IMPOSTO ZERO! A CESTA BÁSICA PEDE SOCORRO!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IMPOSTO ZERO! A CESTA BÁSICA PEDE SOCORRO!"

Transcrição

1 IMPOSTO ZERO! A CESTA BÁSICA PEDE SOCORRO! Paulo Cezar Ribeiro da Silva Mestre em Administração FGV/RJ Coordenador da Empresa Júnior FABAVI Vitória RESUMO Trata de relatar sobre o lançamento da campanha de cidadania em defesa da isenção de impostos sobre a cesta básica, que é composto pelos seguintes produtos segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese): arroz, feijão, farinha de mandioca, carne de boi, manteiga, leite, óleo de soja, açúcar, batata inglesa, tomate, banana, pão francês e pó de café. Palavras-chave Imposto. Cesta Básica. Cidadania. Segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) o Brasil é o país que mais cobra impostos no setor de alimentos num ranking de 15 países ricos e emergentes. Na realidade, nosso Brasil é um dos poucos países do mundo que taxa os alimentos. A média da carga tributária nacional embutida nos preços dos alimentos atinge 18,35% - se considerados ICMS, PIS e Cofins, que correspondem a quase 70% do peso dos tributos. Na França, por exemplo, não há incidência de impostos sobre os alimentos. A eliminação da carga tributária começou na Revolução Francesa, por isso, hoje, eles não tem imposto nenhum sobre os alimentos. De acordo com recente estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV), no Brasil a carga tributária sobre a comida é mais do que o dobro da média dos trinta países (7,11%) da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A diferença é

2 gritante quando os números são comparados com os Estados Unidos (EUA): dos 50 Estados norte-americanos, 34 têm alíquota zero. O tributo médio sobre a venda de alimentos naquele país é de 0,66%. No Brasil o sistema tributário é do tipo regressivo, com muitos impostos indiretos, o que faz que as pessoas que ganham menos e que, portanto, gastam a maior parte do seu salário com alimentação acabem pagando mais impostos, porque ainda temos uma grande carga tributária sobre os alimentos. Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em abril de 2008, a aquisição de alimentos consumiu 53% do rendimento líquido do trabalhador, contra 47% em abril de 2007, em função da alta do preço nos alimentos ocorrida ano passado. Alguns Estados tributam mais pesadamente as matérias-primas empregadas na produção dos produtos da cesta básica, como trigo, mandioca e soja em grão, onerando-a com o objetivo de não perder receitas de ICMS. No entanto, estudo realizado pela Associação Brasileira de Indústria de Alimentos mostra que a redução da carga tributária sobre alimentos aumentaria o tamanho do mercado consumidor em 5%, o que geraria 626 mil novos empregos tanto na agropecuária quanto na indústria, provocando um crescimento de 7% na arrecadação tributária. Isto contraria as projeções daqueles que prevêem uma queda no nível de arrecadação proveniente da isenção do ICMS sobre a cesta básica na tentativa de justificar a sua visão elitista e preconceituosa contra mais comida na mesa dos pobres. Ainda segundo a Associação Brasileira de Indústria de Alimentos, uma isenção de impostos sobre a cesta básica traria um extraordinário resultado no campo social, pois haveria um aumento de 11% no valor real do salário mínimo e um crescimento de 8% na renda real das famílias com menos de dois salários mínimos. Uma redução do número de indigentes e um aumento da ingestão calórica. Desse modo, a política tributária de desoneração da cesta básica é instrumento poderoso de redistribuição de renda e, consequentemente, de redução dos níveis de miséria e pobreza em que vive a maioria da população brasileira. Com objetivo de despertar a consciência cidadã do capixaba, no dia 16 de outubro de 2009, dia mundial da alimentação, a EJFV - Empresa Júnior do Curso de Administração da Faculdade Batista de Vitória lançou a campanha IMPOSTO ZERO! A CESTA BÁSICA PEDE SOCORRO! durante a Feira Saúde & Sabor com Cidadania realizada pela Secretaria de Assistência Social da Prefeitura Municipal de Vitória. É importante salientar que esta campanha de cidadania não tem qualquer vínculo político-partidário. Durante o evento (figuras 1 e 2) os alunos e diretores da Empresa Júnior iniciaram a empreitada e já iniciaram a coleta de centenas de assinaturas que serão encaminhadas ao Governo do Estado em março de A petição tem como objetivo a solicitação da desoneração definitiva e imediata da CESTA BÁSICA CAPIXABA com a eliminação da incidência do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) sobre seus treze componentes (arroz, feijão, farinha de mandioca, carne de boi, manteiga, leite, óleo de soja, açúcar, batata inglesa, tomate, banana prata, pão francês e pó de café).

