Índice. 1. O que é a RAIS Quem deve declarar Quem deve ser relacionado Quem NÃO deve ser relacionado...

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice. 1. O que é a RAIS... 2. 1.1. Quem deve declarar... 2. 1.2. Quem deve ser relacionado... 3. 1.3. Quem NÃO deve ser relacionado..."

Transcrição

1 Índice 1. O que é a RAIS Quem deve declarar Quem deve ser relacionado Quem NÃO deve ser relacionado Como informar a RAIS Estabelecimentos SEM vínculos empregatícios no ano-base Estabelecimentos COM vínculos empregatícios no ano-base Encerramento de atividades Declaração de RAIS dos anos anteriores ( ) Como comprovar a entrega da declaração da RAIS Como obter o recibo de entrega da RAIS Multa Como Transmitir com Certificado Digital Instalador do aplicativo RAIS Prazo de Entrega Geração, Manutenção e Conferência Conferência da RAIS Manutenção da RAIS Geração do Arquivo Dúvidas Frequentes Caracteres inválidos Código de Atividade Econômica obrigatório O que compõe a base da RAIS CEP Incompatível ou Código do Município Inválido I/O error Erro de PIS/PASEP O que fazer quando durante a geração da RAIS ocorre um erro a respeito de menor aprendiz? Funcionário afastado Mensalidade sindical Valor do salário contratual é de preenchimento obrigatório Posso transmitir a RAIS que contém somente Avisos? Como informar os dados das competências que não gerei a folha pelo sistema Estabelecimento sem informado Funcionários Ativos sem CPF ou com CPF Inválido... 20

2 1. O que é a RAIS A gestão governamental do setor do trabalho conta com o importante instrumento de coleta de dados denominado de Relação Anual de Informações Sociais - RAIS. Instituída pelo Decreto nº , de 23/12/75, a RAIS tem por objetivo: o suprimento às necessidades de controle da atividade trabalhista no País, o provimento de dados para a elaboração de estatísticas do trabalho, a disponibilização de informações do mercado de trabalho às entidades governamentais. Os dados coletados pela RAIS constituem expressivos insumos para atendimento das necessidades: da legislação da nacionalização do trabalho de controle dos registros do FGTS; dos Sistemas de Arrecadação e de Concessão e Benefícios Previdenciários; de estudos técnicos de natureza estatística e atuarial; de identificação do trabalhador com direito ao abono salarial PIS/PASEP. Para saber mais sobre a RAIS Ano-base 2013, leia o texto da Portaria nº. 2072, de 31 de dezembro de 2013, disponível para download Quem deve declarar São obrigados a entregar a declaração da RAIS: inscritos no CNPJ com ou sem empregados - o estabelecimento que não possuiu empregados ou manteve suas atividades paralisadas durante o ano-base está obrigado a entregar a RAIS Negativa; todos os empregadores, conforme definidos na CLT; todas as pessoas jurídicas de direito privado, inclusive as empresas públicas domiciliadas no País, com registro, ou não, nas Juntas Comerciais, no Ministério da Fazenda, nas Secretarias de Finanças ou da Fazenda dos governos estaduais e nos cartórios de registro de pessoa jurídica; empresas individuais, inclusive as que não possuem empregados; cartórios extrajudiciais e consórcios de empresas; empregadores urbanos pessoas físicas (autônomos e profissionais liberais) que mantiveram empregados no ano-base;

3 órgãos da administração direta e indireta dos governos federal, estadual ou municipal, inclusive as fundações supervisionadas e entidades criadas por lei, com atribuições de fiscalização do exercício das profissões liberais; condomínios e sociedades civis; empregadores rurais pessoas físicas que mantiveram empregados no ano-base; filiais, agências, sucursais, representações ou quaisquer outras formas de entidades vinculadas à pessoa jurídica domiciliada no exterior. NOTAS O estabelecimento isento de inscrição no CNPJ é identificado pelo número de matrícula no CEI, conforme parágrafo único do art. 2º do Decreto nº /75. Nessa categoria, incluem-se obras, empregadores pessoas físicas, urbanas e rurais que mantiveram empregados. O estabelecimento inscrito no Cadastro Específico no INSS (CEI), que não possui empregados ou manteve suas atividades paralisadas durante o ano-base está dispensado de declarar a RAIS Negativa. A empresa/entidade que possui filiais, agências ou sucursais deve declarar a RAIS separadamente, por estabelecimento (local de trabalho), entendido como tal todos aqueles sujeitos à inscrição no CNPJ, na categoria de órgão-estabelecimento. No caso dos órgãos da administração pública direta ou indireta, a RAIS de cada órgão-estabelecimento deve ser fornecida separadamente, por local de trabalho dos empregados/servidores. Estabelecimento/Entidade inscrito no CNPJ e no CEI deve apresentar a declaração da RAIS de acordo com o contrato de trabalho dos empregados, ou seja, se o contrato for pelo CEI as informações devem ser declarados no CEI e se for pelo CNPJ as informações devem ser declaradas no CNPJ. No caso da declaração ser prestada no CEI, deve haver também a declaração da RAIS NEGATIVA do CNPJ. Estabelecimento/entidade em liquidação deverá entregar a RAIS mesmo nos casos de falência ou liquidação, pelos representantes legais definidos na legislação específica Quem deve ser relacionado empregados contratados por empregadores, pessoa física ou jurídica, sob o regime da CLT, por prazo indeterminado ou determinado, inclusive a título de experiência; servidores da administração pública direta ou indireta, federal, estadual ou municipal, bem como das fundações supervisionadas; trabalhadores avulsos (aqueles que prestam serviços de natureza urbana ou rural, a diversas empresas, sem vínculo empregatício, com a intermediação obrigatória do órgão gestor de mão-de-obra, nos termos da Lei nº 8.630, de 25 de fevereiro de 1993, ou do sindicato da categoria); empregados de cartórios extrajudiciais; trabalhadores temporários, regidos pela Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974;

4 trabalhadores com Contrato de Trabalho por Prazo Determinado, regido pela Lei nº 9.601, de 21 de janeiro de 1998; diretores sem vínculo empregatício, para os quais o estabelecimento/entidade tenha optado pelo recolhimento do FGTS (Circular CEF nº 46, de 29 de março de 1995); servidores públicos não-efetivos (demissíveis ad nutum ou admitidos por meio de legislação especial, nãoregidos pela CLT); trabalhadores regidos pelo Estatuto do Trabalhador Rural (Lei nº 5.889, de 8 de junho de 1973); aprendiz (maior de 14 anos e menor de 24 anos), contratado nos termos do art. 428 da CLT, regulamentado pelo Decreto nº 5.598, de 1º de dezembro de 2005; trabalhadores com Contrato de Trabalho por Tempo Determinado, regido pela Lei nº 8.745, de 9 de dezembro de 1993, com a redação dada pela Lei nº 9.849, de 26 de outubro de 1999; trabalhadores com Contrato de Trabalho por Prazo Determinado, regido por Lei Estadual; trabalhadores com Contrato de Trabalho por Prazo Determinado, regido por Lei Municipal; servidores e trabalhadores licenciados; e servidores públicos cedidos e requisitados. dirigentes sindicais. NOTAS I O sindicato ou órgão gestor de mão-de-obra ou a empresa contratada, que no ano-base congregou trabalhadores avulsos, deve fornecer as informações referentes a esses trabalhadores, além das relacionadas com seus próprios empregados. Em razão disso, a empresa tomadora desses serviços não deve declarar esses trabalhadores em sua RAIS. II Os aprendizes contratados pelas entidades sem fins lucrativos mencionadas no inciso II do art. 430 da CLT, com exercício de atividades práticas em outra empresa, devem ser informados na RAIS declarada pela entidade contratante respectiva. Nesse caso, a empresa onde o aprendiz exerce as atividades práticas da aprendizagem não deve declarar esse aprendiz na sua RAIS. III Os servidores que estiverem na situação de cedidos ou requisitados devem ser declarados na RAIS tanto pelo órgão de origem quanto pelo órgão requisitante, caso percebam remunerações de ambos os órgãos. IV o dirigente sindical deve ser declarado na RAIS tanto pelo sindicato quanto pelo estabelecimento/órgão de origem, caso o mesmo perceba remuneração de ambas as partes. Se a remuneração for paga exclusivamente pelo sindicato apenas este deve declará-lo da RAIS.

