; Exemplos: transmissões Volvo I-Shift, ZF AS Tronic, Scania Opticruise /2011

32 Caixa de Câmbio - Automatizada Vantagens das Automáticas sobre as Automatizadas Permitem deslocamentos baixas velocidades com elevado torque, sem solavancos, e sem desgaste de embreagem; São mais adequadas em aplicações com muitas paradas: Ônibus urbano; Caminhões de lixo /2011

33 Caixa de Câmbio - Automatizada Vantagens das Automatizadas sobre as Automáticas. São mais leves; São de construção mais simples; São mais baratas; Menor consumo de combustível /2011

34 Caixa de Câmbio - Automatizada Automatizadas Volvo - Histórico 2002: Nasce a primeira I-Shift, a AMT-B; Não foi baseada em uma transmissão manual já existente; Otimizada para aplicações de caminhões rodoviários até 44 toneladas; 2007: Nasce a I-Shift, a AMT-C 34 03/2011

35 Caixa de Câmbio - Automatizada Inovações Aumento de capacidade de torque, para atender motores de até 16 litros; Aumento da capacidade de carga; Maior gama de aplicações /2011

36 Caixa de Câmbio - Automatizada Redução do consumo de combustível. Menos perdas por atrito; Algoritmo avançado de estratégia de troca de marcha; Funções avançadas de economia de combustível: Ecoroll, Smart Cruise Control; Menos trocas de marchas; Marcha de arrancada de acordo com a necessidade; Trocas de marcha mais rápidas /2011

37 Caixa de Câmbio - Automatizada Menor desgaste embreagem; Menor de desgaste dos freios; Redução do peso; 271 kg contra 334 kg de uma transmissão VT2214B; Redução do nível de ruído; Dentes helicoidais no grupo redutor; Facilidade de condução; Proteção do trem de força /2011

38 Componentes Principais 38 03/2011

39 Alavanca de Mudanças Posições: R - Marcha a ré N - Neutro A - Modo Automático M - Modo Manual L - Modo de Segurança A: GECU, Gearshift ECU. B: Alavanca /2011

40 Alavanca de Mudanças Modos de Condução: Econômico: posição padrão Performance: aumenta as rotações de troca. O modo de condução não tem influência no desempenho do motor /2011

41 Sistema de Embreagem Consiste de uma unidade de controle e um atuador concêntrico, com sensor de posicionamento. Sistema é puramente eletro-pneumático. Sensor de posicionamen Atuador concêntric Unidade de controle 41 03/2011

42 Sistema de Transmissão Componentes Principais Unidade de Controle Integrada Grupo redutor (Range). Freio do contra-eixo Caixa básica não sincronizada Grupo desmultiplicador (split) sincronizado /2011

43 Sistema de Transmissão Corte 43 03/2011

44 Sistema de Transmissão Engrenamentos 44 03/2011 LS HS R Range (HR/LR)

45 Sistema de Transmissão Fluxo de Força 45 03/2011

46 Analogia com o Cérebro Humano unidade de controle Softwares, Conhecimento Datasets, Prévio Parâmetros Informações Decisão Mudar da 12ª para a 11ª marcha. SENSORES SENTIDOS Informações Externos: velocidade do motor, velocidade das rodas, posição dos pedais Internos: posição dos garfos, velocidade do contra-eixo /2011

47 Estratégia de Troca Baseada em parâmetros como inclinação, peso do veículo, posição do pedal do acelerador Tem como objetivo maximizar a performance e reduzir o consumo de combustível: Se não é necessário arrancar em primeira marcha, uma marcha mais alta é usada para economizar combustível. Se é possível pular marchas, isso é feito. Tanto na aceleração quanto na desaceleração /2011

48 Troca de Marchas Seqüência de acontecimentos típica Torque do motor é limitado; Embreagem é acionada; Transmissão vai para a posição neutra; Velocidade do motor é reduzida; Embreagem é liberada até o ponto de escorregamento; Quando ocorre a sincronização acontece o acoplamento; Embreagem e torque do motor são liberados. Tempo total transcorrido: 1 segundo /2011

49 E o Futuro? Aumentar a gama de aplicações Ônibus Urbano; Mineração; Aplicações com tomada de forças de alta potência: caminhões betoneiras. Reduzir ainda mais o consumo de combustível; Utilização em sistemas híbridos: Diesel + Elétrico /2011

FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO:

FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO: FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO: 1 - EMBREAGEM 2 - CÂMBIO 3 - DIFERENCIAL 4 - REDUÇÃO FINAL Luiz Atilio Padovan Prof. Eng. Agrônomo 1 EMBREAGEM LOCALIZAÇÃO 1 EMBREAGEM LOCALIZAÇÃO 1 EMBREAGEM LOCALIZAÇÃO

Leia mais

MF 86 HS. Retroescavadeira / Pá carregadeira MASSEY FERGUSON

MF 86 HS. Retroescavadeira / Pá carregadeira MASSEY FERGUSON MF 86 HS Retroescavadeira / Pá carregadeira MASSEY FERGUSON 2 www.massey.com.br 4 tipos de versões e o maior número de vantagens Alavanca de múltipla ação no carregador frontal Plataforma para o operador

Leia mais

Transmissões de Potência

Transmissões de Potência Transmissões de Potência PMR 2201 Transmissões O emprego de transmissões torna-se necessário para compatibilizar a velocidade angular ou conjugado da máquina motriz com a necessidade da máquina acionada,

Leia mais

TS-300BR. CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m

TS-300BR. CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m TADANO GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N TS-300BR TS-300BR DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m LANÇA 4 seções, 9,8 m - 31,0 m DIMENSÕES GERAIS Comprimento

Leia mais

TR-350XL. CAPACIDADE DO GUINDASTE 31.800 kg a 3,0 m

TR-350XL. CAPACIDADE DO GUINDASTE 31.800 kg a 3,0 m TADANO GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N.º TR-350XL-3-00101/EX-10 TR-350XL DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 31.800 kg a 3,0 m LANÇA 4 seções, 9,95 m - 32,0 m DIMENSÕES GERAIS

Leia mais

PERFIL DO TÉCNICO REPARADOR DE TRANSMISSÕES AUTOMÁTICAS. Competências necessárias ao técnico para o desempenho de suas funções.

