O SELFIE COMO EXPRESSÃO DE MODA E NARCISISMO CONTEMPORÂNEOS * The selfie as expression of contemporary fashion and narcissism

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O SELFIE COMO EXPRESSÃO DE MODA E NARCISISMO CONTEMPORÂNEOS * The selfie as expression of contemporary fashion and narcissism"

Transcrição

1 O SELFIE COMO EXPRESSÃO DE MODA E NARCISISMO CONTEMPORÂNEOS * The selfie as expression of contemporary fashion and narcissism Cláudia Cyléia de Lima ** (Centro Universitário UNINOVAFAPI-Teresina-PI) (Universidade Federal do Piauí - UFPI Teresina-PI) Resumo: Este artigo busca relacionar o selfie autorretrato compartilhado via mídias sociais à moda e ao narcisismo contemporâneos. Para tanto, fez-se uma revisão bibliográfica que liga este tipo de imagem aos pilares da moda contemporânea (LIPOVETSKY, 1989) e ao narcisismo descrito por Lasch (1983). A observação de selfies postados identifica aspectos objetivos e subjetivos que desencadeiam ou exacerbam o narcisismo: necessidade de aclamação pública, ilusão de celebridade, constante menção à moda, supervalorização do novo, e desejo de sucesso como um fim em si mesmo, entre outros. Palavras-chave: Selfie. Narcisismo. Moda contemporânea. Abstract: This paper aims to relate the selfie - self-portrait shared on social media - with contemporary fashion and narcisism. Therefore, we carried out a literature review that connects this type of image to the pillars of contemporary fashion (Lipovetsky, 1989) and narcisism described by Lasch (1983). The observation selfies posted identifies objective and subjective aspects that trigger or exacerbate narcissism: the need for public acclaim, celebrity illusion, constant fashion mention, new overvaluation, and desire to succeed as an end in itself, among others. Keywords: Selfie. Narcisism. Contemporary fashion. Introdução A sociedade de consumo impõe aos sujeitos contemporâneos a comunicação e a criação de estilos de vida muitas vezes imediatistas e efêmeros, marcados pela lógica do individualismo (MESQUITA, 2010, p.93) e pela valorização estética da vida cotidiana. * Trabalho desenvolvido sob a orientação do Professor Doutor Gustavo Fortes Said durante a disciplina Tópicos Especiais em Processos de Subjetivação I, ofertada em caráter especial/optativo no Programa de Mestrado em Comunicação da Universidade Federal do Piauí - UFPI, no período ** Designer de Moda, especialista em Gestão de Negócios da Moda pelo Centro Universitário UNINOVAFAPI; especialista em Direito Civil e Processual Civil pelo Centro de Ensino Unificado de Teresina-CEUT; professora do curso de Design de Moda do Centro Universitário UNINOVAFAPI e professora substituta do Curso de Moda, Design e Estilismo da Universidade Federal do Piauí - UFPI.

2 No contexto pós-moderno, a comunicação exerce poder de organização e mediação social, promovendo trocas simbólicas e estabelecendo valores, dentre os quais podemos citar a liberdade, a felicidade, o individualismo, o prazer, a autopreservação e a sobrevivência psíquica cuja incorporação, durante o século XX, caracterizam o que Lasch (1983) denominou de cultura do narcisismo. Nesta cultura, entre outras facetas, identifica-se a tênue separação entre vida pública e vida privada, bem como o esvaziamento do sentido de sucesso, onde este aparece como fim em si mesmo, no qual a aparência de vitória conta mais que a concretização do feito vitorioso ao contrário do que ocorria no século XIX, quando o progresso relacionava-se ao ideal de autodesenvolvimento, disciplina e abnegação. O sucesso esvaziado é pessoal e intransferível, depende da aclamação pública, do desejo de admiração e da aprovação de atributos pessoais. Estando cada vez mais ligada à aparência e a vaidade e à supervalorização do eu a cultura narcisista passa a ser ratificada não somente pela mídia, mas pela publicidade e pela moda, a qual costuma refletir as transformações socioeconômicas, culturais e tecnológicas ao longo dos tempos, sempre permeada pela subjetividade. Para Mesquita (2010, p.15): Os modos de se vestir, se adornar, de interferir sobre os corpos, são elementos que se compõem com os outros vetores, os quais produzem modos de ser, os modos de relação a si: as subjetividades. A subjetividade varia seus modelos dominantes, a partir da oscilação das forças que estão compondo e recompondo seus contornos. A Moda estetiza e apresenta muitos desses elementos interligados: moral, tecnologia, arte, religião, cultura, ciência, economia, natureza etc. O momento atual da moda, conceituado por Lipovetsky (1989) como moda consumada, traz como seus pilares a efemeridade, o esteticismo e o individualismo - fluxos intensamente presentes na sociedade contemporânea. A efemeridade relaciona-se à aceleração do tempo, também percebida nos discursos midiáticos da internet, da moda e da publicidade. O esteticismo privilegia e amplifica a era da imagem, enquanto o individualismo coaduna-se com o surgimento das tecnologias individualizantes, entre os quais podemos elencar desde os serviços personal até os perfis pessoais nas mídias sociais. Diante do paradigma da visibilidade, os acontecimentos legitimam-se ao serem compartilhados/visualizados por intermédio dos meios de comunicação. E os sujeitos, por sua vez,

3 frequentemente acabam adentrando a ordem discursiva midiática, criando mitos pessoais e dando-se a ver a partir das tecnologias da mídia. Atualmente, as mídias sociais mediam a criação desses mitos, onde não há só a simulação de um personagem, mas a edição deste, em busca de aceitação e reconhecimento. Entendidas como espaços para troca de informações, estas mídias também constituem locais de subjetividade, nos quais os sujeitos reinventam-se, mostrando-se da forma que desejam ser vistos (Sobrinho, 2014). Além disso, apresentam-se como meio de exibição/exaltação pessoal, em uma espécie de culto à própria imagem que traz particularidades análogas às propostas por Lasch em seu conceito de narcisismo contemporâneo, tais como o desejo de admiração e aprovação. Um dos exemplos mais representativos desta realidade corresponde ao selfie (autorretrato), que se tornou um verdadeiro fenômeno, tanto nas mídias como na vida cotidiana. Selfie, segundo o registro eletrônico do dicionário Oxford (2013), é uma fotografia de uma pessoa tirada por ela mesma, normalmente com um smartphone ou uma webcam, e compartilhada em alguma mídia social. A prática do autorretrato não é uma novidade, havendo registros na Pintura e até mesmo na Fotografia, estes a partir do início do século XX. Contudo, a palavra selfie só teria sido utilizada pela primeira vez em um fórum online australiano em Oito anos depois, segundo informações divulgadas pela mídia social Instagram, houve a primeira utilização de uma tag 1 com o termo. Na fotografia, feita por meio de um IPhone, a escritora Jennifer Lee exibe o próprio rosto e, junto à imagem, posta o comentário de que ama o seu novo suéter. 1 Etiquetas que referem-se a palavras relevantes; associadas ao símbolo # (cerquilha ou jogo-da-velha) dos teclados tornam-se as hashtags, que são amplamente utilizadas nas mídias sociais.

