Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "www.fgv.br/cps/telefonica Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV mcneri@fgv.br"

Transcrição

1 wwwfgvbr/cps/telefonica Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV

2 Histórico Há dez anos o Centro de Políticas Sociais (CPS) lançou o Mapa da Exclusão Digital O estudo foi o primeiro estudo baseado nos microdados do Censo Demográfico sobre qualquer campo gerado fora do IBGE O Censo por sua vez foi a primeira pesquisa domiciliar ibgeana a captar o acesso à tecnologia digital sendo seguido pela PNAD 1 Como resultado o Mapa da Exclusão Digital foi o primeiro estudo brasileiro em escala nacional a tratar sobre o acesso uso e impactos das TICsdopontodevistadaspessoas

3 Principais Perguntas: Como evolui o binômio inclusão/exclusão digital no Brasil localidades e no mundo? O brasileiro acessa a Internet em seu próprio domicílio? Com ou sem banda larga? Quais são os locais mais usados para acesso? Casa escola ou trabalho? Lan houses ainda são relevantes? Qual é o principal empecilho dos sem rede? Educação infraestrutura renda ou interesse? Como desenhar políticas de inclusão digital? Quais são as características desejáveis dos indicadores e metas de inclusão digital?

4 Principais Contribuições Esta pesquisa mapeia o mundo digital a partir dos microdados do novo Censo brasileiro e de mais de 1 países Mapear o uso efetivo da internet (incluindo locais e qualidade) e as razões da -xclusão Criação de banco de dados Uso de modelos economométricose difusão amigável Subsidiar as novas metas de conectividade da ONU do nível global ao local

5 Objetivo 8 já contém indicadores de acesso a internet celular e telefonia fixa

6 Monitorar indicadores das metas do milênio da ONU já existentes relativos à conectividade Sugerir direções para as novas metas que estão sendo discutidas (POST-1 MDGS) do nível global ao local

7 Proposta em Curso para as Post-1 MDGS

8 Fundação Telefônica Vivo Responsável por coordenar o investimento social do Grupo Telefônica no Brasil a Fundação Telefônica Vivo atua com o fim de contribuir para o desenvolvimento social do país A atuação é voltada para o acesso à educação a melhoria da qualidade educativa e a divulgação do conhecimento Um dos eixos de atuação da instituição é denominado Debate & Conhecimento cujo objetivo é sensibilizar mobilizar e disseminar informações entre os públicos envolvidos com as causas da instituição e com a inovação social A Fundação também fomenta a pesquisa e apoia estudos que possam trazer à tona retratos do Brasil principalmente em relação ao uso de tecnologias A Fundação Telefônica Vivo investe ainda em projetos que utilizem as Tecnologias de Informação e Comunicação nos processos de educação e aprendizagem; iniciativas de combate ao trabalho infantil; projetos de desenvolvimento local e de voluntariado empresarial Criada em 1999 a Fundação Telefônica incorporou os projetos do Instituto Vivo em 11 em função da fusão entre a Vivo e a Telefônica O Grupo Telefônica possui ainda fundações em 13 países

9 MAPA DO ACESSO DOMICILIAR À INTERNET - 1 Pessoas com 1 ou mais anos de idade Mundo Acesso Internet No Data Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Gallup World Poll

10 MAPA DO ACESSO DOMICILIAR À INTERNET - 1 Pessoas com 1 ou mais anos de idade Brasil Acesso Computador com Internet Acesso Computador com Internet Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

11 MAPA DO ACESSO DOMICILIAR À INTERNET - 1 Pessoas com 1 ou mais anos de idade Acesso Computador com internet Estado RJ Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

12 MAPA DO ACESSO DOMICILIAR À INTERNET - 1 Pessoas com 1 ou mais anos de idade Acesso Computador com Internet Município RJ Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

13 RANKING GLOBAL DO ACESSO DOMICILIAR - 1 País Acesso a Internet em Casa(%) Rank 1* Mundo Sweden 9 1 Iceland 94 Denmark 9 3 Netherlands 91 4 Singapore 89 Korea (Republic of) 8 11 Hong Kong China (SAR) United States 8 1 Ireland 84 Bahrain 8 1 Israel 6 Japan 1 31 Spain 6 36 Italy 6 38 Portugal 41 Russian Federation Serbia 4 1 Chile 41 3 Greece 39 4 Turkey 38 6 Uruguay 3 Brazil Argentina Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Gallup World Poll

14 RANKING DO ACESSO DOMICILIAR - 1 País Acesso a Internet em Casa(%) Rank 1* Mundo Costa Rica 9 1 Libyan Arab Jamahiriya 8 3 Venezuela (Bolivarian Republic of) 6 Albania 4 81 Syrian Arab Republic 18 8 Mexico 1 89 Peru Iraq Egypt 1 11 Nigeria 9 16 South Africa 8 18 Kyrgyzstan 111 Pakistan Turkmenistan 11 India 3 16 Cuba 131 Lao People's Democratic Republic 136 Congo (Democratic Republic of the) Malawi Burkina Faso 11 Central African Republic 11 Guinea 1 Madagascar 13 Myanmar 14 Mundo LEGENDA: Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Gallup World Poll

15 Brasil: o Espelho do Mundo O Brasil assim como o mundo é muito diverso e desigual Em alguns lugares as taxas de acesso à internet são muito altas parecidas com as dos países nórdicos (Avenida Sernambetiba na Barra da Tijuca tem 939% de acesso praticamente o mesmo número da Islândia lugar mundial) enquanto em outros é praticamente nula assim como alguns países africanos A taxa média de acesso à internet no mundo é de 3349%; no Brasil o número é praticamente o mesmo com 33% de acesso Assim como nas dimensões de desigualdade e renda no âmbito da inclusão digital leia-se acesso à computadores e à internet o Brasil pode ser visto como um espelho do mundo

16 Relação entre Felicidade e Acesso à Internet (%) Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Gallup World Poll Felicidade e inclusão digital fazem parte da mesma cena Há coincidência dos + A felicidade do brasileiro dada sua inclusão digital está acima da norma mundial

