TABELA DE ROSCAS. Diâmetro do Núcleo (mm) Ø da broca

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TABELA DE ROSCAS. Diâmetro do Núcleo (mm) Ø da broca"

Transcrição

1 TABELA DE ROSCAS UNF - Rosca Unificada Fina UNC - Rosca Unificada Grossa MB (MF) - Rosca Métrica Fina Diâmetro do Núcleo (mm) Ø da broca Diâmetro do Núcleo (mm) Ø da broca Diâmetro do Núcleo (mm) Ø da broca Ø - fpp Ø - fpp Ø - passo (mm) Máximo Mínimo (mm) Máximo Mínimo (mm) Máximo Mínimo (mm) N5 (/8".44) 2,74 2,64 2,7 N5 (/8".40) 2,69 2,59 2,6 M3 X 0,35 7,72 2,62 2,65 N6 (9/64".40) 3,02 2,92 3 N6 (9/64".32) 2,89 2,76 2,85 M3,5 X 0,35 3,22 3,2 3,5 N8 (5/32".36) 3,60 3,50 3,5 N8 (5/32".32) 3,53 3,40 3,5 M4 X 0,50 3,59 3,45 3,5 N0 (3/6".32) 4,6 4,06 4, N0 (3/6".24) 3,96 3,8 3,9 M5 X 0,5 4,59 4,45 4,5 N2 (7/32".28) 4,72 4,62 4,7 N6 (7/32".24) 4,59 4,47 4,5 M6 X 0,75 5,37 5,8 5,2 /4".28 5,58 5,48 5,5 /4".20 5,25 5,3 5,2 M7 X 0,75 6,37 6,8 6,2 5/6".24 7,03 6,90 6,9 5/6".8 6,73 6,57 6,6 M8 X 0,75 7,37 7,8 7,2 3/8".24 8,63 8,5 8,5 3/8".6 8,5 7,97 8 M8 X 7,5 6,9 7 7/6".20 0,03 9,88 9,9 7/6".4 9,55 9,34 9,4 M9 X 0,75 8,37 8,8 8,2 /2".20,60,48,5 /2".3 0,87 0,5 0,8 M9 X 8,5 7,9 8 9/6".8 3,08 2,93 2,9 9/6".2 2,44 2,09 2,2 M0 X 0,75 9,37 9,8 9,2 5/8".8 4,68 4,53 4,5 5/8". 3,86 3,6 3,5 M0 X 9,5 8,9 9 3/4".6 7,67 7,50 7,5 3/4".0 6,84 6,58 6,5 M0 X,25 8,9 8,64 8,8 7/8".4 20,67 20,47 20,5 7/8".9 9,76 9,48 9,5 M2 X,5 0,9 ".2 23,57 23,34 23,25 ".8 22,60 22,30 22,25 M2 X,25 0,9 0,64 0,8./8".2 26,74 26,5 26,5./8".7 25,35 24,99 25 M2 X,5 0,67 0,37 0,5./4".2 29,92 29,69 29,5./4".7 28,52 28,6 28,25 M4 X 3,5 2,9 3.3/8".2 33,09 32,68 32,75.3/8".6 3, 30,73 30,75 M4 X,25 2,9 2,64 2,8./2".2 36,27 36,04 36./2".6 34,30 33,9 34 M4 X,5 2,67 2,37 2,5.3/4".5 39,82 39,39 39,5 M6 X 5,5 4,9 5 BSW - Rosca Whitworth Grossa 2".4./2 45,59 45,3 45 M6 X,5 4,67 4,37 4,5 Diâmetro do Núcleo (mm) Ø da broca 2./4".4./2 5,94 5,48 5,5 M8 X 7,5 6,9 7 Ø - fpp Máximo Mínimo (mm) 2./2".4 57,58 57,09 57,25 M8 X,5 6,67 6,37 6,6 /8".40 2,59 2,46 2,5 2.3/4".4 63,93 63,45 63,5 M8 X 2 6,2 5,83 6 5/32".32 3,2 3,05 3, 3".4 70,28 69,80 70 M20 X 9,5 8,9 9 3/6".24 3,74 3,54 3,6 M20 X,5 8,67 8,37 8,5 7/32".24 4,53 4,33 4,4 MA (MG) - Rosca Métrica Grossa M20 X 2 8,2 7,83 8 /4".20 5,22 4,98 5, Diâmetro do Núcleo (mm) Ø da broca M22 X 2,5 20,9 2 Ø - passo (mm) 5/6".8 6,66 6,38 6,5 Máximo Mínimo (mm) M22 X,5 20,67 20,37 20,5 3/8".6 8,05 7,74 7,9 M3 X 0,5 2,59 2,45 2,5 M22 X 2 20,2 9, /6".4 9,37 9,03 9,2 M3,5 X 0,6 3,0 2,85 2,9 M24 X 23,5 22,9 23 /2".2 0,6 0,20 0,5 M4 X 0,7 3,42 3,24 3,3 M24 X,5 22,67 22,37 22,5 9/6".2 2,7,76 2 M4,5 X 0,75 3,87 3,68 3,7 M24 X 2 22,2 2, /8". 3,59 3,5 3,4 M5 X 0,8 4,33 4,3 4,2 M26 X,5 24,67 24,37 24,5 3/4".0 6,53 6,05 6,4 M6 X 5,5 4,9 5 M28 X 27,5 26,9 27 7/8".9 9,4 8,86 9,25 M7 X 6,5 5,9 6 M28 X,5 26,67 26,37 26,5 ".8 22,8 2,57 22 M8 X,25 6,9 6,64 6,8 M28 X 2 26,2 25,83 26./8".7 24,87 24,8 24,7 M9 X,25 7,9 7,64 7,8 M30 X 29,5 28,9 29./4".7 28,05 27,35 27,75 M0 X,5 8,67 8,37 8,5 M30 X,5 28,67 28,37 28,5.3/8".6 30,55 29,74 30,2 M2 X,75 0,44 0,0 0,2 M30 X 2 28,2 27,83 28,8./2".6 33,73 32,9 33,5 M4 X 2 2,2,83 2 M30 X 3 27,25 26, /8".5 35,92 34,94 35,5 M6 X 2 4,2 3,83 4.3/4".5 37,09 38,2 38,5 M8 X 2,5 5,74 5,29 5,5.7/8".4./2 4,64 40,56 4,5 M20 X 2,5 7,74 7,29 7,5 2".4./2 44,82 43,73 44,5 M22 X 2,5 9,74 9,29 9,5 2./4".4 50,42 49,20 50 M24 X 3 2,25 20, /2".4 56,77 55,55 56,6 M30 X 2,5 26,77 26,2 26,5 2.3/4".3./2 62,0 60,7 62 3".3./2 68,45 67,06 68

2 Departamento de Engenharia Engineering Departament Descrição: Description: TABELA DE PRODUTO TABLE OF PRODUCT BARRA ROSCADA A 93 B7 008 Threaded bar L Tabela Nº Table S B7 ød S B7 BITOLA ød Gauge 3/8" /2" 5/8'' 3/4'' 7/8'' ''./8"./4".3/8"./2".5/8".3/4''.7/8" 2" UNC F.P.P. UN COMPRIMENTO Length L COMPRIMENTO Length L Tolerância Tolerance Observações observation: Classe de tolerância de rosca 2A; tolerance Class of screw thread Dimensões conforme norma ANSI B6.5; Dimension according to Rosca UNC - UN conforme norma ASME B.. screw thread according to Propriedades Mecânica mechanical properties Conforme norma ASTM A93 B7 According to Substituição Revisão Desenhista Aprovador Substitution: Revision: 0 - Jackson Designer: Aproval: PEDRO - 5/06/07 RAFAEL - 22/0/0

3 NPT Cônica Fios por polegada A B D D 4 /8 NPT ,4 9 /4 NPT 8 4,2 2,5 3,9,7 3/8 NPT 8 4,2 3,5 7,3 5,2 /2 NPT 4 9 6,5 2,6 8,8 3/4 NPT 4 9 7, NPT ½ 24 20,5 33,7 30./4 NPT ½ ,5 38,8./2 NPT ½ 25,5 2 48, NPT ½ , /2 NPT 8 38, , NPT ,4 84 UNF Paralela Fios por polegada A B D D 4 5/6 UNF 24 7,5 0 7,8 6,9 3/8 UNF 24 7,5 0 9,4 8,5 7/6 UNF 20 9,2,5 9,8 /2 UNF 20 9,2,5 2,6,5 9/6 UNF 8 0 2,7 4, 2,9 3/4 UNF 6, 4,2 8,9 7,5 7/8 UNF 4 2,7 6,5 22, 20,5./6 UNF ,8 24,9.3/6 UNF /6 UNF , 3,2.5/8 UNF , 39,2.7/8 UNF ,5 45,6

4 A vedação é obtida por meio de junta de cobre (JC) ou cortante de aço (JKA) e deve ser solicitado junto com a conexão. A rosca BSP paralela não é posicionável A vedação é obtida por meio de junta de vedação de borracha (O Ring), já fornecido com a conexão. A rosca BSP com O Ring não é posicionável BSP Paralela BSP Cônica BSP com O Ring Fios por polegada A A B D D D 2 D 3 D 4 /8 BSP /8 BSPT /8 BSP ,6 0, 4 8 8,8 /4 BSP /4 BSPT /4 BSP 9 2 4, ,7 8 22,8 3/8 BSP 3/8 BSPT 3/8 BSP 9 2 4,2 5 6,5 7, ,2 5,3 /2 BSP /2 BSPT /2 BSP ,8 2, /4 BSP 3/4 BSPT 3/4 BSP , ,5 BSP BSPT BSP , ,7./4 BSP./4 BSPT./4 BSP ,8 42, ,6./2 BSP./2 BSPT./2 BSP 22 25, ,7 48, ,4 2 BSP 2 BSPT , ,2 2./2 BSP 2./2 BSPT , , ,7 3 BSP 3 BSPT , ,5

5 A vedação é obtida por meio de junta de cobre (JC) ou cortante de aço (JKA) e deve ser solicitado junto com a conexão. A rosca BSP paralela não é posicionável A vedação é obtida por meio de junta de vedação de borracha (O Ring), já fornecido com a conexão. A rosca BSP com O Ring não é posicionável Métrica Paralela Métrica Cônica Métrica com O Ring A B D D 2 D 3 D 4 M8 X MK8 X M0 X MK0 X M0 X M2 X,5 MK2 X,5 M2 X, ,5 M4 X,5 MK4 X,5 M4 X, ,5 M6 X,5 MK6 X,5 M6 X, ,2 4,5 M8 X,5 MK8 X,5 M8 X, ,5 6,5 M20 X, ,5 M22 X,5 MK22 X,5 M22 X, ,5 M24 X, ,5 M26 X,5 MK26 X, ,5 M27 X 2 M27 X M33 X 2 M33 X M42 X 2 M42 X M48 X 2 M48 X M60 X M75 X M88 X

6 CONEXÕES JIC Definição de conexões do tipo JIC Nº JIC Rosca Ø tubo JIC-4 7/6".20 fpp /4" JIC-5 /2".20 fpp 5/6" JIC-6 9/6".8 fpp 3/8" JIC-8 3/4".6 fpp /2" JIC-0 7/8".4 fpp 5/8" JIC-2./6".4 fpp 3/4" JIC-6.5/6".4 fpp " JIC-20.5/8".2 fpp../4" JIC-24.7/8".2 fpp./2" JIC-32 2./2".2 fpp 2" JIC-40 3".2 fpp 2./2" JIC-48 3./2".2 fpp 3" Nota : a informação sobre o diâmetro do tubo é aplicável somente nos casos em que uma tubulação rígida será conectada a um terminal do tipo JIC 37º, sendo necessário a abertura de uma virola (com ferramenta especial) na ponta do tubo. Nota 2: atenção para não confundir conexões JIC 37º com SAE 45º.