4 Figura 1 A escritora Jennifer Lee na primeira imagem com tag selfie. Fonte: Trata-se, assim, de uma transformação tecnológica do autorretrato praticada por pessoas que pertencem a uma cultura visual e que praticam uma cultura visual (SAITO; SOUZA, 2014, p.12). Constata-se, também, que até nas fotos mais antigas, há outro elemento a ser ponderado, além da exibição da própria imagem a moda. A moda surge nas fotografias e nos oferece informações visuais sobre a subjetividade dos seus protagonistas, especialmente no último exemplo, em que a escritora externa o desejo de mostrar às pessoas de sua rede social a peça de roupa, associada à satisfação pessoal, ao bem-estar e até mesmo a uma relação de amor com o objeto. Esta relação é uma característica da sociedade de consumo, onde a moda é um componente simbólico através do qual são assumidas identidades e subjetividades, em um processo de ressignificação dos objetos. Além disso, de acordo com Lipovetsky (1989, p.39): A moda não foi somente um palco de apreciação do espetáculo dos outros; desencadeou, ao mesmo tempo, um investimento de si, uma auto-observação estética sem nenhum precedente. A moda tem ligação com o prazer de ver, mas também com o prazer de ser visto, de exibir-se ao olhar do outro. Se a moda, evidentemente, não cria de alto abaixo o narcisismo, o reproduz de maneira notável, faz dele uma estrutura construtiva e permanente dos mundanos, encorajando-os a ocupar-se mais de sua representação-apresentação. Em se tratando de mídias sociais, observações empíricas denotam que os selfies podem ser considerados instrumentos de ratificação do narcisismo contemporâneo e, nesse contexto, os

5 objetos/produtos de moda oferecem ao narcisista várias possibilidades para edição e apresentação da própria imagem. Igualmente é possível afirmar que o selfie relaciona-se às características da própria moda contemporânea, bem como do narcisismo expressado nos dias de hoje. Essas e outras relações pretendem ser estudadas, de forma resumida, no decorrer deste trabalho. Selfie, moda e narcisismo contemporâneos De acordo com o que foi mencionado anteriormente, a prática do selfie conforme a conhecemos hoje começou a ganhar espaço a partir de publicações em mídias sociais, ocorridas em um contexto pós-moderno marcado pela cibercultura, definida por Lévy (1999, p.17) como o conjunto de técnicas (materiais e intelectuais), de práticas, de atitudes, de modos de pensamento e de valores que se desenvolvem juntamente com o crescimento do ciberespaço. As tecnologias midiáticas têm permitido a um grande número de pessoas a projeção de suas imagens tanto no ciberespaço como na comunicação entre dois ou mais dispositivos móveis da maneira que lhes parecer mais conveniente. Com frequência são criados (e divulgados pela publicidade) novos aparelhos e aplicativos que possibilitam a troca rápida de informações visuais. A presença dos dispositivos móveis e das mídias na vida cotidiana alcançou grandes proporções; o tempo e a linguagem da internet passaram a ditar comportamentos, a criar identidades e subjetividades diversas, e a fazer com que os sujeitos apresentem-se do modo através do qual querem ser vistos pelos demais. Nesse sentido faz-se pertinente afirmar que muitos aspectos da cibercultura tornaram-se moda, partindo do conceito de moda como estrutura social centrada no presente. Tal estrutura, contudo, recicla elementos do passado, não se limitando só às roupas, mas com uma lógica que anexa objetos e territórios variados, coincidindo com o desenvolvimento da sociedade de consumo e de comunicação de massa 2. 2 Lipovetsky, o filósofo da moda. Entrevista concedida por Gilles Lipovetsky a Tarcísio D Almeida. Disponível em: Acesso em

6 Os exemplos de autorretratos do passado elencados na introdução deste artigo demonstram como antigas fórmulas podem ser reinterpretadas pela moda de cada período histórico. A moda na atualidade, em sua condição de fato social total, abrange todas as dimensões da sociedade econômica, social, cultural e todos os indivíduos, independentemente da raça, da crença, da classe social, do gênero, da idade (PEREIRA, 2004, p. 63). Desse modo, também relaciona-se à mídia na produção de imagens, divulgação de ideias e estímulo ao consumo. Os pilares da moda contemporânea permeiam o universo das mídias sociais pelo simples fato de serem características da própria época em que vivemos, e por igualmente incentivarem o ato de consumir imagens, ideias e produtos. No referido universo tudo é novo, efêmero e passível de substituição; as imagens e ideais estéticos inalcançáveis pela maioria dos usuários são perseguidos; e o individualismo é cultuado como um verdadeiro estilo de vida. As redes sociais online representam as relações entre as pessoas na contemporaneidade, e, de acordo com Bauman (2001) estas relações são feitas e mantidas vivas por duas atividades diferentes: conectar e desconectar. No entanto, o compartilhamento constitui uma das bases da cultura visual contemporânea (SAITO; SOUZA, 2014, p.12), na qual existe a disseminação instantânea de múltiplas imagens, que se incorporam à vida cotidiana e passam a fazer parte dela. Conforme descreveu Debord (2011), encenamos o nosso próprio espetáculo, e as nossas relações sociais passam a ser mediadas pelas imagens que visualizamos/compartilhamos, e hoje estão entre elas os selfies. Seria razoável afirmar, portanto, que a experiência de mundo passaria a ser vivenciada por meio das inúmeras interações realizadas e, no caso, as fotografias publicadas constituiriam uma forma de apreender a realidade. E melhor: compartilharíamos estas experiências com maior número possível de pessoas, presentes em nossas redes de amigos. Contudo, fazer um autorretrato e oferecê-lo a um número indeterminado de pessoas subverte não somente a estética envolvida na questão, mas a própria experiência da fotografia. Primeiro porque perdemos o controle sobre a nossa própria imagem e aquele retrato, ao se multiplicar em computadores, tablets e telefones celulares, passa a não ser mais nosso, abrindo a possibilidade para manipulação e usos diversos por quem tiver acesso a ele. Segundo porque, em consonância com o pensamento de Baudrillard (2011), a transformação da comunicação em espetáculo nos tornou incapazes de vivenciar experiências reais, pois tudo é vivido anteriormente de forma virtual. E já não podemos imaginar quanta virtualidade existe em nossas representações do mundo.

7 É certo que o selfie realmente traz consigo a citada ideia de compartilhamento. Todavia, tratase de um compartilhar que tem o objetivo de causar no outro um sentimento de adesão. Por conseguinte, começa a desaparecer o elemento comunicacional de interação com o outro, que é necessário apenas para dizer algo que já se suspeita sobre si mesmo. Na linguagem das mídias sociais, para curtir o que está sendo divulgado. Embora dividido com demais usuários das redes online, o selfie possui esse poder de transformar o sujeito em objeto apagando o contexto e a figura do outro, positivada para autorizar o que está sendo mostrado em determinada imagem. A contradição reside no fato de que a presença do outro no processo de comunicação reduz-se à legitimidade que aquele pode dar às mensagens postadas, quase uma autorização da felicidade exposta na tela e/ou display. E nem é necessário ir muito longe para identificar esta realidade. Basta que observemos os selfies publicados nas mídias sociais a que temos acesso. Muitos dos retratos são tirados em frente a espelhos, como um reflexo de si mesmo que, por sua vez, é refletido pela fotografia produzida. 3 Outras fotos não possuem um cenário ou plano de fundo, simplesmente o rosto da pessoa que se fotografa toma todo o espaço visível, com um único e exclusivo protagonista: a figura que se mostra e que, certamente, buscou o ângulo ideal para ser vista e curtida pelo maior número possível de seguidores. Muitos destes protagonistas aproximam-se do narcisista laschiano, que busca a aparência de sucesso dissociada da experiência e do trabalho, como se houvesse resultados sem que fosse preciso haver um processo. O selfie que recebe curtidas e comentários positivos supre o desejo de admiração do narcisista, o qual prefere ser invejado a ser respeitado (Lasch, 1983). Dados que podem comprovar este fenômeno vêm de uma pesquisa realizada em 2012 pela Universidade Homboldt de Berlim, que apontou o Instagram como a mídia que mais causava depressão. Segundo a pesquisa, o sofrimento origina-se nas comparações entre os perfis, afetando a autoestima dos usuários. Além do chamado efeito espiral : ao invejar a foto de alguém, o usuário procura tirar uma foto na qual pareça mais feliz. Outro dado afirma que as pessoas gastam muito tempo montando uma imagem bonita e escolhendo o melhor filtro e não percebem o tempo investido na rede 4. 3 SAID, Gustavo. Tópicos Especiais em Processos de Subjetivação I. Universidade Federal do Piauí Programa de Mestrado em Comunicação. Disciplina optativa período Notas de aula. 4 Instagram é apontado como rede social que mais causa depressão. Disponível em: Acesso em:

8 A imagem ideal é uma nuance muito explorada no fenômeno selfie. Com a popularização do Instagram, pessoas comuns passaram a acompanhar o cotidiano e o estilo de vida dos famosos nacionais e internacionais, tendo a possibilidade de parecer mais próximos dos seus ídolos, até mesmo enviando mensagens a eles. Figura 2 Selfie da atriz brasileira Ísis Valverde em seu perfil no Instagram Fonte: Da mesma forma, celebridades procuram usar as mídias para ganhar popularidade e ficar mais próximas dos fãs. Essa aproximação pode provocar a inveja mencionada no estudo citado, mas também aumenta autoestima do narcisista, o qual liga-se a pessoas admiradas, cuja aceitação almeja e cuja imagem quer imitar. Na imagem da atriz brasileira Isis Valverde na mídia social Instagram (Fig.2), comentários giram em torno de manifestações sobre a sua forma física, merecendo destaque a garota que diz quero ser assim e ter essa barriga. Para Nascimento: Signos de beleza e juventude fazem do narcisismo um fenômeno social, e gerando uma nova forma de indivíduo que, não obstante possa estar inserido na normalidade, ou seja, no tipo psicológico médio e comum de nossa sociedade, sofre de ansiedades típicas do narcisismo patológico. [...] O investimento do narcisista contemporâneo volta-se para uma imagem constituída a partir de referenciais externos determinados pela indústria cultural e pelo espetáculo (2011, p.100).

