Funções da Embalagem

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Funções da Embalagem"

Transcrição

1 Design de Embalagem

2 Funções da Embalagem Primárias: Conter / Proteger / Transportar Econômicas: Custo de produção / Matéria-prima Tecnológicas: Sistemas de conservação do produto Mercadológicas: Despertar desejo de compra Conceituais: Agregar valor a Marca e ao Produto Comunicação: Suporte de ações promocionais Meio Ambiente: Reciclagem (tendência mundial)

3 Funções da Embalagem Prof. André R. Martins

4 Vidro Garrafas: Cervejas, Vinhos, Destilados, bebidas Finas; Frascos: Cosméticos, Perfumes, Medicamentos; Potes: Conservas, Geléias, Café Solúvel; Copos: Requeijão, Extrato de Tomate, Geléias; VIDRO - Composto de areia, calcário, carbonato de sódio e feldspatos. Vantagens: - Resistente às temperaturas de esterilização (até 100 C); - Perfeita impermeabilidade; - Não transmite odor e sabor; - Prescinde de revestimentos; - Facilmente colorivel; - Reutilizado domesticamente. Desvantagens: - Pouco resistente às temperaturas de esterilização de mais de 100 o C; - Dificuldade no fechamento hermético; - Dificuldade no manuseio.

5 Celulose Cartão: Farinhas, Flakes, Hambúrgueres, Calçados, Bombons, Eletro/Eletrônicos, Caixas Papelão: Leite Longa Vida, Sucos, Bebidas Lácteas, Alimentos, Frutas, Embalagens de Transporte Papel: Carvão, Adubos, Farinha de Trigo, Sementes, Rações

6 PLÁSTICO Embalagens semi rígidas: Plásticos Semi Rígidos Plásticos Semi Rígidos: Prod. Limpeza e Higiene Pessoal, Cosméticos, Achocolatados, Sorvetes, Álcool, Prod. de Limpeza, Refrigerante, Sucos Cloreto de Polivinila (PVC) - Características: excelente transparência, impermeável a substâncias gordurosas; - Utilização: água mineral, vinagre, óleos comestíveis. Polipropileno (PP) - Características: pouco transparente; -Utilização: leite em condições assépticas. Polietileno (PE) - Características: grande permeabilidade aos gases e afinidade à gordura. - Utilização: vinagre, água mineral, refrigerantes e refrescos de frutas. Poliestireno (PS) - Características: permeável ao vapor de água; raramente utilizado para envasar alimentos, por transmitir odor a eles. - Utilização: produtos de curto consumo: sucos concentrados, bebidas não alcoólicas.

7 Plástico Plásticos Flexíveis: Café, Açúcar, Arroz, Ração para Cães, Macarrão Instantâneo, Salgadinhos Snacks, Biscoitos, Balas, Bonbons PLÁSTICO Embalagens flexíveis: Acetato de celulose -Características: plástico de origem celulósica, elaborado através do -tratamento com ácido anidrido acético. - Utilização: em forma de chapa. Cloropolivinila (PVC) -Características: mais versátil de todos os plásticos, através de suas propriedades: solubilidade, resistência química, fluidez, facilidade de elaboração. - Vantagens: 6 vezes melhor como barreira ao O 2 do que o polietileno e maior rigidez. - Desvantagens: 10 vezes menos resistente à água do que o polietileno. - Utilização: aplicado em filmes encolhíveis.

8 Plásticos Flexiveis PLÁSTICO Nylon - Características: barreira à água e ao oxigênio, suporta calor até 140 C. - Desvantagens: dificuldade de fechamento sozinho, e alto custo. Poliester (tereftalato de poliestireno) - Vantagens: 80 vezes superior ao polietileno, como barreira de O 2, 4 vezes mais resistente que o PE, boa faixa de temperatura de trabalho (até C). - Desvantagens: menos resistente à umidade que o PE. Polietileno -Características: versatilidade, compatibilidade com muitos alimentos, transparência, resistência, termossoldagem fácil, boa impermeabilidade à água, alta permeabilidade ao O 2 e CO 2. Polipropileno (PP) - Características: transparência e brilho, quando não orientados tornam-se quebradiços, no congelador. - Utilização: produtos de confeitaria. Cryovac -Características: baixíssima permeabilidade ao O 2, reduzida ao vapor de água, ótima -resistência mecânica, excelente transparência, e brilho, fechamento por grampos ou solda. - Utilização: produtos perecíveis, principalmente carnes e seus derivados.

9 Tetra Brik Características: -Polietileno: função estética; -Papel cartão: estrutura ao laminado, resistência tração e fácil impressão; à - Polietileno: adesivo entre o papel e o alumínio - Alumínio: impermeável ao O2, umidade e luz. - Utilização: Leite, Sucos e derivados.

10 Metal Folhas de Flandres: Conservas, Leite em Pó, Tintas, Azeite A folha de flandres é um produto resultante de lingote de aço, com reduzida fração de carbono (0,06 a 0,15%). Fração de carbono, finalidade: maleabilidade na lata para que esta possa se moldar durante a estampagem sem sofrer deformação.

11 Metal Alumínio: Cervejas, Refrigerantes, Cartelas de Comprimidos, Tampas Aluminizadas Produto da hidrólise da alumina, a qual se origina da bauxita (constituída por óxido de alumínio e ferro). Quanto mais pura, maior a resistência à corrosão. Vantagens: - É atóxico, tem ação protetora contra o calor, é leve, resistente à corrosão, impermeável aos gases e à umidade e tem baixa densidade. Desvantagens: - É atacado por alimentos ácidos, ou salinos; - É mais difícil de agrafagem, muito mole; - Não tolera altas pressões em autoclave.

12 Madeira / Tecido Madeira: Caixas, Engradados, Barris Tecidos: Sacos de Estopa, Sacolas, Sacos de Ráfia

13 EMBALAGENS PARA ALIMENTOS IRRADIADOS FDA (Food and Drugs Administration): O material usado nas embalagens não deve interferir nas qualidades do alimentos, assim como, não impor nenhum dano toxicológico ou indesejável, em decorrência da irradiação no mesmo. O uso comercial de alimentos irradiados requer essencialmente uma embalagem ideal para esse tipo de produto.

14 Razões para tratar de embalagem O produto é a embalagem Embalagem vende Sistemas de embalagem vão sofrer transformações Embalagem é parte do marketing

15 A embalagem também ajuda a Reposicionar o produto; Promover um artigo; Promover a compra de maior quantidade; Identificar produtos anônimos.