PERFIL DO TÉCNICO REPARADOR DE TRANSMISSÕES AUTOMÁTICAS. Competências necessárias ao técnico para o desempenho de suas funções. PERFIL DO TÉCNICO REPARADOR DE TRANSMISSÕES AUTOMÁTICAS Competências necessárias ao técnico para o desempenho de suas funções. Primeiro grupo Introdução às transmissões automáticas. 1. Corrigir declarações

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. GARFO (Comprimento X Largura X Bitola) (mm): 100D7: 1.200 X 200 X 70 / 1.500 X 200 X 75 / 1.650 X 200 X 75 1.800 X 200 X 75 / 2.100 X 200 X 75 / 2.400 X 200 X 75 120D7: 1.200 X 200 X 75 / 1.500 X 200 X

Leia mais

ESTRATÉGIA DE FUNCIONAMENTO DA TRANSMISSÃO DPS6 DE DUPLA EMBREAGEM DA FORD, APLICADA NOS VEÍCULOS ECOSPORT E NEW FIESTA MODELO 2013.

ESTRATÉGIA DE FUNCIONAMENTO DA TRANSMISSÃO DPS6 DE DUPLA EMBREAGEM DA FORD, APLICADA NOS VEÍCULOS ECOSPORT E NEW FIESTA MODELO 2013. ESTRATÉGIA DE FUNCIONAMENTO DA TRANSMISSÃO DPS6 DE DUPLA EMBREAGEM DA FORD, APLICADA NOS VEÍCULOS ECOSPORT E NEW FIESTA MODELO 2013. A FORD desta vez está causando uma verdadeira revolução no campo das

Leia mais

T.D.B. do Brasil Indústria e Comércio Ltda.

T.D.B. do Brasil Indústria e Comércio Ltda. TDB CAMINHÃO - GUINDASTE 30 TONELADAS MÉTRICAS T.D.B. do Brasil Indústria e Comércio Ltda. Rua Doutor Djalma Pinheiro Franco, n 829 Vila Santa Catarina São Paulo SP CEP: 04368-000. Telefone: ( 0xx11 )

Leia mais

Sensores e Atuadores (2)

Sensores e Atuadores (2) (2) 4º Engenharia de Controle e Automação FACIT / 2009 Prof. Maurílio J. Inácio Atuadores São componentes que convertem energia elétrica, hidráulica ou pneumática em energia mecânica. Através dos sistemas

Leia mais

CAPRECY Conheça o equipamento italiano que combina o hidrojato sugador com um sistema de reciclagem contínuo de água.

CAPRECY Conheça o equipamento italiano que combina o hidrojato sugador com um sistema de reciclagem contínuo de água. CAPRECY Conheça o equipamento italiano que combina o hidrojato sugador com um sistema de reciclagem contínuo de água. Com CAPRECY, a economia é tão clara quanto a água. São Paulo 2 A NOVITÀ importa e distribui

Leia mais

Elementos de Transmissão Correias

Elementos de Transmissão Correias Elementos de Transmissão Correias Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Transmissão por polias e correias Transmissão por polias e correias As polias são peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo

Leia mais

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial Prof. Daniel Hasse Robótica Industrial Aula 02 - Robôs e seus Periféricos Tipos de Sistemas de Controle Volume de Trabalho Dinâmica e Precisão dos Movimentos Sistemas de Acionamentos Garras Tipos de Sistemas

Leia mais

Instruções para o Motorista

Instruções para o Motorista Eaton Fuller Heavy Duty Transmissions Instruções para o Motorista Fuller Heavy Duty Transmissions FTS- XX108LL Abril 2009 CUIDADOS Leia completamente as instruções para o motorista antes de operar a transmissão.

Leia mais

SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE UM VEÍCULO ELÉTRICO

SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE UM VEÍCULO ELÉTRICO SISTEM DE TRNSMISSÃO DE UM VEÍCULO ELÉTRICO Paulo ntonio dos Santos 1 Francisco José Grandinetti 1 (grandi@unitau.br) Marcio bud Marcelino 2 (abud@feg.unesp.br) Heitor Giovanelli Carlesimo 2 1 Universidade

Leia mais

Veículo para o transporte de cargas em áreas urbanas. - maior arranque; - retomada de velocidade mais rápida; - maior versatilidade; - maior força.