3 Figura 1 Alunos da EJFV coletando assinaturas. Cabe ressaltar que esta petição ao Governo do Estado é apenas um paliativo da situação, pois o objetivo maior da campanha é a isenção integral de todos os impostos que incidem sobre a cesta básica. O cidadão também pode assinar o abaixo-assinado virtual que solicita a isenção integral de todos os impostos sobre a cesta básica nacional, através do site da campanha em e que será encaminhada à Presidência da República Federativa do Brasil também em março de Figura 2 Alunos da EJFV coletando assinaturas.

4 Como proposta, os alunos diretores da EJFV - Empresa Júnior FABAVI Vitória elaboraram o seguinte detalhamento dos itens da Cesta Básica a serem isentos dos impostos: arroz: arroz tipo II; feijão: feijão preto, feijão carioca; farinha de mandioca: farinha branca comum; carne de boi: patinho, chã de dentro, chã de fora, músculo, acém pá, costela; manteiga: manteiga comum; leite: leite em sacola tipo C, leite longa vida integral e desnatado; óleo de cozinha: óleo de soja comum; açúcar: açúcar cristal, açúcar refinado; batata: batata inglesa comum; tomate: tomate de mesa comum; banana: todos os tipos de banana; pão: pão francês comum; pó de café: pó de café tradicional tipo almofada. É válido observar que a cesta básica capixaba é a terceira mais cara do país, ficando na frente de grandes capitais como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza, conforme cálculos mensais efetuados Dieese. Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O agravante no Brasil é o fato de que os impostos sobre a alimentação têm maior peso sobre as camadas mais pobres da população. Segundo o estudo, a incidência equivale a 3,1% do consumo total de bens e serviços das famílias com renda mensal inferior a R$ 1 mil. Para as de classe alta, a tributação corresponde a 0,9%. Assim, um país com tantas pessoas pobres não poderia ter uma tributação tão pesada assim. O impacto do imposto sobre quem tem menos renda é enorme, o que diminui naturalmente seu poder de compra. No caso brasileiro, a tributação se torna ainda mais perversa se for observado que se gasta, em média, 30,8% da renda familiar com a compra de alimentos. Esse percentual cresce à medida que decresce a renda. Cidadãos brasileiros, o nosso país não pode se dar ao luxo de tributar alimentos básicos, até porque, para a população de renda baixa, a principal despesa de seu orçamento é o alimento. Assim, se queremos ser um país de FOME ZERO, precisamos com urgência lutar pelo IMPOSTO ZERO na cesta básica. REFERÊNCIAS AGÊNCIA Brasil. Estudo sugere fim da incidência do ICMS sobre os alimentos. Disponível em: <http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/10/15/materia /view>. Acesso em: 10 out ASSOCIAÇÃO Comercial e Empresarial de Maringá. Impostos sobre alimentos chegam a 18%. Disponível em: <http://www.acim.com.br/?see=ver_noticias_locais&codigo=481>. Acesso em: 11 out

5 CIDADES do Brasil. Estudo do IPEA revela que os pobres pagam mais impostos e os mais prejudicados ganham até R$ 372,00 por mês. Disponível em: <http://cidadesdobrasil.com.br/ cgi-cn/news.cgi? cl= &arecod=8&newcod=671>. Acesso em: 10 out FOLHA online. Paraná reduz ICMS de 95 mil produtos de consumo popular. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u shtml>. Acesso em: 31 mar PSB na Câmara. Nordeste vê benefícios em isenção da cesta básica Disponível em: Acesso em: 22 jun

&(67$%É6,&$62%((0&$3,7$,6

&(67$%É6,&$62%((0&$3,7$,6 São Paulo, 02 de maio de 2005. &(67$%É6,&$62%((0&$3,7$,6 Apenas uma das 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos realiza mensalmente a Pesquisa Nacional

Leia mais

Em janeiro, preço da cesta só cai em duas capitais

Em janeiro, preço da cesta só cai em duas capitais 1 São Paulo, 06 de fevereiro de 2012. NOTA À IMPRENSA Em janeiro, preço da cesta só cai em duas capitais Apenas duas, das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos

Leia mais

Cesta básica tem alta em janeiro

Cesta básica tem alta em janeiro 1 São Paulo, 11 de fevereiro de 2008. NOTA À IMPRENSA Cesta básica tem alta em janeiro Em janeiro, o preço dos gêneros alimentícios essenciais apresentou alta em 15 das 16 capitais onde o DIEESE Departamento

Leia mais

Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades

Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades 1 São Paulo, 06 de novembro de 2014. NOTA À IMPRENSA Valor da Cesta Básica aumenta em 12 cidades Em outubro, houve aumento dos preços do conjunto de bens alimentícios essenciais em 12 das 18 cidades onde

Leia mais

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês

Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês 1 São Paulo, 04 de agosto de 2010. NOTA À IMPRENSA Redução do preço de alimentos básicos continua pelo terceiro mês Desde maio, na maioria das capitais onde é realizada mensalmente a Pesquisa Nacional

Leia mais

Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas

Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas 1 São Paulo, 04 de novembro de 2015. NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas Em outubro, entre as 18 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais

Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais 1 São Paulo, 06 de julho de 2009. NOTA À IMPRENSA Cesta básica tem alta moderada na maioria das capitais Em junho, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo DIEESE - Departamento Intersindical

Leia mais

Preços de alimentos básicos continuam em alta

Preços de alimentos básicos continuam em alta 1 São Paulo, 2 de junho de 2008. NOTA À IMPRENSA Preços de alimentos básicos continuam em alta Apenas duas, das 16 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Desoneração da carga tributária. (versão preliminar)

Desoneração da carga tributária. (versão preliminar) CONTAG Coletivo Nacional de Política Agrícola Desoneração da carga tributária sobre os produtos alimentícios (versão preliminar) Brasília, 24 de abril de 2009. Objetivo geral: subsidiar a proposta de discussão

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2012 Vitória, dezembro de 2012 Cesta Básica

Leia mais

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades 1 São Paulo, 16 de fevereiro de 2016 NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades A partir de janeiro de 2016, o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)

Leia mais

Valor da cesta básica diminui em 15 cidades

Valor da cesta básica diminui em 15 cidades 1 São Paulo, 04 de setembro de 2015. NOTA à IMPRENSA Valor da cesta básica diminui em 15 cidades Das 18 cidades em que o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - realiza

Leia mais

Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 4% em junho de 2014

Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 4% em junho de 2014 1 Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 4% em junho de 2014 Porto Alegre, 07 de julho de 2014. NOTA À IMPRENSA Em junho de 2014, a Cesta Básica de Porto Alegre registrou queda de 4,00%, passando

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA JANEIRO/2011

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA JANEIRO/2011 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a Cesta Básica para a Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2015 Vitória, dezembro de 2015 Cesta Básica

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2007 Rio de Janeiro, 09 de março de 2007 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS FEVEREIRO DE 2007 ÍNDICE NACIONAL

Leia mais

Nível de preços em outubro tem aumento de 1,31% no município de Chapecó

Nível de preços em outubro tem aumento de 1,31% no município de Chapecó Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 19, Nº 10 Outubro/2014 Nível de preços em outubro tem aumento de 1,31% no município de Chapecó O curso

Leia mais

Nível de preços em julho tem queda de 1,12% no município de Chapecó

Nível de preços em julho tem queda de 1,12% no município de Chapecó Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 19, Nº 7 Julho/2014 Nível de preços em julho tem queda de 1,12% no município de Chapecó O curso de

Leia mais

Nível de preços em novembro tem aumento de 1,70% no município de Chapecó

Nível de preços em novembro tem aumento de 1,70% no município de Chapecó Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 19, Nº 11 Novembro/2014 Nível de preços em novembro tem aumento de 1,70% no município de Chapecó O

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2014 Vitória, dezembro de 2014 Cesta Básica

Leia mais

CESTA BÁSICA DE DIVINÓPOLIS - janeiro de 2008

CESTA BÁSICA DE DIVINÓPOLIS - janeiro de 2008 Autorizada pelo Decreto Federal n.º 65.111 de 08-09-69 Reconhecido pelo Decreto Federal n.º 74497 de 04-09-74 B O L E T I M E C O N Ô M I CO CESTA BÁSICA DE DIVINÓPOLIS - janeiro de 2008 A pesquisa do

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2005

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2005 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Fevereiro 2005 Rio de Janeiro, 11 de março de 2005 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS FEVEREIRO DE 2005 ÍNDICE NACIONAL