16 Embalagens Históricas

17 Estudo de Campo Só no estudo de campo você pode notar as partes importantes da sua embalagem, características da categoria, deficiências da sua embalagem e da concorrência.

18 Estudo de Campo A diferenciação pode ser o ponto chave no aumento nas vendas, mas tem que ter cuidado para não fugir muito da categoria A importância da lateral da da embalagem de goiabada

19 Estudo de Campo Sua embalagem lado a lado pode ganhar mais destaque se possuir uma cor predominante Em uma categoria as embalagens costumam ter características em comum, mas pequenos detalhes podem fazer a diferença. As características da categoria ajudam o consumidor identificar o produto

20 Fases do design de embalagens 1. Analítica 2. Criativa 3. Executiva

21 1. Fase analítica Análise das embalagens atuais de produtos Semelhantes; Programação do trabalho (especificação de tarefas, tempos, cronograma, etc); Pesquisa de requisitos e necessidades.

22 2. Fase criativa Geração de alternativas; Esboços; Pré-seleção de idéias; Elaboração da apresentação; Seleção de alternativas; Desenvolvimento e refinamento;

23 3. Fase executiva Estudos para validar a alternativa escolhida; Aprovação do projeto final; Adaptação para versões e construção de mock-up; Documentação técnica para o processo fabril; Fabricação;

24 Ensaios Testes ergonômicos; Testes visuais (percepção de diferenciação); Testes de legibilidade; Testes psicológicos; Testes físicos (resistência, peso, etc).

25 Informações Obrigatórias; Legislação específica para cada tipo; Informações: Associação Brasileira de Embalagem (www.abre.org.br); Utilitárias; Promocionais.

26 Procedimentos do Design Raffe Planta ou Faca Layout ou Mock-up Embalagem final

27 Conceitos do Design 1- Logotipo: Principal elemento de identificação do produto. 2- Imagem Principal: deve agregar significado, personalidade e valor. Veja o que a concorrência está usando 3- Elementos de Apoio: os banners, splashes,devem seguir a mesma linha visual da embalagem

28 Conceitos do Design Logotipo é algo essencial na embalagem, é como o consumidor identifica o produto. Neste caso ele é personalizado e sugestivo Três letras maiúsculas e o i minúsculo, dá personalidade e simplicidade ao logo. Tudo é natural e harmonioso neste layout. Conceito passado.

29 Conceitos do Design 4- Estudo de Cores: o fundo da embalagem deve contrastar com os outros elementos e com a concorrência. A cor predominante deve ficar clara. 5- Estudo de Tipo: A tipologia deve ter relação com o produto, não coloque muitos tipos diferentes. 6- Continuidade: quando sua embalagem for repetida lado a lado na prateleira, deve formar um conjunto visual.

30 Conceitos do Design Repare como o desenho de fundo se encaixa na continuidade e forma uma cor predominante para embalagem A tipologia usada é arredondada e os elementos têm equilíbrio

31 Splash na Embalagem O Splash é um dos elementos visuais mais característicos da embalagem. Mesmo que não tenha nada promocional na embalagem, procure algo que possa colocar no Splash como: novo sabor, nova fórmula, qualidade etc.

32 Splash na Embalagem - Timbre com flâmula - Módulo com banner - Banner com vinheta - Lettering

33 Splash na Embalagem - Splash típico - Nuvem ou balão - Splash com vinheta - Bottom

34 Pesquisa em mercado teste Essas embalagem possuem diferenças sutis. São oferecidadas a grupos de consumidores para avaliação de aceitação. Existem cidades como Santos que são mercados testes para novos produtos, não agradando eles voltam para a prancheta antes de serem lançados em território nacional.

35 Boas soluções Esta embalagem revolucionou a categoria, o que remeteu diretamente no aumento das vendas

36 Esta embalagem dispensa comentários, é um clássico. Boas soluções

37 Boas soluções Esta embalagem, criada para o dia dos namorados, vem com um cartão De: Para:, além de sugerir uma combinação de uso.

38 Boas soluções Veja como a categoria estava dispensando o painel lateral, está embalagem estourou de vendas. Você tem dúvida a qual levaria?

39 Boas soluções O Logotipo cortado, ficando grande ao se juntar com outra embalagem mais a cor forte ganhou grande destaque.

40 Por que não fazer da sua embalagem um brinde? Boas soluções

41 Boas soluções Tudo é eletrizante nesta embalagem sem estar poluído e o personagem ainda vende outro produto da empresa, um show de embalagem

42 Boas soluções De uma idéia simples como um copo virado de cabeça para baixo pode surgir uma grande idéia. Um bom designer presta atenção a tudo

43 Boas soluções Quer algo mais cristalino do que ver o rótulo impresso do outro lado, sem contar o efeito tridimencional. A água nem mineral é.

44 Repare como o rótulo se fundi com a cor do refrigerante Boas soluções

45 Nunca uma embalagem de sabão em pedra tratou o produto assim Boas soluções

46 Boas soluções Até esta embalagem chegar no mercado, não existia a preocupação do design na categoria, foi um divisor de águas

47 Boas soluções Esta embalagem para frutas e legumes é empilhável, adequada à refrigeração, sendo correta para o mercado interno ou exportação

48 Boas soluções Toque de feminilidade foi dado no fundo xadrez, associado a tecido, moda, agregando valor ao produto A Intimus Gel é líder no mercado de absorventes.

49 Referências Bibliográficas CESAR, Newton. Direção de arte em propaganda. São Paulo, Futura, GADE, Christiane. Psicologia do Consumidor. São Paulo, EPU, FARINA, Modesto. Psicodinâmica das Cores em Comunicação. São Paulo, Edgard Blucher Ltda, HURLBURT, Allen. Layout: o design da página impressa. São Paulo, Nobel, KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de Marketing. 12. ed. São Paulo, Pearson Prentice Hall, MESTRINER, Fabio. Design de Embalagem Curso Básico. São Paulo, Makron Books, MESTRINER, Fabio. Design de Embalagem Curso Avançado. São Paulo, 2. ed., Prentice Hall, REIS, Al; TROUT, Jack. Marketing de Guerra. 23. ed. São Paulo, McGraw-Hill, SCHIFFMAN, Leon G.; KANUK, Leslie L., Comportamento do Consumidor, 6.ed., LTC, SEMENIK, Richard J.; BAMOSSY, Gary J. Princípios de Marketing: uma perspective global. São Paulo, Loyola, WILLIAMS, Robin. Design para quem não é designer. 7. ed. São Paulo, Callis, 1995.

