Informações importantes sobre a apresentação de uma reclamação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Informações importantes sobre a apresentação de uma reclamação"

Transcrição

1 Informações importantes sobre a apresentação de uma reclamação Quem pode fazer uma reclamação? Pode fazer uma reclamação se: for confrontado com um comportamento inapropriado por parte de um agente ou funcionário da polícia tiver testemunhado um incidente por exemplo, estava presente quando aconteceu um incidente ou estava suficientemente perto para ver ou ouvir o incidente foi afetado de modo adverso por um incidente. 'Afetado de modo adverso' tem um significado específico dentro do sistema de reclamações da polícia. Está definido na página 143 da Orientação Estatutária da IPCC (IPCC's Statutory Guidance), que está disponível no nosso portal. Pode agir em nome de outra pessoa em qualquer uma das categorias indicadas acima se tiver uma autorização por escrito para apresentar uma reclamação em seu nome. Do que é que posso reclamar? Pode reclamar se não estiver satisfeito com o serviço prestado pela polícia. As pessoas que trabalham no serviço policial deverão sempre comportar-se apropriadamente. As expectativas face ao comportamento, tanto de agentes como de funcionários da polícia, estão estabelecidas nos seus respetivos Padrões de Comportamento Profissional. Estas expectativas incluem a necessidade de: agir honestamente e com integridade, de forma justa e imparcial tratar os membros do público e os seus colegas com respeito não abusar dos seus poderes e autoridade agir de forma a não desprestigiar ou diminuir a confiança do público no serviço da polícia. Se achar que alguém ao serviço da polícia não esteve à altura destes padrões, pode apresentar uma reclamação.

2 Também pode apresentar uma reclamação sobre a forma como uma força policial é gerida a isto chama-se uma questão de administração e controlo. Por exemplo, pode reclamar caso não esteja satisfeito com decisões de gestão operacional, padrões de policiamento em geral ou políticas de policiamento. Há um prazo para fazer uma reclamação? Não há um prazo para fazer uma reclamação, mas é aconselhável que o faça assim que possível depois da ocorrência do(s) incidente(s). Se já tiverem passado mais de 12 meses entre a ocorrência do incidente (ou do último incidente) e a data em que a reclamação é apresentada, a autoridade adequada pode não a investigar. Podem decidir anular a reclamação por se encontrar fora de prazo. Se estiver a apresentar uma reclamação mais de 12 meses após o incidente, deve explicar a razão do atraso na sua reclamação. No entanto, explicar as suas razões não garante que a reclamação seja investigada. Como posso apresentar uma reclamação? Normalmente, a sua reclamação será processada de forma mais rápida se a fizer diretamente à força policial em questão. Contacte a força policial envolvida muitos dos portais das forças policiais têm formulários de reclamação na Internet. Também se pode dirigir pessoalmente à esquadra da polícia. Use o formulário de reclamação da IPCC na Internet. A sua reclamação será automaticamente encaminhada para a força policial em questão e a IPCC não lerá nem verá a sua reclamação. Imprima, preencha e envie o formulário de reclamação, por correio, para a força policial envolvida. Preencha o formulário de reclamação na Internet, guarde-o e envie-o por correio eletrónico para a força policial em questão. Contacte um advogado ou o seu MP (Deputado Parlamentar), os quais podem fazer uma reclamação por si. Ligue para a IPCC através do (prima 1 quando lhe for solicitado), entre as 09:00 e as 17:00, para aconselhamento. Se a sua reclamação for sobre um chefe da polícia ou o Comissário da Polícia Metropolitana, deve contactar o Comissário da Polícia e do Crime em questão ou o Gabinete do Mayor para o Policiamento e o Crime, em Londres. O que sucede quando apresento uma reclamação pela primeira vez? Por lei, todas as reclamações válidas contra a polícia têm de ser registadas. Registar uma reclamação significa que esta tem um estatuto formal ao abrigo da Lei de Reforma da Polícia, de Depois disso, tem de ser tratada de acordo com as regras e orientações formais.

3 A IPCC não tem poderes para registar as reclamações isso tem de ser feito pela autoridade adequada. A autoridade adequada pode ser: o chefe da força policial o Comissário da Polícia e do Crime, responsável pela força policial sobre a qual apresentou a reclamação o Gabinete do Mayor para o Policiamento e o Crime (se a sua reclamação for sobre o Comissário do Serviço da Polícia Metropolitana) o Conselho dos Comuns (Common Council) para a Cidade de Londres (se a sua reclamação for sobre o Comissário da Polícia da Cidade de Londres). Se fizer a sua reclamação através da IPCC, temos de enviar a reclamação à autoridade adequada, para que seja registada. A IPCC não investigará a reclamação e os pormenores serão enviados à autoridade adequada para sua consideração. Mesmo que a sua reclamação seja tão grave que a IPPC possa estar envolvida na investigação, a sua reclamação necessita de ser enviada à autoridade adequada, para que seja registada. Existem certas circunstâncias especiais em que podemos não enviar a sua reclamação à autoridade adequada, para que seja registada. Tomamos esta decisão muito a sério e apenas se aplica às situações mais graves. Por exemplo, se o envio da reclamação puder implicar risco de vida ou de danos físicos para o reclamante, ou perigo para a segurança nacional. Se achar que existem circunstâncias especiais que signifiquem que não devemos enviar a sua reclamação à autoridade adequada em questão, agradecemos que nos contacte através do número de telefone ou endereço de correio eletrónico que se encontram abaixo. O que acontece quando a minha reclamação já tiver sido investigada? Se a sua reclamação estiver registada, a etapa seguinte passa pela decisão da autoridade adequada sobre a melhor forma de a resolver. Normalmente, as reclamações são resolvidas por resolução local (local resolution) ou por uma investigação local. Se tentou apresentar uma reclamação, mas esta não foi registada, pode recorrer para a IPCC contra esta decisão. Isto chama-se recorrer contra uma reclamação não registada. Quem vai tratar da minha reclamação? A força policial em questão será responsável por analisar a sua reclamação. Se a sua reclamação envolver um chefe da polícia, será tratada pelo Comissário de Polícia e Crime pertinente.

4 Se a sua reclamação envolver o Comissário do Serviço da Polícia Metropolitana, será tratada pelo Gabinete do Mayor para o Policiamento e Crime. Se a sua reclamação envolver o Comissário da Polícia da Cidade de Londres, será tratada pelo Conselho dos Comuns para a Cidade de Londres. A IPPC investiga as reclamações mais graves utilizando os seus próprios investigadores. Este género de investigação é explicado no nosso portal. As forças policiais também são obrigadas a comunicar-nos certos incidentes, mesmo que não seja apresentada uma reclamação. Como é que a minha reclamação será tratada? Quer a sua reclamação seja tratada pela autoridade adequada ou pela IPCC, tem o direito de saber como esta será tratada, quais as ações daí resultantes que podem vir a ser tomadas e como serão tomadas as decisões. A autoridade adequada ou a IPCC também acordarão consigo sobre a periodicidade e a forma como será informado e se isso acontecerá por via telefónica ou por escrito. Resolução Local (Local Resolution) A resolução local é uma forma de lidar com as reclamações a nível local por exemplo, através do envolvimento de um inspetor numa esquadra da polícia ou de um Chefe de Pessoal da polícia. Tem direito a recorrer no seguimento do resultado da resolução local. Investigações locais Se a sua reclamação não for adequada para uma resolução local, será efetuada uma investigação local por um investigador da polícia. O investigador será do Departamento de Padrões Profissionais (Professional Standards Department - PSD) da polícia, que é um departamento interno da força policial que trata das reclamações, ou de uma divisão policial local. Será informado sobre: a forma como a sua reclamação será investigada que cooperação é necessária da sua parte como se chegará a uma decisão que ação será tomada no fim da investigação O tipo de investigação dependerá da natureza e gravidade da sua reclamação e do resultado provável. Uma investigação pode variar entre umas perguntas ao telefone durante algumas horas e um processo mais extenso, que poderá demorar vários meses. Tem direito a recorrer após uma investigação local.