Leia mais

CESTA BÁSICA DE ALIMENTOS do Município de Catalão-GO

CESTA BÁSICA DE ALIMENTOS do Município de Catalão-GO BOLETIM AGOSTO 2015 CESTA BÁSICA DE ALIMENTOS do Município de Catalão-GO Mês de Referência: 08/2015 Mês de Divulgação: 09/2015 Profa. Dra. Michelle da Silva Borges Karen Brina Borges de Deus; Luciene Maria

Leia mais

ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013

ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013 1 São Paulo, 8 de janeiro de 2014. ICV-DEESE fica em 6,04%, em 2013 NOTA À IMPRENSA Em 2013, o Índice do Custo de Vida ICV calculado pelo DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Leia mais

Boletim Novembro 2014

Boletim Novembro 2014 Boletim Novembro 2014 No mês de novembro de 2014 o custo da cesta básica na cidade de Ilhéus reduziu 0,48%, caindo de R$239,58 em outubro para R$238,42 em novembro (Tabela 1). A queda de 7,85% no preço

Leia mais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Junho - 2013 Junho de 2013 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR Prof. Isidoro

Leia mais

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos 1 São Paulo, 06 de junho de 2014. NOTA À IMPRENSA Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos Em maio, o custo de vida no município de São Paulo aumentou 0,14%, segundo cálculo do DIEESE Departamento

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2013

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2013 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2013 Rio de Janeiro, 10 de janeiro de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Dezembro 2013 1. No mês 1.1 - ÍNDICE

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2014 Rio de Janeiro, 09 de maio de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Abril 2014 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 09 Setembro 2011

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 09 Setembro 2011 BOLETIM MENSAL Ano 27 N o 09 Setembro 2011 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA)

Leia mais

MAIO 2015. IPC de Salvador apresenta alta de 0,64%

MAIO 2015. IPC de Salvador apresenta alta de 0,64% MAIO 2015 IPC de Salvador apresenta alta de 0,64% O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Salvador apresentou, em maio, incremento de 0,64%, variação inferior à apurada no mês anterior (0,79%). Em maio

Leia mais

CESTA BÁSICA SOBE MENOS QUE O SÁLARIO MÍNIMO: UMA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA EM UM AMBIENTE DE MODELAGEM MATEMÁTICA

CESTA BÁSICA SOBE MENOS QUE O SÁLARIO MÍNIMO: UMA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA EM UM AMBIENTE DE MODELAGEM MATEMÁTICA CESTA BÁSICA SOBE MENOS QUE O SÁLARIO MÍNIMO: UMA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA EM UM AMBIENTE DE MODELAGEM MATEMÁTICA Hosanna Santos Barreto Dantas 1 Escola Municipal São Judas Tadeu (Irará-BA) hosannajose@yahoo.com.br

Leia mais

Cesta básica volta a subir em Novembro

Cesta básica volta a subir em Novembro Piracicaba, 03 de dezembro de 2014. Cesta básica volta a subir em Novembro Os preços médios mensais da Cesta Básica de Piracicaba ICB - ESALQ/FEALQ, calculado pela EJEA, têm oscilado nos últimos meses

Leia mais

F E V E R E I R O / 9 3

F E V E R E I R O / 9 3 G O V E R N A D O R D O E S T A D O - G E R A L D O B U L H Õ E S B A R R O S ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE PLANEJAMENTO SEPLAN FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PLANEJAMENTO FIPLAN INSTITUTO DE INFORMÁTICA - IFOR

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Maio 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Maio 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Maio 2015 Rio de Janeiro, 10 de junho de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Maio 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2011

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2011 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a Cesta Básica para a Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Novembro 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Novembro 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Novembro 2015 Rio de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Novembro 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO

Leia mais

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC.

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC. Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC setembro 2012 Data 05/10/2012 IPCA IPCA setembro 0,57 % agosto 0,41 % IPCA - Série

Leia mais

Boletim Março 2015. Tabela 1 - Custo da Cesta Básica (em R$) nas cidades de Ilhéus e Itabuna, 2015 Mês Ilhéus Itabuna Gasto Mensal R$

Boletim Março 2015. Tabela 1 - Custo da Cesta Básica (em R$) nas cidades de Ilhéus e Itabuna, 2015 Mês Ilhéus Itabuna Gasto Mensal R$ Boletim Março 2015 O custo da cesta básica na cidade de Ilhéus aumentou 5,36%, passando de R$241,03 em fevereiro para R$253.96 em março (Tabela 1). O aumento de 21,95% no preço do tomate e 14,15% no preço