Gestão do Design. www.ligiafascioni.com.br. Embalagem. Lígia Fascioni www.ligiafascioni.com.br

Gestão do Design. www.ligiafascioni.com.br. Embalagem. Lígia Fascioni www.ligiafascioni.com.br Gestão do Design 6 Embalagem Lígia Fascioni Aula de hoje O que é embalagem Funções da embalagem Design de embalagens Legislação Embalagem Embalagem sf. Acondicionamento de mercadorias ou objetos em pacotes,

Leia mais

Consultora da Futurepack e Instituto de Embalagens

Consultora da Futurepack e Instituto de Embalagens Consultora da Futurepack e Instituto de Embalagens Mestre em embalagens pela Michigan State University em Michigan/EUA; Engenheira Química pela Escola de Engenharia Mauá. Participação de cursos na área

Leia mais

Curso de embalagens. Embalagem Cartonada Asséptica Ministrante: Assunta Camilo 2014 São Paulo - SP

Curso de embalagens. Embalagem Cartonada Asséptica Ministrante: Assunta Camilo 2014 São Paulo - SP Curso de embalagens Embalagem Cartonada Asséptica Ministrante: Assunta Camilo 2014 São Paulo - SP Embalagem cartonada Sistema de Envase Engenharia e tecnologia de embalagem para envase asséptico Sistema

Leia mais

CRONOGRAMA DE ENTREGA AABB

CRONOGRAMA DE ENTREGA AABB CRONOGRAMA DE ENTREGA AABB NÃO PERECIVEIS DATA DE ASSINATURA DO FORNECEDOR ASSINATURA DO RESPONSÁVEL ENTREGA ----------------------------------------------- ------------------------------------------------

Leia mais

Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais

Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais Cinthia Versiani Scott Varella Ms. Engenheira de Produção Pesquisadora do Núcleo Alternativas de Produção Consultora INSEA Objetivo Qualidade da matéria

Leia mais

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES 3 Definições de lixo: No dicionário: sujeira, imundice, coisa(s) inúteis, velhas, sem valor. Na linguagem técnica: sinônimo

Leia mais

Embalagens para Alimentos e Especialidades

Embalagens para Alimentos e Especialidades Embalagens para Alimentos e Especialidades Provedora de Soluções Inovadoras Portfólio único de resinas e adesivos para inovar na indústria de embalagens. A Dow, líder mundial na oferta de resinas e adesivos

Leia mais

EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO.

EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO. EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO. Márcia Cristina O Pereira Enfermeira encarregada da central de material esterilizado HMSL. Especialista em CC, CME, RA USP Mestrado em saúde do adulto - USP FINALIDADE DA

Leia mais

Embalagens e Aditivos para Alimentos. Escola Estadual de Educação Profissional - EEEP. Curso Técnico em Agroindústria

Embalagens e Aditivos para Alimentos. Escola Estadual de Educação Profissional - EEEP. Curso Técnico em Agroindústria Escola Estadual de Educação Profissional - EEEP Curso Técnico em Agroindústria Embalagens e Aditivos para Alimentos Governador Cid Ferreira Gomes Vice Governador Francisco José Pinheiro Secretária da

Leia mais

OFICINA DE IDENTIFICAÇÃO DE PLÁSTICOS. Grupo Pauling Escola José Gomes Filho

OFICINA DE IDENTIFICAÇÃO DE PLÁSTICOS. Grupo Pauling Escola José Gomes Filho OFICINA DE IDENTIFICAÇÃO DE PLÁSTICOS Grupo Pauling Escola José Gomes Filho O QUE SÃO PLÁSTICOS? São polímeros (grandes moléculas) sintéticos, fabricados para suprir nossas necessidades com custo mais

Leia mais

1. Introdução 2. 2. As funções da embalagem 2. 3. Classificação das embalagens 5. 4. Principais características dos materiais de embalagem 6

1. Introdução 2. 2. As funções da embalagem 2. 3. Classificação das embalagens 5. 4. Principais características dos materiais de embalagem 6 Capítulo I CONCEITOS GERAIS SOBRE EMBALAGEM 1. Introdução 2 2. As funções da embalagem 2 3. Classificação das embalagens 5 4. Principais características dos materiais de embalagem 6 5. O ambiente e a embalagem

Leia mais

CONDIÇÕES DE ENTREGA/RECEPÇÃO DO SERVIÇO EXTRA URBANO

CONDIÇÕES DE ENTREGA/RECEPÇÃO DO SERVIÇO EXTRA URBANO SERVIÇO EXTRA URBANO O Serviço extra Urbano corresponde ao serviço a ser prestado aos produtores de resíduos não urbanos de embalagens, de forma a garantir a esses produtores um destino final adequado

Leia mais

Perguntas Frequentes 1. O que é uma embalagem da Tetra Pak ou Longa Vida? 2. O alumínio da embalagem entra em contato com o alimento?

Perguntas Frequentes 1. O que é uma embalagem da Tetra Pak ou Longa Vida?  2. O alumínio da embalagem entra em contato com o alimento? Perguntas Frequentes 1. O que é uma embalagem da Tetra Pak ou Longa Vida? R: A embalagem da Tetra Pak é composta por várias camadas de materiais. Estas criam uma barreira que impede a entrada de luz, ar,

Leia mais

LICITAÇÃO CARTA CONVITE DE Nº 2015/0001 OBJETO DA LICITAÇÃO: AQUISIÇÃO MERENDA ESCOLAR DATA DA LICITAÇÃO: 02/03/2015 HORÁRIO DA LICITAÇÃO: 10:00hs

LICITAÇÃO CARTA CONVITE DE Nº 2015/0001 OBJETO DA LICITAÇÃO: AQUISIÇÃO MERENDA ESCOLAR DATA DA LICITAÇÃO: 02/03/2015 HORÁRIO DA LICITAÇÃO: 10:00hs GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Secretaria da Educação EEM Jáder de Figueiredo Correia Rua Livino Teixeira, 112 Bairro Centro Telefone: (88) 3617 4051 E-mail: jaderfigueiredo@escola.ce.gov.br LICITAÇÃO CARTA