5 Investigações da IPCC A polícia tem de reencaminhar para a IPCC certos tipos de reclamações ou incidentes graves. Quando recebemos um processo reencaminhado, avaliamos toda a informação e decidimos sobre a melhor forma de lidar com o assunto. Podemos decidir investigar o caso utilizando os nossos investigadores. Pode ler mais sobre a forma como lidamos com os reencaminhamentos da polícia no nosso portal. Porquê que a minha reclamação não foi tratada? Não aplicação Nalgumas circunstâncias, a autoridade adequada poderá registar uma reclamação mas interromper o processo antes de este começar. Isto chama-se uma não aplicação. Um exemplo disto é quando uma reclamação é anónima e não é possível a autoridade adequada obter mais dados sobre a reclamação. Num caso como este, a autoridade adequada não consegue efetuar uma investigação devido à falta de informação. Em situações em que tenham intenção de não aplicar uma reclamação, a autoridade adequada tem de solicitá-lo à IPPC, mas envolve uma questão muito grave. Pode recorrer de uma decisão de não aplicação em relação à sua reclamação (exceto quando a IPPC já autorizou a não aplicação ou a reclamação está relacionada com uma questão de administração e controlo). Suspensão Em certas circunstâncias, a autoridade adequada pode parar a investigação de uma reclamação enquanto esta está a decorrer. Isto chama-se uma suspensão. Um exemplo disto é quando um reclamante se recusa a cooperar e não é possível a autoridade adequada prosseguir com a investigação. Se isto se aplicar à investigação da sua reclamação, a autoridade adequada contactá-lo-á. Pode recorrer da decisão de suspender uma investigação à sua reclamação (exceto quando a IPPC já autorizou a suspensão da investigação ou a reclamação está relacionada com uma questão de administração e controlo). Em situações em que tenham a intenção de suspender uma investigação, a autoridade adequada tem de solicitá-lo à IPPC, mas envolve uma questão muito grave.

6 O que acontece quando a minha reclamação já tiver sido investigada? Se a sua reclamação for sujeita a uma investigação pela autoridade adequada ou pela IPCC, quando esta estiver concluída será informado sobre o que sucederá a seguir. Os resultados possíveis podem incluir: a força policial pode decidir melhorar ou mudar os seus procedimentos. a força policial pode aconselhar o agente ou pessoa sobre a qual apresentou uma reclamação, para que o seu desempenho melhore pode ser desencadeada uma ação ao abrigo dos procedimentos de desempenho insatisfatório se um agente da polícia não conseguir ou não tiver desempenhado satisfatoriamente as suas funções a força policial (ou a IPCC em casos geridos ou independentes) pode reencaminhar o seu caso para o Procurador da Coroa (Crown Prosecution Service - CPS). O CPS é responsável pela decisão de instaurar ou não um processo penal em casos onde se considera que um agente da polícia deverá responder por um comportamento impróprio, a força policial ou a autoridade policial local pode encaminhá-lo para uma reunião ou uma audiência para decidir se os seus atos constituem um comportamento impróprio ou um comportamento impróprio grave nalguns casos, pode não haver informação suficiente para agir em relação à sua reclamação. Nesse caso, pode simplesmente significar que não existem provas suficientes disponíveis nalguns casos, a força policial pode reconhecer que algo correu mal, mas decidir que não deve tomar nenhuma ação formal contra um indivíduo. O que devo fazer se não estiver satisfeito com a forma como a minha reclamação foi tratada? Se não estiver satisfeito com a forma como a sua reclamação foi tratada, talvez possa recorrer. Quando a polícia lhe escrever sobre o resultado da sua reclamação, também o informarão sobre a entidade a quem poderá recorrer. Esta pode ser o chefe da força policial ou a IPCC. A entidade de recurso irá analisar o seu recurso e, se for apropriado, poderá indicar à autoridade adequada para alterar a sua decisão ou tomar alguma ação pertinente para lidar adequadamente com a sua reclamação. A autoridade adequada pode ser o chefe da força policial (normalmente o chefe da polícia), o Comissário da Polícia e do Crime, responsável pela força policial sobre a qual apresentou a reclamação, o Gabinete do Mayor para o Policiamento e o Crime (se a sua reclamação foi sobre o Comissário do Serviço da Polícia Metropolitana) ou o Conselho dos Comuns para a Cidade de Londres (se a sua reclamação for sobre o Comissário da Polícia da Cidade de Londres).

7 A entidade de recurso pode considerar recursos sobre: o facto de uma força policial não registar uma reclamação o resultado da resolução local sobre uma reclamação o resultado de uma investigação local ou supervisionada a decisão de uma não aplicação o resultado de uma reclamação após a não aplicação a decisão de suspender uma investigação Não pode recorrer se a investigação da sua reclamação tiver sido gerida ou efetuada independentemente pela IPCC. As reclamações contra chefes da polícia serão tratadas pelo Comissário da Polícia e do Crime em questão, pelo Gabinete do Mayor para o Policiamento e o Crime ou pelo Conselho dos Comuns para a polícia da Cidade de Londres. Quaisquer recursos subsequentes serão tratados pela IPCC. Perguntas frequentes Posso marcar uma entrevista com a IPCC para fazer a minha reclamação? Não. A IPCC não disponibiliza um serviço de atendimento pessoal. A melhor forma de apresentar a sua reclamação é à força policial envolvida. Em alternativa, pode reclamar usando o nosso formulário de reclamação pela Internet ou preenchendo o formulário de reclamação e devolvendo-o à força policial envolvida. Tenho uma incapacidade. Que serviços pode a IPCC fornecer que me permitam fazer uma reclamação? A IPCC esforça-se por disponibilizar os seus serviços a todos. Se tiver uma necessidade específica, agradecemos que nos contacte para discutirmos a melhor forma de o ajudar. Posso apresentar uma reclamação numa outra língua que não seja o inglês? Sim. Agradecemos que nos contacte para obter mais informações. Há um prazo para fazer uma reclamação? Não há um prazo para fazer uma reclamação, mas é aconselhável que o faça assim que possível depois da ocorrência do(s) incidente(s). Se já tiverem passado mais de 12 meses entre a ocorrência do incidente (ou do último incidente) e a data em que a reclamação é feita, a autoridade adequada pode não a investigar. Podem decidir anular a reclamação por se encontrar fora de prazo. Se estiver a apresentar uma reclamação mais de 12 meses após o incidente, deve explicar a razão do atraso na sua reclamação. No entanto, explicar as suas razões não garante que a reclamação seja investigada.