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS - FCPE - UNICRUZ

CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS - FCPE - UNICRUZ APRESENTAÇÃO... 4 1- FINANÇAS PÚBLICAS... 5 2- NÍVEL DE ATIVIDADE... 7 3- NEGÓCIOS... 9 4- COMÉRCIO... 10 5- CONSTRUÇÃO CIVIL... 12 6- TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS... 15 7- EMPREGO... 18 8- CESTA BÁSICA DO

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Abril 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Abril 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Abril 2015 Rio de Janeiro, 08 de maio de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Abril 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro A CONTRIBUIÇÃO DO CDES PARA O DEBATE DA CONSOLIDAÇÃO DAS POLÍTICAS SOCIAIS

Leia mais

BOLETIM MENSAL 30 - Nº 11 31 - Nº

BOLETIM MENSAL 30 - Nº 11 31 - Nº BOLETIM MENSAL Ano Ano 30 31 - Nº Nº 11 01 Novembro Janeiro - 2014 1-2015 Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Departamento de Economia ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

Estudo sobre o comportamento de preços de produtos da cesta básica 2014/2015: Supermercados da cidade de Corumbá, Mato Grosso do Sul, Brasil.

Estudo sobre o comportamento de preços de produtos da cesta básica 2014/2015: Supermercados da cidade de Corumbá, Mato Grosso do Sul, Brasil. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CAMPUS DO PANTANAL PESQUISA DE PREÇOS DE PRODUTOS DA CESTA BÁSICA Estudo sobre o comportamento de preços de produtos da cesta básica

Leia mais

A carga tributária sobre alimentos no Brasil

A carga tributária sobre alimentos no Brasil A CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE ALIMENTOS NO BRASIL adrian_payeras@hotmail.com Apresentação Oral-Comercialização, Mercados e Preços JOSÉ ADRIAN PINTOS-PAYERAS 1 ; SÉRGIO CARLOS DE CARVALHO 2. 1.UEPG, PONTA GROSSA

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2013

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2013 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2013 Rio de Janeiro, 08 de maio de 2013 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR abril de 2013 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Janeiro 2006

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Janeiro 2006 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Janeiro 2006 Rio de Janeiro, 09 de fevereiro de 2006 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS JANEIRO DE 2006 ÍNDICE NACIONAL

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze)

PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) *C0051416A* C0051416A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 409, DE 2015 (Do Sr. Luis Carlos Heinze) Institui isenção da contribuição para o PIS/PASEP, COFINS e CIDE- Combustíveis incidente sobre o óleo

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC agosto 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC agosto 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC agosto 2014 Rio de Janeiro, 05 de setembro de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Agosto 2014 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

Nota Técnica Número 120 março 2013. A desoneração dos produtos da Cesta Básica

Nota Técnica Número 120 março 2013. A desoneração dos produtos da Cesta Básica Nota Técnica Número 120 março 2013 A desoneração dos produtos da Cesta Básica A desoneração dos produtos da Cesta Básica O Governo Federal editou, em 08 de março de 2013, a Medida Provisória nº 609, que

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2012

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2012 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2012 Rio de Janeiro, 08 de agosto de 2012 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR julho de 2012 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

SINDIMATEs RS/SC/PR/MS

SINDIMATEs RS/SC/PR/MS SINDIMATEs RS/SC/PR/MS AGROPECUARIA VIER SA ANALISE DE RENTABILIDADE E PRODUÇÃO DE FOLHA DO ERVAL DA FAZENDA EM SÃO MATEUS DO SUL CAMARA DOS DEPUTADOS OUT/2013 BASE DE DADOS 2011 BRASIL AREA EM HA 71.334

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Agosto 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Agosto 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Agosto 2015 Rio de Janeiro, 10 de setembro de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Agosto 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO NOVA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO Política de Desenvolvimento Produtivo Elevar dispêndio em P&D Meta: 0,65% PIB Ampliar Investimento Fixo Meta: 21% PIB Posição 2007: 17,6% Macrometas 2010 Dinamização

Leia mais

Tributos em orçamentos

Tributos em orçamentos Tributos em orçamentos Autores: Camila de Carvalho Roldão Natália Garcia Figueiredo Resumo O orçamento é um dos serviços mais importantes a serem realizados antes de se iniciar um projeto. É através dele