5 1.3. Quem NÃO deve ser relacionado diretores sem vínculo empregatício para os quais não é recolhido FGTS; autônomos; eventuais; ocupantes de cargos eletivos (governadores, deputados, prefeitos, vereadores, etc.), a partir da data da posse, desde que não tenham feito opção pelos vencimentos do órgão de origem; estagiários regidos pela Portaria MTPS nº 1.002, de 29 de setembro de 1967, e pela Lei nº , de 25 de setembro de 2008; empregados domésticos regidos pela Lei nº /2006; e cooperados ou cooperativados Como informar a RAIS Estabelecimentos SEM vínculos empregatícios no ano-base Para preencher e enviar sua declaração de estabelecimento sem empregados utilize o formulário próprio de Declaração de RAIS Negativa Web Estabelecimentos COM vínculos empregatícios no ano-base Para fazer a declaração da RAIS é preciso utilizar o programa Gerador de Declaração RAIS - GDRAIS. Faça o download do programa. O arquivo poderá ser gravado no seu disco rígido. A entrega da declaração da RAIS deverá ser feita somente via Internet. O envio da declaração será efetuado nas funções Gravar Declaração ou Transmitir Declaração do programa GDRAIS2013. A transmissão da declaração poderá ser feita a partir de arquivo gravado no seu disco rígido Encerramento de atividades O estabelecimento que encerrou as atividades em 2013 e não entregou a declaração da RAIS deverá marcar a opção encerramento das atividades, disponível no programa GDRAIS 2013, e informar a data do encerramento de suas atividades, bem como a data de desligamento dos empregados.

6 Encerramento das atividades no decorrer de 2014 o estabelecimento pode antecipar a entrega da declaração, utilizando o programa GDRAIS 2013 e informar no campo data de encerramento, o dia, mês e ano de quando está sendo declarada a RAIS (no formato DD/MM/AAAA), bem como a data de desligamento dos empregados. A RAIS do ano-base 2013 também deverá ser declarada, caso ainda não tenha sido entregue. Observação: no caso de entrega antecipada da declaração da RAIS de 2014, é necessário entregar também a declaração da RAIS do ano-base Declaração de RAIS dos anos anteriores ( ) Para fazer a declaração utilize o programa GDRAIS Genérico que permite informar os anos-base 1976 a 2012.Faça o download do programa. A transmissão da declaração da RAIS deve ser efetuada, por meio da Internet, a partir do GDRAIS Genérico nas funções Gravar Declaração ou Transmitir Declaração. A transmissão poderá ser feita a partir de arquivo gravado no seu disco rígido. Os estabelecimentos que não entregaram a Declaração RAIS dentro do prazo estão sujeitos às penalidades previstas na legislação (leia item Penalidades nesta página) Como comprovar a entrega da declaração da RAIS Ao finalizar a entrega da declaração pode-se imprimir o PROTOCOLO DE ENTREGA através do próprio programa GDRAIS. Faça o download do programa. Para imprimir o PROTOCOLO DE ENTREGA é preciso indicar o local em que o arquivo foi originalmente gravado no seu disco rígido Como obter o recibo de entrega da RAIS O recibo estará disponível para impressão 5 dias úteis após a entrega da declaração, e deverá ser impresso utilizando a opção de menu Impressão de Recibo, no site da RAIS. Atenção! Preservar o Protocolo de Transmissão de Arquivo, fornecido no ato da transmissão do mesmo, onde consta o número do Controle de Recepção e Expedição de Arquivo (CREA), que juntamente com a inscrição CNPJ/CEI, será obrigatório para emissão do recibo de Entrega da RAIS pela Internet. Para os canteiros de obras, informar também o CEI vinculado Multa O atraso na entrega da declaração, omissão ou declaração falsa ou inexata, sujeito estabelecimento à multa, conforme determina a Portaria nº 14, de 10 de fevereiro de 2006, alterada pela Portaria nº 688, de 24 de abril de Art. 2º O empregador que não entregar a RAIS no prazo legal ficará sujeito à multa prevista no art. 25 da Lei nº 7.998, de 1990, a ser cobrada em valores monetários a partir de R$ 425,64 (quatrocentos e vinte e cinco

7 reais e sessenta e quatro centavos), acrescidos de R$ 106,40 (cento e seis reais e quarenta centavos) por bimestre de atraso, contados até a data de entrega da RAIS respectiva ou da lavratura do auto de infração, se este ocorrer primeiro. Parágrafo único. O valor da multa resultante da aplicação do previsto no caput deste artigo, quando decorrente da lavratura de Auto de infração, deverá ser acrescido de percentuais, em relação ao valor máximo da multa prevista no art. 25 da Lei nº 7.998, de 1990, a critério da autoridade julgadora, na seguinte proporção: I - de 0% a 4% - para empresas com 0 a 25 empregados; II - de 5% a 8,0% - para empresas com 26 a 50 empregados; III - de 9% a 12%- para empresas com 51 a 100 empregados; IV - de 13% a 16,0% - para empresas com 101 a 500 empregados; e V - de 17% a 20,0% - para empresas com mais de 500 empregados. Art. 3º O empregador que omitir informações ou prestar declaração falsa ou inexata ficará sujeito à multa prevista no art. 25 da Lei nº 7.998, de 1990, a ser cobrada em valores monetários a partir de R$ 425,64 (quatrocentos e vinte e cinco reais e sessenta e quatro centavos), acrescidos de R$ 26,60 (vinte e seis reais e sessenta centavos) por empregado omitido ou declarado falsa ou inexatamente. Art. 4º O valor resultante da aplicação dos arts. 2º e 3º será dobrado se o atraso na entrega ou correção do erro ou omissão ultrapassar o último dia do ano de exercício para entrega da RAIS em referência. Para o cumprimento do disposto na referida Portaria, o estabelecimento poderá recolher a multa de forma espontânea mediante Documento de Arrecadação de Receitas Federais DARF, a ser preenchido com o código da Receita: 2877 e com o Número de Referência , conforme Ato Declaratório Executivo Corat nº 72, de 12/08/2004 (DOU de ). O pagamento da multa não isenta o empregador da obrigatoriedade de prestar as informações requeridas pelo Ministério do Trabalho e Emprego Como Transmitir com Certificado Digital Os estabelecimentos ou arquivos que possuem 11 ou mais vínculos empregatícios deverão transmitir a declaração utilizando um certificado digital válido padrão ICP Brasil. A obrigatoriedade também inclui os órgãos da Administração Pública. As declarações poderão ser transmitidas com o certificado digital de pessoa jurídica, emitido em nome do estabelecimento, ou com certificado digital do responsável pela entrega da declaração, sendo que este pode ser um CPF ou um CNPJ. Para os demais estabelecimentos que não se enquadrarem nessa obrigatoriedade, a utilização da certificação digital continuará facultativa, com a opção de transmitirem sua declaração por meio dessa chave privada, caso possuam.