17 MAPA DO ACESSO DOMICILIAR À INTERNET - 1 Pessoas com 1 ou mais anos de idade Acesso Internet No Data

18 MAPA DO ACESSO DOMICILIAR À INTERNET - 6 Pessoas com 1 ou mais anos de idade Acesso Internet No Data O Brasil está na média global com 33% na rede 63º entre os 14 países mapeados

19 Retrato Digital Global?? Comparamos pessoas com mesmas características em países diferentes Isolar efeitos sócio-demográficos Na comparação com outros países temos de levar em conta a nossa alta urbanização A conectividade caseira cai com a idade No cenário base sobe 8% dos 4 aos e cai 46% dos 4 aos 6 anos Cai com Presença de Idosos e Ausência de Crianças de 1anos Homens estão mais conectados que as mulheres Simulador Global

20 Top 1 no Ranking de Probabilidades Controladas de Acesso a Computador e a Computador com Internet em Casa (%) Rank País Acesso a Computador% Acesso a Internet 1 NORWAY IRELAND TAIWAN NEW ZEALAND SWITZERLAND SOUTH KOREA SLOVENIA CANADA FINLAND AUSTRIA BRAZIL Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Gallup World Poll 6 O contraste do acesso a computador com e sem internet nos permite isolar efeitos de infra-estrutura básica (eletricidade e equipamento) da provisão do serviço de internet razão de acesso a internet entre os que tem computador se situa acima de 93% no extremo superior do ranking vis a vis os 6% do caso brasileiro

21 MAPA DO ACESSO DOMICILIAR À INTERNET - 1 Pessoas com 1 ou mais anos de idade Brasil Acesso Computador com Internet Acesso Computador com Internet Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE Os extremos dos estados são Distrito Federal (8%) e Maranhão (1%) Os extremos dos municípios são São Caetano (4%) e Aroeiras (PI) com zero virtual

22 RANKING DO ACESSO DOMICILIAR - 1 Brasil Computador Computador com Internet 1 Distrito Federal Distrito Federal 869 São Paulo 69 São Paulo 48 3 Santa Catarina 43 3 Rio de Janeiro Rio de Janeiro 8 4 Santa Catarina 4166 Paraná 4896 Paraná 381 Maranhão 116 Maranhão Piauí Piauí 18 Pará 3 Pará 13 4 Ceará 11 4 Ceará 16 3 Alagoas 18 3 Tocantins 11 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

23 RANKING DO ACESSO DOMICILIAR - 1 Brasil Posição Computador Posição Computador Com Internet SP 1 São Caetano do Sul 6 SP 1 São Caetano do Sul 4 SC Florianópolis 4 ES Vitória 6841 ES 3 Vitória 388 SP 3 Santos 683 SP 4 Santos 38 SC 4 Florianópolis 66 PR Curitiba 164 RJ Niterói 6 SP 6 Valinhos 86 PR 6 Curitiba 61 SC São José 49 SP Santo André 614 SC 8 Balneário Camboriú 1 SC 8 São José 6 RJ 9 Niterói 69 SP 9 Valinhos 64 PR 1 Maringá 6918 SP 1 Americana 6 SP 11 Santo André 6834 SC 11 Balneário Camboriú 96 SP 1 Vinhedo 64 MG 1 Belo Horizonte 939 MG 13 Belo Horizonte 61 DF 13 Brasília 869 SP 14 Americana 6 PR 14 Maringá 88 SP 1 Campinas 669 RS 1 Porto Alegre 84 RS 16 Porto Alegre 6689 SP 16 São Bernardo do Campo 836 SC 1 Blumenau 66 SP 1 Campinas 81 SP 18 São Bernardo do Campo 661 SP 18 Águas de São Pedro 8 DF 19 Brasília 6648 SP 19 São Paulo SP Águas de São Pedro 663 ES Vila Velha 68 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

24 RANKING DO ACESSO DOMICILIAR - 1 Brasil Rank Computador Rank Computador Com Internet PI 6 São Lourenço do Piauí 43 PI 6 São Lourenço do Piauí PA 64 São João da Ponta 68 PA 64 São João da Ponta PA 63 Chaves 69 PA 63 Chaves PI 6 Campo Largo do Piauí 1 PI 6 Aroeiras do Itaim PI 61 Aroeiras do Itaim MA 61 Santo Amaro do Maranhão MA 6 Primeira Cruz 81 PI 6 Paquetá MA 9 Santo Amaro do Maranhão 98 PI 9 Currais PI 8 São Miguel do Fidalgo 1 PI 8 Coronel José Dias PI Caraúbas do Piauí 11 MA São Félix de Balsas MA 6 São João do Soter 13 PI 6 Pavussu PI Paquetá 139 PI Caxingó PI 4 Currais 139 MA 4 Paulino Neves MA 3 Santa Filomena do Mar 141 MA 3 São Roberto MA Fernando Falcão 14 MA Cachoeira Grande MA 1 Humberto de Campos 144 MA 1 Feira Nova do Maranhão PI São Luis do Piauí 14 PA Gurupá PI 49 Coronel José Dias 146 AP 49 Pracuúba PI 48 Nossa Senh dos Remédios 18 PI 48 Antônio Almeida MA 4 Satubinha 16 MA 4 São João do Soter 8 PI 46 Boa Hora 16 MA 46 Santa Filomena do Maranhão 8 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

25 RANKING DO ACESSO DOMICILIAR - 1 Estado RJ Posição Computador Posição Computador Com Internet Mais Mais 1 Niterói 69 1 Niterói 6 Rio de Janeiro 6346 Rio de Janeiro 64 3 Volta Redonda Volta Redonda 4 Resende 66 4 Nilópolis 448 Nilópolis Cordeiro Petrópolis 38 6 Resende 443 Rio das Ostras 368 Nova Friburgo 43 8 Macaé 4 8 Arraial do Cabo Arraial do Cabo 6 9 Macaé Três Rios 1 1 Petrópolis 493 Menos Menos 9 São Francisco de Itabapoana Silva Jardim 9 91 Silva Jardim 91 Sumidouro 11 9 São José de Ubá 9 São José de Ubá Varre-Sai 6 89 Trajano de Morais Sumidouro 1 88 São Sebastião do Alto São Sebastião do Alto 18 8 São Francisco de Itabapoana Cardoso Moreira Paty do Alferes Trajano de Morais 38 8 Cardoso Moreira Santa Maria Madalena 84 Varre-Sai Aperibé Tanguá 164 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