Leia mais

Análise dos impactos do Programa Bolsa Família no desenvolvimento do Nordeste

Análise dos impactos do Programa Bolsa Família no desenvolvimento do Nordeste Análise dos impactos do Programa Bolsa Família no desenvolvimento do Nordeste Francisco Diniz Bezerra Coordenador de Estudos e Pesquisas BNB/ETENE Fortaleza CE 20/11/2013 Indicadores socioeconômicos da

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES 1. CESTA BÁSICA FAMILIAR No mês de dezembro 2014,

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 25 No 05 Maio 2009

BOLETIM MENSAL Ano 25 No 05 Maio 2009 BOLETIM MENSAL Ano 25 N o 05 Maio 2009 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA) Coordenador

Leia mais

RELATÓRIO. Outubro 2015. Ano 03-10

RELATÓRIO. Outubro 2015. Ano 03-10 RELATÓRIO Outubro 2015 Ano 03-10 APOIO: - CENTRO DE INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS FACISA Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas ÍNDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL (ICE) ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE SINOP

Leia mais

Inflação e custo da cesta básica no município de Horizontina

Inflação e custo da cesta básica no município de Horizontina 32 Inflação e custo da cesta básica no município de Horizontina Inflation and cost of the basic items of consumption in the city of Horizontina Por Cíntia Maísa Bender Ms. em Economia Coord. do Curso de

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2014 Rio de Janeiro, 12 de março de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Fevereiro 2014 ÍNDICE NACIONAL DE

Leia mais

BOLETIM MENSAL. Maio de 2012. Realização:

BOLETIM MENSAL. Maio de 2012. Realização: BOLETIM MENSAL Maio de 2012 Realização: FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CURSO DE GESTÃO FINANCEIRA ÍNDICE DA CESTA BÁSICA DE CARUARU (ICBC/FAVIP) Coordenação Científica Profª.

Leia mais

Informe Econômico N 3

Informe Econômico N 3 Conjuntura Econômica Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiário: Tharlen

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

INDICADORES REGIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR: ÍNDICE DA CESTA BÁSICA MUNICIPAL

INDICADORES REGIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR: ÍNDICE DA CESTA BÁSICA MUNICIPAL 1 INDICADORES REGIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR: ÍNDICE DA CESTA BÁSICA MUNICIPAL Gustavo Henrique Naves Givisiez Universidade Federal Fluminense ghnaves@globo.com Murilo Arruda Sabino de Souza Universidade

Leia mais

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA! As mudanças no PIS e no Cofins! Lucro real e presumido! IR e CSLL! Simples Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa

Leia mais

S I N O P S E S I N D I C A L S E T E M B R O D E 2 0 0 6

S I N O P S E S I N D I C A L S E T E M B R O D E 2 0 0 6 S I N O P S E S I N D I C A L S E T E M B R O D E 2 0 0 6 ALIMENTAÇÃO. Com data-base em 1º de setembro, o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação (Setor de Derivados de Milho e Soja), representando

Leia mais

Educação Fiscal e Financiamento. 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015

Educação Fiscal e Financiamento. 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015 Educação Fiscal e Financiamento 10º Encontro Estadual da UNCME/ES 14 de maio de 2015 Vinculação Constitucional de Recursos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Art. 212. A União aplicará,

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 (Do Sr. Vaz de Lima) Altera os Anexos da Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, para permitir o abatimento de parcela dedutível do valor devido mensalmente

Leia mais

Alimentos e eletricidade respondem pela deflação em São Paulo

Alimentos e eletricidade respondem pela deflação em São Paulo Alimentos e eletricidade respondem pela deflação em São Paulo Pelo segundo mês consecutivo, o custo de vida no município de São Paulo registrou taxa negativa de 0,17%, segundo cálculo do DIEESE - Departamento

Leia mais

O peso da tributação no preço dos alimentos: análise da cesta básica do município de Sorocaba-SP

O peso da tributação no preço dos alimentos: análise da cesta básica do município de Sorocaba-SP O PESO DA TRIBUTAÇÃO NO PREÇO DOS ALIMENTOS: ANÁLISE DA CESTA BÁSICA DO MUNICÍPIO DE SOROCABA-SP aparecidaoliveira@ufscar.br APRESENTACAO ORAL-Evolução e estrutura da agropecuária no Brasil FERNANDA MARCHESONI