Leia mais

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO O PRIMEIRO PASSO PARA APRENDER A RECICLAR É CONHECER QUAIS MATERIAIS SÃO

Leia mais

Logistica e Distribuição. Definição de embalagem. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993. Outras funções da embalagem são:

Logistica e Distribuição. Definição de embalagem. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993. Outras funções da embalagem são: Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Embalagem Primárias Apoio 1 2 Definição de embalagem A embalagem é um recipiente ou envoltura que armazena produtos temporariamente

Leia mais

Gomas de mascar com ou sem açúcar. Bebidas prontas à base de mate ou chá. Preparações em pó para a elaboração de bebidas

Gomas de mascar com ou sem açúcar. Bebidas prontas à base de mate ou chá. Preparações em pó para a elaboração de bebidas Abrangência: operações interestaduais entre contribuintes situados em São Paulo e contribuintes situados em Sergipe. Produto: alimentícios. Conteúdo: relação de Margem de Valor Agregado. Base Legal: Protocolo

Leia mais

Título do experimento: Identificando os plásticos. Conceitos: Química Orgânica: Polímeros A química dos Plásticos.

Título do experimento: Identificando os plásticos. Conceitos: Química Orgânica: Polímeros A química dos Plásticos. Título do experimento: Identificando os plásticos Conceitos: Química Orgânica: Polímeros A química dos Plásticos. Materiais: - Plásticos diversos; - Lamparina; - Pinça; - Tesoura; - Pedaço de fio de cobre;

Leia mais

DOSSIÊ TÉCNICO. Embalagens para produtos alimentícios. Mariana Zanon Barão Instituto de Tecnologia do Paraná - TECPAR

DOSSIÊ TÉCNICO. Embalagens para produtos alimentícios. Mariana Zanon Barão Instituto de Tecnologia do Paraná - TECPAR DOSSIÊ TÉCNICO Embalagens para produtos alimentícios Mariana Zanon Barão Instituto de Tecnologia do Paraná - TECPAR Agosto/2011 Embalagens para produtos alimentícios O Serviço Brasileiro de Respostas

Leia mais

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA O QUE É? Coleta seletiva é o processo de separação dos materiais recicláveis do restante dos resíduos sólidos. Como definição de resíduos sólidos, pelo Wikipédia, entende-se

Leia mais

MODELO DE CARTA PROPOSTA

MODELO DE CARTA PROPOSTA 1 ACHOCOLATADO EM PÓ INST. POTE 400G UND 36 2 ÁGUA MINERAL 20 LITROS RECARGA 40 3 AÇUCAR PCT DE 2KG CADA C/ 15UND FARDO 35 4 ALHO BOA QUALIDADE KG 20 5 AMENDOIN IN NATURA, SEM CASCA, MEDIO 1 KG KG 4 6

Leia mais

Sistemas de codificação a laser de fibra

Sistemas de codificação a laser de fibra Contraste de marcação superior a uma alta velocidade em matéria plástica e metais robustos Guia de amostra de codificação e marcação Sistemas de codificação a laser de fibra Realizar marcações a laser

Leia mais

A seguir, sugerimos algumas formas de acondicionamento por tipo de material a ser enviado.

A seguir, sugerimos algumas formas de acondicionamento por tipo de material a ser enviado. Acondicionamento Para o cliente que deseja enviar um objeto via Correios, o correto acondicionamento dos objetos é muito importante para assegurar que as remessas cheguem bem a seus destinos. Recomenda-se

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA Usando Bem Ninguém Fica Sem. PROGRAMA DE COLETA SELETIVA 1. O QUE É COLETA SELETIVA 2. DESTINO FINAL DO LIXO DE SÃO PAULO 3. COMPOSIÇÃO DO LIXO SELETIVO

Leia mais

DESIGN DE EMBALAGENS PARA ALIMENTOS, FERRAMENTA ESSENCIAL DE COMPETITIVIDADE. Erivan Witamar EW Design Studio

DESIGN DE EMBALAGENS PARA ALIMENTOS, FERRAMENTA ESSENCIAL DE COMPETITIVIDADE. Erivan Witamar EW Design Studio DESIGN DE EMBALAGENS PARA ALIMENTOS, FERRAMENTA ESSENCIAL DE COMPETITIVIDADE. Erivan Witamar VISÃO GERAL FUNÇÕES DA EMBALAGEM PROJETO DESIGN DE EMBALAGENS DESIGN ESTRUTURAL Materiais DESIGN GRÁFICO Funções

Leia mais

Workshop Embalagem & Sustentabilidade

Workshop Embalagem & Sustentabilidade Workshop Embalagem & Sustentabilidade São Paulo/2013 Eduardo Lima Agenda Alumínio e Sustentabilidade - Conceito Embalagens de alumínio Diferenciais das embalagens de alumínio PNRS Reciclagem de alumínio

Leia mais

IRMANDADE DA SANTA CASA DE LOUVEIRA

IRMANDADE DA SANTA CASA DE LOUVEIRA RETIFICAÇÃO DO EDITAL PROCESSO LICITATÓRIO Nº 67/2014 PREGÃO Nº 02/2014 OBJETIVO: Aquisição de Cestas Básicas. Onde se lia: ANEXO I - ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO E QUANTITATIVOS ITEM QTD UNID. DESCRIÇÃO DO

Leia mais

Introdução ao Mundo da Embalagem

Introdução ao Mundo da Embalagem Introdução ao Mundo da Embalagem Desenhar embalagens que realmente contribuam para o sucesso do produto na competição de mercado não é uma tarefa fácil. A embalagem é hoje um importante componente da atividade

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO PRÊMIO MÉRITO ACATS EXPOSUPER 2015

REGULAMENTO GERAL DO PRÊMIO MÉRITO ACATS EXPOSUPER 2015 1. NATUREZA DO PRÊMIO REGULAMENTO GERAL DO PRÊMIO MÉRITO ACATS EXPOSUPER 2015 1.1. O Prêmio Mérito ACATS Exposuper é uma iniciativa da ACATS - Associação Catarinense de Supermercados, que tem como objetivo

Leia mais

RESOLUÇÃO SMG N Nº 604 DE 11 DE SETEMBRO DE 2002 (DOM 12-09-02)

RESOLUÇÃO SMG N Nº 604 DE 11 DE SETEMBRO DE 2002 (DOM 12-09-02) RESOLUÇÃO SMG N Nº 604 DE 11 DE SETEMBRO DE 2002 (DOM 12-09-02) O RESPONSÁVEL PELO EXPEDIENTE DA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO (Decreto nº 1.630/2002), no uso de suas atribuições legais, e, considerando

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS PLÁSTICOS

INTRODUÇÃO AOS PLÁSTICOS INTRODUÇÃO AOS PLÁSTICOS Antonio Augusto Gorni Editor Técnico, Revista Plástico Industrial - POLÍMEROS: MATERIAIS DE NOSSO DIA A DIA O plástico é um dos materiais que pertence à família dos polímeros,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS 1 Cardápio Segunda-Feira: Mingau de aveia, canela e biscoito doce MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Frango guisado, arroz escorrido, feijão, farofa, salada e Sopa de legumes e carne seca Tiras de frango acebolada,

Leia mais

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor.

