SECRETARIA DE CIDADANIA E

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SECRETARIA DE CIDADANIA E"

Transcrição

1 SECRETARIA DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL 2012

2

3 O Programa Arte, Cultura e Cidadania - Cultura Viva, iniciado em 2004 pelo Ministério da Cultura, objetiva reconhecer e potencializar iniciativas culturais de base comunitária, existentes no país, contribuindo para o fortalecimento de uma rede de criação, formação, gestão, registro, pesquisa, intercâmbio, circulação, acesso a bens e serviços culturais e, sobretudo, de participação social. Autonomia Empoderamento Protagonismo Sustentabilidade

4 Denominados como Pontos de Cultura, as organizações são selecionados por meio de editais públicos e são articuladas em redes por território, identidades e por temas de interesse. O Programa tem se destacado como um importante agente de promoção da diversidade cultural do país e de promoção da cidadania e, hoje, conta com a participação de 26 gestores estaduais, cerca de 51 municipais e um Consórcio Intermunicipal com mais 20 gestores. Atualmente, tendo como base as duas pesquisas de avaliação realizadas pelo Ipea, as recomendações do órgãos de controle, a experiência adquirida pelos gestores das três esferas, da sociedade civil e dos parceiros, está em processo de Redesenho para o seu aperfeiçoamento e maior institucionalidade.

5 Saiba Mais Cada Ponto de Cultura recebe até 180 mil reais, divididos em até cinco parcelas. O Pontão de Cultura recebe em media ate 350 mil por ano e convenio é três anos. No máximo 80% do valor do convênio é repasse do Ministério da Cultura e no mínimo 20% é contrapartida do convenente, conforme regulamenta a Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de Um projeto de Rede Estadual, Municipal ou Intermunicipal pode contemplar vários Pontos de Cultura e/ou Pontões. Uma entidade conveniada diretamente com o Ministério da Cultura, será contemplada com apenas um Ponto ou um Pontão de Cultura. O valor total de um convênio é determinado pelo seu próprio edital.

6 Cultura Viva em números e sua evolução

7 Cultura Viva Os pontos e pontões de cultura tem estágios de implementação diferenciados, e há necessidade de especificar os números, dar acessoàrede bemcomoaos critérios paramelhor definiçãode sua tipologia. Para fomentar a rede da primeira etapa foram realizados editais de premiação/bolsas e, por vezes, registra-se que identificam-se pontos da primeira etapa incorporados às redes estaduais e municipais. Cercade70%dodadototalapresentadodosPontosdeCulturasão convênios vigentes, em diferentes etapas: ajustes, edital, seleção, assistência, prestação de contas, monitoramento, fiscalização etc.

8 Evolução na quantidade de Pontos e Pontões de Cultura por ano Ampliação Prevista até 2014

9 Comparativo da quantidade de Pontos e Pontões de Cultura por ano de implementação

10 Comparativo de quantidades de Pontos, Pontões e Redes, por gestor federal, estadual e municipal (até 2011) Pontões 143 Total : 3703 Pontos 712 Pontos de Rede Municipal 730 Pontos de Rede Estadual 2118 *Pontões + Pontões de Bens Registrados como Patrimônio Imaterial **Pontos = Pontos Diretos + Pontos Indígenas

11 TOTAL DE PONTOS E PONTÕES Por Tipo TIPO DE PONTO / PONTÃO Total até 2011 Total até 2012 (previsão) PONTÃO (CONVÊNIO DIRETO) PONTÃO DE REDE ESTADUAL 2 3 PONTÃO DE REDE MUNICIPAL 2 2 PONTÃO DE REDE INTERMUNICIPAL 1 1 PONTÃO DE BENS REGISTRADOS PONTO (CONVÊNIO DIRETO) PONTO INDÍGENA PONTO DE REDE ESTADUAL PONTO DE REDE INTERMUNICIPAL PONTO DE REDE MUNICIPAL Total geral

12 TOTAL DE PONTOS E PONTÕES PorTipo PONTO DE REDE INTERMUNICIPAL; 56 PONTO DE REDE ESTADUAL; 2118 PONTO DE REDE MUNICIPAL; 674 PONTÃO (CONVÊNIO DIRETO); 125 PONTÃO DE REDE ESTADUAL; 2 PONTO (CONVÊNIO DIRETO); 603 PONTÃO DE REDE MUNICIPAL; 2 PONTÃO DE REDE INTERMUNICIPAL; 1 PONTO INDÍGENA; 109 PONTÃO DE BENS REGISTRADOS; 13

13 TOTAL DE PONTOS VIGENTES Redes Estaduais, Municipais e Intermunicipais, Pontos Diretos e Pontões por UF

14 Conheça os dados quantitativos das regiões brasileiras dentro do Programa Cultura Vivae a contribuição para o desenvolvimento das políticas e ações culturais nos estados e municípios. Os gráficos apresentam dados dos pontos de cultura de cada região, das Redes Estaduais, Municipais e Intermunicipais e dos Pontões. O trabalho visa depurar as informações e criar um fluxo de registro, favorecendo a transparência e o controle social.