8 Quanto tempo demorará a minha reclamação a ser tratada? Não há um prazo para a duração de uma investigação ou de uma resolução local contudo, esperamos que ambas sejam proporcionais à natureza da reclamação. Uma vez atribuída uma reclamação a alguém, este poderá indicar o prazo provável da investigação ou da resolução local. A não ser que tenha acordado algo diferente, deverá receber uma atualização sobre o progresso da sua reclamação pelo menos a cada 28 dias. A IPCC pode ajudar-me a instaurar um pedido de indemnização contra a polícia? Não. O âmbito da IPCC não abrange pedidos de indemnização contra a polícia. Se pretender prosseguir com pedidos de indemnização contra a polícia, deve contactar diretamente a força policial em questão ou pode escrever ao advogado da força policial. Contacte a Loja do Cidadão (Citizens Advice Bureau) da sua área para obter informações ou procure aconselhamento jurídico. Posso fazer uma reclamação à IPCC sobre uma notificação ou caução de uma multa? Pode apresentar-nos uma reclamação se não estiver satisfeito com a conduta de um agente ou funcionário da polícia ou se achar que foi mal ou injustamente tratado pela polícia. Contudo, isso não significa que a multa será cancelada. O mesmo se aplica se lhe tiver sido emitida uma caução. A IPCC não pode retirar uma caução da polícia ou contestar uma caução em seu nome. Se pretender contestar uma caução ou multa da polícia, deve contactar a Loja do Cidadão (Citizens Advice Bureau) da sua área ou procurar aconselhamento jurídico. A IPCC pode remover informação detida pelo Gabinete de Registo Criminal (Criminal Records Bureau, ou CRB)? Não. O CRB não está abrangido pela jurisdição da IPCC. Deverá tratar de qualquer disputa sobre a informação no seu Registo Criminal (Criminal Record Disclosure) diretamente com o Gabinete de Registo Criminal. Se tiver pedido um Registo Criminal e este estiver em atraso, deverá contactar o Gabinete de Registo Criminal diretamente. Se a sua reclamação para o Gabinete de Registo Criminal revelar que o atraso é da responsabilidade da polícia local, então pode apresentar uma reclamação diretamente à força policial em causa. A polícia não investigou adequadamente um crime que eu participei. O que pode fazer a IPCC? Se não estiver satisfeito com uma investigação criminal que a polícia está atualmente a desenvolver ou acabou de executar, então a IPCC pode considerar uma reclamação sobre a conduta de qualquer agente ou funcionário da polícia

9 envolvido. Contudo, isso não levará obrigatoriamente à revisão da investigação criminal em si. A IPCC não tem qualquer controlo sobre a forma como a polícia lida com um assunto de natureza criminosa. Não pode rever os resultados ou instruir a polícia a executar nova investigação de uma alegação criminosa. O que posso fazer se tiver participado um crime à polícia, mas esta se recusar a registá-lo ou a investigá-lo? Se achar que o registo ou a investigação de um crime foi evitado devido à conduta de um agente ou de funcionários da polícia, então a IPCC pode considerar uma reclamação sobre as pessoas em causa. Contudo, isso não levará obrigatoriamente ao registo ou à investigação do crime participado. Na maioria dos casos, a decisão sobre se um crime participado deve ou não ser investigado é uma decisão operacional feita de acordo com as linhas de orientação definidas pela Administração Interna (Home Office). Se achar que uma força policial não está a aderir a estas linhas de orientação, deve mencionar isso diretamente à força policial em causa. Outras organizações úteis: Loja do Cidadão (Citizens Advice Bureau) Assistência Jurídica Comunitária (Community Legal Advice) Tel.: Gabinete de Registo Criminal (Criminal Records Bureau) Tel.: Gabinete do Comissário de Informação (Information Commissioner s Office) Tel.: Ministério da Administração Interna (Home Office) Tel.: Base de Dados Jurídicos Nacional da Polícia (Police National Legal Database) Informação na Internet Procuradoria da Coroa (Crown Prosecution Service) Tel.: Comissão de Revisão de Casos Penais (Criminal Cases Review Commission) Tel.: Para obter estas informações noutra língua ou noutro formato (Braille, áudio, impressão em letras grandes e Easy Read), agradecemos que contacte a IPCC utilizando os dados abaixo.

10 Se for surdo ou tiver dificuldades auditivas, pode contactar a IPCC usando o Serviço de Transmissão Textual (Text Relay) consulte o número abaixo. Dados de contacto da IPCC Tel.: Endereço de correio eletrónico: Fax: Minicom: Serviço de transmissão textual:

Recorrer contra a investigação da polícia relativamente à sua reclamação

Recorrer contra a investigação da polícia relativamente à sua reclamação Estas informações estão relacionadas com reclamações recebidas pelas forças policiais em ou após 22 de novembro de 2012. Se a sua reclamação foi recebida antes de 22 de novembro de 2012, o seu recurso

Leia mais

> passo a passo como apresentar uma queixa contra a polícia

> passo a passo como apresentar uma queixa contra a polícia > passo a passo como apresentar uma queixa contra a polícia apresentar uma queixa contra a polícia IPCC significa Comissão Independente para Queixas contra a Polícia (Independent Police Complaints Commission).

Leia mais

O Papel do DPP. Escritório do Procurador-Geral. Introdução

O Papel do DPP. Escritório do Procurador-Geral. Introdução 3 Introdução Este livreto explica em linguagem clara o que o (DPP) faz. O livreto tenta responder às perguntas que as pessoas nos fazem mais frequentemente. Ele não lida com cada situação possível e não

Leia mais

Como reclamar de um profissional de saúde. Índice

Como reclamar de um profissional de saúde. Índice Como reclamar de um profissional de saúde Índice Acerca desta brochura... 1 O que é o HPC?... 1 O que significa aptidão para exercer?... 2 E se não ficar satisfeito com um registante?... 2 Quem pode fazer

Leia mais

UMA GUIA PARA PAIS COM AS PERGUNTAS FREQÜENTEMENTE FEITAS SOBRE AS QUEIXAS DE JUSTO PROCESSO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL

UMA GUIA PARA PAIS COM AS PERGUNTAS FREQÜENTEMENTE FEITAS SOBRE AS QUEIXAS DE JUSTO PROCESSO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL Nancy S. Grasmick Superintendente Estadual de Escolas Martin O'Malley Diretor Maryland State Department of Education Division of Special Education/Early Intervention Services 200 W. Baltimore Street, Baltimore,

Leia mais

Rede INFO: abordagens eficazes aos princípios fundamentais

Rede INFO: abordagens eficazes aos princípios fundamentais Rede INFO: abordagens eficazes aos princípios fundamentais Setembro de 2014 A International Network of Financial Services Ombudsman Schemes (Rede INFO) é a associação mundial de mediadores de serviços

Leia mais

Ministério da Justiça. Um guia para os. Procuradores. e para os Inquéritos

Ministério da Justiça. Um guia para os. Procuradores. e para os Inquéritos Ministério da Justiça Um guia para os Procuradores e para os Inquéritos Um guia para os Procuradores e para os Inquéritos Conteúdo 1. O que é um procurador? 3 2. O que é que os procuradores fazem? 4 3.