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor. R R R REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR O caminho para um futuro melhor. A FGR se preocupa com o planeta. v Reduza o quanto puder; Reutilize tudo que puder; Recicle o máximo que puder. 2 A qualidade de vida

Leia mais

Tecnologia de leites e derivados Prof. Andréa Matta Ristow PROCESSAMENTO DO IOGURTE

Tecnologia de leites e derivados Prof. Andréa Matta Ristow PROCESSAMENTO DO IOGURTE Tecnologia de leites e derivados Prof. Andréa Matta Ristow PROCESSAMENTO DO IOGURTE Leites Fermentados Exemplos: iogurte, bebidas lácteas fermentadas, coalhada, kefir, entre outros. A fermentação pode

Leia mais

Marca Própria e Merchandising: estratégias de marketing para os supermercados de pequeno porte associados à RedeMais. 1

Marca Própria e Merchandising: estratégias de marketing para os supermercados de pequeno porte associados à RedeMais. 1 Marca Própria e Merchandising: estratégias de marketing para os supermercados de pequeno porte associados à RedeMais. 1 Tiago José PACE 2 Vitória Teodoro Gerlach SILVA 3 Vitor Felipe de Oliveira QUEIROZ

Leia mais

TAMPAS METÁLICAS TWIST-OFF

TAMPAS METÁLICAS TWIST-OFF ELIANE ROMERO. Formada em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Fundação Santo André (FSA), e pós- graduada em Gestão Empresarial pela Universidade de São Caetano do Sul (USCS), trabalha

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA SOBRE PRODUTO QUÍMICO. Preparado: Yes Este produto é uma composição de óleos lubrificantes e aditivos.

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA SOBRE PRODUTO QUÍMICO. Preparado: Yes Este produto é uma composição de óleos lubrificantes e aditivos. FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA SOBRE PRODUTO QUÍMICO Accu-Lube LB-4500 CÓDIGO FISPQ-0505 REVISÃO 3 EMISSÃO 27/12/2010 APROVAÇÃO 27/12/2010 Page 1 of 5 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

RECICLAGEM: ECONOMIA X MEIO AMBIENTE

RECICLAGEM: ECONOMIA X MEIO AMBIENTE RECICLAGEM: ECONOMIA X MEIO AMBIENTE DANIELLE PATRÍCIA NASCIMENTO DE OLIVEIRA (IC) 1 ILTON SÁVIO BATISTA MARTINS (PG) 1 JACKSON DA SILVA SANTOS (PG) 1 KATIA LIDIANE DA SILVA (IC) 1 MARIA DO CÉU AZEVEDO

Leia mais

Considerando que o trânsito de alimentos em condições seguras pressupõe a preservação da saúde e do meio ambiente;

Considerando que o trânsito de alimentos em condições seguras pressupõe a preservação da saúde e do meio ambiente; Pag. 1 de 9 Portaria 069-R, de 26/09/2007. Dispõe sobre a documentação e requisitos básicos necessários para concessão de Licença Sanitária para Veículos Automotivos utilizados para o Transporte de Alimentos

Leia mais

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS LOTES 0- PERECÍVEIS FRIOS 3 4 5 Lingüiça, do tipo calabresa, resfriada, industrialmente embalada, com SIF, embalagem plástica transparente atóxica não reciclada, contendo informações sobre o fabricante

Leia mais

DO MUNICÍPIO DE TIBAGI ESTADO DO PARANÁ. Pç. Edmundo Mercer, 34 Fone: (42) 3916-2200 84300-000 - Tibagi PR - www.tibagi.pr.gov.br AVISO DE LICITAÇÃO

DO MUNICÍPIO DE TIBAGI ESTADO DO PARANÁ. Pç. Edmundo Mercer, 34 Fone: (42) 3916-2200 84300-000 - Tibagi PR - www.tibagi.pr.gov.br AVISO DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 008/2010 O MUNICÍPIO, Estado do Paraná, torna público que realizará licitação, na modalidade de Pregão Presencial, para Registro de Preços para aquisição futura

Leia mais

Número PE011/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE011/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 1 CESTA, basica, de alimentos, composta de 13 produtos, sendo: Un 360,00-2 Kg de ACUCAR cristalizado, sacarose de cana-de-acucar, na cor branca. Embalagem em polietileno, contendo dados de identificacao

Leia mais

CATÁLOGO DE CARNES, CONS. ORIGEM ANIMAL, CEREAIS, FARINÁCEOS, CONDIMENTOS, PEIXES

CATÁLOGO DE CARNES, CONS. ORIGEM ANIMAL, CEREAIS, FARINÁCEOS, CONDIMENTOS, PEIXES CATÁLOGO DE CARNES, CONS. ORIGEM ANIMAL, CEREAIS, FARINÁCEOS, CONDIMENTOS, PEIXES Descrição Bisteca suína Bisteca suína, congelada, com aproximadamente 250 gramas cada, embalada em camadas separadas por

Leia mais

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) Revitalização dos Programas de Coleta Seletiva e de Minimização de Resíduo Sólido na FEC

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) Revitalização dos Programas de Coleta Seletiva e de Minimização de Resíduo Sólido na FEC Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) Revitalização dos Programas de Coleta Seletiva e de Minimização de Resíduo Sólido na FEC mar. 2013 Programa de Coleta seletiva na FEC Iniciado

Leia mais

Questões ENADE. 2011 QUESTÃO 11 (Componente específico comum)

Questões ENADE. 2011 QUESTÃO 11 (Componente específico comum) OPQ0001 Questões ENADE 2011 QUESTÃO 11 (Componente específico comum) Materiais metálicos, cerâmicos e poliméricos são amplamente utilizados nos dias de hoje. Suas aplicações estão diretamente relacionadas