26 MAPA DO ACESSO DOMICILIAR À INTERNET - 1 Pessoas com 1 ou mais anos de idade Acesso Computador com internet Estado RJ Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

27 RANKING DO ACESSO DOMICILIAR - 1 Município RJ Ranking Computador Ranking Computador Com Internet Mais Mais 1 Lagoa 88 1 Lagoa 88 Botafogo 83 Botafogo Tijuca Tijuca 6 4 Copacabana Copacabana 64 Barra da Tijuca 911 Barra da Tijuca 83 6 Vila Isabel 4 6 Vila Isabel 34 Méier 96 Méier 61 8 Ilha do Governador Ilha do Governador 66 9 Irajá 66 9 Irajá 61 1 Jacarepaguá 66 1 Jacarepaguá 943 Menos Menos 33 Complexo do Alemão Guaratiba Jacarezinho Jacarezinho Maré Santa Cruz Guaratiba Complexo do Alemão 31 9 Santa Cruz Maré Ilha de Paquetá 43 8 Portuária 384 Portuária 43 Ilha de Paquetá Rocinha Pavuna 419 São Cristovão 19 São Cristovão Cidade de Deus 14 4 Cidade de Deus 43 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

28 MAPA DO ACESSO DOMICILIAR À INTERNET - 1 Pessoas com 1 ou mais anos de idade Acesso Computador com Internet Município RJ Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

29 Público-Alvo O retorno da inclusão digital é maior nos pobres com oportunidades não aproveitadas Mapas da inclusão digital de grupos específicos não revelam diferenças do mapa geral Mapa de Acesso a Computador com Internet em Casa Trabalha em Casa Geral Conta-Próprias- t e n r e t n I m o c r o d a t u p m o C o s s e c A a s a C m e o h l a b a r T t e n r e t n I m o c r o d a t u p m o C a i r p ó r P a t n o C t e n r e t n I m o c r o d a t u p m o C Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 1/IBGE

30 A e s s a l C % B A3 e s s a l C % t t e e n n r r e e t t n n I I m m o o c c r r o o d d a a t t u u 1 1 p p m m o o1 - C C o o s s s s e e c c A A % Moto % Carro % Classe ABC % Classe AB % Classe A % Internet s o r r a C o s s e c A s o t o M o s s e c A 1 C B A e s s a l C % wwwfgvbr/cps/brics Fonte: CPS/FGV a partir dos mesodados do Censo 1/IBGE

31 Qual é a cidade mais classe A do país? Niterói com 3% na elite econômica Depois Florianópolis(%) Vitória(69%) São Caetano(6%) Porto Alegre(3%) Brasília(43%) e Santos (41%) Os líderes da internet em casa são também os de % na Classe AB % na Classe AB X Renda Média Per Capita Média wwwfgvbr/cps Fonte: CPS/FGV a partir do Censo 1/IBGE

32 +Prospectivamente: Pirâmide Populacional e Classes Econômicas 3 11 e Classe DE Classe C Classe AB wwwfgvbr/cps Mudanças no tempo: Classe C +4 milhões de pessoas 3-11 e +13 milhões 1 Classes AB + 9 milhões de pessoas de 3 a 11 e + milhões de 1 a 14 População AB crescerá + que C: 93% X 119% respectivamente Nova Classe AB & nova classe C Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

33 Uso da Internet

34 Uso da Internet Vai além da questão de oferta instalada pressupõe efetiva demanda pela rede Consolida as várias modalidades /locais de uso (complementada por razões e qualidade) Permite analisar a diversidade dentro de uma mesma família (questões de gênero idade etc) Se adapta ao indicador das MDGsda ONU que é: número de usuários de internet por 1 habitantes

35 Uso da Internet 3% utilizaram a internet nos últimos 3 meses resposta dada pela própria pessoa (69% das respostas): 38% de uso resposta de outro moradordo domicílio (413% das respostas): 416% de uso A média geral superestima o uso da interneto outro parece acessar mais a internet talvez por não conseguir precisar a época do uso

36 Acesso por Capitais -Rankings de Utilização (últimos 3 meses) Ranking Capitais Ranking Capitais Mais Menos 1 Florianópolis - SC 616% Maceió - AL 343% Curitiba - PR 998% 6 Macapá - AP 396% 3 Palmas - TO 9% Manaus - AM 48% 4 Brasília - DF 63% 4 Recife - PE 414% Porto Alegre - RS 89% 3 São Luís - MA 419% Os líderes foram Florianópolis (616%) Curitiba (6%) e Palmas (9%) Lideres de Uso: Ricas capitais da região Sul do país e as jovens do Centro-Oeste Florianópolis é a capital com maior proporção de Classe A Palmas não é só a capital mais jovem mas entre os 68 municípios aquele com maior proporção de jovens Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

37 Simulador de Uso da Internet

38 Modelo Multivariado de Uso de Internet Educação é a mais determinante que renda As razões de chances de uso de internet entre superior incompleto e analfabeto é 1 Já as razões de chances da classe AB é 118 vezes superior a alguém da classe E Educação é condição necessária para a inclusão digital Em 3 anos as chances de acessar a rede aumentam em 14% Tempo é fundamental Metrópoles apresentam % a mais de chances do que as demais áreas urbanas E são 4 vezes o valor das áreas rurais pela dificuldade de ofertar infraestrutura em áreas de população dispersa Homens têm 18% a mais de chances de acessar a internet Idade possui um coeficiente negativo mas decrescente com o ciclo de vida Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

39 Modelo Multivariado de Uso de Internet UF Razão de Chances Ranking MS 16 1 RN 11 ES DF 14 4 SC 118 AP AL 6 6 PA 61 MA 61 4 PI As chances controladas entre lugares é uma medida de demanda reprimida Internet nos últimos 3 meses Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