Leia mais

Possíveis questões dos profissionais durante a notificação

Possíveis questões dos profissionais durante a notificação Possíveis questões dos profissionais durante a notificação Q: O que é um sistema de notificação de incidentes e eventos adversos? R: É um sistema que alimenta uma base de dados com os diferentes tipos

Leia mais

Tradução da Brochura sobre Admissões às Escolas em Brighton & Hove em 2015/16

Tradução da Brochura sobre Admissões às Escolas em Brighton & Hove em 2015/16 Tradução da Brochura sobre Admissões às Escolas em Brighton & Hove em 2015/16 Introdução Este resumo dos procedimentos de admissão à escola é para os pais que falam inglês como língua estrangeira. Se,

Leia mais

Perguntas mais frequentes (FAQ) da Staples EthicsLink

Perguntas mais frequentes (FAQ) da Staples EthicsLink Perguntas mais frequentes (FAQ) da Staples EthicsLink Introdução O objectivo deste documento é informar os colaboradores da Staples sobre a linha de apoio de ética e conformidade da empresa, conhecida

Leia mais

Proteção Jurídica Atualizado em: 12-12-2012

Proteção Jurídica Atualizado em: 12-12-2012 SEGURANÇA SOCIAL Proteção Jurídica Atualizado em: 12-12-2012 Esta informação destina-se a que cidadãos Pessoas e entidades sem fins lucrativos que não tenham condições para pagar as despesas associadas

Leia mais

Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO

Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO Janeiro de 2014 Versão 1.3 1. INTRODUÇÃO O presente Regulamento é fundamental para reger as operações-chave do programa de Certificação Profissional FEBRABAN.

Leia mais

Arrendamentos Baseados em Escolha. Um guia para escolher a sua habitação

Arrendamentos Baseados em Escolha. Um guia para escolher a sua habitação Arrendamentos Baseados em Escolha Um guia para escolher a sua habitação Quando temos habitações disponíveis para serem alugadas, estas são anunciadas e convidamos os requerentes de habitações prioritárias

Leia mais

OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO

OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO Dia 17 de Fevereiro entrou em vigor o Regulamento (CE) n.º 261/2004, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Fevereiro de 2004, que estabelece regras

Leia mais

Condições de participação

Condições de participação Condições de participação A RedEmprendia tem origem num novo perfil universitário, o das universidades empreendedoras, que visam dar um incentivo à inovação e à cultura empreendedora tanto nas suas academias

Leia mais

A sua reclamação e o provedor de justiça (Ombudsman)

A sua reclamação e o provedor de justiça (Ombudsman) A sua reclamação e o provedor de justiça (Ombudsman) Acerca do provedor de justiça O Financial Ombudsman Service pode intervir se tiver apresentado uma reclamação a uma instituição financeira e não tiver

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A PATERNIDADE GERALMENTE FEITAS POR MÃES

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A PATERNIDADE GERALMENTE FEITAS POR MÃES PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A PATERNIDADE GERALMENTE FEITAS POR MÃES P. O QUE É A PATERNIDADE? R. Paternidade significa ser um pai. A determinação da paternidade significa que uma pessoa foi determinada

Leia mais

Serviços de Saúde no País de Gales

Serviços de Saúde no País de Gales Serviços de Saúde no País de Gales Se acabou de chegar ao País de Gales ou está a tentar saber mais sobre como é que funcionam os cuidados de saúde no País de Gales, esta informação pode ser-lhe útil.

Leia mais

Normas do Sistema de Suspensão Rápida Uniforme (URS) em vigor a partir de 28 de junho de 2013

Normas do Sistema de Suspensão Rápida Uniforme (URS) em vigor a partir de 28 de junho de 2013 Normas do Sistema de Suspensão Rápida Uniforme (URS) em vigor a partir de 28 de junho de 2013 Estas Normas estão em vigor para todos os processos de URS. Os procedimentos de URS devem ser regidos por estas

Leia mais

Auditorias 25-01-2013. ISO 19011 âmbito. Termos e definições. Gestão da Qualidade João Noronha ESAC 2012/2013

Auditorias 25-01-2013. ISO 19011 âmbito. Termos e definições. Gestão da Qualidade João Noronha ESAC 2012/2013 Auditorias Gestão da Qualidade João Noronha ESAC 2012/2013 ISO 19011 âmbito Linhas de orientação para auditoria a sistemas de gestão Princípios de auditoria Gestão de programas de auditoria Condução de

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA - PORTAL

CÓDIGO DE ÉTICA - PORTAL 1. Disposições Preliminares Este Código de Ética tem como principal objetivo informar aos colaboradores, prestadores de serviço, clientes e fornecedores da Petronect quais são os princípios éticos que

Leia mais

LINHAS DE ORIENTAÇÃO RELATIVAS AO EXAME DE MARCAS COMUNITÁRIAS EFETUADO NO INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (MARCAS, DESENHOS E MODELOS)

LINHAS DE ORIENTAÇÃO RELATIVAS AO EXAME DE MARCAS COMUNITÁRIAS EFETUADO NO INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (MARCAS, DESENHOS E MODELOS) LINHAS DE ORIENTAÇÃO RELATIVAS AO EXAME DE MARCAS COMUNITÁRIAS EFETUADO NO INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (MARCAS, DESENHOS E MODELOS) PARTE A DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO 5 REPRESENTAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Em vigor a partir de 01/04/2016 RINA Via Corsica 12 16128 Genova - Itália tel. +39 010 53851 fax +39 010 5351000 website : www.rina.org Normas

Leia mais

» Quer saber mais sobre a ação de registar e/ou enviar um documento através do GesDoc?

» Quer saber mais sobre a ação de registar e/ou enviar um documento através do GesDoc? » PERGUNTAS MAIS FREQUENTES FAQ s - https://gesdoc.uevora.pt» Quer saber mais sobre a ação de registar e/ou enviar um documento através do GesDoc?» Aqui encontra algumas respostas às perguntas mais frequentes

Leia mais

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Adoção (32 V4.08) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social,

Leia mais

Artigo 1.º Âmbito de aplicação

Artigo 1.º Âmbito de aplicação Resolução da Assembleia da República n.º 54/2004 Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong, da República Popular da China, Relativo ao Auxílio

Leia mais

Lembre-se dos seus direitos enquanto estiver detido

Lembre-se dos seus direitos enquanto estiver detido Lembre-se dos seus direitos enquanto estiver detido Os direitos neste Aviso são-lhe garantidos ao abrigo da lei da Inglaterra e do Pais de Gales e estão em conformidade com a Directiva da UE 2012/13 nos

Leia mais

PARTNERS FOR IMPROVEMENT EM ISLINGTON COMPORTAMENTO ANTI-SOCIAL

PARTNERS FOR IMPROVEMENT EM ISLINGTON COMPORTAMENTO ANTI-SOCIAL PARTNERS FOR IMPROVEMENT EM ISLINGTON COMPORTAMENTO ANTI-SOCIAL AorirsRK ArPkY Bengali Αντικοινωνική Συμπεριφορά Greek Comportamento anti-social Portuguese Dhaqamada bulshada lidka ku ah Somali Comportamiento

Leia mais

POPULAR SEGUROS- COMPANHIA DE SEGUROS, S.A.

