Material para Exercícios Práticos Autor: Emerson Soares dos Santos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Material para Exercícios Práticos Autor: Emerson Soares dos Santos"

Transcrição

1

2 Material para Exercícios Práticos Autor: Agosto de 2009 Atualizado em mai 2011

3 INSTRUÇÕES GERAIS APRENDENDO ArcGIS 9x INSTRUÇÕES PARA INSTALAR OS DADOS DO CURSO 1.No CD anexo estão os dados para realização dos exercícios propostos nesta apostila. 2.Insira o CD e se o seu conteúdo não abrir automaticamente, dê um duplo clique no arquivo Curso.html. Na página que se abre, instale os Bancos de Dados e a Projeção Lambert. É importante não modificar o endereço padrão no momento que estiver instalando o Curso.

4 Índice Explorando Arquivos... 2 EXPORTANDO INFORMAÇÕES GEORREFERENCIADAS Join and Relates GEORREFERENCIAMENTO EDIÇÃO VETORIAL Ferramentas de Vetorização Digitalização com direções e distâncias Digitalização por coordenadas PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS INSERIR TABELA DE PONTOS Consulta de dados Consulta por Atributo Consulta Espacial Processamento de Imagem de Satélite MERGE E CLIP CLIP (Recortar informações) MERGE (Juntar Arquivos) MOSAICO DE IMAGENS Mapa de Distâncias BUFFERS Modelo Numérico de Terreno MNT CONVERSAO DE ARQUIVOS: Matricial X Vetor Layouts para Impressão ANALISE ESPACIAL Exportar dados para Google Earth Metadados Fazendo Fusão de Bandas

5 Explorando Arquivos ArcCatalog O ArcCatalog serve para gerenciar os arquivos espaciais existentes no seu computador. Ele contem ferramentas específicas para visualização de shapefiles, imagens TIFF, JPEG, arquivos CAD, entre outros. É no ArcCatalog onde criamos, renomeamos, excluímos, entre outras tarefas, shapefiles, Geodatabases. Barra de Ferramentas Árvore de Arquivos Área de visualização de Conteúdo e Informações Guias de Visualização Contents Conteúdo da pasta ou Banco de Dados selecionado na Árvore de Arquivos Preview Visualização do Arquivo Espacial. Pode se ver os limites de área do arquivo e suas coordenadas. Pode se ver também a tabela de atributos. Metadata Visualização de Metadados (Informações sobre o conteúdo das colunas da tabela, ano de produção da informação, Datum, Projeçao Cartográfica, entre outras informações. 2

6 Exemplo de quando a Guia Preview está selecionada Na árvore de arquivos, está selecionado o arquivo MUNICIPIOS, que esta dentro do Banco de Dados BancoMatoGrosso. Do lado direito vemos o mapa (informações espaciais) Coordenadas do mapa (no caso deste, as coordenadas são métricas,, baseadas na projeção Conica de Lambert para o Mato Grosso Seplan 3

7 Adicionando Planos de Informação (layers) em um projeto do ArcMap. Clique no botão Add Tabela de Conteúdo Lista de Layers Área de Desenho 4

8 Você pode sobrepor informações à este mapa. Por exemplo as Rodovias do Estado. Adicione as Rodovias. 5

9 Adicione também as Sedes Municipais Temos três informações sobrepostas. Elas podem ainda ter seu visual mudado. Para mudar o visual de cada layer, basta clicar sobre o símbolo de cada um dos layers (Abaixo) 6

10 Símbolo das Sedes Municipais Simbolo das Rodovias Simbolo dos Municipios Se você clicar sobre o símbolo, você poderá mudar sua cor, forma, espessura de borda e tamanho. Quando se clica o sobre símbolo de um layer de pontos, abre se a caixa ao lado, onde você pode escolher dentre vários tipos de representação pontual. 7

11 Quando se clica o sobre símbolo de um layer de linhas, abre se a caixa ao lado, onde você pode escolher dentre vários tipos de representação linear. Quando se clica o sobre símbolo de um layer de polígonos (áreas), abre se a caixa ao lado, onde você pode escolher dentre vários tipos de representação de área. 8

12 Mudando algumas cores e formas. É possível também colocar uma cor diferente para cada Município, por exemplo, ou colocar uma cor e espessura de linha diferente para cada tipo de rodovia. Para mudar as cores dos municípios: Dois cliques em cima da palavra MUNICIPIOS Abre se a janela Seguindo esta ordem: 1. Clicar na guia Symbology 2. Clicar na opção Categories Unique Values 3. Value Field: NOMEMUNICI 4. Botao Add All Values 5. Escolher estilo de cores Botão OK Mudemos também o tipo de ponto que representa as cidades. Vamos fazer com que apareça somente as principais cidades, e dar um destaque para a capital Cuiabá. 9

13 Dois cliques sobre a palavra SEDES_MUNICIPAIS Dois cliques Seguindo esta ordem: 1. Clicar na guia Symbology 2. Clicar na opção Categories Unique Values 3. Value Field: NOMEMUNICI 4. Botao Add Values Com a tecla CRTL pressionada, clique sobre os nomes de cidades que quer mostrar no mapa. Alta Floresta Barra do Garças Cáceres Cuiabá Rondonópolis Sinop Tangará da Serra Várzea Grande Depois OK 10

14 Apareceram na lista somente os nomes de cidades que foram selecionados. Deixemos todos os municípios com o mesmo visual. Como? Dê dois cliques sobre a palavra <Heading> Para escolher este visual. 1. Use a barra de rolagem (para baixo) 2. Escolha o modelo Circle Escolha a cor cinza claro 4. Tamanho 10 OK Agora vamos mudar somente da capital Cuiabá. Clique duplo na Palavra CUIABA 11

15 Clique duplo sobre a palavra Cuiabá Aumentar o tamanho do símbolo para 20. Desmarque essa caixa <all other values> OK Agora mude as rodovias para aparecer somente as Rodovias Federais Pavimentadas (Como abaixo) 12

16 Para aparecer os nomes (Labels) Exemplo Sedes Municipais Propriedades do Layer SEDES MUNICIPAIS (duplo clique sobre a palavra SEDES MUNICIPAIS)

17 Apareceram os nomes de todas as cidades, inclusive das que não tem símbolos representando. Para resolver isso, volte à Janela de Propriedades

18 15

19 Visualizando dados por Quantidade (Estatistica) Abra a janela de propriedade do layer SEDES MUNICIPAIS Digite estes valores 16

20 Você pode mudar o tipo de ponto EXPORTANDO INFORMAÇÕES GEORREFERENCIADAS O objetivo neste momento é exportar um layer que esteja no seu projeto. 1.Em um novo projeto. 2.Adicionar Ver abaixo o shapefile Limites_Municipais, que está dentro do Geodatabase BancoUTM. 17

21 Clique com o botão direito sobre o layer que deseja exportar 1. Botão direito 2. Abrir o menu Data 3. Clicar em Export Data Abrirá esta caixa. 18

22 1.Clique neste botão 2.Abrirá esta caixa 3.Escolha a opção File and Pernonal Geodatabase feature classes 1. Escolha BancoUMT.mdb 2. De o nome Exemplo_Exportar_Limites 3. Salvar 19

23 4. Voltará à mesma caixa 5. Preste atenção ao caminho e nome do arquivo 6. OK Depois que terminar o processo de exportação de arquivo, o ArcMap lhe perguntará se você deseja adicionar este arquivo criado como um layer em seu projeto. Voce poderá optar. Neste caso, clique Não. NOTA: O que você fez na verdade, foi criar uma cópia idêntica à que existia Agora vamos criar um novo arquivo, baseado em arquivo existente, mas somente com algumas informações, somente as informações que você quiser exportar. Por exemplo, imaginamos que você precise, por algum motivo, de um arquivo que contenha somente o limite municipal de Cuiabá. Façamos 1.Em um projeto que contenha os limites municipais do estado de Mato Grosso (como no projeto anterior) 20

24 Vamos selecionar o município de Cuiabá. 2.Menu Selection Select by Attributes Abrirá a caixa como abaixo 1. Escolha de qual layer deseja Selecionar Informações 2.Em qual Coluna está a informação que deseja buscar? Duplo clique em [NOMEMUNIC] 3. Escolha o Operador = 4.Clique neste botão para mostrar as informações que existem na Coluna que está selecionada 5. Escolher qual o atributo deseja: CUIABA 6. Veja se ficou dessa forma. 7. Clique em OK 21

25 Deve ter ficado assim: Clique com o botão direito sobre o layer que deseja exportar 1. Botão direito 2. Abrir o menu Data 3. Clicar em Export Data 22

26 Abrirá esta caixa. 1. O que deseja exportar? Somente os Selecionados 2. Salvar no Geodatase BancoUTM.mdb com o nome de Limite_Cuiaba Depois que terminar o processo de exportação de arquivo, o ArcMap lhe perguntará se você deseja adicionar este arquivo criado como um layer em seu projeto. Voce poderá optar. Neste caso, clique Sim. Ficou como abaixo? Temos agora dois arquivos no projeto. Os limites municipais da área de estudo E o arquivo com o limite municipal de Cuiaba. 23

27 Join and Relates Se o seu arquivo espacial (shapefile) não tiver uma informação, e você tiver esta informação em uma outra tabela, você poderá ligar as duas tabelas, desde que as duas tabelas a do shapefile e a sua tabela tenham um campo com valores em comum, como por exemplo, utilizando dados municipais, o código do IBGE. Na pasta do CursoGIS, existe uma pasta chamada TABELA, que contem uma tabela chamda POPULACAO_MUNICIPAL.dbf Vamos ligar o campo Codigo_IBGE da tabela *.dbf com a tabela de atributos do shapefile de MUNICIPIOS. Adicione a tabela ao projeto do ArcMAP Procure a tabela C:\CursoGIS\TABELAS POPULACAO MUNICIPAL Verifique se a tabela foi realmente adicionada Deverá estar como ao lado Estando semelhante, clique na guia Display 24

28 Clique na opção Join Abre se a caixa abaixo: 25

29 Agora vamos ver como está a tabela de Atributos do layer MUNICIPIOS Botão direito sobre o nome do layer MUNICIPIOS Opção Open Attribute Table 26

30 População Municipal em 2000 (Coluna POP_TOTAL). Agora classifique os Municipios por tons de cores de acordo com sua população. Mude você os intervalos de valores de população para cada cor. 27

31 GEORREFERENCIAMENTO Georreferenciamento de uma carta topográfica. Para georreferenciar uma carta topográfica é muito simples. No corpo da carta estão disponíveis as coordenadas UTM. Então basta informar ao software qual pixel corresponde à localização no espaço geográfico (coordenada). Adicionando informações 28

32 29

33 Quando passa se o mouse sobre a imagem (carta), as coordenadas que se vêm não são as verdadeiras Para fazer georreferenciamento de imagem (neste caso, uma carta topográfica escaneada), é preciso ativar a barra de ferramentas do Georrefenciamento (Georreferencing) Abaixo Botão do direito do mouse. Escolher Georreferencing Nota: Sempre que quisermos ativar ou desativar uma barra de ferramentas, clique com o botão direito do mouse sobre uma área livre da barra de menus, como acima (quadro vermelho). 30