40 Mapa da Exclusão Digital na Bahia e Avaliação do Programa Identidade Digital Em conjunto com Mapa da Exclusão Digital na Bahia este trabalho avaliou os impactos do Programa Identidade Digital (PID) que através de infocentros promove o acesso público à tecnologia da informação e comunicação no âmbito do Estado da Bahia O programa que está inserido dentro dos esforços de combate à pobreza e à desigualdade sendo financiado com recursos do fundo com o mesmo objetivo Com o objetivo de avaliar os impactos do Programa o CPS/FGV criou um questionário com cerca de 8 perguntas que foram aplicadas através da internet a uma amostra de 1 usuários do programa A estrutura do questionário foi composta de questões que permitem a comparabilidade direta com questões de outras bases de microdados tais com a PNAD o suplemento especial da PNAD o PISA o Saeb entre outros

41 As Razões da -xclusão A ênfase de oferta não deve ser nos sem internet por opção ou por deseducação

42 As Razões da -xclusão Não achava necessário ou não quis % Não sabia utilizar a Internet % Não tinha acesso a microcomputador % O custo de um microcomputador era alto % Outro motivo 16 1% O custo de utilização da Internet era alto % O microcomputador que usa em outro local não estava conectado à Internet % Total % O custo não é visto como alto e portanto não está entre os principais empecilhos para a o acesso à rede Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

43 Mapas de motivos de Não Uso da Internet Não quis ou sem necessidade O pico do não quis é no Sudeste e Sul Não sabia usar internet O pico do não sabia está no Nordeste Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

44 Mapas de motivos Não tinha acesso Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

45 Motivos - Ranking das Capitais (Critérios que somam 9% dos casos) Primeiros Últimos Não achava necessário ou não quis Florianópolis - SC 61% Teresina - PI 399% Rio de Janeiro - RJ 413% Boa Vista - RR 4% Campo Grande - MS 4938% São Luís - MA 1946% Não tinha acesso a microcomputador Rio Branco - AC 4186% Florianópolis - SC 14% Boa Vista - RR 391% Fortaleza - CE 1% São Luís - MA 381% João Pessoa - PB 13% Não sabia utilizar a Internet João Pessoa - PB 46% Florianópolis - SC 1% Teresina - PI 44% Porto Alegre - RS 1948% Natal - RN 4% Rio de Janeiro - RJ 188% Não ter acesso e Não saber utilizar : capitais com os piores índices de desenvolvimento econômico e social do país Desinteresse: capitais mais desenvolvidas Infraestrutura de acesso pode ser resultado do isolamento geográfico de áreas (Rio Branco é a líder) Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

46 Idade x Por que não utilizou a Internet? Não sabem Não tem Não achava necessário ou não quis Não sabia utilizar a Internet Não tinha acesso a microcomputador A falta de interesse e de conhecimento para usar a internet aumenta junto com a faixa etária Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

47 Motivo x Anos de Educação % 6% % 4% 3% % 1% % 6334% 438% 4% 84% 149% Não achava necessário Não tinha acesso Não sabia utilizar A falta de interesse como principal motivo cresce conforme o aumento da escolaridade e a falta de acesso e de conhecimento para usar a internet decresce com o aumento nos anos de estudo Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

48 Conclusões sobre as Razões do Não Uso: Liderando as razões do não uso estão Não achava necessário ou não quis (3314%) Não sabia utilizar (314%) e Não tinha acesso (99%) Os custos não são percebidos como altos somando pouco mais de 3% dos motivos do não uso O principal problema portanto não é a falta de dinheiro e sim motivação e educação Simulador

49 Panorama das Razões de Exclusão

50 Panorama dos Locais de Inclusão

51 Locais de Uso Nos últimos três meses utilizou a Internet em seu domicílio por banda larga Sim 469% Nos últimos três meses utilizou a Internet em centro público de acesso pago 311% em seu trabalho 313% em domicílio de outros parentes amigos ou outro local 191% em estabelecimento em que frequentava algum curso 1% em seu domicílio por acesso discado 114% em centro público de acesso gratuito % Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

52 Mapas de Locais de Acesso à Internet (Razão de Chances) Acesso Banda Larga Os extremos da banda larga são Brasília e os distantes estados da Região Norte Internet Banda Larga Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

53 Locais de Uso Quase a metade das pessoas que utilizam a Internet o fazem por banda larga nos domicílios Apenas 1 em cada 1 pessoas ainda utilizam o acesso discado que é a penúltima modalidade em termos de relevância Na sequência de locais de acesso mais pessoas procuram: Acesso público pago seguido do acesso no trabalho (31%) Casa de amigos ou parentes (19%) e instituição de ensino (1%) ocupam uma posição intermediária nas plataformas de uso da internet O acesso público gratuito é utilizado por % da população brasileira Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

54 Locais de Acesso por Capitais Rankings de Utilização (últimos 3 meses) 469% dos usuários da rede o fizeram em casa por banda larga Próprio Domicílio por banda larga Ranking Capitais Ranking Capitais Mais Menos 1 Vitória - ES 8% Boa Vista - RR 36% Florianópolis - SC 699% 6 Macapá - AP 169% 3 Brasília - DF 39% Manaus - AM 93% 4 Curitiba - PR 19% 4 São Luís - MA 343% Porto Alegre - RS 688% 3 Natal - RN 343% Próprio Domicílio por acesso discado Ranking Capitais Ranking Capitais Mais Menos 1 Boa Vista - RR 341% Palmas - TO % Macapá - AP 19% 6 Goiânia - GO 19% 3 Manaus - AM 1% Brasília - DF 4% 4 Rio de Janeiro - RJ 194% 4 Rio Branco - AC 336% Aracaju - SE 149% 3 Cuiabá - MT 34% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

