LICENCIAMENTO COM AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LICENCIAMENTO COM AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL"

Transcrição

1 LICENCIAMENTO AMBIENTAL NO ESTADO DE SÃO PAULO LICENCIAMENTO COM AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL ANA CRISTINA PASINI DA COSTA Diretora de Tecnologia, Qualidade e Avaliação Ambiental

2 CONTEÚDO 1. DEFINIÇÕES E CONCEITOS AVALIAÇÃO PRÉVIA PROCEDIMENTOS DE LICENCIAMENTO EMPREENDIMENTOS SUJEITOS A LICENCIAMENTO COM AIA CONTEÚDO DOS ESTUDOS AMBIENTAIS APRIMORAMENTOS

3 DEFINIÇÕES - LICENCIAMENTO Ato administrativo pelo qual o órgão ambiental competente estabelece as condições, restrições e medidas de controle ambiental que deverão ser obedecidas pelo empreendedor, para localizar, instalar, ampliar e operar empreendimentos ou atividades utilizadoras dos recursos ambientais consideradas efetiva ou potencialmente poluidoras ou aquelas que, sob qualquer forma, possam causar degradação ambiental

4 CONCEITOS - IMPACTO AMBIENTAL Qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que direta e indiretamente afetem: ( I) saúde, segurança e bem estar da população;(ii) as atividades sociais e econômicas; (III) a biota; (IV) as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente; ( V) a qualidade dos recursos ambientais. (Resolução 001/86)

5 CONCEITOS - IMPACTO AMBIENTAL Alteração da qualidade ambiental que resulta da modificação de processos naturais e sociais provocado por ação humana (Sanches, 1998); Alteração ( ambiental) pode ser natural ou induzida pela homem, um efeito é uma alteração induzida pelo homem e um impacto inclui um julgamento de valor de significância de um efeito ( MUNN, 1979). Alteração significativa no meio ambiente ( em um ou mais componentes) provocada por ação humana (Maglio)

6 ATRIBUTOS DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 1. Magnitude Grandeza do impacto em termos absolutos Medida de um parâmetro ambiental provocada por uma ação Parâmetro Ação Com o projeto Sem o projeto

7 ATRIBUTOS DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 2. Importância Grau da significação de um impacto em relação ao fator ambiental afetado e em comparação com outros impactos gerados pelo mesmo projeto ( muito significativo, pouco significativo) 3. Valor: positivo, negativo/adverso 4. Duração: curta / longa duração 5. Espaciais: local, regional 6. Reversibilidade: reversível, irreversível 7. Outras propriedades: cumulativos, sinergéticos

8 METODOLOGIAS DE IDENTIFICAÇÃO DOS IMPACTOS 1. Check List Listagem de Impactos Prováveis Ex. Construção de Linhas de transmissão - intensificação da erosão; - supressão de vegetação; - incômodos a população, etc. 2. Rede de Interação Supressão de vegetação Intensifica erosão Perda de habitat turbidez Fauna afetada Uso da água Biota aquática

9 MATRIZ DE IDENTIFICAÇÃO DE IMPACTOS Aspec tos ambien tais Ações do empreen dimento Lim peza do Terre no Terra plena gem Gera ção de Res. Sóli dos Uso da Água Gera ção de Efluen tes Contrata ção de mão de obra Aquisição de Equipa mentos Movimenta ção de veículo Qualidade do ar Recursos hídricos Qualidade das águas Rochas e solos Cobertura vegetal Fauna associada Uso e ocupação Economia

10 PREVISÃO/QUANTIFICAÇÃO DE IMPACTOS Emprego de Modelagem Matemática POLUIÇÃO DAS ÁGUAS (MODELO P/ MATÉRIA ORGÂNICA) ( equação Streeter and Phelps) D t = k 1 L a (10 k 1 t - 10 k 2 t ) +D a 10 -k 2 t k2-k1 D t = deficit de oxigênio dissolvido k1, k2= coeficientes de desoxigenação e aeração, mg/l RUIDO L 2 = L 1 20 log 10 (r 1 /r 2 ) L1, L2= níveis sonoros em ponto 1 e 2, db r1 e r2 = distancias da fonte

11 PADRÕES DE QUALIDADE AMBIENTAL Qualidade das Águas Resolução Conama 357/05 (substituiu a Conama 20/ 86 ) Qualidade do Ar Resolução Conama Ruídos Norma ABNT

12 AVALIAÇÃO DE IMPACTO Instrumento da política ambiental formado por um conjunto de procedimentos, capaz de assegurar, desde o inicio do processo, que se faça um exame sistemático dos impactos ambientais de uma ação proposta (projeto, programa, plano, etc) e de suas alternativas, e que os resultados sejam apresentados de forma clara ao publico e os responsáveis pela tomada de decisão (Moreira, 1992)

13 PROCEDIMENTOS PARA LICENCIAMENTO

14 RESOLUÇÃO SMA Estudo de Impacto Ambiental - EIA e Relatório de Impacto Ambiental - RIMA. Empreendimentos ou atividades efetiva ou potencialmente causadoras de significativa degradação ambiental Relatório Ambiental Preliminar - RAP Empreendimentos considerados potencial ou efetivamente causadores de degradação do meio ambiente Estudo Ambiental Simplificado - EAS Para empreendimentos de impactos ambientais muito pequenos e não significativos

15

16 LICENCIAMENTO AMBIENTAL E E Consulta PT TR EIA e RIMA E E EAS RAP Audiência Pública Licença Prévia CONSEMA Parecer Técnico E - Entradas Licença de Instalação Licença de Operação LP indeferida RAP Relatório Ambiental Preliminar PT Plano de Trabalho TR Termo de Referência EAS - Estudo Ambiental simplificado EIA e RIMA Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental CONSEMA Conselho Estadual do Meio Ambiente LP Licença Prévia

17 VERIFICAÇÃO DE COMPATIBILIDADES Compatibilidade com a legislação ( federal, estadual, municipal) Compatibilidade com planos, programas e projetos na região - Planos Diretores Municipais - Lei de Proteção dos Mananciais - Plano de Manejo das UCs - ZEE ( Litoral Norte, Cana, etc)

18 ...