15 Quantidade e localização dos pontões LEGENDA NÃO VIGENTE 69 VIGENTE 61

16 TOTAL DE PONTOS VIGENTES POR UF -NACIONAL 15 Pontos 15 Pontos 20 Pontos 1 Pontão 40 Pontos 31 Pontos 1 Pontão 61 Pontos 41 Pontos 2 Pontões 35 Pontos 23 Pontos 4 Pontões 74 Pontos 1 Pontão 62 Pontos 100 Pontos 1 Pontão 305 Pontos 1 Pontão 206 Pontos 2 Pontões 54 Pontos e 1 Pontão 53 Pontos e 1 Pontão 123 Pontos e 1 Pontão 73 Pontos e 3 Pontões 30 Pontos 47 Pontos 1 Pontão 139 Pontos 4 Pontões 25 Pontos e 2 Pontões 64 Pontos 2 Pontões 526 Pontos e 18 Pontões 285 Pontos e 6 Pontões 227 Pontos 3 Pontões 74 Pontos e 2 Pontões

17 INVESTIMENTO NACIONAL POR ESTADO ( )

18 BA; ,40 CE; ,93 RS; ,58 MG; ,50 PE; ,54 DF; ,96 PR; ,08 PI; ,00 GO; ,00 SC; ,30 AL; ,50 PA; ,95 PB; ,38 MA; ,00 RN; ,48 MS; ,46 MT; ,00 ES; ,00 AM; ,00 AC; ,52 SE; ,00 TO; ,00 RO; ,96 RR; ,00 AP; ,04 Investimento por Estado (R$) RJ; ,65 SP; ,73 TOTAL ,96

19 INVESTIMENTO NACIONAL POR HABITANTE/ POR ESTADO

20 Investimento por Estado/por Habitante (R$) BA; 2,90 PB; 2,66 SE; 2,56 SP; 2,44 MT; 2,37 GO; 2,20 SC; 2,10 PR; 1,68 ES; 1,67 AM; 1,58 MG; 1,44 MA; 1,46 PA; 1,39 PI; 4,76 AP; 4,56 CE; 4,11 RJ; 3,89 MS; 3,69 TO; 3,64 AL; 3,56 PE; 3,11 RS; 3,03 RN; 2,99 RO; 2,91 RR; 7,66 AC; 7,47 Distribuição realizada com base no Repasse do Ministério da Cultura DF; 10,26

21 PROGRAMA CULTURA VIVA EVOLUÇÃO DO ORÇAMENTO

22 Ano ,00 Demonstrativo Pago (do Orçamento Anual) RP Pago Programa Cultura Viva - Evolução do Orçamento 2004 a 2011 PAGAMENTOS (Orçamento e Restos a Pagar) Total Pago , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,55 Totais , , , , , , , , , Pago (do Orçamento Anual) RP Pago Total Pago Apesar de dotação inicial muito menor 2011 (pouco mais da metade do valor de 2010), o valor efetivamente pago foi que em 2010.

23 Demonstrativo Ano Dotação Inicial RP Inscrito , , , , , , , , , , , , , , , , ,80 Totais , ,33 Programa Cultura Viva - Evolução do Orçamento 2004 a 2011 DOTAÇÃO INICIAL (desconsidera o limite disponibilizado à unidade pela Secretaria Executiva) X RESTOS A PAGAR Inscrito por Ano , , ,00 Dotação Inicial RP Inscrito , ,00 Resultado de 2011: Reversão da curva ascendente do valor de RP Inscrito, alcançando o menor valor desde

24 O PROGRAMA CULTURA VIVA NAS CINCO REGIÕES DO PAÍS

25 REGIÃO NORTE LEGENDA REDE ESTADUAL REDE MUNICIPAL PONTÃO PONTO INSTRUMENTO Nº de Convênios Nº de PONTOS Nº de PONTÕES Repasse MinC* Contrapartida* Valor Total dos Convênios* Valor a Pagar* Valor Pago PONTÃO , , , , ,00 PONTO , , , , ,41 PONTO COM PREFEITURA , , , , ,00 REDE ESTADUAL , , , , ,00 REDE MUNICIPAL , , , , ,00 Total geral , , , , ,41 * Refere-se ao período Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

26 REGIÃO NORTE Investimento por Estado/Habitante (R$) AP; ,04 PA; ,95 RR; ,60 RO; ,96 AC; ,52 TO; ,00 AM; ,00 TOTAL R$ ,07