Veículo para o transporte de cargas em áreas urbanas. - maior arranque; - retomada de velocidade mais rápida; - maior versatilidade; - maior força. Página 1 de 7 Você está em DELIVERY 5.150 4X2 Home» Caminhões Volkwagen» Delivery Olá EDUARDO VASQUES SAIR Home Empresas Caminhões Volkswagen Delivery Delivery 5.150 4x2 Delivery 8.160 4x2 Delivery 9.160

Leia mais

Contém. Acoplamentos Hidráulicos

Contém. Acoplamentos Hidráulicos Fone: (47) 30262211 Acoplamentos Hidráulicos Catalogo Nº: HSD 24 / 001 Contém Seleção do acoplamento hidráulico Em funcionamento Dimensões gerais Diferentes posições de montagem Recomendações Vantagens

Leia mais

RAPTOR TRACTORES - GAMA DT

RAPTOR TRACTORES - GAMA DT RAPTOR TRACTORES - GAMA DT RAPTOR GAMA DT: ÚNICOS NA SUA ESPÉCIE A versatilidade é a característica fundamental de um tractor convencional, ou seja, a sua capacidade de fazer diversos tipos de trabalhos

Leia mais

CONVERSOR DE TORQUE PRINCIPIO DE FUNCIONAMENTO

CONVERSOR DE TORQUE PRINCIPIO DE FUNCIONAMENTO CONVERSOR DE TORQUE PRINCIPIO DE FUNCIONAMENTO Em matérias anteriores, conhecemos algumas noções básicas do funcionamento de uma transmissão automática, com seus componentes principais, informando ao técnico

Leia mais

Seminário Eficiência Energética no Setor Agropecuário e Agroindústrias. Oportunidades de Eficiência Energética em

Seminário Eficiência Energética no Setor Agropecuário e Agroindústrias. Oportunidades de Eficiência Energética em Seminário Eficiência Energética no Setor Agropecuário e Agroindústrias Oportunidades de Eficiência Energética em Sistemas acionados por motores elétricos e frio industrial Humberto Jorge 30/04/2014 Escola

Leia mais

Volvo fh16 750. Volvo Trucks. Driving Progress

Volvo fh16 750. Volvo Trucks. Driving Progress Volvo fh16 750 Volvo Trucks. Driving Progress O MAIS POTENTE E SEGURO DO MUNDO O FH16 750 é o máximo de tudo o que já se sabe sobre caminhões, ele é revolucionário. Possui dirigibilidade acima do normal

Leia mais

(11) Número de Publicação: PT 104707 A. (51) Classificação Internacional: B66C 13/08 (2006.01) B66F 9/04 (2006.01)

(11) Número de Publicação: PT 104707 A. (51) Classificação Internacional: B66C 13/08 (2006.01) B66F 9/04 (2006.01) (11) Número de Publicação: PT 104707 A (51) Classificação Internacional: B66C 13/08 (2006.01) B66F 9/04 (2006.01) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2009.08.04 (30) Prioridade(s):

Leia mais

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br INTRODUÇÃO: Embreagens são elementos que

Leia mais

Acoplamentos de conexão HyCon, HyLoc e HyGrip

Acoplamentos de conexão HyCon, HyLoc e HyGrip Acoplamentos de conexão HyCon, HyLoc e HyGrip Voith Turbo Safeset Somos experts em limitação de torque e acoplamentos de conexão na Voith Turbo. A Voith Turbo, especialista em sistemas de transmissão hidrodinâmica,

Leia mais

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores Robótica Industrial Projeto de Manipuladores Robôs são os típicos representantes da Mecatrônica. Integram aspectos de: Manipulação Sensoreamento Controle Comunicação 1 Robótica e Mecatrônica 2 Princípios

Leia mais

Capítulo 5 Trabalho e Potência

Capítulo 5 Trabalho e Potência Capítulo 5 Trabalho e Potência Neste capítulo discutiremos conceitos relativos a trabalho e potência. Discutiremos ainda os efeitos do atrito e as perdas de potência causadas por ele. Definiremos rendimento

Leia mais

PORTFÓLIO DE PRODUTOS. Equipamentos para o segmento de rochas ornamentais

PORTFÓLIO DE PRODUTOS. Equipamentos para o segmento de rochas ornamentais PORTFÓLIO DE PRODUTOS Equipamentos para o segmento de rochas ornamentais ATLAS COPCO STONETEC Fundada em 1993 em Bagnolo Piemonte, na província de Cuneo, é um dos principais fabricantes de equipamentos

Leia mais

ESTUDO EXPERIMENTAL DA COMBUSTÃO DO ETANOL ADITIVADO NA MÁQUINA DE COMPRESSÃO RÁPIDA

ESTUDO EXPERIMENTAL DA COMBUSTÃO DO ETANOL ADITIVADO NA MÁQUINA DE COMPRESSÃO RÁPIDA ESTUDO EXPERIMENTAL DA COMBUSTÃO DO ETANOL ADITIVADO NA MÁQUINA DE COMPRESSÃO RÁPIDA Aluno: Dayana Siqueira de Azevedo Orientador: Carlos Valois Maciel Braga Introdução Hoje em dia, muitas pesquisas estão

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM...

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM... Motores H-Compact COMPACTO, REFRIGERAÇÃO EFICIENTE A importância crescente da economia de energia, dos requerimentos ambientais, da procura por dimensões menores e das imposições dos mercados nacionais

Leia mais

MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR

MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR www.mastertec.ind.br 1 ÍNDICE 1. Recursos:... 3 2. Condições de funcionamento:... 3 3. Características técnicas:... 3 4. Características construtivas:... 3 5. Diagrama

Leia mais

Inversores de Frequência Aplicados em Processos de Mineração Trazem Ganho de Produtividade, Economia de Energia e Manutenção Reduzida.

Inversores de Frequência Aplicados em Processos de Mineração Trazem Ganho de Produtividade, Economia de Energia e Manutenção Reduzida. Inversores de Frequência Aplicados em Processos de Mineração Trazem Ganho de Produtividade, Economia de Energia e Manutenção Reduzida. Eng. Cristian Benedet Tezza - cristian@weg.net WEG AUTOMAÇÃO Av. Prefeito

Leia mais

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Capacidade de Elevação 130t PÁGINA 01 GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Comprimento da extensão total da lança principal de 60m, perfil U, placa de aço WELDOX de alta resistência.