19 ÓRGÃOS CONSULTADOS NO LICENCIAMENTO Prefeituras Municipais Florestal - responsável pela gestão das Unidades de Conservação (Parques, Estações Ecológicas, APAs,etc) Instituto Florestal- gestão de Florestas Comitês de Bacia Hidrográfica- para se manifestar sobre intervenções em recursos hídricos Departamento de Águas e Energia Elétrica DAEE- Outorgas para intervenções e uso da água

20 ÓRGÃOS CONSULTADOS NO LICENCIAMENTO Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico e Artístico CONDEPHAAT- impactos sobre áreas tombadas Fundação Nacional do Índio FUNAI Fundação Palmares Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

21 PROTOCOLO DE PEDIDO DE LP Além de cópias dos Estudos Ambientais, devem ser apresentados: Certidões Municipais - compatibilidade com Planos diretores Exame Técnico ( ou declaração delegando análise ao órgão estadual) Outorgas do DAEE Manifestação do IPHAN etc

22 EMPREENDIMENTOS SUJEITOS A LICENCIAMENTO COM AIA (screening)

23 RESOLUÇÃO CONAMA 01/86 Atividades modificadoras do meio ambiente, tais como: I- Estradas de rodagem;... III- Portos e terminais de minério; IV- Aeroportos; V- Oleodutos, gasodutos; VI- linhas de transmissão; VII -Barragem hidrelétricas;... XII- Complexos Industriais, etc.

24

25

26

27

28

29

30 RESOLUÇÃO 237/97 Artigo 2º- A localização, construção, instalação, ampliação, modificação e operação de empreendimentos e atividades...dependerão de prévio licenciamento ambiental competente. 1º- estão sujeitos ao licenciamento, os empreendimentos e atividades relacionados no Anexo I; 2º- caberá ao órgão ambiental definir os critérios de exigibilidade, o detalhamento e a complementação do Anexo I, considerando especificidades, riscos ambientais, porte e outras características do empreendimento ou atividade.

31 RESOLUÇÃO CONAMA 237/97 OBRAS CIVIS Rodovias, ferrovias, hidrovias, metropolitanos Barragens e diques SERVIÇOS DE UTILIDADE Produção de Energia Termoelétrica Transmissão de Energia Elétrica TRANSPORTE Transporte por dutos

32 DEFINIÇÃO DE LINHAS DE CORTE PORTE E CARACTERÍSTICAS AMBIENTAIS A definição de linhas de corte depende de conhecimento acumulado quanto aos potenciais impactos de diferentes portes de empreendimentos em diferentes condições ambientais

33 LINHAS DE CORTE- LTs Artigo 3º - Dependerão de licenciamento ambiental, com avaliação de impacto, a implantação, repotenciação das linhas de transmissão com o seguinte porte: com extensão superior 3 km, em áreas de baixa criticidade ambiental, para qualquer extensão, em áreas de maior criticidade ambiental. Artigo 4º - O licenciamento ambiental com extensão até 20 km, em áreas de baixa criticidade ambiental poderá ser realizado com a apresentação - EAS (RES SMA 5/07)

34 LINHAS DE CORTE- rodovias Artigo 1º - Nos limites da faixa de domínio de rodovias que se encontrem em operação, não depende de licenciamento ambiental:... IV - estabilização de taludes de corte e saias de aterro sem supressão de vegetação nativa arbórea, primária e secundária, nos estágios médio e avançados regeneração;... XI - implantação de uma faixa adicional contígua às faixas existentes, entendida como a terceira faixa, sem supressão de vegetação nativa arbórea, primária ou secundária, nos estágios médio e avançados de regeneração, e sem relocação de população; XII - obras para melhoria geométricas (RES SMA 81/98)

35 RESOLUÇÃO 42/2006 Artigo 2º - Estão sujeitos à avaliação de impacto ambiental, mediante a apresentação de RAP - Relatório Ambiental Preliminar : I - reformar ou ampliar edificação e modificar, substituir equipamento ou ampliar a atividade de produção de açúcar e álcool, para uma capacidade de moagem igual ou superior à t-ano de cana-de-açúcar; Artigo 3º - Os empreendimentos novos que pretendam processar quantidade igual ou superior a t-ano de cana-de-açúcar deverão protocolizar Plano de Trabalho no DAIA para definição do Termo de Referência para a elaboração do EIA-RIMA.

36

37 RESOLUÇÃO 88/2008 Artigo 1º - O tipo de Estudo Ambiental a ser apresentado para demonstrar a viabilidade do empreendimento sucroalcooleiro será definido de acordo com a localização da unidade industrial no Mapa Zoneamento Agroambiental para o Setor Sucroalcooleiro do Estado de São Paulo e com base no disposto na Resolução SMA 42, de

38 RESOLUÇÃO 88/2008 Artigo 4º - Nas áreas classificadas como Adequadas com Restrições Ambientais, o licenciamento ambiental de novos empreendimentos e de ampliações de empreendimentos existentes do setor sucroalcooleiro ficará condicionado ao atendimento das exigências constantes no artigo 3º, acrescidas de: I - Demonstração de viabilidade ambiental através da elaboração de EIA-RIMA, independentemente de seu porte; II Adoção da melhor tecnologia prática disponível visando à minimização da geração de vinhaça; III - Utilização de limite máximo de 0,7 m³ de água por tonelada de cana moída para novos empreendimentos; e IV - Apresentação de Plano de Minimização de consumo de água, com cronograma de adequação para atingir consumo de 0,7m3 por tonelada de cana moída para ampliações de empreendimentos existentes.

39 RESOLUÇÃO 88/2008 Artigo 5º - Nas áreas classificadas como Adequadas com Restrições Ambientais, o licenciamento ambiental de novos empreendimentos e de ampliações de empreendimentos existentes: I - Formação de corredores ecológicos dentro do perímetro de influência direta do empreendimento, através da preservação e recuperação de formações florestais, árvores isoladas e várzeas, unindo-os com Áreas de Preservação Permanente (APPs); II - Adoção de planejamento da colheita de modo a minimizar influências negativas sobre a fauna silvestre, especialmente o atropelamento; III - Elaboração e implantação de plano de monitoramento da fauna silvestre; e IV Apresentação de planos para minimizar eventuais impactos ambientais da atividade sobre a biota e de interferência nos fluxos gênicos entre populações de plantas e animais remanescentes de vegetação nativa, APPs e UCs.

40 CONTEÚDO DOS ESTUDOS AMBIENTAIS (SCOPING)

41 CONTEÚDO DE ESTUDOS AMBIENTAIS EMPREENDIMENTO MEIO NATURAL IMPACTO MITIGAÇÃO

42 IMPACTO AMBIENTAL

43 ÁREAS DE INFLUÊNCIA Áreas de influência dos impactos ambientais de um projeto são definidas como os territórios onde incidirão os impactos diretos e indiretos da implantação e operação do mesmo. Diretamente afetada - ADA, áreas afetadas pela obra (projeto, áreas de apoio, acessos) Influência Direta - AID, Onde ocorrerão os impactos diretos (entorno do empreendimento) Influência Indireta AII. Onde ocorrerão impactos indiretos (região econômica, bacia hidrográfica, etc.)

44 CONTEÚDO DE ESTUDOS AMBIENTAIS IMPLANTAÇÃO EMPREENDIMENTO OPERAÇÃO PORTE, EMISSÕES, CONSUMOS, ATRAÇAO DE MÃO DE OBRA, ETC AÇÕES MOVIMENTAÇÃO, TERRA, SUPRESSÃO, RELOCAÇÃO, entre outras... DURAÇÃO OBRA, Nº EMPREGOS...