55 Locais de Acesso por Capitais Rankings de Utilização (últimos 3 meses) Florianópolis (%) um dos líderes da banda larga e da classe A oferece o maior acesso em locais públicos gratuitos com 1% Centro público de acesso gratuito Ranking Capitais Ranking Capitais Mais Menos 1 Florianópolis - SC 11% São Luís - MA 9% Rio Branco - AC 941% 6 Natal - RN 1% 3 Porto Alegre - RS 84% Maceió - AL % 4 Vitória - ES 83% 4 Porto Velho - RO 8% São Paulo - SP 9% 3 João Pessoa - PB 9% As líderes no local de trabalho são as capitais da região Sul No trabalho Ranking Capitais Ranking Capitais Mais Menos 1 Porto Alegre - RS 4644% São Luís - MA 11% Florianópolis - SC 446% 6 Belém - PA 16% 3 Curitiba - PR 4% Fortaleza - CE 8% 4 Cuiabá - MT 444% 4 Macapá - AP 4% Belo Horizonte - MG 431% 3 Salvador - BA 1% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

56 Locais de Acesso por Capitais Rankings de Utilização (últimos 3 meses) Boa Vista e Macapá lideram o acesso domiciliar discado Macapá também lidera nas escolas e nas lan houses Centro público de acesso pago (lan houses) Ranking Capitais Ranking Capitais Mais Menos 1 Macapá - AP 66% Vitória - ES 111% Manaus - AM 93% 6 Florianópolis - SC 196% 3 São Luís - MA 639% Belo Horizonte - MG 84% 4 Boa Vista - RR 31% 4 Curitiba - PR 1% Teresina - PI 186% 3 Porto Alegre - RS 13% Estabelecimento que frequentava algum curso Ranking Capitais Ranking Capitais Mais Menos 1 Macapá - AP 31% São Luís - MA 814% Campo Grande - MS 194% 6 Maceió - AL 86% 3 Teresina - PI 133% Belém - PA 1189% 4 Porto Alegre - RS % 4 Rio Branco - AC 1% Belo Horizonte - MG 1993% 3 Rio de Janeiro - RJ 18% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

57 Locais de Acesso por Capitais Rankings de Utilização (últimos 3 meses) Já na hospitaleira João Pessoa é onde as pessoas não acessam mais por falta de conhecimento (4%) Talvez por isso lá é aonde as pessoas acessam mais a internet pela casa de parentes e amigos Domicílio de outros parentes amigos ou outro local Ranking Capitais Ranking Capitais Mais Menos 1 João Pessoa - PB 933% Macapá - AP 9% Salvador - BA 4% 6 Maceió - AL 968% 3 Natal - RN 648% Manaus - AM 161% 4 Florianópolis - SC % 4 Palmas - TO 11% Teresina - PI 39% 3 Boa Vista - RR 113% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Supl PNAD/IBGE

58 Principais Conclusões sobre os Locais de Uso As capitais da banda larga são Vitória e Florianópolis que estão entre as cidades com maior percentual de classes AB no Brasil As capitais do acesso discado são Boa Vista Macapá e Manaus não por acaso capitais mais isoladas geograficamente As capitais dos centros públicos de acesso pago ( lanhouses ) são cidades de renda mais baixa como Macapá Manaus e São Luis Centros públicos de acesso gratuito são mais utilizados nos lugares mais ricos o que a princípio não é tão intuitivo As capitais do acesso no trabalho são as da região Sul do país com Porto Alegre liderando

59 Ações de inclusão digital A melhor resposta ao dilema confuciano entre dar o peixe ou a vara de pescar é a rede de computadores que integra esforços Na esfera pública a construção de centros de inclusão digital ou o chamado computador coletivo em oposição ao computador pessoal (PC) permite socializar os custos da obsolescência tecnológica e o custo de acesso a internet

60 Conectividade Poder acessar tecnologias de informação e de comunicação (TICs) a partir de diferentes lugares A mobilidade espacial proporcionada por acessos remotos sem fios (3G 4G e WI FI) está na base da revolução recente realizada nesta área Convergência Onde? Diferentes serviços no limite de um mesmo dispositivo (device) tais como computador celular palmtops console de vídeo-gameetc Como?

61 Capacidades Associada as possibilidades de realização de diferentes coisas através das TICsseja em aprendizado trabalho lazer etc O conceito se baseia na ideia de capabilities cunhado por Amartya Senque privilegia a capacidade da ação humana de potencializar a liberdade de escolha

62 Conectividade e Convergência A união harmoniosa dos vetores conectividade e convergência guarda a promessa de reduzir custos e ampliar possibilidades espaciais de realização de nossas atividades cotidianas Conteúdo e Capacidades: O Que? Para que?

63 Roteiro I- Visão Geral II - Mapa Global III- Mapa Regional IV - Uso da Internet V - As Razões da -xclusão VI Locais de Acesso e Qualidade de Uso Domiciliar VII - O peixe a vara e a rede de computadores

64 Obrigado! Marcelo Neri (1) wwwfgvbr/cps/telefonica

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL. Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL. Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV mcneri@fgv.br www.fgv.br/cps/telefonica Principais perguntas: Mapa digital Como evolui o binômio inclusão/exclusão

Leia mais

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL Coordenação: Marcelo Cortes Neri cps@fgv.br Equipe do CPS: Luisa Carvalhaes Coutinho de Melo Samanta dos Reis Sacramento Renato Wanderley Gomes Pedro Lipkin Thiago Cavalcante Lucas

Leia mais

Big Data & Melhores Cidades: Inclusão Digital & Percepções da População. Marcelo Neri

Big Data & Melhores Cidades: Inclusão Digital & Percepções da População. Marcelo Neri Big Data & Melhores Cidades: Inclusão Digital & Percepções da População Marcelo Neri = Volume, Velocidade e Variedade Inclusão Digital Cobertura, Constância, Convergência, Conectividade, Quem? Quanto?