POPULAR SEGUROS- COMPANHIA DE SEGUROS, S.A. PROVEDOR DO CLIENTE Capítulo I - Enquadramento Artigo 1º - Objeto do presente documento Artigo 2º - Direito de apresentação de reclamações ao provedor Artigo 3º - Funções e autonomia do provedor Capítulo

Leia mais

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES OBJETIVO Assegurar a satisfação do cliente no pós-venda, desenvolvendo um relacionamento duradouro entre o vendedor e o cliente, além de conseguir indicações através de um sistema de follow-up (acompanhamento).

Leia mais

Arrendamentos Baseados em Escolha Um guia para escolher a sua habitação

Arrendamentos Baseados em Escolha Um guia para escolher a sua habitação Arrendamentos Baseados em Escolha Um guia para escolher a sua habitação Introdução aos Arrendamentos Baseados em Escolha Quando temos habitações disponíveis para serem alugadas, estas são anunciadas e

Leia mais

SEJA RESPONSÁVEL EVITE ATRASOS E MULTAS FACILITE A SUA VIDA! 1ª Fase - 1 a 31 de Março de 2014, para rendimentos das categorias A e H;

SEJA RESPONSÁVEL EVITE ATRASOS E MULTAS FACILITE A SUA VIDA! 1ª Fase - 1 a 31 de Março de 2014, para rendimentos das categorias A e H; IRS 2014 e 2015: Prazos e Despesas Dedutíveis Com o início de um novo ano aparecem as obrigações fiscais anuais que todos os contribuintes têm de cumprir. Está na hora de começar já a organizar as suas

Leia mais

New Hampshire Educação Especial Manual de Procedimentos de Garantias

New Hampshire Educação Especial Manual de Procedimentos de Garantias New Hampshire Educação Especial Manual de Procedimentos de Garantias Este manual é baseado no Lei Educacional para Indivíduos Portadores de Necessidades Especiais de 2004 e as Normas para a Educação de

Leia mais

Declaração sobre a Política de Privacidade da Travian Games GmbH

Declaração sobre a Política de Privacidade da Travian Games GmbH Declaração sobre a Política de Privacidade da Travian Games GmbH O presente documento é a Declaração sobre a Política de Privacidade da Travian Games GmbH, Wilhelm-Wagenfeld-Str. 22, 80807 Munique (adiante

Leia mais

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 )

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) Tendo iniciado no presente ano lectivo 2005/2006 o funcionamento da plataforma Moodle na Universidade Aberta, considerou-se

Leia mais

O que é o Serviço de Informação à Vítima (Victim Information Scheme)? Qual é o objetivo deste Serviço?

O que é o Serviço de Informação à Vítima (Victim Information Scheme)? Qual é o objetivo deste Serviço? PAGE 1, COLUMN 1 O que é o Serviço de Informação à Vítima (Victim Information Scheme)? O Serviço de Informação à Vítima do Comité de Liberdade Condicional da Irlanda do Norte (PBNI) entrou em funcionamento

Leia mais

3 Direito de revogação do utilizador final no que diz respeito a contratos de venda à distância - Política de cancelamento

3 Direito de revogação do utilizador final no que diz respeito a contratos de venda à distância - Política de cancelamento I. Termos e Condições Gerais de Venda da MAGIX Software GmbH Estado: junho 2014 1 Âmbito de aplicação 1. Todas as entregas, serviços e ofertas da MAGIX Software GmbH (de ora avante denominada MAGIX ) são

Leia mais

Guidelines. Orientações relativas a determinados aspetos dos requisitos da DMIF em matéria de adequação. 25 de junho de 2012 ESMA/2012/387

Guidelines. Orientações relativas a determinados aspetos dos requisitos da DMIF em matéria de adequação. 25 de junho de 2012 ESMA/2012/387 Guidelines Orientações relativas a determinados aspetos dos requisitos da DMIF em matéria de adequação 25 de junho de 2012 ESMA/2012/387 Data: 25 de junho de 2012 ESMA/2012/387 Índice I. Âmbito 3 II. Definições

Leia mais

Política Anti-Suborno da ADP Questões Frequentes (FAQs)

Política Anti-Suborno da ADP Questões Frequentes (FAQs) Política Anti-Suborno da ADP Questões Frequentes (FAQs) AS COMUNICAÇÕES ENTRE ADVOGADO E CLIENTE SÃO ESTRITAMENTE CONFIDENCIAIS Este documento destina-se a abordar questões que possam surgir no decurso

Leia mais

Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas 1.

Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas 1. Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas da MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A., com sede na Av. Fontes

Leia mais

Neste documento, encontrará mais informações sobre os seus direitos e o modo como deverá ser tratado e cuidado pela polícia.

Neste documento, encontrará mais informações sobre os seus direitos e o modo como deverá ser tratado e cuidado pela polícia. Lei do Combate ao Terrorismo de 2000 Lembre-se dos seus direitos enquanto estiver detido Os seguintes direitos e regalias são-lhe garantidos, ao abrigo da lei de Inglaterra e do País de Gales e estão em

Leia mais

O que é o Contrato de Seguro?

O que é o Contrato de Seguro? O que é o Contrato de Seguro? O contrato de seguro é um acordo através do qual o segurador assume a cobertura de determinados riscos, comprometendo-se a satisfazer as indemnizações ou a pagar o capital

Leia mais

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Conhece os teus Direitos A caminho da tua Casa de Acolhimento Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E

Leia mais

Tem um litígio de consumo?

Tem um litígio de consumo? Tem um litígio de consumo? Sabia que deve sempre contactar primeiro o fornecedor do bem ou o prestador do serviço para tentar resolver o problema? Sabia que pode resolver litígios de consumo fora dos tribunais?

Leia mais

Regulamento n.º 1 /2007 BANCO DE CABO VERDE. Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários. Auditores dos Organismos de Investimento Colectivo

Regulamento n.º 1 /2007 BANCO DE CABO VERDE. Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários. Auditores dos Organismos de Investimento Colectivo Regulamento n.º 1 /2007 BANCO DE CABO VERDE Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários Auditores dos Organismos de Investimento Colectivo Com a criação dos Organismos de Investimento Colectivo (OIC),

Leia mais

TRATAMENTO DAS RECLAMAÇÕES

TRATAMENTO DAS RECLAMAÇÕES 1/12 TRATAMENTO Nº da versão Data Motivo 07 04/09/06 Alteração do layout e dos pontos 1, 2, 3, 4 e 5 08 31/08/09 Alteração dos pontos 1 a 6 09 18/04/11 Alteração do layout e pontos 1, 2, 4, 5.1, 5.2, 5.4,

Leia mais

Política de Gestão de Risco de Fraude

Política de Gestão de Risco de Fraude Política de Gestão de Risco de Fraude Versão: 1.0-2015 Alterada: 2 de junho de 2015 Aprovado por: Conselho de Administração Data: 3 de junho de 2015 Preparado por: Conselho de Administração Data: 2 de