27 REGIÃO NORTE Investimento por Estado/Habitante (R$) RR; 12,77 AP; 8,61 AC; 7,86 TO; 4,16 RO; 3,69 AM; 1,65 PA; 0,76

28 REGIÃO NORTE Investimento por Estado (R$) PA; ,95 AC; ,52 AM; ,00 TO; ,00 RO; ,96 RR; ,60 AP; ,04 TOTAL R$ ,07

29 REGIÃO NORDESTE LEGENDA REDE ESTADUAL REDE MUNICIPAL PONTÃO PONTO INSTRUMENTO Nº de Nº de Nº de Repasse MinC* Contrapartida* Valor Total dos Valor a Pagar* Valor Pago Convênios PONTOS PONTÕES Convênios* PONTÃO , , , , ,05 PONTO , , , , ,03 PONTO COM PREFEITURA , , , , ,00 PONTO INDÍGENA , , ,00 - REDE ESTADUAL , , , , ,00 REDE MUNICIPAL , , , , ,00 Total geral , , , , ,08 * Refere-se ao período Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

30 REGIÃO NORDESTE Investimento por Estado/Habitante (R$) SE; ,00 RN; ,48 MA; ,00 BA; ,80 PB; ,54 AL; ,50 CE; ,93 PI; ,00 PE; ,54 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados. TOTAL R$ ,79

31 REGIÃO NORDESTE Investimento por Estado/Habitante (R$) BA; 13,32 PE; 9,18 CE; 6,01 AL; 5,58 PB; 3,23 MA; 2,55 PI; 1,69 SE; 0,38 RN; 1,12 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

32 REGIÃO NORDESTE Investimento por Estado (R$) BA; ,80 CE; ,93 PE; ,54 PI; ,00 AL; ,50 PB; ,54 MA; ,00 SE; ,00 RN; ,48 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados. TOTAL R$ ,79

33 REGIÃO CENTRO-OESTE LEGENDA REDE ESTADUAL REDE MUNICIPAL PONTÃO PONTO INSTRUMENTO Nº de Nº de Nº de Repasse MinC* Contrapartida* Valor Total dos Valor a Pagar* Valor Pago Convênios PONTOS PONTÕES Convênios* PONTÃO , , , , ,43 PONTÃO DE BENS , , ,00 PONTO , , , , ,50 PONTO COM PREFEITURA , , , ,46 PONTO INDÍGENA , , , ,47 REDE ESTADUAL , , , , ,00 REDE MUNICIPAL , , , , ,00 Total geral , , , , ,86 * Refere-se ao período Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

34 REGIÃO CENTRO-OESTE Investimento por Estado/Habitante (R$) MT; ,13 MS; ,46 DF; ,51 GO; ,00 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados. TOTAL R$ ,10

35 REGIÃO CENTRO-OESTE Investimento por Estado/Habitante(R$) DF; 13,95 GO; 5,63 MT; 2,83 MS; 1,50 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

36 REGIÃO CENTRO-OESTE Investimento por Estado (R$) DF; ,51 GO; ,00 MS; ,46 MT; ,13 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados. TOTAL R$ ,10

37 REGIÃO SUDESTE LEGENDA REDE ESTADUAL REDE INTERMUNICIPAL REDE MUNICIPAL PONTÃO PONTO INSTRUMENTO Nº de Nº de Nº de Repasse MinC* Contrapartida Valor Total dos Valor a Pagar* Valor Pago Convênios PONTOS PONTÕES * Convênios* PONTÃO , , , , ,84 PONTO , , , , ,54 PONTO COM PREFEITURA , , , , ,00 REDE ESTADUAL , , , , ,00 REDE INTERMUNICIPAL , , , ,00 - REDE MUNICIPAL , , , , ,66 Total geral , , , , ,04 * Refere-se ao período Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

38 REGIÃO SUDESTE Investimento por Estado/Habitante(R$) ES; ,00 MG; ,50 SP; ,89 RJ; ,25 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados. TOTAL R$ ,64

39 REGIÃO SUDESTE Investimento por Estado/Habitante(R$) RJ; 4,60 SP; 2,57 MG; 1,63 ES; 1,67 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

40 REGIÃO SUDESTE Investimento por Estado (R$) SP; ,89 RJ; ,25 MG; ,50 ES; ,00 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados. TOTAL R$ ,64

41 REGIÃO SUL LEGENDA REDE ESTADUAL REDE MUNICIPAL PONTÃO PONTO INSTRUMENTO Nº de Nº de Nº de Repasse MinC* Contrapartida* Valor Total dos Valor a Pagar* Valor Pago Convênios PONTOS PONTÕES Convênios* PONTÃO , , , , ,74 PONTO , , , , ,23 PONTO COM PREFEITURA , , , , ,00 PONTO INDÍGENA , , , ,31 REDE ESTADUAL , , , , ,00 REDE INTERMUNICIPAL , , , ,00 REDE MUNICIPAL , , , , ,00 Total geral , , , , ,28 * Refere-se ao período Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

42 REGIÃO SUL Investimento por Estado/Habitante(R$) SC ; ,30 RS ; ,73 PR ; ,91 TOTAL R$ ,94 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

43 REGIÃO SUL Investimento por Estado/Habitante(R$) RS; 3,17 SC; 2,10 PR; 1,76 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados.