9 A indústria das celebridades, vinculada aos interesses mercadológicos da mídia de massa, alia-se a outras indústrias e produtos culturais dos quais depende (Campbell; Twenge,2009): moda, cosméticos e quaisquer produtos/procedimentos que auxiliem a busca do corpo perfeito. Dentro da cultura corporificada, o corpo é midiatizado e submetido à visibilidade obrigatória 5. Discursos publicitários de elevação dos indivíduos transformam os sujeitos em mídias e objetos de consumo. Figura 3 Selfie da atriz brasileira Bruna Marquezine em seu perfil no Instagram Fonte: Na figura 3, a também atriz Bruna Marquezine compartilha, via Instagram, um selfie feito em frente ao espelho do hotel no qual estava hospedada na cidade de Belém-PA, com a seguinte legenda: Prontinha!!! E com esmalte lindo da minha coleção #EsmaltesBrunaMarquezine #Ludurana #Belém, fazendo a divulgação dos produtos que acabara de lançar em parceria com uma marca de esmaltes. Enquanto isso, nos comentários, uma seguidora quer saber de onde é o vestido usado pela atriz. Este é um exemplo de como o autorretrato compartilhado na Internet pode ter afinidade com a indústria da moda, e como provocam no público em geral a identificação com os sujeitos midiáticos. Para Lasch, a mídia intensifica os sonhos narcisistas de fama e glória, encoraja o homem comum a identificar-se com as estrelas e a odiar o rebanho, e torna cada vez mais difícil para ele aceitar a banalidade da existência cotidiana (p.43). Além disso, as relações parassociais são uma das 5 SAID, Gustavo. Tópicos Especiais em Processos de Subjetivação I. Universidade Federal do Piauí Programa de Mestrado em Comunicação. Disciplina optativa período Notas de aula.

10 peculiaridades do narcisista contemporâneo. Em face da sua dificuldade em manter relacionamentos reais, prefere forjar ligações com quem irradia celebridade. Individualistas ao extremo, os narcisistas contemporâneos praticam a ética da autopreservação e da sobrevivência psíquica, conceitos também mencionados por Lasch. Desse modo, possuem uma relação com o tempo em que o agora é o momento mais importante. Desparecem os questionamentos relativos aos feitos do passado e projetos para o futuro, sobrando apenas a necessidade de aceitação pelo outro, mas sem que este ganhe um papel importante na vida do narcisista. O envolvimento com outras pessoas é, antes de tudo, uma ameaça a uma visão de mundo maquiada e à superficialidade dos relacionamentos. O outro, imprescindível para o exercício da comunicação e da subjetividade, aparece esvaziado. Até nos selfies feitos em grupo, a ideia parece ser a de demonstrar pertencimento a uma confraria restrita, onde todos compartilham da mesma alegria forjada, do mesmo estilo de vida e da mesma subjetividade, como se fossem um só rosto em um selfie tirado em frente ao espelho. Nesta conjuntura de supervalorização do eu, da profusão de imagens e da cultura de consumo, a moda ganha ainda mais efemeridade, oferecendo produtos que se adaptam ao que se quer ter ou apresentar como personagens imagéticos (Mello, 2014), que podem facilmente figurar em inúmeros selfies, tornando-se também uma forma de expressão do narcisismo. Considerações finais Durante esse estudo, buscou-se analisar, a partir de uma breve revisão bibliográfica, a proposição de que o compartilhamento dos autorretratos conhecidos como selfies por meio de mídias sociais pode ser encarado como uma das formas de expressão da moda e do narcisismo contemporâneos. Partindo do paradigma da visibilidade, constatou-se que a comunicação atualmente ocupa um espaço distinto, organizando as relações sociais. A sociedade organizada a partir das trocas simbólicas elevou a vida cotidiana ao patamar de espetáculo, no qual os limites entre público e privado estão cada vez mais confusos. Igualmente ocorreu, ao longo dos anos, uma mudança no sentido de tempo, transformando pensamentos, hábitos de trabalho e a definição de sucesso. Estas transformações culminaram, entre outras implicações, no individualismo exagerado, no culto às aparências e na preocupação extrema

11 com o momento vivido. Levaram, ainda, à ascensão de valores dentre os quais se destacam a liberdade, o prazer, o bom humor, a juventude, a paz de espírito todos apontando para o que Lasch chamaria de ética da autopreservação e sobrevivência psíquica (1983). Com a consolidação da cibercultura, inserida na cultura de consumo, a Internet passou a ser um campo de criação e expressão de subjetividades. Mais recentemente, as mídias sociais tornaramse palco da espetacularização da vida cotidiana, em uma profusão de imagens compartilhadas instantaneamente via computadores e dispositivos móveis. A visibilidade contemporânea, desse modo, passa a legitimar os fatos e eventos através de publicação/visualização destes. Este processo de transformação do dia a dia em espetáculo afeta um grande número de pessoas e, de certa forma, pressiona os indivíduos a possuir redes sociais online. Não ter um perfil na Internet, não compartilhar sua intimidade na rede pode até mesmo limitar a importância da pessoa em outros espaços sociais ou fazer com que ela pareça ultrapassada, parada no tempo. Nestes perfis, pode-se não só publicar ideias, interesses em comum com a rede, mas editar a própria imagem, fazer detalhada seleção autobiográfica, escolher a melhor foto, mostrar apenas o conveniente a ser mostrado, enfim, trata-se de um verdadeiro exercício de individualismo, no qual as imagens de si mesmo que esperam curtidas e comentários positivos ocupam espaço privilegiado. Em 2010, a primeira fotografia com a tag selfie é postada na mídia social Instagram. Esta foto, compartilhada pela escritora Jennifer Lee, trazia uma legenda que fazia menção ao amor que esta usuária nutria por uma nova peça de roupa. A partir de então os selfies, em sua maioria feitos por meio de webcam e smartphones, se multiplicaram, surgindo em diversas situações e publicados cada vez mais rápido. A efemeridade faz parte das características da sociedade de consumo, que é mantida pela insatisfação e pela ressignificação dos objetos. Assim, não demorou muito para que o selfie adquirisse o caráter de moda, uma vez que esta não se limita apenas à roupa, mas a todo um contexto social que anexa territórios variados, onde estão os meios de comunicação de massa e as tecnologias. Percebeu-se, portanto, que os pilares da moda contemporânea citados por Gilles Lipovetsky em seu conceito de moda consumada, quais sejam: a efemeridade, o individualismo e o esteticismo (1989), relacionam-se à própria natureza do ato de produzir e compartilhar selfies. Além disso, a cada momento vão surgindo novidades que podem incrementar este ato, como os bastões denominados monopods, acionados via tecnologia Bluetooth, e que servem para capturar um ângulo maior de paisagem, e mais pessoas possam aparecer no quadro do selfie.