Leia mais

Carregadeira LW300K. Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg

Carregadeira LW300K. Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg Carregadeira LW300K Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg Qualidade, confiabilidade e força, aliada ao baixo consumo de combustível. A Pá-carregadeira LW300K

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALEGRE ES CNPJ 27.174.101/0001-35 - RELATÓRIO -

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALEGRE ES CNPJ 27.174.101/0001-35 - RELATÓRIO - 1 - RELATÓRIO - Modalidade de Licitação: Pregão Presencial para Registro de Preço 016/2013 Processo n : 3091/2012 de 14/06/2012 (Convênio FUNASA nº 0611/2011) Objeto: Materiais Para Execução de Sistema

Leia mais

Manual do Usuário Bicicleta elétrica VERDE BIKE

Manual do Usuário Bicicleta elétrica VERDE BIKE Manual do Usuário Bicicleta elétrica VERDE BIKE Modelo JACARANDA VBX14 Os Direitos autorais pertencem a VB IMPORTAÇAO LTDA proibindo a reprodução sem previa autorização Obrigado por escolher a VERDE BIKE.

Leia mais

Caminhões para longas distâncias

Caminhões para longas distâncias Caminhões para longas distâncias 2 SCANIA CAMINHÕES PARA LONGAS DISTÂNCIAS Veículos Rodoviários Scania, incomparáveis em todos os sentidos. Um caminhão Scania é, em muitos aspectos, o sonho de qualquer

Leia mais

Tratores Agrícolas 1

Tratores Agrícolas 1 Tratores Agrícolas 1 TRATOR AGRÍCOLA 1 DEFINIÇÃO???? Máquina autopropelida provida de meios que, além de lhe conferirem apoio estável sobre uma superfície horizontal, capacitam-no a tracionar, transportar

Leia mais

www.keelautomacao.com.br Linha KSDF Solução em corte CNC

www.keelautomacao.com.br Linha KSDF Solução em corte CNC Linha KSDF Solução em corte CNC Linha KSDF Solução em corte CNC Características Destinada ao processo de corte mecanizado de chapas aço carbono, inox, alumínio, ferro entre outros. Esta máquina foi desenvolvida

Leia mais

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas *

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * 1. Introdução Uma das principais fontes de potência, responsáveis pela alta produção agrícola com significante economia de mão-de-obra, é o trator agrícola.

Leia mais

ZF apresenta soluções para frotas em uma das principais feiras de ônibus da Europa

ZF apresenta soluções para frotas em uma das principais feiras de ônibus da Europa Page 1/5, 05-11.2013 ZF apresenta soluções para frotas em uma das principais feiras de ônibus da Europa. O sistema de telemática da ZF, Openmatics, pode ser adaptado às necessidades individuais de empresas

Leia mais

aos elementos de transmissão

aos elementos de transmissão A U A UL LA Introdução aos elementos de transmissão Introdução Um motorista viajava numa estrada e não viu a luz vermelha que, de repente, apareceu no painel. Mais alguns metros, o carro parou. O motorista,

Leia mais

SPICER. Entendendo o Eixo Diferencial TECNOLOGIA LÍDER EM TRANSMISSÃO.

SPICER. Entendendo o Eixo Diferencial TECNOLOGIA LÍDER EM TRANSMISSÃO. www.spicer.com.br 0800 707 80 22 SPICER TECNOLOGIA LÍDER EM TRANSMISSÃO. Quando você escolhe Spicer, tem à disposição uma ampla gama de produtos de alta tecnologia e qualidade garantida. Cruzetas, Juntas

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. COMPOSIÇÃO DO TRANSMISSOR (Figura 1) DIVISÃO DESTE MANUAL. Este manual está dividido em duas partes:

MANUAL DE OPERAÇÃO. COMPOSIÇÃO DO TRANSMISSOR (Figura 1) DIVISÃO DESTE MANUAL. Este manual está dividido em duas partes: MANUAL DE OPERAÇÃO INTRODUÇÃO: O FLASH PRESENÇA MOTO foi desenvolvido especialmente para a utilização em Motos, porque o mercado necessita de um aparelho versátil, de pequenas dimensões e completo, que

Leia mais

Variação de velocidade

Variação de velocidade Variação de velocidade Variação de velocidade A indústria é responsável pelo consumo de cerca de 50% da electricidade produzida a nível mundial, sendo que cerca de 2/3 é consumida por motores eléctricos.

Leia mais

Série RB-J. Compressores de Parafuso OIL FREE para Transporte Pneumático

Série RB-J. Compressores de Parafuso OIL FREE para Transporte Pneumático Série RB-J Compressores de Parafuso OIL FREE para Transporte Pneumático EXPERIÊNCIA No GRUPO BETICO, líder nacional no fabrico e na comercialização de compressores desde 925, concebemos e fabricamos compressores

Leia mais

Novo Iveco CityClass Escolar: na teoria e na prática, a melhor solução para o transporte escolar municipal.

Novo Iveco CityClass Escolar: na teoria e na prática, a melhor solução para o transporte escolar municipal. Novo Iveco CityClass Escolar: na teoria e na prática, a melhor solução para o transporte escolar municipal. 0088_IVECO_FOLHETO_CITY_CLASS_20_2x2.indd 9/9/ 7:38 PM O que é o programa Caminho da Escola?