44 REGIÃO SUL Investimento por Estado (R$) RS ; ,73 PR ; ,91 SC ; ,30 * Para , considera o valor previsto de repasse do MinC nos convênios já celebrados. TOTAL R$ ,94

45

46 Relatório de Execução 2012 Fonte: SigaBrasil(SIAFI) Execução RP 2012 RP Inscrito ,33 RP Pago ,08 RP Cancelado ,52 RP a Pagar ,73 Pagamentos SCDC (RP + Exercício) Editais ,00 Descentralizações ,39 Convênios SCDC (rede, ponto, pontão e contrato) ,35 Total Geral ,74

47 Visão Geral de Pagamentos Pagamento de Editais Edital Qtde Valor Edital Asas ,00 Edital Cultura Digital ,00 Edital Cultura e Saúde ,00 Edital Culturas Populares ,00 Edital Economia Viva ,00 Edital Ludicidade/Pontinhos de Cultura ,00 Edital Mídia Livre ,00 Edital Tuxaua ,00 Total geral ,00

48 Visão Geral de Pagamentos Pagamento de Descentralizações Projeto Entidade Valor Pontão de Bens IV Módulo do Fórum de Atualização Sobre Culturas Indígenas do Brasil Projetos Indígenas Instituto do Patrimônio Histórico E Artístico Nacional - IPHAB Fundação Universidade de Brasília - FUB Universidade Federal de Grande dourados , , ,03 Proler - Projeto Cidadania E Leitura Fundação Biblioteca Nacional - FBN ,21 Rede Saúde E Cultura do Fórum Social Temático Fundação Oswaldo Cruz ,00 Rede Saude E Cultura: Programa Cultura Viva Promovendo Inclusão E Qualidade de Vida Redesenho do Programa Cultura Viva Fundação Oswaldo Cruz ,00 Instituto de Pesquisa Economica Aplicada - IPEA ,00 Seminario "Politicas Para Diversidade Cultural". Universidade Federal da Bahia 9.476,80 Viva Diversidade Viva Universidade Federal do Pará ,93 Total geral ,39

49 Visão Geral de Pagamentos Pagamento de Convênios SCDC Descrição do Projeto Valor Pago Total Geral ,35 Contrato ,78 Reunião do Colegiado de Culturas Populares - São José dos Campos/Sp ,73 Diárias E Passagens ,72 Gráfica Editora Brasil ,33 Pontão ,79 Estação Digital Ufrj ,79 Rede de Integração E Acompanhamento dos Pontos de Cultura de Pernambuco (Pontão) ,00 Ponto ,00 Mocart- Movimento Cultural Artístico Raízes da Terra ,00 Ponto Indígena ,78 Implementação de 24 Pontos de Cultura Indígena - Região Sul ,41 Implementação de 9 Pontos de Cultura Indígena - Região Sudeste ,90 Implementação de Pontos de Cultura Indígena - Região Centro-Oeste ,47

50 Visão Geral de Pagamentos Pagamento de Convênios SCDC Descrição do Projeto Valor Pago Total Geral ,35 Rede Estadual ,00 Programa de Implantação de Pontos de Cultura No Sul E Centro-Sul do Estado do Rio Grande do Sul ,00 Rede de Pontos da Furg Rede de Pontos do Estado do Rs ,00 Rede do Governo do Estado de Goiás ,00 Rede do Governo do Estado de São Paulo ,00 Rede do Governo do Estado do Espírito Santo ,00 Rede do Governo do Estado do Mato Grosso do Sul ,00 Rede do Governo do Estado do Pará ,00 Rede do Governo do Estado do Rio Grande do Norte ,00

51 Visão Geral de Pagamentos Pagamento de Convênios SCDC Descrição do Projeto Valor Pago Total Geral ,35 Rede Intermunicipal ,00 Programa de Implantação de Pontos de Cultura No Sul E Centro-Sul do Estado do Rio Grande do Sul ,00 Rede de Pontos da Furg Rede Municipal ,00 Ampliação da Rede de Pontos de Cultura E Pontão de Gestão Abcd-Setecidades ,00 Rede da Fundação Cultural de Palmas ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Canoas ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Curitiba ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Governador Valadares ,00

52

53 Visão Geral de Empenhos Empenho de Convênios SCDC - 22/05/2012 Descrição do Projeto Valor Pago Total Geral ,50 Contrato ,00 Diárias e Passagens ,00 Gráfica Editora Brasil 800,00 Pontão ,00 Cultura Viva ao Alcance de Todos ,00 Pontão Ganesha ,00 Pontão Nós Digitais ,00