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Os Emergentes de Curitiba

Os Emergentes de Curitiba Os Emergentes de Curitiba Marcelo Neri mcneri@fgv.br Centro de Políticas Sociais Fundação Getulio Vargas www.fgv.br/cps www.fgv.br/cps/brics Quem São os Emergentes Curitibanos? -Desigualdade Horizontal

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável EDUCAÇÃO Base do Desenvolvimento Sustentável 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL Andréa Zaitune Curi Tendências Consultoria Naercio Aquino Menezes Filho IBMEC-SP, USP, IFB e Fundação Itaú Social Introdução Processo de educação

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza. Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década. Edição Especial. Nº 45 Novembro 2012

Perfil Municipal de Fortaleza. Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década. Edição Especial. Nº 45 Novembro 2012 Nº 45 Novembro 2012 Edição Especial Perfil Municipal de Fortaleza Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década 4 1 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes Governador Domingos Gomes de

Leia mais

2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea

2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea 2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea Evolução segundo a ótica do Relatório Stiglitz-Sen: http://www.stiglitz-sen-fitoussi.fr/documents/rapport_anglais.pdf Recomendações Enfatizarrenda

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS SUFICIÊNCIA DE REDE: UM ESTUDO ECOLÓGICO SOBRE BENEFICIÁRIOS E REDES DE CUIDADOS À SAÚDE A PARTIR DE ANÁLISES EXPLORATÓRIAS DAS PROPORÇÕES DE PARTOS CESARIANOS E TAXAS DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA

Leia mais

O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social

O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social Naércio Aquino Menezes Filho Instituto Futuro Brasil, Ibmec São Paulo e USP 1ª Jornada da Educação - TCE - 04/12/2008 Roteiro 1) Introdução O papel

Leia mais

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL Coordenação: Marcelo Cortes Neri cps@fgv.br Equipe do CPS: Luisa Carvalhaes Coutinho de Melo Samanta dos Reis Sacramento Renato Wanderley Gomes Pedro Lipkin Thiago Cavalcante Lucas

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL 08 de Novembro de 2012 O que é o Brasil Rural? O Brasil Rural Diversidade: raças, origens étnicas, povos, religiões, culturas Conflitos: concentração de terra, trabalho

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO Maria da Piedade Morais 1º Seminário Franco-Brasileiro sobre Saúde Ambiental Brasília, 28 de junho de 2011 Objetivos

Leia mais

A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide. Marcelo Neri mcneri@fgv.br

A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide. Marcelo Neri mcneri@fgv.br A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide Marcelo Neri mcneri@fgv.br Percentil de da Distribuição Mundial de Renda Comparando Distribuições de Renda Países Selecionados e o Mundo

Leia mais

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Página 1 Evolução A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto

Leia mais

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE Agentes de Crédito e Grupos Solidários Segurado Segurador Agente de Seguro Segurado Segurado Definição de Microseguros Critério Renda Per Capita % Pop E 13.48 DE 34.96 83.83 1 SM 51.05 2 SM 74.82 3 SM

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Seminário Internacional sobre Tributação Imobiliária FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Maria Cristina Mac Dowell maria-macdowell.azevedo@fazenda.gov.br

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS BRASÍLIA, Julho de 2014 1 Proteção Social entre os Idosos (pessoas com 60 anos ou mais de idade) - Brasil 2 Cobertura Social entre os

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento EDUCAÇÃO Base para o desenvolvimento 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais de escolaridade.

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS IV ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura 28 a 30 de maio de 2008 Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS

Leia mais

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades

Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia. Regiões de Influência das Cidades Diretoria de Geociências Coordenação de Geografia Regiões de Influência das Cidades 2007 Objetivos Gerais Hierarquizar os centros urbanos Delimitar as regiões de influência associadas aos centros urbanos

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

PROGRAMAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL : TELEMAR

PROGRAMAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL : TELEMAR PROGRAMAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL : TELEMAR TELECOM SOCIAL 2005 Nova Atitude Social para Sustentação do Desenvolvimento Ronaldo Iabrudi Brasília, 04 de maio de 2005 O GRUPO TELEMAR RESPONSABILIDADE

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013 Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Cartão de Confirmação de Inscrição Entregues: 99,98% UF Participantes Entregues AC 58.364 100,00% AL 122.356 99,00%

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

PERFIL DA DEMANDA DOMÉSTICA NO RIO DE JANEIRO SEMANA SANTA 2008

PERFIL DA DEMANDA DOMÉSTICA NO RIO DE JANEIRO SEMANA SANTA 2008 PERFIL DA DEMANDA DOMÉSTICA NO RIO DE JANEIRO SEMANA SANTA 2008 FAIXA ETÁRIA Acima de 66 4% Entre 46 a 65 anos 24% 18 a 27 anos 36% 28 a 45 anos 36% SEXO Feminino 50% Masculino 50% Separado 5% Solteiro

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

Impactos Sociais de Investimentos em Saneamento Básico TRATA BRASIL. Coordenação: Marcelo Neri

Impactos Sociais de Investimentos em Saneamento Básico TRATA BRASIL. Coordenação: Marcelo Neri Impactos Sociais de Investimentos em Saneamento Básico TRATA BRASIL Coordenação: Marcelo Neri Ou Saneamento Básico: A Pesquisa TRATA BRASIL Objetivos: i. mapear a quantidade e qualidade do acesso à infra-estrutura

Leia mais

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em 1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em discussão na Câmara dos Deputados (PL 8.035/2010). Até o

Leia mais

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Quem ganha com a Guerra Fiscal? O país perde Porque grande parte dos incentivos é concedido a importações

Leia mais

A educação no Rio de Janeiro

A educação no Rio de Janeiro A educação no Rio de Janeiro Simon Schwartzman Na década de 90, em todo o Brasil, o acesso à educação melhorou, e o Rio de Janeiro não ficou atrás. Antes, não havia escolas suficientes para todas as crianças.

Leia mais

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 Objetivos 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 3. Avaliar o impacto do Programa Brasil Sorridente 4. Planejar

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

A Nova Classe A1: Determinantes e Projeções. Marcelo Neri

A Nova Classe A1: Determinantes e Projeções. Marcelo Neri A Nova Classe A1: Determinantes e Projeções Marcelo Neri Diagrama TIPOS E ESFERAS DE AÇÕES NA ANÁLISE EMPÍRICA TIPOS DE AÇÔES DISTRIBUIÇÂO/ COMUNICAÇÂO MONITORAMENTO DO MERCADO DEFINIÇÃO DE PREÇOS E PRODUTOS

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil

Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil O Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil é mais uma publicação do Plano Juventude Viva, que reúne ações de prevenção para reduzir a vulnerabilidade de jovens

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA. LEI 12.587 3 de janeiro de 2012

POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA. LEI 12.587 3 de janeiro de 2012 LEI 12.587 3 de janeiro de 2012 A POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA, INSTITUDA PELA LEI 12.587, É INSTRUMENTO DA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBJETIVANDO A INTEGRAÇÃO ENTRE OS DIFERENTES MODOS

Leia mais

O avanço das mulheres nas eleições de 2012 e o déficit democrático de gênero

O avanço das mulheres nas eleições de 2012 e o déficit democrático de gênero O avanço das mulheres nas eleições de 2012 e o déficit democrático de gênero José Eustáquio Diniz Alves 1 O ano de 2012 marca o aniverário dos 80 anos do direito de voto feminino no Brasil e as eleições

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil

ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil Wadson Ribeiro Secretário Nacional de Esporte Educacional Ministério do Esporte A DÉCADA DO ESPORTE BRASILEIRO Criação do Ministério

Leia mais

Motivos da Evasão Escolar

Motivos da Evasão Escolar 1 Motivos da Evasão Escolar APÊNDICE 1. Ranking de Motivos da Evasão Escolar... 61 1.1 Faixa Etária: anos... 61 a. Unidades da Federação... 61 b. Macro-Regiões... 62 c. Regiões Metropolitanas... 62 1.2

Leia mais

PROJETO DA REDE NACIONAL DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS VOLUME I - MODELO FUNCIONAL

PROJETO DA REDE NACIONAL DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS VOLUME I - MODELO FUNCIONAL PROJETO DA REDE NACIONAL DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS VOLUME I - MODELO FUNCIONAL ANEXO ÚNICO - RESULTADO DOS ESTUDOS DE DAS LIGAÇÕES NOVAS E ORIUNDAS DE MEDIDAS JUDICIAIS 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Brasília DF Abril, 2014

Brasília DF Abril, 2014 Avaliação do processo de implementação dos Centros-dia de Referência para a Pessoa com Deficiência e suas Famílias, no âmbito do Plano Viver Sem Limite, na Região Nordeste Projeto de pesquisa apresentado

Leia mais

24º Fórum de Debates Brasilianas.org

24º Fórum de Debates Brasilianas.org Transportes 24º Fórum de Debates Brasilianas.org Os desafios da logística e infraestrutura Marcos regulatórios e entraves burocráticos Reginaldo Cardoso São Paulo, 30 de Maio de 2012 Deutsche Post - DHL

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Diretoria de Pesquisas Departamento Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Data 06/04/16 Histórico INVESTIGAÇÃO DO TEMA TIC 2001... 2005 2008 2009 2011 2012

Leia mais

Hábitos de Consumo Dia dos Namorados 2015

Hábitos de Consumo Dia dos Namorados 2015 Hábitos de Consumo Dia dos Namorados 2015 3 de junho de 2015 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: a sondagem ter por objetivo identificar os hábitos de compras

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Perspectivas da economia / Comprometimento de renda Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015 Programa de Requalificação de UBS Março/2015 PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Instituído no ano de 2011 OBJETIVOS: Criar incentivo financeiro para as UBS Contribuir para estruturação e o fortalecimento

Leia mais

Brasília, agosto de 2012.

Brasília, agosto de 2012. Brasília, agosto de 2012. Contas de Governo Cap. 4 (Análise Setorial) Execução do gasto Orçamentário (OFSS + RPNP) Gasto tributário (renúncia de receita) Resultado da atuação governamental no exercício

Leia mais

Trata Brasil: Lema Saneamento é Saúde. Coordenação: Marcelo Neri

Trata Brasil: Lema Saneamento é Saúde. Coordenação: Marcelo Neri Trata Brasil: Lema Saneamento é Saúde Coordenação: Marcelo Neri www.fgv.br/cps/tratabrasil1 Sítio na Internet www.fgv.br/cps/tratabrasil2 www.fgv.br/cps/tratabrasil3 Perguntas-Chave: Cobertura Quão intenso

Leia mais

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento ÓRGÃO: 56000 - Ministério das Cidades UNIDADE: 56101 - Ministério das Cidades ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTAÇÃO) Crédito Suplementar Recurso de Todas as Fontes R$ 1,00 FUNCIONAL PROGRAMÁTICA

Leia mais

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS: Repartição das responsabilidades entre União, Estados e Municípios; Vinculação de impostos; Definição de Manutenção e Desenvolvimento do

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

O que é? Objetivos. FREIRE, P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1993, p. 68.

O que é? Objetivos. FREIRE, P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1993, p. 68. O que é? Inspirado no Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos (MOVA), criado pelo educador Paulo Freire (1921 1997), o Projeto MOVA Brasil é desenvolvido pelo Instituto Paulo Freire (IPF) em parceria

Leia mais

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Um total de 131 municípios da região Norte participou do Levantamento Nacional do Transporte Escolar. No Acre, 36% dos municípios responderam

Leia mais

Brasília, a cidade mais conectada

Brasília, a cidade mais conectada Fundação Getulio Vargas Tópico: CPS 17/05/2012 Correio Braziliense Online - DF Editoria: Cidades Pg: 04:00:00 Brasília, a cidade mais conectada Diego Amorim (Diego Amorim) A capital é recordista de inclusão

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília Apresentação do IDConselho Municipal Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília 5.366 Conselhos Municipais que preencheram o Censo SUAS 2014 Dinâmica de

Leia mais

SECRETARIA DE CIDADANIA E

SECRETARIA DE CIDADANIA E SECRETARIA DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL 2012 O Programa Arte, Cultura e Cidadania - Cultura Viva, iniciado em 2004 pelo Ministério da Cultura, objetiva reconhecer e potencializar iniciativas culturais

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

AUMENTA A CONCENTRAÇÃO DE MÉDICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO

AUMENTA A CONCENTRAÇÃO DE MÉDICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO AUMENTA A CONCENTRAÇÃO DE MÉDICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO Com um médico para 410 habitantes, taxa cresceu 33% em dez anos, revela levantamento do Cremesp realizado em março de 2010 Aconcentração de médicos

Leia mais

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Educação. Novembro de 2015

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Educação. Novembro de 2015 Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Educação Novembro de 2015 acesso móvel TV por assinatura telefone fixo banda larga fixa Panorama Setorial - Tradicional 44,1 milhões de assinantes 25,2

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Alto Boa Vista, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2248,35 km² IDHM 2010 0,651 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5247 hab. Densidade

Leia mais

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2016

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2016 CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2016 Sobre o HPV Vírus muito disseminado, transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas Mais de 200 tipos de HPV sendo 13 oncogênicos Os HPV tipos

Leia mais

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Ministério da Saúde II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL APLICAÇÃO DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO, DESAFIOS E POSSIBILIDADES Brasília, 25 de setembro de

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

Leia mais

Diagnóstico da realidade médica no país

Diagnóstico da realidade médica no país Diagnóstico da realidade médica no país Médicos por mil habitantes Peru 0,9 Chile 1,0 Paraguai 1,1* Bolívia 1,2* Colômbia 1,4* Equador 1,7 Brasil 1,8 Venezuela 1,9* México 2,0 Canadá 2,0 Estados Unidos

Leia mais

As outorgas de TV Digital no Brasil

As outorgas de TV Digital no Brasil As outorgas de TV Digital no Brasil Eng.Jayme Marques de Carvalho Neto Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Jayme.carvalho@mc.gov.br Santiago- Chile Setembro de 2010 A Secretaria de Serviços

Leia mais

O CUSTO DOS DESLOCAMENTOS NAS PRINCIPAIS ÁREAS URBANAS DO BRASIL

O CUSTO DOS DESLOCAMENTOS NAS PRINCIPAIS ÁREAS URBANAS DO BRASIL PUBLICAÇÕES SISTEMA FIRJAN PESQUISAS E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS AMBIENTE DE NEGÓCIOS O CUSTO DOS DESLOCAMENTOS NAS PRINCIPAIS ÁREAS URBANAS DO BRASIL Setembro/2015 Esta publicação contempla os seguintes

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria Políticas de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos maio 2015 PANORAMA DA EDUCAÇÃO DE JOVENS

Leia mais

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil Número 24 Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 29 de julho de 2009 COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 2 1. Apresentação Este

Leia mais

UN 4 0,00 Catraca pedestal com cofre com leitor smart card

UN 4 0,00 Catraca pedestal com cofre com leitor smart card ITEM 1 - Município - Rio de Janeiro - RJ ANEXO II DO TERMO DE REFERÊNCIA QT Valor Unitário R$ Valor Total R$ 1 - Projeto (verba para infraestrutura e ativação local) VB 1 Software de Acesso - Licença Web

Leia mais

CASAS ABRIGO. OG 3225-0604 AL Maceió Casa Abrigo Maceió (82) Casa Abrigo. OG 3336-8361 AM Manaus Casa Abrigo

CASAS ABRIGO. OG 3225-0604 AL Maceió Casa Abrigo Maceió (82) Casa Abrigo. OG 3336-8361 AM Manaus Casa Abrigo CASAS ABRIGO UF MUNICÍPIO NOME TELEFONE E-MAIL INAUGURAÇÃO OU OBSERVAÇÕES AC Rio Branco Casa Abrigo Mãe (68) Casa Abrigo da Mata 3225-0604 AL Maceió Casa Abrigo Maceió (82) Casa Abrigo Viva a Vida 3336-8361

Leia mais

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social COMENTÁRIOS ACERCA DOS NÚMEROS FINAIS DO PIB DO RS E DAS DEMAIS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2010 Equipe

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para mapear os hábitos de consumo e compras para época

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas do Pa CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indicador Nº 2/215 Técnicos Responsáv

Leia mais

Guia do Usuário Prosoft Analir versão 7.0. Introdução... 2. Liberação das licenças... 3

Guia do Usuário Prosoft Analir versão 7.0. Introdução... 2. Liberação das licenças... 3 Área Universidade Prosoft Autor Clécio Esteves Cavalcante Revisor Ricardo Sales Criação 26/02/2014 Publicação Edição 02-14/10/2014 Distribuição Franqueadora, Franquias e Clientes. Guia do Usuário Prosoft

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Areado, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 282,6 km² IDHM 2010 0,727 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 13731 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Políticas de Educação de Jovens e

Políticas de Educação de Jovens e Ministério da Educação Políticas de Educação de Jovens e Adultos Junho de 2011 Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Documentos de Referência Legislação Constituição

Leia mais

Política Nacional de Educação Infantil

Política Nacional de Educação Infantil Política Nacional de Educação Infantil (arquivo da Creche Carochinha) Junho/2012 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem

Leia mais

I I F ó r u m N a c i o n a l d o s. Conselhos de Usuár ios

I I F ó r u m N a c i o n a l d o s. Conselhos de Usuár ios I I F ó r u m N a c i o n a l d o s Conselhos de Usuár ios PESQUISA DE SATISFAÇÃO E QUALIDADE PERCEBIDA Destaques dos Resultados Coletiva de Imprensa Superintendência de Relações com Consumidores 29/03/2016

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (setembro/13) outubro de 2013 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100 Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Botelhos, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 335,24 km² IDHM 2010 0,702 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 14920 hab. Densidade

Leia mais

Human Capital: Education and Health in economic development.

Human Capital: Education and Health in economic development. Human Capital: Education and Health in economic development. Referências Básicas: Economic Development, Todaro & Smith, Capítulo 8 e Human Development Report 2011. Vítor Wilher www.vitorwilher.com Pontos

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação no Brasil Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação Infantil Taxas de atendimento Creches 36,3 23,6 9,4 12,2 Brasil Carinhoso: 2,8 milhões de

Leia mais

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 EQUIPE TÉCNICA DO IPETURIS Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: César Melo Tamiris Martins Viviane Silva Suporte: Gerson

Leia mais