12 A indústria da moda, da estética, do turismo, entre outras, também vêm lucrando com os autorretratos, especialmente quando estes são feitos por celebridades, que utilizam as mídias sociais como espaço de autopromoção e divulgação publicitária dos produtos que assinam. Nesse sentido, utilizando as ideias de Christopher Lasch (1983), verificou-se que o fenômeno selfie constitui uma das formas de expressão do narcisismo contemporâneo. A partir da revisão bibliográfica e observação de fotografias compartilhadas em mídias sociais, identificaram-se peculiaridades que levam às considerações mencionadas a seguir. O narcisista contemporâneo pretende superar suas inseguranças com a visão do seu eu refletido na atenção alheia. Tal atenção é medida a partir dos comentários positivos e da quantidade de pessoas que curtem as imagens, ou seja, que validam a felicidade exposta na fotografia. No entanto, conforme discorrido no corpo deste trabalho, o outro é uma figura apagada no contexto do selfie. Com a transformação do sujeito em objeto, depende-se da figura do outro apenas para a validação da própria autoestima. Esvazia-se, portanto, o processo comunicacional e o exercício das subjetividades. O compartilhamento é uma das bases do selfie, mas a obsessão do indivíduo consigo mesmo denota a fragilidade do eu e abre espaço para que o narcisismo se instale (SOBRINHO, 2014), tornando o indivíduo dependente da aprovação alheia apenas até certo ponto uma vez que a presença do outro pode interferir na sobrevivência psíquica do narcisista. Necessidade de aclamação pública e de aprovação dos atributos pessoais, desejo de admiração, ilusão de celebridade, supervalorização do novo e da juventude, e a vontade de obter o sucesso como um fim em si mesmo são particularidades narcísicas que podem ser identificadas nos selfies. A perseguição de um ideal do corpo perfeito ou tido como perfeito pelos padrões vigentes e o culto às aparências também integram este rol. É quando surge novamente a última moda, que precisa ser retratada pelo narcisista e nos leva à recordação do primeiro selfie compartilhado no Instagram, uma referência ao amor que a usuária da mídia sentia pelo seu novo suéter. Ou aos perfis de celebridades, repletos de selfies no espelho que mostram o look do dia, que a própria moda já convencionou mudar a denominação para outfit of the day ou, na linguagem das hashtags, #ootd. Em face das observações realizadas, infere-se que as mídias sociais são o cenário ideal para a criação de mitos pessoais e amplificação de personalidades narcísicas. Na cultura pós-moderna, marcada pelo consumo e pelo individualismo exacerbado, identificam-se aspectos mercadológicos nas próprias relações entre as pessoas, transformando os sujeitos em mídias.

13 Torna-se possível afirmar, portanto, que os autorretratos compartilhados contribuem para a proliferação da cultura narcisista, e guardam estreitas relações com outros aspectos da sociedade contemporânea, como a moda e a publicidade, por exemplo. Desse modo, o narcisismo contemporâneo passa a contar com condições subjetivas e objetivas que o desencadeiam ou exacerbam, entre os quais figuram as próprias mídias sociais, o selfie e a moda. Referências Livros: BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo.lisboa-portugal: Edições 70 Arte & Comunicação, DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, LASCH, Christopher. A cultura do narcisismo: a vida americana numa era de esperanças em declínio. Rio de Janeiro: Imago, LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, A era do vazio: ensaios sobre o individualismo contemporâneo. Barueri: Manole, MESQUITA, Cristiane. Moda contemporânea: quatro ou cinco conexões possíveis. São Paulo: Editora Anhembi Morumbi, TWENGE, J.M; CAMPBELL, W.K. The narcisism epidemic living in the age of entitlement. New York: Free Press, Notas de aula: SAID, Gustavo. Tópicos Especiais em Processos de Subjetivação I. Universidade Federal do Piauí Programa de Mestrado em Comunicação. Disciplina optativa período Notas de aula. Anotações. Revistas ou periódicos: PEREIRA, Cláudia da Silva. Fabricando Sonhos: ascensão social no mercado da moda. Revista Interdisciplinar de Marketing. V.3, n.1. Rio de Janeiro, RJ, 2004 (p )

14 SOBRINHO, Patrícia Jerônimo. Meu selfie : a representação do corpo na rede social Facebook. Artefactum - revista de estudos em Linguagens e Tecnologias. V.1, n.1. Rio de Janeiro, RJ, 2014 (p ). SOUZA, Marco André Vinhas de; SAITO, Cecília Norito Iko. O indivíduo como mídia: as tecnologias cotidianas e a personalização midiática. Revista Temática Universidade Federal da Paraíba NAMID/UFPB. V. 10. João Pessoa-PB, 2014 (p ). Dissertação: NASCIMENTO, Mérly Luane Vargas do. O narcisismo contemporâneo: da barbárie social à tirania íntima f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) PPI - Universidade Federal de Maringá, Maringá-PR, Sites: Fotografia de 1926 mostra casal usando o primeiro 'pau de selfie'. Disponível em: <http://www.tribunadabahia.com.br/2014/12/25/fotografia-de-1926-mostra-casal-usando-primeiro-paude-selfie>. Acesso em Instagram é apontado como rede social que mais causa depressão. Disponível em: <http://olhardigital.uol.com.br/noticia/instagram-e-apontado-como-rede-social-que-mais-causadepressao/36364>. Acesso em: Is this the world's first amateur selfie? Woman captured her own image in 1900 with Kodak Box Brownie camera. Disponível em: <http://www.dailymail.co.uk/f /article /black-whiteselfies-dating-1800s-shed-light-history-self-portrait.html#ixzz3tby4oowl>. Acesso em Registros Curiosos #1: Uma "selfie" tirada em Disponível em: <http://www.historiailustrada.com.br/2014/04/registros-curiosos-1-uma-selfietirada.html#.vpmrnueye8u>. Acesso em Saiba quem fez o primeiro post autorretrato com a tag 'selfie' no Instagram. Disponível em: <http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/11/saiba-quem-fez-o-primeiro-post-autorretrato-comtag-selfie-no-instagram.html>. Acesso em:. SANTOS, Marco. Selfie-service: breve história dos selfies. Disponível em: <http://www.bitaites.org/internet/selfie-service>. Acesso em Trabalho apresentado em evento: MELLO, Nádia. Moda e narcisismo na cultura contemporânea. In: 10º Colóquio de Moda 7ª Edição Internacional; 1º Congresso Brasileiro de Iniciação Cientifica em Design e Moda. Anais. Caxias do Sul-RS: Colóquio de Moda, 2014.

ANIMAL PRINT E MODELOS EXPLICATIVOS DE CONSUMO SIMBÓLICO

ANIMAL PRINT E MODELOS EXPLICATIVOS DE CONSUMO SIMBÓLICO ANIMAL PRINT E MODELOS EXPLICATIVOS DE CONSUMO SIMBÓLICO Animal print and symbolic consumption explaining models Garcia, Maria Carolina; Doutora; Centro Universitário Belas Artes, maria.garcia@belasartes.br

Leia mais

http://crayonstock.com/19707 Zoonar 12 SEGREDOS PARA CONQUISTAR CLIENTES COM IMAGENS

http://crayonstock.com/19707 Zoonar 12 SEGREDOS PARA CONQUISTAR CLIENTES COM IMAGENS http://crayonstock.com/19707 Zoonar 12 SEGREDOS PARA CONQUISTAR CLIENTES COM IMAGENS Constantemente, somos bombardeados por incontáveis conteúdos visuais. Imagens ilustram websites, redes sociais, folders,

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

Narcisismo e cultura contemporânea

Narcisismo e cultura contemporânea Narcisismo e cultura contemporânea Flávia Ferro Costa Veppo José Juliano Cedaro A cultura hedonista, marcada pela ilusão na satisfação rápida e sempre possível, evidencia a ausência do elemento de barramento

Leia mais

MEU SELFIE : A REPRESENTAÇÃO DO CORPO NA REDE SOCIAL FACEBOOK

MEU SELFIE : A REPRESENTAÇÃO DO CORPO NA REDE SOCIAL FACEBOOK MEU SELFIE : A REPRESENTAÇÃO DO CORPO NA REDE SOCIAL FACEBOOK RESUMO Patrícia Jerônimo Sobrinho (professoremacao@gmail.com) http://lattes.cnpq.br/4013728117052720 Registrar imagens com câmeras digitais,

Leia mais

Moda e Internet: Uma reflexão sobre a ascensão dos blogs de moda no Ceará. Moema Mesquita da Silva Braga 1 Rafael Alves 2

Moda e Internet: Uma reflexão sobre a ascensão dos blogs de moda no Ceará. Moema Mesquita da Silva Braga 1 Rafael Alves 2 Moda e Internet: Uma reflexão sobre a ascensão dos blogs de moda no Ceará. Moema Mesquita da Silva Braga 1 Rafael Alves 2 Resumo: Com a ascensão das novas tecnologias muitos campos de saber estão aos poucos

Leia mais

Consumption of fashion, culture and city: a look at the Vila Madalena (SP)

Consumption of fashion, culture and city: a look at the Vila Madalena (SP) CONSUMO DE MODA, CULTURA E CIDADE: UM OLHAR PARA A VILA MADALENA (SP) Consumption of fashion, culture and city: a look at the Vila Madalena (SP) Resumo Nunes, Luisa da Conceição; Graduando; Universidade

Leia mais

Documento de Visão. Sistema de Monitoria Online do Ciências Aplicadas - MoLCA

Documento de Visão. Sistema de Monitoria Online do Ciências Aplicadas - MoLCA Documento de Visão Sistema de Online do Ciências Aplicadas - MoLCA Versão do documento: 1.0 Data de atualização: 25 de setembro de 2008 1 Sumário 1. Introdução... 3 1.1. Resumo... 3 1.2. Escopo... 3 2.