45 CONTEÚDO DE ESTUDOS AMBIENTAIS FÍSICO (GEOLOGIA,RECURSOS HIDRICOS, QUALIDADE DAS ÁGUAS, ETC...) MEIO NATURAL BIÓTICO (FLORA,FAUNA, UNIDADES DE CONSERVAÇÃO, ETC...) ANTRÓPICO (QUALIDADE DE VIDA, INFRAESTRUTURA, PATRIMONIO, ETC...)

46 MEIO FÍSICO TEMAS RELEVANTES Obras lineares (identificar áreas susceptíveis a processos de dinâmica superficial) Processos industriais- qualidade ambiental ( áreas saturadas de qualidade do ar, qualidade das águas, escassez de recursos hídricos, etc...)

47 TEMAS RELEVANTES MEIO BIÓTICO Proximidade de Unidades de Conservação Supressão de vegetação estágio médio-avançado Intervenção em APPs Fauna em extinção, endêmica

48 TEMAS RELEVANTES MEIO SOCIOECONÔMICO Relocação de população Desapropriações Atração de Trabalhadores Patrimônio Arqueológico/espeológico

49 CONTEÚDO DE ESTUDOS AMBIENTAIS FASE DE IMPLANTAÇÃO EROSÃO E ASSOREAMENTO SUPRESSÃO DE VEGETAÇAO DESAPROPRIAÇÕES E RELOCAÇÕES INTERFERÊNCIA EM INFRAESTRUTURAS INTERFERÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS INTERFERÊNCIA EM PATRIMÔNIO HISTÓRICO IMPACTOS

50 EROSÃO E ASSOREAMENTO

51

52 EROSÃO E ASSOREAMENTO

53 EROSÃO

54 MITIGAÇÃO ASSOREAMENTO

55 MITIGAÇÃO EROSÃO

56 MITIGAÇÃO EROSÃO

57 CONTEÚDO DE ESTUDOS AMBIENTAIS FASE DE OPERAÇÃO CONSUMO DE RECURSOS NATURAIS EMISSÕES DE POLUENTES DEMANDAS DE INFRAESTRUTURA INTERRUPÇAO DE FLUXOS ATRAÇÃO DE MÃO DE OBRA PERTUBAÇÃO DA FAUNA, ETC... IMPACTOS

58 APRIMORAMENTO DO LICENCIAMENTO

59 APRIMORAMENTOS TAREFAS PARA O ORGÃO AMBIENTAL Estabelecer regras e procedimentos claros: roteiros p/ elaboração de estudos, termos de referência, etc... Descentralizar o licenciamento tarefa da CETESB atual: licenciamento nas Agências e nos municípios

60 REGRAS CLARAS Estudo de Riscos- Norma CETESB P 4.261/2003 Estudo de Flora Lei da Mata Atlântica ( 11428/2006) e Lei estadual do cerrado ( 13550/2009)e resolução Conama 01/94 Estudo de fauna- Instrução Normativa Ibama 146/2007 e Portaria DEPRN 42/2000, Res SMA 22/2010, IPHAN Resolução SMA 34/2003 Outorgas de travessias de corpos d agua- Resolução conjunta SMA/SERHS/01/2005 Áreas contaminadas Lei estadual 13577/2009 e Decisão de Diretoria CETESB 103/2007/C/E

61 APRIMORAMENTOS PARA O EMPREENDEDOR Participar na elaboração de EIA e RAP, Participar das negociações do processo de licenciamento (alternativas tecnológicas e locacionais); Garantir a discussão do projeto na comunidade afetada; Avaliar as exigências das Licenças Ambientais;

62 APRIMORAMENTOS Importante- negociações com os demais atores Por exemplo: Plano Diretor de Dutos - PDD Extensão ~ 500 km, atravessa 27 municípios e 13 Unidades de Conservação Reuniões: 27 manifestações das prefeituras 12 audiências públicas 2 comitês de bacias Fundação Florestal, Conselho Gestor de Áreas de Proteção Ambiental, FUNAI, PALMARES, CONDEPHAAT, DAEE) Foi criado um Comitê Misto (SMA, SES)

63 APRIMORAMENTOS PARA O EMPREENDEDOR Participar na elaboração do Projeto Básico Ambiental (fase da LI) Prever os fundos para Programas Ambientais Acompanhar a execução do projeto e participar do Sistema de Gestão Ambiental Incorporar praticas ambientais.

Disciplina Ciências do Ambiente Prof. Dra. Elizete A. Checon de Freitas Lima Unesp, Campus de Ilha Solteira

Disciplina Ciências do Ambiente Prof. Dra. Elizete A. Checon de Freitas Lima Unesp, Campus de Ilha Solteira Gestão Ambiental Disciplina Ciências do Ambiente Prof. Dra. Elizete A. Checon de Freitas Lima Unesp, Campus de Ilha Solteira Política Nacional do Meio Ambiente Lei 6938/81 Principais instrumentos de gestão

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE SISTEMAS DE DISPOSIÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Eng. Cristiano Kenji Iwai Eng.ª Solange Takahashi Diretoria de Controle

Leia mais

Licenciamento Ambiental

Licenciamento Ambiental Licenciamento Ambiental Art. 2º - A localização, construção, instalação, ampliação, modificação e operação de empreendimentos e atividades utilizadoras de recursos ambientais consideradas efetiva ou potencialmente

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO VI DO MEIO AMBIENTE Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL

LICENCIAMENTO AMBIENTAL LICENCIAMENTO AMBIENTAL 1. Contexto Geral Brasil e Mato Grosso Conservação Desenvolvimento Crescimento 2. Marco Legal Lei nº. 6.938/1981 Política Nacional do Meio Ambiente e Decreto nº. 99274/1990. Resolução

Leia mais

O licenciamento ambiental de unidades de compostagem no Estado de São Paulo

O licenciamento ambiental de unidades de compostagem no Estado de São Paulo Seminário: Compostagem na Cidade de São Paulo 10 de agosto de 2012 O licenciamento ambiental de unidades de compostagem no Estado de São Paulo Eng. Cristiano Kenji Iwai Divisão de Apoio ao Controle de

Leia mais

16/4/2010. Marcelo Orlandi Ribeiro Auditor Federal de Controle Externo - TCU Engenheiro Civil. Itens constantes do edital MPOG 2010

16/4/2010. Marcelo Orlandi Ribeiro Auditor Federal de Controle Externo - TCU Engenheiro Civil. Itens constantes do edital MPOG 2010 CONCURSO MPOG 2010 ANALISTA DE INFRA-ESTRUTURA ÁREA I Marcelo Orlandi Ribeiro Auditor Federal de Controle Externo - TCU Engenheiro Civil Aula 1 de 4 Itens constantes do edital MPOG 2010 Conhecimentos gerais