34 Barra de Ferramentas de Georreferenciamento Com a lupa, dar zoom na canto esquerdo da carta. 31

35 Escolher esta ferramenta Clique primeiro com o botão esquerdo do mouse no ponto (cruzamento de duas linhas de coordenadas conhecidas) Depois que clique com o botão direito e aparecerá o Menu 32

36 Digite as coordenadas como abaixo Botão Full Extensions Mesmo processo nos quatro cantos. Zoom na área específica Botão esquerdo do mouse (sobre o cruzamento de duas linhas de coordenadas) Botão direito, no menu que aparece, escolher Input X and Y Digitar as coordenadas correspondentes. (Exemplo do canto superior direito abaixo) 33

37 Local que você clicar com o botão esquerdo, e depois com o botão direito do mouse para, então, digitar as coordenadas, como acima Visualize todo a carta (Botão Full Extent) Colocar nos quatro cantos Depois de colocar pontos nos quatro cantos, devemos fazer o processo de retificação da imagem Rectify. Abaixo: Obs.:(o ideal é que voce coloque cerca de 20 pontos espalhadas em toda a imagem ou área de interesse) Abrirá a caixa abaixo 34

38 Tamanho da célula (neste caso, 20 [metros]) Lugar onde será salvo o arquivo georreferenciado. Nome do arquivo Tipo de arquivo Salvar Salve o projeto Botão para Salvar um arquivo Salve o arquivo dentro da pasta do curso e dê o nome de Georreferenciando_carta_chapada.mxd Faça um arquivo novo: Botão para iniciar um novo arquivo Um arquivo em branco lhe é apresentado. Insira a carta georreferenciada que você salvou com a ferramenta Rectify. O aquivo chama se Geo2155.tif, 35

39 O arquivo georreferenciado foi adicionado ao projeto Agora vamos definir a Projeção Cartográfica e o Datum (Modelo da Terra) para esta imagem georreferenciada (carta topográfica). Sabemos que o levantamento topográfico e elaboração da carta teve como base o Datum Corrego Alegre, utilizando a projeção cartográfica Universal Transversa de Mercator. Então: Clique no botão Arctoolbox ArcToolbox Para definir a projeção cartográfica, expanda os módulos como na figura abaixo: 36

40 Expandir, na ordem: Data Management Tools Projections and Transformations Define Projection Dois cliques em Define Projection Abre se a caixa, como abaixo: 37

41 38

42 39

43 40

44 Esta caixa indica que o processo foi executado com sucesso. 41

45 EDIÇÃO VETORIAL Vamos desenhar (vetorizar) algumas feições que podem ser visualizados na carta georreferenciada. o o o Estradas (linhas) Pontos Cotados (pontos) Hidrografia (linhas) Para realizar essa vetorização precisamos então, criar os arquivos vetoriais. Para isso utilizaremos um Personal Geodatabase Abra o ArcCatalog Dentro da pasta C:\CursoGIS, existe uma subpasta chamada Geodatabase. Selecione esta pasta na janela de árvore do ArcCatalog. Como abaixo: 42

46 Clique com o botão direito sobre qualquer área branca na janela de conteúdo. Abrirá o Menu, escolha a opção New Se abrirá então um submenu. Escolha Personal Geodatabase. O personal Geodatabase será criado e você poderá renomeá lo Dê o nome de GEOBANCO. 43

47 Agora criaremos os arquivos que serão utilizados para edição vetorial dentro do GEOBANCO. Dê dois cliques em GEOBANCO. Ele ficará selecionado na janela de árvore. (abaixo) Clique com o botão direito sobre qualquer área branca na janela de conteúdo. Abrirá o Menu, escolha a opção New Escolha a opção Feature Class Será aberta a caixa abaixo: Nome: Malha Viária Tipo de Forma: Line Features (Linha) Botão Avançar 44

48 Como vamos desenhar linhas estradas à partir de uma base em que foi utilizada como Projeção Cartográfica UTM e Datum Córrego Alegre, definiremos neste momento a Referencia Espacial com base nessas informações. 45

49 Deixe este mesmo valor A última etapa no processo de criação de um Arquivo Vetorial dentro de um Geodatabase é informar quais serão as colunas da tabela de dados, assim como o tipo de informação que cada coluna conterá. (Texto, Numero Inteiro, Numeros Decimais, Data, etc) Vamos adicionar as seguintes colunas e os respectivos tipos de dados. Field Name Data Type Nome Texto Classe Texto Automaticamente, o ArcGIS insere duas colunas (OBJECTID e SHAPE) que não podem ser excluídas). Você digitou dessa maneira. Depois clique no botão Finish. Seu arquivo vetorial do tipo linha foi criado. 46

50 Agora você criará mais dois arquivos vetoriais, para desenharmos (vetorização) dos pontos cotados (altimetria) e a hidrografia. Siga os parâmetros abaixo Nome do Arquivo: Cotas_Altimetricas Tipo de Feature: Point Feature Sistema de Referencia Espacial: UTM Corrego Alegre Colunas da Tabela e tipo de dados de cada colula (ver abaixo) Field Name Cota Data Type Short Integer ***************************************** Nome do Arquivo: Hidrografia Tipo de Feature: Line Feature Sistema de Referencia Espacial: UTM Corrego Alegre Colunas da Tabela e tipo de dados de cada colula (ver abaixo) Field Name Nome_Rio Descricao Data Type Text Text O ArcCatalog deverá ficar como abaixo 47

51 Clique aqui para visualizar os arquivos na forma de Icones Grandes (somente uma visualização diferente) Agora vamos adicionar os arquivos vetoriais criados no Projeto do ArcMap para realizarmos a vetorização. Adicione os arquivos no projeto aberto no ArcMap, o qual você já havia adicionado a carta topográfica Georreferenciada. Selecione os 3 arquivos Clique em Add 48

52 Ative a barra de ferramenta Editor Clique em Editor e escolha Start Editing Qual arquivo desejamos editar neste momento? Quando se abre essa caixa, é necessário especificar corretamente qual a pasta onde está o arquivo a ser editado. 49

53 Se aparecer uma janela como abaixo, clique em Start Editing Neste momento vamos digitalizar a malha viária. Escolha como abaixo: Clique aqui. Depois escolha na lista Deverá ficar como abaixo: Dê zoom na área selecionada abaixo 50

54 51

55 Clique na ferramenta Sketch Tool. (Lápis) O mouse aparecerá da seguinte forma: Para desenhar, basta clicar com o botão esquerdo do mouse sobre o ponto onde deseja iniciar a linha (pode soltar o botão) e clicar novamente nos locais onde tiver uma curva (vértices). 52

56 Vértices: Sempre representados por um ponto verde no momento da edição da linha. Quando deseja finalizar um trecho, aperte a tecla F2. O ideal é, na medida em que voce desenha, que vá adicionando as informações referentes ao trecho desenhado. Para isso, a janela de Atributos deve estar visível. Clique Emerson Soares dos Santos 53

57 Você pode editar o atributo. Clique no local onde deseja escrever. A linha selecionada tem seus atributos (informações) mostrados na caixa de Atributos. Você pode digitar em todos os campos, com excessão do campo OBJECTID e do campo SHAPE_Length. 54

58 Digitalize a malha viária da carta identificável na carta; Agora vamos pontuar algumas cotas altimétricas identificáveis na carta. Na barra de ferramentas Editor, mude o Target para Cotas_Altimetricas 55

59 Primeiro ponto Valor da cota 700 (Digita se este valor na Cota) Exercitar, inserindo vários pontos e seus respctivos valores de altimetria. 56

60 Agora é o momento de Editar a Hidrografia. Na Barra de Ferramentas, na opção Task, escolha Hidrografia e desenhe os rios que consegue identificar e coloque seu nome e outras informações. Deverá ficar como abaixo: 57

61 Ferramentas de Vetorização Precisão na Vetorização Clique na janela suspensa Task: Create New Feature: habilitará a caneta e permitindo a criação de novas feições, prolongamento de linhas etc. Modify Task: desabilitará a caneta e permitirá que feições sejam modificadas através da seta. Cada um dos comandos selecionados possibilitara procedimentos como: cortar feições, gerar feições espelhadas, cortar linhas e modificar manualmente as feições. Topology Task permite a modificação de nós e o fechamento automático de polígonos. Other Task: possibilitará a seleção de feições através de linhas, pontos, áreas etc. Para facilitar a edição com precisão no ARCGIS é necessário utilizar a ferramenta SNAPPING. Está ferramenta, além de ajudar na edição evita que possíveis erros topológicos sejam criados. A ferramenta SNAP cria limites de tolerâncias que são utilizados para união de linhas e pontos possibilitando o fechamento de polígonos. Vertex: Esta opção serve para que você possa ter o VÉRTICE do Plano de Informação marcado como referência para sua digitalização com precisão. Edge: Esta opção serve para que você possa desenhar a partir da borda do Plano de Informação marcado. End: Serve para desenhar a partir do final do Plano de Informação marcado. Estando selecionado o Plano de Informação na janela acima, você tem outras opções nesta seção. 58

62 Digitalização com direções e distâncias Pode se digitalizar partindo de um primeiro ponto, tendo Azimute e Distância do próximo ponto. Normalmente utilizamos como Tipo de Direção o North Azimuth e como Unidades de Direção Graus, Minutos e Segundos. Editor Options Guia Units Tipo de Direção: Unidades de Direção: Repare que nesse campo aparece qual deve o separador do Grau, Minuto, Segundo (Neste caso o caracter. Tipos de direção: Polar: O 0º está a Leste e varia até 360º aumentando no sentido antihorário. Quadrant Bearing: Os valores variam de 0º a 90º entre os quatro pontos cardeais. (RUMO) North Azimute: O 0º está no Norte e os valores variam de 0º a360º, aumentando no sentido horário. South Azimuth: O 0º está no Sul e os valores variam de 0º a 360º, aumentando no sentido horário. 59

63 Digitalização por coordenadas Vamos digitalizar (desenhar) áreas (polígonos) de fazendas a partir de coordenadas que foram hipoteticamente captadas em campo com um aparelho de GPS. ** Vá no ArcCatalog (sem fechar o ArcMap) e crie dentro do Personal Geodatabase GEOBANCO.mdb um arquivo de área (Polygon) para desenhar as áreas rurais. Ele deve conter as seguintes características: Nome: Imóveis Sistema de Coordenadas: System: GCS_Corrego_Alegre Tolerância default Deverá ter uma coluna do tipo Texto com o nome Proprietario. Tamanho: 100 caracteres Volte para o ArcMap. Adicione o arquivo vetorial Imoveis no projeto. Salve o projeto com o nome de Digitalizacao.mxd Dê um zoom para aproximar o entorno da área urbana de Chapada dos Guimarães. Ficar como abaixo Seguir os passos. Na janela Task, selecione o arquivo Imoveis Selecione a ferramenta Sketch Tool Passe o mouse sobre a área de desenho 60