Leia mais

EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO TERESINHA NEIDE DE OLIVEIRA 2011

EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO TERESINHA NEIDE DE OLIVEIRA 2011 EMBALAGENS PARA ESTERILIZAÇÃO TERESINHA NEIDE DE OLIVEIRA 2011 EMBALAGEM A embalagem deve assegurar o conteúdo estéril até sua abertura com técnica asséptica, sem risco de contaminação. EMBALAGENS E PROCESSOS

Leia mais

Colocação de material

Colocação de material Colocação de material Este capítulo inclui: Material suportado na página 2-2 Carregando material na bandeja 1 na página 2-8 Colocação de material na bandeja 2, 3 ou 4 na página 2-14 Copyright 2005 Xerox

Leia mais

A EMBALAGEM ALIMENTAR NO CONTEXTO DA POLÍTICA AMBIENTAL. Raquel P. F. Guiné* * Assistente do 1º Triénio - Dep. Agro-Alimentar, ESAV.

A EMBALAGEM ALIMENTAR NO CONTEXTO DA POLÍTICA AMBIENTAL. Raquel P. F. Guiné* * Assistente do 1º Triénio - Dep. Agro-Alimentar, ESAV. A EMBALAGEM ALIMENTAR NO CONTEXTO DA POLÍTICA AMBIENTAL Raquel P. F. Guiné* * Assistente do 1º Triénio - Dep. Agro-Alimentar, ESAV 1 - Introdução A embalagem é hoje em dia uma presença tão constante no

Leia mais

Classificação e Rotulagem de Perigo dos Ingredientes que Contribuem para o Perigo: N. A

Classificação e Rotulagem de Perigo dos Ingredientes que Contribuem para o Perigo: N. A Nome do Produto: VERCLEAN 900 FISQP N.º: 02 Página: 1/7 Última Revisão: 08/04/13 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: DETERGENTE VERCLEAN 900 Código Interno de Identificação: 101 Nome

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA SOBRE PRODUTO QUÍMICO. Preparado: Este produto é uma composição de cargas minerais.

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA SOBRE PRODUTO QUÍMICO. Preparado: Este produto é uma composição de cargas minerais. FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA SOBRE PRODUTO QUÍMICO UT-X FE POWDER CÓDIGO FISPQ-1616 REVISÃO 0 EMISSÃO 14/08/2012 APROVAÇÃO 14/08/2012 Page 1 of 5 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

Leia mais

Número PE064/2014. Fornecedor. Pregão. Unidade Requisitante UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA BAHIA - CAMPUS VITORIA DA C

Número PE064/2014. Fornecedor. Pregão. Unidade Requisitante UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA BAHIA - CAMPUS VITORIA DA C Folha 1 1 CESTA, basica, de alimentos, composta de 13 produtos, sendo: Un 700,00-2 Kg de ACUCAR cristalizado, sacarose de cana-de-acucar, na cor branca. Embalagem em polietileno, contendo dados de identificacao

Leia mais

tendências de Embalagem para Bebidas,

tendências de Embalagem para Bebidas, Tendências de embalagem para bebidas Marcelo Dalla Pria Segundo a gerente do CETEA/ITAL (Centro de Tecnologia de Embalagem), Sílvia Tondella Dantas, em seu artigo Principais tendências de Embalagem para

Leia mais

As certificações internacionais, normativa ANVISA e a análise de degradação detalhada, atestam a veracidade e qualidade de todos os produtos da Eco

As certificações internacionais, normativa ANVISA e a análise de degradação detalhada, atestam a veracidade e qualidade de todos os produtos da Eco As certificações internacionais, normativa ANVISA e a análise de degradação detalhada, atestam a veracidade e qualidade de todos os produtos da Eco Ventures Bioplastics, que oferece um serviço excepcional

Leia mais

ESTUDO DA MATÉRIA. QUÍMICA: é o ramo da ciência que estuda a matéria, suas propriedades, estruturas e transformações.

ESTUDO DA MATÉRIA. QUÍMICA: é o ramo da ciência que estuda a matéria, suas propriedades, estruturas e transformações. QUÍMICA: é o ramo da ciência que estuda a matéria, suas propriedades, estruturas e transformações. MATÉRIA: é tudo que tem massa e ocupa lugar no espaço. Exemplo: O ar Um balão de festas (bexiga) aumenta

Leia mais

MATERIAIS COMPÓSITOS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

MATERIAIS COMPÓSITOS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho MATERIAIS COMPÓSITOS Histórico Adobes reforçados com palha Egito 5000 anos. Concreto reforçado com barras de metal século XIX. Fibras de vidro 1970 Conceito São materiais formados por dois ou mais constituintes

Leia mais

Reciclagem do vidro e resíduos da Constrição em Geral. Bruno - Química Daniela Pereira Marques - Química Maurício De Lima Ciências Contábeis

Reciclagem do vidro e resíduos da Constrição em Geral. Bruno - Química Daniela Pereira Marques - Química Maurício De Lima Ciências Contábeis Reciclagem do vidro e resíduos da Constrição em Geral Bruno - Química Daniela Pereira Marques - Química Maurício De Lima Ciências Contábeis RECICLAGEM DO VIDRO TIPOS DE VIDRO Vidro Acidado: vidros trabalhados

Leia mais

Resíduos Sólidos Redução de Embalagens

Resíduos Sólidos Redução de Embalagens Resíduos Sólidos Redução de Embalagens GUILHERME SCHULZ Ecólogo e Biólogo Mestre em Engenharia Bioma Pampa Ecologia guilherme@biomapampa.com.br www.biomapampa.com.br Gestão Ambiental Considerações: Prevenção

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

Para ajuste de posição vertical da superfície e do tampo monitor utilizar as manivelas, observando o sentido correto de rotação.

Para ajuste de posição vertical da superfície e do tampo monitor utilizar as manivelas, observando o sentido correto de rotação. Manual do Produto Parabéns, Você acaba de adquirir um móvel RAVAD! Os móveis da RAVAD são especialmente projetados, desenvolvidos e montados a partir do resultado de pesquisas das tendências nacionais

Leia mais

Aula 23.2 Conteúdo Compostagem, reciclagem.