Leia mais

ANEXO II PORTARIA Nº 420, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 TERMO DE REFERÊNCIA DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL PARA REGULARIZAÇÃO DE RODOVIAS RCA

ANEXO II PORTARIA Nº 420, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 TERMO DE REFERÊNCIA DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL PARA REGULARIZAÇÃO DE RODOVIAS RCA ANEXO II PORTARIA Nº 420, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 TERMO DE REFERÊNCIA DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL PARA REGULARIZAÇÃO DE RODOVIAS RCA INTRODUÇÃO O presente Termo de Referência tem como objetivo

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. CIESP - Centro das Indústrias do Estado de São Paulo SOROCABA-SP

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. CIESP - Centro das Indústrias do Estado de São Paulo SOROCABA-SP LICENCIAMENTO AMBIENTAL CIESP - Centro das Indústrias do Estado de São Paulo SOROCABA-SP 19/06/2012 Estrutura organizacional da CETESB depois da unificação do licenciamento Presidência Vice Presidência

Leia mais

Curso E-Learning Licenciamento Ambiental

Curso E-Learning Licenciamento Ambiental Curso E-Learning Licenciamento Ambiental Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor. Objetivos do Curso

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Avaliação de Impactos Ambientais ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.com

GESTÃO AMBIENTAL. Avaliação de Impactos Ambientais ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.com ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL GESTÃO AMBIENTAL Avaliação de Impactos Ambientais

Leia mais

Direito Ambiental para Não Advogados VIEX Americas Bastidores do Licenciamento Ambiental Simone Paschoal Nogueira

Direito Ambiental para Não Advogados VIEX Americas Bastidores do Licenciamento Ambiental Simone Paschoal Nogueira Direito Ambiental para Não Advogados VIEX Americas Bastidores do Licenciamento Ambiental Simone Paschoal Nogueira São Paulo, 25 de fevereiro de 2016 Conceitos Principais Licenciamento ambiental Procedimento

Leia mais

JOSÉ EUSTÁQUIO DE TOLEDO

JOSÉ EUSTÁQUIO DE TOLEDO JOSÉ EUSTÁQUIO DE TOLEDO 1 Legislação Pertinente Lei Federal n 6.938/81 Estabelece o licenciamento ambiental como um instrumento da PNMA Resolução CONAMA Nº 01/86 Lista os empreendimentos que dependerão

Leia mais

ANEXO III PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 419, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS

ANEXO III PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 419, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS ANEXO III PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 419, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS O TERMO DE REFERÊNCIA - TR PARA A ELABORAÇÃO DO ESTUDO DE IMPACTO

Leia mais

PROCEDIMENTOS PRÁTICOS DE PERÍCIA AMBIENTAL

PROCEDIMENTOS PRÁTICOS DE PERÍCIA AMBIENTAL PROCEDIMENTOS PRÁTICOS DE PERÍCIA AMBIENTAL JURISDIÇÃO: HERMENEUTICA Cabe ao Estado decidir sobre conflitos de interesse entre partes (autor e réu); O Juiz é o representante do Estado em tais tarefas;

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA nº XXX, de XX de XXXXXXX de 2015

RESOLUÇÃO CONAMA nº XXX, de XX de XXXXXXX de 2015 Procedência: 10ª Reunião Ordinária da CTCA Data: 04 e 05 de abril de 2016 Processo n 02000.001845/2015-32 Assunto: Minuta de Resolução Conama que dispõe sobre critérios e diretrizes gerais para o licenciamento

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR

1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR ANEXO 7 - TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL - RCA O presente Termo de Referência tem como objetivo estabelecer um referencial para a elaboração do Relatório de Controle

Leia mais

I ENCONTRO NACIONAL entre a ANEEL e o MINISTÉIRO PÚBLICO

I ENCONTRO NACIONAL entre a ANEEL e o MINISTÉIRO PÚBLICO I ENCONTRO NACIONAL entre a ANEEL e o MINISTÉIRO PÚBLICO Processo de Licenciamento Ambiental - Problemas e deficiências João Akira Omoto Procurador da República Brasília (DF) - 2003 LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE PORTOS VERA REGINA PEREIRA LIMA

LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE PORTOS VERA REGINA PEREIRA LIMA VERA REGINA PEREIRA LIMA Arquiteta e Gestora Ambiental. Auditora Lider ISO14001 O QUE É LICENCIAMENTO AMBIENTAL? Ato administrativo definido pela Legislação Ambiental nas esferas federal e estadual relativo

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. DADOS DO EMPREENDEDOR:

1. INTRODUÇÃO 2. DADOS DO EMPREENDEDOR: TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL E PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PARA PARQUES DE GERAÇÃO DE ENERGIAS ALTERNATIVA (SOLAR, EÓLICA E OUTRAS) 1. INTRODUÇÃO Este Termo de

Leia mais

LICENCIAMENTO COM AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL

LICENCIAMENTO COM AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL LICENCIAMENTO AMBIENTAL NO ESTADO DE SÃO PAULO LICENCIAMENTO COM AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL ANA CRISTINA PASINI DA COSTA Diretora de Avaliação Ambiental CONTEÚDO 1. DEFINIÇÕES E CONCEITOS AVALIAÇÃO

Leia mais

Lei n. 3.245, de 17 de junho de 2014.

Lei n. 3.245, de 17 de junho de 2014. Dispõe sobre o Licenciamento Ambiental no Município de Serafina Corrêa e sobre a regulamentação das Taxas de Licenciamento Ambiental e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE SERAFINA CORREA, seguinte

Leia mais

Licenciamento Ambiental e Municipal

Licenciamento Ambiental e Municipal Curso de Treinamento - ABLP Licenciamento Ambiental e Municipal Simone Paschoal Nogueira 14 de outubro de 2008 Sede da ABLP Procedimento pelo qual o órgão ambiental competente permite a localização, instalação,

Leia mais

Modernização e o Processo de Tomada de Decisão no Licenciamento Ambiental Federal

Modernização e o Processo de Tomada de Decisão no Licenciamento Ambiental Federal Ministério do Meio Ambiente MMA II Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto Ambiental Modernização e o Processo de Tomada de Decisão no Licenciamento Ambiental Federal Ouro Preto, 15 de Outubro de2014

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE AMBIENTAL - EVA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE AMBIENTAL - EVA TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE AMBIENTAL - EVA 1. OBJETIVO GERAL As instruções técnicas contidas no presente Termo de Referência objetivam estabelecer os procedimentos e os

Leia mais

O Engenheiro Ambiental: atribuições e atuação no mercado de trabalho

O Engenheiro Ambiental: atribuições e atuação no mercado de trabalho O Engenheiro Ambiental: atribuições e atuação no mercado de trabalho Eng. Química Elisabeth Ibi Frimm Krieger Pelotas, 24 de Novembro de 2009 Resolução Nº 218, de 29.06.1973 CONFEA Discrimina atividades