Leia mais

SIMULADO DO TESTE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

SIMULADO DO TESTE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS SIMULADO DO TESTE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROPOSTA Este simulado é um material de apoio para você se preparar para o Teste de Resolução de Problemas, com o objetivo de: 1. Compartilhar dicas e normas

Leia mais

Regulamento Interno. Artigo 1º (Missão)

Regulamento Interno. Artigo 1º (Missão) Regulamento Interno O presente regulamento aplica-se a todos os Cursos de formação concebidos, organizados e desenvolvidos pelo Nucaminho - Núcleo dos Camionistas do Minho, com o objetivo de promover o

Leia mais

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO EFECTIVIDADE DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS ESCOLAS PROJECTO ESSE Orientações para as visitas às escolas 1 Introdução As visitas às escolas realizadas segundo o modelo

Leia mais

DIRETRIZ PROCEDIMENTOS DE RECLAMAÇÕES E APELAÇÕES QUALIFOR

DIRETRIZ PROCEDIMENTOS DE RECLAMAÇÕES E APELAÇÕES QUALIFOR DIRETRIZ PROCEDIMENTOS DE RECLAMAÇÕES E APELAÇÕES QUALIFOR HISTÓRICO O Programa QUALIFOR é o programa acreditado pelo FSC do Grupo SGS. A SGS é uma empresa internacional especializada em testes, inspeção

Leia mais

Minerals Technologies Inc. Resumo das políticas de conduta comercial

Minerals Technologies Inc. Resumo das políticas de conduta comercial Minerals Technologies Inc. Resumo das políticas de conduta comercial É sempre exigido um comportamento legal e ético Este Resumo das políticas de conduta comercial (este "Resumo") fornece uma descrição

Leia mais

Acesso à informação, participação do público e acesso à justiça em matéria de ambiente a nível comunitário um Guia Prático

Acesso à informação, participação do público e acesso à justiça em matéria de ambiente a nível comunitário um Guia Prático Acesso à informação, participação do público e acesso à justiça em matéria de ambiente a nível comunitário um Guia Prático O acesso à informação, a participação do público no processo de tomada de decisão

Leia mais

2. Posso aderir aos serviços da Nacacomunik se residir nos Açores ou na Madeira? Sim.

2. Posso aderir aos serviços da Nacacomunik se residir nos Açores ou na Madeira? Sim. Nacacomunik e pré-seleção de operador 1. Porque é que a ACN se chama Nacacomunik Serviços de Telecomunicações, Lda. em Portugal? Como em Portugal já existiam duas empresas com o nome ACN, registámos a

Leia mais

Para aceder ao Portal das Finanças e validar ou confirmar as facturas deverão seguir o seguinte caminho:

Para aceder ao Portal das Finanças e validar ou confirmar as facturas deverão seguir o seguinte caminho: Dedução de despesas IRS 2015 A partir de 2015 as despesas dedutíveis à colecta de IRS, que agregam as despesas com todos os membros do agregado familiar, incluindo os filhos, exigem uma observância rigorosa

Leia mais

Sessão Solene de abertura do Ano Judicial Supremo Tribunal de Justiça 8 de outubro de 2015

Sessão Solene de abertura do Ano Judicial Supremo Tribunal de Justiça 8 de outubro de 2015 Sessão Solene de abertura do Ano Judicial Supremo Tribunal de Justiça 8 de outubro de 2015 1. Ao longo da legislatura que agora termina, fiz sempre questão de enfatizar, em todas as sessões de abertura

Leia mais

Informações sobre a lei da protecção contra a violência (LPV)

Informações sobre a lei da protecção contra a violência (LPV) Informações sobre a lei da protecção contra a violência (LPV) Protecção 1. A quem protege a lei da violência doméstica? A lei protege a pessoa vítima de violência ou que é ameaçada por outra, com quem

Leia mais

POLÍTICA DE TRATAMENTO DE CLIENTES E TERCEIROS

POLÍTICA DE TRATAMENTO DE CLIENTES E TERCEIROS 1/5 POLÍTICA DE TRATAMENTO DE CLIENTES E TERCEIROS ÍNDICE 1. OBJETIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 1 2. DEFINIÇÕES... 1 3. PRINCÍPIOS E NORMAS DE ATUAÇÃO... 2 3.1. PRINCÍPIO DA NÃO DISCRIMINAÇÃO... 2 3.2.

Leia mais

CONCURSO DE EXPRESSÃO ESCRITA GERAÇÃO MÓVEL E DESAFIOS. O Real e o Virtual

CONCURSO DE EXPRESSÃO ESCRITA GERAÇÃO MÓVEL E DESAFIOS. O Real e o Virtual CONCURSO DE EXPRESSÃO ESCRITA GERAÇÃO MÓVEL E DESAFIOS 2012 O Real e o Virtual Olá! O meu nome é Real Virtual. A minha família e os meus amigos conhecem-me por Real, já para a malta dos chats e dos jogos,

Leia mais

Tradução da brochura sobre Admissões às Escolas Secundárias em Brighton & Hove em 2012/13

Tradução da brochura sobre Admissões às Escolas Secundárias em Brighton & Hove em 2012/13 Tradução da brochura sobre Admissões às Escolas Secundárias em Brighton & Hove em 2012/13 Introdução Este resumo dos procedimentos de admissão à escola é para os pais que falam inglês como língua estrangeira.

Leia mais

Seja bem-vindo à página do Provedor do estudante da Escola Superior de Enfermagem de São José de Cluny.

Seja bem-vindo à página do Provedor do estudante da Escola Superior de Enfermagem de São José de Cluny. Provedor do Estudante Seja bem-vindo à página do Provedor do estudante da Escola Superior de Enfermagem de São José de Cluny. Ao Provedor do Estudante cabe promover e defender os direitos e interesses

Leia mais

SPORTINGBET: PÁGINA DE JOGO RESPONSÁVEL

SPORTINGBET: PÁGINA DE JOGO RESPONSÁVEL OBSERVATÓRIO TRANSNACIONAL DE JOGO REMOTO Transparência Responsabilidade Social Corporativa A protecção dos consumidores exige a fixação de parâmetros rigorosos que garantam a idoneidade dos operadores.

Leia mais

o Maria Hermínia Cabral o Sérgio Guimarães o Pedro Krupenski

o Maria Hermínia Cabral o Sérgio Guimarães o Pedro Krupenski II Oficina de Trabalho Código de Conduta: Processos e Metodologias 24 de Setembro 2015 Conclusões da Sessão da manhã Com o apoio dos Parceiros do Mecanismo de Apoio à Elaboração de Projetos de Cooperação,

Leia mais

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Fases do Processo de Contra-Ordenações)

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Fases do Processo de Contra-Ordenações) FASES DO PROCESSO DE CONTRA ORDENAÇÕES Auto de Notícia Menciona os factos constitutivos da infracção, o dia, a hora, o local e as circunstâncias desta. É levantado pelo agente de autoridade. Notificação

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003 Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 1 SISTEMÁTICA DE AUDITORIA - 1 1 - Início da 4 - Execução da 2 - Condução da revisão dos documentos

Leia mais

O QUE É MEDIAÇÃO? Exemplos práticos: Conflitos de vizinhança, separação, divórcio, conflitos trabalhistas, etc...