8 Declaração dos anos anteriores (1976 a 2012) Para a transmissão da RAIS de exercícios anteriores é obrigatória a utilização de certificado digital válido padrão ICP Brasil, inclusive para os órgãos da Administração Pública. Para a transmissão da RAIS Negativa, o uso da certificação digital é facultativo. As declarações poderão ser transmitidas com o certificado digital de pessoa jurídica, emitido em nome do estabelecimento, ou com certificado digital do responsável pela entrega da declaração, sendo que este pode ser um CPF ou um CNPJ. A transmissão da declaração da RAIS dos anos anteriores (1976 a 2012) deve ser efetuada a partir do GDRAIS Genérico nas funções Gravar Declaração ou Transmitir Declaração. Faça o download do aplicativo aqui. A transmissão poderá ser feita a partir de arquivo gravado no disco rígido. Para a transmissão da RAIS de exercícios anteriores é obrigatória a utilização de certificado digital válido padrão ICP Brasil, exceto para a transmissão da RAIS Negativa. Após a transmissão do arquivo, a impressão do protocolo de entrega deverá ser efetuada a partir do GDRAIS Genérico na função Imprimir 1.6. Instalador do aplicativo RAIS Baixe o instalador em Prazo de Entrega Segundo o Art. 6º da portaria MTE nº 2.072, de 31 de dezembro de 2014, a RAIS relativa ao ano base 2014, deverá ser apresentada no período de 19/01/2015 até dia 20/03/2015.

9 2. Geração, Manutenção e Conferência 2.1. Conferência da RAIS Gere o relatório em Módulos / Rotina Anuais / Relatório para Conferência da RAIS. Este relatório trará os dados que serão gerados no arquivo da RAIS, tais como, dados cadastrais dos funcionários e as bases de cálculo. Marque Listar Diretores e clique em Imprimir. O Botão "Emissão Agrupada": permite o acesso à rotina Módulos\ Processamentos Agrupados, que possibilita gerar o relatório de várias empresas ao mesmo tempo. Salve o arquivo em PDF através do botão para conferência. Neste manual, exemplificaremos a conferência dos valores do mês de março. Abaixo o relatório apresenta os valores dos eventos que integram remuneração para RAIS e Qtde de H.E., ou seja a quantidade de horas extras pagas no mês de março. Para conferir a base de cálculo, emita a Ficha Financeira em Relatórios / Funcionários, marcando a opção Listar referência dos Eventos.

10 Quantidade de horas extras Verifique em Cadastros / Genéricos / Eventos, quais eventos pagos e descontados desta ficha financeira possuem a incidência Integra Remuneração para RAIS marcada. Some os eventos de vencimentos e diminua os eventos de descontos que possuem esta incidência. Então, compõe a base de cálculo para a RAIS a soma e dedução de todos os eventos que possuem esta incidência marcada.

11 Neste exemplo, os eventos 1, 9, 18, 19 e 36 possuem esta opção marcada. Dica: Eventos de faltas abatem a base de cálculo, desde que marcada a opção de incidência para a RAIS. A soma destes eventos pagos em março corresponde a 2.187,28 ( ,09 + 5, , ), conforme o relatório de conferência, bem como a quantidade de Horas Extras. Importante: eventos de 1 a 200 e de 900 a 1001 são padrão EBS, e caso não tenham sido alteradas, as incidências estão corretamente marcadas. Caso tenha sofrido alterações pelo usuário, consulte uma consultoria para verificar se este evento integra ou não a base de cálculo da RAIS Manutenção da RAIS Esta rotina disponível em Módulos / Rotinas Anuais / Manutenção da RAIS/DIRF é utilizada por cliente que adquiriram o sistema durante o ano e não possuem todas as informações calculadas para informar a base de cálculo da RAIS para geração do arquivo. Nos meses em que ocorre o cálculo da folha, não é possível efetuar alteração nos valores, sendo bloqueado o campo e permitido somente a consulta. A guia DIRF apresenta os quadros Remuneração e Pagamento para consulta e manutenção dos campos: Valor do Adiantamento e Valor do IRRF referentes ao adiantamento salarial; Base IRRF, Dedução por Dependente, Dedução de INSS, Outras Deduções, Valor IRRF e Data Pagamento referentes ao pagamento mensal. O quadro 13º Salário apresenta os dados exclusivos do 13º Salário, para consulta e manutenção.

12 A guia RAIS apresenta o quadro Remuneração e 13º Salário com a Base RAIS, para consulta e manutenção. O campo Complemento apresenta a somatória dos eventos Complemento de Integrações de Hora Extra no 13 Salário, e Complemento de Integrações de Vencimentos Variáveis no 13º Salário, e não permite inserção ou alteração do valor. Os clientes que estiverem utilizando o sistema pela primeira vez, cujo 13º Salário não foi processado pelo sistema Cordilheira, devem informar o valor do complemento junto com o valor do 13º Salário. Importante: Os valores incluídos ou alterados nesta rotina serão considerados nas demais consultas e relatórios do sistema Cordilheira Recursos Humanos Geração do Arquivo Para gerar o arquivo da RAIS acesse: Módulos / Rotina Anuais / Geração do Arquivo da RAIS. Selecione o código do responsável pelas informações da RAIS. Caso o cadastro deste responsável não esteja completo, a mensagem abaixo será emitida:

13 Ao clicar em Sim, será direcionado a tela de cadastro de responsáveis onde deverá preencher todos os campos. Dica: O campo Tipo de documento deve ser preenchido com CNPJ. Botão "Geração Agrupada": permite o acesso à rotina Módulos\ Processamentos Agrupados, que possibilita gerar o arquivo de várias empresas ao mesmo tempo. Opção Empresa exerceu atividades durante todo o ano base: O estabelecimento sem empregados (RAIS NEGATIVA) deve informar se exerceu atividade durante o mês de dezembro do ano base que está sendo declarado, marcando esta opção. Caso contrário, a opção não deve ser selecionada. No botão Controle de Ponto selecione o tipo de controle de ponto adotado por estabelecimento. A opção selecionada será gravada no cadastro do estabelecimento para as próximas gerações. O botão Participante do PAT abre a tela que permite informar os dados por estabelecimento para o Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).

14 Informe o número de trabalhadores beneficiados, de acordo com a faixa salarial. Para auxiliar neste preenchimento, emita o relatório Relação por Faixas Salariais em Relatórios / Funcionários: - Trabalhadores com mais de cinco salários mínimos - Trabalhadores com menos/igual de cinco salários mínimos Informe o percentual da(s) modalidade(s) utilizada(s) pela empresa, em relação ao número total de beneficiados: - Serviço próprio - Refeição-Convênio - Administração de Cozinhas - Cesta de Alimentos - Refeições Transportadas - Alimentação-Convênio Por exemplo: o total de funcionários da empresa que recebem benefícios é de 200 colaboradores, que correspondem a 100%. No quesito refeição-convênio, 180 funcionários estão enquadrados, desta forma, aplica-se a regra de = 100% 180 = X% 200 X = 100 * 180

15 X = /200 = 90% Ou seja, 90% dos trabalhadores estão enquadrado em refeição-convênio e os demais nas demais modalidades. Os dados informados são gravados para que possam ser utilizados em uma nova geração para o mesmo ano base, permitindo alteração ou exclusão dos mesmos. O estabelecimento que tiver informação gravada nesta rotina, será gerado como participante do PAT no arquivo da RAIS. O botão Contribuições Patronais dá acesso a rotina para informação das contribuições patronais, por estabelecimento. Se a empresa gera a GRCSU patronal na Apuração Mensal, o sindicato e o valor da contribuição sindical patronal serão preenchidos automaticamente com os dados da guia gerada na apuração de tributos do mês de janeiro do ano base. Se o valor da contribuição não foi gerado pela rotina de Apuração de Tributos, e o sindicato patronal estiver informado no cadastro do estabelecimento, em Parâmetros\ Recursos Humanos\ Geral, o campo sindicato será preenchido automaticamente conforme o cadastro, permitindo alteração. Após preencher todos com as informações, clique em OK para gerar o arquivo. Caso ocorra alguma inconsistência, o sistema emitirá o alerta abaixo:

16 Ao clicar em Sim, será emitido o relatório com os erros que impedem a geração do arquivo. Após a geração do arquivo, acesso o aplicativo GDRais Para baixar o instalador acesse o site

17 3. Dúvidas Frequentes 3.1. Caracteres inválidos Verifique se há ocorrência de caracteres especiais como ç, ã, á, &, -, /, etc, nos seguintes cadastros: Empresa e estabelecimento Cadastros / Empresas Responsáveis Cadastros / Responsáveis Funcionários Cadastros / Cadastro de Funcionários / Funcionários Diretores Módulos / Retiradas/Pró-labore 3.2. Código de Atividade Econômica obrigatório O Código de Atividade Econômica (CNAE) deve ser informado no cadastro do estabelecimento em Cadastros / Empresas / Estabelecimento, aba Documentação O que compõe a base da RAIS Compõe a base de cálculo para a RAIS a soma e dedução de todos os eventos que possuem esta incidência Integra Remuneração para RAIS. Verifique em Cadastros / Genéricos / Eventos, quais eventos pagos e descontados possuem esta incidência marcada CEP Incompatível ou Código do Município Inválido Acesse Cadastros / Empresas / Estabelecimento, aba Cadastrais e informe o CEP correto conforme o Município. Utilize o ícone dos correios para importar os dados do endereço. Caso não possua o Município cadastrado, clique em Novo e cadastre-o. Sugere-se cadastrar o município com o mesmo código do SIAF I/O error 003 Selecione outro diretório para Salvar o arquivo. Este erro pode ocorrer devido a permissões de gravação do usuário na pasta que selecionou.

18 3.6. Erro de PIS/PASEP Verifique o CPF do funcionário, se não há PIS duplicado entre os funcionários ou então se, durante o período, o funcionário casou ou trocou de nome, precisa verificar também se o PIS é válido, pois houve alteração e renovação do cadastro junto à caixa O que fazer quando durante a geração da RAIS ocorre um erro a respeito de menor aprendiz? No cadastro do menor aprendiz informe o vínculo empregatício 55 e código do caged Funcionário afastado O funcionário afastado irá para a RAIS, se durante o ano houve pagamento de valores. Verifique em Cadastros /Cadastro de Funcionários / Movimentação a data de afastamento e retorno, se houver Mensalidade sindical Quando a empresa possui mensalidade sindical para os associados (Contribuição confederativa, contribuição associativa, etc), mas na RAIS não está puxando, deve verificar: - Acesse Cadastros / Genéricos / Sindicatos / Parâmetros e verificar o grupo informado no evento de desconto sindical. Este grupo deve ser 39 Descontos Sindicais. Caso esteja em outro grupo, deverá alterar o

19 evento para o grupo 39, acessar Cadastro / Genéricos / Sindicatos / Parâmetros, botão Descontos e vincular o evento ao sindicato. O tipo de desconto do cadastro do evento deve estar preenchido corretamente. No cadastro do funcionário, na aba Dados Funcionais / Dados Complementares / Geral, deverá marcar a opção sindicalizado. Importante: Esse procedimento exige o recalculo da folha, por isso o mais indicado é informar manualmente o valor do desconto sindical direto no GDRAIS Valor do salário contratual é de preenchimento obrigatório Comissionistas puros não possuem salário contratual, desta forma, o preenchimento do valor contratual (garantia mínima determinada pelo sindicato) deverá ser preenchido diretamente no aplicativo da RAIS Posso transmitir a RAIS que contém somente Avisos? Os avisos não impedem a transmissão do arquivos, somente erros impedem. Desta forma, fica a critério do cliente a transmissão com avisos.

20 3.12. Como informar os dados das competências que não gerei a folha pelo sistema Informe diretamente no aplicativo da RAIS ou em Módulos / Rotinas Anuais / Manutenção de RAIS/DIRF, aba RAIS Estabelecimento sem informado Acesse Cadastros / Empresas / Estabelecimento, aba Cadastrais e preencha o campo Funcionários Ativos sem CPF ou com CPF Inválido No cadastro dos funcionários listados, informe o CPF na aba Documentação e verifique se o mesmo esta correto.

empregadores urbanos pessoas físicas (autônomos e profissionais liberais) que mantiveram empregados no ano-base;

empregadores urbanos pessoas físicas (autônomos e profissionais liberais) que mantiveram empregados no ano-base; O QUE É A RAIS A gestão governamental do setor do trabalho conta com o importante instrumento de coleta de dados denominado de Relação Anual de Informações Sociais - RAIS. Instituída pelo Decreto nº 76.900,

Leia mais

Jd Soft Informática Ltda F o n e : ( 0 4 8 ) 3 2 4 7-0 0 0 1

Jd Soft Informática Ltda F o n e : ( 0 4 8 ) 3 2 4 7-0 0 0 1 INFORMATIVO DPPH Nº 005 RAIS 2014 28/01/2015. MANTER EM DIA AS ATUALIZAÇÕES O programa DOWNLOAD JD é o nosso portal oficial onde são publicadas as versões e os manuais de atualização e de informação para

Leia mais

Para facilitar o entendimento do processo de geração da RAIS 2010 nos Sistemas Cordilheira, a equipe de Suporte Técnico da EBS Sistemas

Para facilitar o entendimento do processo de geração da RAIS 2010 nos Sistemas Cordilheira, a equipe de Suporte Técnico da EBS Sistemas Para facilitar o entendimento do processo de geração da RAIS 2010 nos Sistemas Cordilheira, a equipe de Suporte Técnico da EBS Sistemas disponibilizou este pequeno manual que contém dicas importantes sobre

Leia mais

RAIS ANO BASE 2014. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL: Os empregadores deverão, ainda, informar na RAIS:

RAIS ANO BASE 2014. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL: Os empregadores deverão, ainda, informar na RAIS: RAIS ANO BASE 2014 As instruções para entrega da declaração da Relação Anual de Informações Sociais - RAIS ano base 2014, foram definidas pela PORTARIA Nº 10, DE 09 DE JANEIRO DE 2015. PRAZO DE ENTREGA:

Leia mais

Apostila RAIS RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS. CURSO PRÁTICO DE RAIS Relação Anual de Informações Sociais. www.departamentopessoalonline.com.