Leia mais

Direito Empresarial. Licenciamento Ambiental. Aula 16-03.04.2010 Professor Luis Fernando de Freitas Penteado. Previsão

Direito Empresarial. Licenciamento Ambiental. Aula 16-03.04.2010 Professor Luis Fernando de Freitas Penteado. Previsão Direito Empresarial Licenciamento Ambiental Aula 16-03.04.2010 Professor Luis Fernando de Freitas Penteado Previsão Previsto como um dos instrumentos da Política Nacional de Meio Ambiente PNMA (Lei 9638/81):

Leia mais

13/10/2010 LICENCIAMENTO AMBIENTAL. CIESP de Indaiatuba AS IMPLICAÇÕES DO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS PARA OS USUÁRIOS

13/10/2010 LICENCIAMENTO AMBIENTAL. CIESP de Indaiatuba AS IMPLICAÇÕES DO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS PARA OS USUÁRIOS 13/10/ CIESP de Indaiatuba 08 de outubro de AS IMPLICAÇÕES DO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS PARA OS USUÁRIOS COMITÊS DE BACIAS CIESP de Indaiatuba 08 de outubro de Organização ( Lei n 6938/81

Leia mais

Impactos Significativos Licenciamento Ambiental - EIA

Impactos Significativos Licenciamento Ambiental - EIA Impactos Significativos Licenciamento Ambiental - EIA Principais etapas do planejamento de um EIA PLANEJAMENTO caracterização das alternativas caracterização preliminar ao empreendimento do ambiente identificação

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL PARA EMPREENDIMENTOS HIDRELÉTRICOS, FERRAMENTAS, RISCOS E ESTRATÉGIAS. José Antonio Gugelmin COPEL PARTICIPAÇÃO

LICENCIAMENTO AMBIENTAL PARA EMPREENDIMENTOS HIDRELÉTRICOS, FERRAMENTAS, RISCOS E ESTRATÉGIAS. José Antonio Gugelmin COPEL PARTICIPAÇÃO SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GIA - 08 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XI GRUPO DE IMPACTOS AMBIENTAIS - GIA LICENCIAMENTO AMBIENTAL PARA EMPREENDIMENTOS

Leia mais

Objetivos da Lei 9.605/98

Objetivos da Lei 9.605/98 A filosofia da Lei 9.605/98: efetiva reparação do dano ambiental. LICENCIAMENTO AMBIENTAL: Esfera ASPECTOS penal LEGAIS E SEUS IMPACTOS NOS CUSTOS DE PCH S Objetivos da Lei 9.605/98 Exemplos: In: VI Simpósio

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL

LICENCIAMENTO AMBIENTAL LICENCIAMENTO AMBIENTAL Jorge Luiz Britto Cunha Reis PROCEDIMENTOS DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL 1. INTRODUÇÃO As crescentes pressões da sociedade e o avanço da consciência ambientalista que floresceram em

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA

LICENCIAMENTO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA LICENCIAMENTO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA Renato das Chagas e Silva Engenheiro Químico Departamento de Controle FEPAM LEI FEDERAL 6938/81 DECRETO FEDERAL 99274/90 BASE PARA GESTÃO AMBIENTAL obrigatoriedade

Leia mais

AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS: CONCEITOS, ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL E RELATÓRIO DE IMPACTO SOBRE O MEIO AMBIENTE

AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS: CONCEITOS, ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL E RELATÓRIO DE IMPACTO SOBRE O MEIO AMBIENTE AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS: CONCEITOS, ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL E RELATÓRIO DE IMPACTO SOBRE O MEIO AMBIENTE Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim DISPONIBILIZAÇÃO DO MATERIAL DE AULA! Site:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÃO FORMAL 1 NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÃO FORMAL 1 NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS 1 TERMO DE REFERÊNCIA PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÃO FORMAL 1 NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS O presente Termo de Referência visa a orientar a elaboração de programas de educação

Leia mais

2,5. A Resolução n 009 do CONAMA e o licenciamento ambiental na Extração de Minerais das classes I, III, IV, V, VI, VII, VIII e IX

2,5. A Resolução n 009 do CONAMA e o licenciamento ambiental na Extração de Minerais das classes I, III, IV, V, VI, VII, VIII e IX 2,5 A Resolução n 009 do CONAMA e o licenciamento ambiental na Extração de Minerais das classes I, III, IV, V, VI, VII, VIII e IX Ainer da Silva Souza, Emanuel de Oliveira Lima, Ney José Trindade Leite,

Leia mais

A Efetividade da AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS: Uma análise e reflexão, a partir da aplicação no ESTADO DA BAHIA

A Efetividade da AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS: Uma análise e reflexão, a partir da aplicação no ESTADO DA BAHIA A Efetividade da AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS: Uma análise e reflexão, a partir da aplicação no ESTADO DA BAHIA Severino Soares Agra Filho Engenheiro Químico (UFBA); Especialista em Sistemas de Tratamento

Leia mais

SENDI 2004 XVI SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. Licenciamento Ambiental dos Empreendimentos de Subtransmissão da CEB

SENDI 2004 XVI SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. Licenciamento Ambiental dos Empreendimentos de Subtransmissão da CEB SENDI 2004 XVI SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Licenciamento Ambiental dos Empreendimentos de Subtransmissão da CEB Manoel Clementino Barros Neto Companhia Energética de Brasília

Leia mais

7. PLANO DE CONTROLE E MONITORAMENTO AMBIENTAL 7.1. PROGRAMA DE PROTEÇÃO DO TRABALHADOR E SEGURANÇA DO AMBIENTE DE TRABALHO

7. PLANO DE CONTROLE E MONITORAMENTO AMBIENTAL 7.1. PROGRAMA DE PROTEÇÃO DO TRABALHADOR E SEGURANÇA DO AMBIENTE DE TRABALHO 7. PLANO DE CONTROLE E MONITORAMENTO AMBIENTAL O plano de controle e monitoramento técnico e ambiental tem como objetivo propor soluções para controlar e/ou atenuar os impactos ambientais adversos gerados

Leia mais

23/02/2011. Prof. Daniel Bertoli Gonçalves

23/02/2011. Prof. Daniel Bertoli Gonçalves Prof. Daniel Bertoli Gonçalves Para o desenvolvimento do processo de licenciamento ambiental, é necessário a elaboração de diversos documentos técnicos, definidos pelo órgão ambiental competente, com a

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) TR GERAL

Termo de Referência para Elaboração do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) TR GERAL Termo de Referência para Elaboração do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) TR GERAL ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) ATENÇÃO O ESTUDO DEVE CONTER, COMO ITEM OBRIGATÓRIO, UMA FOLHA

Leia mais

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves Técnico em Aquicultura Legislação Pesqueira e Ambiental Prof.: Thiago Pereira Alves SNUC Conceito É o conjunto organizado de unidades de conservação protegidas (federais, estaduais, municipais) que, planejado,