7 JIC-4 JIC-5 JIC-6 JIC-8 JIC-0 JIC-2 JIC-6 JIC-20 JIC-24 JIC-32 JIC-40 JIC-48 DN /4" 5/6" 3/8" /2" 5/8" 3/4" "./4"./2" 2" 2./2" 3" ROSCA 7/6".20 /2".20 9/6".8 3/4".6 7/8".4./6".4.5/6".4.5/8".2.7/8".2 2./2".2 3".2 3./2".2 A ,5 27 3, B 4, , , C 9-2 6, , D 2,

8 Extra Fine Thread UNEF Series Página de 3 Design Home Screw Threads Thread System Unified Screw Threads UNC Coarse UNC Fine UNF Extra Fine Unified Standard Series Tap Drill Constant Pitch Series Metric Screw Threads Torque in Bolts Introduction Torque Calculator Resources Bibliography Free Magazines Injection Molding Plastics News Desktop Engineering Machine Lubrication Processing Magazine Portable Design Reinforced Plastics more... Login Search Extra Fine Thread UNEF Series About Us Trade Show Career News Chat InfoStore SpecSearch Ask an Expert All for Home Membership Palm Store Forum Search Member What's New Calculators Materials Design Processes Units Formulas Math Hemco Thread Gages Rings and Plugs Standards and Specials Size Major Dia Threads Per Inch Pitch Dia Precision gage solutions Precision thread plug and ring gage Cylindrical plug and ring gages Minor Dia External a Ads by Goooooogle Minor Dia Internal b Minor Dia Area Go Tensile Stress Area # inch tpi inch inch inch sq. inch sq. inch #2* (0.26) / / / / / / / /6 * /5/2006

9 Extra Fine Thread UNEF Series Página 2 de 3 3 /4 3 /6 * / /6 * / 6 * / / 6 * / / 6 * / / 6 * / / 6 * / / 6 * # inch tpi inch inch inch sq. inch sq. inch Size Major Dia * Secondary Size Threads Per Inch Pitch Dia Minor Dia External a a Form for UNR thread Minor Dia Internal b Minor Dia Area Tensile Stress Area b Basic Minor Diameter Top of Page 6/5/2006

10

11 Parafusos X Buchas de Nylon Buchas Nº Auto-atarraxante Bitolas aplicáveis Madeira Informações Técnicas Uso Orientativo Sextavado soberba Parafusos mais utilizados TABELA DE PREÇOS 4 2,2 2,2 a 2,8 2,8 x 25-2,8 x ,9 a 3,5 2,2 a 3,8 2,8 x 30-3,2 x 40-3,5 x ,5 a 4,8 3,5 a 4,8 3,5 x 40-3,8 x 45-4,2 x 50-4,5 x ,2 a 5,5 4,2 a 5,5 4,2 x 40-4,5 x 45-4,8 x ,8 a 5,5 4,5 a 6, 3/6 4,5 x 50-4,8 x 65-5,5 x ,3 6, /4 a 5/6 (6,0 a 8,0) 5,5 x 65-6, x /6 a 3/8 (8,0 a 0,0) Sext. Soberba 5/6 x /8 a /2 (0,0 a 2,0) Sext. Soberba 3/8 x 00 6 /2 (3,0) Sext. Soberba /2 x /8 (6,0) Sext. Soberba 5/8 x 30 OBS. ) Na escolha do parafuso verificamos que para cada tamanho de bucha, existe uma faixa de diâmetros de parafusos que podem ser utilizados. Quando a aplicação exige maior resistência, utiliza-se o maior diâmetro do parafuso que a bucha admite. Para uma carga menor, pode-se utilizar o menor diâmetro. 2) Para uma fixação correta utilize sempre um parafuso de diâmetro dentro da faixa especificada na tabela acima. Quanto ao comprimento do parafuso, deve ser igual ao da bucha, acrescido do diâmetro do próprio parafuso e da espessura do objeto a ser fixado. Conversão de Medidas Tabela de Roscas Polegada /64 /32 3/64 /6 5/64 3/32 7/64 /8 9/64 5/32 /64 mm 0,397 0,794,9,588,984 2,38 2,778 3,75 3,572 3,969 4,366 Polegada 2/64 /32 23/64 3/8 25/64 3/32 27/64 7/6 29/64 5/32 3/64 mm 8,334 8,73 9,28 9,525 9,922 0,39 0,76,3,509,906 2,303 Polegada 4/64 2/32 43/64 /6 45/64 23/32 47/64 3/4 49/64 25/32 5/64 mm 6,272 6,669 7,066 7,463 7,859 8,256 8,653 9,050 9,447 9,844 20,24 Polegada 6/64 3/32 63/64./4./2.3/4 2 2./2 3 3./2 mm 24,209 24,606 25,003 25,400 3,750 38,00 44,450 50,800 63,500 76,200 88,900 Medidas polegada /8 5/32 3/6 7/32 /4 5/6 3/8 7/6 /2 /2 WW 9/6 5/8 3/4 7/8 Fios por pol. UNC UNF Diâmetro da broca 2,5 3, 3,6 4,4 5, 6,5 7,9 9,2 0,5 0,5 2,0 3,4 6,4 9,25 22,0 3/6 3/64 4,763 5,59 /2 33/64 2,700 3,097 3/6 53/64 20,638 2, /2 0,600 4,300 Medidas mm Passo MA MB Diâmetro da Broca 7/32 5/64 /4 7/64 9/32 9/64 5/6 5,556 5,953 6,350 6,747 7,44 7,54 7,938 7/32 35/64 9/6 37/64 9/32 39/64 5/8 3,494 3,89 4,288 4,684 5,08 5,478 5,875 27/32 55/64 7/8 57/64 29/32 59/64 5/6 2,43 5 2,828 5./2 22, , , , , ,000 39,700 52,400 77, , , ,000 M 3 M 4 M 5 M 6 M 8 M 0 M 2 M 4 M 6 M 8 0,50 0,70 0,80,00,25,50,75 2,00 2,00 2,50 0,35 0,50 0,50 0,75,00,00,50,50,50,50 2,5 3,3 4,2 5,0 6,8 8,5 0,2 2,0 4,0 5,5 Novembro/2008

12 TABELA DE PREÇOS Produtos em Aço Inox Oxidação / Engripamento Informações Técnicas Uso Orientativo Para entender porque os aços inoxidáveis resistem à corrosão, nós precisamos conhecer o que acontece quando os aços carbono comuns enferrujam. O ar que respiramos contém cerca de 2% de oxigênio, 78% de nitrogênio e o restante, uma mistura de vapor de água e dióxido de carbono. Todos os metais reagem com o oxigênio e a água do ar, formando uma camada superficial de óxidos. Esta camada é porosa e permite posteriores penetrações de oxigênio e água. Desta forma, a oxidação continua crescendo, produzindo a corrosão, que é comumente conhecida como ferrugem. A única maneira de prevenir este processo de corrosão no aço é proteger sua superfície. Isso pode ser feito com: - Pinturas, - Óleos, ou - Filmes não porosos. O cromo contido nos aços inoxidáveis reage com o oxigênio do ar, formando uma fina camada superficial. Apesar de muito fina, esta camada de óxido de cromo não é porosa e, portanto, impede que a superfície do aço entre em contato com a atmosfera. Isto previne a corrosão do aço provocada pelo meio ambiente. Esta camada aderente e resistente é invisível a olho nu e permite que o brilho natural do metal possa ser visto, se danificada, é capaz de se auto-regenerar quase instantaneamente, mantendo a proteção do aço. Esta camada é denominada Camada Passiva. Camada Passiva É uma camada extremamente fina, contínua, estável e resistente, formada sobre a superfície do aço inox pela combinação do oxigênio do ar com o cromo do aço. Essa camada protege o inox contra a corrosão do meio ambiente. Formação e Características da Camada Passiva Aparece espontaneamente quando há presença de cromo e oxigênio. A formação é extremamente rápida, isto é, instantânea (cromo e oxigênio têm muita afinidade). É muito estável (não se desprende) e está presente em toda a superfície do aço. Não é porosa (bloqueia a ação do meio agressivo). É praticamente invisível. Com a regeneração da camada protetiva, eventualmente na aplicação de parafusos com porcas ou contra-peças roscadas, pode ocorrer a ruptura desta camada, provocando o que conhecemos como engripamento, provocando a ruptura dos parafusos. Para evitar esta ruptura, recomenda-se a utilização de uma fina camada de óleo protetivo. Novembro/

13 . Objetivo Apresentar as especificações normalizadas referentes às características mecânicas dos produtos conforme sua aplicação. 2. Parafuso Série Métrica 2.. Características mecânicas conforme - ISO 898- Informações Técnicas Uso Orientativo TABELA DE PREÇOS Classe de resistência Tensão de tração nominal Tensão de escoamento nominal Tensão de deformação não proporcional nominal Alongamento após ruptura % min. Tensão sob carga de prova Dureza HRB HRB 8.8 D 6 D > HRC HRC HRC D= Diâmetro nominal do produto Cargas de prova para parafusos métricos com rosca normal (grossa) - MA Rosca M3 M3,5 M4 M5 M6 M7 M8 M0 M2 M4 M6 M8 M20 M22 M24 M27 M30 M33 M36 M39 Seção resistente nominal mm 2 5,03 6,78 8,78 4,2 20, 28,9 36, , Classe de resistência Carga de prova N Novembro/