Apostila RAIS RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS. CURSO PRÁTICO DE RAIS Relação Anual de Informações Sociais. www.departamentopessoalonline.com. RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS Apostila RAIS 1 Prezado (a) participante É com satisfação que nós da AntoninoRH Consultoria e Treinamento Empresarial Ltda, lhe damos boas vindas a este curso. O valor

Leia mais

RAIS 2014 Relação Anual de. Informações Sociais

RAIS 2014 Relação Anual de. Informações Sociais RAIS 2014 Relação Anual de Informações Sociais Copyright 2013 1 Definição: Relação Anual de Informação Social: Todo estabelecimento deve fornecer ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), por meio da

Leia mais

PORTARIA MTE Nº 2.590, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009, DOU 31.12.2009 - RAIS

PORTARIA MTE Nº 2.590, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009, DOU 31.12.2009 - RAIS PORTARIA MTE Nº 2.590, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009, DOU 31.12.2009 Aprova instruções para a declaração da Relação Anual de Informações Sociais - RAIS ano-base 2009 O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO,

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 25/02/2010.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 25/02/2010. RAIS - ANO-BASE 2009 - Orientações Gerais Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 25/02/2010. 1 - Introdução 2 - Obrigatoriedade 3 - Quem Deve Declarar 3.1 - RAIS Negativa 3.2 - Matrícula

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego

Ministério do Trabalho e Emprego 64 ISSN 1677-7042 1 Nº 5, sexta-feira, 7 de janeiro de 2011 Art. 1º Autorizar o uso, a título oneroso e precário, ao Município do Cabo de Santo Agostinho, Processo nº 04962.117432/2010-11, da área de uso

Leia mais

INFORMATIVO Nº 05/2012 DE 11/01/2012 SINDICATO DA INDÚSTRIA DO MILHO, SOJA E SEUS DERIVADOS NO ESTADO DE SÃO PAULO

INFORMATIVO Nº 05/2012 DE 11/01/2012 SINDICATO DA INDÚSTRIA DO MILHO, SOJA E SEUS DERIVADOS NO ESTADO DE SÃO PAULO INFORMATIVO Nº 05/2012 DE 11/01/2012 Prezados Senhores, LEGISLAÇÃO RAIS - ANO BASE 2011 PORTARIA Nº 7, DE 3 DE JANEIRO DE 2012 MTE APROVA INSTRUÇÕES PARA A DECLARAÇÃO DA RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego

Ministério do Trabalho e Emprego 102 ISSN 1677-7042 1 Nº 250, quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 28,20M E AZIMUTE DE 274º54'23", CONFRONTANDO-SE COM TERRENOS DA ILHA PEQUENA SUBMERSOS DO RIO PARA- MOPAMA ATINGE-SE O VÉRTICE 76, DE COORRDENADAS

Leia mais

Manual de Processamento da RAIS

Manual de Processamento da RAIS 1 Sumário 1. Exportação... 2 1.1. Informações iniciais... 3 1.2. Seleção... 4 1.3. Dados para a geração do arquivo... 4 1.3.1. Exporta empresas com RAIS Negativa... 4 1.4. Dados para Retificação... 5 1.5.

Leia mais

Agenda de Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Março de 2015

Agenda de Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Março de 2015 Agenda de Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Março de 2015 Dia: 06/03/2015 Pagamento de Salários Pagamento mensal de salários até o 5º dia útil. Fundamento: 1º do art. 459 e art. 465, ambos da CLT.

Leia mais

Treinamento Sistema Folha Union Módulo V

Treinamento Sistema Folha Union Módulo V FOLHA DE PAGAMENTO Controle FGTS / Guias Recolhimento / Remessa para banco / Encerramento anual Folha Union> Movimento> Controle de FGTS> Importar depósitos As telas de Controle de FGTS são utilizadas

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando o sistema

Leia mais

Jd Soft Informática Ltda F o n e : ( 0 4 8 ) 3 2 4 7-0 0 0 1

Jd Soft Informática Ltda F o n e : ( 0 4 8 ) 3 2 4 7-0 0 0 1 DPPH VERSÃO 9.231 RAIS DIRF e SIMPLES NACIONAL LC 128/2008. AJUSTES GERAIS INFORMATIVO DPPH [FOLHA] - N. º 001 16/01/2009 a)- EMPRESAS - Manutenção: Natureza do Estabelecimento: Incluído códigos '322-0

Leia mais

DIRF 2011. Secretaria da Receita Federal do Brasil

DIRF 2011. Secretaria da Receita Federal do Brasil DIRF 2011 O que é a DIRF? É a Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte feita pela FONTE PAGADORA, destinada a informar à Secretaria da Receita Federal o valor do Imposto de Renda retido na fonte,

Leia mais

DIRF 2012 (Ano base 2012) Entrega e Prazo. Da Obrigatoriedade de Entrega

DIRF 2012 (Ano base 2012) Entrega e Prazo. Da Obrigatoriedade de Entrega DIRF 2012 (Ano base 2012) A RFB (Receita Federal do Brasil) divulgou as regras para o preenchimento e o envio da Dirf (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte) 2013. A Instrução Normativa nº 1.297/2012

Leia mais

EMPREGADORES COM MATRÍCULA CEI CADASTRO DA MATRÍCULA NO CEI

EMPREGADORES COM MATRÍCULA CEI CADASTRO DA MATRÍCULA NO CEI EMPREGADORES COM MATRÍCULA CEI CADASTRO DA MATRÍCULA NO CEI Inicialmente, cabe informar que a Matrícula CEI, de acordo com o artigo 17 da Instrução Normativa RFB nº 971/09, é considerada como cadastro

Leia mais

Manual de Procedimentos Sistemas Integrados Wsolução Módulo WFolha Geração do Arquivo da RAIS/2012

Manual de Procedimentos Sistemas Integrados Wsolução Módulo WFolha Geração do Arquivo da RAIS/2012 Indice Introdução...2 Conferindo os cadastros...2 Parâmetros Empresa...2 Cadastro de eventos...3 Centros de Custo (Obras)...3 Sindicatos...3 Funcionários...5 Gerando o arquivo para Rais...5 Outras informações

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM COMUNICADO FDE / DRA Nº 001/2015 OBRIGAÇÕES FISCAIS E SOCIAIS DA APM 2 0 1 5 Página 1 de 9 O objetivo deste texto é informar aos dirigentes das Associações de Pais e Mestres APMs de Escolas Estaduais conveniadas

Leia mais

Treinamento Sistema Folha Union Módulo II

Treinamento Sistema Folha Union Módulo II Folha Union> Cadastros> Empresas Treinamento Sistema Folha Union Módulo II FOLHA DE PAGAMENTO MÓDULO II - CADASTROS Cadastre as empresas (Condomínios) ou importe os dados utilizando o código do cadastro

Leia mais

Instruções Folha de Pagamento Rotina 21 Instruções RAIS

Instruções Folha de Pagamento Rotina 21 Instruções RAIS Instruções Folha de Pagamento Rotina 21 Instruções RAIS Informações Iniciais (Portaria Nº 7, de 3 Janeiro de 2012) o O prazo para a entrega da declaração da RAIS inicia-se no dia 17 de janeiro de 2012

Leia mais

Treinamento Sistema Folha Union Módulo I

Treinamento Sistema Folha Union Módulo I FOLHA DE PAGAMENTO MÓDULO I - TABELAS O sistema de folha foi desenvolvido especialmente para simplificar a rotina do departamento de pessoal, dinamizando informações e otimizando rotinas. Esta apostila

Leia mais

Treinamento sobre RAIS

Treinamento sobre RAIS O QUE É? Relação Anual de Informações Sociais. Treinamento sobre RAIS Todo estabelecimento deve fornecer ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), por meio da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS),

Leia mais

Manual de Orientação do CAGED. Cadastro Geral de Empregados e Desempregados LEI Nº. 4923/65

Manual de Orientação do CAGED. Cadastro Geral de Empregados e Desempregados LEI Nº. 4923/65 Manual de Orientação do CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados LEI Nº. 4923/65 Brasília, DF 2013 1 1965 Ministério do Trabalho e Emprego É permitida a reprodução parcial ou total desta obra

Leia mais

F.A.Q. Perguntas e Respostas sobre teoria e prática do 13 Salário. SUMÁRIO

F.A.Q. Perguntas e Respostas sobre teoria e prática do 13 Salário. SUMÁRIO F.A.Q. Perguntas e Respostas sobre teoria e prática do 13 Salário. SUMÁRIO 1. O que é o 13 Salário?... 2 2. Quem faz jus ao direito do 13 Salário?... 2 3. Como o 13 pode ser divido em prestações?... 2

Leia mais

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012.