64 1 Clique com o botão direito do mouse. Aparecerá um menu. Selecione Absolute X,Y... 2 Escreva as coordenadas que tem em mão (normalmente estas coordenadas estão organizadas em uma tabela) X: ,665 Y: ,039 3 Você já tem o primeiro vértice de seu polígono. Agora vamos digitalizar os outros 6 vértices (cantos). As coordenadas estão na tabela abaixo. Vértice Coordenada X Coordenadas Y 1 já feito acima , , , , , , , , , , , , , ,274 61

65 Depois de escrever a última coordenada, clique com o botão direito sobre a área de desenho e escolha Finish Sketch ou pressiona a Tecla F2. A área foi desenhada. Agora escreveremos o nome do proprietário do Imóvel. Clique no botão Attributes Digite o nome do Proprietário no Campo PROPRIETARIO PEDRO FONSECA DE SOUZA Iremos desenhar outro Imóvel, agora utilizando as ferramentas de precisão SNAP e à partir de Distâncias e Azimutes. Salve o arquivo vetorial (Imoveis) que esta sendo utilizando (Editor Save Edits) Dê um zoom layer no layer Imoveis 62

66 1 Botão Direito 2 Zoom To Layer A outra propriedade que iremos desenhar faz limite com o rio. Ative o SNAPING (Editor Snapping) Marque as opções Vertex e Edge dos Layers Hidrografia e Imoveis. As bordas e os vértices destes dois Planos servirão como limites e referencia para a nova área Siga os passos. Já que vamos utilizar a borda da primeira propriedade como parte do desenho da segunda propriedade, devemos selecionar a opção Auto Complete Polygon. 63

67 Na janela Task, clique sobre a opção Auto Complete Polygon Com a ferramenta Sketch passe o mouse sobre o vértice 2. Repare que quando voce passa o mouse sobre esta área, o curso se fixa brevemente sobre o vértice ou sobre a borda. 1. Clique sobre o vértice 2. Agora vamos fazer uma linha a um ângulo de 90 graus de comprimento (distância) de 1000 metros. 2. Clique com o botão direito do mouse sobre qualquer área de desenho. Abrirá um menu; escolha a opção Direction/Length 64

68 3. Digite os valores como abaixo: Após digitar pressione Enter Agora vamos desenhar uma linha a 102 graus até o rio. 4. Botão direito do mouse. Escolha a opção Direction Digite como abaixo: 65

69 Repare que quando você mexe o mouse a direção da linha é mantida. Você agora só poderá escolher o comprimento da linha. Passe o mouse sobre a linha que representa o rio e verá que o cursor se fixa sobre esta linha. 5. Clique sobre a linha do rio. 6. Diminua zoom de forma que voce possa visualizar como abaixo. Agora vamos desenhar uma linha que será exatamente igual à linha do rio. Para isso temos que selecionar o trecho do rio que queremos como referencia. 7. Selecione a ferramenta Edit 8. Selecione o Rio, como na figura abaixo: (basta clicar sobre a linha. Se quiser selecionar mais de uma feição, basta manter pressionada a tecla CTRL) Linha Selecionada 66

70 Devemos selecionar outra ferramenta para edição. 9. Selecione a ferramenta Trace Repare que o último vértice desenhado está vermelho. 10. Partindo deste ponto vermelho, clique sobre ele (solte o botão do mouse, não mantenha pressionado), devagar vá passando sobre a linha selecionada (rio), observando que uma linha está sendo desenhada, representada por uma linha fina de cor escura. Desenhe até o ponto indicado abaixo. Quando chegar ao local desejado do fim deste trecho, de outro clique. 67

71 Linha fina e escura. Desenhar até este local. Selecione novamente a ferramenta Sketch Tool Continuamos desenhando o polígono (área do imóvel) 11. Desenhe uma linha de ângulo 270º com um comprimento de 2840 metros. Vértice Desenhe uma linha que vá até o vértice Depois de desenhado a linha que vai até o vértice 5, passe o mouse dentro da área da primeira propriedade e de um duplo clique. A segunda propriedade foi desenhada. Deverá estar como abaixo 68

72 Agora mude o atributo PROPRIETÁRIO para PAULO JOSÉ DE MELO. Desenhe mais uma propriedade, como no desenho abaixo. Mude o atributo PROPRIETÁRIO deste último imóvel para ISABEL DE COSTA LIMA. 69

73 PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Neste tópico iremos aprender como se define a projeção de cartográfica de um arquivo que contenha informações espaciais no formato shapefile ou contido em um Geodatabase. Em um novo projeto *.mxd, primeiramente adicione o seguinte layer contido no Geodatabase BancoMatoGrosso SEDES_MUNICIPAIS Uma das formas para saber se um arquivo tem uma Sistema de Projeção Cartográfica definida (incorporada), é a seguinte: Clique com o botão direito do mouse sobre o layer de interesse. (Botão direito sobre a palavra SEDES_MUNICIPAIS). Opção Properties. Acesse a Guia Source Local e tipo de feição geográfica 2. Sistema de Coordenada Geográfica: Indefinido Vamos então definir a Projeção Cartográfica. Feche a caixa acima (Cancelar). Ative o ArcToolBox 70

74 Duplo clique em Define Projection Escolha SEDES_MUNICIPAIS na caixa suspensa No Sistema de Coordenada, clique no botão a direita Duplo clique 71

75 Selecione Clique aqui O arquivo agora tem uma projeção cartográfica definida. Confira. (Properties Source Coordinate Systems) Adicione os layers abaixo: (estão dentro do Geodatabase BancoMatoGrosso) MUNICIPIOS HIDRO_PRINCIPAIS BACIAS_HIDROGRÁFICAS Estes três arquivos vetoriais já tem Sistema de Projeção Cartográfica (LambertMT) definida. Portanto, todos os layers estão com Sistema de Coordenadas. Todos tem coordenadas métricas na Projeção Cônica de Lambert. As coordenadas iniciais, o X=0 e Y=0, encontram se na latitude S 13º00 00 e longitude W 56º00 00, primeiro paralelo padrão em S 10º30 00 e segundo paralelo padrão em S 15º30 00, referencia 72

76 o South American Datum (SAD69 Datum da América do Sul, criado em 1969). As coordenadas aumentam para norte e leste e diminuem para sul e oeste. Vamos agora transformar este coordenadas métricas para coordenadas em graus decimais, tendo como referencia o Datum SAD69. Deve ser feito um de cada vez. Siga: Não é possível transformar as coordenadas do arquivo original. Sempre que realizar este processo, será criado um novo arquivo, e este novo arquivo é que terá as novas coordenadas. Duplo clique aqui. Abrirá esta caixa. Escolher qual o arquivo que terá as coordenadas transformadas (Arquivo de entrada). Coordenada do arquivo de entrada (Normalmente aparece automaticamente) C:\CursoGIS\Banco GRAUS mdb\municipios GRAUS Local e nome do novo arquivo que terá as novas coordenadas (Arquivo de Saída) Coordenada do Arquivo de Saída (Deverá clicar no botão a direita e escolher) Escolha o layer MUNICIPIOS e coloque o nome como acima. Clique no botão para escolher a coordenada do arquivo de saída. Abrirá a caixa abaixo. 73

77 Duplo clique Clique aqui Duplo clique Duplo clique C:\CursoGIS\Banco GRAUS mdb\municipios GRAUS Clique aqui Clique aqui Depois do término do processo, o novo arquivo será automaticamente inserido no projeto *.mxd. 74

78 Novo arquivo De dois cliques no novo arquivo e veja na guia Source da janela que se abre, que as coordenadas do arquivo são em graus decimais Abra o ArcCatalog Visualize o arquivo criado no ArcCatalog Coordenadas em graus decimais Projete todos os arquivos que estão em coordenadas métricas na Projeção Lambert para Graus decimais, salvando todos no Geodatabase BancoGRAUS. 75

79 INSERIR TABELA DE PONTOS Se você tiver uma tabela que contenha duas colunas com coordenadas (sejam elas geográficas ou métricas), você pode inseri la no projeto no ArcMap e plotar os pontos. Esta tabela deverá estar nos formatos database format (*.dbf) ou Planilha Excel (*.xls). {planilhas do Excel versão 2007 *.xlsx não podem ser utilizadas} Em um projeto novo do ArcMap, adicione a tabela Plan1, do arquivo Excel PIVOS.xls Duplo Clique Em qual planilha estão os dados com coordenadas? Clique em Add A tabela foi inserida no projeto Para abrir a tabela, clique com o botão direito sobre Plan1 e escolha Open Automaticamente mudou para a guia Source 76

80 A tabela foi aberta Depois de visualizar, pode se fechar a tabela. Para plotar os pontos para serem vistos na área de desenho, proceda da seguinte forma: Botão direito sobre o ícone da Tabela Escolha Display XY Data... Qual a coluna com coordendas X? Qual a coluna com coordenadas Y? Se voce souber qual o Sistema de Coordenada utilizado para capturar os dados, pode se definer clicando no Botão Edit **Clique em Edit e escolha o Sistema de Projeção Cartográfica Coordenadas Geográficas, Datum SAD69. Clique em OK 77

81 Clique em Ok. Veja que agora existe outra informação. O ArcGIS denomina como evento essa operação feita. Por isso aparece o nome da tabela (Plan1$) mais a palavra Events. Veja que os pontos apareceram na área de desenho. Somente esta operação não é suficiente. É necessário salvar os dados como arquivo vetorial, seja como um shapefile ou como um arquivo vetorial dentro de um Geodatabase. Botão direito sobre o tema a ser exportado Escolher a opção Data Export Data Será aberta a janela acima. Vamos salvar em um Geodatabase. Então escolha essa opção na caixa Save as type: 78

82 Escolher Banco_Graus.mdb Inserir o nome Você deseja adicionar o arquivo exportado no mapa como um layer? Clique em SIM Clique OK Aqui o arquivo vetorial salvo. A tabela de pontos plotada. A tabela de pontos que foi plotada, que esta no formato xls Excel já pode ser excluída. Clique com o botão direito do mouse sobre o caminho completo da tabela Excel e Remova. 79

83 Consulta de dados Consulta por Atributo Em novo projeto, Adicione os layers de Sedes Municipais, Bacias_Hidrograficas e Rodovias Queremos saber quais são os municípios com população maior que habitantes e selecioná los no mapa Clique no Menu Selection Select by Attributes 80

84 1.Escolher qual layer está a informação que você quer buscar (escolher na lista) 2.Escolher qual coluna está o dado (duplo clique) 3. Escolher o operador (se maior, se menor, se igual etc) um clique 4. Definir o parâmetro (digitar) 5.Apply Selecionou se automaticamente todos os municípios que tem população maior que habitantes 81