14 TABELA DE PREÇOS 2.3. Cargas de prova para parafusos métricos com rosca fina - MB Rosca M8x M0x M0x,25 M2x,25 M2x,5 M4x,5 M6x,5 M8x,5 M20x,5 M22x,5 M24x2 M27x2 M30x2 M33x2 M36x3 M39x3 Seção resistente nominal mm 2 39,2 64,5 6,2 92, 88, Informações Técnicas Uso Orientativo Carga de prova é a maior força axial aplicável sem ocorrência de deformação permanente. Classe de resistência Carga de prova N Momento Torçores (Torques) 3.. Torques para parafusos série métrica rosca normal - MA (N.m). Novembro/2008 Rosca Classe de resistência M3 0,7 0,9,4,6 2,0 M3,5,,4 2, 2,4 3,0 M4,7 2, 3,2 3,6 4,6 M5 3,3 4, 6,2 6,9 8,9 M6 5,7 7,0 0,6 2,0 5,3 M7 9,3,4 7,4 9,4 24,8 M8 3,8 6,8 25,6 28,8 36,8 M0 27,4 33,5 5,2 57,3 73, M M M M M M M M M M M M Para atingir força de aperto igual a 80% da carga de prova

15 3.2. Torques para parafusos série métrica rosca fina - MB (N.m). Rosca M8x M0x M0x,25 M2x,25 M2x,5 M4x,5 M6x,5 M8x,5 M20x,5 M22x,5 M24x2 M27x2 M30x2 M33x2 M36x3 M39x3 Informações Técnicas Uso Orientativo Classe de resistência ,5 29,5 28, ,7 36,2 34, ,0 55,3 53, ,3 6,9 59, ,6 79,0 76, TABELA DE PREÇOS Os valores são orientativos e se baseiam em condições médias de atrito aço com aço. A utilização de revestimentos anticorrosivos poderá alterar substancialmente os resultados. Para aplicações críticas, os valores deverão ser aferidos com a utilização de aparelho (*), para determinação de esforço axial na haste do parafuso. (*) Skidmore - Wilhelm ou similar. 4. Parafuso Série Polegada 4.. Características mecânicas conforme - SAE J 429. Grau de resistência Tensão de tração mínima Tensão de escoamento mínima Tensão de deformação não proporcional mínima Alongamento após ruptura % min. Tensão sob carga de prova Dureza Grau HRB Grau 2 D 3/4 D > 3/ HRB HRB D Grau 5 D > Grau HRC 9-30 HRC HRC D= Diâmetro nominal do produto. Novembro/

16 TABELA DE PREÇOS 4.2. Cargas de prova para parafusos série polegada rosca grossa - UNC Rosca /4-20 5/6-8 3/8-6 7/6-4 /2-3 9/6-2 5/8-3/4-0 7/ /8-7./4-7.3/8-6./2-6 Seção resistente nominal mm 2 20,5 33, ,6 9, Informações Técnicas Uso Orientativo Grau de resistência Carga de prova N Grau Grau 2 Grau 5 Grau Cargas de prova para parafusos série polegada rosca fina - UNF Rosca /4-28 5/6-24 3/8-24 7/6-20 /2-20 9/6-8 5/8-8 3/4-6 7/ /8-2./4-2.3/8-2./2-2 Seção resistente nominal mm 2 23,5 37,4 56,7 76, Grau de resistência Carga de prova N Grau Grau 2 Grau 5 Grau Novembro/

17 5. Momento Torçores (Torques) 5.. Torques para parafusos série polegada rosca normal - UNC (N.m) Rosca /4-20 4,8 5/6-8 9,4 3/8-6 6,2 7/ / / /8-78 3/ / / / / / Para atingir força de aperto igual a 80% da carga de prova. Informações Técnicas Uso Orientativo Grau de resistência Grau Grau 2 Grau 5 Grau 8 7,8 5,7 26, , 23,9 4, ,0 33,8 58, TABELA DE PREÇOS 5.2. Torques para parafusos série polegada rosca fina - UNF (N.m) Rosca /4-28 5/6-24 3/8-24 7/6-20 /2-20 9/6-8 5/8-8 3/4-6 7/ /8-2./4-2.3/8-2./2-2 Grau de Resistência Grau Grau 2 Grau 5 Grau 8 5,3 0,2 7,8 27, Os valores são orientativos e se baseiam em condições médias de atrito aço com aço. A utilização de revestimentos anticorrosivos poderá alterar substancialmente os resultados. Para aplicações críticas, os valores deverão ser aferidos com a utilização de aparelho (*), para determinação de esforço axial na haste do parafuso. (*) Skidmore - Wilhelm ou similar. 8,7 6,8 29,4 45, ,5 25,9 45,7 7, ,9 36,6 64, Novembro/

18 TABELA DE PREÇOS 6. Parafuso ASTM ASTM A 307 Bitolas Classe Tensão de tração Tensão de escoamento mínima Informações Técnicas Uso Orientativo Tensão sob carga de prova Dureza Cabeças Aplicação Observação Grau A 44 min HRB Sextavada Uso geral. /4-4 Grau B HRB Sextavada pesada ou sem cabeça Flanges de tubulações em ferro fundido. Grau C Sextavada ou sem cabeça Ancoragem em estruturas. ASTM A 325 Bitolas Classe Tensão de tração Tensão de escoamento mínima Tensão sob carga de prova Dureza Cabeças Aplicação Observação > -./2 Tipo Tipo 2 Tipo min. 724 min HRC 9-30 HRC Sextavada Pesada Montagem de estruturas. Excluído em Nov. 99. Aço com resistência a intempéries. Montagem de estruturas. ASTM A 394 (*) Bitolas Classe Tensão de tração Dureza Cabeças Aplicação Observação /2 5/8 Tipo 0 50 min HRB Aço baixo carbono zincado. Montagem de torres de transmissão e similares. 3/4 7/8 Tipo Sextavada Aço médio carbono temperado e revenido zincado. Montagem de torres de transmissão e similares. > -./2 Tipo 2 Tipo min HRC Aço baixo carbono martensítico zincado. Montagem de torres de transmissão e similares. Aço com resistência a intempéries temperado e revenido. Montagem de estruturas. (*) ASTM A 394 prescreve prova de cisalhamento quando solicitado pelo cliente. ASTM A 449 Bitolas Classe Tensão de tração Tensão de escoamento mínima Tensão sob carga de prova Dureza Cabeças Aplicação Observação /4 - > -./2 >./2-3 Tipo 825 min. 725 min. 620 min HRC 9-30 HRC Sextavada ou sem cabeça Uso geral. Alta resistência. Novembro/2008 /4 - Tipo min HRC Uso geral. Aço baixo carbono martensítico

19 ASTM A 490 Bitolas Classe Tensão de tração Tensão de escoamento mínima Informações Técnicas Uso Orientativo Tensão sob carga de prova Dureza Cabeças Aplicação Observação TABELA DE PREÇOS Tipo Aço liga. Montagem de estruturas. /2 -./2 Tipo HRC Sextavada Pesada Aço martensítico. Montagem de estruturas. Bitolas /2 - Tipo 3 Aço resistente a intempéries. Montagem de estruturas. ASTM F 593 (Aço Inoxidável) Bitola /4-5/8 > 5/8 -./2 /4-5/8 > 5/8 -./2 /4-5/8 > 5/8 -./2 /4 -./2 /4 -./2 Marcação Condição Material F 593 C F 593 D F 593 G F 593 H F 593 V F 593 W F 593 P F 593 R Conformado a frio Temperado e revenido a 565 C min. Temperado e revenido a 274 C min. Austenítico 304 ou similar Austenítico 36 ou similar Ferrítico 430 ou similar Martensitico 40 ou similar Tensão de tração Tensão de escoamento mínima Dureza 90 HRB - 32 HRC 80 HRB - 32 HRC 95 HRB - 32 HRC 80 HRB - 32 HRC HRB HRB HRC HRC ASTM F 468 (não ferrosos) Bitola Marcação Condição Material Tensão de tração Tensão de escoamento mínima Dureza Todas F 468 B Conformado a frio Latão ASTM HRF ISO (Aço Inoxidável) Bitola Marcação Condição Material Tensão de tração Tensão de escoamento mínima Dureza M 24 A2-70 Austenitico 304 ou similar M 24 A4-70 Conformado a frio Austenitico 36 ou similar M 24 F - 60 Ferrítico 430 ou similar HV Todas Todas C - 70 C - 0 Temperado e revenido Temperado e revenido a 275 C min. Martensitico 40 ou similar Martensitico 40 ou similar HRC HRC Novembro/

20 TABELA DE PREÇOS 7. Porca Série Métrica 7.. Características mecânicas conforme - ISO Informações Técnicas Uso Orientativo Tensão sob Classe de Bitolas Estilo carga de prova (* ) Dureza Classes de parafusos acopláveis resistência M4 600 > M4 - M HV > M7 - M0 > M0 - M (80 HRB - 30 HRC) > M6 - M HV (87 HRB - 30 HRC) M HV (89 HRB - 30 HRC) > M4 - M7 > M7 - M0 > M0 - M HV (93 HRB - 30 HRC) > M6 - M HV (99 HRB - 36 HRC) M4 040 > M4 - M7 > M7 - M0 > M0 - M HV (26-36 HRC) > M6 - M (*) Tensão no mandril de prova. Novembro/ Cargas de prova para porcas métricas rosca normal (grossa) - MA Bitola M3 M3,5 M4 M5 M6 M7 M8 M0 M2 M4 M6 M8 M20 M22 M24 M27 M30 M33 M36 M39 Passo mm 0,5 0,6 0,7 0,8,25,5, ,5 2,5 2, ,5 3,5 4 4 Seção nominal do mandril de prova mm 2 5,03 6,78 8,78 4,2 20, 28,9 36, , Classe de resistência 8 0 Cargas de prova N Estilo Estilo Estilo