54 Visão Geral de Empenhos Empenho de Convênios SCDC - 22/05/2012 Descrição do Projeto Valor Pago Total Geral ,50 Rede Estadual ,00 Rede de Pontos de Cultura do Estado de Roraima ,00 Rede do Governo do Estado da Bahia ,00 Rede do Governo do Estado da Paraíba ,00 Rede do Governo do Estado de Rondônia ,00 Rede do Governo do Estado de São Paulo ,00 Rede do Governo do Estado do Amapá ,00 Rede do Governo do Estado do Maranhão ,00

55 Visão Geral de Empenhos Empenho de Convênios SCDC - 22/05/2012 Descrição do Projeto Valor Pago Total Geral ,50 Rede Municipal ,50 Rede da Fundação Cultural de Uberaba ,00 Rede da Fundação Municipal de Cultura de Campo Grande ,00 Rede da Prefeitura de Goiânia ,50 Rede da Prefeitura Municipal de Alegrete ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Amparo ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Botucatu ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Campina Grande ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Caxias do Sul ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Embu ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Garibaldi ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Mogi Das Cruzes ,00

56 Visão Geral de Empenhos Empenho de Convênios SCDC - 22/05/2012 Descrição do Projeto Valor Pago Total Geral ,50 Rede Municipal ,50 Rede da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto Rede da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo , ,00 Rede da Prefeitura Municipal de São Vicente ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Sobral ,00 Rede da Prefeitura Municipal de Suzano ,00 Rede de Pontos de Cultura de Alvorada ,00 Rede de Pontos de Cultura de Arapiraca ,00 Rede de Pontos de Cultura de Araras ,00 Rede de Pontos de Cultura de Diamantina ,00 Rede de Pontos de Cultura de Foz do Iguaçu ,00 Rede de Pontos de Cultura de Jales ,00 Rede de Pontos de Cultura de João Pessoa ,00 Rede de Pontos de Cultura de Sabará ,00

57 Apresentaçãoda equipeda Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural Márcia Rollemberg Secretária de Cidadania Cultural (61)

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Programa Mais Cultura

Programa Mais Cultura Programa Mais Cultura Reconhecimento da Cultura como: Necessidade básica; Direito de todos os brasileiros, como a alimentação, a saúde, a moradia, a educação e o voto; Economia importante para o desenvolvimento

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

É uma ação permanente de promoção dos museus brasileiros coordenada pelo Ibram;

É uma ação permanente de promoção dos museus brasileiros coordenada pelo Ibram; Pesquisa da 13ª Semana Nacional de Museus Período de aplicação: 25 de maio a 30 de junho de 2015 Coordenação de Estudos Socioeconômicos e Sustentabilidade Ceses Departamento de Difusão, Fomento e Economia

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas do Pa CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indicador Nº 2/215 Técnicos Responsáv

Leia mais

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Pesquisa da 10ª Semana de Museus Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Panorama geral - Pesquisa da 10ª Semana Nº entradas

Leia mais

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Agricultura Familiar no Mundo São 500 milhões de estabelecimentos da agricultura familiar

Leia mais

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos

FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Seminário Internacional sobre Tributação Imobiliária FINANCIAMENTO DOS MUNICÍPIOS DO BRASIL Um balanço o entre aspectos sociais e econômicos Maria Cristina Mac Dowell maria-macdowell.azevedo@fazenda.gov.br

Leia mais

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Seminário de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos Mesa Redonda I Exposição humana a agrotóxicos: ações em desenvolvimento Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Coordenação

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA Relatório Estatístico Preliminar de Resultados da Lei de Informática 8.248/91 e suas Alterações Dados dos Relatórios Demonstrativos

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas d CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indica Nº 1/215 Técnicos Respon Equipe

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015 Programa de Requalificação de UBS Março/2015 PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Instituído no ano de 2011 OBJETIVOS: Criar incentivo financeiro para as UBS Contribuir para estruturação e o fortalecimento

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil

ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil Wadson Ribeiro Secretário Nacional de Esporte Educacional Ministério do Esporte A DÉCADA DO ESPORTE BRASILEIRO Criação do Ministério

Leia mais

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS APRESENTAÇÃO POPULAÇÃO CARCERÁRIA BRASILEIRA O objetivo deste trabalho, elaborado pela Comissão de Monitoramento e Avaliação do DEPEN, é realizar um levantamento, de forma sucinta, sobre o quadro evolutivo

Leia mais

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO COM BASE NA LEI Nº 11738 DO PISO NACIONAL NA SUA FORMA ORIGINAL

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

Pesquisa. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

Pesquisa. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Pesquisa A Implementação do PNEDH nas Diretrizes do Ensino Fundamental nos Municípios Brasileiros Instituição Executora: Coordenação Geral: Apoio: Gajop Gajop e Undime Secretaria de Direitos Humanos da

Leia mais

Reunião do Conselho das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa CONFAP

Reunião do Conselho das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa CONFAP Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Reunião do Conselho das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa CONFAP Manoel Cardoso Assessoria de Planejamento e Estudos Brasília,

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011 Transporte Escolar nos Estados e no DF Novembro/2011 UFs onde existe terceirização total ou parcial (amostra de 16 UFs) AC AL AP AM DF GO MT MS PB PI RJ RN RO RR SE TO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO

Leia mais

Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA.

Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA. Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA Brasília 2005 O Licenciamento Ambiental nasceu de uma exigência social, fruto de uma

Leia mais

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág.

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág. RELATÓRIO SIOR 2012 ÍNDICE NOTÍCIAS 2011/2012 ANÁLISE DAS DEMANDAS GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO TEMPO DE ATENDIMENTO DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES MAPA DAS PRINCIPAIS DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES

Leia mais

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS SUFICIÊNCIA DE REDE: UM ESTUDO ECOLÓGICO SOBRE BENEFICIÁRIOS E REDES DE CUIDADOS À SAÚDE A PARTIR DE ANÁLISES EXPLORATÓRIAS DAS PROPORÇÕES DE PARTOS CESARIANOS E TAXAS DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA

Leia mais

CONVOCAÇÕES REALIZADAS ATÉ 01/01/2012

CONVOCAÇÕES REALIZADAS ATÉ 01/01/2012 SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA OS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO EDITAL Nº 1 SERPRO, DE 08 DE OUTUBRO

Leia mais

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social As inscrições para o concurso público do Instituto Nacional do Seguro Social INSS estarão abertas no período de 12 de agosto a 13 de setembro. São 300 vagas para o cargo de Analista do Seguro Social, sendo

Leia mais

Relatório Gerencial TECNOVA

Relatório Gerencial TECNOVA Relatório Gerencial TECNOVA Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados - DPDE Área de Apoio à Ciência, Inovação, Infraestrutura e Tecnologia - ACIT Fevereiro de 2015 Marcelo Nicolas Camargo

Leia mais

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Quem ganha com a Guerra Fiscal? O país perde Porque grande parte dos incentivos é concedido a importações

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

Ranking Município P2i - Lead Alto Padrão Médio Padrão Baixo Padrão

Ranking Município P2i - Lead Alto Padrão Médio Padrão Baixo Padrão 1 São Bernardo do Campo -SP 0,8200 Ótimo Ótimo Ótimo 2 Campo Grande -MS 0,7670 Ótimo Ótimo Ótimo 3 Santo André -SP 0,7670 Ótimo Ótimo Ótimo 4 Osasco -SP 0,7460 Ótimo Ótimo Ótimo 5 Natal -RN 0,7390 Ótimo

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Um total de 131 municípios da região Norte participou do Levantamento Nacional do Transporte Escolar. No Acre, 36% dos municípios responderam

Leia mais

CASAS ABRIGO. OG 3225-0604 AL Maceió Casa Abrigo Maceió (82) Casa Abrigo. OG 3336-8361 AM Manaus Casa Abrigo

CASAS ABRIGO. OG 3225-0604 AL Maceió Casa Abrigo Maceió (82) Casa Abrigo. OG 3336-8361 AM Manaus Casa Abrigo CASAS ABRIGO UF MUNICÍPIO NOME TELEFONE E-MAIL INAUGURAÇÃO OU OBSERVAÇÕES AC Rio Branco Casa Abrigo Mãe (68) Casa Abrigo da Mata 3225-0604 AL Maceió Casa Abrigo Maceió (82) Casa Abrigo Viva a Vida 3336-8361

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES

MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES Objetivo Fomentar ações estruturantes para o sistema de transporte coletivo urbano por meio de qualificação e ampliação da infraestrutura de mobilidade urbana Quem pode pleitear?

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

Leia mais

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília Apresentação do IDConselho Municipal Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília 5.366 Conselhos Municipais que preencheram o Censo SUAS 2014 Dinâmica de

Leia mais

SITUAÇÃO ATÉ 10/04/2015 CONTRATAÇÕES AUTORIZADAS (2) VAGAS OFERTADAS (1)

SITUAÇÃO ATÉ 10/04/2015 CONTRATAÇÕES AUTORIZADAS (2) VAGAS OFERTADAS (1) SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA OS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO EDITAL Nº 1 SERPRO, DE 26 DE FEVEREIRO

Leia mais

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Ministério da Saúde II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL APLICAÇÃO DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO, DESAFIOS E POSSIBILIDADES Brasília, 25 de setembro de

Leia mais

Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe. Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER

Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe. Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe Eustáquio Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER RR AP AM PA MA CE RN AC 90 s RO MT TO PI BA PB PE AL SE 80

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP UBS Elpidio Moreira Souza AC Quadra da Escola Municipal Érico de Souza, Águas Lindas GO UPA município de Ribeirão Pires SP UBS Clínica da Família,

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MANUAL INSTRUTIVO Sumário Introdução... 3 Atividades a serem desenvolvidas dentro

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE

FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE Santa Catarina - 20 de Novembro de 2010 IMPORTÂNCIA DA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS As MPEs correspondem à 98,81%* (CNE/IBGE 2009) das empresas