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO CONAMA

MINUTA DE RESOLUÇÃO CONAMA MINUTA DE RESOLUÇÃO CONAMA Dispõe sobre o licenciamento ambiental de empreendimentos de geração de energia eólica em superfície terrestre e dá outras providências. Art. 1º Esta Resolução estabelece critérios

Leia mais

Art. 6 o O SNUC será gerido pelos seguintes órgãos, com as respectivas atribuições:

Art. 6 o O SNUC será gerido pelos seguintes órgãos, com as respectivas atribuições: SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO CF/88 art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao

Leia mais

PATRIMÔNIO AMBIENTAL

PATRIMÔNIO AMBIENTAL PATRIMÔNIO AMBIENTAL PATRIMÔNIO Conjunto de direitos e obrigações de uma pessoa PATRIMÔNIO Bem ou conjunto de bens culturais ou naturais valor reconhecido para determinada localidade, região, país, ou

Leia mais

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA TRATAMENTO SOCIOAMBIENTAL PROJETOS DE SANEAMENTO BÁSICO (ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO)

INSTRUÇÕES PARA TRATAMENTO SOCIOAMBIENTAL PROJETOS DE SANEAMENTO BÁSICO (ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO) APÊNDICE H- INSTRUÇÕES PARA TRATAMENTO SOCIOAMBIENTAL PROJETOS DE SANEAMENTO BÁSICO (ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO) CAPITULO : PROCEDIMENTOS GERAIS PARA AVALIAÇÃO E LICENCIAMENTO AMBIENTAL - PROJETOS DE

Leia mais

LEI N 904, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009.

LEI N 904, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009. 1 LEI N 904, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE IMPACTO LOCAL NO MUNICÍPIO DE PORTO MAUÁ E DÁ OUTRAS PRVIDÊNCIAS. GUERINO PEDRO PISONI, Prefeito Municipal de Porto Mauá,

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL

LICENCIAMENTO AMBIENTAL LICENCIAMENTO AMBIENTAL PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL PBA I. CONCEITUAÇÃO GERAL TERMO DE REFERÊNCIA PADRÃO O Plano ou Projeto Básico Ambiental - PBA é o detalhamento de todas as medidas mitigadoras

Leia mais

RESUMO DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL

RESUMO DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS RESUMO DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011

Leia mais

(i)direito de Propriedade, (ii) Uso Sustentável dos Recursos e (iii) Conservação dos Remanescentes Florestais

(i)direito de Propriedade, (ii) Uso Sustentável dos Recursos e (iii) Conservação dos Remanescentes Florestais (i)direito de Propriedade, (ii) Uso Sustentável dos Recursos e (iii) Conservação dos Remanescentes Florestais Édis Milaré milare@milare.adv.br www.milare.adv.br VII Congresso Latino Americano de Direito

Leia mais

CAPÍTULO 1 O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE...1 CAPÍTULO 2 O PROCESSO DE LICENCIAMENTO... 17 CAPÍTULO 3 LICENÇAS AMBIENTAIS...

CAPÍTULO 1 O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE...1 CAPÍTULO 2 O PROCESSO DE LICENCIAMENTO... 17 CAPÍTULO 3 LICENÇAS AMBIENTAIS... S u m á r i o CAPÍTULO 1 O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE...1 1.1. A percepção do problema e a busca das soluções...5 1.2. As normas de proteção dos recursos naturais...8 1.3. Os instrumentos

Leia mais

Análise Crítica sobre a Minuta de Revisão do Licenciamento Ambiental do Conama disponível em www.proam.org.br

Análise Crítica sobre a Minuta de Revisão do Licenciamento Ambiental do Conama disponível em www.proam.org.br Análise Crítica sobre a Minuta de Revisão do Licenciamento Ambiental do Conama disponível em www.proam.org.br PROAM-Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental A Minuta derivada do GT Conama sobre licenciamento

Leia mais

IMPACTO AMBIENTAL: A BASE DO GESTOR AMBIENTAL

IMPACTO AMBIENTAL: A BASE DO GESTOR AMBIENTAL IMPACTO AMBIENTAL: A BASE DO GESTOR AMBIENTAL MICHEL EPELBAUM Nesta edição, discutiremos a avaliação de impacto ambiental, como ponto de partida do gestor ambiental, de modo a priorizar investimentos e

Leia mais

UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental

UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental MARINHO, Márcia Mara de Oliveira; AGRA FILHO, Severino Soares; MACHADO, Luane Borges; CUNHA, Mateus Almeida; CARDOSO, Vanessa Britto Silveira;

Leia mais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais Programa 0499 Parques do Brasil Objetivo Ampliar a conservação, no local, dos recursos genéticos e o manejo sustentável dos parques e áreas de proteção ambiental. Indicador(es) Taxa de proteção integral

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria Disciplina o processo de licenciamento ambiental de condomínios residenciais

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Com a edição da Lei nº 6.938/81 o país passou a ter formalmente uma Política Nacional do Meio Ambiente, uma espécie de marco legal para todas as políticas públicas de

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 Institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da Caatinga. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da

Leia mais

LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DA BIOMASSA

LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DA BIOMASSA LICENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DA BIOMASSA Fluxograma DIRETORIA GERAL DIREG DIRETORIA DE LICENCIAMENTO DILIC DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DIFIS DIRETORIA DE RECURSOS

Leia mais

Módulo 2. Legislação. 2.1. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental. Exercícios.

Módulo 2. Legislação. 2.1. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental. Exercícios. Módulo 2 Legislação 2.1. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental. Exercícios. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental Constituição Federal 1988 Leis Federais Resoluções CONAMA Outras Leis

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL NA PREVENÇÃO DE DANOS AO MEIO AMBIENTE

A IMPORTÂNCIA DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL NA PREVENÇÃO DE DANOS AO MEIO AMBIENTE A IMPORTÂNCIA DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL NA PREVENÇÃO DE DANOS AO MEIO AMBIENTE Hiuri Martorelli Metaxas 1 RESUMO: Este artigo descreve o conceito de Licenciamento Ambiental segundo a legislação vigente.