21 7.3. Cargas de prova para porcas métricas rosca fina - MB Bitola M8x Seção nominal do mandril de prova mm 2 39,2 Informações Técnicas Uso Orientativo 6 Classe de resistência 8 0 Cargas de prova N Estilo Estilo Estilo TABELA DE PREÇOS M0x 64, M0x,25 6, M2x,25 92, M2x,5 88, M4x, M6x, M8x, M8x M20x, M20x M22x M22x M24x M27x M30x M33x M36x M39x Carga de prova é a maior força axial aplicável sem a ocorrência de deformação que não permita a remoção da porca do mandril sem a utilização de ferramenta; é permitida a utilização de chave manual para a primeira meia volta. 8. Porca Série Polegada 8.. Características mecânicas conforme SAE J 995 Grau de resistência Estilo Tensão sob carga de prova Dureza Classes de parafusos acopláveis Grau 2 Quadrada HRC máx. Grau - Grau 2 /4 - UNC 828 Grau 5 > -./2 UNC /4 - UNF Sextavada HRC máx. Grau - Grau 2 - Grau 5 > -./2 UNF 648 /4-5/ HRC Grau 8 > 5/8 - Sextavada HRC Grau - Grau 2 - Grau 5 - Grau 8 > -./ HRC Novembro/

22 TABELA DE PREÇOS 8.2. Cargas de prova para porcas série polegada rosca grossa - UNC Bitola /4-20 5/6-8 3/8-6 7/6-4 /2-3 9/6-2 5/8-3/4-0 7/ /8-7./4-7.3/8-6./2-6 Seção nominal do mandril de prova mm 2 20,5 33,8 50,0 68,6 9,5 7,4 45,8 25,5 298, 39,0 492,3 625,2 745,2 906,5 Informações Técnicas Uso Orientativo Grau de resistência Cargas de prova N Cargas de prova para porcas série polegada rosca fina - UNF Bitola /4-28 5/6-24 3/8-24 7/6-20 /2-20 9/6-8 5/8-8 3/4-6 7/ /8-2./4-2.3/8-2./2-2 Seção nominal do mandril de prova mm 2 23,5 37,4 56,7 76,6 03,2 3 65,2 240,6 328,4 427,8 552,3 692,3 848,4 020,0 Grau de resistência Cargas de prova N Carga de prova é a maior força axial aplicável sem a ocorrência de deformação que não permita a remoção da porca do mandril sem a utilização de ferramenta; é permitida a utilização de chave manual para a primeira meia volta. Novembro/

23 9. Porcas em Aço Inoxidável 9.. Características mecânicas - ISO M24 Todas A2-70 A4-70 F - 60 C - 70 C - 0 Informações Técnicas Uso Orientativo Bitolas Marcação Estilo Condição Material Conformado a frio Temperado e revenido Temperado e revenido a 275 C Austenítico 304 ou similar Austenítico 36 ou similar Ferrítico 430 ou similar HV Martensítico 40 ou similar Tensão sob carga de prova Dureza HRC HRC TABELA DE PREÇOS 9.2. Características mecânicas - ASTM F 594 Bitolas Marcação Estilo Condição Material Tensão sob carga de prova Dureza /4-5/8 > 5/8 -./2 F594 C F594 D Austenítico 304 ou similar HRB - 32 HRC HRB - 32 HRC /4-5/8 > 5/8 -./2 F594 G F594 H F594 N Sextavada Conformado a frio Austenítico 36 ou similar Ferrítico 430 ou similar HRB - 32 HRC 80 HRB - 32 HRC HRB /4 -./2 F594 P F594 R Temperado e revenido a 566 C min. Temperado e revenido a 275 C min. Martensítico 40 ou similar HRC HRC 0. Parafusos Formadores de Rosca 0.. Parafusos auto-atarraxantes. Propriedades mecânicas conforme ISO 2702 Bitola Resistência à torção N.m mínima Camada cementada mm Dureza superficial Dureza de núcleo Matéria-prima 2,2 0,45 0,04-0,0 2,9 3,5,5 2,7 0,05-0, HV5 3,9 4,2 4,8 5,5 6,3 3,4 4,4 6,3 0,0 6,6 0,0-0,23 0,5-0, HV0,3 mínima HV0 Aço baixo carbono Novembro/

24 TABELA DE PREÇOS 0.2. Parafusos ponta broca. Propriedades mecânicas conforme ISO 0666 Bitola Resistência à torção N.m mínima Camada cementada mm Informações Técnicas Uso Orientativo Dureza superficial Dureza de núcleo Matéria-prima 2,9 3,5,5 2,8 0,05-0, HV5 4,2 4,8 4,7 6,9 0,0-0, HV0,3 mínima Aço baixo carbono 5,5 0, HV0 6,3 9,9 0,5-0, Parafusos Trilobular. Propriedades mecânicas conforme ISO 7085 Bitola Resistência à torção N.m mínima Camada cementada mm Dureza superficial Dureza de núcleo Matéria-prima M3 M3,5 2, 3,4 0,05-0,8 M4 M5 M6 M8 4,9 0,0 7,0 42 0,0-0,25 0,5-0, HV0,3 mínima HV5 Aço baixo carbono M0 85 0,5-0,32. Tabelas Orientativas Roscas Tipo de rosca Parafuso Classe de tolerância Porca Norma UNC (Grossa) UNF (Fina) 2 A 2 B ANSI B. BSW (Gossa) Média Normal BS 84 CEI ( Fina) Média Média BS 8 Métrica 6 g 6 H ISO 965 AA Tipo C ISO 478 Tabela de Similaridade de Classes e Graus de Resistência SAE J 429 ISO 898- ASTM Grau 4.6 A 307 Grau A Grau A 394 Tipo 0 A 307 Grau B Grau A A 394 Tipo A Tipo Grau A 354 Grau B D A Tipo e 2 Novembro/2008 Cabeça normal A 307 Grau A, A 449, A 354, Grau, Grau 2, Grau 5, Grau 8, 4.6, C 5.8, C 8.8, C 0.9, C 2.9, A A 574 Cabeça pesada A 325, A 307 Grau B, A

25 . Multiplicadores para Conversões de Unidades Unidade a transformar Kgf/mm 2 PSI KSI MPa 0,097 0, , ,097 9,8 0, ,89476 Informações Técnicas Uso Orientativo Kgf/mm 2 PSI KSI MPa 422,334 45, ,0377, , ,00 0, ,8 0, ,89476 TABELA DE PREÇOS N= Newton Kgf= Kilograma força PSI= Libra por polegada quadrada KSI= Kilolibra por polegada quadrada MPa= Mega Pascal 2. Multiplicadores para Conversões de Unidades Unidade a transformar Kgf N Lbf Kgf 9,8 2, N 0,097 0, Lbf 0, , Multiplicadores para Conversões de Unidades Unidade a transformar mm 2 Pol 2 mm 2 Pol 2 0, ,6 4. Multiplicadores para Conversões de Unidades Unidade Unidade de medição conhecida N.cm N.m Kgf.cm Kgf.m Lbf.pol Lbf.pé N.cm 0,0 0,0976 0, , , N.m 00 0,976 0,0976 8, ,73756 Kgf.cm 9, , ,0 0, , Kgf.m 980,7 9, ,7962 7, Lbf.pol, ,29848,5224 0, , Lbf.pé 35,582, , , Novembro/

26 MEDIDA ROSCA TABELA DE TORQUE MÁXIMO EM PARAFUSOS RESISTÊNCIA DO MATERIAL TORQUES A SEREM APLICADOS EM N.M. (PARA MKGF DIVIDIR POR 0) MEDIDA SEXTAVADO M 4,3 2,6 3 4,3 5, 7 M 5 2 2,5 5, 6 8,5 0,2 8 M 6 3,4 4,5 8,7 0,3 4,7 7,6 0 M 7 5,6 7,4 4,2 7, 24,5 28,4 M 8 8,2 0,8 2,6 25,5 35,3 42,2 3 M0 6,7 2,6 42, ,6 85,3 5 M2 28,4 38,2 73,5 87, M4 45, 60, M6 69,6 93, M8 95, M M M M M Obs.: A tabela se aplicará entre parafusos e roscas com a mesma resistência. Exemplo: As Porcas ou Roscas de alumínio tem resistência inferior ao parafuso! SEQUÊNCIA DE APERTO APERTO CRUZADO Conheça nossa linha de ferramentas para sua oficina! Acesse:

27

28

29

30

31

32

Informações Técnicas. Uso Orientativo. Parafusos X Buchas de Nylon. Tabela de Roscas. Conversão de Medidas

Informações Técnicas. Uso Orientativo. Parafusos X Buchas de Nylon. Tabela de Roscas. Conversão de Medidas Parafusos X Buchas de ylon Buchas º Bitolas aplicáveis Auto-atarraxante Madeira Sextavado soberba Parafusos mais utilizados 4 2,2 2,2 a 2,8 2,8 x 25-2,8 x 30 5 2,9 a 3,5 2,2 a 3,8 2,8 x 30-3,2 x 40-3,5

Leia mais

Informações Técnicas Uso Orientativo

Informações Técnicas Uso Orientativo Parafusos X Buchas de ylon Buchas º Auto-atarraxante s aplicáveis Madeira Sextavado soberba Parafusos mais utilizados 4 2,2 2,2 a 2,8 2,8 x 25-2,8 x 30 5 2,9 a 3,5 2,2 a 3,8 2,8 x 30-3,2 x 40-3,5 x 45

Leia mais

CIA. INDUSTRIAL H. CARLOS SCHNEIDER

CIA. INDUSTRIAL H. CARLOS SCHNEIDER CIA. INDUSTRIAL H. CARLOS SCHNEIDER ESENG03 JLLE NOL Informações técnicas REV.: 01 PÁGINA 01 DE 11 1. OBJETIVO Apresentar as especificações normalizadas referente às características mecânicas dos produtos

Leia mais

ELABORADO POR: Antônio Carlos ICAI APROVADO POR: João Carlos Diretor Comercial

ELABORADO POR: Antônio Carlos ICAI APROVADO POR: João Carlos Diretor Comercial ELABORADO POR: Antônio Carlos ICAI APROVADO POR: João Carlos Diretor Comercial ASME B16.10M Tubos de Aço Carbono Com e Sem Costura METALLIC FÓRMULAS PARA CÁLCULOS DE PESOS POR METRO (BARRAS E TUBOS DE

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS ASSISPAR - IND. E COM. DE PARAFUSOS LTDA PARAFUSOS PORCAS ARRUELAS MAT. FIXAÇÃO