Leia mais

1 ATUADORES HIDRÁULICOS

1 ATUADORES HIDRÁULICOS 1 ATUADORES HIDRÁULICOS Danniela Rosa Sua função é aplicar ou fazer atuar energia mecânica sobre uma máquina, levando-a a realizar um determinado trabalho. Aliás, o motor elétrico também é um tipo de atuador.

Leia mais

É Semipesado. É Scania. É seu negócio sempre em movimento.

É Semipesado. É Scania. É seu negócio sempre em movimento. SCANIA Caminhões Semipesados É Semipesado. É Scania. É seu negócio sempre em movimento. Rentabilidade é o que nos move. Caminhões Semipesados Scania. Com um autêntico Scania, você sempre conta com resistência,

Leia mais

11. Simbologia dos Componentes

11. Simbologia dos Componentes Nº Denominação Aplicação Símbolo 1.0 Geral 1.1. Símbolos Básicos 1.1.1. Linhas.1 Contínua 11. Simbologia dos Componentes.2 Interrompida Longa Linhas de fluxo..3 Interrompida Curta.4 Dupla Interligações

Leia mais

CSR/Instruções de inspeção para Técnicos

CSR/Instruções de inspeção para Técnicos INSTRUÇÕES DE INSPEÇÃO Carregadeiras sobre rodas CSR/Instruções de inspeção para Técnicos Esta instrução é um recurso técnico informal. Para obter especificações e procedimentos corretos, refira-se sempre

Leia mais

Miguel C. Branchtein, Delegacia Regional do Trabalho no Rio Grande do Sul

Miguel C. Branchtein, Delegacia Regional do Trabalho no Rio Grande do Sul DETERMINAÇÃO DE CONDIÇÃO DE ACIONAMENTO DE FREIO DE EMERGÊNCIA TIPO "VIGA FLUTUANTE" DE ELEVADOR DE OBRAS EM CASO DE QUEDA DA CABINE SEM RUPTURA DO CABO Miguel C. Branchtein, Delegacia Regional do Trabalho

Leia mais

1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES

1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES 1 1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES 1.1 - Introdução As correntes fazem parte das transmissões flexíveis, conjuntamente com as correias. Apresentam menor capacidade de absorção de choques em virtude de sua

Leia mais

NEW HOLLAND FR9000 FR9040 FR9050 FR9060

NEW HOLLAND FR9000 FR9040 FR9050 FR9060 NEW HOLLAND FR9000 FR9040 FR9050 FR9060 O espírito do pioneirismo. Mais de 45 anos de experiência. Em 1961, surgia nos grandes campos da América do Norte a primeira forrageira autopropelida. Era uma New

Leia mais

Medição tridimensional

Medição tridimensional A U A UL LA Medição tridimensional Um problema O controle de qualidade dimensional é tão antigo quanto a própria indústria, mas somente nas últimas décadas vem ocupando a importante posição que lhe cabe.

Leia mais

TRATOR DE ESTEIRA D170

TRATOR DE ESTEIRA D170 TRATOR DE ESTEIRA D170 Potência líquida no volante Peso operacional 170 hp (127 kw) 16.580 kg a 19.130 kg CAPACIDADE DA LÂMINA Angle dozer (SAE J1265) 3,2 m 3 D170 A New Holland é reconhecida em todo o

Leia mais

GEM15-Dinâmica de Máquinas

GEM15-Dinâmica de Máquinas Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Engenharia Mecânica Fundamentos De Dinâmica De Veículos GEM15-Dinâmica de Máquinas Professor: Marcelo Braga dos Santos Capitulo 1 Conceitos de Cinemática

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO. Mesa Hidráulica de Elevação Manual Capacidade 300 kg LT30A

MANUAL DE INSTRUÇÃO. Mesa Hidráulica de Elevação Manual Capacidade 300 kg LT30A MANUAL DE INSTRUÇÃO Mesa Hidráulica de Elevação Manual Capacidade 300 kg LT30A APRESENTAÇÃO PARABÉNS! Você acaba de adquirir um produto Lycos. Desenvolvido e fabricado para atender todos os requisitos

Leia mais

GRUNDOBURST Sistema estático de substituição de tubulação sob o mesmo encaminhamento

GRUNDOBURST Sistema estático de substituição de tubulação sob o mesmo encaminhamento GRUNDOBURST Sistema estático de substituição de tubulação sob o mesmo encaminhamento O sistema estático de pipe bursting é recomendado para substituição de tubulações de água e esgoto especialmente em

Leia mais

DODGE RAM 2500. modelo 2008 GUIA DE REFERÊNCIA DO PRODUTO

DODGE RAM 2500. modelo 2008 GUIA DE REFERÊNCIA DO PRODUTO DODGE RAM 2500 modelo 2008 GUIA DE REFERÊNCIA DO PRODUTO Sempre Atual A Dodge Ram vem comprovar que força e estilo podem andar lado a lado e total harmonia. Internamente, a Dodge Ram possui painel de instrumentos

Leia mais

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências:

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências: Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Os elevadores de correias a caçambas são os equipamentos mais comuns e econômicos para o movimento vertical de materiais

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO RAMPA PNEUMÁTICA RP 045 REVISÃO 00

MANUAL DE OPERAÇÃO RAMPA PNEUMÁTICA RP 045 REVISÃO 00 MANUAL DE OPERAÇÃO RAMPA PNEUMÁTICA RP 045 REVISÃO 00 B12-084 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. INFORMAÇÕES GERAIS... 3 2.1. DIMENSÕES... 3 2.2. DADOS TÉCNICOS... 3 2.3. ACESSÓRIOS... 3 2.4. OPERAÇÃO... 4