Aula 23.2 Conteúdo Compostagem, reciclagem. Aula 23.2 Conteúdo Compostagem, reciclagem. Habilidades Verificar a importância do correto descarte através do reaproveitamento, reciclagem e reutilização de bens de consumo. 1 Reaproveitamento do Lixo

Leia mais

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1 - INTRODUÇÃO. A escolha do material a empregar (tipo de tubulação) nas redes coletoras de esgotos sanitários é função das características dos esgotos,

Leia mais

Leitores: supermercadistas de todos os portes, fornecedores, órgãos governamentais, universidades

Leitores: supermercadistas de todos os portes, fornecedores, órgãos governamentais, universidades SuperHiper é a publicação oficial do setor, pertence à Abras e este ano completa 35 anos Leitores: supermercadistas de todos os portes, fornecedores, órgãos governamentais, universidades Representa o setor

Leia mais

VEDAÇÃO PERFEITA: RESINAS ORGANOLÉPTICAS PARA TAMPAS DE BEBIDAS

VEDAÇÃO PERFEITA: RESINAS ORGANOLÉPTICAS PARA TAMPAS DE BEBIDAS VEDAÇÃO PERFEITA: RESINAS ORGANOLÉPTICAS PARA TAMPAS DE BEBIDAS 1 2 vedação perfeita Resinas organolépticas para tampas de bebidas Água natural com e sem gás, refrigerantes, isotônicos... O mercado de

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA sca.com.br Parabéns! Agora, a mudança faz parte da sua vida. Neste manual, você encontrará as principais informações para garantir que seu mobiliário S.C.A.

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q3 Fenômenos físicos e químicos

Química. Resolução das atividades complementares. Q3 Fenômenos físicos e químicos Resolução das atividades complementares 1 Química Q3 Fenômenos físicos e químicos p. 18 1 (UFG-GO) A Química está presente em nosso cotidiano sob as mais variadas maneiras. Ela está presente nos medicamentos,

Leia mais

Oficina de Forno Solar

Oficina de Forno Solar Oficina de Forno Solar Desfrutando da vida moderna, cada um de nós é responsável pela emissão de grandes quantidades de carbono e outros gases que contribuem para o aquecimento global e suas conseqüências

Leia mais

World leader in storage solutions. Corporate brochure. since 1945. since 1945. since 1945. since 1945

World leader in storage solutions. Corporate brochure. since 1945. since 1945. since 1945. since 1945 World leader in storage solutions Corporate brochure since 1945 since 1945 since 1945 since 1945 QUEM SOMOS Empresa foi criada em 1945 3 ª geração de construtores 4 unidades de produção 3 empresas subsidiárias

Leia mais

Materiais têm personalidade?

Materiais têm personalidade? Materiais têm personalidade? Introdução O pior é que têm! Como? Pense um pouco. Por que o plástico é plástico? Por que o alumínio é mais leve que o ferro? Por que a borracha depois de esticada volta a

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS. N u t r i ç ã o e D i e t é t i c a outubro, 13

RESÍDUOS SÓLIDOS. N u t r i ç ã o e D i e t é t i c a outubro, 13 RESÍDUOS SÓLIDOS N u t r i ç ã o e D i e t é t i c a outubro, 13 UNINASSAU FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU Centro Universitário Maurício de Nassau Fazendo Parte de Sua Vida Professor Adriano Silva RESÍDUOS

Leia mais

Plásticos x Meio Ambiente. Jamille Valéria Piovesan Silvane Machado

Plásticos x Meio Ambiente. Jamille Valéria Piovesan Silvane Machado Plásticos x Meio Ambiente Jamille Valéria Piovesan Silvane Machado JUSTIFICATIVA A maioria das invenções modernas estão diretamente relacionadas com nosso conforto e praticidade, porém muitas delas são

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS A ADQUIRIR

RELAÇÃO DE ITENS A ADQUIRIR AVALIAÇÃO COMPETITIVA IDSM/OS MCTI Nº 0001/2015 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO: 1.1. Aquisição de gêneros alimentícios e produtos de limpeza em geral para uso nas atividades desenvolvidas pelo CONTRATANTE

Leia mais

PLÁSTICO BOLHA DATASHEET

PLÁSTICO BOLHA DATASHEET Pág.1/5 Produzido em Filme de Polietileno de Baixa Densidade, com bolhas de ar, o Plástico Bolha é um produto que proporciona excelente proteção nos materiais nele embalados. Outra aplicação largamente

Leia mais

OBJETIVOS DO TREINAMENTO

OBJETIVOS DO TREINAMENTO OBJETIVOS DO TREINAMENTO O QUE VOCÊ APRENDERÁ NO TREINAMENTO? A importância do cozimento e da preparação dos alimentos. Quais são as tecnologias exclusivas incorporadas na fabricação das panelas icook

Leia mais

AGRADECIMENTOS. Páginas 40 e 41: Banco de Imagens Shutterstock Página 44: Acervo do Wal-Mart

AGRADECIMENTOS. Páginas 40 e 41: Banco de Imagens Shutterstock Página 44: Acervo do Wal-Mart Embalagens AGRADECIMENTOS Os editores deste Relatório agradecem a todas as fontes consultadas, especialmente às entidades CEMPRE - Compromisso Empresarial para Reciclagem, Plastivida - Instituto Socioambiental

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso null - null. Ênfase. Disciplina 0003647A - Projeto II

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso null - null. Ênfase. Disciplina 0003647A - Projeto II Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina 0003647A - Projeto II Docente(s) Cassia Leticia Carrara Domiciano Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento Departamento de Design

Leia mais

Outros materiais que merecem atenção do marceneiro. Introdução

Outros materiais que merecem atenção do marceneiro. Introdução Introdução Existem diversos materiais utilizados pela marcenaria na composição do móvel ou ambiente. Por exemplo os vidros, chapas metálicas, tecidos e etc. O mercado fornecedor da cadeia moveleira lança

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRECOR. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos Campos - SP e-mail: concrecor@concrecor.com.br

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Embalagem Cartonada Longa Vida

Embalagem Cartonada Longa Vida Embalagem Cartonada Longa Vida 1) Objetivo Geral Saber mais sobre a embalagem cartonada e a conservação de alimentos. 2) Objetivo Específico Adquirir conhecimentos sobre a reciclagem da embalagem e seus