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. DECRETO N 1427/2012 Regulamenta a Lei municipal nº 8748/2010, que institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) e dá outras providências.

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Instruções para prestação de informações pelo empregador, relativas a movimentações de empregados - Portaria

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Instruções para prestação de informações pelo empregador, relativas a movimentações de empregados - Portaria empregador, relativas a movimentações de 14/07/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Novas Regras Para Declaração do

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL OBRIGATORIEDADE

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL OBRIGATORIEDADE FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Os artigos 578 e 579 da CLT preveem que as contribuições devidas aos sindicatos, pelos que participem das categorias econômicas ou profissionais ou das profissões liberais representadas

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: BA000408/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/07/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024953/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46204.006979/2011-03 DATA DO

Leia mais

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8 Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 O QUE É GISSONLINE?... 6 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 6 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029594/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 21/05/2015 ÀS 15:50 SINDICATO DOS EMP NO COM DE CONSELHEIRO LAFAIETE, CNPJ n. 19.721.463/0001-70,

Leia mais

Trabalhista/Previdenciária Mês: 01/2016

Trabalhista/Previdenciária Mês: 01/2016 Trabalhista/Previdenciária Mês: 01/2016 Dia: 07 GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social Envio da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia

Leia mais

MANUAL DE PARAMETRIZAÇÃO E PROCESSAMENTO CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS (CAGED)

MANUAL DE PARAMETRIZAÇÃO E PROCESSAMENTO CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS (CAGED) MANUAL DE PARAMETRIZAÇÃO E PROCESSAMENTO CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS (CAGED) Este material contém informações para as parametrizações do sistema Domínio Módulo Folha de Pagamento. Informações:

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física Acesso ao Sistema - Pessoa Física Página 2 de 37 Índice ÍNDICE... 2 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 4 1.1. DEFINIÇÃO... 4 1.2. OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DA NFS-E... 4 1.3. CONTRIBUINTES IMPEDIDOS DA EMISSÃO

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS ASSUNTO: REP REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO 2. Quando a portaria entra em vigor? Na data de sua publicação, 25/08/2009, exceto para o uso do REP, que se tornará obrigatório no dia

Leia mais

Assunto: CURSO SEFIP/GFIP- VERSÃO 8.4 REGRAS GERAIS DE PREENCHIMENTO, E CURSO RAIS E CAGED PROCEDIMENTOS GERAIS.

Assunto: CURSO SEFIP/GFIP- VERSÃO 8.4 REGRAS GERAIS DE PREENCHIMENTO, E CURSO RAIS E CAGED PROCEDIMENTOS GERAIS. CCI-0184 - Sicoob Goiás Central Goiânia-GO, 18 de abril de 2013. Às Cooperativas Filiadas Assunto: CURSO SEFIP/GFIP- VERSÃO 8.4 REGRAS GERAIS DE PREENCHIMENTO, E CURSO RAIS E CAGED PROCEDIMENTOS GERAIS.

Leia mais

ADITAMENTO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2 0 0 4 / 2 0 0 6 INDAIATUBA

ADITAMENTO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2 0 0 4 / 2 0 0 6 INDAIATUBA ADITAMENTO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2 0 0 4 / 2 0 0 6 INDAIATUBA Por este instrumento, e na melhor forma de direito, de um lado, como representante da categoria profissional, o SINDICATO DOS

Leia mais

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO Instrução Normativa RFB Nº 1246 DE 03/02/2012 (Federal) Data D.O.: 06/02/2012 Dispõe sobre a apresentação da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente ao exercício de 2012, ano-calendário

Leia mais

Treinamento Sistema Folha Union Módulo I

Treinamento Sistema Folha Union Módulo I FOLHA DE PAGAMENTO MÓDULO I - TABELAS O sistema de folha foi desenvolvido especialmente para simplificar a rotina do departamento de pessoal, dinamizando informações e otimizando rotinas. Esta apostila

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Instruções para prestação de informações pelo empregador, relativas a movimentações de empregados - Portaria

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Instruções para prestação de informações pelo empregador, relativas a movimentações de empregados - Portaria empregador, relativas a movimentações de 03/10/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Orientações Publicadas no Portal

Leia mais

CAGED CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPRGADOS

CAGED CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPRGADOS CAGED CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPRGADOS O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED foi criado pelo Governo Federal, através da Lei nº 4.923/65, que instituiu o registro permanente

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DE MAIO DE 2011

BOLETIM INFORMATIVO DE MAIO DE 2011 BOLETIM INFORMATIVO DE MAIO DE 2011 S U M Á R I O 1 - MATÉRIAS FEDERAIS 1 2 - MATÉRIAS ESTADUAIS 3 3 - MATÉRIAS MUNICIPAIS 4 4 - MATÉRIAS TRABALHISTAS 4 5 - MATÉRIAS DIVERSAS 5 1 - MATÉRIAS FEDERAIS DECLARAÇÃO

Leia mais

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF ELETRA - FUNDAÇÃO CELG DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA www.eletra.org.br - versão: 05/2015 12.08.2015 - pág.: 1 PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) ( ) ATIVO ( ) APOSENTADO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP010023/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/09/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053435/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46261.004392/2015-09 DATA DO

Leia mais

Dia Obrigação Competência, fato gerador e outras particularidades

Dia Obrigação Competência, fato gerador e outras particularidades Calendário de Obrigações de Julho/2010. Dia Obrigação Competência, fato gerador e outras particularidades 06 (3ª feira) Salários Último dia para pagamento dos salários referentes ao mês de Junho/2010.

Leia mais

RESUMO DA CONVENÇÃO COLETIVA 2014 / 2015

RESUMO DA CONVENÇÃO COLETIVA 2014 / 2015 RESUMO DA CONVENÇÃO COLETIVA 2014 / 2015 Pelo presente instrumento particular, de um lado, o SINDICATO DOS PUBLICITÁRIOS, DOS AGENCIADORES DE PROPAGANDA E DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE PROPAGANDA DO

Leia mais

Informativo 06/2015. RAIS ANO BASE 2014 Instruções para declaração das Informações Sociais. Portaria MTE nº 10, de 9 de janeiro de 2015

Informativo 06/2015. RAIS ANO BASE 2014 Instruções para declaração das Informações Sociais. Portaria MTE nº 10, de 9 de janeiro de 2015 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 RAIS Ano Base 2014 Informativo 06/2015 RAIS ANO BASE 2014 Instruções para declaração das Informações Sociais Portaria MTE nº 10, de 9 de janeiro de 2015 Di

Leia mais

MUNICÍPIO DE ESTEIO SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-E MANUAL DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO ON-LINE

MUNICÍPIO DE ESTEIO SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-E MANUAL DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO ON-LINE MUNICÍPIO DE ESTEIO SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-E MANUAL DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO ON-LINE Versão 1.0.5 Março/2014 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 6 2.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO BRANCO ESTADO DE MINAS GERAIS Procuradoria Geral DECRETO Nº 6.487, DE 27 DE OUTUBRO DE 2011.

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO BRANCO ESTADO DE MINAS GERAIS Procuradoria Geral DECRETO Nº 6.487, DE 27 DE OUTUBRO DE 2011. DECRETO Nº 6.487, DE 27 DE OUTUBRO DE 2011. REGULAMENTA A UTILIZAÇÃO DA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFSE E DECLARAÇÃO FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NO MUNICÍPIO DE OURO BRANCO, E DÁ OUTRAS PRIVIDÊNCIAS.