Leia mais

REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL

REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL 1. OBJETIVO...3 2. APRESENTAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS...3 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS...4 3.1 Características Gerais...4 3.2 Carroceria...4 4. ACESSIBILIDADE...8 4.1

Leia mais

programa técnico Centrífugas de bateladas - Série-E A nova geração de centrífugas de bateladas reúne vários anos de experiência e

programa técnico Centrífugas de bateladas - Série-E A nova geração de centrífugas de bateladas reúne vários anos de experiência e programa técnico Centrífugas de bateladas - Série-E A nova geração de centrífugas de bateladas reúne vários anos de experiência e novos desenvolvimentos para a eficiente fabricação de açúcar. A nova geração

Leia mais

CORRENTES. A transmissão por corrente de rolo é um meio altamente eficiente e versátil para transmitir potência mecânica em aplicações industriais.

CORRENTES. A transmissão por corrente de rolo é um meio altamente eficiente e versátil para transmitir potência mecânica em aplicações industriais. CORRENTES Definição A transmissão por corrente de rolo é um meio altamente eficiente e versátil para transmitir potência mecânica em aplicações industriais. A corrente de rolo é tão flexível como as correias

Leia mais

Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução

Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução Artigo publicado na revista Lumiere Electric edição nº 166 Aplicações de investimentos dentro das empresas sempre são questionadas

Leia mais

MANIPULADORES TELESCÓPICOS TURBO

MANIPULADORES TELESCÓPICOS TURBO MANIPULADORES TELESCÓPICOS TURBO VISIBILIDADE PERFEITA EM TODAS AS DIREÇÕES EXCELENTE ESTABILIDADE E CAPACIDADE DE MANOBRA MODERNO MOTOR CNH TIER 3A QUE CUMPRE COM AS NORMAS EUROPEIAS 97/68/CE LM1445 LM1745

Leia mais

Scania Série K ÔNIBUS URBANOS E RODOVIÁRIOS. Ônibus singulares começam aqui

Scania Série K ÔNIBUS URBANOS E RODOVIÁRIOS. Ônibus singulares começam aqui Scania Série K ÔNIBUS URBANOS E RODOVIÁRIOS Ônibus singulares começam aqui Scania Série K ÔNIBUS URBANOS E RODOVIÁRIOS Ajudando voc excelentes ôn O chassis é a base fundamental do ônibus. Desenvolvidos

Leia mais

TEC OLOGIA JOH DEERE: MAIOR PRODUTIVIDADE COM ME OR CUSTO DE MA UTE ÇÃO. nº 1

TEC OLOGIA JOH DEERE: MAIOR PRODUTIVIDADE COM ME OR CUSTO DE MA UTE ÇÃO. nº 1 TEC OLOGIA JOH DEERE: MAIOR PRODUTIVIDADE COM ME OR CUSTO DE MA UTE ÇÃO nº 1 Treviso x John Deere Uma parceria de futuro Bom Dia! A Treviso, é um grupo composto por 10 concessionárias que representam a

Leia mais

Edson Duarte Sistemas Eletropneumáticos Lista Geral

Edson Duarte Sistemas Eletropneumáticos Lista Geral 1) Calcule o volume de ar comprimido necessário para o acionamento de 10 cilindros pneumáticos (modelo A), 4 cilindros pneumáticos com retorno por mola (modelo B) e 2 cilindros sem haste (modelo C), todos

Leia mais

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Anel de Fixação Série RFN 8006

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Anel de Fixação Série RFN 8006 Para conexões eixo-cubo extremamente tensionadas a união por encolhimento é insuperável. Nenhum outro tipo de fixação pode oferecer qualidades semelhantes, no que diz respeito à resistência à fadiga sob

Leia mais

TELEBELT TB200 TRANSPORTADOR TELESCÓPICO COM CORREIA

TELEBELT TB200 TRANSPORTADOR TELESCÓPICO COM CORREIA TELEBELT TB200 TRANSPORTADOR TELESCÓPICO COM CORREIA UM NOVO PADRÃO DE INOVAÇÃO E EXCELÊNCIA CARACTERÍSTICAS DO TELEBELT TB200 O telebelt TB 200 é um transportador telescópico com correia tecnologicamente

Leia mais

TRANSMISSÃO MECÂNICA E MECÂNICA HIDRÁULICA HIDRÁULICA EM TRAT EM TRA ORES

TRANSMISSÃO MECÂNICA E MECÂNICA HIDRÁULICA HIDRÁULICA EM TRAT EM TRA ORES UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA RURAL VERSÃO 2005 CAPÍTULO 6 TORQUE POTÊNCIA SISTEMAS DE TRANSMISSÃO MECÂNICA E HIDRÁULICA EM TRATORES

Leia mais

Empilhadeiras. Orientação: Fernando Gabriel Eguia Pereira Soares

Empilhadeiras. Orientação: Fernando Gabriel Eguia Pereira Soares Empilhadeiras Elaboração: Guido Alves Slavec RA: 200937 Antônio Carlos de Souza Leme RA: 200008 Allan Spagnolo Benites RA: 110050 Felipe Saturnino Tonheiro Carlos RA: 200407 Sandro Aparecido Pereira Faria

Leia mais

New Holland TL exitus

New Holland TL exitus New Holland TL exitus TL6OE TL75E TL85E TL95E 2 3 4 A agricultura está cada vez mais diversificada. A agricultura está cada vez mais New Holland. AS Máquinas new holland estão prontas para trabalhar com