85 Consulta Espacial Quero saber quais são as sedes municipais que se encontram dentro da Bacia do Paraguai Pantanal. São vários processos. Etapa 1 Selecionar a bacia hidrográfica *Selecione por Atributo a Bacia Hidrográfica do Paraguai Pantanal Depois de selecionada a área que você quer fazer a consulta Menu Selection Selection by Location. 82

86 1. Marcar qual layer estão as informações que eu quero selecionar. 2. Escolher o operador. Neste caso, queremos que todos as Sedes Municipais que estão dentro da Bacia hidrográfica selecionada (Paraguai Pantanal) tambem seja selecionada.(intersect) 3. Escolher qual o tema que eu quero fazer intersecção. 3b. Se tiver uma feição selecionada, marque estão opção 4.Ok Close 83

87 Se quiser, posso criar um novo arquivo (shapefile) somente com os dados selecionados. Botão direito sobre o nome do layer SEDES_MUNICIPAIS O que você deseja exportar? Todos? Somente selecionados? Todos os que estão visíveis? Onde você deseja salvar e com que nome? 84

88 Consulta de vários valores. Clique no botão Limpar Consulta Abra a janela de Consulta por Atributo: Menu Selection Select by Attibutes Vamos selecionar vários municípios 1. Escolha de qual layer deseja Selecionar Informações 2.Em qual Coluna está a informação que deseja buscar? Duplo clique em [NOME_DA_LO] 3. Escolha o Operador 4.Clique neste botão para mostrar as informações que existem na Coluna que está selecionada 5. Escolher qual o atributo deseja: 6. Veja se ficou dessa forma. 7. Clique em OK Selecionou os municípios escolhidos. 85

89 Processamento de Imagem de Satélite Criação de composição colorida Adicione no ArcMap, as cinco bandas da Imagem CBERS 2, que está dentro da pasta C:\CursoGIS\Matriciais\Imagens_CBERS_Originais Ative o ArcToolbox Expanda Data Management Tools Raster dois cliques em Composite Bands 86

90 Escolha as Bandas 1, 2, 3 e 4 na lista. (na sequencia 1, 2, 3, 4) Não selecionar a Banda 5 [A banda 5 do CBERS 2 sempre está um pouco deslocada em relação às demais] Deve ficar na sequencia correta, como ao lado. O local e nome do arquivo deverá ser como ao lado. Você deve colocar a extensão do arquivo no final do nome. (neste caso, tif) Depois de terminado o processo de Composição, a imagem ficará Colorida. 87

91 Porém, faremos uma modificação nas cores, através de contraste e realce de imagem, além de atribuir para cada banda sua cor específica. Clique com o botão direito sobre a palavra CompCol na janela de árvores. Escolha Properties 88

92 Escolha para a cor Red a Banda 3 Escolha para a cor Green a Banda 4 Escolha para a cor Blue a Banda 2 Nesta caixa, deixe selecionado a opção Standard Deviations Depois de clicar em OK, verá que sua imagem está com uma cor diferente, mais próximo do real. 89

93 Vamos agora Remover os Planos de Informação (Layers) que representam apenas uma Banda Botão Direito sobre o Layer que pretende Remover e escolher a opção Remove. Fazer isso com todos de uma apenas 1 banda. Deixar somente o CompCol 90

94 Agora vamos georreferenciar esta imagem. Adicione os arquivos vetoriais de Hidrografia e de Malha Viária. (Estão dentro do Geodatabase BancoUTM) Você pode ver que as representações vetoriais sobre quase que perfeitamente sobre a imagem de satélite. O que vamos fazer é corrigir as distorções. (Dê zoom na área demarcada acima) 91

95 Mais zoom na área demarcada acima Clique sobre a ferramenta Add Control Points Depois clique aqui. Clique aqui. E assim, marque vários pontos sobre a imagem, de forma a sobrepor corretamente a Hidrografia e a Malha Viária com a imagem de satélite.(tudo isso na medida do possível, já que esta base cartográfica apresenta alguns erros) 92

96 Ao final, gere um novo arquivo georreferenciado (Rectify), com o nome de GeoCBERS, dentro da Pasta do curso, com uma resolução espacial de 20 metros e extensão TIFF. Salve o Projeto com o nome Georreferenciando_Imagem_CBERS.mxd 93

97 MERGE E CLIP CLIP (Recortar informações) O objetivo neste momento será Recortar informações Em um novo Projeto, Adicionar os seguintes Planos de Informação presentes no Geodatabase BancoUTM.mdb Pedologia Geologia Vegetação Limite_Cuiaba Insira também o layer da imagem Georreferenciada. Vemos que as informações presentes (Geologia, Vegetação, Pedologia e a Imagem) são maiores que o município de Cuiabá. O que faremos é recortar os layers em função dos limites de Cuiaba. Ative o Arctoolbox 94

98 RECORTAR VETORES Duplo clique em Clip Abrirá a seguinte caixa Cada informação deve ser recortada individualmente, uma por vez. Primeiramente vamos Recortar o layer de Pedologia 1.Escolha qual layer pretente Recortar. Clique e escolha na lista de opções 2. Escolha nesta lista de opções o Recorte 3. Aqui você deverá escolher o local onde o arquivo será salvo e qual será o seu nome. 4.OK O arquivo será ativado automaticamente ao seu projeto Faça o mesmo processo para as demais informações vetoriais presentes no projeto Clipar (recortar) Vegetação e Geologia. 95

99 RECORTAR IMAGEM 1. Duplo clique em Extract by Mask Abrirá a Caixa de diálogo abaixo Escolher na lista a imagem a ser recortada Escolher o Recorte Local onde será salvo e o nome da nova imagem recortada. 96

100 MERGE (Juntar Arquivos) O objetivo agora é juntar, em um novo arquivo, informações de dois arquivos. Em novo projeto, adicione os seguintes layers que estão dentro do Gedatabase BancoUTM.mdb Pedologia_Clip_Cuiaba Pedologia_Clip_VarzeaGrande Imagem_Cuiaba Imagem_VarzeaGrande Juntar arquivos vetoriais. Temos dois arquivos de Pedologia; um de Várzea Grande e outro de Cuiabá. Vamos criar um novo arquivo baseado nestes dois arquivos. Ative o Arctoolbox 97

101 Duplo clique em Merge Abrirá a Caixa de diálogo abaixo Escolher na lista os arquivos que vão ser juntados Lista de todos os arquivos escolhidos Local onde será salvo e o nome do novo arquivo. OK 98

102 MOSAICO DE IMAGENS Para juntar duas ou mais imagens o processo é diferente. 1. Primeiramente, é preciso criar um Arquivo Raster. Neste arquivo Raster serão inseridas as imagens na forma de Mosaico Então Abrir o ArcCatalog Clicar com o botão direito sobre o BancoUTM.mdb e Criar um novo Raster Dataset Botão direito sobre BancoUTM Opção New Subopção Raster Dataset Abre se esta caixa de diálogo Local onde será feito o Raster Dataset em branco (Raster Dataset é m arquivo em que pode ser inserido informações matriciais). Nome do Dataset: Mosaico_Cuiaba_VG Tamanho da célula: 20 Quantidade de tons de cinza possíveis: 8 bits Numero de bandas: 3 99

103 Voltando ao ArcMap, ative o ArcToolbox Expanda Data Management Tools Expanda Raster Duplo clique em Mosaico Escolher na lista imagens que serão juntadas Lista de todos as imagens escolhidas Local e nome do Raster Dataser que receberá as duas imagens para composição do Mosaico OK 100

104 Mapa de Distâncias BUFFERS Em um novo projeto do ArcMAP, adicione os arquivos de Hidrografia, a Imagem de Satélite Georreferenciada, e as sedes Municipais do Geodatabase BancoUTM. Vamos criar um Buffer de 200 metros de toda a hidrografia. Ativar o ArcToolbox Expandir Analysis Tools Expandir Proximity Duplo clique em Buffer 101

105 As áreas na cor branca são áreas que estão dentro de uma área distante no máximo 500 metros do curso dágua. As linhas amarelas são os limites desta área. Vamos agora utilizar uma técnica para deixar o polígono um pouco transparente. Abra a janela de propriedades do propriedades do layer Hidro_Buffer_

106 Com a transparência, você pode analisar informações da imagem de satélite no mesmo tempo que visualiza a distância dos cursos dágua. 103

107 Modelo Numérico de Terreno MNT Em um novo projeto, adicione o arquivo Altimetria.tiff que está dentro da pasta MNT C:\CursoGIS\Matriciais\MNT Áreas com tons de cinza mais claros são áreas mais altas. Áreas com tons de cinza mais escuros são áreas mais baixas. Você pode modificar e colocar a cor que quiser Basta dar um clique sobre a coluna da cor, na Tabela de Conteudo 104

108 Pode se definir intervalos de altitude para visualização. Na janela de propriedades do Altimetria.tiff Com MNT, pode se fazer um mapa de declividade. Ative a Extensão Spatial Analyst (Menu Tools Extensions) Ative a barra de ferramentas Spatial Analyst Na barra de ferramentas, acesse a ferramenta Slope 105

109 Os valores apresentados são o grau de declividade do terreno. 106

110 Existe também a ferramenta para mostrar a direção da Vertente 107

111 Criação de Sombreamento 108

112 Tambem é possível, com O MNT, gerar curvas de nível. Faremos agora uma Reclassificação de valores existentes em um arquivo MNT. Daremos novos Valores para cada pixel. Isso serve para fazermos ponderações e criarmos intervalos de valores de uma categoria. À partir dos dados de declividade, criaremos um novo arquivo com apenas cinco classes, como abaixo. Intervalo de Valores de Declividade originais Valores para Reclassificação De 0,0 a 2,7 1 De 2,7 a 5,4 2 De 5,4 a 9,0 3 De 9,0 a 13,5 4 Mais de 13,5 5 Conceitualmente, interpretamos como 1 valor como o de menor e 5 como maior valores numa escala de vulnerabilidade à erosão superficial. Então Ative o ArcToolbox Expanda Spatial Analyst Tools Reclass Reclassify 109

113 1. Escolher na lista qual arquivo reclassificar: Declividade 2. Em qual coluna estão os valores para serem recalculados? Value 3. Quantas Classes? Clicar 5. Escolher qual o método de classificação: Natural Breaks 6. Escolher o número de classes: 5 7. Digitar os limites máximos de cada classe. 8.OK Voltará a caixa de diálogo de Reclassificação; 110

114 9. Digitar os novos valores 10. Escolher o local e nome de arquivo reclassificado a ser criado. OK 111

115 CONVERSAO DE ARQUIVOS: Matricial X Vetor Vetorial para Matricial Em um novo projeto, Adicione o arquivo Vegetação que está dentro do BancoUTM.mdb Ative o Arctoolbox 1. Duplo Clique 2. Layer que será transformado em Matricial 3. Coluna que contem as informações que quero espacializar como matriz 4. Nome e local do arquivo raster a ser criado. 5. Tamanho da célula 6. OK 112