CATÁLOGO DE PRODUTOS ASSISPAR - IND. E COM. DE PARAFUSOS LTDA PARAFUSOS PORCAS ARRUELAS MAT. FIXAÇÃO CATÁLOGO DE PRODUTOS - IND. E COM. DE PARAFUSOS LTDA PARAFUSOS PORCAS ARRUELAS MAT. FIXAÇÃO A Assispar Indústria e Comércio de Parafusos Ltda., é uma empresa especializada na fabricação e comercialização

Leia mais

CATALOGO DE PRODUTOS - FIXADORES

CATALOGO DE PRODUTOS - FIXADORES CATALOGO DE PRODUTOS FIXADORES A CRV INDUSTRIAL, além de fornecer todos os suprimentos indispensáveis para o funcionamento de uma empresa, oferece uma serie de soluções logísticas e técnicas desenvolvidas

Leia mais

FIXADORES ASTM A325 FORÇA DE PROTENSÃO MÍN. FORÇA DE RUPTURA MÍN. LBF kgf LBF 1/2-13 UNC 5/8-11 UNC

FIXADORES ASTM A325 FORÇA DE PROTENSÃO MÍN. FORÇA DE RUPTURA MÍN. LBF kgf LBF 1/2-13 UNC 5/8-11 UNC Fixadores de alta resistência, empregados em ligações parafusadas estruturais e indicados em montagens de maior responsabilidade. Fabricados em aço de alta resistência e tratados termicamente, os parafusos

Leia mais

FIXADORES ASTM A307 FORÇA DE RUPTURA MÍN. LBF 3/8-16 UNC 1/2-13 UNC 5/8-11 UNC 3/4-10 UNC PORCA ASTM A563 GRAU A

FIXADORES ASTM A307 FORÇA DE RUPTURA MÍN. LBF 3/8-16 UNC 1/2-13 UNC 5/8-11 UNC 3/4-10 UNC PORCA ASTM A563 GRAU A Fixadores empregados em ligações secundárias e recomendados para uso em estruturas não sujeitas a impactos ou vibrações. Fabricado em aço baixo carbono e sem tratamento térmico. Os parafusos, também conhecidos

Leia mais

BT 0156 BOLETIM TÉCNICO FIXADORES LINHA DRYWALL E STEEL FRAME DANILO P. P. DE ALMEIDA, MARCO ANTONIO SOARES MATOS. Verificadores:

BT 0156 BOLETIM TÉCNICO FIXADORES LINHA DRYWALL E STEEL FRAME DANILO P. P. DE ALMEIDA, MARCO ANTONIO SOARES MATOS. Verificadores: BT 0156 BOLETIM TÉCNICO FIXADORES LINHA DRYWALL E STEEL FRAME Elaborador: Verificadores: Aprovador: DIEGO RAFAEL CAMERA DANILO P. P. DE ALMEIDA, MARCO ANTONIO SOARES MATOS DIEGO RAFAEL CAMERA LINHA DRYWALL

Leia mais

PARA TUBOS FLANGEADOS

PARA TUBOS FLANGEADOS MANGUEIRAS E TERMINAIS PARA TUBOS FLANGEADOS Índice ÍNDICE NUMÉRICO 2 INFORMAÇÕES TÉCNICAS 34 MANGUEIRA HIDRÁULICA DE BAIXA PRESSÃO 5 TERMINAIS REUSÁVEIS MACHO MACHO SEDE 37º FÊMEA PORCA GIRATÓRIA SEDE

Leia mais

Conexões Flangeadas SAE Balfit

Conexões Flangeadas SAE Balfit Conexões Flangeadas SAE Balfit Flanges SAE Balfit A gama de conexões flangeadas Balfit é produzida segundo especificações Balflex e de acordo com as normas ISO 6162, SAE J516 / J518 e outras. Cobre uma

Leia mais

Parafusos III. Até agora você estudou classificação geral. Parafuso de cabeça sextavada

Parafusos III. Até agora você estudou classificação geral. Parafuso de cabeça sextavada A U A UL LA Parafusos III Introdução Até agora você estudou classificação geral dos parafusos quanto à função que eles exercem e alguns fatores a serem considerados na união de peças. Nesta aula, você

Leia mais

Janeiro / 2009. Catálogo de Produtos

Janeiro / 2009. Catálogo de Produtos Janeiro / 009 Catálogo de Produtos Co ndução Troca térmi ca Instalações elétricas Estruturais Julho 008 Introdução A Apolo é a primeira empresa industrial do Grupo Peixoto de Castro e pioneira na fabricação

Leia mais

Identificação de Roscas e Sedes de Vedações

Identificação de Roscas e Sedes de Vedações Identificação de Roscas e Sedes de Vedações Roscas e Sedes Utiliziadas em Circuitos para Condução de Fluidos Índice Introdução...2 Principais tipos de roscas...3 Teoria sobre roscas...3 Ferramentas para

Leia mais

Manual de Treinamento Identificação de Roscas e Sedes Vedações

Manual de Treinamento Identificação de Roscas e Sedes Vedações Manual de Treinamento Identificação de Roscas e Sedes Vedações Manual 3002 BR Janeiro 2001 Introdução O objetivo deste programa é auxiliar os usuários de mangueiras, conexões para mangueiras e conexões

Leia mais

Índice. Página INFORMAÇÕES TÉCNICAS 2 -- 3 CONEXÕES PARA TUBOS FLANGEADOS A 37º

Índice. Página INFORMAÇÕES TÉCNICAS 2 -- 3 CONEXÕES PARA TUBOS FLANGEADOS A 37º Índice Página Ref. Página INFORMAÇÕES TÉCNICAS CONEXÕES PARA TUOS FANGEADOS A 37º Sede 37º para tubo flangeado / macho NPT Sede 37º para tubo flangeado / fêmea NPT Sede 37º para tubo flangeado / Sede 37º

Leia mais

CONECTORES MEIOS DE LIGAÇÃO ENTRE TUBOS

CONECTORES MEIOS DE LIGAÇÃO ENTRE TUBOS CONECTORES MEIOS DE LIGAÇÃO ENTRE TUBOS ELEMENTOS DE LINHA São equipamentos e acessórios que se apresentam com constância ao longo de uma tubulação de processo. Os principais desses componentes são: conectores,

Leia mais

PÁG. ÍNDICE... 1 HISTÓRICO DA EMPRESA... 2 ETAPAS DO PROCESSO DE FABRICAÇÃO... 3 CONEXÕES TUPY BSP... 5 Identificação dos diâmetros nominais a partir

PÁG. ÍNDICE... 1 HISTÓRICO DA EMPRESA... 2 ETAPAS DO PROCESSO DE FABRICAÇÃO... 3 CONEXÕES TUPY BSP... 5 Identificação dos diâmetros nominais a partir 1 PÁG. ÍNDICE... 1 HISTÓRICO DA EMPRESA... 2 ETAPAS DO PROCESSO DE FABRICAÇÃO... 3 CONEXÕES TUPY BSP... 5 Identificação dos diâmetros nominais a partir dos diâmetros reais DP e DB rosca BSP... 15 Dimensões

Leia mais

Apresentação. A Aceflan Acessórios Industriais Ltda. é uma empresa com mais de 20 anos no

Apresentação. A Aceflan Acessórios Industriais Ltda. é uma empresa com mais de 20 anos no Apresentação A Aceflan Acessórios Industriais Ltda. é uma empresa com mais de 20 anos no mercado, sempre atuando no segmento de acessórios para tubulação, tais como: Curvas, Tês, Flanges, Reduções, Válvulas,

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO LINHA DURS INSULATION

BOLETIM TÉCNICO LINHA DURS INSULATION BT 0005 BOLETIM TÉCNICO LINHA DURS INSULATION LINHA DURS INSULATION Fixadores autoperfurantes em aço carbono. Descrição Fixador autoperfurante com design exclusivo em aço carbono e marca H na cabeça. Tem

Leia mais

MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBOS

MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBOS MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBOS Ligações rosqueadas; Ligações soldadas; Ligações flangeadas; Ligações de ponta e bolsa; Outras Ligações: - Ligações de compressão; - Ligações patenteadas. 1 Fatores que influenciam

Leia mais

Cubo Dianteiro Roda Dianteira Roda Dianteira Roda Trator Semi Eixo Fix. Centro da Roda Cubo Dianteiro 65x/265/275 (modernos)

Cubo Dianteiro Roda Dianteira Roda Dianteira Roda Trator Semi Eixo Fix. Centro da Roda Cubo Dianteiro 65x/265/275 (modernos) PA TRATOR Dimensões : Padrão Ciser Rosca: ASME B. - A Parafuso para Roda de Trator G. (A) (B) (C) (D) TABELA DE PREÇOS Código da Linha - 9 (E) Produto Bitola X Comprimento Comprimento da rosca (ref.) Aplicações

Leia mais

E-mail: vendas@bratal.com.br

E-mail: vendas@bratal.com.br :: Indice Geral :: C 0 Conexões para Tubos Flangeados 03 Conexões 304 Engates Rápidos 404 Registros e Válvulas 503 Mangueiras e Terminais para Tubos Flangeados 504 Mangueiras e Terminais 603 Tubos CENTRAL

Leia mais

COMERCIAL IMPORTADORA DE PRODUTOS SIDERÚRGICOS ESPECIAIS E COMPONENTES PARA CILINDRO

COMERCIAL IMPORTADORA DE PRODUTOS SIDERÚRGICOS ESPECIAIS E COMPONENTES PARA CILINDRO COMERCIAL IMPORTADORA DE PRODUTOS SIDERÚRGICOS ESPECIAIS E COMPONENTES PARA CILINDRO BARRAS DE AÇO CROMADAS GUIAS LINEARES TUBOS DE AÇO PARA CAMISA DE CILINDROS TUBOS MECÂNICOS ST52 COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO

Leia mais

Treinamento Técnico. 1. Sem acabamento 2. Zincado (branco) 3. Fosfatizado 4. Bicromatizado (amarelo) 6. Niquelado

Treinamento Técnico. 1. Sem acabamento 2. Zincado (branco) 3. Fosfatizado 4. Bicromatizado (amarelo) 6. Niquelado DIVERSOS 1 - T ipos de materiais Treinamento Técnico 1. Fibra celerom composto com resina 2. Alumínio 3. Cobre 4. Latão 5. Ferro 5. (definição na cabeça do parafuso) 6. Aço., 1.9 e 12.9 (definição na

Leia mais

Conectores / Adaptadores

Conectores / Adaptadores Conectores / Adaptadores Rev.10 1/20 ÍNDICE CONECTORES/ADAPTADORES PARA SOLDA CBW CFSW CW LBW LW TSW UDS UFSW UMSW USW TÓPICO PÁGINAS CBW CONECTOR PARA SOLDA DE TOPO 4 CFSW CONECTOR FÊMEA PARA SOLDA DE