Leia mais

2.1 Dados Técnicos - Dimensões na Condição de Altura Fechada (Sem Pressão)

2.1 Dados Técnicos - Dimensões na Condição de Altura Fechada (Sem Pressão) 1. Considerações Gerais 1.1 Instruções de recebimento Deve-se inspecionar visualmente todo o equipamento para detectar avarias causadas durante o transporte, como vazamentos e marcas de batidas. Avarias

Leia mais

Sistema de Transmissão Mecânica. Escola Estadual de Educação Profissional - EEEP. Curso Técnico em Manutenção Automotiva

Sistema de Transmissão Mecânica. Escola Estadual de Educação Profissional - EEEP. Curso Técnico em Manutenção Automotiva Escola Estadual de Educação Profissional - EEEP Curso Técnico em Manutenção Automotiva Sistema de Transmissão Governador Cid Ferreira Gomes Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho Secretária da

Leia mais

Transmissões automáticas da ZF: eficientes para todas as categorias de carros de passeio

Transmissões automáticas da ZF: eficientes para todas as categorias de carros de passeio Página 1/5, 01/07/2015 Transmissões automáticas da ZF: eficientes para todas as categorias de carros de passeio Transmissão modular 8HP: apropriada para carros compactos, veículos comerciais leves, carros

Leia mais

Foco. ALLROUNDER verticais. Injetoras para a sobreinjeção ergonômica de insertos. www.arburg.com

Foco. ALLROUNDER verticais. Injetoras para a sobreinjeção ergonômica de insertos. www.arburg.com Foco ALLROUNDER verticais Injetoras para a sobreinjeção ergonômica de insertos www.arburg.com Sinopse Ergonomia: sistema vertical de espaço livre com placa de fixação imóvel presa na parte de baixo, proporcionando

Leia mais

MACACO DE TEN- SAR MONOFILAR AUTOMÁTICO

MACACO DE TEN- SAR MONOFILAR AUTOMÁTICO B E T Ã O P R É - E S F O R Ç A D O T E C N O L O G I A MACACO DE TEN- SAR MONOFILAR AUTOMÁTICO Versão de quatro mangueiras hidráulicas pt PAUL-Info B 131.14/21 L I D E R A N Ç A M U N D I A L Mais de

Leia mais

TRANSPALETES MANUAIS MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CATÁLOGO PEÇAS DE REPOSIÇÃO

TRANSPALETES MANUAIS MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CATÁLOGO PEÇAS DE REPOSIÇÃO TM-IC TM-Z TM-IT TRANSPALETES MANUAIS MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CATÁLOGO PEÇAS DE REPOSIÇÃO Prezado Cliente, Você acaba de adquirir o Transpalete Hidráulico Manual (Linha TM)PALETRANS, um equipamento

Leia mais

Fontes de potência para acionamento de máquinas agrícolas

Fontes de potência para acionamento de máquinas agrícolas Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias Laboratório de Engenharia Agrícola EAG 03204 Mecânica Aplicada * Fontes de potência para acionamento de máquinas

Leia mais

Compressores. www.iesa.com.br 2

Compressores. www.iesa.com.br 2 www.iesa.com.br 1 Compressores A pneumática utiliza o ar como fonte de energia para o acionamento de seus automatismos. Esse ar necessita de determinadas condições apropriadas para sua utilização. São

Leia mais

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA. Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica. Prof.

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA. Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica. Prof. DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ELETROTÉCNICA Disciplina: Máquinas e Automação Elétrica Prof.: Hélio Henrique INTRODUÇÃO IFRN - Campus Mossoró 2 MOTORES TRIFÁSICOS CA Os motores

Leia mais

Descrição técnica dos Balanceadores WATT computadorizados mod.: WBCP

Descrição técnica dos Balanceadores WATT computadorizados mod.: WBCP Descrição técnica dos Balanceadores WATT computadorizados mod.: WBCP Os Balanceadores Computadorizados WATT são inteiramente projetados e fabricados no Brasil, possuindo as seguintes vantagens em relação

Leia mais

Novas Tecnologias na Indústria Automobilística

Novas Tecnologias na Indústria Automobilística Novas Tecnologias na Indústria Automobilística Mauro Ekman Simões São Paulo, 13 de Abril de 2009 1 Volkswagen Truck & Bus A Nova Marca do Grupo MAN 2 250 anos de MAN 250 anos de experiência, habilidade,

Leia mais

CAMPEONATO GAÚCHO DE ARRANCADA

CAMPEONATO GAÚCHO DE ARRANCADA FEDERAÇÃO GAÚCHA DE AUTOMOBILISMO FILIADA A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AUTOMOBILISMO FUNDADA EM 26 DE JULHO DE 1961 Rua Comendador Azevedo, 440 - Conj. 1 - Fone/Fax (51)3224 4808 CEP 90220-150 - Porto

Leia mais

Faculdade de tecnologia de Americana. Trabalho de Tecnologia Têxtil I Profº Agnaldo. Gaiolas Têxteis

Faculdade de tecnologia de Americana. Trabalho de Tecnologia Têxtil I Profº Agnaldo. Gaiolas Têxteis Faculdade de tecnologia de Americana Trabalho de Tecnologia Têxtil I Profº Agnaldo Gaiolas Têxteis Nome: R.A. Eduardo Alexandre de Araújo 072015 Marcio Benedito de Souza 072027 Guilherme Jordão Pavani

Leia mais

Principais funções de movimento em analisadores médicos.