Leia mais

A Pesquisa de Orçamentos Familiares e os Usos na Linha de Pobreza

A Pesquisa de Orçamentos Familiares e os Usos na Linha de Pobreza A Pesquisa de Orçamentos Familiares e os Usos na Linha de Pobreza Isabel Cristina Martins Santos Montovideo, 09 de setembro de 2009 Pesquisa de Orçamentos Familiares Despesas e Rendimentos monetários e

Leia mais

Carga tributária: o maior limitante de investimentos no Brasil

Carga tributária: o maior limitante de investimentos no Brasil IMPOSTOS NO BRASIL Imposto sobre telefone chega a 62,9% e é o maior do mundo. Com a conversa de que os impostos são para "combate à pobreza" (alguém acredita?), o imposto é de 2 a 3 vezes maior que o do

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2009

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2009 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2009 Rio de Janeiro, 13 de janeiro de 2010 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS dezembro 2009 1. No mês 1.1 - ÍNDICE

Leia mais

XIII soro de leite fluido a ser empregado na industrialização de produtos destinados ao consumo humano;

XIII soro de leite fluido a ser empregado na industrialização de produtos destinados ao consumo humano; LEI Nº 10.925, DE 23 DE JULHO DE 2004 Reduz as alíquotas do PIS/PASEP e da COFINS incidentes na importação e na comercialização do mercado interno de fertilizantes e defensivos agropecuários e dá outras

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 30 de Novembro de 2015

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 30 de Novembro de 2015 Associação Brasileira de Supermercados Nº58 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 30 de Novembro de 2015 Índice de Vendas acumula queda de -1,02% até outubro Vendas do setor

Leia mais

Everson Vieria dos Santos Prof. Dr. Uniritter everson_santos@uniritter.edu.br. Lisiane de Souza Nunes Moura Estatística UFRGS lisiane.moura@ufrgs.

Everson Vieria dos Santos Prof. Dr. Uniritter everson_santos@uniritter.edu.br. Lisiane de Souza Nunes Moura Estatística UFRGS lisiane.moura@ufrgs. Isenção Fiscal sobre os Produtos do Cesto Básico da Região Metropolitana de Porto Alegre Everson Vieria dos Santos Prof. Dr. Uniritter everson_santos@uniritter.edu.br Lisiane de Souza Nunes Moura Estatística

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC julho 2014 Rio de Janeiro, 08 de agosto de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Julho 2014 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011 AGENDA DE TRABALHO PARA O CURTO PRAZO Indústria brasileira de bens de capital mecânicos Janeiro/2011 UMA AGENDA DE TRABALHO (para o curto prazo) A. Financiamento A1. Taxa de juros competitiva face a nossos

Leia mais

FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE -0,69% EM JULHO/2011

FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE -0,69% EM JULHO/2011 FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE -0,69% EM JULHO/2011 No mês de ho de 2011, o valor da cesta básica do paulistano teve queda de 0,69%, revela pesquisa diária da Fundação Procon-SP,

Leia mais

BOLETIM MENSAL. Abril de 2012. Realização:

BOLETIM MENSAL. Abril de 2012. Realização: BOLETIM MENSAL Abril de 2012 Realização: FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ÍNDICE DA CESTA BÁSICA DE CARUARU (ICBC-CC/FAVIP) Coordenação Científica Profª. Maria Vanessa de Souza

Leia mais

Boletim Econômico. Federação Nacional dos Portuários. Sumário

Boletim Econômico. Federação Nacional dos Portuários. Sumário Boletim Econômico Federação Nacional dos Portuários Agosto de 2014 Sumário Indicadores de desenvolvimento brasileiro... 2 Emprego... 2 Reajuste dos salários e do salário mínimo... 3 Desigualdade Social

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC junho 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC junho 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC junho 2014 Rio de Janeiro, 08 de julho de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Junho 2014 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS

Leia mais

Índice de Variação Geral de Preços Departamento de Economia

Índice de Variação Geral de Preços Departamento de Economia Índice de Variação Geral de Preços Departamento de Economia FEVEREIRO 2007 Índices de preços são números que agregam e representam os preços de uma determinada cesta de produtos. Sua variação mede, portanto,

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 46 IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS Dr. João Inácio Correia (advcor@mandic.com.br)

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Setembro 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Setembro 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Setembro 2015 Rio de Janeiro, 07 de outubro de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Setembro 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA INDIRETA SOBRE OS ALIMENTOS NA REGIÃO SUL DO BRASIL