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MÍDIAS SOCIAIS CLUBE TURISMO

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MÍDIAS SOCIAIS CLUBE TURISMO MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MÍDIAS SOCIAIS CLUBE TURISMO INTRODUÇÃO: As mídias sociais estão cada vez mais presentes no dia-a-dia das pessoas, oferecendo soluções e transformando as relações pessoais e comerciais.

Leia mais

Narcisismo: Uma Análise da Página do Facebook do Jogador Cristiano Ronaldo 1. Maria do Socorro de Sousa Cruz 2

Narcisismo: Uma Análise da Página do Facebook do Jogador Cristiano Ronaldo 1. Maria do Socorro de Sousa Cruz 2 Narcisismo: Uma Análise da Página do Facebook do Jogador Cristiano Ronaldo 1 Resumo Maria do Socorro de Sousa Cruz 2 Universidade Federal do Piauí, Teresina, Piauí As redes sociais potencializam a cultura

Leia mais

TEM QUE LER PRA SABER * : A MODA DOS ANOS 1990 EM IMAGENS DA REVISTA CAPRICHO

TEM QUE LER PRA SABER * : A MODA DOS ANOS 1990 EM IMAGENS DA REVISTA CAPRICHO TEM QUE LER PRA SABER * : A MODA DOS ANOS 1990 EM IMAGENS DA REVISTA CAPRICHO Have to read to find out: the 1990 s fashion in Capricho magazine images Lima, Cláudia Cyléia de; Especialista; Centro Universitário

Leia mais

203.000 146.000 1.420.000 2ª. BOA FORMA é lider disparada do segmento e é Corpo a Corpo, principal concorrente

203.000 146.000 1.420.000 2ª. BOA FORMA é lider disparada do segmento e é Corpo a Corpo, principal concorrente BOA FORMA é lider disparada do segmento e é Corpo a Corpo, principal concorrente 5x maior que BOA FORMA vende mais de circulação garantida de BOA FORMA fala com mais de Entre as revistas femininas, é a

Leia mais

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Departamento de Comunicação Social CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Aluno: Juliana Cintra Orientador: Everardo Rocha Introdução A publicidade

Leia mais

PSICOLOGIA E DIREITOS HUMANOS: Formação, Atuação e Compromisso Social A INFLUÊNCIA DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO COTIDIANO

PSICOLOGIA E DIREITOS HUMANOS: Formação, Atuação e Compromisso Social A INFLUÊNCIA DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO COTIDIANO A INFLUÊNCIA DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO COTIDIANO Dennys Rodrigues de Sousa* (Graduando em psicologia pela Faculdades Metropolitanas de Maringá - UNIFAMMA, Maringá-PR, Brasil); André Henrique Scarafiz,

Leia mais

O Eu e os outros na construção do self através do Instagram

O Eu e os outros na construção do self através do Instagram O Eu e os outros na construção do self através do Instagram Nyara Oliveira CAVALCANTE 1 Rafael Rodrigues da COSTA 2 Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE Resumo: Quando Erving Goffman escreveu A

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

Como organizar o seu Concurso de Fotografia

Como organizar o seu Concurso de Fotografia Livro branco Como organizar o seu Concurso de Fotografia 07/ 2014 www.kontestapp.com Introdução Seja você um Community Manager zelando pela atividade da sua página Facebook ou um chefe de empresa que deseja

Leia mais

Fotografe Curitiba - Uma Campanha de Incentivo ao Turismo

Fotografe Curitiba - Uma Campanha de Incentivo ao Turismo Fotografe Curitiba - Uma Campanha de Incentivo ao Turismo Daniel de Castro Brainer Pereira PIRES 1 Thatiane Oliveira de ALENCAR 2 Alessandra Oliveira ARAÚJO 3 Universidade de Fortaleza, Fortaleza, CE RESUMO

Leia mais

5.1. As significações do vinho e o aumento de seu consumo

5.1. As significações do vinho e o aumento de seu consumo 5 Conclusão Para melhor organizar a conclusão desse estudo, esse capítulo foi dividido em quatro partes. A primeira delas aborda as significações do vinho e como elas se relacionam com o aumento de consumo

Leia mais

POR TRÁS DA LENTE E DIANTE DA CÂMERA A EVOLUÇÃO DO RETRATO

POR TRÁS DA LENTE E DIANTE DA CÂMERA A EVOLUÇÃO DO RETRATO 1 POR TRÁS DA LENTE E DIANTE DA CÂMERA A EVOLUÇÃO DO RETRATO RESUMO Colégio Londrinense Alunos (as): Laís Knott Oliveira Silva; Clóvis Begnozzi Neto; Lucas Assis; Rafael Noriaki Yamamoto Orientadora: Wiviane

Leia mais

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO 1. DIMENSÃO PEDAGÓGICA 1.a) ACESSIBILIDADE SEMPRE ÀS VEZES NUNCA Computadores, laptops e/ou tablets são recursos que estão inseridos na rotina de aprendizagem dos alunos, sendo possível

Leia mais

Game Design e Tecnologia na Incubadora

Game Design e Tecnologia na Incubadora Game Design e Tecnologia na Incubadora INCUBADORA versão final Introdução Inspirado em jogos de simulação como The Sims, INCUBADORA versão final é um espetáculo-jogo, que promove a reflexão sobre os modos

Leia mais

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Introdução às Mídias Sociais O que fazer com as mídias sociais Tipos de ações As principais mídias sociais Dicas e considerações finais Autor Felipe Orsoli 1 SUMÁRIO 1

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES Silvia Eula Muñoz¹ RESUMO Neste artigo pretendo compartilhar os diversos estudos e pesquisas que realizei com orientação do Prof. Me. Erion

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 PROJETO "DIREITO E CINEMA"

Mostra de Projetos 2011 PROJETO DIREITO E CINEMA Mostra de Projetos 2011 PROJETO "DIREITO E CINEMA" Mostra Local de: Cornélio Procópio. Categoria do projeto: Projetos finalizados. Nome da Instituição/Empresa: (Campo não preenchido). Cidade: Cornélio

Leia mais

Projeto Leve Amor. Bruno Barros de Souza 1 Helber Lopes de Souza 2 Leticia Abreu 3 AEV Associação Educacional de Vitória.