Leia mais

Purgadores Termostáticos

Purgadores Termostáticos Purgadores Termostáticos FIT Nº FISO4 FISO402 FISO403 FISO404 FISO406 FISO407 FI ABL FI HP45 FI HP80 FI SP80 Modelo BP 22 BP 30 BP 40/4 SM 250 BT6 BTM7 / BTS7 ABL HP 45 HP 80 SP 80 Diâmetro /2" /2" e 3/4"

Leia mais

Distribuidor no Brasil:

Distribuidor no Brasil: MINERAÇ Ã O 14 www.alvenius.ind.br O portfólio da Alvenius, em conjunto com sua experiência de mercado, bem como sua equipe de engenharia e assessoria técnica, permite que a companhia forneça desde os

Leia mais

Informações Técnicas Propriedades Mecânicas

Informações Técnicas Propriedades Mecânicas Informações Técnicas Propriedades Mecânicas Resistência a Limite de Carga de Grau de Tração Escoamento Alongam. Redução Dureza Prova de Área Resistência (kgf/mm2) (kgf/mm2) (kgf/mm2) min. máx. min. (%)

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em - Refrigeração, Ventilação e Ar condicionado

Curso Superior de Tecnologia em - Refrigeração, Ventilação e Ar condicionado Curso Superior de Tecnologia em - Refrigeração, Ventilação e Ar condicionado Disciplina: ELEMENTOS DE MÁQUINAS Professor Me. Claudemir Claudino Alves PARAFUSOS - Entre os elementos de união desmontáveis,

Leia mais

* Norma ANSI/FCI 70.2

* Norma ANSI/FCI 70.2 Steam Seal Válvula Borboleta CARACTERÍSTICAS E BENEFÍCIOS Corpo Monobloco wafer, de pescoço longo para facilitar o isolamento térmico quando instalada na tubulação, totalmente fundido em aço carbono ou

Leia mais

Conexões JIC SAE J 514 ISO 8434-2. e Adaptadores. Componentes de sistemas hidráulicos com tecnologia de primeira. Konnect Ind Com Ltda

Conexões JIC SAE J 514 ISO 8434-2. e Adaptadores. Componentes de sistemas hidráulicos com tecnologia de primeira. Konnect Ind Com Ltda SE J 514 ISO 8434-2 e daptadores Conexões JIC SE J 514 ISO 8434-2 e daptadores Componentes de sistemas hidráulicos com tecnologia de primeira. Konnect Ind Com Ltda 1 www.konnect.com.br SE J 514 ISO 8434-2

Leia mais

endurecíveis por precipitação.

endurecíveis por precipitação. Introdução Tipos de Aços Inoxidáveis Aço inoxidável é o nome dado à família de aços resistentes à corrosão e ao calor contendo no mínimo 10,5% de cromo. Enquanto há uma variedade de aços carbono estrutural

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO FIXADOR ASTM A325 TIPO 1

BOLETIM TÉCNICO FIXADOR ASTM A325 TIPO 1 BOLETIM TÉCNICO FIXADOR ASTM A325 TIPO 1 Elaborador: Verificadores: Aprovador: RAMON PINHEIRO GARCIA DIEGO CAMERA RAMON PINHEIRO GARCIA 1 FIXADORES ASTM A325 TIPO1 Fixador de alta resistência para montagem

Leia mais

Conta com um equipado pátio industrial, fabricando mais de 80.000 amortecedores ao mês.

Conta com um equipado pátio industrial, fabricando mais de 80.000 amortecedores ao mês. Nossa História Líder desde 1956, a empresa VIBRA-STOP consolidou-se no segmento de amortecedores para vibração e impacto em todos os ramos industriais, sempre propondo soluções práticas, inteligentes e

Leia mais

Materiais Aço Inox /Aço Carbono

Materiais Aço Inox /Aço Carbono Materiais Aço Inox /Aço Carbono DEFINIÇÕES DOS AÇOS Aço Carbono: Uma liga ferrosa em que o carbono é o principal elemento de liga. Aço Inoxidável: Uma liga de aço altamente resistente a corrosão em uma

Leia mais

ENSAIO DE DUREZA EM-641

ENSAIO DE DUREZA EM-641 ENSAIO DE DUREZA DEFINIÇÃO: O ensaio de dureza consiste na aplicação de uma carga na superfície do material empregando um penetrador padronizado, produzindo uma marca superficial ou impressão. É amplamente

Leia mais

GABARITOS PARA IMPRIMIR Tamanho Real de Parafusos

GABARITOS PARA IMPRIMIR Tamanho Real de Parafusos GABARITOS PARA IMPRIMIR Tamanho Real de Parafusos +7300 CLIENTES ATIVOS +6500 ITENS NO CATÁLOGO Que encontraram na Indufix o seu parceiro ideal no fornecimento de elementos de fixação. Parafuso é coisa

Leia mais

CONEXÕES, ADAPTADORES PARA ALTA PRESSÃO

CONEXÕES, ADAPTADORES PARA ALTA PRESSÃO HIDRÁULICA DE ALTA PRESSÃO CONEXÕES, ADAPTADORES PARA ALTA PRESSÃO Linhas MP, HP, JIC, Engates Rápidos e Kits de Mangueiras Termoplásticas para Alta Pressão www.cejnbrasil.com.br Linha de Produtos CEJN

Leia mais

AULA 2 CONTEÚDO: Capítulo 3. Capítulo 5. Capítulo 6. Volume I do Livro Texto. Meios de Ligação de Tubos. Conexões de Tubulação. Juntas de Expansão

AULA 2 CONTEÚDO: Capítulo 3. Capítulo 5. Capítulo 6. Volume I do Livro Texto. Meios de Ligação de Tubos. Conexões de Tubulação. Juntas de Expansão AULA 2 Volume I do Livro Texto CONTEÚDO: Capítulo 3 Capítulo 5 Capítulo 6 Meios de Ligação de Tubos. Conexões de Tubulação. Juntas de Expansão 1 MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBOS PRINCIPAIS MEIOS LIGAÇÕES ROSQUEADAS

Leia mais

Bucha BNK. Bucha Universal. Código da Linha - 740. Código da Linha - 739 TABELA DE PREÇOS. Dimensões (mm) Preço bruto por cento em Real

Bucha BNK. Bucha Universal. Código da Linha - 740. Código da Linha - 739 TABELA DE PREÇOS. Dimensões (mm) Preço bruto por cento em Real Bucha BNK da Linha - 7 TABELA DE PREÇOS (d nom ) (h ) ø 70-3 29,97 730-7 55 3,7 7-5 0 5 0 77,2 Aplicação: Instalacões gerais em concreto, concreto celular, gesso, pedras calcárias, todos os materiais de

Leia mais

Sumário. Os produtos GOLIN. Tubos trefilados com formatos especiais com e sem costura 32. Perfilados quadrados e retangulares com e sem costura 36

Sumário. Os produtos GOLIN. Tubos trefilados com formatos especiais com e sem costura 32. Perfilados quadrados e retangulares com e sem costura 36 2 Empreendedorismo...9 Tradição em trefilação de tubos...9 Profissionais capacitados...10 Evolução sustentável...10 Mundialmente...10 Qualidade certificada...12 Qualidade Total...13 Os produtos GOLIN Peças

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET 6000-000-000-200-001

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET 6000-000-000-200-001 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET 6000-000-000-200-001 1 de 13 : DATA: 08/02/08 GEPRO GERENCIA DE PROJETOS Nº do Contrato: RESP. TÉCNICO/ CREA: ÍNDICE DE REVISÕES REV. E/OU FOLHAS ATINGIDAS 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9

Leia mais

Selo diafragma com conexão flangeada Projeto rosqueado e de grande volume Modelo 990.41

Selo diafragma com conexão flangeada Projeto rosqueado e de grande volume Modelo 990.41 Selos diafragma Selo diafragma com conexão flangeada Projeto rosqueado e de grande volume Modelo 990.41 WIKA folha de dados DS 99.32 outras aprovações veja página 3 Aplicações Para montagem (montagem direta,

Leia mais

www.cudell.pt B Linha de apoio: Tel. 707 30 50 30

www.cudell.pt B Linha de apoio: Tel. 707 30 50 30 ENCANAMENTOS RÍGIDOS Tubos de Aço sem Costura Abraçadeiras para Tubo Hidráulico Rígido Junções para Tubo Hidráulico Rígido Passadores de Esfera Flanges SAE com Ligação Roscada Máquina Manual de Curvar

Leia mais

mangueiras hidráulicas

mangueiras hidráulicas mangueiras hidráulicas CONEXÕESLINHFLRELESS informações técnicas Nossas conexões são fabricadas em aço carbono, aço inoxidável e latão obedecendo as convenções a: aço carbono i: aço inoxidável l:latão

Leia mais

1. Introdução. Ligações Aparafusadas Parte I

1. Introdução. Ligações Aparafusadas Parte I Ligações Aparafusadas Parte I Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil PGECIV - Mestrado Acadêmico Faculdade de Engenharia FEN/UERJ Disciplina: Ligações em Estruturas de Aço e Mistas Professor: Luciano

Leia mais

metais não ferrosos aluminio-cobre-latão - aço inoxidável

metais não ferrosos aluminio-cobre-latão - aço inoxidável metais não ferrosos aluminio-cobre-latão - aço inoxidável Arames Barras chatas Bobinas Cantoneiras Chapas Discos Perfis Buchas Tubos Tubos de cobre para refrigeração Vergalhões, redondos, sextavados e

Leia mais

Catálogo Airnet. www.airnet-system.com. rápido simples confiável

Catálogo Airnet. www.airnet-system.com. rápido simples confiável Catálogo Airnet www.airnet-system.com rápido simples confiável ÍNDICE Informação geral...1-2 Tubagem...3 Tubos...3 Conexões... 4- Ligação reta...4 Curva...4 T...5 Válvulas...6 Baixada...7 Conexões de transição...8

Leia mais

Conexões com Porca e Anel de Cravação Estândar Brasileiro

Conexões com Porca e Anel de Cravação Estândar Brasileiro Conexões com Porca Componentes de sistemas hidráulicos com tecnologia de primeira. Konnect nd Com tda 1 www.konnect.com.br Componentes de sistemas hidráulicos com tecnologia de primeira. A Konnect atende

Leia mais

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL. Resistência à corrosão dos aços inoxidáveis

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL. Resistência à corrosão dos aços inoxidáveis COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL Resistência à corrosão dos aços inoxidáveis Formas localizadas de corrosão Os aços carbono sofrem de corrosão generalizada, onde grandes áreas da superfície

Leia mais

MOD. 225-10.000-03/2009 - Gráfica Garilli - Agência PUC Propaganda

MOD. 225-10.000-03/2009 - Gráfica Garilli - Agência PUC Propaganda MOD. 225 -.000-03/2009 - Gráfica Garilli - Agência PUC Propaganda Rua Xavier de Toledo, 640 Vila Paulicéia São Bernardo do Campo, SP CEP: 09692-030 Geral: Tel.: (11) 4176-7877 Fax: (11) 4176-7879 E-Mail:

Leia mais

FKB INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS LTDA. VÁLVULAS GUILHOTINA VGU-08

FKB INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS LTDA. VÁLVULAS GUILHOTINA VGU-08 Descrição Geral As Válvulas Guilhotinas FKB modelo VGU-08 tem a função de controle e/ou bloqueio na vazão de fluídos, do qual foram desenvolvidos conforme norma MSS-SP81 e com design Robusto, tem como

Leia mais

Lançamento para a Construção Civil

Lançamento para a Construção Civil É fornecido pré-montado com parafuso, arruela, jaqueta e cone. O prolongador é opcional, conforme o comprimento. Chumbador OMC - com Parafuso TABEA DE PREÇOS da inha - : - : 9 referência da rosca - F.P.P.