Leia mais

Manual de Integração Contábil Folha Phoenix

Manual de Integração Contábil Folha Phoenix Manual de Integração Contábil Folha Phoenix Para iniciar a parametrização da Folha Phoenix com a finalidade da integração para o Contábil Phoenix ou Contábil de Terceiros, será necessário primeiro definir

Leia mais

ANO XXIV - 2013-1ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 49/2013

ANO XXIV - 2013-1ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 49/2013 ANO XXIV - 2013-1ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 49/2013 ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS CNIS CADASTRO NACIONAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS - CONSIDERAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS... Pág.1254 GFIP SEM MOVIMENTO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 SINDICATO DOS EMPREGADOS VENDORES E VIAJANTES DO COMÉRCIO, PROPAGANDISTAS, PRPOAGANDISTAS-VENDEDORES E VENDEDORES DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO ESTADO DE MINAS GERAIS,

Leia mais

Dicas de importação na RAIS. Neste bip. Você Sabia? edição 30 Fevereiro de 2013

Dicas de importação na RAIS. Neste bip. Você Sabia? edição 30 Fevereiro de 2013 Neste bip Dicas sobre RAIS... 1 Contribuição Patronal para RAIS... 2 Rumodoc - Ajuda no sistema Rumo... 2 Fechamento contábil... 2 Dispensa da entrega da DACON... 3 Dicas de importação na RAIS Já era um

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL - AUTÔNOMOS E PROFISSIONAIS LIBERAIS - ANO 2013

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL - AUTÔNOMOS E PROFISSIONAIS LIBERAIS - ANO 2013 CONTRIBUIÇÃO SINDICAL - AUTÔNOMOS E PROFISSIONAIS LIBERAIS - ANO 2013 Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 04/02/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 - Contribuição Sindical dos Autônomos e

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica Municipal,

O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica Municipal, DECRETO N.º 060 /2013. REGULAMENTA A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NO MUNICÍPIO DE ARACATI E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe

Leia mais

Passo a Passo Contribuição Sindical Patronal 2016

Passo a Passo Contribuição Sindical Patronal 2016 Passo a Passo Contribuição Sindical Patronal 2016 1º passo Recomendamos a utilização do Navegador Internet Explorer 2º passo - CNAE Somente os contribuintes com os CNAE(s) especificados abaixo deverão

Leia mais

Emissão de Boletos de Locação - Sami ERP++

Emissão de Boletos de Locação - Sami ERP++ Emissão de Boletos de Locação - Sami ERP++ 1. Tabela de I.R.R.F. Acesse o módulo DIVERSOS/ CADASTROS/ TABELA DE I.R.R.F. Este programa destina-se ao cadastramento da tabela do Imposto de Renda na Fonte

Leia mais

e-social - (ex-efd Social)

e-social - (ex-efd Social) Relações do Trabalho, Folha de Pagamento e Obrigações á partir de JANEIRO-2014! O QUE VAI MUDAR? NOVO MODELO OPERACIONAL? POR ONDE COMEÇAR? E - SOCIAL e-social - (ex-efd Social) Projeto e-social Com a

Leia mais

GUIA PRÁTICO NOVO FOLHA DE PAGAMENTO

GUIA PRÁTICO NOVO FOLHA DE PAGAMENTO GUIA PRÁTICO NOVO FOLHA DE PAGAMENTO Este manual visa facilitar a integração entre o sistema Folha de Pagamento antigo e a nova versão do sistema Folha de Pagamento. O sistema foi reformulado e agora compartilha

Leia mais

http://www.fiscosoft.com.br/inc/process_agenda_list_prevtrab.php

http://www.fiscosoft.com.br/inc/process_agenda_list_prevtrab.php Página 1 de 5 FISCOAgenda Trabalhista/Previdenciária Mês: 05/2015 Previdência Dia: 07 GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social Envio da Guia

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 Até dia Obrigação 4 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2015,

Leia mais

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628 LEI N 812 de 12 de maio de 2014. Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e, a Ferramenta de Declaração Eletrônica de Serviços - DES, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPIMIRIM,,

Leia mais

DIRF. Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DIRF 2014. Ano Base:2013. Copyright 2013 1

DIRF. Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DIRF 2014. Ano Base:2013. Copyright 2013 1 DIRF Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DIRF 2014 Ano Base:2013 Copyright 2013 1 O que é DIRF? Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte: É a declaração feita pela FONTE PAGADORA [Empresa],

Leia mais

PESSOAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL

PESSOAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL PESSOAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL Não somente os empregados, mas também os empregadores e empresas, sejam urbanos ou rurais, estão obrigados a contribuir anualmente para o sindicato representativo

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012

Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012 Instrução Normativa RFB nº 1.311, de 31 de dezembro de 2012 DOU de 31.12.2012 Altera a Instrução Normativa RFB nº 1.131, de 21 de fevereiro de 2011, que dispõe sobre os procedimentos a serem adotados para

Leia mais

Versão para atualização do Gerpos Retaguarda

Versão para atualização do Gerpos Retaguarda Versão para atualização do Gerpos Retaguarda A Gerpos comunica a seus clientes que nova versão do aplicativo Gerpos Retaguarda, contendo as rotinas para emissão da Nota Fiscal Eletrônica, já está disponível.

Leia mais

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples Wagner Mendes Contador, Pós-Graduado em Controladoria, Auditoria e Tributos, Consultor Tributário, Especialista em Tributos Federais, Contabilidade e Legislação

Leia mais

DECRETO Nº 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. (Com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 39.340 de 20/10/2014)

DECRETO Nº 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. (Com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 39.340 de 20/10/2014) DECRETO Nº 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010 (Com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 39.340 de 20/10/2014) Dispõe sobre a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica-NFS-e NOTA CARIOCA e dá outras providências.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRIPÁ ESTADO DA BAHIA C.N.P.J. 13.694.658/0001-92

PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRIPÁ ESTADO DA BAHIA C.N.P.J. 13.694.658/0001-92 Decreto n 015/2015 Piripá, 19 de maio de 2015. Regulamenta o gerenciamento da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NFS-e Sped, sua escrituração, a emissão de guia de recolhimento do Imposto sobre Serviços

Leia mais

Adiantamento: Informa o percentual de adiantamento porventura existente na empresa para os funcionários, valor será calculado sobre o salário base.

Adiantamento: Informa o percentual de adiantamento porventura existente na empresa para os funcionários, valor será calculado sobre o salário base. 20.1 Parâmetros Habilitação de Empresas 20. MANUAL DE SISTEMA DE FOLHA DE PAGAMENTO Rotina destinada a habilitar as empresas que vão utilizar o sistema, onde serão informados todos os dados necessários

Leia mais

D A C O N. O que é Dacon? Quais tributos são declarados? Quem deve entregar? Periodicidade

D A C O N. O que é Dacon? Quais tributos são declarados? Quem deve entregar? Periodicidade D A C O N O que é Dacon? As siglas DACON significam: DEMONSTRATIVO DE APURAÇÃO DE CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS. O Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais (Dacon) foi instituído pela Instrução Normativa

Leia mais

esocial A TRANSFORMAÇÃO DA RELAÇÃO DE TRABALHO E DE ARRECAÇÃO SOBRE A FOLHA DE PAGAMENTO

esocial A TRANSFORMAÇÃO DA RELAÇÃO DE TRABALHO E DE ARRECAÇÃO SOBRE A FOLHA DE PAGAMENTO esocial A TRANSFORMAÇÃO DA RELAÇÃO DE TRABALHO E DE ARRECAÇÃO SOBRE A FOLHA DE PAGAMENTO CENÁRIO ATUAL EMARANHADO DE NORMAS E LEIS INÚMERAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS INFORMAÇÕES NÃO CONSOLIDADAS E DE MÁ QUALIDADE