O QUE É MEDIAÇÃO? Exemplos práticos: Conflitos de vizinhança, separação, divórcio, conflitos trabalhistas, etc... O QUE É MEDIAÇÃO? A Mediação é uma forma de tentativa de resolução de conflitos através de um terceiro, estranho ao conflito, que atuará como uma espécie de "facilitador", sem entretanto interferir na

Leia mais

INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS PARA PARTICULARES RENTING GO EXPRESS

INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS PARA PARTICULARES RENTING GO EXPRESS INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS PARA PARTICULARES RENTING GO EXPRESS Valor da retribuição a pagar pelo Cliente 4ª Valor da retribuição a pagar pelo Cliente 1. Os serviços prestados pela LeasePlan em conformidade

Leia mais

COMO PREPARAR E COMUNICAR SEU TESTEMUNHO PESSOAL

COMO PREPARAR E COMUNICAR SEU TESTEMUNHO PESSOAL COMO PREPARAR E COMUNICAR SEU TESTEMUNHO PESSOAL O objetivo desta mensagem é motivar e equipar você a preparar e usar seu testemunho ao compartilhar sua fé com outros. Esta lição ajudará você a: 1. Conhecer

Leia mais

PROSPECT. Manual do Utilizador

PROSPECT. Manual do Utilizador PROSPECT Manual do Utilizador 1 Tabela de Conteúdos 1. INTRODUÇÃO...3 1.1 O QUE É O PROSPECT?... 3 2. ANTES DE COMEÇAR: DICAS PARA AJUDÁ-LO COM A SUA CANDIDATURA...4 3. ACESSO E SUBMISSÃO DE UMA CANDIDATURA

Leia mais

Introdução às Auditorias SMETA: Auditorias Éticas de Práticas Laborais na Cadeia de Abastecimento

Introdução às Auditorias SMETA: Auditorias Éticas de Práticas Laborais na Cadeia de Abastecimento Introdução às Auditorias SMETA: Auditorias Éticas de Práticas Laborais na Cadeia de Abastecimento Intertek Portugal Rua Antero de Quental 221-S.102 Perafita-Matosinhos, 4455-586 Porto info.portugal@intertek.com

Leia mais

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo.

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo. Informação ao participante e consentimento informado para o parceiro VIH positivo Estudo PARTNER O estudo PARTNER é um estudo levado a cabo com casais em que: (i) um parceiro é VIH positivo e o outro é

Leia mais

CARTILHA SOBRE DIREITO À APOSENTADORIA ESPECIAL APÓS A DECISÃO DO STF NO MANDADO DE INJUNÇÃO Nº 880 ORIENTAÇÕES DA ASSESSORIA JURIDICA DA FENASPS

CARTILHA SOBRE DIREITO À APOSENTADORIA ESPECIAL APÓS A DECISÃO DO STF NO MANDADO DE INJUNÇÃO Nº 880 ORIENTAÇÕES DA ASSESSORIA JURIDICA DA FENASPS CARTILHA SOBRE DIREITO À APOSENTADORIA ESPECIAL APÓS A DECISÃO DO STF NO MANDADO DE INJUNÇÃO Nº 880 ORIENTAÇÕES DA ASSESSORIA JURIDICA DA FENASPS 1. Que entidades conseguiram no Supremo Tribunal Federal

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. LOCAL: PLENÁRIO DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DATA: 28/06/2013 HORÁRIO: 09h30min

ATA DE REUNIÃO. LOCAL: PLENÁRIO DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DATA: 28/06/2013 HORÁRIO: 09h30min MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA SECRETARIA EXECUTIVA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA DOS JUIZADOS ESPECIAIS CÍVEIS E CRIMINAIS DA CAPITAL ATA DE REUNIÃO LOCAL: PLENÁRIO DOS

Leia mais

Contrato no Setor de Prestação de Serviços de Limpeza. Guia do trabalhador. 13 14 41 www.longservice.nsw.gov.au

Contrato no Setor de Prestação de Serviços de Limpeza. Guia do trabalhador. 13 14 41 www.longservice.nsw.gov.au Contrato no Setor de Prestação de Serviços de Limpeza Guia do trabalhador 13 14 41 www.longservice.nsw.gov.au LICENÇA-PRÊMIO POR LONGO TEMPO DE SERVIÇO NO SETOR DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA Em New

Leia mais

Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo

Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo Índice 1. Definições... 2 2. Objetivos e Princípios... 3 3. Definição de Ato ou Fato Relevante... 4 4. Deveres e Responsabilidade... 5 5. Exceção à Imediata Divulgação... 7 6. Dever de Guardar Sigilo...

Leia mais

Redação Dr. Maurício de Freitas Lima. Edição ACS - Assessoria de Comunicação Social Maria Isabel Marques - MTB 16.996

Redação Dr. Maurício de Freitas Lima. Edição ACS - Assessoria de Comunicação Social Maria Isabel Marques - MTB 16.996 2 Redação Dr. Maurício de Freitas Lima Edição ACS - Assessoria de Comunicação Social Maria Isabel Marques - MTB 16.996 Produção e Projeto Gráfico Designer Gráfico: Patricia Lopes da Silva Edição - Outubro/2012

Leia mais

O Plano para Reclamações do Immigration Services Commissioner (Comissariado dos Serviços de Imigração)

O Plano para Reclamações do Immigration Services Commissioner (Comissariado dos Serviços de Imigração) O Plano para Reclamações do Immigration Services Commissioner (Comissariado dos Serviços de Imigração) Formulário de reclamação www.oisc.gov.uk Regulamentação da Consultoria de Imigração Pode reclamar

Leia mais

REGULAMENTO AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA 1. Artigo 1.º Objeto

REGULAMENTO AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA 1. Artigo 1.º Objeto REGULAMENTO DE AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA 1 Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define as normas jurídicas aplicáveis aos atos e formalidades específicas dos

Leia mais

ADMISSÃO HOSPITALAR PARA AVALIAÇÃO

ADMISSÃO HOSPITALAR PARA AVALIAÇÃO ADMISSÃO HOSPITALAR PARA AVALIAÇÃO (Secção 2 da Lei de Saúde Mental de 1983) 1. NOME DO DOENTE 2. NOME DO RESPONSÁVEL PELO SEU TRATAMENTO (O SEU MÉDICO RESPONSÁVEL ) 3. NOME DO HOSPITAL E ENFERMARIA Porque

Leia mais

Office Telefone com fios

Office Telefone com fios Office Telefone com fios NOS_Office_com_fios.indd 1 16/05/14 16:30 NOS_Office_com_fios.indd 2 16/05/14 16:30 1. Configurar o Office com fios 1.1. Aceder à página de configuração 1.2. Alterar a password

Leia mais

www.bowelscreeningwales.org.uk

www.bowelscreeningwales.org.uk Rastreio Screening ao per intestino i tumori intestinali Mais Ulteriori análises investigazioni 4 www.bowelscreeningwales.org.uk Rastreio ao intestino - Mais análises O resultado do seu teste mostra vestígios

Leia mais

Código de Conduta Empresarial da Nestlé. 2008, Nestec Ltd. Conceito e Design: Nestec Ltd., Identidade Corporativa e Design, Vevey (Suiza)

Código de Conduta Empresarial da Nestlé. 2008, Nestec Ltd. Conceito e Design: Nestec Ltd., Identidade Corporativa e Design, Vevey (Suiza) Código de Conduta Empresarial da Nestlé 2008, Nestec Ltd. Conceito e Design: Nestec Ltd., Identidade Corporativa e Design, Vevey (Suiza) Introdução Desde a sua fundação, as práticas comerciais da Nestlé

Leia mais

MANUAL DE GABINETES SAJ/SG5

MANUAL DE GABINETES SAJ/SG5 MANUAL DE GABINETES SAJ/SG5 Seção de Implantação de Sistemas Divisão de Sistemas Judiciais de Segundo Grau Diretoria de Tecnologia da Informação DTI/TJSC suporte: saj2grau@tjsc.jus.br Índice: Página 1.