116 Matricial para Vetorial Em um novo projeto, Adicione o arquivo Classes_Declividade que está dentro do BancoUTM.mdb Ative o Arctoolbox 1. Duplo Clique 2. Layer que será transformado em Vetorial 3. Coluna que contem as informações que quero ter como atributo na tabela do shapefile 4. Nome e local do novo arquivo vetorial a ser criado 5. OK 113

117 Layouts para Impressão Adicione num novo projeto do ArcMap, os seguintes arquivos espaciais, todos do BancoMatoGrosso MUNICIPIOS HIDRO_PRINCIPAIS SEDES_MUNICIPAIS BACIAS_HIDROGRAFICAS Clicar no ícone do Layout 114

118 Default Papel tamanho A4 Orientação Retrato Nas bordas de cada layer, existem âncoras para o redimensionamento dentro do mapa. Redimensionar o layer para ficar como abaixo 115

119 Inserindo Escala Menu Insert A escala aparece no meio do mapa. Voce deve mudar sua posição. 116

120 Inserindo Legenda 117

121 118

122 119

123 Assim como a Escala, a Legenda também aparece no meio do mapa. Voce deve mudar sua posição. 120

124 Inserir Norte Menu Insert North Arrow Escolha o modelo OK Reposicione o Norte no lugar que deseja. 121

125 Inserir outra View para fazer o mapa de localização. Menu Insert DataFrame O novo DataFrame deve ser redimensionado e reposiciondo. Neste novo Dataframe, adicione os arquivos da America do Sul e do Brasil. 122

126 Existem ferramentas para exportar este mapa em formatos de figuras conhecidos. Menu File Export Map (Exportar como figura) Para mudar a orientação da página (Retrato ou Paisagem), ou o tamanho (para A3, A0, ou qualquer outra), basta 123

127 acessar o Menu File Page and Print Setup Impressora a ser utilizada Tamanho do Papel Paisagem Retrato Orientação Mude a orientação da página para Paisagem e deixe como abaixo: 124

128 125

129 ANALISE ESPACIAL Como exemplo de Análise Espacial, vamos gerar um Mapa de Vulnerabilidade Natural à Erosão Superficial, baseando nos em informações de Pedologia, Vegetação e Declividade do Terreno. Dentre as diversas abordagens sobre os processos erosivos, buscou se a avaliação quantitativa do comportamento dos terrenos. A deflagração de processos erosivos, em função dos usos do solo, são geralmente relacionados às condições naturais do terreno, principalmente a cobertura vegetal, a topografia e os tipos de solos. Em um novo projeto, Adicione os seguintes arquivos vetoriais presentes dentro do Geodatabase Analise_Espacial.mdb : Pedologia Vegetação Do mesmo Geodatabase, Adicione o arquivo matricial Declividade_Ponderada Vamos inserir na tabela de Vegetação uma Coluna na qual vamos atribuir valores de 1 a 5, sendo o menor valor dados à áreas com cobertura vegetal menos densa, e 5 para áreas com cobertura vegetal mais densa. 126

130 1.Botão direito sobre o layer de vegetação 2.Clicar em Open Attribute Table Na tabela aberta, clique no botão Options Clique em Add Field 127

131 Nome da Nova Coluna: FRAGILI Tipo de dado da Coluna: Double OK Os valores para cada tipo de vegetação será diferente Como na tabela abaixo: Graus de Valor a ser Proteção atribuído Tipo de Vegetação Muito Alto 1 Floresta Ombrófila Densa Região de Floresta Estacional ^ Alto 2 Savana Florestada (Cerradão) Savana Parque (Campos) Inclui Savana Gramíneo Lenhosa Médio 3 Savana Arborizada (Campo Cerrado) Areas antropicas de dominio do cerrado sem inform qto as sub formas Contato Savana (Cerrado) Floresta Ombrófila ou Floresta Estacional Baixo Areas de Formação Pioneira 4 Floresta Estacional Muito Baixo 5 Contato Savana Estepica (Vegetacao Chaquenha) Savana (Cerrado) ^ Para fazer isso com facilidade, proceda da seguinte forma Com a tabela aberta, no Botão Options Select by Attributes. Selecione todo tipo de vegetação do Tipo de Vegetação Savana Florestada (Cerradao) Veja figura abaixo: 128

132 Exemplo de como Selecionar um determinado tipo de VEgetação Com este tipo de vegetação selecionado na tabela, com a tabela aberta clique com o botão direito do mouse sobre o título da coluna FRAGILI Escolha a opção Field Calculator Botão direito Clique em Field Calculator 129

133 De acordo com a tabela, esse tipo de vegetação selecionada deve receber o valor 2. Digite o no campo apropriado. OK Se esta opção estiver marcada, ele faz o cálculo somente para os registros que estão selecionados na tabela. Veja abaixo Atribua para cada tipo de vegetação, seu peso correspondente. Posteriormente, fazer as mesmas tarefas para atribuir pesos para os diferentes tipos de solo, seguindo os pesos correspondentes de acordo com a tabela abaixo. (utilizar a coluna Tipo_Solo ) 130

134 Fragilidade Peso Tipo de Solo 1 Latossolo Vermelho-Amarelo Muito Baixa 1 1 Latossolo Vermelho-Escuro Média 3 Plintossolos Forte Muito Forte 4 Glei Pouco Humico 4 4 Cambissolo 4 Podzolico Amarelo 4 4 Solos Aluviais 4 Solos Organicos 4 4 Solos Concrecionarios Cambicos Solos Litolicos 5 Areias Quartzosas 5 Solonetz Solodizado ** Agora, converta os arquivos Pedologia e Vegetacao para Matricial (Resolução de 90 metros) e os adicione ao projeto. Para os novos arquivos matriciais, dê os nomes de Pedologia_Ponderada e Vegetacao_Ponderada Remova deste Projeto, os arquivos Vetoriais... Salve o projeto com o nome de ANALISE_ESPACIAL.mxd 131

135 O Projeto deve ficar como abaixo: Agora vamos fazer o cruzamento dos mapas. Ative o Arctoolbox Duplo clique em Single Output Map Algebra 132

136 Primeiramente, adicione os layers que pretende cruzar neste espaço, escolhendo pela caixa de opções. Os layers aparecerem na lista logo abaixo 133

137 ÁREA DE CONSTRUÇÃO DE EXPRESSÃO NUMÉRICA Esta é a área para fazer a expressão para o cálculo dos mapas Para Adicionar o Layer à área de construção de expressão numérica, você arrasta com o botão esquerdo do mouse. Dar o nome de Fragilidade, dentro do Geodatabase ANALISE_ESPACIAL Resultado abaixo 134

138 Resultado: Os valores de multiplicação dos três layers variam de 1 a 100. Valores Exportar dados para Google Earth menores são de áreas naturalmente mais residentes à erosão superficial. Os dados vetoriais podem ser visualizados no Google Earth. Para isso é necessário ter instalado no seu computador a ferramenta Export to KML. (O pacote de instalação dessa ferramenta está contida no CD que acompanha esta apostila). Antes de acessarmos a ferramenta, adicione o layer MUNICIPIOS do Geodatabase BancoMatoGrosso. Com a ferramenta instalada acesse a na barra de personalização. 135

139 1. Botão direito na área livre da barra de ferramentas. 2. Opção Export to KML Barra de Ferramentas do Export to KML. Você pode arrastar para um local fora da área de desenho Mude a legenda do mapa, diferenciado pelo nome dos municípios, como abaixo: 136

140 Clique no Botão Export to KML. Abrirá a janela. 1. Escolha qual o layer quer exportar na caixa suspensa. 2. Escolha a coluna que dará nome a cada polígono do layer. (Normalmente já aparece a coluna que esta sendo utilizado no ArcGIS) 3. Se tiver um atributo que representa altitude, escolha aqui. 4. Local e nome do arquivo de saída do KML. C:\CursoGIS\GooEarth\LimitesMunicipais.kml 5. Botão OK. 137

141 Se quiser transformar o Sistema de Projeção Cartográfica, escolha aqui. Normalmente não se mexe. OK Deseja visualizar os dados exportados no Google Earth? Clique em SIM. O Google Earth será aberto e o arquivo exportado com os limites dos municípios serão demonstrados com os respectivos nomes. Arquivo exportado ArcGIS 9x ESRI Material para Exercícios Práticos Emerson Soares dos Santos 138

142 Metadados Metadados são informações, espaciais ou não espaciais, dos arquivos georreferenciados. O ArcGIS tem uma ferramenta que possibilita a criação e edição de Metadados. Deve ser feito no ArcCatalog Selecionar o shapefile MUNICIPIOS Acessar a barra de ferramentas de Metadados. Clicar na Guia Metadata (os botões ficarão ativos) Clicar no botão Edit Metadata. 139

143 1.Identificação 2.Digitar informações gerais sobre o arquivo Informações sobre a Referencia Espacial (Datum, Projeção Cartográfica, Tipo de coordenada) Informações sobre os Atributos Guia Attribute Guia General Digitar a informação Visualizar cada Atributo (Informações sobre o atributo) 140

144 Fazendo Fusão de Bandas Fusão de bandas é uma técnica para melhorar visualmente a resolução espacial de imagens de diferentes sensores. Criar um novo projeto, e adicionar C:\CursoGIS\Matriciais\Cuiaba_Imagens o arquivo CCD_CompositeBands.tif que está dentro da pasta Trata se de um arquivo Georreferenciado, já feita a composição colorida. É uma imagem do CBERS 2 b, sensor CCD, com resolução espacial de 20 metros. 141

145 Acesse a janela de propriedades do layer adicionado (duplo clique sobre o nome do layer) Abre se a janela de Contraste da Imagem 142

146 143

147 Veja que os pixels já começar a estourar, ou seja, a definição diminui bastante à medida que se aplica zoom maior. Então adicionaremos uma imagem com resolução espacial de 2 metros para uma visualização desta área. Adicione o arquivo PAN HCR CONTRASTE.tif que está na pasta C:\CursoGIS\Matriciais\Cuiaba_Imagens Os layers devem estar ordenados da mesma forma como ao lado. Abra a janela de propriedades do arquivo CCD_CompositeBands.tif 144

148 Rolar a Barra Marcar a opção Pan sharpening Escolher a imagem com melhor resolução Escolher a opção IHS Deixar os valores default Ok 145

PREPARAÇÃO DE BASES EM SIG

PREPARAÇÃO DE BASES EM SIG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geologia e Recursos Naturais (DGRN) GE 804 Sistema de Informações Georreferenciadas Prof. Carlos Roberto de Souza Filho PREPARAÇÃO

Leia mais

Aula de ArcGIS Criando uma planta de um

Aula de ArcGIS Criando uma planta de um Aula de ArcGIS Criando uma planta de um topográfico Prof. Frederico D. Bortoloti Introdução No menu Iniciar, vá no grupo de programas ArcGIS e clique em ArcMap No ArcMap, feche a janela inicial. Passo

Leia mais

Com este tutorial, temos por objetivo determinar a distância entre duas localidades.