Principais funções de movimento em analisadores médicos. Movimento em analisadores médicos Menor, mais rápido, mais forte. Como os motores em miniatura estão ajudando os equipamentos de diagnóstico a avançar. Os diagnósticos médicos fazem parte da vida cotidiana

Leia mais

1 - AUTOMATIZADOR: Utilizado exclusivamente em portas de enrolar de aço. Existem diversas capacidades e tamanhos. Verifique sempre o peso e o tamanho

1 - AUTOMATIZADOR: Utilizado exclusivamente em portas de enrolar de aço. Existem diversas capacidades e tamanhos. Verifique sempre o peso e o tamanho 1 ME-01 REV00 13 3 1 2 14 9 10 12 4 5 6 7 11 8 1 - AUTOMATIZADOR: Utilizado exclusivamente em portas de enrolar de aço. Existem diversas capacidades e tamanhos. Verifique sempre o peso e o tamanho da porta

Leia mais

Bomba de Vácuo com Resistência Química VARIO com controlador de vácuo intuitivo

Bomba de Vácuo com Resistência Química VARIO com controlador de vácuo intuitivo Promoção! PC 3001 VARIO pro Bomba de Vácuo com Resistência Química VARIO com controlador de vácuo intuitivo Otimização de vácuo para produtividade e eficiência analiticaweb.com.br Tecnologia de vácuo Aperfeiçoando

Leia mais

SISTEMA HIDRÁULICO. Cilindros hidráulicos Válvulas direcionais Bombas Filtros Reservatórios Circuitos hidráulicos básicos CILINDROS HIDRÁULICOS

SISTEMA HIDRÁULICO. Cilindros hidráulicos Válvulas direcionais Bombas Filtros Reservatórios Circuitos hidráulicos básicos CILINDROS HIDRÁULICOS SISTEMA HIDRÁULICO A unidade hidráulica é destinada ao acionamento dos pistões de aperto do abafador à base, composta de duas bombas (sendo uma de reserva), e dos respectivos acessórios de supervisão,

Leia mais

Universidade Paulista Unip

Universidade Paulista Unip Elementos de Produção de Ar Comprimido Compressores Definição Universidade Paulista Unip Compressores são máquinas destinadas a elevar a pressão de um certo volume de ar, admitido nas condições atmosféricas,

Leia mais

CONJUNTO DIDÁTICO PARA ESTUDO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS OPENLAB

CONJUNTO DIDÁTICO PARA ESTUDO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS OPENLAB CONJUNTO DIDÁTICO PARA ESTUDO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS OPENLAB Este sistema é formado pelos seguintes elementos, compatíveis entre si e especialmente projetados para o estudo de máquinas elétricas. Código

Leia mais

V.7. Noções Básicas sobre o uso da Potência e do Torque do Motor.

V.7. Noções Básicas sobre o uso da Potência e do Torque do Motor. V.7. Noções Básicas sobre o uso da Potência e do Torque do Motor. V.7.1. Torque Quando você faz força para desrosquear uma tampa de um vidro de conservas com a mão, se está aplicando torque. O torque é

Leia mais

Conscientização na Operação com Empilhadeira

Conscientização na Operação com Empilhadeira TREINAMENTO: NR 11 ITEM 11.1.5: Nos equipamentos de transporte, com força motriz própria, o operador deverá receber um treinamento específico, dado pela empresa, que o habilitará nessa função. Índice de

Leia mais

ALB200 ALB250 BALANCEADORA DE RODAS BALANCEADORA DE RODAS MOTORIZADA SISTEMA COLUNA BALANCEADORA DE RODAS MOTORIZADA SISTEMA COLUNA.

ALB200 ALB250 BALANCEADORA DE RODAS BALANCEADORA DE RODAS MOTORIZADA SISTEMA COLUNA BALANCEADORA DE RODAS MOTORIZADA SISTEMA COLUNA. BALANCEADORA DE RODAS ALB250 BALANCEADORA DE RODAS MOTORIZADA SISTEMA COLUNA Equipamento de balanceamento computadorizado com leitura digital para captação do desequilibrio de peso do conjunto pneu/roda.

Leia mais

Vista Geral de Produto. Motores de cilindro axial Interroll Acionamento, eficiente em termos energéticos, para transporte de mercadoria em volumes

Vista Geral de Produto. Motores de cilindro axial Interroll Acionamento, eficiente em termos energéticos, para transporte de mercadoria em volumes Vista Geral de Produto Motores de cilindro axial Interroll Acionamento, eficiente em termos energéticos, para transporte de mercadoria em volumes Assíncronos: Série S Série i Motores de cilindro axial

Leia mais

Correntes. Os problemas de uma empresa da área de. Conceito

Correntes. Os problemas de uma empresa da área de. Conceito A U A UL LA Correntes Introdução Os problemas de uma empresa da área de transporte e cargas fez com que o encarregado do setor tomasse algumas decisões referentes à substituição de equipamentos, como componentes

Leia mais

PORTA-PALETES MANUAIS

PORTA-PALETES MANUAIS Porta-Paletes Manuais Porta-Paletes Elétricos Porta-Paletes de Tesoura Porta-Paletes em Inox Porta-Paletes com Balança Porta-Paletes TODO-O-TERRENO Porta-Paletes Aplicações Específicas Compre Produtos

Leia mais

Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS

Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS Capítulo 8 - MOTORES ELÉTRICOS 8.1 - Motores de Corrente Contínua 8.2 - Motores de Corrente Alternada 8.3 - Motores Especiais 8.4 - Exercícios Propostos Na natureza a energia se encontra distribuída sob

Leia mais