CARGA TRIBUTÁRIA INDIRETA SOBRE OS ALIMENTOS NA REGIÃO SUL DO BRASIL CARGA TRIBUTÁRIA INDIRETA SOBRE OS ALIMENTOS NA REGIÃO SUL DO BRASIL Denize Mirian da Silva Universidade Estadual de Londrina email: denize.msilva@hotmail.com Resumo ÁREA TEMÁTICA: ECONOMIA REGIONAL E

Leia mais

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Associação Brasileira de Supermercados Nº51 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Abril de 2015 Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Crescimento moderado

Leia mais

INFORMA DIEESE agosto/2008

INFORMA DIEESE agosto/2008 INFORMA DIEESE Nº. 74 AGOSTO/2008 1 INFORMA DIEESE agosto/2008 A INFLAÇÃO RECENTE E AS CAMPANHAS SALARIAIS A inflação voltou? Como ficam as campanhas salariais dos trabalhadores? Com o objetivo de discutir

Leia mais

Introdução. Manual de Orientação ao preenchimento da Nota Fiscal Avulsa NFA Série 3

Introdução. Manual de Orientação ao preenchimento da Nota Fiscal Avulsa NFA Série 3 Introdução A Nota Fiscal Avulsa - foi criada para registrar as vendas de mercadorias, bens ou serviços realizadas pelos Contribuintes do estado de Sergipe aos órgãos e entidades da Administração Pública

Leia mais

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 RELATÓRIO DE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA QUE ATUA NO RAMO DE SITUADA NO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Unidade II CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA. Profa. Divane Silva

Unidade II CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA. Profa. Divane Silva Unidade II CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA Profa. Divane Silva Contabilidade tributária A disciplina está dividida em 02 Unidades: Unidade I 1. Introdução 2. Impostos Incidentes sobre o Valor Agregado 3. Impostos

Leia mais

EVOLUÇÃO DAS TARIFAS DE ÔNIBUS URBANOS 1994 A 2003

EVOLUÇÃO DAS TARIFAS DE ÔNIBUS URBANOS 1994 A 2003 1 MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Departamento de Cidadania e Inclusão Social EVOLUÇÃO DAS TARIFAS DE ÔNIBUS URBANOS 1994 A 2003 MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTRO

Leia mais

Survey, Comparison and Analysis of the Prices of Basic Provision Products in the City of Arapongas Paraná

Survey, Comparison and Analysis of the Prices of Basic Provision Products in the City of Arapongas Paraná Levantamento, Comparação e Análise dos Preços dos Produtos da Cesta Básica no Município Artigo Original de Arapongas / Original - Paraná Article Levantamento, Comparação e Análise dos Preços dos Produtos

Leia mais

IPCA setembro 2014 Data 08/10/2014

IPCA setembro 2014 Data 08/10/2014 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Índices de Preços - COINP Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA setembro 2014 Data 08/10/2014 IPCA Setembro 0,57 % Agosto 0,25 % IPCA Regiões

Leia mais

Tributação na Indústria de Óleos Vegetais

Tributação na Indústria de Óleos Vegetais Câmara Setorial da Soja MAPA Tributação na Indústria de Óleos Vegetais Fabio Trigueirinho Secretário Geral Goiânia GO 12 de agosto de 2011 Estrutura da Apresentação Cadeia de produção da soja e seus derivados

Leia mais

Tributação, Distribuição de Renda e Pobreza: Uma Análise dos Impactos da Carga Tributária Sobre Alimentação nas Grandes Regiões Urbanas Brasileiras

Tributação, Distribuição de Renda e Pobreza: Uma Análise dos Impactos da Carga Tributária Sobre Alimentação nas Grandes Regiões Urbanas Brasileiras ISSN 1415-4765 TEXTO PARA DISCUSSÃO N O 804 Tributação, Distribuição de Renda e Pobreza: Uma Análise dos Impactos da Carga Tributária Sobre Alimentação nas Grandes Regiões Urbanas Brasileiras Luís Carlos

Leia mais

Associação Brasileira de Supermercados Nº49 ECONOMIA. Honda: ritmo de vendas de janeiro foi positivo. Nesta edição:

Associação Brasileira de Supermercados Nº49 ECONOMIA. Honda: ritmo de vendas de janeiro foi positivo. Nesta edição: Associação Brasileira de Supermercados Nº49 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 26 de Fevereiro de 2015 Setor inicia o ano com crescimento real de 3,42% Em janeiro de 2015

Leia mais