Com este tutorial, temos por objetivo determinar a distância entre duas localidades. Tutorial 2 Introdução Para determinar a distância entre duas localidades, basta simplesmente selecionar um recurso de medida de distância (Measure tool) e clicar sobre cada uma das localidades. Entretanto,

Leia mais

Tutorial 3 Dataframe layers Dataframe

Tutorial 3 Dataframe layers Dataframe Tutorial 3 Inserir malha geográfica Inserir uma linha conectando as duas localidades Copiar a imagem produzida Definir uma projeção cartográfica Mudar o nome do Dataframe Exportar os layers do Dataframe

Leia mais

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento Atividade Prática: Laboratório SIG Docentes: Prof. Dr Claudio Luiz Marte Prof. Dr. José Alberto Quintanilha Elaboração Roteiro: Mariana Abrantes Giannotti Colaboração:

Leia mais

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers Conversão de Raster para Polígono usando o ArcMap Nos posts anteriores, conhecemos uma situação onde uma empresa solicita, além do produto esperado, imagens no canal alfa para geração de polígonos envolventes

Leia mais

Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP

Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP 1. Abrir o Arcmap, clicar no ícone Arcmap (seta preta na figura abaixo), que pode

Leia mais

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 1. Frederico Damasceno Bortoloti

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 1. Frederico Damasceno Bortoloti Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 1 Frederico Damasceno Bortoloti Agenda Revisão das funcionalidades do ArcGIS Criação de documentos de mapa Classificação de camadas

Leia mais

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map:

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map: ArcMAP (parte 2) Nesta parte do tutorial, você irá mapear cada tipo de uso da terra dentro do noise contour. Você adicionará dados ao seu mapa, desenhará feições baseadas em atributos, selecionará feições

Leia mais

Consultas a banco de dados no ArcView

Consultas a banco de dados no ArcView UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Grazielle Anjos Carvalho Belo Horizonte, 2007 A consulta ao banco de dados no Arcview

Leia mais

SIG e Banco de Dados OFICINA BUFFER E OVERLAY. Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: KATIA CRISTINA BORTOLETTO E BRUNO ZUCHERATO

SIG e Banco de Dados OFICINA BUFFER E OVERLAY. Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: KATIA CRISTINA BORTOLETTO E BRUNO ZUCHERATO SIG e Banco de Dados OFICINA BUFFER E OVERLAY Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: KATIA CRISTINA BORTOLETTO E BRUNO ZUCHERATO ************************************************************

Leia mais

José Francisco Ladeira Neto

José Francisco Ladeira Neto Procedimentos Para Criação de Feature Class e Inserção de Entidades Gráficas Georeferenciadas e seus Atributos, Utilizando o Software ArcCatalog / ArcMap / ArcEditor José Francisco Ladeira Neto 10/2006

Leia mais

AULA 2 Planos, Vistas e Temas

AULA 2 Planos, Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos, Vistas e Temas Essa aula apresenta os conceitos de Plano de Informação, Vista e Tema e suas manipulações no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1. Abra o

Leia mais

Rodar o ArcMap e navegar até o diretório do tutorial (~Map) para selecionar o mapa que foi concluído no exercício anterior airport_tutorial

Rodar o ArcMap e navegar até o diretório do tutorial (~Map) para selecionar o mapa que foi concluído no exercício anterior airport_tutorial ArcMAP (parte 4) Nesta parte do tutorial, você irá usar o ArcMap para editar os seus dados bem como criar mapas. Neste exercício, você irá expandir a rodovia do aeroporto para criar uma nova rodovia juntando

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Autor: Emerson Soares dos Santos

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Autor: Emerson Soares dos Santos INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Autor: Julho de 2010 Material para Exercícios Práticos APRENDENDO TerraView 3x tem graduação e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso e atualmente

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ECOLOGIA DE PAISAGENS

INTRODUÇÃO ÀS FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ECOLOGIA DE PAISAGENS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP Instituto de Biociências Departamento de Ecologia Laboratório de Ecologia da Paisagem e Conservação (LEPaC) CURSO DE DIFUSÃO APOSTILA INTRODUÇÃO ÀS FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO

Leia mais

Disciplina SIG Profa. Responsável Maria Isabel C. de Freitas Profa. Colaboradora Lucimari Rossetti

Disciplina SIG Profa. Responsável Maria Isabel C. de Freitas Profa. Colaboradora Lucimari Rossetti Disciplina SIG Profa. Responsável Maria Isabel C. de Freitas Profa. Colaboradora Lucimari Rossetti Georreferenciamento da Carta Topográfica Digitalizada de Rio Claro (Imagem Escaneada ) ArcGIS 10.0 Iniciar

Leia mais

PRATICA 5A. Criação de Formatos (Layout) de Mapas

PRATICA 5A. Criação de Formatos (Layout) de Mapas UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geologia e Recursos Naturais (DGRN) GE 804 Sistema de Informações Georreferenciadas Prof. Carlos Roberto de Souza Filho PRATICA

Leia mais

ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais

ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais A Edição de Parcelas de Fábrica é um poderoso recurso de edição do ArcGIS 10. Essa ferramenta é fundamental para divisão de arquivos shapefile

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica 2008/2009

Sistemas de Informação Geográfica 2008/2009 Sistemas de Informação Geográfica 2008/2009 Explorar o ARCGIS para editar dados 1. Abrir o ArcMap e adicionar dados Escolher a opção A new empty map Adicionar dados da geodatabase Subdivision SubdivisionParcels

Leia mais

O ArcMap permite a você criar, visualizar, consultar, editar, compor e publicar mapas.

O ArcMap permite a você criar, visualizar, consultar, editar, compor e publicar mapas. ArcMAP (parte 1) O ArcMap permite a você criar, visualizar, consultar, editar, compor e publicar mapas. Para rodar o ArcMap selecionar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap Sobre a janela selecionar

Leia mais

Iniciando o ArcView 3.2

Iniciando o ArcView 3.2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS DEGEO LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO Iniciando o ArcView 3.2 Selma Regina Aranha Ribeiro Ricardo Kwiatkowski Silva Carlos André

Leia mais

Superintendência Regional de Ensino de Ubá - MG Núcleo de Tecnologia Educacional NTE/Ubá. LibreOffice Impress Editor de Apresentação

Superintendência Regional de Ensino de Ubá - MG Núcleo de Tecnologia Educacional NTE/Ubá. LibreOffice Impress Editor de Apresentação Superintendência Regional de Ensino de Ubá - MG Núcleo de Tecnologia Educacional NTE/Ubá LibreOffice Impress Editor de Apresentação Iniciando o Impress no Linux Educacional 4 1. Clique no botão 'LE' no

Leia mais

3.3 ADD DATA. Criciúma, Outubro de 2010. 3.4 BARRA DE FERRAMENTAS

3.3 ADD DATA. Criciúma, Outubro de 2010. 3.4 BARRA DE FERRAMENTAS UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC MINICURSO DE GEOPROCESAMENTO 1. CRIAÇÃO DE UM PROJETO E VISÃO GERAL DO PROGRAMA ARCGIS (10 ) 1. Abra o ArcGis No Menu INICIAR, escolha PROGRAMAS, depois ArcGIS

Leia mais

VISUALIZAÇÃO E MANIPULAÇÕES SIMPLES DE IMAGENS GEOCOVER NO ArcGIS 9.x

VISUALIZAÇÃO E MANIPULAÇÕES SIMPLES DE IMAGENS GEOCOVER NO ArcGIS 9.x VISUALIZAÇÃO E MANIPULAÇÕES SIMPLES DE IMAGENS GEOCOVER NO ArcGIS 9.x TUTORIAL /2005 Elizete Domingues Salvador SUREG-SP elizete@sp.cprm.gov.br ÍNDICE 1. Adicionar imagem Geocover na área de trabalho do

Leia mais

Igualmente ao procedimento do mapa de uso da terra, você começará criando um novo data frame para visualizar dados.

Igualmente ao procedimento do mapa de uso da terra, você começará criando um novo data frame para visualizar dados. ArcMAP (parte 3) Nesta parte do tutorial, você irá mapear a densidade populacional para o município. Um mapa de densidade populacional mostra onde as pessoas estão concentradas. Primeiramente, você adicionará

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME APRESENTAÇÃO Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE WORD 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha. Programador:

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO CURSO ARCGIS 10

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO CURSO ARCGIS 10 INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO (PRÁTICA) RICARDO T. ZAIDAN CURSO ARCGIS 10 EXERCÍCIO 1 FAMILIARIZANDO COM AS FERRAMENTAS DO ARCGIS 10 EXERCÍCIO 2 EXPLORANDO O ARCCATALOG EXERCÍCIO 3 VISUALIZAÇÃO DE DADOS

Leia mais

MANUAL DE ACESSO AO ATLAS DIGITAL GEOAMBIENTAL. Autores: Eric Pereira Iara Christina de Campos Luciana Hiromi Yoshino Kamino Flávio Fonseca do Carmo

MANUAL DE ACESSO AO ATLAS DIGITAL GEOAMBIENTAL. Autores: Eric Pereira Iara Christina de Campos Luciana Hiromi Yoshino Kamino Flávio Fonseca do Carmo MANUAL DE ACESSO AO ATLAS DIGITAL GEOAMBIENTAL Autores: Eric Pereira Iara Christina de Campos Luciana Hiromi Yoshino Kamino Flávio Fonseca do Carmo BELO HORIZONTE MG 2016 MANUAL DE ACESSO AO ATLAS DIGITAL

Leia mais

AULA 2 Planos, Vistas e Temas

AULA 2 Planos, Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos, Vistas e Temas Essa aula apresenta os conceitos de Plano de Informação, Vista e Tema e suas manipulações no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1. Abra o

Leia mais

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 3. Frederico Damasceno Bortoloti

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 3. Frederico Damasceno Bortoloti Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 3 Frederico Damasceno Bortoloti Criar um novo arquivo de feição ArcCatalog: clique com o botão direito em uma pasta e selecione Novo

Leia mais

QGIS 2.4 Recorte de Raster em Lote (Clip Raster in Batch Mode)

QGIS 2.4 Recorte de Raster em Lote (Clip Raster in Batch Mode) QGIS 2.4 Recorte de Raster em Lote (Clip Raster in Batch Mode) Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Informações Complementares... 3 1.1 Camada Máscara (Vetor)... 3 1.2 Referência Espacial...