Projeto Leve Amor. Bruno Barros de Souza 1 Helber Lopes de Souza 2 Leticia Abreu 3 AEV Associação Educacional de Vitória. Projeto Leve Amor Bruno Barros de Souza 1 Helber Lopes de Souza 2 Leticia Abreu 3 AEV Associação Educacional de Vitória. Vitória - ES RESUMO Exposição de conteúdo referente a idealização de um projeto

Leia mais

IMAGEM TÉCNICA, PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADE E PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS: DESAFIOS METODOLÓGICOS

IMAGEM TÉCNICA, PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADE E PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS: DESAFIOS METODOLÓGICOS IMAGEM TÉCNICA, PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADE E PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS: DESAFIOS METODOLÓGICOS Aluno: Lucas Boscacci Pereira Lima da Silva Orientadora: Solange Jobim e Souza Introdução Câmera como Instrumento

Leia mais

Cinco pontos sobre redes sociais na Internet

Cinco pontos sobre redes sociais na Internet Cinco pontos sobre redes sociais na Internet Por Raquel Recuero (*) Nos últimos anos, assistimos a um crescimento espantoso das chamadas tecnologias de comunicação. Essas tecnologias tornaram-se mais rápidas,

Leia mais

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias C/H Memória Social 45 Cultura 45 Seminários de Pesquisa 45 Oficinas de Produção e Gestão Cultural 45 Orientação

Leia mais

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Thaísa Fortuni Thaísa Fortuni 15 dicas de Mídias Sociais para Moda Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Sobre Thaísa Fortuni Publicitária por formação, escritora e empreendora digital. Trabalha

Leia mais

Arte como mercadoria: crítica materialista desde Benjamin. A comunicação propõe discutir a idéia de que entre Walter Benjamin e Siegfried Kracauer

Arte como mercadoria: crítica materialista desde Benjamin. A comunicação propõe discutir a idéia de que entre Walter Benjamin e Siegfried Kracauer Arte como mercadoria: crítica materialista desde Benjamin Francisco Alambert 1 Resumen: A comunicação propõe discutir a idéia de que entre Walter Benjamin e Siegfried Kracauer formulou-se uma chave dialética

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO Garoto e Garota Triton 2016.

REGULAMENTO DO CONCURSO Garoto e Garota Triton 2016. REGULAMENTO DO CONCURSO Garoto e Garota Triton 2016. DA PROMOÇÃO O concurso foi idealizado e é realizado e promovido pela Triton Academia em parceria com a Assessoria de Imprensa de Flávio Lacerda, e tem

Leia mais

UNIP Universidade Paulista Estudos Políticos e Sociais

UNIP Universidade Paulista Estudos Políticos e Sociais SOCIEDADE E EDUCAÇÃO INTRODUÇÃO Citelli (2004) apresenta um ponto de vista acerca do momento vivido pela escola e, conseqüentemente, pela educação, bastante elucidativo: A escola está sendo pensada, assim,

Leia mais

Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH)

Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH) Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH) 15/07/2011 METALÚRGICO, 26 ANOS Não costumo fazer exame porque sinto meu corpo bom, ótimo. Nunca senti uma dor. Senti uma dor uma vez na

Leia mais

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 1 Índice Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 A Empresa Informações sobre a empresa, farmacêuticas responsáveis, instalações, diferenciais

Leia mais

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 (Orientador) Profa. Dra. Tatiana Machiavelli Carmo Souza 2 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Introdução USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho EEEFM Agenor Clemente dos Santos paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola

Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola Francisco Rolfsen Belda e-mail: belda@faac.unesp.br Danilo Leme Bressan e-mail: danilo.bressan@gmail.com.br

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE CATAGUASES - FIC /UNIS CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL

FACULDADES INTEGRADAS DE CATAGUASES - FIC /UNIS CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL FACULDADES INTEGRADAS DE CATAGUASES - FIC /UNIS CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: INCLUIR E SER INCLUÍDO PARA TRANSFORMAR A SOCIEDADE

Leia mais

O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO

O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Marly de Menezes Gonçalves, Doutoranda em Arquitetura pela FAU/USP FASM - Faculdade Santa Marcelina professora do

Leia mais

Introdução. Pra quem é esse ebook?

Introdução. Pra quem é esse ebook? Introdução Se você está lendo esse ebook é porque já conhece o potencial de resultados que o marketing digital e o delivery online podem trazer para a sua pizzaria. Bem como também deve saber que em pouco

Leia mais

CINEMA E PÓS-MODERNIDADE

CINEMA E PÓS-MODERNIDADE CINEMA E PÓS-MODERNIDADE Clarissa Souza Palomequé Urbano 2010 www.lusosofia.net Covilhã, 2009 FICHA TÉCNICA Título: Cinema e Pós-modernidade: Brilho eterno de uma mente sem lembranças e os relacionamentos

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2016 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO 2ª FASE

PROCESSO SELETIVO 2016 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO 2ª FASE PROCESSO SELETIVO 016 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO ª FASE INSTRUÇÕES AOS CANDIDATOS (LEIA COM ATENÇÃO) 1. NÃO ABRA ESTE CADERNO ANTES DE RECEBER AUTORIZAÇÃO.. Você dispõe de 4(quatro)

Leia mais

Uma nova visão do marketing pessoal: o marketing pessoal estratégico.

Uma nova visão do marketing pessoal: o marketing pessoal estratégico. Uma nova visão do marketing pessoal: o marketing pessoal estratégico. Posiciono o marketing pessoal num espaço de tempo e que eu denomino de as três eras do mesmo. A 1ª era, num tempo não muito distante,

Leia mais

5 Passos para vender mais com o Instagram

5 Passos para vender mais com o Instagram 5 Passos para vender mais com o Instagram Guia para iniciantes melhorarem suas estratégias ÍNDICE 1. Introdução 2. O Comportamento das pessoas na internet 3. Passo 1: Tenha um objetivo 4. Passo 2: Defina

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO MESTRADO: A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Organizações e Estratégia e Empreendedorismo e Mercado

Leia mais

Designer gráfico. elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade

Designer gráfico. elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade Rubens de Souza Designer gráfico O designer gráfico desenvolve projetos ou planejamentos a partir de elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade específica de atingir

Leia mais

Twitter. São Paulo (11) 4063 0165 Porto Alegre (51) 3092 0102 Recife (81) 4062 9373

Twitter. São Paulo (11) 4063 0165 Porto Alegre (51) 3092 0102 Recife (81) 4062 9373 Twitter Foque seus tweets no nicho de sua empresa. RELEVÂNCIA Poste fotos, links interessantes, RT de usuários Design do Avatar e do plano de fundo, fazem a diferença sim! Crie hashtags para as campanhas

Leia mais

Redes Sociais, SEO, Blog ou Adwords: O que devo usar para minha empresa?

Redes Sociais, SEO, Blog ou Adwords: O que devo usar para minha empresa? Redes Sociais, SEO, Blog ou Adwords: O que devo usar para minha empresa? Você já pensou em posicionar sua marca na internet? Construir um relacionamento com seu cliente é uma das formas mais eficazes de

Leia mais

MÉTRICA PARA MÍDIAS SOCIAIS UM MAR DE POSSIBILIDADES. Parte I. Dinamize

MÉTRICA PARA MÍDIAS SOCIAIS UM MAR DE POSSIBILIDADES. Parte I. Dinamize MÉTRICA PARA MÍDIAS SOCIAIS UM MAR DE POSSIBILIDADES Parte I Dinamize Primeira edição - 2011 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 VOCÊ DIGITAL... 4 TEMPO E ESPAÇO NO ONLINE... 6 O MUNDO MUDOU... 9 PRIMEIROS PASSOS...

Leia mais

NÖOS RESFEST é o festival da cultura pop de vanguarda em suas várias formas: cinema digital, música, design gráfico, arte e moda.

NÖOS RESFEST é o festival da cultura pop de vanguarda em suas várias formas: cinema digital, música, design gráfico, arte e moda. 2 NÖOS RESFEST é o festival da cultura pop de vanguarda em suas várias formas: cinema digital, música, design gráfico, arte e moda. Na sua 5ª edição no Brasil o NÖOS RESFEST tem duração de 3 dias e será

Leia mais

VOCÊ CONSOME O QUE? - CONSUMO, STATUS, RESÍDUOS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL GULLA, CLAUDIO EDUARDO 1 - UERJ. DUARTE, Luana 2 UERJ. SILVA, Tairis 3 UERJ

VOCÊ CONSOME O QUE? - CONSUMO, STATUS, RESÍDUOS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL GULLA, CLAUDIO EDUARDO 1 - UERJ. DUARTE, Luana 2 UERJ. SILVA, Tairis 3 UERJ VOCÊ CONSOME O QUE? - CONSUMO, STATUS, RESÍDUOS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL GULLA, CLAUDIO EDUARDO 1 - UERJ claudioeduardouerjped@gmail.com DUARTE, Luana 2 UERJ Luanycristine_87@hotmail.com SILVA, Tairis 3 UERJ