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Teresópolis, Guapimirim e Magé

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Teresópolis, Guapimirim e Magé Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Teresópolis, Guapimirim e Magé Fundado em 01 de março de 1996 Entidade reconhecida no Arquivo de Entidades Sindicais do MTE sob o nº 46000-006947/96

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 2.1 12/11/2015 Alterações em relação à versão anterior Alterado: itens 23, 25, 30, 31, 34, 35, 37, 46, 47 e 48 Incluído: itens 14, 40, 41 e

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL EMPREGADOS

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL EMPREGADOS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL EMPREGADOS INTRODUÇÃO Dispõe o Art. 578 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que a contribuição devida aos sindicatos pelos que participam das categorias econômicas ou profissionais

Leia mais

NFA-e. Manual do usuário

NFA-e. Manual do usuário Manual do usuário 24 de setembro de 2015 2 ÍNDICE APRESENTAÇÃO 3 PARTE I INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 4 1. O que é a 4 2. Legislação 4 3. Quem pode emitir e quando 4 4. Quais operações são possíveis com a 6

Leia mais

Indenização adicional a data base da categoria. Neste bip. Você Sabia? Geração do arquivo Homolognet. Edição 58 Junho de 2015

Indenização adicional a data base da categoria. Neste bip. Você Sabia? Geração do arquivo Homolognet. Edição 58 Junho de 2015 Neste bip Indenização Artigo 9º, Lei n.º 7.238/84... 1 Geração do arquivo Homolognet... 1 Escrituração Contábil Digital... 2 Você Sabia? Que no sistema rumo é possível emitir o recibo de devolução e entrega

Leia mais

14/2/2013 DIRF-2013. Professor Carlos Alberto Silva de Lima Bacharel em Ciências Contábeis Pós Graduado

14/2/2013 DIRF-2013. Professor Carlos Alberto Silva de Lima Bacharel em Ciências Contábeis Pós Graduado DIRF-2013 Professor Carlos Alberto Silva de Lima Bacharel em Ciências Contábeis Pós Graduado 1 Obrigatoriedade de apresentação Programa gerador A apresentação Prazo de apresentação Retificação Processamento

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 28.06.2012. Sumário:

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 28.06.2012. Sumário: NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA (NFA-e) - Preenchimento por não Contribuinte do ICMS Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 28.06.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL. Débitos Previdenciários Municípios Parcelamento Normatização

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL. Débitos Previdenciários Municípios Parcelamento Normatização TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial Débitos Previdenciários Municípios Parcelamento Normatização INSTRUÇÃO NORMATIVA SRP 10/2005 DOU:

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Representante Comercial Autônomo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Representante Comercial Autônomo Representante Comercial Autônomo 13/11/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Comissões Pagamento... 4 3.2 Faltas cometidas

Leia mais

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES Sinduscon Ceará - Agosto / 2014 DIAS OBRIGAÇÕES DESCRIÇÃO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 05 (terça-feira) IRRF RETIDO NA FONTE Recolher até o 3º dia útil após o último decêndio do mês anterior, os fatos gerados a

Leia mais

Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF).

Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 974, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso das atribuições

Leia mais

Soft Trade, desenvolvendo soluções para RH há 26 anos. WORKSHOP esocial. www.esocial.gov.br www.softtrade.com.br 14/02/2014

Soft Trade, desenvolvendo soluções para RH há 26 anos. WORKSHOP esocial. www.esocial.gov.br www.softtrade.com.br 14/02/2014 Soft Trade, desenvolvendo soluções para RH há 26 anos WORKSHOP esocial www.esocial.gov.br www.softtrade.com.br 14/02/2014 E agora, José?? Carlos Drummond de Andrade Solução? Problema? Afinal é bom para

Leia mais

I CLÁUSULAS ECONÔMICAS

I CLÁUSULAS ECONÔMICAS PAUTA PARA RENOVAÇÃO DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CLÁUSULAS ECONÔMICAS - ENTRE O SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS E O SINDICATO NACIONAL DA EMPRESAS AEROVIÁRIAS SNEA 2011-2012 01 ABRANGÊNCIA O SINDICATO

Leia mais

Veja abaixo como duplicar as informações da empresa modelo para as empresas.

Veja abaixo como duplicar as informações da empresa modelo para as empresas. 1 1. Duplicação das informações da empresa modelo Juntamente com a instalação da empresa modelo encaminhamos anexada a empresa modelo, que contem cadastros que podem ser utilizados nas empresas a serem

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2007/2008

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2007/2008 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2007/2008 BR 101 Km 205 Barreiros São José SC 1 Data-base - Maio/2007 BR 101 Km 205 Barreiros São José SC 2 Pelo presente instrumento, de um lado a Centrais de Abastecimento

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências.

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. DECRETO N o 3.474, DE 19 DE MAIO DE 2000. Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

RAIS - CARTELA ANO-BASE 2015 REGISTRO TIPO-0

RAIS - CARTELA ANO-BASE 2015 REGISTRO TIPO-0 RAIS - CARTELA ANO-BASE 2015 REGISTRO TIPO-0 007 a 020 14 Número Inscrição CNPJ/CEI do 1º estabelecimento do arquivo 021 a 022 02 Alfanum Prefixo do 1º estabelecimento do arquivo 023 a 023 01 Número Tipo

Leia mais

Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD

Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD Sumário: 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EFD 1. 1 APRESENTAÇÃO 1. 2 LEGISLAÇÃO 1. 3 DA APRESENTAÇÃO DO ARQUIVO DA EFD 1. 4

Leia mais

SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO

SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO Manual passo-a-passo para obtenção do Auto de Licença de Funcionamento/ Auto de Licença de Funcionamento Condicionado Eletrônico

Leia mais

19 de fevereiro de 2014. RAIS ano-base 2013 - Regras Gerais e Preenchimento

19 de fevereiro de 2014. RAIS ano-base 2013 - Regras Gerais e Preenchimento 19 de fevereiro de 2014 RAIS ano-base 2013 - Regras Gerais e Preenchimento Apresentação: Fábio Momberg Parte I - Introdução e Regras Gerais A Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) foi instituída

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000150/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018764/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.002132/2011-14 DATA DO

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 001, de 07 de dezembro de 2001.

RESOLUÇÃO N.º 001, de 07 de dezembro de 2001. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA RESOLUÇÃO N.º 001, de 07 de dezembro de 2001. Dispõe sobre o atendimento pelo estabelecimento particular de ensino

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 C O N V E N Ç Ã O C O L E T I V A D E T R A B A L H O 2014/2015 SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO DE RIO DO SUL E REGIÃO DO ALTO VALE DO ITAJAÍ SINTIAVI SINDICATO DAS INDÚSTRIAS

Leia mais

Gestão Financeira de Entidades Sindicais

Gestão Financeira de Entidades Sindicais Gestão Financeira de Entidades Sindicais Constituição Federal Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

Leia mais

Dinâmica Sistemas Personalizados Ltda Apostila RAIS 2013 1 RAIS

Dinâmica Sistemas Personalizados Ltda Apostila RAIS 2013 1 RAIS Dinâmica Sistemas Personalizados Ltda Apostila RAIS 2013 1 RAIS Como são compostas as Verbas As verbas que irão compor a remuneração na RAIS deverão estar clicado na Tabela de Vencimentos e Descontos o

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR012087/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 06/03/2015 ÀS 08:38 FEDERACAO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO E CONGENERES DO ESTADO DE MINAS GERAIS,

Leia mais