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Oficina - Overlay e Obtenção do Mapa de Suscetibilidade à Erosão

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Oficina - Overlay e Obtenção do Mapa de Suscetibilidade à Erosão SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Oficina - Overlay e Obtenção do Mapa de Suscetibilidade à Erosão O objetivo desta oficina é oferecer aporte à geração de mapa

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD 1 - INTRODUÇÃO O ArcPad é um software de mapeamento e tratamento de Informações Geográficas desenvolvido pela ESRI cujo objetivo principal é a portabilidade e mobilidade dos dados. O ArcPad pode ser utilizado

Leia mais

Objetivo: desenvolver um Plano de Bacia Hidrográfica

Objetivo: desenvolver um Plano de Bacia Hidrográfica Tutorial de Aplicações do geoprocessamento em Sistema de Informação Geográfica livre Elaborado por: ¹Loide Angelini Sobrinha; ²Leandro Guimarães Bais Martins; ³João Luiz Boccia Brandão ¹ ²Engenheiro(a)

Leia mais

Tutorial. Exportando mapas para KML. Versão 1.0 16/01/2009. Autores: Natalia Estevam, Vitor Pires Vencovsky

Tutorial. Exportando mapas para KML. Versão 1.0 16/01/2009. Autores: Natalia Estevam, Vitor Pires Vencovsky Tutorial Exportando mapas para KML Versão 1.0 16/01/2009 Autores: Natalia Estevam, Vitor Pires Vencovsky 1. Introdução O tutorial tem como objetivo fornecer informações básicas para exportar os mapas gerados

Leia mais

APOSTILA DE INFORMÁTICA MICROSOFT WORD 2012

APOSTILA DE INFORMÁTICA MICROSOFT WORD 2012 APOSTILA DE INFORMÁTICA MICROSOFT WORD 2012 Profa Responsável Fabiana P. Masson Caravieri SUMÁRIO 1. MICROSOFT WORD 2010.... 3 1.1 INICIANDO O WORD 2010.... 3 2. Pagina Inicial.... 6 2.1 Aba arquivo...

Leia mais

Por que Geoprocessamento?

Por que Geoprocessamento? Um pouco sobre a NOSSA VISÃO Processamento Digital é um endereço da Web criado pelo geógrafo Jorge Santos com objetivo de compartilhar dicas sobre Geoprocessamento e Software Livre. A idéia surgiu no ano

Leia mais

GEODATABASES EXERCÍCIO 1

GEODATABASES EXERCÍCIO 1 GEODATABASES A informação espacial de que muitas vezes dispomos, para os nossos projectos, provem de fontes diversas e surge nos mais variados formatos, shapefiles, ficheiros CAD, imagens, etc, todos estes

Leia mais

QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Polígono

QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Polígono QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Polígono Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Material de Apoio... 3 1.1 Cartografia de Referência... 3 1.2 Base Cartográfica Vetorial de Referência...

Leia mais

Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas FFLCH. Departamento de Geografia

Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas FFLCH. Departamento de Geografia Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas FFLCH Departamento de Geografia Mini-curso Mapeamento de APP (áreas de preservação permanente) através de técnicas de Geoprocessamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Manual do Moodle- Sala virtual UNIFAP MACAPÁ-AP 2012 S U M Á R I O 1 Tela de Login...3 2 Tela Meus

Leia mais

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 1 Sumário 1. Instalando a Chave de Proteção 3 2. Novas características da versão 1.3.8 3 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 4. Executando o PhotoFacil Álbum 9 3.1. Verificação da Chave 9 3.1.1. Erro 0001-7

Leia mais

AMBIENTE URBANO E TRANSPORTES Sistemas de Informação Geográfica

AMBIENTE URBANO E TRANSPORTES Sistemas de Informação Geográfica 1. AULA 1 TAREFAS BÁSICAS EM ARCGIS Durante esta sessão vamos realizar uma série de tarefas básicas em ArcGIS, tal como criar um novo projecto, definir o sistema de coordenadas, representar informação

Leia mais

DISCIPLINA SIG EXERCÍCIO 1: MUDANÇA DE SISTEMA DE COORDENADAS (GEOGRÁFICAS LAT/LONG PARA UTM CÓRREGO ALEGRE)

DISCIPLINA SIG EXERCÍCIO 1: MUDANÇA DE SISTEMA DE COORDENADAS (GEOGRÁFICAS LAT/LONG PARA UTM CÓRREGO ALEGRE) DISCIPLINA SIG OFICINA: MODELO NUMÉRICO DE TERRENO (MNT) Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: BRUNO ZUCHERATO KATIA CRISTINA BORTOLETTO EXERCÍCIO 1: MUDANÇA DE SISTEMA DE COORDENADAS (GEOGRÁFICAS

Leia mais

GUIA PRÁTICO GEORREFERENCIAMENTO

GUIA PRÁTICO GEORREFERENCIAMENTO GUIA PRÁTICO DataGeosis Versão 2.3 GEORREFERENCIAMENTO Paulo Augusto Ferreira Borges Engenheiro Agrimensor Treinamento e Suporte Técnico 1. Introdução Neste guia apresentam-se os passos necessários para

Leia mais

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa P OW ERPOI NT 1 INTRODUÇÃO... 3 1. Iniciando o PowerPoint... 3 2. Assistente de AutoConteúdo... 4 3. Modelo... 5 4. Iniciar uma apresentação em branco... 6 5. Modo de Exibição... 6 6. Slide Mestre... 7

Leia mais

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica Em certa época, a planilha era um pedaço de papel que os contadores e planejadores de empresas utilizavam para colocar

Leia mais

EXERCÍCIO 5: TRABALHANDO COM DESENHOS CAD

EXERCÍCIO 5: TRABALHANDO COM DESENHOS CAD EXERCÍCIO 5: TRABALHANDO COM DESENHOS CAD O ArcMap permite que se trabalhe com arquivos de formato CAD. Antes se realizar qualquer operação de edição sobre este arquivo, é importante converter a extensão

Leia mais

Manual de operação do sistema Desenhador Geográfico. 05/2012 Versão 2.2.14.1

Manual de operação do sistema Desenhador Geográfico. 05/2012 Versão 2.2.14.1 Manual de operação do sistema Desenhador Geográfico 05/2012 Versão 2.2.14.1 Conteúdo Ferramentas de Edição... 3 1) Barra de ferramentas de edição... 3 2) Inserir uma geometria... 4 2) Ferramenta Snap...

Leia mais

Configurando o estilo de Camada (Layer) no AutoCAD 2007

Configurando o estilo de Camada (Layer) no AutoCAD 2007 Configurando o estilo de Camada (Layer) no AutoCAD 2007 1 - Inicialmente, na Barra de Camadas clique no ícone (Gerenciador de Propriedades da Camada), para configurar o estilo de camada: 2 - Na caixa de

Leia mais

Prof Rafael Guem Murakami

Prof Rafael Guem Murakami Prof Rafael Guem Murakami São Paulo 2006 Sumário: Definição:... 4 Barra de Formatação:... 4 Configuração de página:... 5 Bordas e Sombreamento:... 6 Índices:... 8 Inserindo Figuras:... 12 Word-Art:...

Leia mais

3DVR. Representação de Volume Tridimensional MANUAL DO OPERADOR IMAGING SCIENCES INTERNATIONAL, INC. 1910 North Penn Road, Hatfield, PA 19440, EUA

3DVR. Representação de Volume Tridimensional MANUAL DO OPERADOR IMAGING SCIENCES INTERNATIONAL, INC. 1910 North Penn Road, Hatfield, PA 19440, EUA 3DVR Representação de Volume Tridimensional MANUAL DO OPERADOR IMAGING SCIENCES INTERNATIONAL, INC. 1910 North Penn Road, Hatfield, PA 19440, EUA Fone 215-997-5666 Fax 215-997-5665, 5667 Peça nº 990320

Leia mais

SIGA-CEIVAP MANUAL DO USUÁRIO 1

SIGA-CEIVAP MANUAL DO USUÁRIO 1 SIGA-CEIVAP MANUAL DO USUÁRIO 1 SIGA-CEIVAP MANUAL DO USUÁRIO 2 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1 SIGA-CEIVAP... 3 2. FUNCIONALIDADES COMUNS AOS USUÁRIOS... 3 2.1 ACESSO AO SISTEMA... 3 2.1.1 ACESSANDO

Leia mais

TRANSIÇÕES, ZOOMS E PANORÂMICAS, TEXTO, MÚSICA

TRANSIÇÕES, ZOOMS E PANORÂMICAS, TEXTO, MÚSICA TRANSIÇÕES, ZOOMS E PANORÂMICAS, TEXTO, MÚSICA 1) TRANSIÇÕES Após ter colocado todos os objetos visuais no Vídeo 1A, volte à linha do tempo e arraste cada uma das imagens no Vídeo 1A para o Vídeo 1B. Quando

Leia mais

Anexação de tabelas, inserção de pontos, geração de polígonos e cálculo de áreas em ArcView

Anexação de tabelas, inserção de pontos, geração de polígonos e cálculo de áreas em ArcView UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Anexação de tabelas, inserção de pontos, geração de polígonos e cálculo de áreas

Leia mais

Georreferenciamento de arquivos Raster em ArcGIS

Georreferenciamento de arquivos Raster em ArcGIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Georreferenciamento de arquivos Raster em ArcGIS Grazielle Anjos Carvalho Paulo

Leia mais

Sumário - Power Point

Sumário - Power Point Power Point Sumário - Power Point 1. INICIANDO O POWERPOINT... 116 2. APRESENTAÇÃO DA JANELA DO POWERPOINT... 117 3. CONCEITOS BÁSICOS DO POWERPOINT... 118 4. INICIANDO UMA APRESENTAÇÃO... 118 4.1 Autolayouts

Leia mais

Estatística no EXCEL

Estatística no EXCEL Estatística no EXCEL Prof. Ms. Osorio Moreira Couto Junior 1. Ferramentas... 2 2. Planilha de dados... 3 2.1. Introdução... 3 2.2. Formatação de células... 4 2.3. Inserir ou Excluir Linhas e Colunas...

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS Qualquer tipo de tratamento de imagens deve ser efetuado antes de seu registro, ou seja, com a imagem original. As imagens CBERS aparecem com aspecto

Leia mais

Questões de Informática 2011 - Editores de Texto

Questões de Informática 2011 - Editores de Texto 1. Existe uma operação específica no Word que serve para destacar um texto selecionado colocando uma moldura colorida em sua volta, como uma caneta "destaque" (iluminadora). Trata-se de a) "Cor da borda".