Leia mais

MANUAL 2ª CAMADA DE SEGURANÇA E NOVAS REGRAS DE CADASTRAMENTO

MANUAL 2ª CAMADA DE SEGURANÇA E NOVAS REGRAS DE CADASTRAMENTO Ministério da Justiça Secretaria Nacional de Segurança Pública Rede INFOSEG MANUAL 2ª CAMADA DE SEGURANÇA E NOVAS REGRAS DE CADASTRAMENTO REDE INFOSEG AGOSTO/2013 Ministério da Justiça, 2013 Página 1 de

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC CONSULTORIA SOLIDÁRIA: MODA BRECHÓ

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC CONSULTORIA SOLIDÁRIA: MODA BRECHÓ SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC CONSULTORIA SOLIDÁRIA: MODA BRECHÓ PARTICIPANTES: AMANDA CAROLINE COLOGNI - 060.115.469-00 FRANCIELE PEREIRA ANTUNES - 067.639.869-39 NAIARA DA ROSA PIRES

Leia mais

A INSERÇÃO DO MERCADO CHINÊS NAS CONFECÇÕES DO VESTUÁRIO CATARINENSES THE INTEGRATION OF CHINESE MARKET IN THE MANUFACTURE OF CLOTHING

A INSERÇÃO DO MERCADO CHINÊS NAS CONFECÇÕES DO VESTUÁRIO CATARINENSES THE INTEGRATION OF CHINESE MARKET IN THE MANUFACTURE OF CLOTHING A INSERÇÃO DO MERCADO CHINÊS NAS CONFECÇÕES DO VESTUÁRIO CATARINENSES Resumo THE INTEGRATION OF CHINESE MARKET IN THE MANUFACTURE OF CLOTHING DUARTE, Pauliane. (Especialização em Gestão da Produção do

Leia mais

Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki

Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki Por uma estética das imagens digitais: um olhar sobre Parallel, videoinstalação de Harun Farocki Jamer Guterres de Mello 1 Resumo Este trabalho pretende demonstrar de que forma as imagens digitais produzem

Leia mais

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail...

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... FACEBOOK Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... 8 Características do Facebook... 10 Postagens... 11

Leia mais

ÍNDICE... 1 DICAS DE INSTAGRAM... 4 QUEM É ANA TEX?... 5 CONTEÚDO DE ALTA QUALIDADE... 6 CONSISTÊNCIA NAS POSTAGENS... 7

ÍNDICE... 1 DICAS DE INSTAGRAM... 4 QUEM É ANA TEX?... 5 CONTEÚDO DE ALTA QUALIDADE... 6 CONSISTÊNCIA NAS POSTAGENS... 7 1 Índice ÍNDICE... 1 DICAS DE INSTAGRAM... 4 QUEM É ANA TEX?... 5 CONTEÚDO DE ALTA QUALIDADE... 6 QUAL É O VALOR QUE VOCÊ PODE OFERECER PARA A SUA AUDIÊNCIA?... 6 CONSISTÊNCIA NAS POSTAGENS... 7 VOCÊ PRECISA

Leia mais

Seminário GVcev. Gestão de Pessoas no Varejo: Gestão e Atitude como Diferenciais

Seminário GVcev. Gestão de Pessoas no Varejo: Gestão e Atitude como Diferenciais Seminário GVcev Gestão de Pessoas no Varejo: Gestão e Atitude como Diferenciais Oportunidades de melhoria na operação do gestor de pessoas Eduardo Ariel Grunewald 1 Desafios Índice 2 Evolução do varejo

Leia mais

ACERVOS FOTOGRÁFICOS HISTÓRICOS. Organização, Pesquisa e Usos de Documentos Visuais. Aline Lopes de Lacerda alopeslacerda@gmail.

ACERVOS FOTOGRÁFICOS HISTÓRICOS. Organização, Pesquisa e Usos de Documentos Visuais. Aline Lopes de Lacerda alopeslacerda@gmail. ACERVOS FOTOGRÁFICOS HISTÓRICOS Organização, Pesquisa e Usos de Documentos Visuais Aline Lopes de Lacerda alopeslacerda@gmail.com Parte I - Fotografia e valor documentário Parte II - A fotografia nos arquivos:

Leia mais

JESUS CALDEIRO PAULA FREIRE DORIVAL MATA-MACHADO CÉLIA SASSANO PRISCILLA CASELATTO A CORAGEM PARA MUDAR

JESUS CALDEIRO PAULA FREIRE DORIVAL MATA-MACHADO CÉLIA SASSANO PRISCILLA CASELATTO A CORAGEM PARA MUDAR JESUS CALDEIRO PAULA FREIRE DORIVAL MATA-MACHADO CÉLIA SASSANO PRISCILLA CASELATTO A CORAGEM PARA MUDAR COLOCANDO O CONSUMIDOR NO CENTRO DO REPOSICIONAMENTO ESTRATÉGICO DA COMPANHIA Trabalho apresentado

Leia mais

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Claudia Maria da Cruz Consultora Educacional FEVEREIRO/2015 CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A ênfase na operacionalização escrita dos documentos curriculares municipais é

Leia mais

As crianças, a cultura. Lisandra Ogg Gomes

As crianças, a cultura. Lisandra Ogg Gomes As crianças, a cultura lúdica e a matemática Lisandra Ogg Gomes Aprendizagens significativas: Como as crianças pensam o cotidiano e buscam compreendê-lo? (Caderno de Apresentação, 2014, p. 33). O que as

Leia mais

22 táticas comprovadas para aumentar seu engajamento no Facebook. Como explodir seu engajamento com dicas incrivelmente simples!

22 táticas comprovadas para aumentar seu engajamento no Facebook. Como explodir seu engajamento com dicas incrivelmente simples! Facebook Marketing 22 táticas comprovadas para aumentar seu engajamento no Facebook Como explodir seu engajamento com dicas incrivelmente simples Introdução 22 táticas comprovadas para aumentar seu engajamento

Leia mais

A NU SKIN É UMA EMPRESA SOCIAL REGRAS DA NU SKIN PARA UTILIZAÇÃO DAS REDES SOCIAIS

A NU SKIN É UMA EMPRESA SOCIAL REGRAS DA NU SKIN PARA UTILIZAÇÃO DAS REDES SOCIAIS A NU SKIN É UMA EMPRESA SOCIAL REGRAS DA NU SKIN PARA UTILIZAÇÃO DAS REDES SOCIAIS 1 AS VENDAS DIRETAS PODEM SER CONSIDERADAS COMO A 'REDE SOCIAL' ORIGINAL O nosso modelo de negócios assenta nas vendas

Leia mais

COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR

COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR O USO DO BLOG COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR Isnary Aparecida Araujo da Silva 1 Introdução A sociedade atual vive um boom da tecnologia,

Leia mais

Redes Sociais. Engajamento do Cliente Porque devo investir um tempo do meu dia em minhas redes sociais. Redes Sociais 2015.

Redes Sociais. Engajamento do Cliente Porque devo investir um tempo do meu dia em minhas redes sociais. Redes Sociais 2015. Redes Sociais Engajamento do Cliente Porque devo investir um tempo do meu dia em minhas redes sociais. Redes Sociais 2015. REDES SOCIAIS Criar uma presença online é um passo obrigatório para qualquer negócio

Leia mais

O COMPORTAMENTO DE CONSUMO VIRTUAL COMO EXPRESSÃO DA SUBJETIVIDADE NA CONTEMPORANEIDADE

O COMPORTAMENTO DE CONSUMO VIRTUAL COMO EXPRESSÃO DA SUBJETIVIDADE NA CONTEMPORANEIDADE 20 a 24 de outubro de 2008 O COMPORTAMENTO DE CONSUMO VIRTUAL COMO EXPRESSÃO DA SUBJETIVIDADE NA CONTEMPORANEIDADE Jaqueline Reinert Godoy 1, Gláucia Valéria Pinheiro de Brida 2 RESUMO: O consumo virtual

Leia mais

O USO DA INTERNET E SEUS EFEITOS SOBRE O PROCESSO DE SUBJETIVAÇÃO DE USUÁRIOS BRASILEIROS

O USO DA INTERNET E SEUS EFEITOS SOBRE O PROCESSO DE SUBJETIVAÇÃO DE USUÁRIOS BRASILEIROS O USO DA INTERNET E SEUS EFEITOS SOBRE O PROCESSO DE SUBJETIVAÇÃO DE USUÁRIOS BRASILEIROS Lucas Germani Wendt; Leonardo Pestillo de Oliveira; Letícia Rossi RESUMO: O presente projeto terá por objetivo

Leia mais

A SATISFAÇÃO DA APARÊNCIA CORPORAL MASCULINA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

A SATISFAÇÃO DA APARÊNCIA CORPORAL MASCULINA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA A SATISFAÇÃO DA APARÊNCIA CORPORAL MASCULINA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Emília Amélia Pinto Costa da Silva;Priscilla Pinto Costa da Silva; Petrucio Venceslau de Moura;Talita Grazielle Pires de Carvalho;

Leia mais

O capitalismo e o Advento de uma sociedade de consumo

O capitalismo e o Advento de uma sociedade de consumo O capitalismo e o Advento de uma sociedade de consumo Camila Fernandes Colégio Mãe de Deus T. 301 Resumo: A condição da redução do cidadão em consumidor, e a criação de tal cultura global, deu-se através

Leia mais

Título: Educação e construção de sentidos em um mundo de constantes transformações.