Leia mais

Apresentação APLICAÇÃO EM VÁRIOS SEGMENTOS DA INDUSTRIA COMO: MINERAÇÃO NAVAL AGRÍCOLA FERROVIÁRIA

Apresentação APLICAÇÃO EM VÁRIOS SEGMENTOS DA INDUSTRIA COMO: MINERAÇÃO NAVAL AGRÍCOLA FERROVIÁRIA Apresentação A Linha Hidrodinâmica da BF possibilita toda e qualquer ligação entre os elementos de um circuito fluídico,comestanqueidadegarantida. Um tubo pode ser ligado ao corpo de uma conexão, registro,

Leia mais

História. Missão. Visão. Valores. Politica de qualidade

História. Missão. Visão. Valores. Politica de qualidade História A Metrópole Mercantil Parafusos e Ferramentas LTDA, localizada em Belo Horizonte, Minas Gerais, iniciou suas atividades no ano de 1993. Administrada pelo Sr. Souza, detentor de um vasto conhecimento,

Leia mais

Chumbadores Mecânicos

Chumbadores Mecânicos Chumbares Mecânicos Nossa Qualidade garante sua segurança. Há anos a scher se faz presente em seu local de trabalho, através de pro ssionais capacitas que levam soluções para seus clientes. A scher é a

Leia mais

w w w. c h p. c o m. b r 203 - Conexões

w w w. c h p. c o m. b r 203 - Conexões w w w. c h p. c o m. b r CHP Central Hidráulica e Pneumática Todos os Direitos Reservados 03 Conexões ÍNDCE Página O SSTEMA ERMETO NFORMAÇÕES TÉCNCAS igações Correspondentes Matérias Primas Tratamentos

Leia mais

Outros Equipamentos. Outros Equipamentos 12.1. (Pol. ) Perfuradoras Perfuradora RB-208/3. Modelos. 12.2 Perfuradora RB-214/3 ½ - 8

Outros Equipamentos. Outros Equipamentos 12.1. (Pol. ) Perfuradoras Perfuradora RB-208/3. Modelos. 12.2 Perfuradora RB-214/3 ½ - 8 Outros Equipamentos Tipos Número de s Capacidade (Pol. ) Pág. Perfuradoras Perfuradora RB208/3 2 ½ 8 12.2 Perfuradora RB214/3 2 ½ 14 12.3 Perfuradora HC2W 2 ½ 3 12.4 Perfuradora RB3W 1 ½ 6 12.5 Brocas

Leia mais

Fixadores em aço inoxidável

Fixadores em aço inoxidável Fiadores em aço inoidável Parafuso cabeça Setavado DESENHO DESCRIÇÃO NORMA BITOLAS PÁG Parafuso cabeça setavada rosca inteira DIN 933 ANSI B1.2.1 M3 a M22 3/"a 1" 3 Parafuso Setavado Interno Prafuso cabeça

Leia mais

ABV21i e ABV40i Válvulas de Descarga de Fundo Pneumáticas para Caldeira

ABV21i e ABV40i Válvulas de Descarga de Fundo Pneumáticas para Caldeira Página 1 de ABV21i e ABV40i s de Descarga de Fundo Pneumáticas para Caldeira BR Rev.00 Descrição As válvulas monobloco ABV21i e ABV40i Spirax Sarco de passagem reduzida são equipadas com atuador pneumático

Leia mais

Professor Felipe Técnico de Operações P-27 Petrobras

Professor Felipe Técnico de Operações P-27 Petrobras Professor Felipe Técnico de Operações P-27 Petrobras Contatos professorpetrobras@gmail.com www.professorfelipecardoso.blogspot.com skype para aula particular online: felipedasilvacardoso Tubulações, válvulas

Leia mais

Linha de pega-chapas São Raphael

Linha de pega-chapas São Raphael Correntes de grau 8 e lingas. Acessórios para montagem de lingas. Correntes calibradas. Correntes para nória; Correntes para a indústria canavieira; Pega chapas; Tensionadores. 1/2007 Linha de pega-chapas

Leia mais

Keystone RMI DUBEX Válvula Borboleta

Keystone RMI DUBEX Válvula Borboleta Keystone RMI DUBEX Válvula Borboleta Dubex é uma válvula de sede resiliente triexcêntrica com flange duplo, projetada para serviços na indústria de água Características Aplicação geral Estação de bombeamento

Leia mais

GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1

GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1 GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1 144 / 146 Rebite de Rosca DIMENSIONAL NOMINAL CAB. CILINDRICA CAB CILINDRICA CAB. SEXTAVADA CABSEXTAVADO PLANA EXTRA FINA PLANA EXTRAFINA RKPO RFPO RKSO RFFO COMPRIMENTO

Leia mais

TABELA JOGOS BANHEIRAS. Figura/Desenho Código do Art.º Designação do Artigo un. Preço un. ( ) A501

TABELA JOGOS BANHEIRAS. Figura/Desenho Código do Art.º Designação do Artigo un. Preço un. ( ) A501 JOGO DE BANHEIRA Tipo "Cogumelo" Tipo "Basic" Os modelos de jogos de banheira simples possuem um tampão seguro a uma corrente. O tampão é de borracha e o ralo em aço inox polido. A grelha do ralo pode

Leia mais

Uniões moveis são aquelas que se caracterizam pela possibilidade de separar as peças previamente unidas sem danificar o conjunto.

Uniões moveis são aquelas que se caracterizam pela possibilidade de separar as peças previamente unidas sem danificar o conjunto. Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS I AT-096 M.Sc. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br 1 Uniões moveis são aquelas que se caracterizam

Leia mais

CORTE DOS METAIS. Prof.Valmir Gonçalves Carriço Página 1

CORTE DOS METAIS. Prof.Valmir Gonçalves Carriço Página 1 CORTE DOS METAIS INTRODUÇÃO: Na indústria de conformação de chapas, a palavra cortar não é usada para descrever processos, exceto para cortes brutos ou envolvendo cortes de chapas sobrepostas. Mas, mesmo

Leia mais

BEDAMES. Bitola Espessura C. Total 3/32 1/8 1/8 5/8 1/8 3/32 3/4 1/8 3/4 3/4 1/8 3/4 5/32 5 1/8 3/16 1/8 3/16 5/32 1/2 1/8 1/8 1/2 1/8 5/8 3/16 6

BEDAMES. Bitola Espessura C. Total 3/32 1/8 1/8 5/8 1/8 3/32 3/4 1/8 3/4 3/4 1/8 3/4 5/32 5 1/8 3/16 1/8 3/16 5/32 1/2 1/8 1/8 1/2 1/8 5/8 3/16 6 BEDAMES NACIONAL -Co % Co Bitola Espessura C. Total.Co / / / /././ 9 7 / / / / / / / / / / / / / / / / 9 / / 7 / / / / / / / / 7 / / / / 9 / / 7 / / 0 7/ 7/ 7/ / / / / / / 7 790 0 7 0 IMPORTADO Bitola

Leia mais

Instruções complementares. Centragem. para VEGAFLEX Série 80. Document ID: 44967

Instruções complementares. Centragem. para VEGAFLEX Série 80. Document ID: 44967 Instruções complementares Centragem para VEGAFLEX Série 80 Document ID: 44967 Índice Índice 1 Descrição do produto 1.1 Vista geral... 3 1.2 Centragens... 3 2 Montagem 2.1 Informações gerais... 10 2.2 Estrelas

Leia mais

Rua Treze de Maio, nº 303 Jd. Canhema Diadema SP Cep 09941-400 Brasil Fone/Fax: +55 11 4071-7711 www.damflex.com.br damflex@damflex.com.