Leia mais

Art. 1º - Os dispositivos adiante discriminados do Decreto nº 47.400, de 04 de dezembro de 2002, passam a vigorar com a seguinte redação:

Art. 1º - Os dispositivos adiante discriminados do Decreto nº 47.400, de 04 de dezembro de 2002, passam a vigorar com a seguinte redação: DECRETO Nº 55.149, de 10/12/2009 Dá nova redação a dispositivos do Decreto nº 47.400, de 04 de dezembro de 2002, que regulamenta disposições da Lei nº 9.509, de 20 de março de 1997, referentes ao licenciamento

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA nº 334, de 3 de abril de 2003 Publicada no DOU n o 94, de 19 de maio de 2003, Seção 1, páginas 79-80

RESOLUÇÃO CONAMA nº 334, de 3 de abril de 2003 Publicada no DOU n o 94, de 19 de maio de 2003, Seção 1, páginas 79-80 RESOLUÇÃO CONAMA nº 334, de 3 de abril de 2003 Publicada no DOU n o 94, de 19 de maio de 2003, Seção 1, páginas 79-80 Dispõe sobre os procedimentos de licenciamento ambiental de estabelecimentos destinados

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE. RESOLUÇÃO COEMA n.º 014/09

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE. RESOLUÇÃO COEMA n.º 014/09 GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO COEMA n.º 014/09 Dispõe sobre critérios e procedimentos necessários à preservação do patrimônio cultural, inclusive o arqueológico,

Leia mais

Estudo sobre gestão ambiental de estaleiros São Paulo, 6 de agosto de 2010

Estudo sobre gestão ambiental de estaleiros São Paulo, 6 de agosto de 2010 Estudo sobre gestão ambiental São Paulo, 6 de agosto de 2010 Este estudo foi desenvolvido no âmbito do projeto entitulado Metodologia de Projeto de Estaleiro, financiado com recursos do CT Aquaviário/FINEP.

Leia mais

CARTILHA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

CARTILHA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL CARTILHA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL Realização PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE AÇÕES E RECURSOS AMBIENTAIS Bauru, maio 2007. SUMÁRIO 01 - OBJETIVO 02 O QUE É O

Leia mais

Recursos Naturais e Biodiversidade

Recursos Naturais e Biodiversidade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 Florestas Gestão dos Recursos Hídricos Qualidade e Ocupação do Solo Proteção da Atmosfera e Qualidade

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE Procedência: 9ª Reunião do Grupo de Trabalho Data: 3 e 4 de setembro de 2014 Processo: 02000.000110/2011-68 Assunto: Utilização de produtos

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL

LICENCIAMENTO AMBIENTAL LICENCIAMENTO AMBIENTAL Página 1 / 7 O que é LICENCIAMENTO AMBIENTAL? O LICENCIAMENTO AMBIENTAL é o procedimento administrativo realizado pelo órgão ambiental competente, que pode ser federal, estadual

Leia mais

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago Consulta Pública 2015 Base Legal Lei Federal nº 9.985 de 18 de julho de 2000 Regulamenta o artigo 225 da Constituição Federal e Institui o Sistema Nacional

Leia mais

a) Órgãos Superiores Conselho de governo, servindo para assessorar ao Presidente da República sobre assuntos que tratam do Meio Ambiente.

a) Órgãos Superiores Conselho de governo, servindo para assessorar ao Presidente da República sobre assuntos que tratam do Meio Ambiente. OAB MODULAR I - REPETIÇÃO Disciplina: Direito Ambiental Prof. : Juliana Lettière Data: 12/08/2009 Aula nº 01 TEMAS TRATADOS EM AULA ESPÉCIES DE MEIO AMBIENTE São quatro: - Meio ambiente natural/físico,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 006, DE 16 DE SETEMBRO DE 1987

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 006, DE 16 DE SETEMBRO DE 1987 RESOLUÇÃO CONAMA Nº 006, DE 16 DE SETEMBRO DE 1987 Estabelece regras gerais para Licenciamento Ambiental de Obras de Grande Porte, notadamente de instalações de geração de energia elétrica. O CONSELHO

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA N. 312, DE 10/10/2002

RESOLUÇÃO CONAMA N. 312, DE 10/10/2002 RESOLUÇÃO CONAMA N. 312, DE 10/10/2002 O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA, tendo em vista as competências que lhe foram conferidas pela Lei n. 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentada pelo

Leia mais

ATIVIDADES OU EMPREENDIMENTOS SUJEITAS AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL

ATIVIDADES OU EMPREENDIMENTOS SUJEITAS AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL Licenciamento Ambiental e suas exigências legais Julio César Bachega Sec. Adjunto de Mudanças Climática - SEMA Licenciamento Ambiental e suas exigências Legais Código Florestal Lei Federal 4771/1965; Código

Leia mais

Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97 7/10/2010

Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97. Resolução Conama 237/97 7/10/2010 LICENCIAMENTO AMBIENTAL NA ATIVIDADE DE MINERAÇÃO: ASPECTOS LEGAIS E TÉCNICOS GEÓLOGO NILO SÉRGIO FERNANDES BARBOSA Art. 1º - Para efeito desta Resolução são adotadas as seguintes definições: I - Licenciamento

Leia mais

1º Encontro sobre Licenciamento Ambiental Municipal para Oficinas e Coligados. Fortaleza, 18 de Dezembro de 2015

1º Encontro sobre Licenciamento Ambiental Municipal para Oficinas e Coligados. Fortaleza, 18 de Dezembro de 2015 1º Encontro sobre Licenciamento Ambiental Municipal para Oficinas e Coligados Fortaleza, 18 de Dezembro de 2015 BioSfor PROFIAUTOS Objetivo do Evento: Promover a disseminação das diretrizes do processo

Leia mais

Sistema de Licenciamento Ambiental da Bahia

Sistema de Licenciamento Ambiental da Bahia IFBA / Depart V Ciências do Ambiente Tecnologias Ambientais da Indústria Prof Armando Tanimoto 2010-1 Baseado em Cardoso, 2004 LICENCIAMENTO AMBIENTAL é o procedimento administrativo pelo qual a administração

Leia mais

3.1. Empreendimentos e Atividades que necessitam do Licenciamento Ambiental. 3.2. EIA-RIMA como Instrumento do licenciamento Ambiental. Exercícios.

3.1. Empreendimentos e Atividades que necessitam do Licenciamento Ambiental. 3.2. EIA-RIMA como Instrumento do licenciamento Ambiental. Exercícios. Módulo 3 3.1. Empreendimentos e Atividades que necessitam do Licenciamento Ambiental. 3.2. EIA-RIMA como Instrumento do licenciamento Ambiental. Exercícios. 3.1 Empreendimentos e Atividades que necessitam

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO º PROGRAMAS E S PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO Programa de utilização sustentável dos atrativos turísticos naturais Implementação do Plano de Manejo do Parque do Cantão Garantir

Leia mais

Da Legislação Ambiental. Da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Harmonização da PNRS. Constituição Federal da República Federativa do Brasil

Da Legislação Ambiental. Da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Harmonização da PNRS. Constituição Federal da República Federativa do Brasil Da Legislação Ambiental Constituição Federal da República Federativa do Brasil Capitulo VI Do Art. 225 Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial

Leia mais

Proposta de Definição de Passivo Ambiental na Mineração

Proposta de Definição de Passivo Ambiental na Mineração PASSIVOS AMBIENTAIS NA ATIVIDADE MINERÁRIA RIA Proposta de Definição de Passivo Ambiental na Mineração CONCEITOS BÁSICOSB SICOS PASSIVOS AMBIENTAIS NA ATIVIDADE MINERÁRIA RIA A base conceitual foi elaborada