Título: Educação e construção de sentidos em um mundo de constantes transformações. Família e Escola construindo valores. Título: Educação e construção de sentidos em um mundo de constantes transformações. Autor: Fábio Henrique Marques Instituição: Colégio Metodista de Ribeirão Preto

Leia mais

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO A presente pesquisa aborda os conceitos de cultura e clima organizacional com o objetivo de destacar a relevância

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: COMUNICAÇÃO SOCIAL BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG Moema Gomes Moraes 1 RESUMO: Este trabalho faz uma reflexão sobre os aspectos relacionados ao uso de Blogs no ensino de Matemática. Para isto, ele inicia fazendo uma reflexão

Leia mais

ESTILO E IDENTIDADE. Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO

ESTILO E IDENTIDADE. Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO ESTILO E IDENTIDADE Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO Introdução Por milhares de anos, foi possível concordar que a mais importante linguagem do homem

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing e Redes Sociais Aluno Max Diniz Cruzeiro O PODER DAS REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA

AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing e Redes Sociais Aluno Max Diniz Cruzeiro O PODER DAS REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing e Redes Sociais Aluno Max Diniz Cruzeiro O PODER DAS REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA BRASÍLIA - DF 2014 AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing

Leia mais

DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE

DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE Mayara Teles Viveiros de Lira (UFAL) Maria Helena de Melo Aragão (UFAL) Luis Paulo Leopoldo Mercado (UFAL) Resumo Este estudo analisa

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

CON$UMO 1. Murillo Oliveira ROCHA 2 Saiuri Gawski de JESUS 3 Emanuel PEIXOTO 4 Daniela Costa RIBEIRO 5 Faculdade Anísio Teixeira, Feira de Santana, BA

CON$UMO 1. Murillo Oliveira ROCHA 2 Saiuri Gawski de JESUS 3 Emanuel PEIXOTO 4 Daniela Costa RIBEIRO 5 Faculdade Anísio Teixeira, Feira de Santana, BA CON$UMO 1 Murillo Oliveira ROCHA 2 Saiuri Gawski de JESUS 3 Emanuel PEIXOTO 4 Daniela Costa RIBEIRO 5 Faculdade Anísio Teixeira, Feira de Santana, BA Resumo: O consumo exagerado é, atualmente, um dos grandes

Leia mais

MANUAL DE CONDUTA EM REDES SOCIAIS

MANUAL DE CONDUTA EM REDES SOCIAIS MANUAL DE CONDUTA EM REDES SOCIAIS AS MÍDIAS SOCIAIS SÃO HOJE AS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE INTERAÇÃO SOCIAL E DE COMPARTILHAMENTO DE IDEIAS E INFORMAÇÕES. O Sistema de Saúde Mãe de Deus (SSMD), sabendo

Leia mais

Arquétipos na publicidade e propaganda

Arquétipos na publicidade e propaganda Arquétipos na publicidade e propaganda Mauricio BARTH 1 Moris Mozart MUSSKOPF 2 Resumo Diversos indicadores comprovam o processo de envelhecimento da população brasileira. Esta tendência, do ponto de vista

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

redes sociais comportamento

redes sociais comportamento comportamento redes sociais Ao mesmo tempo em que as redes sociais aproximam as pessoas que estão distantes uma das outras, elas são capazes de distanciar aquelas que estão ao nosso lado. Quem nunca se

Leia mais

Heróis sempre vencem desafios: campanha publicitária para divulgação do Concurso Vestibular 2013 1

Heróis sempre vencem desafios: campanha publicitária para divulgação do Concurso Vestibular 2013 1 Heróis sempre vencem desafios: campanha publicitária para divulgação do Concurso Vestibular 2013 1 Juliana Pereira DULTRA 2 Cintia MOLETA 3 Larissa Kiefer de SEQUEIRA 4 Roberto Corrêa SCIENZA 5 Fernanda

Leia mais

Desenvolvimento da Interface com Foco no Usuário. Parte I

Desenvolvimento da Interface com Foco no Usuário. Parte I Desenvolvimento da Interface com Foco no Usuário Parte I Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Prof. Edwar Saliba Júnior 1 Lembre-se! Ao programar um software, o usuário

Leia mais

dicas para usar o celular nas aulas

dicas para usar o celular nas aulas E-book 11 dicas para usar o celular nas aulas Sugestões de atividades com os aplicativos mais básicos e simples de um aparelho Por Talita Moretto É permitido compartilhar e adaptar este material, desde

Leia mais

Corações aquecidos, mentes atingidas: Caio Winter e as ações alternativas. 1

Corações aquecidos, mentes atingidas: Caio Winter e as ações alternativas. 1 Corações aquecidos, mentes atingidas: Caio Winter e as ações alternativas. 1 Gustavo RIGON 2 Camila PEREIRA MORALES 3 Faculdade Cenecista de Bento Gonçalves, Bento Gonçalves, RS. RESUMO Este trabalho apresenta

Leia mais

O papel do corpo na contemporaneidade, as novas patologias e a escuta analítica.

O papel do corpo na contemporaneidade, as novas patologias e a escuta analítica. O papel do corpo na contemporaneidade, as novas patologias e a escuta analítica. Silvana Maria de Barros Santos Entre o século XVI a XIX, as transformações políticas, sociais, culturais e o advento da

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

Consumo de produtos de beleza

Consumo de produtos de beleza Consumo de produtos de beleza Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado.

Leia mais

Blue Mind Desenvolvimento Humano

Blue Mind Desenvolvimento Humano Conhecendo o Coaching Por Fábio Ferreira Professional & Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching, com certificação internacional pela European Coaching Association e Global Coaching Community,

Leia mais

Beijos e sorrisos: thinkinsights. como as campanhas publicitárias da "Art, Copy & Code" ganharam vida O RESUMO

Beijos e sorrisos: thinkinsights. como as campanhas publicitárias da Art, Copy & Code ganharam vida O RESUMO Beijos e sorrisos: como as campanhas publicitárias da "Art, Copy & Code" ganharam vida ESCRITO POR Mike Glaser PUBLICADO Janeiro 2014 O RESUMO A Art, Copy & Code faz parceria com marcas e agências inovadoras

Leia mais

Mídias Sociais nos Negócios. GorillaBrand BRAND

Mídias Sociais nos Negócios. GorillaBrand BRAND Mídias Sociais nos Negócios GorillaBrand BRAND Marketing de Relacionamento Estratégias Empresa Marca Faturamento Clientes Uso de estratégias Relacionamento Empresa x Cliente Gera Valorização da Marca Aumento

Leia mais

Ensino de Artes Visuais à Distância

Ensino de Artes Visuais à Distância 1 Ensino de Artes Visuais à Distância Bárbara Angelo Moura Vieira Resumo: Através de uma pesquisa, realizada em meio ao corpo docente da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, as

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA: DIFERENTES TECNOLOGIAS NA ESCOLA

REALIDADE AUMENTADA: DIFERENTES TECNOLOGIAS NA ESCOLA 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA REALIDADE AUMENTADA: DIFERENTES

Leia mais