Leia mais

2.º SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Quinta-feira, 12 de abril de 2012 Número 73

2.º SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Quinta-feira, 12 de abril de 2012 Número 73 II SÉRIE Quinta-feira, 12 de abril de 2012 Número 73 ÍNDICE 2.º SUPLEMENTO PARTE C Ministério da Educação e Ciência Gabinetes do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar e da Secretária

Leia mais

II. Celebração do contrato, as partes contratantes, limitações contratuais de responsabilidade e prescrição

II. Celebração do contrato, as partes contratantes, limitações contratuais de responsabilidade e prescrição Termos e condições gerais I. Âmbito de aplicação 1. Os seguintes termos e condições aplicam-se a qualquer uso de aluguer de quartos de hotel para alojamento, bem como todos os outros serviços e entregas

Leia mais

O que fazer se não ficar satisfeito ou se tiver preocupações relativamente aos nossos Serviços

O que fazer se não ficar satisfeito ou se tiver preocupações relativamente aos nossos Serviços Contactos Chief Executive (Director Administrativo) Tel.: 01225 428331 Complaints Manager (Gestor de Reclamações) Complaints@ruh-bath.swest.nhs.uk Tel.: 01225 821857 PALS Manager pals@ruh-bath.swest.nhs.uk

Leia mais

Contrato/Acordo CamSuzane

Contrato/Acordo CamSuzane Contrato/Acordo CamSuzane Leia este documento e envie-o (por upload) para o site como prova de que aceitou as disposições e condições nele contidas. Este acordo entra em vigor a partir da data de registo

Leia mais

Nota introdutória. Glossário

Nota introdutória. Glossário Nota introdutória Este documento propõe-se ser uma ferramenta com instruções e informação, que permitam aos beneficiários, conhecer os encargos que foram apurados para a declaração de IRS, no seguimento

Leia mais

Direção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística. Caderno de Encargos

Direção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística. Caderno de Encargos Direção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística Caderno de Encargos Caderno de Encargos Cláusula 1.ª Objeto 1. O presente caderno de encargos compreende as cláusulas

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS

REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais o Instituto de Gestão Financeira da Segurança

Leia mais

PROVEDOR DO CLIENTE DA AGA INTERNATIONAL SA SUCURSAL EM PORTUGAL REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO

PROVEDOR DO CLIENTE DA AGA INTERNATIONAL SA SUCURSAL EM PORTUGAL REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO PROVEDOR DO CLIENTE DA AGA INTERNATIONAL SA SUCURSAL EM PORTUGAL REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO ARTIGO 1.º PROVEDORIA DO CLIENTE 1. A provedoria do Cliente visa a disponibilização de uma solução de resolução

Leia mais

Fundo de Garantia Automóvel

Fundo de Garantia Automóvel Mestrado em Engenharia Automóvel / Pós-Laboral Legislação e Conflito Fundo de Garantia Automóvel Docente: Maria João Escudeiro Mauro Sousa 2140842 Tiago Fialho 2140843 15 de Junho 2015 Índice I Introdução...3

Leia mais

.1 Comportamentos esperados

.1 Comportamentos esperados Normas de Conduta Normas de Conduta Este documento contém normas de conduta que devem ser respeitadas pelos diretores, auditores, líderes e todos os empregados do Grupo Pirelli, e também por todos que

Leia mais

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 O Regulamento (UE) n.º 181/2011 (a seguir designado por «Regulamento») é aplicável a partir de 1 de março de 2013. Estabelece um conjunto

Leia mais

Departamento de Segurança Nacional (DHS) Queixa Referente a Escritório de Direitos e Liberdades Civis (CRCL) Versão Impressa (versão de 15/03/2011)

Departamento de Segurança Nacional (DHS) Queixa Referente a Escritório de Direitos e Liberdades Civis (CRCL) Versão Impressa (versão de 15/03/2011) Departamento de Segurança Nacional (DHS) Queixa Referente a Escritório de Direitos e Liberdades Civis (CRCL) Direitos Civis Versão Impressa (versão de 15/03/2011) O objetivo deste formulário é ajudá-lo

Leia mais

ENSINO SECUNDÁRI O (11º e 12º ano)

ENSINO SECUNDÁRI O (11º e 12º ano) Governo dos Açores Escola Básica e Secundária de Velas ENSINO SECUNDÁRI O (11º e 12º ano) 2014 NORMAS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DOS EXAMES FINAIS NACIONAIS/PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO

Leia mais

ACT DEVELOPMENT. Ficha de Inscrição para Participante ou Observador

ACT DEVELOPMENT. Ficha de Inscrição para Participante ou Observador ACT DEVELOPMENT Ficha de Inscrição para Participante ou Observador Introdução a ACT Development ACT Development é uma aliança global de igrejas que são membros do Conselho Mundial de Igrejas e as organizações

Leia mais

Regulamento Passatempo A HORA DO LOBO FINS-DE-SEMANA INATEL

Regulamento Passatempo A HORA DO LOBO FINS-DE-SEMANA INATEL Regulamento Passatempo A HORA DO LOBO FINS-DE-SEMANA INATEL Condições de participação: A Outsider Films, Lda, com sede na Rua Maria Luísa Holstein, n.º15, 1º, sala 17, 1300-388 Lisboa, organiza um Passatempo

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA FPP - FUNDAÇÃO PORTUGUESA DO PULMÃO 1/8

CÓDIGO DE CONDUTA FPP - FUNDAÇÃO PORTUGUESA DO PULMÃO 1/8 CÓDIGO DE CONDUTA DA FPP - FUNDAÇÃO PORTUGUESA DO PULMÃO Lisboa, Julho de 2015 1/8 I - ÂMBITO Artigo Primeiro Âmbito Pessoal O presente Código integra um conjunto de regras e princípios gerais de ética

Leia mais

Guia de inscrição para o centro de testes computadorizados

Guia de inscrição para o centro de testes computadorizados Guia de inscrição para o centro de testes computadorizados Este guia de inscrição do IBLCE para um centro de testes computadorizados é para aqueles que: precisam marcar uma data para prestar seu exame

Leia mais