Leia mais

1. Introdução a Microsoft Excel

1. Introdução a Microsoft Excel Introdução a Microsoft Excel 1. Introdução a Microsoft Excel 1.1. O que é Microsoft Excel Microsoft Excel é um software de planilha eletrônica produzido pela Microsoft Corporation, para o sistema operacional

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

Prof. Tiago Badre Marino Geoprocessamento Departamento de Geociências Instituto de Agronomia - UFRRJ. Aquisição de dados cartográficos a partir da Web

Prof. Tiago Badre Marino Geoprocessamento Departamento de Geociências Instituto de Agronomia - UFRRJ. Aquisição de dados cartográficos a partir da Web Exercício Objetivo Aplicativos Entrar nas diferentes fontes de dados cartográficos e imagens de sensoriamento remoto existentes no Brasil e executar os procedimentos para download destes dados disponíveis

Leia mais

Geração de mapas temáticos utilizando os programas GPS TrackMaker, Google Earth e Surfer

Geração de mapas temáticos utilizando os programas GPS TrackMaker, Google Earth e Surfer Geração de mapas temáticos utilizando os programas GPS TrackMaker, Google Earth e Surfer Para produzir os mapas de campo, que são baseados em pontos instantâneos de atributos específicos, como a produtividade,

Leia mais

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART Continuação 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART a) Vá para o primeiro slide da apresentação salva no item 31. b) Na guia PÁGINA INICIAL, clique no botão LAYOUT e selecione (clique) na opção TÍTULO

Leia mais

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 2013 LANDSAT-8: Informações para Novos Usuários de Imagens Licença: As imagens Landsat-8 são gratuitas; Download: Para baixar

Leia mais

O software ILWIS Integrated Land and Water Information System)

O software ILWIS Integrated Land and Water Information System) O software ILWIS Integrated Land and Water Information System) A idéia deste pequeno tutorial é divulgar o uso do software livre ILWIS e suas aplicações em Sistema de Informação Geográfica e Geoprocessamento.

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I

Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I Helio Larri Vist Geógrafo Mestre em Sensoriamento Remoto Ayr Müller Gonçalves Educador Físico e Graduando em Segurança da Informação Rai Nunes dos Santos

Leia mais

Aula 01 Conceitos Iniciais sobre Excel 2010

Aula 01 Conceitos Iniciais sobre Excel 2010 Aula 01 Conceitos Iniciais sobre Excel 2010 Professor: Bruno Gomes Disciplina: Informática Básica Curso: Gestão de Turismo Sumário da aula: 1. Abrindo o Excel; 2. Conhecendo a Tela do Excel. 3. Inserindo

Leia mais

Amostra OpenOffice.org 2.0 Writer SUMÁRIO

Amostra OpenOffice.org 2.0 Writer SUMÁRIO Amostra OpenOffice.org 2.0 Writer SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. INSERIR TEXTO 3. SALVAR UM DOCUMENTO 4. FECHAR UM DOCUMENTO 5. INICIAR UM NOVO DOCUMENTO 6. ABRIR UM DOCUMENTO 7. SELECIONAR TEXTO 8. RECORTAR,

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DA BAHIA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DA BAHIA CALC para Windows OpenOffice.org 3.0: Manual do usuário A sua Planilha de Cálculos SUMÁRIO Introdução...3 Apresentando o OpenOffice.org Calc 3.0...4 Iniciando o Calc 3.0...4 Componentes Básicos da janela

Leia mais

MICROSOFT EXCEL - AULA NÚMERO 01

MICROSOFT EXCEL - AULA NÚMERO 01 MICROSOFT EXCEL - AULA NÚMERO 01 Introduzindo Dados Com o Microsoft Excel é fácil introduzir informações numa planilha e mudar, excluir ou acrescentar dados. Você vai aprender a: - Abrir e salvar um arquivo

Leia mais

CAPÍTULO 2 USANDO O ARCMAP

CAPÍTULO 2 USANDO O ARCMAP CAPÍTULO 2 USANDO O ARCMAP 1.0. Interface do ArcMap O ArcMap é o aplicativo do ArcGIS voltado para o desenho e a investigação de mapas, para a análise dos mesmos de modo a resolver questões geográficas,

Leia mais

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais.

O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. MICROSOFT WINDOWS O Windows também é um programa de computador, mas ele faz parte de um grupo de programas especiais: os Sistemas Operacionais. Apresentaremos a seguir o Windows 7 (uma das versões do Windows)

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de código de barras e separação de documentos

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de código de barras e separação de documentos Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de código de barras e de separação de documentos no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se

Leia mais

Aprendendo Corel Draw 2

Aprendendo Corel Draw 2 ÍNDICE Introdução Ferramentas do Trabalhando com cores Trabalhando com objetos Transformando objetos desenhados Clonagem de objetos Formatando objetos Preenchimentos e Contornos Preenchimento Gradiente

Leia mais

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox.

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. - Construção do Banco de Dados: Para podermos inserir algo em um banco precisaremos de um Banco de Dados, para isto iremos montar um utilizando o Programa Database

Leia mais

6.5. Renomeando Arquivos ou Pastas

6.5. Renomeando Arquivos ou Pastas 50 II. Para mover um arquivo, pasta, objeto dentro do Windows: 1) Clique com o mouse sobre a pasta, arquivo a serem movidos; 2) Mantenha o botão esquerdo do mouse pressionado; 3) Arraste o objeto para

Leia mais

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas:

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas: PHOTOSHOP Universidade de Caxias do Sul O Photoshop 5.0 é um programa grande e complexo, é o mais usado e preferido pelos especialistas em editoração e computação gráfica para linha PC. Outros programas

Leia mais

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 4. Frederico Damasceno Bortoloti

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 4. Frederico Damasceno Bortoloti Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 4 Frederico Damasceno Bortoloti Forma da Terra Elipsoide UGGI-67 WGS-84 SIRGAS Datum SAD-69 (UGGI-67) WGS-84 (WGS-84) SIRGAS (SIRGAS)

Leia mais

Introdução ao Fireworks CS4

Introdução ao Fireworks CS4 Introdução ao Fireworks CS4 Profa. Flávia Pereira de Carvalho Fontes: Adobe Fireworks CS4 Design para Web Processor Alfamídia Criação de Sites: Layout e Projetos - Processor Alfamídia Crie, Anime e Publique

Leia mais

Aula prática - Modelo Numérico. do Terreno. do Terreno (MNT) ou Modelo Digital do Terreno

Aula prática - Modelo Numérico. do Terreno. do Terreno (MNT) ou Modelo Digital do Terreno Aula prática - Modelo MDT correspondem a Digital Terrain Model (DTM) ou Digital Elevation Model (DEM). Uma das modelagens mais utilizadas em geotecnologias que procura representar digitalmente o comportamento

Leia mais

Prefeitura de Volta Redonda Secretaria Municipal de Educação Departamento Pedagógico Núcleo de Tecnologia Educacional Volta Redonda NTM

Prefeitura de Volta Redonda Secretaria Municipal de Educação Departamento Pedagógico Núcleo de Tecnologia Educacional Volta Redonda NTM Prefeitura de Volta Redonda Departamento Pedagógico NTM Planilha Eletrônica Prefeitura de Volta Redonda Departamento Pedagógico NTM Prefeitura de Volta Redonda Departamento Pedagógico NTM Coloque seus

Leia mais

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel *

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * material do 2010* 1.0 Introdução O Excel nos ajuda a compreender melhor os dados graças à sua organização em células (organizadas em linhas e colunas) e ao uso

Leia mais

SISTEMA PARA ACOMPANHAMENTO DE CASOS DE DENGUE

SISTEMA PARA ACOMPANHAMENTO DE CASOS DE DENGUE SISTEMA PARA ACOMPANHAMENTO DE CASOS DE DENGUE Este visualizador funciona melhor nos navegadores Mozilla Firefox e Google Chrome (o funcionamento não é completo no Internet Explorer), portanto dê preferencia

Leia mais

Desenhando no Flash. Comece um novo arquivo novo, de tamanho 500 X 300 pixels.

Desenhando no Flash. Comece um novo arquivo novo, de tamanho 500 X 300 pixels. Desenhando no Flash Os arquivos criados no Flash guardam e apresentam as informações gráficas vetorialmente. Isto significa que as imagens são entendidas como formas e preenchimentos e o que é armazenado

Leia mais

Introdução ao Fireworks CS4

Introdução ao Fireworks CS4 Introdução ao Fireworks CS4 Profa. Flávia Pereira de Carvalho Fontes: Adobe Fireworks CS4 Design para Web Processor Alfamídia Criação de Sites: Layout e Projetos - Processor Alfamídia Crie, Anime e Publique

Leia mais

Compositor de Impressão do QGIS

Compositor de Impressão do QGIS Compositor de Impressão do QGIS 1. Introdução O Compositor de Impressão é uma ferramenta oferecida pelo QGIS para elaborar a versão final dos mapas que serão impressos. Permite a definição de escala e

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA GRUPO DE PESQUISA LEITURA NA TELA Núcleo de Educação a Distância UniEvangélica 2 ÍNDICE 1 Introdução à Informática... 3 1. O Computador... 3 Teclado... 3 Mouse... 5 Monitor...

Leia mais

PROCESSAMENTO DE IMAGEM DE SATÉLITE

PROCESSAMENTO DE IMAGEM DE SATÉLITE PROCESSAMENTO DE IMAGEM DE SATÉLITE MAPEAMENTO DE USO ATUAL DO SOLO UTILIZANDO O PROGRAMA ARCGIS. Professor Fabiano Luiz Neris (fabiano@unesc.net) Criciúma, Março de 2011. 1. Desenvolvimento de um SIG

Leia mais

Migrando para o Word 2010

Migrando para o Word 2010 Neste guia O Microsoft Word 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber as partes principais da nova interface,

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Aula 3 - Registro de Imagem Registro é uma transformação geométrica que relaciona as coordenadas da imagem (linha e coluna) com as coordenadas geográficas (latitude e longitude)

Leia mais

16 - SCARTA. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra na área de trabalho (Fig.1). Fig.1- Ícone do SCARTA

16 - SCARTA. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra na área de trabalho (Fig.1). Fig.1- Ícone do SCARTA 16 - SCARTA Módulo do SPRING que permite editar uma carta e gerar arquivo para impressão, permitindo a apresentação na forma de um documento cartográfico. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra

Leia mais

Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta aulas práticas sobre RETAS em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.1d. 2006 RETAS CAD

Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta aulas práticas sobre RETAS em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.1d. 2006 RETAS CAD 1 1. INTRODUÇÃO. RETAS CAD Iniciaremos o estudo das retas construindo no CAD alguns exercícios já construídos na aula teórica utilizando a régua e o compasso. Entretanto, o nosso compasso aqui será o comando

Leia mais

4 - Layout de Mapas no QGIS 2.0

4 - Layout de Mapas no QGIS 2.0 UPE Campus III Petrolina 4 - Layout de Mapas no QGIS 2.0 GT-Paisagem Prof. Dr. Lucas Costa de Souza Cavalcanti 1 INTRODUÇÃO Este tutorial ensina como elaborar o layout de mapas no QGIS 2.0. O layout é

Leia mais

Exercício prático GPS Thales MobileMapper

Exercício prático GPS Thales MobileMapper Exercício prático GPS Thales MobileMapper Criar biblioteca: - Abrir o software Mobile Mapper Office e, no menu Tools, seleccionar a opção Feature Library Editor. - Para criar os ficheiros de pontos, linhas

Leia mais

Introdução ao ArcGIS

Introdução ao ArcGIS Introdução ao ArcGIS Maria Cecilia Brandalize Novembro, 2011 Tópicos O que é um SIG? A estrutura do ArcGIS Dados utilizados no ArcGIS Operações básicas com o ArcGIS Edição de dados Combinação de dados

Leia mais