Rua Treze de Maio, nº 303 Jd. Canhema Diadema SP Cep 09941-400 Brasil Fone/Fax: +55 11 4071-7711 www.damflex.com.br damflex@damflex.com. DAMFLEX Rua Treze de Maio, nº 303 Jd. Canhema Diadema SP Cep 09941400 Brasil Fone/Fax: +55 11 40717711 www.damflex.com.br damflex@damflex.com.br DAMFLEX Tubos Metálicos Flexíveis 2 Caminho ao encontro

Leia mais

Tubos, Projetos Especiais e Processos Agregados

Tubos, Projetos Especiais e Processos Agregados Tubos, Projetos Especiais e Processos Agregados Toda a qualidade em aço que você precisa www.meincol.com.br voestalpine AG A voestalpine está segmentada em 4 divisões: voestalpine. Uma empresa com forte

Leia mais

ESCOLHA ADEQUADA DA TUBULAÇÃO

ESCOLHA ADEQUADA DA TUBULAÇÃO 01 ESCOLHA ADEQUADA DA TUBULAÇÃO.... 1 DIAGRAMA TEÓRICO PARA CÁLCULO DE TUBULAÇÕES........................... TUBO DE AÇO TREFILADO SEM COSTURA... 3 TUBO CURVADO DE AÇO.................. 4 TUBO DE COBRE

Leia mais

3000 PSI 302-303-304-305-306 307-308-309-310 6000 PSI 602-603-604. Dúvidas, consulte nosso departamento técnico.

3000 PSI 302-303-304-305-306 307-308-309-310 6000 PSI 602-603-604. Dúvidas, consulte nosso departamento técnico. Flange SAE simples Rosca/BSP Especificações AT- 3000 PSI 302-303-304-305-306 307-308-309-310 6000 PSI 602-603-604 Material aço forjado Aplicação: Bombas de palhetas simples e duplas pressão e sucção Bomba

Leia mais

Serração e Perfuração

Serração e Perfuração Serração e Perfuração Vasta selecção a partir de uma fonte única. Desenhos duradouros. Tipo de Capacidade modelos pol. mm Página Serras Manuais e Lâminas 5 18 455 6.2 Serras de Corte a Seco 2 6.3 Serras

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE TUBOS DE AÇO CARBONO COM COSTURA

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE TUBOS DE AÇO CARBONO COM COSTURA 1 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE TUBOS DE AÇO CARBONO COM COSTURA 1. INTRODUÇÃO 2. FABRICAÇÃO DE TUBOS 3. NORMAS DE FABRICAÇÃO 4. INFORMAÇÕES TÉCNICAS 4.1 - Cálculo do Peso Teórico 4.2 - Raio de Canto teórico dos

Leia mais

Válvulas atuadas de controle e on/off KLINGER. Connect With Quality. Richard Klinger Ind. e Com. Ltda

Válvulas atuadas de controle e on/off KLINGER. Connect With Quality. Richard Klinger Ind. e Com. Ltda Connect With Quality Válvulas atuadas de controle e on/off KLINGER Richard Klinger Ind. e Com. Ltda Av. Duque de Caxias, 2001 Jardim Sta. Lúcia CEP 13223-025 Várzea Paulista São Paulo Fone: (11) 4596.9514

Leia mais

catálogo de conexões para tubos

catálogo de conexões para tubos cone xões Contuflex conexões, tubos e flexíveis tem a satisfação de passar às suas mãos o mais recente sem flangeamento com anilha cravada (flareless). Sistema esse que assegura estanqueidade e resistência

Leia mais

Divisão Elétrica/Hidráulica

Divisão Elétrica/Hidráulica Divisão Elétrica/Hidráulica CARBINOX. O Brasil passa por aqui. Elétrica/Hidráulica A Carbinox é uma empresa que atua há 30 anos fornecendo soluções sob medida para impulsionar o desenvolvimento da economia.

Leia mais

NOVIDADES NESTA EDIÇÃO

NOVIDADES NESTA EDIÇÃO APRESENTAÇÃO NOVIDADES NESTA EDIÇÃO É com grande satisfação que apresentamos esta nova edição do catálogo de produtos e serviços da METALQUIP e agradecemos sua atenção na leitura desse texto. Esse novo

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO FIXADOR ASTM A307 GRAU A

BOLETIM TÉCNICO FIXADOR ASTM A307 GRAU A BOLETIM TÉCNICO FIXADOR ASTM A307 GRAU A Elaborador: Verificadores: Aprovador: DIEGO CAMERA 1 FIXADOR ASTM A307 GRAU A Fixador de uso secundário para montagem de estruturas metálicas. Descrição Fixador

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

Conectores Elétricos Rotativos

Conectores Elétricos Rotativos Conectores Elétricos Rotativos Serior aos coletores escovas convencionais Blindado com rolamentos de esferas Maior confiabilidade, livre de manutenção Livre de ruídos elétricos Resistência de condução

Leia mais

Índice. Sistemas tubulares. O conceito Alvenius. Tubos. Sistema Alvenius K. Conexões Padrão. Anéis de aço carbono / inox

Índice. Sistemas tubulares. O conceito Alvenius. Tubos. Sistema Alvenius K. Conexões Padrão. Anéis de aço carbono / inox SISTEMA K 13/ Índice Sistemas tubulares 0 O conceito Alvenius Tubos Sistema Alvenius K Conexões Padrão 0 0 2 2 Anéis de aço carbono / inox 1 Procedimento para solda de anel de aço em campo Relação entre

Leia mais

MACHOS FRESAS COSSINETES STD OSG. Folheto N º 1

MACHOS FRESAS COSSINETES STD OSG. Folheto N º 1 MACHOS FRESAS COSSINETES STD OSG Folheto N º 1 STD OSG MACHOS MÁQUINA ALTA PERFORMANCE Macho Ponta Helicoidal (POT) DIN 371 250/4 Métrica Grossa 6H rápido 280/4 Unificada Grossa UNC 2B 281/4 Unificada

Leia mais

tubos trefilados caldeiraria Um mundo de soluções para você. Catálogo

tubos trefilados caldeiraria Um mundo de soluções para você. Catálogo tubos trefilados caldeiraria Um mundo de soluções para você. Catálogo Tubos Condutores Conte com o mundo de soluções da Tubos Ipiranga Com matriz localizada em Ribeirão Pires SP, sete filiais, uma unidade

Leia mais

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC

Certificado de Registro e Classificação Cadastral - CRCC CERTIFICAMOS que a empresa acima identificada encontra-se regularmente inscrita no Cadastro de es de Materiais e/ou Serviços da PETROBRAS e habilitada para as especialidades indicadas conforme relação

Leia mais

Catálogo de produtos 2013 / 2014

Catálogo de produtos 2013 / 2014 Catálogo de produtos 2013 / 2014 ÓLEO DE CORTE PARA METAIS Somos uma empresa especializada em suprimentos para a indústria Metal/Mecânica Brasileira. As melhores marcas, produtos com tecnologia de ponta,

Leia mais

Cálculo de resistência para poços de proteção

Cálculo de resistência para poços de proteção Informação técnica Cálculo de resistência para poços de proteção WIKA folha de dados IN 00.15 Aplicações O cálculo de resistência para um poço de proteção é uma prova matemática da capacidade do mesmo

Leia mais

SUPORTE FIXO DE PAREDE RULER PARA PLASMA OU LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE FIXO DE PAREDE RULER PARA PLASMA OU LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE FIXO DE PAREDE RULER PARA PLASMA OU LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Disponível em dois modelos: SUPRULERP SUPRULERG - Para TV s Plasma ou LCD, compatíveis com fixação VESA máxima

Leia mais

I n t r o d u ç ã o. a rastreabilidade dos produtos comercializados; o uso de ambiente e condições de trabalho adequados;

I n t r o d u ç ã o. a rastreabilidade dos produtos comercializados; o uso de ambiente e condições de trabalho adequados; I n t r o d u ç ã o Objetivando atender as necessidades de nossos clientes e obter a satisfação dos mesmos, nós da FLACON - CONEXÕES DE AÇO LTDA., garantimos: a qualidade dos produtos comercializados;

Leia mais

VÁLVULA ESFERA MONOBLOCO LATÃO FORJADO

VÁLVULA ESFERA MONOBLOCO LATÃO FORJADO VÁLVULA MONOBLOCO LATÃO FORJADO A Válvula de Esfera Monobloco GBR, possue corpo e peça única, oferecendo segurança absoluta com vedação estanque. São construídas em latão forjado, conforme DIN 17.660,

Leia mais

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos A TORCISÃO A Torcisão foi fundada em 1968, iniciando suas atividades na fabricação de peças para a indústria automobilística. Em 2006, o grupo se expandiu e fundou

Leia mais

AÇOS ESTRUTURAIS. Fabio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 1

AÇOS ESTRUTURAIS. Fabio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 1 ESTRUTURAIS Fabio Domingos Pannoni, M.Sc., Ph.D. 1 INTRODUÇÃO Dentre os materiais encontrados no nosso dia-a-dia, muitos são reconhecidos como sendo metais, embora, em quase sua totalidade, eles sejam,

Leia mais

Nº DE REFERÊNCIA NK NKF-T-20-FF NKF-T-24-PP NKF-T-24-FF NKF-J-16-AA NKF-J-16-PP NKF-J-20-FF NKF-J-24-FF NKF-K-16-AA NKF-K-16-FF NKF-K-16-PP

Nº DE REFERÊNCIA NK NKF-T-20-FF NKF-T-24-PP NKF-T-24-FF NKF-J-16-AA NKF-J-16-PP NKF-J-20-FF NKF-J-24-FF NKF-K-16-AA NKF-K-16-FF NKF-K-16-PP FIOS E CABOS DE COMPENSAÇÃO FIOS DE COMPENSAÇÃO (RÍGIDO) LIGA Cobre Constantan* * Tipo T Ferro Constantan* * Tipo J Chromel* * Alumel* * Tipo K Platina Rhodium - Platina Tipos S/R TEMP. MAX. DE UTILI-

Leia mais

SOQUETES E ACESSÓRIOS

SOQUETES E ACESSÓRIOS SOQUETES E ACESSÓRIOS Os soquetes são ferramentas manuais destinadas ao aperto e desaperto de porcas ou parafusos, conjugados com um acessório. Os soquetes e acessórios Belzer são forjados em aço cromo-vanádio,

Leia mais

Todas as válvulas produzidas pela Detroit, depois de montadas, são testadas hidrostaticamente em bancadas de teste.

Todas as válvulas produzidas pela Detroit, depois de montadas, são testadas hidrostaticamente em bancadas de teste. SÉRIE 75 Válvulas de agulha com haste rotativa CARACTERÍSTICAS DE CONSTRUÇÃO 1) Guia da haste ou preme gaxeta mantêm uma tolerância justa entre a haste e a porca, e um preciso alinhamento com o assento

Leia mais

KSB ETA. Bomba Centrífuga para Uso Geral. 1. Aplicação. 3. Denominação KSB ETA 80-40 / 2. 2. Descrição Geral. 4. Dados de Operação

KSB ETA. Bomba Centrífuga para Uso Geral. 1. Aplicação. 3. Denominação KSB ETA 80-40 / 2. 2. Descrição Geral. 4. Dados de Operação Manual Técnico e Curvas Características Nº A1150.0P/3 Bomba Centrífuga para Uso Geral 1. Aplicação A bomba é indicada para o bombeamento de líquidos limpos ou turvos e encontra aplicação preferencial em

Leia mais

Meter run Modelo FLC-MR

Meter run Modelo FLC-MR Medição de vazão Meter run Modelo FLC-MR WIKA folha de dados FL 10.02 Aplicações Geração de energia Produção de óleo e refino Tratamento e distribuição de água Processamento e transmissão de gases Indústria

Leia mais