Leia mais

NO DOCUMENTO MANUAL DE DIRETRIZES PARA AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS. RECIFE: CPRH/GTz, 1998. 1ed. PARTE 6, TÍTULO 7. 2

NO DOCUMENTO MANUAL DE DIRETRIZES PARA AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS. RECIFE: CPRH/GTz, 1998. 1ed. PARTE 6, TÍTULO 7. 2 TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL - EIA E RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL - RIMA RELACIONADO À IMPLANTAÇÃO DE RODOVIAS 1 1. INTRODUÇÃO O objetivo deste documento é estabelecer

Leia mais

DELIBERAÇÃO CECA/CN Nº 4.888, DE 02 DE OUTUBRO DE 2007

DELIBERAÇÃO CECA/CN Nº 4.888, DE 02 DE OUTUBRO DE 2007 DELIBERAÇÃO CECA/CN Nº 4.888, DE 02 DE OUTUBRO DE 2007 ESTABELECE PROCEDIMENTOS PARA GRADAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL PARA FINS DE COMPENSAÇÃO AMBIENTAL, DE QUE TRATA A LEI Nº 9.985, DE 18/07/2000. A Comissão

Leia mais

ATE XXII. Índice. 12 - Conclusões... 1. LT 500 kv Marimbondo II - Campinas e Subestações Associadas Conclusões do Empreendimento 1/1

ATE XXII. Índice. 12 - Conclusões... 1. LT 500 kv Marimbondo II - Campinas e Subestações Associadas Conclusões do Empreendimento 1/1 Índice 12 - Conclusões... 1 Índice 1/1 12 - ATE XXII A Linha de Transmissão (LT) 500 kv Marimbondo II Campinas e Subestações Associadas é um empreendimento da ATE XXII Transmissora de Energia S.A a ser

Leia mais

Estabelece diretrizes e procedimentos para aplicação da compensação ambiental de empreendimentos considerados de significativo impacto ambiental.

Estabelece diretrizes e procedimentos para aplicação da compensação ambiental de empreendimentos considerados de significativo impacto ambiental. SEMMA INSTRUÇÃO NORMATIVA N 004 DE 18 DE MARÇO DE 2013 Estabelece diretrizes e procedimentos para aplicação da compensação ambiental de empreendimentos considerados de significativo impacto ambiental.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 O processo administrativo para aprovação e licenciamento de parcelamentos de

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 001, de 30/07/2007

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 001, de 30/07/2007 INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 001, de 30/07/2007 Atualizada em 01/04/2013 Objeto: Esta Instrução tem por objeto complementar o item 6 da Norma da Portaria DAEE nº 717/96. Trata dos requerimentos, documentação

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion Reserva Legal: área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, delimitada nos termos do art. 12, com a função de assegurar o uso econômico de modo sustentável dos

Leia mais

XIV SIMPÓSIO NACIONAL DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS

XIV SIMPÓSIO NACIONAL DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS XIV SIMPÓSIO NACIONAL DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS DIMENSÃO DO PROJETO BÁSICO NA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS PRECEDIDOS DA EXECUÇÃO DE OBRA PÚBLICA Cezar Augusto Pinto Motta TCE-RS / Ibraop Pedro

Leia mais

Lei nº 7653 DE 24/07/2014

Lei nº 7653 DE 24/07/2014 Lei nº 7653 DE 24/07/2014 Norma Estadual - Alagoas Publicado no DOE em 28 jul 2014 Dispõe sobre as atividades pertinentes ao controle da poluição atmosférica, padrões e gestão da qualidade do ar, conforme

Leia mais

3º SIMPÓSIO DE OBRAS RODOVIÁRIAS

3º SIMPÓSIO DE OBRAS RODOVIÁRIAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE GEOLOGIA DE ENGENHARIA E AMBIENTAL 3º SIMPÓSIO DE OBRAS RODOVIÁRIAS (Avanço no Licenciamento Ambiental de Rodovias) Lucio Lima da Mota São Paulo. 21 de Outubro de 2010 Adaptado

Leia mais

Atuação Municipal no Licenciamento Ambiental: a Experiência de São Paulo

Atuação Municipal no Licenciamento Ambiental: a Experiência de São Paulo Atuação Municipal no Licenciamento Ambiental: a Experiência de São Paulo Licenciamento Ambiental Conceito Processo: Avaliação de Impacto Ambiental Instrumentos: Estudo de Impacto Ambiental - EIA/RIMA São

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE ~ SEA INSTitUTO ESTADUAL DO AMBIENTE -INEA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE ~ SEA INSTitUTO ESTADUAL DO AMBIENTE -INEA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE ~ SEA INSTitUTO ESTADUAL DO AMBIENTE -INEA 5.5.4. Aumento da mão de obra empregada, informando a quantificação prevista, qualificação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 279, DE 27 DE JUNHO DE 2001

RESOLUÇÃO Nº 279, DE 27 DE JUNHO DE 2001 RESOLUÇÃO Nº 279, DE 27 DE JUNHO DE 2001 O Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, no uso das competências que lhe são conferidas pela Lei n 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO. Prof. Dr. Israel Marinho Pereira imarinhopereira@gmail.com

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO. Prof. Dr. Israel Marinho Pereira imarinhopereira@gmail.com ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE RECUPERAÇÃO PRAD Prof. Dr. Israel Marinho Pereira imarinhopereira@gmail.com ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PRAD O Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), deverá

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00 1. Conceitos Básicos a) unidade de conservação: espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP)

CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP) CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP) Licenciamento Ambiental Sistema de meio ambiente do estado de São Paulo Ministrante: Engenheira Química Célia Regina B.P. Poeta Técnica da Companhia Ambiental

Leia mais

Sr. João de Munno Júnior Coordenador do Núcleo de Licenciamento Ambiental Dos Técnicos: Tathiana Bagatini Vilson José Naliato

Sr. João de Munno Júnior Coordenador do Núcleo de Licenciamento Ambiental Dos Técnicos: Tathiana Bagatini Vilson José Naliato SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA INFORMAÇÃO TÉCNICA N. 04/2012 NLA/SUPES-SP/IBAMA Ao: Sr. João de Munno

Leia mais

MINUTA DO TERMO DE REFERÊNCIA PARA ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA PROJETO DE DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ATERRO SANITÁRIO.

MINUTA DO TERMO DE REFERÊNCIA PARA ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA PROJETO DE DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ATERRO SANITÁRIO. MINUTA DO TERMO DE REFERÊNCIA PARA ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA PROJETO DE DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ATERRO SANITÁRIO. INTRODUÇÃO O presente Termo de Referência (TR) constitui-se como instrumento

Leia mais