Leia mais

PROCESSAMENTO ASSÉPTICO

PROCESSAMENTO ASSÉPTICO Curso de Nutrição ALM024- Processamento de Alimentos PRINCÍPIOS DE PROCESSAMENTO TÉRMICO Comparação entre processos de esterilização ESTERILIZAÇÃO CONVENCIONAL EM AUTOCLAVES (APERTIZAÇÃO) (PROCESSO NÃO

Leia mais

Reciclagem de plásticos e a melhoria da qualidade de água em mananciais urbanos

Reciclagem de plásticos e a melhoria da qualidade de água em mananciais urbanos Reciclagem de plásticos e a melhoria da qualidade de água em mananciais urbanos Curso: Engenharia Ambiental Aluno: André Lenz de Freitas Disciplina: Ecologia Geral Professor: Ricardo Motta Pinto Coelho

Leia mais

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa - SGA Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Especial de Licitação CEL 02

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa - SGA Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Especial de Licitação CEL 02 1 AÇÚCAR TIPO CRISTAL, de origem vegetal, granulado, livre de umidade e isentos de sujidades e fragmentos estranhos, constituído fundamentalmente por sacarose de cana-de-açúcar, aspecto sólido com cristais

Leia mais

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos?

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Cartilha Ambiental Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2 Com atitudes simples você pode contribuir para diminuir sua emissão de CO2,

Leia mais

RECYCLING EQUIPMENT & MACHINERY COSTRUZIONI MECCANICHE IMPIANTI INDUSTRIALI

RECYCLING EQUIPMENT & MACHINERY COSTRUZIONI MECCANICHE IMPIANTI INDUSTRIALI APRESENTAÇÃO EMPRESARIAL 1 Desde 1976, ano de fundação, TECNOFER projeta e constrói equipamentos para a reciclagem de materiais plásticos como filmes de PEBD, PEBD Linear, PEAD, PP; garrafas e outros recipientes

Leia mais

ANEXO II. Item Quant. Unidade Descrição

ANEXO II. Item Quant. Unidade Descrição ANEXO II Aquisição de gêneros alimentícios para alimentação escolar para consumo e uso nas Escolas da Rede Municipal de Ensino, nas Escolas Filantrópicas e nos Programas AABB Comunidade e Ações Complementares,

Leia mais

PALESTRA: CIDADANIA E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL. Palestrante: Gisela Verri de Santana E-mail: givsantana@gmail.com.br

PALESTRA: CIDADANIA E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL. Palestrante: Gisela Verri de Santana E-mail: givsantana@gmail.com.br PALESTRA: CIDADANIA E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL Palestrante: Gisela Verri de Santana E-mail: givsantana@gmail.com.br Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2007 ROTEIRO DA PALESTRA Apresentação pessoal Visualização

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS PLANTAÇÃO/VEGETAÇÃO NATIVA IBAMA, 2014 Guia de Preenchimento

Leia mais

CESTA BÁSICA PAZ VIANNA S TIPO 01

CESTA BÁSICA PAZ VIANNA S TIPO 01 TIPO 01 QTD UN COMPOSIÇÃO 01 UN AÇÚCAR REFINADO 02 UN ARROZ TIPO 1 02 UN FEIJÃO PRETO 1 01 UN ÓLEO DE SOJA SOYA 01 UN MACARRÃO ESPAGUETE ADRIA 01 UN CAFÉ CARRETEIRO / PELÉ 250 gr 01 UN FARINHA DE MANDIOCA

Leia mais

Atualmente é Sócio Proprietário da DIGITALBRAIN Consultoria e Treinamento Ltda.

Atualmente é Sócio Proprietário da DIGITALBRAIN Consultoria e Treinamento Ltda. Formado em Engenharia Química pela FEI Faculdade de Engenharia Industrial e com cursos de Especialização em Embalagens nos U.S.A. e Alemanha, vem atuando no mercado de embalagens desde 1976 em empresas

Leia mais

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg I - CHOCOLATES 1.1 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg 1704.90.10 1.2 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo inferior 1806.31.10 ou igual a 1kg 1806.31.20

Leia mais

Preservação do meio ambiente

Preservação do meio ambiente Preservação do meio ambiente Introdução: Este texto, visando a preservação do ambiente em que vivemos, traz atitudes fáceis e práticas que você mesmo pode tomar para tornar o mundo um lugar mais agradável

Leia mais

MATÉRIA E SUAS PROPRIEDADES

MATÉRIA E SUAS PROPRIEDADES 01- Conceitue matéria. Exemplifique. MATÉRIA E SUAS PROPRIEDADES 02- Do que é constituída a matéria? 03- Qual a finalidade do estudo da Química? 04- Como a matéria, provavelmente, foi originada? 05- O

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NO SÉCULO XXI

SUSTENTABILIDADE NO SÉCULO XXI SUSTENTABILIDADE NO SÉCULO XXI CAOE O CAOE oferece Orientação Educacional, Atendimento Clínico e também novos projetos: Interidades e Universo das Artes INSTITUTO REINVENTAR Missão Sensibilizar indivíduos

Leia mais

O interesse da Química é analisar as...

O interesse da Química é analisar as... O interesse da Química é analisar as... PROPRIEDADES CONSTITUINTES SUBSTÂNCIAS E MATERIAIS TRANSFORMAÇÕES ESTADOS FÍSICOS DOS MATERIAIS Os materiais podem se apresentar na natureza em 3 estados físicos

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS - PGCEM INTRODUÇÃO CMA CIÊNCIA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA ANEXO I - PLANILHA DE QUANTIDADES E S 1 LTS 1.800,00 2 LTS 1.800,00 3 UN 4.800,00 4 UN 7.600,00 5 UN 4.200,00 6 UN 3.600,00 7 UN 2.400,00 AGUA SANITARIA 2% A 2,5%,CLORO ATIVO,FRASCO PLAS.C/1LITRO - (AGUA

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE EMBALAGENS. São Paulo/2013 Assunta Camilo

CURSO DE DESIGN DE EMBALAGENS. São Paulo/2013 Assunta Camilo CURSO DE DESIGN DE EMBALAGENS São Paulo/2013 Assunta Camilo Sustentabilidade Preocupação real com o final Conceito dos R s (reduzir, reutilizar, reciclar, reaproveitar, recusar, retornar, refilar, recuperar,

Leia mais

Plásticos para Cultivo Celular

Plásticos para Cultivo Celular Linha Cultivo de Células e Tecidos Fabricada em poliestireno cristal virgem (GPPS), oferece produtos com alta transparência para ótima visualização e sem presença de contaminantes, assegurando integridade

Leia mais