Leia mais

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS EM CULTURA NO BRASIL v. 1 Gastos públicos com cultura no Brasil: 1985-1995 Contrato de prestação de serviços que entre si celebram a União Federal, por intermédio da Secretaria

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO

LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO LOCALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA ESCALA SUBNACIONAL: ÁGUA E ESGOTO Maria da Piedade Morais 1º Seminário Franco-Brasileiro sobre Saúde Ambiental Brasília, 28 de junho de 2011 Objetivos

Leia mais

6. A SVS/MS agradece a todas as Instituições que enviaram suas propostas. Instituição proponente. Universidade Federal do Rio de Janeiro

6. A SVS/MS agradece a todas as Instituições que enviaram suas propostas. Instituição proponente. Universidade Federal do Rio de Janeiro A Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) torna público o resultado da análise das propostas e projetos submetidos ao Chamamento Público nº 05/2014 Iniciativas Educacionais Aplicadas

Leia mais

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência)

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento C o m p an h i a N ac io n a l d e Abastecimento D i r e t o r i a d e Opercações e A b a stecimento S u p erintedência de O p erações Comerciais G e r ên c i a d e Formação e Controle de Estoques P o

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013.

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME MINAS GERAIS Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ALINHAMENTO DOS PLANOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO AO PNE SECRETARIA DE ARTICULAÇÃO

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento ÓRGÃO: 56000 - Ministério das Cidades UNIDADE: 56101 - Ministério das Cidades ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTAÇÃO) Crédito Suplementar Recurso de Todas as Fontes R$ 1,00 FUNCIONAL PROGRAMÁTICA

Leia mais

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil Número 24 Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 29 de julho de 2009 COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 2 1. Apresentação Este

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Ministério da Saúde Ministério da PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Fevereiro 2013 Ministério da Ministério da CRONOGRAMA 2013 Semana Saúde na Escola Adesão de 20/02 a 10/03 Ações nas escolas entre os dias 11 e

Leia mais

Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS

Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS Recursos destinados pelo Ministério da Saúde também vão melhorar a qualidade da assistência aos usuários da rede pública na área de nefrologia.

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Partindo da figura da engrenagem, presente na logo atual do CFC, o novo logo desenvolvido mantém uma relação com o passado da instituição, porém com um olhar no presente e no futuro, na evolução e ascensão

Leia mais

O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR)

O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR) O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR) Pontos Lei Geral Como é hoje 1 Alcance da Lei A lei do Simples está voltada para os tributos federais. Os sistemas de tributação

Leia mais

Censo Nacional das Bibliotecas Públicas P

Censo Nacional das Bibliotecas Públicas P Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional Diretoria de Livro, Leitura e Literatura Fundação Biblioteca Nacional Sistema Nacional de Bibliotecas PúblicasP Censo Nacional das Bibliotecas

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE Porto Alegre, 01 de julho de 2011 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL LDB Nº 9394/96 É uma modalidade de ensino integrada às diferentes formas de educação,

Leia mais

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS: Repartição das responsabilidades entre União, Estados e Municípios; Vinculação de impostos; Definição de Manutenção e Desenvolvimento do

Leia mais

Relatório Produto 2 PESQUISA MAPEAMENTO DAS EXPERIÊNCIAS DE COMÉRCIO ÉTICO E SOLIDÁRIO NO BRASIL

Relatório Produto 2 PESQUISA MAPEAMENTO DAS EXPERIÊNCIAS DE COMÉRCIO ÉTICO E SOLIDÁRIO NO BRASIL Relatório Produto 2 PESQUISA MAPEAMENTO DAS EXPERIÊNCIAS DE COMÉRCIO ÉTICO E SOLIDÁRIO NO RASIL Objeto: Elaboração de um banco de dados unificado com os dados de 00 produtores que comporão o corpo inicial

Leia mais

Manual do Usuário para o RDQ Versão 2

Manual do Usuário para o RDQ Versão 2 Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa Manual do Usuário para o RDQ Versão 2 Brasília DF Maio de 2014 3 ÍNDICE 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013 Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Cartão de Confirmação de Inscrição Entregues: 99,98% UF Participantes Entregues AC 58.364 100,00% AL 122.356 99,00%

Leia mais

HIV/AIDS no Norte e Nordeste

HIV/AIDS no Norte e Nordeste HIV/AIDS no Norte e Nordeste Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde www.aids.gov.br 04 de dezembro de 2014 Foco em populações chave 12% 10% 10,5%

Leia mais

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 Objetivos 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 3. Avaliar o impacto do Programa Brasil Sorridente 4. Planejar

Leia mais

acompanhar a situação das famílias vulneráveis planejar suas ações no território ofertar benefícios de forma transparente e republicana

acompanhar a situação das famílias vulneráveis planejar suas ações no território ofertar benefícios de forma transparente e republicana Proteção e Promoção Social no Brasil A proteção social básica e a promoção de oportunidades para as famílias em situação de pobreza têm hoje, como instrumento principal de gestão, o Cadastro Único. Mais

Leia mais

Presencial: Formação Continuada Material didático

Presencial: Formação Continuada Material didático 8. CURSO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 8.1. Apresentação O Curso de Educação Ambiental é um curso de formação continuada de professores de educação básica, com carga horária de 180h distribuído em módulos. Ofertado

Leia mais

Fundação Banco do Brasil. Tecnologia Social para superar a pobreza

Fundação Banco do Brasil. Tecnologia Social para superar a pobreza Fundação Banco do Brasil Tecnologia Social para superar a pobreza Missão Articular e desenvolver ações sustentáveis de inclusão e transformação social, mobilizando parceiros e contribuindo para a promoção

Leia mais

ANEXO II - Diagnóstico Situacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - 2008

ANEXO II - Diagnóstico Situacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - 2008 ANEXO II - Diagnóstico Situacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - 2008 Em 2008, após dois anos de aprovação da PNPIC, o Departamento de Atenção Básica (DAB), em parceria com a Secretaria

Leia mais

SINDCONT-SP PALESTRA ICMS NO COMÉRCIO ELETRONICO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS OPERAÇÕES INTERESTADUAIS

SINDCONT-SP PALESTRA ICMS NO COMÉRCIO ELETRONICO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS OPERAÇÕES INTERESTADUAIS SINDCONT-SP PALESTRA ICMS NO COMÉRCIO ELETRONICO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS OPERAÇÕES INTERESTADUAIS TRÊS TIPOS DE DIFERENCIAIS (não confunda!!!) 1 Diferencial clássico 2 Diferencial S.T. 3 Diferencial nas

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2013 % Jan a Dez 2013 x Jan a Dez 2012 Morte 60.752 1 54.767 9% - Invalidez Permanente 352.495 69% 444.206 70% 2 Despesas Médicas (DAMS) 94.668 19% 134.872

Leia mais

AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1

AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1 AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1 AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1 >> INFORMAÇÕES GERAIS Os treinamentos são realizados no Centro de Treinamento, nas instalações da Ciber Equipamentos Rodoviários

Leia mais

Base Populacional do Território

Base Populacional do Território ORGÃO GESTOR - Sistema de Educação Ambiental Pesquisas Projetos EA Órgão Gestor / Comitê Assessor CIEAs / Redes de EA Fomento a projetos SIBEA PNE Coletivos Educadores Com-vida Comunicação CNIJMA Coletivos

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS IV ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura 28 a 30 de maio de 2008 Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS

Leia mais

Movimentação das Empresas do Segmento Junho 2010

Movimentação das Empresas do Segmento Junho 2010 Movimentação das Empresas do Segmento Junho 2010 Índice 1. Consolidado Brasil... 03 2. Acumulado Brasil... 05 3. Consolidado por Região... 06 4. Consolidado por Estado... 09 5. Consolidado Brasil Comparativo

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Movimentação das Empresas do Segmento Julho 2011

Movimentação das Empresas do Segmento Julho 2011 Movimentação das Empresas do Segmento Julho 2011 Índice 1. Consolidado Brasil... 03 2. Acumulado Brasil... 06 3. Consolidado por Região... 08 4. Consolidado por Estado... 14 5. Consolidado Brasil Comparativo

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100 Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças

Leia mais

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social AGENDA SOCIAL AGENDA SOCIAL Estamos lutando por um Brasil sem pobreza, sem privilégios, sem discriminações. Um país de oportunidades para todos. A melhor forma para um país crescer é fazer que cada vez

Leia mais

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015 Governança Pública O Desafio do Brasil Contra a corrupção e por mais desenvolvimento Governança de Municípios Março/2015 João Augusto Ribeiro Nardes Ministro do TCU Sumário I. Introdução-OTCUeocombateàcorrupção

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS BRASÍLIA, Julho de 2014 1 Proteção Social entre os Idosos (pessoas com 60 anos ou mais de idade) - Brasil 2 Cobertura Social entre os

Leia mais

Movimentação das Empresas do Segmento Abril 2011

Movimentação das Empresas do Segmento Abril 2011 Movimentação das Empresas do Segmento Abril 2011 Índice 1. Consolidado Brasil... 03 2. Acumulado Brasil... 06 3. Consolidado por Região... 08 4. Consolidado por Estado... 14 5. Consolidado Brasil Comparativo

Leia mais

Política Nacional de Educação Infantil

Política Nacional de Educação Infantil Política Nacional de Educação Infantil (arquivo da Creche Carochinha) Junho/2012 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem

Leia mais

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 2010

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 21 A Secretaria de Vigilância em Saúde, em trabalho

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica Emissão de Nota Fiscal Eletrônica DANFE - Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica. É um documento que serve para acobertar a circulação da mercadoria. Impresso em via única; Validade em meio digital

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais